Page 1

188

Abril-Maio 2015

reviproject electricidade mecatrónica instrumentação medida automação

Nº 188 Abril-Maio 2015

reviproject

índice

1


2

índice

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


nesta edição anunciantes (clique para ver) GMTN

5

IGUS

35

INFAIMON

27

OMRON

7

PILZ

2

ROBOPLAN

33

SEW-EURODRIVE

36

SISTRADE

25

WEGEURO

15

CAPA: Novos Motores Simotics da SIEMENS.

notícias

4

automação

6

accionamentos

10

energia

17

robótica

18

ligação

19

detecção e medida

21

software

24

visão

26

segurança

28

máquinas

31

materiais

34

V. informação na Pág. 13

reviproject electricidade mecatrónica instrumentação medida automação Propriedade, Direcção e Edição: Carlos da Silva Campos Publicidade: Ilda Ribeiro, Luísa Santos APARTADO 146 2676-901 ODIVELAS PORTUGAL Telefone: 217 921 110 Fax: 217 921 113 reviproject@revipack.com assinaturas.reviproject@gmail.com

Para anunciar na reviproject clique aqui:

Consulte a reviproject na internet:

Para contactar a reviproject clique aqui:

Registo de Imprensa: 113 325 Depósito Legal: 13 783/88 ISSN 1647-8134 Edição impressa / digital / on line Impressão: GMT - Artes Gráficas Carlos da Silva Campos Todos os direitos reservados

©

Nº 188 Abril-Maio 2015

reviproject

índice

3


notícias

ENDIEL em Novembro

Ethernet em alta

A ANIMEE, Associação Portuguesa das empresas do Sector Eléctrico e Electrónico, organiza mais uma edição do salão ENDIEL, que terá lugar na Exponor nos dias 19 a 22 de Novembro, em paralelo com a feira CONCRETA (dedicada aos sectores da construção, reabilitação, arquitectura e design). O ENDIEL tem um amplo leque temático, que inclui máquinas eléctricas industriais, aparelhagens e equipamentos, cablagens, sistemas electrónicos e de telecomunicações, componentes electrónicos, pilhas e acumuladores, material de iluminação, electrodomésticos, electricidade e electrónica automóvel, engenharia e software, etc.. Para mais informação sobre o ENDIEL, usar os contactos acessíveis através dos ícones ao lado.

O mercado global dos componentes Ethernet cresceu 7,1% entre 2013 e 2014, atingindo o valor de 1,48 milhões de USD, segundo estimativas da IHS. O crescimento ficou acima da média dos componentes de automação industrial e reflectiu as flutuações do investimento e a influência dos projectos individuais. Para o período entre 2013 e 2018, a IHS estima um crescimento na ordem dos 8,6% ao ano, incluindo gateways, switches, routers, pontos de acesso wireless e conectores. O mercado das gateways deverá crescer abaixo da média geral, devido à introdução de novos dispositivos com conectividade Ethernet. As routers industriais deverão ser substituídas por comutadores com capacidade de encaminhamento (layer-3 switches). A Ásia continuará a registar taxas de crescimento acima das da Europa e dos EUA, embora a distância tenda a encurtar. Segundo a IHS, poderá ainda assistir-se à substituição dos comutadores não geridos por novos switches layer-2 de baixo custo.

WEEECycle na gestão de REEE Depois da Amb3E e da ERP Portugal, os produtores e importadores de equipamentos eléctricos e electrónicos vão poder transferir a sua responsabilidade pela recolha e reciclagem de resíduos para uma terceira entidade gestora. A WEEECycle - Associação de Produtores de EEE aguarda a emissão de licença para iniciar a sua actividade. Na origem desta entidade gestora estão as empresas COEPTUM (painéis fotovoltaicos), OPENPLUS (energia solar térmica) e OLITREM (sistemas de refrigeração), que contam com o apoio de várias associações sectoriais: AIMMAP- Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal, ANEMM - Associação Nacional das Empresas Metalúrgicas e Electromecânicas, ANIMEE - Associação Portuguesa das Empresas do Sector Eléctrico e Electrónico, APIRAC - Associação Portuguesa das Empresas dos Sectores Térmico, Energético, Electrónico e do Ambiente e APISOLAR Associação Portuguesa da Indústria Solar. A recolha de resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos (REEE) atingiu 4,1 kg por habitante e por ano, acima da meta estabelecida na regulamentação (4 kg/h/a). As duas entidades gestoras licenciadas são responsáveis por 3,8 kg/h e o restante resulta da recolha assegurada directamente pelas próprias empresas que colocam equipamentos eléctricos e electrónicos no mercado.

WEG adquire Efacec Energy Service A WEG anunciou a aquisição da Efacec Energy Service Ltda. (Brasil), empresa que actua na manutenção em transformadores de força, motores, geradores, disjuntores e em serviços de engenharia de campo para diversos segmentos industriais de energia. A Efacec Service tem mais de 20 anos de experiência na prestação de serviços em transformadores e máquinas rotativas de média potência, ocupando uma área de 6.500 metros quadrados em Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco. Com 100 colaboradores, a empresa actua predominantemente no Nordeste do Brasil. Em 2013, as receitas da Efacec Service atingiram aproximadamente 5 milhões de euros.

fez 100 anos Fundada em Kitakyushu, Japão em 1915, a Yaskawa Electric Corporation gera anualmente vendas superiores a 2,8 mil milhões de euros. Inventou a palavra "mecatrónica" em 1969 e já produziu mais de 300 mil robôs, considerando-se líder neste segmento. Na Feira de Hanover, a YASKAWA apresentou um novo logótipo, para além de toda a sua gama de robôs. Em Portugal os produtos da YASKAWA (divisão robótica) são distribuídos pela Roboplan.

4

índice

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


Mudanças no mercado da automação

notícias

A descida do preço do petróleo explica a redução de 8% dos investimentos no sector do petróleo e gás no mercado global dos equipamentos de automação. As maiores empresas do sector anunciaram decisões de redução dos investimentos, entre 10% e 40%. Apesar disso, os investimentos de outros sectores industriais permitem que o mercado global dos equipamentos de automação continue a crescer, embora a uma taxa menor, que se prevê na ordem dos 4,5%.

Segundo o mais recente relatório da consultora IHS Technology, os EUA, a UE, o Japão e a Índia continuarão a registar aumentos das vendas de equipamentos de automação em 2015. A redução dos investimentos do sector do petróleo e gás deverá ser compensada por outros sectores, como a indústria automóvel, alimentação e bebidas, embalagem, intralogística e robótica. A desaceleração do crescimento chinês e as recessões no Brasil e na Rússia deverão limitar o crescimento global. A redução dos investimentos do sector do petróleo e gás, que representa cerca de 7% do mercado dos equipamentos de automação, irá afectar sobretudo os motores, controlos de motor, controladores de processo e sistemas hidráulicos.

5 Empresas nacionais em Dusseldorf Cinco empresas portuguesas vão marcar presença em Dusseldorf (Alemanha, nos dias 16 a 20 de Junho). A PPRR-Metal (Maia) e a Setimep (Braga) serão expositores na GIFA; a Heatteq – Lizmontagens (Lisboa) e a Pipe Masters (Amorim) serão expositores na METEC; a Cruz Martins & Wahl (Lousado) será expositora na NEWCAST. Para mais informação sobre estas feiras, ver anúncio na página 24, ou clicar nos logótipos em baixo.

Nº 188 Abril-Maio 2015

reviproject

índice

5


automação

Unidades de E/S analógicas e de temperatura para PLCs CP1 A Omron lançou quatro novas unidades de E/S analógicas e duas novas unidades de entrada, especialmente concebidas para a utilização com sensores de temperatura. Oferecem uma resolução de conversão de 1/12.000, tornando-as na opção ideal para aplicações de pressão e controlo de fluxo de alta precisão, bem como para a utilização com sensores de medição em sistemas de inspecção de qualidade. As unidades disponíveis são versões de entrada com quatro entradas analógicas, versões de saída com quatro saídas analógicas e versões de E/S combinadas com quatro entradas analógicas e duas ou quatro saídas analógicas. Todas as versões são compatíveis com a gama completa de sinais de corrente e tensão standard. O controlo requerido em sistemas de accionamento eléctrico básicos constitui um requisito muito comum onde as novas unidades de E/S analógicas combinadas são a solução ideal, especialmente para aplicações com limitações de espaço e orçamentais.

Os novos sensores de temperatura estão disponíveis em duas versões. A primeira versão apresenta duas entradas para a utilização com termopares e é adequada para máquinas de moldagem por extrusão e fornos de grandes dimensões. A segunda versão dispõe de quatro entradas de termopares, sendo que duas são opcionalmente configuráveis para uma utilização como entradas analógicas standard (1 a 5 V, 0 a 10 V ou 4 a 20 mA). Esta versão permite combinar aplicações de medição analógica e de temperatura numa única unidade, para reduzir os custos. Ambas as unidades proporcionam um excelente desempenho e uma elevada precisão e incluem o PID Function Block e a ferramenta de programação CX Programmer, que simplificam a implementação de sistemas de controlo da temperatura. Os controladores de máquinas compactos CP1 podem executar uma grande variedade de tarefas de automação, desde as mais simples até às mais complexas.

Guia de Automação Industrial A Omron disponibiliza a edição actualizada do seu Guia de Automação Industrial. A edição é um documento de referência para a selecção de equipamentos e dispositivos para sistemas de automação e desdobra-se pelas várias áreas de competência da Omron, designadamente sensores, controlo, visualizalição, movimentação e quadros eléctricos.

Selecção de Automação Industrial

Para aceder à versão on line clicar no ícone. Para obter a versão integral do Guia em formato pdf, clicar na imagem da capa. Guia para Fabricantes de Quadros Estão igualmente disponíveis em formato pdf os capítulos específicos. Para obter os ficheiros pdf, clicar na imagem respectiva ou no ícone.

6

índice

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


Nº 188 Abril-Maio 2015

reviproject

índice

7


automação

UPS integrada no PCS 7 A integração da fonte de alimentação ininterrupta Sitop UPS1600 DC com interface Ethernet/Profinet no sistema de controlo de processos Simatic PCS 7 aumenta a transparência e disponibilidade das instalações fabris. As novas fontes de alimentação Sitop com tensões de saída de 24 V DC e corrente de 10, 20 ou 40 A incluem capacidade de armazenagem de energia de forma a poderem supruir falhas de alimentação durante várias horas. A interface Ethernet/Profinet permite integrar a UPS1600 directamente no sistema de controlo. A informação sobre o estado da operação pode ser transmitida, avaliada e visualizada via blocos de software. O software também cria automaticamente mensagens de alarme.

Torna-se assim possível detectar falhas mais cedo e iniciar as contramedidas adequadas, aumentando assim a disponibilidade dos equipamentos.

Fontes AC/DC abertas Fontes de alimentação A RECOM desenvolveu duas novas fontes de alimentação para calha DIN, REDIN45 (de 45 W) e REDIN60 (de 60 W), com tensão de saída de 12 VDC e 24 VDC, ajustável por potenciómetro no painel frontal. A estabilidade da tensão de saída é sinalizada com a lâmpada frontal "DC-OK", lâmpada remota ou envio de sinal para ponto de monitorização central. As novas fontes de alimentação suportam temperaturas de funcionamento entre -20°C e +70°C e apresentam uma eficiência de 87% com perdas em stand by inferiores a 0,5 W e baixa geração de calor. Incluem protecção contra curto-circuito, sobretensão e sobrecorrente e suportam funcionamento contínuo 24 h x 7 dias por semana. Têm certificação UL de conformidade com as normas IEC/EN/UL60950, CE e UL508. A gama de tensão de entrada de 85 VAC a 264VAC e o suporte de altitude até 500 m permitem o uso universal em aplicações de controlo industrial, automação de edifícios e domótica. As dimensões de 88,6 x 41.1 x 101,4mm permitem economizar espaço nos armários. Os módulos podem ser instalados sem espaço intermédio.

8

índice

As fontes de alimentação de RAC48/OF (de 48 W) e RAC60/OF (de 60 W) em versão aberta (classe II) suportam temperaturas de funcionamento de -20°C a +50°C a 100% de carga, e até 70°C com carga inferior, permitindo dispensar o arrefecimento activo. Os novos módulos AC/DC tem 60 ms de hold-up e perda em stand by inferior a 0,5 W (Directiva ErP). As duas séries estão disponíveis com tensões de saída de 5VDC, 12VDC, 15VDC e 24VDC, com pré-ajuste on board. As saídas DC têm protecção total contra sobretensão, sobrecorrente e curto-circuito. A tensão de entrada de 90V a 265VAC e o isolamento 3kVAC/1 min permitem o uso universal.

Conversores DC/DC

para aplicações médicas A RECOM anunciou o lançamento de três novos conversores DC/DC 'medical grade', com certificação 250VAC/ 2MOPP: REM3 (de 3 W), REM6 (de 6 W) e REM10 (de 10 W), com envólucro DIP24. Apesar do formato compacto, apresentam isolamento reforçado de 250 VAC, isolamento galvânico de 5 KVDC, espaçamento de 8 mm e baixa perda de corrente de 2 µA. As três séries estão disponíveis com gamas de tensão de entrada de 2:1 e 4:1, e saídas simples ou duplas de 3,3 Va 24 V. Suportam temperaturas de -40°C a 105°C.

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


automação

Na senda da digitalização A presença da Siemens na feira de Hanover, com um stand de 3500 m2 marcou um compromisso inequívoco com a tendência da digitalização dos processos produtivos, abrangida pela designação genérica "indústria 4.0". Mais do que o seu extenso portefólio de equipamentos e sistemas, a Siemens colocou a tónica na integração de tecnologias e na nova tendência para a digitalização. O "Forum da Digitalização", com cerca de 1000 m2, mostrou exemplos de aplicações reais, colhidas nos sectores da construção de máquinas, das máquinas de embalagem e da fabricação aditiva. A comunicação é uma das vertentes essenciais da "empresa digital". A gestão de sistemas complexos de maquinaria, de processos completos e de redes de fábricas pode ser simplificada e agilizada através da comunicação a todos os níveis. A comunicação e a digitalização permite às empresas industriais produzir mais depressa, com mais flexibilidade e mais eficiência. Nas redes industriais, a atribuição de endereços pela engenharia é recolocada nos dispositivos de automação. Estes podem assim auto-atribuir-se endereços, sem necessidade de um servidor de endereços central. O sistema simplifica o uso de serviços remotos e aumenta a segurança. A vertente da integração está presente com as múltiplas concretizações dos conceitos de Automação Totalmente Integrada (TIA) e Sistemas de Accionamentos Integrados (IDS), quer ao nível das gamas de equipamentos, quer ao nível do software. A integração aporta ganhos de produtividade no presente e protege os investimentos dos efeitos das mudanças futuras. As indústrias transformadoras estão a passar por uma verdadeira revolução. Os processos convencionais estão a dar lugar a novos processos modularizados, mais flexíveis e digitalmente mapeados. Os altos níveis de velocidade e produtividade que antes só eram possíveis em processos mono-produto, são hoje possíveis ou mesmo ultrapassáveis, com sistemas de produção flexíveis, sujeitos a mudanças constantes de produto, formato, côr ou outras características. A empresa digital pode optimizar processos, sobrepor

Nº 188 Abril-Maio 2015

etapas e obter economias de tempo, custos, materiais e energia. Durante a Feira de Hanover a Siemens apresentou exemplos precursores, tais como um circuito hidráulico com integração digital de um componente numa fábrica. O planeamento e engenharia com o software Comos em conjugação com o sistema de controlo PCS 7, permitem partilhar os dados da engenharia e automação. O Comos Walkinside permite visualizar a integração com representações 3D realistas. A vertente da energia é também essencial. Os sistemas de energia tornam-se mais exigentes e mais complexos, com a necessidade de integrar as fontes renováveis, de eliminar os desperdícios e de proteger os equipamentos e sistemas contra sobrecargas ou curto-circuitos. As redes eléctricas industriais incluem cada vez mais dispositivos de medida, automação, controlo e regulação - numa palavra, são mais digitais. A integração da produção própria está a alterar o relacionamento entre as indústrias transformadoras e as indústrias de produção de energia eléctrica, designadamente ao nível de planeamento e da gestão. A Siemens disponibiliza todo um pacote de soluções inteligentes para a gestão de energia, sob o conceito de Potência Totalmente Integrada (TIP), que abrange todos os níveis de tensão.

reviproject

índice

9


accionamentos

Novo motor assíncrono IE3: reduzido-compacto-eficiente Disponíveis a partir de Janeiro deste ano, os novos motores assíncronos da série DRN.. permitem aos construtores e utilizadores e máquinas dar o passo para a nova classe de rendimento IE3. A eficiência energética e a sustentabilidade estão a tornar-se cada vez mais um factor importante no desenvolvimento e na re-engenharia de produtos da indústria. No dia 1 de Janeiro, entrou em vigor a segunda fase do Regulamento 640/2009 da Comissão Europeia, exigindo maior eficiência energética em motores trifásicos assíncronos.Todos os motores assíncronos de 2-, 4- e 6- pólos, com uma potência entre 7,5 kW e

375 kW, que são colocados no mercado na União Europeia, na Suíça e na Turquia, devem preencher os requisitos da classe de eficiência energética IE3. Motores assíncronos com menor eficiência energética não serão mais permitidos para esta faixa de potência, com algumas excepções. Dois anos depois, a 1 de Janeiro de 2017, a exigência IE3 entrará em vigor para todos os motores assíncronos, com uma potência entre 0,75 kW e 375 kW. Os motores são identificados com IE3 de acordo com a IEC60034-30-1.

Primeiro Redutor Mecatrónico industrial Depois do sucesso do conceito de sistemas de accionamentos integrados, e da receptividade do mercado aos accionamentos mecatrónicos, aguardava-se que o mesmo passo fosse dado na área dos redutores industriais. Em muitos sectores da indústria, as necessidades de eficiência na produção e na intralogística impulsionam a procura de sistemas de transportadores. Mais do que a mera necessidade de equipamentos, o seu funcionamento tem que ser transparente e documentado. Com o lançamento do primeiro redutor mecatrónico industrial, apresentado em meados de Abril deste ano, a SEW-EURODRIVE responde às exigências dos sistemas de transportadores. Os utilizadores podem tirar partido da electrónica

integrada para monitorizar, avaliar e influencar directamente o estado do accionamento e do processo. Novos desenvolvimentos opodem agora basear-se em critérios completamente novos, porque a tecnologia de motor e variador permitem uma adaptação mais fácil às diferentes tarefas e às condições de cargas. Esta tecnologia viabiliza arranques suaves e elevados binários de arranque após paragem prolongada, eliminando as limitações do passado. No desenvolvimento do novo redutor, e logo desde a fase de design, a SEW-EURODRIVE adoptou um conceito integrado. O redutor mecatrónico apresenta uma elevado nível eficiência e produz resultados significativos ao nível da redução de custos. A integração e coordenação de todos os componentes do accionamento aumenta a disponibilidade do sistema e o seu tempo de serviço. A tencnologia de motor integrado aumenta a densidade de potência da solução de accionamento, com redução do peso e das dimensões do sistema. O novo redutor mecatrónico industrial permite optimizar processos. Por exemplo, a experiência mostrou que a regulação da velocidade do tapete em função da carga permite economias de energia entre 16% e 20%. As possibilidades de optimização de processos podem ser usadas para aumentar a produtividade, para reduzir as incertezas do planeamento e para reagir às subsequentes mudanças de requisitos.

10

índice

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


accionamentos

Interfaces de encoder e fieldbus para conversores de frequência MOVITRAC® LTP-B A funcionalidade dos conversores de frequência MOVITRAC® LTP-B pode ser aumentada com as novas cartas opcionais de fieldbus e encoder disponibilizadas pela SEW-EURODRIVE. As novas cartas para encoders HTL/TTL alargam a utilização dos conversores de frequência às aplicações de velocidade controlada. As novas cartas expandem a gama de parâmetros e melhoram o controlo da qualidade. São especialmente úteis em aplicações como guindastes, gruas ou guinchos. O design standard dos conversores de frequência MOVITRAC® LTP-B já suporta os modos de operação V/f e controlo vectorial VFC para controlo efectivo da velocidade e binário de motores síncronos e assíncronos sem encoders. A medida automática dos parâmetros físicos do motor economiza tempo durante o arranque e assegura mais eficiência na operação. Uma nova gama de software proporciona opções alargadas para análise e optimização. As novas cartas opcionais para todos os tipos mais conhecidos de fieldbus expandem a gama de interfaces de comunicação dos conversores de frequência MOVITRAC® LTP-B. As cartas suportam os fielbuses PROFIBUS DP, PROFINET, EtherCAT, Ethernet/IP, Modbus/TCP, DeviceNet e BACnet e são ideiais para utilização com os MOVITRAC® LTP-B com grau de protecção IP55. Como as cartas são instaladas directamente no próprio conversor de frequência, não é necessário instalar uma gateway numa caixa adicional. Na configuração standard sem carta opcional, o MOVITRAC® LTP-B pode ser ligado a um PLC de alto nível através da interface de fieldbus integrada com os protocolos SBus, CANopen ou Modbus RTU. Com o SBus, o conversor de frequência pode ser integrado no mundo SEW com as gateways SEW DFx ou os sistemas de controlo MOVI-PLC® control systems. O MOTION-Studio® pode então ser usado para colocar o conversor de frequência em operação.

economizam-se componentes e tempo de setup. Os pacotes de fornecimento podem ainda incluir uma vasta gama de acessórios, tais como painéis de operador externos, chokes, interfaces adicionais e opções de comunicação. Os MOVITRAC® LTP-B são adequados para aplicações de velocidade controlada em sistemas de produção industrial e guindastes até 160 kW. As aplicações incluem equipamentos de AVAC, reciclagem, peneiramento e compostagem. A protecção IP55 e as opções de montagem flexíveis permitem a instalação em ambientes com poeiras. No processamento de madeiras, estes conversores são indicados para operação sem encoder de accionamentos especiais síncronos de alta velocidade.

O conversor der frequência MOVITRAC® LTP-B está disponível em seis tamanhos com grau de protecção IP55 com potência de 0,75 a 160 kW. São adequados para instalação fora do armário eléctrico, designadamente em parede. Para potências entre 0,75 a 15 kW, a variante IP20 pode ser usada com instalação no armário eléctrico. As variantes de tensão de 1 x AC 230 V, 3 x AC 230 V, 3 x AC 400 V e 3 x AC 575 V viabilizam a utilização universal. As variantes até 400 VAC incluem filtro EMC de série e preenchem os requisitos da categoria C1 / C2 da norma EN 61800-3 sem filtro extra. Deste modo, Nº 188 Abril-Maio 2015

reviproject

índice

11


accionamentos

Unidades de transmissão para a indústria alimentar As unidades de transmissão de velocidade variável com proteção IP66/IP69K são indicadas para processos que exigem limpeza regular com jactos de vapor a alta pressão. Todos os componentes são fabricados internamente: caixas redutoras, motores com superfícies suaves e inversores de frequência. O tratamento nsd tupH proporciona às caixas de alumínio uma superfície suave e resistente à corrosão, resistência esta que se mantém apesar dos impactos e riscos. O tratamento endurece a própria superfície e não consiste na aplicação de um revestimento, pelo que não existe o risco de poluição dos produtos ou dos materiais processados como, por exemplo, com lascas de tinta. O tratamento nsd tupH é aprovado para aplicações alimentares de acordo com o Título 21, seção 175.300 do CFR. É especialmente indicado para equipamentos sujeitos a atmosferas salgadas.

Accionamentos inteligentes asseguram servodinâmica e precisão Equipado com electrónica de conversor avançada para funcionalidade de controlo inteligente, os motores assíncronos padrão com eficiência IE2 ou IE3 e os motores síncronos IE4 de iman permanente podem fornecer dinâmica e agilidade de nível servo. Os conversores de frequência com tecnologia de ponta para montagem no motor, montagem em parede ou instalação em armário, permitem implementar tarefas de posicionamento de elevada precisão, aplicações de segurança e funções sofisticadas como sincronização, operação de vários eixos coordenados, controle de bobinagem e cisalhamento projetado. Estes sistemas são mais económicos do que as soluções de servotecnologia convencional. Os conversores de frequência possuem um microprocessador em tempo real (tempo de ciclo de 10 ms) e suportam programação livre de funções relacionadas com os accionamentos em conformidade com a norma IEC 61131, para substituir a carga de trabalho de CLPs externos. Os 200% de capacidade de reserva de sobrecarga garantem elevada segurança de operação, por exemplo em sistemas de gruas. Empregando tecnologia de controle orientada para trabalho em campo, esses controladores conseguem uma consistência excelente sob cargas flexíveis e desde a posição quase imóvel até à velocidade padrão do motor, mesmo sem um codificador Além disso, os accionamentos providenciam torques de partida 12

índice

elevados e o feedback de velocidade pode ser também implementado. O conversor de frequência de última geração SK 540E, a partir da linha do armário de controle, integra uma interface para codificador para SSI, BISS, EnDat profile 2.1, e Hiperface. A linha da NORD de tecnologia de conversores distribuída abrange a faixa de desempenho até 22 kW, enquanto a gama de dispositivos de armário abrange até 160 kW. A NORD é especialista em accionamentos mecatrónicos de grande escala, fabrico de motores redutores e unidades de electrónica e programação de funções de lógica internas.

Novos variadores A gama de variadores de velocidade Optidrive E3 foi a principal apresentação da Invertek na Feira de Hanover. Os novos variadores podem controlar qualquer motor IE2, IE3 e IE4, de ímanes permanentes, indução standard ou síncronos. A gama E3 é a terceira geração dos variadores 'general purpose' Optidrive. Está disponível até aos 22 kW no tamanho 4, com versões monofásicas IP66 e IP20. A produção em série vai iniciar-se em Agosto.

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


accionamentos

Nova série de motores A nova série de motores de baixa tensão Simotics FD, com potência de saída de 200 a 1600 kW, têm construção modular e são compatíveis com o conceito Integrated Drive System (IDS), podendo ser integrados com os conversores de frequência Sinamics e assegurar os requisitos da classe de eficiência IES2, reduzindo as perdas de eficiência na ordem dos 35% (comparativamente aos valores de referência da classe). Com alturas de veio entre 315 e 450 mm, estes motores são especialmente indicados para aplicações na indústria transformadora e são especialmente eficientes nas aplicações com cargas parciais. A estrutura modular permite escolher entre arrefecimento a ar ou água ou entre auto-ventilação ou ventilação forçada. A caixa terminal pode rodar em vários ângulos até 90 graus, está diagonalmente dividida e tem um formato amplo que facilita as ligações. O design inovador e compacto é compatível com os motores Simotics TN da

Novos redutores planetários A Siemens lançou em Abril a nova série de redutores planetários Planurex 3, com binários de 1700 a 5450 kNm. A gama de tamanhos foi ajustada para reduzir o salto de potência entre os diferentes tamanhos, disponibilizando as características de bimnário e relação de transmissão para a generalidade das aplicações. O aumento da densidade de binário (Nm/kg) numa média de 17,5 % melhora a eficiência destes redutores. O design compacto economiza espaço, peso e a tensão mecânica do redutor e da aplicação. Os redutores Planurex 3 fazem parte do conceito Integrated Drive System (IDS), que consiste em soluções completas incluindo motor, redutor, acoplamento e sistema de alimentação de óleo.

Nº 188 Abril-Maio 2015

série N-compact. Não tem necessidade de aletas de regrigeração externas, já que as aletas estão integradas directamente junto ao núcleo do estator na carcaça rectangular, permitindo que o arrefecimento tenha lugar junto à fonte de calor. A combinação do motor Simotics FD com o conversor Sinamics G120P é especialmente indica para aplicações de bomba e ventilação.

Manutenção preventiva com Fluke Connect O sistema sem fios Fluke Connect™ é a melhor forma de os técnicos de manutenção estarem em contacto com as suas equipas sem terem de abandonar o terreno. Com a aplicação Fluke Connect™, os técnicos podem capturar, guardar e partilhar dados de manutenção de forma eficiente e segura directamente do terreno. Além disso, os técnicos e gestores podem aceder ao histórico de dados a partir de qualquer lugar, pois estes são automaticamente guardados na Fluke Cloud™. Para aumentar ainda mais a eficiência da sua manutenção, a aplicação Fluke Connect™ funciona com mais de vinte ferramentas Fluke facilitando como nunca o diagnóstico e a resolução de problemas. A aplicação tira partido das capacidades de comunicação dos instrumentos Fluke e dos smartphones. Os dados estão disponíveis remotamente e a qualquer momento e os técnicos podem trocar mensagens SMS, voz ou imagem entre si. O filme acessível através do link ao lado mostra o modo de funcionamento desta aplicação, que estás disponível nos portais AppStore e Google Play.

reviproject

índice

13


accionamentos

Recuperação de motor garante abastecimento de água A recuperação do motor principal do sistema de bombeamento de água da Cantareira garantiu o fornecimento ininterrupto de água para 9 milhões de habitantes da região de São Paulo, Brasil. A WEG foi contratada pela Sabesp, empresa responsável pelo centro produtor da Cantareira, para efectuar a recuperação do rotor e estator do motor de 20.000 HP, 10 polos, 13,2 kV. Os desafios deste fornecimento foram o prazo reduzido para finalizar a instalação e a dimensão da obra. O contrato teve duração de 80 dias e envolveu a unidade WEG de São Bernardo do Campo/SP, montagem e start-up em campo. Apesar do período seco que São Paulo enfrenta, o sistema da Cantareira recebe água das outras represas. A intervenção da WEG restabeleceu as condições normais de operação do sistema produtor Cantareira e garantiu o fornecimento ininterrupto de água para a região Metropolitana de São Paulo. A Sabesp é responsável pelo abastecimento de 14 milhões de pessoas da grande São Paulo e de 62 cidades do interior. Além do fornecimento de água, a empresa também actua na recolha e tratamento de esgotos de 364 municípios do Estado de São Paulo.

Distribuição e gestão da energia na BMW Brasil A BMW escolheu a WEG para fornecer um pacote de soluções para a distribuição e gestão da energia na fábrica do seu primeiro parque industrial no Brasil, localizado em Araquari (Santa Catarina). Em Abril de 2014, a empresa entregou ao BMW Group Brasil uma subestação principal (138kV), sete subestações secundárias (13,8kV), e a automação das subestações, além de quadros de distribuição e manobra de média tensão, transformadores, quadros de distribuição de baixa tensão e bancos de capacitores. Todos estes equipamentos possuem integração de automação e protecção eléctrica por meio de fibras ópticas, que utilizam uma comunicação de alta velocidade, em que diversos dados são adquiridos e replicados para uma central instalada na subestação principal. O controlo dos processos da BMW requer sistemas de automação com elevado grau de fiabilidade e disponibilidade, operação clara e objectiva, além de facilidade de gestão para as equipas de manutenção. Para responder a estas exigências, a WEG forneceu sistemas de automação completamente integrados, onde todas as informações das subestações estão disponíveis no sistema de supervisão. Ao conhecer as necessidades do cliente, a WEG também desenvolveu painéis customizados, que unem conceitos de compactação e uma elevada capacidade de condução de corrente de até 5000A. 14

índice

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


Nº 188 Abril-Maio 2015

reviproject

índice

15


accionamentos

Eficiência Energética comprovada A Agência Sueca de Energia (Energimyndigheten) na sua mais recente informação sobre ensaios de motores eléctricos, deu destaque às poupanças de energia aportadas pelas soluções de accionamentos e motores da Emerson Industrial Automation, disponibilizadas em Portugal pela Harker Solutions. A Energimyndigheten é a autoridade nacional da Suécia em matéria de política energética. Neste âmbito levou a cabo uma investigação sobre as especificações técnicas anunciadas por diversos fabricantes de motores eléctricos de várias classes de eficiência, quando utilizados em conjunto com variadores de velocidade. A investigação demonstrou que graças à utilização de um motor da LeroySomer tipo LSRPM de 15 kW, que integra a solução Dyneo de alta eficiência (>IE4) da Emerson Industrial Automation, se poderia chegar a poupanças da ordem de 5.700 kWh por ano. Este valor é equivalente ao consumo anual de electricidade de uma habitação para uma família de quatro pessoas. Estes testes independentes, os primeiros deste tipo realizados na Suécia, seguiram a legislação da UE relativa à eficiência de motores eléctricos na indústria. Desde Janeiro de 2015, todos os novos motores eléctricos de potências entre 7,5 kW e 375 kW, devem cumprir os requisitos mínimos de eficiência ou seja, devem dispor de um nível de classe IE2 quando alimentados por um conversor de frequência e classe IE3 quando alimentados directamente da rede. A agência Energimyndigheten ensaiou os vários motores, incluindo o motor da Leroy-Somer tipo LSRPM de 15 kW, utilizando quatro diferentes conversores de frequência de marcas premium disponíveis no mercado. De acordo com a norma, o diferencial entre dois níveis ou classes de eficiência consecutivas é de cerca 20%. Os resultados confirmam que a solução Dyneo tem uma eficiência superior num nível de eficiência, em comparação com os melhores produtos equivalentes da concorrência, e cerca de três níveis de eficiência acima da classe IE3 de motores de indução. Os resultados foram obtidos numa máquina de ensaios em que a carga foi uma bomba. Nas aplicações com compressores, as diferenças seriam ainda mais interessantes, já que a solução Dyneo mantem uma eficiência superior em toda a gama de utilização da velocidades e carga. Destaca-se que o motor Dyneo LSRPM da Emerson, utilizando a tecnologia HPM (íman permanente híbrido), quando ensaiado com um conversor Unidrive M600 igualmente da Emerson, mostrou uma clara melhoria de eficiência em comparação com os outros. Este facto seria previsível já que o conjunto da Emerson (motor e 16

índice

conversor) foi desenvolvido especificamente para que os dois elementos operem juntos, o que permite maximizar os ganhos de eficiência. Os ensaios foram levados a cabo no accionamento de uma bomba, utilizando um motor e um variador de velocidade. O ensaio simulava um circuito no qual se deveria manter a pressão constante, independentemente do caudal solicitado, desde o regime mais baixo até à carga máxima. Os resultados mostram que a solução com motor de íman permanente Leroy-Somer - Dyneo da Emerson Industrial Automation pode poupar até 6%. Insistimos: com cargas a binário constante o diferencial seria ainda maior. Eric Coupart da Leroy-Somer, referiu: ”Aceitamos plenamente as conclusões da investigação que confirmam como os accionamentos da Emerson e as suas soluções de motor e variador, a operar em conjunto, oferecem não só uma comprovada fiabilidade, mas também a melhor relação do mercado em termos de custo-benefício, bem como de ciclo de vida”. Estima-se que os motores eléctricos representem entre 65% e 70% da energia eléctrica utilizada na indústria e quase 40% do consumo mundial de electricidade. Acresce que os motores são máquinas eléctricas de utilização intensiva, operando diariamente e ao logo de todo o ano. As mais relevantes aplicações são em ventiladores, bombas e compressores, elevadores e escadas rolantes bem como grandes unidades de ar condicionado e de refrigeração. Estão feitas projecções para poupanças de energia eléctrica no ano 2020 na EU. Com a utilização de motores eléctricos mais eficientes, poderiam ser economizados cerca de 135 TeraWats hora (TWh) de electricidade por ano, valor superior ao consumo anual de electricidade na Suécia. A Agência Sueca de Energia, que iniciou a sua actividade em 1998, é a autoridade nacional do país em matéria de política energética. O seu objectivo é alcançar na Suécia um sistema energético sustentável, através do apoio às energias renováveis, às tecnologias de ponta, medidas climáticas e uma utilização mais inteligente da energia.

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


energia

Integração de energias O dispositivo inteligente Sicam SGU simplifica o processo de integração de consumidores e de produtores de energia na rede eléctrica e permite a integração de fontes de energia renováveis em micro-redes de energia independentes. Com este dispositivo, pode criar-se uma central eléctrica virtual centralmente controlada. O dispositivo de campo Sicam SGU recorre à rede de comunicações móveis para interligar as diversas instalações no centro de controlo da rede ou no sistema de gestão de energia. A solução tem a vantagem de dispensar a instalação de cabos de fibra óptica ou de modems individuais. Desta forma, o dispositivo vai ao encontro das necessidades dos fornecedores de energia que procuram uma tecnologia de comunicações económica para controlar um número cada vez maior de centros descentralizados de produção de energia. O objectivo é garantir a estabilidade da rede de energia. Uma das consequências da transição energética é que os distribuidores municipais e fornecedores de energia já não controlam as suas centrais em função do consumo de energia. Actualmente têm de responder de forma contínua às flutuações na produção da energia que é injectada na rede a partir de fontes renováveis, de modo a manter o equilíbrio entre a produção e o consumo. É por isso que os fornecedores de energia estão gradualmente a transitar para sistemas de controlo inteligentes, a fim de converter as suas redes de energia convencionais em redes de energia inteligentes. Desta forma, os fornecedores conseguirão controlar um número muito maior de centros de produção e respectivas cargas. Estes últimos incluem instalações industriais capazes de ajustar o seu consumo de energia dentro de determinados limites. Cada central dispõe de um dispositivo de comunicação que a liga ao centro de controlo ou sistema de gestão de energia. O Sicam SGU é uma unidade de entrada/saída com um módulo de rádio móvel que pode ser utilizado para todas as tarefas de comunicação com a rede eléctrica inteligente. Uma aplicação possível é a criação de uma central de produção eléctrica virtual, centralmente controlada, através da agregação de centros de produção de energia solar, eólica e de biogás, de sistemas de armazenamento de energia e de consumidores de energia com capacidade de ajuste. O Sicam SGU também permite a integração de fontes de energia renováveis em microredes de energia independentes, como aquelas operadas por grandes empresas Nº 188 Abril-Maio 2015

industriais. Em redes locais e de distribuição, o Sicam SGU regista dados ou controla o fluxo de energia, por exemplo, ligando ou desligando geradores a diesel. No que diz respeito aos protocolos de comunicação associados, e de acordo com a norma CEI (Comissão Eletrotécnica Internacional), o dispositivo utiliza o protocolo de dados protegidos OpenADR para sistemas de gestão automática de resposta à procura. Os dados são encriptados antes de serem transmitidos por GPRS (General Packet Radio Service) através de uma rede de computadores VPN (Virtual Private Network) fechada. Se o dispositivo for utilizado sem módulo de comunicações móveis, um protocolo de encriptação integrado assegura que os dados são transmitidos de forma segura.

Carga indutiva sem contacto Os automóveis eléctricos poderão em breve recarregar as baterias sem contacto e sem cabos, com um sistema em desenvolvimento na Alemanha por uma equipa de investigadores do Instituto Fraunhofer de Sistemas Integrados e Tecnologia de Dispositivos (IISB, Erlangen). Há vários anos que os investigadores procuram adaptar o princípio da indução electromagnética para o carregamento de veículos eléctricos. A abordagem consiste em colocar as bobinas de indução no lado inferior do veículo e as estações de carga no solo. A distância exige bobinas potentes e grandes, para vencer a distância. Além disso podem ocorrer obstáculos à transmissão de potência, tais como animais ou objectos. As estações de carga geram calor suficiente para atrair gatos. Os investigadores do IISB seguiram uma abordagem diferente. Para reduzir a distância, o tamanho e o custo das bobinas, estas são colocadas na parte frontal dos veículos e a estação de carga é instalada numa coluna vertical oscilante que pode ser mesmo tocada pelo veículo. Com esta abordagem, o tamanho da bobina passa para 10 cm (em vez dos 80 cm da abordagem anterior). O sistema é menos vulnerável às interferências na transmissão de energia. A coluna permite que a eficiência do carregamento não esteja dependente da altura do veículo. O protótipo actual transmite 3 kW com uma eficiência global de 95%.

reviproject

índice

17


robótica

Robô table-top flexível e leve O UR3 é o mais recente desenvolvimento da Universal Robots na área dos robôs de mesa (table-top) e destina-se a tarefas de montagem leves, se necessário lado a lado com pessoas. O conceito dos "robôs colaborativos" fez o seu caminho na indústria com os modelos UR5 e UR10, capazes de trabalhar lado a lado com pessoas sem necessidade de guardas de segurança. O UR3 alarga este conceito aos robôs table-top. O novo robô pesa apenas 11kg, tem capacidade de carga de 2,7 kg, alcance de 0,5 m, grau de rotação de ±360° em todas as juntas e rotação infinita na junta final. Estas características fazem do UR3 o nais leve e flexível do mercado. É ideal para aplicações que requerem capacidades de 6 eixos e em que o espaço, a segurança e os custos são factores críticos. O UR3 pode ser usado como "assistente" de operadores em tarefas de

Sensores anti-colisão A ROBOWORK apresentou uma nova gama de sensores anti-colisão e excesso de carga para robôs e manipuladores industriais. Estes dispositivos ajudam a prevenir e reduzir os danos resultantes de colisões e excesso de carga. Estão disponíveis duas versões, uma para robôs industriais até 80 kg de carga, e outra versão "Heavy Duty - HD" de 80 kg até 300 kg de carga. As principais áreas de aplicação para o novo sensor anticolisão são a paletização, soldadura, manipulação, maquinação e montagem. A ROBOWORK garante a distribuição do produto para Portugal e Espanha, assim como a configuração do produto num robô novo ou usado. Para mais informações, clicar no ícone.

18

índice

montagem, polimento, colagem, aparafusamento, etc.. Neste caso, o UR3 permite aumentar a produtividade, reduzir o esforço físico em tarefas repetitivas. Em alternativa, pode ser usado como estação de trabalho separada e independente, para tarefas de montagem, pick and place, alimentação de fluxos de produção, etc., ou ainda para executar tarefas que possam envolver risco de exposição a materiais perigosos ou tóxicos. A facilidade de programação permite alterar as tarefas do robô com grande rapidez. As dimensões compactas e a desnecessidade de instalação de guardas de segurança permitem instalar mais unidades no mesmo espaço, aspecto que pode ser decisivo, por exemplo, quando se dispõe de espaços limitados para as linhas de montagem. Em vez das guardas de segurança, o UR3 tem segurança integrada, que se desdobra em 15 funcionalidades. Uma delas é a capacidade para detectar forças e para limitar a força do robô quando colide com uma pessoa. A força de detecção é, por defeito, de 150 N, mas o robô pode ser programado para parar ao encontrar um obstáculo de apenas 50 N. A facilidade de programação, o controlo de força integrado e a rotação infinita fazem do UR3 um verdadeiro "perito". Pode pegar em parafusos e aparafusá-los com a força requerida, exacta e constante. Pode aplicar adesivos com a dosagem requerida e aplicar pressão com a intensidade e duração determinadas pelo programa. A repetibilidade de 0,1 mm é a mesma dos modelos UR5 e UR10. Além disso, o UR3 pode seguir a aresta de uma superfície (por exemplo, a esquina de um smartphone) em modo de detecção em vez do seguimento de coordenadas. Esta capacidade evita a necessidade de programar centenas de pontos.

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


ligação

Switch Ethernet, Router e Firewall num dispositivo compacto O Ruggedcom RX1400 é uma router inteligente, multiprotocolo, que combina as funcionalidades Ethernet switching, routing e firewall com várias opções de ligação de banda larga sem fios (WAN), com modem LTE integrado com rollback para redes 2G e 3G. Tem grau de protecção IP40, não usa ventiladores para refrigeração, opera continuamente num intervalo de temperaturas entre -40° C e +85° C e é fornecido com um encapsulamento robusto de metal que permite uma montagem em calha DIN, painel ou rack. O Ruggedcom RX1400 oferece um alto nível de imunidade a interferências eletromagnéticas, sobretensões elétricas, temperaturas e humidade extremas para uma operação fiável em ambientes severos. A funcionalidade integrada GNSS (GPS/GLONASS) permite que o dispositivo reporte a sua localização conforme necessário para fins de rastreio de activos. O Ruggedcom RX1400 está projetado para suportar comunicações primárias sobre redes LTE e aproveitar as suas capacidades avançadas para gestão QoS (Qualidade do Serviço). Para assegurar máxima fiabilidade o dispositivo está preparado para fazer o rollback para ligação sem fios 2G e 3G. Adicionalmente, o router está equipado com um slot para dois cartões (DUAL SIM) que

permite o failover automático em caso de interrupção da comunicação. O dispositivo pode também ser usado com dois transcetores de fibra ótica (SFPs) opcionais, para estabelecer comunicação cablada em áreas onde esteja disponível o uso de fibra.

Router sem fios para comunicação industrial A Siemens expandiu a série de routers Scalance M wireless com o lançamento de dois novos modelos. A router Scalance M876-3 destina-se à transmissão de dados 3G (UMTS na Europa, EVDO nos EUA). A router Scalance M876-4 permite a ligação de sub-redes e dispositivos de automação via protocolo wireless LTE (Long Term Evolution).

Nº 188 Abril-Maio 2015

Graças às elevadas larguras de banda, às capacidades e velocidades de transmissão, estas routers são indicadas para aplicações industriais de acesso remoto, teleserviço, integração de subestações eléctricas e estações de tratamento de águas, bem como em vídeovigilância. Para além da possibilidade de ligar até quatro dispositivos, as novas routers da Siemens são fornecidas com duas ligações de antena, tornando possível a operação multi-antena e melhorar a qualidade do sinal. As novas routers mantêm o design compacto da família Simatic S7-1500, que permite economizar espaço nos armários eléctricos. Incluem também uma E/S digital para ligações VPN seguras, bem como fontes de alimentação redundantes para suportar cortes de alimentação de curta duração. Em função da infraestrutura do service provider, as taxas de transmissão das novas routers podem ir até aos 100 Mbits/s e as velocidades de uplink podem ir até aos 50 Mbits/s via LTE. Permitem ligar dispositivos com IP em qualquer parte do mundo e incluem firewall integrada e encriptação via túnel VPN.

reviproject

índice

19


ligação

Módulo AS-interface com conector frontal de encaixe

Anybus® para PROFINET 2.31 A nova série 40 do Anybus CompactCom da HMS Industrial Networks obteve a certificação para PROFINET Versão 2.31, para usar em conjunto com a classe de conformidade mais elevada (C) assim como com a classe de carga líquida mais elevada (III). A série 40 do Anybus CompactCom fornece dispositivos industriais com conectividade multi-redes com um foco específico em Ethernet industrial. É especialmente adequada para aplicações industriais inovadoras com demandas de elevado desempenho e está disponível em formato de chip, unidade de alimentação e módulo.

A solução da série 40 para PROFINET permite uma comunicação muito rápida entre o dispositivo anfitrião e PROFINET (a latência de dados de processo é inferior a 15 µs através do módulo) e suporta PROFINET RT Classe 1 e 3. Vem equipada com um comutador Ethernet PROFINET IRT integrado e suporta funções PROFINET como MRP (protocolo de redundância de mídias), operação em sincronismo por pulso, introdução rápida e PROFIenergy. Está também equipada com uma interface de canal negro permitindo a comunicação PROFIsafe. Quando usada em combinação com o módulo de segurança IXXAT Safe T100, a HMS pode, por isso, oferecer uma solução completa de comunicação para a segurança funcional. Além de suportar a funcionalidade PROFINET avançada, a série 40 do CompactCom também inclui funções de TI em execução simultaneamente com as funções em tempo real PROFINET. A funcionalidade de TI inclui, por exemplo, uma tomada de interface, dando a possibilidade de enviar um frame Ethernet completo (até 1500 bytes), páginas web incorporadas, sistema de arquivos e actualização de firmware via FTP, etc. A série 40 vem equipada com funções de segurança, tais como assinaturas de software obrigatórias para evitar que software não autorizado seja instalado no produto e a encriptação é usada para evitar cópias ilícitas. 20

índice

O novo módulo AS-interface KE5 da Pepperl+Fuchs tem apenas 19 mm de largura, inclui um visor frontal e 28 terminais de encaixe frontal. Destaca-se a facilidade de instalação, a exibição nítida de E/S activas através de dígitos luminosos e a atribuição simples de funções na tampa com todos os visores LED permanecendo visíveis. As extremidades "crimpadas" dos fios podem ser inseridas directamente nos terminais de encaixe. Todos os feixes de cabos são guiados para baixo, o que significa que não existe necessidade de instalar suportes/condutas de cabos superiores. Isso não só proporciona uma solução sofisticada para a cablagem do armário de distribuição, como também economiza espaço e aumenta a clareza. Em caixas de distribuição, os módulos com essa conexão podem ser montados embutidos na extremidade superior da caixa de distribuição sem que isso prejudique a instalação. A tampa articulada transparente, que pode ser encaixada em vários pontos, garante uma visão clara do visor de dígitos e permite que as funções dos terminais sejam codificadas por cores internamente. Os terminais podem ser removidos individualmente e são codificados para evitar que sejam confundidos, o que significa que os dispositivos podem ser substituídos sem qualquer problema. As E/S são exibidas e são realizados diagnósticos centralmente através de números retroiluminados. Não existe a necessidade de atribuir etiquetas aos LED. Essa configuração garante que as informações podem ser lidas mesmo no escuro. São usados LED duplos para indicar sobrecarga de uma saída com base em canais específicos. Os contactos dos terminais para AS-i e AUX, ligados internamente, atingem a totalidade de 8 A, eliminando a necessidade de ponteiras finais de fio duplo nos pontos terminais. A alimentação do sensor para o módulo pode facilmente ser alternada entre uma alimentação interna da AS-i e uma alimentação externa através de AUX. Isso reduz a quantidade de dispositivos necessários. Como resultado do isolamento funcional confiável entre a AS-i e o AUX, os componentes descentralizados do sistema podem ser desactivados de forma segura usando esses módulos através da desactivação do AUX. Isso permite economizar nos custos e aumentar a disponibilidade da fábrica.

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


detecção e medida

Contador de partículas para análise de fluidos A PAMAS (Alemanha) fabrica contadores automáticos de partículas para controlo de contaminação de fluidos hidráulicos, lubrificantes, combustíveis e fluidos de processo, incluindo água, suspensões farmacêuticas, etc.. O mais recente modelo PAMAS S50DP inclui um sistema de diluição que actua antes da contagem de partículas, reduzindo desse modo a turbidez da amostra. Foi especialmente desenvolvido para medição estacionária em linha de fluidos escuros. Os contadores de partículas são usados para monitorizar o estado dos fluidos, com objectivos de processo e de manutenção.. os contadores ópticos actuam com a ajuda da luz que atravessa os fluidos. As ondas electromagéticas podem ser reflectidas ou absorvidas quando se encontram com partículas na célula de medida. O efeito é analisado pelo sistema opto-electrónico. O resultado final é apresentado em número de partículas por mililitro e em tamanho de cada partícula. Esta técnica tem várias limitações. No caso dos fluidos escuros, é necessário reduzir o nível de absorção antes da análise. A contagem óptica também é dificultada se o nível de contaminação exceder o nível de concentração que o sensor é capaz de detectar. É o que sucede quando os fluido contém aditivos não dissolvidos ou quando a viscosidade da amostra é demasiado elevada para uma medição exacta. Por isso, na análise por lotes ou amostragem, pode adicionar-se manualmente um solvente. Nos sistemas de análise em linha, o fluido é desviado para uma linha bypass para ser analisado directamente. O novo contador automático de partículas PAMAS S50DP tem um sistema de diluição integrado que permite superar as referidas limitações. O solvente é adicionado automaticamente de acordo com a dosagem programável e de forma homogénea, de forma a permitir uma medição o mais exacta possível, mesmo com fluidos altamente contaminados. O contador PAMAS S50DP está equipado com bomba de pistão cerâmico. Assegura um caudal constante de 25 ml/min à pressão de 0 a 6 bar. Dispõe de 8 canais para contagem de outros tantos tamanhos de partículas: > 4 µm(c), > 6 µm(c), > 10 µm(c), > 14 µm(c), > 21 µm(c), > 25 µm(c), > 38 µm(c) e > 70 µm(c). O sensor PAMAS HX integrado está calibrado em conformidade com a norma ISO 11171 e mede fluidos com uma concentração máxima de até 24.000 partículas por mililitro, com uma taxa de coincidência de 7.8%. O utilizador pode escolher entre a interface analógica (4-20 mA) e a digital (RS485) para a transferência de dados. Nº 188 Abril-Maio 2015

O canal analógico opcional de 4-20 mA transmite dados para um autómato programável (PLC), servindo o contador PAMAS S50DP como instrumento de monitorização de condição. Para o reporte e análise dos resuiltados, a PAMAS disponibiliza duas ferramentas de software: o PAMAS POV para visualização on line e o PAMAS PCT para monitorização de peças. Com estas duas ferramentas, os resultados são reportados em conformidade com as normas ISO 4406 ou SAE AS 4059. A PAMAS é representada em Portugal pela M.T. Brandão (Porto).

Contadores de água por ultrassons A Titan Enterprises (Reino Unido) desenvolveu um novo caudalímetro de ultrassons para abastecimento de águas e sistemas de climatização. Baseiam-se na tecnologia de ultrassons dos caudalímetros Atrato, já conhecidos do mercado há cerca de 4 anos em O novo caudalímetro de água aplicações como dispensadores de líquidos, laboratórios, indústrias de processo, etc.. Os novos caudalímetros têm apenas 110 mm de comprimento, diâmetro interno de meia polegada e apresentam uma precisão melhor que ±2% num caudal de 250:1. A Titan poderá ceder a tecnologia a um parceiro que pretenda investir no fabrico e exploração comercial deste tipo de caudalímetros para caudais superiores. A tecnologia Atrato tem as vantagens da simplicidade do design (caudal linear, medição não invasiva) e da imunidade à turbulência e à viscosidade. Caudalímetro Atrato conhecido do mercado

reviproject

índice

21


detecção e medida

Sensores LED LEDDAR™, acrónimo de "light-emitting diode detection and ranging", ou simplesmente detecção LED é a tecnologia desenvolvida pela LeddarTech, empresa criada a partir da investigação desenvolvida pelo Institut National d'Optique (INO) do Canadá, tirando partido da luz LED (visível e infra-vermelha) e do princípio do "tempo de voo". Contrariamente aos emissores colimados (lasers), os sensores LED Leddar™ e os emissores ópticos são usados para criar feixes difusos. O receptor multi-elemento recolhe a retrodifusão da luz reflectida pelos objectos alcançados pelo feixe e, analisando a forma de onda, detecta a presença de objectos em cada segmento do feixe, medindo as respectivas distâncias com base no tempo que a luz leva a regressar ao sensor. Para maximizar o intervalo, a exactidão e a precisão, são usadas técnicas de acumulação e sobreamostragem. Toda uma gama de opções de óptica permite uma variedade de padrões de feixe. O feixe difuso aumenta a robustez da detecção, mesmo em conduções ambientais difíceis, tais como chuva e neve. O alinhamento do sensor é mais fácil, tornando a instalação mais simples. O receptor multi-elemento permite detectar segmentos múltiplos do feixe, sem partes móveis. Os sensores podem ser mais compactos e fiáveis.

princípio do tempo-de-vôo e o ângulo de incidência pode ser determinado pela óptica de recolha de imagem que fixa o feixe reflectido nos fotodetectores do sensor. Tipicamente, os sensores Leddar™ usam fotodetectores de 16 elementos (ver Figura 1).

Figura 1 - Princípio de Funcionamento do sensor Leddar™

O fotodetector multi-elemento tem uma área sensitiva rectangular. O objectivo da fonte de luz do Leddar™ é dirigir o máximo possível de luz de um ou mais LEDs num padrão que melhor se adapte à geometria do fotodetector. O objectivo do receptor é receber a retrodifusão da luz dos objectos no feixe. A óptica combinada de emissão e recepção pode ser configurada para obter feixes com amplitudes diferentes. A LeddarTech fornece actualmente fontes de luz com 9°, 18°, 24°, 34°, 45° e 95°. A Figura 2 ilustra um padrão de feixe de um sensor Leddar™ com a sobreposição de segmentos correspondente aos elementos do fotodetector.

Sensores industriais Leddar® IS16

Os sensores Leddar™ usam LEDs para gerar pulsos luminosos muito curtos, tipicamente 100 000 pulsos por segundo. O princípio do tempo-de-voo consiste basicamente em medir o tempo que o pulso luminoso leva do sensor para um objecto e para regressar ao sensor. A medida R do objecto detectado é deduzida do tempo T da viagem do pulso de luz usando a relação R = c T / 2 n, em que c é a velocidade da luz no vácuo e n é o coeficiente de refracção do meio em que a luz se propaga. Consoante as características da superfície do objecto, a luz é absorvida, totalmente reflectida ou reflectida de forma difusa, causando diferenças de radiação para o receptor, que são medidas pelo sensor Leddar™. A medida depende da distância medida pelo 22

índice

Figura 2 - Padrão de feixe e correspondência com o fotodetector de 16 elementos

A fonte LED é pulsada à razão de aproximadamente 100 000 pulsos por segundo. Os pulsos de luz propagam-se pela área de detecção e a luz reflectida é captada pela óptica e pelo fotodetector de 16 elementos. O sinal do sensor é amplificado e a aquisição do sinal é sincronizada com os pulsos. Um esquema de sobreamostragem com pulsos de luz múltiplos é implementado para aumentar a resolução do sinal. Valores típicos de sobreamostragem de 4 ou 8 produzem um sinal digital com exactidão e precisão acrescidas. Para além da sobreamostragem, é usado um processo de acumulação para aumentar a força do sinal.

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


detecção e medida

O processador do sensor usa os sinais (um por cada elemento do fotodetector) para obter as medidas de detecção e distância. Os sinais consistem numa série de valores que representam a amplitude da luz a distâncias crescentes a partir do sensor. O número de amostras no sinal é escolhido em função da necessidade máxima. A amplitude de cada amostra é um indicador da quantidade de luz reflectida por um dado objecto a determinada distância. A amplitude depende da distância, tamanho, reflectividade e ângulo do objecto relativamente ao sensor. Um objecto será detectado pelo sensor se for detectado um pulso de luz acima de determinado limiar. O limiar a partir do qual o pico é detectado como presença de um objecto depende da relação sinal-ruído. A LeddarTech determina o limiar por defeito de cada sensor com base na relação sinal-ruído. Uma tabela de limiares é aplicada no processamento e a maior parte dos sensores é fornecida com um parâmetro offset de limiar para ajustar a tabela de limiares. O offset pode ser usado para aumentar ou diminuir a sensibilidade do sensor. Esta função pode servir, por exemplo, para ignorar a presença de objectos que devolvam sinais fracos ou para maximizar a detecção desses objectos, ou para filtrar falsas detecções no software de aplicação. Outro parâmetro ajustável nos sensores Leddar™ é a intensidade LED. O controlo de intensidade pode ser colocado em modo manual ou automático. No modo manual, é o operador que ajusta o controlo de intensidade em função da aplicação. No modo automático, o sensor ajustará dinamicamente a intensidade LED com base na amplitude dos sinais dos objectosencontrados no feixe luminoso. Com este controlo, o mesmo modelo de sensor pode ser utilizado para uma vasta gama de aplicações com diferentes requesitos de distância.

Figura 3 - Exemplo de detecção, em que o eixo X é o eixo do tempo, escalado em distância, e o eixo Y representa a amplitude da luz.

A figura 3 ilustra o sinal tipico de detecção para um segmento. Neste exemplo, o sensor recolhe a luz reflectida por dois objectos distintos. Nº 188 Abril-Maio 2015

A análise completa de forma de onda executada pelos sensores Leddar™proporciona a capacidade para detectar múltiplos objectos no mesmo segmento. Em comparação com outras tecnologias de detecção, tais como scanners laser, radar, vídeo, imagem térmica, ultrassons e infra-vermelhos passivos, os sensores Leddar™ apresentam vantagem em vários critérios de desempenho, devido à sua robustez, aos 16 segmentos independentes, às capacidades de aquisição simultânea e à rapidez de aquisição de dados. Estão optimizados para detecção no intervalo de distâncias entre 0 e 50 m e podem ser aplicados em múltiplas indústrias, com boa relação custo/desempenho. Esta tecnologia está disponível em vários formatos, incluindo componentes montados, módulos OEM ou sensores específicos para aplicações. É uma tecnologia opto-electrónica que pode ser customizada e que foi projectada para ser integrada de modo fácil e rápido nas aplicações. é especialmente vantajosa para os integradores pelas suas características de relação custo/ desempenho, detecção de múltiplos objectos em cada segmento, longo alcance com LEDs de baixa potência, capacidade de detecção em tempo real, discriminação lateral, detecção em condições ambientais adversas e segurança ocular. A opção modular, com o seu tamanho compacto e as interfaces flexíveis, pode ser integrada em qualquer sistema de detecção e medição de distâncias, permitindo aos integradores adaptar esta tecnologia aos seus produtos. O módulo pode ser montado a partir da parte posterior com os seus parafusos M3 e a ligação é assegurada por conector macho de 3,81 x 8 pinos (RS485 ou CAN bus). Está também disponível uma cabeça de expansão com ligação UART. As ligações RS-485 e UART implementam MODBUS para configuração e aquisição de dados. É fornecido um conector Mini-B USB para uso com kit de desenvolvimento de software e uma cabeça 2x20, 0,05'' para expansão. Pode escolherse entre várias opções de feixe, de 9° a 95°. Esta nova tecnologia poderá mudar a forma como a detecção e a medição de distância são integradas em numerosas aplicações. Estas funções podem ser mais exactas, mais fiáveis e mais robustas, com soluções que podem ser também mais eficientes do ponto de vista dos custos. A LeddarTech tem vindo a disponibilizar kits de avaliação de baixo custo para encorajar os projectistas e integradores a verificar as vantagens desta tecnologia patenteada. Para mais informação, clicar no ícone ao lado.

reviproject

índice

23


software

Plataforma Eplan 2.5 A Feira de Hanover permitiu antever a nova plataforma Eplan2.5, que será lançada em Setembro de 2015. Um novo navegador facilita a criação e edição de macros de engenharia para a energia eléctrica e de fluidos, tornando mais fácil a criação de modelos e a padronização. O editor de régua de bornes foi melhorado e o planeamento de cabo simplificado para máquinas/centrais com Eplan FieldSys tornam a concepção ainda mais conveniente. A gestão de revisões na plataforma Eplan é uma parte importante do processo de engenharia,com uma única base de dados partilhada pela engenharia eléctrica e de fluidos. Um dos principais desafios é realizar a gestão centralizada de vários níveis de revisão dentro de um projecto. A nova plataforma Eplan 2.5 disponibiliza uma gestão de revisões específica por página ou área; áreas de projecto como estruturas funcionais, definições de localização e disciplinas podem ser revistas de forma independente, o que significa que as mudanças permanecem sempre transparentes durante todo o processo e para todos os participantes do projecto. As macros são uma abordagem eficiente para a padronização. Com a tecnologia de variantes e de objectos posicionadores, os utilizadores podem adicionar circuitos parciais a um projecto global. O novo navegador de macros facilita a gestão deste processo: as macros podem ser trabalhadas num diagrama em árvore ou dentro de uma tabela, mesmo com múltiplas selecções. As variantes das macros e os diferentes tipos de representação podem ser mais facilmente visualizados em contexto e, como habitualmente, serem selecionados de forma mais rápida e fácil. Além disso, a versão 2.5 também permite a gestão de vários nomes por macro, reduzindo a necessidade de criar macros específicas para cada artigo, tendo em conta que uma macro pode agora ser utilizada para várias peças. A nova plataforma Eplan 2.5 também disponibiliza aos utilizadores um novo editor de régua de bornes. Uma representação gráfica de tipos e categorias de bornes permite a validação rápida e clara das réguas de bornes seleccionadas. Se necessário, as substituições podem ser efectuadas directamente no editor de bornes e as peças e componentes podem ser inseridos ou substituídos também diretamente no editor. Os bornes podem ser convenientemente ordenados ao longo de réguas de bornes, através da funcionalidade arrastar e largar. As representações da informação no editor de bornes podem ser guardadas como esquema, permitindo aos utilizadores comutar e aceder rapidamente às informações mais importantes. Isto resulta numa gestão centralizada simples e conveniente de réguas de bornes, com resultados previsíveis e validados para os bornes e para os diagramas de disposição de bornes. 24

índice

Os utilizadores podem validar réguas de bornes de forma rápida e clara, utilizando a representação gráfica de tipos e categorias de bornes.

Os cabos devem ser planeados e documentados detalhadamente, utilizando um diagrama unifilar. A nova plataforma Eplan 2.5 tem funcionalidades adicionais para a disposição de cabos para máquina/instalações. Com a funcionalidade de diagrama unifilar, os utilizadores podem completar planos de instalação de um polo e transmitir essa informação ao módulo adicional Eplan FieldSys opcional. Permite a definição de percursos e comprimentos de cabos exactos. Uma outra vantagem prática é que o FieldSys pode compilar automaticamente uma lista de encomenda exacta para todos os elementos de concepção de caminhos de cabos. As macros podem ser facilmente trabalhadas num diagrama em árvore ou dentro de uma tabela com múltiplas selecções. As variantes das macros e os diferentes tipos de representação podem ser mais facilmente visualizados em contexto.

Siemens adquire AXIT A Siemens adquiriu a AXIT, empresa de desenvolvimento de software baseado na "cloud" para as áreas de logística a aeroportos. A aquisição vem reforçar a área de Logística e Soluções Aero-portuárias (LAS) da Siemens, empresa da área de software de logística aeroportuária. A AXIT tem sede em Frankenthal e um centro de desenvolvimento em Wroclaw, Polónia. A equipa portuguesa da Siemens Postal, Parcel & Airport Logistics tem concretizado projectos de referência em Portugal, Angola, China, India, Singapura, UAE e USA.

3D Systems adquiriu Cimatron A 3D Systems (Rock Hill, Carolina do Sul, EUA), especialista em tecnologia de impressão 3D adquiriu a Cimatron, especialista em software de CAD/CAM. Os principais produtos da Cimatron são o CimatronE, uma solução CAD/CAM para fabricantes de moldes e peças técnicas, e o GibbsCAM, software para programação de máquinas-ferramentas CNC, desde tornos simples até máquinas complexas multi-eixos e multi-tarefa.

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


Nova ferramenta de gestão de energia Correspondendo a uma necessidade vital de toda e qualquer indústria, a Sistrade desenvolveu uma ferramenta de software para a gestão de energia de unidades fabris. Com esta ferramenta, todos os consumos e indicadores energéticos são mensuráveis e controláveis. A empresa pode gerir todas as áreas de trabalho e identificar centros de custos e os equipamentos críticos em termos de custos energéticos. Deste modo, é possível estabelecer as medidas de correcção e optimização para reduzir custos. Com o novo módulo de software, a empresa pode monitorizar cada equipamento ou máquina, quaisquer que sejam as fontes de energia que utiliza: electricidade, gás, água, ar comprimido. A informação é obtida em tempo real e com supervisão auxiliada por um layout fabril acessível via internet com um navegador web. É possível estabelecer alertas em pontos específicos do processo, sempre que as diferenças entre os consumos reais e optimizados excederem determinado valor. A ferramenta desenvolvida desenvolvida pela Sistrade é essencial para criar um Sistema de Gestão da Energia e para obter a certificação da norma ISO 50001.

Com 14 anos de actividade, a Sistrade, com sede em Portugal, alcançou um estatuto invulgar no mercado internacional das soluções de software para a indústria. É uma das principais fornecedoras de sistemas MIS/ERP e MES/SCADA para as indústrias da impressão, produção de embalagens e etiquetas, para além de várias soluções instaladas nos sectores têxtil e metalomecânico. Tem forte implantação internacional é presença habitual nas principais feiras internacionais.

Nº 188 Abril-Maio 2015

reviproject

índice

25


visão

Captura Câmara de 13 MP digital 3D A câmara de visão artificial UI-3013XC, com sensor Sony CMOS de 13 megapíxeis e autofoco, dispõe de muitas funções próprias das câmaras digitais de consumo. Graças à conexão USB 3.0, funciona com todas as plataformas e permite a transferência de imagens de alta resolução a grande velocidade. Pode operar autonomamente e automaticamente em condições ambientais variáveis. A carcaça de magnésio com parafusos de fixação para o conector USB3 permite também a sua utilização em ambientes industriais para aplicações de visão artificial. A câmara tem zoom digital de 16x, pesa apenas 42 g e tem as dimensões compactas de 19 x 31,9 x 60,9 mm.

O scanner 3D HDI ADVANCE utiliza a projecção de um padrão de LED branco para a captura digital 3D de objectos físicos em segundos. O scanner 3D utiliza duas câmaras de visão artificial para capturar imagens em alta resolução e gerar um modelo 3D preciso. Captura imagens de até 45 µm de precisão e gera um mapa de até 2.6 milhões de pontos por varrimento. Devido à utilização da projecção de padrões de luz, o HDI ADVANCE gera o modelo 3D sem contacto com o objecto. É compatível com diversos formatos e tamanhos, graças à possibilidade de modificar o campo de visão. Os modelos 3D podem ser exportados para pós-processamento.

LED para perfis As iluminações brancas LED TSLOT, de alta intensidade e com IP50, adaptam-se a perfis metálicos 80/20. A montagem é muito simples, basta deslizar a unidade TSLOT dentro do perfil 80/20 e conectá-la a 24V. A iluminação TSLOT permite conectar até 6 módulos em tamanhos de 300mm, até um comprimento de 1800mm.

Expansão na triangulação laser A Cognex anunciou a expansão da gama de sensores laser 3D com o lançamento de uma nova gama de sensores (DS1050, DS1101 e DS1300), um novo controlador de visão (Cognex VC5) e novas ferramentas de software de visão 3D. Os novos sensores são destinados a aplicações mais exigentes em termos de distâncias e resolução. O VC5 permite controlar até quatro sensores laser 3D e integra comunicações de nível de fábrica. É fornecido com o software Cognex Designer™ pré-instalado, para desenvolvimento de aplicações de visão 3D. Em matéria de software, para além das ferramentas 2D PatMax®, IDMax® e OCRMax™, a série DS1000 Series inclui agora ferramentas 3D como 3D height, plane fitting, plane-to-plane angle, volume, cross section. Em conjunto, estas ferramentas permitem configurar inspecções 3D completas.

Leitores portáteis

Visão multi-câmara

Os novos leitores portáteis DataMan® 8600 series estabelecem um novo padrão de desempenho na leitura de códigos de barras em aplicações industriais nos sectores automóvel, electrónica de consumo, aerospacial, petróleo e gás. O desempenho na leitura é exigido para se conseguir eficiência e produtividade nos sistemas de rastreabilidade. Os novos leitores combinam os já conhecidos algoritmos 2DMax+™ com a tecnologia patentada Cognex UltraLight™, capaz de ler códigos num amplo leque de materiais e superfícies. Têm comunicação Ethernet, USB e Bluetooth.

Os novos sensores laser 3D, o controlador VC5, o software Cognex Designer™ e as câmaras CIC (Cognex Industrial Camera) permitem criar sistemas multi-câmara de visão artificial 3D em menos tempo. O controlador VC5 está equipado com CPU dual-core de alto desempenho e tem comunicação em tempo real nos protocolos Ethernet/IP e PROFINET, bem como ligação directa aos sensores laser 3D e às câma-ras GigE Vision® de área e de linha.

26

índice

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


materiais

NÂş 188 Abril-Maio 2015

reviproject

Ă­ndice

27


segurança

Barreiras de segurança Novos módulos Sob a marca Telemecanique Sensors™, foi de segurança lançada a nova gama de barreiras luminosas de segurança Preventa™ XUSL, destinadas a áreas de perigo em ambientes industriais, incluindo máquinas e equipamentos móveis, zonas de carga/descarga, etc.. As novas barreiras integram funções de segurança, como start/restart automático ou manual e Monitorização Externa de Dispositivos (monitorização de interruptores, como relés ou contactores). As barreiras têm as dimensões compactas de 29mm x 31,5mm e são compatíveis com os requesitos de segurança até tipo 4, SIL 3, Ple, de acordo com as normas EN ISO 13849-1, IEC 61508, IEC 62061, IEC 61496-1 e IEC 61496-2.

Interruptor e-stop A implementação do novo interruptor de paragem de emergência com comando por cabo Preventa XY2CJ permite aumentar a segurança de máquinas industriais em toda a área de trabalho. O interruptor consiste num sistema de paragem de emergência fiável, facilmente acessível e accionável pelo operador através do comando por cabo, a partir de qualquer zona da área de trabalho. É o primeiro interruptor de paragem de emergência com certificação NiSD, de acordo com a norma IEC 60947-55, com mola de segurança embutida. Destaca-se a instalação rápida, com acessório para ajuste do cabo, e a visualização de estado e manutenção simplificadas: com secções codificadas por cores no botão de reset (a verde e amarelo), permite a visualização do estado de on/off e um rápido reiniciar.

Sistema de segurança A Schneider Electric apresentou o sistema de segurança compacto Tricon CX, destinado a aplicações críticas do ponto de vista da segurança e controlo nas indústrias do petróleo e gás, produção de energia, química, farmacêutica e de biotecnologia. O Tricon CX é o primeiro sistema de segurança com certificação 'ISA Secure' (nivel 1 EDSA) atribuída pela TÜV Rheinland, relativa a segurança contra ameaças externas (incluindo ataques informáticos) a par com a 28

índice

A B&R desenvolveu novos módulos de segurança digitais para o sistema X20 SafeIO, eliminando os obstáculos à adopção da tecnologia de segurança programável. Com os novos módulos, mesmo as aplicações mais simples podem beneficiar da sergurança programável, ao custo de um sistema convencional baseado em relés. O sistema é escalável, desde o "nível de entrada" e o nível "high end", e os seus componentes são interpermutáveis sem necessidade de alterações funcionais. Com um único módulo X20 SafeIO, é possível implementar uma solução de pequena dimensão.

Sensores PSENcode Os sensores de segurança PSENcode para monitorização de posição estão disponíveis num formato compacto com apenas 13 mm de altura. Podem ser montados em portas, coberturas ou tampas, com até quatro direções de aproximação e actuação, cada qual com duas distâncias de operação, proporcionando um elevado grau de liberdade na construção de máquinas. O PSENcode atende às exigências da nova EN ISO 14119 em relação a sensores de segurança RFID total-mente codificados e totalmente codi-ficados, e pode ser aplicado até PL e. protecção contra riscos e perigos inerentes. Comparativamente aos sistemas existentes, o Tricon CX é mais compacto, mais leve (menos 67% de peso), mais rápido e consome menos energia. Inclui capacidades de monitorização tais como DI/DO supervisionados, entradas analógicas rápidas com HART integrado e uma entrada digital SOE de 1 ms.

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


segurança

Sensores laser com conectividade Ethernet Os sensores laser OS32C-4M da Omron são indicados para a protecção de células robóticas de grandes dimensões, para a detecção de entrada de corpos e para a utilização em sistemas de prevenção de colisão em veículos guiados automaticamente. Combinam a construção compacta com um intervalo de segurança de 4 metros, uma zona de aviso de 15 metros e um ângulo de protecção extremamente amplo de 270°. Estes leitores de nova geração também suportam a comunicação de Ethernet/IP™, facilitando a respectiva integração em sistemas de automação modernos. É possível definir uma resolução de objectos para 30, 40, 50 ou 70 mm para alojar aplicações de detecção de mãos, braços e pernas, podendo os utilizadores configurar imediatamente até 70 zonas de detecção de elevada flexibilidade. Além disso, é fornecido um novo modo de tolerância da poluição que garante um funcionamento seguro e fiável em ambientes poeirentos. Para a máxima comodidade dos utilizadores, os leitores incorporam indicadores de sector individuais. Estes permitem determinar rapidamente o estado de funcionamento e os códigos de erro e apresentam também a direcção de qualquer intrusão na zona protegida. O suporte de Ethernet/IP™ disponibilizado pelos leitores de segurança OS32C-4M facilita a apresentação de informações sobre o estado do sistema, do estado da zona, além de medições, a dispositivos de automação e de monitorização, tais como controladores programáveis e consolas inteligentes de interface homem-máquina (HMI). Isto significa que, no caso de uma paragem de emergência, os utilizadores podem investigar a causa através da rede local e tomar rapidamente medidas correctivas, reduzindo assim as paragens dispendiosas da máquina.

garantindo a compatibilidade com qualquer um dos componentes da extensa gama de produtos de automação, em conformidade com a ODVA, actualmente disponível. Para garantir a protecção contra o acesso não autorizado e assegurar a facilidade de utilização, os leitores de segurança OS32C-4M oferecem três níveis de acesso para os utilizadores. O nível de acesso de operador permite a monitorização da configuração existente e do estado, ao passo que o nível de acesso de manutenção apenas permite a realização de alterações de programação não relacionadas com a segurança. O nível de acesso de supervisor protegido por palavra-passe permite aos utilizadores verificar, monitorizar e alterar todos os aspectos da configuração do leitor. Com um perfil compacto de 104,5 mm e um peso de apenas 1,3 kg, os mais recentes leitores de segurança OS32C-4M da Omron são de fácil integração mesmo em aplicações onde o espaço é reduzido. São igualmente eficientes em termos energéticos, consumindo apenas 5 W quando estão em funcionamento e 3,75 W no modo de suspensão.

Os leitores foram submetidos a testes de conformidade com as normas da ODVA (Open Device Vendor Association, Associação de Fornecedores de Open Device),

Nº 188 Abril-Maio 2015

reviproject

índice

29


segurança

Barreiras optimizadas

Diagnóstico por bus SD Os sensores e interruptores de segurança electrónicos das séries CSS, RSS, AZM 200, AZM 300 e MZM, da Schmersal, podem ser ligados em série num bus SD para assegurar a função de diagnóstico. Cada gateway permite ligar até 31 dispositivos. A Schmersal tem gateways para os principais sistemas de bus do mercado: Profibus DP, Profinet IO, Ethernet IP, DeviceNet, CC-link, CANopen, Modbus/TCP. A ligação em série pode ser feita com conectores em T ou Y.

Sensor de segurança com RFID A Schmersal lançou recentemente um sensor de segurança com princípio de detecção por RFID, com formato compacto e grande distância de comutação. Para além da versão standard para montagem em perfis de alunínio, estão disponíveis um módulo rectangular compacto e uma versão oblonga ultra-plana ideal para montagem em máquinas ou em protecções em plexiglas. A tecnologia RFID assegura protecção anti-fraude, já que permite a codificação individual dos dispositivos. O sensor tanto pode aceitar qualquer dispositivo RSS como ser programado para só aceitar um dispositivo específico. Vários sensores de segurança podem ser ligados em série para centralizar o diagnóstico.

As novas barreiras de segurança ASLC/SLG 440 têm um perfil mais compacto - 28 x 33 mm, alturas de campo até 1770 mm - e seis níveis de resolução. O campo de protecção estende-se a todo o comprimento do perfil, o que facilita a montagem e evita "espaços mortos". A regulação pode ser activada sem ferramenta exterior e sem hardware suplementar. Os LEDs a várias cores facilitam a instalação (alinhamento) e a verificação de estado de funcionamento. Os modos de funcionamento foram reduzidos ao essencial: "modo de protecção", e "funcionamento com validação manual". A nova série confere protecção opto-electrónica tipo 4 de acordo com a norma EN 61496-1 para aplicação até Nível de Performance e segundo a norma EN 13849-1 ou nível SIL3 segundo a norma EN 62061. Para aplicações que exijam funções suplementares, a Schmersal propõe as barreiras SLG 445. A função "inibição" permite uma interrupção temporária para a passagem de produtos ou objectos. A interrupção é accionada por sensores integrados. Estão também disponíveis funções específicas para paletes, carga e descarga manual por porta-paletes, ou transportadores (paragem inesperada), as quais podem ser parametrizadas em função de volumes, velocidades, intervalos, alturas de paletes, etc.. A programação das funções de protecção é feita por teach-in e por validação. Outra função suplementar é o "varrimento múltiplo", que permite eliminar perturbações parasitas como núvens de vapor, deslocação de insectos ou projecção de limalhas.

Protecção giratória Os interruptores de segurança para dobradiças foram lançados em 1996 pela Schmersal e rapidamente aceites pelo mercado devido à simplificação da instalação. Na feira CFIA RENNES 2014, a Schmersal apresentou uma nova geração (a quarta) de interruptores de segurança para dobradiças, com inspecção de estado no interior e inacessível ao operador. Na nova série TESK, o ângulo de comutação (o ângulo da dobradiça que activa o sinal de segurança) é regulável. Estão disponíveis variantes com vários contactos (até 4), bem como para protecções transparentes (policarbonato, acrílicos). 30

índice

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


máquinas

Impressão de formatos largos A AR1800, fabricada pela Dip-Tech (Kfar Saba, Israel) é a maior impressora plana baseada na tecnologia de impressão digital com tinta cerâmica. A mesa plana (flatbed) tem 18 x 3,55 m, tornando possível a impressão de painéis até 64 m2. É utilizada na impressão de vidros e painéis cerâmicos, em aplicações de arquitectura, decoração e sinalização. O recurso a tintas pigmentadas com toners cerâmicos permite obter elevadas resoluções. A tecnologia da Dip-Tech não usa a quadricromia CMYK mas a combinação de seis cores (laranja, encarnado, azul, verde, preto e branco) bem como qualquer outra cor directa (spot). A impressora Dip-Tech AR18000 está equipada com o software PixelBlaster, especialmente desenvolvido para estas impressoras pela SA International (SAi, de Salt Lake City, Utah, EUA. O PixelBlaster inclui as funções de RIP, gestão de cores e gestão de fluxo de trabalho, bem como o controlo preciso de parâmetros de opacidade e de fiabilidas de branco, indispensáveis na impressão de vidros. A funcionalidade de "tiling" faz também parte deste software, tornando mais fácil a impressão de painéis e azulejos combinados.

Vácuo para aço A Daho Tech (Coreia do Sul) desenvolveu um sistema de manipulação de chapas de aço pesadas baseado em ventosas da FiPA. O equipamento construído pela Daho é capaz de lidar com chapas de 6000 x 1800 x 22 mm. A FiPA forneceu todos os componentes de vácuo, com destaque para as ventosas de 800 x 400 mm, com elevada capacidade de sucção e dimensões compactas. A bomba de vácuo, as válvulas e o controlo estão montados na baerra transversal. Esta solução permite lidar com chapas de várias dimensões. Quando são manipuladas chapas mais pequenas, é desligada uma ou duas ventosas, bastando usar uma válvula manual.

Empilhadores retrácteis Os novos empilhadores retrácteis Linde R14G-R20G, com capacidade de carga de 1,4 a 2 toneladas,estão equipados com rodas maciças super-elásticas (SE) compatíveis com operações de carga e descarga em superfícies irregulares, húmidas, assim como em rampas. São indicados para operação interior e exterior em sectores de actividade como armazéns de peças e ferramentas, materiais de construção, ou na logístioca e distribuição de alimentos e bebidas. O sistema de "Controlo Dinâmico do Mastro" (DMC) para empilhadores retráteis controlado através de sensores proporciona uma ajuda muito eficaz ao operador, oferecendo um ambiente de trabalho altamente eficiente e sem stress. A chave do sistema é um ativador linear eléctrico preciso instalado no compartimento do motor do empilhador retrátil. O sistema de Retracção Eléctrica (ER) garante automaticamente uma elevação e movimentos de retração suaves e simultâneos. O sistema DMC reduz as oscilações e deflexões do mastro do empilhador através de movimentos de compensação precisos. A rapidez com que ocorrem estes movimentos de compensão reduz os tempos de espera típicos para completar a manobra. Em vez de ter que esperar alguns segundos para que terminem as oscilações do mastro, o operador pode prosseguir logo com a operação. A retirada e colocação de paletes pode ser mais rápida e, no final do turno, a empresa terá beneficiado de um ganho de produtividade significativo. Nº 188 Abril-Maio 2015

reviproject

índice

31


máquinas

Lavagem robotizada A nova célula de lavagem de componentes de motores EcoCFlex 3 inclui um manipulador tipo scara, construído em alumínio de alta resistência e aço inoxidável, que substitui o robô de 6 eixos. Na pré e lavagem final de peças de motores de automóveis, tais como cabeçotes, blocos e cárteres, as células robotizadas são mais flexíveis e permitem ciclos mais curtos. As novas células EcoCFlex 3 estão disponíveis nos tamanhos 3M e 3L. O novo manipulador não requer pintura nem camada de protecção. Tem grau de protecção IP69 e suporta temperaturas de até 65°C. Os produtos químicos de lavagem utilizados podem variar desde um pH 6 até um pH 10 e não precisam de aprovação externa do fabricante do robô para serem utilizados ou substituídos. Uma unidade conjunta de controle CNC para o manipu- Manipulador scara especialmente desenvolvido pela Dürr Ecoclean para as duras condições lador scara e para a existentes nas aplicações de lavagem de peças. máquina de lavar substitui os controladores do CLP e do robô anteriormente exigidos. Isso simplifica e torna mais rápida a programação, operação, manutenção e a nova colocação em funcionamento após uma mudança de produto. O sistema de sensores para a calibração do manipulador scara já vem integrado. Em vez do jacto de água por bocal redondo convencional, a EcoCFlex dirige o jacto de água na forma de "lâmina de água" e está equipada com um bocal híbrido com câmara de mistura variável. Graças a esta configuração, ambos os tratamentos de alta pressão e baixa pressão - além de lavagem de imersão com injecção podem ser realizados de forma flexível. Todas as operações de lavagem, incluindo a rebarbagem sob alta pressão, ocorrem abaixo da superfície do banho, o que diminui o nível de ruído para apenas 72 dB (A).

Na nova EcoCFlex 3, um controlador CNC integrado para a máquina e para o manipulador scara substitui o CLP anteriormente exigido e a unidade de controle do robô. As peças são secas completamente sem a utilização de ar comprimido no eficiente e rápido EcoCDry. Grandes portas traseiras proporcionam fácil acesso para manutenção e permitem a configuração de diversos sistemas lado a lado.

Neste sistema de secagem de alta eficiência o vácuo é gerado durante os tempos não produtivos. Como resultado, ciclos muito curtos podem ser obtidos.

monitorização que indica em tempo real os valores actuais de consumo de eletricidade, ar comprimido, água de resfriamento e aquecimento. O consumo de energia pode ser registado por ciclo, por turno ou por hora. Tarifas específicas das distribuidoras de energia podem ser facilmente introduzidas, permitindo ao sistema calcular os custos de lavagem por peça Isso permite estimativas precisas dos custos de lavagem por peça. Com a sua área reduzida a apenas 32 m², a EcoCFlex evita o espaço necessário para a secagem com ar comprimido. Em vez disso, a secagem é realizada pelo sistema EcoCDry, um secador a vácuo de alta eficiência que não utiliza ar comprimido.

Os tempos necessários para a manipulação na câmara de trabalho são consideravelmente reduzidos com esta nova tecnologia. Assim, em conjunto com o seu projecto modular, é possível obter resultados de limpeza “dentro das especificações” em ciclos a partir de 30 segundos.

Como resultado, a peça irá arrefecer ligeiramente antes da secagem em vácuo. Graças a esta baixa perda de temperatura e à eliminação completa do ar comprimido, o EcoCDry necessita de cerca de 65% menos energia do que um secador a vácuo com sopro de ar (baseado no cálculo de um consumo de ar comprimido de 2 Nm³ por peça). O vácuo é gerado durante os tempos não produtivos. Isto resulta em tempos de ciclo até 50% mais curtos em comparação com um sistema de sopro com ar comprimido e a secagem a vácuo.

A EcoCFlex 3 apresenta um consumo de energia de apenas 30 kWh. Pode incluir um sistema opcional de

O novo secador EcoCDry também pode ser adaptado a células robotizadas existentes.

32

índice

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


máquinas

Protótipo funcional de veículo eléctrico A Universidade de Aachen usou a impressora 3D Objet1000 da Stratasys para produzir, peça a peça, o protótipo funcional do automóvel eléctrico StreetScooter C16. O protótipo foi apresentado na feira EuroMold (Frankfurt, 25 a 28 de Novembro. O StreetScooter C16 deverá ser colocado no mercado a um preço abaixo dos 10.000 €, para concretizar o objectivo traçado em 2010, ano de constituição da StreetScooter. O C16 deverá pesar apenas 450 kg (sem contar com a bateria) e terá uma autonomia de 100 km, indicada para utilizações urbanas. A impressão 3D foi o processo utilizado para produzir todas as peças exteriores do protótipo, incluindo os painéis frontal e traseiro, as portas, os sistemas de pára-choques, as saias laterais, os guarda lamas e as máscaras de farol. Foi também utilizado para diversas peças do interior, tais como o painel de instrumentos e diversas peças de menor dimensão. O material usado foi o ABS digital. O protótipo foi utilizado para realização de ensaios funcionais. A impressora Objet1000 3D foi usada para produzir as peças do protótipo, graças à sua área de impressão de 1000 x 800 x 500 mm. O projecto de desenvolvimento do StreetScooter C16 envolveu a colaboração de mais de 80 empresas.

Nº 188 Abril-Maio 2015

reviproject

índice

33


materiais

Luminárias LED As novas Luminárias LED WLC90 e WLC60 da Banner Engineering oferecem mais resistência contra óleos, químicos e água em ambientes agressivos. Projectadas para suportar lavagens em alta pressão e exposição a óleos e fluídos de refrigeração as novas luminárias são ideais para as aplicações em ambientes hostis, incluindo o processamento de alimentos e bebidas, centros de maquinação e automação industrial em geral. Para diversas aplicações a gama WLC90 oferece várias opções de lentes, além de três níveis distintos de intensidade que poderão ser facilmente selecionados através das ligações elétricas disponíveis. Os vários acessórios de fixação disponíveis acrescentam versatilidade ao projeto e estudo luminotécni-

co, permitindo assim que a luz seja dirigida em qualquer direcção. Com um design mecânico conservador e tecnologia de ponta LED, a WLC60 apresenta total estanquicidade com a entrada de eventuais líquidos presentes na aplicação e/ou processos de lavagem. Disponível em dois tamanhos diferentes, 340 e 640 milímetros, esta solução inteligente de iluminação industrial também possui dimming de raiz possibilitando ao utilizador quatro estados de funcionamento possível, originando com isso poupanças energéticas associadas. Para aumentar a resistência térmica e química, as Luminárias a LEDs WLC90 e WLC60 apresentam configurações em janela em policarbonato ou vidro borosilicato (BSG). As luminárias também apresentam graus de protecção IP68, IP68g e IP69K. Para uma instalação simples e flexível, as Luminárias estão disponíveis com uma variedade alargada de opções de montagem, incluindo um suporte magnético e possibilidade de ligação em cadeia com ligações eléctricas laterais ou traseiras.

Protecção de cabos para robôs A Murrplastik é especialista em sistemas de protecção de cabos, passa cabos, identificação e esteiras articuladas. Com uma abordagem sistémica, a empresa tem vindo, desde 2006, a expandir a sua gama de produtos e sistemas para aplicações de automação e robótica, áreas em que o objectivo da protecção (ligado ao tempo de vida útil dos equipamentos e componentes) deve andar lado a lado com a liberdade de movimentos (indispensável para a velocidade e produtividade). Elementos de fixação universal para todo o tipo de robôs padrão podem ser combinados e personalizados de

34

índice

forma a servir de base para os componentes hidráulicos, pneumáticos e electrónicos que vão constituir o pacote energético do robô. A Murrplastik é especialista em desenvolver condutas de protecção de cabos para aplicações robóticas complexas sujeitas a um elevado stress e movimento. Materiais modificados de forma especial, bem como as geometrias especiais das condutas, asseguram a melhor protecção para uma vida útil duradoura. Com a R-TEC-BOX, a Murrplastik conseguiu criar um novo sistema de gestão optimizada de pacotes energéticos para robôs industriais, desde o eixo 3 até ao eixo 6. Na caixa especialmente concebida, com um sistema original de retorno por mola, o pacote energético é seguro e eficazmente guiado num espaço extremamente reduzido. A Murrplastik é representada em Portugal pela F.Fonseca.

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015


materiais

Novo sistema porta-cabos A igus desenvolveu o sistema de guiamento guidelok slimline P (ou GLSL-P) para calhas articuladas inteiramente em plástico, mais leves, mais dinâmicas e com montagem fácil. É uma das novidades da Feira de Hanover e permite reduções de custos até 80%. Trata-se de um sistema para aplicações suspensas de calhas articuladas que não precisa de tampas. Mesmo em espaços pequenos é possível manter o sistema de calha articulada no interior da guia. Em vez de guias metálicas, apenas são montados segmentos em plástico de dois em dois metros, o que reduz os custos e o peso do sistema, ao mesmo tempo que se aumentam os níveis de velocidade e aceleração. O material plástico apresenta também melhor absorção das vibrações. Dois balancins accionados automaticamente nos segmentos do guidelok slimline P fixam a calha articulada e proporcionam um funcionamento silencioso e suave. A calha na zona da sua curva, ao deslocar-se através do segmento do balancim ativa-o fixando a calha articulada à guia. As novas alavancas de bloqueio são complementadas pelas guias abertas em cantoneira de plástico reforçada entre os segmentos, o que possibilita ainda mais dinâmica.

Nº 188 Abril-Maio 2015

Protecção epoxídica A Belzona, especialista em materiais e sistemas de protecção, desenvolveu a pasta bi-componente 1212 baseada em composto de resina epoxi, para aplicação em superfícies húmidas, contaminadas com petróleo ou submersas, tais como placas, tubagens, motores, depósitos, transformadores, redutores, etc.. É uma pasta com cura rápida e elevada adesão a suportes manuais, ideal para aplicações em que não se pode recorrer à aplicação por 'grit blasting'. A rapidez e facilidade de aplicação (mistura em porções iguais) é ideal para intervenções de emergência. A Belzona refere ainda a elevada resistência à corrosão e ao ataque químico, e a ausência de solventes.

reviproject

índice

35


36

índice

reviproject

Nº 188

Abril-Maio 2015

Reviproject 188  

Revista de Projecto e Automação Industrial

Reviproject 188  

Revista de Projecto e Automação Industrial

Advertisement