Page 1

reviproject

168 Junho 2012

electricidade mecatrónica instrumentação medida automação 6.57 €

Nº 168 Junho

2012

reviproject

índice

1


2

índice

reviproject

Nº 168

Junho

2012


nesta edição

anunciam nesta edição

editorial

4

notícias

6

(clique para ver) ARESAGANTE CARLO GAVAZZI EGITRON ELECTRO C. FEIJÓ EST IGUS OMRON REIMAN RS COMPONENTS SCHUNK SEW-EURODRIVE SIEMENS

3 37 29 15 30 36 17 39 7 25 2 19

reviproject electricidade mecatrónica instrumentação medida automação Propriedade, Direcção e Edição: Carlos da Silva Campos Publicidade: Ilda Ribeiro, Cristina Devesa, Luisa Santos APARTADO 30 2676-901 ODIVELAS PORTUGAL Telefone: 217 921 110 Fax: 217 921 113 reviproject@revipack.com

Para contactar a reviproject clique aqui:

automação

10

accionamentos

22

instrumentação

26

detecção e medida

28

energia

32

materiais

38

Consulte a reviproject na internet:

Para anunciar na reviproject clique aqui:

Registo de Imprensa: 113 325 Depósito Legal: 13 783/88 ISSN 1647-8134 Impressão: SIG-Sociedade Industrial Gráfica, Lda. Carlos da Silva Campos Todos os direitos reservados ©

Nº 168 Junho

2012

reviproject

índice

3


editorial

O papel da indústria na saída da crise Mais de 80 % da população mundial vive em economias sub-desenvolvidas ou em vias de desenvolvimento. Durante todo o século XX, pelo menos, isto foi considerado "estrutural". Alguns dos países "em vias de desenvolvimento" passaram a ser designados "economias emergentes", mas a mudança não foi só de vocabulário. O mundo está a mudar e esta mudança será mais profunda que a chamada "globalização". Manifestamente mal geridas (ou "bem geridas" se considerarmos apenas o ponto de vista de alguns lóbis), as economias "ocidentais" do hemisfério norte passam pelo descrédito do seu sistema financeiro. Já sabem que economias como a China e a Índia estão a emergir. Mas ainda não perceberam que as economias ocidentais podem submergir... O crescimento rápido das economias asiáticas foi alavancado por investimentos ocidentais orientados pela preferência por regiões de mão-de-obra dócil, faminta e barata, com grau zero da protecção e regulação ambiental. A paixão dos consumidores ocidentais pelos produtos baratos, descartáveis e contrafeitos, criou uma procura fantástica para os produtos asiáticos. O "boom" industrial asiático colocou o "ocidente" à beira da maior carência de sempre de matérias-primas. Lei do mercado: os preços sobem e compra quem tiver dinheiro. Nas próximas décadas, e seguramente durante todo o século XXI, a eficiência de matérias primas (fazer mais com menos) e de energia vai ser uma questão de sobrevivência. Nos mercados de bens de equipamento, a situação do "ocidente" não é mais risonha. Praticamente não existe uma máquina, ainda que tenha sido projectada, construída e instalada na Europa, que não dependa de compo4

índice

nentes feitos nas tais economias emergentes. Não falamos apenas de componentes mecânicos e "passivos". Falamos sobretudo de componentes essenciais como motores eléctricos, placas electrónicas, sensores, autómatos programáveis, etc.. O que está a acontecer com os metais raros (ou "terras raras") é sintomático - a China tem 93% desta matéria-prima e basta-lhe restringir as exportações para conseguir uma coisa muito simples: quem quiser que as suas máquinas continuem a funcionar terá que comprar um motor eléctrico feito na China. As ideias das economias de "serviços", da especialização no conhecimento, da sub-contratação das actividades "básicas" agro-alimentares e transformadoras, e outros disparates do género, tais como a desregulação, a ausência de política industrial ou a desvalorização das profissões manufactureiras, estão a provocar no "ocidente" um efeito mais devastador que a peste negra. A Europa está à beira de um holocausto económico. A recuperação passa NECESSARIAMENTE pelo regresso em força às actividades produtoras e transformadoras. É insustentável manter os elevados padrões de consumo que caracterizam o modo de vida "ocidental" consumindo produtos importados. A especialização só é sustentável se as dependências forem cruzadas, ou seja: podemos depender da Ásia, desde que a Ásia dependa de nós para outra coisa qualquer. Perguntemo-nos: em que é que a Ásia depende do "ocidente"? A resposta é simples: a Ásia só precisa que os consumidores "ocidentais" continuem a comprar os seus produtos. Por enquanto. Quando a Ásia se permitir criar uma classe

reviproject

Nº 168

Junho

2012


editorial

média consumidora, os mercados "ocidentais" serão menos importantes. Durante as últimas décadas, a globalização floresceu com base na repetição de asneiras e ilusões, muitas delas baseadas na repetição de calhamaços de economia lidos à pressa, mal estudados e nos discursos simplistas feitos a partir do jornal da véspera para serem repetidos no jornal do dia seguinte. Uma dessas asneiras é a de que só a abertura dos mercados favorece, só por si, a qualidade e os interesses dos consumidores. Uma dessas ilusões é a de que é possível, usando o sistema financeiro, continuar a consumir muito sem a maçada de ter que produzir (no meio da terra e da ferrugem). O sistema financeiro criou "activos" que somam um múltiplo do PIB mundial. Mas... noves fora nada. No plano humano e social, o cenário não podia ser pior. Ao deixar contaminar os sistemas sociais pelas regras dos "magos da finança" (afinal, peritos em fazer desaparecer o dinheiro real), a Europa gerou uma situação explosiva, em que coexistem níveis de desemprego irracionais (gente que quer trabalhar e não encontra trabalho) e falta de mão-de-obra (empresas que não encontram trabalhadores para as tarefas necessárias). Para agravar, a Europa tem um grave problema de educação. As escolas deixaram de incutir nos jovens o gosto pela indústria e pela criação. Os cursos superiores foram degradados com um downgrade chamado Bolonha. Como regressar em força à actividade industrial com a concorrência das economias emergentes? Ao contrário do que se diz por aí, a solução é MAIS FÁCIL DO QUE APARENTA. Nº 168 Junho

2012

Basta que todos e cada um dos produtos que importamos dessas economias tenham que comprovar, de forma SÉRIA, que foram produzidos de acordo com AS MESMAS REGRAS SOCIAIS E AMBIENTAIS. Para isso, é necessário que a União Europeia, em vez de criar regulamentos atrás de regulamentos que afectam mais a sua própria indústria, condicione as importações à observância de regras de qualidade, segurança, protecção social e conformidade ambiental. E que condicione todas as saídas de capitais para investir na Ásia à observância das mesmas regras. Em termos mais simples: é indispensável converter a conformidade com as normas técnicas, sociais e ambientais numa vantagem competitiva. Porque neste momento, é uma desvantagem. Por enquanto, o "ocidente" ainda tem algum avanço em matéria de tecnologia, de inovação e de eficiência. Há que aproveitar essa capacidade enquanto é tempo. No "entretanto", enquanto os responsáveis pela condução política e económica não acordam ou dão lugar a verdadeiros "responsáveis" e "condutores", os empresários, gestores e profissionais têm um desafio pela frente. O desafio de exercer os seus direitos de cidadania e influenciar a forma como a sociedade e a economia é gerida. O desafio de, ao nível "micro", empresa a empresa, descobrir eficiências de energia, materiais, para maximizar a qualidade ao menor custo e impacto. É claro que têm outra saída: podem "borrifar-se" para a cidadania, alinhar com o sistema e tentar a sorte de pertencer ao grupo dos que conseguem enganar os outros durante mais algum tempo.

reviproject

Carlos da Silva Campos índice

5


notícias

EMAF e FIMAP juntam forças A EMAF - Feira Internacional de Máquinas, Equipamentos e Serviços para a Indústria (14.ª edição) e a FIMAP – Feira Internacional de Máquinas para Trabalhar Madeira (17.ª edição) vão decorrer em simultâneo nos dias 21 a 24 de Novembro, na EXPONOR. A indústria da metalurgia e metalomecânica representará no final deste ano, segundo a previsão da AIMMAP (Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal) um volume de negócios na ordem dos 26 mil milhões de euros, dos quais cerca de metade diz respeito a exportações (34% de toda a industria transformadora). O sector é responsável por um Valor Acrescentado Bruto de cerca de 6,1 mil milhões de euros e 218 mil empregos (28% da indústria transformadora). A esta dimensão acresce a da fileira da madeira e do mobiliário, um sector com 260 mil postos de trabalho directos e indirectos (5 % do emprego industrial) e responsável por mais 1,1 mil milhões de euros em exportações (10 % das exportações nacionais). De acordo com os dados da AIMMP (Associação das

Indústrias de Madeira e Mobiliário de Portugal), este sector representa cerca de 4% do PIB português, 14% do PIB industrial e 5% do VAB total. A conjugação das duas “audiências” deverá fazer subir o número de visitantes da EMAF/FIMAP, com efeitos positivos para os expositores.

EuroBLECH em Outubro A feira EuroBLECH 2012, dedicada às indústrias de transformação de chapas metálicas, terá lugar em Hanover nos dias 23 a 27 de Outubro, com a participação de cerca de 1400 expositores, de 40 países, maioritariamente fornecedores de máquinas-ferramentas, ferramentas e materiais. Na edição de 2010, a EuroBLECH registou mais de 60 mil visitantes. A EuroBLECH está estruturada em 15 sub-sectores temáticos, percorrendo a cadeia completa das tecnologias para trabalhar chapas de metal, produtos acabados e semi-acabados, manuseamento, separação, formação, tecnologia para trabalhar chapas de metal flexíveis, junção/soldadura, tecnologia de superfície, processamento de estruturas híbridas, ferramentas, controlo de qualidade, sistemas CAD/CAM e I&D. Pela primeira vez a EuroBLECH acolhe uma bolsa de emprego para a indústria das tecnologias de transformação da chapa. Para aceder a esta bolsa de emprego, com oportunidades em vários países, clicar no ícone. 6

índice

ISO 14067 Transparência nos indicadores de desempenho ambiental

Para obter mais informação sobre a EuroBLECH, visitar www.euroblech.com/portuguese/ ou clicar no logótipo acima. A organização da EuroBLECH é representada em Portugal pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã, a quem podem ser dirigidos os pedidos de informação (clicar no ícone).

reviproject

As emissões de CO2 tornaram-se um dos principais indicadores ambientais. Para uniformizar os métodos de quantificação e comunicação deste indicador, a ISO, a Organização Internacional de Normalização, está a preparar a norma ISO 14067 - Carbon footprint of products - requirementes and guidelines for quantification and communication. A norma pretende abranger todo o ciclo de vida dos produtos, da matéria-prima até à reciclagem, e será um passo importante para que as referências à "pegada de carbono" sejam mais fiáveis e transparentes. A nova norma deverá ser aprovada e publicada em Março de 2014. Nº 168

Junho

2012


notícias

Nº 168 Junho

2012

reviproject

índice

7


notícias Petrotec

Bomba de abastecimento eléctrico A Petrotec (Guimarães), líder ibérico no fabrico de bombas de abastecimento de combustível, desenvolveu a bomba de abastecimento eléctrico PFAST, com capacidade para recarregar baterias de veículos eléctricos (80% da carga) em 20 a 30 minutos. O projecto envolveu a parceria técnica com a MagnumCAP, especialista em carregadores para veículos eléctricos. A bomba PFAST pode ser combinada com as actuais bombas de combustíveis e permite uma conversão rápida e económica dos postos de abastecimento. A Petrotec é também especialista em sistemas de pagamento e sistemas de gestão de postos de abastecimento, podendo fornecer soluções completas quer às empresas que gerem

redes de postos de abastecimento público, quer a empresas com sistemas de abastecimento de frota própria.

Cada bomba PFAST suporta o carregamento de dois veículos em simultâneo e monitoriza o estado da bateria durante o processo.

PHOTONICS 2013 com novas datas A feira LASER World of PHOTONICS 2013 alterou as datas para os dias 13 a 16 de Maio, em Munique, Alemanha. A feira decorre em paralelo com o 'World of Photonics Congress', que decorre na mesma cidade a partir do dia 12. A PHOTONICS é um dos maiores eventos mundiais na área das tecnologias ópticas. Em 2011, a feira reuniu 1100 expositores de 38 países e recebeu 27490 visitantes de 80 países. A feira de Munique criou

também desdobramentos desta feira em Shangai, China (com periodicidade anual, sempre em Março) e em Mumbai, Índia (com periodicidade anual, em Setembro). Os temas em foco para 2013 são os sistemas laser para engenharia de produção, a 'biofotónica', tecnologia médica, iluminação e energia. Para mais informação sobre a feira, clicar no ícone.

Datalogic agrega automação e visão A Datalogic (Itália), especialista em sistemas de identificação automática, leitores de códigos e computadores portáteis para aquisição de dados, anunciou a integração da Accu-Sort Systems e da PPT Vison na área de negócios Industrial Automation, com o objectivo de consolidar a posição no mercado da 8

índice

identificação de materiais, rastreabilidade, inspecção e detecção.

O programa do congresso 'World of Photonics' inclui as seguintes conferências e apresentações: - “CLEO/Europe-EQEC”, organizada pela European Physical Society (EPS); - “Opto-fluídica”, “Fabricação de Componentes Ópticos” e “Engenharia Opto-mecânica Avançada”, organizadas pela European Optical Society (EOS); - “LiM - Lasers in Manufacturing”, organizada pela Scientific Laser Society (WLT); - “ECBO - Conferência Europeia sobre Óptica Biomédica“, organizada pela Optical Society of America (OSA) e pela International Society for Optics and Photonics (SPIE); - Metrologia Óptica, organizada pela SPIE Europe.

A Accu-Sort e a PPT Vision são aquisições recentes da Datalogic que vêm reforçar a área da automação industrial. As três empresas foram agora fundidas numa só organização.

reviproject

Nº 168

Junho

2012


notícias

Indústria europeia de máquinas-ferramentas apela para uma Visão Europeia e para uma base financeira mais sólida A produção da indústria europeia de máquinas-ferramentas aumentou 26% em 2011, comparativamente a 2010, aproximando-se do valor de 21 mil milhões de euros. A produção deverá estabilizar em 2012, prevê a CECIMO, a associação europeia que congrega 15 associações nacionais, representando um universo de 1500 empresas com um peso relativo de cerca de 97% da produção europeia (UE, EFTA e Turquia). As exportações atingiram praticamente o nível de 2008, mas o mercado doméstico europeu continua fraco. As dificuldades no acesso ao financiamento estão a bloquear os investimentos e os negócios em vários países europeus, impedindo a procura de crescer. Estas constatações foram reafirmadas durante a Assembleia Geral da CECIMO, realizada em Ghent no dia 12 de Junho. O valor de produção de máquinas-ferramentas de 21 mil milhões de euros ficou cerca de 15% abaixo do nível de 2008. As exportações contabilizadas pela CECIMO totalizaram 16,5 mil milhões de euros em 2011, praticamente ao nível de 2008. As importações e o consumo aparente, que reflectem o clima económico na Europa, ficaram bem abaixo do nível de 2008, apesar da forte subida em 2011 comparativamente ao ano anterior. As importações aumentaram 37% para um valor de 7,9 mil milhões de euros e o consumo aparente aumentou 29% para um valor de 12,2 mil milhões de euros, muito abaixo do nível de 2008. Os construtores europeus de máquinas-ferramentas vendem praticamente em todos os países do mundo. A sua oferta é competitiva e, em alguns casos, não tem concorrência à altura. Em 2011, as exporNº 168 Junho

2012

tações aumentaram 27% para um valor acima dos 10 mil milhões de euros.

Uma visão muito crítica da política europeia... …ou da falta dela "A indústria de máquinas-ferramentas não é um projecto que possa ser criado da noite para o dia e que possa concretizar-se sem empregados. A Europa tem vindo a desenvolver a sua base de maquinaria ao longo de várias gerações e hoje esta indústria de alto valor acrescentado, de conhecimento intensivo e com uma força de trabalho altamente treinada, é pedra basilar para uma economia europeia moderna" - afirma Martyin Kapp, presidente da CECIMO. "Os nossos concorrentes de outros continentes reconhecem bem a vantagem de ter uma indústria que é essencial para a próxima revolução industrial e estão a prosseguir políticas proactivas para reforçar a sua posição ou para adquirir rapidamente o know-how necessário" - diz Kapp. A Europa não tem uma estratégia para as suas indústrias transformadoras. Perante as políticas proactivas adoptadas noutras partes do mundo, a Europa está a testemunhar uma deterioração da sua base industrial, o que acarreta o aumento do desemprego e o risco de se tornar dependente de países terceiros, em muitos aspectos. A desindustrialização da Europa, a par com o crescente proteccionismo dos países em rápida industrialização, coloca sérios riscos do ponto de vista da segurança dos fornecimentos em áreas estratégicas. "A Europa precisa urgentemente de uma visão clara suportada por políticas orientadas para as suas indústrias transformadoras.

reviproject

A abordagem actual baseada em acções fragmentadas e selectivas provou ser cara e ineficiente. É necessária acção, antes que seja tarde demais e antes que percamos a nossa capacidade para inventar produtos de alta tecnologia que são necessários para reconstruir a economia Europeia do futuro" salienta o Sr. Martin Kapp. A CECIMO aplaude a estratégia ambiciosa da UE para o acesso aos mercados emergentes. No entanto, apesar de a política comercial da UE ser útil para apoiar os esforços da política industrial, ela tem os seus limites. A lentidão das negociações comerciais bilaterais e a inabilidade da UE para facilitar o comércio com mercados-chave de exportação são disso um bom exemplo. Na perspectiva da CECIMO, a situação actual reforça os motivos para rever a estratégia industrial e para desenvolver medidas de política industrial doméstica que contribuam para aumentar a competitividade dos fabricantes europeus nos mercados globais. A acção é necessária sobretudo nas políticas sobre as PMEs, a inovação e a formação profissional. A crise da austeridade na Eurozona aumenta a severidade da situação na Europa e a nível mundial. As meias-medidas ditadas pelas agendas políticas apenas têm adiado a verdadeira solução para os problemas. Em resultado, o acesso ao dinheiro secou e está a bloquear os negócios e os investimentos em vários países europeus. Sem este bloqueio, a procura seria outra. O Presidente da CECIMO deixa uma mensagem clara: "Queremos que os políticos dêem passos decisivos e que finalmente resolvam os problemas que têm a sua origem na crise de 2008 e 2009" índice 9


automação

Soluções de automação para pequenas séries A indústria automóvel, incluindo construtores e fabricantes de componentes, representa cerca de 50% do mercado das tecnologias de manipulação, robótica e visão artificial. De entre as tendências observáveis na feira AUTOMATICA 2012, que se realizou em Munique nos dias 22 a 25 de Maio, destacaram-se temas relacionados com a indústria automóvel: construção leve, mobilidade eléctrica e produção flexível. Basta espreitar os stands de automóveis para ver como as marcas estão a oferecer mais variantes dos mesmos modelos básicos. Isso significa que as séries que estão a sair das linhas de montagens são cada vez menores, o que exige soluções de automação flexíveis. Os robôs, por exemplo, necessitam de software mais fácil e mais intuitivo, para permitir mudanças frequentes. A normalização e integração de funções também contribui para a simplificação e flexibilidade. Por exemplo, nas operações de colagem, em que se utilizavam pistolas aplicadoras de colas termofusíveis (hot melts), os robôs e os transportadores funcionavam com controlos independentes. Actualmente, os três sistemas (aplicação de cola, robô e transportador) partilham um só controlo.

As tecnologias de informação são cada vez mais importantes nos sistemas de soldadura, seja para controlar, seja para documentar os processos. É o caso do sistema de gestão de soldadura Xplorer. (Foto: Fronius)

10

índice

Sistema de colagem automática (Foto ABB)

A mudança de trabalho deixou de ser uma operação complexa. A colagem automatizada tornou-se mais importante para a indústria automóvel com a necessidade de reduzir o peso. Esta redução é necessária quer para baixar o consumo de combustível dos automóveis "convencionais", quer para melhorar a eficiência dos automóveis eléctricos. O recurso crescente a materiais leves, como os plásticos e os compósitos, implica substituir a soldadura convencional pela colagem. O tema esteve em foco, quer na feira AUTOMATICA, quer nas várias conferências que decorreram em paralelo. As tecnologias de soldadura também estão a evoluir ao encontro dos objectivos de construção leve. A indústria automóvel espera dos fabricantes de equipamentos de soldadura soluções mais eficientes, mais flexíveis e fáceis de usar e que tenham um contributo para a redução de peso global dos automóveis. Isso envolve uma combinação optimizada dos três elementos essenciais dos sistemas de soldadura: robôs, manipulação e tecnologias da informação (hardware, software, interfaces).

A visão artificial está a ter uma influência "pivotante" na indústria automóvel. Por exemplo, a medição 3D em linha permite cumprir tarefas de inspecção e controlo de qualidade directamente no processo de fabricação de carroçarias e usar as medidas para optimizar esse mesmo processo. Em vez de simplesmente "decidirem" entre OK e 'não OK' os sistemas de visão são cada vez mais capazes de indentificar os defeitos e de transmitir a sua exacta localização. Proporcionam soluções de inspecção sofisticadas com software de teste, iluminação customizada e câmaras de alta resolução. Ironicamente, a indústria que levou as tecnologias de automação aos extremos de sofisticação só acessíveis a grandes séries, é a mesma que agora exige automação flexível e capaz de lidar com séries pequenas e mudanças frequentes. Esta tendência contribui para colocar as tecnologias de automação mais acessíveis a indústrias onde predominam as pequenas séries.

Sistema de inspecção por visão artificial: interacção entre software de teste, iluminação sofisticada e câmaras de alta resolução. (Foto Vitronic).

reviproject

Nº 168

Junho

2012


automação

Robôs low cost A Universal Robots (Odense, Dinamarca) fez-se notar no mercado da robótica com os robôs de braço de seis eixos UR5 e UR10, com capacidades de carga de 5 e 10 kg, respectivamente. São leves, flexíveis e especialmente indicados para PMEs, como alternativa mais acessível para introdução de soluções robotizadas. Os robôs são fornecidos com tudo o que é necessário para a programação: controlador, écrã táctil e software. A programação é simples e não requer especialistas, graças à interface intuitiva e ao modo de aprendizagem do robô. Para ver o robô em acção, clicar numa das imagens.

A Universal Robots fornece também a interface eléctrica para comunicação com a maior parte dos sensores industriais e autómatos programáveis.

Novo robô Powerball

Todos os robôs estão conformes com a norma ISO 10218-1:2006 pelo que podem ser instalados sem guardas de protecção. De resto, são robôs "portáteis" dado o seu baixo peso (18 e 25 kg, respectivamente). A Universal Robots destaca ainda o baixo nível de ruído e de consumo de energia.

As aplicações situam-se nos domínios da embalagem, montagem, manipulação e transferência de materiais, etc.., como se pode ver no filme seguinte.

A 5ª geração de robôs Powerball da SCHUNK apresenta melhorias de capacidade e eficiência. A relação peso/capacidade de carga passou para 2:1. O novo Powerball pesa 15 kg e pode manipular cargas até 6 kg. Tem um dos braços articulados mais leves do mercado, um raio de alcance de mais de 700 mm, uma precisão de 0,05 mm e a especial capacidade para operar em espaços limitados. A precisão e a estabilidade permitem a sua utilização não só para tarefas de "pick and place" mas também para aplicações que envolvem teste e medida. A alimentação eléctrica a 24 V DC permite a utilização móvel. A construção leve e os motores torque reduzem a necessidade de energia a 80 W, o que significa maior autonomia na operação com baterias. Finalmente, o novo robô tem um preço acessível.

KeMotion completa certificação PLCopen O sistema KeMotion da KEBA (Linz, Austria) obteve a certificação PLCopen Parte 4 , atribuída durante a feira SPS/IPC/Drives, de Nuremberga. Trata-se de uma solução de integração de eixos para controlo do movimento e robótica, com acesso e programação on line em ambiente CoDeSys. A mesma solução de controlo integra PLCs, controlo do movimento e robótica. A última etapa da certificação PLCopen (parte 4) significa que o sistema está apto para a programação de tarefas complexas de Nº 168 Junho

2012

robótica. Todos os tipos de robôs e todo o processo e sequência de máquina podem ser controlados pelo mesmo programa. O PLC tem acesso constante a todos os dados do robô, o que significa que as funções do robô podem ser manipuladas de forma fácil e rápida via PLC. Isto inclui, por exemplo, a gestão de programa e a gestão de modo de operação, bem como a leitura on line dos dados de sensores relevantes para o planeamento de itinerários. No KeMotion, o robô passa a ser uma parte da máquina e deixa de

reviproject

ser necessário um controlador dedicado. Do ponto de vista do utilizador, esta solução integrada permite reduzir custos de cablagem, programação, treino, etc..

índice

11


automação

.NET em HMI As tecnologias de HMI (interfaces homem-máquina) procuram novas abordagens. Através da escolha inicial de um ambiente de desenvolvimento aberto, como o .NET Framework, é possível implementar rapidamente uma plataforma adequada, moderna e com estabilidade comprovada. Ao mesmo tempo, pode utilizar-se um vasto conjunto de ferramentas e funções, que permitem personalizar e tornar mais eficientes as soluções de HMI.

Os recursos em que está baseado o .NET Framework são substanciais devido ao facto deste framework constituir parte do sistema operativo Microsoft Windows. É provável que uma aplicação baseada no framework da Microsoft possa garantir soluções de HMI inovadoras e estáveis a longo prazo. Outra clara vantagem está na possibilidade de usufruir das tecnologias que acompanham o .NET Framework. O framework é abrangente. Alguns exemplos de tecnologias criadoras de pré-requisitos no mundo do HMI em particular são a WPF (Arquitectura de Apresentação do Windows), o Friso (a barra de ferramentas presente nos programas standard do Windows) e a oportunidade de desenvolver scripts em C#.

Salto de geração na automação A nova abordagem nas HMI acompanha um mercado de automação que está a mudar de geração. A indústria começa a ter uma nova geração de programadores com elevado nível 12

índice

académico e estes exigem ferramentas mais avançadas e abertas. Os utilizadores finais e os operadores em instalações industriais cresceram com computadores, smartphones e interfaces de utilizador gráficas e modernas. As expectativas relativas a interfaces gráficas intuitivas de operador sem manuais estão a crescer à mesma velocidade. Há já alguns anos que a Apple e o Android da Google, por exemplo, têm vindo a estabelecer novos padrões nas áreas da facilidade de utilização e dos gráficos, o que, eventualmente, irá exigir uma resposta da indústria. Uma forma de entrar em conformidade com este desenvolvimento é utilizar o WPF, o motor gráfico da Microsoft incluído no .NET Framework. As vantagens incluem o facto de o utilizador obter acesso a gráficos baseados em vectores com ampliação que não deteriora a qualidade de imagem, e esse design poder ser separado da programação através de XAML. Isto proporciona além das capacidades para a criação de gráficos fantásticos - uma ferramenta para criar objectos de HMI que podem ser harmonizados de forma eficaz com o nome de marca do utilizador final. A importação de objectos criados no MS Expression Design, por exemplo, abre a porta à possibilidade de implementar imediatamente gráficos 3D e efeitos como transparências, sombras, animações, guiões gráficos e multimédia. O programador cria a lógica, o designer trata do aspecto e o XAML cuida da interacção entre eles. Através do WPF, o utilizador ganha acesso a um motor gráfico moderno no qual pode criar a funcionalidade HMI do futuro. Outra tecnologia importante do .NET Framework é o acesso a objectos de multimédia do Windows, que possi-

reviproject

bilita componentes multimédia como o Internet Explorer, o Windows Media Player e leitores de PDF.

HMI personalizada Com os desenvolvimentos actuais no mercado, é cada vez mais importante que os fabricantes de máquinas e os fornecedores de soluções de HMI possam acrescentar o seu toque pessoal e, consequentemente, tornar as soluções de HMI mais personalizadas de forma a diferenciá-las da concorrência. Isto pode aplicar-se não só às funcionalidades, mas também ao design. Numa altura em que o hardware está a tornar-se cada vez mais semelhante, o aspecto relativo à forma como o utilizador pode personalizar e trabalhar com software de HMI está a tornar-se cada vez mais relevante. O acesso a componentes .NET finalizados oferece uma oportunidade única de personalizar aplicações. O mais comum são os componentes gráficos onde as funções estão encapsuladas em objectos gráficos (como botões ou diagramas). Os componentes são criados através de uma ferramenta de desenvolvimento numa linguagem de alto nível. Mais tarde podem ser bloqueados e, consequentemente, salvaguardados contra cópia. Pode escolher se pretende desenvolver um componente .NET ou utilizar componentes de terceiros que estejam já disponíveis em lojas de componentes on line, prontos a transferir e instalar. Há diversas empresas que desenvolvem componentes para .NET Framework. As oportunidades deste desenvolvimento em HMI são muito interessantes. A título de exemplo, através de componentes .NET é possível contribuir com conhecimento especial no âmbito de diversas indústrias - como Nº 168

Junho

2012


automação

Gestão remota com solução 'cloud' 'Netbiter' é uma solução de gestão remota do tipo 'cloud' que pode ser implementada nas estruturas existentes e que permite interligar os PLC, variadores e outros dispositivos de controlo para dar origem a sistemas de captura de dados, monitorização e automatização, incluindo sistemas de comunicação M2M com comunicação Ethernet ou rádio-móvel. O componente central do sistema é o portal de dados Netbiter Agros, com tecnologia 'cloud' para captura e apresentação de dados operacionais. Os dados provenientes dos vários instrumentos de medida de dados de processo, tais como as do óleo, gás, automação de edifícios, água e águas residuais - e consequentemente facilitar a optimização das soluções de HMI por parte dos clientes. A linguagem de scripting também é importante para uma solução de HMI. Historicamente, os diversos fabricantes possuem diferentes dialectos das linguagens standard. No .NET Framework, a C# é uma das linguagens padrão. Em termos práticos, isto significa mais liberdade para o programador, que pode usufruir de todas as funcionalidades da linguagem em vez de apenas determinadas partes. Através de scripting, pode criar as suas próprias funções numa aplicação e, desta forma, criar a funcionalidade que não está já incluída na ferramenta de desenvolvimento de HMI. Também pode aceder a diversos componentes.

Síntese Os sistemas integrados na automação são um aspecto crucial dos dias de hoje - os sistemas bloqueados pelo fornecedor pertencem ao passado. O mercado prefere as plataformas standard, que admitem a comunicação entre vários fornecedores. Nº 168 Junho

2012

temperaturas, dados de variadores, entradas/saídas, alarmes, etc. são registados no servidor Agros e apresentados utilizando diagramas que mimetizam a fábrica. Ao ritmo diário ou semanal, podem ser gerados As tecnologias e os sistemas abertos são necessários para o futuro. Uma outra tendência advém do facto de que os programadores de HMI exigem cada vez mais ferramentas para personalizar soluções, de modo a que possam fortalecer a competitividade. As elevadas exigências relativas aos gráficos e à facilidade de utilização estão no cerne do rápido desenvolvimento do mercado de consumo.

iX - uma HMI pioneira da Beijer Electronics A Beijer Electronics continua a dar passos de gigante no desenvolvimento de software em HMI. O iX é um software HMI revolucionário construído sobre a tecnologia líder .NET Framework. A filosofia do iX inclui gráficos de última geração, sólidas funcionalidades de HMI, um ambiente de design intuitivo e uma arquitectura realmente aberta. Quatro princípios que, em conjunto, formam um conceito único com poucos concorrentes a nível mundial. Em Portugal a Beijer Electronics é representada pela Bresimar.

reviproject

automaticamente relatórios e gráficos de tendência os quais, se necessário, podem ser enviados por correio electrónico. O novo sistema foi idealizado para a gestão centralizada de múltiplos dispositivos instalados em locais diferentes, com a possibilidade de serem definidos níveis de acesso e autoridade para os utilizadores. O sistema de gestão de alarmes envia relatórios por correio electrónico, SMS ou SNMP. Este sistema tanto pode ser implementado em instalações existentes como incorporado como vantagem e funcionalidade adicional em máquinas. Os construtores de máquinas podem diferenciar-se oferecendo aos seus clientes uma solução de gestão remota. O sistema de gestão remota 'Netbiter' foi adaptado aos dispositivos de automação Mitsubishi e oferece uma solução de alto desempenho facilmente integrável para monitorização de instalações e fábricas.

Autómatos com ligações Anybus Os autómatos programáveis da Mitsubishi Electric podem comunicar entre si com as gateways, conversores de protocolo e dispositivos sem fios da HMS Industrial Networks, que passou a fazer parte da e-F@ctory Alliance. Os dispositivos da HMS ampliam as possibilidades de integração com as principais redes industriais. A gama de dispositivos da HMS inclui mais de 250 variedades de gateways, conversores de protocolo e dispositivos wireless, incluindo vários dispositivos para a comunicação CC-Link da Mitsubishi. índice

13


automação

Redes industriais e optimização energética Estudos recentes do grupo AIDA de fabricantes automóveis alemães (Audi, BMW, Daimler, Porsche, VW) e a Organização de Utilizadores Profibus indicam que as redes industriais desempenham um papel importantíssimo na implementação de estratégias de controlo para a optimização de energia na fábrica. Na feira SPS/IPC/Drives, que decorreu em Nuremberga, Alemanha, nos dias 23 e 25 de Novembro, a HMS Industrial Networks apresentou várias soluções de gestão de energia para os sistemas de automação.

Entre eles, os módulos de comunicação Anybus® integrados com suporte de perfil de energia PROFIenergy já estão no mercado e a HMS anunciou a disponibilização futura de outros perfis de gestão de energia, logo que se considerem estáveis e aceites pela generalidade da indústria. A HMS disponibiliza várias soluções especialmente destinadas a técnicos de integração de sistemas e utilizadores finais. Estas soluções permitem a integração do equipamento de automação padrão em bus de campo modernos ou sistemas de comunicação Ethernet industriais, aumentando o nível de automação, a eficiência dos sistemas e a gestão da energia. Com a série Anybus Communicator composta por conversores de protocolo inteligentes, os técnicos de integração de sistemas e os utilizadores finais podem integrar equipamentos de automação existentes

por meio de interfaces RS-232 ou Modbus-RTU padrão em bus de campo industriais modernos ou redes Ethernet. Os Anybus X-gateways oferecem os mesmos benefícios, mesmo quando estão interligados a redes diferentes. Ambas as gamas de gateways permitem um fluxo transparente de informação por toda a fábrica, incluindo a capacidade de desligar o equipamento de automação durante as pausas de produção e tempos de paragem de um modo sincronizado, contribuindo para a gestão de energia e a eficiência da fábrica. Um bom exemplo é a integração de disjuntores padrão, que normalmente não são activados em rede, em redes industriais modernas. A solução Netbiter® da HMS para controlo remoto M2M permite aos utilizadores obter uma vista geral do consumo de energia das suas aplicações.

Transferência de ficheiros e dados via protocolo http Os autómatos SAIA®PCD admitem a transmissão de ficheiros e dados por protocolo http (Hyper Text Transfer Protocol). O autómato cliente tem acesso ao sistema de ficheiros do outro autómato a que esteja ligado, o que permite trocar ficheiros de dados em formato CSV, páginas web, gráficos, bases de dados, etc., bem como copiar dados ou texto para ficheiros. Com este protocolo, também é possível a gestão remota de fichei14

índice

ros, útil para escrever ou apagar ficheiros. A transmissão de dados e ficheiros por http é suportada pelos autómatos Nova série PCD1.M2, série PCD2.M5, série PCD3, série PCD3 Compacto e série PCD3 WAC. A nova funcionalidade vem na sequência da decisão da SAIA-

reviproject

-Burguess de integrar a tecnologia web/IT e os protocolos IP standard tais como http, FTP, SMTP, DHCP, disponíveis nos autómatos SAIA® há vários anos. Nº 168

Junho

2012


ligação

Nº 168 Junho

2012

reviproject

índice

15


automação

Leitores HF RFID com maior rendimento O leitor MLX90130 da Melexis (Bélgica) é um novo leitor RFID de 13.56 MHz, composto por um 'front end' analógico integrado e um dispositivo de dados para operação conforme com o modo 1 ISO15693, ISO14443A/B e ISO18000-3. Fruto da cooperação entre a Melexis e a STMicroelectronics, foi projectado para lidar com frequências sub-portadoras de 106 KHz a 848 KHz, com velocidades de transmissão até 848 kbit/s. Tem capacidade para detecção quer de etiqueta, quer de campo. Apresenta-se num formato

Módulos supressores de picos A Bresimar está a lançar no mercado nacional a nova série IMSP da Turck, para protecção contra picos de tensão em instalações de processo, medição e controlo. A série é actualmente formada por seis módulos para instalar antes dos módulos de interface. Têm apenas 6,2 mm de espessura e estão disponíveis em versões e ligação de 2, 3 e 4 fios, podendo ser montados em calha DIN ou platine. A série inclui os modelos IMSP-1x224 (1 canal) e IMSP-2x2-24 (2 canais) para sinais analógicos com ligação a 2 fios, os modelos IMSP-2-12 e IMSP-2-24 para sinais digitais provenientes de sensores e outros equipamentos de campo, e ainda os modelos IMSP-4-12 e IMSP-4-24 para monitores de temperatura. 16

índice

compacto QFN de 5 x 5 mm e suporta temperaturas de -40 °C a 105 °C. As aplicações preferenciais situam-se nos sectores do controlo de acessos, monitorização pós-cirurgia, medição de glucose, identificação de medicamentos e automação industrial.

Controladores de motor em circuitos integrados A Melexis (Tessenderlo, Bélgica) acaba de lançar uma nova gama de circuitos integrados (IC) para controlo de motores DC sem escovas (BLDC), segundo o conceito dos ICs MLX81200. Num só IC, estão integrados os vários componentes do controlador: regulador de tensão, LIN-Transceptor, MCU, EEPROM, Flash, memória RAM, Pré-controlador FET e vários blocos de circuitos especiais para o controlo do motor. A gama de controladores é formada por 4 modelos básicos (MLX81205, MLX81207, MLX81210 e MLX81215) e desdobra-se em função da capacidade de memória. Todos têm protecção de carga de 45 V e suportam aplicações de automação a alta temperatura (está pendente a certificação com Grau 0 AEC-Q100) e ou que exigem compatibilidade electro-

magnética. Tal como os ICs da gama MLX81200, os novos ICs suportam os algoritmos de controlo sem sensor TruSense patenteados pela Melexis em HM e SW para motores BLDC de aranque e propulsão. Os motores BLDC encontram-se em várias aplicações no sector automóvel, tais como bombas de combustível, água, óleo, ventiladores de refrigeração do motor, bateria, e sistemas de ar condicionado.

Mais controlo na Ásia-Pacífico A região Ásia-Pacífico vai ultrapassar as regiões EMEA e Américas como mercado de sistemas de controlo distribuído. A previsão da IMS Research para 2015 aponta para um valor de 7,3 mil milhões de dólares (USD), cerca de 37% do

reviproject

mercado global dos referidos sistemas. O crescimento do mercado na região Ásia-Pacífico deve-se às compras de equipamentos para investimentos industriais, para o sector energético e também para os sectores do urbanismo e serviços. Nº 168

Junho

2012


Nº 168 Junho

2012

reviproject

índice

17


automação

Automação low cost, configuração fácil, stock e entrega rápida A igus, como fabricante de componentes, aposta na rápida disponibilidade da sua vasta gama de produtos a partir de stock, nas soluções de configuração rápida e na complementaridade entre plásticos e electrónica. Na feira de Hannover, a igus apresentou mais de 80 novos produtos, repartidos pelas várias famílias de produtos: cabos, calhas articuladas, sistemas de robótica low cost e casquilhos em polímero. Nas calhas articuladas e nos cabos, destaca-se a nova calha E6.1, com sistema totalmente redesenhado, 37% mais leve, de fácil montagem e propício para movimentos bastante dinâmicos. A segunda geração da calha E6 é muito silenciosa com baixa vibração para movimentos rápidos, e particularmente resistente à fricção e ao desgaste. Outros lançamentos recentes são a calha articulada rolante E2/000, mais eficiente energeticamente para cursos longos, com menos 75 % de força motriz necessária, e o cabo de dados Chainflex CF11, agora com um raio de curvatura mínimo de 6,8 x d em calhas articuladas. No sector dos casquilhos em polímero, a igus apresentou em Hannover, entre outros, os casquilhos deslizantes iglidur verdes, isentos de lubrificação, com uma base renovável de 54 %, os rolamentos xiros extremamente resistentes ao desgaste e isentos de manutenção, para elevado número de rotações, e ainda as porcas de passo rápido drylin com mecanismo 'folga-zero', garantindo uma folga axial mínima durante toda a vida útil .

cada vez mais a mecatrónica. Na feira de Hannover, apresentou novas mesas lineares prontas com motores de passo NEMA, um sistema compacto e de rápida instalação para monitorização de calhas articuladas com cursos longos, uma corrente de transporte inteligente para aplicações de pick and place e ainda as articulações múltiplas para robôs low cost, agora também disponíveis a partir de stock, opcionalmente com unidade motriz e um software de comando simples. Mantendo a aposta nos plásticos técnicos com características tribológicas optimizadas e com tempos de serviço longos, a igus

investe na combinação com elementos electrónicos. Com uma gama de mais de 80 000 produtos, a igus aposta cada vez mais na disponibilidade em stock e nas entregas rápidas. Em média, cerca de 97% de todos os artigos de catálogo da igus encontravam-se disponíveis nos últimos meses. Para manter esta capacidade de resposta rápida, a igus implementou procedimentos de lean production e lean management nas suas fábricas. Para tornar mais expedita a relação com os clientes, a igus apresentou 8 novos configuradores e programas de pesquisa de produtos.

Cada vez mais mecatrónica A robótica low cost ou automação low cost é encarada pela igus como mercado de futuro. A empresa aplica 18

índice

A igus apresentou na feira de Hanôver mais de 80 novos elementos de máquinas. A empresa aposta nos polímeros técnicos e na mecatrónica. Da esquerda para a direita: a corrente de transporte inteligente PickChain, as mesas lineares drylin prontas com motores de passo NEMA, o sistema de monitorização Easy PPDS 2.0 de rápida instalação para cursos longos de calhas articuladas.

reviproject

Nº 168

Junho

2012


Nº 168 Junho

2012

reviproject

índice

19


automação

Pikchain Calha transportadora modular para soluções de Pick & Place Na Feira de Hannover, a igus apresentou uma variante nova, com múltiplas configurações, da calha transportadora inteligente pikchain. O princípio de funcionamento, na nova versão, continua a ser o mesmo: uma calha de circulação contínua, com alimentação integrada de energia e dados, podendo os elos ser comandados individualmente, que ao contrário de muitas aplicações clássicas de pick & place, não obriga a viagens em vazio poupando desta maneira pelo menos 30% de tempo. A nova pikchain PC2 (2 kg de carga por cada elo) baseia-se no sistema modular e económico de calhas articuladas da igus. Existe um grande número de componentes e acessórios que aumentam a liberdade de configuração no projeto, facilitam a montagem e a modificação e aumentam a rentabilidade. As peças laterais do sistema modular das calhas são feitas com elementos guia optimizados relativamente ao atrito (o polímero iglidur J, o material de elevada duração dos casquilhos deslizantes). Diversas larguras e divisões interiores estão à disposição a partir

de stock. Uma placa universal com casquilhos roscados integrados para ligação a actuadores, pinças, câmaras, ferramentas ou unidades de processamento. Tal como na calha pikchain PC5 (5 kg de carga por cada elo), uma c-chain de circulação no interior alimenta os elos com sinais, energia e meios. A guia c-chain pode também ser ajustada, exactamente como a guia das calhas articuladas, o que

oferece muitas opções relativamente ao comprimento do curso. Através da nova pikchain PC2, a igus oferece aos engenheiros mecânicos e aos especialistas de automação, mais uma componente bem pensada, que torna possível múltiplas novas ideias na construção de sistemas económicos.

Placas actuadoras flexíveis para pinças, câmaras, ferramentas ou unidades de processamento que proporcionam uma grande liberdade de configuração. Os elos das calhas da pikchain PC2 suportam cargas até 2 kg em cada elo e encontram-se equipados com elementos resistentes ao desgaste no material dos casquilhos deslizantes iglidur J.

Mesas lineares para aplicações extremas A igus continua a ampliar gradualmente a sua gama de motores para as mesas lineares. Na Feira de Hannover de 2012 a empresa apresentou as novas combinações de mesas com motor prontas para serem instaladas, quer em vácuo ou debaixo de água. A crescente gama de mesas lineares drylin com motor coloca à disposição dos construtores de máquinas soluções de acciona20

índice

mento isentas de lubrificação para praticamente qualquer aplicação. Os kits de montagem dos motores facilitam a aplicação dos mesmos nas mesas lineares. As mesas lineares accionadas por correia dentada foram desenvolvidas para o posicionamento de pequenas cargas. A mesa accionada por correia dentada para aplicações subaquáticas (ZLW-1040-UW) pode agora ser equipada com o novo motor bifásico híbrido

reviproject

(NEMA 23) e aplicada debaixo de água até 10 metros de profundidade. O motor satisfaz o grau de protecção IP 68. Graças a uma pintura especial este motor fica protegido contra a corrosão a longo prazo. A sua capacidade de vedação é garantida até 1 bar e a temperatura superficial permitida vai de -30 até +80 °C. Para além da utilização subaquática, este motor também é indicado para aplicações onde existem lavagens frequentes com água, tais como aplicações na indústria alimentar. Para outras configurações e aplicações subaquá Nº 168

Junho

2012


automação

Transportador inteligente evita viagens em vazio O transportador de circulação contínua da igus, com alimentação integrada de energia eléctrica, dados e meios, proporciona perspectivas completamente novas às soluções complexas de pick & place. A empresa Hebenstreit Metal Decorating GmbH de Pleidelsheim, nas proximidades de Estugarda, desenvolve e produz instalações de impressão e pintura a alta velocidade, incluindo secadores UV e sistemas de transporte de folhas. A Hebenstreit recebeu de um cliente da indústria automóvel uma encomenda para aumentar a eficiência de uma unidade linear completamente automática destinada a um sistema de impressão. A quantidade de folhas deveria aumentar de 1200

para 3000 unidades por hora. O problema: as peças eram chapas de alumínio feitas numa liga especial com uma superfície altamente sensível. Por isso a máquina tinha de garantir, uma isenção absoluta de arranhadelas nas peças, em funcionamento totalmente automático. A implementação de uma solução baseada em movimento linear só foi possível com a nova calha pikchain PC5 da igus. Para garantir um tratamento suave das chapas, alguns elos do transportador foram equipados com dispositivos de elevação por sucção. Nesses elos encontram-se colocados patins de deslize de baixo desgaste, em polímero iglidur J de longa vida útil e sem necessidade de qualquer

ticas o motor pode ser montado à mesa linear de fuso SLW-ESJ-1040 – completamente em aço inoxidável.

fuso (por exemplo SLW-ESX-1040 ) e o novo motor NEMA 23 (apropriado para vácuo - vácuo fino de até 10-3 mbar) é especialmente indicada para este tipo de aplicações. O motor de passo é resistente à radiação até 10 J/kg, a sua carcaça é construída em aço inoxidável e a temperatura superficial do motor permitida vai de -20 até +80 °C.

Posicionar em vácuo No fabrico de semi-condutores ou na tecnologia de medição, os componentes de automatização são frequentemente aplicados em vácuo. Para que as mesas lineares operem corretamente sob tais condições sem contaminar o vácuo elas têm de ser isentas de lubrificação, com baixo atrito e resistentes à corrosão. A combinação das mesas lineares em aço inoxidável accionadas por Nº 168 Junho

2012

reviproject

lubrificação adicional. Isto previne que as chapas de alumínio se sujem antes da pintura. A pikchain da igus é mundialmente, o primeiro sistema transportador de circulação contínua com alimentação integrada de meios tais como electricidade, água, ar e dados. Cada elo do transportador pode ser comandado individualmente por meio de uma calha porta-cabos situada no seu interior. Deste modo os elos individuais do transportador podem ser equipados com garras, ferramentas, sensores, câmaras ou ventosas até uma carga de 5 kg por cada elo da calha. Graças à circulação contínua a pikchain evita viagens desnecessárias em vazio. Pois nos tradicionais sistemas lineares é normalmente necessário efectuar uma viagem de ida e outra de volta. O resultado é uma aceleração dos tempos de Pick & Place, a uma velocidade contínua de 2-3 m/s, até 30 %. O sistema pode ser montado na horizontal, vertical ou ainda lateral com cursos até 30 metros de comprimento.

índice

21


accionamentos

MOVIAXIS

®

Versátil, potente e polivalente – são as palavras que definem a família MOVIAXIS® da SEW-EURODRIVE. Devido à sua gama de potência e às suas funcionalidades, a gama MOVIAXIS® abrange um vasto leque de aplicações industriais de movimentação de materiais, robótica, embalagem e sistemas logísticos. Na base destes controladores está o objectivo de tornar as funções tecnológicas e de controlo do movimento mais fáceis, recorrendo a uma estrutura de PLC à qual o utilizador está habituado.

Robô de paletização

Capsuladora

Nos accionamentos tradicionais, as funções de posicionamento exigem um controlador adicional: os servo-accionamentos MOVIAXIS® trazem consigo essa função, entre muitas outras que facilitam a programação e o comissionamento dos sistemas. De entre as múltiplas aplicações multi-eixos, podem referir-se os sistemas de paletização/despaletização, máquinas de embalagem, engarrafamento, capsulagem, bem como sistemas de armazéns automáticos.

A filosofia dos

Armazém automático

Os servo-accionamentos multi-eixo MOVIAXIS® foram projectados para máquinas compactas e aplicações de automação. Todos os componentes de sistema são alojados no formato “livro” com uma profundidade de instalação de 260 mm, o que viabiliza a sua instalação em armários de controlo com profundidade de 300 mm. Com este formato estão disponíveis unidades desde 2 A / 10 kW até às unidades com pico de corrente de 250 A e pico de potência de 187 kW. Graças à alimentação eléctrica normalizada, ao sistema de bus Twin-CAN intregrado e à distribuição inteligente de funções, todos os componentes do sistema podem ser combinados de modo flexível para dar lugar a soluções de accionamentos por medida.

Paletização/despaletização

Pórtico de carga/descarga de paletes

22

índice

reviproject

Nº 168

Junho

2012


accionamentos

servo-accionamentos multi-eixos Os servo-accionamentos MOVIAXIS® têm um elevado grau de escalabilidade e as opções de comunicação e a tecnologia de controlo são igualmente flexíveis. Qualquer que seja a arquitectura do sistema de automação – descentralizada, centralizada ou híbrida – os servo-accionamentos multi-eixo MOVIAXIS® podem sempre ser ajustados, o que faz deles uma solução extremamente fiável não só para os requisitos actuais, mas também para os requisitos futuros.

Segurança integrada A tecnologia de segurança pode ser integrada na unidade base do controlador MOVIAXIS® até à categoria 3 (EN 954-1 / EN 201), nível de performance “D” (PrEN ISO 13849-1), categorias de paragem 0+1 e protecção segura contra re-arranque. Com componentes adicionais é possível implementar aplicações com segurança até à categoria 4,

Nº 168 Junho

2012

nível de performance “E”. Para aplicações que requeiram funções de segurança mais especializadas, tais como velocidade reduzida segura, os servo-accionamentos MOVIAXIS® podem ser combinados com os módulos de segurança MOVISAFE® 100. A adequação para aplicações industriais e a simplicidade de montagem foram dois importantes aspectos tidos em conta no desenvolvimento dos servo-accionamentos multi-eixo MOVIAXIS® . O resultado é uma construção estável, robusta, fácil de instalar e com separação física entre os níveis de potência e sinal (optimização EMC). Estas unidades podem ser instaladas de

reviproject

forma rápida e fácil graças a uma matriz de furações para fixação e à integração de todos os componentes de arrefecimento na unidade base.

Eficiência energética Na fase de desenvolvimento do MOVIAXIS® , uma das principais preocupações foi a economia de energia, especialmente a recuperação da energia gerada em módulo regenerativo. Os módulos de regeneração de energia MXR cumprem essa função, garantindo uma tensão DC link constante, independentemente das variações da rede. A condição cos α = 1 é mantida como standard. Além disso, estes módulos também reenviam para a rede a energia excessiva no sistema de alimentação, com forma de onda sinusoidal, evitando os harmónicos quase na totalidade. Os componentes electrónicos estão assim menos sujeitos a interferências. Além disso, os módulos MXR também fornecem informação sobre a energia activa. Por seu turno, os módulos MXC asseguram o armazenamento temporário de energia, até que esta seja utilizada no processo de aceleração seguinte. Graças a estes módulos é possível diminuir significativamente a energia a retirar do sistema de alimentação, o que diminui o aquecimento do armário devido à dissipação do calor. O módulo MXP81 é ideal para máquinas com ciclos rápidos e dimensões compactas. Para além do módulo de armazenamento integra resistência de frenagem que automaticamente dissipa a energia que excede a capacidade de armazenamento. índice

23


accionamentos

Redutores Industriais para grandes agitadores verticais Em complemento às séries standard de redutores industriais, a SEW-EURODRIVE desenvolveu uma série dedicada a grandes misturadores verticais. Os redutores da série ML…V, com veio de saída vertical (para cima ou para baixo) e cárter em construção mecano-soldada, podem ser do tipo helicoidal ou de engrenagens cónicas e permitem transmitir binários até 862 kNm, com relações de transmissão finamente espaçadas, entre 6,2 a 280. Foram concebidos para aplicações como: misturadores , arejadores, agitadores, torradores/cozedores verticais e torres de arrefecimento onde seja necessário transmitir grandes potências/binários. Entre os acessórios desenvolvidos a pensar neste tipo de aplicação destacam-se os seguintes: - Retentores especiais para cada aplicação específica (retentores duplos com copo de lubrificação, retentores labirinto com copo de lubrificação ou sistema de lubrificação tipo “dry-well” / poço seco, que garante a inexistência de fugas de lubrificante para o processo); - Sistemas de lubrificação e respectivo sistema de arrefecimento do lubrificante que podem ser de vários tipos: - sistema de lubrificação sob-pressão com permutador água/óleo ou ar/óleo, - sistema de lubrificação sob-pressão sem arrefecimento, - ventilação montada no veio de entrada;

- EBD – Extended Bearing Distance – Rolamentos de saída reforçados, podendo ainda ser combinados com 2 tipos de rolamentos no lado oposto à saída: rolamentos axiais de rolos esféricos, ou rolamentos axiais de rolos cilíndricos; - Filtros de Silica-Gel; - Olhais especiais de elevação, que permitem retirar o redutor e veio do misturador da aplicação, em simultâneo. Estas unidades especiais beneficiam também da rede de assistência técnica, peças e serviços da SEW-EURODRIVE (Worlwide Service&Spare Parts Network), da disponibilidade para entrega em prazos curtos, da garantia de fiabilidade mecânica e da certificação de fábrica para zonas ATEX, incluindo acessórios à prova de explosão.

Redutores Industriais para Extrusoras Os redutores industriais para accionamento de extrusoras (para plástico, borracha ou derivados) estão sujeitos a elevados esforços, nomeadamente no seu veio de saída. A SEW-EURODRIVE desenvolveu uma unidade dedicada à extrusão, em colaboração com os principais fabricantes mundiais de extrusoras e tendo como base um redutor standard das séries X ou MC. Estas unidades especiais mantêm as já conhecidas vantagens dos redutores industriais SEW-EURODRIVE: - Ampla rede de assistência técnica, peças e serviços (Worlwide Service&Spare Parts Network); - Redutores modulares, disponíveis com relações de transmissão desde 6,3 a 400; - Curtos prazos de entrega; - Excelente fiabilidade mecânica, podendo transmitir binários desde 6,8 kN.m até 475 kN.m. De forma a preparar as unidades standard para as especificidades associadas ao processo de extrusão, foram adicionados aos redutores de série, os seguintes componentes/equipamentos: - Rolamentos especiais (rolamentos auto-compensadores de rolos) no veio de saída, de forma a conseguir 24

índice

suportar os elevados esforços axiais, típicos das aplicações de extrusão; - Flanges de saída customizadas para as dimensões do cliente (desenhadas de acordo com a extrusora do cliente). Estas flanges podem ser fornecidas em ferro fundido esferoidal (GGG40) ou em construção mecano-soldada; - Unidades de lubrificação sobre pressão e arrefecimento a água. Sempre que necessário, dependendo da posição de montagem e das potências/velocidades/temperaturas do processo.

Redutor para extrusora, incluindo rolamentos reforçados, sistema de lubrificação sobre pressão e flange de saída customizada

reviproject

Nº 168

Junho

2012


accionamentos

Redutores industriais O aumento da procura de redutores industriais para accionamento de grandes transportadores, moinhos e de maquinaria pesada em geral, tem crescido continuamente nos últimos anos. A SEW-EURODRIVE respondeu a esta solicitação lançando os novos tamanhos da já conhecida Série X. Com este lançamento, a Série X passa a ter disponível em redutores helicoidais ou cónicos, uma gama de binários de 58.000 Nm a 475.000 Nm.

Nº 168 Junho

2012

A Série X foi totalmente desenvolvida pela SEW-EURODRIVE e é produzida na nova fábrica de redutores industriais da SEW, na Alemanha. A Série X está agora disponível desde o tamanho 180 ao tamanho 320. Estas unidades possuem capacidade de suportar elevadas cargas radiais e axiais, baixo nível de emissão de ruído e possuem uma impressionante relação peso/potência transmitida. Podem incluir

reviproject

XXL

bombas de lubrificação, filtros, sistemas de arrefecimento e unidades de monitorização da condição. Os redutores industriais da Série X podem ser seleccionados utilizando o software de projecto da SEW, com desenhos dimensionais 2D e 3D CAD disponíveis “online”.

Série X: - 2, 3 e 4 estágios de redução; - Binário de saída de 58 kNm a 475 kNm; - Relação de transmissão de i= 6,3 a i= 400; - Inovadoras formas de arrefecimento; - Cárter simétrico feito em ferro fundido anti-ruído; - Cárter monobloco ou bipartido (dependendo dos tamanhos); - Como opção: cárter em ferro fundido esferoidal - GGG40 ou construção mecano-soldada, - Unidades especiais para elevadores de alcatruzes; - Fornecimento de conjuntos adaptados às necessidades de cada Cliente/Aplicação: motor eléctrico, acoplamento, freios externos, bases metálicas.

índice

25


instrumentação

Novos Osciloscópios expandem capacidades de debug e teste A LeCroy acaba de apresentar ao mercado duas novas linhas de osciloscópios - WaveAce 1000 e WaveAce 2000 - com elevada capacidade de memória, elevada frequência de amostragem e dimensão maior dos écrãs. Os osciloscópios WaveAce 1000 têm frequência de amostragem até 1 GS/s com 2 Mpts de memória, em modelos de dois canais, de 40' MHz até 100 MHz. Os osciloscópios WaveAce 2000 proporcionam frequência de amostragem até 2 GS/s e 24 kpts de memória e estão disponíveis em modelos de dois e quatro canais, de 70 MHz até 300 MHz. Todos os modelos têm écrã de 7 polegadas e ferramentas poderosas de debug, tais como 32 medidas automáticas, capacidades de cálculo de formas de onda, teste pass/fail, memória interna maior, controlo remoto e registador de formas de onda. A integração com o analisador lógico da LeCroy e os geradores de forma de onda fornecem possibilidades expandidas de debug e teste. Graças a esta combinação de características, estes novos osciloscópios são ideais para os utilizadores que necessitam de simplificar as tarefas de debug. O écrã de 7 polegadas torna possível exibir até cinco medidas sem afectar a exibição das formas de onda. Em alternativa, o écrã pode exibir o painel de medida com as 32 medidas automáticas em simultâneo. Um leque alargado de parâmetros de temporização permite uma melhor visualização da relação entre os sinais em dois canais diferentes. Além disso, os novos osciloscópios proporcionam cinco funções de cálculo para análise adicional, tais como Adição, Subtracção, Multiplicação, Divisão e FFT. A FFT pode ser vista usando quatro janelas diferentes e duas escalas verticais diferentes, para uma visualização mais flexível do domínio de frequên26

índice

cia. O teste pass/fail integrado permite a identificação rápida de problevas e indica o momento em que ocorreram. A capacidade acrescida de memória, que permite gravar e rever formas de onda e setups pode contribuir para reduzir significativamente o tempo de debug. Muitos dos osciloscópios disponíveis no mercado não porporcionam memória interna suficiente, o que obriga o utilizador a recorrer a suportes USB externos. Os novos osciloscópios WaveAce

permitem armazenar até 20 formas de onda, 20 setups e duas formas de onda de referência. Além disso, todos os modelos têm uma porta USB no painel frontal para gravar imagens de écrã, formas de onda e setups em suportes externos. No painel posterior, uma segunda porta USB permite a ligação a PC ou a impressora. A comunicação com PC é simplificada com o software WaveStudio da LeCroy, que proporciona acesso total ao écrã do osciloscópio, às medidas, aos dados de forma de onda e aos controlos do painel frontal.

Para além do básico Os osciloscópios WaveAce 1000 e WaveAce 2000 ultrapassam as capacidades típicas deste tipo de instrumentos e podem ser integrados facilmente com o analisador lógico LogicStudio 16 ou com os geradores de ondas WaveStati-

reviproject

Nº 168

Junho

2012


instrumentação on. Quando ligados ao mesmo PC, o LogicStudio 16 e o WaveAce transformam o PC num osciloscópio de sinal misto. No mesmo écrã, estão disponíveis ferramentas de captura, visualização e sinais analógicos, digitais e serial bus. O LogicStudio oferece 16 canais, 100 MHz e frequência de amostragem até 1 GS/s na análise lógica com triggering e decoding I2C, SPI e UART. A ligação de um osciloscópio WaveAce e um gerador de ondas WaveStation ao mesmo PC permite transferir sinais do mundo real captados pelo WaveAce para o WaveStation, tornando possível invocá-los ou revê-los em momento posterior. Os sinais gravados no WaveStation podem então ser editados no PC, com o software de edição, utilizando as ferramentas de

cálculo, filtros ou edição ponto a ponto. Resta ainda referir algumas características adicionais que contribuem para tornar o debug mais fácil e rápido. A interface destes novos osciloscópios tem 11 idiomas e todos os comandos e menus importantes estão acessíveis no painel frontal. Todas as posições e offsets podem ser restabelecidos pressionando simplesmente o botão correspondente. O botão V/Div permite alternar entre valores fixos e variáveis e o botão T/Div permite alternar entre modos de zoom. Os botões do painel frontal que abrem e fecham menus ou modos são retro-iluminados, o que

Gerador de ondas potente e flexível A LeCroy lançou a nova série de geradores de ondas WaveStation™, capazes de gerar sinais até 50 MHz, com écrã de 3,5 polegadas, painel frontal intuitivo, dois canais de saída em todos os modelos e software de edição de formas de onda para PC. Os novos modelos WaveStation™ estão disponíveis com larguras de banda de 10 MHz, 25 MHz e 50 MHz, e apresenta, sampling rate de 125 MS/s, resolução de 14 bit e memória de kpts por canal. Para além das funções básicas de seno, quadrado, rampa, impulso e ruído, inclui ainda mais de 40 formas de onda arbitrárias. O écrã policromático de 3,5 polegadas permite aos utilizadores prever facilmente o tipo de onda em função de vários parâmetros tais como frequência, amplitude, offset e fase. Os WaveStation proporcionam ainda uma variedade de esquemas de modulação, tais como AM, PM, FM, ASK, PSK, FSK e PWM, todas controláveis a partir do painel frontal. Incluem ainda todas as necessárias Nº 168 Junho

2012

ligações E/S para sincronização, bem como interfaces standard USB e GPIB para controlo remoto e automação. O software para PC fornecido com os WaveStation simplifica a criação e edição de formas de onda. Para além de todas as funcionalidades de criação, formatação com operadores matemáticos, filtros digitais, etc., este software também permite importar formas de onda captadas num osciloscópio LeCroy WaveAce, via USB, e recriá-las no WaveStation.

reviproject

faz com que o modo de operação seja claramente visível para o utilizador. A comercialização e suporte técnico dos instrumentos LeCroy são assegurados em Portugal pela empresa AresAgante.

Analisador para sistemas foto-voltaicos O novo Amprobe SOLAR-4000 é capaz de determinar os valores característicos reais dos módulos fotovoltaicos. Mede e regista as curvas de corrente-tensão, de corrente de curto-circuito, a tensão de circuito aberto, a tensão em vácuo, a radiação, a temperatura e o ângulo de inclinação. Assegura uma medida precisa em tempos curtos (13 a 40 segundos) e permite identificar os defeitos de rendimento dos módulos foto-voltaicos. Leve, simples de usar, graças ao display táctil e policromático, o SOLAR-4000 tem ampla gama de medida (1,0 a 1000V e 0,1 a 15,0 A), mede temperatura sem contacto, tem comunicação sem fios entre o analisador e o sensor, elabora e grava relatórios de medição/manutenção e dispõe de bateria com autonomia para várias horas de serviço. A comercialização é assegurada em Portugal pela empresa AresAgante (Porto).

índice

27


detecção e medida

Integridade e segurança do produto: a utilização dos sistemas de raios x e outras tecnologias no controlo da qualidade Parte 1 – Introdução aos sistemas de raios x Com este artigo, dividido em três partes, que poderão acompanhar nas próximas edições, pretende-se demonstrar a tecnologia de raios x como um ponto fulcral não só na área da saúde mas também nas mais diversas áreas. O artigo começa com uma introdução à radiação, mais focada na electromagnética, dando uma visão geral da geração de raios x e como a partir da utilização controlada dos mesmos é possível a geração de imagens com informações em profundidade. Depois é introduzida a questão dos detectores de raios x lineares e em matriz e a sua utilização na deteção de contaminantes nas mais variadas indústrias, com enfoco especial na indústria alimentar. O artigo termina com uma visão mais alargada das diferenças e complementaridades entre sistemas de raios x, detectores de metais e outros equipamentos. A radiação eletromagnética A radiação, um agente que transporta energia de um ponto para o outro, divide-se segundo a forma em duas classes: radiação corpuscular em que a energia é transmitida por partículas subatómicas (electrões, protões, neutrões, partículas alfa, etc.) e a radiação electromagnética, em que a energia é transmitida por ondas electromagnéticas. Da radiação electromagnética fazem parte as ondas rádio, a luz visível, as micro-ondas, os infra-vermelhos, a luz ultra-violeta, os raios gama e os raios x. As duas principais características destas radiações são: a sua propagação em linha recta no vácuo 28

índice

(quando não interagem com a matéria) e a sua capacidade para atravessar matéria (quando existe interação com a matéria, as radiações podem ser transmitidas, reflectidas, absorvidas ou espalhadas). A quantidade de matéria que a radiação é capaz de atravessar depende da composição da mesma e da energia da radiação. A geração controlada de raios x Os raios x derivam de electrões que desaceleram quando penetram num objecto. Para existir um maior controlo deste processo é utilizada uma ampola de raios x.

Ampola de raios x

Uma ampola de raios x é composta por um invólucro de alto vácuo, contendo um cátodo e um ânodo. Nesta ampola os electrões são gerados pelo cátodo e acelerados em direção ao ânodo. Os electrões são acelerados de forma a atingirem altas velocidades antes de atingirem o “alvo” (local do ânodo que sofre o impacto dos electrões). A energia total dos electrões é então convertida em fotões e calor. Da energia cinética total dos electrões, 99% é perdida sob a forma de calor e apenas 1% é convertida em raios X. Os raios x são produzidos quando os electrões atingem um ponto no alvo que é chamado de ponto focal. Quanto menor for este ponto focal, maior será a resolução do objecto na imagem resultante. Criação de imagens através dos raios x Quando os raios x penetram num

reviproject

objecto apesar de alguns interagirem com o mesmo, a maior parte dos raios atravessam-no e, quando atingem uma superfície sensível a raios x, geram uma imagem. Numa radiografia de raio x tradicional, um objecto é posicionado entre a fonte de raio x e uma superfície sensível (pelicula sensível que consegue Radiografia tradicional detectar a intensidade de raios x que, através de agentes químicos, cria imagens), na imagem resultante podem ser vistas zonas escuras e claras. Isto significa que zonas diferentes recebem diferentes intensidades de energia, as mais escuras receberam raios x com maior intensidade e as mais claras com menor intensidade. As imagens podem assim oferecer informações sobre dimensões, estrutura e composição do objecto penetrado. Nos últimos anos, graças ao desenvolvimento de várias tecnologias, uma possibilidade radicalmente inovadora tornou-se uma realidade técnica e economicamente viável para a visualização, gravação e transferência de imagens nas mais variadas indústrias: os detectores de raios x lineares e em matriz. A diferença entre eles está na forma da detecção dos raios x, que é feita de forma linear ou em matriz, este sinal analógico é depois convertido em digital para se obter uma série de valores que serão posteriormente representados nas imagens finais. Este processo inovador de criação de imagens a partir dos raios x, diverge do método tradicional na forNº 168

Junho

2012


detecção e medida ma, meios e na rapidez com que é realizado e processa-se da seguinte forma: o computador, parte integrante do sistema, indica ao gerador de raios x o nível de energia e frequência, e este por sua vez envia um sinal de alta voltagem à ampola de raios x, sinal que quando atinge o alvo (local do ânodo), resulta na emissão de raios x.

indicativo da quantidade de energia trazida pelos raios x.

Queijo de alta densidade

Queijo de baixa densidade

O que vai determinar esta quantidade são as características do objecto, quanto maior é a sua espessura ou densidade, menor será a energia trazida pelos raios x que chegam ao detector e consequentemente menor será o sinal enviado.

Contaminantes detectados em embalagem de amendoins

Neste processo, cada raio x atravessa o objecto e vai depois atingir os elementos sensíveis (chamados de CCD - charge-coupled device) do detector, que depois de atingidos, irão transmitir (através de um conversor analógico-digital) um valor

Nº 168 Junho

2012

imagem, isto é feito através de algoritmos que se baseiam na análise da fotometria (valor, contraste e gradação) dos pixéis da imagem.

Comprimidos embalados

Existem muitas questões a ter em conta no processamento das imagens resultantes destes sinais. O principal objectivo é detectar na imagem zonas que tenham densidade diferente do valor médio da

reviproject

Visualização da detecção de contaminante no ecrã de um sistema de raio x

Depois desta visão geral da definição de raio x e da operabilidade de um sistema de raios x, passaremos, na próxima edição da Reviproject, à questão da sua utilização prática, mais precisamente na deteção de contaminantes nas indústrias farmacêutica, alimentar e de bebidas. A EGITRON é parceira da SARTORIUS, que disponibiliza sistemas de inspecção por raio x, detectores de metais e sistemas de pesagem em contínuo. Para mais informações sobres estes ou outros equipamentos, ou sobre software para controlo da qualidade, contactar a EGITRON (info@egitron.com) ou visite a sua página web (www.egitron.pt).

índice

29


detecção e medida

Sensores Indutivos mais resistentes à corrosão

Contador de partículas

A Baumer está a lançar no mercado os novos sensores indutivos para montagem exterior IFRR (proximidade) e IWRR (medição de distâncias), conformes com a especificação mais exigente (C5-M) em matéria de resistência à corrosão. São por conseguinte indicados para instalações costeiras, navais e offshore. Os sensores indutivos digitais são utilizados para detectar posicionamentos e velocidade do rotor. Os sensores de medição são aplicados na monitorização dos travões e a deflexão do veio. A elevada resistência à corrosão é garantida pela qualidade do aço inox V4A e pela impermeabilização proTect+, que confere o grau de protecção IP 69K. A Baumer indica um tempo de vida médio superior a 100 anos, com baixa manutenção. Além disso, os novos sensores suportam temperaturas de funcionamento entre -40 e +70 ºC

30

índice

reviproject

A Fluke está a lançar no mercado um novo instrumento para contagem de partículas transportadas pelo ar. O Fluke 985 é o instrumento indicado para inspecção e controlo da qualidade do ar interior em edifícios e instalações de todo o tipo, incluindo salas limpas industriais. Dispõe de memória para grande quantidade de registos, capacidade para gerar gráficos de tendência e bateria de longa duração. Com este instrumento é possível planear e executar procedimentos de controlo da qualidade do ar e medir a eficiência dos filtros de ar. As funcionalidades e a portabilidade do Fluke 985 permitem executar os procedimentos de inspecção e controlo de forma mais rápida e fiável. Os dados registados pelo instrumento podem ser gravados ou exportados usando cabo USB ou Ethernet. A comercialização em Portugal é assegurada pela AresAgante (Porto).

Nº 168

Junho

2012


detecção e medida

Novo medidor de O medidor de vibrações Fluke 805 estabelece uma nova combinação entre facilidade de utilização e fiabilidade das medições. É um instrumento portátil e ergonómico que cabe num bolso e numa mão e que permite medir vibrações e outros parâmetros relevantes para a inspecção de condição, com visualização imediata em LCD e exportação via USB para Microsoft Excel. O operador só tem que encostar a ponta de medição, sendo auxiliado por sinalização luminosa para definir a pressão necessária para efectuar a medição. O design inovador do sensor minimiza as variações de medição provocadas pela inclinação do dispositivo ou por pressão de contacto. A escala simples de quatro níveis (bom, satisfatório, insatisfatório ou inaceitável) permite compreender facilmente os resultados. O medidor é compatível com a

Caudalímetros portáteis Os caudalímetros portáteis da série MB da Alicat Scientific (Tucson, Arizona, EUA) utilizam a alimentação com bateria de 9 volts (com 8 a 10 h de autonomia) para permitir uma medição de caudais de gás, ou caudal e pressão de água mais práticas e detectar perdas de caudal Nº 168 Junho

2012

generalidade das máquinas e faculta medição da vibração geral (frequências de 10 a 1000 Hz e de 4000 a 20 000 Hz) com unidades de medida de aceleração, velocidade e deslocamento. O factor de crista + oferece uma avaliação fiável dos rolamentos utilizando medições directas da ponta do sensor entre 4000 Hz e 20 000 Hz. O sensor de temperatura integrado amplia a qualidade do diagnóstico. A memória interna tem capacidade para 3500 medições. A exportação dos dados de vibração, temperatura e factor de crista para Excel permite efectuar análises de tendência. O Fluke 805 inclui ainda lanterna para uso em locais pouco iluminados e saída de áudio, para ouvir directamente o ruído do rolamento. Estão disposíveis vários acessórios, tais como acelerómetro e sensor externo para locais de difícil acesso.

ou pressão. Podem ser ligados à rede, operando a bateria com o reserva. Os medidores MB utilizam a tecnologia de pressão diferencial de fluxo laminar patenteada da Alicat, com fiabilidade e rapidez de resposta comprovada. São fornecidos précalibrados (rastreável NIST) para ar, hidrogénio, hélio, árgon, assim como para outros 16 gases e 10 misturas de gases.

reviproject

O factor de crista original é utilizado por analisadores de vibrações para identificar avarias nos rolamentos. Pode ser definido como a relação entre o valor de pico e o valor RMS de um sinal de vibração no domínio do tempo. Uma das principais limitações da utilização do factor de crista para identificar avarias nos rolamentos é o facto de o factor de crista não aumentar linearmente à medida que os rolamentos se desgastam. Na realidade, o factor de crista pode mesmo diminuir apesar de o rolamento se aproximar de uma avaria fatal devido a valores RMS elevados. Para superar esta limitação, a Fluke utiliza um algoritmo patenteado conhecido como factor de crista + (CF+). Os valores CF+ variam entre 1 e 16. À medida que o estado do rolamento piora, o valor CF+ aumenta. Para simplificar, a Fluke incluiu ainda uma escala com quatro níveis de gravidade que classifica o estado do rolamento como bom, satisfatório, insatisfatório ou inaceitável.

Para mais informação sobre este instrumento, clicar no ícone junto, ou contactar a AresAgante, representante em Portugal (clicar no ícone junto para enviar mensagem). índice

31


energia REV.SOL

KUDURA – the Rural Village Energy Hub Na Boa Vista, em Leiria, está a desenvolver-se um conceito cuja concretização poderá ajudar muitas aldeias das regiões mais pobres de África: o Rural Village Energy Hub. A empresa REV.SOL resulta da iniciativa de cinco investidores com experiência nas áreas das energias renováveis e das tecnologias da automação: José Vendeirinho, Mário Rodrigues (fundador e administrador da EST), Paulo Vendeirinho, Miguel Garcia e Vivian Vendeirinho. A ideia é criar uma unidade modular capaz de purificar água, produzir energia eléctrica com tecnologia solar fotovoltaica e produzir fertilizantes a partir de resíduos orgânicos: KUDURA - the Rural Village Energy Hub. Em muitas aldeias africanas, a possibilidade de substituir a iluminação a querosene por electricidade e as fogueiras tradicionais por biogás pode representar não só uma enorme melhoria da qualidade de vida mas também uma redução das emissões de CO2. A purificação da água, por seu turno poderá reduzir o impacto das doenças e a produção de fertilizantes naturais poderá melhorar a produção agrícola. A KUDURA será uma unidade modular contentorizada e de instalação fácil e rápida. Como inputs, terá apenas água, resíduos orgânicos e a radiação solar. No interior, será instalada uma unidade de produção

32

índice

foto-voltaica, uma unidade de conversão de resíduos orgânicos em biogás e fertilizante natural e uma unidade de purificação de água por ultrafiltração. A RVE.SOL conta com parceiros especialistas em cada uma destas áreas. No interior da KUDURA, todos os sistemas serão automáticos e controlados remotamente. O sistema de biogás terá capacidade para produzir 4000 litros por dia, com um teor de metano de 65%. Esta capacidade será suficiente para que 10 famílias possam cozinhar durante 3 horas (com fogões domésticos de 125 l/h). O biogás, devidamente depurado de elementos perigosos ou corrosivos é colocado em embalagens para distribuição aos utentes. O sub-produto do processo de digestão orgânica é utilizado como fertilizante. Graças a este sistema, as famílias africanas deixam de estar dependentes da lenha (4,8 toneladas de madeira ou 14 árvores por ano). A purificação de água é assegurada por um sistema de ultra-filtração forçada (da Seccua, Alemanha), com 16 m2 de área filtrante e capacidade até 1200 l/hora, com um acumulador interno de 1000 l com tratamento ultra-violeta. O sistema

reviproject

permite dispensar rapidamente (80 segundos) 5, 10, ou 20 litros de água. Uma só unidade KUDURA assegura a quantidade de água mínima (5 litros por dia e por pessoa, segundo a O.M.S.) a 200 pessoas (35 famílias). Os paineis foto-voltaicos captam 825Wp e carregam o conjunto de baterias. O inversor fornece electricidade AC para 20 residências, com o limite de 120 W por residência, necessários para duas lâmpadas fluorescentes compactas, carregamentos de telemóveis, um rádio e um receptor de TV. Todas as funções estarão ligadas a um sistema de supervisão e controlo central, com comunicação remota em tempo real via GPRS. O comando central emite os alertas e mensagens para as pessoas responsáveis pela venda de energia, pela manutenção, etc..

Nº 168

Junho

2012


energia

Geradores de Pilha de Hidrogénio para o mercado europeu A ClearEdge Power (Hillsboro, Oregon, EUA) vai fornecer geradores de pilha de combustível com uma potência total de 50 MW à Güssing Renewable Energy, empresa austríaca de energias renováveis. Os geradores serão repartidos por instalações residenciais e comerciais. É o maior contrato de sempre no mercado deste tipo de equipamentos, que produzem energia eléctrica a partir do hidrogénio extraído de gás natural ou biocombustíveis. O contrato aponta para um valor de 500 milhões de USD e estenter-se-á por vários anos, devendo atingir 15 MW em 2016 e 50 MW em 2020. A Güssing vai alimentar estes geradores com biogás produzido a partir de resíduos agrícolas e florestais. A ClearEdge foi fundada em 2003 para explorar o potencial da tecnologia da 'fuel cell', que se revelou competitiva nos Estados norte-americanos com a electricidade mais cara, como a Califórnia. Na Europa, os geradores de pilha de combustível são ainda mais competitivos. Na Áustria, as tarifas de electricidade nos períodos de pico são três ou quatro vezes superiores às tarifas da Califórnia. O contrato recente (anunciado em Janeiro de 2012) entre a Clear Edge e a Güssing envolve uma potência menor para a escala do mercado eléctrico convencional, mas é record na indústria da pilha de combustível. Actualmente, a ClearEdge fabrica geradores entre 5 kw e 200 kw e já instalou cerca de 125 unidades na Costa Leste dos Nº 168 Junho

2012

EUA e na Coreia do Sul. Na sequência do negócio da Áustria, a empresa norte-americana definiu uma estratégia comercial para a Europa, tendo como primeiro passo a presença na Feira de Hannover que decorreu de 23 a 27 de Abril.

temperature proton exchange membrane). Os geradores mais pequenos têm as dimensões de um frigorífico residencial e potência de 5 kW, mas são unidades escaláveis. Nestas unidades, o hidrogénio é retirado do gás por um processo electroquímico. Como o processo não envolve combustão, as emissões de CO2 são reduzidas em mais de 40%. Cada unidade ClearEdge5 gera anualmente 43,800 kWh de electricidade e 51,000 kWh (equivalente a 175 MM BTU/ano de calor) de energia térmica, o que perfaz um total de 94,900 kWh de energia/ano. Quando se utilizam as duas "saídas" - electricidade e calor - a eficiência do equipamento é na ordem dos 90% e a economia de custos de energia na ordem dos 50%.

O coração dos geradores da ClearEdge é uma pilha de combustível (fuel cell) do tipo HT PEM (high

O princípio de funcionamento dos geradores pode ver-se neste FILME.

Bateria mais eficiente Uma equipa de investigadores de Stanford desenvolveu uma bateria capaz de "sobreviver" a 40.000 ciclos de carga/descarga (cerca de 100 vezes mais que as baterias de lítio-ião) e manter 80% da sua capacidade inicial. A nova bateria baseia-se em nanopartículas cristalinas de hexacianoferrato, um composto de cobre. A estrutura atómica dos cristais tem uma configuração aberta que facilita o movimento dos iões sem danificar o eléctrodo. Para além de aumentar o tempo de vida útil da bateria, este "pormenor" torna o ciclo de carga muito mais rápido. As novas bateriais ainda necessitam de mais desenvolvimento. Os protótipos testados em laboratório são ainda demasiado volumosos.

reviproject

índice

33


energia

Eólicas offshore impulsionam indústria de pás Vários países estabeleceram objectivos para as energias renováveis, e as indústrias que produzem as torres eólicas têm que ajustar a sua capacidade de resposta. O tema esteve em foco durante a conferência sobre Fabricação de Pás para Turbinas Eólicas, que decorreu em Dezembro na Alemanha, com organização da AMI - Applied Market Information. O ministério do ambiente do Reino Unido anunciou planos para a instalação de mais 29 000 turbinas offshore e a Siemens Energy apresentou a sua mais recente turbina de 6 MW cujas hélices têm diâmetros de 120 e 154 metros. No mesmo mês, a Associação Americana da Energia Eólica (AWEA) reportou a instalação de mais de 1200 MW nos EUA no último trimestre de 2011, o melhor trimestre desde 2008. Um dos oradores da conferência foi Frank Virenfeldt Neilsen, CTO (Chief Technology Officer) da LM Windpower, uma empresa com 55 anos de experiência na formulação de compósitos e várias décadas de fabrico de pás para turbinas eólicas (na China e na Europa), incluindo as instaladas nas centrais Alpha Ventus (Alemanha), Vattenfall (Reino Unido), Thornton Bank (Bélgica) e Vindeby (Dinamarca). Actualmente, a empresa está a fabricar pás com 73,5 m de comprimento e 26 toneladas de peso. O peso continua a ser o factor limitante, incentivando os estudos de aerodinâmica, controlo de carga de design, para além da formulação dos materiais. Um protótipo de pá de fibra de poliéster leva cerca de 9 meses a desenvolver e os testes requerem mais 6 a 12 meses. A estrutura de custos de uma turbina eólica offshore mostra que o aerogerador e a união das pás representam 25%, a torre, os sistemas eléctricos e trabalhos de construção representam, cada um, cerca de 13% e as pás representam 11%. O desenvolvimento das pás pode também influenciar o custo de 34

índice

outros componentes, como demonstra o estudo efectuado por Christian Bak, da Universidade Técnica de Riso (Dinamarca), sobre eficiência aerodinâmica, intervalo entre pá e torre, carga, transporte e moldação. Neste estudo, utilizou-se como modelo a turbina de 5 MW do projecto EC Upwind. Ao reduzir o comprimento da pá em 16,7%, a carga exercida sobre outros componentes baixou 24% e as cargas de fadiga 16%. O design é o factor chave para o fabrico de eólicas de maior capacidade. A Dassault Systems da Alemanha fornece software de simulação de compósitos, com integração de aerodinâmica, análise estrutural, design e planeamento de fabrico. O Controlo da qualidade pode proporcionar grandes economias, como no caso da EADS Compositews Atlantic, que reduziu o "scrap rate" de 13% para zero. A Vestas, com 30 anos de experiência de desenvolvimento de aerogeradores, tem 44 mil unidades instaladas em 66 países e 6 continentes. O modelo V112 de 3 MW está bem estabelecido no segmento das turbinas offshore de baixa e média capacidade. A empresa tem fábricas de pás em 8 locais: Windsor e Brighton (Colorado, EUA), Lem (Dinamarca), Daimiel (Espanha), Taranto (Itália), Lauchhammer (Alemanha), Hohhot e Tianjin (China). Inicialmente, a Vestas fabricava as pás em poliéster; em 1991, mudou para as resinas epoxy e em 2012 começou a usar reforços com fibra de carbono. Este reforço permitiu aumentar 5 m no comprimento da pá sem aumentar o peso. As pás são desenhadas para terem o peso mínimo, para causarem o mais baixo ruído possível e para terem um tempo de vida útil de 20 anos. Um dos organismos de certificação para as fábricas de pás é a Germanischer Lloyd (GL) e várias autorida-

reviproject

des e seguradoras requerem este tipo de certificação aos fornecedores. As normas abrangem as instalações, os materiais, os processos e a qualificação das pessoas. Por exemplo, a oficina tem que manter a temperatura e a humidade dentro dos limites e as resinas utilizadas têm que ter parâmetros de molha e impregnação, resistência ao envelhecimento e cura entre 16 e 30°C, com um máximo de reforço de 12% em peso. Durante a conferência de Dezembro de 2011, foram colocadas numerosas questões sobre as recomendações IEC e os requisitos GL. O Instituto Fraunhofer IWES realiza testes de pás eólicas, incluindo os testes de fadiga que podem levar até um ano. Está a criar instalações para pás até 80 m. No final de 2010, foi implementado um ensaio biaxial combinando, por exemplo, carga vertical dinâmica com caixa horizontal quase estática. O movimento da pá foi monitorizado em diversos pontos e a cargas diferentes. O laboratório MERL (Materials Engineering Research Laboratory), por seu turno, investigou as causas e modos de delaminação dos materiais compósitos para prever o comportamento de fadiga. O objectivo destes estudos é naturalmente influenciar o design das pás eólicas. A Euros Entwicklungsgesellschaft Fuer Windkraftanlagen projecta e fabrica pás eólicas em duas fábricas situadas na Polónia (Ustron e ZoryWarszowice). A empresa tem o seu próprio programa de testes, realizados quer em modelos à escala, quer em modelos em tamanho real. A Universidade de Estugarda tem utilizado um método baseado em ultrassons para analisar a ligação entre as várias partes da pá. A Force Technology usa os ultrassons nos seus procedimentos de inspecção. O 'cart scanner' AMS-46 percorre toda a superfície da pá e detecta defeitos de laminação e de adesivo. Nº 168

Junho

2012


energia

A Bosch Rexroth Monitoring Systems (ex Igus ITS) desenvolveu um sistema de monitorização contínua das pás durante o seu funcionamento. São colocados acelerómetros nas pás para medir vibrações. Os sinais são transmitidos, convertidos e analisados. O espectro de frequência é afectado por defeitos físicos que ocorram nas pás. Estes sistemas são capazes de detectar a presença de 5 a 10 kg a mais numa pá de 2 MW. Este peso pode ser atingido facilmente com camadas de gelo, nem sempre visíveis a partir da superfície. Outro tema que esta indústria não pode ignorar é o destino das pás em fim de vida. Por volta do ano 2020, a Alemanha deverá ter cerca de 26 000 toneladas de pás usadas. Perante destinos finais como a pirólise, a incineração ou a deposição em aterro, a Holcim (Alemanha) defende o destroçamento para facilitar o transporte, a separação de metais para reciclagem, seguida da homogeneização para uso nas cimenteiras como combustível e como material. As cinzas das pás eólicas são integradas na matriz de clinker. No final de 2011, a Suzlon completou a aquisição da REpower Systems. A empresa está a espandir-se nas instalações offshore com as suas unidades de 5/6 MW fabricadas em Bremenhaven. No ano passado, foram instaladas 30 turbinas de 5 MW em Ormonde e estão previstas instalações em Nordsee Ost e Thornton Bank totalizando 290 MW. As novas pás têm um design complexo, tendo em conta as condições de carga, os efeitos ambientais (chuva, gelo, sal, temperatura). Por outro lado, a procura de pás de maior dimensão coloca desafios ao fabrico. Por exemplo, uma pá de 40 m pesa 7 toneladas e tem uma superfície total de 180 m2 e uma pá de 61,5 m pesa 22 toneladas e tem uma superfície de 470 m2. A automação é a solução óbvia para aumentar a eficiência e a qualidade. Nº 168 Junho

2012

As soluções encontradas pela indústria aerospacial afiguram-se demasiado lentas para o fabrico de pás. A IDP Sistemas y Aplicaciones tem um sistema robotizado para o acabamento das pás eólicas. Segundo a empresa, o tempo de acabamento de uma pá de 40 m pode passar de 100 para 10 horas. Existem vários sistemas de revestimento para as pás. A Re-Turn AS, uma empresa com experiência em revestimentos nauticos, especializou-se no desenvolvimento de revestimentos especiais que incluem nanotubos de carbono. Os novos gelcoats AMC (Advanced Marine Coatings) diminuem o atrito e permitem que os barcos naveguem mais depressa. A Re-Turn quer trazer esta vantagem para a indústria eólica. Por outro lado, os revestimentos são uma ajuda importante no que toca a estabilidade UV, resistência à erosão e à sujidade. A Zoltek estudou as possibilidades de utilizar compósitos de carbono nas pás eólicas, especialmente como forma de poder aumentar a dimensão sem aumentar o peso. Um dos exemplos reportados na conferência de 2011 salienta que a utilização de carbono numa pá de 57 m levou a uma redução de peso de 27% e a um aumento de 14 % dos custos, comparativamente a uma pá com fibra de vidro. Mas se o carbono for usado numa pá de 90 m, a comparação chega a custos praticamente iguais. A Huntsman Performance Products tem vindo a desenvolver novos sistemas de cura baseados em amina, procurando corresponder aos pedidos da indústria de produtos com maior duração e cura mais rápida. A Universidade Técnica de Atenas está a desenvolver um método de monitorização que usa sensores durante a infusão das resinas, para detectar o envelhecimento, as mudanças de viscosidade e o fim da cura.

reviproject

Os adesivos epoxídicos desempenharam um papel crítico durante décadas na fabricação de pás. A 3M produziu um novo tipo de adesivo de alta performance, que liberta menos energia, tem menor retracção e que mantem a força de ligação após 1000 horas de imersão numa variedade de solventes, com humidade e temperatura elevadas. A cura é mais rápida e o adesivo tem maior duração. Como materiais de enchimento para as pás têm sido utilizados materiais com elevada adesividade e baixo peso. Os mais comuns são a madeira e o PVC mas o aumento dos preços levou à utilização de alternativas como a cortiça e espumas de outros polímeros como o PET (polietileno tereftalato), o SAN (estireno acrilonitrilo), o XPS (poliextireno extrudido), o PMI (polimetacrilimida) e o PUR (poliuretano) reforçado com fibra de vidro. A CTC Engineering analisou as propriedades dos vários materiais, quer do ponto de vista do desempenho técnico, quer do ponto de vista económico. A comparação nem sempre é fácil. A próxima conferência dedicada ao fabrico de pás eólicas terá lugar em Dusseldorf nos dias 27 a 29 de Novembro de 2012. As propostas de comunicações são aceites até 25 de Maio (a enviar para Dr. Sally Humphreys, sh@amiplastics.com). índice

35


energia

Novo software consolida previsões de energia na Alemanha Para vender energia de fontes renováveis na EPEX (European Power Exchange), os operadores necessitam de previsões o mais fiáveis possível. A energia solar e eólica tem flutuações bruscas, o que torna essas previsões difíceis. Para tornar a tarefa menos difícil a TenneT TSO (operador alemão de transporte de energia) e uma equipa de investigadores do Instituto Fraunhofer (AST, de Ilmenau, Alemanha), desenvolveram o EMS-EDM PROPHET®, um software que elabora projecções de produção de energia a partir de dados e previsões de várias origens. A energia eólica armazenada pode mudar de escassas centenas de MW para 9000 MW em poucos dias. Com a energia solar, variações desta

36

índice

outras fontes renováveis (hidroeléctrica, biomassa, geotérmica, valorização orgânica). O software envolve uma sequência complexa de computação com cerca de 15 000 cálculos. Permite também actualizar as previsões de 15 em 15 minutos.

grandeza podem ocorrer em apenas algumas horas. Os serviços actuais de previsão da produção de energia baseiam-se nas previsões meteorológicas. Para obter o melhor resultado possível, o software usa as previsões meteorológicas de várias fontes, e combina-as com as previsões relativas a

reviproject

Actualmente, o software está a ser usado para o mercado spot para energia fotovoltaica, eólica, hidráulica e geotérmica. Prevê-se para breve a inclusão de outras fontes, como a biomassa. Os dados gerados pelo EMS-EDM PROPHET® também podem ser usados em websites e disponibilizados em serviços como www.eeg-kwk.net ou www.transparency.eex.com.

Nº 168

Junho

2012


energia

Carregadores de baterias

Transformadores de 60 kV para a EDP

A Carlo Gavazzi lançou, no início deste ano, uma nova gama de carregadores de baterias/acumuladores de chumbo-ácido, com dimensões compactas (apenas 55 mm de altura) e compatíveis o standard DIN para os armários eléctricos de residências e edifícios públicos. Baseados na tecnologia switch, os carregadores SMP5BC asseguram uma tensão de saída estável ao valor pré-estabelecido, mesmo quando os dispositivos não estão em carga. Destacam-se pela capacidade de maximizar o desempenho e a autonomia das baterias. A informação de estado é mostrada no painel frontal do carregador. Os novos carregadores têm entrada universal de 90~264VAC e protecção integrada de polaridade e curto-circuito.

A ABB vai fornecer à EDP, ao longo de 2012, oito dos nove transformadores de potência destinados a melhorar a fiabilidade e eficiência da sua rede de 60 kV. A encomenda à ABB inclui cinco transformadores de 60/10,5kV, 40MVA, que reforçarão a rede de 60kV de várias subestações na cidade de Lisboa, e três novas unidades 60/15,75kV, 31,5MVA, para a rede de Braga e Tunes, iguais às adquiridas em 2010. Os transformadores são fabricados em Monselice (Itália) e todos os serviços de montagem e suporte pós-venda são assegurados pela ABB Portugal.

Nº 168 Junho

2012

reviproject

índice

37


materiais

Bolsas elevadoras

Basculantes em Aço leve

Há mais de três décadas que as bolsas elevadoras fabricadas pela Trelleborg são usadas pelos serviços de segurança. Recentemente, a Trelleborg lançou uma gama especial destinada à utilização com rodas de tractores e máquinas agrícolas e florestais. As rodas desta máquina são particularmente pesadas e para as elevar são utilizadas bolsas de borracha natural reforçada com fibra aramid. Estão disponíveis oito tamanhos. As novas bolsas podem elevar cargas até 67 toneladas com ar comprimido a 8 bar, e com alturas entre 80 e 520 mm.

A Galtrailer (Rio Maior, Portugal) fabrica semi-reboques basculantes com aço leve de alto limite elástico fornecido pela SSAB. A mudança para o novo material e o projecto optimizado, com a colaboração da Universidade de Aveiro, permitiu uma redução do peso da tara em cerca de 3 toneladas, que equivale a uma economia de 14 mil euros/ano na utilização do semi-reboque. Depois da apresentação dos primeiros protótipos no mercado internacional, a Galtrailer está a responder a encomendas de vários países.

Jante termoplástica A subtituição das jantes metálicas dos automóveis por jantes termoplásticas pode ser uma questão de tempo. No Salão Automóvel de Frankfurt, realizado em Setembro do ano passado, a BASF apresentou uma jante totalmente fabricada em poliamida reforçada com fibras longas, um material vendido pela BASF com a designação Ultramid® Structure. A jante foi desenvolvida com utilização de ferramentas de simulação destinadas a optimizar o desempenho mecânico. Foram também realizados ensaios exaustivos de tolerância dimensional, ensaios de fadiga biaxial (ZWARP), ensaios de impacto radial, etc. O recurso aos materiais plásticos para o fabrico de jantes tem sido praticado sobretudo no desporto automóvel, utilizando plásticos termofixos. A solução respondeu aos requisitos técnicos, mas com custos de produção incompatíveis 38

índice

com a produção em grande escala e com pressão da indústria automóvel no sentido da redução de custos. A jante apresentada pela BASF é totalmente termoplástica e pode ser fabricada de forma fácil e económica pelo processo de injecção. O desenvolvimento da jante contou com a colaboração dos técnicos da Daimler.

A construção em aço leve permite obter peso semelhante aos basculantes de alumínio, mas com resistência mecânica superior.

A fabricação de jantes em plástico aumenta consideravelmente a liberdade de design e de coloração. A principal vantagem está na redução de peso. Cada jante em poliamida pesa apenas 6 kg, o que significa uma redução de peso na ordem dos 30 % comparativamente a uma jante de alumínio. A substituição do metal pelo plástico permite retirar 12 kg ao peso do automóvel, com a consequente redução do consumo de combustível e das emissões para a atmosfera.

reviproject

Nº 168

Junho

2012


materiais

Geradores de Azoto e Oxigénio com certificação ATEX A SysAdvance desenvolveu versões ATEX dos seus geradores de azoto e oxigénio, adequados para instalação em zonas com atmosfera explosiva. Os novos geradores têm classificação de Equipamento de categoria 3 com certificado para instalação em zona II. Com pureza até 99,999% no caso do Azoto e de 95% no caso do Oxigénio, os geradores cumprem todas as normas de segurança establecidas pelo Decreto-Lei nº 112/96. Aplicações: Refinarias e localizações com atmosferas potencialmente explosivas.

Nova matriz para compósitos Loctite MAX2 é uma nova resina matriz baseada em poliuretano destinada à produção de compósitos reforçados com fibras de carbono ou de vidro. Os compósitos reforçados estão a ganhar importância no sector automóvel, depois do êxito alcançado na construção aeronáutica, graças à redução de peso e ao desenvolvimento de novos métodos de produção, mais adequados para a produção em série, como é o caso do processo 'transfer molding'. A nova resina matriz da Henkel é uma alternativa que cura mais depressa que a resina epoxi. Graças à viscosidade mais baixa, a nova resina permite também uma melhor impregnação e uma menor tensão sobre as fibras na fase de injecção. Nº 168 Junho

2012

reviproject

índice

39


40

índice

reviproject

Nº 168

Junho

2012

REVIPROJECT 168  

revista de electricidade, mecatrónica, instrumentação, medida e automação