Issuu on Google+


15 Arquiteto www.revistacidade.com.br Setembro, 2005 Número 1

São Pedro da Aldeia

de Búzios participa da Bienal de São Paulo

Polo de distribuição atrai empresas à Região 9 dos Lagos

20 A luta pela vida Em menos de um ano mais de dez pacientes morreram na região, vítimas de câncer

Especial

Justiça do Rio prioriza gestão Fórum de Cabo Frio tem 32.583 13 processos Dez Perguntas

Guido Mantega “O pior já passou” 17 Petróleo

Bacia de Campos comemora 28 anos de 23 produção

45 Arquitetura

Desenvolvimento

de sonhos

Novo fôlego para o Rio

Concurso de esculturas de areia reúne 50 participantes na Praia do Forte

Seminário discute desenvolvimento para o Estado 30

Capa

24 Vereador Pedalão Ainda há esperança

5 Márcio Fortes “Até ano que vem, 1.700 municípios devem concluir o Plano Diretor”

Cabo Frio Nossa Praia

Cabo Free – II

Por Quê?

Passeata Gay vai agitar Cabo Frio33

Maryane Medeiros O chef e guardião Por que foram usadas da praia de telhas novas para a Zé Gonçalves 48

Turismo

Região dos Lagos no turismo geológico Inaugurações em Cabo Frio, Arraial e Búzios incentivam novo tipo de turismo 34

restauração do telhado do Convento de Nossa Esporte Senhora dos Anjos em Sacada de mestre 39 Cabo Frio entrou Cabo Frio? definitivamente Turismo Rural na rota do vôlei Um novo produto mundial e agita 40 projetos sociais turístico 46 CIDADE, Setembro de 2005

28 Cabo Frio entra na dança Capa: Vereador Ronivaldo Dias Porto - PSC (São Pedro da Aldeia/RJ). Foto de Jorge Martins.


T N E

RE

S VI

TA

Márcio Fortes de Almeida

“Até ano que vem, 1.700 municípios devem concluir o Plano Diretor” Walmor Freira m pleno domingo de sol no Rio de Janeiro, enquanto a maioria procurava praia, o carioca Márcio Fortes de Almeida foi visitar as favelas do Vidigal e da Rocinha. “É preciso o contato direto com a comunidade. Entender e ouvir o que eles precisam. A partir daí, planejar as ações”, disse o diplomata e advogado doutorado em direito público, Márcio Fortes que assumiu o Ministério das Cidades. Ele já foi também secretário-exe-cutivo dos ministérios da Agricultura, Pecu-ária e Abastecimento e de Minas e Energia, além de presidir a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O ministro recebeu a revista CIDADE durante um encontro com empresários brasileiros, estrangeiros e técnicos do governo do estado. O encontro foi promovido pela PriceWaterhouseCoopers, Associação Comercial do Rio de Janeiro, Câmara de Comércio Americana e Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças, IBEF.

E

79 milhões liberados para definir projetos do interesse do governo do Rio de Janeiro. O Sr., que acompanha de perto a área econômica, acha que a entrevista do ministro Pallocci vai acalmar o mercado? As declarações foram satisfatórias. O

ministro foi muito claro, direto e creio que terá convencido a todos da sua posição. A crise política influencia o trabalho do governo? Eu acho que no meu Ministério não interfere em absolutamente nada. Normalmente de 7h às 11 e meia da noite ficamos tocando projetos como já fazíamos com o Ministério de Indústria e Comercio. Nada nos abala. É como se nada tivesse acontecido. Os recursos estão disponíveis e vamos em frente. Walmor Freitas

MÁRCIO FORTES DE ALMEIDA Ministro das Cidades

Ministro, quais as prioridades para o Rio? Na minha área estou dando prioridade à fiscalização do Porto. Questões da Favela do Arará, que influi na logística do Porto, projetos de assentamento e regularização fundiária. Nós já estamos com recursos. O importante é que cada um possa ter o título de propriedade da sua terra, da sua casa. Vai começar em que região? Pretendemos fazer agora na área da Rocinha, do Vidigal. Domingo, eu passei a tarde visitando o Vidigal, para ver como a questão da titulação fundiária pode ser feita. Eles poderão também contar com a Associação de Cartórios para que possam fazer seus doumentos com um recurso mais baixo. Nessa última liberação de verba, do Presidente Lula, quanto foi para o Ministério? Foram R$ 79 milhões. Em princípio, estavam destinados à implementação de um projeto internacional. Mas pretendo ter os CIDADE, Setembro de 2005


EN

T

V E R

T IS

A Márcio Fortes de Almeida

Além do Aeroporto Santos Dumont, quais os outros projetos do Rio que ainda saem? Alguns projetos são complexos e seguem para o ano que vem. Na zona portuária, teremos melhorias no Porto do Rio de Janeiro, já mencionei o Arará. E o convênio que assinaremos com o prefeito César Maia diz respeito à revitalização da área portuária. É um projeto de mais fôlego, de mais prazo, mas que pretendemos poder começar rapidamente. Em termos de recursos, quanto que o Rio deverá receber? Quanto estava previsto e quanto deve vir? Mais de 200 milhões de reais estão previstos para vários projetos. Vários projetos a longo prazo em que os recursos são maiores, haja visto a questão do Arco Rodoviário e do Porto de Sepetiba. E as relações com a prefeitura do Rio ? Encaminharei, em seguida, ao Prefeito César Maia a minuta de um texto. Se ele estiver de acordo, poderemos assinar rapidamente. É o acordo guarda-chuva para várias iniciativas conjuntas entre Governo Federal e Governo Municipal. Já temos para a favela do Arará um convênio pronto, que seria Ministério dos Transportes, Ministério das Cidades e a Prefeitura. Isso vai resolver o problema da logística do Porto e o problema das famílias que ali estão morando rente à linha do trem. Ministro, o senhor disse que 1.700 municípios deverão ter o Plano Diretor até o final do ano que vem. No entanto, o Plano Diretor tem virado bandeira política nos municípios que estão distantes do Ministério das Cidades. Como o senhor pretende resolver isso? Eu acho que vou separar o político do técnico. Enfatizando a questão técnica, acho que temos que levar adiante um relacionamento com a prefeitura e a capacitação técnica dos dirigentes da prefeitura. E a política ? Se há algum envolvimento político, não é essa tônica que deve prevalecer. É preciso salientar que as soluções sejam de interesse dos municípios, pois é o melhor. O Ministério vai enviar alguns representantes para orientar essa instalação do Plano Diretor nos municípios menores? Faz parte do jogo. Que é discutir o Plano Diretor e enviar pessoas para capaci6

tarem os dirigentes para tratar do assunto. É assim que temos feito. Essa orientação já está em prática? Sim. É a que já está prevalecendo. Precisamos capacitar pessoas para discutir o que é necessário para implementar dentro dessa idéia de saneamento, habitação, mobilidade, a logística interna dos municípios.

Nós, do Ministério das Cidades, capacitamos os técnicos das prefeituras para implantar o Plano Diretor

Salvador e Rio de Janeiro estão reavaliando o Plano Diretor porque o Ministério Público não aprovou. Como o Ministério das Cidades pode resolver isso? Em cada caso, vamos atuar em função das recomendações do MP e, se houver necessidade de alguma adequação, faremos em comum acordo com as autoridades. O interesse maior é que a sociedade seja atendida dentro da legalidade. O Sr. disse, durante a palestra, que os movimentos sociais estão superando a parte técnica e política? Dentro do Conselho das Cidades existe uma participação da sociedade, através do poder público, poder federal, estadual, municipal, representantes patronais e empresariais, mas no conjunto a predominância é de movimentos sociais. Isso é bom ou ruim? Depende do enfoque que se dê. Há decisões que são de âmbito deliberativos e as de âmbito consultivos. Acho que sendo consultivo, toda sociedade participa, não há problema. Esse é o foco do Plano Diretor? Exatamente. Entendo que o consultivo é a tônica. Ou seja, o poder cabe ao prefeito. Mas nós podemos dar o tom consultivo para a instalação do Plano Diretor. É preciso muito diálogo? Acho que o diálogo é muito importante, acima de tudo. Nós podemos CIDADE, Setembro de 2005

disponibilizar recursos, mas a decisão última é claro que é do prefeito. A doutora Grazi disse que empresas privadas estão vendendo orientação de Plano Diretor. O Ministério das Cidades pode intervir nisso porque virou indústria vender Plano Diretor? Nós demos as diretrizes, capacitamos as prefeituras e elas montam o seu projeto. Agora, se a prefeitura sentir necessidade de contratação, isso é problema de cada prefeitura. Não está no nosso nível decidir. Fica a critério de cada cidade? Se achar algum problema em fazer uma licitação, nós damos orientação técnica, agora cabe à prefeitura decidir o que é necessário. Ela fará da melhor maneira, se ela achar que sua equipe não consegue completar o Plano Diretor, obviamente que ela vai recorrer a alguma contratação. Isso depende de cada prefeito. E o projeto para o setor de saneamento? O Projeto de Lei 5.296/05, que institui regras para o setor de saneamento, deverá ser aprovado até o fim do ano. Isso será possível, com a supressão de grande parte das 862 emendas encaminhadas, já que muitas delas têm o mesmo propósito.


A Comissão de Desenvolvimento Urbano pediu mais tempo para analisar o projeto? Exatamente. O pedido foi feito pela Comissão de Desenvolvimento Urbano, que quer mais tempo para analisar a proposta. A urgência será recolocada depois. Isso não vai atrasar o processo? O acordo para retirar a urgência constitucional do projeto vai permitir a sua discussão e agilizar a tramitação.

Estamos trabalhando para agilizar a liberação de recursos garantidos no orçamento da Pasta, mas que ainda não foram executados. O Conselho das Cidades tem novo coordenador? Sim, é o Elcione Macedo. O movimento dos delegados regionais está crescendo? A participação dos delegados nos en-

E as obras de metrô paralisadas? Pretendemos dar solução a obras de metrô paralisadas no país. Estamos discutindo o assunto com outros ministérios e órgãos do Governo para definir o andamento nas próximas semanas.

E os recursos da Pasta que ainda não foram liberados?

Qual a próxima reunião ? A próxima reunião estadual acontece no Acre, dia 30 de setembro. Até o final de outubro, todos os estados brasileiros sediarão reuniões similares, centradas em

Mais de 200 milhões de reais estão previstos para vários projetos no Rio, a longo prazo

A VI Conferência das Cidades discutiu alguns outros assuntos? Discutimos com o secretário nacional de Saneamento Ambiental, Abelardo de Oliveira Filho, o PL 5.296/05 durante o evento com parlamentares, prefeitos, especialistas em urbanismo e representantes da sociedade civil organizada. Estão em discussão, a política nacional de saneamento ambiental e a regularização fundiária de parcelamentos urbanos, com o objetivo de facilitar a tramitação de processos de loteamento suburbanos. E o Estatuto das Cidades vai sofrer alguma modificação? A conferência debateu também o Estatuto das Cidades, que fixou o prazo de cinco anos para a implantação de planos diretores nas cidades com mais de 20 mil habitantes, nas situadas em áreas de interesse turístico, submetidas a forte impacto ambiental e em regiões de mineração.

prioridades do Ministério das Cidades. No Amapá, por exemplo, apenas 6% dos moradores possuem saneamento básico. No Estado, a taxa de urbanização é de 89% e 95% do Produto Interno Bruto é gerado nas cidades. Por outro lado, há uma lacuna na produção de alimentos e grande parte dos produtos agrícolas provêem de estados vizinhos.

quatro temas principais: Participação e Controle Social; A Questão Federativa; Política Urbana Regional e Metropolitana e ainda Financiamento do Desenvolvimento Urbano. O Sr. tem visitado a Região dos Lagos? Vou sempre a Búzios. Eu deveria estar na Região dos Lagos na Conferência das Cidades que aconteceu em Iguaba. contros estaduais é importante para que as reais demandas das comunidades sejam resolvidas pelo Ministério. O norte continua sendo prioridade para o seu Ministério? A melhoria da qualidade de vida das populações do Norte do país está entre as

CIDADE, Setembro de 2005

O Sr. estava no Crea do Rio? Exatamente. Participei da Conferência das Cidades, no Rio. Dentro do Crea. Não podia estar presente em Iguaba, naquele momento, então eu pedi a dra. Grazi que estivesse lá no meu lugar. E a Grazi esteve lá. Eu fiquei aqui no Rio porque, por coincidência, era meu aniversário.

7


Francisco Damasceno franciscodamasceno@hotmail.com

Encontro com a imprensa

Vans Cezar Fernandes

A Secretaria Municipal de Transportes de Macaé conseguiu acabar de vez com as vans piratas circulando no município. Segundo o Secretário Fernando Magalhães, a circulação diária desses veículos, que era de 489 no início do ano, caiu para a média de 24 a 27 veículos autorizados.

Ambulantes

Carlos Eugênio da Ressurreição Gerente Geral da UB-BC Cezar Fernandes

Maurício Lara Professor da PUC-Minas

Com a participação especial do professor da PUCMinas, Maurício Lara e do Gerente-Geral da Unidade de Negócios da Bacia de Campos (UB-BC), Carlos Eugênio da Ressurreição (que assumiu a gerência geral em 13 de julho) a Comunicação Empresarial da Petro-bras promoveu no dia 17 de Agosto um simpático encontro com a Imprensa regional. O objetivo foi uma aproximação mais efetiva com os profissionais dos meios de comunicação dos 13 municípios da área de abrangência.da empresa Cezar Fernandes

Os vendedores de água de côco instalados na praia, em Macaé, já estão regularizados. No centro e na área da orla os ambulantes terão até o fim do mês para se adequarem às novas exigências.

Apreensão de animais A Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca da Prefeitura de Rio das Ostras reestruturou o serviço de apreensão de animais de grande porte, ampliando sua eficiência.

UFF em Rio das Ostras A convite do prefeito de Rio das Ostras, Carlos Augusto, o ministro da Educação, Fernando Haddad, esteve no município participando de uma oficina sobre educação, que reuniu Representantes de 53 cidades do Estado do Rio de Janeiro. Durante o encontro, o prefeito aproveitou para reafirmar ao ministro seu desejo de que a Universidade Federal Fluminense (UFF) permaneça em Rio das Ostras, além de solicitar a garantia de que a UFF continuará funcionando no município mesmo após o término do convênio firmado entre a Prefeitura e a Universidade.

Alto preço Parece até maldição. Depois que Macaé foi citada como o município com uma das melhores qualidades de vida e mercado de trabalho em ascensão, tudo mudou. E de mal a pior. A favelização crescente aumentou o noticiário nas páginas policiais.

Morar Feliz

Maria João e Helena do Rocio, da 95 FM

8

O programa Morar Feliz por R$ 1. do Governo do Estado vai entregar em outubro 129 unidades habitacionais. A entrega das casas será feita através da Companhia Estadual de Habitação.

CIDADE, Setembro de 2005

Rosemary Teixeira Secretária de Planejamento de Ria das Ostras


São Pedro da Aldeia Jorge Martins / Ascom SPA

Pólo de Distribuição atrai empresas à Região dos Lagos Da redação a contra-mão das incertezas políticas e de mercado, alguns empresários continuam apostando em investir na Região dos Lagos. A prova é o crescimento do Pólo de Distribuição, instalado no km 110 da Rodovia Amaral Peixoto, em São Pedro da Aldeia. Especialistas apontam o local como estratégico porque a cidade está no meio da Região dos Lagos, entre Saquarema e Macaé, o que significa um grande diferencial para as empresas, que diminuem seus custos, principalmente, com o transporte de cargas. O Pólo de Distribuição existe há pouco mais de um ano e já possui duas empresas em operação e outras seis em processo de instalação. Além de oferecer incentivos fiscais (isenção de IPTU, ISS e ISSQN) as empresas que vendem e distribuem seus produtos têm facilidade de acesso às rodovias que integram todas as cidades da região. As empresas, necessariamente, precisam ser distribuidoras, transportadoras ou de apoio logístico através da prestação de serviços, consultoria e elaboração de projetos. A centralização de empresas de um mesmo tipo – perfil do Pólo de Distribuição –

N

também traz inúmeras vantagens para o empresário. Há mais segurança e menores custos na concentração de atividades. Para se tornarem mais competitivas as empresas ainda terceirizam seus serviços umas com as outras – tecnicamente chamado de Arranjo Produtivo Local (APL). A empresa Armol se instalou há 8 meses no Pólo e já obteve bons resultados. “Geramos 30 empregos diretos e a tendência é crescermos junto com o Pólo, que tem tudo para dar certo, com mais empresas e infra-estrutura” – destaca Alessandro Mol, dono da Armol. Na parceria com o município, o comprometimento das empresas é pagar seus impostos, gerar empregos e construir o “galpão” em no máximo, um ano. A obrigação do município é fiscalizar, incentivar, orientar e criar leis específicas para atrair mais empresas. As vantagens para o município são o retorno financeiro, através de impostos; o repasse estadual e federal de verbas com o ICMS e com o Imposto de renda; além do desenvolvimento econômico e principalmente a geração de emprego e renda aos aldeenses. “Temos interesse de implantar novos pólos, melhorar as estradas para atrair mais empresas. Fazer do Pólo uma semente para outros crescimentos, sem esquecer CIDADE, Setembro de 2005

a questão do meio ambiente. Atuamos de maneira equilibrada ecologicamente, de forma a não prejudicar nosso principal produto, o turismo”. – observa Gilson Brandão, diretor da secretaria de desenvolvimento econômico de São Pedro da Aldeia. Brandão ainda diz que a realidade do Município vai mudar com o turismo. “Temos que investir em infra-estrutura e trazer dinheiro para o município. Sem dinheiro não se pode investir, educar, ter boas praias e boas estradas. O município para ser turístico deve ser limpo e educado. Então, estamos realizando projetos bem sucedidos, que possibilitarão melhorias para toda a população. Aumentando o poder aquisitivo e a renda da cidade, a indústria turística vai crescer também”.– conclui Brandão.

9


Geral

Quem atender pessoas carentes poderá ter dedução no IR

Cabo Frio Big Brother

Maria Clarice Dias

Walmor Freitas

O Projeto de Lei 5579/05, que tramita na Câmara, prevê a dedução de R$ 500 no Imposto de Renda de médicos, enfermeiros, dentistas e outros profissionais da área de saúde que prestem atendimento regular e gratuito a pessoas carentes. De autoria do deputado Ivo José (PT-MG), o texto determina que esses serviços sejam oferecidos em estabelecimentos de saúde, educação ou em entidades beneficentes. Para o deputado é preciso estimular a solidariedade “para amenizar, ao menos em parte, os efeitos do escasso atendimento público”.

Ivo José acredita que a renúncia de arrecadação por parte da União será compensada pela redução de gastos do SUS e pela diminuição das despesas do Poder Público com saúde.

Tramitação A proposta do deputado, que foi apensada ao PL 2426/96, está em análise na Comissão de Seguridade Social e Família. Depois, segue para as comissões de Finanças e Tributação; de Constituição e Justiça e de Cidadania; e, finalmente, para o Plenário. Fonte:Agência Câmara

A todo gás Gás natural chegará a 42 municípios fluminenses até 2008, incluindo Saquarema Até o fim de 2008, o Estado do Rio terá 42 municípios abastecidos com o gás natural. Os moradores de Angra dos Reis, Mangaratiba, Maricá e Saquarema serão os próximos beneficiados pela che-

gada do combustível, a partir de uma parceria entre o governo do estado, a CEG e a CEG-Rio. A iniciativa está garantindo infra-estrutura para impulsionar ainda mais o desenvolvimento econômico do estado, disse a governadora Rosinha Garotinho.

Dentro de 60 dias Cabo Frio será uma das cidades mais vigiadas do estado. Serão instaladas 74 câmeras nos principais pontos turísticos da cidade e em locais de maior movimento. A fibra ótica vai interligar todas as câmeras a uma central de operações que distribuirá as imagens em tempo real para a Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Guarda Municipal, Capitania dos Portos, Guarda Marítima e Ambiental e Guarda de Trânsito do município. A novidade é que além dos pontos centrais e turísticos, as câmeras Domus importadas dos Estados Unidos- também serão instaladas em bairros da periferia de Cabo Frio. -A região de trabalhadores e de comércio também será contemplada. Com isso os moradores vão sentir uma maior sensação de segurança? disse o Secretário de governo de Cabo Frio, Carlos Victor da Rocha Mendes. Segundo Mendes, a prefeitura destinou mais de um milhão para investimentos no projeto de segurança pública. Os pontos de instalação das câmeras estão sendo mantidos em sigilo. Entretanto o Secretário da Coordenação Geral de Segurança Pública do município, Claudio M o r e i r a , revela que apenas 40 câmeras deverão ficar à mostra. As demais serão instaladas em pontos estratégicos já mapeados por especialistas em segurança pública com ajuda da policia militar.

Treinamento de pessoal e tecnologia de ponta Para comandar o equipamento e as estratégias de segurança a prefeitura está investindo no treinamento dos 610 guardas municipais e contratando 16 técnicos em segurança que vão trabalhar na central de operações. Segundo Cláudio Moreira, todo o equipamento é de alta tecnologia e permite além da imagem, som e transmissão de dados pela rede. 10

CIDADE, Setembro de 2005


Márcio Fortes & Márcio Fortes O da esquerda empresário e Presidente da Fundação Bio Rio, o da direita, Ministro das Cidades. Amigos há 35 anos. Ascom / Iguaba

O Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio de Janeiro inaugurou novas instalações para o atendimento ao público. A revitalização do atendimento não significa apenas um espaço físico mais confortável. O Crea-rj também está reduzindo a quantidade de formulários, de informações solicitadas e exigênci-

as nos processos, como parte dessa mudança que objetiva dar mais agilidade e reduzir o tempo de atendimento. As novas instalações foram inauguradas no dia 01 de Setembro, quando também foi feita a assinatura da parceria Crea-RJ e Fundação Euclides da Cunha para a realização de cursos on-line, certificados pela Universidade Federal Fluminense - UFF, e o lançamento do 1º curso: “Como Fazer Educação Ambiental”.

Walmor Freitas

Melhorando o atendimento

Encontro de motociclistas na Praia do Popeye

Muita adrenalina, cerveja e Rock and Roll. Esses foram os ingredientes que agitaram a Praia do Popeye, em Iguaba Grande, no final de Agosto, quando foi realizado o 4º Encontro Nacional de Motociclistas. Nos quatro dias do evento os adeptos do motociclisno puderam ver de perto manobras arriscadas, um desfile das motos mais incrementadas do Rio de Janeiro, além de shows de rock as com bandas Big Bee, Jero e Banda, Segredo de Estado e Faixa Etária.

CIDADE, Setembro de 2005

11


Cartas www.revistacidade.com.br Publicação Mensal PapiPress Projetos Especiais Ltda CNPJ: 03.568.617/0001-04 Redação e Administração Praia das Palmeiras, nº 22 Palmeiras – Cabo Frio – RJ Tel/Fax: (22) 2647-1586 cidade@revistacidade.com.br

É sempre assim. A qualquer sinal de turbulência política no país, um grupo de especuladores ganha espaço na imprensa para agourar o presente e amaldiçoar o futuro. Felizmente, grande parte da fatia produtiva da nação continua firme em seu propósito de trabalhar e crescer. É nesse bloco de otimistas que nós, da CIDADE, nos encaixamos. Por isso, no meio dos escândalos políticos que não param de surgir, vislumbramos a oportunidade de produzir uma publicação que pratique um jornalismo dinâmico, informativo e de entretenimento. Mas que tenha, acima de tudo, uma relação de amizade e confiança com o leitor. Num mundo com informação em tempo real, cabe a CIDADE a função de aprofundar, analisar e entregar ao leitor a oportunidade de reflexão sobre o que pode afetar a sua vida de cidadão.

Niete Martinez Diretora

Diretora Responsável Niete Martinez niete@revistacidade.com.br

QUERO PARABENIZAR PELA INCIATIVA de fazer tão boa, inteligente e esmerada revista. E aí pensei, porque não enviar um emmail para a criadora do novo e ótimo informativo que surge de modo sui generis no universo dos meios de comunicação na região? Elísio Gomes Filho (Cabo Frio - Historiador)

Editor de Jornalismo Walmor Freitas walmorfreitas@revistacidade.com.br Colaboração Nesta Edição Sérgio Lopes Produção Gráfica Alexandre da Silva alecabofrio@oi.com.br

É UMA OBRIGAÇÃO CUMPRIMENTÁlos pela criação da necessária revista CIDADE. Desejo o máximo de sucesso e dentro de minhas limitações, sempre que possível, conte com minha colaboração.Sucesso total. J.Bruno Batalha Menescal ( Cabo Frio - Arquiteto e Urbanista)

Fotografias Walmor Freitas Cezar Fernandes Marconi Castro Colunista Francisco Damasceno Revisão Prof. Marco Antônio C. de Azevedo Departamento Comercial Praia das Plameiras, 22 - Cabo Frio. Tel: (22) 2647-1586 Impressão Ediouro Gráfica e Editora S.A Tiragem 15.000 exemplares. Distribuição Saquarema, Araruama, Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia, Cabo Frio, Arraial do Cabo, Búzios, Rio das Ostras, Casimiro de Abreu e Macaé. Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores.

ACHEI BEM LEGAL A REVISTA DE VOcês. A escolha dos temas, o projeto gráfico, a impressão. A revisão está bem cuidada (só achei um erro), as fotos são boas. Tem um visual alegre, um conteúdo que não é pesado e, ao mesmo tempo, toca em assuntos importantes. Realmente, há essa necessidade de integrar jornalisticamente a região. Parabéns e boa sorte! Miriam Danowski (Búzios - Arquiteta) PARABENIZANDO PELA INICIATIVA desejo que a “Cidade” tenha crescimento sustentável, vida longa e elevadas energias. Precisamos, de fato, de veículos com o compromisso da “...informação de maneira isenta e inteligente”. A matéria “Com vista para o...quiosque” é um bom exemplo da Búzios que não queremos: com vista para as construções em topo de morro, com vista para a natureza destruída, com vista para esgoto nas praias, com vista para o comércio ilegal, com vista para uma economia insustentável... com vista para a “crise de identidade”. Que a “Cidade” nos ajude neste enorme desafio. Boa sorte! Gabriel Gialluisi (Búzios - Ambientalista) CIDADE, Setembro de 2005

BONITA VISUALMENTE, BEM DIAGRAmada, e me pareceu neste número Zero, “Apolítica”, o que lhe dá condições de buscar nos batidores das notícias sempre os fatos como realmente são ou acontecem e não como normalmente convém aos políticos. Faço votos que o empresariado, especialmente o de Cabo Frio, junto à sociedade em um todo, saibam reconhecer o quanto é difícil colocar no mercado publicitário uma Revista deste gabarito. Um longo caminho pela frente é o que sinceramente lhe desejo. Tati Bueno (Cabo Frio - Jornalista e Membro da Academia Cabofriense de Letras) DESEJO PARABÉNS E MUITO SUCESSO pela iniciativa de fundar uma revista com o perfil da “Cidade”. Mais uma vez fica provado que nosso país é feito de gente empreendedora e corajosa como vocês. Roberto Aracri ( Búzios - Arquiteto)

Cartas para o Editor Praia das Palmeiras, 22 - Palmeiras Cabo Frio/RJ - Cep: 28.912-015 E-mail:cartas@revistacidade.com.br


Walmor Freitas

Novo Fórum de Cabo Frio inaugurado dia 26 de agosto

Especial

Justiça do Rio prioriza gestão Fórum de Cabo Frio tem 32.583 processos Da redação s números impressionam. O novo prédio do Fórum de Cabo Frio ocupa uma área de 11.108,21 metros quadrados, tem quatro andares e a obra durou um ano e três meses para ficar pronta. O Tribunal de Justiça investiu R$ 13,5 milhões. E o acervo já tem 32.583 processos. Mais de 150 funcionários trabalham no novo Fórum. Mesmo com um número tão grande de processos, o presidente do Tribunal de Justiça do Rio, desembargador Sergio Cavalieri Filho, e o corregedor-geral da Justiça, Manoel Carpena Amorim, garantiram que o importante não é número de processos, mas sim a agilidade que o TJ pode dar aos serviços prestados. “Trabalhamos com modelo de gestão empresarial. Acabou o tempo do ‘achismo’. Nossas ações são baseadas em estatísticas e planos de trabalho” disse Cavalieri. Segundo

O

ele, o TJ está investindo cerca de R$ 80 milhões para atualizar o sistema de informática o que permite a qualquer cidadão saber o andamento de um processo em qualquer parte do mundo. “Basta acessar o TJ através da Internet. Aliás, os advogados precisam usar mais as consultas on line para diminuir o atendimento no balcão. Senão, os funcionários não trabalham, ficam todo tempo no balcão” disse Cavalieri. Já o juiz diretor do Fórum de Cabo Frio, Valnio Franco Pacheco, ressaltou que o novo prédio, que vai atender à cidade por 30 anos, pertence a todos. “Aqui todos são iguais. Não há causa de maior ou menor importância, todas são importantes. Os mais humildes não devem temer a imponência desse fórum porque aqui ganhará a causa àquele que tiver mais direito”, disse. CIDADE, Setembro de 2005

13


Macaé

NEGÓCIOS

Projeto Acesso forma mais 87 trabalhadores ara aumentar o nível de escolaridade dos empregados até o ensino médio, visando não só o desempenho profissional, mas de sua qualidade de vida, a Petrobras criou em 1975 o Projeto Acesso. Em 2002, a proposta do Programa foi ampliada para atender a força de trabalho contratada da Unidade de Negócio da Bacia de Campos (UN-BC), que atuava em regime offshore, oferecendo gratuitamente a formação nos ensinos fundamental e médio. No dia 02 de setembro foi realizada a formatura de 87 contratados, no Clube Cidade do Sol, em Macaé. Segundo a coordenadora do Projeto Acesso Contratados da UN-BC, Maurizete Barrozo Winter, essa expansão foi feita em função da nova política contratual da Companhia que passou a exigir das empresas terceiri-zadas maior nível de escolaridade e qualificação de seus empregados. Depois de uma pesquisa foi constatado que as atividades de maior carência escolar estavam entre os trabalhadores dos setores de manutenção, construção e montagem, operação de guindaste, hotelaria e corrosão. Na primeira turma foram formados

Para consolidar definitivamente o Pólo de Moda Praia da nossa Região, a Prefeitura Municipal, o SEBRAE/ RJ e a Associação Comercial da Rua dos Biquinis estão programando a I Cabo Frio Fashion Beach para o período de 28 de setembro a 1 de outubro deste ano, na Praia do Forte. O evento já faz parte do calendário turístico da cidade e deve reunir uma média de 50 empresas de confecção. “Queremos criar uma grande vitrine para os produtos da região através da Cabo Frio Fashion Beach”, informa Sergio Tostes, gerente regional do Sebrae, um dos promotores da feira. “Para tanto, nosso planejamento compreende campanhas publicitárias, assessoria de imprensa e atividades voltadas para compradores, como desfiles e palestras técnicas, entre outras, além do apoio que pretendemos obter de empresas com interesses no setor de moda praia”. Para o Secretário de Indústria e Comércio de Cabo Frio, Ricardo Azevedo, “a feira deverá se tornar, em curto espaço de tempo, a principal ferramenta de divulgação de nossos produtos, além de estabelecer a região como criadora de moda praia diferenciada e com alto valor agregado”. O secretário lembra ainda que a região reflete, com muita propriedade, a beleza e sensualidade da mulher brasileira e procura imprimir estas características em suas coleções de moda, fato muito valorizado pelos compradores e consumidores internacionais. Walmor Freitas

P

37 contratados e agora mais 87 trabalhadores offshore serão formados. Maurizete disse ainda, que a grande finalidade da Petrobras foi mostrar para as outras empresas a importância da conscientização educacional, provando que aumento do nível de escolaridade dos seus empregados está proporcionando melhor qualidade de vida, aumento da auto-estima e empregabilidade. “Depois da ampliação do Projeto Acesso para a força de trabalho contratada algumas empresas passaram a investir na escolaridade de sua força de trabalho. A Petrobras foi a mola mestre deste processo”, disse Maurizete. Para acompanhar o regime do trabalho offshore o curso é oferecido na metodologia à distância com quatro pólos de monitoria para tirar as dúvidas e avaliar os estudantes. Esses pólos foram instalados em Macaé, Campos e nas plataformas de Carapeba 1/3 e 2. Nessas unidades marítimas, empregados e contratados voluntários, que tinham nível de escolaridade, foram capacitados pelo Centro de Ensino Tecnológico de Brasília (Ceteb) para exercerem a monitoria dessas unidades marítimas.

Cabo Frio Fashion Beach

Tostes: “Queremos criar uma grande vitrine para os produtos da região” 14

CIDADE, Setembro de 2005


Armação dos Búzios Da redação

Arquiteto de Búzios participa da Bienal de São Paulo

penas um arquiteto que mora e trabalha na Região dos Lagos foi selecionado para apresentar seus trabalhos na 6º Bienal Internacional de Arquitetura e Design de São Paulo. O trabalho de Roberto Aracri Júnior foi um dos selecionados entre os 194 que estarão representando todo o país na Exposição Geral de Arquitetos. Além de painéis fotográficos e desenhos, o arquiteto vai apresentar uma maquete que está sendo construída em São Paulo. “Estamos produzindo um documentário com todas as fases: do auxílio ao cliente em escolher o melhor terreno até o projeto de arquitetura de interior, passando pela execução da obra e do paisagismo. O evento será inaugurado no dia 22 de Outubro e vai até o dia 11 de Dezembro no Pavilhão do Parque Ibirapuera. O tema da bienal de 2005 é “Viver nas Cidades Arquitetura, Realidade e Utopia”. Os trabalhos e as consultas para definir o regulamento e os convidados para essa edição já foram iniciados pelos curadores, os arquitetos Gilberto Belleza e Pedro Cury, e o Conselho Consultivo, composto pelos arquitetos Elisabete França (IAB), Arnaldo Martino (IAB), Tito Livio Frascino, Miguel Pereira (Fundação Bienal), Fabio Magalhães (Fundação Bienal), Rubens Cunha Lima (Fundação Bienal), Haroldo Pinheiro (representante em Brasília), e Edson Elito (consultor dos Concurso de Estudantes). Participam ainda profissionais de mais dez países. México, Canadá, Alemanha, Holanda, Antioquia, Espanha, Inglaterra, Portugal, França e Itália. Divulgação

Divulgação

A

Casa na Praia da Ferradura projetada por Aracri Júnior

CIDADE, Setembro de 2005

O Arquiteto Robero Aracri Júnior participa da FOTODECORAÇÃO 2005 a partir de 1º de Setembro, no Lounge MAIS do BARRASOPPING. 15


Macaé

Macaé torna-se centro de referência nacional do setor offshore Sérgio Lopes Macaé vai sediar, de 13 a 15 de setembro, a segunda edição da Feira de Logística Offshore, que vai mostrar o potencial de negócios do município. Cerca de 100 empresas devem participar da feira. A expectativa dos organizadores é que cerca de seis mil pessoas visitem o local, sendo dois mil por dia, durante os três dias do evento.

Ascom / Macaé

M

Centro de Convenções de Macaé, espaço para a mercado offshore

16

Paralelo à feira, será realizada a II Conferência Nacional de Logística Offshore, onde os profissionais vão discutir as tendências do mercado. De acordo com o secretário de Indústria, Comércio, Desenvolvimento e Energia de Macaé, Alexandre Gurgel, o município já tem um grande evento institucional no mercado de petróleo, que é a feira Brasil Offshore realizada de dois em dois anos. “A Feira de Logística é o desdobramento desse grande evento, sendo este, um evento específico”, explica. Para o secretário, o fato de Macaé despertar interesse realizando um evento especializado com um congresso de altíssimo nível, com temas que são caminhos típicos de sucesso para as indústrias, já traz um grande benefício. Além da feira de logística, os empresários vão contar com um congresso internacional promovido e organizado pelo Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP). “Logística, infraestrutura, empresas de apoio e de serviços que garantam a operação, são decisivos para o estabelecimento ou não de uma empresa em uma determinada região”, garante Alexandre.

CIDADE, Setembro de 2005

Divulgação

Pesquisa

Karem Barbosa, Bióloga e Mestre em Ciência Ambiental A Bióloga Karem Barbora que já ganhou o II Prêmio EBAPE-FGV/ EMBRATUR/MINISTÉRIO DO TURISMO de Monografias, Estudos de caso e Reportagens do Setor de Turismo e Hotelaria com o Tema Turismo em Armação dos Búzios: Percepções Locais Sobre os Problemas da Cidade e Diretrizes Prioritárias de Apoio à Gestão Ambiental, volta a estudar a região. Sua tese para o doutorado vai analisar as relações entre as duas principais estratégias para desenvolvimento dos municípios confrontantes com a Bacia de Campos, que são o incentivo ao Turismo e a expansão das atividades ligadas à Exploração do Petróleo na bacia, observando os conflitos e convergências, de modo a gerar informações úteis para o planejamento de longo prazo da região que será estudada.


10 PERGUNTAS

Guido Mantega

“O pior já passou” Membro da Coordenação do Programa Econômico do PT nas eleições presidenciais de 1984, 1989 e 1998, é assessor econômico e amigo pessoal do presidente Luiz Inácio Lula da Silva desde 1993 e um dos coordenadores do Programa Econômico do PT na campanha de 2002. O economista Guido Mantega disse que está otimista com o crescimento do país e que nada afetará a economia. Walmor Freitas

1 - O Rio de Janeiro tem recebido verbas do banco? Só nos sete primeiros meses deste ano, o BNDES já liberou R$ 2,6 bilhões para o Estado do Rio. 2 - O BNDES vai liberar mais recursos? “Vamos liberar mais recursos este ano do que nos dois anteriores”, disse o presidente Guido Mantega, durante sua palestra de encerramento no seminário “A Força do Estado do Rio de Janeiro”, dia 22, no Jockey Club. 3 - Será uma parcela pequena? “O Rio tem a segunda maior participação nas liberações regionais do Banco em 2005.” 4 - Em que setor estão os investimentos? Entre os principais projetos, está a reativação do setor naval e de petróleo, que inclui o financiamento de US$ 760 milhões (já foram liberados R$ 250 milhões) para a construção das plataformas P-43 e P-48. Com a obrigatoriedade de um índice de nacionalização de 40%, que passou a vigorar no atual governo, já que antes as plataformas eram construídas no exterior. 5 - Vai gerar mais empregos? Há uma previsão de criação de 68 mil novos empregos, a maior parte gerada no Estado do Rio. Além disso, o BNDES financiará mais US$ 642 milhões para as plataformas P-51 e P-54, volume que ainda não consta das estatísticas de liberação do Banco. 6 - E fora da área naval? A participação do Banco na economia fluminense inclui financiamento à CEG, à Ampla (antiga Cerj) e à Light, na área de energia. O BNDES também aprovou a concessão de crédito para a ampliação da fábrica da Volkswagen Caminhões, em

GUIDO MANTEGA presidente do BNDES

7 - Existe verba para área cultural? Na área cultural, o Banco já desembolsou R$ 8 milhões para investimentos no Rio, em 2004. Em 2003, as liberações foram de R$ 1 milhão.Há, ainda, projetos em perspectiva, como o da revitalização do Porto do Rio e o da instalação da Companhia Siderúrgica Atlântica, em Santa Cruz, que demandará um aporte de recursos no Estado de US$ 2,5 bilhões. Os outros projetos relevantes são a expansão do Metrô carioca, a modernização da Av. Brasil, ampliação da rede de telefonia da Telemar e Oi e a construção de shoppings no Leblon e em Bangu. 8 - Presidente, e a economia geral e a inflação? A economia do País reúne, atualmente, condições excepcionais para a consolidação de um novo ciclo de desenvolvimento. A inflação está em queda e sob controle, a balança comercial vem gerando superávits recordes, depois de acumular déficits no início da década. Paralelamente, caiu a vulnerabilidade externa, o nível de investimento aumentou e a taxa de desemprego vem diminuindo nos últimos meses. Além disso, houve redução do endividamento público, melhora nas contas fiscais e avanços institucio-nais. “O PIB brasileiro deve crescer entre 3,5% e 4% e as taxas anualizadas para os próximos trimestres já são de 4%”. 9 - A crise no governo muda alguma coisa? Deixa apenas o mercado muito nervoso. Mas temos um crescimento sólido para suportar crise até o ano que vem.

Resende, para a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), e para projetos da Gerdau e da Cosigua no Estado. CIDADE, Setembro de 2005

10 - Depois das declarações do Ministro Palloci podemos esperar mais alguma bomba? Não. O pior já passou. Agora a coisa vai diminuir. Tanto que o mercado já estabilizou novamente. 17


Gente Com 22 anos de experiência na área de alimentos e bebidas, cabo-friense Francisco de Assis Marques Carvalho,53 anos, é um dos gerentes de restaurantes mais disputados da região. Trabalhava na confeitaria Branca e foi contratado para o Chico´s restaurante onde ficou pouco tempo. “Me chamaram com uma boa proposta e voltei para a Branca”, orgulha-se Francisco, com 22 anos de experiência em atendimento ao público. Para ele o segredo de um bom restaurante é a diversificação do cardápio e um sorriso no atendimento. “Principalmente aqui que já atendemos mais de 500 almoços num só dia”.

Frase

Bentinho, Inspiração em Manguinhos

Boa Idéia

Recado

A instalação de um cronômetro no senáforo do cruzamento da Av Júlia Kubitscheck com Alex Novelino, em Cabo Frio, é um conforto para os motoristas e acrescenta mais segurança para o trânsito. Tomara que a boa idéia se propague pelos demais cruzamentos da cidade.

O ex-prefeito de Cabo Frio, Alair Corrêa, encontrou uma maneira romântica de mandar um recado para seus eleitores cabo-frienses. Através de suas aparições em seu canal de TV, Alair aparece ao som da música de Milton Nascimento onde um dos versos diz “Seja o que vier, venha o que vier, qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar”.

18

“Assim, sob qualquer ângulo que se esteja situado para considerar esta questão, chega-se ao mesmo resultado execrável: o governo da imensa maioria das massas populares por uma minoria privilegiada. Esta minoria, porém, dizem os marxistas, compor-se-á de operários. Sim, com certeza, de antigos operários, mas que, tão logo se tornem governantes ou representantes do povo, cessarão de ser operários e pôr-se-ão a observar o mundo proletário de cima do Estado; não mais representarão o povo, mas a si mesmos e suas pretensões de governálo. Quem duvida disso não conhece a natureza humana...”

Joaquim Bento Ribeiro Dantas anda meio sumido. Explica-se. O cenário da praia de Manguinhos e seu belo pôr-do-sol tem servido de inspiração para Joaquim finalizar o livro sobre o Descobrimento do Brasil. Só que pelo pontos de vista do navegador, aliás a figura mais importnate da tripulação” diz Bentinho, como é conhecido. Enquanto o livro não sai Bentinho faz palestras em universidades e empresas.

(Escreveu o anarquista russo Mikhail Bakunin no século XIX)

CIDADE, Setembro de 2005


Elísio, ao timão da traineira Tenete Santos

Talento Cabo-friense O cantor cabo-friense Vinícius Santa Rosa voltou a se apresentar no restaurante Zeppelin, em Cabo Frio, com o show “Acústico Vinícius”, no dia 26 de agosto último. No repertório, canções do próprio Vinícius, como “Favela da Rocinha”, “Prá Chamar Sua Atenção”, “Seu Nome” e “Em Algum Lugar”. O público também ouviu clássicos como “Eu Te Amo”, “As Rosas não falam” e “Vila do Sossego” de Zé Ramalho, entre outras. Vinícius aproveitou o show para também fazer a gravação de seu DVD.

Fabrício, o melhor baterista Fabrício Araújo, da banda Faixa Etária, ganhou a medalha de melhor baterista do 1º Nova Schin Rock Festival, que reuniu 24 bandas de todo o estado no Bar do Blues, em São Gonçalo. A Faixa Etá-ria, que começou por Cabo Frio a trilhar na Estrada do Rock, passou por duas eliminatórias e foi escolhida a melhor banda do Festival. O grupo toca em dois encontros de motociclistas na Região dos Lagos; dia 27 em Iguaba Grande e dia 10 de setembro em São Pedro da Aldeia.

istoriador e amante do mar, Elísio Gomes Filho fundou o Museu Histórico Marítimo de Cabo Frio em H 1987, e o de Armação dos Búzios, em 2001. Os dois fecharam e em 2002 o acervo dos museus foi doado ao Museu Oceanográfico de Arraial do Cabo. Com três livros publicados, “Histórias de Célebres Naufrágios do Cabo Frio”(1993), “A Tragédia de Magdalena”(1995) e “Morte no Mar”(1997), Elísio foi convidado a colaborar com a revista portuguesa “Vega” - especializada em fatos e aventuras no mar, escrevendo sobre as aventuras dos portugueses nos mares brasileiro. O primeiro artigo será sobre a história do célebre seqüesto do transatlântico português Santa Maria. O fato ocorreu no início da década de 60, do século passado, e está intimamente ligado ao Brasil, em parte, porque os sequestradores obtiveram asilo político através do governo Jânio Quadros, então presidente do Brasil, quando o navio aportou em Recife.

Mudando os padrões De tanto mandar consertar seu computador Cintia Vianna Antunes, 18 anos, decidiu fazer um curso de informática. Aprendeu, gostou e passou a consertar sua própria máquina. Depois de um estágio na Agne Informática, em Cabo Frio, foi efetivada e se tornou a única menina da Região dos Lagos a discutir o idioma ‘informatiquês’ com total segurança. Nas horas vagas, a moça pega

a guitarra e se dedica ao rock internacional. “Estou montando uma banda com meu namorado” revela. 19


A LUTA PELA VID Em menos de um ano mais de dez pacientes morreram na região, vítimas de câncer Walmor Freitas os primeiros raios de luz do amanhecer, a desempregada Maria José Soares de Oliveira, 44, anos acorda, senta na cama, coça a cabeça e levanta com dificuldade. Sente dor. Olha a rua através da pequena janela do quarto e sabe que a luta pela vida vai começar outra vez. É preciso arrumar dinheiro para comer e

A 20

alimentar os três filhos pequenos que dormem na mesma cama. A história poderia ser a mesma de qualquer cidadão brasileiro que mora na periferia, mas a de Maria José é diferente. Ela é portadora de câncer há três anos. E aí, começa o drama de quem contraiu a doença. Na Região dos Lagos não existe CIDADE, Setembro de 2005

nenhum órgão conveniado com o SUS para dar atendimento especializado. Os pacientes precisam se deslocar para o Rio de Janeiro para receber tratamento. Em Cabo Frio, o Onksol, unidade do Hospital Santa Izabel, atende somente a moradores do município que passarem por triagem na secretaria municipal de saúde. O hospital atende também a particulares ou conveniados com planos de saúde. “Nossas instalações e equipamentos são os melhores e inspecionados por técnicos do Ministério da Saúde. Mas ainda não conseguimos o convênio com o SUS.


Saúde paciente que precisa fazer tratamento no Rio sofre muito. Com a assinatura do convênio com o SUS a vida de muita gente na região vai melhorar e a despesa vai diminuir. Poderíamos investir esse dinheiro em mais postos de atendimento às famílias”, disse. Em Arraial do Cabo, 23 pacientes viajam na Van da prefeitura para ser medicados no Hospital do Instituto Nacional do Câncer, INCA,no Rio. De São Pedro da Aldeia, 60 pacientes também precisam medicar-se na capital. A maioria usa transporte da prefeitura. Quem pode, vai por conta própria. As estimativas do INCA para 2005 apontam que o número 60.140 novos casos de câncer serão tratados no estado. (leia quadro)

IDA

Walmor Freitas

Doente, desempregada, sozinha e com filhos pequenos

Isso dificulta o atendimento”, lamenta o administrador Gustavo Machado. Funcionando há dois anos, o Onkosol já contabiliza cerca de 1.200 consultas realizadas. Atualmente 186 pessoas são atendidas na unidade, das quais 43 recebem atendimento semanal. De acordo com o Secretário de Saúde, médico Antonio Pedro Pires Jardim, a prefeitura desembolsa mensalmente entre 35 e 40 mil reais com atendimentos, medicamentos e transporte dos pacientes cabofrienses. “É um custo muito alto. Além disso o

Maria José, vive sozinha com os três filhos de 3,5,e 10 anos, no bairro Tangarás, periferia de Cabo Frio. “Meu marido quando soube que eu estava com câncer de útero, sumiu. Foi embora e já tem outra mulher” disse Maria José que têm grandes barreiras para conseguir um trabalho; está doente, não sabe ler e escrever e não tem com quem deixar as crianças. Ela e os filhos só se alimentam quando recebem cesta-básica de alguma doação. Á água é fornecida pela vizinha que abastece a sisterna. Na rua não há sistema de esgoto nem abastecimento de água. Cinco contas de luz estão atrasadas. “Acordo cedo e saio. Deixo as crianças dormindo sozinhas.O que vou fazer? Preciso dar café para elas” conta, sentada no chão enquanto as meninas brincam sem saber quando vão comer alguma coisa ou tomar algum remédio para gripe. Sheila Ferez,59 anos, carioca há 18 anos morando em Cabo Frio, é quem semanalmente leva alimentos doados para Maria José. “Faço parte do grupo Amigas da Mama e temos que dividir as doações para quem precisa” conta Sheila que venceu um câncer porque foi diagnosticado a tempo. Mesmo assim, se não fosse a ajuda da Prefeitura dificilmente teria conseguido a medicação. “Só o remédio, Xeloda 500mg, custa em torno de R$ 3.400. Como vou fazer?” questiona. CIDADE, Setembro de 2005

21


Saúde

Comissão aprova obrigatoriedade de crachás em hospitais

Grupo de apoio busca donativos O grupo “Amigas da Mama” de Cabo Frio, se tornou incansável na busca de doações que são repartidos entre àqueles que mais necessitam. Em todas as festas e eventos na cidade, o grupo tem permissão para montar a barraca do movimento e vender seus artesanatos. “A maioria das peças de artesanato é confeccionado por doentes. O dinheiro reverte em benefício deles mesmos’ explica Joelma Pereira Fidalgo, presidente da entidade. O grupo entregou ao prefeito Marquinho Mendes e ao senador Sérgio Cabral, um documento com mais de mil assinaturas detalhando o drama dos portadores de câncer na região. O prefeito de Cabo Frio disse, durante um discurso, que Sérgio Cabral havia se comprometido em tentar resolver com a governadora Rosinha a assinatura do convênio entre o Onkosol e o estado. “Só assim, o SUS pode repassar a verba

Para Manato, uso de crachá previne o furto de crianças recém-nascidas Voluntários trabalham na barraca

Gilberto Nascimento

para o Estado que repassa ao Município. Todos serão beneficiados”, diz o administrador do Onkosol, Gustavo Machado. Enquanto o convênio não é assinado. Doentes continuam jogando com a sorte para serem atendidos nos hospitais do Rio. As consultas chegam a demorar mais de seis meses. De acordo com as “Amigas da Mama” mais de dez pessoas já morreram no último ano, vítimas de câncer. Enquanto isso, Maria José, continua esperando por alimentos, roupas e dinheiro para pagar contas de luz, comprar gás e passagem de ônibus. “A empresa não quer me dar o cartão passe –livre. Querem um atestado do INCA que também não fornece” lamenta Maria. A consulta de Maria José no INCA, no Rio já está marcada e ela sonha com esse dia. “Será que vou arrumar dinheiro para viver até lá?”, pergunta. A consulta de Maria José está marcada para o dia 6 de janeiro de 2006.

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou na quarta-feira (17) o Projeto de Lei 1893/03, do deputado Vieira Reis (PMDB-RJ), que obriga todos os funcionários e prestadores de serviços de hospitais e clínicas a adotarem um cartão de identificação com nome e função. Também serão obrigados a portar o cartão aqueles que estiverem acompanhando ou visitando pacientes. O relator da proposta na comissão, deputado Manato (PDT-ES), acredita que a medida vá melhorar a relação entre os profissionais e os pacientes e seus familiares, além de promover maior segurança nos locais em questão. Na opinião do deputado, a identificação de quem transita pelos hospitais vai ajudar na prevenção de furtos de recém nascidos.

Fotografia O projeto previa também, em sua redação original, fotografia nos cartões de identificação, mas esse item foi retirado pela falta de recursos para implantá-la. O próprio relator apresentou uma emenda ao projeto, excluindo a necessidade de foto no cartão. A comissão aprovou também o parecer pela rejeição do PL 2456/03, que estava apensado ao PL 1893/03, de autoria do ex-deputado Rogério Silva. De acordo com Manato, a rejeição se deu pelo fato de o apensado ser mais restrito do que o texto aprovado. Tramitação - Os projetos, que tramitam em caráter conclusivo, serão analisados ainda pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Fonte:Agência Câmara

22

CIDADE, Setembro de 2005


Petróleo

Divulgação

Bacia de Campos comemora 28 anos de produção

Técnico trabalha em plataforma de petróleo em Macaé Da redação Bacia de Campos comemorou 28 anos de produção no dia 13 agosto. Em 1977 foi produzido o primeiro barril de petróleo no campo de Enchova. Este complexo que já proporcionou ao País o privilégio de receber por duas vezes o maior prêmio da indústria internacional do petróleo, é constituído, (só na Unidade de Negócio Bacia de Campos) por mais de 500 poços de óleo e 5 de gás não-associado, 34 plataformas de produção, 4.200 quilômetros de dutos submarinos, produção de cerca de 1.370.000 barris de óleo e cerca de 21,2 milhões de metros cúbicos de gás, representando cerca de 82,2% e 45,3% da produção nacional. Em barris equivalentes (BOE) a produção total de óleo e gás da Região atinge a marca de 1.493.561 barris por dia. O

A

último recorde de produção de óleo foi registrado no dia 23 de junho de 2005 com a produção de 1.536.487 mil barris/dia. Com os projetos em implantação, envolvendo investimentos de US$ 13 bilhões, estabelecidos no Plano Estratégico da Petrobras, a produção da Bacia de Campos, em 2010, deverá ser superior a 1.830.000 barris de óleo e 25,4 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. A contribuição da Petrobras para a região pode ser medida pelo impulso que suas atividades vêm proporcionando à economia, pelos diversos projetos sociais, educacionais, culturais, esportivos, ambientais e de infra-estrutura, conduzidos pela empresa, envolvendo, nos últimos anos R$ 25 milhões. Além disso, a empresa paga mensalmente impostos, royalties e participação especial que, somente em 2004, chegaram a cerca de R$ 350 milhões. CIDADE, Setembro de 2005

23


Capa

VEREADOR PEDA Num país que tem as campanhas eleitorais mais caras do mundo, operário se elege sem dinheiro, sem comícios e diz que o que vale é a confiança do povo no candidato Walmor Freitas

D

esde que o deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ) abriu a boca e revelou as maracutaias dos políticos em Brasília com o alto poder do PT, a sociedade brasileira começou a ter certeza do que já desconfiava; a propina, os favores, benesses e a gastança em campanhas são sempre financiadas pelo esquema de caixa dois. Jefferson deu a pista. “Todos mentem. Eu menti. Gastei muito mais do que declarei ao tribunal eleitoral. Todos fazem isso” disse o deputado-cantor durante entrevista no programa de Jô Soares. Em meio às denúncias de corrupção que envolvem parlamentares e governo, a sociedade civil se mostra indignada com as campanhas milionárias. “É preciso que o Tribunal de Justiça encontre uma forma de fiscalizar as campanhas” disse o senador Sérgio Cabral Filho (PMDB-RJ).

Ainda há esperança nos políticos Nesse cenário cinzento, surge um brasileiro que sustenta a bandeira que, para ser eleito, dinheiro só não basta. É preciso credibilidade. E aí, começa a vida do pintor cabofriense Ronivaldo Dias Porto,46 anos, eleito em 2004, vereador de São Pedro da Aldeia, Região dos Lagos, RJ. Ronivaldo, conta que, sem dinheiro, montou na sua bicicleta e pedalou de casa em casa pedindo votos e, principalmente, ouvindo os moradores do humilde bairro Porto do Carro, onde vive. “Os moradores decidiram que eu seria o vereador da comunidade. E deu certo. Pedi pouco voto” diz Ronivaldo que foi eleito com 919 votos- campeão do PSC- e ficou entre os mais votados da cidade. Ronivaldo declarou ao TSE que gastou apenas R$ 508,00. 24

O vereador garante também que dinheiro demais atrapalha a campanha. “Conheço candidato que vendeu casa, carro e gastou mais de 80 mil reais, não conseguiu se eleger e ainda ficou endividado. Na Região dos Lagos existem muitos” lamenta. O deputado Paulo Melo (PMDB-RJ) também concorda que dinheiro só não basta. Além do trabalho com a comunidade, o deputado de Saquarema acredita muito no fator sorte. “É preciso muita sorte. Dinheiro não ganha eleição. Se fosse assim o Ronaldo César Coelho, seria prefeito do Rio de Janeiro”, disse se referindo ao atual secretário de saúde da capital. Depois de cem dias de denúncias de pagamentos do mensalão, apelido dado ao dinheiro que o PT distribuiria para deputados do PP e do PL, depoimentos, CPIs e shows de caras-e-bocas dos políticos em frente às câmeras de televisão, grande parte da população brasileira começa a discutir se há uma saída para a crise política do país. Com incrível velocidade, os deputados aprontaram o texto para a reforma política que trata do prazo de filiações, fidelidade partidária, coligações eleitorais e financiamento público de campanhas. O assunto se arrastava na casa legislativa havia mais de dois anos. Mas ainda depende de aprovação.

Campanhas milionárias são pagas pelo caixa 2 Histórias de candidatos endividados que gastaram fortunas, perderam imóveis, carros e pediram dinheiro emprestado no sistema financeiro existem muitas na Região dos Lagos. Mas a atenção da sociedade é para os políticos eleitos. Quanto será que foram gastos nas campanhas? Nos valores que os candidatos a preCIDADE, Setembro de 2005


para conseguir a receita de um remédio, dinheiro para pagar conta de luz ou para comprar um butijão de gás. “Muita gente precisa de internação nos hospitais da região. Tenho que correr atrás” conta o parlamentar que só aparece na Câmara às terças e quintas, dias de sessão. “Trabalho todos os dias, de domingo a domingo na rua. Sempre fiz isso. Gosto de ajudar meus irmãos que precisam mais. Sou pobre e sei o que eles sofrem” diz o vereador que recebe R$ 3.816, de salário e tem apenas uma secretária que ganha R$ 430 e é paga pela Câmara de São Pedro da Aldeia. Ronivaldo, continua solteiro, não comprou carro e ainda usa a bicicleta para ajudar os moradores do bairro.

É preciso instrumento de fiscalização. Eu, por exemplo, declarei uma das campanhas mais caras, para deputado. Paulo Mello deputado (PMDB)

É preciso que o Tribunal de Justiça encontre uma forma de fiscalizar as campanhas Senador Sérgio Cabral Filho (PMDB-RJ).

CIDADE, CIDADE, Setembro Setembro de de 2005 2005

Divulgação

Jorge Martins

Divulgação

fez campanha sem gastar. E foi eleito. Como não se separa de sua bicicleta, ganhou o apelido de vereador Pedalão, alusão contrária aos políticos de Brasília acusados de receber o mensalão. Sem dinheiro, ele conta que tirava xerox dos santinhos (material de propaganda com número e foto do candidato) e entregava de casa em casa onde aproveitava para tomar água, bater um papo e dizer que se fosse eleito, trabalharia muito pela comunidade. “Se eu não fizer nada, eles não me elegem mais. E aí, tenho que mudar de cidade. Vou ficar com vergonha. Mas depende muito do prefeito”, diz. A rotina no gabinete do vereador Pedalão é a mesma de sua casa. Passa o tempo todo atendendo pessoas humildes que o procuram

Jorge martins

DALÃO

RONIV ALDO RONIVALDO

As campanhas estão virando mais disputas entre marqueteiros do que entre políticos e candidatos José Bonifácio, deputado (PDT)

” 25


Capa Bertoldi (PFL) foi a maior que a soma de todos os vereadores eleitos. Bertoldi disse ter gasto R$ 3,6 milhões para conseguir 58.514 votos na capital. Foi que maior prejuízo teve na campanha. Cada voto custou R$ 60,86. O dobro do estudo feito pelo PCdoB. “As campanhas políticas estão cada vez mais caras. Com produção de rádio,televisão e material de propaganda” diz o deputado estadual José Bonifácio (PDT) que defende o financiamento público das campanhas. “O dinheiro viria através de um fundo partidário. E teria que proibir a interferência do poder econômico” sugere. Paulo Mello, não concorda com financiamento público de campanha. “O político vai continuar pegando dinheiro por dentro e por fora. É preciso leis que sejam contundentes na punição” diz o deputado que acredita ter feito uma das campanhas mais caras para disputar uma vaga na Alerj. (veja quadro) O presidente da Assembléia Legislativa do Estado, Alerj, deputado Jorge Picciani, (PMDB, disse que os órgãos públicos precisam fiscalizar mais durante as campanhas. “O TRE e o TSE devem utilizar técnicos do Ministério Público, dos Tribunais de Contas do estado e da união, além de

O CUSTO DA ELEIÇÃO

auditorias para que as contas possam ser verificadas ao longo da campanha. Depois fica mais difícil’ disse.

Reforma política Financiamento público Entre as propostas da reforma política está o financiamento público das campanhas. O tesouro Nacional destinará recursos públicos para financiar as campanhas dos partidos políticos. É estimado para 2006 o valor de R$ 800 milhões, o que significa R$ 7 por cada eleitor.Quem receber doação ilegal pode ser cassado e a empresa que doar é proibida de fazer contrato com o poder público. Os partidos e as federações partidárias serão responsáveis pelas despesas eleitorais.

Fidelidade Partidária Proíbe a troca de partidos durante a legislatura.

Walmor Freitas

Divulgação

feito, vereadores e deputados enviaram ao Tribunal de Justiça dá para imaginar que Roberto Jefferson tem razão. Ninguém diz a verdade quanto se trata de verba de campanha. Em Cabo Frio, muitos candidatos a vereador gastaram mais de 100 mil na campanha de 2004. Vale o investimento. Eleito, a verba volta em pouco mais de um ano. Só para se ter uma idéia, um vereador em Cabo Frio recebe por mês em torno de R$ 4 mil. Em um ano, juntando o 13º salário, o parlamentar vai receber cerca de R$ 52 mil. Ao final do mandato de quatro anos, terá recebido mais de R$ 200 mil reais. Sai no lucro. Um estudo encomendado pelo PcdoB em 2002, aponta que o custo médio do voto nos grandes partidos fica na faixa dos R$ 30,00. “Isso significa que um candidato a deputado federal de um grande partido, que obtenha 100 mil votos, gasta em torno de 3 milhões de reais em sua eleição” calcula o advogado Ronald Freitas, secretário Nacional de Finanças do PCdoB. Em novembro de 2004, a jornalista Carol Bosi, fez um levantamento para saber quanto custou cada voto para vereador e prefeito de Curitiba, no Paraná. Chegou a conclusão que a campanha de Osmar

Todos mentem. Eu menti. Gastei muito mais do que declarei ao tribunal eleitoral. Todos fazem isso Roberto Jefferson, Deputado Federal (PTB-RJ)

Presidente

R$ 21 milhões Governador

R$ 2 milhões

O Brasil é o país do carnaval, do futebol e do caixa dois Otto Steiner, advogado, ex-diretor jurídico da Febraban (federação Brasileira dos Bancos)

Senador

R$ 814 mil Deputado

R$ 224 mil Fonte: Exame/TSE-Valor declarado em 2002

26

Como não existe controle, virou essa loucura. Quando houver maior controle, e que o dinheiro não jorre fácil, as campanhas serão mais pobres Jorge Picciani, presidente da Alerj

CIDADE, Setembro de 2005

Por que precisamos de produções milionárias se os candidatos já têm espaço na tevê Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira, presidente da Firjan


Ivo Saldanha condenado a seis anos de prisão Supremo mantém prisão de ex-prefeito de Cabo Frio (RJ) condenado por crime de responsabilidade O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo, indeferiu liminar no Habeas Corpus (HC) 86398, impetrado em favor do ex-prefeito de Cabo Frio (RJ) Ivo Ferreira Saldanha, contra decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que, anteriormente, havia negado pedido de liberdade ao ex-prefeito. Saldanha foi condenado por crime de responsabilidade pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro a seis anos de reclusão, em regime semi-aberto, por crime de responsabilidade. Com a decisão, fica mantida a prisão do ex-prefeito. De acordo com os advogados, a ação trata de fato que teria ocorrido, supostamente, durante a administração de Ivo Saldanha, há 14 anos, a partir de denúncia baseada em fiscalização do Tribunal de Contas da União.

CIDADE, CIDADE, Setembro Setembro de de 2005 2005

27


Fotos de Ana Paula Mello/Studio Original

Cabo Frio entra na dança

Festival de dança coloca a cidade na rota internacional de espetáculos para um público seleto Walmor Freitas

esforço da coreógrafa,bailarina e professora Márcia Sampaio em propagar a dança na Região dos La-

O 28

gos começa a dar resultados. No lançamento do I Festival Nacional de Dança de Cabo Frio, realizado na noiCIDADE, Setembro de 2005

te de 15 de agosto, o Teatro Municipal lotou e a apresentação foi impecável.


Durante as homenagens, Márcia chorou enquanto anunciava que do dia 7 até o dia 10 de setembro, Cabo Frio vai se transformar na capital da dança do país. “Agradeço à Prefeitura de Cabo Frio por acolher a dança com a intenção de fortalecer ainda mais o turismo na cidade”. O festival que vai distribuir R$ 12 mil em prêmios, será realizado no Ginásio Poliesportivo Aracy Machado e vai abrigar mais de 1.500 bailarinos vindos de várias partes do país. - Cabo Frio tem uma vocação turística e estamos buscando na cultura um entretenimento de valor e desenvolvimento para o turismo. Queremos enfocar a cultura, por isso estamos investindo na dança com a realização do festival – disse Gustavo Beranger, secretário de turismo. Entre as modalidades de dança estão o Clássico Repertório, Clássico Livre, Jazz, Sapateado, Moderno e Contemporâneo, Street Dance, Dança a Caráter (Afro, Espanhola, entre outras) e Dança de Salão. O festival será dividido nas categorias infantil (10 a 11 anos), Juvenil A (12 a 13 anos), Juvenil B (14 a 15 anos), Sênior (16 a 17 anos) e Avançado (18 anos em diante). Haverá também apresentação de bailarinos renomados, como Cecília Kerche, Victor Luís e Reginaldo de Oliveira, todos do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, além da bailarina Flávia Carlos. A explosão da dança na região também motivou a criançada a freqüentar escolas de dança que se multiplicam na cidade. A pequena Ana Vitória Ferreira de Freitas, 8 anos, já dança há um ano e adora assistir a espetáculos de dança. “Gosto de me apresentar no palco” diz ela que ficou encantada com a apresentação de “A Pequena Notável”, nome da coreografia apresentada pelo Centro de Dan-

Fotos de Ana Paula Mello/Studio Original

Dança

Corpo de Dança com alunos da Prof. Márcia Sampaio ça Rio, que poderia ser o nome da bailarina Amanda Azucena,de 12 anos. Além do secretário de Turismo, estiveram presentes ao evento, o secretário de Cultura, Milton Alencar Júnior, o subsecretário de Turismo, Décio Marco, a ex-bailari-

CIDADE, Setembro de 2005

na do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Vanda Garcia, Mariza Estrela, representante da Unesco no Brasil e presidente do Conselho Brasileiro de Dança e Lourdes Braga, presidente do Sindicato dos Profissionais de Dança do Estado do Rio de Janeiro.

29


Walmor Freitas

Desenvolvimento

Tito Riff, Sidney Levy, Guido Mantega e Luiz Paulo Conde compoem a mesa diretora do Seminario A Força do Rio II

NOVO FÔLEGO PARA O RIO Walmor Freitas s perspectivas são as melhores para o crescimento do estado do Rio. Os indicadores e liberações de verbas federais para o estado perdem apenas para São Paulo. “Liberamos verbas para a cidade do Rio e para o crescimento de todo o estado”, disse o economista Guido Mantega, presidente do BNDS durante palestra no fórum “A Força do Estado do Rio de Janeiro II” promovido pela PriceWaterhouseCoopers, no dia 22 de agosto. Durante cinco horas, técnicos, empresários e especialistas na área econômica mostraram uma lista de projetos relevantes para o Rio e fizeram um balanço da

A

30

atual situação econômica do estado. Todos estão otimistas. O diretor executivo do Rio Convention Bureau, Paulo Senise, apresentou sugestões técnicas para otimizar a construção de Centro de Convenções e torná-lo um centro de atrações. “Não basta apenas construir um Centro de Convenções. É preciso um estudo detalhado seguindo regras internacionais”, foi aplaudido. O evento, que aconteceu nos salões do Jockey Club, centro do Rio, discutiu formas de incrementar o crescimento econômico do estado e foi aberto pelo Ministro das Cidades, Márcio Fortes de Almeida. Participaram ainda, o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, Luiz Paulo Conde; o presidente da associação CIDADE, Setembro de 2005

Comercial do Rio de Janeiro, Olavo Monteiro de Carvalho; o presidente da Câmara Americana de Comércio, Sidney Levy; o deputado federal Francisco Dornelles (PPRJ); o vice-presidente do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças, IBEF; Márcio Fortes e o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Maurício Chacur.

33


Búzios ganha novo quartel

Arte dos Novos Tempos

Antes do início da alta temporada, Búzios deverá ganhar seu quartel. Os estudos de viabilidade econômica e ambiental já foram concluídos e o projeto encaminhado ao Departamento de Engenharia da Policia Militar para análise. De acordo com o tenente coronel Lima Castro, comandante do 25º PBM, com sede em Cabo Frio, o quartel de Búzios, que vai abrigar a 1º Cia de Policiamento, será construído em um ponto estratégico. Ficará ao lado da Delegacia Legal, no Trevo da Ferradura, que é a entrada do centro de Búzios. O projeto, que vai custar cerca de R$ 700 mil, prevê alojamentos para os policiais de plantão e até espaço reservado para o comandante receber familiares. Num terreno ao lado também deverá ficar um heliponto para facilitar as remoções em casos de emergências.

Cabo Frio abriga, agora, o ateliê do artista plástico e designer de Juiz de Fora/MG, Carlos Marcatti, que trouxe para a cidade seu trabalho único no mundo das artes. Marcatti começou a desenvolver sua arte em 1999, quando “entendeu que não poderia mais viver com a sensação de que seu corpo iria explodir”. Resolveu, então, largar tudo e se dedicar de corpo e alma à criação de suas obras. Para ele, “criar é a satisfação plena”. Seu ateliê é um local de plenitude, onde passa até 12 horas por dia, criando formas suaves e leves. “Levei 46 anos para descobrir que a arte estava contida em meu DNA”. Para Carlos “o homem pára de viver quando deixa de criar” O trabalho produzido pelo artista é inovador, e recebeu o nome de “A Arte dos Novos Tempos”, dado pelo Diretor do Museu Mariano Procópio, considerado o segundo melhor da América Latina.

CIDADE, Setembro de 2005

O ateliê do artista fica na rua Jorge Veiga n° 70, bairro Gamboa, Cabo Frio, telefone (22) 2647-7532. Todas as obras têm Certificado de Autenticidade

Gênesis, obra que se encontra em exposição no hall do Barra Pálace, no Rio de Janeiro.

31


CIDADE, Setembro de 2005


Duvulgação

Cabo Free – II

Integrantes do Cabo Free durante o movimento em 2004

Cabo Frio

Passeata Gay vai agitar Cabo Frio o rastro das bem-sucedidas passeatas GLS que arrastam multidões em diversas cidades do país, Cabo Frio entra definitivamente no calendário GLS com a segunda edição do Cabo Free. O evento que será realizado de 8 a 11 de setembro promete uma programação pra lá de agitada. Serão quatro dias de festas com shows, Djs e performances de transformistas. Depois da praia, gays, lésbicas e simpatizantes se reúnem no quiosque Navegantes, um dos pontos nobres da Praia do Forte . O auge será a Passeata Gay que percorrerá toda a orla da Praia do Forte em pleno sábado ao meio-dia. Segundo os organizadores, quatro trios elétricos vão animar a festa. Haverá também um trio de Juiz de Fora e um de Niterói. São esperadas cerca de 10 mil pessoas para a passeata. Mas o Cabo Free não é só ferveção. Três palestras estão programadas para o hotel Caribe onde serão discutidos problemas de racismo, discriminação e conscientização sobre AIDS e DST, doenças sexualmente transmissíveis. “Teremos especialistas renomados em cada área, como representantes do Programa Nacional Brasil Sem Homofobia”, explica Cláudio Lemos, presidente do Grupo CaboFree de Conscientização Homossexual-GLBT Lagos. A Universidade Veiga de Almeida –

N

UVA – Cabo Frio, parceira no evento, colocará alunos do curso de enfermagem distribuindo preservativos e folhetos de concientização. A UVA-Cabo Frio disponibilizará também alunos do curso de Turismo para que realizem uma nova pesquisa com moradores e turistas, pois, segundo Cláudio Lemos, com base em pesquisa anterior realizada em 2004, os dados apresentados foram altamente satisfatórios, mostrando que o evento é bem aceito pela sociedade da região.. Dos 2562 moradores entrevistados, 86% acham que o evento é importante para o crescimento da cidade. 75% disseram que não se incomandam com a cidade sendo conhecida como pólo do movimento GLS. Já 89% confirmam que assistiriam à Parada Gay na Praia do Forte. O estudo foi coordenado pelo pesquisador da UVA, Tiago Mororó. Duvulgação

Da redação

Claudio Lemos, Presidete do Grupo Cabo Free de Conscientização CIDADE, Setembro de 2005

33


Turismo

Região dos Lagos no turismo geológico Inaugurações em Cabo Frio, Arraial e Búzios incentivam novo tipo de turismo Walmor Freitas Arraial do Cabo recebeu a 36ª Placa do Projeto Caminhos Geológicos, contan-

do a história da evolução geológica da Ilha do Cabo Frio (Ilha do Farol), em Arraial do Cabo. É a manifestação mais jovem do vulcanismo (magmatismo alcalino) no su-

Mapa Geológico Detalhado do Forte Praia do Forte

Ortoanfibolitos (2 bilhões de anos) Sedimentos (Quaternário)

Forte São Mateus

Formação Barreiras (Terceário) Ortognaisses (2 bilhões de anos)

34

Oceano Atlântico CIDADE, Setembro de 2005

deste brasileiro, ocorrida há 52 milhões de anos. Com isso a Região dos Lagos começa a atrair um turista focado não só nas belezas das praias e montanhas, mas também na formação deste universo. Em agosto, por exemplo, Cabo Frio sediou o III Simpósio de Vulcanismo e Ambientes Associados. São Pedro da Aldeia e Búzios também já receberam placas do projeto. “Recebemos cientistas e estudiosos do mundo inteiro. Eles adoraram a região” disse o professor Flávio Erthal, presidente do departamento de recursos minerais, do governo do Estado. Em Cabo Frio outra placa foi inaugurada no Boulevard Canal, em frente ao ter-


minal Marítimo. O presidente Erthal ressaltou ainda que além dos estudos científicos, a rede escolar da região poderá programar passeios com alunos para conhecer as “placas” e aprofundar estudos sobre vulcanismo na região. “Todos saem ganhando com mais conhecimento” finalizou . Mais informações em www.drm.rj.gov.br. Estiveram nas cerimônias, representantes do Governo do Estado (Secretaria de Energia, DRM-RJ e Defesa Civil), da Prefeitura de Arraial do Cabo, do DNPM, do Instituto de Estudos do Mar da Marinha Brasileira, da SBG-RJ/ES e da Petrobras, patrocinadora da placa, além dos participantes do III Simpósio de Vulcanismo e Ambientes Associados e funcionários do DRM-RJ. Estiveram presentes também duas das autoras da placa (Susanna Sichel, do LAGEMAR/UFF e Eliane Guedes, do DRM-RJ), além da Coordenadora do Projeto, Kátia Mansur, do DRM-RJ e o Comandante David Canabarro, do IEMAPM, um dos colaboradores do painel. A terceira autora da placa é a geóloga Ana Lúcia Araújo, da Petrobras. Arraial do Cabo é o 13º município fluminense a receber o Projeto Caminhos Geológicos.

Mais turismo para o interior do Estado Da redação

Economia

ma boa notícia para o turismo das cidades fluminenses. Depois do encontro, realizado em 19 de maio, entre o presidente da Comissão de Turismo da Alerj, deputado Glauco Lopes (PSDB),o vice-prefeito do Rio, Otávio Leite (PSDB) e o prefeito de São Paulo, José Serra (PSDB), foi assinado, no dia 1º de agosto, um acordo que prevê a oferta de pacotes turísticos mais baratos entre as cidades do Rio e São Paulo durante os fins de semana. Os descontos serão de até 50% em relação aos dias úteis. Com a nova proposta, batizada de Super Weekend, cria-se uma grande expectativa sobre o crescimento do turismo nas cidades do interior do Estado. “O nosso objetivo é que estes turistas vindos de São Paulo para o Rio, conheçam também os nossos atrativos no interior. Este é o nosso grande desafio”, afirmou o presidente da Comissão de Turismo, Glauco Lopes. Com a assinatura do Super Wekeend um casal gastará em torno de R$ 800,00 na sua viagem, com direito a passagem aérea e hotel. Até o fim do ano poder-sea registrar um aumento de 20% de visitantes nas duas cidades.

Pelo menos 300 turistas estão sendo aguardados a cada fim de semana. O aumento no fluxo é um atrativo para a economia não só das capitais, mas também para as cidades do interior. “Sempre defendi a regionalização do turismo porque tenho certeza da capacidade turística das cidades fluminenses, exemplos disto são Búzios e Paraty que, depois do Rio de Janeiro, são as cidades mais visitadas pelos turistas estrangeiros. Temos que pensar que estamos em um Estado onde temos a serra de Macaé, o turismo religioso de São João da Barra e o turismo histórico de Cabo Frio, por exemplo”, defendeu Glauco Lopes.

U

CIDADE, Setembro de 2005

Super Wekeend em números Em São Paulo, participam da promoção 25 hotéis das redes Melliá, Othon, Matiz e Crowne. Dos turistas que visitam São Paulo 9,4% são cariocas. Já no Rio, 18 hotéis das rede Copa, Othon, Windsor, Melliá e Excelsior estão participando da promoção. Em relação aos turistas, 14,6% dos chegam à Cidade Maravilhosa são paulistas.

35


38

CIDADE, Setembro de 2005


Maryan e Medeiros

POR QUÊ?

?

POR QU QUE foram usadas telhas novas para a restauração do telhado do Convento de Nossa Senhora dos Anjos em Cabo Frio?

endo o patrimônio cultural de excepcional valor histórico e arquitetônico, monumento testemunho de um período histórico e do meio em que se encontra, as intervenções visando sua conservação ou restauração seguem princípios que visam resguardar os indícios de uma determinada época e hábitos de uma sociedade. A preservação destes monumentos dá-se através de ações de conservação e de restauração, cabendo aqui esclarecer a diferenciação entre estas duas disciplinas. Conservação: é ação de manutenção que implica no resguardo da escala arquitetônica e das técnicas construtivas, porém não necessariamente com reaproveitamento dos materiais. São proibidas as alterações na relação de volumetria e cor e a supressão de elementos artísticos integrantes ou sejam, esculturas, pinturas, elementos de adorno e decoração. Restauração: operação de caráter excepcional que revela valores estéticos e históricos de diversas épocas em um mesmo prédio, resgate este fundamentado em estudos históricos e arqueológicos e, priorizados em função de sua importância artística e/ou histórica. As reconstituições relevantes, inclusive para a nova função do prédio que está sendo restaurado, devem ser executadas em técnica construtiva atual como re-

S

Cabe aos órgãos de “preservação que possuem a tutela do bem tombado, orientar proprietários e usuários, que são os responsáveis diretos pela manutenção e serviços de conservação de seus imóveis...

Walmor Freitas

Convento de Nossa Senhora dos Anjos em Cabo Frio

gistro da época da intervenção que sofreu. O Convento de Nossa Senhora dos Anjos, em Cabo Frio, chegou à ruína pelo abandono e vandalismo e, na década de 80, após celebração de convênio entre o atual IPHAN e o Arcebispado de Niterói, passou por intervenção de restauro sendo recomposta a ala frontal do antigo Convento Franciscano, com a finalidade principal de nele ser instalado um museu dedicado às artes religiosas. Na última intervenção de conservação para correção das infiltrações das chuvas dos telhados do conjunto conventual, já não foi possível o aproveitamento das telhas mais antigas devido à necessidade de grande percentual de reposição de peças desgastadas, lembrando que estas não são eternas e nem todas originais. Ressalta-se ainda que as dimensões das telhas tipo colonial variam entre fabricantes e, nem sempre é viável o perfeito encaixe entre peças novas e usadas. A confecção de telhas “sob medida” é uma opção mais onerosa e também falível. Registramos que o importante nas intervenções de conservação e restauro é a CIDADE, Setembro de 2005

garantia da preservação dos valores intrínsecos da obra em reparo, a garantia de uma função útil do monumento à sociedade e o registro físico dos diversos momentos de sua história. Cabe aos órgãos de preservação que possuem a tutela do bem tombado, orientar proprietários e usuários, que são os responsáveis diretos pela manutenção e serviços de conservação de seus imóveis, nas obras que se fizerem necessárias para recuperação do monumento. MARYANE MEDEIROS é arquiteta com pós-graduação em Planejamento Urbano e Regional, servidora do IPHAN a partir de 1983 e, responde pelo Escritório Técnico II Cabo Frio/6a. SR/ IPHAN desde 1992. A atuação do Escritório Técnico estende-se por seis municípios da Região dos Lagos com atribuição de conduzir a ações de proteção, documentação e promoção do patrimônio cultural tombado na região.

39


Walmor Freitas

Turismo Rural

Um novo produto turístico Da redação Fazenda Campos Novos, segundo distrito de Cabo Frio, pode se tornar o novo produto turístico do município. Pelo menos é com esse objetivo que o secretário de Agricultura, Otime Cardoso dos Santos vem trabalhando. Segundo ele, a Fazenda pode atrair visitantes de um dia. “Mesmo aqueles que passam de viagem, poderiam usar um restaurante, descansar e ter contato direto com a vida na fazenda.Isso seria muito bom para Cabo Frio” disse. Timinho acredita que o empreendimento poderia gerar vários empregos para as pessoas que moram na área rural. Além de Timinho, secretários de agricultura e meio ambiente de outros 13 municípios também pensam em explorar o turismo rural como nova atividade na Região dos Lagos. Em São Pedro da Aldeia, a nova forma de turismo também foi identificada pelo Plano Diretor do município. Técnicos da UFRJ, apontaram que a atividade em hotéis-fazenda será um grande fator de desenvolvimento da cidade. O secretário de Cabo Frio disse que o prefeito Marquinho Mendes visitou a fazenda diversas vezes e já encomendou estudos nesse sentido. “O prefeito já almoçou na fazenda e gosta muito da idéia. Precisamos de investimentos” disse o secretário que trabalha com 30 operários, mas não tem telefone nem secretária. O trator que poderia ajudar os pequenos agricultores das redondezas está quebrado e sem previsão de consertos. O prédio também precisa de reformas. Apenas um guarda municipal trabalha na fazenda para cuidar do patrimônio tombado pelo IPHAN.

A

Fazenda Campos Novos, em Cabo Frio

CIDADE, Setembro de 2005


O Turismo Rural no Brasil, baseia-se em quatro conceitos: Incremento de Receita, Geração de Empregos , Preservação do Meio Ambiente e Preservação do Patrimônio Rural. O negócio evoluiu tanto que já existe a Associação Brasileira de Turismo Rural, com sede em São Paulo. A convite do IRCOD (Instituto Regional de Cooperação e Desenvolvimento de Alsácia) o Circuito Morro Grande de Turismo Rural de Araruama e o Circuito EcoRural de Rio das Ostras participaram, por ocasião das comemorações do ano do Brasil na França, de uma missão técnica de intercâmbio de turismo, em agosto. Apenas cinco municípios no Brasil tiveram esse privilégio, sendo os demais Cachoeiras de Macacu e Tanguá, no estado do Rio; e São Miguel do Iguaçu, no Paraná. Fizeram parte da missão os prefeitos Francisco Ribeiro (Araruama) e Carlos Augusto (Rio das Ostras), além de representantes das Associações de Turismo Rural, da Emater, do governo Estadual e Federal. A comitiva brasileira, recebida por agentes do poder público, da iniciativa privada e de organizações não-governamentais, além de captar informações também vivenciou experiências que deram certo, lá, para aplicá-las aqui. O Instituto promove o desenvolvimento e intercâmbio das associações do setor de turismo rural. Ao todo, 21 países estão ligados ao IRCOD buscando a sustentabilidade desse tipo de fatia do mercado turístico. Para se ter uma idéia, 80% dos 70 milhões de turistas anuais que visitam a França, procuram o meio rural depois da diversificação do produto e descentralização da atividade.

Meninas de Fé

Foto: Tatiana Grymberg

Turismo rural da região vai à França

Aline Grillo, Vivi Moreira Lima e Renata Cristiane comandam o programa O.B.servatório no Canal 10

Televisão

Novo programa feminino invade Cabo Frio

Walmor Freitas

O.

B.servatório ou simplesmente O.B. Toda quinta-feira as jornalistas Aline Grillo, Renata Cristiane e Viviane Lima, discutem temas da atualidade, debatem assuntos relevantes como cultura, comportamento, moda, política, sexo, eventos e tudo que gerar polêmica. A cada programa as meninas entrevistam uma personalidade interessante de Cabo Frio. Assim é O.B., o mais novo programa da Cabo Frio TV, Canal 10. Já

CIDADE, Setembro de 2005

passaram pela saraivada de perguntas obtusas, Arethuza Nogueira, Nilma de Oliveira e a radialista Andréa Maciel, a Maria Chuteira. O programa teve um retorno já esperado. Assinantes/espectadores ligaram na hora e fizeram intervenções. Esse era o objetivo. Como dizem as meninas, “é um programa inteligente feito por mulheres inteligentes para mulheres inteligentes”. Ah! Os homens devem assistir também.

41


Resumo Polícia Federal apreende documentos históricos Policiais federais da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra o Meio Ambiente e Patri-mônio Histórico (Delemaph) acompanhados de técnicos do Arquivo Nacional e de funcionários do Palácio do Itamaraty, apreenderam no final do mês, 18, fotografias antigas e documentos históricos que seriam comercializados num leilão de peças raras que se iniciava na Rua Frei Caneca nº 167, Centro. Os policiais constataram de imediato que, dentre as peças que iriam a leilão, havia documentos de propriedade do Instituto Rio Branco, inclusive documentos públicos produzidos e assinados pelo próprio Barão do Rio Branco. A Polícia Federal contará com a perícia de seu Setor TécnicoCientífico (Setec), e com a ajuda dos técnicos do Arquivo Nacional para analisar o material apreendido e verificar sua procedência. Nos

44

casos em que for comprovado que o material histórico pertence a acervo público, seu detentor poderá ser indiciado por crime de receptação.

Deputado inaugura terceiro escritório na região O deputado José Bonifácio (PDT) inaugurou, em São Pedro da Aldeia, seu terceiro escritório de representação na Região dos Lagos. Os outros dois ficam em Cabo Frio e Arraial do Cabo. Em seu discurso, Bonifácio ressaltou a importância histórica e econômica da Região dos Lagos, a necessidade de recuperação da Lagoa de Araruama e fez um breve histórico do seu mandato na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro.

R$ 300 milhões para Mobilidade Urbana. Prefeituras já podem pleitear recursos O Ministério das Cidades lançou o “Programa de Financiamento de Infraestrutura para Mobilidade Urbana”, que destina R$ 300 milhões para prefeituras executarem construção de terminais e abrigos de ônibus, ciclovias, calçadas, a reurbanização de áreas degradadas e obras de recuperação ou pavimentação de itinerários de transporte coletivo. Cada município pode tomar recursos equivalentes a duas vezes o valor de repasse da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE) no ano de 2004. A linha de financiamento está disponível para as cidades com mais de 100 mil habitantes e os recursos virão do Fundo de Amparo do Trabalhador (FAT). A prefeitura deverá entrar com contrapartida de 10% do

valor do projeto e poderá pagar em até 24 meses. A Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana estima que 238 municípios serão beneficiados com o programa. As prefeituras têm até 30 de novembro para encaminhar suas propostas.

Bancada do Rio vai levar ao governo pleito dos reitores Deputados Federais do Rio de Janeiro e o senador Saturnino Braga receberam na quarta-feira, 24/8, em Brasília, as solicitações dos reitores das quatro universidades federais do estado e do diretor geral do Cefet. Os reitores fazem, basicamente, três reivindicações: 1 - liberação da Emenda Parlamentar da bancada do Rio, de cerca de R$ 10 milhões, que já está no orçamento e que é destinada às cinco instituições federais de ensino superior do estado; 2 - liberação da Emenda Andifes, que é tradicionalmente distribuída a todas as instituições de ensino superior do país, segundo o porte de cada uma. Esta emenda, que teve seu valor reduzido, de R$ 90 milhões em 2004, para R$ 50 milhões em 2005, ainda não foi liberada neste ano. Os reitores pedem, além da liberação, a recomposição do valor desta emenda. 3 - Uma porcentagem maior do aumento previsto, para o custeio do ensino superior no próximo ano. O aumento de 7% foi considerado insuficiente pelos reitores, que pedem, pelo menos, 12%. Os deputados e o senador, presentes ao encontro, irão colher assinaturas de todos os

CIDADE, Setembro de 2005

demais deputados da bancada do Rio para levar o pleito aos Ministros do Planejamento e da Casa Civil, pressionando ainda o governo para que não haja o ameaçado corte de R$ 1,2 bilhão na verba do Ministério da Educação.

Casamento Comunitário em Casimiro de Abreu Se casar já é uma festa. Imagine mais de 20 casamentos realizados no mesmo instante e no mesmo lugar? Além da economia com a festança, os noivos só precisam gastar com a documentação para ser feliz. A iniciativa é da secretaria de Assistência Social de Casemiro de Abreu em parceria com o Lions Clube e a Fundação Leão XIII. O casamento comunitário será realizado no dia 13 de novembro no Recantus Clube. O objetivo é permitir que a comunidade que não tem condição de arcar com despesas de uma festa, possa ter um momento marcante, um registro, uma oficialização da união, com direito a padre, pastor e juiz de paz. Cada casal pode convidar até 20 pessoas, as quais vão poder desfrutar de um serviço de buffet completo, com tudo filmado e fotografado gratuitamente. A nutricionista Cristina Crispim, que faz parte da comissão organizadora do casamento comunitário, disse que as noivas vão ter direito também a uma produção de salão de beleza que faz parte do programa da prefeitura “Questão de Mulher”. No ano passado foi a primeira vez que a prefeitura realizou um casamento comunitário. Na ocasião, 20 casais se casaram.


Walmor Freitas

Cabo Frio

Maria Elizabete esculpindo o seu castelo

bosa, diretora de departamento cultural da Secretaria de turismo de Cabo Frio. Primeiro colocado na categoria adulto, o carioca Márcio Mizael Matols,33 anos, o Márcio Castelo, como o próprio nome diz, fez um belo castelo cheio de detalhes que, segundo ele, representou um “Passeio pela Arquitetura” nome dado à escultura. Torres, pirâmides, escadas e até rostos formavam o belo castelo esculpido pelo artista que costuma apresentar seus trabalhos na praia de Copacabana, no Rio. Em segundo lugar, na categoria adulto, ficou o escultor de Campos dos Goytacazes, José Xavier, que fez um aquário com baleia, tartarugas e outros seres marítimos. Em terceiro lugar ficou a escultora do Rio de Janeiro, Maria Elizabeth Pinheiro, com a escultura “Castelo Vicentino”. Nas categorias infantil e juvenil, os vencedores foram Patrick e Rick King, de Cabo Frio, com o tema “Fórmula 1” e Carlos Vinícius e Christopher Lima, também de Cabo Frio com o tema “Tartarugas”. Os vencedores receberam troféus feitos pela artista plástica Marina Vergara e prêmios em dinheiro.

Walmor Freitas

Arquitetura de sonhos Concurso de Esculturas de Areia reúne 50 participantes na Praia do Forte Da redação onhar e fazer castelos de areia é do homem. Usando apenas as mãos e a imaginação, a arte de esculpir objetos na areia tem a mesma idade do desenvolvimento humano. Cabo Frio, pela primeira vez, promove um concurso como forma de estimular a arte na areia e oferecer ao turista mais do que praia e sol. O evento reuniu mais de 50 escultores e atraiu centenas de banhistas que, no final, até torceram para alguns candidatos. As obras também se transformaram em cenário. Durante todo dia, crianças e adultos tiravam fotos ao lado das esculturas de areia. Entre os inscritos, estavam artistas de

S

Cabo Frio, Búzios, Campos, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Quem estava na praia curtindo o dia de sol não perdeu a oportunidade de ver castelos, animais e pessoas aos poucos ganharem vida e surgirem na areia pelas mãos dos artistas. “É uma opção para quem está na Região dos Lagos e uma atração para toda a família” diz a professora Fernanda BarCIDADE, Setembro de 2005

45


Sacada de mes Cabo Frio entrou definitivamente na rota do vôlei mundial e agita projetos sociais Da redação vitória do Brasil, que classificou a equipe feminina de vôlei para o mundial no Japão em 2006, serviu também para incluir Cabo Frio no circuito mundial do esporte. “Esse sempre foi nosso objetivo, por isso investimos R$ 4 milhões na construção do ginásio” disse o prefeito Marquinho Mendes que entregou a taça de campeã do torneio à capitã Walesquinha. O técnico do Brasil, José Roberto Guimarães disse que já havia visitado o giná-

A

CIDADE, Setembro de 2005

sio para conferir se tudo estava em ordem e ficou contente com o resultado. “Cabo Frio tem tudo para entrar firme no esporte. Não só no vôlei mas no basquete e futsal. O ginásio é muito bom. Uma pena que só caibam três mil pessoas. É pequeno para o vôlei masculino, por exemplo” disse. Os técnicos de Peru, Argentina, Uruguai e Equador também elogiaram a iniciativa da cidade em construir um ginásio moderno.


Esporte Vitória do Brasil com torcida empolgada

Walmor Freitas

Walmor Freitas

A torcida cabo-friense deu um show de paz e animação. Nenhuma briga foi registrada e os animadores ficaram satisfeitos em ver tanta harmonia nas arquibancadas. Depois de 10 anos de espera, a torcida brasileira finalmente pôde vibrar com a seleção feminina adulta em uma competição oficial. Mas valeu a saudade. O público foi recompensado em grande estilo. No Torneio Classificatório para o Mundial de 2006, que terminou no domingo (28.08), no ginásio Poliesportivo Municipal, em Cabo Frio (RJ), a equipe de José Roberto Guimarães venceu todos os adversário por 3 sets a 0, faturou o título, carimbou o passaporte para o Mundial do Japão e, de quebra, levou cinco dos sete prêmios individuais. A última vítima foi a Argentina, arrasada em apenas 1h08 de jogo, com parciais de 25/ 10, 25/20 e 25/22. O Peru, que venceu o Equador na primeira partida do dia também por 3 sets a 0 (25/11, 25/10 e 25/13), ficou com a medalha de prata e garantiu a segunda vaga para o Mundial. A Argentina terminou em terceiro.

stre

O próximo compromisso da seleção brasileira feminina é o Campeonato Sul-Americano, de 17 a 23 de setembro, em La Paz, na Bolívia. E além de chegar para este desafio com mais uma taça, a quarta da temporada (Torneio de Courmayeur, Montreux Volley Masters e Grand Prix), o Brasil levará na bagagem cinco prêmios individuais da competição. Jaqueline foi eleita a melhor jogadora; Marcelle, a melhor levantadora; Fabi foi a melhor na recepção; Carol Gattaz, no bloqueio; e Paula, no ataque. Robinet, da Argentina, foi a melhor na defesa e a peruana Chihuan, no saque.

Vôlei contagia a criançada

Walmor Freitas

O Torneio Classificatório para o Mundial, animou a criançada da Região dos Lagos. “O Viva Vôlei, projeto social da CBV, cadastrou mais de 260 crianças em apenas dois dias” disse o advogado cabofriense Alfredo Gonçalves, responsável pelo Núcleo do projeto em Cabo Frio. “Já joguei no colégio, mas treinar no Viva Vôlei sempre foi meu sonho” disse Érica de Oliveira Rodrigues, que já mede, 1,62m de altura com apenas 12 anos e disse ser fã da jogadora brasileira Paula Pequeno. A criançada se apresenta no dia 5 de setembro na quadra da praça Itajurú, centro da cidade. CIDADE, Setembro de 2005

47


O chef e guardião da praia de Zé Gonçalves Walmor Freitas úzios encanta em todos os sentidos, claro. Mas ouvir as histórias de cada personagem da península torna o balneário mais fascinante e atraente. Longe da badalação da internacional Rua das Pedras, a pequena praia de José Gonçalves, encravada dentro da Reserva da Apa do Pau Brasil, tem seu charme selvagem e... a barraca do Ranieri. Aí começa outra viagem, aliás duas; uma ouvindo o Ranieri Carlos Almeida,40 anos e outra pelos pratos que o barraqueiro prepara. A casquinha de Marisco é indescritível. Só provando. Foi o que fez o então companheiro Luiz Inácio Lula da Silva pouco antes da campanha que o levou à presidência do país. “O Lula comeu quatro porções, elogiou e disse que voltaria” orgulha-se Ranieri que aprendeu a receita trabalhando em um restaurante na cidade de São Sebastian, na Espanha onde viveu durante três anos. A lista de celebridades que visitam a

B

48

Walmor Freiras

Bar do Rainieri Praia José Gonçalves

praia de José Gonçalves só para comer a casquinha de Marisco inclui ainda os cantores Milton Nascimento, Toni Garrido (Cidade Negra) o tenista Guga e outros televisivos que Ranieri nem lembra o nome. “Tem gente que vem aqui porque a barraca é rústica, não há ambulantes e a praia tem ondas para surfar além de ser área de preservação ambiental” lembra. Foi o que encantou o turista francês Cyril que elogiou o lugar por manter a mata selvagem e ainda não ser invadida pelo comércio. “Aqui é lindo e tem que ser conservado” disse o visitante que prometeu voltar e

No inverno é hora do artesanato A barraca do Ranieri é diferente. Construída em sapê e madeira rústica colhida nas redondezas mostra também o lado artístico do barraqueiro-cozinheiroartesão. A obra mistura vidro e madeira revestida com técnica de pátina parecendo ferro velho. Na cozinha uma churrasqueira improvisada com tijolos serve para assar as anchovas servidas inteiras com aipim plantado ali perto, na comunidade. Toda a família de Ranieri trabalha. A mulher Rosilda Carvalho, os filhos e os parentes também trabalham na barraca ao lado. O quiosqueiro conta que foi fazendo o local aos poucos, juntando material usado, sobras de obras e muita criatividade. No inverno, com o fraco movimento pasCIDADE, Setembro de 2005

Nossa Praia provar o cardápio de frutos do mar que já ganhou generosos espaços em revistas internacionais como Marie Claire e publicações especializadas em turismo. “Nunca gastei um centavo em propaganda. Acho que minha comida é boa mesmo” diverte-se Ranieri que há dez anos não sai da praia. Ele confessa que nem vota e o mais longe que vai é para buscar gelo e fazer compras no mercado. “Aqui sou muito feliz. É o meu lugar. Cuido, limpo a praia, sou salva-vidas e vou fazendo amigos. Nem telefone tenho e nem quero. Moro num cartão postal. Já viajei muito” O carioca Cláudio Assumpção, 44 anos se considera amigo do barraqueiro há muitos anos e assim que consegue uma folga na Infraero, onde trabalha, escapa com a mulher Tereza Cristina para a praia de José Gonçalves. -Aqui a gente tem paz e descansa. Voltamos para o Rio renovados- avalia Tereza irmã do professor de natação Marcos Vinícius que há 15 anos mora e trabalha em Petrópolis. Viajar é uma das paixões do barraqueiro Ranieri. Aos 16 anos deixou Cabo Frio, botou uma mochila nas costas e o pé na estrada. Foi parar na Argentina, depois atravessou a América do Sul e chegou na Bolívia. “Aprendi muito. Como não existia dinheiro, trabalhava em qualquer coisa para comer e dormir. Viajava, claro, de carona” conta. sa o tempo criando esculturas em madeira e para viver vende casquinha de marisco para restaurantes do Rio e clientes vips. “Aprendi muito com um artesão na Espanha que trabalhava com cobre. Mas prefiro madeira. Uso galhos de árvores. E os clientes compram” anima-se posando para a foto ao lado dos pratos com duas esculturas que diz não vender por dinheiro nenhum. Não há espaço suficiente para contar as histórias e nem para descrever o cardápio de frutos do mar que inclui uma caldeirada servida em panela de barro para quatro pessoas. O bom mesmo é visitar os cem metros da Praia de José Gonçalves, admirar as pedras pretas, a vegetação selvagem as esculturas do Ranieri e esquecer de qualquer regime quando a fome apertar. Boa viagem.


Walmor Freiras

Música

Marcelo Santa Rosa e Mr. Clarke

‘Imagine’ caiu no samba Walmor Freitas abo Frio - Além de nós, brasileiros, alguns ingleses também acham que tudo pode resultar num bom samba. Foi o que passou pela cabeça do músico,cantor e professor inglês Richard Clarke,40 anos, que gravou a imortal Imagine, de John Lennon, usando cavaquinho, violão, percussão e clarinete. Mr. Clarke,

C

como se apresenta musicalmente, confessou ser apaixonado pelos diferentes ritmos do Brasil que conheceu através de sete viagens ao Rio de Janeiro nos últimos anos. Mr. Clarke, contou que a idéia de gravar a música de Lennon em diversos idiomas e ritmos surgiu em Nova York, onde mora com a namorada, a indiana Premilla Dixit,45 anos. Ela trabalha para a WILPF -Women´s International League for Peace Freedom- ligada a uma rádio pacifista (WBAI). “O objetivo é gravar Imagine como

fizemos no Brasil com o samba. Vamos também a África, Índia, Indonésia e países árabes. O dinheiro arrecadado com a venda de CDs será distribuído para crianças vítimas de guerra” explica o músico que, ainda em setembro, pretende levar o projeto a Yoko Ono, viúva do ex-Beatle. “Minha namorada já conversou com ela mas agora vamos levar o projeto para ser apreciado. Acho que Yoko vai gostar muito”. Em Cabo Frio, onde passou as férias, Mr. Clarke se trancou no estúdio Capitania do Som com o produtor Musical Marcelo Santa Rosa e os músicos Tody Ribeiro (violão), Daniel Porche (percussão), Celso Saculeja, (percussão), Sandro Guimarães (clarinete) e o cantor Vinicius Santa Rosa. Acompanhado pelo grupo em ritmo de samba-velha-guarda-da-lapa, Clarke cantou Imagine em inglês. Depois, com a mesma base, Vinicius Santa Rosa cantou em português. O cantor inglês, disse ainda que pretende gravar a música de Lennon cantando em português. “Isso vou decidir em Nova York. Ainda vamos gravar Imagine country e rock americano” disse o músico que gostou dos arranjos que deixaram Imagine como um samba cadenciado que cairia bem na voz da cantora Simone. Fica a sugestão.

Montar um conjunto musical parece não ser tão difícil. A prova é a multiplicação das bandas que surgem a todo instante nos quatro cantos do país. Em Cabo Frio não é diferente. Há pouco mais de um ano quatro adolescentes descobriram suas afinidades musicais e montaram a Banda Odete. O grupo, formado por Alexandre (Xublobis), vocal e guitarra, Otávio, guitarra, Daniel (Daniboy), baixo e vocal e Mateus Sá na bateria já têm até fã-clube. E não param de tocar em aniversários, festinhas dos colegas de colégio e em shows com conjuntos da região e do Rio de Janeiro. Tanto que o grupo organiza anualmente a festa “Fun Night”, considerado o maior evento de rock alternativo da região, que promove o encontro de vá-

Maurício Silveira

Odete é Banda

rias bandas alternativas. Claro, a internet também ajuda muito na divulgação das festas e shows. Todos integrantes da Odete compõem dentro do estilo hard-core melódico e já ensaiam para gravar o primeiro CD Demo. É esperar para ouvir. CIDADE, Setembro de 2005

49


Galeria

Carlos Lima Carlos Alberto Alves de Lima, nasceu em Mossoró (RN), em 14 de março de 1950. Transferiu-se com a família para Cabo Frio em 1957, onde começou a pintar, em 1973, incentivado por Carlos Scliar.



Setembro 2005