Issuu on Google+

informe especial

Q

Exemplos de sucesso

ue atire a primeira pedra a empresa que nunca passou por uma crise. Todas as companhias

A rede de supermercados Boa Vista, de Carazinho

já viveram ou ainda vão enfrentar turbulên-

(RS), foi uma companhia que pediu socorro em tempo.

cias. Porém, quando se trata de pequenas e médias,

Familiar, a empresa começou em 1994 pelas mãos de

dificuldades podem ser fatais. Por isso, é importante

Verno Leonhaedt e sua mãe. Onze anos após a largada, já

avaliar o tamanho do problema e pedir ajuda enquanto

tinham duas filiais, sendo uma em Palmeira das Missões,

ainda há tempo.

a cerca de 80 quilômetros de Carazinho, e investimentos

Para evitar que o pior aconteça, existem compa-

em postos de combustíveis. Em 2005, nasceu o projeto

nhias especializadas como a gaúcha Gestão do Valor

de construção de um hipermercado.

(www.gestaodovalor.com.br), do economista Elton

O investimento era alto e para tanto Leonhaedt buscou

Freitas. Formado pela Pontifícia Universidade Católica

financiamento junto a um banco. Antes do contrato assi-

do Rio Grande do Sul (PUCRS), Freitas traz na baga-

nado e de ter o dinheiro em mãos, os empreendedores

gem uma carreira de 32 anos em bancos globais como

tomaram as primeiras medidas para erguer a obra. Porém,

Citibank, ABN-AMRO Real e Santander – neste último

o financiamento atrasou mais de um ano e os proprietá-

chegou a ser responsável pela carteira de mais de 4

rios se viram obrigados a tirar dinheiro do fluxo de caixa.

mil médias empresas em todo o Brasil. O executivo

Foi então que a empresa começou a se endividar. “Nesse

também foi agraciado, em 2001, com o troféu Desta-

momento resolvemos procurar ajuda. Tenho convicção

que IBEF-RS, concedido pelo Instituto Brasileiro de

de que se não tivéssemos feito isso teríamos fechado a

Executivos de Finanças do Rio Grande do Sul.

empresa, pois a cada mês estávamos destruindo o nosso patrimônio”, conta Leonhaedt.

riência de sobra para ajudar as empresas que passam

A solução encontrada para a Rede Boa Vista foi recor-

por momentos de dificuldade. Além disso, conta com

rer à recuperação judicial, lei de 2005 que ainda é pouco

parceiros de peso, como especialistas em diagnóstico

conhecida pelo mercado. Em casos como esse, entra em

de problemas, consultores de diversas áreas e, o mais importante, investidores. Entre eles está Gerson Bidese e Mauro Fraga que, junto com Freitas, assumem a linha

Divulgação

Tânia Meinerz

Com esse extenso currículo, Freitas adquiriu expe-

de frente da empresa. Segundo o economista, as causas mais comuns para depreciação de uma empresa são a má gestão do capital de giro e os conflitos familiares. “Geralmente, o problema está latente, mas o empresário não quer ver. Quando percebe, tenta resolver sozinho. Mas a coragem de admitir que há algo errado é a peça-chave para o sucesso da recuperação”, garante Elton. Depois de contratada, a Gestão do Valor fica responsável por realizar o diagnóstico do problema – ouvindo todas as áreas da empresa –, apresentar um plano de solução e executá-lo, trazendo investidores para a companhia.

Hipermercado da Rede Boa Vista, de Verno Leonhaedt: “Temos a convicção de que se não tivéssemos feito isso teríamos que fechar a empresa”


Tânia Meinerz

“A coragem do empresário de admitir que há algo errado é a peça-chave para o sucesso da recuperação” Elton Freitas proprietário da Gestão do Valor

ação outro importante parceiro da empresa, Fabio Forti,

a ferramenta é necessária, como quando a empresa tem

advogado do escritório Forti e Valdivieso, de Curitiba (PR).

quatro vezes o endividamento em relação ao faturamento

A lei da Recuperação Judicial substitui a antiga lei da

mensal”, exemplifica. Entretanto, de nada adianta a recu-

concordata. “Muitas pessoas ainda associam as duas,

peração judicial se ela não for trabalhada com um bom

mas elas são completamente diferentes. No formato atual,

plano. “A estratégia antes da entrada com o pedido de

quem decide se a empresa é viável ou não são os próprios

recuperação representa 70% do sucesso”, calcula Fabio.

credores e não um juiz, como era antigamente”, explica

Hoje, apenas um ano após o pedido de recupera-

Forti. As empresas que solicitam a recuperação judicial

ção, a rede de supermercados Boa Vista saiu da beira

recebem uma espécie de “blindagem” de 180 dias, nos

da falência para uma estabilidade financeira. “A medida

quais têm de apresentar um plano de recuperação.

deu fôlego para a empresa, contratamos pessoal e hoje

Mas não são todos os casos que necessitam do recur-

contamos com 220 funcionários. O faturamento cresceu

so jurídico. “Existem indicadores que sinalizam quando

e houve até um incremento de vendas em pleno ano de

Marcelo Amaral

recuperação”, destaca Leonhaedt . O empresário avalia que o trabalho da consultoria foi decisivo. “Agora, os funcionários têm orgulho de trabalhar aqui e a sociedade enxerga o que fizemos como um projeto arrojado, inteligente, apropriado”, analisa. O mesmo aconteceu com a Local X, de São José, em Santa Catarina. A empresa nasceu em 2002, quando Fabio Forti, advogado especialista em Direito Empresarial: “O plano de recuperação representa 70% do sucesso do processo”

Fabian Teixeira e seu irmão, funcionários de uma distribuidora de informática, ficaram desempregados após o fechamento da companhia. “Pegamos o dinheiro que tínhamos e montamos a Local X, que vende componentes de computadores para revendedores. Com o mercado


informe especial

Os passos da recuperação A Gestão do Valor segue a metodologia criada por Naomi Sakuma, economista de São Paulo (SP) que tratou o assunto no seu trabalho de mestrado, defendido em 2003. Apesar de não ter lançado livro com o conteúdo, Sakuma

Jorge Cardoso, especialista em Recursos Humanos:

publicou um resumo de sua dissertação na revista da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), o que fez com que

“A crise pode ser

o estudo se espalhasse pelo Brasil e fosse

encarada como uma vários sentidos” em alta, a empresa cresceu rapidamente”, conta. Em 2009, porém, veio a crise internacional e a demanda caiu, os bancos reduziram o crédito e o faturamento da Local X chegou a cair 80% – de R$ 11 milhões por mês

Divulgação

oportunidade em

seguido por diversos consultores. Segundo o economista, o primeiro trabalho científico sobre o tema foi feito em 1976, nos Estados Unidos. No mesmo ano, Sakuma começou a sua pesquisa sobre o assunto. A partir dessa data, ele fez um apanhado dos seus estudos e desenvolveu um modelo próprio, o qual denominou de Processo de

para R$ 2,2 milhões. “No início de 2010, percebemos que,

Reestruturação. Hoje o consultor, sócio da

sozinhos, não teríamos força para fazer a reestruturação.

empresa CG Group (www.cggroup.com.br)

Por isso contratamos a consultoria”, relata, confessando

calcula já ter salvo cerca de 35 empresas com

que chegou a passar algumas noites sem dormir. “Depois

o método. “O grande segredo é não deixar

que a consultoria entrou, passamos a dividir os problemas

a companhia chegar ao fundo do poço. Os

e a pensar em conjunto nas soluções, o que nos deu mais

empresários demoram muito para pedir ajuda

tranquilidade”, lembra. Hoje a Local X está mês a mês

e apenas uma de cada quatro companhias em

recuperando o seu faturamento.

crise consegue se salvar”, alerta.

Ambos os casos foram coordenados por Aguinaldo Cordeiro, da empresa AALC Consulting, parceira da Gestão do Valor. “O importante é que o empresário busque

renovar as bases de ação”, sugere Jorge Cardoso,

ajuda e tome as decisões necessárias, por mais difícil

especialista em Recursos Humanos e outro parceiro de

que elas sejam”, afirma.

Elton Freitas. Para a companhia que quer dar um salto, a saída é investir em pessoas.

Depois da crise, hora do crescimento

Segundo Cardoso, após a crise, os funcionários

Uma crise também pode ser vista como oportunidade

precisam se sentir parte da solução e, acima de tudo,

de crescimento. Muitas empresas que saem da turbulên-

saber que novos cenários irão surgir. “Os líderes são

cia não querem estacionar e sim alavancar o crescimento.

peça-chave neste momento, pois aquele que espera

“A crise pode ser encarada como uma oportunidade em

demais para atuar normalmente demora para se recu-

vários sentidos como: reinventar, quebrar paradigmas,

perar”, argumenta.


Gestão do Valor