Page 1

Clipping do Varejo Shopping Center Varejo Fashion Constru莽茫o

M贸veis e Eletro Economia Internacional Mercado

Marcas Pr贸prias

Sustentabilidade

Canal Farma Marketing Mix

Super & Hiper

Tecnologia

E-Commerce


Caros Leitores Caros Leitores,

Nesta semana, damos boas vindas aos alunos das novas turmas de E-Commerce e de Shopper Marketing, programas de atualização oferecidos pelo Núcleo de Estudos e Negócios do Varejo, que acontecem três vezes ao ano, em fevereiro, maio e setembro. A todos eles, nossas boas vindas! A novidade é que teremos este ano, mais uma entrada para novos programas de atualização. Será em novembro e para começar bem, anunciamos em primeira mão, mais um tema inovador: - Retail Gifting: uma nova estratégia de comunicação e branding para o varejo. O gifting caracteriza-se como estudo que analisa, compara e desenvolve rituais e protocolos para a comunicação estratégica, auxilia as empresas a encontrarem métodos e consequentemente soluções inovadoras para os seus desafios de inovação na comunicação de PDV. Liderado pela Profa. Marina Pechlivanis, mestre em comunicação pela Espm e sócia da agência Umbigo do Mundo, seu trabalho é reconhecido por diversas empresas e será então tema deste novo programa, oferecido a partir de novembro. Acompanhe em nosso site os detalhes sobre o conteúdo, datas e condições para inscrições. Boa leitura! Ricardo Pastore Ricardo Pastore, Prof. Msc

Coordenador do Núcleo de Estudos e Negócios do Varejo - ESPM


Super & Hiper Supermercados sacolinhas

de

SP

garantem que vão manter as

A determinação da Justiça que obriga os supermercados de São Paulo a oferecer sacolas plásticas aos consumidores termina neste sábado. A partir de domingo, os estabelecimentos não precisam mais distribuir sacolinhas gratuitamente. Mas, de acordo a Associação Paulista de Supermercados (Apas), os estabelecimentos devem continuar distribuindo as sacolas até que se chegue “a um acordo equilibrado e definitivo, que concilie a preservação ambiental e a melhoria da qualidade de vida nas cidades com uma mudança gradual para hábitos mais sustentáveis de uso das sacolas plásticas”. A Apas mantém negociações com a Associação Civil SOS Consumidor e com o Ministério Público. De acordo decisão da Justiça, os supermercados estão liberados para cobrar até R$ 0,59 por sacola a partir de domingo. Segundo a determinação do desembargador Torres de Carvalho, do Tribunal de Justiça (STJ) de São Paulo, as sacolas não poderão apresentar logomarcas ou propagandas. A medida é valida até 15 de abril de 2013. Também por meio de nota, a SOS Consumidor afirma que está recorrendo

da decisão junto ao STJ e considera “abusiva a cobrança de qualquer valor pelas sacolas utilizadas para transportar compras, pois o preço delas já está embutido no preço das mercadorias”. Além disso, a associação critica a medida por não deixar claro o que ocorre depois de 15 de abril do ano que vem. (Terra – 14/09/2012)


Mercado Índia permite entrada de supermercados estrangeiros no país O governo da Índia decidiu nesta sextafeira permitir que redes de supermercados estrangeiras atuem no multimilionário mercado do país. A medida possibilitará que gigantes do setor, como a americana Walmart e a britânica Tesco, estabeleçam associações com empresas locais e vendam diretamente aos consumidores indianos. A proposta foi anunciada pela primeira vez há um ano, mas o governo recuou diante de protestos da base aliada.

Os críticos da iniciativa argumentavam que os supermercados estrangeiros destruiriam milhares de pequenas empresas que sobrevivem do comércio na Índia. O anúncio ocorre enquanto o governo indiano enfrenta reivindicações de reverter um recente aumento do preço dos combustíveis no setor energético do país, que recebe grandes subvenções estatais. (BBC Brasil – 14/09/2012)


Mercado Compradoras de luxo preferem marca nacional As marcas nacionais de luxo são mais lembradas que as concorrentes internacionais. Os dados são do Instituto Qualibest e integram uma pesquisa sobre o perfil do consumo de luxo em levantamento feito pela La Clé, rede virtual que reúne mulheres com alto poder aquisitivo. A Le Lis Blanc foi a principal citada pela maior parte das entrevistadas, com 35% das lembranças. O mercado de luxo no Brasil está em expansão, atraindo cada vez mais grifes internacionais. E a concorrência maior faz com que as marcas busquem estratégias para se adaptarem ao gosto dos consumidores brasileiros. O segmento de luxo no Brasil movimenta cerca de 7,5 bilhões de dólares por ano e a perspectiva é de crescimento acelerado pelo menos pelos próximos 20 anos. As oportunidades estão em todos os segmentos – desde moda, sapatos e acessórios até turismo e decoração. Segundo dados da Luxury Marketing Council (LMC), 88% dos consumidores esperam qualidade superior ao adquirir um produto de luxo. A autenticidade aparece em segundo lugar, com 85% das respostas. O crescimento do mercado de luxo no país

vem fazendo aumentar a demanda por dados que estejam relacionados especificamente a este segmento da população. Para suprir esta demanda, La Clé vem criando um perfil detalhado deste tipo de consumidor, construindo massa crítica para auxiliar nas decisões de Marketing das empresas que atuam neste mercado. O site conta hoje com cerca de 800 mulheres cadastradas com gasto médio mensal de R$ 3.500,00 com roupas e acessórios. A expectativa é chegar a 3 mil nomes dentro de dois meses. Marcas nacionais são privilegiadas Segundo o primeiro relatório gerado, a periodicidade média de compras feitas pelas integrantes da rede é a cada 15 dias. A pesquisa aponta uma clara mudança na mentalidade do consumidor de luxo brasileiro, que já não privilegia mais as compras no exterior. Das ouvidas, 92% afirmaram fazer compras tanto no Brasil quanto em outros países. Diferente do que as marcas acreditavam, o consumidor de classe mais alta não busca apenas os shoppings centers na hora de fazer as suas compras. (Exame – 14/09/2012)


Mercado Consumo: Mulheres são mais curiosas Homens e mulheres têm comportamentos diferentes quando o assunto é consumo? Dados do Target Group Index, do IBOPE Media, demonstram que sim. A partir da análise dos hábitos da população residente nas principais capitais e regiões metropolitanas do País, os indicadores apontam variações nas prioridades e escolhas entre consumidores de sexos diferentes. As diferenças começam pela sensação de prazer que as compras proporcionam. Para a maioria das mulheres (55%), o ato de comprar, independentemente do produto, resulta em prazer. Sensação compartilhada por 43% dos homens. As mulheres também demonstram ser mais curiosas que os consumidores do sexo oposto. De acordo com os dados, 51% delas afirmam comprar produtos de uma nova marca simplesmente parar conhecer e saber como são, enquanto entre os homens essa postura é adotada por 43% do grupo. Os homens também mostram ser consumidores mais fiéis que as mulheres. Enquanto 54% delas dizem gostar de mudar de marca frequentemente só para variar as compras, entre eles 46% aderem a esse comportamento.

Ainda segundo os estudos, as mulheres se preocupam mais em economizar, já que 77% delas afirmam procurar por preços mais baixos na hora das compras, enquanto 70% deles fazem o mesmo. Sobre a pesquisa O Target Group Index é um estudo single source sobre comportamento e o consumo de produtos, serviços , mídia, além de estilo de vida e características sociodemográficas. As entrevistas são realizadas nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Fortaleza, Brasília e nos interiores de São Paulo e das regiões sul e sudeste. Os entrevistados da pesquisa citada nesta matéria são pessoas de ambos os sexos, das classes AB, C e DE, com 18 anos ou mais, que realizaram compras nos últimos 30 dias. O período de campo foi de fevereiro de 2011 ao mesmo mês em 2012. (Cidade Marketing – 14/09/2012)


Mercado Setor de embalagens deve faturar R$ 47 bilhões em 2012 O setor de embalagens deve chegar a uma receita líquida de R$ 47 bilhões em 2012. A expectativa foi apresentada junto ao balanço do primeiro semestre deste ano, pela Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) nesta semana. De acordo com a entidade, no contexto geral o ambiente é de retração, especialmente na indústria. A produção física de embalagem teve redução de 3,49%, no primeiro semestre de 2012, comparada ao mesmo período de 2011. A produção industrial brasileira total caiu 3,81%, no mesmo período. Ainda assim, avalia a ABRE, começam a surgir indicadores de início de uma recuperação. O PIB do segundo trimestre, por exemplo, avançou 0,4%, depois de registrar variações de -0,2%, 0,1% e

0,1%, nos três trimestres anteriores. As exportações diretas do setor de embalagens no primeiro semestre, por exemplo, apresentaram um aumento de 8,86%, passando de US$ 249.828 mil contra US$ 229.496 mil alcançado em 2011. O destaque vai para o forte desempenho da indústria de plásticos (39,25%) seguida das embalagens metálicas (31,27%). No mesmo período, as importações de embalagens vazias tiveram um acréscimo de 5,42%, com faturamento de US$ 411.280 mil. Os números indicam que a balança comercial do setor ficou deficitária com U$ 249.828 mil exportados contra US$ 411.280 mil de importação. (Mundo do Marketing – 14/09/2012)


Mercado Grupo Carlyle compra 60% da Tok&Stok por R$ 700 milhões O gestor de private equity Carlyle Group anunciou nesta quinta-feira a compra de 60 por cento da rede de lojas de móveis e itens decorativos Tok&Stok, sem revelar o valor da transação. Uma fonte próxima ao assunto, entretanto, disse que o negócio foi fechado por cerca de 700 milhões de reais. A operação, que deve ser concluída no quarto trimestre deste ano, foi assessorada pelo banco BTG Pactual. Ghislaine Dubrule, uma das fundadoras da rede, permanecerá como presidenteexecutiva da companhia, compartilhando a fatia restante de 40 por cento com o

outro fundador, Régis Dubrule. Criada em 1978, a Tok&Stok tem 35 lojas em 12 Estados no Brasil. Em 2011, as vendas da empresa totalizaram cerca de 1 bilhão de reais. No início de março, o Carlyle adquiriu a rede de brinquedos Ri Happy, a maior do segmento no Brasil. Dentre as participações que detém no país, o grupo controla a operadora de turismo CVC, a corretora e administradora de planos de saúde Qualicorp e a fabricante e varejista de moda íntima Scalina. (Exame – 13/09/2012)


Mercado Brasileiro assume a PepsiCo na Europa Apontado por parte do mercado como um sucessor potencial da CEO e chairman Indra Nooyi, o presidente da PepsiCo John Compton está deixando a empresa para se tornar CEO da operadora de paradas de caminhões Pilot Flying J Oil. O substituto de Compton, que trabalhava na PepsiCo há mais de duas décadas, é Zein Abdalla, que até então ocupava o cargo de presidente da PepsiCo Europa. Além de motivos profissionais, Compton justificou a decisão como uma

oportunidade de voltar a morar com a família no estado do Tennessee. Ele deixa a companhia apenas seis meses após ser promovido ao cargo. A movimentação nos altos postos da PepsiCo abriu espaço para a ascensão do brasileiro Enderson Guimarães. Ele assumirá o posto de CEO da PepsiCo na Europa no lugar de Abdalla. Guimarães era o presidente global da operação de nutrição da companhia. (Meio & Mensagem – 12/09/2012)


Mercado M-commerce deve movimentar R$ 2 bilhões em 2013 As vendas online por meio de smartphones e tablets estão crescendo de forma expressiva no País. Segundo a Câmara-e. net (Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico), o segmento deve movimentar cerca de R$ 2 bilhões ao final de 2013, além de atingir 10% do total dos negócios realizados pelo comércio eletrônico brasileiro. Hoje, o m-commerce representa 1,3% do faturamento do e-commerce. A expansão desse segmento se deve principalmente à maior penetração de dispositivos com acesso à internet. Antes acessível apenas para os clientes das

classes A e B, em função do alto custo dos aparelhos e dos planos das operadoras, este mercado já está nas mãos da nova classe média. O grande desafio do m-commerce está no aumento das taxas de efetivação da compra. Atualmente, muitos usuários usam os smartphones para pesquisar preços e consultar endereços de lojas, mas não finalizam o negócio. A expectativa é que, conforme as pessoas se convençam mais da segurança dessas operações, as vendas aumentem. (Supermercado Moderno – 12/09/2012)


Mercado Lojas apostam nos sentidos e criam experiência de compra Com o objetivo de diminuir a percepção do tempo real, fazer o cliente passar um período maior na loja e, consequentemente ampliar o tíquete médio, lojistas trabalham cada vez mais os cinco sentidos dos consumidores, investindo em design, cheiros, sons ambientes e até alimentos para associar um sabor à marca. É o caso, por exemplo, da Vila Romana, rede especializada no vestuário masculino e que já tem 35 lojas em operação no País. “A experiência de compra na loja é o principal ponto para a fidelização do cliente. Além do ambiente da loja, que foi pensado para propiciar um momento agradável e confortável, o know-how da nossa equipe de vendas é o que faz a grande diferença, além dos serviços”, diz Rita Coelho, gestora de marca da empresa. Um dos sentidos mais trabalhados pela marca é o olfato, já que o cheiro das lojas é padronizado e conhecido pelos clientes mais frequentes. “Os clientes reconhecem o espaço pelo cheiro, temos inúmeros relatos, por exemplo, de pessoas que estão passando na Rua Pamplona, em São Paulo, ou nos corredores dos shoppings

e se dão conta de que estão próximas à Vila Romana quando sentem o cheiro, isso para nós é muito gratificante”, diz. O sucesso da experiência foi tamanho que os consumidores começaram a pedir o perfume que sentiam nas lojas. “A fragrância da nossa loja caiu no gosto dos nossos clientes; vendo isso, identificamos a possibilidade de expandir o nosso portfólio de produtos e lançamos no ano passado o perfume Vila Fifty Three, que é inspirado no aroma que temos nas lojas. O resultado de vendas foi acima das expectativas, o que nos mostrou que estamos no caminho certo”, comenta Rita Coelho. A intenção da marca agora é expandir essa linha com produtos para cuidados com o corpo, como espuma e gel para barbear, além de um aromatizador de ambientes. “Dando continuidade ao processo de expansão da marca para outros canais, no mês de setembro lançaremos a nossa venda on-line, além da inauguração de mais duas lojas, uma em Jundiaí (SP) e uma em Recife (PE)”, completa. (DCI – 11/09/2012)


Clipping do Varejo 012

17/09/2 Shopping Center

idade de n u m o c à o é destinad o iv t a m r o f Varejo Fashion Este in unos, ex l a r o p a d a m rejo, for a v e r b o s e s interes resas Construção p m e e d s io r funcioná e s e r o s s e e Eletro rof alunos, pMóveis arejo V e d io r ó t a , o labor b a L il a t e R Super & Hiper parceiras do . M P S E rejo da a V e d s o Economia d u e Est do Núcleo d : ordenaçãoPróprias CoMarcas astore P o d r a ic R . Prof

Internacional or: u d Pro zido p parvoli S l e a h p a R Mercado Sustentabilidade mo João do Car Canal Farma

Marketing Mix

Tecnologia

E-Commerce

Clipping 17/09/2012  

Clipping Setembro