Page 1

“Fechamento autorizado” “Pode ser aberto pela ECT”

Restauração Revista

Comunidade

Ano 9 • Edição 97 • Maio 2018


EXPEDIENTE

Revista Comunidade Católica Restauração Periodicidade Mensal - Ano 9, Nº 97 (Maio de 2018) Tiragem: 2.000 exemplares DIRETOR GERAL Padre Fernando Gonçalves EQUIPE DE REDAÇÃO Ainor Lotério Daniela Noêmia Sales Jansen Eliane Fagundes Padre Fernando Gonçalves Rafael Rodrigues FOTOGRAFIA Comunidade Restauração REVISÃO EDITORIAL Padre Fernando Gonçalves ARTE E DIAGRAMAÇÃO Daniela Noêmia Sales Jansen COLABORADORES Leonardo Corrêa Gregório Mairon Borguezon Velho IMPRESSÃO Impressul Indústria Gráfica Colabore com a próxima edição. Envie suas sugestões, reclamações, testemunhos e elogios para: revista@comunidaderestauracao.org

ASSOCIAÇÃO COMUNIDADE RESTAURAÇÃO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL ÀS FAMÍLIAS CNPJ: 10995628/0001-28 Rua Guilherme Kurtz, 90 - Vila Nova Joinville/SC - CEP 89.237-645 (47) 3433-0833 de segunda a sexta das 8h30 às 18h contato@comunidaderestauracao.org

NOSSAS CONTAS BANCÁRIAS Agência: 38-8 Conta: 115404-4 Agência: 0419 OP 003 Conta: 4059-5 Favorecido: Associação Comunidade Restauração de Assistência Social às Famílias


EDITORIAL MARIA, SACRÁRIO VIVO DO AMOR Você já parou para pensar na importância do SIM de Maria? A disponibilidade d'Ela, em atender ao chamado do Senhor, foi primordial para que o Filho de Deus viesse ao mundo e habitasse entre nós. Ao olharmos para Nossa Senhora, temos muitas virtudes que podemos aprender, porém, sem dúvida a mais significativa é o abandono à vontade de Deus, à Divina Providência. Pela fidelidade de Maria a Deus, o Amor Se fez homem e caminhou conosco. Por isso, o ventre que O acolheu pode ser chamado de "o primeiro sacrário", o tabernáculo vivo do Amor. Neste mês de maio, que Maria, exemplo de dignidade humana, nos ensine a acolhermos Jesus em nossos corações para que nossas Famílias possam testemunhar o Amor, e que o Carisma "Ser Restaurado para Restaurar", pela graça do Espírito Santo, leve a Restauração para dentro do seu lar. Deus o(a) abençoe!

5 6

CONTEÚDO

Mensagem aos Sócios O Abandono à Divina Providência Vocação e Chamado Uma vocação vitoriosa passa pela Cruz

7 8 10

Projeto Famílias Restauradas para Deus A Família e os Pilares da Vida Mais do que juntos...

12 14 16 18 19

Palavra do Fundador Maria, exemplo de dignidade humana Palavra da Igreja Porque, sem Mãe, não podemos ser Filhos Amor Humano TDAH - parte II Turma dos Restauradinhos Consagração à Nossa Senhora Liturgia Diária Aniversariantes O que vem por aí... Próximos Eventos

Siga-nos nas redes sociais e fique por dentro do que acontece por aqui! facebook.com/comrestau

@ComRestau

WebTVRestauracao

Maio/2018 • comunidaderestauracao.org

3


MENSAGEM AOS SÓCIOS

O Abandono à Divina

PROVIDÊNCIA

N

o passado, num tempo em que havia mais retidão e simplicidade, a fidelidade à vontade de Deus era toda a espiritualidade vivida por um povo. Assim como o ponteiro de um relógio, que sucessivamente vai marcando as horas, e em cada minuto aponta o espaço a percorrer, o espírito de homens e mulheres era movido sem cessar pelo impulso divino. Este era o segredo do proceder de Maria, a mais simples das criaturas e a mais entregue a Deus. A resposta que deu ao Anjo, quando se limitou a dizer-lhe: Faça-se em mim segundo a tua palavra (cf. Lc 1,38), continha toda a mística espiritual daquela época, na qual tudo se reduzia ao mais puro e ao mais singelo abandono da alma à vontade de Deus, qualquer que fosse a forma por que esta se apresentasse. A divina vontade é que regia Maria em tudo, quer suas ocupações fossem comuns ou elevadas. O seu espírito, carregado de alegria, considerava tudo o que tinha de fazer ou sofrer em cada momento, como um dom d’Aquele que sacia de bens os corações que só d’Ele se alimentam e não das aparências criadas.

Com efeito, sobre aqueles que se abandonam à Divina Providência, se estende a sombra do Espírito de Deus, que jamais os abandonará. A partir deste momento, o que se vê é Deus realizando grandes coisas, enchendo de bens os que têm fome e revelando-Se aos pequenos e humildes, ainda nas coisas mais pequenas; mas os grandes e soberbos, que não consideram senão as aparências, esses não O descobrem nem mesmo nas coisas grandes. Se o caminho de santificação de nossas Famílias tem nos oferecido dificuldades tão insuperáveis na aparência, é porque ainda não temos uma ideia exata da trilha que precisamos percorrer. De fato, a Restauração do coração e, por consequência, a glorificação de nossas Famílias, reduz-se toda a uma só coisa: a fidelidade à vontade de Deus, e esta fidelidade está ao alcance de todos. Que desculpa podemos alegar por não nos submeter-nos à vontade do Senhor? É o abandono, confiando fielmente na Providência Divina, que Deus exige de nós. Exige-o aos grandes e aos pequenos; aos fortes e aos fracos; a todos, em todo o tempo e lugar. Assim como Maria, que possamos cumprir com fidelidade o que nos toca, nos abandonando à Divina Providência, e Deus fará o resto. Maio/2018 • comunidaderestauracao.org

5


VOCAÇÃO

E CHAMADO

QUEM RESPONDE AO CHAMADO DOA-SE

V

iver verdadeiramente uma vocação significa fazer uma doação de si. Quando nos deixamos ser envolvidos pelo amor do Pai e assumimos a nossa vocação de filhos de Deus, doamos a nossa vida, nós a gastamos por amor. Vamos conhecer uma pouco sobre a palavra doação? Doação vem do latim donatĭo, ōnis, e significa: “ação de dar, dádiva, presente, brinde, doação”, do latim donāre: “doar”. A doação, segundo definição do dicionário da Língua Portuguesa, é a transferência definitiva e irreversível de dinheiro ou bens em favor de pessoas físicas ou jurídicas de natureza cultural, sem fins lucrativos, para a execução de programa; é dar algo a alguém; é o ato ou efeito de doar, de abrir mão sem nada em troca. Muitas vezes, está também ligada a atos de caridade, ao

ato de dar um bem próprio a outra pessoa. Também pode significar entrega e dedicação. Quando respondemos ao chamado de Deus para vivermos uma vocação, seja ela: matrimonial, sacerdotal, religiosa ou leigo consagrado ou não, faz-se necessário, para bem vivê-la, a doação de si. Esta doação é feita a Deus e aos irmãos em Cristo, por amor. Este mesmo amor-doação que levou Jesus a entregar-Se na cruz, como nos relata o evangelista João, em uma de suas epístolas: “Nisto conhecemos o que é o amor: Jesus Cristo deu a sua vida por nós, e devemos dar a nossa vida por nossos irmãos” (1Jo 3,16). O Catecismo da Igreja Católica apresenta, ainda, esta descrição: “Este sacrifício de Cristo é

único, leva à perfeição e ultrapassa todos os sacrifícios. Antes de mais, é um dom do próprio Deus Pai: é o Pai que entrega o Seu Filho para nos reconciliar consigo. Ao mesmo tempo, é oblação do Filho de Deus feito homem, que livremente e por amor oferece a Sua vida ao Pai pelo Espírito Santo, para reparar a nossa desobediência. (CIC §614). Ao respondermos ao chamado de Deus, iniciamos um processo de entrega, de desapego, como podemos observar em relação ao Sacramento do Matrimônio, uma vez que, na vocação matrimonial, um doa-se ao outro para fazê-lo(a) feliz. Aquele(a) que assume o matrimônio buscando ser feliz, será levado pelo egoísmo e o individualismo, que o impedirá de doar-se ao outro e seus filhos.

Eliane Fagundes é consagrada de vida na Comunidade Restauração e responsável pelo Setor Vocacional da Obra. Natural de Joinville/SC, iniciou seu caminho vocacional em 2010.

ELIANE FAGUNDES 6

Maio/2018 • comunidaderestauracao.org


Da mesma maneira, um sacerdote, ao assumir sua vocação, entrega-se, gasta-se por fazer a vontade de Deus na vida daqueles que estão sob a sua responsabilidade. Ao viver a sua vocação, espelha-se no sacerdote maior: Jesus Cristo. Assim, abre mão de si pela edificação do Reino.

plos de pessoas que se doaram até o fim de suas vidas por amor ao chamado do Senhor, para serem propagadores do bem. Santa Madre Tereza de Calcutá é um desses exemplos, e chegou a declarar: “O bem que você faz hoje, muitas vezes é esquecido pelas pessoas amanhã. Faça-o assim mesmo.”

Quantos religiosos(as) deixam suas famílias, cidades e até o país onde nasceram para doarem-se por amor a Deus, atuando em diversas situações ao redor do mundo? Temos muitos exem-

Assim, muitos leigos e leigas, como eu e você, também temos nos doado assumindo a nossa vocação de filhos de Deus e servindo-O no amor ao próximo. Quantas coisas deixamos para

trás? Abrimos mão de sonhos e vontades para vivermos o chamado do Senhor em favor de muitos, por amor. Para finalizar, deixo como reflexão esta bela frase: “Amor é um bem que pode ser dividido em milhões de partes e doado às pessoas sem medo de exaurir-se. Quando mais o dermos, mais o receberemos, numa progressão geométrica infinita”. Inácio Dantas

PROJETO FAMÍLIAS RESTAURADAS PARA DEUS

DEMONSTRATIVOS FINANCEIROS RECEITAS - JANEIRO 2018

DESPESAS - JANEIRO 2018

SALDO FINAL - DEZEMBRO

R$ 3.320,94

DESPESAS NÃO PAGAS DE DEZEMBRO NEGOCIADAS E PAGAS EM JANEIRO

SÓCIOS E BENFEITORES

R$ 18.378,01

MANUTENÇÃO DA COMUNIDADE (energia elétrica, água, IPTU e taxa de lixo)

OFERTÓRIO/COLETAS DOAÇÕES DE MEMBROS

DESPESAS ADMINISTRATIVAS/DIVERSAS (materiais para escritório, formações e paramentos religiosos)

R$ 822,37

R$ 900,00

SERVIÇOS TERCEIRIZADOS (serviços gráficos, postagens, site, e-mails, softwares, transmissão web tv e web rádio, telefonia, internet)

R$ 5.390,03

R$ 1.273,00

LIVRARIA

R$ 1.628,03

EVENTOS

R$ 0,00

TOTAL DE RECEITAS

R$ 6.500,00 R$ 30.264,99

INVESTIMENTOS

R$ 159,00

LOCAÇÃO DE IMÓVEIS (Missionários Comunidade de Vida) RECURSOS HUMANOS (salários, impostos e benefícios) DEPESAS BANCÁRIAS (tarifas) DESPESAS DEPARTAMENTO DE EVENTOS

RECEITAS - FEVEREIRO 2018

R$ 0,00 R$ 3.250,00

TOTAL DE DESPESAS PAGAS

R$ 26.868,40

SALDO FINAL

R$ 6.717,53

DESPESAS - FEVEREIRO 2018

SALDO FINAL - JANEIRO

R$ 6.717,53

DESPESAS NÃO PAGAS DE JANEIRO NEGOCIADAS E PAGAS EM FEVEREIRO

SÓCIOS E BENFEITORES

R$ 11.846,01

MANUTENÇÃO DA COMUNIDADE (energia elétrica, água, IPTU e taxa de lixo)

DOAÇÕES DE MEMBROS

R$ 1.961,98 R$ 12.699,31 R$ 877,64

PAGAMENTO 1ª PARCELA REFORMA PLACA LUMINOSO

OFERTÓRIO/COLETAS

R$ 1.708,07

R$ 1.585,95

DOAÇÕES NÃO IDENTIFICADAS

REEMBOLSO SEGURO PLACA LUMINOSO

R$ 0,00

R$ 28,37 R$ 1.626,59

R$ 2.050,50

DESPESAS ADMINISTRATIVAS/DIVERSAS (materiais para escritório, formações e paramentos religiosos)

R$ 939,61

R$ 0,00

SERVIÇOS TERCEIRIZADOS (serviços gráficos, postagens, site, e-mails, softwares, transmissão web tv e web rádio, telefonia, internet)

R$ 5.279,73

DOAÇÕES NÃO IDENTIFICADAS

R$ 766,01

INVESTIMENTOS

LIVRARIA

R$ 294,00

LOCAÇÃO DE IMÓVEIS (Missionários Comunidade de Vida)

R$ 1.961,98

RECURSOS HUMANOS (salários, impostos e benefícios)

R$ 5.137,23

EVENTOS EMPRÉSTIMO TOTAL DE RECEITAS

2.270,88 R$ 900,00 R$ 18.127,40

R$ 159,00

DEPESAS BANCÁRIAS (tarifas)

R$ 746,34

DESPESAS DEPARTAMENTO DE EVENTOS

R$ 223,78

PAGAMENTO 1ª PARCELA REFORMA PLACA LUMINOSO

R$ 3.341,01

TOTAL DE DESPESAS PAGAS

R$ 19.443,64

SALDO FINAL

R$ 5.401,29

Maio/2018 • comunidaderestauracao.org

7


A FAMÍLIA E OS PILARES DA VIDA

MAIS DO QUE JUNTOS...

O

s tempos são de evocação ao individualismo e do cada um para si e pouco ou nada para o outro. Quase sempre estamos juntos, porém quase nunca unidos! É fácil estar juntos ou debaixo do mesmo teto, no entanto, é tremendamente mais fortalecedor e cooperativo estarmos unidos no mesmo propósito, mesmo exigindo esforço para ser feito e árduo para ser continuado. Juntos, podemos ser apenas uma turba em uma balada, mas só unidos é que fazemos parte do mesmo corpo, do mesmo ideal e defendemos o mesmo espaço. Mais do que juntos, devemos estar unidos e acreditando num propósito ideal, uma vez que apenas juntos, ainda somos fracos, pois podemos somente estar de olho naquilo que o outro tem e não com o coração aberto à partilha em “um só coração e uma só alma”. Sem o fulgor da união, a família não se conserva coesa e não prospera sob o mesmo teto. Os apelos de um mercado consumista e de uma sociedade hedonista, materialista e individualista são atraentes, desagregadores e aterradores. A todo instante nos vendem

8

a felicidade sensorial, bioquímica: há sempre uma pílula para determinada dor, para promover o prazer, levantar a moral e fazer funcionar um órgão, engordar, emagrecer, enfim, tudo sem esforço, porém, com muita dor no corpo e gasto financeiro para o bolso. E isso pode redundar em muito trabalho logo à frente para pagar toda a “felicidade que se compra para si”, quando perdemos a oportunidade impar de a vivermos na unidade. Acreditar em si é fundamental, de modo a que não se dependa apenas de elogios ou de que outros acreditem em nós, mas que ajamos fundamentados num caminho de verdade e vida. Deus está em nós, quer estar em cada um de nós e tem tudo o que queremos e precisamos, mas o problema é que não nos dedicamos em acessá-Lo. Cabe a cada um buscar mais d’Ele. Do contrário, nos acomodamos nas coisas que a mundanidade nos oferece. Todavia, mister se faz entender que Deus está na unidade e não apenas junto; comunga conosco e não apenas dá um pedaço de pão; derrama Seu próprio suor e não o suor do outro, assim como também fez descer Seu Enviado para dar do Seu próprio

Maio/2018 • comunidaderestauracao.org

sangue e não usar o sangue alheio. Pais e filhos (é minha percepção atual) já não saboreiam tanto do alimento que está sobre a mesma mesa, com o mesmo sentimento de unidade que outrora. Necessário se faz, ensinar desde cedo que estar juntos à mesma mesa, ou dentro da mesma casa, pode não significar unidade, especialmente quando vivemos mais de pura opinião e conflitos do que de esforço para a união. Vive em união quem está ligado, pegado, conectado ao outro e não apenas ao celular; unificado; prendido (e não preso) no mesmo amor; associado à mesma fé; atado ao mesmo sonho. Dizem que tudo muda o tempo todo e que devemos estar preparados para as constantes mudanças. Pensando assim, logo me vem à memória que somos uma sociedade provisória, que não tem caráter de permanente, sendo temporário, provisional. Tudo o que é provisório é efêmero, passageiro e precário, como a vida se nos apresenta em muitas ocasiões. Tudo o que é temporário é também fugaz e frágil, assim como se apresentam nossas relações “ficantes” (sem compromisso de unidade e continuidade,


provisório), do tipo que está junto, não unido. Isso nos preocupa e nos leva a agir em favor da unidade. Precisamos trabalhar mais a unidade que perdura, mantém-se estável, firme, certa e confiável para levarmos mais certezas e debelarmos cada vez mais as dúvidas existenciais. Quando de nada temos certeza, parece que estamos perdidos em tudo. Sabemos que nem

tudo pode ser seguro, garantido ou inabalável; todavia, tudo pode ser sincero e confiável. E quando estamos unidos de verdade, a confiança toma ares de esperança e fica mais fácil a jornada. Jesus perguntou: “Moços, tendes alguma coisa para comer?”. Responderam: “Não”. Jesus disse-lhes: “Lançai a rede à direita da barca e achareis”. Quer dizer, lan-

çai perto de vocês, do lado e na unidade e puxareis a rede com muitos peixes. Essa é a rede da unidade, onde todos se alimentam do alimento trazido à margem com o esforço da união, não do apenas estar juntos, mais do que juntos na aparência, unidos pela essência do amor que nos torna sólidos no Senhor!

Ainor é natural de Vidal Ramos/SC. Formado em agronomia, é palestrante, psicopedagogo, M.Sc, acadêmico de teologia e aluno da Escola Diaconal São Francisco de Assis. Autor do livro: Pais Frouxos, Filhos Sofredores, Pais Firmes, Filhos Felizes, é também Ministro da Palavra na Paróquia Divino Espírito Santo, em Camboriú/SC.

AINOR LOTÉRIO

Maio/2018 • comunidaderestauracao.org

9


PALAVRA DO FUNDADOR

Maria

EXEMPLO DE DIGNIDADE HUMANA

D

e uma maneira geral, se nos causa perplexidade o nível de degradação no qual se encontra a humanidade nos dias de hoje, podemos encontrar na pessoa de Maria o grande exemplo que necessitamos, uma vez que foi no momento de sua escolha para ser a Mãe do Filho de Deus que a dignidade humana foi resgatada. Naquele instante, a imagem do homem foi restaurada levando-o ao retorno de sua originalidade. Juntamente com este resgate, descortinou-se uma nova perspectiva: a de que existe bondade e sentimentos de amor no coração do homem, e Maria, com seu testemunho de humildade, expressou muito bem esta verdade através da obediência à vontade de Deus, mostrando-nos que é possível agir sempre visando o bem-estar de todos, pois a dignidade é um ato de respeito à vida de quem aceita livremente, e pela graça do Espírito Santo, agir conforme a vontade do Senhor (cf. Lc 1,38). Por isso, precisamos voltar o nosso olhar para Maria, aprendendo com o seu exemplo de dignidade humana

10

Maio/2018 • comunidaderestauracao.org

ao aceitar o plano de Deus, coisa que muitas Famílias já perderam em razão de tratarem a vida como algo insignificante, com o interesse pela dignidade dos outros perdendo a sua devida importância. É por este motivo que a propaganda a favor do aborto, da morte, ganha cada vez mais adeptos no ambiente familiar, visto que muitas mulheres perderam a sua dignidade de MÃE, agindo apenas como um “ser do sexo feminino” que visa a independência financeira em nome de uma falsa liberdade que rouba, justamente, o que a mulher tem de melhor: a capacidade de gerar vida com dignidade, a exemplo de Maria. Agora, mais do que nunca, precisamos olhar para Maria como um grande exemplo, e a Família que se torna o berço desta graça é o caminho mais seguro para a sociedade, já que a satisfação pessoal de nada adianta


se não respeitarmos o outro como a Imagem e Semelhança de Deus. Esse exercício se inicia no seio familiar: é lá que se aprende a ser digno e a respeitar os outros, começando pela honra devida aos pais e, estes, pelo testemunho valoroso aos seus filhos do quanto é importante ser honesto para com as pessoas, já que este gesto proporciona um ambiente repleto de amor entre os seres humanos. Lamentavelmente, as redes sociais tornaram-se perigosas armas contra qualquer tipo de dignidade, e usadas de forma errônea, levam à propagação de acusações, maldades, xingamentos e até à banalização do ser humano. Assim, ao depositarmos a nossa busca pela verdade em meios que se constituem ilusórios, a Família deixou de ser o elo de diálogo e de comunhão dos filhos de Deus, uma vez que deixou de lado a sua própria dignidade de ser o esteio para a sociedade. Por esse motivo, a entrada de muitas tecnologias no ambiente familiar, ao invés de ajudar a aperfeiçoar a dignidade como um meio de tornar a sociedade melhor, está fazendo dela um grande problema, causando até a sua destruição. Nesta hora, você pode se perguntar: “Mas por que Maria é um grande exemplo de dignidade para a humanidade?” Porque ela aproveitou todos os momentos que lhe foram proporcionados ao lado de seus pais, bebendo da

graça do amor e deixando-se corrigir, agindo sempre na obediência aos Mandamentos de Deus, principalmente em relação ao quarto, que diz: “Honra teu pai e tua mãe”. Somente este motivo já faz dela uma mulher de respeito e exemplo a ser seguido por tantas pessoas. Se Maria tivesse a oportunidade de ter em mãos as ferramentas das redes sociais que atualmente temos, isso não mudaria nada, e da mesma forma que ela valorizou a obediência para com a sua Família, teria meramente mais uma forma para continuar respeitando e honrando seus pais. Portanto, se queremos retomar a dignidade humana e prezamos por atitudes e ações que valorizam a dignidade de todos os seres humanos, é de suma importância que voltemos a valorizar a Família como o maior celeiro de nobreza e respeito da sociedade, utilizando das redes sociais e demais meios de comunicação como ferramentas de evangelização, primeiro para a própria Família e, depois, para testemunhar diante da sociedade que é possível viver com bondade e amor. A humanidade precisa voltar a sua dignidade de filhos de Deus para, como Maria, fazer deste mundo um lugar melhor, onde não se construirão vidas através de guerras de palavras, injustiças e corrupções, mas através do Amor, da Misericórdia e, prin-

Anunciação do Anjo

cipalmente, da obediência a Deus experimentada na Família, em razão de que, no lugar em que se experimenta a dignidade é possível ter a certeza de que o ser humano é valorizado e respeitado. Maria é exemplo de dignidade para toda a humanidade. Deixemos de lado o orgulho, a arrogância e as ideologias e olhemos para Ela, que demostrou muita dignidade diante de Deus, dizendo: “Faça-se em mim segundo a TUA vontade” (Lc 1,38). Lembrando sempre que, quem reconhece a sua dignidade diante de Deus, é capaz de ser digno para com todos.

Padre Fernando é carioca e foi ordenado Sacerdote em 1992. Fundou a Comunidade Restauração em 2009 e, atualmente, tem se dedicado incansavelmente à Restauração das Famílias.

PADRE FERNANDO Maio/2018 • comunidaderestauracao.org

11


PALAVRA DA IGREJA

PORQUE, SEM MÃE NÃO PODEMOS SER FILHOS (...) O povo cristão compreendeu, desde o início, que, nas dificuldades e provações, é preciso recorrer à Mãe, como indica a mais antiga antífona mariana: À vossa proteção, recorremos, Santa Mãe de Deus; não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades; mas livrai-nos de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita. Recorremos, procuramos refúgio. Os nossos pais na fé ensinaram-nos que, nos momentos turbulentos, é preciso acolhermo-nos sob o manto da Santa Mãe de Deus. Outrora os perseguidos e os necessitados procuravam refúgio junto das mulheres nobres da alta sociedade: quando o seu manto, que era considerado inviolável, se estendia em sinal de acolhimento, a proteção era concedida. O mesmo, fazemos nós em relação a Nossa Senhora, a mulher mais excelsa do gênero humano. O seu manto está sempre aberto para nos acolher e recolher-nos. (...) Os próprios monges antigos recomendavam que, nas provações, nos refugiássemos sob o manto da Santa Mãe de Deus: invocá-La – «Santa Mãe de Deus» – já era garantia de proteção e ajuda, repetindo apenas assim: «Santa Mãe de Deus», «Santa Mãe de Deus»… Esta sabedoria, que vem de longe, ajuda-nos: a 12

Maio/2018 • comunidaderestauracao.org

Mãe guarda a fé, protege as relações, salva nas intempéries e preserva do mal. Onde Nossa Senhora é de casa, o diabo não entra. (...) Onde está a Mãe, a perturbação não prevalece, o medo não vence. Quem de nós não precisa disto? Quem de nós não se sente às vezes perturbado ou inquieto? Quantas vezes o coração é um mar em tempestade, onde as ondas dos problemas se amontoam e os ventos das preocupações não cessam de soprar! Maria é a arca segura no meio do dilúvio. Não serão as ideias ou a tecnologia a dar-nos conforto e esperança, mas o rosto da Mãe, as suas mãos que acariciam a vida, o seu manto que nos abriga. Aprendamos a encontrar refúgio, indo todos os dias junto da Mãe. Não desprezeis as súplicas: continua a antífona. Quando nós A imploramos, Maria pede por nós. Há um lindo título em grego – Grigorusa – que significa «Aquela que intercede prontamente». E este termo «prontamente», usa-o Lucas no Evangelho para Maria quando foi visitar Isabel: à pressa, imediatamente! Intercede prontamente, não demora, (...) imediatamente leva a Jesus a necessidade concreta daquelas pessoas: «Não têm vinho» (Jo 2,3), e não acrescenta mais nada! Assim faz, sempre que A invocamos: quando nos falta a esperança, quando


escasseia a alegria, quando se esgotam as forças, quando se obscurece a estrela da vida, a Mãe intervém. Está atenta ao cansaço, sensível às turbulências – as turbulências da vida –, próxima do coração. E nunca, nunca despreza as nossas orações; não deixa perder-se uma sequer. É Mãe, nunca Se envergonha de nós; antes, só espera poder ajudar os seus filhos. Um episódio pode ajudar-nos a compreender isto. Junto de uma cama de hospital, uma mãe velava pelo seu filho, sofrendo em consequência de um acidente. Aquela mãe estava sempre ali, dia e noite. Uma vez lamentou-se com o sacerdote, dizendo: «Mas a nós, mães, o Senhor não permitiu uma coisa!» «O quê?»: perguntou o padre. «Carregar a dor dos filhos»: replicou a mulher. Eis o coração de mãe: não se envergonha das feridas, das fraquezas dos filhos, mas quer tomá-las sobre si mesma. E a Mãe de Deus e nossa sabe tomar sobre Si, consolar, velar, curar. Continua a antífona: livrai-nos de todos os perigos. O próprio Senhor sabe que precisamos de refúgio e proteção em meio de tan-

tos perigos. Por isso, no momento mais alto, na cruz, disse ao discípulo amado, a cada discípulo: «Eis a tua Mãe!» (Jo 19,27). A Mãe não é um optional, uma coisa opcional, é o testamento de Cristo. E precisamos d’Ela como de repouso um viajante, como de ser levado nos braços um bebé. É um grande perigo para a fé viver sem Mãe, sem proteção, deixando-nos arrastar pela vida como as folhas pelo vento. O Senhor sabe isso, e recomenda-nos acolher a Mãe. Não é um galanteio espiritual, é uma exigência de vida. Amá-La, não é poesia; é saber viver. Porque, sem Mãe, não podemos ser filhos. E, antes de tudo, nós somos filhos, filhos amados, que têm Deus por Pai e Nossa Senhora por Mãe. O Concílio Vaticano II ensina que Maria é «sinal de esperança segura e de consolação para o povo de Deus ainda peregrinante» (Const. dogm. Lumen gentium, 68). É sinal: é o sinal que Deus posicionou para nós. Se não o seguirmos, extraviamo-nos. Com efeito, há uma sinalização da vida espiritual, que deve ser observada. A nós, «que, entre perigos e angústias, caminhamos ainda

na terra» (ibid., 62), tal sinalização indica-nos a Mãe, que já chegou à meta. Quem melhor do que Ela nos pode acompanhar no caminho? Por que esperamos? Como o discípulo que, ao pé da cruz, acolheu consigo a Mãe – diz o Evangelho – «como sua» (Jo 19,27), também nós convidamos Maria, (...) para a nossa casa, o nosso coração, a nossa vida. Não se pode ficar indiferente, nem separado da Mãe, caso contrário perdemos a nossa identidade de filhos e a nossa identidade de povo, e vivemos um cristianismo feito de ideias, de programas, sem consagração, sem ternura, nem coração. Mas, sem coração, não há amor; e a fé corre o risco de se tornar uma linda fábula doutros tempos. Ao contrário, a Mãe guarda e prepara os filhos. Ama-os e protege-os, para que amem e protejam o mundo. Façamos da Mãe o hóspede do nosso dia-a-dia, a presença constante em nossa casa, o nosso refúgio seguro. Consagremos-Lhe cada dia. Invoquemo-La em cada turbulência. E não nos esqueçamos de voltar junto d’Ela para Lhe agradecer. (...) HOMILIA NA SANTA MISSA 28 de janeiro de 2018

Francisco, nascido Jorge Mario Bergoglio, é o 266º Papa da Igreja Católica e atual Chefe de Estado do Vaticano, sucedendo o Papa Bento XVI. Foi eleito Papa em 13 de março de 2013.

PAPA FRANCISCO

Grupo de Oração

Jovens Restaurados

domingos às 18h

Maio/2018 • comunidaderestauracao.org

13


AMOR

HUMANO

TDAH - parte II V

ia de regra, algumas pessoas são mais atentas do que outras. Quando um indivíduo possui a capacidade reduzida de manter sua atenção em algo, seja por muito ou pouco tempo, e isso têm se tornado um fator prejudicial à sua vida, é bastante provável que este seja um caso de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Como visto na edição anterior, o TDAH é caracterizado exatamente por esse tipo de comportamento. Todas as crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos são, em algum nível, inquietos, desatentos e impulsivos, mas isso não quer dizer que tenham TDAH. Para identificar os casos deste transtorno, é importante que seja feita uma avaliação sobre vários aspectos da vida de uma pessoa, e esse trabalho é realizado por um profissional com conhecimento amplo sobre o assunto, através de uma conversa diretamente com o paciente ou com seus familiares - no caso das crianças, quando são visualizados os sintomas e o quanto eles afetam a vida do indivíduo. Ainda não é possível utilizar de exames fisiológicos para confirmar o diagnóstico de TDAH, mas a aplicação de ques-

tionários e escalas se mostram muito eficientes para o caso. Pacientes com déficit de atenção apresentam dificuldades importantes em manter o foco; se distraem facilmente com coisas irrelevantes; parecem não ouvir os outros; têm dificuldade de refletir sobre os problemas enfrentados e para iniciar tarefas que requeiram esforço mental continuado; são esquecidos com as obrigações e perdem coisas necessárias às tarefas porque, ao não prestarem atenção ou memorizarem onde colocaram os objetos, terminam por perdê-los (GERET, 2017). Já para os pacientes com hiperatividade, os sintomas podem se manifestar tanto motores quanto verbais. Estes são mais inquietos, tendem a permanecer menos tempo sentados, mexem com as mãos e os pés de forma errática ou apresentam movimentos corpóreos grosseiros e desajeitados. Crianças com hiperatividade apresentam dificuldades em ficar sentadas em sala de aula por muito tempo e, quando obrigadas a isso, ficam se remexendo na cadeira. Em casa, correm sem nenhuma objetividade e escalam objetos e mobília; também são popularmente descritos pelos familiares como “li-

gados na tomada”. Outra característica do hiperativo é a tagarelice. Na idade adulta, há uma diminuição dos sintomas de hiperatividade motora, sendo sentidos como uma inquietação mental, facilmente confundida como ansiedade (GERET, 2017). Portadores de TDAH são impulsivos; geralmente intrometem-se na conversa dos outros; têm dificuldade de esperar em filas e responder antes que uma pergunta seja terminada; teimam em parar ou adiar atividades prazerosas quando é necessário realizar tarefas obrigatórias e menos agradáveis. Na infância, a impulsividade pode levar à notas baixas em matemática; já na idade adulta, tem consequências mais graves, como o uso de substâncias, brigas conjugais, acidentes de carro, perda de emprego, gastos, negócios mal feitos ou impensados (GERET, 2017). É importante ressaltar que, caso você apresente alguns desses sintomas, ou perceba-os em alguém, não é preciso se desesperar. TDAH não tem cura, mas é passível de tratamento. Procure a ajuda de um médico psiquiatra, que indicará o melhor tratamento para favorecer a sua qualidade de vida, ou de alguém da sua família.

Rafael é natural de São Pedro de Alcântara/SC. Consagrado de Aliança na Comunidade Restauração desde 2014, é membro do Conselho Formativo, atuando na formação pessoal, humana e psicológica dos Filhos.

RAFAEL RODRIGUES 14

Maio/2018 • comunidaderestauracao.org


Um pai espiritual é aquele que ama os seus filhos e, por isso, transmiti-lhes com amor e carinho o legado da verdadeira fé. Querido Pai Padre Fernando! Quanta honra podermos chamar-lhe de pai. É com imensa alegria que escrevemos esta carta ao senhor, nosso querido pastor e amigo, para parabenizá-lo por mais um ano de vida. Celebrar o dom da vida é celebrar sonhos, esperanças, certezas, lutas, conquistas, vitórias e até mesmo as derrotas. É acreditar que Deus nos chamou e nos escolheu para testemunharmos o Seu amor entre os homens. É agradecer, é partilhar, é amar! E cá entre nós, o senhor é um grande exemplo de tudo isso: quantas lutas, dificuldades e obstáculos para chegar até aqui. Quanta vontade de desistir, mas ao mesmo tempo, com sua fé inabalável e grande força, o senhor tem alcançado a cada dia, a cada ano, uma nova vitória. Pai, queríamos lhe mostrar como somos gratos a Deus pelo dom da sua Vida. Sabemos que em nosso dia-a-dia, as atitudes que tomamos muitas vezes não correspondem ao verdadeiro amor e respeito que temos pelo senhor. Também dispomos da consciência de que tantas vezes deixamos esse seu coração, que já aguentou tantas coisas, apertado, triste e magoado, e por isso pedimos perdão. Cada um de nós traz consigo uma história e chegou até aqui por um motivo diferente, mas existe algo que todos temos em comum: um gran-

de amor pelo senhor. E é, através desse amor, que queremos lhe dizer: “tamo junto”! Não importa a situação ou o momento, queremos estar ao seu lado oferecendo um ombro amigo, assim como o senhor tem feito por nós. Enfim, queremos seguir seu exemplo, tanto pelo testemuho pessoal como o espiritual. Quanta alegria em festejarmos a sua vida e podermos agradecer a Deus por ter-nos mandado um pai amoroso e conselheiro, que nos ajuda com as dificuldades do caminho; um amigo que nos ouve quando mais precisamos. Obrigada, pai, por permitir-nos sermos seus filhos, com todos os nossos defeitos, mas com o desejo ardente de Restaurar Famílias. Hoje, foi a nossa vez de escrevermos uma carta. Apenas uma, perto das inúmeras feitas pelo senhor para cada um de nós. Nesta carta está o nosso mais sincero desejo: seguirmos seus passos. Que Deus lhe cubra de muitas bênçãos e graças. Que Ele lhe conserve sempre como esse homem de Deus que é, com seu jeito alegre que, por onde passa, encanta a todos! E que o senhor continue sendo essa presença forte de Deus em nosso meio! Te amamos! Parabéns nosso Pai, Padre Fernando! Seus Filhos e Filhas


TURMA DOS RESTAURADINHOS

Oi Amiguinhos!

Consagração à

Nossa Senhora

O mês de maio é considerado um mês muito especial, pois além de comemorarmos o Dia das Mães, também dedicamos uma atenção especial para a nossa Mãezinha do Céu. Então, o que você acha de aprendermos esta linda oração de Consagração à Nossa Senhora?

16

Maio/2018 • comunidaderestauracao.org


Fonte: elricondelasmelli.blogspot.com/tiapaulalimeira.blogspot.com

Convide a sua Família para rezar junto com você esta oração, e não se esqueça de agradecer ao Papai do Céu pela mãezinha querida que Ele escolheu para cuidar com muito amor de você e de todos da sua casa, assim como Nossa Senhora cuidou de Jesus e de São José.

Mãezinha do céu, rogai por nós!

Restauradinhos do Mês No Restauradinhos do mês o Davi!

O Davi é filho do Marcos e da Patrícia e é irmãozinho da Luiza, que já apareceu por aqui em outra edição. Ele está completando 3 aninhos este mês. Deus abençoe você Restauradinho!

Você também pode aparecer por aqui! Peça ao papai, ou a mamãe, para enviar a sua foto para o e-mail: revista@comunidaderestauracao.org

Maio/2018 • comunidaderestauracao.org

17


LITURGIA DIÁRIA ANIVERSARIANTES DO MÊS

SEG

1

TER

QUA

QUI

2 1ª Leitura 3 1ª Leitura 1ª Leitura At 15,1-6 1Cor 15,1-8 At 14,19-28 Salmo 144(145) Salmo 121(122) Salmo 18(19A) Evangelho Evangelho Evangelho Jo 15,1-8 Jo 14,6-14 Jo 14,27-31a 10 1ª Leitura 7 1ª Leitura 8 1ª Leitura 9 1ª Leiura At 16,11-15 At 18,1-8 At 16,22-34 At 17,15.22-18,1 Salmo 149 Salmo 97(98) Salmo 137(138) Salmo 148 Evangelho Evangelho Evangelho Evangelho Jo 15,26-16,4a Jo 16,16-20 Jo 16,5-11 Jo 16,12-15 15 1ª Leitura

16 1ª Leitura

21 1ª Leitura

22 1ª Leitura

23 1ª Leitura

29

31 1ª Leitura 30 1ª Leitura Ex 24,3-8 1Pd 1,18-25 Salmo 115(116) 2ª Leitura Salmo 147(147B) Hb 9,11-15 Evangelho Evangelho Mc 10,32-45 Mc 14,12-16.22-26

Tg 3,13-18 Salmo 18(19B) Evangelho Mc 9,14-29

28

1ª Leitura 1Pd 1,3-9 Salmo 110(111) Evangelho Mc 10,17-27

At 20,17-27 Salmo 67(68) Evangelho Jo 17,1-11a Tg 4,1-10 Salmo 54(55) Evangelho Mc 9,30-37

1ª Leitura 1Pd 1,10-16 Salmo 97(98) Evangelho Mc 10,28-31

At 20,28-38 Salmo 67(68) Evangelho Jo 17,11b-19

Tg 4,13-17 Salmo 48(49) Evangelho Mc 9,38-40

SEX

SÁB

24 1ª Leitura At 15,22-31 Salmo 56(57) Evangelho Jo 15,12-17

5 1ª Leitura At 16,1-10 Salmo 99(100) Evangelho Jo 15,18-21

6 1ª Leitura

11 1ª Leitura

12

13 1ª Leitura

1ª Leitura At 18,23-28 Salmo 46(47) Evangelho Jo 16,23b-28

At 18,9-18 Salmo 46(47) Evangelho Jo 16,20-23a

DOM

At 10,25-26. 34-35.44-48 Salmo 97(98) 2ª Leitura 1Jo 4,7-10 Evangelho Jo 15,9-17

At 1,1-11 Salmo 46(47) 2ª Leitura Ef 1,17-23 Evangelho Mc 16,15-20

19 1ª Leitura 20 1ª Leitura 1ª Leitura At 2,1-11 At 22,30;23,6-11 At 25,13b-21 At 28,16-20.30-31 Salmo 103(104) 2ª Leitura Salmo 15(16) Salmo 102(103) Salmo 10(11) 1Cor 12,3b-7.12-13 Evangelho Evangelho Evangelho Evangelho Jo 21,20-25 Jo 17,20-26 Jo 21,15-19 Jo 20,19-23

14 1ª Leitura

At 1,15-17,20-26 Salmo 112(113) Evangelho Jo 15,9-17

Maio

17 1ª Leitura

18

24

25 26 1ª 27 1ª Leitura 1ª Leitura Leitura 1ª Leitura Dt 4,32-34.39-40 Is 55,6-9 1Tm 6,13-16 1Tm 6,2c-12 Tg 5,13-20 Tg 5,9-12 Salmo144(145) 32(33) Salmo Salmo140(141) 99(100) Salmo102(103) 48(48) Salmo 2ª Leitura Salmo Evangelho FlRm 1,20c-24.27a 8,14-17 Evangelho Evangelho Evangelho Lc 8,4-15 Lc10,1-12 8,1-3 Mc 10,13-16 Mc Mt 20,1-16a

1ª Leitura Tg 5,1-6 Salmo 48(49) Evangelho Mc 9,41-50

Mt 28,16-20

NA COMUNIDADE RESTAURAÇÃO 07 - Mil Ave-Marias 12 - Atendimento e Adoração para Mães 18 - Aniversário do Fundador 18 a 20 - Retiro de Casais 26 - Grande Rodizio Pizzas 31 - Corpus Christi

ANIVERSARIANTES DO MÊS SÓCIOS

CASAMENTO

15 Vorlei Afonso Bottamedi 1 Edineia Aparecida Mereth 2 Tiago Ribeiro Ávila e Esposa Josiane A. R. Medeiros 4 Raquel Coelho de Souza e Esposo 16 Aulalia Telma Suominsky Sidneia Kaegler 23 Marcos Ferreira e Esposa Engler 2 Celina Lopes da Motta Cortez 17 Marizete Maria de Carvalho Teresinha Iraci Benevenutti e Esposo Isolete Ap. Bona 18 Aline Rubia de Souza Padilha 25 Maria Goret Alves Melo e Esposo Jean Carlo Max 27 Marcia T. Hasselmann e Esposo Valdir J. Cipriano Silvio Cesar Budal Arins 29 Irineu Socoloski e Esposa 20 Deise Krause Duarte 3 Agnaldo Rodrigues 21 Adair Bonatti Aline Branchi 23 Irene Krugrer Fabiano José Rohr MEMBROS Maria Donzila da Costa Luigi de Souza Padilha 26 Edemar Tonello 03 Rosane da Silva Pereira Maria Benedita Rosa da Motta 28 Edicleia Mereth Adriano 18 Padre Fernando Gonçalves Rosimari P. Kukla 19 Érika Polliana Fróis Pereira 5 Irene Nogueira Edina Dias Alves 6 Andreia Bergui de Oliveira Iracema Nossol 7 Cauã Brodbeck Borba Luiz Altino Cordeiro 10 Cecilia Koch 29 Valdir de Borba 11 Osvaldo Ferreira Junior 30 Airton da Rosa Victor Felipe Luz Rosa Maria Hirt 12 Mislaine Padilha 31 Jardel Luiz da Luz 13 Terezinha de F. Araújo 14 João Pedro Rosário Manoel Garcia Galhardo

!

Par abéns

18

Maio/2018 • comunidaderestauracao.org


Semana na Comunidade SEGUNDA

TERÇA

15H - Terço da Misericórdia 18H - Santo Terço

15H - Terço da Misericórdia 18H - Santo Terço

QUARTA

QUINTA

15H - Terço da Misericórdia 18H - Santo Terço

A partir das 8h - Quinta-feira de Adoração 15H - Terço da Misericórdia 18H - Santo Terço 19H30 - Missa de Cura e Libertação

SEXTA

15H - Terço da Misericórdia 18H - Santo Terço 19H30 - Santa Missa

DOMINGO 10H - Santa Missa

Atendimentos PSICOLÓGICO

Segunda e Quinta-feira das 8h às 12h e das 13h às 17h

ORAÇÃO

E

ACOMPANHAMENTO ESPIRITUAL

Terça-feira - das 14h às 22h Quinta-feira - das 13h30 às 18h

CONFISSÕES Quarta-feira das 14h às 17h Ligue para a Comunidade Restauração e agende o seu horário.


Revista Comunidade católica Restauração - Maio 2018  

Revista Comunidade católica Restauração - Maio 2018

Revista Comunidade católica Restauração - Maio 2018  

Revista Comunidade católica Restauração - Maio 2018

Advertisement