Issuu on Google+

6.63

O Acumulador Integrado Líquido (figura 1) enquadra-se no campo dos Meios Naturais de Controlo Ambiental na Arquitectura/Construção, e destaca-se por ser uma inovação neste mesmo campo. Trata-se de um sistema passivo que tem como fonte energética a radiação solar. É um sistema que capta e acumula energia (como outros sistemas já existentes), mas que apresenta uma componente modular (figura 2) muito importante. Este sistema está pensado para aplicação nos compartimentos dos edifícios, independentemente da sua tipologia. No entanto, dever-se-á utilizá-lo em climas temperados (latitudes aproximadamente entre os 20 e os 40° de latitude, em qualquer hemisfério do planeta Terra). O Acumulador Integrado Líquido pretende diminuir a oscilação térmica do interior de um edifício nos períodos frios do ano (concretamente no Inverno nos climas temperados). É um sistema que capta a radiação solar e dificulta a libertação desta energia através do efeito de estufa. A energia captada é acumulada num material líquido – água – que se encontra dentro de um reservatório opaco e pintado de cor escura (figura 1). A energia será posteriormente libertada (horas

5.28

5.28

5.16

3.74

3.58

1.50

0,00

0.68 0.10

O Acumulador Integrado Líquido (figura 1) enquadra-se no campo dos Meios Naturais de Controlo Ambiental na Arquitectura/Construção, e destaca-se por ser uma inovação neste mesmo campo. Trata-se de um sistema passivo que tem como fonte energética a radiação solar. É um sistema que capta e acumula energia (como outros sistemas já existentes), mas que apresenta uma componente modular (figura 2) muito importante. Este sistema está pensado para aplicação nos compartimentos dos edifícios, independentemente da sua tipologia. No entanto, dever-se-á utilizá-lo em climas temperados (latitudes aproximadamente entre os 20 e os 40° de latitude, em qualquer hemisfério do planeta Terra). O Acumulador Integrado Líquido pretende diminuir a oscilação térmica do interior de um edifício nos períodos frios do ano (concretamente no Inverno nos climas temperados). É um sistema que capta a radiação solar e dificulta a libertação desta energia através do efeito de estufa. A energia captada é acumulada num material líquido – água – que se encontra dentro de um reservatório opaco e pintado de cor escura (figura 1). A energia será posteriormente libertada (horas depois) em forma de calor, devido às propriedades físicas da água. O recipiente que contém a água encontra-se inserido noutro volume - volume exterior (figura 1). Este consiste numa estrutura modular, que pretende isolar termicamente o interior deste sistema (onde se localiza o recipiente com água). É constituído por um conjunto de diferentes módulos (figura 3, 4, 5 e 6), que unidos/agregados, fecham o volume exterior, isolando o seu interior. Esta sequência modular (figura 2) permitirá ao sistema ser montável e desmontável com facilidade e rapidez. Os objectivos são racionalizar os gastos energéticos e diminuir os desperdícios dos recursos naturais na produção deste sistema, através de uma produção que assenta em medidas predefinidas de carácter “Standart”. A possibilidade de introduzir este elemento e os seus componentes num edifício

backyard

-0,35

-0,34

0,10

0.10

0.00

6.63 6.31

5.28

5.28

CD-B.1 CD-A.1 3.74

2.78

2.75

CD-B.2

CD-A.2 1.50

O Acumulador Integrado Líquido (figura 1) enquadra-se no campo dos Meios Naturais de Controlo Ambiental na Arquitectura/Construção, e destaca-se por ser uma inovação neste mesmo campo. Trata-se de um sistema passivo que tem como fonte energética a radiação solar. É um sistema que capta e acumula energia (como outros sistemas já existentes), mas que apresenta uma componente modular (figura 2) muito importante. Este sistema está pensado para aplicação nos

0,00

0.68

Implantation Building Area 62,3 m² Level 0 Level 1

Useful Area

Level 0 Level 1

99,7 m²

0.18

0.00

62,5 m² 37,2 m²

0.00

CD-B.3

68,3 m² 45,9 m² 22,4 m²

SECTION 3

SECTION 4

double bedroom

pateo

0,18

0,00

2,78

0,00

SECTION 2

SECTION 2

SECTION 2

SECTION 2

twin bedroom

0.10

CD-A.3

O Acumulador Integrado Líquido (figura 1) enquadra-se no campo dos Meios Naturais de Controlo Ambiental na Arquitectura/Construção, e destaca-se por ser uma inovação neste mesmo campo. Trata-se de um sistema passivo que tem como fonte energética a radiação solar. É um sistema que capta e acumula energia (como outros sistemas já existentes), mas que apresenta uma componente modular (figura 2) muito importante. Este sistema está pensado para aplicação nos compartimentos dos edifícios, independentemente da sua tipologia. No entanto, dever-se-á utilizá-lo em climas temperados (latitudes aproximadamente entre os 20 e os 40° de latitude, em qualquer hemisfério do planeta Terra). O Acumulador Integrado Líquido pretende diminuir a oscilação térmica do interior de um edifício nos períodos frios do ano (concretamente no Inverno nos climas temperados). É um sistema que capta a radiação solar e dificulta a libertação desta energia através do efeito de

double bedroom

pateo

SOLUTION A “HOUSE IN LUANDA” Total Area of the Lot 250 m² Gross Building Area

SECTION 1

SECTION 4

SECTION 2

SECTION 3

6.31

triple bedroom

0,00

bathroom O Acumulador Integrado Líquido (figura 1) enquadra-se no campo dos Meios Naturais de Controlo Ambiental na Arquitectura/Construção, e destaca-se por ser uma inovação neste mesmo campo. Trata-se de um sistema passivo que tem como fonte energética a radiação solar. É um sistema que capta e acumula energia (como outros sistemas já existentes), mas que apresenta uma componente modular (figura 2) muito importante. Este sistema está pensado para aplicação nos compartimentos dos edifícios, independentemente da sua tipologia. No entanto, dever-se-á utilizá-lo em climas temperados (latitudes aproximadamente entre os 20 e os 40° de latitude, em qualquer hemisfério do planeta Terra). O Acumulador Integrado Líquido pretende diminuir a oscilação térmica do interior de um edifício nos períodos frios do ano (concretamente no Inverno nos climas temperados). É um sistema que capta a radiação solar e dificulta a libertação desta energia através do efeito de

LEVEL 0 FLOOR PLAN

0,10

living room

kitchen

0,18

1,85

0,18

0,10

0,10

0,10

SECTION 1

Main access

SECTION 1

SECTION 1

SECTION 1

0,00

0,00

Daily access 0,00

0,00

0,00

SECTION 4

SECTION 3

SECTION 3

EVOLUTION & ADAPTABILITY Solution A - actual building Solution A.1- actual building Solution B - future upgrade Solution C - future upgrade 4 bedrooms + 1 living room 99,7 m ²

0,10

bathroom

LEVEL 1 FLOOR PLAN

0,10

3 bedrooms + 2 living room 99,7 m ²

+

5 bedrooms + 1 living room 118,3 m ²

+

5 bedrooms + 2 living room 143,7 m ²

0,00

SECTION 4


6.63 6.31

5.16

3.74

2.67

SECTION 3

1.85 3.14 2.28 0.68

0.58

0.10

0.10

0.00

0.10

6.63 6.33

5.16

2.94

2.78

5.54

2.46

SECTION 4

1.90 1.50 2.47

2.47

0.58 0.18

0.00

0.10 -0.35

SECTION 3

SECTION 4 7

2

8

1

2 2 3 4 5

2 3 4 5 6

9

6

9

16

CD-A.1

SECTION 2

SECTION 2

10

18

17

19

CD-A.2 10

20 17 21 26

ROOF LEVEL

22 23 24 25 26

CD-A.3

SECTION 1

SECTION 4

COMERCIAL

Pedestrian Acess

RESIDENCIAL STREET

URBAN LAYER

SECUNDARY STREET

Pedestrian Acess

ESTRUCTURAL AVENUE

SECUNDARY STREET

URBAN PLANNING

SECTION 1 SECTION 3

BUS

GREEN AREA

EQUIPMENT

“HOUSE IN LUANDA”

Pedestrian Acess

RESIDENCIAL STREET SECUNDARY STREET

ESTRUCTURAL AVENUE

28

12

13 14

15

27 16

6

32

10 8

8

2

16 1 telha/placagem telha de cor clara 31 2 sub-estructure of 1 3 tela impermebilização 1cm 4 isolamento termico 3cm 5 contraplacado 2cm 6 varas 4x6 cm 9 7 caleira CD-B.1 8 varas 5x10 cm 9 linha 12x10 cm 10 parede em terra 11 rufe em chapa 12 braçadeira 13 caxilharia PVC pintada em castanho 14 vidro simples 15 soleira em pedra 16 perna 12x10 cm 18 17 19 17 pavimento soalho madeira 18 varas 10x10 cm de suporte a 17 CD-B.2 19 viga madeira 20 parede de pedra (até 68 cm de altura apartir do terreno exterior) para assentar 10. 21 sub-estructure of 17 22 regularização 3 cm 23 terra compactada 10 cm 24 tela impermebilização 1,5cm 25 enrroncamento 26 terreno existente (“terra”) 27 pendural 28 esquadra metálica 29 pilar madeira 20x20 cm 22 30 blocos de terra compactados (BTC) 23 31 calço 24 32 madre 16x10 cm 25 33 portada de madeira 34 peça em pedra 26 35 bambu shading 36 lagetas em betão 50x50 cm

30

16

29

35

30

9

29

13

29 33 14 17 21

13 34

CD-B.3

36 22 23


Concurso Angola