Issuu on Google+

Golfe, da elite às Olimpíadas Página 44

# 47 MAR/2O12 Ano 4 www.documentoreservado.com.br

R$ 1O,OO

CPI do Porto a passos lentos Grito de Alerta dos industriais

Bibinho abre caixa de ferramentas Após cerca de um ano em silêncio, onde esteve inclusive preso, o ex-diretor geral da Assembléia Legislativa, Abib Miguel (Bibinho), resolve abrir a boca e questionar atual administração da Casa

oo diçã s e a t nes óvei anhe e autom p m Aco erno d cad


editorial EXPEDIENTE Jornalista responsável e editor-chefe Pedro Ribeiro Redação Norma Corrêa, Pedro Ribeiro e Lucian Haro Revisão Nilza Batista Ferreira Comercial Junior Ribas comercial@documentoreservado.com.br Fotos Shutterstock Ilustrações Davidson Projeto Gráfico e Diagramação Graf Digital Impressão Idealiza Gráfica e Editora Tiragem 10.000 exemplares Impresso em papel couché fosco LD 150 g, com verniz UV (capa) e couché fosco LD 90 g (miolo) Endereço Rua João Negrão, n0. 731 Cond. New York Building - 120. andar sl. 1205 - CEP 80010-200 - Curitiba - PR Telefones (41) 3322-5531 / 3203-5531 E-mail editor@documentoreservado.com.br

REVISTA DOCUMENTO RESERVADO Nº 47 - MARÇO/2012

Bibinho rompe silêncio D

Depois de ter sofrido retaliações por parte da nova administração da Assembléia Legislativa do Estado, o ex-diretor geral da Casa, Abib Miguel (Bibinho), que chegou a ser preso por duas vezes, resolveu reagir e encaminhou um documento ao presidente Valdir Rossoni e ao 1º Secretário, Plauto Miró Guimarães, questionando a “suposta” economia de R$ 90 milhões, feita no primeiro ano da nova gestão. Bibinho sustenta que a atual gestão gastou mais que a anterior e pede explicações à Casa. São dezenas de perguntas endereçadas a Rossoni e Guimarães num documento recheado de ironias e desabafo. Cita, inclusive, que o atual presidente exigiu que se comprasse uma cadeira que custou R$ 14 mil. Questiona também reformas no telhado da casa e a distribuição de água mineral. A documentação deverá ser encaminhada ao Tribunal de Contas. A reportagem da revista Documento Reservado conversou com o presidente Valdir Rossoni que preferiu não responder aos questionamentos, afirmando que está avaliando o documento. Muito elegante, Rossoni disse que tão logo tenha as respostas nos procurará. Já Plauto Guimarães mostrou-se destemperado, agressivo e leviano com nossa equipe, o que nos leva a crer que não está preparado para o cargo. Nossa reportagem cobra dos parlamentares o andamento da CPI do Porto de Paranaguá, faz um levantamento sobre a economia paranaense em pleno Grito de Alerta e uma matéria especial sobre as mulheres apenadas. Veja também reportagens sobre golfe e corridas de rua, além do encarte sobre automóveis, com as últimas novidades do mercado. Ainda nesta edição, destaque para a área cultural com o Festival de Teatro de Curitiba. Boa leitura! ™

Pedro Ribeiro

Circulação Abril/2012

6 Documento Reservado / Março 2012


12 BATALHA INDIGESTA 08 SINTONIA FINA 56 AGENDA CULTURAL 58 PERFIL

Olga Noce

A guerra entre os deputados Tadeu Veneri (PT) e Reinhold Stephanes Junior (PMDB), continua com lances de horror na Assembleia Legislativa. Surge agora documentos – notas fiscais – da empresa gráfica Reproset, fornecidas a Veneri, com sinais de falsificaçăo ou calçadas e que estăo sendo investigadas.

20 TOCANDO TERROR

O presidente da Câmara de Vereadores de Curitiba, Joăo Cordeiro, ex-Joăo do Suco, sinaliza que seguirá os mesmos passos do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Valdir Rossoni e está barbarizando na Casa. Já demitiu o diretor geral e promete fazer uma faxina até o final do seu mandato.

24

CARA JOVEM Começa a pipocar nas sedes dos partidos políticos, nomes dispostos a concorrerem a uma vaga na Câmara de Curitiba. Um deles é do jovem Bohdan, pré-candidato do PTB a vereador. Formado em sociologia e políticas públicas, o jovem quer entrar na política porque a acha fantástica.

53

O ALEMĂO O perfil e a história do engenheiro e conselheiro do Tribunal de Contas, estăo sendo contados no livro Heinz Georg Herwig , O Alemăo, que será lançado dia 26 de abril, ŕ partir das 17 horas, no Tribunal de Contas do Estado.

44

CORRIDA DE RUA Nas ruas de Curitiba cresce também o número de pessoas que procuram nas corridas uma forma de se exercitar e manter a saúde.

Ex-diretor geral da Assembleia Legislativa do Estado, Abib Miguel (Bibinho) resolveu contestar as acusaçőes da atual gestăo que o levaram ŕ prisăo e pede respostas em documento farto de denúncias. Afirma que a Valdir Rossoni e Plauto Guimarăes gastaram mais que Nelson Justus e Alexandre Curi.

Os industriais brasileiros năo precisaram fazer passeatas, como haviam anunciado, para obter apoio do governo federal em relaçăo ŕ desindustrializaçăo no País. A presidenta Dilma Rousseff anunciou um elenco de medidas de apoio ao setor produtivo nacional envolvendo investimentos de R$ 60,4 bilhőes.

Mesmo ainda sofrendo os reflexos da estiagem, que afetou o estado desde o final do ano passado até meados de fevereiro, os produtores paranaenses viram as exportaçőes pelo Porto de Paranaguá aumentar em 26% só no primeiro bimestre do ano.

-48

10 BOCA NO TROMBONE

26 PROTECIONISMO

36 TUDO NO AZUL

BURACO CERTEIRO A prática do Golfe está crescendo a cada dia no Paraná. Muitos jovens estăo optando pelo esporte e o Estado tem se mostrado um celeiro de novos atletas, inclusive com jogadores disputando campeonatos nos Estados Unidos.

índice

16 TOP FIVE

Nossa reportagem foi ouvir as estratégias dos candidatos ŕ Prefeitura de Curitiba. Com a timidez que os partidos vęm apresentando em prol das campanhas prefeiturais por Curitiba, resolvemos procurar os cinco nomes mais cotados ao cargo para descobrir como eles estăo se preparando para a disputa.

40 MULHER NA CADEIA

A reportagem da revista Documento Reservado foi até o presídio feminino em Piraquara para ver como anda a situaçăo das pouco mais de 500 mulheres apenadas naquele presídio.

54 COMANDULLI

Lia Comandulli, filha do jornalista e cronista esportivo, Clemente Comandulli, resgata a memória e história de seu pai, um dos mais destacados homens da imprensa paranaense das décadas de 50 a 70.

30 DENÚNCIA

Denúncias e mais denúncias fazem parte do dia a dia da Administraçăo dos Portos de Paranaguá e Antonina, APPA. Agora, surgiu a acusaçăo de que haveria venda de cargos comissionados no Porto em troca de apoio ŕ campanha eleitoral

7 Documento Reservado / Março 2012


sintonia fina

Gleisi fora de 2014 A ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT), năo vai disputar as eleiçőes de 2014 ao Governo do Paraná. Disse ŕ influentes políticos paranaenses que quer ficar na Casa Civil e se preparar para participar das eleiçőes de 2018. Para que o campo năo fique totalmente aberto para Beto Richa, é possível que Roberto Requiăo (PMDB) e Osmar Dias (PDT), venham a concorrer para levar o pleito ao segundo turno.

Menos de 2 dígitos Se Roberto Requiăo (PMDB) se candidatar ao Palácio Iguaçu em 2014, a aposta que já se faz no Centro Cívico é que ele năo chegará aos dois dígitos. Se Requiăo souber que está sendo vítima de piada em relaçăo ŕ sua performance como candidato, é bem provável que ele aceite o desafio.

Relegando apelidos Joăo Foco, morador da cidade de Morretes, teve um up-grade no seu apelido, quando ganhou na Mega Sena. Passou a ser chamado de Joăo Lustre. Em Curitiba, tăo logo foi eleito presidente da Câmara de Vereadores, o vereador Joăo do Suco deixou de usar sua marca registrada, a que lhe rendeu votos para se eleger. Hoje năo quer mais o apelido de Suco e sim, seu nome original, na íntegra: Joăo Luiz Cordeiro. Só resta saber como ficará o Juliăo da Caveira, caso se transforme em presidente da Câmara. 8 Documento Reservado / Março 2012


PEDRO RIBEIRO

Conselheiro Durval Tudo acertado. O deputado estadual e secretário-chefe da Casa Civil do governo Beto Richa, Durval Amaral (DEM), será o novo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, em substituiçăo ao conselheiro Heinz Herwig, que se aposenta no dia 26 de abril. Richa, que esteve almoçando dia desses no TC, năo revelou quem vai para a Casa Civil, mas é bem provável que o substituto de Durval Amaral seja o jornalista Deonilson Roldo. Fernando Ghignone é outro nome cotado para o cargo.

Nas catracas É cômico. De repente, em plena campanha para a Prefeitura de Curitiba, os candidatos Gustavo Fruet, Ratinho Junior e Rafael Greca estăo circulando pela cidade só em ônibus. Văo do Santa Cândida ao Pinheirinho, de Santa Felicidade ao Boqueirăo, apertando as măos dos cidadăos. Até aí tudo bem, faz parte da estratégia para conquistar votos. Depois, já sentados na principal cadeira do Palácio 29 de Março, seu principal veículo de locomoçăo será um Ômega blindado. Podem apostar.

Ratão no Palácio O governador Beto Richa e seus assessores querem Ratinho Junior em suas fileiras. Embora tenha afirmado e reafirmado sua candidatura a Prefeitura de Curitiba, o deputado federal poderá mudar de idéia. Tudo depende das negociaçőes futuras, ou seja, do Governo em 2014. Quem esteve visitando o governador no Palácio foi justamente o pai de Ratinho Junior, o apresentador Carlos Massa, o Ratăo. Sobre o conteúdo da conversa ninguém ficou sabendo.

A eminência Quem continua bastante assediado no Palácio Iguaçu e fora dele é o primo Luis Abi. Dia desses foi visto almoçando no Bar do Maneco com um time da pesada, ou, do judiciário paranaense. Abi continua, de Curitiba a Londrina, dando pitacos no governo, principalmente na área comercial. A eminęncia parda do governo deixou os sofisticados restaurantes e bares de lado para conversar sossegado em restaurantes mais populares.

Reviravolta Há quem aposte que o deputado Valdir Rossoni (PSDB) năo será reeleito presidente da Assembleia Legislativa do Estado. O homem acabou batendo de frente com quase todo o legislativo e, como ônus, levará um năo quando da eleiçăo, em fevereiro do próximo ano. As mesmas pessoas apostam na volta de Alexandre Curi na primeira secretaria. Como em política tudo pode acontecer, é esperar para ver.

9 Documento Reservado / Março 2012


política

Bibinho contra ataca

irregularidades A

bib Miguel, ex-diretor geral da Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, defenestrado do cargo e preso, rompe o silêncio para, em “defesa própria”, questionar a retaliação que sofreu pela atual presidência e direção do legislativo paranaense. Em documento encaminhado ao presidente da Assembléia Legislativa, deputado Valdir Rossoni, e ao 1º Secretário, Plauto Miró Guimarães Filho, Abib Miguel, o Bibinho, como é conhecido, pede explicações sobre a “suposta” economia de R$ 90 milhões, devolvidos aos cofres do Estado. Bibinho faz um histórico onde afirma que, em 2010, na gestão do deputado Nelson Justus, teria sido gasto a

quantia de R$ 304.881.520,00 incluído o pagamento da URV no valor de R$ 27 milhões. Portanto, diz ele, o gasto do exercício foi de R$ 277.881.520,00 e a gestão atual gastou R$ 290.970 mil, ou seja, segundo ele, R$ 13.088.480,00 a mais que a gestão anterior. E pergunta: como teria economizado R$ 90 milhões, se gastou a mais que a gestão anterior onde, para confirmar a economia divulgada, poderia gastar R$ 187.881.520,00. Em seu documento, Bibinho diz que fica evidenciado que houve um aumento de despesa e não diminuição, pois no mês de janeiro, a gestão de Nelson Justus era de R$ 17 milhões, enquanto a da atual gestão, Valdir Rossoni, está em crescente aumento de R$ 20 milhões a R$ 25 milhões. De acordo com dados coletados por Bibinho, no mês de fevereiro de 2012, o repasse chegou à marca de R$ 45 milhões.

O ex-diretor geral da Assembléia Legislativa cobra informações sobre economia de R$ 90 milhões e gastos da atual administração da Casa

10 Documento Reservado / Março 2012


PEDRO RIBEIRO

e denuncia

na Assembléia Preocupante e ilegal Na operação dos R$ 90 milhões, o denunciante diz que há um “fato preocupante e ilegal que envolve o repasse de dinheiro público ao Poder Legislativo”. Segundo Bibinho, na “tentativa de se fechar suposta conta dos R$ 90 milhões no mês de dezembro de 2011, a Fazenda Pública repassou (através de DOC bancário) o montante de R$ 45 milhões no dia 01/12/2011 e já no outro dia 02/12/2011 o valor foi devolvido. A taxa bancária de movimentação desses valores foi paga duas vezes”. Bibinho observa que, para haver repasse de verba pública, há necessidade de “empenhar” o dinheiro naquilo em que irá pagar. De acordo com ele, não se pode empenhar sem haver destino prévio do gasto, ou para tentar legitimar “economia/devolução” de dinheiro público. Assim, pode-se apurar o exato destino do dinheiro público. Bibinho pede, em seu documento à Assembléia Legislativa, que se explique qual foi o parâmetro utilizado para se chegar a suposta economia de R$ 90 milhões. O documento é recheado de outros questionamentos envolvendo a atual administração da casa. A revista Documento Reservado procurou o presidente da Assembléia Legislativa, deputado Valdir Rossoni, para um eventual rebate nas acusações de Bibinho. A reportagem foi recebida mas, como Rossoni está de quarentena com a imprensa, não quis falar sobre o

Valdir Rossoni

assunto, afirmando que está avaliando o documento e que posteriormente daria as explicações solicitadas. A reportagem foi em busca de respostas junto ao 1º Secretário, deputado Plauto Miró Guimarães Filho que, ao contrário do presidente, passou a agredir com palavras ofensivas à repórter e acusando, levianamente, seu

Plauto Miró

editor-chefe. Não vamos, não podemos e jamais julgaríamos o deputado Plauto Guimarães por esse ou qualquer outro fato e deixamos para sua consciência, de homem público e representante de um grande número de paranaenses no legislativo paranaense, avaliar sua postura. Apenas vamos dar continuidade ao nosso trabalho. ™ 11 Documento Reservado / Março 2012


política

Nem só de

fantasmas vive a

Assembleia Legislativa O Engana-se quem pensa que as irregularidades que assombram a Assembleia Legislativa, são levadas a efeito apenas com funcionários fantasmas. O deputado Tadeu Veneri está sendo acusado de usar notas fiscais falsas para comprovar despesas de gabinete.

12 Documento Reservado / Março 2012

que poderia configurar apenas um bate-boca entre dois deputados sem maiores consequências, em maio de 2011, hoje se revela mais grave do que parecia a princípio. O deputado Reinhold Stephanes Júnior (PMDB) acusou o colega de plenário, Tadeu Veneri (PT), de ter se apropriado de

cerca de R$ 150 mil, referentes a verbas de ressarcimento pagas pela Assembleia Legislativa do Paraná. O peemedebista denunciou o petista afirmando que Veneri teria usado o dinheiro para a sua reeleição em 2006. O caso foi parar no Tribunal de Justiça (TJ) e no Tribunal de Contas do Estado (TCE), onde


NORMA CORRÊA

Veneri responde a ações pelo uso de notas fiscais falsas, conforme avaliação feita pela Receita Estadual. A denúncia, levada aos Tribunais partiu de Edimar Rodrigues de Almeida Pegoraro, que fez questão de analisar as notas fiscais postas no blog do deputado Veneri, e que comprovariam os gastos da verba de representação, que os deputados têm direito como reembolso com as despesas de seus gabinetes. Como os números não batiam, Pegoraro entrou com uma ação popular, denunciando Tadeu Veneri por cobrir parte dos gastos de sua campanha de reeleição, em 2006, com dinheiro público. As diligências determinadas pelo juiz Nei Roberto de Barros Guimarães, da 8ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, para apurar as denúncias feitas na ação popular sobre suposto uso de dinheiro público para financiar cam-

panha política, acabaram por revelar ilícitos mais graves. Reproset Segundo as investigações, parte dos ressarcimentos pagos a Veneri foi recebido a partir da apresentação de notas fiscais falsificadas, segundo constatação da Receita Estadual, a partir de diligências feitas na empresa Reproset Indústria Gráfica Ltda. Foram verificadas, então, que pelo menos duas notas apresentadas pelo deputado, para justificar os gastos, são frias. Uma delas, a nota fiscal nº 14.233, emitida pela Reproset, de Curitiba, no valor de R$ 10 mil, apresentada pelo petista, é falsa. De acordo com a Receita, a nota fiscal original, com o mesmo número, mas com >>

Notas fiscais “quentes” emitidas pela empresa Reproset se contrapõem com as notas fiscais “frias” apresentadas pelo deputado

Foram verificadas, que pelo menos duas notas apresentadas pelo deputado, para justificar os gastos, são frias. Uma delas, a nota fiscal nº 14.233, emitida pela Reproset, de Curitiba, no valor de R$ 10 mil, apresentada pelo petista, é falsa. 13 Documento Reservado / Março 2012


Foto: Sandro Nascimento/ALEP

política

Deputado Tadeu Veneri responde a dois processos, no Tribunal de Justiça e no Tribunal de Contas, por uso de notas fiscais falsificadas

14 Documento Reservado / Março 2012

fez saques, como ressarcimento, no valor de R$ 98.550,00, num período de apenas 33 dias – entre 8 de novembro e 11 de dezembro de 2006. Curiosamente, o mesmo período que corresponde à exigência da prestação de contas dos candidatos eleitos na campanha eleitoral daquele ano”, diz um trecho da ação popular. Tadeu Veneri contestou a ação, alegando que as despesas que fez estava de acordo com a legalidade e que as notas fiscais e demais documentos comprovariam a existência de despesas efetivamente realizadas e

O outro lado A reportagem da revista Documento Reservado procurou o deputado Tadeu Veneri, mas ele não respondeu as ligações. A Reproset também foi procurada para dar sua versão dos acontecimentos. No entanto, a responsável pelo departamento financeiro da gráfica, que se identificou pelo nome de Telma, foi enfática ao dizer que o assunto corre “em sigilo empresarial” e que outra pessoa responderia às nossas perguntas. Uma diretora, Janete, sem meias palavras foi enfática ao afirmar que a Reproset não diria nada sobre o assunto. ™ Foto: Nani Gois/ALEP

valor de R$ 5 mil, pertence a outro cliente da Gráfica. Este documento foi considerado original porque consta nos registros da Receita como os devidos recolhimentos de impostos. Outra nota fiscal, também da Reproset, está sendo considerada falsificada. A nota fiscal de nº 1439, apresentada na Assembleia Legislativa pelo deputado Tadeu Veneri como comprovante de despesas a serem ressarcidas, no valor de R$ 14.400,00, também foi considerada pela Receita Estadual como falsa. Segundo o órgão, a versão legítima da nota fiscal foi emitida em benefício de outro cliente da Reproset, com valor de R$ 3 mil. A suposta fraude, com as divergências entre os documentos fiscais, rendeu a lavratura de auto de infração (nº 6.578.652-4), contra a Reproset. Se comprovadas as denúncias, o deputado Tadeu Veneri pode ser enquadrado em crime de estelionato (artigo 171 do Código Penal), cuja pena é de até cinco anos de detenção. “Além do uso indevido das verbas de ressarcimento, pudemos identificar, ainda, movimentação atípica. Os deputados paranaenses têm direito a R$ 27.500,00 mensais (R$ 330 mil por ano) a título de ressarcimento. O deputado Veneri

ressarcidas. “Os calendários e outras matérias produzidas não foram brindes eleitorais, mas sim material de divulgação legítimo”, se defende Veneri, ao acusar Pegoraro de estar litigando de má fé. “As alegações de Veneri são contrapostas com a documentação da Receita Estadual, que afirma que as prestações de contas do deputado petista incluem notas fiscais frias”, reage Pegoraro. Ainda de acordo com a ação, os livros de registros de saídas da Reproset mostram que as notas fiscais “quentes” foram outras, e não as apresentadas pelo petista.

Deputado Stephanes Júnior foi quem trouxe o assunto à tona provocando grave discussão no plenário da AL


15 Documento Reservado / Marรงo 2012


política

Pinga-fogo e

bate-chapa

A

seis meses da eleição pela prefeitura de Curitiba, supõe-se que as principais siglas que entrarão na disputa já estão com seus candidatos escolhidos, cabos eleitorais bem articulados e um discurso eleitoral na ponta da língua para ninguém botar defeito, certo? – que nada. Percebendo muita timidez nas movimentações em prol das cam-

panhas, tanto pelas bases correligionárias quanto pelos próprios partidos, a Documento Reservado resolveu cutucar os nomes mais cotados ao cargo, para saber como eles estão se preparando para o bate-chapa de outubro. Confira nas próximas páginas, também, as expectativas e dramas que alguns pré-candidatos estão vivendo.

Gustavo Fruet (PDT) Disparado nas pesquisas informais de intenção de voto, o ex-deputado federal parece mesmo saber onde quer chegar. Aparentando ter a chapa mais sólida da disputa, ele, que nasceu e se criou em um ambiente totalmente favorável à vida pública, diz fazer política por vocação e gosto pessoal. A candidatura pelo PDT já está “confirmadíssima” e, segundo afirma, os trabalhos mais intensos devem começar a partir de julho, quando ocorre a protocolação oficial das chapas e fica liberada a propaganda eleitoral. A única coisa que depõe contra o pré-candidato é o imbróglio partidário que ele causou, ainda em meados de 2011, quando aparentou “pular de galho em galho”, saindo do PSDB e deixando-se levar pelo “canto da sereia” que vinha do PT e indicava a filiação ao PDT. A voada do ninho tucano foi justificada por Fruet como sendo uma represália ao “silêncio constrangedor” que obteve sobre sua reivindicação de assumir a direção municipal do partido em Curitiba. Estratégia Na condição de pré-candidato à prefeitura, Fruet afirmou que oferecerá uma alternativa de renovação aos populares, em contraposição ao grupo do atual prefeito Luciano Ducci (PSB), que há décadas comanda a cidade. Até mesmo porque, apontou ele, o acúmulo de problemas em setores como o trânsito e a falta de solução para a questão do lixo demonstram que a administração vigente perdeu a capacidade de planejamento e inovação.

16 Documento Reservado / Março 2012


LUCIAN HARO

Luciano Ducci (PSB) Mais certa que a candidatura de Fruet, só a campanha de Ducci (PSB) pela reeleição. A corrida do aliado tucano, que pela primeira vez sai a campo sem o respaldo direto de Beto Richa (PSDB), será mais um teste de popularidade do que qualquer outra coisa, garantem especialistas em Política. O suplente de aparência pacata, que chegou “como quem não quer nada” depois que Richa abdicou do cargo para concorrer ao governo do estado, mostrou, recentemente, que tem é muita influência, principalmente na Câmara de Vereadores. Ele é apontado como sendo um dos principais responsáveis pela eleição de João do Suco (PSDB) no comando da Casa, assumindo o lugar do ex-presidente investigado e também tucano, João Cláudio Derosso. Ducci foi até alvo de duras críticas dos opositores da Câmara que disseram que na época dos escândalos contra Derosso, ele se manteve o mais longe possível do Legislativo, mas que pouco antes da aclamação do novo presidente, teria convencido alguns vereadores indecisos a apoiar seu líder à vaga. Estratégia Ninguém declara isto publicamente, mas é certo para os curitibanos que as obras tocadas pela prefeitura da cidade a ritmo acelerado, em especial neste começo de ano, têm a ver com a vontade de Ducci de permanecer no cargo. Nunca se viu tantas ruas passando por recapeamento asfáltico, nem rios e lagos sofrendo tanto desassoreamento como agora. Melhorias repentinas, essas, que, segundo apontam os insatisfeitos com a gestão do atual prefeito, servem apenas para “mostrar serviço” em época de eleição. Ducci tem fugido dos telefonemas e microfones da imprensa para falar sobre reeleição, pois afirma não se sentir a vontade em se pronunciar como pré-candidato, uma vez que o período destinado à campanha eleitoral ainda nem começou.

Tadeu Veneri (PT) O deputado estadual talvez viva uma das situações mais dramáticas da eleição em Curitiba. Sob suas noites mal dormidas ainda paira o mistério de se o partido vai lançar candidatura própria – incluindo aí, também, Ângelo Vanhoni e Dr. Rosinha na jogada -, ou se vai preferir apoiar o pleito do PDT, que sai com Gustavo Fruet. A decisão deve ser conhecida só no final do mês, quando ocorre o encontro municipal do partido e os delegados petistas votam o destino da sigla. Mesmo sem tradição política no comando da capital, Veneri defende que “um partido que conta com uma presidente da República, vários ministros e cadeiras representativas na Câmara dos Deputados deve, no mínimo, ter algo a dizer à cidade. E não pode ficar de fora da disputa, de jeito algum”. O parlamentar acredita, ainda, em mais crises de insônia e muitas dúvidas no ar, já que os principais articuladores do PT, pertencentes ao chamado “núcleo duro” do partido, estão favoráveis, mesmo, à coligação. Entram nessa lista, nomes como o da ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann e de seu esposo, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Estratégia Entre as propostas de campanha de Veneri, uma visão macro sobre a cidade, com investimentos principalmente em saúde, educação e moradia, além do combate à desigualdade social. 17 Documento Documento Reservado Reservado // Março Março 2012 2012


política

Renata Bueno (PPS)

Partido da base aliada ao governo Beto Richa (PSDB), e ao contrário do que vive o PT, o PPS já está bem definido com sua candidatura própria na disputa pela prefeitura da cidade. A sigla deve lançar ao cargo Renata Bueno, apostando na autenticidade e personalidade forte da vereadora. Renata, já na época dos escândalos que apontavam para desvios supostamente cometidos por João Cláudio Derosso, na Câmara Municipal de Curitiba, desconsiderou as boas relações de seu partido com os tucanos e bateu de frente com o ex-presidente. Fato que ela acredita que não irá prejudicar sua pré-candidatura, nem causar embaraço entre os partidos, que inclusive já foram “irmãos” na eleição que reelegeu Beto Richa prefeito da cidade, em 2008. A fúria com que atacou Derosso, segundo ela, pode, no máximo, causar retaliações entre alguns colegas de plenário. A vereadora também acredita em uma nova história construída pelo PPS, a partir deste ano, e não poupou farpas ao dizer que tem convicção que seu partido, mesmo com os maus exemplos recentes da política curitibana, não tem espírito para se vincular a qualquer grupinho de poder. Estratégia Partir para a humanização social é a principal meta da pré-candidata. Ela pensa em melhorar a condição de vida das pessoas, inovando também nos projetos de segurança pública, transporte coletivo e sustentabilidade urbana.

Ratinho Júnior (PSC)

Diferente da última eleição municipal, quando desistiu de seu pleito encima da hora e frustrou todas as expectativas do arraial petista, - que esperava levar a disputa por Curitiba para o segundo turno - o deputado federal Ratinho Junior (PSC) defende uma pré-candidatura independente, neste ano, e promete permanecer na disputa até o fim. O discurso também é bem convincente. Ele diz que mesmo fazendo parte da base de sustentação no Governo Federal, “não há possibilidade de aliança que o faça desistir da campanha”. Mas, como nem tudo são flores e todos tem seus altos e baixos, Ratinho Junior ganhou a antipatia de alguns eleitores, em especial neste início de caminhada, após aparecer pedindo apoio em diversos grupos políticos, num curto espaço de tempo. Só entre janeiro e fevereiro, por exemplo, visitou o PT, o PV, o PCdoB e o PTdoB. Nada que o comprometa, afirma. Na verdade, segundo ele, essa é uma das vantagens de sua independência. “Posso passear por todos os grupos políticos. Tenho um ótimo relacionamento com o governador Beto Richa e um bom trânsito também no governo federal”, disse. Estratégia Além das visitas-cortesia aos partidos que ainda não definiram se lançam candidato próprio ou se apoiam alguém, Ratinho Júnior já tem direcionamento pronto para a campanha eleitoral: vai apostar na visão de futuro. O grande desafio para o próximo prefeito da cidade, na visão do deputado, é planejá-la para os próximos 20 anos. Ele defende a tese de que, nós brasileiros, deveríamos ser como os asiáticos, que criam modelos de gestão para uma década. Mudanças no modal viário e no sistema público de transporte também estão na mira do pré-candidato. 18 Documento Reservado / Março 2012


Prefeitura entrega material escolar e uniforme Pelo 8ş ano consecutivo, cerca de 10 mil alunos foram contemplados pelo programa Criança na Escola Incentivar as crianças a freqüentar a escola. Esse é o objetivo da política de entrega de material escolar e uniforme para todos os alunos da rede municipal de ensino em Almirante Tamandaré. A açăo criada pela Prefeitura Municipal se repete há 8 anos no município e teve nesta manhă (20), a entrega simbólica dos itens realizada em uma solenidade com a presença do prefeito Goinski e de autoridades locais e convidadas em frente a sede da Prefeitura. Segundo o secretário Romildo de Brito, todos os materiais e uniformes que foram adquiridos pelo programa municipal Criança na Escola săo de boa qualidade e certificados pelo INMETRO. Ao lado de outras açőes em prol da educaçăo no município, Romildo destaca o sucesso do programa: “É possível fazer bonito com seriedade e dedicaçăo”. Ao final do evento, como acontece anualmente, foram sorteadas duas bibliotecas com 360 volumes de livros para duas escolas: Rosilda Kowalski e Alvarenga Peixoto. Neste ano, cerca de79 reais foram gastos por aluno com a compra do material e uniforme – um investimento de aproximadamente um milhăo de reais que irá beneficiar mais de 10 mil alunos. “A administraçăo de Almirante Tamandaré está de para-

Prefeito Goinski agradece o empenho de todos que trabalharam por mais uma ediçăo de sucesso do programa Criança na Escola

béns por oportunizar avanços como esse no município”, afirma o chefe do núcleo de educaçăo área norte, Sérgio Ferraz. Vilson Goinski, prefeito municipal, agradeceu o trabalho de todos os servidores da Prefeitura e ressaltou a importância da açăo viabilizada num processo transparente de pregăo eletrônico, a qual faz parte de um conjunto de medidas na área da educaçăo. “Os cursos de capacitaçăo para os servidores municipais, as melhorias no transporte e merenda escolar, o plano de cargos do magistério, as

obras de reforma, ampliaçăo e construçăo de prédios públicos, a entrega dos kits de higiene bucal e, por último, o reajuste salarial de mais 22% para todos os profissionais da educaçăo. Além de alunos e profissionais de escolas municipais e CMEI´s, participaram do evento funcionários e secretários municipais, representantes da comunidade e os vereadores Ângelo Prosdócimo, Edson Vieira, Francisco Nunes, Leonel Siqueira, Walter Purkote, Nereu Colodel, Joăo Marcelo Bini e Osvaldo Stival. 19 Documento Reservado / Março 2012


política

Hora de Vinte e cinco vereadores, dos 38 que compõem a Câmara de Curitiba, escolheram o tucano João do Suco, que agora assumiu o nome de batismo, João Luiz Cordeiro, para comandar a Casa, até o dia 31 de dezembro deste ano. Ele tem muitas ideias e sugestões para colocar em prática nos próximos nove meses

20 Documento Reservado / Março 2012


NORMA CORRÊA

limpar a casa D

epois de mais de seis meses entre a cruz e a espada, os vereadores na Câmara de Curitiba estão tentando baixar a poeira, deixada pelas denúncias que envolveram o ex-presidente da Casa, vereador João Cláudio Derosso (PSDB), em supostas irregularidades em contratos de publicidade. Depois de comandar por 15 anos o Legislativo municipal, o vereador tucano, em uma carta lida no plenário, anunciou que renunciava ao cargo “para preservar a imagem da Câmara, o trabalho e a história como parlamentar”. Pesou muito nesta decisão, o fato de que a imagem do próprio Derosso se desgastava, aos poucos, aos olhos dos demais vereadores. Tanto foi assim, que pouco antes da renúncia, 15 líderes partidários se reuniram para debater a instalação de uma comissão processante para afastar o vereador definitivamente do cargo. Até o apoio do PSDB ele perdeu, já que não foram poucos os vereadores tucanos que assinaram, junto com a bancada de oposição na Casa, um requerimento para instalar uma Comissão Processante, cujo objetivo único era tirar Derosso do cargo. Os vereadores não dizem, mas é óbvio que as ações para “limpar” a imagem da Câmara têm por base as eleições que se aproximam e, certamente, todos serão candidatos à reeleição.

Ex-João do Suco, agora, vereador João Luiz Cordeiro, assina ata de posse como presidente da Câmara de Curitiba

Credibilidade Então, com a renúncia de Derosso, a Comissão Processante perdeu o objeto e foi devidamente arquivada. Agora, o Ministério Público e o Tribunal de Contas já estão em campo investigando as denúncias de supostas irregularidades na administração da Câmara, como a contratação da empresa Oficina da Notícia,

de propriedade de sua esposa, Cláudia Queiroz, que seria funcionária da Casa quando venceu a licitação de um contrato de publicidade estimado em R$ 30 milhões. A vereadora Noemia Rocha (PMDB) disse que a Casa cumpriu com o seu papel ao propor a comissão processante, que forçou a saída do tucano. “Vitória da oposição e de

>>

Câmara de Curitiba sofreu por quase um ano com as denúncias de irregularidades em contratos de publicidade. Novo presidente promete resgatar a moral da Casa

21 Documento Reservado / Março 2012


política

Depois de 15 anos no comando da Câmara de Curitiba, o vereador João Cláudio Derosso, renuncia à presidência, acossado por denúncias

Curitiba. Derosso acaba de renunciar ao cargo de presidente”, comemorou a vereadora Professora Josete (PT). Para ela, a instituição pode agora trabalhar para retomar sua credibilidade. “Este é um momento histórico”, resume. Vencida esta etapa, o próximo passo seria a eleição para a presidência da Casa. Uma semana depois da renúncia de Derosso, no dia 19 de março, aconteceu a eleição que, dias antes, tinha sete pré-candidatos, mas que apenas dois deles levaram a intenção à diante. O novato na Câmara, João do Suco (PSDB), então líder do prefeito Luciano Ducci (PSB), e o já experiente vereador Paulo Salamuni (PV ), disputaram os 38 votos. Paulo Salamuni conseguiu 11 votos. Por ampla maioria, 25 votos, 22 Documento Reservado / Março 2012

João do Suco, que prefere deixar o “Suco” de lado, assumindo seu nome de batismo, João Luiz Cordeiro, foi eleito presidente da Casa. “Porque eu fazia muito suco, abri uma lanchonete com este nome, no Pinheirinho (um dos maiores e mais populosos bairros do Sul de Curitiba). Todos aqui foram eleitos e representam a cidade, são pessoas que tem respeito a essa Casa. Como líder do prefeito, aprovamos todos os projetos que foram precisos. A cidade não parou, mesmo com a crise política. É tempo de transformação, quero respeitar cada vereador e vereadora. Outro João Todos os presidentes cumpriram seu papel. Não vão se envergonhar do João do Suco

se me tornar presidente”, disse, pouco antes de ser eleito. Para a maioria dos vereadores, a tranquilidade na eleição de João Luiz Cordeiro para a presidência da Câmara, aconteceu em razão da forma como o tucano conduziu a bancada governista na Casa, interagindo com todos os parlamentares. A amabilidade no trato com as pessoas, para os vereadores que apoiaram o tucano nesta eleição foi fator preponderante da rápida ascensão de João do Suco na Câmara. “Houve uma reação por parte de cientistas políticos. Inclusive minha coordenadora de curso, de quando estava na Academia, sugeriu que, por causa da responsabilidade de ser presidente da Casa Legislativa, era o momento de eu colocar João Luiz Cordeiro como o nome em atos oficiais, documentos. Se for melhor assim, para a cidade e para as pessoas, ao receber uma autoridade em meu gabinete ou representar a cidade de Curitiba, serei o João Luiz Cordeiro. Mas, em nenhum momento, tenho constrangimento de dizer que eu sou o João do Suco, pois foi com esse nome que João Luiz Cordeiro chegou até aqui”, disse o vereador em uma longa entrevista ao jornal Gazeta do Povo. Mandato tampão Para tocar o barco à frente, Cordeiro estabeleceu um minucioso cronograma de trabalho, com a realização de várias reuniões com as diretorias da Casa, para, segundo ele, avaliar a situação, principalmente financeira. Garantiu que vai se debruçar sobre as licitações realizadas, em todos os setores, para fazer uma criteriosa avaliação. De acordo com o tucano, será a partir desse diagnóstico que será feito um planejamento de ações futuras, embora tenha consciência que o seu mandato é “tampão”, até o dia 31 de dezembro de 2012. Porém, Cordeiro deixa claro que vai tratar com


Para tocar o barco à frente, Cordeiro estabeleceu um minucioso cronograma de trabalho, com a realização de várias reuniões com as diretorias da Casa, para, segundo ele, avaliar a situação, principalmente financeira. Garantiu que vai se debruçar sobre as licitações realizadas, em todos os setores, para fazer uma criteriosa avaliação.

lupa as licitações, e, para isso, ele designou um diretor especialmente para coordenar esse trabalho, e que estará diretamente ligado à presidência. Esse planejamento, conforme enfatizou, não será feito por uma única pessoa, mas sim, por um colegiado composto pelas diretorias da Casa e da mesa executiva. Um dos primeiros pontos em que o vereador terá que dispensar especial atenção, e tem apenas 60 dias para isso, é quanto à recomendação do Ministério Público do Paraná de a Casa reduzir o número de funcionários comissionados que extrapola o número de servidores concursados. De acordo com o novo presidente, já existe cerca de 80 pessoas numa lista de espera de um concurso realizado e que ele acredita que podem ser usados para resolver parte do problema. Também é neste período que Cordeiro assumiu o desafio de reverter o desgaste da imagem da Câmara e dos vereadores. Ele tem consciência de que o tempo é curto, mas aposta que pode começar essa transformação. “Para você mudar o pensamento de um cidadão que está magoado, que votou em alguém em quem depositava esperança e não foi correspondido, leva tempo. Mas nós temos que trazer uma solução para isso”, afirma. Quem é João Luiz Cordeiro João Luiz Cordeiro, mais conhecido como

em 2010 e, depois, respondia pela liderança do prefeito Luciano Ducci na Casa. Atuou nas comissões de Saúde e Meio Ambiente, Economia, Assuntos Metropolitanos e Especial do Lixo. É membro do Conselho Estadual das Cidades, do Gabinete de Gestão Integrada Municipal em Segurança Pública (Pronasci), do Conselho do Hospital Erasto Gaertner e presidente do Comitê Curitiba do Movimento Nacional da Cidadania Pela Vida – Brasil Sem Aborto. ™

o João do Suco, é curitibano e tem 53 anos. Casado com Célia, possui duas filhas, Isabelle e Heloise. Herdou de seus pais, Waldomiro e Maria, ambos comerciantes, a garra e o mesmo ramo de trabalho. Ministro da Eucaristia e membro atuante do Movimento de Conscientização Cristã – MCC da Igreja do Guadalupe –, ele atua na defesa da vida e a valorização da família. Como comerciante, se instalou há mais de 25 anos, primeiro com uma banca de frutas e verduras, no bairro Pinheirinho. Depois veio a Lanchonete João do Suco (que foi vendida em 2007), apelido criado por amigos e incorporado desde então. Ajudou a criar a Associação Comercial do Pinheirinho (Ascomarp), da qual é presidente de honra. Foi gestor público, administrador da Regional do Pinheirinho, duas vezes suplente de vereador e, em 2008, eleito vereador pelo PSDB, com 6.640 votos. Na Câmara de Curitiba, ocupou a liderança da bancada do PSDB

Vereador Paulo Salamuni, do PV, disputou com Cordeiro a presidência da Câmara e fez 11 votos, dos 38 possíveis 23 Documento Reservado / Março 2012


política

PEDRO RIBEIRO

Cara nova na política

com gás e garra

E

mbora a política nos tenha traumatizado em alguns momentos, ainda há quem acredite nela e nos seus protagonizadores. Bohdan Metchko Filho, 30 anos, do interior do Estado do Paraná - Campo Mourão- e do mundo - experiência de vida em vários países é um desses jovens que ainda carrega na alma e no espírito a crença de que um dia a democracia será exercida com todas as letras em nosso país. É pré-candidato do PTB a uma vaga na Câmara Municipal de Curitiba e sua intenção é resgatar a função do legislativo municipal. Formado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Paraná e Gestão Pública pela Facinter, com passagens pela Adesg Paraná, o candidato faz parte do atual governo do Estado, instalado na Casa Civil, onde dá assessoria à chefia da casa. Participação política partidária não consta em seu currículo, a não ser dedicação à campanhas como a de Beto Richa ao Governo do Estado. Mas foi vice e presidente da Casa do Estudante Universitário, o centro nervoso e escola para iniciantes na vida partidária. É voluntário como professor no Colégio Fenix e quer entrar na política para participar da política, pois acredita que a juventude brasileira precisa estar mais presente nas

24 Documento Reservado / Março 2012

Bohdan Metchko Filho e Beto Richa

Eu acredito na política porque ela é fantástica. Bohdan Metchko Filho

discussões sociais e pensar mais na coletividade e não no individualismo. Com gás sobrando na sua jovialidade, Bohdan Metchko Filho acredita no legislativo municipal por entender que a “política é fantástica, motivadora”. Quer “fazer o pequeno de maneira grande”. E segue as lições do líder Teotônio Vilela: “temos todos nós por ação ou missão, estímulo ou compreensão, responsabilidade pelos fatos da história”. ™


25 Documento Reservado / Marรงo 2012


indĂşstria

Grito de Alerta resulta em investimentos

de R$ 60 bi

26 Documento Reservado / Março 2012


PEDRO RIBEIRO

P

ara justificar os decepcionantes resultados da indústria no primeiro bimestre deste ano, as lideranças do setor indicam as omissões deste governo e dos anteriores. E voltam a bater na mesma tecla: como enfrentar o jogo duro da crise global se tem que arcar com carga tributária de 36% do PIB? Soma-se a esse fator, os altos custos de logística que estão 20% do PIB, um câmbio desfavorável e quebra da safra agrícola, além do grande número de produtos importados que vem sufocando a indústria nacional. Em resposta aos apelos dos industriais que haviam marcado, para o dia três de abril, uma manifestação nacional alertando o governo sobre os problemas com a desindustrialização no País, a presidenta Dilma Rousseff lançou um pacote de estímulo à produção que envolverá investimentos de R$ 60 bilhões.Deste valor total, R$ 45 bilhões referem-se a uma nova operação de capitalização do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que ampliará a concessão de crédito para o setor produtivo com taxas de juros mais baixas. Também estão previstos R$ 3,1 bilhões em desonerações, o que inclui a desoneração da folha de pagamentos. O governo informou que a desoneração da folha custaria R$ 4,9 bilhões neste ano. O governo irá receber recursos por conta da tributação da Cofins na importação, e acrescentou que alguns setores já estavam no processo. Portanto, o impacto líquido é de R$ 3,1 bilhões. O Ministério da Fazenda informou A presidenta Dilma Rousseff afirmou hoje (3), na

coluna Conversa com a Presidenta, que o governo vai tomar medidas para defender a indústria brasileira e evitar a competição “desleal” de alguns países. Ao responder pergunta de Maria de Lourdes Farias, servidora pública em Recife (PE), sobre a grande quantidade de produtos chineses no mercado nacional, Dilma disse que o governo dedica atenção especial à competitividade da indústria brasileira e adiantou que ainda hoje lançará medidas para fortalecer as empresas nacionais. Dilma Rousseff disse que “o governo dedica atenção especial à competitividade da indústria brasileira. Estamos anunciando novas medidas para estimular o investimento, fortalecer a produção e a geração de empregos no Brasil. Como temos um grande mercado consumidor, os outros países querem exportar para o Brasil, muitas vezes competindo de forma desleal com os produtos brasileiros”. “Entre as medidas que já adotamos para defender nosso mercado, estão o aperfeiçoamento de instrumentos de defesa comercial, ações para evitar valorização excessiva do real, e redução de tributos e de juros, para estimular o investimento produtivo e desestimular o especulativo. A nossa resposta principal está consolidada no Plano Brasil Maior, lançado no ano passado, e que hoje será reforçado com novas medidas de incentivo ao setor produtivo nacional. Nosso desafio é garantir que a produção e o emprego continuem crescendo no Brasil e também que os consumidores brasileiros tenham acesso a produtos cada vez melhores e mais baratos”.

Dilma Rousseff disse que “o governo dedica atenção especial à competitividade da indústria brasileira

Desindustrialização Para avaliar o desaquecimento da indústria e a própria situação futura do setor, o presidente da Fiep conversou com nossa reportagem:

DR - Como o senhor avalia a queda no PIB Edson Campagnolo – Levando em conta o cenário internacional, em que economias fortes como Estados Unidos e Europa continuam em processo de recuperação, o fato de o Brasil ter crescido em 2011 poderia até ser considerado positivo. Mas o Brasil continua crescendo abaixo do seu verdadeiro potencial, ainda mais quando nos comparamos com outros países em desenvolvimento, como China e Índia.

DR - E a queda da previsão de crescimento? EC – Apesar de algumas previsões já apontarem índices menores, o Banco Central divulgou agora, no fim de março, que mantém a

>>

“Desindustrialização, na prática, significa deixar de gerar empregos de qualidade no Brasil para gerá-los em outros países”. Edson Campagnolo, presidente da Fiep

27 Documento Reservado / Março 2012


indústria

expectativa de que o PIB brasileiro cresça 3,5% em 2012 – próximo aos 2,7% do ano passado. O governo tem anunciado medidas de incentivo que podem ajudar na retomada de alguns setores. Também vem percebendo os movimentos da economia e trabalhando pela redução da taxa de juros. Mas ainda é pouco. Só com mudanças amplas poderemos retomar efetivamente os investimentos nacionais e fazer o Brasil crescer em índices que correspondam ao potencial do país. Precisamos, por exemplo, fazer as reformas política, tributária e fiscal, além de investir pesado para solucionar os gargalos de infraestrutura que aumentam o custo de se produzir no Brasil.

DR - O que significa, na prática, desindustrialização? EC – Desindustrialização, na prática, significa deixar de gerar empregos de qualidade no Brasil para gerá-los em outros países. Nas últimas décadas, a indústria vem perdendo espaço no PIB brasileiro. Em 1985, o setor respondia por 27% de todas as riquezas produzidas no país. No ano passado, esse índice caiu para 16% e deve fechar 2012 abaixo de 15%. Fatores como a elevada carga tributária sobre a produção, infraestrutura deficiente e juros altos contribuem para a perda de competitividade da indústria brasileira. Para piorar, a valorização cambial e políticas que até incentivam as importações fazem com que o setor enfrente forte concorrência de produtos estrangeiros. Hoje, um em cada cinco produtos industrializados consumidos no Brasil vem de fora do país. Com isso, alguns setores da indústria estão deixando de fabricar aqui, transferindo sua produção e seus empregos para outros países. E isso não acontece apenas por causa de produtos acabados que entram no país. Mesmo empresas que continuam instaladas aqui aumentam, a cada ano, a inserção de componentes ou matéri-

28 Documento Reservado / Março 2012

as-primas importadas em seus produtos, o que acaba gerando desemprego em outros setores. Na indústria do vestuário, por exemplo, importa-se de 30% a 40% das matériasprimas, prejudicando o setor têxtil brasileiro. Com todo esse cenário, corremos o risco de abrir cada vez mais as nossas portas e ficarmos dependentes das exportações de commodities e importações de manufaturados. Esse é um caminho indesejável para todo o setor produtivo e para a própria sociedade, já que a indústria gera empregos de qualidade e renda para os trabalhadores.

DR - Existe algum plano da Fiep para o Paraná? EC – A Fiep deve trabalhar na articulação e no fomento do desenvolvimento do Paraná. Podemos contribuir, por exemplo, com uma série de estudos já feitos pelo Sistema Fiep. Temos áreas que analisam as cadeias produtivas e que também já identificaram os Setores Portadores de Futuro da indústria paranaense. Esses estudos podem ser utilizados nesse processo. Também estamos implementando um novo modelo de representação de todos os setores da indústria paranaense, dentro dos Fóruns Setoriais da Fiep. Vamos aproximar todos os entes das cadeias produtivas, sejam fornecedores de matéria-prima, aqueles que a absorvem e até quem faz a distribuição. Queremos também sindicatos empresariais mais fortes, mais atuantes, que sejam protagonistas em suas regiões, tornando-se agentes motivadores o desenvolvimento. Outra prioridade é contribuir com a educação em nosso Estado. Por meio do Sesi e do Senai, vamos ampliar a oferta de vagas tanto no ensino médio quanto na qualificação e capacitação profissional. E estaremos alinhados com o programa desenvolvido pelo governo do Estado. Somos parceiros e partícipes do desenvolvimento industrial do Estado e nunca faremos oposição,

apesar de sempre buscarmos a defesa do setor industrial do Paraná.

DR - Como está a Infraestrutura do Estado para o setor industrial e agronegócios? EC – O desafio de levar o desenvolvimento a todas as regiões do Paraná ainda esbarra em deficiências de infraestrutura e logística. Esse é um gargalo que emperra o desenvolvimento de muitas regiões, afugentando o interesse de alguns investidores de ir para o interior. Precisamos solucionar esses gargalos. O problema é que, na maioria dos casos, não existem nem os projetos de viabilidade e de engenharia necessários para buscar recursos que financiem as obras. Por isso, uma das propostas da nossa gestão é fazer com que a Fiep articule a criação de um Banco de Projetos no Paraná. Através dele, queremos criar um fundo de R$ 600 milhões, com objetivo de construir projetos e viabilizar, através de Parcerias PúblicoPrivadas, um grande programa de investimentos na área de infraestrutura no Estado. Isso certamente vai aumentar a competitividade do setor produtivo paranaense.

DR - Quais as perspectivas futuras? EC – Apesar de ainda termos algumas incertezas no cenário internacional e de as condições para a produção no país não serem as ideais, o Brasil é a bola da vez. Empresas de todo o mundo têm mostrado interesse de investir no país, pois enxergam nosso potencial e as oportunidades oferecidas aqui. O governo também vem adotando medidas de incentivo à indústria que, apesar de ainda não serem as ideais e definitivas que esperamos, podem amenizar alguns dos problemas do setor produtivo. No Paraná, seguimos a mesma tendência, com uma série de anúncios de grandes investimentos privados que serão realizados no estado. Tudo isso nos dá a esperança que o futuro seja mais promissor para o setor industrial brasileiro e paranaense. ™


29 Documento Reservado / Marรงo 2012


política

MAR DE A

LAMA

cada dia, com denúncias cada vez mais pesadas, a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA) se afunda na areia movediça, que parece não ter fim. Não é de hoje que as acusações contra os comandantes deste navio desgovernado chocam os paranaenses. As revelações sempre foram assustadoras, tanto que um grupo de deputados, capitaneados por Douglas Fabrício (PPS), conseguiu aprovar e instalar uma CPI para investigar as estripulias em Paranaguá. As denúncias eram muitas e os deputados se prenderam na compra da draga – que seria superfaturada – e nas centenas de ações trabalhistas “suspeitas”, que provocariam um enorme rombo nos cofres da APPA. O presidente da CPI, deputado Douglas Fabrício, disse que o relator da Comissão, o deputado Fernando Scanavaca (PDT), já está debruçado sobre as pilhas e pilhas de documentos que foram se acumulando em mais de seis meses de investigações. Agora, uma nova denúncia chacoalhou, de novo, as estruturas da abalada APPA. No dia 24 de março, um comerciante de Paranaguá procurou o Ministério Público para denunciar uma suposta venda de cargos comissionados no Porto de Paranaguá, em troca de apoio político para a eleição de Alceu Maron Filho, pré-candidato do PSDB à Prefeitura de Paranaguá, e que é primo do então superintendente da APPA, Airton Maron. Coincidência ou não, pouco antes desta denúncia chegar às páginas dos jornais, o governador Beto Richa (PSDB) exonerou Airton Maron, nomeando para o cargo Luiz Henrique Tessutti Dividino, alegando que a mudança foi necessária porque pretende estabelecer um novo ritmo para os investimentos nos Portos e para a modernização deles.

Há anos, o Porto de Paranaguá convive com denúncias de corrupção em seu cais. A cada dia, com acusações pesadas, a APPA se afunda na areia movediça que parece não ter fim

30 Documento Reservado / Março 2012

>>


NORMA CORRÊA

Denúncias e mais denúncias fazem parte do dia a dia da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, APPA. Agora, surgiu a acusação de que haveria venda de cargos comissionados no Porto em troca de apoio à campanha eleitoral

31 Documento Reservado / Março 2012


Negociata Conforme a denúncia levada ao Ministério Público do Paraná (MP), o PSL teria sido contemplado com o direito de indicar nomes para cargos comissionados no Porto de Paranaguá, em troca do apoio ao PSDB na eleição deste ano. E que, pelo menos uma das vagas teria sido “vendida” por R$ 22 mil, parcelada em três vezes, ao presidente do diretório municipal do PSL em Para--naguá, Ênio Campos Silva. Gravações da negociação e as cópias de depósito bancário, que comprovariam a transação, e que foram cedidas ao jornal Gazeta do Povo, foram repassadas ao MP. De acordo com as acusações que estão sendo investigadas, Ênio Silva teria exigido do comerciante, um depósito inicial de R$ 8 mil, em uma conta da Caixa Econômica Federal, no centro de Paranaguá. Depois disso, outros dois depósitos foram feitos, um de R$ 2 mil em setembro de 2011 e outro de R$ 12 mil, em janeiro deste ano, “para que fosse providenciado o requerimento com a indicação”.

Airton Maron, ex-superintendente da APPA, terá que responder sobre as novas acusações que apareceram durante a sua gestão

32 Documento Reservado / Março 2012

Foto: Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

política

Como não houve a nomeação para qualquer cargo que fosse, o denunciante, que tem o nome mantido em sigilo, resolveu pedir o dinheiro de volta e, como também não teve sucesso, decidiu, então, denunciar o caso ao Ministério Público. Pouco tempo depois, agentes do Ministério Público e da Polícia Federal foram à Paranaguá, de onde levaram computadores e documentação para embasar a denúncia que vai à Justiça. Por enquanto, o caso está sendo conduzido como “segredo de Justiça”.

A Promotoria do Patrimônio Público do Ministério Público, à margem do disse-que-disse dos últimos dias, continua investigando o caso, e, também a denúncia de que os ocupantes de cargos comissionados no Porto estariam sendo obrigados a pagar um “dízimo partidário”, com repasse de parte dos salários recebidos a um fundo financeiro para utilização na campanha eleitoral.

rou processo administrativo interno para apurar qualquer irregularidade. “Fora isso, a APPA está contribuindo integralmente com as investigações do MP, fornecendo materiais e documentos para as análises que se fizerem pertinentes”, completa.

Por meio de nota de esclarecimento, a Administração dos Portos diz que a investigação está sendo conduzida pelo Ministério Público e sobre a denúncia de negociação de cargos em comissão no Porto de Paranaguá, informa que nenhuma das duas pessoas envolvidas no caso (Alceu Maron e Ênio Campos Silva) trabalha ou já trabalhou no Porto de Paranaguá. “Trata-se de um caso de polícia e a Autarquia já solicitou à Polícia Civil iniciar investigação sobre esta tentativa de estelionato que não tem qualquer ligação com a administração dos portos paranaenses”, diz a nota, e acrescentou, ainda, que independente das investigações, a APPA instau-

Armação No dia 26 de março, porém, o caso teve uma reviravolta, que veio a público. O presidente do PSDB de Paranaguá, Alceu Maron Filho, e o ex-superintendente da APPA, Airton Maron convocaram a imprensa para uma entrevista coletiva no Camboa Resort Hotel, para esclarecer sobre as matérias veiculadas na imprensa de todo o Paraná. Alceuzinho, como é conhecido em Paranaguá, afirmou aos jornalistas que está sendo vítima de uma armação política “engendrada pelo jornal Gazeta do Povo”, que produziu matéria “tendenciosa”. “Vou persegui-los judicialmente”, garantiu Alceuzinho, ao negar as acusações de que

Primo do ex-superintendente da APPA, Alceu Maron é pré-candidato à Prefeitura de Paranaguá


caso, e, também a denúncia de que os ocupantes de cargos comissionados no Porto estariam sendo obrigados a pagar um “dízimo partidário”, com repasse de parte dos salários recebidos a um fundo financeiro para utilização na campanha eleitoral. Os promotores se debruçam sobre uma lista com 54 nomes de pessoas que foram indicadas para ocupar cargos em comissão na APPA, na gestão de Airton Maron. CPI dos Portos Enquanto isso, os 11 membros da CPI dos Portos cruzam os braços e esperam Scanavaca concluir o relatório final das investigações. O deputado Douglas Fabrício (PPS), diz que nada pode ser feito a respeito das novas denúncias contra a administração do Porto, porque o “objeto” para a criação da CPI teria sido outro, que foi revelado pela Operação Dallas, da Polícia Federal, que está investigando uma dezena de denúncias de irregularidades na APPA sob o comando de Eduardo Requião, irmão do ex-governador Roberto Requião. “Estamos terminando a análise dos documentos que recebemos para concluir o relatório final da Comissão. Infelizmente não podemos nos aprofundar nestas denúncias novas que, embora sejam extremamente graves, somos impedidos porque o foco desta CPI é outro”, disse, contando que também é igualmente grave o que ele considera como “escândalo das ações trabalhistas” no Porto, que podem chegar a R$ 500 milhões. Na relação destas ações trabalhistas, figura como autor, o ex-superintendente Airton Maron que, na opinião de Fabrício, não é ilegal, mas é imoral, já que Maron comandou a APPA por quase um ano e meio e mesmo assim não desistiu da ação na Justiça do Trabalho. Douglas disse ainda que, embora estejam finalizando a CPI, já foi enviado um convite ao atual superintendente, Luiz Dividino, para prestar esclarecimentos aos deputados. ™

Deputado Douglas Fabrício preside a CPI dos Portos, que investiga irregularidades no Porto de Paranaguá Foto: Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

teria feito caixa 2 com a venda de cargos no Porto. Ele também defendeu o primo, Airton Maron, que deverá responder pelas acusações feitas ao MP, uma vez que as denúncias aconteceram durante a sua administração. Por sua vez, Airton Maron tentou minimizar a substituição feita no Porto, dando lugar ao empresário Luiz Dividino. Segundo ele, as denúncias feitas tinham o propósito de desestabilizar a candidatura de Alceuzinho. Além disso, conforme um vídeo postado na internet, o presidente do PSL em Paranaguá, Ênio Campos Silva, garante que o précandidato do PSDB à Prefeitura (Alceuzinho) não ofereceu vagas na APPA em troca de apoio eleitoral. Ele apresenta nova versão dos acontecimentos, diz que: “O Alceuzinho nunca assumiu compromisso conosco, nunca teve nenhuma ligação com a gente”. O governador Beto Richa (PSDB) também negou que a troca na superintendência do Porto tenha sido motivada por qualquer denúncia, mas que foi coincidência. O governador assegurou que a substituição vinha sendo estudada há algum tempo e que as denúncias foram feitas depois da troca de comando na APPA. Richa disse ainda que sempre quis ter Luiz Dividino em sua equipe. “Coincidentemente, surgiu uma pessoa que entrou no conto do vigário, na promessa de um cargo que não existia”, disse, ao se referir ao denunciante do suposto esquema de venda de cargos comissionados na APPA. Já, o líder do Governo na Assembleia Legislativa, o deputado Ademar Traiano (PSDB), disse que, antes de fazer qualquer avaliação sobre o caso, será preciso aguardar a apuração dos fatos. “Até agora, não há nenhum envolvimento de funcionários ou diretores do Porto. Se houver, as medidas serão tomadas”, afirmou. A Promotoria do Patrimônio Públi---co do Ministério Público, à margem do disse-que-disse dos últimos dias, continua investigando o

Presidente do PSL em Paranaguá, Ênio Campos Silva, seria o pivô das denúncias

Governador Beto Richa diz que a substituição no comando do Porto nada tem a ver com as denúncias, que houve apenas “coincidência”

33 Documento Reservado / Março 2012


34 Documento Reservado / Marรงo 2012


35 Documento Reservado / Marรงo 2012


agronegócio

Mesmo com a produção 2011/2012 comprometida, exportações de soja foram responsáveis pelo aumento de 26% nos embarques pelo Porto de Paranaguá

A

Sem muitas PERDAS

o final do mês de março, os grandes produtores de grãos do Paraná não tinham do que se queixar. Mesmo ainda sob os reflexos da estiagem, que afetou o estado desde o final do ano passado até meados de fevereiro, eles viram as exportações de soja pelo Porto de Paranaguá aumentar em 26% só no primeiro bimestre do ano. Esta foi a primeira vez, desde 2006, que a venda de grãos cresceu em ritmo superior ao das importações, saltando de US$ 2,38 bilhões para US$ 3,03 bilhões entre janeiro e fevereiro. O indicativo também é de uma boa safra de verão, com perdas 2% menores que a da primeira previsão do Departamento de Economia Rural (Deral), órgão da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (Seab). De acordo com a economista Gilda Bozza, do Departamento Econômico da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), os principais responsáveis por esse aumento nos embarques foram o bom preço da soja no mercado e o dólar um pouco mais alto, “que

36 Documento Reservado / Março 2012

por si só favorece as negociações”. Já o engenheiro agrônomo Nilson Hanke Camargo, também da Faep, revela que o crescimento das exportações foi de forma disseminada. Segundo ele, dos 91 grupos monitorados pelo Ministério do Desenvolvimento, 57 faturaram mais neste começo de ano.”A expansão, no entanto, não teria sido a mesma sem a soja”, ponderou Camargo, afirmando que mesmo com a quebra da safra estadual – que deve ser 21% menor nesta temporada– os embarques do grão foram multiplicados por dez em relação aos registrados nos dois primeiros meses do

ano passado, atingindo 735 mil toneladas. “Sem a soja, as exportações do estado teriam crescido somente 10%”, completou o engenheiro. A explicação para o fenômeno também está relacionada ao crescimento da demanda externa, que elevou preços e “prêmios” da soja, estimulando os produtores locais a vender mais cedo sua produção. Segundo algumas corretoras, nos últimos dias os importadores têm oferecido “extras” de mais de US$ 0,60 por bushel (27,2 kg) para o grão embarcado por Paranaguá, algo incomum em época de colheita. Esse prêmio equivale a quase


LUCIAN HARO

5% da cotação atual da soja no mercado internacional. O fato não evitou, porém, que o saldo da balança paranaense ficasse negativo pelo sétimo mês consecutivo. Muito embora em fevereiro a diferença entre embarques e desembarques de mercadorias tenha sido de apenas R$ 3,4 milhões, o déficit comercial no período somou US$ 649 milhões, bem superior aos US$ 567 milhões do começo do ano passado. Safra prejudicada A Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (Seab) reavaliou, recentemente, os impactos causados pela estiagem no estado e constatou um aumento dos prejuízos aos agricultores. Com isso, a estimativa para a safra de verão foi revista de 22,34 para 17,6 milhões de toneladas de grãos – uma redução de 21%. Juntas, as principais culturas da temporada (soja, milho e feijão) somam perdas de 4,77 milhões de toneladas. A soja corresponde a 71% desse volume, perfazendo uma defasagem de 3,38 milhões de toneladas. O prejuízo financeiro estimado para todas as perdas é de R$ 3,48 bilhões. A notícia, porém, não é de todo ruim. Apesar da queda na produção, um levantamento do Deral para o ano de 2012 aponta uma safra total de 30,73 milhões de toneladas de grãos, a quarta melhor da história do estado. A estimativa leva em consideração a primeira prévia de produção para o trigo e a segunda para o milho safrinha, culturas cujo plantio está em andamento e que podem compensar em parte os prejuízos acumulados durante a safra de verão. De acordo com a engenheira agrônoma Margorete Demarchi, do Departamento de Economia Rural, as chuvas mais recentes estão favorecendo a atividade rural, e o produtor que optou pela plantação de milho safrinha para a segunda safra está intensificando o

plantio para tentar escapar das geadas. Segundo a técnica, apesar do risco, os agricultores preferiram o plantio de milho safrinha, porque o produto tem mais liquidez na hora da venda e os preços estão compensando os investimentos. “Ao contrario do trigo, que na última safra frustrou as expectativas com queda de preço e falta de liquidez no período de comercialização”, disse ela.

Para 2012, a projeção do Deral é de uma área ocupada de 891.310 hectares com trigo, uma queda de 15% em relação ao ano passado. Se forem mantidas as condições normais de clima durante o desenvolvimento da cultura, a produção poderá superar ligeiramente o resultado de 2011, em cerca de 4%, e, com isso, atingir um volume de 2,51 milhões de toneladas colhidas. ™

Culturas de verão Soja O levantamento do governo do estado também informa que foram plantados 4,38 milhőes de hectares de soja e a produçăo apontava para uma colheita de 14,13 milhőes de toneladas do grăo, nesta temporada. Com a estiagem, o volume esperado caiu para 10,72 milhőes de toneladas, uma reduçăo de 24% na produçăo, que resultará em um prejuízo estimado de R$ 2,54 bilhőes aos produtores locais. A regiăo mais prejudicada foi a Oeste, cujas perdas com a soja correspondem a 37% da produçăo regional de grăos. Em volume, foram perdidas 1,47 milhőes de toneladas. Em seguida vem a regiăo Norte, que teve 759 mil toneladas de soja perdidas, e as regiőes Sudeste, com 468 mil toneladas, e Centro Oeste, com 316 mil toneladas de soja defasadas.

4,38 milhőes

Plantados

de hectares

Colhida

10,72 milhőes de toneladas

24%

Reduçăo de na produçăo Prejuízo estimado de R$

2,54 bilhőes 6,04 milhőes

Produçăo de de hectares

Milho

1,55 milhőes

Perda de de toneladas

O milho da primeira safra, plantado durante a primavera de 2011, também teve perdas expressivas. A estimativa de produçăo - inicialmente de 7,59 milhőes de toneladas - foi reduzida para 6,04 milhőes, uma perda de 1,55 milhőes de toneladas (20,4% da produçăo). O prejuízo apurado até agora é de R$ 604,14 milhőes.

Prejuízo apurado

de R$

604,14 milhőes

Feijão O feijăo também foi penalizado com quebra de 19% na produçăo. A estimativa caiu de 434.987 toneladas para 352.187, representando um prejuízo de R$ 139,25 milhőes, mas o aumento nos preços já está compensando parte das perdas.

Estimativa de

352.187 toneladas

Prejuízo apurado

de R$

139,25 milhőes 37 Documento Reservado / Março 2012


38 Documento Reservado / Marรงo 2012


39 Documento Reservado / Marรงo 2012


justiça

A mulher na prisão

Elas não cumprem pena sozinhas. Toda família sofre junto e algumas das detentas dão à luz lá mesmo, e muitas crianças nascem atrás das grades

O

barulho das trancas e o fechar dos cadeados rompem um silêncio marcado pela dor, sofrimento, raiva, arrependimento e perspectivas de uma nova vida: reinserção na sociedade. Esse som cotidiano de abrir e fechar portas e grades está enraizado no coração e na mente de pouco mais de cinco centenas de mulheres que pagam pena em presídios do Estado. No Paraná, existem duas unidades penais exclusivamente femininas: a 40 Documento Reservado / Março 2012

Penitenciária Feminina do Paraná (PFP), destinada ao regime fechado, e o Centro de Regime Semiaberto Feminino de Curitiba (CRAF), que abrigam 567 apenadas. Outras 491 presas cumprem pena em regime aberto, 391 delas no Patronato de Curitiba e 100 no patronato de Londrina. Há ainda 28 presas no Complexo Médico Penal, somando ao todo 1086 presas sob responsabilidade da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos.

Elas não cumprem pena sozinhas. Toda família sofre junto e algumas das detentas dão à luz lá mesmo, e muitas crianças nascem atrás das grades. A vida dessas mulheres em condição de pessoa presa, não são diferentes entre si, mas suas histórias, origens e sentimentos são variados. Os relatos, desabafos, medos, sonhos, confidências, formação cultural e familiar, além de religiosa, fazem com que cada uma dessas apenadas passem suas experiênci-


LISLEY CHIQUINI E PEDRO RIBEIRO

as de forma exclusiva, em seus próprios mundos. A maioria, arrependida, pensa em voltar atrás e arrumar o passado, para poder viver o restante da vida com qualidade e principalmente dignidade. São depoimentos pesados, que não valem relatar, porque as marcas e cicatrizes de uma vida sofrida dizem tudo em forma de castigo. Nem tudo está perdido. A Secretária de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Paraná, Maria Tereza Uille Gomes, tem como prioridade em sua pasta, desenvolver políticas públicas para as mulheres paranaenses e, de maneira especial, aquelas que se encontram encarceradas no Sistema Penal do Estado, por meio da integração de ações dos governos federal e estadual. “Nosso compromisso com o desenvolvimento integral da mulher paranaense vai no sentido de apoiar e ajudar a implementar aquelas ações aprovadas na 3ª Conferência Estadual de Políticas para as Mulheres, que realizamos nos dias 11 e 12 de novembro de 2011. Foram traçadas ali políticas públicas voltadas à construção da igualdade, tendo como perspectiva o fortalecimento da autonomia econômica, social, cultural e política das mulheres, na sua condição de cidadã e de sujeito coletivo. Foram 142 propostas aprovadas por mais de 500 mulheres presentes ao evento e vamos fazer acompanhamento de sua execução no âmbito do Governo do Paraná”. Em relação às mulheres encarceradas, a secretária explica que as ações devem ser implementadas no sentido de solucionar a crise carcerária que vive o país, cumprindo dispositivos contidos na Lei de Execução Penal - LEP. Devem ser ações que concretizem os princípios constitucionais, notadamente o respeito à dignidade e aos direitos humanos, erradicando a marginalização e promovendo o bem de todos. Como agentes públicos, devemos cumprir os Objetivos de De-

“Nosso compromisso com o desenvolvimento integral da mulher paranaense vai no sentido de apoiar e ajudar a implementar aquelas ações aprovadas na 3ª Conferência Estadual de Políticas para as Mulheres, que realizamos nos dias 11 e 12 de novembro de 2011.” Secretária Maria Tereza Uille

senvolvimento do Milênio – ODM - em geral e, em específico, os relacionados às mulheres encarceradas, sobretudo garantindo educação básica e saúde integral, especialmente a gestantes. Ao mesmo tempo, devemos efetivar ações do Sistema Penal quanto ao cumprimento da pena e medidas alternativas, para garantir que o cárcere atinja suas funções, em especial as de reintegração socioeconômica e reinserção social a partir da profissionalização das mulheres encarceradas. Penitenciária Feminina do Paraná Unidade de segurança máxima, a PFP ocupa uma área de 5.000m2, no município de Piraquara, e abriga 418 presas. Ali são desenvolvidos vários programas de profissionalização e educação, instalados em canteiros de obras e salas de aula que possibilitam aquisição de conhecimentos através de práticas em diversos cursos e atividades. Com isso, 204 presas trabalham em projetos como montagem de componentes eletrônicos e de palhetas de párabrisas de automóveis, costura industrial, bordados, confecção de brinquedos pedagógicos, além de canteiros internos de manutenção. Existe, ainda, na PFP a Creche Pré-Escolar “Cantinho Feliz”, para 30 crianças de até dois anos de idade. Conforme o caso, as crianças

podem permanecer até os seis anos de idade, para fortalecer os vínculos com as mães, já que estão em importante fase de desenvolvimento. A creche é equipada com berços, brinquedos, jardim e playground. Mais do que garantir a segurança, bemestar e custódia dessas mulheres, nossa meta é trabalhar para promover sua profissionalização, prestando-lhes a devida assistência médica, jurídica e social, bem como religiosa e material. Centro de Regime Semiaberto Feminino No CRAF não há ociosidade, explica Maria Tereza Uille. Das 149 mulheres que ali cumprem pena, 143 (96%) trabalham e/ou

>>

41 Documento Reservado / Março 2012


justiça

estudam. Entre as várias atividades realizadas na unidade, destacam-se palestras motivacionais, visando levar a presa a autoconscientização sobre sua pena, para que encontre melhor convivência junto à sociedade. O Coral de Canto, que objetiva afastar as apenadas das drogas e redescobrirem suas capacidades e alegria de viver; cursos variados como de etiqueta profissional, social, de saúde (em especial sobre dependência química) e higienização de alimentos; cabeleireira; estudo da Bíblia e oficina de teatro. São realizadas também reuniões mensais com familiares das presas, tendo em vista preparar todos os envolvidos quanto ao retorno das apenadas ao convívio social. Saúde da mulher sentenciada Com ambulatórios específicos para assistência médica clínica e ginecológica, localizados dentro das unidades, a SEJU presta assistência integral à mulher, respeitando peculiaridades físicas e emocionais do sexo feminino. No contexto do encarceramento, doenças podem aparecer com maior incidência e agravar-se por falta de acesso às práticas de prevenção, tratamento e acompanhamento médico. Soma-se a PFP e ao CRAF uma ala exclusiva no Complexo Médico Penal (CMP), também localizado em Piraquara, que atende 28 mulheres, sendo em média 30 vagas, para cumprimento de Medida de Segurança. O CMP é referência no atendimento a gestantes. Em média, são atendidas 18 gestantes/mês e os partos são realizados no Hospital e Maternidade Angelina Caron, na região metropolitana de Curitiba, além de presas com doenças crônico-degenerativas que necessitam tratamento continuado, entre outros tratamentos. Na rede de Atenção Integral à Saúde Materna e Infantil no Sistema Penal, além do Angelina

42 Documento Reservado / Março 2012

Caron, contamos também com o Hospital Infantil Pequeno Príncipe. Ainda em relação às apenadas, a SEJU desenvolve ações de Atenção Básica à Saúde, com encaminhamentos especializados referenciados junto ao SUS. Conforme as diretrizes do Programa de Saúde da Mulher da Secretaria da Saúde do Paraná-SESA, os exames de preventivo de câncer de colo de útero são coletados na unidade penal e encaminhados às Secretarias Municipais de Saúde de Curitiba, Piraquara e Pinhais. São realizados por ano, em média, 390 preventivos de câncer uterino. Exames de mamografia e ecografia são agendados

A vida da mulher na prisão Na prisão, as mulheres desenvolvem trabalhos remunerados que lhes permite obter remissão de pena. No presídio, dão apoio às apenadas, as agentes penitenciárias, assistentes sociais, médicos e psicólogos, além da diretora-geral, Rita de Cássia Costa que lamenta ser o tráfico de drogas o crime que mais leva as mulheres à prisão. As visitas são feitas nos finais de semana, mas os filhos das detentas só podem ir ao presídio a cada 30 dias. A rotina é a mesma de qualquer regime fechado: umas tomam sol, outras trabalham e as refeições são feitas em horários fixos, três vezes ao dia. Todas as regras são cumpridas e levadas a sério. Caso contrário, recebem punição. Nos finais de semana, há cultos e as visitas íntimas, só para as presas que tem união estável. ™

para a rede SUS, pela Central de Marcação de Consultas Especializadas da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba. Em 2011, foi operacionalizado um projeto, em conjunto com o Conselho Nacional de Justiça, a UFPR, a Liga Feminina Paranaense de Combate ao Câncer do Hospital Erasto Gaertner e as Secretarias de Saúde e de Segurança do Paraná, para diagnóstico e tratamento de doenças como HPV, lesões pré-câncer de colo uterino, clamídia sp, entre outras. Além das mais de 500 presas em penitenciárias do Paraná, todas as 1357 presas de cadeias públicas do Estado foram atendidas. Como resultado, foram disponibilizados os tratamentos, de acordo com normas do Ministério da Saúde, àquelas presas que apresentaram diagnóstico de alguma dessas enfermidades. Conversão de Pena Para fazer valer o direito a assistência jurídica que todas as apenadas têm, buscamos por meio da Defensoria Pública do Paraná, do Conselho Penitenciário do Estado e da Comissão de Direitos Humanos da OAB/PR que fosse encaminhado aos juízes de direito das Varas de Execuções Penais do Paraná, solicitação de conversão de pena para 299 presos do Estado condenados à pena privativa de liberdade, mas que têm direito a pena restritiva de direitos. Entre esses beneficiados, estavam 45 mulheres presas por tráfico de drogas, todas primárias e condenadas a até quatro anos de prisão, sendo que muitas dessas pessoas estão detidas porque foram apanhadas com pequenas quantidades de até oito gramas de droga e passaram a ser tratadas como traficantes. O número de apenados, com direito à conversão de pena, foi definido a partir de pesquisa criminológica do perfil dos condenados por tráfico de drogas no Paraná, realizado em 2011 pela SEJU. ™


18 Documento Reservado / Janeiro 2012


esporte

44 Documento Reservado / Marรงo 2012

Golfe, da


CAROLINE SAGAZ

O

engenheiro civil, Celso Jacomel, 70 anos, deixou o futebol de pelada pelo golfe, depois de assistir a alguns jogos e experimentar algumas tacadas desse ainda elitizado esporte mundial. Eugênio do Amaral Neto, 50 anos, também passou a praticar o golfe, embora não tenha desistido do futebol, onde é goleiro. Assim como eles, centenas de pessoas tem buscado no golfe a prática de um esporte que não requer contato físico, mas exige estratégia e inteligência. Daniel Stapff, 21 anos, começou a jogar golfe quando tinha 11 anos, por influência do pai que o levava frequentemente ao clube de golfe. “ No começo eu odiava, achava muito chato e torcia para ele não me levar junto” Com o tempo essa história começou a mudar e Stapff foi fazendo amigos e se envolvendo com o esporte. Quando ganhou o primeiro torneio, no Clube Curitibano, passou a gostar do golfe e praticá-lo com maior assiduidade. Depois de pegar gosto pelo esporte, Stapff, disputou diversos torneios. “Disputei vários campeonatos sul-americano juvenis e adultos. Em 2010, joguei no campeonato mundial de golfe, representando o Brasil e ano passado fui parte da equipe brasileira campeã sul-americana de golfe, na Copa Los Andes. Este é um dos títulos mais importantes que ganhei, além do campeão brasileiro de golfe em 2009 e outros três títulos do circuito brasileiro adulto, e também campeão sul-americano de duplas em 2009. “ Como destaque no esporte, em 2008, o golfista paranaense ganhou uma bolsa de estudos na universidade americana Barry University, que fica em Miami, na Flórida. Pelo

Vocabulário do Golfe

Green: Buraco que está em jogo, ou seja, em que a bola deverá ser colocada. Caddie: Caddie ou cádi, é o nome que recebe o carregador da bolsa com os tacos do golfista. Tee: Local da primeira tacada. Juiz árbitro (referee): Juiz árbitro é uma pessoa nomeada pela Comissăo Técnica para acompanhar os jogadores a fim de decidir sobre questőes de fato e aplicar as Regras.

time da universidade, ganhou 11 torneios e no ano passado foi escolhido o melhor jogador pela Sunshine State Conference, conferência de golfe, que reúne 9 universidades. Ele também faz parte do First-Team All America, uma seleção dos cinco melhores jogadores da liga universitária de golfe dos Estados Unidos. Para o atleta paranaense, a imagem do golfe, associada à elite, está mudando. “Embora ainda seja muito difícil o acesso de pessoas de baixa renda ao esporte, acredito que a ideia de ser um esporte somente para velhos, ricos e aposentados está acabando. O golfe de alto nível é um esporte tão competitivo quanto qualquer outro. O atleta precisa de preparo

físico diário e de treinamentos que vão de 6 a 8 horas por dia. Agora, com a inclusão do golfe nas olimpíadas, essa imagem só tende a melhorar”, finaliza Daniel Stapff. Segundo a Federação Paranaense e Catarinense de Golfe, existem 1500 golfistas associados. Mesmo com a pouca divulgação sobre o esporte, atualmente o Paraná tem sido um celeiro na formação de atletas. Histórico Quem teve o privilégio de assistir filmes que tinha como tema principal “o golfe”, a exemplo de “Lendas da Vida”, “Bobby Jones – A Carreira de um Gênio” ou “O Melhor Jogo

>>

elite às Olimpíadas

45

Documento Reservado / Março 2012


esporte

“Ainda é muito difícil o acesso de pessoas de baixa renda ao esporte, mas acredito que a idéia de ser um esporte somente para velhos, ricos e aposentados está acabando. O golfe de alto nível é um esporte tão competitivo quanto qualquer outro. O atleta precisa de um preparo físico diário e de treinamentos que vão de 6 a 8 horas por dia. Agora com a inclusão do golfe nas olimpíadas, essa imagem só tende a melhorar”. Daniel Stapff.

46 Documento Reservado / Março 2012


Onde jogar Golfe no Paraná ALPHAVILLE Graciosa Clube Av. Tomaz Edison de Andrade Vieira, 825 – Pinhais (PR) Te.: (41) 3351-1389 CLUBE Curitibano Av. Vinte e Cinco de Janeiro, 2461 – Quatro Barras (PR) Tel.: (41) 3672-1474 GRACIOSA Country Club Av. Munhoz da Rocha, 1146 – Curitiba (PR) Tel.: (41) 3025-1380 / 3025-1361 Las Palmas Golf & Country Club BR 376, Km 626 – Săo José dos Pinhais (PR) Tel.: (41) 3384-3166 SANTA MÔNICA CLUBE DE CAMPO BR 116, Km 6, Bairro Rincăo – Colombo (PR) Tel.: (41) 3675-6622 / 3675-4245 FRANCISCO BELTRĂO GOLFE CLUBE Av. Julio Assis cavalheiro,1400 – Francisco Beltrăo(PR) Tel.: (46) 3523-5013 SOCIEDADE ROYAL GOLF RESIDENCE Al. Eliana Tarasconi Peixe, 300 – Jardim Royal Golf Tel.: (43) 3026-9002 PONTA GROSSA GOLF CLUB Rodovia Ponta Grossa a Palmeira, KM 14 Tel.: (42) 3222-4563 MARINGÁ GOLFE CLUBE Rod. PR 317 - Km 15 – Tel.: (44) 3248-1670 IGUASSU RESORT Av. Das Cataratas, 6845 - Km 10 - Tel.: (45) 3521-3425

da História”, com certeza, após se deliciar com histórias de superação ficou curioso em saber mais sobre o esporte. O golfe deriva de um jogo Holandês, o KOLF, documentado tanto no começo quanto no final do século XIII, e pintado em várias paisagens holandesas do século XVI. Os golfistas jogavam através dos campos com um taco e bola, mas não para um buraco, mas para um local determinado. Porém foi na Escócia que o jogo se desenvolveu e acabou tornando-se um passatempo popular, tanto que em 1457, o parlamento escocês, por ordem do rei James II, proibia a prática do golfe, por considerá-lo um divertimento que afetava os interesses do país que na época brigava com a Inglaterra por disputa de território e poder. Porém, quando James VI da Escócia se tornou também rei da Inglaterra acabou por levar o jogo todo ao reinado. Em Blackheath, agora Royal Blackheath ao sul de Londres, o nobre escocês construiu o primeiro campo na Inglaterra, com sete buracos, para que pudesse continuar a prática do esporte. Com isso o golfe começou a ser divulgado por outros países, em 1860, já era um jogo conhecido em todo o mundo. Já no Brasil, a introdução do esporte começou de forma curiosa. Com a construção da Estrada de Ferro Santos - Jundiaí , engenheiros ingleses e escoceses desembarcaram no Brasil e logo convenceram os monges beneditinos a ceder parte do terreno do Mosteiro de São Bento para construir o primeiro campo de golfe do país, na região situada hoje entre a Estação da Luz e o rio Tietê em São Paulo. Ainda associado ao esporte elitista no Brasil, o golfe não tem muitos praticantes, segundo a CBG (Confederação Brasileira de Golfe) estima em 25 mil o número de praticantes no país, sendo metade federada. Já nos EUA, o número de praticantes é de 25 milhões de pessoas. O jogo O golfe pode ser jogado individualmente ou em grupos de dois a quatro jogadores, e tem como particularidade a ausência de um “adversário” propriamente dito; o único adversário do golfista é o próprio campo, uma vez que não há nada que ele possa fazer no sentido de dificultar o desempenho de outros jogadores. O resultado depende de seu esforço individual e sorte, e cada golfista luta para baixar a sua pontuação total no campo. Em competições oficiais, é proibido um golfista falar com outros jogadores acerca do jogo. Para se jogar golfe é necessário possuir uma taqueira (sacola com conjunto de 14 tacos), bolas e sapatos com solado de travas, para dar firmeza no posicionamento e golpes do jogador. Opcionalmente, pode ser utilizada uma luva para evitar que o taco escorregue das mãos. Existem duas modalidades no Golfe e as mais utilizadas são stroke play, onde o vencedor é definido pelo menor número na somatória das tacadas; e match play, onde são conferidos pontos a cada buraco. ™ 47 Documento Reservado / Março 2012


esporte

Corrida de rua, o prazer A

s corridas de rua fazem sua fama literalmente “correr” pelo mundo. O esporte, que surgiu na Inglaterra, no século XVIII, logo ganhou novos ares e expandiu para os Estados Unidos, onde essa modalidade esportiva ganhou mais impulso, depois da primeira Maratona Olímpica. Atualmente, a corrida de rua é um dos esportes mais praticados no mundo. Curitiba, por exemplo, é onde mais se pratica corrida de rua. Conhecida por seu grande número de parques e equipamentos para práticas esportivas, a cidade ganha, a cada dia, novos adeptos e já mantém um calendário anual recheado de provas, que atrai pessoas de todo o mundo. A Secretaria de Esporte e Lazer do Município estima que o número de atletas que aderem ao esporte aumenta cerca de 10 % ao ano. Dicas para corridas Não basta só querer correr. Como qualquer outra atividade física, a corrida de rua exige preparo e alguns cuidados. Uma das principais dicas é não começar sem antes um treinamento e o mais recomendado é praticar na esteira para pegar ritmo e para se adaptar às passadas. Para evitar lesões, é fundamental exercício de aquecimento antes de começar a correr. O calçado também faz a diferença e o uso de um tênis especial é importante e normalmente são escolhidos os mais leves. As roupas também devem ser apropriadas e o mais comum são blusas mais largas para ajudar no movimento e na transpiração. Antes da competição, conheça o trajeto da prova. Isso ajuda a reduzir o estresse no dia. Sem contar que, talvez, seja necessário guardar um pouco de energia para uma subida no final. Antes ou durante uma corrida, a alimentação deve ser regrada embora não se deva praticar o 48 Documento Reservado / Março 2012

esporte em jejum. Evite o consumo de bebidas alcoólicas, pois provoca desidratação e aumenta a freqüência cardíaca e também pode provocar tonturas durante o treino. Segundo a nutricionista Luciane Cristina da Silva Maia é necessário , durante o exercício, muita hidratação, ou seja, a ingestão de água ou bebidas isotônicas. Nos primeiros 15-20 minutos, ingerir 500-2000 ml de água. O uso de alimentos açucarados e com excesso de fibras e sorbitol também não devem ser usados na primeira refeição, antes da corrida, porque podem causar desconfortos intestinais. Depois da prática da atividade física, também é necessário uma alimentação específica, é necessário ingerir o suficiente para repor as perdas com a sudorese. A alimentação póstreino deve ser realizada nas primeiras duas horas após a corrida, pois quanto mais próximo do término do exercício for a refeição, melhor e mais rápida será a recuperação e também para evitar perdas de massa magra. Após a corrida, deve-se dar preferência a alimentos que contenham carboidratos com alto índice glicêmico (pão branco, batata, mel, arroz), associados com fontes de proteínas de preferência as de alto valor biológico (carnes magras, leite e derivados, ovos), também devese consumir alimentos pobres em lipídios, porque eles atrasam o esvaziamento gástrico. Exemplo a seguir Dione D’Agostini Chillemi sempre gostou de esportes. Na adolescência praticou bicicross e jogou vôlei. Aos 18 anos passou na faculdade e começou a cursar Educação Física em Campinas. Com isso, a cada dia se envolvia mais com os esportes. Foi monitora de basquete e natação na CIAD (Centro Interdisciplinar de atenção ao >>


CAROLINE SAGAZ

dos curitibanos

49 Documento Reservado / Marรงo 2012


esporte

Dione D’Agostini Chillemi

50 Documento Reservado / Março 2012

Deficiente).Ganhou o campeonato de Futsal estadual. Ao se formar, em 1992, começou a dar aulas de natação e futebol. Parou com os esportes e apenas trabalhava . O incentivo para começar a correr surgiu após perceber que estava ganhando uns quilinhos a mais - chegou a pesar 54 kg, bom para sua altura (1,61 m) - e passou a ser comparada com a irmã gêmea. “Todos diziam que éramos muito parecidas, mas ela era mais magra. Isso me incomodava um pouco, então decidi começar a correr para emagrecer,” relata Dione Chillemi. A professora de educação física passou, então, a correr entre 5 a 10 km, 4 dias na semana. A Corrida da Integração de 10 km (1994), realizada em Campinas, cheia de subidas e descidas foi seu primeiro desafio. Dione Chillemi lembra que, embora difícil, a prova valeu à pena. “Eu e minha mãe corremos e eu fui 10º lugar no geral ganhando R$ 1 00,00 e minha mãe foi 3ª na categoria dela. A partir daí não paramos mais.” Em 1995, ganhou um circuito como amadora chamado “Vá correndo a New York”, na qual o prêmio era a passagem, hotel e inscrição para correr a Maratona de New York.

Logo após o nascimento do primeiro filho, participou novamente da “Corrida da Integração”, treinada por Clodoaldo Lopes do Carmo da BMF Funilense. “Foi muito importante esse treino. Comecei a treinar com ele e em 6 meses eu estava correndo o Mundial de Cross em Belfast em 1999, a Maratona de Revezamento em Seoul, Meia Maratona de Bristol na Inglaterra em 2001 e Maratona de Amsterdã, ganhando e conquistanto pódios em nível Nacional ( Meia Maratona do Rio, Maratona de Porto São Paulo e outras). Com a mudança para Curitiba, em 2005, e o nascimento da sua filha Isabella, retornou em 2007 para as competições nacionais e com ótimos resultados. Atualmente com 42 anos, Dione Chillemi compete e vence muitas provas, a última delas foi 1 º lugar na Meia Maratona de Florianopólis. “ Hoje sou atleta, treinadora de Atletismo, personal, mãe e esposa e realizada em todas essas ocupações.” Finaliza Chillemi. Um esporte sem limite de idade Para Juraci Taira, 59 anos e Carlos Toshikatsu Taira, 62 anos, a corrida de rua é uma


Calendário 2012

forma de manter a saúde. Juraci começou a correr há cinco anos quando uma amiga convidou para participar da “Corrida da Unimed”. Ao pegar gosto pelo esporte, participa de muitas corridas. Já Carlos Taira corre há seis anos. Porém, há quatro anos sofreu um AVC quando caminhava na esteira da academia. Logo se recuperou e logicamente voltou a correr por recomendação do médico. Iniciou a prática de corrida quando ouviu um professor da academia citar sobre uma corrida de rua, decidiu então, se preparar e depois de três meses, estava correndo. Em média faz o tempo de 45 minutos em uma corrida de 10 km. Para os dois, correr é uma forma de manter a saúde e o bom humor. “Depois que comecei a praticar corrida de rua, melhorei minha alimentação (não como fritura, nem tomo refrigerantes) e faço condicionamento fisíco. É uma prática gostosa e prazerosa,” diz Juraci Taira. Para Carlos Taira, o segredo para fazer uma boa corrida é “trabalhar” a cabeça . “Trabalhe a cabeça, diminua a velocidade das passadas e mantenha essa performance durante o trajeto. Assim chegará tranquilo ao final.” ™

Circuito de Corrida pela Paz - Regional do Bairro Novo (01/04) Circuito das Estaçőes Adidas - Outono (01/04) Circuito de Corridas Rústicas das Indústrias – Etapa Copel (15/04) 9Ş Corrida do Exército (15/04) Maratona de Revezamento Parque Náutico (22/04) Circuito de Corrida pela Paz - Regional Pinheirinho (29/04) 5Ş Corrida do Rebouças – 1Ş Etapa (29/04) Campeonato Infantil de Corridas SMELJ – 1Ş Etapa (06/05) Circuito de Corridas Rústicas das Indústrias - Etapa SESI (06/05) Volta de Santa Felicidade – 2Ş Ediçăo (13/05) 16ş Prova Pedestre PMPR (19/08) Campeonato SMELJ de Corrida de Rua – 3Ş Etapa (19/08) Circuito SESC Caminhada e Corrida de Rua 2012 (26/08) Circuito de Corrida pela Paz – Regional Santa Felicidade (26/08) Circuito das Estaçőes Adidas - Primavera (02/09) Campeonato Infantil de Corridas SMELJ – 3Ş Etapa (02/09) Circuito de Corrida pela Paz – Regional Cajuru (02/09) IX Corrida de Rua da Polícia Civil do Paraná (16/09) Circuito de Corridas Rústicas das Indústrias - Etapa Bosch (23/09) Circuito de Corrida Caixa 2012 (30/09) Meia Maratona Noturna de Curitiba (01/09) Campeonato SMELJ de Corrida de Rua – 4Ş Etapa (14/10) Fila Night Run (20/10) Maratona de Revezamento Noturno Parque Barigui (20/10) Circuito de Corridas Rústicas das Indústrias - Etapa Volvo (21/10) Campeonato Infantil de Corridas SMELJ – 4Ş Etapa (21/10) Corrida do Material Bélico (28/10) Corrida do Graciosa Country Club (11/11) Corrida e Caminhada da Longevidade Bradesco (11/11) Maratona de Curitiba (18/11) Circuito de Corrida pela Paz – Regional CIC (25/11) Circuito SESC Caminhada e Corrida de Rua 2012 (25/11) 17Ş Corrida do Parque Tingui (02/12) Circuito das Estaçőes Adidas - Verăo (02/12) Circuito de Corrida pela Paz – Regional Matriz (02/12) Circuito da Lua Cheia 2012 – Parque Tingui (11/01, 08/02, 07/03, 04/04, 09/05, 06/06, 04/07, 01/08, 29/08, 26/09, 31/10 e 28/11)

Juraci Taira, 59 anos e Carlos Toshikatsu Taira, 62 anos

51 Documento Reservado / Março 2012


52 Documento Reservado / Marรงo 2012


personagem

DA REDAÇÃO

O Alemão O livro é uma homenagem prestada por seus amigos

D

ia 26 de abril, às 17 horas, no Plenário do Tribunal de Contas do Estado do Paraná, o conselheiro Heinz Georg Herwig se despede do colegiado e dos funcionários da Corte. Se aposenta e segue outro caminho. No mesmo dia, local e hora, será lançado um livro sobre seus feitos como homem público onde foi secretário de Estado dos Transportes nos governos José Richa, João Elísio Ferraz de Campos, Alvaro Dias e Jaime Lerner. Heinz Georg Herwig, o Alemão, como é conhecido, começou na vida pública pelas mãos do ex-governador José Richa quando foi secretário do Planejamento e Obras na Prefeitura de Londrina na gestão Richa. Funcionário do DER, passou por várias obras e acampamentos no Estado até ser diretor-geral do órgão. Teve também uma passagem como deputado estadual e na iniciativa privada como diretor de uma empresa em Campo Grande. O livro é uma homenagem prestada por seus amigos. Um deles, Antonio José Correa Ribas, hoje na Itaipu Binacional, que relata os tempos em que foi diretor-geral do DER e o Alemão, secretário dos Transportes. Do Tribunal de Contas, o jornalista e Auditor, Jaime Lechinski, diz que “ O Alemão é aquele que sabe o que precisa ser feito, mas não só, e sabe também como fazer. É o sistema do Alemão: fazer rápido, bem feito e sem quebrar a louça ao redor”. São mais de 50 depoimentos de amigos e pessoas que trabalharam com o Alemão. João Elísio fala dos tempos em que o conheceu, Beto Richa lembra da amizade com a família, e Jaime Lerner da ética e do caráter. Foi mencionado também, sua participação em campanhas, seu amor e dedicação à família, ao trabalho e sua paixão pelo futebol. ™

53 Documento Reservado / Março 2012


história

PEDRO RIBEIRO E LIA COMANDULLI

Tributo a Comandulli

O

jornalista Clemente Comandulli, um dos mais destacados cronistas da imprensa esportiva paranaense nas décadas de 50 a 70, tem sua história resgatada pela filha Lia Comandulli, atriz, bailarina e produtora teatral. Ao lado do tradutor Adriano Fonseca, fizeram plantão na Biblioteca Pública do Paraná, nos clubes paranaenses, mergulhando em livros, jornais e revistas, para retratar sua brilhante passagem pelo futebol paranaense e veículos de comunicação. Comandulli nasceu em Antonina, em 1927, foi radialista e comentarista de futebol. Em livro recentemente publicado, intitulado “Ondas curta e média sem delonga”, Renato Mazânek referiu-se a ele como um dos “donos da bola”, com atuações marcantes, que

representaram as primeiras safras das transmissões esportivas. Ele foi correspondente do Jornal da Tarde (São Paulo) e redator esportivo da Gazeta do Povo (Curitiba). Iniciou sua vida jornalística no Paraná Esportivo (Curitiba), ocasião em que se tornou correspondente da Gazeta Esportiva (São Paulo). Foi redator e colunista pelo jornal Paraná Esportivo, desde janeiro de 1958 até meados dos anos 60. Em abril de 1960, acompanhou o Clube Atlético Ferroviário a Montevidéu, naquela que seria a segunda excursão de um clube paranaense ao exterior. Após 1964 e até dezembro de 1975, foi jornalista e, em seguida, editor do caderno esportivo da Gazeta do Povo. Nesse jornal, ele teve duas colunas: “Futebol da Vida” e “Regra 3”. Como radialista, fazia plantão esportivo na rádio Guairacá, na rádio Universo, na emissora ZYZ-9, e seu último trabalho foi na rádio Colombo. Em 1972, foi um dos responsáveis pela reestruturação da Associação dos Cronistas Esportivos do Paraná (ACEP), tornando essa entidade forte, e representando-a, em 1974, na fundação da Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (ABCE). Após sofrer derrame no Estádio Durival de Brito, subsede da Copa de 1950, enquanto

acompanhava os treinos do Colorado Esporte Clube, veio a falecer em 30 de dezembro de 1975. Em janeiro de 1976, a partir de proposta do Colorado, a Federação Paranaense de Futebol (FPF) decidiu, com o apoio do seu Presidente Esperidião Feres, prestar homenagem póstuma ao renomado jornalista, instituindo a “Taça Clemente Comandulli”, outrora chamada de “Taça Cidade de Curitiba”. A Taça Cidade de Curitiba completará 40 anos, em 2014, ano da Copa do Mundo. Quando foi criada, o Presidente da Federação Paranaense de Futebol,, José Milani fez questão de frisar que a “Taça Curitiba” seria permanente e de posse definitiva. Entretanto, essa Taça sumiu dos memoriais do Paraná Clube (herdeiro do Colorado e do Pinheiro) e do Coritiba. Foi encontrada uma taça no Estádio Durival de Brito, conquistada pelo Colorado em 1975, mas sem o boneco. ™

“Taca Cidade de Curitiba” (1974 e 1975)

54 Documento Reservado / Março 2012


55 Documento Reservado / Marรงo 2012


agenda

Exposições Diário Coloquial - Exposiçăo confluęncia do Graffiti e das HQs

O Espaço da Arte Urbana, em Curitiba, abriga até o dia 29 a exposiçăo Diário Coloquial. A mostra traduz a observaçăo dos artistas Marciel Conrado, Silvio Rodolfo e Neiton Nunes, que inseridos no contexto urbano, vivenciam o graffiti nas ruas da capital paranaense e multiplicam suas produçőes em conjunto. A entrada é gratuita e a visitaçăo pode acontecer de terça a sexta-feira das 13 ŕs 19 horas e aos sábados das 14 ŕs 18 horas.

5 Lagos

Segue aberta até o dia 20, no Museu da Fotografia da cidade de Curitiba, a exposiçăo 5 lagos. A mostra é uma proposta artística e curatorial de Claudia Washington e Lúcio de Araújo, com montagem de Janice Martins Sitya Appel, apresentando em cinco ambientes distintos o resultado do trabalho iniciado em 2009 na fronteira entre Brasil e Paraguai. A exposiçăo funciona de terça a sexta-feira das 9 ŕs 18 horas e aos sábados e domingos das 12 ŕs 18 horas. A entrada é gratuita.

Museu da Gravura em Ensaio

É possível visitar, também até o dia 20, as obras da fotógrafa Priscila Forone, no Museu da Gravura de Curitiba. A exposiçăo é composta por um ensaio feito pela artista no próprio Museu da Gravura. Năo é cobrada entrada e a visitaçăo pode acontecer de terça a sexta-feira das 9 ŕs 18 horas e aos sábados e domingos das 12 ŕs 18 horas.

Múltiplos Atelięs

Os artistas Fernando Rosenbaum, Denise Roman, Lahir Ramos, Eliane Prolik, Nelson Hohmann, Carlos Henrique Tullio, Glauco Menta, Ana González e Helio Fervenza mostram seu trabalho na mostra Múltiplos Atelięs, no Museu da Gravura de Curitiba. As obras constam no livro “Solar da Gravura - 25 Anos dos Atelięs do Museu da Gravura Cidade de Curitiba”. O Museu fica na Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533 – Centro e a exposiçăo fica aberta de terça a sexta-feira das 9 ŕs 18 horas e nos finais de semana das 12 ŕs 18 horas.

Os caprichos de Goya

O Museu Oscar Niemeyer (MON) abriga até 26 de abril a exposiçăo “Os caprichos”. A mostra reúne 80 gravuras do artista espanhol Francisco de Goya (1746-1828), mais conhecido por suas pinturas. As gravuras, em um sequęncia numerada de 1 a 80, trazem a crítica e o misticismo de Goya, em temas como prostituiçăo, vida em sociedade, aristocracia espanhola e superstiçőes. Informaçőes: (41) 3350-4400.

Săo Francisco de Assis – O Paradigma da Humanidade

Para retratar o tema Săo Francisco de Assis, a artista plástica Lúcia Calluf fez um percurso no repertório literário sobre o homem, líder, contestador, idealista, rebelde, poeta e santo, enredando-se na história, tempo e espaço. Como resultado, mostra ao público o traçar de uma linha unindo o passado e o presente, ousando recriar um novo entendimento, que divide com o público por meio de sua arte. A mostra “Săo Francisco de Assis - O Paradigma da Humanidade” reúne nove obras inéditas da artista em materiais como madeira, colagem e pintura sobre superfícies rústicas fica aberta até o dia 29 no Museu da Arte Sacra da Arquidiocese de Curitiba. Informaçőes pelo (41) 3321-3265.

Joăo Baptista Groff – Caçador de Imagens

A Casa Romário Martins abriga até novembro a exposiçăo “Joăo Baptista Groff – Caçador de Imagens”. A mostra é composta por imagens de Curitiba durante as décadas de 1920 e 1930, feitas pelo fotógrafo Joăo Baptista Groff (1897-1970). Informaçőes pelo (41) 3321-3255.

Barăo de Mauá

A vida e a trajetória do célebre empresário e empreendedor Irineu Evangelista de Sousa, o Barăo de Mauá, que ajudou a industrializar o Brasil e foi pioneiro em diversas áreas da economia é tema de uma exposiçăo que leva o seu nome. Objetos pessoais, fotografias raras do século XIX, gravuras, quadros e pinturas fazem parte do acervo da exposiçăo, que tem realizaçăo e patrocínio do Sesi-PR e produçăo da Aori. O material exposto no Centro Cultural do Sistema Fiep, até o dia 13 de maio. A entrada é franca.

5 anos de saudade

Também é possível ver, até o dia 22, a exposiçăo de fotos cedidas pela família da atriz Lala Schneider, que faleceu em 2007. A mostra “5 anos de saudade” faz memória a vida e morte da paranaense que encantou geraçőes. As imagens trarăo Lala em momentos importantes de sua carreira e em instantes de descontraçăo. A exposiçăo está montada no Shopping Curitiba. Informaçőes pelo (41) 3026-1000.

Poty de todos nós

A mostra, que ocupa o salăo principal do MON, reúne um pouco de tudo da vasta produçăo do artista paranaense Poty Lazarotto. Dos desenhos de infância, passando pelo material que produziu durante a temporada em que estudou na Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, até gravuras e outros conteúdos que ele realizou ao longo de seu percurso. Entre os cerca de 800 itens, há materiais que nunca foram apresentados ao público, a exemplo de fotos que registram o convívio de Poty com a família e bilhetes e recados bemhumorados que o artista fazia para se comunicar com a sua esposa, Célia. A exposiçăo também abre espaço ŕs ilustraçőes feitas por Poty, para obras literárias, e para o trabalho que ele realizou com murais e vitrais. Além de estudos pouco conhecidos, como a viagem que realizou ao Xingu e os esboços para o desenvolvimento do livro “Curitiba, de nós”. A mostra está disponível para visitaçăo até o dia 5 de agosto. A entrada custa R$ 4,00 e R$2,00.

56 Documento Reservado / Março 2012


Espetáculos Sérgio Malandro - Sem censura

Com seu humor característico e consagrado popularmente, o Rei do Glu-Glu diverte a platéia curitibana entre os dias 14 e 15 de abril, com performances que marcaram sua trajetória na televisăo e histórias de sua carreira desde a estréia como jurado do programa de calouros no SBT, ao lado de Silvio Santos. As participaçőes na TV Globo, na década de 1990, ao lado de Xuxa e Chico Anysio também săo lembradas, assim como as passagens pelo cinema, histórias do seu padrasto General e seus relacionamentos amorosos. E agora ainda acrescenta em seus espetáculos, episódios vividos por ele e seus companheiros no reality show ‘A Fazenda’. A apresentaçăo será no Teatro Regina Vogue e os ingressos custam R$ 60,00 e R$ 30,00.

Varekai

Quem curte um espetáculo que une circo e dança năo pode perder Varekai do famoso Cirque du Soleil. O nome significa “onde quer que seja” na linguagem cigana. Criado e dirigido por Dominic Champagne, esta produçăo presta homenagem ŕ alma nômade, ao espírito e arte da tradiçăo circense e a todos aqueles que desafiam com infinita paixăo os longos caminhos que levam a Varekai. As apresentaçőes văo de 15 de junho a 15 de julho, no Expotrade Convention Center e os ingressos variam de R$ 140,00 a R$ 395,00. O espetáculo nasce da explosiva fusăo do teatro com a acrobacia. O impossível torna-se possível em espantosas demonstraçőes de perícia e poder, com trilha sonora original e cenários do “outro mundo”, perfeitamente harmonizados com as fantásticas coreografias que “falam” a universal linguagem do movimento. O pęndulo do tempo anda para trás numa homenagem ŕs antigas e especiais tradiçőes circenses dos Icarian Games, Water Meteors e Georgian Dance. Depois, Varekai transporta-se para o futuro através de revolucionários movimentos de contorçăo em números como Russian Swings, Slippery Surface e Triple Trapeze. Mais informaçőes no site: http://www.varekai.com.br/

Shows Pato Fu

No dia 21 de abril, ŕs 23 horas, os mineiros do Pato Fu sobem ao palco do Curitiba Master Hall para alegria dos făs curitibanos. Composta atualmente por Fernanda Takai, John Ulhoa, Ricardo Koctus, Xande Tamietti e Lulu Camargo, a banda possui um som que vai do rock alternativo ŕ música experimental, incluindo influęncias eletrônicas em certas faixas. Entre as músicas que a banda gravou mais famosas estăo “Sobre O Tempo”, “Antes Que Seja Tarde”, “Depois”, “Perdendo Dentes”, “Made in Japan” e “Ando Meio Desligado” (regravaçăo d’Os Mutantes). Os ingressos estăo ŕ venda pelo Disk Ingressos no (41) 3315-0808.

Teatro Mágico

Com apresentaçăo da A Sociedade do Espetáculo, parte final da trilogia, a companhia musical Teatro Mágico se apresenta no Teatro Positivo, no dia 21. O grupo se consolida como um dos maiores frutos do fenômeno da web, conseguindo seu número de făs e acesso graças ŕ vídeos postados no youtube. Entre suas cançőes mais icônicas, O Anjo Mais Velho, Da Entrega e Cuida de Mim.

Fábio Júnior – Íntimo

Maria Gadú

A “queridinha” do momento, Maria Gadú, vem a Curitiba, no dia 4 de maio, apresentar o álbum “Mais Uma Página”. Os sucessos consagrados da cantora da săo “Shimbalaię”, “Linda Rosa” e “Sonhos Roubados”, entre outras. A apresentaçăo será no Grande Auditório do Teatro Positivo e os ingressos custam R$ 70,00. Informaçőes (41) 3317-3000.

Tihuana

No mesmo dia, é a vez dos roqueiros do Tihuana lotarem o Yankee Amercian Bar, em Curitiba. A banda, que ficou famosa pela trilha sonora do filme “Tropa de Elite” volta ŕ capital para apresentar seu DVD gravado ao vivo no estacionamento do Kazebre, hoje o principal point do rock na Zona Leste de Săo Paulo, em 2007. Depois de uma década e de cinco discos de estúdio, nada mais natural, com ou sem a ajuda da Faca na Caveira, que Egypcio (voz e violăo), Román (baixo e voz), Leo (guitarra e voz), Baía (percussăo e voz) e PG (bateria) mostrassem o que fizeram e aprenderam nesse tempo de estrada. Os ingressos custam R$ 45,00 e R$ 25,00.

Aldo Gouveia e Ellis Negress nos vocais. O repertório do novo show é composto por sucessos que fazem parte da carreira do cantor como, Caça e Caçador, Felicidade, Senta Aqui, entre outros, porem, com nova roupagem. As músicas do CD Minhas Cançőes, que teve a produçăo de Guto Graça Melo, também estăo no repertório, assim como as musicas do CD Intimo, que teve a produçăo de Cesar Lemos e lançamento previsto para Março. Os ingressos variam de R$ 130,00 (R$ 65,00 a meia) a R$ 190,00 (R$95,00 a meia) e estăo ŕ venda também pelo Disk Ingressos.

Já para quem curte uma levada mais romântica, o cantor Fábio Júnior se apresenta no Grande Auditório do Teatro Positivo, no dia 28. Com tudo novo, Fábio Júnior volta a Curitiba com seu show “Íntimo”, lançado em 2011. A banda que acompanha o cantor nesta turnę é composta por Amador Longhini no teclado e direçăo musical, Álvaro Gonçalves na guitarra e violăo, Jotinha no baixo, Gustavo Barros na guitarra, Pepa D’Elia na bateria e

Roxette

No dia 8 de maio, a dupla Roxette se apresenta em Curitiba para promover o álbum que será lançado em março, chamado “T2-Tourism 2”. Dentre vários sucessos, destaque para “It Must Have Been Love”, “Spending My Time” e “Listen to Your Heart”.O show será realizado no Grande Auditório do Teatro Positivo com horário e preços ainda a definir.

57 Documento Reservado / Março 2012


perfil

Dona Olga, mais uma faculdade aos 82 anos C

Como dizia minha mãe, Dona Nair, por mais mal que as pessoas possam nos fazer, sempre haverá uma que nos estenderá a mão. Nunca esqueci disso e hoje me lembro da querida Olga Noce, funcionária pública aposentada da Secretaria de Estado da Saúde.

Quando desembarquei em Curitiba, em 1971, vindo de Alto Paraná, tive o imenso prazer de conhecer, lá pelos anos de 1972 e 1973, Dona Olga, através de sua filha Soraya e da minha esposa, Lola, amigas inseparáveis até hoje. Caboclinho do interior, qualquer dor de barriga, motivada por saudades dos campos de futebol, dos amigos e amigas, da família, corria na Dona Olga, a qual chamava de doutora, e lá vinha ela, toda sorridente, nos seus pouco mais de 1,5 metros de altura, a me medicar ou consolar.

58 Documento Documento Reservado Reservado // Março Março 2012 2012

Assim passavam os dias e sempre pedia socorro à Dona Olga, então formada em Bioquímica, pela Universidade Federal do Paraná, trabalhando em um prédio da Secretaria da Saúde, localizada nas esquinas das ruas André de Barros com Barão do Rio Branco. Acho que ainda é da área da saúde. Bem. Depois de casado, já com filhos, trabalhando de segunda a segunda, na Gazeta do Povo, acabei perdendo o contato com Dona Olga. Os anos se passaram e depois fiquei sabendo que a danada, aos 82 anos de idade, havia concluído mais uma faculdade. Tive a oportunidade, no ano passado, de dar um forte abraço na minha querida amiga e protetora. Hoje, aos 86 anos de idade, cheio de vida e saúde, é um exemplo para todos nós. Dona Olga tem, no seu currículo, quatro diplomas: Farmácia e Bioquímica, Educação Física, Pedagogia e Teologia. A uma pessoa assim, só podemos desejar vida longa.™ Pedro Ribeiro


59 Documento Reservado / Marรงo 2012


60 Documento Reservado / Marรงo 2012


# O2- MAR/2O12 www.documentoreservado.com.br

Grand Siena:

grande e moderno

Manutenção

Cuidar do carro gera retorno na venda

Honda Fit

Honda Fit tem mudanças na linha 2013

I EC

AL

IS E V TE Ó 12 R M 0 CA O AR/2 N T M E U A ES

P


editorial EXPEDIENTE Jornalista responsável e editor-chefe Pedro Ribeiro Redação RT Press Comunicação Ed Carlos Rocha Revisão Nilza Batista Ferreira Comercial Junior Ribas comercial@documentoreservado.com.br Fotos Divulgação Ford, Divulgação Chevrolet, Divulgação Peugeot, Shutterstock Ilustrações Davidson Projeto Gráfico e Diagramação Graf Digital

Sempre novidades

O

mercado de automóveis não para de apresentar novidades. Cada vez em menos tempo os carros estão sendo atualizados ou lançados em uma versão mais moderna e totalmente diferente. É assim, por exemplo, como Siena, que virou Grand Siena e trouxe uma série de inovações em relação ao modelo anterior, como podem ver em matéria de destaque que apresentamos nesta edição. Também falamos de outras novidades, como o Sentra, o Honda Fit e o J5, carros que já chegam com o modelo 2013. Mas também trazemos dicas aos leitores de como é importante manter as revisões do carro em dia para perder menos dinheiro na hora da venda. Todos sabem que automóvel não é investimento e que, portanto, não se pode esperar lucro na venda, mas com cuidados básicos é possível amenizar o prejuízo. Boa leitura! ™

Impressão Idealiza Gráfica e Editora

Pedro Ribeiro Tiragem 10.000 exemplares Impresso em papel couché fosco LD 150 g, com verniz UV (capa) e couché fosco LD 90 g (miolo) Endereço Rua João Negrão, n0. 731 Cond. New York Building - 120. andar sl. 1205 - CEP 80010-200 - Curitiba - PR Telefones (41) 3322-5531 / 3203-5531 E-mail editor@documentoreservado.com.br

REVISTA DOCUMENTO RESERVADO ENCARTE ESPECIAL AUTOMÓVEIS # 02 - MARÇO/2012

índice 05

NOTAS Serve para quę? Tá no código

Documento Reservado / Março 2012 / ESPECIAL AUTOMÓVEIS

MANUTENÇĂO Cuide do seu carro para perder menos na venda

10

GRAND SIENA Fiat aposta no estilo próprio do Grand Siena

GIRO CARRO Ford lança Guia Meu Primeiro Carro em Versăo Android Renault com novidades Recall para Honda e Nissan

08

11

06

NISSAN Nissan lança Sentra 2013

4

09

HONDA Honda Fit 2013chega com mudanças


notas

Fale com as montadoras

Serve para quê?

Audi

0800 777 2834

BMW

0800 707 3578

Chevrolet GM 0800 702 4200

Amortecedores

Chrysler

O amortecedor é um componente do sistema de suspensão dos veículos. A estabilidade, conforto e segurança ficam diretamente comprometidos se os amortecedores não estiverem atuando corretamente. Isso é verificado pela dificuldade no controle do veículo em curvas, freadas, pulos descontrolados das rodas e desgaste prematuro ou irregular dos pneus e demais componentes da suspensão. Portanto, é importante a verificação periódica dos amortecedores, bem como dos demais componentes da suspensão, sempre que o veículo passar por uma revisão. O amortecedor fica localizado na região inferior do veículo, sendo um elemento de ligação entre a suspensão e a carroceria, que controla os movimentos das molas, fazendo com que o veículo mantenha a aderência ao solo. O desgaste natural dos amortecedores, causado pelo uso, compromete a dirigibilidade do veículo e acelera o desgaste de outros componentes da suspensão. Recomenda-se a verificação e possível troca dos amortecedores preventivamente antes de 40.000 quilômetros rodados. Informações: Magneti Marelli (11) 3030-9820

Atenção!

0800 703 7130

Citroën

0800 11 8088

Fiat

0800 707 1000

Ford

0800 703 3673

Honda

Atendimento a motos: 0800 055 2221 Atendimento a carros: 0800 017 1213

Hyundai

0800 559545

Jaguar

(11) 3061-1322

Jeep

0800-703 7150

Kia Motors

0800 771 1011

Land Rover

0800 012 2733

Mercedes-Benz 0800 970 9090

Mitsubishi

Tá no código

0800 702 0404

Nissan

0800 11 1090

Peugeot

0800 7032424

Art. 182 - Parar o veículo: I – nas esquinas e a menos de cinco metros do bordo do alinhamento da via transversal: Infração média – (quatro pontos na habilitação). Penalidade – multa de R$ 85,13.

Porsche

(11) 5644-6700

Renault

0800 055 5615

Seat (Volkswagen) 0800 19 5775

Suzuki

0800 770 3380

Toyota

0800 703 0206

Volkswagen

0800 019 5775

Volvo

0800 41 1050

5 Documento Reservado / Março 2012 / ESPECIAL AUTOMÓVEIS


grand siena

Fiat aposta no estilo

próprio Um carro que sempre foi sucesso em seu segmento, o Siena acaba de ganhar uma versão mais moderna, que traz uma série de novidades, a começar pelo nome. Agora ele se chama Grand Siena e não é mais um simples sedã do Palio. O modelo cresceu no nome, no tamanho, em modernidade, em segurança e em elegância. O aumento nas dimensões provém da adoção de uma nova plataforma, o que resultou em um interior grande, largo e espaçoso. A nova plataforma trouxe mais espaço para bagagem: o porta-malas cresceu de 500 para 520 litros, um dos maiores em seu segmento. Acompanhando o aumento das dimensões, o Grand Siena foi totalmente redesenhado, em uma parceria entre os Centro Estilo da Fiat na Itália e em Betim. O sedã surge esteticamente aprimorado, privilegiando a beleza e a sofisticação, com toques de esportividade, e ganha um estilo próprio, independente da identidade do Palio. O Fiat Grand Siena sai de fábrica bastante completo, incluindo de série air bag duplo frontal e freios ABS com EBD em todas as versões. Ainda oferece opci-

onais como rádio CD/MP3 com viva voz Bluetooth®, conexão USB e iPod®, volante em couro com os comandos do rádio, comando do câmbio tipo borboleta no volante, parabrisa térmico, air bags laterais dianteiros e sensores de chuva, estacionamento e crepuscular, elevando os parâmetros de tecnologia e requinte do segmento dos sedãs compactos. Design A força do novo design aparece na dianteira afilada, com seus planos bem demarcados e vincos fortes. A esguia grade central, com o logotipo Fiat encaixado em um friso cromado na parte superior, em conjunto com os faróis alongados

6 Documento Reservado / Março 2012 / ESPECIAL AUTOMÓVEIS

que se estreitam em direção ao para-brisa, transmitem uma sensação de movimento. Esses componentes se juntam ao para-choque robusto, no qual se destaca a grade inferior de nítida inspiração esportiva, cujas extremidades embutem os faróis de neblina. Todos os elementos se conectam, fluem uns dos outros. O Grand Siena chama atenção também pelo tamanho, tanto externo como interno. Como ele já foi pensado como um sedã, de sua nova plataforma modular nasceu um carro que, comparativamente ao Siena anterior, é 134 milímetros mais comprido, 61 mm mais largo, 53 mm mais alto, e com entre-eixos é 137 mm maior, só para

Carro foi totalmente redesenhado e ganhou visual mais moderno e atraente


Maior e repleto de novidades, modelo é mais do que sedã do Palio

do Grand Siena citar as medidas mais importantes. Todos esO Fiat Grand Siena será lançado com as ses acréscimos significam um importante gan- motorizações Fire 1.4 Evo e E-torQ 1.6 16V ho no espaço interno, o que melhora o con- Flex. Ambos já são conhecidos, pois equipam forto para todos os ocupantes, sobretudo a outros modelos da marca, mas o Fire 1.4 Evo habitabilidade na parte posterior do carro. traz uma novidade: a versão Tetrafuel, que roda O interior do Fiat Grand Siena também com etanol, gasolina, qualquer mistura dos recebeu a mesma atenção à harmonia do conjunto. Todos os elementos trazem acabamento bem cuidado, materiais de qualidade, formas dinâmicas e volumes bem trabalhados, criando um ambiente arejado, elegante, que conduz ao conforto e ao bem-estar. O quadro de instrumentos, com iluminação branca, concilia beleza, modernidade e praticidade. Seu display também branco oferece contraste, faciliGrand Siena é 134 milímetros maior do que versão anterior e por dentro, sofisticação e mais espaço tando a visualização rápida dos instrumentos. Os ponteiros são iluminados em toda a barra e apresentam o dois, ou gasolina E-0 (sem álcool) e até com Welcome Moving: quando se gira a chave na gás natural (GNV ). ignição, eles realizam um movimento de veriO motor Fire 1.4 EVO que equipa a versão ficação, para que o motorista saiba que estão Attractive se destaca pela economia e pelo bom funcionando corretamente. A iluminação do desempenho. Empregando unicamente gasoquadro de instrumentos se acende e apaga lina, produz potência máxima de 85 cavalos e gradativamente, acompanhando o movimen- torque de 12,4 kgfm a 3.500 rpm. Com etanol, to dos ponteiros. sua potência é de 88 cv e seu torque, de 12,5 kgfm a 3.500 rpm. Desempenho Para as versões Essence do Grand Siena, o

escolhido foi o motor E.torQ 1.6 16V Flex, fabricado pela Fiat Powertrain em sua planta em Campo Largo, Paraná. Ele se distingue pela modernidade de sua concepção, que possibilitou a redução de peso de suas partes móveis, alto desempenho com economia de combustível, grande confiabilidade e baixos níveis de emissões, de ruídos e de vibrações. O E.torQ tem potência de 115 cv e torque máximo de 16,2 kgfm a 4.500 rpm funcionando unicamente com gasolina. Rodando com etanol, sua potência é de 117 cv e seu torque, de 16,8 kgfm a 4.500 rpm. O Grand Siena com o motor E.torQ 1.6 16V Flex também pode receber câmbio Dualogic®. Ele permite tanto a condução com câmbio no modo automático quanto com manual. As trocas de marchas, neste modo, são controladas sequencialmente por meio de toques na alavanca do câmbio. A troca entre os modos automático e manual pode ser feita com o automóvel em movimento, propiciando um desempenho mais esportivo em manobras como ultrapassagens. Este câmbio também dispõe de alavanca de seleção de marchas tipo borboleta acoplada ao volante do carro. ™

7 Documento Reservado / Março 2012 / ESPECIAL AUTOMÓVEIS


sentra

Nissan lança Sentra 2013 A

Nissan do Brasil está lançando a linha 2013 do sedã Sentra, que traz novidades na lista de equipamentos opcionais: farois e lanternas escurecidas e sistema Bluetooth. Já à venda, o novo ano-modelo não sofreu alteração nos preços sugeridos, que vão de R$ 53.190 a R$ 70.490. As inclusões do pacote “Black Mask”, que traz farois e lanternas escurecidas disponível para toda a linha, e do sistema Bluetooth (disponíveis para as versões S e SL) ampliam a lista de itens de estéticos e de tecnologia disponíveis para o sedã médio da Nissan. O Sentra conta nas suas versões com equipamentos como rodas de liga leve, teto solar, chave presencial l-Key e display colorido 4,3" no painel central, associado à câmera de ré, que evita colisões com objetos próximos. Agora com o sistema Bluetooth, o motorista fica com as mãos livres para atender a uma chamada no telefone celular. Quando o aparelho toca, o carro interrompe a música que está tocando e indica que há uma ligação. Com um simples toque no botão do volante,

ele começa a conversar. O pacote “Black Mask” custa R$ 200 e, quando associado ao sistema Bluetooth, vai a R$ 500. O Nissan Sentra destaca-se também com seu motor 2.0 16V bicombustível, que gera 143 cavalos a 5.200 rpm, independentemente do combustível (álcool/gasolina), que conta com o sistema CVVTCS (de Continuosly Variable Valve Timing Control System, ou variação da abertura das válvulas através de variador de fase). Com o CVVTCS, a eficiência do propulsor é a mesma em qualquer regime de rotação, oferecendo respostas mais precisas do acelerador, maior economia, melhor queima de combustível e, consequentemente, redução das emissões de poluentes. Com curva de torque constante que é muito suave desde as rotações mais baixas, o motorista pode perceber toda a força do motor, que é extremamente elástico, pois alcança 90% de torque máximo de 20,3 kgfm até 2.400 rpm. A taxa de compressão é de 9,7:1.

ou Linha, que ganh de itens estéticos e es çõ op tecnologia, tem ,0 .190 0 a partir de R$ 53

Faróis e lanternas escurecidas estão entre as novidades

8 Documento Reservado / Março 2012 / ESPECIAL AUTOMÓVEIS

O Nissan Sentra 2013 conta com duas opções de caixa de câmbio. A versão 2.0 tem câmbio manual de seis marchas, além do opcional câmbio XTRONIC®CVT com função overdrive – é item de série nas versões 2.0 S e 2.0 SL. A transmissão CVT é uma das opções mais modernas em relação às transmissões automáticas disponíveis no mercado. O sistema CVT proporciona trocas de marchas sem trancos e economia de combustível em relação à opção manual, já que trabalha sempre na faixa de rotação ideal. O Nissan Sentra 2013 tem equipamentos de série que oferecem mais conforto, segurança e tecnologia aos consumidores. Para acomodar os diversos objetos de uso diário da vida moderna, conta com diversos porta-copos e compartimentos. Os porta-copos são distribuídos no console central e no descansa braço do banco traseiro e têm ajuste para fixar


manutenção Manutenção em dia e trato na aparência podem amenizar a desvalorização recipientes líquidos de 500 ml a 1 litro. No apoio de braço entre os bancos dianteiros há um compartimento com 4,8 litros de capacidade para guardar CDs e DVDs. O porta-luvas com chave tem capacidade para até 12 litros. A versão de entrada (2.0) vem com controlador de velocidade, computador de bordo, rádio CD/MP3 Player com conexão para Ipod®, ar-condicionado, proteção interna do porta-malas em carpete, molduras externas cromadas e rodas com calotas 16". Em relação à segurança, o modelo conta com retrovisores elétricos rebatíveis, travamento automático das portas sensível à velocidade, alarme, direção elétrica com regulagem de altura, airbag duplo dianteiro e sistema de freios com ABS (antitravamento) e EBD (distribuição eletrônica da força de frenagem). O Nissan Sentra 2.0S 2013 traz todos os itens da versão de entrada e conta ainda com a chave inteligente I-Key, que dispensa o uso de chave para abertura das portas e partida do motor. Vem ainda com rodas de alumínio aro 16, maçanetas internas cromadas, faróis de neblina, volante revestido em couro com controle de áudio, banco traseiro bipartido e o sistema Divide-N-Hide®, uma divisória removível no interior do porta-malas, que serve para ocultar ou separar a bagagem. Opcionalmente pode ter o sistema Bluetooth e farois e lanternas escurecidas. Topo de linha, a versão 2.0 SL conta com todos os itens da versão 2.0 S, além de airbags laterais e de cortinas, bancos em couro, teto solar elétrico, som Rockford Fosgate com display colorido de 4,3" e conexão USB, sensor crepuscular e câmera traseira com imagem no display do rádio. Também pode ter o sistema Bluetooth e farois e lanternas escurecidas com opcionais. ™

Cuide do seu carro para perder menos na venda

É

uma regra básica do mercado. Ao vender o carro, o proprietário sempre vai perder dinheiro em relação ao que pagou. Em média, um modelo zero quilômetro sofre, só no primeiro ano de uso, de 20% a 30% de desvalorização. Mas esta perda pode ser minimizada se o dono cuidar do seu veículo com carinho. O cuidado abrange basicamente estar em dia com a manutenção da parte mecânica, do interior e da lataria. Carro bom, bonito e limpo por dentro chama a atenção, se destaca no pátio de uma loja, é mais fácil de vender e vale mais do que um similar mal cuidado. “Se está em dia com as revisões na concessionária, de preferência, vale entre 5% e 10% a mais pelo menos”, afirma Celso Celso Lucas Gomes, subgerente da Bellos Car. Segundo ele, tem pessoas tão desleixadas que não fazem nem mesmo as revisões gratuitas. Além disso, aponta, é comum falta de conservação dos pneus, lataria e interior. “Pneus carecas, lata amssada, bancos furados por cigarros e painel riscado depreciam muito o veículo. Dependendo do grau destes problemas, pegamos o veículo e consertamos tudo, claro, pagando menos ao vendedor. Mas há casos em que nem compensa arrumar o carro, pois os gastos serão grandes”. A falta de cuidado gera prejuízo não só na hora da venda, conforme explica Celso. “Os desleixados pagam caro por isso. Às vezes há um dano simples na suspensão, por exemplo, que poderia ser arrumado por R$ 200,00. Mas o dono não liga e aí agrava o problema, tendo que pagar mais de R$ 1.000,00 depois”. Manter as revisões na concessionária mesmo depois de vencido o prazo de garantia

também pode valorizar o carro na venda, segundo Jerônimo dos Santos, vendedor da JK Automóveis. “As pessoas pagam mais por um carro de 80 mil quilômetros que foi revisado em concessionária do que por um de 50 mil quilômetros que não teve essa revisão”, aponta, dizendo que é importante também o proprietário guardar o manual, nota fiscal e chave cópia. “Isto ajuda a atestar a procedência do veículo, o que é muito valorizado pelos compradores”. Mas o proprietário pode garantir maior valorização na venda já no momento da compra. Carros que não são placa A ou B, ou seja, de fora do Paraná, já perdem, em média 10% do valor. “Posso dizer que 99% dos compradores fogem de carros que não sejam do Paraná”, diz Jerônimo. Outro fator são os carros importados. “A desvalorização de um carro importado é praticamente o dobro de um modelo similar nacional”, garante Celso. ™

Veja dicas de como valorizar o seu veículo: Mantenha as revisőes em dia, de preferęncia em concessionárias. Cuide do interior. Bancos furados ou manchados, tampa do porta-luvas que năo fecha direito, painel riscado, teto sujo, forraçőes da porta se soltando, tapetes rasgados e mau cheiro afugentam os interessados. Mantenha a lataria em perfeito estado, arrumando pequenos riscos e amassados em lojas confiáveis. Evite deixar o carro ao sol e faça polimentos frequentemente. Guarde chave cópia, manual do proprietário e nota fiscal. Ajudam a atestar a procedęncia do veículo.

9 Documento Reservado Reservado // Março Março 2012 2012 // ESPECIAL ESPECIAL AUTOMÓVEIS AUTOMÓVEIS Documento


giro carro

Guia Meu Primieiro Carro O Guia Meu Primeiro Carro, criado pela Ford para ajudar os motoristas iniciantes a conhecer os cuidados básicos com a manutenção e solucionar dúvidas sobre a documentação do veículo, ganhou uma nova versão para smartphones com sistema Android. O guia está disponível no site da Ford (http:// www.ford.com.br/guiafordka/) e conta com um aplicativo para iPhone, também gratuito, disponível na APP Store. O guia foi desenvolvido a partir de uma pesquisa na internet com consumidores de todo o Brasil para identificar as dúvidas dos motoristas de primeira viagem. Períodos de revisão, seguro obrigatório (DPVAT), IPVA, licenciamento, emplacamento, manutenção e inspeção veicular estão entre os itens abordados. Também traz dicas para a conservação dos pneus, ar-condicionado, pintura, orientações de segurança, as principais leis do Código de Trânsito Brasileiro e contatos úteis. ™

Renault com novidades Alguns dos modelos da Renault estão com novidades. Na gama Duster, por exemplo, vale destacar a adoção do sensor de estacionamento de série nas versões Dynamique, disponíveis nas motorizações 1.6 16V Hi-Flex e 2.0 16V Hi-Flex (câmbio manual ou automático, com possibilidade de tração 4x2 ou 4x4). Engate para reboque e rádio multimídia passam a fazer parte do portfólio de itens destinados ao utilitário esportivo. Na linha Logan 2012/2012, destaque para a versão Expression 1.0 16V Hi-Flex, que está recebendo um rádio mais moderno, maior e integrado ao painel, com comando satélite na coluna de direção. O equipamento, além de rádio AM/FM e CD-Player, reproduz músicas nos formatos MP3, WMA e WMV. Em sua parte frontal, oferece duas entradas: uma auxiliar, do tipo “jack”, e outra para conexão USB/iPod, o que permitirá a execução de arquivos pessoais do usuário. Já em relação ao Clio, houve mudanças no chamado Pack Plus, que agora, na linha 2012/2012 terá ar quente; dois apoios traseiro de cabeça com regulagem de altura, um ponto positivo para o conforto e a segurança; e lavador/limpador de vidro traseiro. ™ Rádio multimídia agora faz parte do portfólio do Duster

(41) 3354-0003 (41) 3076-7088 (Albino, Marcos e Evandro)

Av. Anita Garibaldi, 4091 - Barreirinha (em frente ao Terminal do Barreirinha) 10 Documento Reservado / Março 2012 / ESPECIAL AUTOMÓVEIS

www.barreirinhaveiculos.com.br


honda

Honda Fit 2013 chega com mudanças

A

linha 2013 do Honda Fit chega às concessionárias com mudanças significativas. As novidades começaram no número de versões. Serão seis a partir deste ano: DX (MT), LX (MT e AT), EX (MT e AT), e EXL (AT). Além disso, o Honda Fit é apresentado com um novo design. Os paralamas dianteiros foram redesenhados. Isso sem contar os novos parachoques dianteiro e traseiro, a grade frontal e o conjunto de faróis. . Some a isso sua ampla área envidraçada, que melhora a visibilidade dos ocupantes, e o marcante conjunto óptico, que oferece uma iluminação de elevado alcance e contribui para uma melhor visão noturna. O veículo também ganhou mais autonomia com a mudança no tanque de combustível, que terá capacidade ampliada para 47 litros (antes eram 42 litros). A tecnologia também ganhou mais espaço no face-lift do Fit 2013. As versões EX e EXL, por exemplo, receberam sensores de estacionamento. A versão LX também vem com mudanças importantes. Novas rodas mais arrojadas foram projetadas e, essa versão, contará agora com sistema de freios ABS com EBD — já disponível nas versões EX e EXL. Internamente, o Honda Fit continua espaçoso. Alguns detalhes chamam muito a atenção, como a ergonomia. Os bancos traseiros reclináveis são bipartidos e concebidos com o sistema ULT (sigla que reúne as palavras “utilitário”, “longo” e “alto”, em inglês), que possui mais de dez configurações de posicionamento do assento, com movimentos para baixo e reverso. Ou seja, esse sistema assegura uma flexibilidade maior dentro do automóvel e, principalmente, uma melhor adequação às necessidades do usuário. Todas as versões são desenvolvidas com painel central blackout com computador de bordo, que traz todo tipo de informação ao condutor (consumo instantâneo e médio em km/l, autonomia e hodômetros total e parcial).

Visual dianteiro foi um dos aspectos que mudaram no veículo da Honda

O sistema de som também é um dos destaques no Fit 2013. Na versão 1.5l (EX e EXL), o rádio integrado ao painel com CD Player com MP3/WMA possui entrada auxiliar para P2 (tipo fone de ouvido) e para USB. Já a versão LX apresenta uma novidade nesse quesito. Ganhou novo sistema de rádio integrado com entrada USB, AM/FM/CD e também entrada P2. O Honda Fit 2013 é comercializado com o ar-condicionado em todas as suas versões – na EX e na EXL o sistema é digital. Todas também dispõem de vidro elétrico nas quatro portas. Potência As versões DX e LX são desenvolvidas com o propulsor de 1.4l e tem potência de 100 cv a 6.000 rpm, na utilização de gasolina, além de 101 cv a 6.000 rpm, quando for apenas álcool. O motor tem torque de 13 kgf.m a 4.800 rpm. Já as versões EX e EXL são equipadas com o propulsor 1.5l, alcançando 116 cv a 6.000 rpm (álcool) e 115 cv a 6.000 rpm (gasolina). Essa versão dispõe de torque de 14,8 kgf.m a 4.800 rpm. A versão DX, a de entrada, possui transmissão manual de cinco velocidades. A top de linha, EXL, será produzida apenas com transmissão automática, também de cinco velocidades. As demais versões (LX e EX) serão

comercializadas com os dois tipos de transmissão. A partir deste ano, as versões EX e EXL serão As versões EX e EXL ganharam sensores produzidas de estacionamento com sensores de estacionamento, que auxiliam o condutor nas manobras de baliza. Composto por quatro sensores traseiros, o equipamento colabora para a preservação do veículo, evitando pequenos acidentes. O veículo tem como item de série airbags frontais duplos (motorista e passageiro) em todas as suas versões. O modelo também oferece apoio de cabeça e cinto de segurança de três pontos para os cinco ocupantes. Além disso, conta com o Advanced Compatibility Engineering (ACE), que incorpora uma estrutura frontal interna para auxiliar na absorção e dispersão de impactos em uma grande área. O Honda Fit 2013 tem três anos de garantia, sem limite de quilometragem, e está disponível nas cores Branco Taffeta Sólido, Prata Global Metálico, Cinza Paladium Metálico, Vermelho Rally Sólido, Preto Cristal Perolizado, e a nova tonalidade Cinza Iridium Metálico. ™ 11

Documento Reservado / Março 2012 / ESPECIAL AUTOMÓVEIS


12 Documento Reservado / Marテァo 2012 / ESPECIAL AUTOMテ天EIS


Documento Reservado