Page 1

1

FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE COSTA RICA-FECRA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO LAURADAIANE

RELATÓRIO IINTEGRAL DE AVALIAÇÃO INTERNA DA FACULDADE DE COSTA RICA

Costa Rica – MS Março de 2018


2

APRESENTAÇÃO

Este relato faz parte do processo de auto avaliação realizado pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Faculdade de Educação da faculdade de educação de Costa Rica - FECRA e foi desenvolvido em consonância com as determinações do Ministério da Educação (MEC), constantes da Nota Técnica INEP/DAES/CONAES Nº 065 de 09 de outubro de 2014. Seu objetivo é apresentar os processos de gestão desenvolvidos a partir da análise dos resultados das avaliações desenvolvidas nessa Instituição de Ensino Superior (IES). Em seu detalhamento serão apresentados: breve histórico da IES, os conceitos obtidos nos processos regulatórios, os projetos e processos da auto avaliação, a divulgação e análise dos resultados da auto avaliação, o plano de melhorias a partir dos processos avaliativos, os processos de gestão e a demonstração de evolução institucional. Os trabalhos desenvolvidos pela CPA da FECRA iniciaram-se em 2015, quando da nomeação dos membros pela Diretora Geral da FECRA. As reuniões da Comissão ocorrem bimestralmente, quando são pensadas e reformuladas as avaliações sobre a IES, a serem aplicadas ao corpo docente, ao corpo discente e ao corpo técnico-administrativo, de acordo com o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), a missão e os objetivos da IES, bem como analisados os resultados obtidos nas mesmas avaliações e os encaminhamentos destes para a Direção e a divulgação na IES. Os membros da comissão também são informados das solicitações do MEC que cabem à CPA providenciar e de outros assuntos concernentes à IES. Os documentos referentes à instalação da CPA bem como ao seu funcionamento estão também disponibilizados na plataforma virtual da instituição. Enfim, com a divulgação deste relato institucional, a CPA espera oferecer os subsídios necessários para que a instituição reflita sobre o cumprimento da sua missão e das políticas institucionais, bem como possa investir de maneira consciente e adequada nos aprimoramentos contínuos da qualidade do ensino ministrado e formação acadêmica.


3

SUMARIO

1 BREVE HISTÓRICO DA IES ............................................................... 4 2 CONCEITOS OBTIDOS PELA IES NAS AVALIAÇÕES EXTERNAS INSTITUCIONAIS E DE CURSO ............................................................ 6 3 PROJETOS E PROCESSOS DE AUTOAVALIAÇÃO ......................... 6 4 DIVULGAÇÃO E ANÁLISE DOS RESULTADOS DA AUTOAVALIAÇÃO ............. 8

4.1 DISCENTES .......................................................................................9 5 PLANO DE MELHORIAS A PARTIR DOS PROCESSOS AVALIATIVOS ......................................................................................... 9 6 PROCESSOS DE GESTÃO .............................................................. 10 7 DEMONSTRAÇÃO DE EVOLUÇÃO INSTITUCIONAL ..................... 11


4

1 BREVE HISTÓRICO DA IES A Faculdade de Educação de Costa Rica – FECRA surgiu em 1998, com sede na cidade de Costa Rica, Estado de Mato Grosso do Sul. Tem origem enfronhada na experiência e preocupação de sua mantenedora, professora mestra Evair Gomes Nogueira, Pessoa Jurídica de Direito Privado, com fins lucrativos. A Mantenedora possui Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica – CNPJ Nº. 26.838.151/0001-07, e Cadastro na Junta Comercial do Estado de Mato Grosso do Sul Nº. 54.1.0092942-1 e seu endereço é Rua Ambrosina Paes Coelho, Nº. 1.054, Centro, CEP: 79.550-000 Costa Rica, MS. A Faculdade de Educação de Costa Rica – FECRA está situada no mesmo endereço da Mantenedora: Rua Ambrosina Paes Coelho, Nº. 1.054, Centro, CEP: 79.550-000 Costa Rica, MS, que é o mesmo endereço citado no Ofício de Designação do MEC. A IES teve seu credenciamento autorizado através do Ato Regulatório do MEC de Nº. 1.401 de 22/12/1998, publicado no DOU de 24/12/1998. Está registrada no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica – CNPJ sob nº. 09.505.760/0001-25 e na Junta Comercial do Estado de Mato Grosso do Sul sob nº 54.2.0091985-1. Naquele momento foi autorizado o curso de Pedagogia por meio da Portaria do Ministério da Educação e do Desporto Nº 1.401, de 22/12/1998. O curso de Pedagogia foi reconhecido pela Portaria Ministerial nº 3.516 de 26/11/2003. O curso de Pedagogia foi transformado em Curso Normal Superior com as Habilitações Licenciatura para os Anos Iniciais do ensino fundamental Licenciatura para a Educação Infantil a ser ministrado pela Faculdade de Educação de Costa rica, no âmbito do Instituto Superior de Educação, na Rua Ambrosina Paes Coelho, n. 1054. No ano de 2004, pela portaria Ministerial n. 2.576, de Agosto de 2004 foi autorizado o funcionamento do curso de Administração Geral, com 240 (duzentas e quarenta) vagas totais anuais, no turno noturno. Neste mesmo ano, pela Portaria Ministerial. 2.571, de Agosto de 2004 foi autorizado o funcionamento do curso de, Letras – Licenciatura, com a habilitação Língua Portuguesa e Inglesa e respectivas Literaturas, com 240 (duzentas e quarenta) vagas totais anuais, no turno noturno. O curso de Letras, licenciatura, com habilitação em Português e Inglês e Respectivas Licenciaturas, com 240 (duzentos e quarenta) vagas totais anuais foi reconhecido pela Portaria Ministerial n. 7.55 de 08 de junho de 2009. O Curso de Administração,


5

bacharelado, com 120 (cento e vinte) vagas totais anuais, foi reconhecido pela Portaria do Ministério de Educação n. 1.147 de 25 de agosto de 2010. Em 2013, pela Portaria n. 703 de 18 de Dezembro foi renovado o reconhecimento do curso superior de graduação Administração, bacharelado, com 120 (cento e vinte) vagas totais anuais. Concomitante com a oferta dos cursos de graduação autorizados, a FECRA iniciou a oferta de cursos de pós-graduação Lato sensu, ampliando as oportunidades de qualificação para a sua região de inserção, com o objetivo de proporcionar à comunidade, oportunidades de prosseguimento nos estudos, a busca pela qualificação profissional e a difusão de novas técnicas sociais nas áreas dos cursos ministrados. Todas as instalações dispõem das condições necessárias para o funcionamento dos cursos ministrados pela FECRA, de acordo com os padrões exigidos pelo Ministério da Educação, e atendem às exigências mínimas estabelecidas para a acessibilidade dos portadores de necessidades especiais, conforme o Decreto nº 5.296/2004.

2.

CONCEITOS

OBTIDOS

PELA

IES

NAS

AVALIAÇÕES

EXTERNAS

INSTITUCIONAIS E DE CURSO.

Em abril de 2015, a FECRA recebeu a visita da comissão de avaliação do MEC, com o intuito de avaliar o processo de Renovação de Reconhecimento da Instituição Faculdade de Educação de Costa Rica (Protocolo; 201408193, Código MEC: 976745, Código Avaliação: 117602, obtendo o conceito final 3 (três), conforme relatório encaminhado pela Comissão de Avaliação do MEC. Os Cursos de graduação da FECRA começaram a ser avaliados pela primeira vez em 2004 através do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE). Em 2014 o curso de Pedagogia alcançou o indicado 2,0 no

Exame Nacional de Desempenho

dos Estudantes (ENADE) e será avaliado pela Comissão de Avaliação Externa no ano de 2018. Em 2015 o Curso de Administração alcançou o indicado 3,0 Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE).

Exame


6

3. PROJETOS E PROCESSOS DE AUTOAVALIAÇÃO

A Comissão Própria de Avaliação (CPA) da FECRA, em atendimento às diretrizes propostas pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), vem realizando, rotineiramente, processos que objetivam a auto avaliação institucional, com o objetivo de auxiliar a comunidade acadêmica para atuar em prol do aperfeiçoamento contínuo e da inovação dos serviços educacionais e de gestão. Conforme determinação do SINAES, as instituições devem promover um processo contínuo de avaliação, composto pelas etapas de auto avaliação e de avaliação externa. Em atendimento à Lei 10.861, de 2004, à Portaria 2.051, de 2004, e com base a nota técnica n°14/2014 – CGACGIES/DAES/INEP/MEC, por meio da Portaria n° 03 , de 2015, e demais documentos de referência, a FECRA constituiu sua CPA com as atribuições de conduzir os processos internos de auto avaliação. Assim sendo, o Projeto de Auto avaliação Institucional é um instrumento que pauta a atividade avaliativa da FECRA que tem constituído estratégias que visam que visam a analisar, avaliar e repensar as ações que a IES desenvolve. Nesse sentido, a FECRA assume como concepção de avaliação institucional a noção da importância da avaliação como estratégia de planejar a melhoria da qualidade. A auto avaliação da FECRA é desenvolvida conforme o estabelecido no PDI (p. 78 a 87), realizada em três etapas, conforme sugerido no documento do INEP: “Orientações Gerais para o Roteiro da auto avaliação das Instituições”. As etapas da auto avaliação desenvolvidas pela CPA seguem os seguintes passos: • Planejamento (formulação do questionário e sua revisão, quando necessário); • Sensibilização (motivação e sensibilização da comunidade acadêmica); • Aplicação dos questionários; • Análise e interpretação de dados (tabulação e análise das respostas); • Elaboração do informativo, do Relatório da auto avaliação e dos Indicativos para a Direção; • Divulgação dos Resultados alcançados para a IES e para o MEC.

A etapa do planejamento consiste em estabelecer o período para auto avaliação, a revisão dos questionários, a avaliação da sua aplicabilidade e a reformulação das perguntas quando necessário. Assim, com o período de auto


7

avaliação estabelecido, as datas são inseridas no calendário anual da IES e divulgadas à comunidade acadêmica. A sensibilização da comunidade acadêmica é feita pessoalmente nas salas de aula pelos integrantes da CPA e pela divulgação do período da auto avaliação por meio de murais, panfletos, convites no site institucional e nos e-mails pessoais. Os resultados da pesquisa guardam sigilo quanto à identidade dos participantes. Todo material coletado é impresso, analisado, avaliado e arquivado pela CPA, o que permite ser consultado por docentes, discentes e corpo técnicoadministrativo, mediante solicitação e acompanhamento de um dos membros da CPA. Como metodologia adotada para análise e tratamento dos dados, parte-se do princípio de averiguar todos os pontos mediante a missão da IES, para que os objetivos propostos ministrar o ensino superior de qualidade máxima seja efetivado, nesse sentido a Avalição Institucional é considerada como estratégia para verificar fragilidades e para planejar a melhoria da qualidade” seja efetiva. Os dados coletados são estudados nos aspectos quantitativos e qualitativos. Ressalta-se que a auto avaliação da FECRA está de acordo com o marco legal do SINAES (Artigo 3° da Lei n° 10.861) e adota como metodologia de apresentação para cada dimensão proposta a divisão por eixos que estão assim dispostos: 1. EIXO 1 – Planejamento e Avaliação Institucional: considera a dimensão 8 (Planejamento e Avaliação) do SINAES; 2. EIXO 2 – Desenvolvimento Institucional: contempla as dimensões 1 (Missão e o Plano de Desenvolvimento Institucional) e 3 (Responsabilidade Social da Instituição) do SINAES; 3. EIXO 3 – Políticas Acadêmicas: abrange as dimensões 2 (Políticas para o Ensino, Pesquisa e Extensão), 4 (Comunicação com a Sociedade) e 9 (Políticas de Atendimento aos Discentes) do SINAES; 4. EIXO 4 – Políticas de Gestão: compreende as dimensões 5 (Políticas de Pessoal), 6 (Organização e Gestão da Instituição) e 10 (Sustentabilidade Financeira) do SINAES; 5. EIXO 5 – Infraestrutura física: contempla a dimensão 7 (Infraestrutura Física) do SINAES. A partir da auto avaliação, são gerados os seguintes relatórios: Informativo


8

com os dados gerais, no qual são destacados três a quatro quesitos com os maiores índices obtidos nas categorias: Muito bom, Bom, Regular e Fraco; Relatório de auto avaliação; Gráficos quantitativos e sumário qualitativo das informações obtidas e os Indicativos para a Direção em vista de ajustes na gestão da IES.

4 DIVULGAÇÃO E ANÁLISE DOS RESULTADOS DA AUTOAVALIAÇÃO

A auto avaliação iniciou no primeiro semestre de 2015 ocorreu entre, com a participação de toda a comunidade acadêmica. Nesta etapa, os discentes avaliaram, no âmbito das disciplinas nas quais estiveram respectivamente matriculados, a si mesmos, os professores e a IES. Seguindo a mesma metodologia, os docentes avaliaram a si próprios, os alunos e a IES. O corpo técnico-administrativo, por sua vez, avaliou a IES.

4.1 Discentes

O índice de participação dos discentes segundo a avaliação institucional foi de 70%. Segundo o relatório (CPA) 01/2016, encaminhado a direção acadêmica, apresentou solicitações de pontos negativos avaliados no relatório, dentre eles: Apresentação e cumprimento dos planos de aulas; Melhora na Didática dos docentes em sala de aula; Atendimento e horário de funcionamento da biblioteca; Encaminhado o relatório 01/2016 para os colegiados de curso da IES e para a Conselho Diretor. Houve reestruturação da Biblioteca Mara Biork para melhor atendimento à população discente. Foi apresentado os resultados aos docentes e equipe administrativa onde pontuou os pontos levantados pela CPA para melhoras de atendimento à população discente, os demais pontos avaliados apresentaram índices satisfatórios conforme relatório detalhado da comissão.

4.2 Docentes e Corpo Técnico Administrativo

Conforme Comissão de Avaliação e segundo dados coletados por meio de questionário, 71% dos docentes avaliaram como ótimas as condições de trabalho e as relações com os órgãos gestores da IES.

,


9

4.3 População externa

A avaliação externa foi realizada em agosto de 2016, no período 01/08 a 12/08, atingindo um percentual de 1,13% da população do município de Costa Rica, por meio de questionário estruturado. Com base nos dados analisados pela Comissão, e em conclusão da avaliação a CPA descreve que a comunidade considera a FECRA muito importante, sendo essa muito conhecida na cidade e que as atividades acadêmicas apresentando reflexo positivo no desenvolvimento socioeconômico regional. PLANO DE MELHORIAS A PARTIR DOS PROCESSOS AVALIATIVOS

Após os resultados do processo de auto avaliação, a CPA elaborou o relatório final, com a indicação das potencialidades, fragilidades e recomendações para o desenvolvimento de ações de melhoria nos aspectos impositivos apontados pelos avaliadores. Após a síntese dos resultados, esses foram apresentados aos segmentos responsáveis para busca de ações que visem à melhoria dos aspectos impositivos para a IES. Para alcançar os objetivos propostos e considerando as observações e sugestões dos relatórios da CPA o PDI da FECRA (quinquênio 2018-2022) traz ações que visam um plano de melhorias a partir dos processos avaliativos: • Afirmar a autoimagem da FABIC, em sua comunicação com o MEC, com a sociedade, e em suas relações internas; • Colher e implementar os indicativos apontados nos relatórios da CPA; • Apoiar o programa de Avaliação Institucional pela CPA; • Elaborar e implementar um Plano de Comunicação e Marketing; • Efetivar a Coordenadoria de Estágios, Monitorias e Bolsas de iniciação científica; • Qualificar permanentemente o Corpo Técnico-Administrativo • Atualizar a infraestrutura para cumprir os requisitos legais quanto às condições para pessoas com necessidades especiais; • Ampliar a infraestrutura de laboratórios e investir em novas tecnologias;


10

6 PROCESSOS DE GESTÃO A IES desenvolve as seguintes atividades para a sua gestão: •

Reuniões bimestrais ao longo do ano acadêmico para tratar de assuntos

pertinentes aos cursos; •

Melhorias no canal de comunicação entre a IES e os discentes: foi criada a

Ouvidoria, que passou atender presencialmente e por e-mail (fecraedu@com.br) •

Realização dos Cursos de Extensão próprios da FECRA;

Planejamento dos Cursos de Extensão para 2018 a 2022;

Fortalecimento do Programa de Apoio ao Docente e Discente;

Formalização de convênios e parcerias com organizações públicas e

privadas, Instituições do terceiro setor e comunidade: assinatura de termos de parceria com instituições para aprofundar e disseminar os cursos de graduação pós-graduação Lato sensu; •

Investimento na expansão do acervo bibliográfico para atender a demanda

crescente dos cursos de graduação e pós-graduação oferecidos na IES, com o objetivo de aperfeiçoar o aprendizado e crescimento profissional dos alunos; •

Organograma da IES: aprovado pelo Conselho Superior da IES e

implementado.

7. DEMONSTRAÇÃO DE EVOLUÇÃO INSTITUCIONAL

A FECRA vem aprimorando suas ações em busca de melhoria da qualidade do ensino. A proposta adotada pela Comissão Própria de Avaliação, de pensar a avaliação como estratégia para planejar a melhoria da qualidade, tem norteado os processos de gestão da IES. A partir das potencialidades e fragilidades indicadas nas auto avaliações, a IES tem procurado superar as fragilidades usando das potencialidades que dispõe. É o que se percebe nos dados da Análise Sucinta e Crítica do PDI 2013-2017 (PDI 2018-2022 que está em fase de elaboração). Na


11

organização institucional, a IES empreendeu a revisão e atualização do PDI (2016), A revisão do primeiro PDI da IES, referente a 2013, ocorreu após quatro anos de ampla experiência visou a adequação às normas e Leis vigentes; A IES buscou atualizar o acervo bibliográfico; Fez a adequação da IES às normas de atendimento às necessidades especiais; etc. No que diz respeito ao processo de auto avaliação, a CPA vem buscando o seu aprimoramento a cada semestre letivo, por meio de cursos de capacitação, revisão e atualização do questionário aplicado e o seu modo de execução e análise. As recomendações das avaliações externas pelas quais a IES já passou estão sendo implementadas. A IES tem oferecido cursos de capacitação e atualização ao corpo técnico-administrativo e docente, bem como está aprimorando o programa de apoio ao discente. A organização do controle acadêmico foi melhorada com a adequação do sistema de gestão Professus que inicialmente foi somente utilizado na graduação, mas a partir de 2019 será também utilizado na Pósgraduação. Nas instalações físicas, a cada ano, a IES vem realizando diversas reformas para melhor atender à comunidade acadêmica. Foram ampliadas as instalações administrativas e adquirido mobiliário mais adequado. Houve melhor adequação da infraestrutura de serviços e da área de convivência na Cantina. Os equipamentos de multimídia foram, também, atualizados.

Costa Rica, 15/03/2018


12

Relatório Integral da IES - CPA  
Relatório Integral da IES - CPA  
Advertisement