Page 1

PUBLICIDADE

Nº 133 • ANO XII • ABRIL 2010 • GRATUITO • MENSAL • PROPRIEDADE: TAMANHO DAS PALAVRAS, LDA

EM FRENTE AO CENTRO SOCIAL

DIRECTOR: JOAQUIM FORTE

Polícia• pág. 06

Eleições contestadas Grupo de sócios está contra a eleição de António Machado para presidente da Casa do Povo de Ronfe

Vermoim • pág. 10

Pág. 9

Freguesia vai ter duas rotundas

Escola nova só em 2011

Airão Sta Maria• pág.08

ARCA traz capitão de Abril ao debate

Câmara de Famalicão adia transferência de alunos do 1º ciclo para o Centro Escolar de Joane

RL Jovem • pág.19

Jovens vencem festival religioso

Pág. 8

Pousada de Saramagos • pág. 14

PUBLICIDADE

José Azevedo cumpre tradição do 1.º de Maio há 36 anos

Pedófilo detido em Vermil

ENTREVISTA • Pág. 19

EM FOCO • Pág. 03

Custódio Oliveira:

Iniciativa:

“Câmara trata bem Teatro Construção”

Juntas oferecem consultas de psicologia

GDJ • pág.15

Novo estádio à espera de financiamento


EM FOCO >> >>

ADVOCO


REPÓRTER LOCAL • ABRIL DE 2010 • 3

Em FOCO

vista Entre ira Olive o i d ó Cust

9 Págs 1

Juntas que oferecem apoio psicológico A sede da Junta de Joane vira consultório psicológico aos Sábados de manhã numa iniciativa da autarquia local. Há lista de utentes à espera de terem consulta. O serviço é gratuito. Os utentes têm perfil diverso.“Atendo crianças, adolescentes, jovens , adultos e pessoas com idade mais avançada. As problemáticas são muito abrangentes. Com

“ O psicólogo não é uma espécie de padre. A pessoa não chega aqui, desabafa e o problema está resolvido. O nosso papel vai muito além disso ”

Luís Pereira

T

endo detectado anomalias no comportamento da filha de 7 anos ,António, nome fictício, andava preocupado. Há menos de um mês “esbarrou” com um prospecto que divulgava consultas gratuitas de psicologia. Pôs os pés ao caminho e desde então a filha tem sido acompanhada semanalmente por uma especialista. O local da consulta é a sede da Junta de Joane, que aos sábados de manhã transforma-se

em gabinete de psicologia. “Esta é a terceira consulta.Vamos ver, espero que a ajude na aprendizagem na escola que tem sido um dos problemas”, refere o pai. D e s d e o i ni c í o d o a no qu e o serviço é disponibilizado pela autarquia joanense que já equaciona soluções para dar resposta ao inesperado número de pessoas que se encontra em lista de espera. Diana Couto é a psicóloga de serviço! Fá-lo de forma voluntária, apenas recebe o valor da deslocação. “O serviço de psicologia no privado fica muito caro, impossibi-

litando muitos utentes de a ele recorrer. Já no público, as pessoas são obrigadas a aguardar por vaga e a sujeitarse a consultas de três em três meses o que compromete a eficácia da terapia. A adesão da população vem comprovar a necessidade das pessoas por este serviço”, refere. Diana Couto vê-se limitada na sua disponibilidade e margem para dar resposta a todas as solicitações. Efectua semanalmente uma média de 5 consultas por sábado (cada sessão tem a duração de 50 minutos), não tendo margem de acolher muitos utentes.

os miúdos são sobretudo problemas comportamentais, com os adultos são mais frequentes os problemas relacionados com ansiedades e depressões”, avança a psicóloga. O utente que recorre a estas consultas procura a ajuda de um profissional para potenciar os recursos que têm de forma a solucionar o seu problema. “O psicólogo não é uma espécie de padre. A pessoa não chega aqui, desabafa e o problema está resolvido. O nosso papel vai muito além disso”. António Oliveira, vice-presidente a Junta de Joane salienta a adesão da população. “A lista de e sp e ra é muito grande e estamos a equacionar um alargamento de horários ou a colocação de mais uma psicóloga. Para além das pessoas que tomam a iniciativa de nos procurar, temos já pedidos feitos por instituições a solicitar a nossa ajuda”, refere Oliveira.

Vermoim tem serviço há mais de um ano Joane não é caso único na disponibilização gratuita do serviço de psicologia. Há mais de um ano que a Junta de Freguesia de Vermoim também lançou o projecto. Inicialmente disponibilizou uma psicóloga para os alunos das escolas de Vermoim que necessitassem desse apoio. Mais tarde, depois de detectadas carências, alargou o serviço a toda a população.

A psicóloga de serviço trabalha com a autarquia através de uma avença e não há dia ou hora fixa de atendimento. “A psicóloga tem uma chave da sede da Junta, combina com os utentes a hora e a data para os consultar. A Junta é a promotora da iniciativa mas a gestão dos utentes e dos horários é feita livremente pela técnica”, refere Xavier Forte ao RL.

porque devo procurar um psicólogo? A realidade é que muitas pessoas não procuram os profissionais desta área por vergonha ou então por preconceito, dado que consideram que o psicólogo cuida de pessoas mentalmente perturbadas, dos loucos! Esta está longe de ser a realidade. Quando em determinado momento, o ser humano se depara com problemas e dificuldades que não consegue ultrapassar e que lhe causam mal-estar, então deve procurar ajuda. Procurar um psicólogo não significa que se esteja louco, indica apenas que, as exigências são superiores aos recursos que possui no momento, para lidar de forma adequada com determinada situação. Nesta fase muitos perguntam: “Qual a vantagem de procurar um psicólogo para conversar, dado que para isso poderei procurar um amigo ou um familiar?” Importa referir que um amigo/familiar poderá dar suporte, mas a ajuda do psicólogo é uma ajuda profissional, em que a pessoa é ouvida de forma imparcial e em que após uma fase de avaliação é delineado um programa de intervenção. Assim, importa esclarecer como decorre o processo terapêutico. Na primeira consulta de psicologia há um trabalho de recolha de informação. O psicólogo tenta perceber o que motivou a procura de ajuda e quais as expectativas quanto ao processo terapêutico. Esta é a fase de avaliação que pode estender-se por várias consultas. Após esta fase inicial, é delineado um plano de intervenção que poderá ser preventivo, psicoterapêutico ou então de encaminhamento para outros serviços. Diana Couto


4 • ABRIL DE 2010 • REPÓRTER LOCAL

Fórum

Os artigos de Opinião são da responsabilidade dos seus autores

o que se diz

Dia de S. Nunca é assim opinião

Emília Monteiro

O Centro Escolar de Joane, primeiro, ia abrir em Setembro, no início do ano escolar. Depois, licença para trás, requerimento para a frente, ia abrir em Janeiro de 2011, logo após as férias de Natal. Agora, que já passaram as eleições e que o país está em crise, vai apenas ser inaugurado daqui a um ano. Gosto pouco de ser enganada. E, enquanto presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Pré-Primária e do 1º Ciclo das Escolas de Joane, uma associação que agrega quase 500 crianças, registo a indignação dos pais que foram levados a pensar que, ainda este ano, os filhos iam ter uma escola nova. ‘Ensinar’ a câmara municipal a elaborar projectos, tratar de licenças, projectos de especialidade, compras de mobiliário e afins é o mesmo que tentar ensinar o Pai-Nosso ao vigário. Quando de inicio à empreitada, parando com todas as obras de melhoramentos nos actuais edifícios escolar, a autarquia já sabia o que a espera e quais os processos que teria que percorrer.

A proposta, só em teoria, de mudar os alunos para o centro escolar em Janeiro de 2011 é uma má proposta. É certo que há turmas, de escolas diferentes, que se vão juntar; é certo que alguns professores serão colocados em outros estabelecimentos de ensino e é sabido que teriam que ser repensadas coisas básicas como os transportes ou o funcionamento da cantina. Isto não se faz a meio de um ano lectivo! Enquanto associação de pais, e sem qualquer poder de decisão, concordamos com o adiamento da abertura do centro escolar. Que remédio. Entretanto, durante mais um ano, há cinco escolas em Joane que vão ficar mais velhas e degradadas e há um centro escolar, quase, quase concluído que se vai deteriorar por falta de uso. Apetece-me recordar a quem de direito que os pais votam, que os pais pagam impostos nacionais e locais e que, acima de tudo, não gostam nem merecem, ser enganados.

“O ano passado foram tratados (na Valor RIB), cerca de 25 mil toneladas de resíduos não perigosos e o esperado seria chegar às 42 mil toneladas”. Jornal Opinião Pública,21 de Abril

“Certo é que os famalicenses merecem que a Câmara os trate mal pois não se dão ao respeito” Artigo de Opinião de António Cândido Oliveira no Jornal O povo Famalicense, 20 de Abril

“Vereador do PS sem qualquer incompatibilidade. A DREN Não deixa margem para dúvidas, o desempenho de José Augusto Araújo enquanto vereador municipal e director da escola secundária das Taipas, não apresenta qualquer incompatibilidade”. O Comércio de Guimarães, 21 de Abril

acontece

benfiquistas à espera da festa

“Ainda que a tentação seja forte e a tradição histórica assim o aponte, a Igreja Católica não poderá fechar-se ao mundo e ensimesmar-se perante os ataques que tem sido alvo nos últimos tempos” A conquista praticamente certa do campeonato, vem tirar a barriga de miséria dos benfiquistas. Em Joane já se preparam festejos. Um leitor atento enviou-nos uma foto da colocação de uma tarja a reservar a rotunda de Joane, já baptizada como local de celebração de vitórias como as do Euro 2004. Ficou reservada apenas por umas horas…. Na manhã seguinte, a tarja foi retirada. Certamente, não seriam benfiquistas!

vila de joane, 29/04/2010

o mês de

ângela oliveira

UM BLOG http://agrupamento184joane.blogspot.com

Deputada PSD/ PP na Assembleia de Freguesia AIRÃO SANTA MARIA

>> FACTO locaL As comemorações do 25 de Abril que, como sempre, tiveram uma adesão em massa, e a iniciativa “ Vamos Limpar Portugal”, uma iniciativa nacional de grande mérito, e à qual aderiram os escuteiros da freguesia. Estão de parabéns. >> FACTO NACIONaL O facto de Portugal ter atingido o 8º lugar no risco da bancarrota. Mas é inevitável não referir a alegada intervenção do Governo no plano da PT para comprar a TVI e as audições na comissão parlamentar de inquérito. >> Figura do mês O Papa Bento XVI, numa altura em que a Igreja Católica enfrenta uma das suas maiores crises, o Papa, na sua visita a Malta, prometeu “ acção da Igreja” para que nunca se produzam casos similares.

“O presidente da Câmara de Famalicão foi mordaz com aqueles que pautam a acção política pelo protagonismo fácil. No discurso das comemorações da revolução, Armindo Costa disse “são muitos os que criticam tudo e todos em busca do palco político”. Manchete do jornal Cidade Hoje

“A verdade é que o clima político está praticamente irrespirável. Olhar para o que se passa na comissão de inquérito à compra da TVI pela PT é um bom barómetro. Sendo óbvio que os deputados têm o dever de apurar a verdade, interrogo-me se o tom usado nas perguntas por alguns inquiridores, nomeadamente por Pacheco Pereira, por João Semedo ou por João Oliveira será o mais apropriado” Opinião José Leite Pereira, JN

PUBLICIDADE

>> Frase O cérebro é uma coisa maravilhosa, todos deveriam ter um.

Com layout apelativo e frequentemente actualizado, sugerimos nesta edição o blog do agrupamento de escuteiros de Joane. Lá encontrará toda a actividade dos escutas joanenses, com fotos das iniciativas, agenda do agrupamento e história da associação que o ano passado festejou o seu cinquentenário.

D. Manuel Linda, Bispo Auxiliar de Braga, Diário do Minho, 26 Abril

Viatura 4-6-9 lugares e Viatura para pessoas com mobilidade reduzida

Serviço permanente: 917 514 596 | 252 991 646


REPÓRTER LOCAL • ABRIL DE 2010 • 5

editorial

FUTURO ADIADO

Luís Pereira

O adiamento da abertura do centro escolar de Joane vai causar danos. Mas antes adiar do que fazer mudanças à pressa que é a inimiga da prefeição

1.“Quem não tem cão caça com gato”! Aplicado a uma autarquia local é o mesmo que dizer que quando não há dinheiro, as Juntas têm de puxar pela imaginação para responder aos anseios dos seus fregueses. O RL tem dado eco a esses bons exemplos e temos muitos, felizmente, nas dez freguesias. A loja social de Ronfe; o “posto médico” na sede da Junta de Oleiros, o preenchimento gratuito do IRS, são exemplos de um bom exercício autárquico. Este mês damos a conhecer as consultas gratuitas de psicologia da autarquia de Joane e Vermoim. Nem só da quantidade de betão se faz uma boa autarquia.

2. O Centro escolar de Joane já não vai abrir em Setembro deste ano. O adiamento em um ano vai causar danos. No movimento associativo que já contava com sede nova este ano (as escolas que ficarão devolutas). Na loja social projectada para a escola Mato da Senra que vai marcar passo. A confirmar-se o desaparecimento dos ATL das instituições de apoio social, há pais que também vão sofrer com este adiamento. Contudo, antes adiar do que fazer mudanças à pressa pois a pressa foi sempre a inimiga da perfeição. 3. E por falar em crianças, trazemos o caso de duas

protagonistas António Oliveira Tem assumido todos os dossiers da Junta de Joane. Já recebe o salário do presidente. A oposição acusa o óbvio, Sá Machado está a preparar a sucessão.

cartoon rl

por tiago mendes (tiag0_mendez@hotmail.com)

Leonel Rocha O vereador da educação da Câmara de Famalicão dá a cara na hora de assumir o adiamento da transferência do Centro Escolar de Joane.

Câmara quer ganhar tempo para fazer uma transição pacífica. ARCA Incluiu este ano um colóquio nas suas comemorações do 25 de Abril. Uma novidade positiva que trouxe um capitão de Abril à região. jovens de Pousada Mais um triunfo para a região ao vencer ao festival

que terão sido molestadas sexualmente por um familiar de Vermil. Tem estado na ordem do dia casos destes praticados no seio da Igreja Católica. O caso de Vermil, como centenas de outros, comprova que o perfil dos abusadores não é traçado mediante um fiável padrão sócio cultural. Há na Igreja como há num contexto da miséria moral, o que é preciso é estar alerta e não fazer vistas grossas! 4. Adiada está também a obra da casa mortuária em Vermil, à espera de dinheiro e da vontade da Câmara de Guimarães. Esta dependência das freguesias da generosidade das Câmaras

tem estrangulado em muito o progresso da região. Uma coisa é certa, pelo menos, Vermil já tem terreno, projecto e vontade em Joane vila, há… a brutal necessidade. Desaparecidas associações como ACRR e LAR, a Casa do Povo de Ronfe será das poucas que resiste no tempo. O preço da resistência tem sido alto. Desconfianças, inimizades e politiquices têm feito a história de uma instituição que se pretende “do povo”, uma porta de oportunidades para a promoção da música, do teatro, do desporto… Uma oportunidade que tem sido perdida por Ronfe, pelos ronfenses.

ORA DIGA LÁ... da canção religiosa. Casa do Povo de Ronfe Volta a estar em destaque pela eleição de António Machado para presidente que está a ser contestada. Custódio Oliveira Dá uma descontraída entrevista ao RL, mostra a sua visão quanto ao país, aborda todos os projectos da ATC, fala de política e das pazes com Sá Machado.

Falar de Abril… Carlos Azevedo | Deputado A. Municipal Vermoim

Falar de Abril é algo de muito especial para alguém que como eu teve o privilégio de nascer depois de 25 de Abril de 1974. Nunca senti o peso da ditadura, da censura, da guerra ou da falta de liberdade. Também não vivi o período do PREC, da descolonização, das nacionalizações ou o “O dia inicial inteiro e limpo” depois de 48 anos de opressão de que nos falava Sophia de Mello Breyner. As “gerações de Abril”, de que tenho o privilégio de fazer parte, nasceram num Portugal em que valores como a Saúde, a Educação, a Justiça, o Trabalho, o Combate às Desigualdades e o Exercício Responsável e Altruísta de Cargos Públicos estavam a ser afirmados como direitos fundamentais e irrevogáveis. Infelizmente hoje, chegadas que estão à idade adulta, estas “gerações de Abril” vêem-se confrontadas com um país detentor de um sistema nacional de saúde e de um ensino público que ao invés de serem garantidos são vistos como negócio. Com um sistema de justiça de que todos fogem (até o bastonário da Ordem dos Advogados) e com um sistema económico de desigualdades grosseiras. Aqui chegados vemo-nos com duas opções. A emigração em busca de outras paragens ou o resistir, reavivando Abril e o Portugal por que então a geração dos nossos pais tanto lutou…

Repórter Local | Propriedade e Editor - Tamanho das Palavras, Lda, Rua das Balias, 65, 4805-476 Stª Mª de Airão | Telefone 252 099 279 E-mail reporterlocal@hotmail.com | Membros detentores com mais de 10 % capital Joaquim Forte, Luís Pereira e Dominique Machado | Director Joaquim Forte | Redacção Luís Pereira; Dominique Machado | Paginação Filipa Maia | Colaboradores Ana Margarida Cardoso; Rita Machado; Emília Monteiro; Sérgio Cortinhas; Ivânia Fernandes; Luciano Silva; Joana Cunha; Miguel Azevedo; Gil Ribeiro | Impressão Gráfica Diário do Minho | Tiragem deste nº 4000 ex. Jornal de distribuição gratuita | Registo ICS 122048 | NIPC 508 419 514


PUBLICIDADE

6 • ABRIL DE 2010 • REPÓRTER LOCAL

LOCALIDADES

vermil • Polícia

Abusador de primos menores detido em Vermil

Autor de abusos sexuais a dois primos menores permanece nos calabouços da PJ de Braga

Dois menores, um de 9 anos e outro de 14 anos, terão sido molestados sexualmente de forma continuada, por um primo de 24 anos. Os três primos são naturais de Vermil sendo que, ao que o RL conseguiu apurar, a vítima mais velha encontra-se a residir há pouco tempo em Ronfe enquanto que o agressor residia em Braga na casa dos tios (pais da vítima mais nova). Segundo o RL apurou, as desconfianças começaram sob o alerta de professores da escola de Braga onde estudava a criança de 9 anos. Estranhando sintomas físicos e comportamentais da vítima, a escola terá solicitado aos pais para que prestassem atenção a sinais no relacionamento da vítima com o primo que vivia com ele desde que saiu de Vermil à procura de trabalho. Detectados alguns sinais físicos, os pais aumentaram as suas desconfianças, expulsando o

agressor da casa e apresentaram queixa junto das autoridades. Por essa altura, o indivíduo de 24 anos terá regressado a Vermil para a casa da mãe. Depois da queixa apresentada, a vítima foi sujeita a perícias médico-legais que confirmaram a violação. Os acontecimentos ocorreram todos em simultâneo uma vez que, segundo apurou o RL junto de populares, pouco tempo depois da denúncia, a Policia Judiciária montou um cerco, incluindo agentes à paisana, nas imediações da casa em Vermil onde o agressor acabou por se entregar. Já na fase de interrogatório, terá sido descoberta uma nova vítima. Trata-se de um outro primo, de 14 anos que reside agora em Ronfe e que terá sido alvo também de abusos sexuais. O indivíduo permanece nos calabouços da Polícia Judiciária de Braga, aguardando por julgamento.

GNR faz perseguição a viatura roubada A GNR de Joane perseguiu dois indivíduos de 20 anos em fuga numa viatura roubada. A fuga terminou na freguesia de Santiago da Cruz quando um pneu do Honda Civic vermelho roubado que conduziam, terá rebentado. Numa patrulha nocturna da guarda joanense em meados de Abril, os agentes mandam parar os dois jovens tendo estes desobedecido à ordem de paragem, colocando-se em fuga. Em Santiago da Cruz apenas um dos jovens foi capturado já que o outro conseguiu escapar sendo identificado posteriormente. Quando contactado pela autoridade joanense, o legítimo proprietário da viatura roubada ainda não tinha dado por falta

do veículo. Além disso, os jovens não possuíam habilitação legal de condução. A propósito de assaltos, a autoridade joanense renova o apelo à população para que evite deixar bens materiais no interior das viaturas. Entretanto, a GNR de Joane recuperou o material furtado a uma agência funerária no início de Abril na residência do alegado larápio. O indivíduo foi identificado e aguarda julgamento. Trata-se de um jovem de 21 anos residente em Pousada de Saramagos, há muito referenciado pela guarda joanense. Os bens recuperados, entre os quais um computador, já foram entregues ao proprietário.


REPÓRTER LOCAL • ABRIL DE 2010 • 7

Assembleia de Freguesia de Ronfe A Assembleia de Freguesia de Ronfe reúne em sessão ordinária no próximo dia 9 de Maio pelas 9h30 no Salão Paroquial da vila ronfense. Da ordem de trabalhos consta a apreciação e votação do relatório de actividades e os documentos de prestação de contas do ano de 2009.

LOCALIDADES JOANE • assembleia

PSD/PP quer voltar a negociar com lojistas Porfírio Carvalho insiste na não construção das lojas no largo 3 de Julho. Sá Machado diz que Câmara ainda vai a tempo de recuar.

A coligação PSD/PP não quer a construção das lojas no centro da feira e pede para que as autarquias retomem às negociações com os três lojistas que não chegaram a acordo com a Câmara. “A solução encontrada é dispendiosa e torna o centro feio”, considerou Porfírio Carvalho na Assembleia de Freguesia do passado dia 23. Sá Machado, presidente da Junta, acredita que a Câmara ainda vai a tempo de evitar a construção, bastando para tal, indemnizar em 50 mil euros cada um dos três lojistas. “A Câmara vai resolver o problema com valores superiores aos que pedi. Nem a Câmara nem o senhor (Porfírio), que à data

foi mandatado para ajudar a negociar, conseguiram o acordo mas ainda vamos a tempo, basta que a Câmara negoceie nos termos que os logistas querem”. Carlos Rego, eleito do PS, acusa Porfírio Carvalho de agora “falar de outra maneira”. “Se no período da campanha eleitoral não tivessem existido intervenções manhosas, as coisas tinham sido resolvidas de melhor maneira para Joane. Apetites pessoais e partidários puseram-se à frente dos interesses de Joane”, acusa o socialista. A renovação do largo 3 de Julho está em marcha e dois dos lojistas encontram-se provisoriamente instalados em contentores. O projecto contempla a construção das lojas para receber

os três lojistas que não chegaram a acordo com a Câmara Municipal.

JUNTA REDUZ DÍVIDA Em 2009, a Junta de Freguesia de Joane reduziu o passivo da autarquia em 89 mil euros. O executivo apresentou à Assembleia um relatório de contas com um grau de execução na ordem dos 82%. “Temos bons indicadores para considerar que as contas da Junta estão de boa saúde”, refere Sá Machado que criticou a “discricionariedade” da Câmara Municipal. “Tivemos este grau de execução sem a ajuda da Câmara. O relatório do município prova a descriminação. Em 2009, celebrou 10 mil euros

Vice da Junta recebe vencimento do presidente O salário que Sá Machado aufere como presidente da Junta joanense a meio tempo, cerca de 700 euros, é agora recebido pelo número dois da autarquia, António Oliveira. A novidade foi dada pelo autarca no decorrer da A.F. ao mesmo tempo que falava pela primeira vez da sua recente nomeação para o conselho de administração do Hospital de Famalicão. Porfírio Carvalho, eleito PSD/PP, começou por felicitar o autarca pela nomeação e usou da ironia para dirigir-se a António Oliveira como o “efectivo presidente de Junta”. Sá Machado só reagiu quando o “laranja” voltou à carga, acusando o presidente de ser o “homem dos sete ofícios”. Machado respondeu no mesmo tom. “Acho deplorável esse arzinho em que, primeiro felicita e depois malha. Criticavam-me porque a Junta era só minha, agora que delego responsabilidades, criticam à mesma”, saiu em defesa de António Oliveira. “Desde que assumi funções no Hospital o vencimento do presidente passou a ser pago ao vice-presidente”, esclareceu. Em comunicado de imprensa, mais tarde, a coligação exige esclarecimentos do autarca Sá Machado sobre a sua disponibilidade para o cargo . “Achamos que seria de bom tom que o presidente esclarecesse se tem disponibilidade para continuar no cargo para o qual a maioria dos joanenses elegeu. Sinal contrário mostrou na AF onde nem sequer esperou para ouvir os joanenses”, escrevem em comunicado

PUBLICIDADE

Luís Pereira

em protocolos com esta Junta. Se tivéssemos o mesmo tratamento que a Junta de Vermoim, que é muito bem tratada, a execução andaria nos 100%” Leitura diferente teve a oposição. O deputado da coligação Miguel Coelho começou por acusar o executivo de não cumprir a lei ao não elaborar o relatório de gestão. Coelho considerou que a re-

ceita da feira ficou “aquém do esperado” e notou a diminuição do investimento e a “diminuição significativa de receitas próprias”. “Consideramos tratar-se de umas contas péssimas. Dos 60 investimentos previstos, 31 não foram executados, o que vem dar razão quando apontamos falta de rigor aquando do orçamento”, atacou o deputado.


8 • ABRIL DE 2010 • REPÓRTER LOCAL

LOCALIDADES Joane • EnsINO

Câmara adia para 2011 abertura do Centro Escolar

CENTRO SOCIAL JÁ EXCLUIU A VALÊNCIA DE ATL

A decisão já está tomada e é sustentada na base de falta de tempo para organização logística. Junta e agrupamento já foram informados pelo vereador. Luís Pereira

Freguesia e o Agrupamento Bernardino Machado em reuniões que manteve s c r i a n ç a s d o e n s i n o p r é - durante esta semana. “Este compasso escolar e do primeiro ciclo de de um ano permite que o processo de Joane vão ter de esperar mais transferência seja organizado. um ano pela escola nova. O A opção por 2011 leva a que a aucentro escolar só abrirá em Setembro de tarquia adie a abertura de concurso 2011 e não este ano, como inicialmente público para a contratação dos equiprevisto pela Câmara de Famalicão. pamentos que vão servir o centro esOs edifícios que compõem o centro colar. “Perante esta situação, não faz escolar, contudo, deverão estar prontos sentido abrirmos o concurso público em Agosto deste ano. “É para o mobiliário se sobretudo por causa do não vamos instalar “É sobretudo procedimento que tem já as crianças. Tepor causa do de ser feito em matéria mos tempo para fazer de logística que optamos procedimento que isso”, adianta o verepor abrir só em 2011”, tem de ser feito em ador. adianta ao RL o vereador matéria de logística Alfredo Lima, presida educação da Câmara de dente do agrupamento que optamos por Famalicão, Leonel Rocha. Bernardino Machado abrir só em 2011” lamenta o adiamento. O vereador argumenta que, se a transferência “Tínhamos a expectade alunos e serviços fosse feita este tiva que as crianças, no próximo ano ano, seria executada de uma forma lectivo já tivessem aulas no centro “atropelada”, acabando por correr escolar. Compreendemos as dificulriscos inevitáveis. “A Câmara seria dades mas lamentamos”. No que diz mais tarde criticada se fizesse agora respeito à organização lectiva, Alfrea transferência e depois faltassem as do Lima assegura que o agrupamento estruturas e materiais indispensáestaria preparado para a transveis para o seu normal funcioferência se ela acontecesnamento”, explica. se já em Setembro. O vereador da educação já informou a Junta de

A

“A Câmara seria mais tarde criticada se fizesse a transferência agora e depois faltassem as estruturas” Leonel Rocha, vereador da Educação da Câmara Municiopal de Famalicão

“Espero que a promessa de abrir este ano seja cumprida porque o empreiteiro não coloca em causa a entrega atempada da obra” Sá Machado, presidente da Junta de Freguesia de Joane

Octávio Correia, vice-presidente da associação de pais considera que o adiamento em um ano escolar é “sempre preferível a um cenário de transferência no decorrer do ano lectivo, como chegou a ser equacionado”. Esta, contudo, é a convicção do vicepresidente da associação de pais que aguarda a reunião de direcção de hoje, dia 30, para analisar e assumir posição depois de ouvir do vereador em audiência marcada também para hoje. O assunto foi tema falado na Assembleia de Freguesia de Joane e na Assembleia Municipal de Famalicão da passada segunda-feira. No encontro de Joane, Sá Machado, que à data ainda não tinha reunido com Leonel Rocha, considerou não existirem razões para que o centro escolar não possa abrir no próximo Setembro. “Espero que a promessa de abrir este ano seja cumprida porque o empreiteiro não coloca em causa a entrega atempada da obra. “Não há razão alguma para que tal não aconteça”, disse o autarca antes de reunir com o vereador. Depois de reunir com a Câmara e saber que afinal o centro escolar vai mesmo abrir só em 2011, a Junta de Joane, preferiu não comentar, remetendo para mais tarde a posição da autarquia.

“Compreendemos as dificuldades mas lamentamos”

Alfredo Lima, Presidente do Agrupamento de Escolas Bernardino Machado

A i n t e g ra ç ã o d e t o d o s o s alunos do primeiro ciclo de ensino num único espaço vai permitir que a escola adopte p a ra t o d o s u m r e g i m e d e horário completo deixando de fazer sentido que as instituições sociais, como a Associação Teatro Construção e o Centro Social de Joane, continuem a incluir nas suas o fe r t a s , a va l ê n c i a d e AT L (actividades de tempos livres) uma vez que todas as crianças passaram a tê-las no Centro Escolar. Neste sentido, o Centro Soc i a l d e Jo a n e , a s s u m i n d o que o Centro Escolar abriria este ano já terá excluído esta oferta, não permitindo matriculas para o próximo ano. Esta decisão, a manter-se, irá afectar a vida de muitas famílias que não terão local para deixarem os seus filhos nos períodos livres. “Ainda ninguém nos comunicou que o centro escolar não abrirá este ano. Está determinado que este ano não haverá ATL porque não será preciso. Se houver alterações na data de abertura do Centro Escolar, vamos ter que voltar a equacionar a continuação desta valência”, refere António Cardoso, responsável pelo centro joanense. Além disso, a loja social que estava projectada para instalar-se em Setembro na escola Mato da Senra, como já noticiamos, também sofrerá com o adiamento pois terá de marcar passo.

“Já que tem mesmo de ser adiado, pelo menos que seja feita a transferência dos alunos, no início de um ano lectivo e não no decorrer dele”. Octávio Correia, vice-presidente da Associação de Pais


REPÓRTER LOCAL • ABRIL DE 2010 • 9

Moniz reeleito Fernando Moniz foi reeleito presidente da concelhia famalicense do partido socialista. A lista que encabeçou Moniz recebeu a confiança de 646 militantes ao passo que a lista do joanense Orlando Oliveira (entrevistado a edição passada pelo RL), contou com 105 votos. João Casimiro ficou em terceiro lugar com o apoio de 74 militantes.

LOCALIDADES RONFE • casa dO POVO

Sócios contestam eleição de António Machado

Um grupo de sócios da Casa do Povo de Ronfe diz ter impugnado as eleições até que as contas da instituição sejam apresentadas. António Machado, por seu lado fala em credibilizar a instituição.

Luís Pereira

U

m grupo de sócios da Casa do Povo de Ronfe não reconhece a recente eleição de António Machado para presidente da direcção. Asseguram que a Assembleia em que terá sido eleito, foi impugnada por eles e já contrataram um advogado para reunir matéria que justifique acção judicial. Por outro lado, António Machado, enquanto aguarda pela tomada de posse diz estar a inteirar-se da gestão da instituição, tendo já reunido com a Câmara de Guimarães. Quer a credibilização da Casa do Povo. “O processo não foi transparente, foram atropelados os requisitos previstos nos estatutos para a convocação de eleições. Até clarificarem as contas da direcção de Serafim Marques, não desistiremos da luta”, refere Arsélio Ribeiro que lidera o grupo de sócios contestatários. No passado dia 11, a Assembleia de associados reuniu para eleger os novos corpos

Casa do Povo vive dias de grande agitação. Depois das desconfianças nas contas, a eleição do presidente é contestada.

sociais. Segundo apuramos terão estado nessa assembleia 14 sócios. No momento em que o presidente da Assembleia fala em eleições, oito deles abandonaram a sala entregando à mesa da presidência um papel com a inscrição ”impugnação do acto eleitoral”. Os trabalhos, contudo, tiveram continuidade e terá sido apresentada uma lista liderada por António Machado na direcção, António Gonçalves

na presidência do Conselho Fiscal e Cândido Capela Dias a manter o lugar de presidente da Assembleia. “Como é possível falarem em credibilizar a casa do povo se todos os que a descredibilizaram continuam na direcção?!”, questiona Arsélio Ribeiro. Recorde-se que este ex-vice presidente da instituição, em exclusivo para o RL, em Dezembro levantou dúvidas na gestão de Serafim Marques,

tendo apelidado a instituição de “casa dos lambões”. “Não quero ser director da Casa do Povo de Ronfe, quero é que haja transparência e que a verdade das contas venha ao de cima. As contas da Casa do Povo foram aprovadas em Dezembro, sem serem apresentadas. O nosso advogado já solicitou documentação ao presidente da Assembleia. Depois de analisarmos o que nos enviarem, actuaremos em conformidade”, conclui.

“Casa do Povo dá prejuízo” antónio Machado Quem o convidou para encabeçar esta lista? Serafim Marques e António Gonçalves. Foi Serafim Marques que elaborou a lista com a qual eu concordei e por isso avancei com a candidatura. A equipa é formada pelos elementos da direcção anterior… Só mudam os cargos mas não haveria muitas mais alternativas. São poucos os sócios que podem ser eleitos. Como decorreu a eleição? Quando apresentei a minha lista um grupo de sócios abandonou a sala. A assembleia continuou porque o presidente verificou que estava em conformidade. Como viu essa contestação? Percebi que algo de muito mal se passa na Casa do Povo. Pensei

ser eleito de forma pacífica e quando dei por ela estava metido no meio de uma grande confusão. O que fez desde as eleições? Reuni com a equipa e exigi que se fizesse um levantamento rigoroso à situação financeira. Além disso, quis marcar de imediato uma audiência com a Câmara para saber das obras que estão prometidas. O que concluiu da análise às contas? Isto pode chocar mas, apesar de estranhar, concluí que a Casa do Povo dá prejuízo. A renda e a exploração da máquina de apostas, únicas receitas, dão um total de 900 euros/mês. As despesas mensais rondam os 1.400 euros. Que lhe disse a Câmara? O vereador Domingos Bragança

assegurou que as obras são para avançar e que só não avançaram antes porque estavam à espera que houvesse uma direcção estável. Que projecto tem para a Casa do Povo? Quero limpar a triste imagem financeira e social que a Casa do Povo tem. Recebi apoio dos populares e das entidades oficiais. Tenho pena que hajam pessoas que não gostem de ver a Casa do Povo a chegar ao patamar que merece. Pretendo activar o grupo de teatro. Haviam protocolos com o INATEL para aulas de música, teatro e outros que se perderam e quero recuperar. Quero abrir a Casa ao povo.

BREVES

BE Joane faz balanço da Junta

O grupo de cidadãos que integrou as listas do Bloco de Esquerda nas últimas eleições em Joane acusa a Junta de “falta de imaginação” na elaboração do projecto da nova feira. Em nota de imprensa, os cidadãos fazem um mau balanço do meio ano de actividade da autarquia. “Constatamos que o espaço é uma coisa pequena, não acolheu todos os feirantes da antiga feira e tem falta de brio estético”, escrevem. Em alternativa, o BE preferia um espaço com multifunções e um “enquadramento urbanístico apropriado para a zona”. No capítulo da rede viária, alertam para as “carências gritantes” de Joane como o caso de Rego de Chave, noticiado na edição de Janeiro do RL. A passividade da autarquia ao não construir a casa mortuária também é notada. Quanto ao centro da freguesia, exigem responsabilidades. “Vão penitenciar-se de apenas uma parte do projecto do centro estar a ser executado? Quem assume a responsabilidade pelo imbróglio em que caiu a outra parte do terreno?”, questionam.

PSD Joane VAI A VOTOS E EMITE COMUNICADO

As eleições para o núcleo do PSD de Joane estão marcadas para o dia 29 de Maio. Os militantes podem usar do direito de voto na sede do partido entre as 16h00 e as 19h00. Em confronto, tal como já noticiado, estarão duas candidaturas protagonizadas por Miguel Ribeiro e José Machado. Entretanto, o partido emitiu um comunicado às redacções onde comentam a última Assembleia de Freguesia. Expõem os argumentos que levaram a abster-se no relatório de contas e pedem clarificações na disponibilidade de Sá Machado quanto ao cargo que ocupa (ver notícias nesta edição). Os “laranjas” lançam ainda fortes críticas ao presidente da Assembleia de Freguesia, Cláudio Cadeia pela condução dos trabalhos da reunião. “Na ânsia de querer mostrar a quem o escolheu que foi uma boa escolha, corta a palavra a quem apresenta propostas”, escrevem. O PSD pede que Cláudio Cadeia seja mais moderador e que “não tenha receio de mostrar a sua falta de experiência no exercício das suas funções”. Além disso, exigem maior divulgação das Assembleias, sobretudo na comunicação social.


10 • ABRIL DE 2010 • REPÓRTER LOCAL

LOCALIDADES Airão Santa Maria • Iniciativas

COMENTÁRIO NEL CUNHA

Capitão de Abril debate liberdade

Redacção

O

“25 de Abril ontem e hoje” foi o tema do colóquio que abriu as comemorações do dia da liberdade em Airão Santa Maria, organizadas pela ARCA (Associação Recreativa e Cultural de Airão). O colóquio contou com a presença de Andrade da Silva, capitão de Abril. O convidado começou por apelar à intervenção cívica dos cidadãos.

“Enganam-se os que dizem que é preciso um novo 25 de Abril, o povo tem liberdade d e i n t e r ve n ç ã o , o qu e n ã o pode é ficar à espera que sejam os outros a fazer o que cabe a cada um de nós. Se os partidos não merecem confiança, os cidadãos que invadam os partidos para que sejam melhorados”. Para o capitão de Abril, o pretendido com a revolução ainda está por acontecer e aponta a corrupção como um entrave. “O estado continua com muitas limitações para

Uma história com Abril

combater a corrupção.. Trinta e seis anos após a revolução, o Andrade da Silva aponta o desemprego, a precariedade no trabalho, as assimetrias sociais como o “oposto do pretendido com o 25 de Abril”. No final da sua intervenção, Andrade da Silva deixou o repto para que Abril continue. “É necessário intervir em prol das classes mais desfavorecidas, mesmo que isso seja pouco cómodo. Também não foi fácil decidir fazer algo com o qual poderíamos perder a vida, ou ser atirado para a prisão”. O colóquio, moderado por Firmino Mendes, poeta, professor e também militar de Abril, contou com a participação de César Machado, vereador da Câmara Municipal de Guimarães. Numa curta intervenção, o vereador lembrou que “há gente a servir na coisa pública com nobreza”.

É possível que se o 25 de Abril deixasse de ser comemorado em Airão Sª Maria, algumas pessoas, (muito poucas) se iriam regozijar. Mas toda uma região iria sentir a falta porque as comemorações não são apenas de Sta. Maria. Tem-se visto pela participação. Em 1980 um grupo de jovens discutia o que fazer com uns trocados que sobraram de uma festa com crianças em 1979 (ano mundial da criança) que esses jovens promoveram. “Fazemos uma festa no 25 de Abril”, sugeriu um deles. Umas corridas de atletismo e um jogo de futebol entre os de “baixo contra os de cima”. O jogo acabou empatado fruto de um penalty marcado no meio campo. Dizia o Arbitro (Álvaro Vidal) “um jogo como este só pode acabar empatado”. A canção senha do 25 de Abril (Grândola) e 25 morteiros foram a Alvorada. As despesas foram suportadas por esses jovens generosos que, além de comemorar essa data, queriam fazer acontecer coisas na sua terra que era muito amorfa em iniciativas.. O programa de 1984 já foi composto com uma a vertente musical, e pela primeira vez Sta. Maria teve uma actuação de um rancho folclórico. Foi no ano que os promotores da festa começaram a sofrer ataques mesquinhos por quem pensava que tudo tinha de girar em função do seu querer e do seu crer. Tentativas de subornos a grupos para faltarem às comemorações e até a presença da GNR com o intuito de combater festejos do dia da liberdade. São factos que aconteceram. As géneses da ARC estiveram no grupo que promovia as comemorações. A aderência da população à iniciativa motivou a criação de uma organização que suprimisse a carência de promoção cultural e desportiva. A ARC/ASM tem na sua história actividades como o ensino musical, colóquios, exposições artísticas, desporto, festas que animam e que integram os aironenses. A ARC é também uma bandeira da freguesia. Consta nos regulamentos que as comemorações de Abril, são o ponto alto das suas actividades. Este ano, em Sta. Maria, as comemorações contaram com a presença de um capitão de Abril num colóquio. Longe vai o tempo em que a festa de Abril em Sta. Maria era coisa de jovens “marginais”. Ainda bem!

VERMOIM • ASSEMBLEIA DE FREGUESIA

Duas rotundas para Vermoim Luís Pereira

Vão ser construídas duas rotundas no traçado da EN206 que abrange Vermoim. Uma será colocada junto à entrada para a auto-estrada e a outra no acesso à igreja. A novidade foi dada pelo presidente da autarquia, Xavier Forte, na última AF, quando se discutia a degradação do piso daquela estrada. O regimento tornou-se o assunto mais polémico de uma Assembleia inflamada. Os deputados socialistas acusam a coligação PSD/PP de impedir a participação do público em reuniões extraordinárias. O PSD/PP considera

que os “rosas” “não fazem os trabalhos de casa”. Segundo Marco Magalhães, a lei é clara e a isso obriga. Para o PS, a lei é omissa nessa matéria. A comissão eleita para fazer o regimento da Assembleia terá sido palco de discórdias. Sérgio Ferreira, socialista que integrou a comissão, coloca em causa a seriedade das reuniões da comissão que “até num café reuniu”. Marco Magalhães, por seu turno fala que a coligação “acatou todas as sugestões feitas pelo PS” e que estes, em comissão terão votado favoravelmente o documento. “Não é sério virem agora criticar uma

coisa que aprovaram”, ataca o eleito. O regimento acabou por ser votado na especialidade. Também a propósito da acta da reunião anterior, José Azevedo, deputado do PS repudiou a redacção da acta sendo Marco Magalhães, o principal visado nos ataques. “Marco passou um atestado de menoridade intelectual ao nosso grupo”. O PS solicitou a gravação do último encontro. Tiago Azevedo, presidente da mesa de trabalhos, em defesa da honra disse não aceitar a suspeição dos socialistas. A Assembleia aprovou, com a abstenção do PS, o relatório de contas de 2009.

Ana Freitas Gestor de Seguros Companhia de Seguros Tranquilidade Av. Pe. Silva Rego, Bl 502-B, loja 4 - 4770-205 Joane Tel/Fax 252 928 489; Tlm 966 441 391 email: ana.freitas@parceiros.tranquilidade.pt


REPÓRTER LOCAL • ABRIL DE 2010 • 11

papa vem a portugal

Abril

O Papa Bento XVI está de visita a Portugal de 11 a 14 de Maio. A visita papal é aguardada com expectativa numa altura em que a Igreja está mergulhada em escândalos de pedofilia. O Papa passará por Lisboa, Fátima e Porto. A sua passagem por Fátima coincide com o 10.º aniversário da beatificação dos pastorinhos Francisco e Jacinta.

conversas curtas Hilário Matos

Dirigente da “República dos Tesos” Airão S. João

por D. VIRINHA

“O Fórum de Airão? Acho que vai em primeiro, isoladíssimo” Portugal é uma República dos Tesos? Acho que sim. É mais uma República de Tesos. É mais difícil organizar eventos ou cativar o público? Organizar eventos é fácil, o difícil é mesmo cativar as pessoas. E dinheiro é necessário? É sempre necessário algum mas o principal é trabalho. Temos o exemplo da República. Só com as pessoas conseguimos fazer grandes coisas.

Vai dar um mergulho nas piscinas de Airão S. João? Vou. Já comprei o fato e os óculos. Só estou é mesmo à espera do dia da inauguração.

Organizar eventos é fácil, o difícil é mesmo cativar as pessoas

Em que posição está o Fórum de Airão? O Fórum de Airão? Acho que vai em primeiro, isoladíssimo. Trabalhar na escola faz com que aprenda alguma coisa? Muito. Já aprendi muito e continuo a aprender! Também lá estudou por isso, foi só renovar contrato, certo? O meu contrato deve ser vitalício (risos), eu não saio da escola... Foi desde o 7.º ano até hoje por isso já vai há algum tempo!

Achas que sabes... governar? Estava eu passando com o meu C6 a horas que não lembra o diabo quando reparo na barulheira que vinha do lado de uma casa que já serviu de outras coisas mas agora é sede. Curioso como sou, não resisti e pus-me à escuta, bem pertinho da porta para ouvir bem por causa dos meus problemas de audição. Era o número dois que chorava compulsivamente nos ombros do número um: tinha chumbado no casting do programa da SIC! Ele que tinha feito de tudo, até mudar a imagem.... mas não conseguiu. Num acto raro de complacência, eis que o número um para o acalmar atira com uma brilhante ideia: vamos fazer um casting secreto com inscrições limitadas a apenas um concorrente: tu!: Achas que sabes governar? Desde essa altura que não mais parou de sorrir e de trabalhar para vencer o concurso cuja final será na nova feira, em cima da calçada e ao lado do alcatrão! Mais à frente, numa era nova de Joane encontrei também feliz da vida um senhor sem cabelo entusiasmado com a ideia de fazer parte de uma edição em 2013 do programa “curto circuito”, versão rosa, em Joane.


12 • ABRIL DE 2010 • REPÓRTER LOCAL Trabalho temporário no Scorpio Estão abertas as candidaturas para a prestação de trabalho temporário no Scorpio - Parque de Animação Aquática, que funcionará de meados de Maio a 12 Setembro. Pretende-se contratar nadadores/salvadores e monitores (recepção, portaria, vigilância). As candidaturas deverão ser formalizadas através do preenchimento da ficha de candidatura (disponível na recepção do Complexo de Piscinas e na página da Tempo Livre na internet – www.tempolivre.pt).

Ana Margarida Cardoso (Brito)

O sexo vende, revende e torna a vender É uma verdade inegável, sobretudo para o mundo publicitário. As marcas como Dolce & Gabbana, Channel e Calvin Klein usam frequentemente a nudez e a sensualidade nas suas campanhas. Apresentar modelos jeitosos como vieram ao mundo vende mais roupa do que se estivessem, de facto, vestidos. As marcas sabem disto e não tentam escondê-lo: uma das campanhas publicitárias da Diesel aqui há uns tempos atrás consistia numa foto de uma mulher ou homem vestidos apenas com umas calças de ganga e nus da cintura para cima, com a seguinte descrição: “O sexo vende. Infelizmente, nós só vendemos calças de ganga”. Voilá. Não é nenhum segredo de estado.Eu consigo entender o uso do sexo neste meio. As campanhas publicitárias, mais do que um produto, vendem uma ideia, um estilo ou um ideal de vida. Utilizar a sexualidade, algo inerente ao ser humano e por ele deveras estimado, é uma forma fácil de o fazer. Boas vendas, bons lucros, e a economia fica feliz.

Mas quando se pega no sexo para vender conteúdos jornalísticos, fica claro que estes mesmos conteúdos jornalísticos não têm qualidade suficiente para se venderem por eles mesmos. Porque estou eu a falar disto? Esta semana decorreram as Jornadas de Ciências da Comunicação, curso que frequento com muita honra, na Universidade do Minho. Um dos convidados a falar sobre o tema “Porque o Sexo Vende” foi o director do Correio do Minho, Paulo Monteiro. Penso que a escolha da organização em convidá-lo não foi um mero acaso. O Correio do Minho, na sua última página, conta sempre com a presença de uma mulher semi-nua em poses sensuais. Estavam à espera das informações de última hora que costumam vigorar nas últimas páginas para não mexer com o resto da edição à hora de fecho? Estavam à espera de artigos de opinião, como optam alguns outros jornais? Nada disso. Uma mulher despida é que dá jeito. Informa a malta sobre o estado da nação e dá verdadeiras aulas sobre assuntos de suma importância, como anatomia feminina. Nem sequer me vou prender com o sexismo da publicação, que conta sempre com uma mulher e nada de moços jeitosos. É que é opinião de Paulo Monteiro que o Correio do Minho criou uma tradição entre os seus leitores: eles começam a ler o jornal pela última página. Esqueçam a capa, que é normalmente procurada por conter os assuntos da ordem do dia.

No Correio do Minho, a actualidade informativa é marcada por uma nova modelo em lingerie. Numa plateia preenchida por estudantes de Comunicação que partilha o amor pela boa qualidade da informação e que está acostumada a ter bons profissionais de Jornalismo como professores, isto deu obviamente, barraca. O Correio do Minho defende que um jornal tem de ir ao encontro daquilo que o público quer. Eu discordo. Há uma diferença entre assuntos de interesse público (assuntos referentes ao estado do país e da economia, por exemplo) e assuntos de interesse do público (que em muito vai ao encontro do sensacionalismo barato). Na minha opinião os media têm, antes de mais nada, uma responsabilidade social para com a população. Mais do que informar, é preciso informar bem. Mais do que vender informação, é preciso vender boa informação. Por isso é que existe um curso superior de Jornalismo: para a profissionalização da profissão. Para vendermos notícias pela sua qualidade. Não porque temos uma modelo bonita a piscar o olho quando se vira o jornal ao contrário. Pego aqui, para finalizar, na reflexão de uma colega minha no final do debate: se o Correio do Minho é lido pela última página, ela é a mais importante para o leitor que tem o jornal nas mãos. Desta forma, não será o resto do jornal e todo o seu conteúdo informativo apenas um apêndice de um estímulo sexual?


REPÓRTER LOCAL • ABRIL DE 2010 • 13

HAJA SAÚDE ELISA RIBEIRO

7 mil milhões

Maio, mês do Coração!

médica

Nunca é demais falar do Coração…mais ainda no nosso país, onde, infelizmente, as doenças cardiovasculares ocupam um lugar cimeiro no pódio das doenças mais prevalentes. Por mais frequentes que sejam os conselhos sobre uma vida saudável, a verdade é que entre sabê-lo e fazê-lo, vai uma distância considerável! São vários os chamados “factores de risco cardiovascular”, isto é, que aumentam o risco de doença nas artérias, nomeadamente nas do coração e do cérebro. Dentre estes destacam-se a hipertensão arterial, o colesterol elevado, o tabagismo, a diabetes, o excesso de peso/obesidade, o stress, a idade e até a herança genética! Perante estes factores de risco, não é difícil perceber o que é importante (não) fazer

ou alterar na vida de cada um. Começando pela alimentação: comer todos os dias frutas e verduras, comer mais peixe que carne, evitar gorduras e enchidos e moderar o consumo de doces e bebidas alcoólicas. É muito importante evitar o sal em excesso, que não é só aquele que deitamos na comida, mas aquele que já existe em cada alimento; quando estiver a cozinhar, passe a usar apenas metade do que usava e substitua-o por ervas aromáticas. Com uma alimentação correcta pode reduzir vários factores de risco: excesso de peso, diabetes, hipertensão e colesterol alto. Faça exercício todos os dias, pelo menos 30 minutos.

O tempo está a melhorar e as caminhadas diárias são um bom exemplo de como “ajudar o coração”. O exercício é também uma forma de controlar o stress que, por si só, é também um factor de risco. Mais uma vez, não fume. Se fuma e não consegue abandonar este vício sozinho, procure ajuda médica. Meça a sua tensão arterial, que deve ser inferior a 140-90 mmHg. Quando indicado, o seu médico vai pedirlhe análises ao sangue para vigiar o colesterol e a glicose (diabetes). Caso tenha já umas das doenças que aumentam o risco cardiovascular vá ao seu médico regularmente, para fazer a vigilância indicada.

valor da dívida das autarquias. A dívida cresceu 7% embora a autarquia de Famalicão tenha melhorado as contas, deixando de constar no ranking das 35 mais endividadas.

678

número de reclamações feitas pelos utentes do hospital de Guimarães em 2009.

872

declarações de IRS entregues pela Junta de Joane. Um serviço gratuito que prestam por esta altura à população


14 • ABRIL DE 2010 • REPÓRTER LOCAL

Vai-se Andando José Pedro Gomes volta a subir ao palco do grande auditório da Casa das Artes a 21 e 22 de Maio, desta vez com o espectáculo de teatro “Vai-se andando”, numa encenação de António Feio, com textos de Eduardo Madeira, Filipe Homem Fonseca, Henrique Dias, Luísa Costa Gomes, Marco Horácio, Nilton, Nuno Artur Silva, Nuno Markl. O bilhete tem preço único de 12 euros.

Hastear 1 de Maio José Azevedo, de Pousada de Saramagos, é o promotor de uma tradição com 36 anos.

Dominique Machado

J

osé Azevedo, um conhecido taberneiro de Pousada de Saramagos tem, além da fama de servir bons vinhos e bons petiscos, a fama de organizar o 1º de Maio, dia mundial do trabalhador, de uma forma bastante particular. Há 36 anos que, juntamente com alguns colegas, amigos e familiares vai buscar um eucalipto de porte considerável ao monte, coloca-lhe uma bandeira vermelha com os dizeres 1 de Maio escritos, hasteando desta forma uma bandeira em homenagem ao trabalhador. “Juntava-se a malta nova toda, várias pessoas desde políticos conhecidos a simples trabalhadores lá se fazia a festa que termina com um bom almoço”.

Tudo começou após a revolução de 25 Abril de 1974. Esta data era comemorada em outros países mas em Portugal era proibido pelo regime de Salazar, ditador regente. ”Não podíamos falar. Tudo era proibido. Se falássemos no dia do trabalhador o patrão dava era logo duas chicotadas no lombo”, disse. O hastear da bandeira foi a forma que Azevedo encontrou, após a revolução de 74, de exteriorizar a sua liberdade de expressão e contemplar uma conquista mundial – dia mundial do trabalhador. Militante, outrora, do CDE, Azevedo conta que a primeira bandeira foi colocada em 1974, no ano da revolução do 25 de Abril, no local onde existe agora o Centro Social de Pousada de Saramagos. Esta bandeira improvisada foi derrubada logo após quatro ou cinco dias. No segundo ano “cravaram-se pregos e tudo mais para que o mesmo não voltasse a acontecer” mas a história repetiu-se. Foi após várias tentativas goradas que Azevedo, a partir de 1979, decidiu colocar a bandeira mesmo em frente a sua casa. Este ano, o pano vermelho com as inscrições “1 de Maio” já está encomendado e já só falta mesmo que o dia 1 de Maio apareça. Várias estações televisivas já noticiaram esta iniciativa que caminha para os 40 anos de existência e este ano pode não ser excepção pois já lhe ligaram da RTP a perguntar se Azevedo vai continuar com esta tradição que fora, outrora, uma forma de expressar a liberdade e valorizar o homem enquanto trabalhador.

celebrar o trabalhador Pousada de Saramagos é um dos raros casos na região onde a celebração do Dia Mundial do trabalhador é registado todos os anos, assumindo-se já como uma tradição enraizada na população. José Azevedo, juntamente com um grupo de amigos, foram o motor da iniciativa que perdura há 36 anos. De início foi um grito de liberdade que teimava em não aparecer. Com o passar do tempo, tornou-se num hábito que cumprem religiosamente como uma forma de transmitir ideais e cultura aos mais novos. É, nos dias de hoje, ponto de encontro d e n ovo s e ve l h o s , políticos da praça e gente anónima, numa festa carregada de tanto simbolismo apenas com o hastear de uma bandeira vermelha.


REPÓRTER LOCAL • ABRIL DE 2010 • 15

Joane • desporto

Joane quer novo Barreiros

BREVE AC POUSADA

Jovem sobe ao pódio

Dominique Machado

O Grupo Desportivo de Joane (GDJ) tem já em maqueta aquele que poderá ser o novo complexo desportivo do clube. O projecto está dependente da aprovação da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão (CMVNF) no que concerne ao financiamento, todavia, os valores deste empreendimento não são públicos. “O projecto está feito, já temos inclusive a maqueta preparada, falta-nos apenas conseguir os apoios certos. É um projecto importante para o GDJ” disse ao Repórter Local o presidente adjunto do clube joanense, José Campos. Há três anos que o Grupo Desportivo de Joane tem

vindo a idealizar uma solução para o seu futuro ao nível de infra-estruturas. Segundo o projectado, o estádio terá uma construção de raíz, ocupando o mesmo espaço actual. O bar é a excepção à construção de raíz, mantendo a estrutura actual. Como se pode observar na maqueta cedida pelo clube, o novo complexo dos Barreiros, terá dois campos em relva sintética, um de futebol de 11 e outro de futebol de 7 para as camadas mais jovens do clube. O exterior contará também com um parqueamento, há semelhança do actual. Cinco balneários, lavandaria e ginásio estão previstos neste arrojado projecto.

GDJ pensa na subida “Se andamos a participar num campeonato, andamos a lutar domingo a domingo pelos três pontos. Fizemos uma primeira volta excelente, à excepção de um jogo em

casa contra o Amarante. Agora veio a segunda fase e se a oportunidade aparecer não podemos perder oportunidade de subir”, disse Campos. O clube está em boa posição

para a subida e, segundo este responsável, é uma hipótese que caso apareça, o clube irá aproveitar. O clube actualmente está em 3º lugar da classificativa geral a um pon-

Vila Belmir

to do segundo e a dois do primeiro numa altura que faltam 5 jornadas para o final da competição e apurar as equipas que sobem de divisão

Luís Pereira, ciclista da Associação de Ciclismo de Pousada de Saramagos, conquistou no fimde-semana passado o 2º lugar em Infantis enquanto João Pereira obteve o 4º lugar no escalão Juvenil no 8º circuito da Liberdade 25 de Abril que decorreu em Amares. A iniciativa foi organizada pela Associação de Ciclismo do Minho e destinada à categoria de Benjamins, Infantis, Iniciados, Juvenis e Cadetes, categorias na quais a Escola Ciclismo Carlos Carvalho/A .C Pousada de Saramagos marcou presença. No próximo Sábado a equipa de Pousada de Saramagos vai estar em competição em Penafiel para competir no 3º troféu Manuel Ferreira. Domingo irá também deslocar-se a Barcelos para disputar o 8º Prémio ACR Roriz.


16 • ABRIL DE 2010 • REPÓRTER LOCAL

V Corrida da Mãe ATC organiza no próximo domingo, dia 02 de Maio, entre as 10H00 e as 11H30, a V Corrida da Mãe e o X Famalicão Joane dos Pequenino, visando a promoção da actividade física como estilo de vida saudável e a luta contra o flagelo do cancro da mama. Apareça.

Desporto

“A rota dos 75” O Clã 19, a Comunidade de Pioneiros 111 e o Agrupamento de Escuteiros de Ronfe vão organizar, no próximo dia oito de Maio “A Rota dos 75”. Este passeio de BTT, com uma extensão de 40km, terá lugar na Vila de Ronfe. O local de concentração deste evento vai ser o antigo campo do Desportivo de Ronfe por volta das 13h30. As inscrições podem ser efectuadas através do endereço

electrónico oficial do evento -rotados75.blogspot .com - ou de forma presencial na sede dos escuteiros aos sábados das 17h às 18h. O valor da inscriçãoopinião para todos os interessados é de 10€ até dia 1 de Maio, valor que acresce em dois euros caso passe da data estipulada. Todos os inscritos terão direito a jantar, seguro, banho quente e sorteio de vários prémios.

Tiro com arco

PUBLICIDADE

Os alunos da Escola Bernardino Machado deslocaram-se dia 24 de Abril ao Clube de Tiro de S. Pedro de Rates, na Póvoa de Varzim, para participar na 4ª prova do Ranking Regional Norte de Tiro com Arco no âmbito do Desporto Escolar. Dália Carvalho terminou a prova em 2º lugar na classe dos Infantis Femininos, Francisco Rodrigues em primeiro lugar de Infantis

Masculinos seguido por Luís Oliveira. Filipa Costa obteve o segundo lugar do pódio seguida de Carina Oliveira que terminou em 3º lugarnos Iniciados Femininos. Nos Iniciados Masculinos André Silva e Rafael Silva conquistaram o 1º e 2º lugar, respectivamente. A prova contou com a presença de cerca de 120 alunos provenientes de 14 escolas da área geográfica da DREN.

AMITORRE repensa prova A falta de apoios e o não aparecimento de verbas para colmatar os gastos que rondam os três mil euros por prova são os motivos que levam os responsáveis pelo evento a repensar e tentar realizar a prova “noutros moldes” para os anos seguintes. No passado dia 25 de Abril decorreu a habitual prova organizada pela Associação de Amigos de Monte Alvar (AMITORRE) terminando com a Caminhada pela Integração Social pelas ruas de Cima de Pele. Susana Oliveira do G. Rec. Cul. De Candoso Santiago foi a vencedora no escalão Séniores Femininos enquanto que Tiago Loureiro do Liberdade F.C foi primeiro nos Séniores Masculinos. A prova contou com cerca de 400 participantes. O programa das comemorações da AMITORRE contou também com uma largada

de pombos feita pelos Columbófilos de Joane. No final, o presidente da AMITORRE, Fernando Dias, relatou ao RL que “este ano notou-se uma forte presença das camadas jovens” e que o resultado final a “nível desportivo foi bom mas a nível financeiro foi mau porque houve patricionadores que supostamente iam participar acabaram por não o fazer”.

Escola da AMVE já funciona A Escola de Atletismo Rosa Oliveira é sonho tornado realidade. A Associação Moinho de Vermoim conseguiu levar avante aquele que, segundo o director desportivo, Miguel Campos, é o “maior projecto da instituição”. Falta agora um terreno, já pedido à Câmara, para que se possa construir uma sede e um circuito de manutenção. No imediato, a nova escola da AMVE funciona junto ao Pavilhão Terras de Vermoim enquanto aguarda uma resposta por parte da Câmara. A AMVE consegue desta forma garantir a formação de 15 atletas, dos 4 aos 14 anos. A escola encontra-se já em funcionamento e contacom Rosa Oliveira, com um professor de educação física e uma psicóloga.


REPÓRTER LOCAL • ABRIL DE 2010 • 17 EDIÇÃO ABRIL 2010 NÚMERO 76 ANO 7 COORDENAÇÃO DOMINIQUE MACHADO

JOVENS DE POUSADA VENCEM FESTIVAL

Aur Revoir Simone (Música) Aur Revoir Simone actuam dia 22 de Maio no São Mamede, em Guimarães, naquele que vai um espectáculo de apresentação do terceiro disco de originais da tripla “Still Night, Still Light. Nunca três meninas conquistaram o apreço, consideração e admiração do público português tão depressa como Erika, Annie e Heather. Com uma conjugação única de electrónica, indie e pop, complementada com vozes angelicais, as Au Revoir Simone granjearam desde o início o reconhecimento do público e da crítica, onde se incluem alguns ilustres como David Lynch. Preço: 15€ Plateia / 20€ 1º Balcão Local: Sala Principal Hora: 22h00

“Melhor canção” e “melhor interpretação” no XV Festival Nacional da Canção Redentorista Dominique Machado

PUBLICIDADE

A ideia era criar, interpretar e cantar canções e, acima de tudo, juntar jovens de vários pontos do país num verdadeiro festival da canção. Neste caso, quem levou a melhor nesta competição saudável foi o Grupo de Jovens de Pousada de Saramagos ao ganhar os prémios de “melhor canção” e “melhor interpretação” no XV Festival Nacional da Canção Redentorista que, celebrando o Ano Sacerdotal, teve como tema “Entrega-te a Cristo”. Este festival teve lugar no passado dia 17 no Salão Paroquial de Castelões e foi uma iniciativa promovida pela Congregação do Santíssimo Redentor. No salão juntaram-se

jovens das paroquias de Chafé, Silvalde, Oliveira do Hospital, Bensafrim e da Comunidade Cristo de Betânia. Foi um dia repleto de actividades com dois momentos altos: a eucaristia animada por todos os jovens presentes e o festival propriamente dito. Após o desfile das canções a concurso e durante a deliberação do júri, o público presente assistiu a uma peça de teatro preparada durante a tarde pelos jovens. As músicas a concurso eram originais quer em melodia como em letra e subordinadas ao tema do Festival. O júri reunia elementos com formação em música, língua e teologia. O prémio “melhor letra” foi para o grupo de Fátima da Comunidade Cristo de Betânia,

o prémio “melhor música” para o Grupo de Jovens Mãos Dadas de Silvade - Espinho e o prémio “melhor claque” para o Grupo Ágilis de Oliveira do Hospital. Foi também distinguido o jovem de Bensafrim – Algarve que, sozinho, participou no festival com uma canção, auxiliado por um jovem de Chafé e outro de Barcelos. No final da noite ficou o desafio à paróquia de Chafé – Viana do Castelo, a realização da próxima edição desta iniciativa. O objectivo era não sobrecarregar novamente o GJPS com mais um ano na organização deste evento e, deste modo correr o país divulgando a actividade e incentivando a partilha e o convívio.

Gary Numan (Música) Considerado pela crítica como um dos pioneiros da música electrónica vai actuar dia 28 de Maio na Casa das Artes em Vila Nova de Famalicõa. Numan assumese como um dos precursores do ElectroPop commercial. O concerto vai ter lugar no Grande Auditório desta casa de espectáculos e tem início previsto para as 21h30. O preço dos bilhetes é de 20 euros e espera-se um espectáculo com uma duração prevista de 90 minutos.


18 • ABRIL DE 2010 • REPÓRTER LOCAL

ESCOLAS JOANE • ESCOLA Bernardino Machado

Dia do Patrono para celebrar vida e obra de Bernardino

Breves

Luís Pereira

Homenagear Bernardino Machado, educar gerações e recordar vida e obra do político e filósofo. É este objectivo que está na base da instituição do “Dia do Patrono” que o Agrupamento de Escolas Bernardino Machado celebrou pela primeira vez este ano mas que deseja que ganhe tradição. A celebração começou ontem, dia 29 e prolongase para o dia de hoje. No primeiro d i a a s a c t i v i d a d e s f o ra m m a r c a d a s pela encenação da chegada de vários “bernardinos”, devidamente trajados, por uma palestra educacional sobre a ligação da escola à pessoa que foi Bernardino Machado. “Pretende-se ligar a filosofia da escola e a postura que tem assumido ao longo dos anos, aos valores do seu patrono, Bernardino Machado que ainda hoje perduram como a célebre máxima do “ser instruído é ser livre” que no nosso projecto educativo é traduzido na máxima “ser melhor, saber mais”, refere Alfredo Lima, director do agrupamento.

Alunos dos Quadros de Valor e Excelência viajam até Paris

Foi ainda realizado um almoço que juntou professores, funcionários, alunos EFA e da escola Sénior bem como representantes da comunidade e entidades exteriores ao agrupamento. A iniciativa prossegue com exposições, jogos lúdicos e concursos de ciência e conhecimento

“Avó Manela” fala de Abril

A autora Manuela Monteiro esteve na Escola Bernardino Machado em contacto com os alunos do sexto ano. A propósito do 25 Abril, a “Avó Manela” como é mais conhecida, leu “A Casa da Romãzeira”, livro com forte inspiração na revolução dos cravos. O encontro foi animado e muito preenchido, houve perguntas e respostas, apresentação de livros, leitura de textos, declamação de poemas, entrega de prémios às melhores leitoras do mês de Fevereiro e de Março e sobretudo motivação para a leitura. Depois deste encontro, estes alunos, ficaram com uma visão mais real da vida anterior ao dia 25 de Abril de 1974.

Os alunos do 3º Ciclo da E.B. 2/3 Bernardino Machado que integraram o s Q u a d ro s d e Va l o r e E xc e l ê n c i a 2008/2009 deslocaram-se, entre os dias 5 e 9 de Abril, à cidade Luz – Paris. Os dezanove alunos visitaram e os monumentos mais carismáticos da cidade. Dos momentos mais altos da viagem salienta-se a subida ao segundo piso da Torre Eiffel, a visita ao Museu do Louvre, à catedral de Notre- Dame e à basílica do Sacre Couer. O passeio ao longo do Sena e pelos ChampsÉlysées, bem como, o animado sossego do Centre Pompidou também foram momentos inesquecíveis. Mas foi o dia passado na Disneyland – Paris que contagiou de forma mágica o grupo nesta fantástica viagem.

“Tea Party” na Secundária

A turma U do curso EFA de nível secundário da Escola Secundária P. Benjamim Salgado vai realizar uma “ Tea Party ” no próximo dia 4 de Maio pelas 16h00 no polivalente da escola. Esta actividade integradora surge no âmbito do tema de vida da turma “Medicina Convencional/ Medicina Alternativa: A tradição ainda é o que era”. Os organizadores convidam todos os amantes de chá e curiosos a participarem e conhecerem vários chás que poderão solucionar alguns dos problemas de saúde.No dia estarão técnicos especializados para informar e aconselhar os interessados.

Alunos EFA na biblioteca “Casa de Camilo”

Os formandos do curso EFA B3 da turma B3 C deslocaram-se à biblioteca escolar A Casa de Camilo com o objectivo de conhecerem o seu funcionamento. Na visita foi apresentado o guião do utilizador e o blogue da biblioteca. Seguiu-se uma visita guiada e a requisição de livros para leitura domiciliária .

Secretário de Estado no congresso da Secundária Alexandre Ventura, Secretário de Estado da Educação, vai estar presente na abertura do Congresso “A 1.ª República e a Educação” a decorrer na Escola Secundária P. Benjamim Salgado nos dias 7,8 e 9 de Maio. A actividade é promovida pela Escola Secundária Padre Benjamim Salgado, Núcleo de Educação, História e Museologia do Centro de Investigação e Intervenção Educativa da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto e Secção de História da Educação da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Trata-se de um congresso com um programa repleto de oradores e conferências como “Os debates parlamentares sobre a Educação”.


REPÓRTER LOCAL • ABRIL DE 2010 • 19

EXPO GUIMARÃES A 8ª feira Multisectorial regressará ao Multiusos de Guimarães de 14 a 16 de Maio, numa organização conjunta da Tempo Livre, Câmara Municipal de Guimarães e Associação Comercial e Industrial de Guimarães (ACIG).

ENTREVIsta Joane • ATC

‘Sempre que Sá Machado vem à ATC, sinto-me contente’ realizar ciclos temáticos de cinema. Quanto ao centro, se virmos o relatório de ocupação, tanto com nossas iniciativas como com iniciativas organizadas pelo exterior, o centro cultural tem tido muita actividade e está vivo.

Luís Pereira

Homem forte da Associação Teatro Construção, Custódio Oliveira fala ao RL da instituição, do país, de política e das pazes com Sá Machado.

Já tem a ideia do dia em que sairá da ATC? Não. Isto custa-me dinheiro e dói-me ouvir que ganho dinheiro com a ATC. Custame tempo, também. Não sei se nas próximas eleições serei presidente, sei que a equipa, apresentará uma lista e será difícil sair da associação.

Como está o processo do Hospital de Cuidados Continuados? Em curso. Vamos conseguilo, não quando eu quero mas quando outros quiserem. Já temos terreno, junto à VIM. Estamos empenhados na aprovação da candidatura ao POPH para conseguir financiamento e arrancar com a obra. Que fazer da Casa das Fontes, foi um erro a sua aquisição? A casa das Fontes está a servir de centro de formação. Não foi um erro. Se não a tivéssemos não haveria nem dinheiro, nem projecto. Ficará com um importante património. Quando há ideia de um projecto destes as coisas funcionam se as câmaras disponibilizarem terrenos, o que não aconteceu tivemos de andar pelo nosso próprio pé. Para o lar residencial para deficientes, comprou o terreno em frente à Casa das Fontes. Em poucos anos a ATC adquiriu um considerável património…. Mas deve-o! Neste momento temos tantas dívidas como quando entrei para presiden-

Aderiu no facebook às “pessoas que já estão fartas dos delírios sobre a liberdade de expressão”. Está mesmo? A expressão hoje é global. Com a comunicação de hoje, acabou o tempo e o espaço. O avanço do conhecimento para os jornalistas teve consequências para a liberdade. A forte deontologia, quase sagrada antes do 25 de Abril, hoje não existe. A deontologia do jornalismo de hoje, é o chico espertismo. Há culpas da classe política nas questões de liberdade de expressão?

Quem o poderá suceder? É uma ilusão pensar-se que estas coisas se preparam. As pessoas quando falam na sucessão falam sempre numa lógica de poder. O poder na ATC significa serviço. te. Só que, antes devia-se e nada se tinha e agora temos. É outra valência a aguardar financiamento…. Candidatamo-nos duas vezes e não o conseguimos por causas burocráticas. Desta última nem sequer foi chumbado, foi arquivado. Se houver desistência de dois ou três projectos aprovados, o nosso avança, se não houver, teremos de esperar pela nossa oportunidade. Não desistimos. A solidariedade social tornaram-se prioridades da ATC em detrimento da cultura? Conforme as pessoas que es-

Os políticos têm estratégias diferentes para liderar com a imprensa. A maioria deles opta pela mais fácil, a subserviência . Sócrates segue a linha do afrontamento. Os jornalistas que sempre influenciaram o poder, como Moniz, como deixaram de influenciar Sócrates, perderam espaço e criaram uma estratégia para o derrubar. A pressão aos jornalistas é natural. Ouvir um jornalista a queixar-se que um assessor do primeiro-ministro pressionou-o, é ridículo. Pressionou? É a função dele! A questão é se o jornalista se deixa pressionar.

tão em determinado momento, determinadas actividades têm muita força. Já teve muita força na música quando havia muita a gente a puxar por ela. O que é difícil é alguém dizer que quis fazer alguma coisa e não deixaram. Como anda o teatro da ATC? É a alma desta casa que, de facto, passa tempos de fragilidade e tenho pena que não esteja mais forte. Cinema está fora de hipótese para regressar ao Centro Cultural? Já tivemos cinema no centro e dava prejuízo. Podemos é Face à situação do país, compreenderia que fosse cortados os subsídios de férias e Natal? Não podem ser sempre os mesmos a pagar as dificuldades. Nunca se viveu tão bem como hoje e ao mesmo tempo nós nunca estivemos tão descontentes. Todos os anos há 800 milhões de pessoas á procura de emprego em todo o mundo. A indústria como fonte massiva de emprego, está a acabar! Não haverá em parte nenhuma do globo mais uma Riopele com 5 mil trabalhadores. O homem só terá emprego na área do conhecimento.

O que muda com a designação de Fundação? Apenas a gestão. Não vai nem deve mudar mais nada. A assembleia já aprovou a fundação, falta a aprovação oficial dos estatutos para que avance o processo de legalização da Fundação. Calou fundo quem dizia que a ATC com Armindo Costa iria deixar de receber subsídios… Nunca acreditei nisso. Tal como Agostinho Fernandes, a associação deve registar na s u a h is t ó ria o nome d e Armindo Costa.

Há subsídios a mais em Portugal? Todos querem que a vaca dê leite, todos querem beber o leite da vaca mas ninguém se preocupa com o semear a erva e dar de comer à vaca. Todos queremos que o estado dê e o estado deve dar mas para dar tem que ter . O estado tem a obrigação de socorrer quem mais precisa terá é de o fazer com rigor. É excessiva a presença do estado nas empresas? O estado social é um estado a caminho de ser perfeito. Não acredito que os privados só por si resolveriam os problemas.

Joane deveria lutar pelo concelho? Joane tem história e massa crítica. O que o país precisa é de fazer uma reforma administrativa. Não tem sentido a designação de freguesia. São dois poderes locais e um deles está dependente. A Câmara de Famalicão tem tratado bem Joane? A Câmara tem tratado bem a associação. O que falta em Joane? Deveria ter um plano de pormenor. Joane é uma urbe e como tal deveria ter tido esse cuidado, não teve. Parece-me que com o centro e a zona envolvente, tem havido agora esse cuidado. Criou inimizades por estar na ATC? Não tenho nada contra ninguém. Não vale a pena criar inimizades, já não dou para esse peditório. Como estão as relações com Sá Machado? Sempre que Sá Machado vem à ATC eu sinto-me contente. O que se passou com a Queima do Judas foi um momento infeliz com responsabilidades de parte a parte. Em consciência, mais tarde desisti da queixa em tribunal. Sempre que as pessoas se entendem, ficam a ganhar com isso. Escreveu que Sá Machado tem condições para ser o candidato do PS à Câmara… Sá Machado teve uma grande vitória em Joane. Mediante os resultados do PS em Famalicão eu digo que ele teve uma vitória exemplar no concelho e quando isso acontece fica com avanço no terreno. O s e n h o r p o d e rá c h e g a r a presidente da Câmara?

“Eu nunca serei candidato a nenhum órgão político.” Como prevê o cenário político em Joane em 2013? Se António Oliveira tiver oportunidade de aparecer nestes t r ê s a n o s , t e c n i c a m e n t e t e rá condições mas deve-se assumir desde já. Por outro lado, 2013 será a grande oportunidade para o PSD se souber trabalhar. A política mete-se muitas vezes no associativismo? O associativismo é política! É uma forma diferente de fazer política .


20 • ABRIL DE 2010 • REPÓRTER LOCAL

ÚLTIMA

JOane • iniciativas

Feira Automóvel

A nova feira de Joane acolhe o primeiro evento no recinto no próximo dia 9 de Maio. Trata-se da primeira Feira Automóvel Dominique Machado

PUBLICIDADE

No dia 9 de Maio irá decorrer no espaço da nova Feira de Joane a 1ª Feira Automóvel. A iniciativa tem como objectivo reunir vendedores dos stands automóvel e todos os particulares interessados em colocar os seus veículos para venda ao público. Desta forma os proprietários dos stands podem aumentar ao seu volume de vendas e acaba-se com “a concorrência desleal” que se vê por parte dos particulares que colocam os seus automóveis à venda em via pública, disse António Rocha, principal responsável por este projecto. Para tal, os interessados terão que pagar “uma pequena cota para expor os seus au-

tomóveis que vai desde os 5 euros, no caso de stands, e um pouco mais para os particulares pois estes colocam apenas um automóvel enquanto que os stands colocam vários”, explicou Rocha ao RL. Desta forma, por uma pequena quantia, pode expor e vender o seu carro na nova feira automóvel. A ideia surgiu de exemplos de outras feiras que se realizam em vilas e cidades vizinhas e até mesmo feiras automóveis internacionais. “Nós queríamos fazer à semelhança a outros lugares como Santo Tirso, Taipas, etc.” explicou. O espaço foi cedido pela junta de freguesia de Joane e a entrada é gratuita para todos os interessados em ver e, quem sabe, comprar carro. Segun-

do este responsável o espaço reúne todas as condições para a realização de uma feira com estas características, e poderá ser o sítio ideal para que as pessoas interessadas em adquirir uma viatura possam comparar preços e comprar carro. No recinto, para além de automóveis estarão também presentes companhias relacionadas com o financiamento possibilitando aos possíveis compradores resolver tudo na hora. Este projecto, caso tenha um feedback positivo será para se realizar uma vez por mês, aos Domingos, uma vez que a feira semanal se realiza aos Sábados. A organização estima já, pelo que sondou perante os stands que vão expor na feira, cerca de 70 carros.

VERMIL

Casa mortuária à espera de verba O arranque das obras da capela mortuária de Vemil está pendente da atribuição de verba da Câmara Municipal. A informação foi dada na última Assembleia de Freguesia pelo secretário do executivo, Marçal Mendes que aguarda pela marcação de uma audiência com os responsáveis do município para discutir esta matéria. A capela mortuária de Vermil ficará instalada junto ao salão paroquial da freguesia onde já se efectuaram desaterros. Actualmente, os corpos são velados na capela de S. Roque. A Assembleia aprovou o relatório de contas referentes ao exercício de 2009. O documento mereceu a abstenção da oposição.


REPÓRTER LOCAL • ABRIL DE 2010 • 21

OPINIÃO

Os artigos de Opinião são da responsabilidade dos seus autores

opinião

Nós por cá... Joana Cunha

Deputada PSD/PP na AF Joane

Muita tinta correu sobre as ajudas de custa e as viagens da deputada do PS eleita pelo círculo de Lisboa, Inês de Medeiros. Mas a novela está à beira do fim, após 5 meses a tentarem encontrar uma solução para o problema. O caso da actriz é omisso na lei pelo que o conselho de administração e o presidente da AR, Jaime Gama, tiveram que o resolver equiparando a situação da actriz com o regime dos deputados eleitos pela Europa. Assim Inês de Medeiros terá direito a uma viagem de ida e volta por semana na classe mais elevada e beneficiará ainda de uma ajuda de custo diária de 69€. Relativamente às declarações feitas pela actriz de que não irá a Paris fazer compras ou visitar o Louvre e que já morava em Paris aquando da sua integração nas listas do PS, fico mais descansada e esclarecida. De facto a culpa não será dela ou exclu-

sivamente dela pelo menos, a culpa será de quem convidou pois não faz qualquer sentido convidar uma pessoa que mora em Paris para ser eleita por um círculo nacional. Será por não fazer sentido que esta situação nem sequer vem regulada no regimento, porque é uma verdadeira idiotice! E para o comprovar nada melhor que as declarações de Jaime Gama que afirma que esta resolução de pagar não fará jurisprudência para o futuro, uma admissão envergonhada do erro cá para mim. Inês de Medeiros diz-se satisfeita com a resolução do assunto para que “campanha de enxovalhos” possa terminar. Se a senhora estava tão preocupada com essa campanha de enxovalhos porque não renunciou ao mandato? Será porque a vida de artista é difícil e é mais fácil viver à custa do erário público? “Nós por cá” As reuniões mensais da Junta de Freguesia finalmente têm dia e o horário fixo. Lamentavelmente a publicidade dessas mesmas reuniões limitou-se ao edital afixado à porta da sede da Junta. Assim, soube das ditas porque li um artigo de opinião publicado num outro jornal da terra. Gostava de lembrar que na Assembleia de Freguesia, quando a bancada

Para o cronista das maledicências, lamento a sua atitude narcísica de pensar que todos lêem os seus artigos e que ache que eles são uma boa forma de publicidade. do PSD-CDS/PP propôs um dia e hora fixos para a realização das reuniões mensais da Junta, não houve nenhum chinfrim até porque se o houvesse acredito que o Sr. presidente da Assembleia repusesse a ordem no auditório. Assim, o que se passou foi a apresentação ordenada de uma proposta de recomendação para a realização das reuniões da Junta com periodicidade certa e horário fixo. Proposta essa que já tinha sido apresentada pelo eleito que agora fala em chinfrim…

Porque razão se adiou a apresentação da candidatura a este centro escolar?

Luís Santos

Secretário da Junta de Joane

Há dias reflecti a sobre o salário de António Mexia e havia um pormenor que porventura me fazia alguma confusão. O salário de um CEO (é assim que é designado um gestor de topo) em quase nada tem a ver com o seu desempenho particular, reflectindo sobretudo uma imagem de estatuto e de poder, imagem destinada ao interior da empresa ou grupo, ou imagem destinada ao mercado. A mim parece-me um salário demasiado excessivo para este país, nesta altura. Sei, contudo que a EDP é uma empresa internacional, metade da sua facturação (ou do seu lucro) vem dos mercados externos. E sei que a EDP é uma das raras empresas de origem portuguesa (bem) posicionadas para abordar o mundo completamente diferente que vem aí

nos próximos 10 anos. Um mundo com, eventualmente, menos decisão política e mais decisão económica. Estamos cada vez mais subjugados ao mundo dos cifrões. Um mundo com menos energia fóssil e mais energias das outras (alternativas, limpas e eficientes), onde o nuclear vai ganhando o seu espaço. Um mundo onde se deu uma transferência de poder dos intermediários para os destinatários. Uma economia que triturará as classes médias, como as conhecemos, incentivando o low cost, muito na moda. Mas apesar de conciliar tudo isto, acabo a pensar que é, de facto, um vencimento demasiado elevado. E o problema disto tudo é que temos um país pequeno mas com muitos “mexias”. Na actualidade política estão também as comissões de inquérito. Era interessante que pudessem existir comissões semelhantes para analisar e detalhar certos procedimentos e negócios do nosso concelho. Talvez ficássemos melhor instruídos sobre algumas adjudicações, compras e “negociatas” que vão acontecendo. Isto a acreditar que as comissões

de inquérito produzem efeito. Desiderato que tenho alguma teimosia em fundamentar. Por cá, alguns continuam a querer fazer render o assunto “Mudança da Feira”. Uma mudança pacífica e que veio acrescentar qualidade não só a quem vende, mas também a quem compra e são muitos os que felizmente compram. É assim que se mede o sucesso de um mercado, pela sua utilidade para o cidadão que aí encontra o que procura de uma forma acessível e cómoda. Que bom seria que todos os investimentos que por esse país se fazem, se pudessem contabilizar como saldados num prazo máximo de 5 anos. Ou seja, o investimento efectuado terá retorno num prazo máximo de 5 anos. Aí poderão ser dinamizadas várias actividades, como uma feira de carros usados e outros eventos. Mas mais importante que tudo isto, é o aumento do património, que é um dos garantes da autonomia financeira de Joane. E um investimento desta natureza e montante, realizado por uma Junta de Freguesia, que não contou com qualquer ajuda camarária só pode

“A tentativa vã e patético-pretenciosa de pretender mandar na casa e na vida dos outros” não sei a que se refere mas talvez se refira a uma casa (sede de Junta) que deve ser um espaço aberto a todos, para que possamos usufruir dos serviços disponibilizados, para que possamos ir sempre que exista um problema que contenda a Junta resolver. Quando apresentamos a proposta foi no intuito de facilitar aos cidadãos em geral a intervenção nas reuniões que são públicas e não exclusivas dos eleitos locais. Assim, saúdo a atitude do executivo da Junta de realizar as reuniões mensais em dia e horário fixo, lamento a forma de publicidade que se limitou ao edital e, friso, que poderia ser usado o site da junta e os jornais locais para dar publicidade às mesmas. Para o cronista das maledicências, lamento a sua atitude narcísica de pensar que todos lêem os seus artigos e que ache que eles são uma boa forma de publicidade. Sei que um cronista não tem ou não deve ter temores e pudores e também sei que a crónica apresenta uma visão totalmente pessoal do seu autor. Mas ou a sua visão das coisas muda como muda o tempo (que ora faz chuva ora faz sol) ou então a sua atitude subserviente negligencia qualquer artigo que possa escrever.

* Título da responsabilidade da redacção por ausência do mesmo

traduzir uma capacidade firme de quem dirige um orçamento em nada comparável com uma Câmara Municipal. Na nossa vila uma execução de 82% é rejeitada pela oposição. Em Famalicão, uma execução de 56% é valorizada, sendo vista por alguns como sinónimo de um bom desempenho e apoiada por aqueles que rejeitaram os 82% da Junta de Freguesia de Joane. Não é possível compreender estas posições. Sobre a falta de investimento camarário em Joane, sobre a discriminação na celebração de protocolos entre Joane e muitas outras freguesia… nem uma palavra. O novo Centro Escolar de Joane ficará pronto em Agosto. Mais arranjo, menos arranjo, adjudicação e colocação de mobiliário, espaços exteriores, articulação de transportes, etc… Teremos ano lectivo lá para 2011, e porventura lá para o final de 2011. As explicações vão aparecer e nós cá estaremos para as ouvir e se for o caso as entender. Mas o que já ninguém consegue explicar é Perdeu-se um ano, perdem as crianças e perde o futuro.


22 • ABRIL DE 2010 • REPÓRTER LOCAL

carta à redacção

Acidente na VIM Meus senhores, eu não quero ofender ninguém mas às vezes é bom

ve de muleta a companhia de seguros. A companhia paga o conserto

falar para que algumas pessoas corrijam erros. Passo várias vezes

dos carros e nem sempre é preciso ir para tribunal. Não peço mais

pela a abandonada VIM. Depois do acidente em que caiu um veícu-

nada, só que reparem aquele sítio que continua sem rails. Apelo

lo da ponte, de forma vergonhosa, tentei encontrar os responsáveis

a todos os que têm poder nesta matéria para que façam algo para

mas não tirei proveito: não há responsáveis. O velho ditado diz que

solucionar o problema. Em Portugal existem mais a destruir que a

quando a menina é feia, ninguém quer ser pai dela. Isto aconteceu

produzir mas para pagar é sempre o Zé Talocha e a Maria Corta e

em Julho de 2008, será que ainda ninguém viu que ainda não fo-

Cose.

António Pereira, R. Padre Silva Rego, Joane

vis

ite

-no s

PUBLICIDADE

ram repostos os rails de protecção? Leva-me a crer que alguém ser-

EDição digital publicada em http://issuu.com/reporterlocal


25 anos

CONFIE-NOS A MECÂNICA DO SEU AUTOMÓVEL

+

a cuidar do seu carro

2

(no edifício de Escapes J. Ribeiro)

Preenchimento do IRS


RL - edição de Abril  

Edição de Abril 2010

Advertisement