Page 23

“A Fundação Abrinq já beneficiou mais de 4 milhões de crianças e adolescentes em todo o Brasil, mas apesar de todos os avanços é evidente que ainda há muito o que ser feito.”

/Repensar o futuro de crianças e adolescentES é pra já/ Com 17 anos de atuação, a Fundação Abrinq é hoje uma adolescente que nasceu com o objetivo de promover a defesa dos direitos e o exercício da cidadania da infância e da juventude.

/Fundação Abrinq/

Esta semente foi plantada no final dos anos 1980, quando cerca de 350 mil crianças morriam por ano antes de completar cinco anos de idade, o índice de analfabetismo chegava a 3,5 milhões de crianças e adolescentes entre sete e 17 anos e o trabalho infantil atingia cerca de 20% das crianças entre 10 e 14 anos. Diante desta triste realidade, empresários do setor de brinquedos propõem parcerias com empresários de outros setores para mudar a situação. Pautada pela Convenção Internacional dos Direitos da Criança (ONU, 1989), Constituição Federal Brasileira (1988) e Estatuto da Criança e do Adolescente (1990), a Fundação tem seus projetos divididos em três eixos: Área de Direito à Educação, Área de Direito à Proteção Especial e Área de Direito à Proteção Integral. A Fundação Abrinq já beneficiou mais de 4 milhões de crianças e adolescentes em todo o Brasil, mas apesar de todos os avanços em relação aos direitos destes cidadãos é evidente que ainda há muito que ser feito. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mais de cinco milhões de jovens entre cinco e 17 anos trabalham no Brasil. Ainda há 15 milhões de jovens e adultos que não sabem ler e escrever, nove em cada dez crianças de 0 a 3 anos não freqüentam creches e 75% dos municípios não oferecem a

/044/

menor oportunidade de lazer e cultura. Ainda morrem mais de 100 mil crianças antes de completar um ano de idade, metade dos brasileiros ganha apenas dois salários mínimos e os 50% mais pobres ficam com apenas 14,5% da renda produzida*. No último ano a Fundação realizou o Pacto Setorial Imobiliário para erradicação do trabalho infantil na construção civil; foram realizados encontros com empresários para divulgação da Lei do Aprendiz e primeiro emprego; atuou fortemente no enfrentamento do abuso e da exploração sexual e comercial de crianças e adolescentes, além dos projetos permanentes da Fundação.

Abrinq e Aldeia: uma luz na periferia de São Paulo

Entre os diversos projetos desenvolvidos, um dos mais antigos é o Programa Nossas Crianças. Iniciado em 1993, o programa beneficia mais de 42 mil crianças e adolescentes em 23 municípios da Grande São Paulo, por meio da aproximação de pessoas e empresas – interessadas em apoiar a causa da infância – com organizações sociais que prestam atendimento para crianças e adolescentes de famílias de baixa renda. A Fundação Abrinq pretende expandir a atuação para 48 municípios.

Essas empresas podem utilizar a logomarca “Essa empresa apóia a Fundação Abrinq” e divulgar a doação para funcionários, fornecedores e clientes, de acordo com o valor da doação. Além disso, a Fundação Abrinq se encarrega de divulgá-la em seus materiais, como Relatório Anual e site. Além da adoção financeira, as empresas também podem ser doadoras de produtos e serviços, que podem ir desde a doação de produtos de higiene, alimentação, limpeza, material escolar, etc., passando pela consultoria pro bono em áreas como advocacia, ou até mesmo oferecendo suas instalações para treinamentos das organizações da Rede Nossa Crianças. Há empresas, como clínicas ou empresas médicas, que também promovem mutirões de saúde ou que disponibilizam vagas para atendimento das crianças. Um dos projetos selecionados pelo Programa Nossas Crianças para o recebimento de financiamento por um período de dois anos foi o Formação de Lideranças, da organização social “Aldeia do Futuro”. Com cerca de nove anos de parceria entre a Aldeia e a Abrinq, o projeto destaca a formação e atuação de 70 jovens entre 15 e 17 anos e meio, do bairro de Americanóplis, na Zona Sul da capital paulista. O projeto de Formação de Lideranças, da organização “Aldeia do Futuro”, financiado pela Fundação Abrinq, consiste em formar jovens em três frentes: Educação em Meio Ambiente, Recreação e Mediação de Leitura. Durante seis meses, os jovens participantes do projeto aprendem em sala de aula para, em seguida, transmitir as informações acumuladas em igrejas, escolas, creches,

Hoje, 246 empresas, de todos os portes e dos mais diversos ramos de atividade, adotam financeiramente crianças do Programa Nossas Crianças.

/045/

Think and Love - 1ª edição  

1ª edição da revista Think and Love

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you