Issuu on Google+

Aventuras à caminho da escola

Coach , coach, coach.... mas que barulhinho bom! Tava meio dormindo meio acordada ouvindo o barulhinho dos sapos, quando ouvir. -acorda Ana Júlia já está atrasada para a escola. - Sim Painho, Já estou indo. Ufa! essa foi por pouco, pensei! O som, não era os sapinhos coaxando na lagoa perto de casa, e sim o som do despertador do celular de meu pai que havia despertado, bem depois do antigo despertador, que também não me fizera acordar.

Acordei rápido vesti o uniforme, escovei os dentes com minha escovinha com cabo de girafinha, tomei meu café com queijo que veio da casa de vozinha. Ah! O meu cachorrinho Bob, também toma café junto comigo, mas é escondido de minha mãe. Peguei a minha mochila, dei um beijinho em minha mãe, e fui rápido para pegar a bicicleta e ir para minha escola, aí já fui logo gritando. - Painho o pneu da minha bicicleta furou, e agora como eu vou para a escola?


- Eu vou te levar até a sua escola, minha filha.

E como eu morava numa colina em um sítio perto da cidade, não iria me atrasar muito. Meu pai me colocou em sua moto e descemos a ladeira, atravessamos o pequeno riacho, onde eu vi uns peixinhos pulando nas corredeiras, como se também tivessem atrasados para alguma coisa. Eles balançavam o rabinho parecendo estar me cumprimentando. Vi também uma lebre com seus quatros filhinhos comendo grama e ensinando a eles como escolher as melhores relvas. Eles também ficaram me olhando e sacudindo os seus rabinhos de pompom aí eu também respondi: - Bom dia pra vocês também amiguinhos!


E já quase chegando na pista asfaltada, que ficava apenas à meia hora da escola, vi um casal de João de barro dando minhoquinhas para seus filhotes, todos eles saíram na porta da casinha e ficaram cantarolando pra mim - Bom dia pra vocês também. Quando saímos na pista asfaltada, o ônibus da minha escola estava vindo. - Papai, Papai... deixa eu ir de ônibus com meus outros coleguinhas! - Sim minha filha, vou pedir para o motorista parar o ônibus.

Ele me pôs dentro do ônibus, eu estava radiante de alegria, apesar de ser uma segundafeira, mas o dia havia começado muito alegre pra mim, despedi de meu pai, e já fui logo cumprimentando meus coleguinhas e contando o que vi no caminho, e logo todos chegamos à escola. Foi um início de semana inesquecível. Autor: Renilson Alves Pereira Essa história foi elaborada com a supervisão de meus filhos: Sabrina Alves de Jesus de 11 anos, Gabriel de 10 anos e Ana Júlia de 05 anos que serviu de protagonista para a história.


Aventuras a caminho da escola