Issuu on Google+


w

MACHADO, OSWALD E CHICO: com Ana Luiza Nobre

literatura e sociedade

1, 2 e 3 de fevereiro terça a quinta, 20 às 22h

com Marta Bogéa 5, 12, 19 e 26 de maio quintas-feiras, 20 às 22h R$ 170 | 20% de desconto para estudantes

As formas de convívio e experiência no am-

$ 170 | 20% de desconto para estudantes

biente das grandes cidades contemporâneas,

Ana Luiza Nobre é professora de Arquitetura, Urbanismo e História da Arte na PUC-RJ. Publicou Um modo de ser moderno: Lucio Costa e a crítica contemporânea (Cosac Naify, 2004) e Coletivo – 36 projetos de arquitetura paulista contemporânea (Cosac Naify, 2006). 1 de fevereiro Vertente construtiva: origens e desdobramentos. Werkbund, Bauhaus, Ulm: o mundo como projeto obras de Afonso Reidy, Lina Bo Bardi e Alexandre Wollner design gráfico renato cardilli

2 de fevereiro Concretismo, Neoconcretismo: campo de tensões. Estruturação e profissionalização do design no Brasil. Arquitetura, industrialização e projeto industrial 3 de fevereiro Brasília: síntese ou limite? Sergio Bernardes, Lina Bo Bardi, Aloísio Magalhães: racionalismo e experimentalismo. Indagações e ques-

cujos espaços vêm sendo transformados também por arquitetos e artistas em projetos e intervenções site-specific com exemplos dos anos 60 e 70 e de iniciativas mais recentes

com Maria Augusta Fonseca

específico na arte e lugar na arquitetura e seus desdobramentos a partir das décadas de 60 e 70 12 de maio Ocupações: os espaços de convívio e

Escritos em três diferentes séculos, Dom Casmurro, João Miramar e Leite derramado se aproximam pela fatura poética arrojada e pelo traço memorialista que acompanha personagens da elite, mas também pela originalidade com que mergulham no universo histórico-social contraditório e nas complexidades da vida brasileira Maria Augusta Fonseca é professora livre-docente do Depto. de Teoria Literária e Literatura Comparada da FFLCH-USP. É autora de Oswald de Andrade – Biografia (Globo, 2005) e Por que ler Oswald de Andrade (Globo, 2008), entre outros

10, 17, 24 e 31 de agosto quartas-feiras, 16 às 18h R$ 170| 20% de desconto para estudantes

uma nova dimensão do espaço público 19 de maio Montagens: do espaço recorrente das Bienais de Arte aos singulares das montagens

10 de agosto Arte literária e relações histórico-sociais: narrativas em primeira pessoa 17 de agosto Discurso sedutor e condutas de classe: D. Glória, Bentinho e Manduca 24 de agosto Expressão artística revolucionária e o Brasil de João Miramar 31 de agosto Mistura e mestiçagem: o universo transgressor de Leite derramado

tões contemporâneas

Centro Universitário Maria Antonia | r. maria antonia, 294 v. buarque sp | Informações (11) 3123-5213/5214 | cursosma@usp.br | www.usp.br/mariantonia

5 de maio Intervenções: conceitos de sítio

de Arte/Cidade, Teatro da Vertigem, Love´s House 26 de maio Tempo e memória na arte e arquitetura

Marta Bogéa é arquiteta e autora de Cidade errante: arquitetura em movimento (Senac, 2009). Foi responsável pelo projeto expográfico da 27ª e da 29ª Bienais Internacionais de São Paulo (2006 e 2010).

Centro Universitário Maria Antonia | r. maria antonia, 294 v. buarque sp | Informações | (11) 3123-5213/5214 | cursosma@usp.br | www.usp.br/mariantonia

design gráfico renato cardilli obra área de queda, raul mourão, 2002, love’s house, rio de janeiro. fotografia: beto felício

A experiência moderna no Brasil pelo viés da arquitetura e do design que, em sua formulação construtiva, mobilizou o meio artístico e intelectual brasileiro nas décadas de 1950 e 1960, e sua importância para o universo cultural contemporâneo

Centro Universitário Maria Antonia | r. maria antonia, 294 v. buarque sp | Informações | (11) 3123-5213/5214 | cursosma@usp.br | www.usp.br/mariantonia


2

14

4

8


20

21

9



A linha, o fio condutor que permeia as poéticas