Page 1

Ataque em Cabul. EUA acusam Paquistão WASHIGTON O almirante Mike Mullen, chefe do estado-maior da armada dos EUA, acusou ontem os serviços secretos do Paquistão de terem apoiado o grupo terrorista Haqqani, que realizou o ataque contra a embaixada dos EUA em Cabul a semana passada, onde morreram 25 pessoas. O primeiro-ministro paquistanês, Sayed Yasuf Raza Gilani, negou a ligação ao grupo.

Passos garante operações de paz Deputado norueguês multado por sexo OSLO Um deputado da direita populista norueguesa tornou-se ontem o primeiro a ser condenado a pagar uma multa por compra de serviços sexuais no estrangeiro, prática proibida na Noruega desde 2009. Baard Hoksrud, casado e pai de dois filhos, vai ter depagar25milcoroas(3500euros).

Richard Branson, Yao Ming e Zhang Yue, do Broad Ind. Group

NOVA IORQUE O primeiro-minis-

tro afirmou ontem que Portugal vai empenhar-se, na medida das possibilidades do país, em “manter uma participação activa nas operações de paz”. Passos Coelho discursou no debate do Conselho de Segurança da ONU sobre “Manutenção de Paz e Segurança – Prevenção de Conflitos” e defendeu que “a diplomacia preventiva” é essencial.

GETTY IMAGES

Ýao Ming e Richard Branson defendem tubarões do apetite voraz dos chineses O apelo foi lançado aos 30 chineses mais ricos e influentes: “Parem de comer sopa de tubarão” O patrão da Virgin, Richard Branson, e a antiga estrela chinesa de basquetebol Yao Ming saíram em defesa dos tubarões, cujas barbatanas continuam a ser um dos pratos mais apreciados pela elite chinesa. Ming, que se reformou recentemente depois de longos anos na NBA, regressou ao país com um argumento de peso: todas as semanas são capturados 1,5 milhões de tubarões que têm como destino final pratos requintados de luxuosos restaurantes de Xangai e Hong Kong. Os especialistas avisam que algumas espécies estão à beira da extinção. Branson e Ming apareceram juntos esta semana numa conferência em Xangai, com o patrocínio da associação ambientalista WildAid. O antigo jogador dos Houston Rockets, de 2,29 metros, foi crítico em relação

aos hábitos do seu povo e diz que ele próprio gostava muito do prato, mas deixou de consumir sopa de tubarão em 2006. “Quando existe procura, existe compra, e existe a caça”, explicou, apelando a uma plateia composta por 30 pessoas, consideradas as mais ricas e influentes da China. Branson foi ainda mais longe nas palavras. “Tem havido um aumento em massa da procura de sopa de barbatana de tubarão”, e isso tem a ver com o maior poder de compra das populações, diz Branson. “Na China as pessoas estão a ficar mais ricas, por isso conseguem pagar para consumir mais sopa de tubarão. E por isso tem de haver uma luta maior para combater esta tendência.” Segundo a WildAid, todos os anos são mortos mais de 70 milhões de tubarões para elaboração de pratos chineses. Normalmente, os pescadores só aproveitam as barbatanas, atirando depois os animas ao mar, onde acabam por morrer em sofri-

mento. As barbatanas de tubarão são vendidas a cerca de 280 euros por quilo. Um prato da sua sopa custa, em média, 80 euros. Há pouco tempo, a Califórnia baniu o consumo de tubarão no seu território, bem como qualquer actividade ligada à venda ou compra deste produto. Por todo o mundo, cerca de 20 países já introduziram restrições à pesca e ao consumo de tubarão. Os ambientalistas aplaudem as medidas, mas relembram que a maior dimensão do problema está no continente asiático – 95% da carne de tubarão é consumida na China, onde a prática é permitida. A solução terá de passar por medidas ainda mais restritivas ou, segundo Branson, pela abolição total do prato típico chinês. O dono da Virgin já começou a fazê-lo e diz que na sua companhia área não é transportada carne de tubarão. “Estamos a tentar que outras empresas tomem a mesma decisão”, disse Branson. M.V. C.

Em resumo

Protestos recebem Papa na Alemanha PEDOFILIA O papa Bento XVI afirmou ontem, no começo de uma visita de quatro dias à Alemanha, seu país natal, compreender quem abandona a Igreja Católica por causa dos escândalos de pedofilia e perceber que se sintam “escandalizados por estes crimes”. Nos últimos dois anos, 181 pessoas pediram para sair da Igreja, suplantando pela primeira vez o número de baptizados e aqueles que deixaram as igrejas protestantes. PARLAMENTO No seu discurso no Bundestag, câmara baixa do parlamento alemão, Bento XVI defendeu que o principal critério para os políticos “não pode ser o sucesso, nem os bens materiais, mas sim a vontade de servir a justiça e de recusar o predomínio da injustiça”. MISSA NO ESTÁDIO O papa, que ontem à noite celebrou missa no estádio que Adolf Hitler mandou erigir para os Jogos Olímpicos de 1936, lembrou que o regime nazi se apoderou do Estado “para se servir dele como instrumento de destruição do próprio direito”. PRÁTICAS SEXUAIS Milhares de pessoas protestaram ontem no centro de Berlim contra a visita oficial de Bento XVI devido à política do Vaticano em relação a práticas sexuais. A manifestação foi convocada por 70 organizações.

Primeira condenação em França por usar véu Duas francesas vão ter de pagar uma multa por taparem o rosto A França aplicou ontem as primeiras multas a duas mulheres muçulmanas por usarem o niqab, o véu que lhes tapa o rosto e não permite a sua identificação. É a primeira vez que um caso é julgado ao abrigo da polémica lei do véu, que entrou em vigor em Abril e impede as mulheres de se cobrirem completamente. Hind Ahmas terá de pagar uma multa de 120 euros e Najate Nait Ali deverá pagar 80 euros. São duas das 91 mulheres com véu que foram identificadas pela polícia desde a entrada em vigor da lei. As mulheres, activistas antilegislação, foram identificadas a 5 de Maio, frente à Câmara de Meaux, na área da grande Paris, quando procuravam entregar um bolo de aniversário ao presidente da câmara, Jean-François Cope, um dos principais apoiantes da lei. Várias mulheres saíram ontem às ruas em França completamente tapadas em solidariedade com as condenadas e para protestar contra a polémica legislação implementada pelo governo de Nicolas Sarkozy. As activistas pretendem agora recorrer da sentença até à última instância para tentar revogar nos tribunais uma lei que consideram atentatória da liberdade de expressão e discriminatória, por visar as mulheres muçulmanas. De acordo com o advogado da associação Não toque na minha Constituição, Yann Gré, que defende as mulheres, em caso de confirmação da pena estão dispostos a ir até ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos em Estrasburgo. O caso está a atrair grande atenção internacional, especialmente em países como Bélgica, Itália, Dinamarca, Áustria e Suíça, onde há planos para implementar legislação similar. Em França, onde reside a maior comunidade muçulmana da Europa (entre 4 e 6 milhões), no dia 16 entrou em vigor outra lei controversa, que proíbe realizar a principal oração muçulmana das sextas-feiras nas ruas. Renata Hostinská

—23 Setembro 2011

13

9  

Passosgarante operaçõesdepaz PEDOFILIA OpapaBentoXVI afirmouontem,no começodeumavisitade quatrodiasàAlemanha, seupaísnatal, compreenderquem...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you