Issuu on Google+


CUBISMO

Foi um movimento artístico que surgiu no século XX entre os anos 1907 e 1914, no final da Belle Époque que foi uma época de muita riqueza e desenvolvimento tecnológico e científico e prestígio das artes e da cultura. Usava formas geométricas representadas, na maioria das vezes, por cubos e cilindros para expressar suas ideias onde um único objeto pode ser visto por diferentes ângulos ao mesmo tempo, de forma a se diferenciar dos padrões estéticos considerados como arte primados pelos europeus desde o renascimento, este movimento já não primava pela perfeição das formas na busca da imagem realista da natureza e tem forte influência nas esculturas africanas e também pelas últimas pinturas do pós-impressionista do francês Paul Cézanne, que retratava a natureza através de formas bem próximas as geométricas. O cubismo se divide em duas fases: Cubismo Analítico - (1909) caracterizado pela desestruturação da obra em todos os seus elementos. Decompondo a obra em partes, o artista registra todos os seus elementos em planos sucessivos e superpostos, procurando a visão total da figura, examinado-a em todos os ângulos no mesmo instante, através da fragmentação dela. Essa fragmentação dos seres foi tão grande, que se tornou impossível o reconhecimento de qualquer figura nas pinturas cubistas. A cor se reduz aos tons de castanho, cinza e bege. Os ismos da Arte - Renan dos Santos Silva 109162232

1


Cubismo Sintético - (1911) reagindo à excessiva fragmentação dos objetos e à destruição de sua estrutura. Basicamente, essa tendência procurou tornar as figuras novamente reconhecíveis. Também chamado de Colagem porque introduz letras, palavras, números, pedaços de madeira, vidro, metal e até objetos inteiros nas pinturas. Essa inovação pode ser explicada pela intenção dos artistas em criar efeitos plásticos e de ultrapassar os limites das sensações visuais que a pintura sugere, despertando também no observador as sensações táteis. Na Europa está o maior número de artistas que se destacaram nesta manifestação artística, entre eles os mais conhecidos além dos precursores Pablo Picasso e Braque são: Albert Gleizes, Fernand Léger, Francis Picabia, Marcel Duchamp, Robert Delaunay, Roger de La Fresnaye, e Juan Gris. No Brasil foram influenciados pelo movimento e apresentaram características do cubismo em suas obras os seguintes artistas : Tarsila do Amaral, Anita Malfatti e Di Cavalcanti. O fim do movimento cubista deve-se à eclosão da Primeira Guerra Mundial, em agosto de 1914. Com efeito, uma boa parte dos artistas desse movimento foi recrutada e partiu para o campo de batalha, extinguindo o Cubismo, enquanto movimento. Todavia, o estilo permaneceu vivo nas mãos de outros pintores, exercendo forte influência sobre a arte moderna como um todo. Por suas características abstratas, foi bastante adaptável, inspirando movimentos como o futurismo, o orfismo, o purismo e o vorticismo.

2

Os ismos da Arte - Renan dos Santos Silva 109162232


DADAÍSMO

O Dadaísmo foi um movimento originado em 1915, em plena 1ª Guerra Mundial, em Zurique (cidade que conservou-se neutra com relação à guerra). O movimento, que negava todas as tradições sociais e artísticas, tinha como base um anarquismo niilista (Negação de qualquer crença. / Sistema que tinha partidários na Rússia do séc. XIX, e cujo objetivo era a destruição radical das estruturas sociais, sem visar a nenhum estado definitivo.) e o slogan de Bakunin: “a destruição também é criação”. Contrários à burguesia e ao naturalismo, identificado como “a penetração psicológica dos motivos do burguês”, buscavam a destruição da arte acadêmica e tinham grande admiração pela arte abstrata. O acaso era extremamente valorizado pelos dadaístas, bem como o absurdo. Tinham tendências claramente anti-racionais e irônicas. Sua proposta é que a arte ficasse solta das amarras racionalistas e fosse apenas o resultado do automatismo psíquico, selecionando e combinando elementos por acaso. Sendo a negação total da cultura, o Dadaísmo defende o absurdo, a incoerência, a desordem, o caos. Politicamente , firma-se como um protesto contra uma civilização que não conseguiria evitar a guerra. Os Principais artistas do movimento foram André Breton, Philippe Soupault, Tristan Tzara, Marcel Duchamp, Hans Arp, Os ismos da Arte - Renan dos Santos Silva 109162232

3


Julius Evola, Francis Picabia, Max Ernst, Man Ray, Kurt Schwitters, Raoul Hausmann, Guillaume Apollinaire, Hugo Ball, Theo van Doesburg, Johannes Baader, Arthur Cravan, Jean Crotti, George Grosz, Emmy Hennings, Richard Huelsenbeck, Marcel Janco, Clement Pansaers, Hans Richter, Sophie Täuber, Beatrice Wood, Hannah Hoch, Vicente Huidobro. O dadaísmo forneceu grande inspiração para movimentos posteriores, como o Surrealismo, derivado dele, a Arte Conceitual, o Expressionismo Abstrato e a Pop Art americana.

4

Os ismos da Arte - Renan dos Santos Silva 109162232


FUTURISMO

O futurismo é um movimento artístico e literário, que surgiu oficialmente em 20 de fevereiro de 1909 com a publicação do Manifesto Futurista, pelo poeta italiano Filippo Marinetti, no jornal francês Le Figaro. Os adeptos do movimento rejeitavam o moralismo e o passado, e suas obras baseavam-se fortemente no movimento, na velocidade, na vida moderna, na violência, nas máquinas e na quebra com a arte do passado eram as principais metas do futurismo. Desenvolveu-se em todas as artes e influenciou diversos artistas que depois fundaram outros movimentos modernistas. A forte politização do movimento é outro traço marcante e distintivo da arte futurista. A base ideológica do movimento é anticlerical - revelam os manifestos políticos lançados em 1909, 1911, 1913 e 1918 - e, em seguida, anti-socialista, pela defesa da modernização da indústria e da agricultura, do irredentismo e de uma política exterior agressiva. As afinidades com o fascismo, entrevistas pelo nacionalismo e pela exaltação do ímpeto e da ação, se concretizam quando diversos membros do grupo aderem ao partido fascista. Em Futurismo e Fascismo (1924), Marinetti reúne discursos e relatos em que apresenta o futurismo como parceiro e precursor do fascismo. O novo é uma característica tão forte do movimento, que este chegou a defender a destruição de museus e de cidades antigas. Considerava a guerra como forma de higienizar o mundo Os ismos da Arte - Renan dos Santos Silva 109162232

5


A pintura futurista recebeu influência do cubismo e do abstracionismo, mas utilizava-se de cores vivas e contrastes e a sobreposição das imagens com a pretensão de dar a ideia de dinamismo. Na literatura, as principais manifestações ocorreram na poesia italiana, que se dedicava às causas políticas. A linguagem é espontânea e as frases são fragmentadas para exprimir a ideia de velocidade. Umberto Boccioni (1882 - 1916), Carlo Carrà (1881 - 1966), Luigi Russolo (1885 - 1947), Giacomo Balla (1871 - 1958) e Gino Severini (1883 - 1966) estão entre os principais nomes do primeiro futurismo, que conhece um refluxo em 1916, com a morte de Boccioni e com a crise social e política instaurada pela Primeira Guerra Mundial (1914 - 1918). Um segundo futurismo tem lugar, sem a unidade criadora e a força do momento originário, apresentando Fortunato Depero (1892 1960) como protagonista.

6

Os ismos da Arte - Renan dos Santos Silva 109162232


SURREALISMO

O Surrealismo foi um movimento artístico e literário surgido primeiramente em Paris dos anos 20, inserido no contexto das vanguardas que viriam a definir o modernismo no período entre as duas Grandes Guerras Mundiais. Reúne artistas anteriormente ligados ao Dadaísmo ganhando dimensão internacional. Fortemente influenciado pelas teorias psicanalíticas de Sigmund Freud (1856-1939), mas também pelo Marxismo, o surrealismo enfatiza o papel do inconsciente na atividade criativa em todas às vezes que a imaginação se manifesta livremente, sem o freio do espírito crítico, o que vale é o impulso psíquico. Os surrealistas deixam o mundo real para penetrarem no irreal, pois a emoção mais profunda do ser tem todas as possibilidades de se expressar apenas com a aproximação do fantástico, no ponto onde a razão humana perde o controle. O Surrealismo apresenta relações com o Futurismo e o Dadaísmo. No entanto, se os dadaístas propunham apenas a destruição, os surrealistas pregavam a destruição da sociedade em que viviam e a criação de uma nova, a ser organizada em outras bases. Os surrealistas pretendiam, dessa forma, atingir uma outra realidade, situada no plano do subconsciente e do inconsciente. A fantasia, os estados de tristeza e melancolia exerceram grande atração sobre os surrealistas, e nesse aspecto eles se aproximam dos românticos, embora sejam muito mais radicais. Os ismos da Arte - Renan dos Santos Silva 109162232

7


Um dos seus objetivos foi produzir uma arte que, segundo o movimento, estava sendo destruída pelo racionalismo. O poeta e crítico André Breton (1896-1966) é o principal líder e mentor deste movimento. Os principais artistas do futurismo são Salvador Dali e Joan Miró.

8

Os ismos da Arte - Renan dos Santos Silva 109162232


ABSTRACIONISMO

A arte abstrata ou abstracionismo é geralmente entendido como uma forma de arte (especialmente nas artes visuais) que não representa objetos próprios da nossa realidade concreta exterior. Ao invés disso, usa as relações formais entre cores, linhas e superfícies para compor a realidade da obra, de uma maneira “não representacional”. Surge a partir das experiências das vanguardas européias, que recusam a herança renascentista das academias de arte, em outras palavras, a estética greco-romana. A expressão também pode ser usada para se referir especificamente à arte produzida no início do século XX por determinados movimentos e escolas que genericamente encaixam-se na arte moderna. No começo do século XX, antes que os artistas atingissem a abstração absoluta, o termo foi utilizado para se referir a escolas como o cubismo e o futurismo. O abstracionismo dividese em duas tendências: abstracionismo lírico; abstracionismo geométrico. O abstracionismo lírico aparece como uma reação a Primeira Guerra Mundial. Para compor uma arte imaginária, inspirava-se no instinto, no inconsciente e na intuição. As características da arte não figurativa são: o jogo de formas orgânicas, as cores vibrantes e a linha de contorno. A pretensão do abstracionismo lírico é transformar manchas de cor e linhas em ideais e simbolismos Os ismos da Arte - Renan dos Santos Silva 109162232

9


subjetivos. O abstracionismo geométrico recebeu influência do cubismo e do futurismo. Ao contrário do abstracionismo lírico, foca a racionalização que depende da análise intelectual e científica. No Brasil, o abstracionismo teve suas primeiras representações na década de 40. Principais autores Francis Bacon (artista), Paul Klee, Antón Lamazares, Piet Mondrian, Victor Vasarely, Wassily Kandinsky

10

Os ismos da Arte - Renan dos Santos Silva 109162232


Bibliografia

Cubismo http://www.suapesquisa.com/artesliteratura/cubismo/ http://www.pitoresco.com.br/art_data/cubismo/ http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_ ic/index.cfm?fuseaction=termos_texto&cd_verbete=3781 DadaĂ­smo http://www.pitoresco.com.br/art_data/dadaismo/index.htm http://pt.wikipedia.org/wiki/Dada%C3%ADsmo Futurismo http://pt.wikipedia.org/wiki/Futurismo http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_ ic/index.cfm?fuseaction=termos_texto&cd_verbete=358 Surrealismo http://www.historiadaarte.com.br/surrealismo.html http://pt.wikipedia.org/wiki/Surrealismo Abstracionismo http://www.historiadaarte.com.br/abstracionismo.html http://pt.wikipedia.org/wiki/Categoria:Pintores_do_abstracionismo http://www.mundoeducacao.com.br/artes/o-abstracionismo. htm

Os ismos da Arte - Renan dos Santos Silva 109162232

1


Os ismos da Arte