Page 1

Revitalização do

Terminal Turístico Religioso em Tambaú -SP

Renan Costa Bueno


Centro Universitário Barão de Mauá curso de arquitetura e urbanismo

aluno:

Renan Costa Bueno código:1187320

orientação:

Prof.: Vera Lucia Blat Migliorini


Nos dias atuais, educar um filho não é uma tarefa fácil... A minha dedicatória vai para a responsável pela minha educação desde o início... Foi minha primeira mestra: a professora do certo e do errado, do aprender a caminhar, do falar e até da escrita do próprio nome antes mesmo de conhecermos o que era uma carteira de escola. Cobrou-me, disciplinou-me, ajudou-me. Por quantas vezes não reclamei de ter que fazer a lição de casa quando queria jogar videogame, assistir "Sessão da tarde" ou brincar de "Lego" assistindo Castelo Ra-Tim-um? É... dei muito trabalho, não é mesmo?! Você me acompanhou em momentos alegres, momentos de realização. Meu primeiro dia de aula, meu primeiro dente que caiu, meu primeiro ralado no joelho, minha primeira formatura... E o vestibular? Você, sempre presente! Auxiliou-me no preparo, me deu força nos dias de prova e, é claro, festejou comigo o tão sonhado resultado. Mas também tivemos os momentos difíceis: as primeiras perdas familiares, ás quais foram rápidas e doloridas, infelizmente a vida brinca conosco, e nem sempre quem gostaria de estar vendo essa dedicatória, esta entre nós no dia de hoje, a primeira nota baixa (ou primeiras!!), aquele trabalho que levei madrugadas pra terminar e você me ajudando nos detalhes, os dias em que cheguei cansado, triste... É... depois de tudo isso cheguei aqui. Estou hoje redigindo a dedicatória do meu Trabalho Final de Graduação.... Mas saiba que não há graduação, mestrado, doutorado ou afim que possa ensinar os valores e princípios que você, minha mãe, me deixou como herança. Essa lição pode ter certeza, nunca será esquecida. Dedido este trabalho á você, minha mãe, que sempre fez de tudo por mim, e a vocês Vó Té, Pai e Vô Arthur, que independente de onde estejam ai em cima, sei que estão felizes por essa minha conquista. “Aprendi... Que vai demorar muito para me transformar na pessoa que quero ser, e devo ter paciência. Mas, aprendi também, que posso ir além dos limites que eu próprio coloquei, apesar dos meus erros.” Charles Chaplin Obrigado por tudo!!!


FAMILIA Foram tantos momentos difíceis que me levaram a desistir de muitas coisas, mas sempre algum de vocês estava ali me falando: Força menino, você ainda é novo! Eu erguia a cabeça, e seguia rumo a meus sonhos, fui conquistando espaços, ganhando coragem, e enfrentando grandes desafios, mas eu nunca teria conseguido passar por tudo isso se eu não tivesse comigo minhas grandes referencias, vocês!Obrigado a todos da minha família: padrinhos, madrinhas, tios, tias, primos, primas.

PROFESSORES Meu agradecimento por repartir seus conhecimentos, colocando em minhas mãos as ferramentas com asas quais abri novos horizontes, rumo à satisfação plena dos ideais humanos e profissionais. Muito obrigado queridos professores do curso de Arquitetura e Urbanismo, Centro Universitário Barão de Mauá, em especial a minha orientadora Vera Lucia Blat, e aos professores Henrique Telles Vichneswki, Ana Lúcia Ferraz, Ana Paula Farah,.

AMIGOS A vocês que de alguma forma, contribuirão para a apresentação deste trabalho. Maria Aparecida Bittar, Mirabelle Cunha Maria Gabriela Bagatta, Eliane Lacerda (Tiaaa...), Flavia Uliana, José Eli Costa, Paulo Rogério Rocco, Daniel (irmão), Marcelo Felizardo, Camila Faria

AMIGOS PROFISSIONAIS . Aos meus amigos arquitetos Elio Mengoni,Cristiano Ribeiro, Marina Castanheira, Priscila Santos, Luiza Rocha, Gabriel Dallalio, Anderson Melo, Leila Carlos, Giulianna Matiazzi, Yure Maciel, Vanessa Trigo


TABELA 1.1: Ranking Mundial de países mais visitados. Página : 5 TABELA 1.2: Motivos para viagens domésticas no Brasil Página: 8


GRAFICO 2.1: Participação da Agropecuária no Total do Valor Econômico Página: 21. GRAFICO 2.2: Participação da Industria no Total do Valor Econômico Página: 22.

GRAFICO 2.3: Quantidade de industrias cerâmicas divididas por tipos de produtos Página: 25.


MAPA 2.1: Mapa da Meso Região de Campinas com destaque para a cidade de Tambaú Página: 13 MAPA 2.2: Mapa da Região Administrativa de São João da boa Vista com destaque para a cidade de Tambaú Página: 14 MAPA 2.3: Mapa do sistema viário estadual com destaque para as vias de acesso á cidade de Tambaú Página: 15 MAPA 2.4: Mapa do perímetro urbano Página: 16 MAPA 2.5: Mapa de uso e ocupação do solo na cidade de Tambaú Página: 19 MAPA 2.6: Mapa do Zoneamento Urbano na cidade de Tambaú Página: 20 MAPA 2.7: Mapa de uso e ocupação das terras na cidade de Tambaú Página: 23 MAPA 2.8: Mapa de localização das unidades cerâmicas localizadas na cidade de Tambaú Página: 24 .


Figura 1.1: A cidade e a bandeira de Tambaú Página: 10 Figura 2.1: Localização de Tambaú em São Paulo e no Brasil Página: 12 Figura 2.2: Área Urbanizável e Vazios Urbanos Página:18 Figura 2.3: Arquiteto Eladio Dieste: Fachada da capela de Cristo Obrero Página: 26 Figura 2.4: Arquiteto Eladio Dieste: Fachada da capela de Cristo Obrero Página: 27 Figura 2.5: Arquiteto Eladio Dieste: Assentamento de Tijolos na fachada Página: 27 Figura 2.6: Arquiteto Eladio Dieste: Flexibilidade e volumetria nas paredes de vedação Página: 27 Figura 2.7: Arquiteto Eladio Dieste: Vãos entre os tijolos para iluminação Página: 28 Figura 2.8: Arquiteto Eladio Dieste: Interior da torre sineira com a escadaria em tijolos Página: 28 Figura 2.9: Arquiteto Eladio Dieste: Torre sineira com os grandes vãos Página: 28 Figura 2.10: Arquiteto Eladio Dieste: Iluminação entre os tijolos Página: 29 Figura 2.11: Arquiteto Eladio Dieste: Iluminação entre os vãos Página: 29 Figura 2.12: Arquiteto Eladio Dieste: Altar mor com os focos de iluminação natural Página: 29 Figura 2.13: Arquiteto Eladio Dieste:Planta baixa da capela de Cristo Obrero Página: 30 Figura 2.14: Arquiteto Eladio Dieste: Cobertura do Terminal Rodoviário com os dois pilares de apoio Página: 31 Figura 2.15: Arquiteto Eladio Dieste: Vista geral de toda cobertura do Terminal Página: 31

Figura 2.16 : Arquiteto Eladio Dieste: Detalhes construtivos das abóbadas em tijolos Página: 31 Figura 2.17: Arquiteto Eladio Dieste: Vista aproximada das abóbadas Página: 31 Figura 2.18: Design Nadia Saad: Esculturas em manilha Página:32 Figura 2.19: Design Nadia Saad: Esculturas em manilha Página: 32 Figura 2.20: Design Nadia Saad: Esculturas em manilhas Página: 32 Figura 2.21: Design Nadia Saad: modelos de luminárias baixas em manilha Página: 33 Figura 2.22: Design Nadia Saad: modelos de luminárias baixas em manilha Página: 33 Figura 2.23: Design Nadia Saad: modelos de luminárias baixas em manilhas Página: 33 Figura 2.24: Praça Padre Donizetti Página: 37 Figura 2.25: Santuário Nossa Senhora Aparecida Página: 38 Figura 2.26: Casa Museu Pe.Donizetti Página: 38 Figura 2.27: Chafarizes e Bebedouros Página: 39 Figura 2.28: Memorial Pe.Donizetti Página: 39 Figura 2.29: Escola Alfredo Guedes Página: 40 Figura 2.30: Barraquinhas da romaria Página: 40 Figura 2.31: Asilo São Vicente, obra Pe. Donizetti Página: 41 Figura 2.32: Casa da Criança Página: 41


Figura 2.33: Estátua de bronze de Pe.Donizetti Página: 42 Figura 2.34: Cemitério Municipal Página: 42 Figura 2.35: Mausoléu Pe.Donizetti Página:43 Figura 2.36: Réplica da igreja de São José Página: 43 Figura 2.37: Terminal Turístico Religioso Página: 44 Figura 2.38: Igreja de São Sebastião Página: 44 Figura 2.39: Igreja do Meio Página: 45 Figura 2.40: Logo do Caminho da Fé Página: 45 Figura 2.41: Peregrinos durante o Caminho da Fé Página: 46 Figura 2.42: A trilha passando no meio do canavial Página: 46 Figura 2.43: Ciclistas durante o Caminho da Fé Página: 46 Figura 2.44:Mapa do Caminho da Fé Página: 47 Figura 2.45: Distrito Industrial Página: 48 Figura 2.46: Matriz Santo Antonio Página: 48 Figura 2.47:Praça Santo Antonio Página: 49 Figura 2.48: Horto Florestal- Verde Tambaú Página: 49 Figura 2.49: Biblioteca Municipal Página: 50 Figura 2.50: Museu Histórico Municipal Página: 50 Figura 2.52: Parque Ecológico Municipal Página: 51 Figura 2.53: Cascatas do Rebojo Página: 52 Figura 2.54: Romeiros em frente ao santuário Nossa Senhora Aparecida Página: 53 Figura 2.55: Chegada da Marcha da Fé no Terminal Turístico Religioso Página: 53

Figura 2.56: Saída da Marcha da Fé de frente ao Santuário Página: 54 Figura 2.57: Vista da missa campal após a Marcha da Fé Página: 54 Figura 2.58: Trajeto da Marcha da Fé Página: 55 Figura 2.59: Pontos de interesse ao turista Página: 56 Figura 2.60: Rota da Marcha da Fé Página: 58 Figura 2.61: Rota da Marcha da Fé Página: 59 Figura 2.62: Rota da Marcha da Fé Página: 60 Figura 2.63: Localização dos vazios urbanos no trajeto da Marcha da Fé Página: 61 Figura 2.64: Avião lançando as pétalas de rosa Página: 62 Figura 2.65: Avião lançando as pétalas de rosa Página: 62 Figura 2.66: Helicóptero auxilia no lançamento das pétalas Página: 63 Figura 2.67:Milhares de fiéis aguardam a chuva de rosas Página: 63 Figura 2.68: Fiéis assistem a missa em comemoração ao nascimento do padre Página: 64 Figura 2.69: Palhaços da folia de reis Página: 64 Figura 2.70:Caminhonete toda decorada com as imagens Página: 65 Figura 2.71: Fiéis durante a Marcha da Fé Página: 65 Figura 2.72: Motoqueiros durante a trilha Página: 66 Figura 2.73: Peregrinos se preparando para partir no Caminho da Fé Página: 66 Figura 3.1: Barraca de café da manha Página: 69 Figura 3.2: Romeiros tomando café da manha Página: 69 Figura 3.3: Arquiteto Mario Botta:Planta do Centro de Recepção Página: 74 Figura 3.4:Arquiteto Mario Botta:Maquete volumétrica do Centro de Recepção Página: 75


Figura 3.5: Arquiteto Mario Botta:Maquete Volumétrica Centro de Recepção Página: 75 Figura 3.6: Arquiteto Renzo Piano: Fachada da igreja de São Pio Página: 76 Figura 3.7: Arquiteto Renzo Piano: Implantação da igreja de São Pio Página:77 Figura 3.8: Arquiteto Renzo Piano: Maquete Volumétrica da igreja de São Pio Página: 78 Figura 3.9: Arquiteto Renzo Piano: Telhado da igreja de São Pio Página: 78 Figura 3.10: Arquiteto Renzo Piano: Vista aérea da igreja em dias de peregrinação Página: 79 Figura 3.11: Arquiteto Renzo Piano: Praça Seca com os tanques de água Página: 79 Figura 3.12: Arquiteto Renzo Piano: Interior da igreja com os arcos de pedra Página: 79 Figura 3.13: Arquiteto Renzo Piano: Cortes da igreja de São Pio Página: 80 Figura 3.14: Modelo de aplicação da pele cerâmica Página: 81 Figura 3.15: Vista geral da residência dos padres claretianos Página: 82 Figura 3.16: Forno de uma cerâmica tambauense Página: 82 Figura 3.17: Residência dos padres claretianos Página: 82 Figura 3.18: Rotas dos viajantes que chegam a Tambaú Página: 83 Figura 3.19: Mapa de estudo de localização das bases de apoio ao turista Página: 84 Figura 3.20: Avenida de acesso ao Terminal Turístico Religioso de Tambaú Página: 86 Figura 3.21: Terreno do Terminal Turístico Religioso de Tambaú Página: 87 Figura 3.22: Talude no terreno do Terminal Turístico Religioso de Tambaú Página: 87 Figura 3.23: Estacionamento em frente ao Terminal Página: 87

Figura 3.24: Paisagem no entrono do terreno do Terminal Página: 87 Figura 3.25: Entrada principal do Terminal com o cruzeiro ao fundo Página: 87 Figura 3.26: Réplica da Igreja de São José e o Cruzeiro Página:88 Figura 3.27: Marco zero do caminho da fé Página: 88 Figura 3.28: Vista do terreno de cima da escadaria da réplica Página: 88 Figura 3.29: Entradas auxiliares ao redor do terreno Página: 88 Figura 3.30: Imagem de referencia de Pe.Donizetti Página: 92 Figura 3.31: Primeiro Plano de Massa Página: 92 Figura 3.32: Plano de Massa com escala, proporção e simetria Página: 92 Figura 3.33: Arquiteto Kazuio Sejima:Serpentine Gallery Pavilon Página: 93 Figura 3.34: Arquiteto Le Corbusier: Parede da Catedral de Notre Dame Página: 93 Figura 3.35: Arquiteto Bernard Tschumi: Parc de la Villete Página: 93 Figura 3.36: Perspectivas do projeto (estudo) Página: 94 Figura 3.37: Perspectivas do projeto (estudo) Página: 94 Figura 3.38: Perspectivas do projeto (estudo) Página: 94 Figura 3.39: Perspectivas do projeto (estudo) Página: 95 Figura 3.40: Perspectivas do projeto (estudo) Página: 95 Figura 3.41: Perspectivas do projeto (estudo) Página: 95 Figura 3.42: Perspectivas do projeto (estudo) Página: 96 Figura 3.43: Perspectivas do projeto (estudo) Página: 96 Figura 3.44: Perspectivas do projeto (estudo) Página: 96 Figura 3.45: Perspectivas do projeto (estudo) Página: 96


(Sumário) Percurso 2- TAMBAÚ Ponto de Partida

INTRODUÇÃO

pág.01

2.1- Aspectos Geo-Fisicos Municipais 2.2- Breve Histórico do município 2.3- Uso do Solo Urbano 2.4- Economia local. 2.4.1- Materialidade dentro da economia local 2.5- Protagonista do surgimento do Turismo Religioso em Tambaú 2.6- Espaço para Turismo no município 2.7- Memórias como atrativos Turísticos. 2.8- O maior espetáculo acontece em Tambaú. 2.8.1- Marcha da Fé 2.8.1.1- Acessibilidade 2.8.1.2- Vazios Urbanos 2.8.2- Chuva de Rosas 2.9- Calendário Festivo Municipal

pág.11 Percurso 3Percurso 1- TURISMO 1.1- Turismo no Mundo 1.2-Turismo no Brasil 1.3-Turismo como ato Religioso 1.3.1- Turismo Religioso no Mundo 1.3.2- Turismo Religioso no Brasil 1.3.3- Turismo Religioso em Tambaú-SP

pág.02

PROJETO DE REVITALIZAÇÃO 3.1- Problemática 3.2- O Plano Diretor e o Turismo Religioso 3.3- Justificativa 3.4- A economia Local 3.5- Utilização dos vazios urbanos 3.6- Projeto de Revitalização 3.7-Primeiros Estudos

pág.67


Ponto de Chegada Considerações Finais

Auxilio para os Percursos

pág.97 Referências Biográficas

pág.99 Vale a pena perder-se nos percursos novamente Anexos

pág.105


(Introdução)

O ponto, a linha, um percurso sob um plano. Uma grande sequência de pontos, localizados estrategicamente, se interligam entre si e formam uma linha que consiste num percurso, este em cima de um plano pode formar um movimento em circulo, ou retilíneo, o qual começa e termina no mesmo ponto trazendo momentos de fé, comunhão e oração. Desde quando surgiu o primeiro homem, surgiu também o percurso. Este era feito para alimentação, o qual a procura da caça caminhava longas distâncias. O mundo não parou, e depois de vários séculos a miscigenação começou a contribuir para este percurso se tornar um fenômeno que espalharia cultura, história, crenças e mitos numa única palavra. Brancos, Índios e Negros faziam parte de aglomerados que criavam identidades de lugares habitados, os quais, mais tarde começavam a praticar a técnica da atração turística. Turismo, palavra que vem crescendo gradativamente nos dias atuais. Com uma grande difusão, este foi criando raízes conforme a identidade de cada local, e um leque amplo de opção (Religioso, Aventura, Rural, Artesanal, etc.) fez com que no século XX alcança-se o status de um dos maiores setores econômicos e sociais do mundo. Vários países começaram a criar percursos turísticos, atraindo visitantes de todas as partes e aumentando sua a economia local, baseada neste. Conforme maior a fama da atração turística daquele espaço, maior era o numero de visitantes que caminhavam até ele, e foi assim que aconteceu na pequena cidade de Tambaú, localizada no interior do Estado de São Paulo, no ano de 1955. A pequena cidade,nesta data, viveu momentos dramáticos, sendo visitada durante meses por multidões de pessoas que vinham à esta com um único objetivo: receber a benção do pároco que ali residia e atuava há vinte nove anos. Com apenas quatro mil e quinhentos habitantes na época, cerca de três milhões era o número de peregrinos que vinham visita-la, independente do meio de transporte disponível: trem, ônibus, pau-de-arara, cavalos, etc. Padre Donizetti, o protagonista do surgimento do Turismo Religioso na cidade de Tambaú, cujos seus atos religiosos propagaram curas e milagres. Sua presença ativa nos acontecimentos da cidade conferiu-lhe uma importante dimensão pública, tornando sua opinião decisiva para a resolução de problemas de várias dimensões causando grandes mudanças na cidade, veio a falecer em 1961. A partir desta data, as peregrinações à cidade de Tambaú estão se tornaram-se cada vez maiores, e vem se ampliando tendo em visto que a atuação religiosa do vigário está sendo investigada pelo Vaticano num processo aberto com o propósito de sua beatificação. Com isto, perceber-se que a cidade sofre com a presente situação, pois não possui infraestrutura adequada para recepção destes peregrinos. Desde a iniciação, suas abrangências e sua difusão como ato religioso, este trabalho contará um breve histórico do surgimento do Turismo no mundo, e cria ideias de revitalização para o Terminal Turístico Religioso existente na cidade, pensando sempre numa infraestrutura adequada para recepcionar e agradar todos os peregrinos.

13


14


Derivada do Latim, a palavra tour com significado de tornare e do grego tonros, significando uma volta ou circulo, o movimento em torno de um eixo central. No inglês, esse significado passa a indicar o movimento de uma pessoa num circulo. Ismo, como sufixo, define-se como “ação ou processo; comportamento ou qualidade típico”, e o sufixo ista “aquele que realiza determinada ação”. Da combinação desta palavra com estes sufixos tem-se um movimento em circulo. Um circulo é representando por uma linha, e este começa e termina em um mesmo ponto, portanto, um tour representa um ato de partir em uma viagem para depois regressar ao ponto inicial podendo-se nomear, a pessoa que segue essa jornada como turista.(THEOBALD, 2002, p.31)

De lá pra cá, muitas coisas aconteceram, ameaçando a realização do meu sonho, mas fui deixando as coisas se ajeitarem e no dia 13 de maio de 2009, partimos, eu e meu grupo, para a tão esperada Europa. “Estrelas da Europa”, este era o título do roteiro, incluindo: Portugal (Lisboa, Fátima, Cascais, Estoril e Sintra); Espanha (Mérida, Saragoza, Madri e Barcelona); Sul da França ( Nice e Região da Costa Azul, incluindo Mônaco); Itália (Passagem pelo camnho das rochas de Gênova, Pisa, Roma, Nápoles, Pompéia, Ilha de Capri, Assis, Florença, Pádua, Veneza e Milão); Suiça (Genebra e Anemasse), e finalmente Paris, a bela Cidade Luz (BITTAR, 2009)

Desde o inicio dos tempos, os homens primitivos praticavam o ato de viajar, quando andavam grandes distâncias atrás da caça para fornecimento de alimento e abrigo para sua sobrevivência. Em toda nossa história, viagens ocorrem, pode-se considerar a nossa própria linha do tempo, uma viagem. Viagens para trocas de mercadorias, por motivos religiosos, guerras, migrações e descobertas, através das grandes caravelas. (THEOBALD, 2002, p.27) Com essas grandes embarcações náuticas reais, que vinham em busca de novas terras e descobertas, houve a mistura de três povos: brancos, índios e negros, os quais formaram as etnias brasileiras, ocorreu uma transposição recíproca de religião e cultura, que num aglomerado, difundiram as identidades de alguns locais, que mais tarde puderam assim tornar-se grandes atrativos turísticos (religioso e cultural). Historiadores indicam que o surgimento do termo turismo foi datado em massa na Inglaterra, enquanto acontecia a Revolução Industrial (século XVIII), com a elevação da classe média e o surgimento dos meios de transporte, os quais naquela época eram bastante acessíveis, para locomoção. Logo após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), criaram-se as linhas aéreas comerciais, e por volta de 1950 uma evolução nos aviões a jato começa a acontecer, o que leva a um crescimento acelerado nas viagens entre países distantes, e com isso temos o inicio de um dos maiores e importantes setores que movimentam a economia de hoje, o turismo. ( THEOBALD, 2002, p.27) O turismo, denominado fenômeno do século XX, vem crescendo gradativamente nos dias atuais, conquistando o status de um dos maiores setores econômicos e sociais do mundo. ( THEOBALD, 2002, .27) Com o passar dos dias, pode-se observar nitidamente que a tendência desta atividade econômica é aumentar mais e mais com o auxilio dos meios de comunicação, tais como jornais, revistas e televisão, que enfatizam sempre as reportagens turísticas. A curiosidade e o próprio segmento turístico do conhecer “o novo”, crenças, espaços, mitos, enfim, conhecer a identidade de um local, motiva as pessoas e ajuda na influência da atividade turística, tornando-se assim, objeto de estudo em diversas teses universitárias. Segundo o Conselho Mundial de Viagens e Turismo[1], viagens e turismo constituem a maior indústria em termos mundiais, qualquer que seja seu parâmetro econômico adotado: produto bruto, valor agregado, investimentos de capital, empregos e arrecadação”. Quando o turismo tem como objetivo a cultura, juntos formam uma interelação de materialização dos bens culturais, onde em cima de todo o histórico de identificação do espaço, podem haver trocas mútuas de conhecimento entre os visitantes e os visitados. Hoje em dia, viagens e turismo são considerados modos de vida agrupados para a classe média mundial, que se transformaram em uma principal mercadoria do comércio internacional.

15 [1]

World Travel and Tourism Council, The WTTC 1996/7 Travel e Tourism Research Report, 6ª ed.,Londres, 1996.


Ulpiano Menezes (1998: s/n) afirma que “o valor cultural não está nas coisas, mas é produzido no jogo concreto das relações sociais”. Pode-se concluir então que, independentemente do local, país, ou cidade, a cultura se torna “um veículo de socialização” onde a própria população se encarrega do recebimento e da demonstração de interesse pelo turista, que aqui está visitando, e pelo turismo em si realizado no local, sem dar valor nenhum às diferenças. Mediante este veiculo de socialização, em questões de não planejamento, o turismo acaba trazendo alguns impactos que podem atrapalhar a população local. Os custos benefícios relacionados ao turismo atingem dois grupos de pessoas distintas: as que irão fazer o turismo, e as que receberão o turismo. Dentre diversos tipos de impactos causados, citamos alguns de grande importância para a realização da revitalização no terminal turístico de Tambaú. São eles: impactos econômicos, políticos, socioculturais, ambientais e ecológicos. 1. Impactos Econômicos são relacionados diretamente ao crescimento deste turismo, onde suas exigências começam a ser mais cobradas, oferecendo melhores condições aos visitantes do local. 2. Impactos Políticos são gerados através do contato direto de povos de origens diferentes, estilos de vida diferentes, e em alguns casos níveis de vida contrastantes, sendo que essas diferenças entre dois seres são grandes consequências políticas e socioculturais. 3. As questões de diferenças também são tratadas nos impactos socioculturais, onde as diferenças na aparência física, no comportamento cultural, podem causar antipatias. Os problemas que eram inibidos, agora passam a não ser, e começam a surgir problemas de prostituição, drogas e vandalismo. 4. Com o mau planejamento do turismo, começam a aparecer nos cenários, construções irregulares, comércio irregular, irregularidades estas que tomam conta do ambiente natural no entorno deles. Nesse caso, utiliza-se do Arquiteto Urbanista para planejar os desejos dos visitantes, melhorando a qualidade dos espaços de visitação. Todas as manifestações, sejam elas culturais intelectuais ou religiosas, devem ser vistas como ações integradoras de conhecimento de certo grupo, o que demonstra que o Turismo Cultural é mais uma forma de corporação entre o nativo e o turista, independentemente de ser representado por danças, cânticos ou rituais religiosos. Com a motivação cultural, aquele turista que busca conhecer novos espaços, empenha-se em adquirir novas culturas através do contato com grupos diferentes, o que na Antropologia nomeia-se como Aculturação. Contudo, a Aculturação não é de grande importância para o Turismo, pois uma simples visita rápida pode trazer aos turistas elementos culturais diferentes dos seus próprios. Com um primeiro contato no lugar, o próprio ambiente se encarrega de estabelecer uma comunicação com o visitante, ampliando o conhecimento deste. Esta é a intenção primordial para o Turismo na cidade de Tambaú-SP, a aglomeração de toda sua cultura em um só espaço, aonde o Turista lá chegando, já leva consigo grande parte do histórico cultural desta cidadela do interior paulista. Enfim, pode-se destacar que o Turismo deve levar em conta a preservação cultural de seus destinos, com a necessidade de se trabalhar a mentalidade da população nativa, a fim de espalhar a cultura para contribuir na conservação desta para gerações futuras. A construção de atrações turísticas é indispensável para o desenvolvimento desta atividade, e o aprendizado da população nativa sobre sua historia é fundamental como gerador de informações.

Dando ênfase ao Brasil, nos últimos anos o país tem passado por significativas transformações geradas pela economia, que se faz através da melhoria do padrão de vida, da intensificação na concentração urbana e numa melhoria na infraestrutura. Os brasileiros estão passando por um momento de grande crescimento do turismo, o país apresenta um grande potencial turístico, mas que ainda não é totalmente explorado, sendo somente 1% do fluxo mundial da atividade Turística [2], motivado pela concentração maior em determinadas áreas e por sua extensão territorial continental, em comparação a outros países. O Brasil é um pais jovem.

16 [2]

Portal da Organização Mundial do Turismo. Disponível em http://www.unwtog/documentation/archives/en/archives. php, acesso em: 14/03/2012 .


Tabela 1.1: Ranking Mundial de países mais visitados Fonte: Site Organização Mundial do Turismo, acesso 2011.

Pesquisas realizadas pela Organização Mundial do Turismo constam que em 2006, o Brasil se classificava em 36º no ranking mundial de países mais visitados. Na TABELA 1.1 pode-se observar quais os lideres em visitas.

De acordo com a TABELA1.1, pode-se perceber que a França trabalha firme em seus pontos turísticos, trazendo atrativos que cada vez mais chamam a atenção dos visitantes que vão até lá. Sendo assim, o país está totalmente preparado para recepcionar turistas de todas as partes do mundo, enquanto o Brasil ainda tem muito a desenvolver e a ser explorado. Existem vários nichos para classificação turística no Brasil e em certas partes do mundo, como exemplo o Turismo Rural, de Negócio, de Aventura, Cultural e o Turismo Religioso, sendo estes dois últimos o enfoque deste Trabalho Final de Graduação.

17


Um estudo aprofundado nesta área nos levaria à Idade Média ou à Antiguidade, quando os cristãos viajavam até Roma, na Terra Santa, ou até mesmo as idas dos Islâmicos até Meca. O termo “Turismo Religioso”, nesta época, estava ligado somente aos indivíduos que visitavam os locais ligados à religião, como locais de culto, santuários, espaços sagrados, com o objetivo de peregrinação, demonstrando sua devoção e “pagando suas promessas”. Como exemplo pode-se citar o Vaticano. Hoje, quando é referido a este termo pós-moderno, reuni-se não somente os peregrinos que viajam movidos pela Fé, mas também aqueles que buscam, de uma forma especial, conhecer os contornos sociais, a história e a cultura daquele local visitado. Dados obtidos através da Organização Mundial de Turismo mostram que, a cada ano, cerca de 600 milhões de pessoas no mundo viajam por algo relacionado à religião. Dentro de um prisma organizacional, tem-se o Turismo Religioso efetuado sob formas individuais e/ou coletivas, onde os objetivos se caracterizam na maioria das vezes por romarias, peregrinações e penitências. (Revista Eletrônica do Turismo Cultural, 2008, pag.06) Seguindo pesquisas, pode-se denominar Romarias, como um grupo de pessoas que viajam a lugares sagrados por livre disposição sem recompensas materiais ou espirituais, diferente de quem faz essas visitas para cumprir promessas, que nesse caso denomina-se Peregrinação. E, para finalizar, quando as pessoas estão empenhadas em redimir-se de seus pecados e culpas dirigem-se a lugares sagrados é viagem de penitencia, ressaltando sempre o valor de todos esses pela Fé. (IBID, pag. 06) Nos dias atuais, os países da Europa (Itália, Lisboa, Portugal, Bósnia, Espanha, Polônia, Republica Tcheca, dentre outros) atraem o maior público católico que procura os lugares sagrados para visitação. A velha e bela Roma não desiste da sua história, insiste na sua eternidade, alheia a todo o sofrimento que lhe é imposto, á modernidade, que não consegue vencer a cerca da antiguidade e nunca á modernidade, que não consegue vencer a cerca da antiguidade e nunca conseguirá vencer a barreira da eternidade da bela Roma. (BITTAR, 2009)

Na cidade de Roma, onde o turismo é totalmente movido pela fé, existem cerca de 30 mil basílicas e igrejas, 700 museus diocesanos, além de 220 santuários, monastérios e conventos, sendo que todos ficam abertos à visitação pública. Por este levantamento, citando somente Roma, pode-se dar início ao entendimento do porque atualmente o ramo do Turismo Religioso vem crescendo no mundo. Como estávamos distantes de tudo, era preciso pegar ônibus para tudo.Primeiro fizemos um tour-roteiro turístico costumeiro, depois já familiarizados, do centro partíamos para descobrir por nós mesmos os monumentos milenares-: Piazza Del Popolo, Fontana di Trevi, Coliseo, Ruinas, Fórum Ruinas, Piazza Del Campidoglio, Piazza Navona, Igrejas de Santo Ivo,Santa Madalena, Santo Ignácio de Loiola, Santa Maria da Paz, Corso Victorio Emanuelle, Pantheaon Campo das Flores, Gueto Judaico, Ilha Tibetina, Piazza Montecitorio, Palazzo Farnese, Palazzo Panfilli, Palazzo Spada e a cidade do Vaticano. (BITTAR, 2009)

Dentre os destinos mais procurados pelos fiéis e peregrinos, o Vaticano destaca-se. A Basílica de São Pedro, museu e Capela Cistina guardam grandes relíquias da história religiosa no mundo, juntamente com algumas obras de arte famosas como A Crucificação de São Pedro e a Criação de Adão, feitas por Michelangelo, localizadas no Palácio Apostólico, atual casa do Papa Bento XVI.

18


Na Itália, destaca-se a cidade de Monte Gargano, local de destaque da aparição de São Miguel Arcanjo, que mais tarde, veio a se tornar um santuário escavado nas montanhas, tornando-se um dos mais célebres e devotos de todo o mundo. A cidade de Cascia (Cássia)- Itália, também está entre as cidades mais visitadas no Turismo Religioso, o local de Nascimento de Santa Rita de Cássia, que hoje abriga a Basílica de mesmo nome, onde seu corpo exposto fica exposto à visitação. Não se pode omitir Assis (cidade de São Francisco de Assis) e Padova (Santo Antonio de Pádua). O roteiro para Turismo Religioso no mundo é amplo. Em Portugal temos o Santuário de Nossa Senhora de Fátima, na França destaca-se o Santuário de Nossa Senhora de Lourdes, o qual é um dos principais centros de peregrinação. Em Medjugorje, na Bósnia, existe o local de aparição da Virgem Maria, já a cidade de Santiago de Compostela, na Espanha, é famosa pelo seu caminho de peregrinação. Em Israel, Jerusalém, os famosos locais sagrados onde Cristo viveu e morreu são os principais destinos de visitação dos fieis. Na polônia cerca de 95% da população é católica na Republica Tcheca,Praga, temos a imagem do Menino Jesus de Praga, assim como em outros lugares os santos mártires também são muito aventurados. Saímos de Lisboa com destino ao Santuário de Fátima, que fica a uma hora e meia de Lisboa, que fizemos rapidamente, ou nem percebemos a distância, tal era a ansiedade e a emoção para o encontro com Nossa Senhora de Fátima, no seu local de aparição... Um choque! Belíssimo lugar, muito amplo, tudo muito branco, na entrada uma estátua do Papa João Paulo II.Logo ao lado da estátua, a primeira Igreja do complexo, uma construção semicircular (como uma meia lua),linda, emocionante, exalando fé... (BITTAR,2009)

No Brasil, a importância da religião católica é motivadora da construção dos grandes santuários, de inúmeras manifestações que misturada com a nossa cultura transforma-se em grandes espetáculos que atraem milhares de peregrinos. Hoje o Brasil é considerado o maior pais católico do mundo, facilitando assim um segmento no ramo turístico religioso com amplo potencial. Segundo dados encaminhados pela EMBRATUR, em 2000, cerca de 15 milhões de pessoas viajaram para o Brasil por motivo religioso. Para ANDRADE (1996, pag.77) ”o conjunto de atividades com utilização parcial ou total dos equipamentos e a realização de visitas a receptivos que expressam sentimentos místicos ou suscitam a fé, a esperança e a caridade aos crentes ou pessoas vinculadas a religiões, denomina-se turismo religioso”. Com esta citação pode-se perceber o quanto a religião, independente do tamanho da sua atividade (templos, santuários, pequenas capelas ou manifestações) é importante pra todos que tem fé. Através das visitas aumenta-se o valor turístico e histórico/cultural do local, o que faz ser muito comum ocorrer uma inter-relação entre diferentes tipos de atrativos em uma mesma viagem. Brasil pode não possuir grande quantidade de atrativo religioso, mas o pouco que possui se torna incomparável, e até mesmo incompatível, pela colaboração do cenário (paisagem natural) aqui presente, que juntamente com comércio brasileiro, ficam diretamente ligados a usufrutos da religião, colaborando ainda mais para o turista inusitado que chega ao local. Segundo a EMBRATUR (Instituto Brasileiro do Turismo), podem ser considerados como atrativos religiosos: festas populares, caminhos sagrados, paisagens (templos, santuários, construções históricas...). Neste caso, salienta-se a importância de Tambaú, uma pequena cidade, com pequenas manifestações religiosas, movidas a crenças, missas, rituais, caminhos sagrados e histórias de Fé, os quais atraem grande número de Romeiros e Peregrinos nos finais de semana. Destaca-se por sua religiosidade as seguintes cidades: Juazeiro do Norte, no Ceará, terra do Padre Cícero; Nova Trento, em Santa Catarina, onde se encontra o santuário de Madre Paulina; Belém do Pará, na festa do Círio de Nazaré; Aparecida, em São Paulo, onde se localiza o Santuário da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora de Aparecida; temos no Brasil outros locais que não estão totalmente ligados a roteiros de manifestações religiosas, mas que também apresentam esta característica, como é o caso do Caminho do Ouro, em Minas Gerais, a Rota dos Tropeiros no Paraná, e o Cristo Redentor no Rio de Janeiro. Vale lembrar o sincretismo religioso que ocorre em Salvador (BH), a lavagem do Bonfim.

19


TABELA 2.1- Motivos para viagens domésticas no Brasil Fonte:Site Ministério do Turismo,2010.

A pesquisa ilustrada na TABELA 2.1, encaminhada pelo Ministério do Turismo, juntamente com a Fundação Instituição de Pesquisas Econômicas (FIPE) mostra, no ano de 2007, o número de turistas que se deslocaram internamente por motivos religiosos.

De acordo com a TABELA 2.1, em comparação com a de 2006, que nos mostra que 3,2% de turistas que viajaram por motivo religioso, obtive-se um aumento. Esse aumento vem crescendo a cada dia e são inúmeros os motivos que têm levado o Brasil a ganhar poder dentro desse ramo turístico, mas pode-se citar um que se torna essencial neste sentido, a divulgação de eventos religiosos através dos veículos de comunicação. Esses poderosos veículos de comunicação que possuímos hoje, tais como TV, revistas, jornais e principalmente a internet, auxiliam naquelas manifestações religiosas que anteriormente estavam restritas a uma pequena cidade do interior ou até mesmo um Estado, tornando-as conhecidas nacionalmente.

20


Esse fenômeno pode ser observado na pequena cidade de Tambaú, no interior de São Paulo. Com aproximadamente 22.422 mil habitantes, ela é palco de fatos religiosos que marcaram a vida da sociedade local e fizeram com que a pacata cidade do interior paulista se tornasse nacionalmente conhecida. Tem-se como protagonista desta história, o Padre Donizetti Tavares de Lima.

O turista, como qualquer outra pessoa, exerce função de agente aculturador e de elemento suscetível de sensibilizações por culturas outras que a sua própria. Assim, pelo próprio desejo ou pela necessidade de participar de ambientes e sociedades diferentes dos que lhe são próprios, ele se dispõe a interferir e a integrar-se, em um processo cultural, como elemento ativo e passivo de influencia. (ANDRADE, 1998, pag.95)

No reconhecimento de certos destinos turísticos, sejam eles sagrados ou não, os turistas e peregrinos se envolvem com a cultura religiosa que predomina no local, e através dela acabam estimulados a participar das diversas formas de comercialização ali presentes. Esse tipo de comercialização (local ou produto turístico) requer certa seriedade e estudos de aceitação. Os locais de visitação, sagrados ou não, devem ser receptivos e se adaptar para viabilizar as estruturas turísticas necessárias e instalações próprias para o comércio. Tambaú deveria caminhar nessa direção. Os pontos turísticos deveriam estar bem estruturados para receber os visitantes, e as instalações religiosas, adequadas para comercializar seus produtos de forma sustentável e organizada no âmbito do turismo local e externo. A pequena cidade possui um potencial turístico antigo, que se inicia com as visitações dos fiéis na época em que Padre Donizetti ainda era vivo, e com o passar do tempo, essa quantidade de visitantes só vem aumentando, mesmo após a sua morte em 16/06/1961. Têm-se como alvo principal: peregrinos, fiéis, turistas religiosos e pessoas que se interessam pelo ramo de romarias. Nas diversas modalidades que o ramo do turismo apresenta, Tambaú se encaixa em diversas pelos seus recursos naturais, trilhas motorizadas por jipes e motos em meio à natureza, oferecendo outros atrativos que podem completar o roteiro da cidade. Atualmente, pode-se contar com o Turismo Rural e Ecológico também, através das diversas fazendas que se encontram no território municipal, tais como: Sítio Tereré; Estância Ouro Verde; Estância Olho D’água, Fazenda São Rafhael; Sítio Barra Grande; Fazenda São José; Recanto Emanuel; Estância No Caminho. Com esse número elevado de fazendas e estâncias, a cidade que vive um clima religioso poderia agregar-se ao turismo rural, ecológico, de aventura e artesanal, dinamizando assim a economia da cidade, apoiada no Turismo, em investimento lucrativo e de interesse para o município. O caminho da Fé, outro atrativo turístico existente na cidade, é inspirado no caminho de Santiago de Campostella, e surgiu na cidade de Águas da Prata, no interior de São Paulo, em 2003. Seu inicio, atualmente localiza-se em Tambaú, por conta do histórico religioso do Padre Donizetti, e se percorre por cerca de 415 km em meio de matas e trilhas, até terminar na cidade de Aparecida-SP. Este caminho atualmente é utilizado por diversos tipos de público, incluindo intelectuais como escritores, além de padres, turistas e curiosos que o percorrem em busca de aventura ou algo relacionado à motivação pessoal de cada um, chamados também de peregrinos da fé. Tambaú também é palco da grandiosa Marcha da Fé, um evento que se realiza anualmente e reúne cerca de 50 mil pessoas de vários estados brasileiros. Sempre se realiza no domingo mais próximo ao dia 16 de junho (data de aniversário de morte do Padre Donizetti), iniciando com uma grande marcha, que sai do Santuário Nossa Senhora Aparecida em direção a réplica da Igreja São José (Igreja em que padre Donizetti realizava suas missas), próxima do cemitério onde se realiza a missa campal em sua homenagem. Sempre, neste evento, ocorre a Chuva de Rosas, relembrando um dos mais emocionantes espetáculos feito pelo vigário quando terminava de dar a bênção aos romeiros que vinham atrás de curas e fé.

21


Fig. 1.1- Cidade e bandeira de Tambaú Fonte:Site Prefeitura Municipal de Tambaú,acesso em 15/04/2012.

Podem-se destacar algumas peculiaridades que auxiliam Tambaú no ramo do Turismo. A cidade abriga mais de 100 indústrias cerâmicas, e por isso recebe o titulo de “A Cidade da Cerâmica” e propicia o Turismo Artesanal, conhecido nacionalmente. Lugar de gente simples e hospitaleira, o turista logo que chega se sente à vontade para sentar-se nos bancos das praças existentes e ouvir histórias ou percorrer suas ruas cheias de ladeiras. Ruas e calçadas largas que ainda guardam vestígios dos tempos de outrora. Aqui e ali, o passado se faz presente, tanto na arquitetura colonial dos antigos casarões, quanto no romantismo da antiga estação ferroviária. Até os dias atuais, dos pontos mais altos da cidade, avista-se o trem de carga que passa ao pé da serra, serpenteando sua longa estrutura e ainda se houve o longo e tristonho apito, através do eco no ar límpido da natureza.

22


23


Temperatura Media Anual: 23ºC a 30ºC Clima: Temperado (CWA)

Localização: Localizado a 270 km da capital (São Paulo), pertencente à Região Administrativa de Caminas. Distâncias: São Paulo-270 km, Campinas-150 km, Ribeirão Preto-100 km, Pirassununga 38 km, Porto Ferreira- 40 km. Tambaú faz divisa com os municípios de Cajuru, Santa Rosa de Viterbo, Mococa, Santa Cruz das Palmeiras, Santa Rita do Passa Quatro e Casa Branca.

Fig. 2.1- Localização de Tambaú Fonte: Site Prefeitura Municipal de Tambaú,2012.

Média de Índice Pluviométrico Anual: 1000 mm a 1300 mm Coordenadas Geográficas: Altitude- 698m, Latitude- 21º 42’ 18’’ sul, Longitude- 47º 16’ 28’’ oeste. Tipos de Solo: Latossolo Vermelho e Amarela – Fase arenosa Tipos de Rochas: Basalto e Arenito. Geomorfologia: Planto Sedimentar Relevo: ondulado Vegetação: Predominância de cerrado com áreas remanescentes de Mata Atlântica Área do Município: 586,6 km² sendo 12,6 km² de área urbana e 570,6 km² de área rural. População: 22.422 habitantes (Fonte: Instituto Brasleiro de Geografia e Estatística - IBGE.Fundação Seade.)

24


MAPA 2.1: Mapa da Meso Região de Campinas com destaque para a cidade de Tambaú Fonte:Plano Diretor Municipal, 2006.

Os MAPAS 2.1 a 2.4 ilustram a Meso Região de Campinas, onde se visualizam todos os municípios, a Região de Governo de São João da Boa Vista, o Sistema Viário Estadual com as vias de acesso que chegam à cidade de Tambaú, o Mapa dos perímetros Urbano e Urbanizável.

25


26

MAPA 2.2: Mapa da Regi達o Administrativa de S達o Jo達o da boa Vista com destaque para a cidade de Tamba炭 Fonte: Plano Diretor Municipal, 2006.


27

MAPA 2.3: Mapa do sistema viário estadual com destaque para as vias de acesso á cidade de Tambaú Fonte: Plano Diretor Municipal, 2006.


28

MAPA 2.4: Mapa do PerĂ­metro Urbano Fonte: Plano Diretor Municipal, 2006.


Tambaú é mais uma afirmação de que sobre todas as virtudes e defeitos do homem algo permanece indelével, se bem que ás vezes escondido: a presença de Deus. (AZEVEDO,2001, p.21)

Tambaú, cidade cujo nome é de origem Tupi (Rio das Conchas), localizada no Nordeste do Estado de São Paulo, apresenta hoje uma população de 22.422 mil habitantes. Fundada em 27 de junho de 1886, foi elevada à condição de município em 20 de agosto de 1898. Seu desenvolvimento, inicialmente deu-se através das plantações de cana de açúcar e café. Com a grande comercialização e estocagem do café, por se tratar de uma cidade localizada em solo bem fértil, sua urbanização cresce em torno dessa economia. Até meados do século passado, esta foi uma das únicas fontes de riqueza do município e o processo de industrialização chegou à região através da implantação de algumas empresas do ramo alimentício, metalúrgica e minérios não metálicos. A entrada do município no campo da produção industrial de cerâmica ocorreu em 1905, com a primeira indústria de confecção de manilhas aproveitando a facilidade de obtenção de argila, matéria prima para a cerâmica vermelha. O parque industrial cresceu, criou-se um polo cerâmico, e a pequena cidade recebe o titulo de “Cidade da Cerâmica” gerando grande número de postos de trabalho operário nas fábricas e criando um perfil onde chaminés se destacam na paisagem urbana e imediações. Tambaú, como outras cidades, fez a partir de então, a cerâmica como sua principal atividade industrial. A partir de 1950, a cidade se torna palco de fatos religiosos, os quais marcaram a vida da sociedade local e fez com que a pacata cidade do interior paulista se tornasse nacionalmente conhecida. Padre Donizetti Tavares de Lima, pároco da cidade, foi o protagonista desta história, o qual se destacou por suas ações filantrópicas, seus conselhos e suas bênçãos, dadas todas as tardes à porta da casa paroquial para os milhares de romeiros que vinham à cidade. Em 1961, após vários milagres registrados, dentre eles, de alguns famosos como o de Edson Arantes do Nascimento (Pelé) e Joelmir Betting, o “padre milagreiro”, veio a falecer. Da década de 50 até os dias atuais, durante as festividades referentes ao Padre, a cidade de Tambaú não se reconhece mais como “a pequena cidade”, recebendo a visita de milhares de romeiros, que vêm em pedidos de curas e orações. A famosa “Marcha da Fé”, realizada na cidade, é uma das manifestações responsáveis por atrair mais de 30mil pessoas (dados obtidos pelo Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, no ano de 2011), onde uma procissão saindo do santuário principal segue pelas estreitas ruas da cidade até chegar ao Terminal Turístico Religioso, onde acontece uma missa campal em comemoração ao aniversário de morte do Padre Donizetti. A cidade, hoje, é marco inicial do “Caminho da Fé” onde peregrinos de todo mundo percorrem 497KM, em contato direto com a natureza (matas, cachoeiras, lagos, fazendas, etc.) saindo de Tambaú até a cidade de Aparecida. No dia 14 de setembro de 2009, após 17 anos de pesquisa sobre a vida do Pe. Donizetti, com todas as fases do processo de beatificação concluídas incluindo a exumação do seu corpo, o processo foi aberto na cidade de Roma, no Vaticano, na Congregação das Causas dos Santos. Após este fato, aumenta ainda mais a quantidade de romeiros e peregrinos que visitam a cidade de Tambaú, durante a semana e principalmente aos domingos. A Expectativa é que em breve o Pe. Donizetti seja reconhecido como venerável e depois seja beatificado, tornando-se mais um santo brasileiro.

29


Fig. 2.2- Área Urbanizável/ Vazios Urbanos Fonte:Plano Diretor Municipal, 2006.

Tambaú possui uma área de 586,6 km² sendo 12,6 km² de área urbana de acordo com a Lei nº 1.218 de 14 de março de 1989. Esta mesma lei prevê 23 km² para área urbanizável. Pode-se verificar que a área urbanizada do município não atingiu o limite do perímetro urbano proposto por lei, ocorrendo assim vários vazios urbanos como se pode observar na Fig. 2.2 a seguir

Segundo dados obtidos na Fundação SEADE, 97,60% do solo urbano tambauense é ocupado por residências, o restante sendo distribuído entre comércio, áreas institucionais, indústrias, vazios urbanos, entre outros.

30


MAPA 2.5: Mapa de uso e ocupação do solo na cidade de Tambaú Fonte: BUENO, 2012.

O MAPA 2.5, ilustra um levantamento de uso do solo na área que engloba a maioria dos pontos turísticos Tambaú, incluindo o trajeto da “Marcha da Fé”.

comércio

residência

institucional

vazios urbanos

industrias

praças e parques

31


MAPA 2.6: Mapa do Zoneamento Urbano na cidade de Tambaú Fonte: Plano Diretor Municipal, 2006.

Seguindo dados do Plano Diretor Municipal, o zoneamento da área urbano, ilustrado no MAPA 2.6, foi definido modo a organizar a cidade em zonas de uso, de acordo com a situação atual e com relação a perspectivas futuras, sendo composto pelas seguintes zonas: ZR- zonas residenciais, ZCzonas comercias, ZID- zonas de interesse diferenciado, ZI- zona industrial, ZUE- zona de urbanização especial, ZPU- zona de urbanização prioritária, ZUP- zona de urbanização preferencial, ZETR- zona especial de Turismo Religioso, ZEU- zona de expansão urbana, ZT- zona de transição, ZP- zona de preservação, ZPP- zona de preservação permanente, ZCO- zona de controle á ocupação, e ZL- zona de lazer. Porem a cidade é muito pequena para o tanto de zoneamento, seria convenente pensar-se em números menores de divisão levando em consideração aqueles mais importantes para o município.

32


GRAFICO 2.1: Participação da Agropecuária no Total do Valor Econômico Fonte: Site Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acesso em 14/03/2012.

Atualmente, a economia do município gira em torno da cerâmica vermelha, que hoje gera cerca de 4.000 empregos divididos em: cerâmicas de telhas, manilhas, blocos cerâmicos, pisos rústicos, e vasos de decoração. A argila de todos os tipos, encontrada no solo tambauense, contribui para o funcionamento destas 85 cerâmicas e de outras que futuramente podem se instalar na cidade, contribuindo para a ampliação do polo cerâmico. Em comparação ao ano de 2006, cerca de 15 cerâmicas fecharam até 2012, mesmo assim este setor continua crescendo na cidade, pois uma substitui a outra e cresce o quantitativo de sua produção. Outro setor que se encontra em desenvolvimento na cidade é o agronegócio, com a produção de frutas, verduras e legumes, juntamente com o campo da metalúrgica em que duas grandes empresas começaram o desenvolvimento deste setor, que tem contribuído com a melhoria da oferta de empregos e negócios para o município. Por causa do Padre Donizetti, Tambaú consegue alcançar outro setor da economia, o Turismo Religioso. De acordo com o Departamento de Turismo de Tambaú, cerca de 55.000 romeiros e uma média de 70 ônibus semanais (sem computar carros e vans) chegam à cidade somente aos domingos para participar das celebrações no Santuário Nossa Senhora Aparecida e visitar os pontos turísticos relacionados ao Padre Donizetti. Nos GRÁFICOS 2.1 a 2.2 pode ser observado a participação da agropecuária e da indústria na economia da cidade com relação à Região de Governo de São João da Boa Vista e ao Estado de São Paulo.

33


GRAFICO 2.2: Participação da Industria no Total do Valor Econômico Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acesso em 14/03/2012.

O GRÁFICO 2.1 demonstra como o agronegócio tem se destacado diante aos demais itens comparados. Este mérito foi possível através da criação da APTA (Associação dos Produtores de Tambaú) na qual se agregaram todos os pequenos produtores da cidade, que com isso aumentaram sua renda por abastecerem núcleos voltados à Prefeitura Municipal e à região, como escolas, entidades, creches e asilos com preços acessíveis, porém com maior quantidade de venda. O GRÁFICO 2.2 compara a participação da indústria do município também em comparação com o Estado e a Região e Governo.

Infelizmente o setor industrial da cidade não se encontra em destaque. Somente algumas empresas desse ramo conseguiram grande desenvolvimento mediante a aplicação de técnicas modernas, num investimento a longo prazo, e conseguiram grande desenvolvimento dentro do Brasil como também no exterior. Outras que não se adaptaram com técnicas modernas, permanecem em atividade, mas abastecem somente a cidade e a região. Os MAPAS 2.7 e 2.8 ilustram, respectivamente, a ocupação de terras no município, incluindo o setor do agronegócio e a localização das cerâmicas na cidade.

34


35

MAPA 2.7: Mapa de uso e ocupação das terras na cidade de Tambaú Fonte: Plano Diretor Municipal, 2006.


36

MAPA 2.8: Mapa de localização das unidades cerâmicas localizadas na cidade de Tambaú Fonte: Plano Diretor Municipal, 2006.


Tambaú, através de suas cerâmicas, possui hoje uma grande produção de diversos materiais ligados à construção civil, dentre eles, destacam-se os relacionados à indústria da cerâmica, como ilustra o GRAFICO 2.3:

50 Telha

Piso Rústico

35

30

Pastilha e Revestimento Ceramico

25

Tijolo

20 Tubos Ceramicos

15 10

Laje

5 Vasos Ceramicos

0 1

2

3

4

5

6

7

Fonte: Associação Comercial e Industrial de Tambaú, 2012

40

Gráfico 2.3:Quantidades de indústrias cerâmicas divididas por tipos de produtos

45

Diante desses materiais é possível aplicar técnicas de Arquitetura Regionalista para a execução de certos espaços dentro da Revitalização do Terminal Turístico Religioso, deixando expostas ao visitante as possibilidades na área da construção civil com o material oferecido pela cidade, auxiliando também na economia local, através da divulgação dos produtos e suas formas de utilização. A seguir são apontadas as características de cada produto produzido nas cerâmicas tambauenses.

37


Tijolo: material bem comum na construção civil. O emprego deste em obras, pode ser considerado uma das técnicas mais difundidas, visto eu este, em geral, é reconhecido como o método mais rápido e econômico, graças ao pouco peso e às sua pequenas dimensões que facilitam o transporte e o manejo. As paredes feitas com tijolos possuem um ótimo isolamento térmico, além de oferecer boa aderência à argamassa em virtude de sua aspereza e poder absorvente. Constituído de argila cozida, auxilia na leveza deste material, oferecendo várias possibilidades de assentamento interno e externo. A flexibilidade do material permite com que o tijolo seja utilizado não somente como fechamento, mas também como piso, laje, e até mesmo para funções estéticas na composição de certos ambientes. Tambaú possui grandes olarias que trabalham para fabricação de tijolos de diversos tipos, estas auxiliariam na construção do Terminal Turístico Religioso, onde o emprego dessa cerâmica mostrará suas devidas técnicas de manuseio e criará ambientes com um tipo de produto feito na própria cidade. Como referência para as técnicas em tijolos que serão aplicadas nas construções do Terminal, pode-se citar o arquiteto Eladio Dieste, que faz suas obras todas com este material, e deles consegue tirar o que tem de melhor em formas, composições e tipos de assentamentos diferenciados, criando assim, combinações entre o meio interno e externo através de pequenos vãos entre os tijolos. Nascido em 10 de dezembro de 1917 em Artigas, Eladio Dieste foi ao invés de um engenheiro, um artista nato. Sua busca da beleza foi o motor de suas obras o qual criou formas sólidas e inseriu movimentos em curvas que completaram a arquitetura. As obra são marcadas pelo uso de tijolo, um material básico e acessível quanto ele pretendia incluir suas obras no grupo social. A grande maioria de seus prédios são projetados para acomodar grandes multidões, como: igrejas, terminais rodoviários, armazéns e galpões industriais.Nomeia sua técnica de cerâmica reforçada e foi caracterizado pela cúpula em forma de estruturas feitas de tijolo, armadura de aço e o uso mínimo de concreto, conseguindo assim leveza máximo possível. (Fonte: Site Viaje a Uruguay, 2012)

Um exemplo a ser citado é a paróquia de Cristo Obrero em Atlántida, Uruguai, projetada e construída entre 1958 e 1960, nesta obra pode-se observar as diversas maneiras de aplicações do tijolo nas quais se destacam sua flexibilidade e autonomia. Tanto nas paredes de vedação servindo como estrutura da obra, como na cobertura, a presença do tijolo é marcado em todos os detalhes criados pelo arquiteto. A brincadeira do “vai e vem” nas laterais ganha um grande atrativo ao projeto, que rompe as leis da física e cria volumes e espaços que ainda não são vistos em qualquer projeto. Junto a esta brincadeira, os vãos deixados entre os tijolos,se completam com as diversas formas e posições de assentamento que introduzem o exterior para o interior da construção, trazendo iluminação natural em pontos estratégicos criando cenários belíssimos. Uma contribuição do projeto de Eladio para com o projeto de revitalização proposto, são suas diferentes formas de assentamento durante as construções das paredes, os vãos deixados entre os tijolos para a entrada da luz natural, e pelas flexibilidades que ele cria com o tijolo. Abaixo se encontram Figs. ilustrativas da obra e o projeto de Eladio.

Fig.2.3- Fachada da igreja de Cristo Obrero- Eladio Dieste Fonte: Site Club dos Turistas,2012.

38


Fig.2.4- Fachada da capela Cristo Obrero Fonte: Site Panorâmico,2012. Fig.2.5- Assentamentos de tijolos na fachada Fonte:Site Panorâmico,2012.

Fig.2.6- Flexibilidade e volumetria nas paredes de vedação nas laterais da capela, a brincadeira do “vai e vem”. Fonte: Site Panorâmico,2012.

39


Fig.2.8- Interior da torre sineira com escada em tijolos Fonte: Site Panorâmico,2012.

Fig.2.9- Torre sineira, toda em tijolo com aberturas Fonte: Site Panorâmico,2012.

40

Fig.2.7- Vãos entre os tijolos para iluminação Fonte:Site Panorâmico,2012.


Fig.2.10- Iluminação natural entre os tijolos Fonte:Site Flickr,2011. Fig.2.11- Iluminação entre os vãos Fonte:Site Flickr,2011.

“A partir dessa técnica Dieste conseguiu criar edifícios bastante distintos entre si, o que deixa claro seu método: a partir de um domínio técnico é possível ter autonomia suficiente para a criação de formas flexíveis.”[4]

Fig2.12-Altar como os focos de iluminação natural Fonte: Site Fickr,2011.

41 [4]

Fonte: Eladio Dieste http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/08.096/142 acesso em: 02/05/2012


Fig.2.13- Planta Baixa da capela Cristo Obrido Fonte: Site Design By Many,2011.

A mesma volumetria que causa organicidade na construção, serve como pilares de sustentação da cobertura, a qual também é feita com tijolos

Simetria presente em todo o projeto Flexibilidade e apresentação de novas formas com o uso de um simples material, criando uma organicidade dentro de um simples retângulo de tijolos

42


Para a mesma materialidade, pode-se citar o mesmo arquitetoc itado anteriormente, porém agora em coberturas com tijolos. Com isso, apresenta-se as Figs.2.14,2.16,2.15,2.17; da cobertura do Terminal Rodoviário em Uruguai o qual cria abóbodas biapoiadas toda s em tijolo, com uma fina camada de concreto na parte de cima. Pretende-se aplicar esta técnica em algumas construções a serem construídas no Terminal Turístico Religioso

Fig.2.16-Detalhes construtivos das abobadas em tijoloo Font:Site Postales Inventadas,2010 Fig.2.17-Vista aproximada das abobádas Fonte:Site Postales Inventadas,2010

Fig.2.15-Vista geral de toda cobertura do Terminal Fonte:Site Postales Inventadas,2010

Fig.2.14-Cobertura do Terminal com aos dois pilares de apoio Fonte:Site Postales Inventadas,2010

"Tan infinita es una gota de agua como el firmamento" (DIESTE, 2012)

43


Telha: produzindo todos os diversos tipos, é o produto cerâmico mais fabricado na pequena cidade de Tambaú Atualmente sendo muito utilizado na construção civil, sendo ela embutida ou aparente. Para a revitalização do terminal, propõe-se a utilização de telhas aparentes em quiosques de descansos que serão implantados, e embutidas na construção do Centro de Aconchego, ´ Pisos cerâmicos e rústicos: também bem produzido na cidade, das mais diferentes formas, cores e texturas. Pretende-se utiliza-los em todo tipo de revestimento no Terminal,e em pontos estratégicos utilizando-o com a técnica do mosaico.

Fig.2.20- Escultura em manilha Fonte: Site Nádia Saad,2012 Fig.2.19- Escultura em manilha Fonte:Site Nádia Saad,2012

Fig.2.18- Escultura em manilha Fonte: Site Nádia Saad,2012

Manilha cerâmica: pretende-se utilizar este outro material para execução de iluminação baixa em caminhos estratégicos. Após uma serie de retalhamento, pretende-se utilizar como esculturas o meio do paisagismo do terminal, para este tem-se exemplo da designe Nádia Saad que trabalha criativas ideias com a manilha cerâmica.Estas serão implantadas juntos aos vasos cerâmicos que também são produzidos na cidade, compondo uma harmonia no complemento do paisagismo proposto

44


45

Fig.2.22- Modelo de luminária baixa em manilha Fonte: Site Nádia Saad,2012

Fig.2.23- Modelo de luminárias baixas em manilha Fonte: Site Nádia Saad,2012

Fig.2.21- Modelos de luminárias baixas em manilha Fonte:Site Nádia Saad,2012


A vida de um homem, a historia de um padre, o nascimento de um mito e o surgimento do Turismo Religioso em Tambaú-SP. Desde os cinco anos de idade que ouço falar de um homem. Um padre. Um mito que viveu há muito tempo e que ultrapassou os limites de sua época. Meu sonho sempre foi conhecer aquele homem que vestia uma batina negra e distribuía a benção para os alunos que faziam exame em um grupo escolar, próximo da Casa Paroquial. Eu queria saber mais sobre o padre de temperamento forte e rígido, que proibia o carnaval e amava as crianças. Minha busca consistia em descobrir o mito que, como todos os seus irmãos, trazia em seu nome a invocação de um mestre da música. Nesta difícil missão entrevistei várias pessoas. Ouvi os vivos e os mortos. Descobri coisas surpreendentes. E o mais curioso nisto tudo é que, apesar de procurar a verdade durante vários anos de minha vida, conheci Donizetti somente agora, passados quase cinquenta anos de sua morte. (ROCCO, 1995, p.05)

A VIDA DE UM HOMEM, E A HISTÓRIA DE UM PADRE, se inicia em Santa Rita de Cássia, Minas Gerais, no ano de 1882, quando Donizetti Tavares de Lima nasce. Era filho de Tristão Tavares de Lima, advogado e sua mãe, Francisca Cândida Tavares de Lima, professora primária. Concluiu todo ensino fundamental em colégios católicos (seminário), e após termino de seus estudos, através de seu amigo, bispo Dom Nery, foi convidado a trabalhar como organista e professor do Seminário de São Paulo. Realizou um curso preparatório na Faculdade de Direito do Largo São Francisco e após sua ordenação, em 12 de julho de 1908, Padre Donizetti é designado vigário na paróquia de São Caetano da Vargem Grande, no Estado de Minas Gerais.. Com o falecimento do seu amigo, o bispo Dom João Batista Nery, Padre Donizetti é transferido para a Diocese de Ribeirão Preto, como vigário na cidade de Vargem Grande do Sul. Diante essa passagem, começam os primeiros passos para o NASCIMENTO DE UM MITO. Foi na tarde de 12 de junho de 1926,quando Padre Donizetti Tavares de Lima toma posse como vigário da Paróquia de Santo Antônio, em Tambaú. A pequena cidade do interior de São Paulo já era famosa por sua indústria cerâmica. 43 fábricas abrigavam os operários do barro. Chegou e provocou grandes modificações na cidade, mudando os costumes, e orientando sempre a população sobre os deveres de cada um, nunca fazendo diferença entre classes sociais, ou poderes políticos locais, no fim sempre acabava decidindo os destinos da cidade junto à população. No ano de 1929, a pequena cidade de Tambaú começa a ser palco de fatos que marcam a população local, acontecimentos estranhos geram fatos que jamais poderão ser esquecidos. Uma encomenda de uma imagem de Nossa Senhora à cidade de Aparecida pode ser um dos primeiros fatos marcantes que se inicia no dia 11 de outubro quando a igreja matriz, na Praça Santo Antônio, estava em chamas. Com o incêndio, todas as imagens que faziam parte dos altares da igreja foram reduzidos a cinzas, com exceção do de Nossa Senhora, a qual foi resgatada entre as chamas por um tambauense, e sem sofrer nenhum arranhão conseguiu retirar a imagem antes que o teto desabasse. Para muitos tambauenses esse pode ser considerado um dos primeiros milagres do vigário. Em 1930, outro fato insólito aconteceu. Durante uma procissão em homenagem a Nossa Senhora Aparecida, o tempo escuro parecia anunciar um temporal muito forte. Teria começado a chover, mas as pessoas que estavam na procissão não se molharam. Segundo testemunhas, a chuva parecia seguir a caminhada, caindo depois que as pessoas passavam. A vida dos tambauenses continuava sempre a mesma, mas os acontecimentos não paravam de surgir. O vigário proibiu a população de festejar o carnaval, e criou algumas entidades que nunca serão apagadas pela população e podem ser vistos até hoje na cidade, dentre elas o Asilo, a Casa da Criança e sua banda musical, da qual ele próprio era o maestro. Aquele senhor, de batina preta, com olhar sério, possuía argumentos que eram imbatíveis, sabia o que dizia e como falava, era uma personalidade das mais cultas possíveis, conversava vulgarmente nas esquinas e debatia sobre clássicos e filósofos em sua casa. Chegou a estudar radiestesia, a ciência dos pêndulos.

46


Logo, começou a impressionar as pessoas que o cercavam, e há quem jure que desde que Padre Donizetti se mudou para a cidade, ninguém mais morreu devido a picadas de cobras na zona rural, o que era comum na época. Seu trabalho em obras assistenciais e seu amor pela música passaram a conviver lado a lado com evidências e fatos quase inexplicáveis. O SURGIMENTO DO TURISMO RELIGIOSO se torna alvo na cidade através de um vendedor de vinho que procurou pelo padre, pois vinha sofrendo de um sério problema nos joelhos, uma espécie de reumatismo que começava a impedi-lo de andar normalmente. Sem esperanças da medicina, o vendedor marcou um encontro com o vigário. Logo após o encontro durante a viagem de volta, no meio do caminho, este senhor pediu para que parassem o carro e foi nesse momento que saiu e caminhando normalmente pela estrada, suas fracas pernas ganharam força novamente. Aposta-se em um outro milagre. Foi em março de 1954 o início. Daqueles dias em diante, a fama do Padre Donizetti se espalhou por toda parte. As romarias para Tambaú eram a maior revolução espiritual que uma cidade e sua população, jamais sofrera. Cerca de 40.000 pessoas formavam procissões de um quilômetro de extensão, e caminhavam até a praça dos milagres (atual Praça Padre Donizetti). Eram paralíticos, surdos, mudos, cegos, tuberculosos, cancerosos, portadores das mais diversas doenças; desiludidos, desenganados pela ciência, restabeleciam-se completamente. A praça da igreja São José (atual Santuário Nossa Senhora Aparecida) ficava em absoluto silêncio quando aquele homem subia ao altar para celebrar a missa ou dar a benção da porta de sua casa. E os milagres continuavam a acontecer. Foi em Tambaú, que aconteceu um dos mais belos, inéditos e grandiosos espetáculos do mundo. No dia 30 de maio de 1955 uma chuva de pétalas de rosas cai sobre a cidade, mais precisamente sobre a Igreja de São José (atual Santuário Nossa Senhora Aparecida) e a Casa Paroquial (Casa de Padre Donizetti - Museu), onde morava o pároco da cidade e o homenageado pelas pétalas perfumadas que caiam do céu: Padre Donizetti Tavares de Lima. Neste dia, o Sacerdote sai à janela de sua casa e profere as seguintes palavras: “-Hoje é o último dia para todos, indistintamente, desde o rico até o pobre. O homem mais poderoso não quebrará esta minha decisão”. Tudo está finalizado, Padre Donizetti encerra, por vontade própria, as já mundialmente famosas bênçãos miraculosas, que duraram sete meses, onde o pároco de Tambaú deu sua bênção a mais de quatro milhões de pessoas. Os tumultos com as grandes romarias eram cada vez maiores, e a fama de Padre Donizetti se espalhou por toda parte. As romarias para Tambaú eram a maior revolução espiritual que um povo, que uma cidade, jamais sofrera. As pessoas com melhores condições financeiras viajavam de avião para Ribeirão Preto ou Campinas e depois seguiam para Tambaú em carros, ônibus e trem. A “Cidade das Chaminés fumegantes”, nome como Tambaú era conhecida, passa agora a se transformar na “Cidade dos Milagres”. Os romeiros dormiam em alpendres e nas ruas. Moradores locais distribuíam água nos portões das casas. Cada gole era disputado como se fosse o último. E esta multidão foi uma das principais razões da decisão tomada por Padre Donizetti: a cidade não comportava mais tanta gente pelas ruas. Faltava comida, a água era insuficiente, não havia mais lugar para se descansar, as ruas precisavam ser dedetizadas diariamente para evitar a propagação das doenças. Hoje foi o último dia das bênçãos do padre Donizetti Tavares de Lima. Houve, como de costume, uma benção às 9 horas, ocasião na qual o sacerdote reafirmou seu propósito. Durante toda a manhã, esquadrilhas de aviões da base aérea de Cumbica e de Santos sobrevoaram a cidade, realizando acrobacias em homenagem ao padre Donizetti. Os peregrinos - muitos deles encarapitados nas árvores e nos telhados das casas que circundam a praça da igreja - choravam emocionados. Milhares de velas acenderam-se de repente, oferecendo um espetáculo verdadeiramente feérico. Depois de interromper as romarias, Padre Donizetti volta à calma antiga, após sete meses em que deu sua bênção a mais de quatro milhões de pessoas. Tambaú mergulha na paz, como em outros tempos. As ruas não precisam mais serem varridas duas ou três vezes por dia. A dedetização diária não precisa mais acontecer. Milhões de cartas continuam chegando do mundo todo. O vigário proíbe manifestações a ele, dizendo que todos os milagres vêm de Deus e de Nossa Senhora. Depois de trinta e cinco anos de intensa atividade, a saúde do vigário de Tambaú começou a se debilitar. Padre Donizetti já não celebrava. Monsenhor Davi, da nova diocese de São João da Boa Vista, à qual Tambaú veio a pertencer, passou a visitar Tambaú aos sábados, domingos e dias santificados, para os serviços paroquiais da cidade. Era o início do fim. Onze horas e quinze minutos do dia 16 de junho de 1961. Naquele momento o silêncio parecia ter a intensidade de uma sinfonia mágica, executada num órgão de tubo, em uma capela na lembrança de milhares de pessoas. O Padre Donizetti estava morto.

47


A simples presença de turistas em núcleos receptivos desencadeia um processo dinâmico e irreversível, cujas consequências possuem o caráter de imprevisibilidade, pois as diferenças culturais, a do turista e a do núcleo, podem se completar ou se repudiar. (PORTUGUEZ, 2004, p.95)

Podendo ser produtivo para a preservação de locais urbanos, o turismo fundamentado numa ação cultural entre os espaços de uma cidade, com suas histórias, auxilia seu próprio consumo. Caso exista numa determinada localidade um potencial turístico, esse local está sujeito a ter grandes possibilidades de ser construído, caso haja iniciativas. Pode existir também uma demanda turística baseada no potencial que esse local possui, sendo mais uma forma de atrair todos os tipos de turistas e visitantes. Na cidade de Tambaú, os pontos turísticos considerados sagrados e visitados pelos romeiros e turistas religiosos podem auxiliar no desenvolvimento econômico de outros setores da cidade, tais como visitação em feiras de diversos motivos, que levam à utilização de meios de hospedagem, alimentação, entre outros. Para a execução de um espaço turístico pode-se basear nos acontecimentos históricos ocorridos naquela cidade. No caso de Tambaú, os fatos e histórias relacionados ao Padre Donizetti podem-se constituir em fundamentos na produção e reprodução dos espaços turísticos religiosos. A valorização de locais marcados pela história não pode se perder no tempo, a proteção, conservação, transmissão e identificação, auxilia na preservação dos locais, despertando assim a curiosidade e o consumo, por manter permanências e memória de uma história vivida naquele lugar no passado. Pode-se incorporar um potencial turístico voltado ao patrimônio arquitetônico urbanístico ao turismo religioso de Tambaú. Quanto mais atrativos turísticos planejados a cidade possuir, maior a permanência de turistas na cidade, e quanto maior a permanência, maior seu gasto, e consequentemente, melhorias na economia local. A criação de algum meio de locomoção para visitantes chegarem até esses outros atrativos turísticos já seria uma segunda opção de renda e de valorização dos lugares de memória existentes em Tambaú.

Desde nossos tempos de criança, quando era visitado alguns locais com a presença dos pais, esses nos deixam marcas, as quais mais tarde se transformam em recordações. A visita a lugares com certos significados religiosos ou históricos faz com que o passado retome e gere recordações de cada minuto, sensações, emoções vividas ali, naquele local. Hoje em dia é normal deixarmos á mostra nossas recordações, para sempre serem vistas e relembradas, como num passado vivo. Assim funcionam também com os atrativos turísticos, eles representam recordações, e nos transmitem lembranças de tudo que ali se passou ou viveu. Sabe-se que ser histórico, no sentido de ser singular e relevante para a compressão do passado das sociedades, não é suficiente para ser turístico. Isso porque todos os lugares historicamente produzidos não são capazes de atrair fluxos na mesma intensidade. (PORTUGUEZ, 2004, p. 08)

48


Desta citação pode-se ressaltar a ideia de reconstruir, valorizar, restaurar e valorizar certos espaços de memórias para possíveis atrativos turísticos, colaborando assim com o turismo local. “Preservar a memória de fatos, pessoas ou ideias, por meio de construções que as comemoram, narram ou representam, é uma prática que diz respeito a todas as sociedades humanas”. (ABREU, 2003, p. 46) Para os turistas que vêm conhecer a cidade, sua cultura, sua história, o patrimônio arquitetônico, seja ele religioso ou não, atraem suas atenções, pois transmitem recordações. “Museus, arquivos, cemitérios, coleções, festas, aniversários, tratados, processos verbais, monumentos, santuários, associações, são os marcos testemunhas de outra era, das ilusões de eternidade.” (Revista Projeto História, PUC-SP, 1993, p.12) Para se conseguir resgatar uma “memória viva” é necessária uma série de procedimentos, e a cidade de Tambaú tem em sua história fatos e momentos importantes que não ficaram na memória da maioria dos seus cidadãos e não são mostradas aos seus visitantes. Estes necessitam ser resgatados para num futuro próximo auxiliarem no turismo local da cidade, transformando-os em pontos de atrativos turísticos, criando horários de visitações, lojas de souvenires, dentre outras oportunidades que auxiliam na economia.

Cenários das grandes celebrações realizadas pelo Padre Donizetti, a Praça Padre Donizetti Tavares de Lima é hoje o local principal das grandes romarias. Nela encontramos as barraquinhas de lembranças da cidade, e em certas ocasiões ocorrem missas campais. Junto dela encontram-se os principais pontos de visitação da cidade, tais como o Santuário Nossa Senhora Aparecida, a Casa do Padre Donizetti, o Memorial Padre Donizetti com seus Chafarizes e Bebedouros, e também, como marco da arquitetura neoclássica, com seguimentos ecléticos presente em Tambaú, a primeira escola da cidade projetada por Ramos de Azevedo, Dr. Alfredo Guedes, ainda em funcionamento.

Fig..2.24- Praça Padre Donizetti Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, 2010..

A grande massa aflui á cidade trazida pelos trens da Mogiana. Oito composições circulam diariamente nas 24 horas, entre Campinas e Ribeirão Preto parando em Tambaú. Entre a linha reta, com cerca de 1 km, a Rua Campos Sales recebe a multidão, que desce a partir da Estação, cruza o córrego Arrependido, subindo até a Praça dos Milagres. Um rio humano desloca-se lentamente após cada chegada formando a procissão da esperança (AZEVEDO, 2001, p. 24).

49


Fig.2.26- Casa Museu do Pe. Donizetti Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, 2010.

Fig.2.25- Santuário Nossa Senhora Aparecida Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, 2010.

O Santuário Nossa Senhora Aparecida destina-se a recolher os inúmeros fiéis de Padre Donizetti durante as missas, sendo que seu nome é decorrente da grande devoção que o padre tinha por ela. Atualmente, encontram-se ali os restos mortais de Padre Donizetti após sua exumação. Foi construída em 1996, onde antigamente existia a Igreja de São José. Padre Donizetti hoje se encontra em processo de Beatificação na Congregação da Causa dos Santos em Roma, na Itália, para se tornar mais um santo brasileiro, e todo processo, fotos, registros de milagres estão em exposição neste espaço. Localizada na Praça Padre Donizetti, logo a frente da Casa de Padre Donizetti (Museu), funciona de segunda a domingo das 07h00 as 17h00.

Considerado hoje como a Casa dos Milagres, A casa do Padre Donizetti abriga os seus pertences, juntamente com inúmeras peças feitas em resina (cabeças, pés, braços pernas, etc.), muletas aparelhos ortopédicos, centenas de óculos e latinhas de cerveja, que foram deixados por fieis por alguma graça alcançada. Localiza-se próximo à Praça Padre Donzetti e permanece aberta à visitação diariamente das 06h00 às 17h00.

50


Fig.2.28-Memorial Padre Donizetti Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, 2010.

Fig.2.27- Chafarizes e Bebedouro Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, 2012.

Localizados logo atrás do Memorial Padre Donizetti, os chafarizes e bebedouro também foram construídos com materiais da cidade, neste caso com potes, vasos e revestimento cerâmico. Foram construídos em 2008 e fornecem água potável para os romeiros, peregrinos e visitantes que chegam à Praça Padre Donizetti.

Pode-se dizer que o Memorial Padre Donizetti traduz a cidade de Tambaú, sendo todo construído com materiais que fazem parte da economia local. É formado por um cruzeiro e um painel todo em mosaico de pastilhas com a imagem de Nossa Senhora, Padre Donizetti e a Igreja de São José. Constitui o único espaço totalmente acessível às pessoas com dificuldade de locomoção, sendo cenário de postais e recordações da cidade.

51


Fig.2.30- Romeiros nas Barraquinhas Fonte: CURY, 2008.

Fig.2.29- Escola Alfredo Guedes Fonte:Site Jornal O Tambaú, 2012.

A Escola Alfredo Guedes foi inaugurada em 1.914 recebendo o nome de Grupo Escolar de Tambaú. Em 1.936, o Professor Antonio Dias Paschoal, na época diretor da escola, sugeriu que fosse dado o nome de Alfredo Guedes homenageando o ilustre benfeitor da cidade. Projetada pelo Arquiteto Ramos de Azevedo e demais colaboradores, segue modelo eclético com base neoclássica, sendo composta por um edifício de dois andares, com 20 salas no total, divididas por corredores centrais. Durante todos esses anos de trabalho em prol da cultura, a escola Alfredo Guedes é reconhecida por toda a comunidade tambauense como uma escola que acredita e investe na educação. Em 2002, o prédio foi tombado pelo CONDEPHAAT sendo considerado Patrimônio Histórico e garantindo assim sua preservação. Em 31 de Janeiro de 2007 a escola aderiu ao Convênio da Municipalização na Parceria Estado/Município sendo denominada Escola Municipal de Ensino Fundamental ALFREDO GUEDES.

Aos domingos, milhares de barraquinhas tomam conta das ruas ao redor da Praça Padre Donizetti e do Santuário Nossa Senhora Aparecida. É possível encontrar tudo que se precise nessas barraquinhas, mas a maior parte está voltada para lembranças da cidade de Tambaú ou de Padre Donizetti, como: camisetas, fitinhas, terços, bonés, livros, entre outras coisas.

52


Fig.2.32- Fachada Casa da Criança Fonte: BUENO, 2012.

Fig.2.31- Fachada Lar São Vicente Fonte: BUENO, 2012.

Obra realizada por Padre Donizetti, o Lar São Vicente abriga hoje cerca de 70 idosos, que dormem, almoçam, e jantam neste local. Em frente ao lar, uma segunda imagem do Padre Donizetti feita em bronze, em tamanho menor, recepciona os moradores e os visitantes do local. Chalés e chafarizes enfeitam e alegram os jardins em frente ao estabelecimento .Este é mantido ate hoje por meio de doações.

Fundada em 1935, é mais uma obra construída por Padre Donizetti. Hoje a casa da criança funciona como creche integral, que possui salas de aula, salas de informática, espaço para praticas de esporte, horta, e nos períodos noturnos serve como escola de cursos profissionalizante como: informática, auxiliar de vendas, empreendedorismo, auxiliar de departamento de pessoal, auxiliar de escritório, recepcionista, pizzaiolo, padeiro e confeiteiro e modelador de peças em cerâmicas, todos desenvolvidos em parceria com a escola SENAI, também oferece cursos de nível superior em parceria com a Universidade de Santo AmaroUnisa nas áreas de: Tecnólogo em Segurança do Trabalho, Tecnólogo em Marketing, Serviço Social, Pedagogia e Administração

53


Fig.2.34- Arte Sacra no Cemitério de Tambaú Fonte: BUENO, 2012.

Fig.2.33- Estátua de Padre Donizetti Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, 2010.

Confeccionada por Irineu Migliorim no ano de 1999, a estátua do Padre Donizetti possui uma base de 6,25m² e uma altura de 8,00m. É muito visitada aos domingos pelos devotos que vêm à cidade e fazem aos seus pés suas orações pedindo a intercessão do Servo de Deus

O Cemitério Municipal constitui um grande acervo de esculturas em mármore e granito, datados do inicio da década de cinquenta, seguindo influências do Barroco e Rococó, que atraem milhares de visitantes, os quais caminham dentre estes para chegarem ao Mausoléu do Padre Donizetti. Localiza-se na Avenida Angelina Lepri, logo a frente do terminal turístico religioso, esta aberta à visitação diariamente das 07h00 as 05h00.

54


Fig.2.36--Réplica da Igreja de São José Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, 2010.

Fig.2.35- Mausoléu Padre Donizetti Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, 2010.

O Mausoléu Padre Donizetti é considerado um dos atrativos mais visitados pelos romeiros na cidade. Nele repousava o corpo de Padre Donizetti antes de ocorrer sua exumação. Hoje, o espaço de onde foram retirados seus restos mortais (2009) encontrase coberto por uma placa de vidro espessa, onde surgiram milhares de gotículas d’água, causando impressão na população local e nos visitantes, os quais não contam com explicação para esse fato. Localizado dentro do Cemitério Municipal, permanece aberto diariamente das 06h00 às 17h00.

A Igreja de São José foi utilizada por Padre Donizetti desde sua chegada à cidade de Tambaú, tendo sido construída em 1900 e demolida em 1961, para a construção do Santuário Nossa Senhora Aparecida. A réplica teve sua inauguração em junho de 2001, onde num processo de restauração, foram colocados os caixilhos, portas, azulejo hidráulico, altares e bancos como os de 1900. Localiza-se no Terminal Turístico Religioso, onde se realiza a missa campal para milhares de fiéis que vêm a Tambaú no dia do aniversário de morte do padre.

55


Fig.2.38- Fachada Igreja São Sebastião com a praça Fonte: BUENO, 2012.

Fig.2.37- Terminal Turístico Religioso Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, 2010.

Espaço destinado à realização de missa campal, nas festividades do Padre Donizetti, o Terminal Turístico Religioso de Tambaú recebe certa de 30mil pessoas que saem do Santuário Nossa Senhora Aparecida em uma marcha nomeada “Marcha da Fé” até este terminal, onde se realiza a missa campal e logo após o espetáculo da chuva de rosas, quando ultraleves sobrevoam o território jogando inúmeras quantidades de pétalas bentas, colorindo o céu tambauense e encantando os visitantes e romeiros. O terminal conta com chalés de descanso, sanitários, um cruzeiro, marco zero do caminho da fé, monumento do programa “Caminhos do Ouro” da Rede Globo, monumento da Rota dos Bandeirantes, réplica da igreja de São José, o cemitério onde se encontra o Mausoléu do Padre Donizetti e a estátua em Bronze do Padre.

Localizada próximo ao Cemitério Municipal, na entrada do bairro Padre Donizetti, a Igreja São Sebastião foi construída por moradores do bairro com parceria a diocese de São João da Boa Vista. Em sua frente, localiza-se uma praça onde se realiza quermesse no mês de janeiro em louvor a São Sebastião. É uma igreja meio distanciada da zona central, porém é de grande importância para a cidade, pois sua arquitetura é pensada em matérias da cidade, no caso tijolo. Todo fechamento lateral, e altar mor são feitos em tijolos aparentes.

56


Fig.2.40- Logotipo do Caminho da Fé Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, 2010.

Fig.2.39- Fachada Igreja do meio Fonte: BUENO, 2012.

Com o movimento sócio-religioso da cidade, a mesma foi dividida entre a “cidade” e o “patrimônio”. Entre os dois, na esquina das ruas Santo Antônio e Coronel Bittencourt, localizava-se o prédio da Sociedade Italiana Vittorio Veneto, criada em 1985. Mais adiante este prédio foi doado à paróquia de Tambaú, quando servia de depósito para o armazenamento de materiais religiosos, ora era utilizado como salão para quermesses também. Em 1962, o pároco da cidade resolveu abri-lo para missas, assim nasce a capela de Nossa Senhora, igreja do Meio, como é conhecida pelos Tambauenses.

Inspirado no Caminho de Santiago de Compostela, o Caminho da Fé teve início na cidade de Águas da Prata, no dia 11 de fevereiro de 2003, e prolongou-se até Tambaú em 16 de Junho de 2003. Considerado como um turismo de aventura e fé é o segmento mais procurado por peregrinos de todo Brasil na cidade de Tambaú, que percorrem trilhas entre cidades mineiras e paulistas conhecendo um pouco da história e cultura de cada uma. Desde sua criação até o mês de dezembro de 2011, foram emitidas 5.020 credenciais para peregrinos do Brasil e exterior. O caminho possui 429 km de extensão, podendo ser percorrido através de caminhada, durante cerca de 15 dias, ou de bicicleta, em cinco dias. Tem como ponto inicial a cidade de Tambaú e ponto final a cidade de Aparecida, cortando o sul do Estado de Minas Gerais pela Serra da Mantiqueira. Existem inúmeras pousadas ao longo de todo o percurso, onde o peregrino pode pernoitar. O caminho é todo demarcado por setas amarelas, que constituem uma linguagem universal em todos os caminhos existentes.

57


Fig.2.42- A trilha no meio do canavial Fonte: Site Caminho da Fé, 2009.

Fig.2.41- Peregrinos durante o caminho da Fé Fonte: Site Caminho da Fé, 2009.

As FIGURAS (4.2.17.1, 4.2.17.2, 4.2.17.3, 4.2.17.4) a seguir mostram o mapa completo da rota do Caminho da Fé, juntamente com imagens deste.

Fig.2.43- Ciclistas durante o Caminho da Fé Fonte: Site Caminho da Fé,2009.

58


. Fonte: Site Caminho da Fé, 2009

Fig.2.44 - Mapa de Rota do Caminho da Fé

Com contato direto á natureza como nas Figs, esse caminho convoca os peregrinos a um momento de oração, e reconhecimento do seu próprio “eu” interior, passando a valorizar seu ser existente juntamente com a preservação da natureza em seu entorno.

59


Fig.2.46- Igreja Matriz Santo Antonio Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, 2010.

Fig.2.45- Imagem das chaminés no distrito industrial Fonte: CURY, 2011.

Foi em 1917, com a chegada do português Francisco Cordeiro do Valle, trazendo tecnologias europeias, que a primeira fábrica foi construída na cidade de Tambaú, que se utilizava de prensas manuais para a confecção de telhas. Meses depois surge a prensa elétrica, a fábrica de manilhas e os primeiros caminhões com caçamba para o carregamento da matéria prima. Era o inicio do parque industrial de cerâmica vermelha, a maior riqueza caracterizada da cidade. Contrastando com o cenário das fazendas de café, chaminés cresceram no chão com rapidez, transformando a pequena cidade na “cidade das chaminés fumegantes”, atualmente titulada como “Capital da Cerâmica Vermelha”. O Distrito Industrial de Tambaú conta hoje com 85 cerâmicas, sendo elas assim distribuídas: 70 fabricantes de cerâmica vermelha (telhas, tijolos, lajotas, tubos cerâmicos, pisos rústicos), 11 produtoras de vasos artísticos e 4 do segmento de pisos e pastilhas para revestimentos, sendo algumas conhecidas mundialmente como a cerâmica Atlas, Del Favero, e Lepri.

A Matriz Santo Antônio foi construída em 1919, com toda pintura interna realizada pelo artista plástico tambauense Ernesto Ricciardi. No ano de 1929, foi palco de um terrível incêndio que reduziu a cinzas 22 imagens de santos, permanecendo intacta entre elas apenas a imagem de Nossa Senhora Aparecida, retirada no meio das chamas pelo Padre Donizetti, com auxilio da população. Esta imagem tinha acabado de chegar de Roma, e logo após o incêndio, foi levada pelo Padre Donizetti para o altar da Igreja de São Jose, onde dava sua benção todos os dias. A matriz localiza-se na Praça Santo Antonio, no centro da cidade de Tambaú.

60


Fig.2.48- Horto Florestal de Tambaú Fonte: Site Jornal O Tambaú, 2010.

Fig.2.47- Praça Santo Antonio Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, 2012.

Considerada a mais antiga praça tambauense, era na Praça Santo Antônio que antigamente se praticava o ato de “footing”, quando homens e mulheres davam voltas na fonte para flertar. Dedicada a Santo Antonio, que é o padroeiro da cidade de Tambaú, a praça apresenta em sua parte arquitetônica, um coreto e uma fonte luminosa. Aos finais de semana, a praça é ponto de referência para encontro das famílias tambauenses, famosa pelos animais, bancos, mesas, símbolos e pelo próprio nome da cidade escrito com o arbusto Cipreste.

A Associação de Reposição Florestal do Pardo Grande, ONG criada no ano de 1990, fornece ao Horto Florestal Verde Tambaú mudas de plantas nativas e eucaliptos para a reposição florestal em função da queima de madeira nos fornos das cerâmicas artísticas da cidade. Até os dias atuais, o Horto Florestal Verde Tambaú foi responsável pelo plantio de cerca de 8 milhões e 300 mil mudas. Nele se desenvolvem atividades como coleta, beneficiamento armazenamento e plantio de sementes para atendimento do mercado. Com capacidade de produção de 1 milhão e 500 mil mudas por ano, sendo 1 milhão de eucaliptos (espécies exóticas) e 500 mil de mais de 100 espécies nativas, através de produção de mudas feitas por tubetes e irrigação por micro aspiração, atua em 69 municípios ao redor de Tambaú, entre eles Araraquara e São Carlos. Fonte: Site do Horto Florestal,2010.

61


Fig.2.50- Museu Histórico Fonte: Site Associação Cultural Quintal das Artes, 2010.

Fig.2.49- Biblioteca Municipal Fonte: Site Biblioteca Municipal, 2012.

A Biblioteca Publica Municipal funciona atualmente em um edifício totalmente restaurado que mantém em sua fachada toda a arquitetura do antigo prédio onde na década de 60 funcionava uma fecúlaria. Pode-se encontrar em seu acervo diversos tipos de obra, tais como gibis, literatura infanto-juvenil, revistas, jornais, diários, registros históricos do município, além de acesso a internet. Nela também ocorrem exposições e peças teatrais de pequeno porte.

Localizado em um dos primeiros casarões a serem construídos na cidade de Tambaú (inicio do século XX), o Museu Histórico conta com um grande acervo dividido em salas, que representam numa constante linha do tempo na história da cidade. Nas paredes, um restauro contemporâneo fez com que renascessem pinturas e afrescos datados de 1905 de autoria de um artista italiano. Localizado na Praça Carlos Gomes, ao lado da Antiga estação Ferroviária (atual Gabinete do Prefeito Municipal), funciona de segunda a sexta feira das 8h00 as 17h00.

62


Fig.2.52- Portal de Entrada Parque Ecológico Municipal Fonte: BUENO, 2010.

Fig.2.51- Antiga Estação Ferroviária de Tambaú Fonte:Site PANÔRAMICO, 2010.

Para auxiliar no desenvolvimento de Tambaú, a questão do transporte foi fundamental, ainda mais quando se obteve o avanço da cultura cafeeira e não havia meios de escoar a produção do município pela ausência de estradas. Foi no dia 08 de outubro de 1887 que os trilhos da Companhia Mogiana chegaram a Tambaú, marcando o desenvolvimento do povoado e auxiliando no escoamento do café. Em 1887, foi construída também a casa da Estação, que completa o conjunto arquitetônico eclético da Estação Ferroviária de Tambaú. Hoje, seus traços arquitetônicos permanecem originais, e funcionam alguns departamentos da Prefeitura municipal, juntamente com o Gabinete do Prefeito.

Em fase de construção, o Parque Ecológico Municipal pode se tornar mais um atrativo turístico totalmente ligado à natureza para todos os visitantes que vêm a Tambaú. O Parque Ecológico contará com uma superestrutura onde agregará o Departamento do Meio Ambiente, Salas de Educação Ambiental, Espaço para eventos, Espaço para Picnic, e inúmeras atrações voltadas ao meio ambiente e a sustentabilidade.

63


Fig.2.53-Cascatas Fazenda Rebojo Fonte: Departamento de Turismo e Eventos, 2008,

Para aqueles que adoram um Turismo de Aventura e Natureza, esse é o lugar certo. As cachoeiras do rebojo atraem visitantes para a prática de rapel, escalada, tirolesa. Em meio a um sitio fechado por mata, as quedas sobre pedras atraem os olhares dos visitantes que terminam em areias finas e brancas convidando a um mergulho em águas geladas.

Nem a morte ou o tempo conseguem apagar a memória e a fé sobre a imagem milagreira de Padre Donizetti. Passaram-se cinquenta anos de seu falecimento e a pequena cidade de Tambaú ainda é palco do recebimento de inúmeras caravanas com romeiros que visitam a cidade para pedir ou agradecer graças. A maior quantidade de visitantes se resume no domingo mais próximo ao dia 16 de Junho, que é quando a cidade de Tambaú comemora o aniversário de morte do Padre Donizetti. Neste dia, a cidade sofre com a superlotação – cerca de 30.000 romeiros, visitantes e peregrinos chegam à cidade, vindos de todas as partes do Brasil. É impressionante a quantidade de pessoas que vêm à cidade nesta ocasião, por trás de cada rosto, um testemunho diferente de fé, esperança e gratidão. Logo às 5:00h da manhã, nesta data, a cidade se torna impossibilitada de dormir, com a quantidade de ônibus chegando à cidade e atravessando as pequenas ruas, a prosa alta dos romeiros com pedidos de informações, os carros de turistas e os carros de som que rondam pela cidade festejando o dia importante que está nascendo para os tambauenses acompanhados de fogos de artifício que iluminam o céu no amanhecer e despertam quem ainda descansa. As missas se iniciam a partir das quatro horas da manhã, e estão sempre lotadas. A mais esperada e mais concorrida é a missa das seis horas, à qual milhares de fiéis assistem pelo lado de fora da igreja ou em pé pelos corredores dentro da igreja. O horário mais esperado é o das 8:00h, quando se inicia a marcha da fé. Milhares e milhares de pessoas acompanham o trajeto cantando e rezando, e neste momento é impossível não se emocionar pelas demonstrações de fé. São pessoas humildes que vêm para a cidade, com expressões de cansaço pela viagem, e por terem acordado muito cedo, mas que permanecem com sorrisos radiantes por estarem ali.

64


Fig.2.55- Chegada da Marcha da Fé no Terminal Turístico Religioso Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, 2011.

Fig.2.54- Romeiros em frente ao Santuário Nossa Senhora Aparecida Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, 2011.

Esta marcha consiste em uma procissão entre o Santuário Nossa Senhora Aparecida e o Cemitério Municipal para relembrar o cortejo do dia de falecimento do padre, quando é celebrada, no “atual” Terminal Turístico, uma missa campal pelo Bispo Diocesano.

65


66

Fig.2.57- Vista da Missa Campal, pós Marcha da Fé no Terminal Turístico. Fonte: Departamento de Turismo e Eventos, 2009 .

Fig.2.56- Saída da Marcha da Fé em frente ao Santuário, ao fundo o carro decorado com a foto de Padre Donizetti Fonte: Departamento de Turismo e Eventos, 2011.


Fig.2.58- Trajeto da Marcha da Fé, partindo do Santuário Nossa Senhora Aparecida-Praça PE. Donizetti até a Réplica da Igreja São José-Terminal Turístico Religioso Fonte: BUENO, 2012.

As Figs. 4.3.1.5 e 4.3.1.6 ilustram o trajeto da Marcha da Fé, juntamente com todos os pontos de interesse que os turistas veem durante a procissão. É normal, nesta data, observar as casas enfeitadas com altares em homenagem á Virgem Maria. A parada mais emocionante se faz no momento em que a marcha para em frente ao Asilo Municipal, onde homenagens ao padre são prestadas pelos idosos ali residentes.

Área do projeto de revitalização

67


Fig.2.59- Trajeto da Marcha da Fé, com os pontos de interesse ao turista. Fonte: BUENO, 2012.

Pontos de interesse ao turista na rota da marcha da fé

Este trajeto é um dos focos principais deste trabalho, sobre o qual devemos ressaltar a precária acessibilidade local, agravada pelo fato de que a maioria dos turistas que vêm à cidade nesta data é idosa ou possui algum tipo de deficiência, que buscam por curas, ou promessas. O trajeto é grande, e as ruelas de Tambaú, cheias de saliências e algumas “crateras”, dificultam a circulação dessas pessoas. Neste percurso, existem também vazios urbanos (Figs, 4.3.1.2A) não cuidados por seus proprietários ou pela prefeitura local, prejudicando a qualidade da paisagem urbana. Ressalta-se que as entrevistas para o estudo de caso deste trabalho serão realizadas na próxima Marcha da Fé, que acontecerá no dia 17de junho de 2012, e logo após anexada neste.

68


Tal situação insere-se entre os desafios que a sociedade brasileira contemporânea ainda enfrenta em relação às questões da desigualdade social. Mesmo em um quadro de democracia avançada e de ampla participação social são recorrentes as contradições que, historicamente, apresentam-se sobre várias formas de exclusão, manifestadas pela pobreza, pelo preconceito, pela intolerância, pela segregação. Nesse contexto, o turismo apresenta-se como uma forma de promover o bem-estar social na medida em que se consiga não impedir, negar, limitar ou condicionar o acesso aos bens, equipamentos, atrativos e serviços turísticos, de modo a garantir a igualdade de direitos e condições aos cidadãos. Ou seja, um Turismo Social.[5]

Como dito anteriormente, a maioria dos visitantes que vem a Tambaú, consiste de pessoas idosas ou que possuem algum tipo de deficiência. A área demarcada como a rota da “Marcha da Fé” é uma das mais visitadas pelos turistas quando chegam à cidade. Este trajeto é uma rota de transição turística entre vários atrativos como o Cemitério Municipal (onde está localizado o túmulo de Padre Donizetti), a estátua em bronze de Padre Donizetti, o Asilo, a Casa da Criança, o Terminal Turístico Religioso, e estes não apresentam condições adequadas de acessibilidade. Neste sentido, é importante que a proposta apresentada nesse trabalho aplique o disposto na norma NBR 9050: 2004, de modo a oferecer melhores condições de mobilidade e acessibilidade, condições estas que podem contribuir para o desenvolvimento do turismo local, projetando a igualdade social e garantindo acessibilidade a todos, independente das diferenças, entendendo as mesmas como regra e não como exceção, afinal são essas pessoas assim – com algum tipo de deficiência ou idosas – que movimentam a economia do turismo religioso local. Segundo dados obtidos pelo censo do IBGE 2010, 24% da população brasileira apresenta algum tipo deficiência, totalizando aproximadamente 45,6 milhões de pessoas. Esses números não consideram as pessoas com restrição de mobilidade. Tais dados apontam, também, que 14 milhões de pessoas são idosas, o que representa 8,6% da população.[6] Além de promover a adequação dos espaços para o recebimento desses visitantes, seria de extrema importância contar com voluntários que já trabalham com pessoas portadoras de algum tipo de deficiência, para auxiliarem no entendimento do histórico da cidade e do Padre Donizetti, nos atrativos turísticos oferecidos. Para o melhor funcionamento destas atividades, seria importante a criação de bases de apoio ao deficiente dentro da rota da “Marcha da Fé”, onde tais profissionais poderiam ser encontrados para passar informações durante o acompanhamento para deficientes físicos, auditivos, visuais, mentais, ou que possuem mobilidade reduzida ( dificuldade do movimento). Segundo Sassaki (2003), o processo de inclusão social acontece quando a sociedade é ajudada a modificar seus sistemas de lazer e turismo para que todas as pessoas, com ou sem deficiência, possam participar juntas e ativamente de suas atividades nos mesmos locais, desfrutando de momentos de lazer em ambientes comuns. O mesmo autor defende que a atividade turística pode provocar uma satisfação pessoal ao realizar uma viagem ou ter acesso a uma atividade de lazer, pois são fatores que provocam sensações consideradas mais importantes para as pessoas. Ressalta-se também a importância da promoção da acessibilidade e da mobilidade em todos os atrativos turísticos, restaurantes, supermercados, enfim, em todos os equipamentos oferecidos pela cidade que o visitante possa usufruir. Esta questão pode ser identificada como um ponto para revisão do Plano Diretor de Tambaú que é omisso com relação a este tema.

Nas Figs. 2.60 a 2.62 é ilustrada a questão da mobilidade e acessibilidade na rota da Marcha da Fé.

[5]

Fonte: Turismo e Acessibilidade, Manual de Orientações. Disponível em: http://www.turismo.gov.br/export/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/MIOLO__Turismo_e_Acessibilidade_Manual_de_Orientaxes.pdf acesso em: 12/04/2012 [6]

Fonte: Turismo Acessível. Disponível em: http://www.turismo.gov.br/export/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/Cartilha1Verde.pdf acesso em: 12/04/2012

69


Inexistência de rampas de acesso, calçadas com piso inapropriado para cadeirantes, idosos e portadores de deficiência visual.

Fig.2.60- Rota da Marcha da Fé Fonte: BUENO,2012.

70


Existência de barreiras que atrapalham a passagem nas calçadas, arvores sem podas adequadas,buracos entre os paralelepípedos, calçada com piso quebrado dificultando a passagem para os portadores de necessidade especial Fig.2.61- Rota da Marcha da Fé Fonte: BUENO,2012.

71


Asfalto com buracos dificultando a passagem, sem presença de rampas, calçadas inadequadas e calçada sem piso (somente terra batida)

Fig.2.62- Rota da Marcha da Fé Fonte: BUENO,2012.

72


Fig.2.63- Trajeto da Marcha da Fé, com localização dos vazios urbanos na área Fonte: BUENO, 2012.

De acordo com a Fig.2.63, entende-se como praças locais abertos com alguma funcionalidade voltados ao lazer; vazios urbanos, áreas não cuidadas com mato alto (terrenos); e pontos turísticos, locais de visitação nesta área. Pode-se ressaltar o valor desses vazios urbanos presentes área para a implantação de equipamentos de apoio ao Turista, que podem assim contribuir com o crescimento de bases para o turismo local e com o embelezamento do local por onde se passa a Marcha da Fé. Apresentam-se ideias para estes vazios no capitulo a seguir, onde se trata a justificativa do projeto de revitalização.

73


Fig.2.64- Momento em que o avião “monomotor” lança as pétalas no céu. Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú,2011.

A chuva de pétalas de rosas aconteceu pela primeira vez no dia 22 de maio de 1955, quando a pequena Tambaú se tornou palco de um dos mais comoventes espetáculos ao ar livre. Com a intenção de homenagear Padre Donizetti, a população de São Paulo se organizou e recolheu pétalas de rosas vindas de toda parte do mundo. Logo no final de sua benção aos romeiros, foram arremessadas do céu por “monomotor” milhares de pétalas que coloriram o céu. Calcula-se que cerca de 100 mil pessoas assistiram a esse espetáculo. Ate os dias atuais, mantém-se viva essa tradição. Logo após o término da missa campal na Marcha da Fé acompanhada pela Benção do Padre, a esquadrilha da fumaça ou helicópteros jogam milhares de pétalas sobre a multidão, que aplaude, canta e se emociona com o momento. Diz a lenda que as pétalas devem ser guardadas, pois trazem a cura necessária para cada um que a pegar ainda quando está caindo do céu.

Fig.2.65- Momento em que o avião “monomotor” lança as pétalas no céu, que caíram sobre o publico Fonte: CURY, 2008.

74


75

Fig.2.67- Milhares de fiéis espera a chuva de rosas Fonte: Departamento de Turismo e Eventos, 2006.

Fig.2.66- Helicóptero no momento em que as pétalas serão lançadas do céu Fonte:Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú, 2006 .


Janeiro: Carreata e Missa em Comemoração ao Nascimento do Padre Donizetti

Fig.2.69-Palhaços da Folia de Reis dançam em apresentação. Fonte:Site Cidades Paulistas, 2009.

Dia em que comemora o nascimento daquele que foi um dos ícones religiosos mais importantes para o povo de Tambaú e do estado de São Paulo, e que esta em processo de beatificação para se tornar mais um “santo brasileiro”, mediante processo que tramita na Congregação da Causa dos Santos no Vaticano. Neste dia, seus devotos realizam uma alvorada às 6:00h. da manhã e em seguida começa uma grande carreata pelas ruas da cidade chegando ao Santuário Nossa Senhora Aparecida, onde é realizada uma missa às 09h00 (horário de nascimento do Padre).

Fig.2.68-Fiéis assistem a missa em comemoração ao nascimento do padre Fonte: CURY, 2009.

De acordo com o Departamento de Turismo e Eventos da cidade, o índice de maiores visitas à cidade de Tambaú é feito a partir das principais datas apresentadas a seguir, omitindo aquelas cujos eventos não atraem tantos visitantes.

Abril: Domingo de Ramos Domingo dentro da semana santa, com procissão e missa no Santuário Nossa Senhora Aparecida às 05h00, 07h00, 10h00 e 18h00. Encontro Regional de Folia de Reis Encontro realizado todos os anos para lembrar o nascimento do menino Jesus, com a participação de companhias de Reis de Tambaú e toda a região, que mantém viva esta tradição de seus antepassados e que passa de geração para geração.

76


Fig.2.70-Caminhonete toda decorada com flores leva a imagem de Nossa Senhora e de Padre Donizetti na procissão Fonte: CURY, 2010.

Junho: Caminhada no Caminho da Fé Caminhada de 28 km, em comemoração pelo aniversário do Caminho da Fé em Tambaú, saindo as 06h30min do Santuário Nossa Senhora Aparecida na Praça Padre Donizetti com destino à cidade de Casa Branca até o Santuário de Nossa Senhora do Desterro. Semana Padre Donizetti Semana voltada à memória do saudoso Padre Donizetti, exibição de filmes, missas com temáticas, palestras, exposições, tudo para manter viva a memória deste que é para Tambaú a pessoa mais importante de sua história. Carreata e missa em comemoração ao dia do Padre Donizetti Realizada no dia 16 de Junho (Feriado Municipal) em que se comemora o dia do falecimento de Padre Donizetti. Logo às 06h00, pelas ruas da cidade de Tambaú, acontecem carreatas, missas e queimas de fogos. Marcha da Fé

Fig.2.71-Fiéis durante a Marcha da Fé Fonte: CURY, 2010.

Procissão que marca a homenagem ao saudoso Padre Donizetti, cujas principais informações foram apresentadas anteriormente.

77


Agosto:

Fig.2.72-Motoqueiros durante trilha de motos Fonte: CAMARGO, 2011.

Trilhão das Cerâmicas Para os amantes do Turismo de Aventura, esta data é a correta para visitar Tambaú. Motoqueiros percorrem trilhas pelas propriedades rurais da cidade e no meio de cerâmicas. Trilha de Jeep e Gaiolas Para os amantes deste esporte Off-Road, trilhas com muita lama e adrenalina pelas matas de Tambaú, em contato direto com rios, brejos e morros.

Novembro:

Fig.2.73-Peregrinos se preparam para sair na trilha do Caminho da Fé Fonte: Departamento de Turismo e Eventos, 2011.

Trilha da Fé Como já apresentado, é a Trilha da Fé é realizada por vários peregrinos que percorrem 429 km de Tambaú a Aparecida do Norte.

78


79


Para o Turismo, o Plano Diretor tentou considerar as importantes situações que são referentes ao turismo religioso. “O turismo em Tambaú apoia-se totalmente no turismo religioso, desconsiderando outras modalidades como o turismo histórico, o turismo ecológico/aventura e o turismo rural. No momento as deficiências locais ás atividades turísticas seriam:

1- Hotéis- são insuficiente até para o turismo religioso, não permitindo que o turista pernoite na cidade. Os serviços muitas vezes são supridos por estruturas familiares. 2-Restaurantes- também não absorvem a demanda em dias de maior movimento, com agravante de não possuir mão de obra capacitada. Neste caso os serviços também são desenvolvidos através de estruturas familiares 3- Informações Turísticas- a divulgação dos eventos relacionados ao turismo religioso emanam da própria prefeitura, sendo lenta e condicionada a falta de infraestrutura receptiva. 4-Atendimento Médico Hospitalar- A infraestrutura existente é a mesma disponível á população local, ou seja, de baixa complexidade. Casos mais complexos devem ser encaminhados para municípios com mais recursos. 5-Falta de área apropriada para estacionamento 6-Falta de sinalização adequada ( Fonte:Plano Diretor Municipal, 2006, p.07)

Para o projeto de Revitalização leva-se em consideração as deficiências apresentadas no Plano Diretor para um melhor desenvolvimento e para deixar mais completo o programa de necessidades apresentado a seguir.

80


Tambaú está passando por períodos de grandes romarias, a cada final de semana que se passa mais e mais ônibus e vans chegam com romeiros vindos de toda a parte do Brasil. Os milagres concebidos por Padre Donizetti têm ganhado fama, e sendo reconhecidos em todas as regiões. Aguardando o processo final de beatificação pelo Vaticano (prestes a se tornar mais um Santo Brasileiro), a pequena cidade chega a receber cerca de 30.000 romeiros [7] em dias festivos, como a Marcha da Fé. Infelizmente a cidade não possui infraestrutura adequada para o recebimento desses romeiros, não disponibilizando hotéis, restaurantes, centros de apoio e de informações, condições de acessibilidade e mobilidade adequadas, e até mesmo atrativos turísticos valorizados. As romarias começam a chegar por volta das 05h00 da madrugada na cidade, e os romeiros necessitam de uma boa recepção, com um bom café. Tem-se o que acontece na cidade neste caso: Todas as madrugadas de domingo (dia em que a cidade recebe maior número de visitantes que vêm para assistirem missa), a Associação de Fiéis do Padre Donizetti se organiza em uma barraca (tenda) e vende café, pedaço de bolo, leite quente, entre outros. Os romeiros compram e fazem sua alimentação matinal em pé, sem nenhuma mesa. Alguns chegam a sentar nos bancos da praça para se alimentar, como pode observar nas Figs. 3.1 e 3.2

Fig.3.1- Barraca de Café da manha em frente a Casa Museu de Pe. Donizetti Fonte:BUENO,2012.

Fig.3.2- Romeiros tomam o café da manha sentados nos canteiros da praça Pe.Donizetti Fonte:BUENO,2012.

81 [7]

Fonte: Dados obtidos através do Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú


Os turistas que chegam hoje em Tambaú cumprem o roteiro apresentado a seguir.: Chegam entre 05h00 e 06h00 (referente aos horários de missa do Santuário). Tomam café da manha ao redor da Praça Padre Donizetti (onde se localiza o Santuário Nossa Senhora Aparecida) e vão para as missas ou para a visita à Casa do Padre – Museu, ou ao seu Mausoléu, localizado no cemitério local. Aproximadamente às 11h00minh, quando já houve o término das missas, das visitas aos pontos turísticos e às barraquinhas de souvenires, cada romaria junta toda sua tripulação e parte para Cachoeira de Emas (outro polo turístico voltado à pesca e aventura), localizado a aproximadamente 34,4 km de Tambaú, onde almoçam e permanecem até o término do dia, realizando atividades voltadas à pesca, náutica e aventura. Neste caso, a economia da cidade está ganhando de três lados: com os próprios moradores, com os visitantes que vão exclusivamente lá, e com visitantes que saem da região para lá. Cachoeira de Emas é um subdistrito da cidade de Pirassununga, sendo o mais importante recanto turístico do Nordeste Paulista, onde há lazer, muito frequentado por pescadores, seja por trabalho ou por esporte, além de ser visitado pelos romeiros que vem da cidade de Tambaú/SP, por causa do Padre Donizetti. Há cálculos que nos dias de maior frequência, o total diário de visitantes chega perto das 20 mil pessoas. Destaca-se também a existência de vários restaurantes e quiosques especializados na culinária à base de peixes. A pesca é uma das principais atrações e, juntamente com o turismo, uma importante fonte de renda. Os principais peixes são: dourado, mandi, curimbatá e piapara. Porém na época da Piracema a pesca é proibida. No local ainda existe um Posto da Polícia Ambiental, braço da PMESP. Fonte: Site Portal do Turismo,2012

Pode-se realizar um calculo rápido sobre a questão da economia local, levando em conta o dia da Marcha da Fé, o dia quando mais se recebem visitante na cidade. Na ultima edição da Marcha, obteve-se uma contagem de 35.000 fieis (Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de Tambaú); pressupondo que cada um gaste em média R$30,00 na cidade (contando com café da manhã, algum lanche, água, refrigerante e lembrancinhas da cidade), a economia nesse caso gira em torno de R$1.050.000,00. Imagine agora uma cidade que ofereça bons espaços adequados para alimentação, atrativos turísticos valorizados, espaços de lazer – essa economia duplica e a cidade se moderniza para atrair cada vez mais turistas, não deixando estes visitantes partirem para passar o restante do dia em cidades vizinhas. Com a falta destes equipamentos de apoio, a cidade “deixa a desejar” para o turista que vem de longe para conhecer um pouco de sua história e sua cultura. A cidade deveria ganhar fama pelo Padre e também pela infraestrutura de recepção ao turista, hoje divulgada na internet, através de sites que dão dicas de cidades para passeios (exemplos: www.turismototal.com.br, www.cidadespaulistas.com.br), como desorganizada e despreparada para o recebimento destes. Como parte da reestruturação necessária à cidade, propõe-se o projeto de revitalização apresentado a seguir, o qual se concentra no Terminal Turístico Religioso existente, ampliando e readequando suas funções conforme as necessidades de recepção aos turistas. Dotada de economia que pode contribuir com esta revitalização, Tambaú facilita a aplicação de técnicas arquitetônicas regionalistas, desenvolvidas a partir da própria cerâmica ali produzida. Criam-se assim alianças entre cidade, produtores e moradores para estabelecer incentivos a outras economias locais, tais como: serviços de guias turísticos, produtos alimentícios feitos a partir da agronomia em destaque na cidade, formação em serviços associados ao turismo em escolas do município, valorização da técnica artesanal local, dentre outras modalidades.

82


Partindo de um programa de necessidades amplo, onde se tenta aglomerar todas as necessidades de atrair e receber bem os visitantes na cidade, em um só lugar, possibilita assim o surgimento de um novo ambiente urbano voltado ao turismo, onde os visitantes/romeiros possam ter acesso direto a espaços para refeições, espaço para lazer, espaço com pousadas e camping, espaços voltados ao conhecimento da cultura tambauense e de Padre Donizetti, espaço para missas, eventos culturais e religiosos, espaços de apoio ao turista e a pessoa portadora de necessidade especial, espaços para vendas de souvenir, dentre outros. Tem-se como principal intenção criar atrativos para que os romeiros permaneçam o dia todo na cidade, não só meio período como foi exposto anteriormente, para estes atrativos e demais construções que farão parte do projeto de revitalização, pretende-se valorizar a economia local (cerâmica) deixando exposto a materialidade que a pequena cidade pode fornecer. A seguir, apresenta-se o programa de necessidades criado a partir das necessidades vivenciadas na pequena cidade e com base no Plano Diretor Municipal . Programa de Necessidades: -Criação de um Centro de Apoio ao Turistas. -Implantação de Mini Chalés de descanso com área de camping. -Elaboração de um Portal do Caminho da Fé -Criação de um espaço adequado para a missa campal. -Criação de áreas de alimentação com chalés padronizados. -Criação de espaços para venda de souvenires com chalés padronizados. -Elaboração de espaços para sanitários. -Implantação de estacionamento para ônibus, vans e carros. -Criação de bases de apoio como: segurança (policia), enfermaria, ao portador de necessidade especial e ao turista. -Implantação do Trem do Pelegrino que percorrerá os pontos turísticos da cidade. -Implantação de bebedouros com água potável. -Criação de espaços de meditação, oração e queima de velas. -Elaborar portais de entrada para recepção dos romeiros. -Criação e padronização de mobiliários valorizando a economia do município. -Elaboração de um novo desenho para a avenida de acesso ao Terminal Turístico Religioso. -Elaboração de um Centro de Aconchego ao Romeiro.

As questões ligadas a acessibilidade deverão ser aplicadas em todos os espaços citados, sendo assim, acessível a qualquer pessoa que nele visitar. Para a criação dessas necessidades apresentadas, levou-se em considerações obras de grandes arquitetos que trouxeram referencias em construções com materiais locais (Arquitetura Regionalista) e terminais turístico religioso.

83


Centro de Recepção ao Turista em Pietrelcina Projeto preliminar criado pelo arquiteto Mario Botta, para a cidade de Pietrecina- Província de Benevento, a cidade do Padre Pio, onde tenta-se englobar uma conexão estreita entre Arte e Arquitetura. Suiço, nascido em Mendrisio-Ticino,Mario Botta começou sua atividade profissional aos 15 anos, quando abandonou os estudos e decidiu trabalhar como desenhista no escritório de Tita Carloni e Luigi Camanish (dois importantes arquitetos da região do Ticino). Somente depois da experiência profissional, Mario Botta acreditou estar preparado para estudar Arquitetura. Como na região onde habitava não havia escolas de Arquitetura na ocasião, havia a opção de estudar em Zurique, Milão ou Veneza. Mario Botta optou por Veneza, embora tenha estudado na Escola de Arte de Milão antes de iniciar o curso de Arquitetura no Instituto Universitario di Architettura (IUA), em Veneza, onde graduou-se em 1969. Sua obra possui influências da arquitetura de Le Corbusier, Louis Kahn e Carlo Scarpa, com quais teve contato durante o curso em Veneza. Iniciou sua atividade de arquiteto em 1970, em Lugano, Itália.E possui como principais obras executadas a Igreja de San Giovanni Battista, em Mogno, Itália; Museu de Arte Contemporânea Watari, Tokio, Japão; Edifício do Bank for International Settlements, em Basel, Suíça Fonte: Site Mario Botta Architect ,2012. Padre Pio de Pietrelcina (25 de maio de 1887 - 23 de setembro de 1968) foi um frei da ordem dos capuchinhos que destinava a sua vida a ajudar as pessoas pelo ministério da confissão. Padre Pio foi canonizado em 2002 pelo papa João Paulo II e dia 23 de setembro foi estabelecido como dia de Santo Pio de Pietrelcina. Fonte: Site São Pio de Pietrelcina,2012.

Este centro gira em torno da figura de Padre Pio, e estão envolvidos no projeto o arquiteto Mario Botta, o artista plástico Mimmo Paladino e o arquiteto Renzo Piano, que se responsabiliza pela criação da igreja de Padre Pio. O projeto é resultado de um investimento público e privado e envolve a criação com técnicas regionalistas (pedra/tijolo) de: uma Casa Recepção, um Hotel para 750 hóspedes, um Cento de Conferência para 1200 pessoas, e uma grande praça, em essência, uma “fortaleza para oferecer hospitalidade, serenidade, recolhimento, dos milhões de peregrinos de todo o mundo” [8]. A partir da planta do projeto, pode-se perceber que a obra é toda definida em formas simples obtidas a partir da geometria plana do terreno. O projeto é construído com volumes, enquadrados com eixos de referência específicos, conforme ilustra a FIGURA 3.3. A difusão entre construção e natureza é exposta a partir de rasgos na edificação e do elemento central (a praça), e a quebra de composição rígida é feita a partir do grande volume orgânico, onde se abriga o auditório

84 [8]

Fonte:Archimagazine, disponivel em: http://www.architectmagazine.com/search.aspx?query=mario+botta acesso dia 02/03/2012


Estacionamentos Casa de Recepção Hotel Centro de Conferencia

Praça Área de alimentação Sanitários Venda de Souvenires

Fig.3.3- Planta Centro de Recepção Fonte:Site Arquiteto Mario Botta,2010.

Portal de entrada

85


Fig.3.5- Maquete Volumétrica Centro de Recepção Fonte:Site Arquiteto Mario Botta,2012.

Fig.3.4- Maquete Volumétrica Centro de Recepção Fonte: Site Arquiteto Mario Botta,2012.

Através das maquetes volumétricas apresentadas nas FIGURAS 3.4 e 3.5pode-se verificar como o espaço é totalmente aberto. Um pórtico de entrada delimita o espaço, porém não se torna necessário adentrar ao ambiente por este. A questão de estacionamento é bem explorado neste, o qual apresenta 3 lados voltados totalmente a vagas, onde pode-se se ressalta a valorização pela intensa arborização.

O pórtico é definido pela própria arquitetura formada pelo Hotel. A questão de cheio e vazio é definida através da caixilharia predominante em todas as faces do hotel. A presença da simetria é vista em todas as construções do projeto, que com harmonia na edificação difunde o meio externo com o interno e a paisagem natural.

Este estudo preliminar para o Centro de Recepção de Mário Botta, em Pietrelcina, se torna uma referência primordial para a revitalização do Terminal Turístico Religioso de Tambaú, pois possui um programa de necessidades parecido com o proposto neste trabalho e deixa marcas nas próprias edificações que podem ser utilizadas para a valorização da paisagem natural existente no entorno do terreno em Tambaú como: grande quantidade de aberturas nas edificações contrapondo o interno com externo, e trazendo iluminação e ventilação natural em prontos estratégicos

86


Além da contribuição do projeto preliminar de Mario Botta, o projeto do arquiteto Renzo Piano para a igreja do Padre Pio também nos traz referencias a serem tomadas para complementação do projeto de revitalização proposto

Arquiteto italiano, Renzo Piano nasceu a 14 de setembro de 1937, em Genova. Seguindo os passos do seu pai, que era arquiteto, Piano estudou na Faculdade de Arquitetura de Florença e no Politécnico de Milão. Após um curto estágio no gabinete do pai, viajou para Inglaterra e para os Estados Unidos da América onde trabalha com alguns arquitetos de renome, de entre os quais o americano Louis Kahn. Fonte: Site Infopédia, 2012 .

O projeto da Igreja de São Pio desenvolvido por Renzo Piano tem-se como ideia principal a criação de um ambiente que, ao mesmo tempo em que seria grandioso (porque milhares de peregrinos frequentariam o lugar), este fosse recolhido, acolhedor e simples, assim como a personalidade do homenageado. Utilizou-se de materiais encontrados em abundância na região, no caso a pedra, a madeira e o vidro. A cobertura da igreja é construída por painéis de cobre pré-patinado de tamanhos diversos estruturados com madeira sobre os arcos feitos em pedra, organizados de maneira a tornar o ambiente convidativo e acolhedor. Centenas de cabo de aço foram instalados entre os arcos estruturais, de modo que caso haja algum terremoto, a construção permaneça erguida. Para que internamente fosse mantido o tom sereno e discreto, a nave foi colocada de maneira a se unir aos demais setores de 300 a 400 cadeiras, onde os fiéis se sentariam, aproximando-os o máximo possível. Com a intenção de mesclar o interior com o exterior, o arquiteto trabalha a luz natural, que ao entrar na igreja, provoca um aspecto levemente dramático, dirigindo-se diretamente ao altar. Um crucifixo foi elevado a 40 metros de altura, marcando assim o ponto de entrada. Oito sinos estão situados nas primeiras nove colunas, medindo 25 metros de altura, do adro da igreja. Unindo a arquitetura à arte, a Igreja tem capacidade para até 6.500 pessoas, em seus 6.000 m², e com sua área externa, de 9.000 m², há espaço para cerca de 30.000 pessoas. Além de Renzo, foram chamados outros artistas para completarem seu projeto, entre eles Arnaldo Pomodoro, que ficará responsável pela cruz no altar, Lichteistain Roy, para a capela de eucaristia, Susumu Shingu, para criação de tanques de água ao longo da praça, e Giuliano Vangi para instalação de grupos escultóricos.

Fig.3.6- Fachada da igreja de São Pio Fonte: Site Arquitetura do Sagrado, 2012.

87


A igreja agrega, ao seu redor, outros espaços voltados totalmente aos peregrinos que a visitam – uma cripta para 800 pessoas, três salas de conferência com 1000 lugares, salas de abrigo ao peregrino com serviços, salas para pequenos grupos de oração e salas de administração. O espaço público, também criado em frente a igreja, é inclinado, convida os peregrinos para uma aproximação com a igreja, e já forma assim uma platéia para os dias de missa campal. Enormes tanques de água acompanham a topografia que criam pequenas cascatas em espelho d’água e trazem um ar de tranquilidade junto a poucas e únicas arvores típicas da região a imensa praça seca

Igreja Tanques de água Praça seca

Fig.3.7- Implantação da igreja de São Pio Fonte: Site Arquitetura do Sagrado, 2012.

Torre Sineira

O formato em caracol se implantou perfeitamente no terreno, onde se torna perceptível a intenção de convidativa aos romeiros que ali chegam para visitar a adentrar-se ao espaço

88


Fig.3.8- Maquete volumétrica da igreja de São Pio Fonte: Site Arquitetura do Sagrado, 2012.

A integração com o exterior , como pode-se conferir na FIGURA 3.8 da maquete volumétrica, nos remete à valorização de paisagens naturais ao redor da construção, no centro da construção esta não é difundida criando uma harmonia entre a praça seca, os tanques de água e a flora ao redor

.

Na edificação, os vãos que captam a luz solar natural para o interior das obras são grandes e já garantem uma relação de integração entre interior e exterior. A utilização da arquitetura regionalista nesse projeto traduz técnicas com arcos em pedra bruta que apresentam uma nova leitura na utilização dos materiais da região.

Fig.3.9- Telhados da igreja de São Pio Fonte:Site Arquitetura do Sagrado, 2012.

89


"I have tried to arrange the vast spaces and surfaces in such a way that the gaze of visitors can be lost between the sky, the sea and the earth." Renzo Piano

Fig3.10- Vista aérea da igreja em dias de peregrinação Fonte:Site Arquitetura do Sagrado, 2012.

(Tradução:"Tentei organizar os vastos espaços e superfícies, de tal forma que o olhar dos visitantes pode ser perdido entre o céu, o mar ea terra." Renzo Piano)

Fig.3.12- Interior da igreja, com os arcos em pedra Fonte:Site Arquitetura do Sagrado, 2012.

Fig.3.11- Praça seca e os tanques de água Fonte: Site Arquitetura do Sagrado, 2012.

90


Fig.3.13-Corte da igreja de São Pio Fonte:Site Arquitetura do Sagrado, 2012.

A obra de Renzo colabora para a revitalização a ser implantado no Terminal Turístico Religioso em Tambaú,que pretende trabalhar com valorização da topografia local, novas técnicas na construção aplicadas a partir dos materiais em abundancia na região, a valorização da paisagem natural, da iluminação e ventilação artificial e o principalmente a integração entre edificação, entorno e espaço público (praça).

91


As cerâmicas locais passam a ser alvo principal para aprimoramento do projeto de revitalização , todas as construções deverão utilizar-se de técnicas regionalistas, levando em conta a utilização do tijolo, telha, revestimento cerâmico, e como implementos os vasos artísticos cerâmicos e manilhas cerâmicas. São varias referencias para construções com cerâmicas que pode-se citar, sempre prevendo novas flexibilidades e volumetrias com o emprego do material. Como solução inovadora, cita-se o arquiteto espanhol Vicente Sarrablo , o qual criou na Catalunha uma solução chamada Flexbrick , que emprega tijolos na composição de “peles” próprias para pavimentação, paredes, coberturas, abóbodas, etc. De um lado, faz-se assim um resgate da condição versátil do material, relembrando que ele se presta à realização de um todo homogêneo na construção. Do outro, recoloca a cerâmica no rol dos materiais que, nada arcaicos, agregam tecnologia e apontam para o futuro. ( Fonte: Site Flexbrick,2012)

Fig.3.14- Modelo de aplicação da pele cerâmica Fonte: Site Flexbrick,2012.

Com o programa de necessidades apresentado, pretende-se não utilizar somente o terreno escolhido, mas também os vazios urbanos levantados anteriormente ao longo do percurso, onde a movimentação turística é forte, no caso, o percurso da Marcha da Fé (Fig.___, pag.__). Pretende-se valorizar esses vazios com equipamentos de apoio ao turista, tais como: Posto Policial, Posto de Informações Turísticas, Posto de Apoio ao Portador de Necessidade Especial, Posto de Auxilio à Saúde (enfermagem), e pode-se pensar também na possibilidade de implantação de algum atrativo, como uma casa de velas, ou espaços para pequenas orações. Para a criação dessas bases de apoio tem-se como referencia para incorporação da proposta de projeto , as edificações em circulo com cúpulas em tijolos da Residência dos Padres Claretianos em Batatais do arquiteto Affonso Risi. Affonso Risi Junior,nascido em Bragança Paulista, São Paulo, Brasil. Diplomado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Mackenzie (1972), SP, onde lecionou na década de 80. É professor no Curso de Arquitetura e Urbanismo do ICET-UNIP, Universidade Paulista, desde 1992 e na Casa do Saber, São Paulo, a partir de 2008. Desenvolveu projetos em parceria com Iolanda Akamine Risi (falecida em 1982), José Mario Nogueira, José Borelli Neto, Edson Elito, Leo Tomchinsky e Reinaldo Cabral. Tem obras publicadas e participou de exposições no Brasil e Exterior. Recebeu os prêmios RINO LEVI do IAB-SP (Instituto de Arquitetos do Brasil) e da 2ª e 6ª BIAs (Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo). Responsável pelos serviços de arquitetura de conservação e reforma do Mosteiro de São Bento de São Paulo a partir de 1990, comandou os trabalhos de adequação do edifício para a visita do Papa Bento XVI em 2007. Fonte: RISI, 2012.

92


Fig.3.15-Vista geral da Residência dos Padres Claretianos em Batatais Fonte: RISI,2012.

Para esta referencia, a maior importância não será a construção total, somente as construções em círculos com cúpulas. Tambaú é uma cidade conhecida pelas chaminés fumegantes, e nestas sempre existe a presença de um forno que é responsável pela queima da cerâmica (tijolo,telha), estes fornos possuem formato parecido com estes círculos com cúpulas da construção. Pretende-se construir essas bases acompanhando este formado, relembrando os fornos das cerâmicas da cidade.

Fig.3.16-Forno de uma cerâmica Tambauense Fonte: BUENO,2012.

Fig.3.17- Residência dos Padres Claretianos em Batatais Fonte: RISI,2012.

93


Através de um estudo das principais rotas de visitantes que chegam a cidade com veículos auxilia a implantação dessas bases de apoio de acordo com o vazio urbano mais próximo

Fig.3.18- Rota dos visitantes que chegam a Tambaú Fonte: BUENO,2012.

94


Fig.3.19 – Mapa de estudo de localização das bases de apoio ao turista Fonte:BUENO,2012.

Pretende-se criar como atração turística nesta rota a Casa de Velas.

95


E assim começa a surgir o conceito para criação do projeto....

“ Eu sou apenas um padre de aldeia. Eu não faço milagres, não curo ninguém. Quem os faz é Deus,por intercessão de Nossa Senhora Aparecida.” Pe.Donizetti

96


As curvas (a linha)do manto de nossa senhora, se juntaram com as circunferências (o ponto)de ave Maria do terço, e formaram o percurso. Este por sua vez, trouxe caminhos cheios de orações, meditações e emoções. Partindo de um conceito de PERCUSO, o projeto de Revitalização do Terminal Turístico Religioso de Tambaú contempla técnicas regionalistas, valorização da paisagem natural no entorno e garantia de condições adequadas de acessibilidade e mobilidade. Tomando como partido inicial o terreno onde atualmente já existe um Terminal Turístico Religioso, porém abandonado, sem cuidados necessários, e sem cumprir as funções deveria oferecer para os visitantes do local, pretende-se valorizar a topografia existente, deixando expostas as marcas naturais, mexendo suavemente em certos pontos onde se fizer necessário. A paisagem natural de seu entorno, dotada de eucaliptos, morros, entre outros, possibilita a valorização da paisagem, favorecendo todas as edificações a serem implantadas. As Figs. 3.20 a 3.29, ilustram o local, onde se pode presenciar a réplica da igreja de São José (primeira igreja de Padre Donizetti quando chegou a Tambaú) e um cruzeiro bem a sua frente, que se torna um dos principais pontos de partida deste projeto de Revitalização. Não se prevê demolição e/ou retirada, e sim sua preservação como patrimônio histórico.

Nesta foto presencia-se a avenida que dá acesso ao Terminal Turístico, para esta, propõe no projeto um redesenho dos canteiros centrais com implantação de painéis construídos em tijolos com revestimento cerâmico e mosaicos que retrataram a passagem de padre Donizetti em Tambaú Fig.3.20- Avenida de acesso ao Terminal Fonte:BUENO,2012.

Já no terreno do terminal podemos contemplar um pouco da paisagem ao fundo, ao lado o talude ontem possui o escrito Terminal Turístico,com os postes de iluminação do campo de futebol Fig.3.21- Terreno Terminal Fonte:BUENO,2012.

97


Fig.3.22- Talude no terreno do terminal Fonte:BUENO,2012.

Fig.3.23- Estacionamento em frente ao terreno Fonte:BUENO,2012.

Fig.3.24- Paisagem no entrono Fonte:BUENO,2012.

Fig.3.25- Entrada Principal do Terminal com o cruzeiro ao fundo Fonte:BUENO,2012.

98


Fig.3.26- Réplica da Igreja de São José e o Cruzeiro Fonte:BUENO,2012.

Fig.3.28- Vista do terreno de cima da escadaria da Igreja Fonte:BUENO,2012.

Fig.3.27- Marco Zero do Caminho da Fé Fonte:BUENO,2012.

Fig.3.29- Estradas auxiliares ao redor do terreno Fonte:BUENO,2012.

99


PERDER-SE NO PERCURSO HISTÓRICO, TAMBÉM É CAMINHO! O PERCURSO vem ao longe, são grandes caravelas que se aproximam, homens bem vestidos, cheios de roupas desembarcam na terra, e através de um sinal de cruz desenhado na areia fina tomam posse, marcando um longo PERCUSO histórico que se difunde até os dias atuais. Ergue-se um cruzeiro de madeira vermelha, outro PERCUSO começa a existir, este agora fazendo parte dos nossos dias atuais, vê-se um padre com roupas brancas numa procissão até aquele altar provisório, e depois deste dia, uma lição se torna necessária para a alma de todos brasileiros, a religião! O PERCURSO vem fazendo história, seguindo uma linha do tempo, criando vilas, casarões, fazendas que mais tarde se tornam grandes centros populacionais. Algumas ganham ênfase, outras ganham tradição, e através de um PERCURSO desenvolvem a cultura de uma nação. Os trilhos da Companhia Férrea da Mogiana desenvolvem-se no PERCURSO de construção do vilarejo, um vilarejo de solo bom, que mais tarde se torna palco de grandes emoções e fatos importantes. Ao mesmo tempo em que o vilarejo se desenvolve, um PERCURSO de vida vai ser formando em outras bandas próximas, um mito nasce e é batizado pelo sinal da cruz de um padre. Um dia os PERCURSOS paralelos resolvem se encontrar, e juntos transformam uma população, que aprende antes de tudo o PERCURSO da reza do terço em união. Um credo acompanhado de padre nosso e dez ave Maria constituem um PERCUSO de uma procissão que desce as ladeiras com velas iluminando e atraindo toda a multidão. São multidões de todas as partes, e de todas as espécies. O vilarejo que agora consiste em cidade ganha atração, contemplando o PERCUSO da religião, o padre faz a vocação e naquele momento milhares de milagres surgem como ilusão. O PERCUSO do sinal da cruz é feito, e dolorosamente é acompanhado por um PERCUSO que traz o corpo do mito, levando até seu sepultamento. Som de sinos, de pássaros, do vento e a paisagem do entorno entram num PERCURSO de solidão, a pequena cidade se transforma em um grande mercado de Turismo Religioso. Assim se define o PERCURSO sem discriminação, contando com todas as espécies unidas em um único lugar, com uma só intenção, interligadas pela fé e pela religião. A solidão do ambiente natural, árvores, lagos, morros, agora ganham graça, e se difunde no meio do PERCURSO das espécies até a oração. Cria-se um ponto de partida para um PERCUSO espiritual ligando a cidade dos milagres à cidade da Padroeira do Brasil, um trajeto de contemplação e valorização, onde movidos pela santidade muitos vivem momentos de tranquilidade e emoção em visita ao seu eu próprio. A cidade começa a mostra sua valorização, através do bom solo, o PERCURSO do distrito industrial já bem desenvolvido, contribui para a visitação. O barro, que se transforma em Telha, que pode ser Tijolo, vira paginação, que no final de tudo, numa enorme construção, apresenta o que a cidade traz em suas mãos. O PERCUSO é longo, o valor histórico é marcante, e os fatos estão cada vez mais presentes em cada um que reside na cidade dos milagres. Estes que recebem os visitantes sempre com adoração, contando para cada geração um pouco da história de nossa nação, marcadas num PERCUSO retilíneo, contemplado pela oração, onde se desenvolve o TERMINAL TURÍSTICO RELIGIOSO através de técnicas da região. São tantos PERCUSOS, melhor seguir em oração, ganhando purificação, vou construindo um sonho sobre um mito o qual deixo minha vocação. "Todo auriverde, o campo até parece. Que refloriu da Pátria o Pavilhão,Manhãs de sol. Um sino chama à prece. Histórias de beleza e tradição.Vermelha argila enriquecendo a terra. Sinal de Cruz em nosso céu de anil,Passagens de Bandeiras lá na serra: Tudo isso é Tambaú no meu Brasil“ Hino de Tambaú Fonte: Site Prefeitura Municipal de Tambaú,1961.

100


Tambaú começa a se preparar se tornar um novo polo de atração voltado ao turismo religioso. Com sua implantação, a cidade aumenta sua economia, gera empregos e recepciona, com infraestrutura adequada, os fiéis que chegam à cidade para visitas. O projeto é composto por: Centro de Apoio ao Turista: espaço de recepção aos visitantes. Neste lugar encontra-se o Departamento de Turismo e Eventos da cidade;guias turísticos para acompanhamentos de excursões; núcleo de informações turisticas com mapas, folders; achados e perdidos;credenciamento e retirada de cajados para partida ao Caminho da Fé; pequeno espaço para exposições , palestras e eventos de turismo. Mini chalés de descanso: chalés construídos com madeira, tijolos e telhas marcam a presença da economia local e oferecem áreas sombreadas com bancos e bebedouros de água potável. Portal do Caminho da Fé: com o redesenho da avenida que dá acesso ao Terminal Turístico, criou-se uma mini rotatória bem em frente a entrada do terminal, nesta um pórtico em arco todo feito em tijolos foi erguido e sustentam em seu centro um sino de bronze. A intenção é que todo pelegrino que sair para o Caminho da fé passe por baixo desse pórtico e toque o sino, ao lado vasos cerâmicos harmonizam o paisagismo da mini rotatória. Redemoinho de Paz: um enorme circulo foi criado ao centro do terreno para a celebração das missas campais. Retornando a antiguidade quando nas praças erguiam se coretos para acontecimentos de eventos, toma-se como referencia um coreto para a criação do espaço para a celebração da missa, o altar. Bancos de concreto corrido brotam do chão e em irregularidades se desencontram abrindo espaços suficientes para portadores de necessidades especiais não ficarem em lugares apropriados e sim no meio de toda a multidão. Uma enorme parede foi erguida fechando esse redemoinho, um rasgo central nesta forma uma cruz, que por entre esse vão do rasgo pode-se observar a maravilhosa paisagem existente ao fundo, e durante o período da manha com a projeção direta dos raios solares infiltrados nesses rasgos, uma imensa cruz é projetada em todo circulo. Ilhas de alimentação e venda de souvenires: em todo terreno criou-se ilhas com barraquinhas padronizadas que venderão lembrancinhas da cidade, comidas diversas e típicas. Ilhas de Sanitários e Fraldários: também presente em vários pontos do terreno, os sanitários foram elaborados de acordo com as normas de acessibilidade, grandes círculos em tijolo revestido com pastilhas cerâmicas foram erguidas e como cobertura lajes impermeabilizadas recebem aberturas em pontos estratégicos que auxiliam na ventilação e iluminação do ambiente de uma forma natural , essas mesmas aberturas captam águas pluviais e armazenam-se para sua utilização neste espaço. Estacionamentos: foram criados grandes estacionamentos para carros, vans e ônibus. No pátio de entrada do terminal foram criados bolsões para facilitar a chegada dos visitantes. No fundo do terreno criou-se um estacionamento somente para os funcionários das barraquinhas, juntamente com espaço para cargas e descargas e retirada do lixo. Bases de apoio: ao longo do terreno e nos vazios urbanos existentes na rota da marcha da fé serão implantados as bases de apoio, sendo elas: base de segurança( policia), base de enfermaria (com ambulância e um mini ambulatório), base de apoio ao portador de necessidade especial ( fornecimento d e cadeiras de rodas, muletas, e etc), Base de informações turisticas ( espaço para informações, com presença de guias turísticos). Casa das velas:podendo-se comparar a uma base foi implantada dentro de certos vazios urbanos, uma casa onde venderá velas e terá local exclusivo para sua queima Bebedouros: imitando os existentes na Praça Padre Donizetti, serão implantados dentro de um jardim construído em um vazio urbano no percurso da Marcha da Fe,e em pontos estratégicos no terreno do Terminal Turístico Religioso. Trem do Peregrino: uma mini estação foi implantada com um trenzinho para levar os romeiros e peregrinos a visitar os principais pontos turísticos da cidade. Mirantes: Perdidos no caminho a pessoa sobe e desce para os mirantes sem perceber, com rampas suaves atingem uma altura de até 3,50metros do nível do solo, estes fazem parte dos percursos criados no terminal e receberão espaços para montagem de barraquinhas para compras. Além de poder observar o terminal inteiro por cima, esse espaço tem visão privilegiada da natureza no entrono do terreno, recebe iluminação constante e ventilação de sobra, é um espaço de meditação totalmente voltado a observação do céu.

101


Portais de entrada: criou-se portais de entrada logo no começa da avenida que da acesso ao terminal, estes serão todos construídos com tijolos e telhas. Nova Avenida de acesso: com o novo desenho da avenida, cultivou-se as palmeiras e o tamanho dos canteiros, porem criou-se canteiros mais extensos e não tão fragmentados como se encontra atualmente. Aberturas para passagem de veículos foram abertas em pontos estratégicos e painéis construídos em tijolos revestidos em cerâmica rústica e mosaico completam o paisagismo deixando exposto desenhos da vida do padre na cidade de Tambaú. Centro de Aconchego:Relembrando os velhos claustros de freiras, pretende-se implantar um Centro de Aconchego ao Romeiro, um hotel com preço mais acessível com um grande jardim no centro. Este hotel não oferecerá refeições, serão espaços voltados somente ao descanso Mobiliário urbano: a partir de técnicas com a economia local( cerâmica), pretende-se criar mobiliários próprios para o terminal Praça dos Milagres: nos percursos que dão acesso a réplica da igreja de São José, artistas tambauenses criam monumentos para mostrar os milagres realizados por padre Donizetti na cidade

102


Fig.3.30- Imagem utilizada como referencia ao desenho proposto no terreno Fonte: Site Padre Donizetti,2012.

O primeiro estudo realizado para o Terminal Turístico Religioso pretendia deixar explicito a imagem do padre recebendo os fiéis, como mostra a referencia da Fig. 3.30. A ideia era que todos que vissem o mapa que seria implantado em totens dentro do Terminal, vissem a figura do padre, e a partir desta definiu-se o plano de massa conforme o programa de necessidades proposto.

Entrada Principal Réplica

Área verde

Lago artificial

Plateia

Estacionamento

Espaço para celebração da missa Construção existente

Espelho d’água Centro de Aconchego

Fig.3.32- Plano de massa com proporção, escala e simetria Fonte: BUENO, 2012.

Barraquinhas souvenires Barraquinhas alimentação

Fig.3.31- Primeiro plano de massa Fonte: BUENO,2012.

103


O segundo estudo elaborado, foi o escolhido para dar continuidade ao projeto de revitalização do Terminal Turístico Religioso de Tambaú. Com o intuito do “Perder-se em Percursos” ( como o tema do memorial apresentado), elaborou-se um projeto onde a linha e o ponto formavam os trajetos.principais,secundários e terciários,. Partindo da referência do urbanista Kevin Lynch onde propõe As cidades “em ninho”. O conceito de “caixa fechada” da teoria de planejamento hindu é um modelo teórico m u i t o desenvolvido. Da mesma forma como ocorre no e s q u e m a islâmico, a cidade aqui é uma série de caixas, dentro de um circuito de muralhas, mas nem é irregular nem tem um traçado capilar, de forma que se concebe a cidade como um anel dentro de outro, uma caixa dentro do “panteón”. No centro se encontra o lugar sagrado. O mal, o caos e as castas e ocupações inferiores mantém-se fora da muralha da cidade. As ruas importantes são as que traçam o perímetro, não as radiais,como ocorre em nossa tradição. As ruas perimetrais paralelas às muralhas de proteção servem de rotas para as procissões estacionais e circulares. As vias de conexão são menores em escala e com frequência não são contínuas. A forma e o movimento dominantes são os circulares para purificação do ser que se adentra no espaço, e não os de entrada e saída. A cidade, como no modelo chinês, é mágica e protetora. O ritual e a forma são inseparáveis. Fonte:LYNCH,1985.

Fig.3.34-Parede da Capela Notre Dame- Le Corbusier Fonte: Site flickrhivemind,2012.

Fig.3.35-Parc de la Villete- Bernard Tschumi Fonte: Site Planetware,2012.

Fig.3.33-Serpentine Gallery PavilionKazuio Sejima Fonte: Revista eletrônica impar coisas,2009.

Partindo do ideal de Lynch, ligando ao conceito de percurso criado em cima das curvas do manto de nossa senhora, e dos círculos das Aves Maria do terço, o traçado do projeto começa a surgir. Leva-se em consideração referencias dos arquitetos Kazuio Sejima com seu projeto para o Serpentário, onde auxilia para a construção dos mirantes no Terminal Turístico;Bernard Tschumi que constroe o Parc de la Villete em Paris através de percusos primarios e secundários cheios de “follies” (elementos arquitetônicos construídos em jardins com formas e funções distintas), e para brincar com o técincas ludicas em pontos estratégicos da Praça dos Milagres que será implantada no projeto, segue referencia das grandes paredes perfuradas da Capela Notre-Dame-du-Haut (fr: Chapelle Notre-Dame-du-Haut) do arquiteto Le Corbusier em Ronchamp.

104


O visitante que chega ao Terminal Turístico encontra vários percursos que podem ser seguidos levando sempre a um atrativo, estes perdem-se nos longos e compridos caminhos fazendo com que o visitante suba e desça por rampas com baixa inclinação (ás quais acompanham a topografia do terreno) sem perceber, quando menos se espera estes já estão no alto dos mirantes fazendo compras nas barraquinhas.

Centro de Apoio ao Romeiro

Acessos principais

Mini Chalés de descanso

Acessos secundários

Portal do Caminho da Fé

Acessos de parada rápida

Redemoinho da Paz

Acessos para o mirante

Ilhas de alimentação e venda de souvenires Ilhas de sanitários e fraldários Estacionamento

Bases de apoio (enfermagem, segurança)

Trem do Pelegrino Estacionamento de funcionários, carga e descarga de materiais Ilhas de alimentação e venda de souvenires Construção existente Espelhos d’água Mirante Área Verde Centro de Aconchego

105


Fig.3.38- Vista da Fachada com o centro de apoio ao romeiro e a entrada para o estacionamento. Fonte: BUENO,2012.

106

Fig.3.37-Vista de cima do mirante para o espaรงo de missa campal Fonte: BUENO,2012.

Fig.3.36-Vista dos caminhos e da passarela (mirante) Fonte: BUENO,2012.


Fig.3.39- Entrada de acesso ao espaço da missa campal Fonte: BUENO,2012.

Fig.3.40- Bancos de concreto do espaço para missa campal, ao fundo a passarela (mirante) e o paisagismo com coqueiros ao centro. Fonte: BUENO,2012.

Fig.3.41- Vista dos espaços para montagem das barraquinhas e o espelho d’água com a cascata artificial. Fonte: BUENO,2012.

107


Fig.3.44- Espaço para celebração da missa campal . Fonte: BUENO,2012.

Fig.3.42- Vista dos banheiros a serem implantados no Terminal. Fonte: BUENO,2012.

Fig.3.45- Área de estacionamento com o mini terminal de embarca do trem do peregrino. Fonte: BUENO,2012. Fig.3.43- Rampa de acesso a passarela(mirante). Fonte: BUENO,2012.

108


109


Tambaú foi palco de grandes acontecimentos religiosos, os quais contribuíram para a cidade se tornar conhecida nacionalmente. Padre Donizetti, o protagonista destes acontecimentos, atrai para Tambaú romeiros e peregrinos de todas as cidades que veem em demonstrações de fé, promessas e oração. Um longo percurso histórico foi traçado na pequena cidade do interior paulista e a cada domingo que se passa o numero de romarias que visitam a cidade é cada vez maior. Infelizmente a cidade não possui infra estrutura para o recebimento desses romeiros que a visitam tornando-se uma cidade desvalorizada, mas com grande potencial de atrativos turísticos que poderiam ser valorizados gerando uma terceira renda para o município voltada ao Turismo Religioso. É claro que os lugares onde aconteceram essas historias, ficaram marcados pela população tambauense, e são tidos como “lugares de memórias”, os quais são propostos neste, uma melhor preservação e desenvolvimento acessível a todos, podendo ser explorados pela atração turística. O foco deste trabalho é desenvolver uma revitalização no Terminal Turístico Religioso já existente na cidade, criando assim atrativos que melhoram a recepção e contribuem para a estadia dos romeiros e peregrinos na cidade em dias de manifestações religiosa (Marcha da Fé). Com um programa de necessidades desenvolvido a partir das necessidades vivenciadas in loco e baseadas no Plano Diretor Municipal, apresentou-se planos de uma revitalização composta pelas marcas da economia local, a cerâmica.Espaços , percursos,mirantes e bases de apoio foram sugeridos e elaborados para um melhoramento no contexto histórico turístico da cidade. Reconhecido nas mais diversas partes, Padre Donizetti merece ser lembrado, merece ganhar propostas de projetos que auxiliam a evolução da cidade a partir de seu nome, tornando-se assim uma cidade hospitaleira e preparada para o turismo em desenvolvimento. Podendo ser alvo de dicas para passeio em anúncios na mais diversas mídias possíveis. A historia de Tambaú com o vigário é uma herança marcante no dia-a-dia dos devotos ao padre e moradores que acreditam em seus ensinamentos e em suas ações. Historia são marcadas por lugares, são marcadas por sentimentos e são marcados por projetos que buscam uma preocupação com o desenvolvimento da cidade.Assim este trabalho integrou-se um tentativa além de estabelecer melhores condições de recebimento e estabilidade dos visitantes, uma esperança de poder deixar registrada a importância que Padre Donizetti possui na sociedade tambauense,importância esta que pode ser explorada pelo Turismo Religioso local. Os próximos passos seguem em melhoramentos da etapa apresentada neste, elaborando e detalhando melhor cada espaço criado no projeto de revitalização do Terminal Turístico Religioso de Tambaú.

110


111


ABREU,R.; CHAGAS, M. (orgs). Memória e Patrimônio: Ensaios Contemporâneos. 1ª edição. Rio de janeiro: DP&ª ,2003. ANDRADE, J.V.Turismo:fundamentos e dimensões.1ªedição.São Paulo:Ática,1996. AZEVEDO, J. W. C. Padre Donizetti de Tambaú. São Paulo: Santuário, 2001. LYNCH, Kevin. La buena forma de la ciudad. Barcelona, Gustavo Gili, 1985. MENEZES, U. T. B. “Os ursos culturais da cultura”. In:YAZIGI, Eduardo (Org.).Turismo, espaço, paisagem e cultura.São Paulo:Hucitec,1996. PORTUGUEZ, A. P.Consumo e Espaço: Turismo,Lazer e Outros temas.Ed.FGVB. São Paulo:Roca, 2004. ROCCO, P. R. Donizetti, Pe. São Paulo:São Francisco, 1995. SASSAKI, R. K. Inclusão no lazer e turismo em busca da qualidade de vida. São Paulo: áurea, 2003. THEOBALD, W. F. “Significado, âmbito e dimensão do turismo”. In: THEOBALD, W. (org.). Turismo Global. São Paulo, 2002. WORLD TRAVEL AND TOURISM COUNCIL. The WTTC 1996/7 Travel e Tourism Research Report. 6 ed. Londres, 1996.

112


AFFONSO RISI. Residência dos Padres Claretianos. São Paulo, 2012. Disponível em:<http://www.affonsorisi.com.br/home.php> Acesso em 03 jun.2012. ARCHITECT MAGAZINE. Centro de Recepção ao Turista em Pietrelcina, 2012. Disponível em: <http://www.architectmagazine.com/search. aspx?query=mario+botta>Acesso em 02 março 2012. ARCHIMAGAZINE. Mario Botta na concepção de Pietrelcina, 2003. Disponível em: <http://www.archimagazine.com/acasta.htm> Acesso em 14 març.2012. ARQUITETURA DO SAGRADO. Igreja de São Pio, 2012. Disponível em: <http://arquiteturadosagrado.blogspot.com.br/2010/11/igreja-do-padrepio-arq-renzo-piano.html>, Acesso em 03 maio 2012. BLOG ASSOCIAÇÃO CULTURAL QUINTAL DAS ARTES. Fotos Museu Municipal. Disponível em: <http://quintaldasartes.blogspot.com.br>. Acesso em: 22 abr. 2012.

BLOG BIBLIOTECA MUNICIPAL DE TAMBAÚ. Fotos Biblioteca Municipal de Tambaú.Disponível em: <http://bibliotambau.blogspot.com.br/2011/03/biblioteca-professor-sebas-e-citada.html> . Acesso em: 12 abr. 2012. EMBRATUR- Instituto Brasileiro de Turismo, Motivos de viagens. São Paulo, 2000.Disponível em: <http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/export/sites/default/dadosefatos/demanda_turistica/domestica/downloads_domestica/Relatxrio_Executivo_T ur_Dom_2007.pdf>.Acesso em:26 abr.2012

FLEXBRICK. Tecidos Cerâmicos, 2012. Disponível em: <http://www.flexbrick.es/concepto.asp> Acesso em: 04 junho 2012. IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Economia Municipal. São Paulo, 2006,Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/agropecuaria/censoagro/default.shtm> . Acesso em: 14 de mai. 2012. INFOPÉDIA. Biografia de Renzo Piano,2012. Disponível em: <http://www.infopedia.pt/$renzo-piano> Acesso em: 06 março 2012. JORNAL: O TAMBAÚ. Horto Florestal de Tambaú,2010.Disponível em: <http://www.jornalotambau.com.br/noticias2.asp?opcao=1> . Acesso em: 2 de abr. 2012 MARIO BOTTA ARQUITETO. Biografia, 2012. Disponível em: <http://www.botta.ch/> Acesso em: 19 abr.2012. MINISTÉRIO DO TURISMO. Estudo de Demanda Turística Nacional. São Paulo, 2010. Disponível em: <http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/dadosefatos/demanda_turistica/domestica/ >.Acesso em: 26 abr. 2012. MINISTÉRIO DO TURISMO. Manual de Orientações: Turismo e Acessibilidade, 2006. Disponível em: <http://www.turismo.gov.br/export/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/MIOLO__Turismo_e_Acessibilidade_Manual_de_Orientaxes.pdf>Acesso em: 12 abr.2012.

113


MINISTÉRIO DO TURISMO. Turismo Acessível, 2009. Disponível em: <http://www.turismo.gov.br/export/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/MIOLO__Turismo_e_Acessibilidade_Manual_de_Orientaxes.pdf>Acesso em: 12 abr.2012. ODD STUFF MAGAZINE. The Serpentine Gallery Pavilon,2012. Disponível em: <http://oddstuffmagazine.com/the-serpentine-gallery-summerpavilion.html >Acesso dia 04 junho 2012. PHOTOS OF THE WORLD. Disponível em: http://www.panoramio.com/map/#lt=-21.725218&ln=-47.245159&z=3&k=2&a=1&tab=1&pl=all>. Acesso em: 20 abr. 2012 PLANET WARE. Parc de La Villete Map, 2012. Disponível em: <http://www.planetware.com/map/parc-de-la-villette-map-f-villette.htm> Acesso em: 04 junho 2012. PORTAL CIDADES PAULISTAS. Folia de Reis. São Paulo, 2012. Disponível em: <http://www.cidadespaulistas.com.br/prt/tur-cult.htm>Acesso em: 28 de abr. 2012. PORTAL DO TURISMO. Cachoeira de Emas, 2012. Disponível em: <http://www.ferias.tur.br/informacoes/9006/cachoeira-de-emas-sp.html>, Acesso em: 19 abr. 2012. PORTAL ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO TURISMO. Ranking dos países mais visitados. Espanha. 2011, Disponível em: <http://mkt.unwto.org/sites/all/files/docpdf/unwtohighlights11enhr.pdf,>. Acesso em: 14 mar. 2012. Prefeitura Municipal de Tambaú. Disponível em: <http://www.tambau.sp.gov.br/ >.Acesso em: 15 abr. 2012. REVISTA ELETRONICA DE TURISMO CULTURAL. Turismo Religioso em São Paulo: Uma abordagem mercadológica. São Paulo, 2008. Disponível em: <http://www.eca.usp.br/turismocultural/RELIGIOSOSP.pdf >Acesso em: 10 mar. 2012. SÃO PIO DE PIETRELCINA. Biografia.Itália,2012. Disponível em: <http://www.padrepio.catholicwebservices.com/PORTUGUES/PORTUGUES_index.htm> Acesso em: 19 abr.2012. SECRETÁRIA DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIENCIA. Brasileiros com algum tipo de deficiência. São Paulo, 2011. Disponível em: <http://pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/sis/lenoticia.php?id=890&c=31> Acesso em 22 abr.2012. SITE CAMINHO DA FÉ. Disponível em: <http://www.caminhodafe.com.br/caminho.html> .Acesso em: 17 abr. 2012. Site Club dos Turistas , disponível em: < http://www.clubdeturistas.com.uy/pt/ > Acesso dia 02/05/2012 TAVARES, Edvandro Carlos. Tambaú: Memória e Turismo Religioso. Pontifícia Universidade Católica de Campinas.Campinas,2007. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.puccampinas.edu.br/tde_busca/processaPesquisaPortal.php?tipoPesquisa=0&nrPagina=1&pesqExecutada=0&nrExpressoes=1&campo%5B0%5D=TOD OS&texto%5B0%5D=%22Edvandro+Carlos+Tavares%22&Submit=Buscar+%BB&qtdRegPagina=5&listaDetalhes%5B%5D=1310>Acesso em: 10 jan. 2012.

114


TONINHO CURY .BLOG Fotografo e Documentarista,2012. Disponível em: <http://www.toninhocury.com.br/40-anos-de-fotografia/artigos-ecausos?s=4&c=47&sub=35>. Acesso em: 5 abr. 2012. VIAJE A URUGUAY. Biografia e Obras de Eladio Dieste, Uruguai. 2006. Disponível em: < http://www.viajeauruguay.com/ > Acesso em: 02 maio 2012. VITRUVIUS. A obra de Eladio Dieste,2008. Disponivel em: <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/08.096/142 > Acesso em: 02 maio 2012. SITE FLICKR. Fotos Igreja Cristo Obrero- Eladio Dieste. Disponível em: < http://www.flickr.com/ > Acesso dia 03 março 2012. SITE PANORÂMICO. Fotos Igreja de Cristo Obrero. Disponível em: < http://www.panoramio.com/ > Acesso dia 03 março 2012. SITE POSTALES INVENTADAS. Fotos Terminal de Ônibus em Uruguay - Eladio Dieste, 2012. Disponível em: <http://postalesinventadas.blogspot.com.br/>Acesso em: 10 abr.2012. SITE DESIGN MANY. Planta igreja Cristo Obrero-Eladio Diste,2011. Disponivel em: <http://www.designbymany.com/>Acesso em: 10 abr.2012. SITE NADIA SAAD. Designer em Cerâmica,2012. Disponível em: <http://www.nadiasaad.com.br/design/>Acesso em: 15 junh.2012. HORTO FLORESTAL DE TAMBAÚ,2010. Disponível em: <http://www.verdetambau.com.br/01_home/home.php> Acesso dia 28/03/2012

115


DEPARTAMENTO DE TURISMO E EVENTOS DE TAMBAÚ MARIA APARECIDA BITTAR. Diário de Bordo- Viagem a Europa,2009. PLANO DIRETOR DE TAMBAÚ, 2006.

116


117


Em anexo as fotos da Marcha da Fé 2011 e a Entrevista que será realizada na marcha deste ano, a qual acontecerá em 17 de junho de 2012.

constroem PERCURSOS cheios de emoções...

...Nas asas da LINHA DO TEMPO,

a saudade VOA, e as RECORDAÇÕES

118 BUENO,2012.


Figura 6.3- Inicia-se a Marcha da Fé com a banda Pe. Donizetti abrindo os caminhos para a procissão. Fonte: CURY, 2010.

119

Figura 6.2- Fiéis aguardam em frente ao Santuário Nossa Senhora Aparecida o inicio da Marcha da Fé Fonte: CURY, 2010.


120

Figura 6.5- Parada da Marcha em frente ao asilo-Lar São Vicente para orações aos idosos que ali residem. Padre Anderson Godoi e o bispo dom David durante oração aos velhos do asilo São Vicente de Paula, construído por padre Donizetti.Padre Anderson Godoi e o bispo dom David durante oração aos velhos do asilo São Vicente de Paula, construído por padre Donizetti. Fonte: CURY, 2010.

Figura 6.4- A procissão passando ao lado de um dos vazios urbanos citados nesse trabalho. Fonte: CURY, 2010.


121

Figura 6.7- Fiéis aguardam o inicio da missa campal no Terminal Turístico Religioso, logo após o termino da Marcha da Fé. Padre Anderson Godoi e o bispo dom David durante oração aos velhos do asilo São Vicente de Paula, construído por padre Donizetti.Padre Anderson Godoi e o bispo dom David durante oração aos velhos do asilo São Vicente de Paula, construído por padre Donizetti. Fonte: CURY, 2010.

Figura 6.6- A escolta feita pela companhia de motoqueiros da cidade abre a Marcha, com um colorido diferente chamam a atenção de todos. Na foto a marcha já quase no seu final, os motoqueiros sobem a avenida que dá acesso ao Terminal Turístico Religioso. Padre Anderson Godoi e o bispo dom David durante oração aos velhos do asilo São Vicente de Paula, construído por padre Donizetti.Padre Anderson Godoi e o bispo dom David durante oração aos velhos do asilo São Vicente de Paula, construído por padre Donizetti. Fonte: CURY, 2010.


122

Figura 6.9- Durante a missa campal, celebrada no Terminal Turístico Religioso, em frente a réplica da igreja de São José Fonte: CURY, 2010.

Figura 6.8- Fiéis assistem a missa campal no Terminal Turístico Religioso Fonte: CURY, 2010.


123

Figura 6.9- Durante a missa Campal Fonte: CURY, 2010.

Figura 6.9- Sala das promessas, localizado dentro da Casa Museu do Padre Donizetti Fonte: CURY, 2010.


124

Figura 6.9- Fiéis queimam velas em meio ao canteiro da Praça Padre Donizetti Fonte: CURY, 2010.

Figura 6.9- Fiéis disputam as flores do andor do Padre Donizetti Fonte: CURY, 2010.


Figura 6.9- Foto de Padre Donizetti sendo levada ao altar para a missa. Fonte: CURY, 2010.

125

Figura 6.9- FiĂŠis disputam as flores do andor do Padre Donizetti Fonte: CURY, 2010.


Figura 6.9- Cartaz da Marcha da FĂŠ 2012 Fonte: Departamento de Turismo e Eventos de TambaĂş,2012.

126

Revitalização do Terminal Turistico Religioso de Tambaú  

"Nas asas da linha do tempo, a saudade voa,e as recordações constroem percursos cheios de emoções!" (BUENO,2012.)

Revitalização do Terminal Turistico Religioso de Tambaú  

"Nas asas da linha do tempo, a saudade voa,e as recordações constroem percursos cheios de emoções!" (BUENO,2012.)

Advertisement