__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Goiânia, 19 de Março de 2019

Um abraço do tamanho da indignação da comunidade com o descaso com a Praça de Esportes do SPL

Moradores pretendem realizar manifestação cobrando a finalização das obras de revitalização e ampliação da Praça de Esportes no Setor Pedro Ludovico.

E

ssa é uma daquelas novelas tipo Malhação da TV Globo que nunca termina e sempre renova a proposta para prender a atenção do público, no caso o eleitor já que as promessas sempre acontecem em ano eleitoral. A última vez que obra foi autorizada pelo então governador Marconi Perillo (PSDB) e tinha previsão de ser entregue em Novembro de 2018. A empresa ECO Engenharia Eireli EPP, vencedora da licitação feita pela Agência

Goiana de Transportes e obras (Agetop), abandonou o serviço recentemente, alegando falta de repasse financeiro pelo Governo de Goiás. O projeto da obra, no valor de R$ 4.855.027,99, previa a conclusão do bloco dos vestiários, reforma da pista de atletismo e saltos, das muretas e das quadras poliesportivas. Além disso, também incluía implantação de cobertura e arquibancadas, recuperação do piso das quadras poliesportivas e da área externa do parque aquático, ampliação do estacionamento, guarita no acesso principal e um quiosque para alimentação e lazer. Como não passou de mais

uma promessa, a comunidade esta se mobilizando para mostrar aos governantes sua insatisfação com a situação, o manifesto denominado “Abraço na Praça de Esportes” espera reunir pelo menos 600 pessoas para dar um abraço simbólico na Praça de esportes para cobrar das autoridades a conclusão da reforma. Os moradores e também aqueles que não residem aqui esperam ver a conclusão da obra o mais breve possível. A Praça de esportes sempre foi uma referência para o esporte e o lazer na região sul da capital, antes do início da prometida obra, o local pelo menos oferecia alguma condição de uso e recebia milhares de pes-

www.questaobrasil.com.br

soas, entre idosos e crianças, para prática de esportes, como atletismo, natação, hidroginástica, futebol, vôlei e basquete. Após o início das obras e o consequente abandono pelo poder público, a Praça de esportes não tem a miníma condição uso, prejudicando todas as pessoas que ali se divertiam ou tinha algum tipo de auxílio para a saúde. Além de ser o maior patrimônio da nossa região, a Praça de Esportes auxilia nas questões de segurança pública, saúde, educação e bem estar social da comunidade. O abraço simbólico na Praça de esportes está marcado para acontecer no próximo dia 28 de Abril, às 10h da manhã.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Governos do Nordeste criticam armamento, Reforma da Previdência e defendem estatais Fórum dos chefes dos estados também definiu a criação de um consórcio em que a região pode atuar como um único estado

Vinícius Sobreira/ Brasil de Fato

N

a última quinta-feira (14), durante o Fórum de Governadores do Nordeste, os chefes das nove unidades federativas assinaram uma carta em que defendem as estatais Banco do Nordeste (BNB), a Companhia Hidrelétria do São Francisco (Chesf) e a autarquia Sudene contra privatizações; cobram um novo pacto federativo; criticam a Reforma da Previdência proposta por Bolsonaro e a MP das Armas de Sérgio Moro. As autoridades da região garantem mobilização dos parlamentares em defesa do Nordeste. Outro ponto: Reforma da Previdência criticado pelos governadores do Nordeste é a mudança no regime, que atualmente é de repartição e pode passar para o regime de capitalização. CARTA DOS GOVERNADORES DO NORDESTE São Luís (MA), 14 de março de 2019. Os Governadores dos Estados do Nordeste, reunidos nesta data, em São Luis (MA), manifestam-se à sociedade brasileira, nos seguintes ter-

mos: 1. Assinamos hoje o Protocolo que resultará na criação do Consórcio Nordeste, importante instrumento político e jurídico para o fortalecimento da nossa região e para melhorar a prestação de serviços públicos aos cidadãos e cidadãs. Acreditamos que a cooperação assim intensificada resultará em diversas conquistas, por exemplo parcerias na aquisição de produtos e na execução de ações conjuntas em áreas como Segurança Pública. 2. No mesmo sentido de proteção e promoção dos direitos do povo do Nordeste, sublinhamos que vamos dialogar com os 153 deputados federais e 27 senadores dos nossos estados para que não haja qualquer retrocesso quanto a mecanismos essenciais para o desenvolvimento regional, notadamente o Banco do Nordeste, a CHESF e a Sudene. 3. Sobre propostas atualmente em debate no país: a) Registramos que não concordamos com a ideia de desvinculações de receitas

para fazer face às despesas obrigatórias com saúde, educação e fundos constitucionais, que resultariam em redução de importantes políticas públicas. Em vez disso, desejamos discutir realmente o Pacto Federativo, inclusive no tocante à repartição constitucional de receitas e competências. b) Quanto à Reforma Previdenciária, consideramos que se trata de um debate necessário para o Brasil, contudo posicionamo-nos em defesa dos mais pobres, tais como beneficiários da Lei Orgânica da Assistência Social, aposentados rurais e por invalidez, mulheres, entre outros, pois o peso de déficits não pode cair sobre os que mais precisam da proteção previdenciária. Também manifestamos nossa rejeição à proposta de desconstitucionalizar a Previdência Social, retirando da Constituição garantias fundamentais aos cidadãos. Do mesmo modo, consideramos ser imprescindível retirar da proposta a previsão do chamado regime de capitalização, pois isso pode inclusive piorar as contas do

www.questaobrasil.com.br

sistema vigente, além de ser socialmente injusto com os que têm menor capacidade contributiva para fundos privados. Em lugar de medidas contra os mais frágeis, consideramos ser fundamental que setores como o capital financeiro sejam chamados a contribuir de modo mais justo com o equilíbrio da Previdência brasileira. 4. Por fim, defendemos o atual Estatuto do Desarmamento e somos contrários a regras que ampliem a circulação de armas, mediante posse e porte de armas. Tragédias como o assassinato da vereadora Marielle e a de Suzano, no Estado de São Paulo, mostram que armas servem para matar e aumentar violência na sociedade. Somos solidários à dor das famílias, destas e de outras tragédias com armas, e é em respeito à memória das vítimas que assim nos manifestamos. 5. Ratificamos nosso empenho conjunto em favor de uma nação justa e soberana, renovando mais uma vez nossa disposição para o diálogo amplo, conducente a dias melhores para o Brasil.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Polícia investiga ligação entre Ronnie Lessa e ‘Senhor das Armas’

Parte dos fuzis achados na casa de um amigo do PM reformado tem semelhança com um dos 60 fuzis de Barbieri apreendidos no Galeão

A

polícia investiga se o policial militar reformado Ronnie Lessa, preso na última terça (12), acusado de executar a vereadora Marielle Franco (PSOL), tem relação com o traficante de armas Frederick Barbieri, conhecido como o “Senhor das Armas”, preso no ano passado, nos Estados Unidos, acusado de trafi-

car armas para o Brasil. A ligação surgiu quando a polícia identificou que parte dos fuzis apreendidos na casa de um amigo de Lessa, na última terça (12), tem semelhança com um dos 60 fuzis de Barbieri apreendidos no Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão, em junho de 2017. Am-

bos tratavam-se de armamentos falsificados com a inscrição HK. A polícia alega, no entanto, que apenas a semelhança do material não é suficiente para apontar se os dois estão envolvidos no mesmo esquema de tráfico de armas.

Alexandre Motta de Souza, cuja casa guardava os 117 fuzis M16 de Lessa, teve uma crise de ansiedade e recebeu atendimento médico no presídio, neste sábado (16), segundo a Seap (Secretaria de Administração Penitenciária). É bem nebulosa a vida do assassino de Mariellle.

Após Olavo criticar governo, líder do PSL minimiza a influência dele: “É inexpressivo” Daniel Gullino/ O Globo O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), minimizou neste domingo a influência do escritor Olavo de Carvalho, após ele dizer que o governo do presidente Jair Bolsonaro vai acabar em seis meses se não mudar. O escritor, que mora nos Estados Unidos, participou da indicação de dois ministros: Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Educação (Ricardo Vélez). Mas, para Delegado Waldir, ele é “inexpressivo”. “O que este senhor fala, para mim, não representa nada. Não sei como as pessoas dizem que ele indicou dois ministros. Para mim, ele é inexpressivo. Ele ama tanto o Brasil e dá tanto palpite que nem aqui ele está”, acrescentou. DISSE OLAVO – As declarações de Olavo foram feitas na noite de sábado, em Washin-

gton, após a apresentação de um documentário sobre suas ideias. Ele advertiu sobre a necessidade de uma mudança de rumo para o governo. “Se tudo continuar como está, já está

que Olavo tem atrapalhado o país, desde quando criticou a viagem de uma comitiva do PSL à China — o que, segundo ele, pode trazer prejuízos comerciais ao país.

rios” que estão próximos dele. “Quem sou eu para aconselhar o presidente, mas ele tem que ficar atento para saber onde realmente está o adversário. Me parece que muitos estão mais próximos do que ele imagina”. OLAVO MANDA – A influência de Olavo no Ministério da Educação causou uma disputa nas últimas semanas, e levou à queda do ex-assessor Ricardo Roquetti , coronel da Aeronáutica, e do ex-secretário-executivo Luiz Antônio Tozi . Há um confronto entre o grupos de militares, o quadro mais técnico, e a ala de viés ideológico, que inclui os seguidores do escritor.

mal. Não precisa mudar nada para ficar mal. É só continuar assim. Mais seis meses, acabou” — assinalou. Diante dessa declaração, o Delegado Waldir disse considerar

“Essa pessoa tem que ter vergonha na cara. É muita conversa fiada para alguém inexpressivo”, afirmou o líder do PSL, dizendo que Bolsonaro precisa tomar cuidado com “adversá-

www.questaobrasil.com.br

Delegado Waldir não é, contudo, o único a diminuir a importância de Olavo. O vice-presidente Hamilton Mourão — alvo constante de críticas do escritor — também disse que não sabe “até que ponto” vai a influência dele.


Goiânia, 19 de Março de 2019

“Se continuar como está, o governo acaba em seis meses”, diz Olavo de Carvalho

Patrícia Campos Mello e Marina Dias/ Folha

pulista de direita, é um pensador seminal”, disse.

Diante de uma plateia de cerca de 100 fãs e representantes da direita americana, no Trump International Hotel, o guru do bolsonarismo, Olavo de Carvalho, afirmou que, até hoje, não sabe quais são as ideias políticas do presidente Jair Bolsonaro, mas que o apoia por ele ser “um homem honesto e não ser ladrão”.

O deputado Eduardo Bolsonaro, líder do Comitê de Relações Exteriores da Câmara, também não economizou nos elogios ao guru, “uma das pessoas mais importantes da história do Brasil”. “Olavo de Carvalho é uma inspiração e sem ele Jair Bolsonaro não existiria”, disse Eduardo, que assis-

TRAIDORES – O escritor afirmou que o presidente está cercado de traidores e declarou que despreza o vice-presidente, general Hamilton Mourão. Segundo Olavo, Mourão “é estúpido” e tem uma “vaidade monstruosa”. “O Bolsonaro vai viajar, ele assume temporariamente, e a primeira coisa que faz é ir

“Eu não sei quais são as ideias políticas dele [Bolsonaro]. Conversei com ele quatro vezes na vida, porra”, afirmou a jornalistas. Na saída, Olavo mostrou-se pessimista com o futuro do Brasil e disse que, se o governo continuar como está por mais seis meses, acabou. “O presidente está de mãos amarradas. Não sou capaz de prever [até onde vai] mas, se tudo continuar como está, já está mal. Não precisa mudar nada para ficar mal, é só continuar isso mais seis meses e acabou”, afirmou.​​ O MOVIMENTO – Olavo foi apresentado por Bannon à plateia como peça importante para o que ele chama de “O Movimento”, grupo de governos populistas de direita em ascensão em países como Brasil, EUA, Hungria e Itália. “Olavo não é importante apenas para o Brasil, ele tem uma importância no contexto mundial do movimento po-

“Eu quero mudar o destino da cultura do Brasil, décadas ou séculos à frente. Esse é meu sonho, o governo que se foda, eu estou cagando para o governo. Eu sou Olavo de Carvalho, não preciso do governo, minha filha. Eu sou um escritor, falo direto com meu público, não preciso de um cargo do governo”. BATE-BOCA – Famoso pelo temperamento forte, ele bateu boca com um jornalista do Financial Times durante coquetel após exibição do filme. Indagado sobre o significado da visita de Bolsonaro aos EUA, Olavo disse que a ajuda americana é importante para que o Brasil não seja vendido pela China, e que os americanos vão comprar mais produtos brasileiros.

O escritor voltou a atacar a imprensa, dizendo que “todos os jornalistas são viciados em drogas” e que a mídia é culpada pela imagem de Bolsonaro de fascista e violento. Ele foi homenageado por Steve Bannon, ex-estrategista do presidente Donald Trump, com uma exibição do documentário sobre a vida do próprio Olavo de Carvalho, “Jardim das Aflições”. DONO DE BORDEL – “Mesmo se o Bolsonaro fosse dono de um bordel ele seria menos perigoso que o (candidato petista) Fernando Haddad, por isso o povo votou nele, não por causa de suas ideias políticas, que até hoje não sei quais são; ele fala de um assunto ou outro, mas nunca vi uma concepção geral, uma ideologia”, disse.

isso é “pequeno, vil e miserável” diante de suas ambições.

tiu concentrado aos cerca de 1h20 de filme. MOURÃO NA MIRA – Os principais alvos do escritor, na sessão de perguntas após a exibição e na conversa com jornalistas, foram a mídia e o vice-presidente Mourão. “Se o Bolsonaro fosse um homem assim violento, fascista, por que ele seria tão amado pelo povo? Essa foi uma imagem criada pelos jornalistas. E é a imagem passada pela imprensa internacional”, afirmou. “A mídia é louca, todos os jornalistas são viciados em drogas.” Eduardo Bolsonaro também alfinetou a imprensa. “Olhem o Twitter da Folha, tem poucos seguidores, existem umas pessoas que ninguém conhece que têm muito mais seguidores, porque eles sempre falam a verdade. O poder está com a gente. As pessoas não acreditam na imprensa. Quando as pessoas me param na rua pra tirar fotos, elas não acham que eu sou racista, nazista, homofóbico e xenófobo.” (Na tarde deste domingo (17), o perfil da Folha no Twitter tinha 6.568 milhões de seguidores. O do presidente Jair Bolsonaro tinha pouco mais de 3.755 milhões e o de Olavo de Carvalho 129.421 mil seguidores.)

pra São Paulo ter uma conversa política com Doria. Esse cara não tem ideia do que é ser vice, só sabe sobre sua vaidade monstruosa. Você acha que ele pediu permissão do presidente pra ir pra São Paulo? Eu não o critico, eu o desprezo.” Para Olavo, Mourão se elegeu com falsidades. “Assim que foi empossado, ele mudou 180 graus: foi para o outro lado em aborto, desarmamento, não quer derrubar o (ditador venezuelano Nicolás) Maduro”. Ele também acusou o vice de ter mentalidade golpista. Ele avalia ainda que os principais auxiliares do presidente —da ala militar do governo—​ são má influência e têm atuado para prejudicar Bolsonaro desde o início do mandato. “Ele [Bolsonaro] deveria parar de ouvir maus conselhos. Ele é um homem sozinho, não pode confiar naqueles que os cercam, na mídia, ele tem que confiar no povo”. SEM INFLUÊNCIA – Apesar de ter indicado dois ministros, Ricardo Vélez (Educação) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores) —e estar em constante disputa com a ala militar ligada a Bolsonaro—​, Olavo nega que tenha qualquer tipo de influência no governo. Segundo ele,

www.questaobrasil.com.br

Questionado se isso não constituiria um cartel, explodiu. “Eu não chamei de cartel. Você está pondo palavras na minha boca, você está distorcendo, você é maldoso, você é um mentiroso, você é um mentiroso”, gritou, e saiu andando. “Não quero mais falar com você, você é mentiroso.” MATAR BOLSONARO – Na saída, perguntado por jornalistas se estava otimista sobre o governo, afirmou que não, porque a mídia inteira, nas suas palavras, quer matar Bolsonaro e o presidente não tem direito de defesa. “Isso é um golpe de Estado, vocês não estão entendendo? A classe jornalística, todos vocês”, afirmou diante dos repórteres. Ainda de acordo com o escritor, Bolsonaro não tem reagido ao que ele chama de “fake news” por cautela dos militares que estão no governo. “Ele não reage [às notícias falsas contra ele] porque aquele bando de milico que os cerca é um bando de cagão que têm medo da mídia”. Carvalho disse, porém, que não vai dar nenhum desses conselhos ao presidente neste domingo (17), quando vai encontrá-lo pessoalmente durante o jantar na casa do embaixador brasileiro, Sérgio Amaral. “Você acha que vai dar para conversar isso com ele? Não. Eu vou lá para comer”.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Evangélicos acham que o MEC lhes pertence e querem substituir o ministro Vélez Renata Mariz/ O Globo Tribuna da Internet

C

hamado nesta sexta-feira ao Palácio do Planalto em meio à crise que paralisa o MEC, o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, mantém-se no cargo, mas a corrida para indicar um eventual substituto já movimenta grupos aliados ao governo. De um lado, alas ligadas aos evangélicos deram sugestões de nomes para o presidente Jair Bolsonaro. Os militares do entorno do presidente, por outro lado, também receberam recomendações sobre possíveis ocupantes da pasta com capacidade para debelar a crise interna. Um dos cotados no banco de apostas é o engenheiro Anderson Ribeiro Correia, escolhido pelo atual governo para presidir a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), tendo passado

Quando a notícia de que Vélez fora chamado ao Planalto causou rumores de que seria demitido, mensagens defendendo o nome de Correia foram enviadas ao presidente Bolsonaro e ao ministro Onyx Lorenzoni, da Casa Civil. Um dos remetentes foi o pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo. Correia é apresentado como um perfil adequado para apaziguar a briga atual de diferentes grupos no MEC. Além de formação técnica, é religioso e tem ligação com militares. No entanto, ele não é nome de consenso entre os evangélicos. A bancada religiosa está estremecida com Bolsonaro e tem ligação com Ricardo Roquetti, coronel da Aeronáutica demitido por Vélez por ordem do presidente, após ter sido alvo de críticas do escritor Olavo de Carvalho. O grupo de seguidores de Carvalho, que se auto-

Correia no grupo de indicados por militares de alta patente com influência no governo. O deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), um dos representantes da bancada evangélica, defende a indicação do engenheiro, caso Vélez seja demitido: — Não falo em nome da frente parlamentar (evangélica), mas se puder contribuir com o governo nesse momento, acho que o Anderson Ribeiro Correia é um bom nome. É melhor arrumar a casa com alguém que já está dentro. Nomes de militares que poderiam substituir Vélez também chegaram a generais que auxiliam o presidente Bolsonaro. Os perfis sugeridos estão ligados ao grupo de transição, que se reunia em Brasília para tratar da educação. MUITA CONFUSÃO – Servidores das Forças Armadas

Desde a semana passada, o ministério passa por uma crise provocada pela guerra por espaço travada entre os grupo de militares, o quadro mais técnico e a ala de viés ideológico, que inclui os “olavetes”. A confusão já levou a demissões e deslocamento de pessoas na estrutura do MEC. Vélez trocou o secretário-executivo, “número dois” na pasta, duas vezes em apenas três dias. Luiz Tozi, que estava no cargo de secretário-executivo do MEC desde o início do governo, caiu na terça-feira após Olavo de Carvalho pedir sua cabeça. Rubens Barreto, que era sub de Tozi, foi indicado, mas também não resistiu aos ataques do mesmo grupo. Na quinta-feira, o ministro anunciou Iolene Lima, especialista em educação ligada a escolas cristãs que é evangélica. Ela figurou como o terceiro nome no cargo em quatro dias. SINAL VERMELHO – A falta de nomeação de Iolene em Diário Oficial da União, porém, acendeu o alerta vermelho sobre a frágil situação de Vélez. Os rumores de uma possível demissão aumentaram na parte da tarde, quando o ministro foi ao Palácio do Planalto e se encontrou com Onyx Lorenzoni. Na berlinda, Vélez Rodríguez abandonou hoje o tom cerimonioso com que costuma publicar mensagens no Twitter e disparou críticas contra a imprensa. Após os rumores de sua demissão, ele escreveu:

pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). O nome dele ganhou força entre os grupos religiosos que apoiam Bolsonaro. Correia é evangélico. MALAFAIA

EM

AÇÃO –

denominam “olavetes”, acusou Roquetti de blindar o ministro e assessorá-lo mal. REITOR DO ITA – Dessa forma, segundo fontes, o fato de ter sido reitor do ITA não coloca

que conhecem os meandros do MEC foram chamados ao Planalto nesta semana para assessorar a cúpula do governo, que tem dificuldade de compreender os últimos acontecimentos na pasta.

www.questaobrasil.com.br

“A mídia cumpriria seu papel com os cidadãos deste país se sua real preocupação fosse informar. Qual o interesse de vocês em fomentar uma atmosfera apocalíptica? Torcer pelo sucesso do Governo é uma opção, mas vocês querem manchetes escandalosas” #brasil”, escreveu.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Servidores do Ministério da Educação viajam para curso de Olavo de Carvalho nos EUA Ausências e viagem internacional não foram autorizadas, o que contraria legislação. do dever da moralidade, que abrange todas as condutas, inclusive a assiduidade ao trabalho”, diz o advogado especialista em direito administrativo Fernando Dantas. A situação se enquadra, segundo Dantas, em infração administrativa e as penalidades, caso haja investigação, variam de advertência, suspensão a desligamento.

D

ois servidores do MEC (Ministério da Educação) nomeados pelo ministro Ricardo Vélez Rodríguez deixaram o trabalho na pasta após o Carnaval e ficaram nos Estados Unidos para participar de curso com o escritor Olavo de Carvalho. Ambos são do chamado grupo olavista, que protagoniza uma disputa por cargos e influência no MEC. A ausência no trabalho e a viagem internacional não foram autorizadas oficialmente. A atitude contraria a legislação e pode resultar até em demissão. Um dos assessores é Daniel Emer, que continua ligado ao MEC. Ele é casado com a deputada federal Caroline de Toni (PSL-SC), do mesmo partido do presidente Jair Bolsonaro. A parlamentar se ausentou da Câmara na semana passada também para fazer o curso no estado de Virgínia, nos EUA. Outro viajante é Silvio Grimaldo de Camargo. Na semana passada, ele publicou nas redes sociais que o MEC promovia o expurgo de olavistas. Grimaldo era assessor do ministro e não aceitou mudar de cargo. Foi exonerado na segunda-feira (11). Não há indícios que eles viajaram com dinheiro público. Os dois chegaram aos Estados Unidos durante o Carnaval e aproveitaram para emendar a semana. Participaram do curso “Ser e Poder”, ministrado por Olavo. Há fotos nas redes sociais em que aparecem lá des-

de o dia 5, terça-feira de Carnaval.

fazer campanha contra Tozi e Roquetti. O MEC não respondeu se ele devolveu o aparelho. Emer continuou no MEC. Procurador federal desde 2007, foi nomeado como assessor do ministro em janeiro. Nas mudanças, foi rebaixado para assessor da secretaria executiva.

Da Virgínia, ao lado do próprio escritor, Grimaldo e Emer incensaram corrente nas redes sociais em que se afirma uma suposta perseguição a discípulos do escritor. Olavistas

Ele tem proximidade com outros olavistas que integram o governo federal, como Filipe Martins, assessor especial de Bolsonaro para assuntos internacionais. Em dezembro, Emer e Martins aparecem em publicação nas redes sociais

passaram a argumentar que as mudanças na pasta seriam para enfraquecer investigações no MEC.

em jantar com Leticia Catelani, diretora de negócios da Apex (Agência de Promoção de Exportações do Brasil).

A pressão olavista chegou ao presidente, que exigiu a demissão de dois auxiliares do ministro: o assessor Ricardo Roquetti e o secretário-executivo Luiz Antonio Tozi. O próprio Vélez Rodríguez virou alvo e sua permanência no cargo está fragilizada.

A Apex é ligada ao Itamaraty. O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, também foi indicado por Olavo de Carvalho. Grimaldo não respondeu aos questionamentos da Folha.

Emer, a deputada Caroline de Toni, Grimaldo e outras duas alunas do escritor aparecem em foto, na noite de sexta (7), durante um brinde em um bar. “Friday Night olavética”, diz a legenda da publicação do assessor. No dia anterior, Emer brinda com Olavo enquanto come pizza. A Folha apurou que a ausência irregular foi identificada na semana passada pela corregedora do MEC, Suelen Notaro, e também discutida pela secretaria executiva da pasta. Em nota, o MEC não trata dos casos específicos. “Os servidores têm prerrogativa para negociar diretamente com suas chefias imediatas justificativas de suas viagens e ausências”, defendeu em nota. Sobre a possibilidade de investigação, diz que eventual análise de denúncias é sigilosa, conforme determina a legislação. Toda a ausência de servidor público tem de ser justificada. No recesso de fim de ano, por exemplo, o governo determina um plano de compensação. A legislação define que viagens internacionais de auxiliares, com ou sem ônus, devem ser autorizadas pelo ministério. As regras são definidas pelo decreto 1.387 de 1995 e são rotineiras as autorizações publicadas no Diário Oficial da União. “A improbidade administrativa também ocorre em decorrência

Olavo de Carvalho é guru ideológico de Bolsonaro. Foi por indicação dele que Vélez chegou ao MEC. Desde a semana passada a pasta vive uma disputa depois que alterações no quadro de servidores atingiram olavistas. O objetivo era destravar ações importantes do MEC e reduzir a postura ideológica. Mesmo demitido, dia 11, Grimaldo continuou a usar o telefone funcional, inclusive para

www.questaobrasil.com.br

A Folha não conseguiu contato com Emer. Parlamentares só precisam registrar presença em sessões deliberativas, que não ocorreram entre os dias 6 e 8 de março. A única falta computada da deputada Caroline De Toni foi registrada na terça (12). Ela foi à tribuna da Câmara na quarta e acusou integrantes do MEC de boicotar investigações na pasta. A reportagem procurou a deputada por meio de sua assessoria de imprensa, mas não obteve resposta.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Atentado a tiros em escola de Suzano, na Grande São Paulo, deixa dez mortos

Entre as vítimas, estão cinco alunos e duas funcionárias da escola estadual Raul Brasil; atiradores são ex-alunos Redação/ Brasil de Fato

recebidos pela coordenadora. O governador João Doria (PSDB) decretou luto de três dias no estado. Contexto

U

m atentado a tiros realizado na manhã desta quarta-feira (13) em Suzano, região metropolitana de São Paulo, deixou dez mortos e mais de vinte feridos. Os dois atiradores, Guilherme Talci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25, são ex-alunos da Escola Estadual Raul Brasil, onde ocorreu a chacina. Ao final do ataque, Guilherme matou Luiz Henrique e cometeu suicídio. Em entrevista coletiva, por volta das 14h30, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo divulgou o nome de oito vítimas: Kaio Lucas da Costa Limeira, Cleiton Antônio Ribeiro, Samuel Melquíades Silva de Oliveira e Caio Oliveira (estudantes); Marilena Ferreira Vieira Umezo e Eliana Regina Xavier (funcionárias da escola); e Jorge Antônio Moraes, funcionário de um estabelecimento comercial fora da escola. Horas depois, a polícia informou que Jorge Antônio Moraes é tio de um dos atiradores, Guilherme Talci Monteiro. Segundo João Camilo Pires de Campos, secretário de Segurança Pública de São Paulo (SP), os assassinos furtaram um carro antes de chegar à escola. Nove minutos depois dos primeiros disparos, eles estavam prestes a entrar em uma sala de aula com dezenas de estudantes, quando foram detidos por policiais militares. “O episódio entristece o colégio, entristece Suzano, os paulistas e os brasileiros”, ressaltou. Pires de Campos acrescentou que as forças de segurança já foram às casas onde viviam os atiradores, e que a investigação deve elucidar em breve os acontecimentos da manhã desta quarta: “Cabe à polícia ir amarrando os fios soltos”. O que se sabe até o momento é que os dois entraram pelo portão da frente da escola e foram

A escola está localizada na região central da cidade e oferece ensino fundamental e médio e um centro de línguas. Foram acionados o Corpo de Bombeiros, três equipes do Samu e dois helicópteros águia. O Grupo de Ações Táticas Espe-

que achava que era uma bombinha. Ela deu de encontro com os atiradores com máscara de caveira, todo de preto e elas correram para banheiro e ela ligou para mim, gritando que estavam atirando na escola”, relata familiar de estudante. Ele fala que foi desesperador, pois achava que tinham atirado na sua filha, pois ouviu tiros durante a ligação e correu até a escola.

internado, mas não resistiu e morreu horas depois. Também em outubro de 2017, um estudante de 14 anos atirou contra colegas de classe de uma escola particular de Goiânia. O crime aconteceu na manhã do dia 20 e deixou dois mortos e quatro feridos. A reportagem do Brasil de Fato acompanha o caso e a qualquer momento divulgamos informações atualizadas sobre o ataque em Suzano. Posse de armas Em recente entrevista ao Brasil de Fato sobre segurança pública, a professora do Departamento de Segurança Pública da Universidade Federal Fluminense (UFF), Jacqueline Muniz, fez críticas à flexibilização de posse de armas no Brasil, defendida pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL), e disse que essa política corrobora com o aumento da violência no país.

ciais (Gate) da Polícia Militar de São Paulo está realizando uma varredura na escola, que nesse momento está interditada, pois foram encontrados artefatos que podem ser explosivos. Os familiares dos estudantes da unidade estadual estão sendo atendidas em um Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) próximo a escola. Segundo o Censo Escolar de 2017, a instituição possui 358 alunos da segunda etapa do fundamental (6º ao 9º ano) e 693 estudantes do ensino médio. O estudante Lucas Alves Martins, de 16 anos estava dentro da escola no momento do atentado. “Eu só ouvi os disparos, não vi rosto dos atiradores e nem armas. Estava mais ou menos próximo ao local onde ocorreram os assassinatos e tudo que consegui fazer foi correr”, diz. Lucas e seus amigos não foram feridos. “É muito triste ter acontecido isso, eu estou aqui há seis anos, e nunca vivi nada igual”, conta. Rogério Reis é pai de uma aluna que ouviu o tiroteio. “Ela estava indo pagar uma conta na secretaria e relata que escutou um tiro e brincou com a colega

“Não desejo isso para ninguém”, relata pai de aluna que presenciou o ataque. Ela tinha saído da escola, assim como outros estudantes assustados se refugiaram no entorno da escola. O massacre reascende o debate sobre a posse de armas defendido pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL). Esse caso, infelizmente,não é isolado. No dia 7 de abril de 2011, 12 estudantes da Escola Municipal Tasso de Oliveira, em Realengo, no Rio de Janeiro, foram mortos por Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos. O assassino invadiu a escola com dois revólveres e durante 20 minutos fez vários disparos contra os alunos. O atirador se matou. Outro caso é o da creche Gente Inocente, que fica em Janaúba, cidade do Norte de Minas Gerais. No dia 5 de outubro de 2017, o vigia Damião Soares dos Santos, de 50 anos, ateou fogo na creche matando dez pessoas, nove crianças e a professora Helley de Abreu Silva Batista, que impediu o agressor de ampliar o incêndio no local. Damião também ateou fogo nele mesmo, chegou a ser

www.questaobrasil.com.br

“A proposta, tal como apresentada, não provê nem a segurança coletiva e nem a proteção individual. Na verdade, o cidadão comum com arma na mão se torna frágil diante de qualquer defesa que ele queira fazer e só se torna valente se ele tiver a prerrogativa do ataque. Ou seja, ele não está nem se protegendo, por um lado, e nem contribuindo para a segurança pública, de outro. Na verdade, a flexibilização da posse de armas é um problema de insegurança pública. Já sabemos que o acesso facilitado às armas favorece a prática de suicídio, acidentes fatais envolvendo crianças e jovens, estimula o feminicídio. Também maximiza os ataques às residências, pois agora tem o que pegar lá dentro; a arma é uma mercadoria valiosa para o crime, além de baratear o valor das armas ilegais e clandestinas, seja no preço de compra ou no aluguel dessas armas para atividades criminosas. Fora o fato de que, para a polícia, cidadãos armados aumentam a escalada de força. Toda vez que um indivíduo está armado diante da polícia, a polícia está autorizada a usar de força muito mais do que usaria para conter aquele problema”, analisou.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Curso federal de Medicina é inaugurado em Catalão de Misericórdia e o atendimento policlínicas no Estado para pro“A Medicina é uma mis- integração dos acadêmicos. aqui na nossa região”, afirmou mover a regionalização da saúsão que exige empenho Em seu discurso, Caiado resAdib Elias, que ainda destacou de. e devoção”.

F

oi esse o conselho que o governador Ronaldo Caiado, médico há 44 anos, levou aos jovens estudantes na aula inaugural do curso de Medicina da Universidade Federal de Goiás, Regional Catalão (UFCAT), na noite desta segunda-feira, dia 11. Caiado, à época como senador, foi um dos responsáveis pela autorização do curso e celebrou a conquista da cidade. “Catalão passa a ter uma grande diferença: a formação da faculdade de Medicina. E a instalação dela, tendo um curso reconhecido de uma universidade federal, é algo que tem conceito não só na classe médica, mas em todo cenário nacional”, assegurou.

saltou o compromisso com a ética e reforçou que na Medicina são fundamentais os gestos humanitários e o amor ao próximo. Ele também assumiu compromisso de lutar e dar apoio à Santa Casa de Misericórdia de Catalão para que os estudantes tenham suporte e pratiquem a boa medicina.

O reitor da UFG, Edward Madureira, ressaltou que, independente da emancipação da UFCAT, Goiás está constituindo um sistema federal de educação universitária que vai atuar em conjunto e que o interesse é o avanço da boa formação e o desenvolvimento do Estado.

os benefícios da UFG regional Catalão.

“O jovem, quando passa no vestibular, se muda e tem que alugar um apartamento, se alimentar, colocar combustível. Isso provoca um grande desenvolvimento econômico na cidade. Isso é o que está acontecendo e vai continuar acentuadamente agora com a Faculdade de Medicina”, afirmou.

A diretora regional da UFCAT, Roselma Lucchesse, destacou que o momento é singular e lembrou que diversos agentes, entre eles o governador Ronaldo Caiado, trabalharam voluntariamente no processo de criaMadureira também destacou ção do curso de Medicina, bem que este ano Goiás irá ganhar como na lei federal que criou a O governador é entusiasta e o maior hospital universitário do instituição que está em fase de apoiador da instalação do curso país, com 600 leitos (o dobro do implantação. de Medicina no município, auto- que tem hoje), dos quais 120 rizado em 2018 pelo Ministério serão unidades de tratamento “Agora, vamos juntos construir da Educação (MEC). À época, intensivo (UTI). “Essa estrutura essa história. Formar médico Caiado afirmava que Catalão estará a serviço do Estado de humano, reflexivo, que atua na já tinha uma infraestrutura com Goiás, da saúde, do povo goia- promoção da saúde, prevenvários hospitais instalados, in- no. E estamos completamente ção e redução de agravos e clusive com uma Santa Casa, abertos para trabalhar pelo de- que possa atuar no ensino em para dar suporte à formação e senvolvimento de Goiás e do saúde, na pesquisa em saúde, e na gestão de serviços públià qualificação dos acadêmicos. País”, reforçou o reitor. cos, contribuindo maciçamente Recepcionado pelo prefeito O prefeito de Catalão, Adib com o Sistema Único de Saúde Adib Elias e acompanhado pelo Elias, reconheceu o trabalho (SUS)” discursou. secretário estadual de Saúde, de Caiado para a criação do Ismael Alexandrino, o governa- curso, que para ele foi “árduo e 17 policlínicas dor comemorou a oportunidade exaustivo” e lembrou que esse de estar presente à aula inau- é o pontapé para a regionaliza- Em discurso durante a aula gural. A primeira turma é forma- ção da saúde em Goiás. “Tenho inaugural na UFCAT, o goverda por 50 alunos e o evento de absoluta certeza que vai acon- nador Ronaldo Caiado destaontem fez parte da semana de tecer a pré-regionalização com cou uma de suas propostas de o fortalecimento da Santa Casa campanha: a construção de 17 www.questaobrasil.com.br

“Nós vamos, compromisso do meu secretário [de Saúde, Ismael Alexandrino], implantar policlínicas, onde terei pelo menos 10 médicos especialistas, com todas as condições para se fazer um bom diagnóstico e com qualidade. Até o final do nosso governo serão 17 policlínicas no Estado de Goiás”, ressaltou o governador. Para ele, infelizmente, as gestões anteriores nunca deram atenção à regionalização da saúde, provocando grandes deslocamento do cidadão para conseguir atendimento na Capital. “Nós vamos dar cidadania e qualidade de atendimento ao paciente no Estado de Goiás. Ele vai se sentir como ser humano ao entrar em uma policlínica de qualidade, arrumada e com hora marcada. É isso que o cidadão quer”. “Governador não é para se enriquecer com dinheiro público, isso é corrupção! Governo é trabalho diuturno em prol de um Estado. É transformar o Estado em referência nacional. Eu sou um homem que já enfrentei os maiores desafios da minha vida e acredito que, com a parcela de contribuição dos nossos prefeitos, dos nossos vereadores, das nossas lideranças na saúde e de todas as áreas empresariais, vamos conseguir reconstruir o nosso Estado de Goiás”, afirmou o governador Ronaldo Caiado.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Professora critica militarização de escolas em Goiás: “Lixo tóxico”

“Qual é a educação que nós queremos? Queremos formar soldados?”, questiona Luís Eduardo Gomes Sul21/ Brasil de Fato

D

o pouco que se sabe do projeto de educação do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para a educação — além da perseguição a professores supostamente doutrinadores –, desde a campanha ele defende a implementação da educação militarizada na rede pública. Como isso será feito, ainda é uma incógnita, se ampliando a rede de colégios militares administrados pelo Exército — como o Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA) — ou se incentivando a militarização das redes estaduais. Este último um processo que já vem ocorrendo há pelo menos duas décadas no estado de Goiás, tendo sido acelerado nos últimos anos e ampliado para outros estados. Para entender como tem funcionado as escolas goianas sob administração da Polícia Militar local, o Sul21 conversou na última semana com a professora Miriam Fábia Alves, professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás (UFG) e integrante da Associação Nacional de Pós-Gradua-

ção e Pesquisa em Educação (Anped). Ao lado da professora Mirza Seabra Toschi, da Universidade Estadual de Goiás, e da pesquisadora Neusa Sousa Rêgo Ferreira, ela é autora do artigo “A expansão dos colégios militares em Goiás e a diferenciação na rede estadual”, publicado em julho de 2018 pela revista acadêmica Retratos da Escola. Miriam, que esteve em Porto Alegre na última semana para participar de uma banca de mestrado e de seminários na Faculdade de Educação (Faced) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), diz que as escolas militares estaduais têm sido utilizadas pelo governo goiano praticamente como uma peça de propaganda: são mais limpas, estão com a infraestrutura em dia, os alunos têm notas melhores. “Isso mexe com a comunidade. Em Goiás tem muita gente querendo mais escola militar. Do outro lado, o que não se conta é o que se faz para chegar a isso”, diz.

Ela destaca que os colégios militares cobram uma contribuição voluntária dos alunos e têm recebido verbas prioritárias do governo estadual, além de os cargos de chefia ocupados por militares possuírem remuneração muito acima daquela destinada para os profissionais da rede de educação em posições análogas. As primeiras seis escolas estaduais militares foram criadas em Goiás em 2001, na gestão do governador Marconi Perillo (PSDB). As próximas dezoito escolas estaduais militares só seriam criadas em 2013, quando o tucano estava no primeiro de seu segundo ciclo de dois mandatos. Até 2018, foram criadas mais 42 escolas do tipo, totalizando o atual número de 60. Quando é que mais se criaram escolas? No ano que antecede a eleição. Em 2013 e 2017″, salienta Miriam. Atualmente, essas escolas não fazem mais um processo seletivo por meio de prova, como já fizeram no passado, tendo passado a adotar o sorteio. Mas

www.questaobrasil.com.br

Miriam afirma que acaba ocorrendo um processo de seleção pelas exigências feitas aos alunos. “Contribuição voluntária é a palavra usada, mas a gente tem vários relatos de que essa contribuição não é tão voluntária assim. O uniforme é muito caro”, diz. O regimento dos Colégios de Polícia Militar de Goiás prevê até sete variações de uniforme que os alunos devem utilizar, a depender da situação. A primeira variação, por exemplo, consiste em uma boina marrom, túnica branca, camisa branca manga longa, gravata marrom vertical, cinto marrom de nylon, calça marrom, meias na cor preta, sapatos pretos — para meninas, determina saia-calça marrom (com comprimento à altura dos joelhos), sapato social preto (feminino), gravata marrom de laço, meia de seda cor da pele. O regimento é claro ao dizer que todas as peças deverão ser adquiridas “pelos próprios interessados”, sendo o não comparecimento com o uniforme em condições adequadas considerado uma


Goiânia, 19 de Março de 2019 transgressão. O regimento desses colégios determina também que uma série de funções de comando devem ficar a cargo de membros da Polícia Militar do Estado de Goiás, como o diretor, que recebe a alcunha de Comandante e deve ser, de preferência, um tenente-coronel, o sub-comandante — cargo a ser ocupado por um major –, o chefe da Divisão Disciplinar, o chefe da Divisão de Ensino e o chefe da Coordenação Pedagógica. Cabe ao chefe da Divisão Disciplinar, por exemplo, determinar, por meio de um parecer, se um aluno poderá ou não ser rematriculado em uma escola a partir de seu comportamento disciplinar e ético. Escolas estaduais, por lei, não podem expulsar alunos, então a punição máxima que eles podem receber é uma suspensão de dois dias, mas os estudantes são avaliados durante o ano letivo a partir de avaliações periódicas de bom comportamento ou transgressões. Entre essas transgressões estão atitudes como mascar chiclete e não portar a gente escolar, consideradas como leves, até “promover ou tomar parte de qualquer manifestação coletiva que venha macular o nome do CPMG”, considerada grave. “Qual é a educação que nós queremos? Queremos formar soldados? Essa é a ideia da escola militar. Ela ensina a obedecer, a ser Polícia Militar. Mas a própria polícia tem muitas dúvidas, por exemplo, em relação ao tal do voto de obediência que eles fazem”, questiona a professora. Confira a seguir a entrevista com Miriam Fábia Alves. Sul21 – Goiás tem sido um laboratório de práticas a serem exportadas para o resto do Brasil. Ensino militar nas escolas, a cessão da administração escolar para Organizações Sociais (OSs). Qual é o impacto dessas medidas na educação do estado? Miriam Fábia Alves: Eu gosto de brincar que a gente está colecionando lixo tóxico e ainda exportando para outros lugares. Esse tema das escolas militares em Goiás é muito sensível, porque você tem diferentes olhares sobre isso, é uma questão que mexe com muita gente. Quando nós, os educadores, compreendemos eu preciso de uma pessoa de fora, um externo, para administrar a

É feita uma seleção de alunos? Tínhamos. Uma parte das vagas era destinada aos filhos dos militares. E aí tinha prova. Só que isso foi gerando uma série de problemas e a escola aderiu ao sorteio.

escola, isso traz um problema muito grave. É para mim mais grave ainda quando eu digo: ‘Polícia, entra e toma conta da gestão da escola’. Quem não entende a educação acha que a gestão é algo descolado do fazer escolar. Não, a gestão escolar é uma atividade meio para aquilo que é educação, para aquilo que é o educar. Goiás tem feito experiências maléficas neste aspecto. Na minha avaliação, aquilo que não deveríamos fazer com a educação. A tentativa de implementação das organizações sociais na gestão das escolas já deriva desse modelo de militarização, que você precisa ter um outro fazendo a gestão da escola. Então eu posso contratar uma empresa. Goiás trabalha um pouco nisso. Não deu certo nas escolas de educação básica a implementação das OSs. No entanto, em Goiás, as escolas técnicas do estado foram entregues às OSs e está o caos. Quais as consequências dessas medidas? Vamos pensar a militarização. Eu tenho trabalhado muito com esse tema. Orientei uma mestranda que acabou a dissertação em novembro passado, uma profissional da rede estadual que trabalha com as escolas militares, acompanhou a implementação e fez a sua pesquisa sobre isso. Quais são as consequências de você entregar para a Polícia Militar a gestão da escola? As propagandas do governo têm dito que é tudo de bom. Por quê? Porque seria uma escola que funciona, com disciplina, os alunos respeitam os profissionais, têm boas notas no Ideb [Índice de Desenvolvimento da Educação Básica]. Essa é a propaganda. E precisa ficar muito claro, isso mexe com a comunidade. Em Goiás tem muita gente querendo mais escola militar. A comunidade quer essa escola. Do outro lado, o que não se conta é o que se faz para chegar a isso. Primeiro, nós te-

mos no País a polícia que mais mata jovem. A minha pergunta é sempre assim: como que uma polícia que mata tanto vai cuidar da educação desses mesmos jovens? Eu estou falando da escola pública, quem está na educação pública brasileira de educação básica são os mais pobres. Aqui tem uma questão que para mim é muito grave. Outra coisa das consequências é: qual é a educação que nós queremos? Queremos formar soldados? Essa é a ideia da escola militar. Ela ensina a obedecer, a ser Polícia Militar. Mas a própria polícia tem muitas dúvidas, por exemplo, em relação ao tal do voto de obediência que eles fazem, o preço que se paga por ser policial e ter que obedecer. Imagina numa escola, na formação da juventude. Não estou falando do adulto, que é outra coisa. Estou falando dessa formação básica, fundamental. Você forma um indivíduo para obedecer. Para além disso, essa escola é seletiva. Ela cobra uma mensalidade. Contribuição voluntária é a palavra usada, mas a gente tem vários relatos de que essa contribuição não é tão voluntária assim. Então, quando eu cobro alguma coisa, eu já tiro da escola uma parcela da população que não pode pagar. O uniforme é muito caro. Essa é uma escola que exige um domínio do corpo dos adolescente, meninos e meninas, que é um negócio extremamente conservador. O que pode e que não pode. O regimento da escola é para a gente voltar aquilo que tem de mais conservador na educação. Isso tem um impacto também em como nos compreendemos o papel do estudante. Isso tudo também altera a relação da escola com os profissionais. Se nós lutamos arduamente, desde a redemocratização, para a gestão democrática, para a eleição dos diretores, para a eleição dos coordenadores, agora eu coloco um comandante, e é esse termo que se usa, e ele administra a escola com a lógica militar.

www.questaobrasil.com.br

O colégio militar do Exército tem uma seleção. Implementarem uma seleção também nas estaduais? Nós tivemos problemas com a seleção e agora estão implementando o sorteio. Porque essa é uma escola pública estadual, não pode negar o acesso. Essa é uma luta histórica. O direito à escola é um direito dos adolescentes e jovens. O Ministério Público interviu para que se fizesse sorteio. Mas, mesmo assim, você já seleciona os alunos que entram naquela escola e quem pode estudar ali. Essas escolas têm funcionado como uma peça de propaganda? A gente publicou um texto no ano passado em que discutimos justamente isso: como a lógica é perversa e cria uma diferenciação na rede. A escola militar é o que todos querem. E as outras? As outras estão abandonadas em infraestrutura, em contratação de professores, de profissionais efetivos, nas condições de funcionar. Enquanto as militares contam inclusive com facilitação da parte do governo estadual, que concede, por exemplo, uma reforma necessária que uma escola da rede gasta um século para fazer. Eles conseguem. Além disso, eles têm o dinheiro da contribuição voluntária, por exemplo, para cuidar da hotelaria da escola. Então, a escola militar sempre está bem-cuidada, a quadra está coberta, as salas funcionam, a tecnologia e o laboratório funcionam. Claro. Outra coisa que é importante ressaltar, dentro da escola vai um conjunto grande de profissionais para fazer a gestão dessa escola. Eles colocam para dentro um conjunto de militares que vai cuidar da disciplina, que vai cuidar da administração da escola, todos eles com remuneração. Também a gente cria uma diferenciação muito grande na forma de gerir. Eu te pago e você faz o serviço de graça. Como funciona isso? Agora mesmo no Distrito Federal, uma repórter do O Globo me ligou e eu falei para ela:


Goiânia, 19 de Março de 2019 ‘Queria te fazer um desafio, queria que você descobrisse quanto é que os policiais militares e os bombeiros no DF estão ganhando para fazer a gestão da escola?’ Ganhavam quanto? A gente tem as funções comissionadas de diretor e vicediretor, isso é o que estava na legislação até julho, quando a gente fez a pesquisa. Um diretor da escola militar, o chamado Comandante, ganha por dois turnos mais R$ 3,5 mil [salienta que este número provavelmente já foi reajustado desde o fim da pesquisa], além do salário dele como militar. E quanto ganha um diretor normal? Uma escola estadual com menos de 150 alunos não concede ao diretor o direito de receber gratificação. O que se paga em função gratificada nas escolas estaduais que têm remuneração para o diretor, condicionada ao porte, ou seja, a quantidade de alunos naquela escola, os turnos que ela funciona, em dois turnos varia de R$ 975 a R$ 1.625. E o cara me ganha três mil e quinhentos contos. Sabe quanto ganha um auxiliar da divisão de ensino, que vem da polícia, R$ 1,4 mil [além do salário como PM]. Esse é um cargo equivalente ao quê? É um cargo de quem ajuda na disciplina dos alunos, olha pátio. É alguém que sai do serviço policial? Sai do serviço. Convenhamos, para os policiais é muito melhor você cuidar de adolescentes em uma escola.

Os governos de Goiás têm projeto para a educação fora os colégios militares? Em Goiás, a gente precisa de uma escola que dá certo. É preciso dizer para a sociedade o que eu estou fazendo. E o que está dando certo? Eu apresento a escola militar como uma escola que dá certo, e o resto da rede que se vire. Mas eles têm projeto. Na pesquisa, a Neusa olha como vai mudando o alunado da escola. Ela analisou uma escola do município de Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital, uma cidade bem pobre, com uma condição bem ruim. Muda o alunado, quem estava na escola não fica. Então, eu atendo um alunado cada vez mais classe média, baixa, mas classe média, que, por exemplo, não tem condição de pagar uma boa escola para o seu filho. Eu faço educação para esse grupo. Para a pobreza mesmo, o projeto de educação é mais aligeirado, não gasta nada, culpabiliza os estudantes, culpabiliza os professores. Eles têm projetos, o que eles querem é manter essa população na condição de desigualdade, acirrando a desigualdade educacional. O projeto do Bolsonaro, ao defender as escolas militares, é esse também?

O Bolsonaro eu não sei se tem projeto. Ele, não. A gente está num momento que se pergunta: O que eles querem? Eu tenho certeza que eles querem fazer terra arrasada porque querem desmontar o pouco que nós fomos conseguindo com muita luta nos últimos anos, com todos os problemas que nós tivemos. Um processo, por exemplo, de ampliação da inclusão, de transparência do gasto público, dos conselhos, dos fóruns, da inclusão nas escolas, de uma valorização dos professores com o piso. Aqui no RS, tem a Agenda 2020 que diz que os professores estão ganhando muito. É absurdo. Há um processo criminoso do atual governo de deslegitimar o trabalho educacional feito por instituições muito sérias. O trabalho das universidades, das escolas de educação básica, com todos os problemas. Vai ser professor na periferia de Porto Alegre, na periferia de Goiânia ou de São Paulo. Vai entender o que é isso. É criminoso quando o governo joga tudo fora. Porque eu estou comprometendo a formação e educação de uma geração, de duas gerações. Isso é uma coisa que cada vez mais a gente tem que dizer não, que não pode ser assim. E derruba e o que o atual governo quer colocara no lugar? Eu leio os

documentos governamentais e não consigo vislumbrar, quais são as metas do governo? Alfabetização acima de tudo e educação domiciliar para 31 mil famílias? Não tem outra coisa. Qual é o plano de governo? Não de discutiu nas eleições. O que será do ensino médio? Eu tenho muitas dúvidas. E as universidades? Pensa a função social da UFRGS, a população que ela atende, a pesquisa que ela produz, as vidas que ela salva no hospital, o que ela desenvolve de pesquisa na área de agricultura. Isso tudo está sendo jogado na lata de lixo como se fosse nada. E o que vem no lugar? É a minha pergunta. Me conta, cadê, onde eu leio? Não tem nem escrito. E entre o escrito e o realizado tem um caminho imenso. Os caras desconhecem a burocracia de funcionamento das instituições. Então, assim, acho que a gente está num momento que nos deixa com muitas perguntas e eu tenho absoluta certeza que não é a escola militar que vai resolver o problema educacional brasileiro, não é passar nos testes que vai resolver o problema da educação brasileira, ter nota boa no Pisa [Programa Internacional de Avaliação de Estudantes] e no Enem [Exame Nacional do Ensino Médio], não é só ensinando português e matemática, empobrecendo ainda mais a formação daqueles que precisam da escola para ganhar uma formação mais ampliada. Tudo isso está em disputa. Qual é o projeto de educação que nós temos? Que disputa nós vamos fazer? Aí que eu acho que temos que juntar os colegas da educação superior e básica e ir para luta, senão vamos perder tudo. A minha agonia é que vamos perder tudo.

Decreto prevê modelo ‘cívico-militar’ em escolas de todo o país Um decreto assinado nesta quarta-feira (2) pelo presidente Jair Bolsonaro determinou que o Ministério da Educação passe, a partir de agora, a avaliar a implementação do modelo de educação “cívico-militar” nas escolas da rede pública municipais e estaduais de todo o país. A missão, de acordo com o decreto, ficará a cargo da Secretaria de Educação Básica. “Cabe à Secretaria de Educação Básica (...) promover, fomentar, acompanhar e avaliar, por meio de parcerias, a adoção por adesão do modelo de

escolas cívico-militares nos sistemas de ensino municipais, estaduais e distrital tendo como base a gestão administrativa, educacional e didático-pedagógica adotada por colégios militares do Exército, Polícias e Bombeiros Militares”, afirma o decreto do presidente. A ideia de Bolsonaro, defendida desde quando ele ainda era candidato, é a expansão de colégios militares em todo o país. Ainda em seu plano de governo, o presidente propunha a instalação, em dois anos, de “um colégio militar em todas as capitais de Estado”. www.questaobrasil.com.br


Goiânia, 19 de Março de 2019

Salvo-conduto de Gilmar é desmoralizado e Beto Richa vai preso pela terceira vez Estelita Hass Carazzai/ Folha

O

ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) foi preso na manhã desta terça-feira (19), pela terceira vez, suspeito de se beneficiar do desvio de recursos do governo estadual. A prisão preventiva foi decretada pela Justiça Estadual do Paraná, no âmbito das investigações da Operação Quadro Negro – que apura um esquema de fraude em obras de escolas públicas do Paraná. Segundo o promotor Leonir Batisti, do Gaeco (Grupo de Combate ao Crime Organizado), Richa foi detido por obstrução de justiça. Ele não quis dar mais detalhes dos fatos que motivaram o mandado. SALVO-CONDUTO – Batisti afirmou, porém, que eles não estão englobados pelo salvoconduto concedido pelo ministro Gilmar Mendes, do STF

(Supremo Tribunal Federal) – que, na sexta (15), impediu novas prisões do ex-governador e de sua família em relação a outra investigação por desvio de verbas no Paraná. “Nós não temos intimação disso, não nos diz respeito”, afirmou Batisti à Folha.

O Gaeco também cumpre mandados de busca e apreensão em três residências do tucano, incluindo duas casas na praia. Esta é a terceira vez, desde

o ano passado, que o tucano é preso. Ele já foi detido num desdobramento da Lava Jato, suspeito de se beneficiar de recursos desviados de concessões rodoviárias, e também pelo próprio Gaeco, que apurou um esquema de desvios em obras de manutenção de estradas rurais no Paraná.

Richa acabou solto, nas duas ocasiões, por decisões de tribunais superiores. OUTROS PRESOS – Além de Richa, foram presos preven-

tivamente nesta terça o exsecretário estadual Ezequias Moreira e o empresário Jorge Atherino, apontado como operador de propinas do tucano. Segundo o Gaeco, os fatos investigados desta vez dizem respeito à formação de uma organização criminosa para desvio de dinheiro nas escolas do Paraná, que teria a participação de Richa. Parte do esquema já foi alvo de denúncia na 9ª Vara Criminal de Curitiba, mas o inquérito relativo a Richa havia sido distribuído ao STF em função de seu foro privilegiado. Ele voltou à Justiça Estadual do Paraná após a saída do tucano do governo estadual, em abril do ano passado, para disputar o Senado (ele perdeu a eleição). A Folha não conseguiu contato com a defesa de Richa nesta manhã. O tucano tem negado as acusações e diz que nunca compactuou com desvios.

Blogueiro belga que caluniou repórter se recusa a exibir a gravação na íntegra Carlos Newton/ Tribuna da Internet

O

repórter Marcelo Godoy, do Estadão, conseguiu entrevistar o blogueiro e cineasta belga Jawad Rhalib, de 53 anos, que deturpou declarações da repórter Constança Rezende, do Estado, para acusá-la falsamente de querer arruinar o presidente Jair Bolsonaro. Dizendo não ser de direita, de esquerda ou de centro, ele não conseguiu explicar por que resolveu atacar a imprensa brasileira em razão das investigações contra o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do atual presidente. “INDEPENDENTE” – Dizendo-se “um jornalista independente e sem nenhuma conta a prestar a ninguém”, Rhalib negou ter relações com partidos políticos ou com políticos. E afirmou: “Quando fazia trabalhos abordando questões da esquerda, a direita jamais me atacou. Mas quando eu trato de um tema da direita, aí tudo é uma tempestade. É o que eu chamo de ‘ditadura da esquerda’.” Rhalib não especificou o que ou quem seriam os inte-

grantes dessa esquerda. Embora se declare “jornalista independente”, o blogueiro belga se recusou a fornecer ao Estadão uma cópia completa da entrevista de Constança Rezende, para que se possa constatar exatamente o que aconteceu. Também se recusou a identificar seu “colaborador” que entrevistou a repórter Constança Rezende, dizendo apenas que se trata de um

diz que isso pode ocorrer com outros presidentes, inclusive aqueles “de esquerda”. UMA PERGUNTA – Na entrevista com o blogueiro e cineasta belga, o repórter Marcelo Godoy fez a seguinte pergunta: “O fato verdadeiramente curioso é que um blog que conta com cerca de 20 leitores decida fazer uma investigação sobre as pretensas manipulações da mídia no Brasil e que

cia?” E a resposta foi evasiva e ardilosa: “Meu trabalho é seguido em outras redes sociais e nos maiores festivais do mundo. Quando a gente faz um filme ou quando a gente escreve um jornal, ele não mais nos pertence; você sabe bem disso, infelizmente nós não temos mais nenhum controle sobre isso, todo mundo pode usá-lo como bem entende. Esse foi o caso”, disse o misterioso blogueiro, cujas artimanhas certamente foram parar em outro blog no Brasil, o “Terça Livre”, apenas por mera coincidência. A PESSOA ERRADA – Além disso, é bom mencionar que Constança Rezende, que trabalha no Rio de Janeiro, não foi a autora da matéria sobre o ex-assessor Fabricio Queiroz e o então deputado Flávio Bolsonaro. Quem teve acesso ao relatório do COAF foi Fábio Separião, que trabalha em Brasília.

estudante da Universidade do Texas. E reafirmou que a imprensa quer “arruinar” Bolsonaro e

ele seja encontrado ‘por acaso’ em poucas horas por um jornal alt-right em Washington e, depois, por Bolsonaro. Como o senhor explica essa coincidên-

www.questaobrasil.com.br

Ou seja, os defensores de Queiroz e Flávio Bolsonaro deveriam ter entrevistado Serapião, ao invés de Constança. Foi um erro estratégico que desmonta toda a armação.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Empossado novo presidente da Junta Comercial de Goiás

O

empresário Euclides Barbo Siqueira foi empossado no cargo de presidente da Junta Comercial do Estado de Goiás. O órgão, que é jurisdicionado a SIC, tem como missão legitimar as atividades empreendedoras com segurança e agilidade, para contribuir com o desenvolvimento econômico e social de Goiás. Na solenidade estiveram presentes várias autoridades, entre elas o titular da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços Wilder Morais, que na oportunidade esteve representando o governador Ronaldo Caiado. O

secretário, que vem defendendo a política de fomento ao empreendedorismo dos goianos, destacou a importância de um trabalho em verdadeira sintonia. “A secretaria de Indústria, Comércio e Serviços vai estar sempre ao lado da Juceg, para que a gente possa, cada vez mais, atrair empresas, regionalizar a industrialização do Estado de Goiás e fomentar o empreendedorismo dos goianos”, falou Wilder Morais. Logo após a solenidade de posse, o novo presidente já reuniu a equipe para iniciar o novo

projeto à frente da JUCEG. O princípio básico da nova gestão será a agilidade para atender o desenvolvimento do Estado pela via do crescimento cada vez maior do registro de empresas. “Nosso desafio à frente da Junta Comercial do Estado de Goiás é semelhante ao trabalho que já desenvolvia na Acieg, que é o de aprimorar ainda mais o atendimento e a celeridade dos processos da Junta voltados para os empresários. Isso é o que espera o empresariado da Junta. E essa agilidade vai se refletir

no desenvolvimento do Estado”, resumiu. Egresso do ramo de educação e infraestrutura, Euclides Barbo tem construído carreira de liderança em frentes importantes de mercado e representatividade empresarial, como as atuações na presidência do Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Goiânia (Codese), na diretoria da Câmara de Dirigentes Lojistas de Goiânia, membro efetivo do Conselho da Cooperativa Sicoob Lojicred e presidente da Associação Comercial e Industrial de Goiás (Acieg).

Governo arrecada mais de R$ 335 mil em leilões de carros de luxo O Hospital Materno Infantil (HMI) vai receber R$ 335.166,00 que serão utilizados para a compra de medicamentos. O valor foi arrecadado com o leilão de dois carros de luxo

realizado pelo Governo de Goiás, na manhã desta quinta-feira, dia 14, no auditório Jaime Câmara, no 9º andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia.

www.questaobrasil.com.br

“Muito obrigado! Foi um gesto que mostrou o sentimento goiano de solidariedade e a vontade de lutar para que o Estado dê certo, voltando as atenções, não

para luxo do Estado, mas para proteger e atender as pessoas”, disse o governador Ronaldo Caiado, ao cumprimentar os vencedores do leilão dos carros de luxo do Governo.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Termo de cooperação técnica e financeira prevê R$ 1,4 milhão para a Agrodefesa Recursos ajudarão em ações emergenciais

R

epresentando o governador Ronaldo Caiado, o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, assinou na manhã desta quinta-dia 14, o convênio de cooperação técnica e financeira que prevê R$ 1,4 milhão do Fundo para o Desenvolvimento da Agropecuária (Fundepec) para a Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa). O termo foi assinado juntamente com o presidente da Agrodefesa, José Essado Neto, e do Fundepec, Joaquim Guilherme Barbosa de Souza. A assinatura foi formalizada durante a abertura do 1º Workshop Goiás – Qualidade do Leite, realizada no Teatro Sesi, em Goiânia. Segundo o presidente da Agrodefesa, José Essado Neto, os recursos serão importantes para ajudar a Agência em ações emergenciais, desde melhorias em infraestrutura, atendimento

rurais, por meio de contribuições espontâneas. O fundo tem a participação de oito entidades mantenedoras, que, de forma mais abrangente, representam produtores e indústrias ligadas ao agronegócio, que são as seguintes:

e trabalho de fiscais no Estado de Goiás. “O convênio chega no momento certo para contribuir em trabalhos e atividades que são mais urgentes”, destaca. Já o secretário Antônio Carlos de Souza Lima Neto enfatiza que o convênio permitirá a ampliação do trabalho de defesa sanitária animal em Goiás e o fortalecimento da agropecuária goiana.

Fundepec A primeira ideia de se criar um Fundo Indenizatório em Goiás para proteger o produtor rural e consequentemente ajudar nas ações de defesa sanitária animal foi concebida por várias lideranças classistas e empresariais no final da década de 80. É um Fundo Indenizatório privado, mantido pelos produtores

– AGA – Associação Goiana de Avicultura – AGS – Associação Goiana de Suinocultores – AGCZ – Associação Goiana dos Criadores de Zebu – FAEG – Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Goiás – OCB – Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras – GO – SGPA – Sociedade Goiana de Pecuária e Agricultura – Sindicarne – Sind. das Ind. de Carnes e Derivados do Estado de Goiás – Sindileite – Sindicato das Indústrias de Laticínios do Estado de Goiás

Balança comercial de Goiás de fevereiro registra superávit

Soja permanece no topo do ranking dos produtos exportados Goiás tem superávit no saldo da balança comercial do mês de fevereiro, atingindo US$ 87,3 milhões. As exportações tiveram um crescimento de 4,48% em relação ao mesmo período em 2018, e as importações apresentaram um aumento de 13,63% se comparadas com fevereiro do ano passado. Os dados foram divulgados pela superintendência de Comércio Exterior da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação (Sedi). O superintendente de Comércio Exterior, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação (Sedi), Edival Lourenço Júnior, ressalta que o resultado das importações demonstra a recuperação da economia,

que aumenta o consumo e aquece a produção. “Observamos que tivemos um o crescimento na compra de produtos voltados para o agronegócio, para a indústria farmacêutica e para a automobilística. Decorrências do aquecimento dos respectivos setores”, explica. As importações de adubos (fertilizantes) ficaram em segundo lugar no ranking dos produtos importados. Totalizaram US$ 95 milhões em compras, com um crescimento de 112,47% se comparado a fevereiro de 2018, representando 28,43% do total das importações. Os produtos farmacêuticos mais uma vez aparecem em primeiro lugar no ranking, com crescimento de 1,39%, se comparado a fevereiro de 2018, somando US$ 106,8 milhões, com participação de 31,95% do volume total das importações. Em terceiro lugar nas importações estão veículos automóveis terrestres, suas partes e acessórios com participação de 9,75%.

Em fevereiro foram importados 1248 produtos diferentes de 68 países. Os principais países de origem dos produtos importados são Alemanha (16,03%), Estados Unidos (14,38%), China (11,50%), Japão (6,23%), Suíça (5,62%), Canadá (4,67%), Tailândia (4,06%), Rússia (2,84%), Emirados Árabes (2,70%) e Egito (2,63%). Exportações As exportações alcançaram cifras de US$ 421,7 milhões, com 282 diferentes produtos vendidos para 116 países. O complexo de soja continua a aparecer no topo do ranking dos produtos exportados, com valor de US$ 108,3 milhões, com 25,68% de participação do total exportado por Goiás. A exportação de carnes ocupou o segundo lugar no ranking, com acréscimo de 26,43% em relação a fevereiro de 2018, crescimento puxado pelo aumento das exportações das carnes bovinas e aves, com 27,96% e 39,32%. Ressalta-se o crescimento da participação do setor mineral que mostrou sua força. A exportação de ouro ficou em terceiro

www.questaobrasil.com.br

lugar no ranking, com crescimento de 81,68% se comparado a fevereiro de 2018. Ao todo foram comercializados US$ 41,7 milhões, com participação de 9,90% no total exportado. O sulfeto de cobre também foi destaque ocupando o quarto lugar no ranking, totalizando US$ 35,5 milhões. Goiás, em fevereiro, exportou 282 diferentes produtos para 116 países. A China ocupa o primeiro lugar dos países destinos das exportações, adquirindo 30,93% dos produtos vendidos. Entre os principais produtos exportados para a China estão: complexo soja; carnes bovinas; ferroligas; carnes de aves; couros e derivados; algodão; minério de manganês e seus concentrados; glicerol e peixes vivos. A Itália apareceu em segundo lugar no ranking de países de destino, com participação de 7,94% no total das exportações, comprando outro, couros e derivados, carnes bovinas, partes elétricas de outras máquinas e aparelhos, entre outros. Os Países Baixos (Holanda) adquiriram 4,92% e a Espanha com participação de 4,81% do total dos produtos exportados por Goiás.


Goiânia, 19 de Março de 2019

“O gesto me traz convicção de que Goiás vai mudar”, diz Caiado ao receber agente prisional currículo dele e vai auxiliar para que galgue cargos maiores dentro da estrutura penitenciária”, completou.

Maicol recusou tentativa de suborno de um detento

O

governador Ronaldo Caiado prestou reconhecimento nesta sexta-feira, dia 15, ao agente de segurança prisional do Presídio Estadual de Anápolis, Maicol Victor Barbosa, que recusou tentativa de suborno de um reeducando ligado ao Primeiro Comando da Capital, organização criminosa com atuação em Goiás. O agente foi recebido no gabinete do governador no Palácio das Esmeraldas ao lado do secretário de Segurança Pública, Rodney Miranda, e do diretor geral da Administração Penitenciária, coronel Wellington de Urzêda Mota. “O que aconteceu é algo de uma importância ímpar para

nós. Merece o nosso reconhecimento pois foi um gesto que me sensibilizou profundamente. Me traz a convicção de que Goiás vai mudar. O que estamos assistindo hoje é algo que mostra a determinação das pessoas em combater o crime e a corrupção”, elogiou o governador. No gabinete, Ronaldo Caiado assinou uma carta de elogio ao agente e garantiu que o governo irá render homenagens a todos aqueles que tiverem o mesmo compromisso com a gestão pública. “Hoje é um elogio que faço, mas transformaremos isso numa distinção especial a todos que tiverem comportamento semelhante ao do agente. Isso fará parte do

O agente Maicol Victor Barbosa não escondeu a alegria por ter seu gesto reconhecido. “Para mim é uma satisfação enorme. É muito bom quando a gente desempenha um papel ser conhecido. Desempenho meu trabalho dentro dos princípios que aprendi em casa, da honestidade e da dignidade”, afirmou. Com um histórico de trabalho na segurança pública, o coronel Wellington de Urzêda Mota garantiu que é a primeira vez que um governador recebe em seu gabinete um agente penitenciário para render homenagens. “Não houve na história de Goiás um governador que recebesse um agente no Palácio. Esse reconhecimento é muito importante para todos nós. O agente, com esse gesto, representa todo o Estado e traz reconhecimento a todos os servidores da Administração Penitenciária”, afirmou. Entenda O agente Maicol Victor Barbo-

sa, pertencente à 9ª Regional Prisional da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária, deu voz de prisão ao detento que lhe ofereceu dinheiro para que o mesmo entrasse com cerca de 15 aparelhos de celulares na última quarta-feira (14/3). A tentativa de suborno ocorreu durante o banho de sol no pátio do presídio. A proposta foi inicialmente de forma verbal, quando o reeducando Heyder Oliveira Batista Ribeiro Da Silva questionou o servidor se o mesmo gostaria de receber um dinheiro extra. Logo após lhe foi entregue um bilhete onde continha valores a serem pagos pela entrega dos aparelhos. Ao tentar acordar com o servidor, o reeducando propôs o pagamento de R$ 50 mil a R$ 100 mil para que o agente entregasse até 15 aparelhos. Imediatamente o servidor deu voz de prisão ao detento, além de iniciar o procedimento operacional padrão (POP) para as providências legais. O reeducando, que responderá por corrupção ativa (artigo 333 do Código Penal), foi encaminhado à delegacia da cidade, onde foi lavrado o auto de prisão em flagrante.

Governador reforça o combate à corrupção nos órgãos estaduais

C

aiado participou da reunião técnica do Compliance Público “A máquina do Estado não pode ser distorcida, e por isso vocês terão ampla liberdade para levantar todas as possibilidades de desvios nos órgãos dessa administração. Sejam intransigentes em seu trabalho para garantir que os recursos públicos de nosso Estado atendam verdadeiramente os goianos”. Essa foi a principal mensagem do governador Ronaldo Caiado aos gestores de Finanças e Controle da Controladoria-Geral do Estado (CGE) durante a primeira reunião do grupo de trabalho que fará a implantação da gestão de riscos do Programa de Compliance Público nos órgãos e entidades do Poder Executivo, realizada nesta sexta-feira, dia 15, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia. Após convite do controladorgeral, Henrique Ziller, o governador parou a agenda para par-

ticipar da reunião e fez questão de reforçar o apoio aos técnicos da CGE que ao longo dos próximos quatro meses realizarão as atividades de consultoria, orientação e apoio na implantação da gestão de riscos em 17 secretarias e autarquias, responsáveis pela movimentação de 90% dos recursos financeiros do Estado. Caiado afirmou que esse trabalho de prevenção à corrupção na máquina pública por meio do compliance é um dos principais programas de seu governo e estará presente em todos os órgãos. A implantação da gestão de riscos será realizada em duas etapas. Inicialmente, o grupo de trabalho da CGE, composto de 26 técnicos, terá 120 dias

a partir de 15 de março para consolidar o modelo nos 17 primeiros órgãos e, depois, até 30 de novembro nos demais 15 órgãos do Executivo estadual. As primeiras secretarias e autarquias a implantar a gestão de riscos serão a ControladoriaGeral do Estado; Procuradoria-Geral do Estado; Secretaria da Administração; Secretaria da Economia; Secretaria da Educação; Secretaria da Segurança Pública; Polícia Militar; Polícia Civil; Corpo de Bombeiros Militar; Secretaria da Saúde; Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Secretaria de Desenvolvimento Social; Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços; Secretaria de Meio Ambiente e Desen-

www.questaobrasil.com.br

volvimento Sustentável; Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes; Departamento Estadual de Trânsito; Goiás Previdência; Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás; Universidade Estadual de Goiás e Saneamento de Goiás S/A. A gestão de riscos nos órgãos terá como produtos em cada instituição o estabelecimento da política de gestão de riscos; constituição da estrutura do Comitê Setorial de Compliance Público; elaboração da matriz de riscos; elaboração do plano de ação de controle para tratamento de riscos; elaboração do plano de comunicação de riscos e o estabelecimento dos relatórios de gerenciamento de riscos e de atividades do responsável pelo gerenciamento de riscos. Após a finalização desse trabalho, caberá ao órgão administrar a continuidade do programa e garantir o combate à corrupção e aos desvios de conduta.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Ronaldo Caiado e Iris Rezende firmam pacto e demonstram sintonia administrativa Avançar em ações conjuntas em prol de Goiânia

S

intonia e integração entre o Governo de Goiás e a Prefeitura de Goiânia para beneficiar a população. Esta foi a premissa estabelecida durante a primeira reunião realizada entre o governador Ronaldo Caiado e o prefeito Iris Rezende durante a atual gestão estadual, que teve a participação de secretários de Estado e do município.

e na determinação do governador para superar as dificuldades administrativas herdadas do governo anterior. “Conheço o governador desde menino e posso dizer: é um político diferente. Um político movido pelo ideal, pelo espírito público, e com coragem para tomar decisões. É também uma criatura sensível. Fui à sua posse na Assembleia Legislativa e acompanhei pela televisão a trans-

tar aqui a total parceria com a Prefeitura de Goiânia. Teremos sintonia completa ações para que o objetivo final seja cada vez mais melhorar a vida do cidadão”, assegurou. Repetindo uma frase que é um de seus lemas, Ronaldo Caiado afirmou que o encontro é uma demonstração de que não existe governo sozinho. “Governamos em conjunto com as

“Vamos pisar no acelerador e avançar em ações conjuntas. Trabalhar diuturnamente em prol de nosso Estado de Goiás e da capital”, afirmou o governador. O encontro foi realizado nesta sexta-feira, dia 15, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia. O prefeito Iris Rezende afirmou estar surpreso com a agilidade com que Ronaldo Caiado apontou caminhos conjuntos para beneficiar os goianienses. “Eu pedi ao governador essa audiência e nunca podia imaginar que surgisse espontaneamente um pacto entre os governos estadual e municipal. É a união de forças em busca de solução para os problemas do nosso município, seja na área do transporte, da saúde, da educação ou do trânsito. Posso proclamar que aqui se estabeleceu um exemplo para o momento e para o futuro de como os poderes constituídos devem agir buscando o bem estar da população”, elogiou. Em coletiva de imprensa ao final do evento, o prefeito Iris Rezende fez questão de demonstrar confiança no trabalho

missão do cargo. Que tumulto. Quantos abraços, quantas falas ao governador. E, de repente, eu ligo a televisão à noite e vejo que ele foi visitar o Materno Infantil e o Hugo, porque estavam fechados. Eu me arrepiei”, testemunhou. A mesma sintonia foi demonstrada pelo governador, que destacou alegria de receber no Palácio o prefeito, com um vasto currículo em benefício de Goiás. “É um momento importante receber um homem que tem um currículo de vida e experiência política ímpar. O Governo do Estado tem muito a aprender com toda a sua trajetória. Ao mesmo tempo quero ressal-

forças políticas e com todos os que têm espírito público.” Mutirão com o governo Na coletiva à imprensa, Ronaldo Caiado aproveitou para anunciar a participação inédita do Governo de Goiás nos mutirões de serviços promovidos pela Prefeitura de Goiânia. “Foi formulado o convite para que participássemos de um grande momento, de um mutirão que terá a presença, pela primeira vez, do governo e da prefeitura”, comemorou O prefeito Iris Rezende disse estar absolutamente disposto nesta união de forças e frisou

que essa abertura só foi possível graças à postura republicana de Caiado. “Isso aqui não tem nada a ver com adesões político-partidárias, se deve ao idealismo e espírito público do governador. Estamos diante de um político diferenciado”, elogiou. Participaram do encontro, auxiliares do governo e da Prefeitura para integrar e ampliar o trabalho conjunto, especialmente nas áreas de Educação e Saúde. “É uma parceria cada vez mais forte, o que é fundamental porque os hospitais de alta complexidade estão, em sua maioria, na cidade de Goiânia”, lembrou Caiado. “Vamos interiorizar a Saúde e, como tal, essa sintonia para nós é fundamental”, completou, referindose a implantação de policlínicas no interior do Estado para desafogar as unidades de saúde da capital. Acompanharam o prefeito o secretário municipal de Governo, Paulo Ortegal; o secretário de Finanças, Alessandro Silva; o secretário de Infraestrutura, Dolzonan Matos; e o presidente da AGR, Paulo César Pereira. Dentre os secretários de Estado estiveram presentes Juliana Prudente (Procuradoria-Geral do Estado), Anderson Máximo (Casa Civil), Wilder Morais (Indústria, Comércio e Turismo), Rodney Miranda (Segurança), Antônio Carlos Neto (Agricultura, Pecuária Irrigação), Marcos Cabral (Desenvolvimento Social), Esporte e Lazer (Rafael Rahif), coronel Castilho (Casa Militar) e Lyvio Luciano (chefe de Gabinete de Gestão da Governadoria).

Comitê Permanente da Mulher é instituído na Agência Brasil Central

O

objetivo do Comitê Permanente da Mulher é implantar na Agência Brasil Central políticas e ações que possam contribuir para consolidar os avanços das conquistas das mulheres e buscar formas de combater o preconceito, a injustiça e a desigualdades oriundas de questões de gênero. O Comitê Permanente para Questões da Mulher e da Diversidade, no âmbito da ABC, é composto pelas seguintes

dora Maria José Alves.

servidoras: Carla Lacerda do Nascimento, Francielly Oliveira Souza Duarte, Jane Santiago

Barbosa, Maria José Alves e Núbia da Cunha Simão. A coordenadora do Comitê é a servi-

www.questaobrasil.com.br

Para o presidente da ABC, Vassil Oliveira, no âmbito da Agência o Comitê Permanente da Mulher é muito bem-vindo. “É mais um fórum, mais uma forma de a gente conversar sobre direitos e deveres. Creio que o espaço (de defesa dos direitos da mulher) já existe, mas vamos reforçar isso. O Comitê é permanente para que o trabalho seja de forma constante, para que possamos crescer juntos”, disse.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Flamengo espera liberação de CT para treino da base

O

Flamengo espera a liberação dos treinos da base no Centro de Treinamento do Ninho do Urubu esta semana. O clube apresentou ao juiz da 1ª Vara da Infância, Juventude e do Idoso, Pedro Henrique Alves, as condições obtidas junto aos Bombeiros e a Prefeitura do Rio de Janeiro para a obtenção do alvará definitivo, e aguarda a revisão da decisão que proíbe os treinamentos e o alojamento da categoria no local. No total, 380 jovens seriam beneficiados, já que estão usando o CT do Audax, em São João de Meriti. A questão do alojamento dos menores no Ninho do Urubu, no entanto, ainda é mais complicada, devido à pressão extra do Ministério Público do RJ. Por conta disso, a diretoria rubro-negra já indicou que vai dispensar cerca de 35 atletas, quase 10% do total, que estão com os pais no Rio de Janeiro no aguardo de uma definição. Entre eles, jogadores sobreviventes do incêndio. A última esperança é um convite feito ao juiz Pedro Henrique Alves para visitar o módulo que era usado pelos profissionais até ano passado e este ano será o alojamento da base,

para que ele reveja a decisão e libere tanto os treinos como a hospedagem. Segundo a reportagem apurou, o clube entende que os treinamentos não possuem mais riscos, e por a questão do pernoite ser mais delicada, a efetiva noção da estrutura que será usada é imprescindível. Por isso, a demora e e iminen-

te volta dos jovens que são de outros estados para seus locais de origem com os pais. Em um primeiro momento, os atletas e as famílias estavam hospedados em um hotel na Zona Oeste. Os garotos só retornariam às atividades quando puderem se hospedar no módulo reformado do CT. Na semana passada, os pais dos

jogadores disseram ter recebido contato do Ministério Público alegando que não poderiam deixar os meninos treinando desacompanhados. O órgão negou a recomendação. O Flamengo viu o episódio como uma tentativa de intimidação. Clube omitiu problema em arcondicionado de alojamento que pegou fogo

Os depoimentos de funcionários do Flamengo seguem indicando os caminhos para explicar o incêndio que deixou dez jovens da base mortos no Ninho do Urubu. Segundo Adalberto Lourenço, monitor do clube que estava acompanhando os menores no alojamento dois dias antes da tragédia, já havia acontecido um curto em outro

ar-condicionado do contêiner, que pegou fogo. O teor do depoimento foi exibido pelo Esporte Espetacular, da TV Globo, ontem. Conforme indicou o depoimento, o ar que pegou fogo dois dias antes não foi o que causou o incêndio dois dias depois. Apesar disso, o problema não foi relatado pelo clube em nenhum de seus posicionamentos sobre o tema. No pronunciamento do diretor-geral Reinaldo Belotti, no dia seguinte à tragédia, ele informou apenas que o Flamengo havia feito vistoria em todos os arescondicionados naquele imóvel. “Temos isso registrado e podemos divulgar para quem quiser”, afirmou. Semanas depois, no dia 24, o presidente Rodolfo Landim concedeu entrevista coletiva na sede da Gávea, e apenas esbarrou no assunto, ao dizer que “os circuitos de ar-condicionado eram totalmente independentes e tinham disjuntores”. No domingo, o clube se manifestou de forma diferente. Confirmou que dois dias antes da tragédia “um dos aparelhos de ar-condicionado do módulo habitacional apresentou defeito”.

Salários atrasados não coloca o Fluminense inferior a nenhum clube no Brasil

N

em mesmo o problema com o atraso de salários fez os jogadores do Fluminense darem tudo em campo. No clássico contra o Botafogo, um empate em 1 a 1, no Maracanã, pela Taça Rio, e praticamente coloca o time no mata mata do turno. O lateraldireito Gilberto ‘minimizou” a situação e afirmou que o grupo está unido. – A questão financeira vai mostrando que estamos unidos e focados. Os jogadores, junto com a comissão, todos estão conseguindo manter o foco. Fizemos um bom primeiro tempo hoje e tenho certeza que faremos um bom jogo na quinta. Vamos pensar no Flamengo

depois – disse.

A postura dos atletas de não

– Isso que tem que ser realçado. O mais importante é que os jogadores estão honrando

sobre isso. Eles conseguiram se dedicar muito bem no jogo e o ambiente está muito bom. O mais importante é o jogador chegar e jogar, como eles estão fazendo – disse o treinador na coletiva de imprensa. O Fluminense segue na liderança do Grupo B, com 11 pontos, e abriu seis pontos de vantagem para o terceiro colocado, o Vasco, restando duas rodadas para o fim da Taça Rio. O Tricolor tem uma partida a mais – venceu o Boavista em jogo adiantado da 5ª rodada.

ter corpo mole fez o técnico Fernando Diniz rasgar em elogios o elenco.

a camisa do Fluminense. Eles se reuniram de forma muito coesa. Não quero tratar muito

www.questaobrasil.com.br

O Flu volta a campo na quinta-feira, contra o Antofagasta, no Chile, às 19h15, pela Copa Sul-Americana.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Confrontos das Quartas de Final da Champions League definiram o caminho até a final de Madrid Muito se falou, ou só se falou de Lionel Messi e Cristiano Ronaldo após os jogos das oitvas de final da Champions League. O feito de CR7 diante do atlético de Madrid foi extraordinário e a imprensa quis de certa forma igualar o que fez o português ao que produziu o argentino

contra o Lyon, sem mensurar a qualidade dos companheiros de ambos nas respectivas equipes. O mais impressionante não é querer a todo custo o que faz o 10 do Barça ao 7 da Velha Senhora, e sim o fato de qua-

se todo mundo ignorar solenemente o que outros times fizeram para se classificar, alguns destes feitos podem ser vistos como algo inédito e mais do que isso é levar em conta o peso da camisa adversária. Não queremos diminuir o que

fizeram Messi e Cristiano, mas não tem como ignorar os 7 a 0 do City, a classificação heróica do United em Paris ou pensar que a eliminação do Real Madrid pelo Ajax foi mera obra do acaso. O Liverpool tirou da competição o poderoso Bayern de Munique na Alemanha.

As oito equipes que continuam na disputa da UEFA Champions League de 2018/19 conheceram os adversários que terão que superar para chegar a final de Madrid. Quartas-de-final UEFA Champions League Ajax (NED) - Juventus (ITA) Liverpool (ENG) - Porto (POR) Tottenha (ENG) - Manchester City (ENG) Manchester United (ENG) Barcelona (ESP)

Ajax (NED) - Juventus (ITA) Resumo da final de 1996: Uma reedição da final de 1996, que o clube italiano venceu na prorrogação após uma igualdade em 1 a 1 em Roma. Confrontos diretos na UEFA Champions League: 6 vitórias da Juventus, 2 vitórias do Ajax e quatro empates.

Liverpool (ENG) - Porto (POR) Resumo: Porto 0-5 Liverpool: O Liverpool derrotou o Porto por 5 a 0 nas oitavas-de-final da temporada passada, com todos os gols acontecendo no primeiro tempo no Estádio das Antas em Portugal. Sadio Mané fez um hat-trick. Confrontos diretos na UEFA Champions League: 3 vitórias do Liverpool, 0 vitórias do Porto, três empates.

Tottenham (ENG) - Manchester City (ENG)

Esta é a primeira vez que Spurs e Manchester City se encontram na UEFA Champions League. O City ganhou por 1-0 fora ante aos Spurs em 29 de Outubro passado pela Premier League. O jogo em Manchester está marcado para 20 de Abril.

Barcelona (ESP) - Manchester United (ENG) Esta eliminatória foi invertida, com a primeira partida em Old Trafford, pois Manchester City e Manchester United não podem jogar me casa na mesma noite ou em noites seguidas, por questões de segurança, assim decidiram as autoridades locais. Resumo da final de 2011: O Barcelona derrotou o Manches-

www.questaobrasil.com.br

ter United na final da #UCL em 2009 e 2011, com Lionel Messi marcando nas duas partidas. Barcelona e Manchester United jogaram duas vezes em mata-mata na UEFA Champions League, com os ingleses revertendo um 2-0 da primeira partida na Espanha com um 3-0 em Old Trafford nas quartas-de-final da Taça dos Campeões em 1983/84. O United bateu o Barça por 1-0 no agregado das duas partidas nas semifinais em 2007/08. Confrontos diretos na UEFA Champions League: 4 vitórias do Barcelona, 3 vitórias do United, quatro empates. Caminho para Madrid 9/10 de Abril: quartas-de-final, 1ª partida 16/17 de Abril: quartas-de-final, 2ª partida 30 de Abril/1 de Maio: semifinais, 1ª partida 7/8 de Maio: semifinais, 2ª partida Sábado, 1 de Junho: Final – Estadio Metropolitano, Madrid


Goiânia, 19 de Março de 2019

Novo formato do Mundial de Clubes pode esvaziar a Champions League

P

or trás das drásticas propostas de mudanças feitas por Gianni Infantino, presidente da Fifa, para o Mundial de Clubes, está o magnata japonês Masayoshi Son, fundador e CEO do conglomerado SoftBank. Comandante de uma proposta de US$ 25 bilhões (R$ 96 bilhões) para reformular a competição, que passaria a ter 24 equipes e seria disputada a cada quatro anos, o empresário possui uma história bastante curiosa.

sos de venda, fusão, redução ou falência, principalmente em 2001. Nesta época, o magnata tinha um faturamento de US$ 10 bilhões por semana, aproximadamente US$ 1,4 bilhão por dia. Quando a bolha estourou, no entanto, as ações do SoftBank despencaram 75% em dois meses, e haviam desvalorizado 93% no final de 2000.

que, nos anos seguintes, ele conseguiu recuperar o patrimônio e colocou novamente o SoftBank em posição de protagonismo. Atualmente, ele criou um “fundo de visão de futuro” do SoftBank, e gosta de aplicar em aplicativos inovadores para smartphones e companhias que trabalham com inteligência artificial e robóticas. Em 2017, ele investiu US$ 35 bilhões (R$

Nascido no Japão, ele foi para os Estados Unidos na adolescência e estudou economia e ciência da computação da Universidade da Califórnia, em Berkeley. Em 1981, Masayoshi criou o SoftBank, que se transformou nas décadas seguintes em uma potência. A companhia chegou a ser listada como 39ª maior empresa de capital aberto do mundo, e a 4ª maior do Japão, atrás apenas de Toyota, Mitsubishi e NTT. Atualmente, o conglomerado tem um faturamento anual de 8,9 trilhões de ienes, nada menos do que R$ 309 milhões por ano. No entanto, Masayoshi Son viveu dias complicados no início dos anos 2000, quando aconteceu a chamada “bolha do .com”, que levou diversas companhias a entrarem em proces-

Isso fez com que a empresa ficasse à beira de quebrar, e Masayoshi perdeu incríveis US$ 70 bilhões. Essa é até hoje a maior perda financeira que uma pessoa sofreu em toda a história. No entanto, ele conseguiu dar a volta por cima. “De alguma forma, eu consegui sobreviver”, disse, em uma entrevista de 2017 à Bloomberg. Isso aconteceu porque o empresário usou os recursos que tinha disponível e arriscou na compra das ações da Vodafone no Japão. Deu tão certo

133,43 bilhões) dessa forma. Sua obsessão com o que virá adiante, inclusive, fez com que ele deixasse pronto um plano de negócios para os próximos 300 anos da companhia. Segundo a revista Forbes, o patrimônio atual do empresário de 61 anos é de US$ 22,8 bilhões (R$ 86,92 bilhões), o que o coloca na 43ª posição entre os maiores bilionários do mundo. Ele também é a pessoa mais rica do Japão, e está na 55ª

www.questaobrasil.com.br

posição dos mais importantes do mundo organizada pela própria Forbes. Masayoshi ainda é conhecido por doar muito dinheiro para caridade, mantendo vários projetos sociais. O projeto do magnata com a Fifa é revolucionar o Mundial de Clubes, transformando o hoje desinteressante torneio em algo grandioso. O primeiro “piloto” está sendo planejado para acontecer entre 17 de junho e 4 julho de 2021, com 24 clubes, e não mais apenas sete (um campeão por continente e o atual vencedor do campeonato do país sede). Das 24 vagas, a Uefa (Europa) ficaria com oito, a Conmebol (América do Sul) com seis, a AFC (Ásia), CAF (África) e Concacaf (América do Norte, Central e Caribe) com três cada, além de uma restante para a OFC (Oceania). Em relação à fórmula de disputa, os times seriam divididos em oito grupos e apenas o cabeça de chave avançaria ao mata-mata. O novo formato da competição está sob estudo da Fifa, em conjunto com representantes das confederações, desde novembro. A entidade, aliás, diminuiu o números de vagas para clubes europeus a fim de agradar a Uefa, que vê o torneio como um concorrente para a fantástica Champions League.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Campeão em 2017, Sereias da Vila estreia com vitória. Inter-RS goleia no Brasileiro feminino Quatro jogos deram sequência a rodada de estreia do Campeonato Brasileiro Feminino A1 neste domingo. Entre os paulistas, o Santos conquistou uma boa vitória, enquanto a Ferroviária foi derrotada pelo Kindermann-SC. Flamengo e Internacional também triunfaram.

Mais tarde, o Flamengo-RJ vi-

sitou o Iranduba-MA e venceu por 3 a 0 com gols de Raiza,

Com gols de Alanna, Glaucia e Rita Bove, o Santos bateu o Foz Cataratas-PR por 3 a 0 e somou seus três primeiros pontos na competição. A Ferroviária visitou o Kindermann-SC e perdeu por 1 a 0, com gol de Bruna Calderan.

duas vezes, e Ju. O último duelo do dia contou com cinco gols. O Internacional-RS bateu o Vitória/Santa Cruz-PE por 5 a 0. Os gols foram marcados por Moreti, duas vezes, Carol, Sasha, Jheniffer. A rodada terá conclusão na próxima quartafeira, quando o São Francisco -BA encara o Sport-PE. REGULAMENTO Com 16 equipes em único grupo, as equipes se enfrentarão entre si em apenas um turno. Os oito melhores colocados avançam ao mata-mata, que será disputado em dois jogos.

Demitido do Papão Papão empatou de manhã e à tarde o técnico foi dispensado, mesmo sendo líder geral e invicto após oito rodadas

O

futebol brasileiro continua nas mãos de muitos dirigentes amadores, vaidosos e que só atrapalham o clube ao invés de ajudá-los a crescer. As vítimas, quase sempre, são os técnicos. A mais novo é João Brigatti, do Paysandu, que deixou o clube no domingo à noite, algumas horas após empatar, por 1 a 1,

com o Castanhal. O presidente do papão, um dos maiores clubes do país, é Ricardo Gluck Paul (foto). O Paysandu é o time com maior pontuação no Campeonato Paraense, com 18 pontos, lidera o Grupo B, está invicto há oito jogos com cinco vitórias e três empates. EMPATE INESPERADO O último resultado foi um inesperado empate com o Castanhal, neste domingo cedo, no Estádio da Curuzu. De repen-

te, o técnico foi surpreendido pela demissão. Junto com ele sai o auxiliar técnico Alfredo Momesso. “Infelizmente isso é o futebol brasileiro. Não há tempo do técnico fazer um trabalho e acaba demitido. Daí tudo começa de novo. É um ciclo vicioso e que precisa parar” – comentou Brigatti, que fez questão de agradecer o apoio da torcida e da Imprensa. AGRADECIMENTOS “Sempre fui muito bem tra-

tado por todos da Imprensa, embora as vezes a gente tem uma divergência de opinião. E sempre tive o apoio desta torcida maravilhosa do Papão, que acompanha o time, apoia e mereceria estar na elite do futebol nacional, como já aconteceu com Ceará e Fortaleza” – comentou. João Brigatti é de Campinas e já trabalhou em muitos clubes como Ponte Preta, Sport, CRB. Agora espera uma nova oportunidade na carreira, uma rotina para os técnicos de futebol.

Vila Nova não joga mais no OBA em 2019

O

presidente executivo do Vila Nova Futebol Clube, Ecival Martins, confirmou que o Vila Nova vai mandar os jogos da reta final do Goianão, Copa do Brasil e Brasileiro Série B no Serra Dourada ou Olímpico. O jogo contra o Itumbiara foi a despedida do Onésio Brasileiro Alvarenga, que segundo o dirigente - não será mais utilizado em 2019. “Não vamos mais jogar no OBA porque o nosso gramado não oferece a condição que o nosso time precisa”, explicou o presidente. Na entrevista concedida durante o programa Debates Esportivos na Rádio Sagres, deste sábado (16), o dirigente colorado revelou que o único problema

que negocia com as autoridades estaduais, como o secretário de esportes, e que não vai se reunir com os donos dos bares do estádio. “É uma situação absurda que se estabeleceu. Não vamos conversar com essas pessoas. No começo, procuramos uma parceria, mas foram intransigentes, faltaram com respeito. Não sento pra negociar com eles de forma alguma”. para definir o Serra Dourada como o local para o restante da temporada é a exploração dos bares, pois o Vila Nova não abre mão desta receita. “Pra gente é inegociável esta questão. Estamos esperando

esta definição até a segunda – feira (18). Não vamos abrir mão desta receita. Se parte da receita dos bares tivesse sido investida no Serra Dourada, seria um outro estádio”, lembrou Ecival Martins, que fez questão de salientar

www.questaobrasil.com.br

Ecival Martins explicou que se o problema no Serra dourada não for resolvido, o Vila vai jogar no Olímpico, onde teria direito a explorar os bares. O comandante colorado, também revelou que o clube vai ajudar o Goiás nas obras que serão feitas no Serra Dourada.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Cercado de polêmicas o Grenal dos reservas foi vencido pelo Tricolor na Arena do Grêmio O resultado garantiu ao grêmio o primeiro lugar

A

expulsão do volante Nonato foi lamentada pelos jogadores do Internacional depois da derrota para o Grêmio por 1 a 0 na Arena. O meia Camilo elogiou a postura do time em campo mesmo com um a menos.

ser complicado de jogar com um a menos.”Jogar com um a menos em clássico é difícil. Mas a gente se impôs dentro de campo. Faz parte no futebol”, analisou. Para o jogo de quarta-feira contra o Novo Hamburgo, às 21h30 (de Brasília), no Estádio Beira-Rio, o técnico Odair Hellmann deve escalar força máxima. O elenco do Colorado retorna aos treinos nesta segunda-feira, às 15h30 (horário de Brasília), no CT Parque Gigante.

“Ficamos com um a menos desde o primeiro tempo. Não é fácil e nós soubemos nos comportar bem. Controlamos o Grêmio”, comentou. Enquanto isso o goleiro Daniel que teve boa atuação afirmou

Um gigante milionário que se apequenou

O

São Paulo perdeu os três clássicos que disputou na fase de grupos do Paulistão, o mais recente neste sábado, para o Palmeiras, por 1 a 0. Antes, o Tricolor já havia sido derrotado por Santos (2 a 0) e Corinthians (2 a 1) nesta temporada. São novos capítulos de um martírio que dura dez anos. Os números não são nada animadores para o soberano, o clube jogou 109 clássicos desde 2009. Perdeu 54, empatou 27 e venceu apenas 28, com aproveitamento de 33,9% dos pontos. Além disso, perdeu os

dez mata-matas que disputou contra os rivais no período. Neste intervalo, as únicas temporadas em que o clube venceu mais clássicos do que perdeu foram 2012 e 2014. Depois de perder o clássico para o Palmeiras, os principais jogadores do São Paulo optaram por não conceder entrevistas na zona mista do Pacaembu. Apenas o goleiro Tiago Volpi, contratado no início do ano, e os garotos Igor Vinícius e Antony falaram com a imprensa. Para Vagner Mancini, há pon-

tos que o São Paulo já deveria ter melhorado, mas sofre para evoluir – principalmente na parte psicológica, de confiança. Em 2014, o então presidente do Palmeiras classificou como antiética a postura do São Paulo ao contratar Alan Kardec. Aidar, mandatário do clube tricolor à época, rebateu as declarações do adversário de maneira irônica e levou vários cachos de bananas para sua entrevista. “A manifestação do presidente Paulo Nobre chega a ser patética. Demonstra, infelizmente,

www.questaobrasil.com.br

o atual tamanho da Sociedade Esportiva Palmeiras, que, ano após ano, se apequena com manifestações dessa natureza”, disse Aidar, que comeu a banana e reclamou por ainda estar “verde”. O São Paulo Tricampeão do Mundo hoje é um gigante que por conta da crise joga e se comporta como um time pequeno. Do jeito que vão caminhando as coisas, o Tricolor do Morumbi pode brigar este ano para fugir do rebaixamento no Brasileirão, em que pese a chegada de um novo treinador em Abril.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Para atingir Lula, ministro de Bolsonaro ironiza Arena e ofende a nação corintiana

O

Corinthians foi motivo de ironia durante pronunciamento de Paulo Guedes, Ministro da Economia do governo de Jair Bolsonaro. Durante seminário “A Nova Economia Liberal”, promovido pela Fundação Getúlio Vargas, Guedes criticou o modelo econômico do Brasil nos últimos anos, citando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a Arena Corinthians, conforme publicado pelo UOL.

ex-presidente Lula, corintiano assumido.

- No Brasil é ao contrário, os recursos estão no topo. Então, se o presidente é Corinthians, surge o estádio do Corinthians. Ninguém consegue pagar aquilo lá - disse, em clara alusão ao

As declarações não foram bem recebidas pelo Corinthians. Em nota, o clube lamentou e repudiou a postura do Ministro da Economia e falou em ofensa aos mais de 33 milhões de co-

Em nova ironia, Guedes disse que o Corinthians já está próximo de conquistar o Campeonato Brasileiro pelos inúmeros “pênaltis roubados” a seu favor. - E o Corinthians começa a ganhar Campeonato Brasileiro, porque todo jogo tem um pênalti roubado lá a favor deles disse, em nova piada.

rintianos. Confira: “O Sport Club Corinthians Paulista repudia as palavras do ministro Paulo Guedes durante sua palestra na Fundação Getúlio Vargas, na qual demons-

trou grande insensibilidade ao não reconhecer o grande sacrifício feito pela agremiação para construir sua Arena e também para continuar pagando as parcelas de seu financiamento. A ironia, proferida na ocasião, ofende mais de 33 milhões de brasileiros corinthianos, entre eles, eleitores do atual governo, e todos indistintamente testemunhas do esforço do clube para honrar seus compromissos. O Corinthians aproveita a oportunidade e convida o ministro para assistir uma partida do time mais vitorioso da década em uma Arena só comparável às mais modernas do mundo, carinhosamente chamada de Casa do Povo”.

Fortaleza sai atrás, mas busca empate contra o Ceará no clássico

N

a noite deste domingo, Ceará e Fortaleza fizeram mais um clássico, desta vez válido pela Copa do Nordeste. No segundo encontro neste ano, os times ficaram novamente no empate, agora por 1 a 1. Os gols foram marca-

dos por Felipe Baxola e Ederson. No primeiro tempo, o Vozão foi bem melhor, teve as principais chances da partida, perderam boas chances e abriram o placar. Na etapa final, o Leão do Pici teve superioridade e, me-

recidamente arrancou um empate diante de seu maior rival no Castelão. Com o resultado, o time dirigido por Rogério Ceni está na liderança do Grupo A com nove pontos. O Vovô ocupa a segunda posição do Grupo B, com 12

www.questaobrasil.com.br

pontos ganhos. Na quarta-feira, os comandados de Lisca voltam a campo pelo Campeonato Cearense, contra o Ferroviário, às 21h30 (horário de Brasília). No mesmo dia e horário, o Fortaleza pega o Floresta.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Fazendo valer o mando de campo, Atlético tira a invencibilidade do Goiás na temporada e encosta na liderança do Goianão

N

a partida mais esperada da primeira fase do Campeonato Goiano, Atlético Goianiense venceu o Goiás por 2 a 1, no Antonio Accioly. O jogo foi muito equilibrado e o gol da vitória só foi marcado aos 32 minutos do segundo tempo. Com esse resultado, o Atlético ficou na 2ª posição, com 25 pontos, e volta a campo na próxima quarta-feira, contra o CRAC, fora de casa, às 20h30. Já o Goiás se mantém na primeira posição, com 28 pontos, e receberá o Iporá no mesmo dia e horário. O Dragão foi amplamente superior na primeira metade do jogo e só não abriu o placar

o trabalho de empurrar pro gol. Mesmo depois de marcar, o Atlético não arrefeceu. Pedro Raul voltou a levar perigo. O segundo tempo começou muito movimentado. Com cinco minutos, as duas equipes já tinham chegado com perigo. O Goiás chegou ao gol de empate aos 16 minutos. Após cobrança de escanteio de Renatinho, Gilberto cabeceou na primeira trave, sem chances para o goleiro. mais cedo porque Sidão brilhou. O goleiro do Goiás fez uma sequência de defesas impressionantes, primeiro em cabeceio de Pedro Raul após cruzamento de Nicolas e depois em chutes de Pedro Bam-

bu e Matheuzinho. O arqueiro, porém, não conseguiu evitar que o rival abrisse o placar aos 16 minutos. Pedro Bambu arriscou rasteiro de fora da área, Sidão espalmou para o lado e, na sobra, Jorginho apenas teve

Após o empate, o jogo continuou equilibrado. O Atlético conseguiu fazer o segundo gol aos 32 minutos. Pedro Raul carimbou sua boa atuação com um gol de cabeça após cruzamento de Gilsinho.

Galo vence o América MG no Mineirão e garante 1º lugar

E

mpurrado pelos mais de 43 mil torcedores presente ao Mineirão e em clássico decidido apenas nos instantes finais, o Atlético venceu o América por 3 a 2, neste domingo, e assegurou, com uma rodada de antecedência, o primeiro lugar da fase classificatória do Campeonato Mineiro. Com o triunfo no Gigante da Pampulha, pela 10ª rodada, o Galo chegou a 25 pontos e oito vitórias, não podendo mais ser alcançado pelas equipes que estão abaixo na tabela.

Réver abriu o placar no primeiro tempo e o América empatou ainda na etapa inicial. No segundo tempo, Alerrandro marcou aos 18 minutos e o América igualou novamente o marcador três minutos depois. O Galo persistiu e chegou ao gol da vitória já nos acréscimos, novamente com o garoto Alerrandro, artilheiro isolado da competição, com sete gols. Na próxima rodada, a última desta primeira fase, o adversário será o Tupynambás, nesta quarta-feira (20/3), às 21h30, no Estádio Municipal de Juiz de Fora.

Cruzeiro já pensa nas fases finais do Campeonato Mineiro A uma rodada do fim da primeira fase, a Raposa já vislumbra os mata-matas que se iniciam no próximo fim de semana

P

assado o fim do jogo entre Tupi e Cruzeiro, em que o clube celeste derrotou o time da casa por 3 a 0, em Juiz de Fora-MG, Henrique e Marquinhos Gabriel fizeram uma análise sobre o comportamento da equipe na partida. O capitão chamou a atenção para a entrega dos atletas e comentou sobre a preparação para as próximas fases do Mineiro. “Nós lutamos o tempo todo. Tivemos um bom domínio de jogo e com tranquilidade construímos o placar. Poderíamos até sair com um resultado ainda mais elevado. Mas saímos de cabeça erguída e contentes. Todo o elenco está de parabéns” afirmou o

Em campo logo no primeiro tempo em substituição ao meia Rafinha, Marquinhos Gabriel falou sobre a oportunidade dada pelo técnico Mano Menezes. O camisa 20 foi destaque em lances com o atacante Fred durante o segundo tempo do confronto.

camisa 8, que emendou dizendo que a equipe quer o bicampeonato estadual. “Estamos chegando em um momento em que a competição está se afunilando. Va-

mos nos preparando cada vez mais, ganhando mais força para que possamos cada vez mais estar melhores e conquistar o nosso maior objetivo, que é o título”, finalizou”.

www.questaobrasil.com.br

“A gente tem que se manter concentrado o tempo inteiro, não importa se começamos jogando ou não. As oportunidades podem aparecer em momentos inesperados, como foi o caso de hoje. Estamos sempre atentos no banco para que possamos estar preparados a qualquer momento para ajudar a equipe”, disse Marquinhos.


Goiânia, 19 de Março de 2019

UFC confirma card em Fort Lauderdale em Abril com brasileiros

Ronaldo “Jacaré” Souza e o meio-pesado Glover Teixeira são alguns dos brasileiros escalados para o UFC Fort Lauderdale, marcado para abril

O

UFC retorna para a cidade de Fort Lauderdale, na Flórida (EUA), com a esperada revanche entre o líder dos médios, Yoel Romero, e Ronaldo Jacaré, terceiro no ranking da categoria. No co -main event, em uma batalha de meio-pesados, o 11º da divisão, Glover Teixeira, encara a dura promessa Ion Cutelaba. O UFC on ESPN 3 será no dia 27 de abril. Yoel Romero (13-3) teve sua mão levantada no primeiro encontro com Jacaré, em dezembro de 2015, vencendo por decisão dividida. Medalhista de prata em Luta Olímpica nos Jogos Olímpicos de Sidney, em 2000, Romero vem acumulando vitórias contundentes sobre a elite dos médios. O cubano conquistou nocautes espetaculares sobre Luke Rockhold, Chris Weidman, Lyoto Machida e Derek Brunson, e agora espera que uma outra finalização surpreendente garanta sua chance de disputar o cinturão novamente. Um dos mais premiados gra-

pplers do MMA, Ronaldo Jacaré (26-6,1NC) tem mostrado que sua luta em pé pode ser tão perigosa quanto o seu jogo de chão. Em sua carreira no UFC, ele venceu de forma impressionante nomes como Vitor Belfort, Gegard Mousasi, Derek Brunson e Tim Boetsch. Sua mais recente vitória foi um nocaute sensacional sobre o ex-campeão Chris Weidman. Ele agora procura sair vitorioso para, finalmente, lutar pelo título. Ex-desafiante ao cinturão meio -pesado, Glover Teixeira (287) quer voltar a sonhar com o título. Ele já bateu alguns dos nomes mais icônicos do esporte, incluindo os ex-campeões Rashad Evans e Quinton “Rampage” Jackson. Com 14 das suas últimas 16 vitórias por finalização ou nocaute, Glover quer mostrar que ainda pode competir entre os melhores.

Alex Cowboy encara chinês casca-grossa Além das duas lutas principais

terem sido confirmadas, o Ultimate anunciou outros oito combates para o card em Fort Lauderdale, cinco deles envolvendo brasileiros. O último da lista a ser conhecido foi o envolvendo o peso-meio-médio Alex Cowboy. Vindo de derrota em sua última luta, contra Gunnar Nelson, Cowboy tentará se recuperar diante do chinês Li Jingliang. Li, por sua vez, vem de dois triunfos seguidos na categoria e chega embalado.

David Beckham reitera desejo de contratar Messi para a MLS

Já Cutelaba (14-3) vai em busca da sua terceira vitória seguida por nocaute. Com 25 anos e impressionantes dez triunfos em menos de 2 minutos, Cutelaba é uma das maiores promessas

D

epois do abandono do espanhol Rafael Nadal, que nem entrou em quadra para enfrentar o suíço Roger Federer pela semifinal do Masters 1000 de Indian Wells no último sábado, a organização do evento promoveu uma exibição entre lendas. Inclusive Novak Djokovic participou.

Djokovic joga ao lado de Sampras em Indian Wells

da divisão meio-pesado, vencendo recentemente Henrique da Silva e Gadzhimurad Antigulov por nocaute no primeiro round. Agora, o lutador moldavo espera entrar no ranking da categoria e começar a pavimentar seu caminho para o título com um show.

Em jogo de duplas, o sérvio, número 1 do mundo, atuou ao lado de seu ídolo, o norte-americano Pete Sampras, dono de 14 Grand Slams. Eles mediram forças contra o atual diretor do torneio, o alemão Tommy Haas, que já foi vice-líder do ranking, e o anfitrião John McEnroe, que também já liderou a tabela da ATP.

Informação dada pelo próprio ex-jogador inglês foi repercutida na Catalunha pelo portal Mundo Deportivo

D

esde o início das tratativas para conseguir adquirir o direito de ter uma franquia na Major League Soccer (MLS), o hoje empresário David Beckham demonstra que ter em sua equipe o astro argentino Lionel Messi é uma de suas prioridades. E, na última semana, o assunto voltou a ser tratado como uma possibilidade graças a declarações dadas para repórteres na cidade de Miami e que foram repercutidas pelo portal catalão Mundo Deportivo. Além de Messi, Beckham comentou também a possibilidade do português Cristiano Ronaldo se mudar para o fu-

www.questaobrasil.com.br

tebol norte-americano onde, apesar de reconhecer que atualmente a missão seria quase impossível, não está absolutamente descartada. “Estão jogando a um nível tão alto que é difícil vê-los saindo dos clubes que eles estão, mas veremos. Nunca se sabe o que pode acontecer no futebol”, sentenciou. O Inter Miami, equipe que o britânico é um dos donos ao lado de outros cinco empresários (Marcelo Claure, os irmãos Jorge e José Mas, Masayoshi Son e Simon Fuller) tem estreia prevista na MLS para a edição de 2020.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Mercedes vence na Austrália e já é (De Novo) a equipe a ser batida na temporada de Fórmula 1 para esconder a real situação da equipe. Com um ritmo de corrida muito forte, Bottas não só superou Hamilton logo início da corrida, como abriu uma vantagem assustadora para o companheiro de equipe, o suficiente para passear tranquilamente em Albert Park e iniciar o campeonato com um cenário completamente diferente daquele vivido em 2018 em que não conseguiu uma única vitória, sendo apenas coadjuvante na melhor equipe da Fórmula 1.

A

quela pole-position obtida de forma surpreendente no sábado, depois de uma pré-temporada nada animadora em Barcelona, colocou o antes favorito Lewis Hamilton na condição de favoritaço à vitória no GP da Austrália. Mas se o carro da Mercedes se mostrou competitivo para o Inglês, também poderia render, como rendeu, frutos ao seu companheiro de equipe logo na abertura da temporada 2019. A prova na Austrália contou uma história totalmente diferente daquela que os aficcionados por Fórmula 1 tinham como expectativa para a prova e con-

sequentemente pode mudar a forma de alguns enxergar como será o andamento do campeonato à partir da estréia e principalmente pelo rendimento dos carros dos pilotos considerados favoritos. Essa mudança de conceito é graças, e principalmente, ao que fez Valtteri Bottas na prova, o finlandês surpreendeu seu companheiro de Mercedes e o mundo ao dar o bote ainda na largada e assumir a liderança para vencer de ponta a ponta em Melbourne. Aquela inconsistência apresentada pelos carros da Mercedes na pré-temporada foi corrigida ou era apenas jogo de cena

Início de temporada nada animador para Sebastian Vettel e a equipe Ferrari

Valteri Bottas venceu, convenceu e iniciou a temporada da melhor forma possível, com direito à volta mais rápida na prova e com a mudança de regulamento lhe permitiu conquistar neste fim de semana todos os 26 pontos possíveis na disputa.

pode ser vista como a grande decepção do fim de semana na Austrália, mas sim da RBR de Max Verstappen que este ano deixa de ser uma promessa da F1 para buscar de vez a afirmação entre os grandes nomes do automobilismo mundial. O holandês fez bela prova e levou a Red Bull ao pódio, mas o feito mais festejado pelos amantes do esporte foi ter conseguido levar a Honda ao seu primeiro pódium desde que regressou à F1 como fornecedora de motores, em 2015. A tradicional fabricante de motores tem uma história linda na categoria e o início promissor na Austrália pode ser o prenúncio de uma aliança vitoriosa entre a RBR e os japoneses.

Já Sebastian Vettel era a imaAcostumado com o protagonis- gem da decepção, a quarta mo na categoria, Lewis Hamil- colocação foi um resultado ton teve que se contentar em frustrante para quem aposta ver o show de pilotagem prota- suas fichas no carro vermelho gonizado por seu companheiro na briga pelo título. A segunda Valteri Bottas. Sem poder de etapa da temporada 2019 do reação restou ao pentacam- Mundial de F1 acontece daqui peão se dar por satisfeito com a duas semanas com o GP do a segunda colocação, feliz por Bahrein, em Sakhir, corrida esta não ter a companhia no pódio que marcará a 999ª corrida da da concorrente Ferrari, que história da categoria.

C

om o início nada anima- dir o passeio da Mercedes em dor, a abertura da tempo- Albert Park, a dobradinha com rada 2019 da F1 não foi Valtteri Bottas e Lewis Hamilton nada positiva para o Tetracam- é preocupante para o time de peão Sebastian Vettel. Largar Maranello, mas nada tira mais em terceiro não era visto como o sono do alemão do que ter um problema largado atrás tendo as duas “Isso estava óbvio. Ficou do rival da Mercedes a claro desde o começo que Red Bull, Max sua frente, eu não tinha chance alguma Ve r s t a p p e n mas na prova de brigar com qualquer um”, na tabela de ele não consepontos. Sem guiu segurar o ter o que fazer holandês Max Verstappen que no momento, a Ferrari precisa passou como quis pelo carro trabalhar muito para não ter que vermelho, ficou fora do pódio lamentar um fiasco retumbante e ainda precisou contar com a em 2019. ajuda da equipe que deu ordens expressas para que Charles Le- “Acho que estávamos apeclerc não lhe tirasse a quarta nas lentos, mesmo”, disse o posição em Melbourne. alemão após a corrida em Melbourne. “Isso estava óbvio. Demonstrando não estar no Ficou claro desde o começo mesmo ritmo das Mercedes, a que eu não tinha chance alFerrari e Sebastian Vettel fo- guma de brigar com qualquer ram obrigados a ver e aplau- um”, justificou.

www.questaobrasil.com.br


Goiânia, 19 de Março de 2019

Honda recebe elogios de Verstappen em primeiro pódio da fabricante de motores na F1 desde 2008 Holandês da RBR foi terceiro colocado na Austrália com motor Honda

M

ax Verstappen deu um bom início à parceria entre a Red Bull e a Honda com um terceiro lugar no Grande Prêmio da Austrália, neste domingo. Esse foi o primeiro pódio da Honda desde que voltou à Fórmula 1, em 2015, e o primeiro da fabricante de motores desde 2008, quando ainda possuía uma equipe na categoria, e viu brazuca Rubens Barrichello conduzir seu carro ao terceiro lugar no Grande Prêmio da Grã-Bretanha.

“No geral, eu estou feliz. Eu pelo menos podia me arriscar em termos de velocidade máxima. É um bom avanço, tem muitas coisas positivas ainda”, disse o holandês. Max Verstappen ultrapassou Sebastian Vettel na pista e deu trabalho para Lewis Hamilton, que segurou o piloto da Red Bull. “Foi um bom resultado, mas ainda temos que trabalhar duro e melhorar”, disse o piloto número 1 da Rede Bull.

Após eliminação no Q1 Lance Stroll marca dois preciosos pontos em Melbourne

N

em todos os pilotos lamentaram o resultado em Albert Park, Lance Stroll por exemplo só não está mais feliz que Valteri Bottas que venceu a prova. De forma impressionantemente ele conse-

guiu dar a volta por cima após o fiasco no treino classificatório com a eliminação logo no Q1, a conquista da nona posição e os dois preciosos pontos em sua estreia pela Racing Point, foram algumas das boas notícias

para os fãs depois da corrida. Ele disse à ‘Sky Sports F1’: “Uma grande corrida, marcamos alguns pontos e tivemos um bom ritmo. Foi apertado, não houve uma volta que eu

não estivesse sob pressão de alguém ou pressionando alguém. Nós queremos ver corridas disputadas roda a roda e parece que podemos correr mais próximos e isto tornará as coisas mais emocionantes”.

“Esta foi a melhor corrida da minha vida” diz Bottas

O

finlandês Valtteri Bottas, da Mercedes, ultrapassou seu companheiro Lewis Hamilton na largada do GP da Austrália, etapa de abertura da temporada 2019 de Fórmula 1, para vencer de ponta a ponta. “No começo era tudo sobre administrar a corrida e construir uma vantagem. Eu sabia que conseguiria, era uma questão de dar o meu melhor. Quando

você está neste nível, parece até fácil”, disse Bottas logo após receber a bandeira quadriculada. O único momento em que Bottas não liderou, foi logo após a sua parada nos boxes, quando esperou a rodada de pit-stops ser completada para reassumir definitivamente a ponta. “Eu não sei o que dizer. Esta foi definitivamente minha melhor

corrida da minha vida. Eu não sei o que aconteceu, o carro estava totalmente sob controle…”, concluiu o finlandês da Mercedes. Além da vitória, Bottas garantiu o ponto extra dado a partir deste ano para o piloto que completar a volta mais rápida da corrida, desde que tenha terminado na zona de pontuação. Portanto, o piloto do carro número 44 não sai de Melbourne somente com

www.questaobrasil.com.br

25 pontos, mas com 26.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Raça Angus leva otimismo ao setor de inseminação artificial A busca de criadores de bovinos pela raça europeia Angus tem trazido otimismo para o mercado de sêmen de bovinos no Brasil.

de Meio Sangue, e possuem características que prometem mais rentabilidade aos criadores.

Segundo dados da Associação Brasileira de Inseminação Artificial, a Asbia, o país vendeu mais de 13,8 milhões de doses em 2018. O número é 14% mais alto do que o de 2017. Para Diego de Carvalho, gerente comercial de uma central de coleta de sêmen em Campo Grande, este deve ser mais um ano positivo. Para Diego de Carvalho, gerente comercial de uma central de coleta de sêmen em Campo Grande, este deve ser mais um ano positivo. “Nós tive-

mos um crescimento de 20% nas vendas sobre 2017, e as perspectivas para 2019 não são diferentes”, diz. Mistura A busca pelo gado Angus é re-

flexo de uma exigência maior dos criadores, principalmente no Centro-Oeste do país. Eles têm feito inseminação artificial em vacas da raça Nelore. Os animais frutos desses cruzamentos são chamados

Os resultados podem ser vistos na fazenda da pecuarista Ana Paula Santin, de Ribas do Rio Pardo, no Mato Grosso do Sul. Há 8 anos, ela investiu no melhoramento genético, com o objetivo de aumentar os ganhos em peso e qualidade da carne. Agora, os animais são abatidos 12 meses mais cedo, gerando uma economia anual de R$ 300 por cabeça. “São animais que em um curto período de tempo, a gente consegue extrair um material de carcaça e marmoreio muito superior”, afirma a pecuarista.

Coletores de açaí se beneficiam de certificação ambiental reconhecida mundialmente 98 produtores da região são certificados. Para conseguir selo, eles seguem normas estritas

N

o arquipélago do Bailique, uma das regiões mais isoladas do Amapá, é produzido o único açaí com certificação ambiental do mundo. A região compreende 8 ilhas, onde vivem cerca de 10 mil pessoas. Os coletores de lá conseguiram a certificação FSC (sigla em inglês para Conselho de Manejo Florestal), uma ONG com presença em mais de 75 países, que distribui um dos selos verdes mais reconhecidos em todo o mundo. Quem gerencia todo o projeto é uma cooperativa da Associação das Comunidades Tradicionais do Bailique. São 98 produtores certificados, que trabalham em 29 comunidades da região. Para conseguir a cerificação eles seguem normas estritas. Ninguém entra sem capacete, e os trabalhadores usam bota, óculos de proteção, facão na bainha na hora de subir no açaizeiro pra coleta

e luva pra debulhar o cacho. “Esse selo também garante que nós obedecemos principalmente as questões ambientais e sociais. Por exemplo, a gente não tem trabalho escravo, nem exploração infantil. É uma garantia de que há o respeito ao meio ambiente, ou seja, há um interesse da comunidade em manter a floresta em pé, usu-

De cada lata de açaí vendido, 5% são reservados para um fundo educacional. No futuro, esse dinheiro vai ser usado para construir e manter uma escola de ensino fundamental e médio para os alunos da região. No ano passado, foram vendidas 8 mil latas de açaí, que renderam R$ 204 mil, dos quais R$ 10 mil reais foram di-

profissional, por exemplo. Então a escola família vai trazer isso aqui pra dentro”, afirma Alves. Os agricultores também aprenderam a fazer o manejo florestal dos açaizeiros. Tiraram árvores menos produtivas para fazer o ajuste de espaço entre as plantas, para melhorar a entrada de luz. Mais de mil árvores foram cortadas, o que vai permitir dobrar a colheita. As árvores derrubadas ficam no chão e servem de adubo. Graças ao certificado, novos mercados surgiram para os coletores da região. A polpa do açaí certificado do Bailique despertou interesse na regiões sul e sudeste do Brasil e em países como Austrália, Canadá e Estados Unidos.

fruir da floresta de forma sustentável”, afirma Geová Alves, presidente da Associação das Comunidades Tradicionais do Bailique.

reto pro fundo. “Não adianta a gente criar uma cooperativa, certificar produtores, se não tiver qualificação

www.questaobrasil.com.br

Com maior demanda, os agricultores fizeram mais investimentos. A associação abriu um entreposto comercial em Macapá, capital do estado.


Goiânia, 19 de Março de 2019

Apesar do início da Quaresma, cotações dos ovos seguem estáveis, diz Cepea

Soja, estoque elevado nos EUA reduz patamar de negócios no Brasil, diz Cepea

A

s negociações envolvendo soja vinham ocorrendo a preços menores no mercado brasileiro na última semana. Mesmo com a quebra na produção nacional, o estoque final nos Estados Unidos é estimado em volume recorde. Esse cenário pressionou os contratos futuros norte-americanos e também os prêmios de exportação no Brasil (devido à consequente menor competitividade externa) na maior parte do período, resultando em diminuição na paridade de

exportação da soja nacional. Segundo pesquisadores do Cepea, a pressão esteve atrelada à depreciação do dólar frente ao Real. Na sexta-feira (15), porém, as cotações internacionais subiram, impulsionando os preços no Brasil. No mercado spot, o Indicador Esalq/BM&FBovespa da soja Paranaguá (PR) fechou a R$ 78,73/saca de 60 kg na sexta, praticamente estável (+0.1%) frente ao do dia 8. No mesmo comparativo, o Indicador Cepea/Esalq Paraná subiu ligeiro 0.2%, a R$ 73,38/sc no dia 15.

N

estas duas primeiras semanas de março, as cotações dos ovos seguem em patamares semelhantes aos registrados no correr do mês anterior, frustrando as expectativas do setor. Com o início do período de Quaresma, no último dia 6, agentes esperavam que as vendas aumentassem e impulsionassem os preços da proteína, como observado em anos anteriores, mas isso não foi concretizado até o momento. Em fevereiro, os ovos negociados em Bastos (SP) tiveram forte valorização frente a janeiro: para o produto branco tipo extra, a alta foi de 41% e para o vermelho, de 51%, em termos reais (valores deflacionados pelo Ipca.

Conforme colaboradores do Cepea, o avanço das cotações em fevereiro limita novas altas neste mês, visto que a população pode não absorver preços ainda mais elevados. Além disso, alguns granjeiros relatam que a produção está maior frente à do mesmo período do ano passado, o que também tende a dificultar novas valorizações. Na parcial de março (até o dia 14), a caixa com 30 dúzias de ovos brancos tipo extra é comercializada a R$ 82,77 em Bastos, valor 4% maior do que o registrado em fevereiro. Para o produto vermelho, o preço médio na parcial deste mês é de R$ 102,37/cx, estável na mesma comparação.

Apesar de grande potencial, peixe no Brasil ainda tem preço de filet mignon Em entrevista ao programa Direto ao Ponto do Canal Rural, o superintendente do Senar-MT, Otávio Celidônio, ressalta que o setor pode ser expandido, mas precisa avançar em questões tecnológicas

E

m entrevista ao programa Direto ao Ponto desta semana, o superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), Otávio Celidônio, falou sobre a crescente demanda por alimentos no mundo e sobre os principais gargalos que dificultam a expansão da agricultura, especialmente no estado. Otávio acredita que o agronegócio brasileiro possui grande capacidade de expansão, puxado principalmente por um aumento de demanda na Ásia e futuramente da África. Uma alternativa para atender essa possível procura por alimentos seria investir em produtos de maior valor agregado, como carnes no geral e especificamente peixes,. “A produção que a gente tem em potencial aqui em Mato Grosso, e no Brasil como um todo, da piscicultura, apesar de um consumo relativamente baixo, pode ser expandida. Se olharmos as condições naturais que a gente tem

De acordo com Otávio, cerca de 50 mil famílias no estado têm como fonte de renda a atividade leiteira. Por este motivo, vê no setor, um grande potencial de renda.

para desenvolver o peixe, temos um potencial gigantesco’’ explica.

evitar este tipo de disparidade, é preciso avançar na questão tecnológica.

O apresentador Glauber Silveira questiona, inclusive, o fato de que em supermercados do mundo inteiro, o valor do peixe é sempre mais barato que outras carnes. No entanto, no Brasil é o contrário. “Aqui no Brasil, peixe tem custo de filet mignon”, comenta. Celidônio então comenta que para

Pecuária leiteira O superintendente também destacou, que outros mercados tem tido evolução como a cadeia leiteira, por exemplo. Entretanto ainda é preciso muito investimento e assistência técnica.

www.questaobrasil.com.br

“Temos um volume muito grande de agricultura familiar no estado, são cerca de 6 milhões de hectares. A grande maioria são pequenos proprietários, com uma produção bem pequena. Hoje, os produtores que são assistidos (pelo Senar), conseguem viver exclusivamente do leite. Claro que, além da assistência técnica, é necessário desenvolver outras coisas, como estrutura de mercado’’, conta. Segundo o Diagnóstico da Cadeia do Leite, publicado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), em 51% das propriedades leiteiras do estado, a produção diária não passa dos 50 litros. Em outros 22%, a produção fica entre 50 e 100 litros por dia. A realidade confirma a grande predominância da agricultura familiar no estado.

Profile for Reinaldo Cruz

Questâo Brasil 19/03/2019  

Responsabilidade com a Informação

Questâo Brasil 19/03/2019  

Responsabilidade com a Informação

Advertisement