Issuu on Google+

VOZES CLARIANAS Boletim Informativo da Paróquia Santa Clara de Assis

Penápolis/SP – Diocese de Lins Ano III – Nº 26 – Setembro/2012 Caros Paroquianos Paz e Bem, Tendo bem presente o dias especiais onde celebramos a festa e a memória de nossa padroeira, me dirijo a vocês. Estamos no mês de setembro, que tradicionalmente no Brasil a mais de 40 anos é dedicado a Bíblia, a palavra de Deu, pois no ultimo dia do mês celebraremos a memória de São Jerônimo tradutor da Bíblia, das línguas antigo hebraico e aramaico a vulgata, o latim. Os Bispos do Brasil reunidos em Assembleia em Aparecida, em, sua 50ª Assembleia Geral se debruçaram em torno da Exortação Apostólica, sobre a Palavra de Deus na vida e na Missão da Igreja, "VERBUM DOMINI" do Papa Bento XVI, e dela sabiamente, foi preparado um orientação para a pratica e a revalorização da Palavra de Deus em nosso dia a dia, com o título, "DISCÍPULOS E SERVIDORES DA PALAVRA DE JESUS NA MISSÃO DA IGREJA", nesta orientação entre outras coisas falou-se da urgência em se criar uma pastoral bíblica, onde todos nós católicos redescobríssemos o

Distribuição Gratuita

valor da palavra de Deus em nossa vida diária,a partir de uma leitura orante da mesma, não para sermos meros leitores ,mas sobretudo praticantes desta mesma palavra que é vida e salvação a todos nós. A cada Eucaristia que participamos comungamos do corpo e sangue de Jesus e também nos alimentamos do Pão da Palavra. Realidades estas que se encontram no mesmo patamar, pois Jesus é o VERBO, do Pai, a qual no alimentamos. Porém a Sagrada Escritura deve fazer parte total e integral e nossas vidas, quase que diariamente, a quem diga que os textos são incompreensíveis visto que foram escritos num contexto bem diferente do nosso, de fato em algumas situações só é, porem temos os salmos, os livros sapienciais que são as orações e meditações do povo de Deus, que até hoje serve de referencia para nós, pois sofremos as mesmas desesperanças e vitória deste mesmo povo. Amados eu vos exorte não apenas neste mês mais quiça a o longo de toda nossa vida que não nos apartemos da Sagrada escritura e por ela zelemos, não como um adorno em nossas casas, como é comum vermos, mas sobre tudo como livro de cabeceira, fazendo dela nossas primeira leitura do dia e ao final do mesmo dia, nossa ultima leitura da noite, e verão quanto as graças alcançaram deste habitual gesto. Como comunidade paroquial estamos nos grupos de reflexão de setores, aprofundando o Evangelho de Marcos proposto par este ano litúrgico, e também daremos um especial destaque no momento celebrativo a acolhida da Palavra de Deus,Teremos também o Cerco de Jerico que terá como Tema, o salmo 118 que diz "Fazei-nos entender e guardar a vossa Lei, para praticá-la e observá-la de todo o coração. Os convido ainda para no dia 15 de setembro se unirem a mim para agradecer ao Deus da vida os meus 14 anos de vida sacerdotal, onde me dispus servir a Ele e ao seu povo. Amados a vida vai seguindo. Agradeçamos Deus e Santa Clara por todos os benéficos que Ele e ela como intercessora tem nos proporcionados. Fiquem com minha benção. ________________________ Pe. Joaquim Lima Brito Pároco

Matriz Santa Clara de Assis

16 a 23 de setembro de 2012 "TUA PALAVRA É LÂMPADA PARA OS MEUS PÉS, E LUZ PARA O MEU CAMINHO". (cf. Sl. 109, 105)


2

Vozes Clarianas

Setembro/2012

Quatorze anos sendo “Bom Pastor” Há acontecimentos e datas que não se podem esquecer. É neste contexto que comemoramos no dia 15 de setembro, o décimo quarto aniversário de ordenação do nosso querido pároco, Pe. Joaquim Lima Brito. Toda comunidade se alegra por mais este ano de seu sacerdócio. Podemos afirmar que comemorar o aniversário de ordenação é comemorar a vida, pois o sacerdote não é apenas o homem da liturgia, mas faz da sua vida, um culto litúrgico, uma entrega, uma doação. É preciso que o padre atenda o chamado de Deus, a vocação e aptidão para a vida sacerdotal. O chamado é de Deus e a escolha é do sacerdote, que abraça a sua vida religiosa ciente de seu livre arbítrio. O padre é homem de Deus. Esta é a sua característica fundamental. Ser padre é viver com entusiasmo os ensinamentos de Cristo. É deixar-se seduzir todos os dias e momentos da vida, pelo amor infinito de Cristo. É fazer também com que esse amor seduza o coração dos filhos de Deus e nossos irmãos. É transformar em flores, os espinhos encontrados na caminhada, as pedras em degraus para subir até Deus, as dores e o cansaço em alegria, fé e otimismo. Embora seja constituído por Deus, o sacerdote não deixa de ser "pessoa", com limites, dificuldades e aspirações. O importante é ver que Deus o escolheu assim mesmo. Ser padre, além de ser missionário é ser ferramenta na construção de um mundo melhor, mais justo e igualitário a serviço de Deus. É uma tarefa muito fácil falar do senhor padre Joaquim, seu ministério e sua importância de apaziguador e conciliador na vida dos membros da comunidade. O seu dia a dia na paróquia, sua ação provida pelo Espírito Santo, com o alimentar da Fé na presença viva de Jesus na Eucaristia. Tê-lo em nossa comunidade é uma benção de Deus e isto precisa ser celebrado com muito amor e alegria. Neste dia, a paróquia Santa Clara, está em festa. Parabéns, Pe. Joaquim pelos quatorze anos de sacerdócio. Que o Bom Pai, misericordioso o encha de bênçãos para poder continuar a conduzir o seu rebanho. Muitas felicidades, que Deus o abençoe e guarde sempre. ______________________________ Maria Iracy Marques

A hora e a vez do voto consciente... A Paz de Cristo esteja com todos! Em outubro de 2012, iremos, mais uma vez, eleger os nossos representantes municipais -prefeito, viceprefeito e vereadores. Uma grande responsabilidade e uma importante missão, que recaem sobre todos nós, porque somos cidadãos. Cidadão é toda pessoa que vive na cidade. Cidadania é o exercício dos direitos atribuídos ao cidadão. Além disso, somos cristãos, discípulos de Cristo e membros da Igreja, inserida na sociedade, que se empenha por uma vida digna e justa para todos, sem exceção. Estamos num momento muito particular e muito importante chegando a uma nova eleição em nossas cidades. Pode parecer no Brasil excesso, mas é também oportunidade. Oportunidade de confirmar a opção que fizemos em eleições passadas ou repensar se modificar o que não vemos como bom e justo. O processo eleitoral deve ser algo tão importante a cada pessoa, e principalmente aos cristãos, porque tem o dever de defender a vida seguindo seu Mestre, que, por amor, deu a vida por todos nós. Se formos pensar bem nas escolhas que fazemos ou na motivação que temos para fazê-las, vamos descobrir que podemos mudar o rumo das coisas ao fazermos uma opção correta e não deixarmos que o exercício da cidadania seja algo viciado, que leva em conta interesses pessoais em detrimento do coletivo. Tempo de eleição é um tempo de esperança e não de descrédito. E mais uma chance que temos para nos renovar, de redirecionar as coisas ou fortalecer o que está dando certo. O cristão nessa hora é chamado a fazer a diferença e principalmente fazer diferente. Conheça os candidatos, veja sua vida, o que ele defende, onde atua e por quem está se candidatando. Denuncie a compra de votos e toda forma de corrupção. Quem se deixa corromper é tão errado quanto aquele que corrompe. Não se deixe enganar com a ideia de que nada muda. A mudança começa com você. Partilhe e compartilhe os seus pensamentos, suas angústias com seus irmãos e acredite que essa oportunidade é graça de Deus em sua vida. No exercício da cidadania, vamos atuar com coragem e sermos portadores da mensagem de esperança que esse momento nos propicia. O cristão deve ser alguém que se arrisca e, diante dos desafios, não esmorece. Façamos dessa eleição um momento particular em nossa vida e na defesa de nossas cidades. Sejamos intransigentes defensores dos valores cristãos. Ouçamos o que São Paulo diz aos fiéis: "Antes de tudo, peço que se façam súplicas, orações, intercessões, ação de graças, por todas as pessoas, pelos reis e pelas autoridades em geral, para que possamos levar uma vida calma e tranquila, com toda e piedade e dignidade. Isto é bom e agradável a Deus, nosso Salvador" ( c f . 1 º Timóteo 2,1-3). ____________________________ Dom Osvaldo Giuntini Bispo Diocesano de Marília/SP


Setembro/2012

Vozes Clarianas

3

A mensagem central da Bíblia Qual é, em poucas palavras, a mensagem central da Bíblia? A resposta não é fácil, pois depende da vivência. Se você gosta de uma pessoa e alguém lhe pergunta: “Qual é, em poucas palavras, a mensagem desta pessoa para você?”, aí não é fácil responder. O resumo da pessoa amada é o seu nome! Basta você ouvir, lembrar ou pronunciar o nome, e este lhe traz à memória tudo o que a pessoa amada significa para você. Não é assim? Pois bem, o resumo da Bíblia, a sua mensagem central, é o Nome de Deus! O Nome de Deus é Javé, cujo sentido Ele mesmo revelou e explicou ao povo (cf. Ex 3,14). Javé significa Emanuel, isto é, Deus conosco. Deus presente no meio do seu povo para libertá-lo. Deus quer ser Javé para nós, quer ser presença libertadora no meio de nós! E Ele deu provas bem concretas de que esta é a sua vontade. A primeira prova foi a libertação do Egito. A última prova está sendo, até hoje, a ressurreição de Jesus, chamado Emanuel (cf. Mt 1,23). Pela ressurreição de Jesus, Deus venceu as forças da morte e abriu para nós o caminho da vida. Por tudo isso é difícil resumir em poucas palavras aquilo que o Nome de Deus evocava na mente, no coração e na memória do povo por Ele libertado. Só mesmo o povo que vive e celebra a presença libertadora de Deus no seu meio, pode avaliá-lo. Na nossa Bíblia, o Nome Javé foi traduzido por Senhor. É a palavra que mais ocorre na Bíblia. Milhares de vezes! Pois o próprio Deus falou: “Este é o meu Nome para sempre! Sob este Nome quero ser invocado, de geração em geração!” (Ex 3,15). Faz um bem tão grande você ouvir, lembrar ou pronunciar o nome da pessoa amada. Aquilo ajuda tanto na vida! Dá força e coragem, consola e orienta, corrige e confirma. Um Nome assim não pode ser usado em vão! Seria uma blasfêmia usar o Nome de Deus para justificar a opressão do povo, pois Javé significa Deus libertador! O Nome Javé é o centro de tudo. Tantas vezes Deus o afirma: “Eu quero ser Javé para vocês, e vocês devem ser o meu povo!” Ser o povo de Javé significa: ser um povo onde não há opressão como no Egito; onde o irmão não explora o irmão; onde reinam a justiça, o direito, a verdade e a lei dos dez mandamentos; onde o amor a Deus é igual ao amor ao próximo. Esta é a mensagem central da Bíblia; é o apelo que o Nome de Deus faz a todos aqueles que querem pertencer ao seu povo. ________________________ www.franciscanos.org.br

Aniversariantes do mês 01/09

Egidio Torres da Silva

17/09 Amilza Mendes Cunha

03/09

Evandro M. Moreno

18/09 Maria Magalhães

03/09

Maria A. Tavares

20/09 Jose Marques

07/09

Solange C. S. Almeida

21/09 Cássio Roberto O. Rosa

08/09

Mercedes Polônio Bravo

22/09 Irene Magma Muraroto

11/09

Zulamar T. Lemos Nunes

23/09 Neusa Berinoda de Melo

13/09

Alcídio Delboni

23/09 Francisco T. de Assis

13/09

Maria S. Campagnello

23/09 Wilson M. Bernardino

13/09

Mariza Soares Ribeiro

24/09 Maria de Araujo Moço

15/09

Maria H. D. dos Santos

25/09 Alcebíades S. Teixeira

15/09

Antonia Ap. Gabo Rocha

25/09 Cleuseli Mendes

16/09

Alfredo M. dos Santos

26/09 Elza Ribeiro Alves

16/09

Ângela M. S. Costa

28/09 Isabel Inocente Bussarelli


4

Vozes Clarianas

Setembro/2012

Quem foi Francisco de Assis? Filho de Pedro e Dona Pica Bernardone, Francisco nasceu entre 1181 e 1182 , na cidade de Assis, Itália. Seu pai era um rico e próspero comerciante, que seguidamente viajava para a França, de onde trazia a maior parte de suas mercadorias. Foi de lá também que ele trouxe sua linda e bondosa esposa, Dona Pica. Foi batizado em Santa Maria Maior (antiga catedral de São Rufino) com o nome de João (Giovanni). Mas quando Pietro Bernardone voltou de uma viagem à França, mudou de idéia e resolveu trocar o nome do filho para Francisco, prestando uma homenagem àquela terra. Sua mãe era de origem provençal: as primeiras palavras ternas e afetuosas que o menino ouviu foram francesas. Esta língua foi gravada no seu coração: assim, afirmou o seu primeiro biógrafo, Tomás de Celano: “quando manifesta a sua alegria, canta na doce língua dos trovadores da cavalheiresca Provença”. Segundo a maioria dos biógrafos de São Francisco, os padres de São Jorge lhe deram formação adequada e educação cristã. Mas o caráter e as qualidades melhores lhe vieram da mãe: meiga e firme, cristã fervorosa, toda dedicada à família. Cedo, o garoto Francisco aprendeu do pai a arte do comércio que manejava com inteligência e proveito. Mas era um jovem alegre, amante da música e das festas e, com muito dinheiro para gastar, tornou-se rapidamente um ídolo entre seus companheiros. Adorava banquetes, noitadas de diversão e cantar serenatas para as belas damas de sua cidade. Enfim, Francisco era o líder da juventude de sua cidade. Na próxima edição iremos continuar conhecendo um pouco mais da vida deste grande santo.

Acompanhe os preparativos...

www.regilsondealmeidanajmj2013.blogspot.com


Vozes Clarianas - nº26