Issuu on Google+

“Cuidados com o Garanhão Pré-temporada de Monta” Gustavo Ferrer Carneiro gustavo@uag.ufrpe.br


ANDROLOGIA ENDOCRINOLOGIA


ANDROLOGIA • É a ciência que estuda a saúde do macho, no que se refere à função sexual e ao sistema reprodutivo.


Animais de Produção • Nessas espécies, as alterações andrológicas tem um impacto direto no criatório; • Reverbera na produção como um todo.


ENDOCRINOLOGIA


Controle Neuroendócrino da Espermatogênese • Eixo hipotálamo-hipófise-gonadal. • Controle a 3 níveis: – Fatores reguladores hipotalâmicos. – Hormônios hipofísários. – Hormônios sexuais secretados pelos testículos.


Pickett, 1979


• Gustavo Ferrer Carneiro • Medico Veterinário, Ph.D.


“Cuidados com o Garanhão Prétemporada de Monta” Abordagem: Avaliação Andrológica do Garanhão associado aos principais distúrbios que comprometam sua performance reprodutiva.


Avaliação Andrológica • Observações detalhadas sobre qualquer aspecto que possa interferir com a habilidade do reprodutor: – – – – –

Desenvolver ereção. Montar a égua. IMPOTENCIA COUENDI Penetrá-la. Ejacular. Desmontar.

• Problemas Espermáticos => IMPOTENCIA GENERANDI


AVALIAÇÃO ANDROLÓGICA EM GARANHÃO Prof. Dr. Gustavo Ferrer Carneiro Universidade Federal Rural de Pernambuco Unidade Acadêmica de Garanhuns - UAG gustavo@uag.ufrpe.br


Exame de Fertilidade em Garanhão • Deve ser realizado: – Novos reprodutores. – EXAME PRÉ-TEMPORADA DE MONTA.

• Na prática: quando o animal apresenta um determinado problema.


Exame da Genitália Externa Pênis • Ferimentos,arranhões, inflamação, irritação. • Laceração ou pústulas (EHV-3 – exantema coital). • Habronemose. • Neoplasias (tumor de células escamosas).


Avaliação Bacteriológica • Bactérias saprófitas. • Coleta após a lavagem do sêmen e imediatamente após a coleta. • Organismos + comuns com DST:

– Tayorella equigenitalis (CEM); P. aeruginosa, Klebsiella, Streptococci e Escherischia.


Escroto, Testículos e Epidídimos • Tamanho normal (caliper, paquímetro, US): 8-13 cm. • Alterações: – Orquites; hérnia escrotal; hidrocele, neoplasias, torção testicular (180 - 360°).


Alterações Testiculares • Seminoma: – Neoplasia + frequente (geralmente unilateral e benigno).


Ultrassonografia Aplicada ao Exame Androl贸gico em Garanh玫es


Introdução • Excelente ferramenta no diagnóstico de condições patológicas; • Aferições exatas de medidas testiculares; • Infelizmente, pouco utilizado na rotina;


Aferição


Ultrassom de Testículo e Epidídimo

Fonte: www.botupharma.com.br


Plexo pampiniforme (seta preta) e artĂŠria testicular (seta branca)

Fonte: www.botupharma.com.br


Veia Testicular

Fonte: www.botupharma.com.br


Corpo do EpidĂ­dimo

Fonte: www.botupharma.com.br


Cauda do EpidĂ­dimo

Tansdutor de 5 MHZ

Tansdutor de 7,5 MHZ Fonte: www.botupharma.com.br


Genitรกlia Interna

Tarja escura evidencia o posicionamento correto do transdutor Fonte: Weber, 1993


Relato de Caso: Vesiculite • Central de Reprodução: Genetic Jump – Itapetininga – SP. – Drs. Mário e Marília Duarte

• Sintomas: Hemospermia*; – *Hemospermia: presença de sangue no ejaculado.


Hemospermia

Fonte: Drs. Mário e Marília Duarte Genetic Jump


Exsudato chocolate no sêmen

Fonte: Drs. Mário e Marília Duarte Genetic Jump


Uretroscopia • Identificado um Cálculo na uretra.

Fonte: Drs. Mário e Marília Duarte Genetic Jump


Lesões • Inflamação unilateral da vesícula seminal afetada.

Fonte: Drs. Mário e Marília Duarte Genetic Jump


Retirada do Cálculo

Fonte: Drs. Mário e Marília Duarte Genetic Jump


Vesiculite em Equino • Imagem pós-retirada do cálculo.

Fonte: Drs. Mário e Marília Duarte Genetic Jump


Ultrassonografia Doppler Aplicada ao Exame Androl贸gico em Equinos


Introdução • Avalia a perfusão sanguínea, identificando variações de fluxo, velocidade e anatomia dos vasos nos órgãos de importância reprodutiva nos machos como: testículos, epidídimo e glândulas acessórias.


Artérias pélvicas e Abdominais • A aa testicular se origina da Aorta. • A aa prostática irriga as glândulas accessórias. • A aa pudenda interna principal suporte arterial para o pênis. Ginther, 2007


Gl창ndulas Access처rias no Garanh찾o

Ginther, 2007


Testículo, Epidídimo e Cordão Espermático no Garanhão

Ginther, 2007


COLHEITA DO SÊMEN • Geralmente realizada com vagina artificial: – Colorado, Missouri, Hannover, Botucatu.

• SFT recomenda 2 ejaculados com intervalo de 1 hora.


Preparo da Vagina Artificial • Água em torno de 42-45°. • Utilização de Gel esteril nãoespermicida.


Colheita

Em manequim

Utilizando-se uma ĂŠgua


Espermiograma


Avaliação das Características Fisicas


Concentração Espermática


Uso do Hematocitômetro A contagem pode ser realizada nos 5 quadrados maiores, desde a parte superior esquerda à inferior direita da superfície quadriculada da câmara. 


Concentração


Concentração Espermática Fotometria – Contagem indireta das células espermáticas – Rápido < 10segundos


Blue Box - Espectofot么metro


MOTILIDADE e VIGOR


Motilidade • Estimativa de sptz que movem em direção retilínea.  • Determina-se o % de sptz’s móveis e motilidade progressiva. 


MOTILIDADE e VIGOR


Vigor • Estimativa da intensidade do MIP: – – – – – –

0: total ausência. 1: a cabeça oscila. 2: lento. 3: movimento retilíneo usando o flagelo. 4: movimento rápido, sem notar o flagelo. 5: flecha.


CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS (Patologia espermática)


Caracter铆sticas Morfol贸gicas


Câmara Ă&#x161;mida:

Microscopia de Contraste de Fase


Câmara Úmida:

Microscopia de Interferência Diferencial


Esfregaรงo Corado


Testes de avaliação do sêmen 1. MOTILIDADE: a. Subjetiva. b. Sistema de análises computadorizada (Computer-Assisted Semen Analysis - CASA) Hamilton Thorne Research Motility Analyser 2. MORFOMETRIA: 3. INTEGRIDADE DE MEMBRANA: Corantes fluorescentes – Mic. de Epifluorescencia.


Motilidade


Display Results 2

Results 2


ANÁLISE COMPUTADORIZADA DA MORFOMETRIA

Imagens cedidas pelo Prof. Dr. Rubens Arruda


INTEGRIDADE DE MEMBRANA Sistema de epifluorescência, 1. Hoechst 33258/Fluoresceína conjugada com aglutinina de Pisum sativum. 2. Diacetato de carboxifluoresceína /Iodeto de propídio. 3. Laranja Acridina. 4. Atividade Mitocondrial: JC-1 (sybr/PI).


Intacta

Danificada

Danificada


EFEITO DA MELATONINA NA QUALIDADE SEMINAL DE CARNEIROS DESLANADOS NO AGRESTE MERIDIONAL DO ESTADO DE PERNAMBUCO

Intacto

Reagido


“DISTÚRBIOS DA INFERTILIDADE NA ANDROLOGIA EQUINA”


Introdução • Degeneração Testicular; • Disfunção do comportamento: – Problemas psicogênicos;


Degeneração Testicular • Condição multifatorial que afeta a homeostase testicular. • Lesões: Fibrose que leva a uma rigidez do testículo, distúrbio na espermatogênese. • Redução na concentração, azoospermia ou necrospermia.


Etiologia


Fatores agravantes • Idade dos Garanhões: (em relação a bovinos) • Critério fertilidade na seleção genética dos equinos. • Termoregulação testicular (nutaliose); • Condomínios de garanhões (mudanças de ambiente, manejo, etc.); • Uso de Anabolizantes


Uso de Anabolizante Esteróides • Os anabólicos esteróides são derivados sintéticos da testosterona que apresentam efeitos sobre uma variedade de tecidos corpóreos. • Largamente utilizado na indústria equina com intuito de melhoria da performance.


Material e Métodos • 4 Garanhões PSI foram tratados durante 3 meses com 800 mg de Decanoato de Nandrolona. • Avaliou-se as concentrações circulantes de: INIBINA, TESTOSTERONA, FSH e LH. • ICC de inibina e aromatase em testículos de animais normais (controle) e animais tratados.


Resultados


Imunicitoquímica: células de Leydig

• a) Controle; b) cavalos tratados demonstrando diminuição das células germinativas e ausência das células de Leydig


ImunicitoquĂ­mica: Inibina

â&#x20AC;˘ e) Inibina presente no controle e â&#x20AC;˘ f) ausente nos animais tratados.


ImunicitoquĂ­mica: aromatase

â&#x20AC;˘ g) Aromatase (controle); b) cavalos tratados demonstrando ausĂŞncia quase que total da aromatase.


Conclusões • Efeito supressivo do Anabolizante nas concentrações hormonais de LH, T2 e Inibina. • ICC: uso prolongado => poderá levar a depleção total das cél. Leydig. • A maior fonte de inibina nos garanhões são nas células de Leydig.


Diagnóstico • Teste de estimulação gonadotrófica: – hCG (5.000 a 10.000 UI) ou GnRH IV (50 Microgramas de Gonadorrelina) – Coleta 1-2 horas após aplicação e dosagem de T2 => normal dobra. – Painel hormonal (Estradiol, T2, FSH, LH, insulina);


Tratamento • Profilático: – Vit. E + Se (ação antioxidante) – Ômega–3 + GAG’s (melhoria da função neuro-muscular). • Retirada da causa, e dependendo da evolução ou grau, pode-se: • Gonadorrelina (25 ug 2 vezes ao dia por 10 dias para estímulo das células de Sertolli a produção espermática) + e hCG (5.000 UI 1 vez por semana 6 semanas - estímulo das células de Leydig).


“DISFUNÇÃO DE COMPORTAMENTO”


Cavalos domésticos • 25% dos garanhões passam por experiências que trazem problemas de comportamento sexual, limitando a sua fertilidade (Mc Donnell, 1986)


Disfunção ejaculatória psicogênica • Fatores comportamentais como componente psicogênico do problema. • Ex. clássico: aversão a vagina artificial


Performance inconsistente • Problema mais frustrante • Preferências ou aversões por éguas, tratadores ou ambiente.


Problemas de comportamento • Agressão excessiva • Garanhões desestimulados- uso excessivo • Masturbação ? • Outros vícios


Problemas de comportamento • Masturbações – Parecem não comprometer o desempenho sexual – Simples exposição pênis - ereção com batimentos abdominais


Anormalidades de Comportamento • Envolve uma série de fatores: – Motivação pré-copulatória (libido); – Ereção. – Função copulatória: monta, confiança e inserção peniana. – Ejaculação. • A libido pode ser influenciada por diversos outros fatores: – Genética; comportamento social; hormônios e experiência.


Disfunção do comportamento sexual • Geralmente psicológico, relacionado com: – – – –

Punição. Acidente durante cópula. Excesso de uso. Manejo inadequado.


Ereção • Coordenações:

– simpáticas e parassimpáticas;

• Eventos vasculares; • Requer: mínima integridade dos vasos; mínimo da função musculoesquelética adequada. • A ejaculação: contrações rítmicas dos músculos bulbocavernosos e isquiocavernosos.


DESEJO SEXUAL

ATO DA COBERTURA


Avaliação • Modificação do comportamento – Condutor paciente na avaliação – Mudanças sistemáticas – Novo treinamento

• Efeito Voyeur


Terapia • Analgésicos – Agentes anti-inflamatórios não esteróides - fenilbutazona e flunixin meglunime imediatamente antes da coleta ou cobertura; – Tratamento prolongado: 1 g, por 10 dias


Terapia • Ansiolíticos – Experiências adversas – Diazepam – Dose: 0.05 mg/kg I.V( máximo 20mg/animal) lenta, 5 a 7 minutos antes da cobertura. Aversões específicas vagina artificial, tratadores, manequim, égua.


Avaliação e terapia • Disfunções da ereção e ejaculação – Manipulação do ambiente de cobertura • • • •

Máximo interesse e estímulo Minimizar a dor Contornar deficiências músculo- esqueléticas Providenciar máxima estimulação do pênis


Tratamento Farmacológico • Indução a Ejaculação • Agentes vasoativos e neuromiotrópicos – melhoram a atividade da musculatura lisa do trato reprodutor – Compostos β-agonistas, PGf2α e E2 , ocitocina – Ocitocina: ampolas ocluídas 10-20 UI I.V. – Xilazina: dose 0.66mg/kg i.v – Prostaglandina f2; 0.01 mg/kg i.m.


Indução a Ejaculação Drogas Antidepressivas tricíclicas: • CLORIDRATO DE IMIPRAMINA – promove atividade α-adrenérgica. – Dose: 600 mg via oral por 10 dias.

• Um remédio disponível: TOFRANIL (comprimidos).

– A concentração ideal é de 150mg/cd, ou seja, 4 comprimidos via oral diariamente durante 10 dias.


Conclusões • Fechar um diagnóstico o mais preciso possível. • Tratamento farmacológico para libido (espermatogênese). • Mudança de ambiente e/ou manejo. • Minimizar estresse. • Realizar 1 a 2 sessões diárias sem forçar o animal. • Eliminar qualquer alteração que provoque medo, ânsia ou dor.


Obrigado


Palestra AGROPEC 2012