Page 1


? i m a N a n a d a g i l á T . 01 A NAMI é uma rede que usa as artes urbanas para promover a igualdade de gênero. Somos uma plataforma de intercâmbio de ideias e experiências feministas para a promoção dos direitos das mulheres através de ações intelectuais e artísticas que envolvam o corpo e a cidade. Somos mais de 150 mulheres entre artistas plásticas, grafiteiras, fotógrafas, designers, atrizes, cenógrafas, educadoras, produtoras culturais, pesquisadoras, jornalistas, psicólogas, químicas, chefes de cozinha... Mas antes de tudo, somos cidadãs e buscamos transformações positivas na forma como o mundo observa a mulher.


s a o m o ? C m . a h 02 l a b a r t s i m a n DECISÕES Amor Na Rede Nami o trabalho é estimulado a ser realizado com amor e entusiasmo. Apesar de tratarmos de assuntos muito sérios, todas as atividades são pensadas para serem executadas de forma lúdica e descontraída. Dentro desta teoria, a arte funciona como ferramenta de produção criando um espaço de amor, produtividade e emancipação para as participantes.

A Nami é uma organização democrática que possuí uma mesa composta por 5 diretoras que refletem e votam junto à assembleia geral os futuro do grupo e projetos que são coordenados por mulheres que possuem autonomia de decisão em suas áreas.


a r o t e r i d a s e M . 3 0 Panmela Castro PRESIDENTE 31 anos, grafiteira ativista, Panmela Castro é idealizadora e presidenta da Nami. Em 2012 foi eleita pela revista Newsweek, ao lado da Presidenta Dilma Roussef e outras personalidades como Michelle Bachelet, Hillary Clinton e Cristina Kirchner, como uma das 150 mulheres que estão agindo por uma mudança positiva para o mundo. É graduada em pintura pela UFRJ e mestre em Artes pela UERJ.


Ana Gualberto VICE PRESIDENTE Ana vem de uma família de mulheres envolvidas com o movimento social, Ana criou-se feminista desde cedo. Hoje com 28 anos, sempre gostou de escrever seu nome nas paredes da cidade e frequentar ambientes tradicionalmente masculinos. Exerce a carreira de engenheira mecânica aonde é destaque no setor.

ARTHA PALOMA Diretora Financeira Com 25 anos, formada e pós graduada em Logística Empresarial, atualmente trabalha na área comercial de uma prestigiada empresa da área de movimentação de carga. Artha traz para a Nami sua versatilidade e experiência administrativa, além de contribuir com as necessidades logísticas da Rede, organização e clareza com a gestão dos recursos.


Sandra Pragana Diretora Consultora Também conhecida como Oli, é uma grafiteira de 59 anos. Formada em ciências biológicas, durante os 16 anos que ministrou aulas, procurou acrescentar algo de positivo na vida de seus alunos. Oli sempre busca participar de trabalhos sociais, como por exemplo, no INCA onde é voluntária há 4 anos. Hoje, fazendo parte da Rede NAMI, não é diferente, buscando através da arte do graffiti, esclarecer e informar sobre os direitos das mulheres, dentro de um trabalho sério e de muita responsabilidade.

Jandira Queiroz Diretora Consultora Jandira é jornalista e ativista nos movimentos LGBT, feminista e pelos direitos sexuais e reprodutivos desde 2003, junto aos movimentos nacional e global. Trabalhou em diversas organizações brasileiras e internacionais de defesa dos direitos humanos, entre elas o Observatório de Sexualidade e Política. É consultora nas campanhas do Comitê do Dia Internacional contra a Homofobia e Transfobia desde 2010, e é colaboradora da organização internacional All Out pelos direitos de lésbicas, gays, bissexuais e pessoas trans.


e d s nina

e M . 04

s e r valo

IGUALDADE E RESPEITO À DIVERSIDADE Mulheres e homens são iguais em seus direitos e é sobre este princípio que se apoiam as políticas da Rede Nami, que se propõem a lutar pela superação das desigualdades de gênero respeitando a diversidade cultural, étnica, racial, de classe, orientação sexual, identidade de gênero e regional.

EQuIDADE Exigir o acesso de todas as pessoas aos direitos humanos, que devem ser garantidos com ações de caráter universal, mas também por ações específicas e afirmativas voltadas a grupos historicamente discriminados. AUTONOMIA DAS MULHERES Exigir o exercício do direito à decisão das mulheres sobre suas vidas e corpos, assim como as condições para influenciar os acontecimentos em sua comunidade, rompendo com o legado histórico de opressão por gênero, com os ciclos e espaços de dependência, exploração e subordinação que constrangem suas vidas no plano pessoal, econômico, político e social.


LAICIDADE As políticas e ações da Rede devem ser formuladas e implementadas de maneira independente de princípios religiosos, de forma a assegurar efetivamente os direitos das mulheres e meninas. JUSTIÇA SOCIAL Reconhecimento da necessidade da redistribuição dos recursos e riquezas produzidas pela sociedade na busca da superação da desigualdade social, que atinge as mulheres de maneira significativa. TRANSPARÊNCIA Deve-se garantir o respeito aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, com transparência efetiva nas ações da Rede. PARTICIPAÇÃO E CONTROLE Garantia de debate e participação das mulheres integrantes na formulação, implementação, avaliação e controle das políticas e ações da Rede.


s o i f a s e d s o s t i a u r i e M r . r e 5 u 0 g s a s s e para Usar a arte como veículo para uma transformação cultural positiva e promoção da igualdade em busca de uma cultura igualitária, democrática e não reprodutora de estereótipos de gênero, raça/etnia, classe, orientação sexual e geração, refletindo a arte e a relação com a sociedade a partir de uma perspectiva feminista; Contribuir para a redução da desigualdade de gênero e para o enfrentamento do preconceito e da discriminação de gênero, étnico-racial, classe, religiosa, por orientação sexual e identidade de gênero, por meio da formação de artistas e arteeducadoras capacitadas em direitos humanos, exigindo, pensando e promovendo políticas educacionais com respeito à diversidade em todas as suas formas, de modo a garantir uma educação igualitária;

Pensar, promover e criar ações para exigir o acesso permanente das mulheres à educação de qualidade; a melhoria das condições de vida e saúde das mulheres mediante a garantia de direitos, promoção e prevenção da saúde e dos direitos sexuais e reprodutivos da mulher; a redução dos índices de violência contra as mulheres; a participação igualitária, plural e multirracial das mulheres nos espaços de poder e decisão; nos sistemas de comunicação, ações contra a difusão de conteúdos discriminatórios relacionados a gênero, raça/etnia, classe, orientação sexual e identidade de gênero;


promovendo o intercâmbio cultural e intelectual entre artistas, pensadoras, produtoras e intelectuais da cultura urbana;

na revisão da constituição e legislação brasileira para garantir o cumprimento dos instrumentos internacionais para os direitos das mulheres. Promover a autonomia econômica e financeira das artistas urbanas, considerando as dimensões étnico-raciais e regionais; Promover a visibilidade das artistas urbanas e a contribuição cultural da mulher na sociedade, difundindo a importância dos Direitos das mulheres nos movimentos transformadores desta geração; Promover o acesso das mulheres aos meios de produção cultural e de conteúdo para todos os veículos de comunicação e mídia; Discutir temas atuais acerca da arte urbana, da cultura e do feminismo em diálogo com pensadoras(es) e artistas contemporâneas(os), poder púbico e sociedade organizada,

Ampliar o conhecimento sobre a dimensão ideológica do racismo, sexismo e lesbofobia/ homofobia principalmente desmitificando e conhecendo o feminismo e os direitos humanos. Fornecer conhecimento técnico sobre suportes e materiais artísticos e sobre história da Arte; fomentar ferramentas para o desenvolvimento do trabalho pessoal de cada artista; promover e produzir exposições, pinturas, vídeos, fotografias e performances femininas de qualidade e comprometidas com a realidade sociocultural das mulheres; produzir registros desta iniciativa a fim de multiplicar seus objetivos.


s a o ã s s i a ? u s Q a c i t 06. á m e t s a s s no

Promoção da Igualdade de Gênero Os Direitos Sexuais e Reprodutivos das Mulheres Combate à Violência Doméstica Ecofeminismo As Novas Tecnologias de Informação e Comunicação Artes, Cultura e Educação


s o t uan

0

Q ! u a U . 7

Grafite Pela Igualdade de Gênero A Nami promove oficinas dentro e fora do Brasil para desconstruir as desigualdades de gênero na forma de pensar das pessoas. Enquanto desdobramento das oficinas temáticas, temos os direitos sexuais e reprodutivos das mulheres, o combate à violência de gênero e a ecologia pelo feminismo. Agência Nami Grafite Este é o nosso plano de autossustentabilidadede para a rede, formação e geração de renda para as artistas e promoção dos direitos das mulheres. A Nami oferece cursos de formação para as artistas urbanas tanto na parte técnica e prática das artes como na área intelectual e de formação feminista. Estas mulheres são inseridas no mercado através da Agência Nami Grafite que recebe encomenda de oficinas, murais, palestras e ações de empresas, pessoas e outras organizações

! s o t e j o r p que ao contratarem os serviços da Nami além de estarem contribuindo para a promoção da igualdade de gênero estarão construindo um mundo melhor. InterNami São encontros para criação artística, debates, mutirões de grafite, cafés filosóficos, eventos, festas temáticas, visitas a exposições, peças e cineclubes com objetivo de refletir e debater questões diversas a partir de uma perspectiva feminista. Nami Online O Projeto sobre as novas tecnologias de comunicação e informação desenvolvido pela Nami, cria um canal interligado entre Site, Blog, Facebook, Tumblr, Youtube, Twitter e outras redes sociais promovendo informações de qualidade sobre arte, cultura e mulheres para o público internauta.


Nami Eco Feminismo Pensando em uma teoria ambientalista crítica e uma ética dos seres humanos para com o meio ambiente, a Nami cria ações para educar sobre a temática a partir de uma perspectiva feminista. Nami Grafite Futebol Arte Quem disse que mulher não sabe jogar bola? Inspiradas em Marta, jogadora escolhida como a melhor do mundo cinco vezes consecutivas, a Nami propõe uma performance artística de futebol onde mulheres que jamais pensaram em participar de tal atividade são convidadas a quebrarem os tabus e correrem atrás da bola. Teatro de Rua Nami A partir das ideias de Augusto Boal, a Nami lança seu teatro para debater sobre o feminino criando performances em espaços inesperados de eventos, festivais e exposições. Nossas esquetes abordam desde a liberdade feminina até questões como a violência doméstica.


s a r i e c r a p e r t n e s a r 08. o d a i c n a e fin

Mama Cash

Instituto Magna Mater

Rede Mulher de Educação

REDE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO (Redeh)

Instituto Patrícia Galvão

Conselho Estadual de Direitos das Mulheres (CEDIM) Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB) Vital Voices Global Partnership Man Up Campain

Diller-von Furstenberg Family Foundation Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro


s o i m ê r p 9.

0

O Vital Voices Global Leadership Awards prêmio recebido das mãos da Secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton em Washington DC em 2010. Já em 2012 o DVF Awards em Nova York, homenagem feita pela estilista e também idealizadora do prêmio, Diane Von Furstenberg entregue pela Atriz Jessica Alba, à nossa presidenta Panmela Castro.


www. r ede n a m i . com

Apresentação Rede NAMI  

Apresentação Institucional da ONG Rede Feminista de Arte Urbana.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you