__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

¦».

~

_

»»•¦ w

«..

-H-

>•

REVISTA AGRÍCOLA DO

PUBLICADA TRC,/IENBALMEMTE

MAGESTADE IMPERIAL SUA DE PROTECÇÃO DEBAIXO OA IMMEOIATA

II PEDRO D. SENHOB O DE SOB A DIRECÇAO E REDAOÇÃO

Miguel Antônio

«*«* a. — ^ •>-?-£; £X—*»-

i

j

da Silva

I

^.^ I-** y^ oTeogtaphico e Ethnographico Bnjsue.ro d Amadora da Industria W'£g? ^ . Polyffla*ioa do f^ aa rança, ü de Geologioae Geographioa T plt,a, *&?$&& d-Archeologia, Morbihan; da Sociedade . d, TI, ^ Sociedade da Mame;, o Departamento do Sena a* Artes doNatural etc, etc. Dresda, de „Isis«

!

i \

I

)

)

\

}

í :->i.".rU'iJ-

• ,V;*----..rt.'.: "-«.•..-

ÍT 4.— JUNHO, 1870.

\^^^^^^

«•

RIO DE 1ANEIRQ n. 1, Constituição da Rua

^f..

1


29 meio do chlorhydrato dissolver a alumina, que se separa depois da solução por de ammoniaco. então , somente peioA porção do precipitado msoluvel na potassa contem em ácido este, dissolve-se cal; precipitado dc carbonato c ferro de xvdo o peroxydo de ferro chlorhvdrico, e addicionando depois annuoniaco separa-se uma solução de carboda cal • esta fica na solução, c precepita-se depois por ''¦',. . v , , nato de potassa. n foi mdicado deve Cada uma das substancias separadas pelo methodo que conhecer-se em que relação se de afim depois o calcinada pesada, bem. ser ¦'¦;.¦¦. , . acha na amostra da terra submcttida á analyse. dos terrenos aoliao-sc analyse na empregão se reactivos que diversos üs e são de pouco eusto.-Us nas ou chimicos phavmaeias, de produetos nas loias das diver-sas operações indicaexecução a necessários vasos para. ou utenáòs mui caro. . custao não e numerosos também são pouco das, determinado de um seccar peso de para cápsula uma porcellana São- 1° 2." um bocal ou vaso ella. contém; dágua que a terra e determinar proporção a arca, da par c na acua u decantação separar por' o lindric de vidro para tratar a terra po oaoido chlorhvidro de ° balão para un. 3 pequeno da terra neste ando; 4." um cadisolúveis os todos er princípios dissol í-=Ío Í',n de tampa, para. calcinar os diltecompetente a com terra, Ifô^orcldlmiaoude un, pequeno lorno ou liuabucnte, 5.» analyse; roleílíéduclo extrahidos pela evaporal-os, e calcinar líquidos, ' os aquecer ferro de para lleiril^o ou os precipitados.-

Noticia sobre o lupulo, PELO

no .i.mm»im botanioo...<;i,Atd^!^en>w 1)1iLcmos

da. família das thtrepadeira, in planta O lupulo (llumulus lup, u*|, .dmo,; ' ;! !iais - ^.o selvageui; o (,0 ^.^ ticaceas, que cresce ate 40 ^ 'di u,cs, nhur > b do h na oriunda da Allemanha pnHcipalnientc esuda .^^ Fl,nra, tas, é hoje cuhivada em Iuglakl,,, ^ ; /vusui . Bohemia, na Saxoma, fuAiera, 'que se . Hollanda e America do Norte.. „„res*Pjíáo o aroma agradável

n*w«w*«;-

,;;"' ^iw^ir,,ai,»»¦* *<>»¦-. ..

nota no lupuloeulteaoo,.... gni ;n o -^^.^ cultlini.... |,n:),ccc com esta planta dueto que fornece cie .1, |a.,so i,a... a. remonta lupulo A cultura do

,j um hoje


Immenso contingente d industria agrícola dos paizes que se entregão ao seu cultivo. As flores do lupulo são unisexuaes, cada pó dando flores masculinas, ou flores femininas, e são estas ultimas que fornecem unicamente o producto,.pelo qual se cultiva o lupulo. As flores formão cachos, ou antes cones, cobertos de escamas membranosas c encerrão uma matéria extractiva de natureza particular e que fornece o producto uti] do lupulo. Este producto, denominado lupidma, que existe nas flores, consiste em um pó aniarello, aromatico, muito amargo e narcótico-Por essas propriedades, eo lupulo empregado como tônico enérgico nas alícceôes escrophulosas, rachiticás, na .dispepsia e nas moléstias cutâneas; goza também de propriedades anthelminticas. A cerveja, em cuja preparação entra o lupulo, ó um bom medicamento: durante a invasão da cholera-morbus em Vienna e n'outras cidades observou-se que as pessoas empregadas nas fabricas do cerveja não forao victimas daquelle fiagellp. . O principal uso do lupulo é porém o seu emprego na fabricação da eerveja, pa,ra o que tem elle extraordinário eon sumo. * Em alguns paizes da Europa aproveitão-se também os grelos novos da planta como esparge, e do tronco e ramos mais grossos extrahem-se fibras para tecidos grosseiros. * Conhece-se diversas variedades de lupulo, provenientes quer da cultura, quer do clima. Das variedades mais estimadas 1 diras se distinguem pelo tempo que levão as flores a amadurecer: o lupulo precoce, e o lupulo tardio. O primeiro amadurece na Europa em fins de Agostc ou principio de Setembro, o segundo duas ^ ou quatro semanas mais tarde. O lupulo precoce 6 mais estimado do que o lupulo tardio; seus cachos de flores são maiores, mais abundantes e de um aroma mais agradável. Convém nííó plantar no mesmo terreno estas duas variedades por causa da colheita. Conhece-se mais as Ires seguintes variedades: lupulo verde-elaro, verde escuro, e vermelho. Estas difíoreueas residem na côr do tronco, dos peciolos das folhas e dos pedunculos lloraes. O lupulo verde-elaro tem as ilorcs mais compridas do..que as Ojitras variedades (2 pollegadas), e contém maior proporção de lupulina. E' a melhor das três. O lupulo verde-escuro tem os cachos mais curtos (de 3/4 á 1 1/2 pollegada), brandos, abertos em cima, e contem menos lupulina, cujo aroma ó mui forte: prospera bem. O lupulo vermelho, assim chamado pela cor de seus ramos, não é tão estimado como aquellas duas variedades. Estas três variedades (verde-elaro, verde-eseuro, e vermelho) são tardias. O lupulo precoce tem-os seus ramos avermelhados, o os peciolos e pediihculos listados da mesma côr. Os caclios de ilores tem as escauias mui juntas c por essa razão apresentão-se fechados na. parte superior; contem muita lupulina, do aroma mui intenso e conscrva-sc bem encerrada, dentro dos caclios, o qne não acontece, em o mesln^ gráo, nas outras vai iodados. Entretanto, estas diversas variedades de lupulo são ainda sujeitas a muitas


31 variações, o que torna ás vezes extremamente difiicil fazer uma distineção rigorosa. Em geral o bom lupulo pôde ser reconhecido pelos seguintes caracteres. Os cachos de tamanho mediano, bem fechados, consistentes, de côr verde^amarellada, mui ricos de lupulina, exhalando aroma intenso e agradável, o de gosto amargo especial. O lupulo vegeta bem nos morros o nas várzeas; o que elle exige principalmente é bom tratamento e cuidado na sua cultura; assim, a mesma variedade pôde produzir, conforme o processo perfeito ou imperfeito, muito o bom, oíi pouco e nnio: o que, aliás, é uma regra geral para todas as plantas cultivadas. Requer o lupulo um terreno tôfo, arenoso, com bastante pliospliato de cal, não devendo ser nem muito secco, nem muito humido. Os* terrenos argilosos, ou de barro; e humidos são máos para esta planta,. Aléuvdisto, prefere ella os solos um pouco inclinados, que ciem escoamento ás águas e sejão protegidos dos ventos fortes. • Na Europa costuma-se preparar a terra para a plantarão do lupulo no outomno, lavrando-a bem fundo, porem sem quebrar os torrões, nem passar á grade, até a primavera seguinte, época em que se faz este ultimo trabalho. Emprega-se primeiramente o arado simples, e depois o arado sub-solo que aíofa a terra até uma profundidade de três palmos sem viral-a. Se a terra é fraca deve-se adubai a. Para isto, emprega-se estéreo de vaccas bem fermentado: a estrumarão repete-se uma vez por anno, na época cm que se cortão os rebentos do lupulo, que têm de servir de mudas para a replantação. Estas mudas são plantadas em linhas parallelas de leste á oeste, distantes umas das outras de G á 7 pelmos, e separados os pés uns dos outros de i) á 10 palmos, *na disposição seguinte:

-

Em geral não se emprega ;a;seinente para a plantação do lupulo, porém os brotos ou rebentos' da raiz conftife üirqtiatvo olhos: estes broto* devem ser = grossos e de 4 a G pollegadas de comprimento. ¦ 4 áS annos de de touceiras nelas fornecidas As melhores mudas são as idade; antes dessa época as mudas não têm a forca necessária para se desenvolverem. Na Europa não se aproveitão os pedaços dos troncos e ramos, que poderião servir vantajosamente para a formação da-viveiros. cada No campo, onde deve ser estabelecida ajplantação, oollocão-sç cm na base. cova três ou quatro brotos com as pontas juntas, porém separados em limudas as dispondo de viveiros, formação a vantagem E' de grande das outras do mesmo umas e separadas distancia de 1/2 de 1 ál nhas palmo transplanta-se espaço. Cada muda é plantada isoladamente no viveiro, deonde recebei o e designado foi <pie preparado para campo o depois de um anno para rica. lupulo: por este modo.obtein-se uma colheita mais

\

:r\


¦m-siSÜ,

ti

ATTENÇÃO.

t?SS!íS

'"-

,

-';'yy-

-

i'A?\'i?.-',mm ç-ü .i.-;i

%:.J'XÀX

'.* V

¦t-^M

/:.--.-

--.;•-': -,-,-i-..,;es*..-:-?;<;y.

••

.*...„

¦•t-^n

l-AÚ t.

11111 ÉI ÊEllMlElfE SABIDO IPE f!H |Pf fi N(BAT E IRMÃOS *.'.. ¦

«> m*m+

—mjjmggg^mggÊgé ____»____ ,. ——,iyl , ..IM_»I| _ ..M.»„.l„ . .,,

mb^mv^

-

Xw

.

.

,: .-.,:,-¦.

y*

!¦«*•**?''

-.

:...*'¦*.

'•••* 'r-

;.

fem sócios na Europae fabrica cm Paris onde trabalhãoos melhores oufiVes.eq' por conseguinte ninganm ínâisdòq' elléâ <está KãbilitadQá yendet* jpia^^o^ ^qstos, mais.ajiu .! ¦' completameint íoftidos, mais apropriados para este*mercado e pelos preços os mais rasoaveis de bello admirar acáBâo de sortmento despachar, Boa-Vista loja da. sita a rua jóias quê p para Conv dãò pois os freguezes a virem á sua ",.:* e as pffereceifl»ávendarprometten ,''.,':.. -. j.*•..¦ ; ..>y.,vi. do o possível para contentarmos compradores, quer na'qWlidaàè^qüer no go igual a ecom delicadesa uma maior perfeição qjxese acjia.ein qualquer obra estrangeira. Tcmutn hábil ourives q' concertas efazjqualqUer pbra nova coma possível, fc,-fí^|-í*W!

" ;¦'¦:¦ ¦'

':•

Encarregam-se táihbéiii de encommendas para a Europa^

DE SINGERiipfltACTÜEIM COMPANY.

ittrí áiffi.

^m MNffMvwuui ¦fí.-i^v.-ú'.-. r':'"-:í-n. *,'í:í£!í|1*

,'.-;"'-'>^

Áat*

e/t^taic/a

tS&Maotda

c/e

cSxcna/ecj/afmac/a em

,--..;,"

;--v'.y:

DE MACHINAS DE COSTllAS

.*,-..'

d

Sv/tâetc/a. e ywwu&uefpttç, àctenctaà maMeinaácaJf

Agentepara as proviiicíasdof pâ |i^^aa ;''!'

»

oadjuvadogelo sr.Elçardõ francise^Maiiehon.

Sob a direcção do abaixo assignado, este estabelecimento pode hoje melhor que nunca, preencher dignamente os fins para que foi destinado pelo sei fundador e primeiro director. A posição e construcção do edifício, as proporções e condições de hygiené, moralidade, asseio ê boa alimentação, tornão este estabel cimento verdadeiramente recommendavel aos srs. pães de familia, correspondentes e a todas as pessoas, que se interessam pela boa educação moral, e intolle* ctual da mocidade. O abaixo assignado continua a não poupar-se a sacrifício algum na escolha e conservação do pessoal necessário para a observância da boa ordem e aproveitamento dos alumnos; e por. isso continua a Dão admittir para cargo algum em seu estabelecimento pessoas, que for palta de"documentos ou boas informações, não possão merecer toda a sua confiauçà po cumprimen»fi to de seus devetes. , ...t Os alumnos que por sua pouca idade ou soffritnentos não possam acompanhar os de mais idade e robustos, serào tratados separadamente e com todo o desvelo por-pessoas da família do abaixo assignado para cujo fim a conserva em lima parle do estabelecimento. As matérias ensinadas estão divididas em tres cursor primário ereligioso; commercial e preparatório para instrucção publica, ou qualquer acaderaia do império; : . Os professores a cjjo cargo está o ensino das línguas vivas, que consta: da inglcza, franceza e allemã, são todos naturaes dos respectivos paizes, adoptando o estabelecimento os methodos mais acreditados para esse fim, sobre tudo pela pratica; e um dos pontos mais rigorosos do regulamento in* terno do estabelecimento é, que todos cs alumnos depois de seis mezes de sua entrada para o estabelecimento fallera o francez 0' inglez- alternativamente, não se permittindo o uso do portuguez senào.nas classes para tratamento das matérias do"ensino geral. CONDIÇÕES DE ADMISSÃO. A pensão do alumno qualquer que seja a sua idade e as matérias que aprenda é de 35$000 mensaes pagos por trimestres sem desconto algum por ausência ou enfermidade, e comprehende 'o ensino dc todas as referidas matérias. . Os alumnos que queirão freqüentar as aulas de musica, desenho edansa pagado" mais pela primeira 8$000 mensaes e pelas duas ultimas 10$ cada uma. • Alem da roupa usual para. uso doméstico e passeios de campo, o alumao trará um uniforme todo preto, sendo: de jaqueta e bonet para os de pouca idade e pouco crescidos; e a vontade para os já crescidos e de" mais de 13 annos de idade; 6 lenços de tamanho regular; 1 cobertor encorpado; 1 sobre-tu lo eom mangas; 3 toalhas para banho. 3 ditas para o rosto; 6 guardanapos p ra mesa: escovas de fato, çabéllo, dentes, unhas *e calçado; pen tes; thesoura de cortar unhas; 2 pares de sapatos fortes e I de botinas pa Ta usar com o uoiforme Uma contribuição de 25^000 rio acto da entrada faculta ao alucino, por todo o tempo que ellé estiver no collegio, o uso. do cajma e seus pertences, e todes os mais objectos que não \3o especificados. „ Toda a roupa deverá vir marcadacom as iniciaes do nome. do alumno, e acompanhada de uma relação em duplicata para voltar uma depois de conferida. A lavagem e pequenos concertos da roupa se fazem no estabelecimento por 6$000 mensaes.

Marca official

da companhia

Em% consideração da grande acceitação das suas

,

.

Macíiinas de costuras a Singer Manufacturing Gompany ; 1| tem resolvido para maior protecção do respeitável publico e os .honrados negociantes abrir agencia em todas as praç.ís importantes do império. Pessoas pouco conscienciosas-nas praças-da Europa e America do Nòtte tem offerecido secretamente imitações das machinas de costuras de Singer compromettendo a companhia e os respectivos negociantes que as tem-comprado ecausado bastante prejuiso ás famílias e artistas com^ suas inferiores imitações. * E'por esta i*asão que a Singer Manüfàcturíng Company resolveo augmeõlar suas facilidades de manufacturá e offerecpr suas celebres Por preços tão rasoaveis que não offerecem attraçâo

'

,,

Vetidade l

AGENCIA

COLLEGIOS. LM ¦

v

aos falsificadores,

Grande reducçao de preços por érdem espressa ^ílíOu

mí M

;N*es|ta; typographia ve gpintes: ÁO CORPO ELEITO TITO-FRANCO. D'ALME SYST^A IlEmiÇO para a conversão das mo nas nas quo jliesi porrespQ tema usual de pesos e me ,i|,eivicè«versá.íií. 0 0 DECRETO <N.0$ 139, AGOSTO D]E 1863. BELMAR.—Voyage Brésiliennes de rAmazon 'pjécede d'un rapicíecou le littoral du Rrésil. A (j.QPí^fitUIEqtf rjI^tÒRIA.-T^r F. J Homem de Mello, bacha to. -., :. fi A AGRICULTURA EM Pelo bacharel Joaquim Silva Guimarães, juiz d domarca do Rio Grande ce Minas Geraes. NOVÍSSIMA REFOR RAk— Seguida de .actas e mappasf-T_860; CATECISMO SOBRE GATHOLICA PARA USO —Obra substanciálíhen italiano, augméntada de original e de vários dese com uma gravura rep virgem immaculada. ter as heresias.' DECRETO N.° 3217 DEZEMBRO DE 1863— gumas disposições do reg alfândegas.

b3í"; K Bombasdc ( poços, de

Machinas para familia... •••¦•••• t'. .• • * » • • «.-••• RoínhaS de a'lü W* uvmumy Ditas para ditas com caixa........,..,.,.,. .>>•.••. •,. ! çoff0tí$ Ditas para ditas com mesa espansiva............. .1 /sIlss para* artistas* •«• • • •_• • • •* • ?.• • • • • • •• #¦/•*•;•. * de ferro d •Acaba de despachar e chama-se a attenção do respeitável publico para dlè comprimento a 35#0 um grande sortimento destas machinas vindas por conta da companhia directaraente. da labrica e actualmente olferecidas a venda cm casa. de tal -kj---para e atô'" para toda 'r'-rXXx- •¦.'¦¦"-. £;:/*íiíi j-fJlfà&.Oiilfy.y ' ''¦' '. • ' " r.XVXrüx. fi^r-»'..:_¦'XX:: »*'''' pbra,

Bombas ^ara can^as

• *.

Bombas

a^ta pr

«--Pontes & Irmão^--

&40 BB—Rua dos Mercadores--5.40 BB. TllbOS

^6^erro 8a'V

melhores e m dos para encanações de á Todas as machinas vendidas nesta agencia são plenamente garantidas e VM0EM-SÍ no arm levão.no. braço de cada machina a marca acima. - v Kingdom ft Comp/, á Acha-se contractado na agencia o perito machinista o sr. Hí. I)e Vera Meicês. 7 tebilitad°;Por »°»Sa experiência a fazer com rapidez eperfeição tedo^qual.Singer. ^conc*rto nas verdadeiras: machinas de Precisa-se contractar agencias em todas as cidades do interior. '¦•-?:. * .*¦'.-'.' I Anda em fuça' a escr - - ; -? -«s i.' ; ¦;,• ü lina idíide 20 annos, cab magra, alia, braços comp pequenos, tenv, uma cicat e o nariz chato. Consta °típ '.St,',* . S*na capital, onde tem JU*:.*trada por muita gente; ws que fugiu e não téin rua este tem qo tudoi Recommenda^-se a sua autoridades

.Eseraro fugid

'

:'¦':._..--..

DENTISTA

Rua Mova «le Na sita % «ita.


%w.'

3 -'ísiíátiiiii

Paço da câmara municipal do Pará 20 de dezembro de 1871. dr.! José da Gama Malcher, presidente; *cone go Ismael de Sena Ribeiro Nery, secretario.

&I&I htgi §.-*.! d'Assumpç5o, Joaquim Henriques Vir [ '-&ÍK3.I ; ser procurado para os trabalhos' de <3^ l^^C&^^X gplinpfSimào José Bernardino; Nunes, seu'oficio no escriptorio do tabelliâo j 'Gomes, Severino Dias Ferreira Portugal, padas 7 boras ás 5 -•*•*• dre Benedicto Thomé dP__in_a . é m *'• da tarde nos dias úteisda e manhã fora dessas Mello, Florencio Gonçalves* Campps, -Alfândega, hpras em sua residência á travessa Antônio Joel Netto, Antônio Gualdi- Rendimento Gloria, fronteira ao prédio de dn SAMCEL WALLACH MACde 1 a 30 339:071.182 De ordem do illm. sr. inspector da no da Motta, Luii Antônio Ferreira jfa salas do sr. ' José da Costa Ferreira j*&s Recébedoria» , thezourària de fazenda da provincia BentêSflpaqüim Pedro Xaviei. de N6T11AVE§SAD0PAS Rendimento de 1 a 30 13 Í-H se declara em additamento ao editpl Assumpçãó^JRíibeirto Júlio -da Silva ' desta Ver o* .ezóí- x SOCIEDADE PIILOSCINICA, thesourária de, 14 de novembro Franco, e Francíico Cardoso Barata. ' Rendimento de 1 a 30 6:7. — ultimo, que fica espaçado para o dia Não são convocados os srs. elei O espectaculo desta sociedade que Santa Casa. 20 de, janeiro próximo vindouro o tores dr. José Tibürcio Pereira de deveria ter lugar hoje 30 do corren m_ Rendimento de Ia 30 492.400 praso para o concurso dos lugares de Maglhàes, e Basilio Magno do Amaral transferido para segúnda-fei j|e,dfica 3o escripturario; 2o conferente e pra* por'terem mudado de residència;*dr; f#'1° de BACHAREL janeiro. - ticantes da alfândega desta provincia. João Lourenco Paes. de Sousa, Joa. Belém, 29 de Dezembro de 1871. Arminio Adolpho Pontea Secreteria da -thezourària' de fa quim Antônio Alves, e Francisco AnServindo de •UiH>i*'ÁDVOWDO. secretario, . , ... i zenda do Pará, 23 dè' dezembro de tonio de Aguiar è Silva por se acha' 'yx,-^ •£» ¦ ! :t* If! lyi» y.^' Trovão, y Vpk , ,' 1871... x kr , rem ausentes; e bem assim os sup!ll*?${_ tífOèíal máiór ¦ii'-:plènteS,' ifdkô^Ãhséimo' Pacifico de COMPANHIA D0 AMAZONAS* ASSOCIAÇÃO FILANTRÓPICA '•k ' Rua do9 Mercadore» N.° «8 V. Carmino Leal. . Cantuaria, e Mathias José dos-San.9. DE, EMANCIPAÇÃO DE ESCRAVOS to's,pbr haverem mudado de doníi* O paquete a vapor Arary comman | SANTA CASA DA MISERICÓRDIA. cilio: Ambrosio Belmiro de Leão dapte Io tenente Figueredo segue Pela presente convida-se a tod«s Dc ordem do illm. sr. dr. provedor loão" LeitelRiheirò, jMádoel'tlièõdoró para Arary na madrugada do diá£_ os srs. sócios para a sessão solemne da santa"parà casa da misericórdia, faz*»e Teixejra, e Martiniano José dos San- de Janeiro. J d*e posse dos novos funecionarios a ^conhecimentolios ¦' tósCpór faliecimento. E para *Rebe-se inte checarga encommendas e publica que pa qual terá lugar no salão do lyceo pa ressados que, perante a junta admi- gue á* noticia de todos: os srs.*eleito- sageiros atéas 2 horas dítarde, "doraense, era l9 de janeiro vindouro as nístrátiva. *arremàt ar'«sé hào no dia re», e supplentes cos^qcijdos, i eí\è dia 2. 7 horas dánnpite. Pará 18 dedezfm 30 dó' corrente'''irièSfej-oà gêneros' ali- será aí fixado noslugareá'do costumei brode|871. mentidos e outros artigos pará^òíin. e publicado pela imprensa. Belém 22 ¦O paquete a vapor SOURE comSamuel W. M Dowell. süfao5 dos' estabèleciníèntós •' á 'dafgo de dezembro de l8íl.-rrLourenço mandanta 1° tanente Figueredo, seFrancisco Xm do Espirito St0 J° da mesma santa casa no semestre de Justiniano da Gama. na madrugada do Cametá Vicente C. Leal. gue para ' è . janeiro a junho dó^proxiíttó* Vindouro ?27=RÜA FOHM0ZA = diaÃ6. . ánno a ,saber: carne Véráe/kilogrâm- O cidadão João Baptista Pereira —. da Recebe se carga, encommendas e Serra mai; pão'iroscodè' 4 Òriçàs. arrobas; jujz ^ pães5 mais votado, da' passageiros no dia; 4 .té -ás;! .horas Sabbado e dòrningo", dias da vespe assucár réfiriâdó, artòbus; chá; preto e freguesia ¦âíSenfhóra»Sariita Anna da tarde, do dia'à"M iwwtl ra e da festa de Santa Luzia, que verde, libras; farinha d'a'$â,' dita1 sec da campina da capital do Pará £cj * íj os barfaqueiros do arraial ca', ditame tapioca, alqueires; farinha , ;, O paiuete a vapor «Óbidos com-; ' celebram . * Nos, estabeleci mentos de de Nazareth; reabrir-se-há a explen Façosaber ao= srs. eleitores e sup- mandante 1° tenente Figueiredo, ser .eNazareth. reabri) de araruta, libras; roantega .e';tar** tafru^a, potespdÍtá'dé'váeb'â, ;;liferas| .P'p^sr-^sí*{--Pa??cWí. f abaixo desi gué pana Obides na madrugada do da, dida exposição dos pássaros «Mos «irpintaria á vapor dò Co " ca, Tapyranga, Anaimbé» e outros cu encontra-se constante.nente azeite de'andiróFàíftasíéof;{èév^ #íádos; ípíé deveio rèWiiir-se nia 3*. 12 do corrente i av } macarrão blrSritíòV^áfé, ^libras; viH'co dominga do mez de jrneiro de 1872 j Recebe «se carga encommendas -e riosissimos sujeitos automáticos mo- serradas de todas as qualid do Porto, garjrafás; aíróz, sabão'pré (dia 21 do dito mrz) as 9 horás;dà .passageiros no dia 4 b*até as 2¦ ho- ventes, inclusive uma machina para mensões, coms sejão, acapú despertar e distrahir os apreciadores reljo,. louto", tamaquaré, ced manhã, no consistorio da igrêjama^iTasdà; tarde do dia 11 to; araàfrclld e HbuéihhbV tfrrotías/ • apaixonados de amoros: qiieira, guaruba,*cupiiiba, Secretaria da1 santa casa 'lia' "Mise- triz d#;S_nhoria Santa ^nna.riclafcámassim como ripas de todos ricordiá* do Pairarem'20' de dezembro pina afim de organisar-se a mesa de , O paquete a vapor oSoure» com mentos e larguras para telh de 1871- " O escrivão, qualificação da dita parochia-^-EIei- mandante Io tenente Figueiredo, se para tabique o ditas de a m^WIJrM^<MnMò£ , tores. Aptoaio Rodrigues Lima, ÇYa- gué paraSoure o escalas na madró Um to^scopio é de arque primor ¦ venezianas. ? L* <ttifiíe8.3. tiihnitii- i:n:-À-)ui itlà. cisco Xavier Rodrigues de ^MòraeSr te, devassando os mysterios das gada do dia 10 do correóte íuiuíiu eocommenua eneommenda de , Tomão ,José dos Passos Àlyes da Cunha, dr. Recebe-se carga encom men espheras que O cidadão' Lourferiço Justiniano d& o espaço enle- madeira de d.fferente d.im jovoam °bsl!mdT Gama, jiiié'de paz mais votado d° Antônio Gonçalves Nunes, João de mendas e passageiros até as 2 horas da Continua» a receber W mad T/kkT, ?M que, apanhanos segredos dos astros, distrietój presidente da Pços «|Silva; Manoel Martiniano Ca- tarde .o dia 9 grimçirô serrar> e !ainar> obr * '• valheiro de Macedo, Jeronimo José dos, desprevcnidos, revê am* toda a „;„.„;, junfâ revisora da qualificação , de .PiotariQ fazer para por «i. belleza h»llL#.e magestade: m.^t..Ha. de votantes da parochia da Sé na do Rego Castello Branco, dr. Mar sua medidas I apresentadas, tamb capital da provincia do ^'Pàrí etc. cèllo^Lobato 3e; Castro, Frederico Todos os segredos do céo por -1 tomar medidas' em jda-se Carlos Rftossard, Fructuoso de Mes500 réis ; pretendentes e os mesmos p Faço saber de eonformidade com quita eSousaV.Jeronimo José Morei,Largo de Nazareth. vender as maduiras por pre os,arts. 4o, e .5 da lei de J9de agos- ra»,Rf;imundo Alves de Castro e Silj, veis assim como as obras to de 1846* que no.-dia .21, terceira va, Manoel Antônio Rodrigues, e Fran <^«MfMkV1M .wvvvyitv«vvvwv»*%v\wvwvv tvtuvvu B8»'**^*«*«*»(*v**«wvv*vwv«.*v»v\»vv/»vt.»Wvv-vvvvv> seus estabelecimentos. dominga, domez de janeiro vindo.u* cisco Pereira Dourado.—SuppJenteí. lugariaj.evísão ro, terá da qualiíi- .loão Francisco da Silva Leão, Romão J-.Í cação de votantes. d'estav parochia. ¦ 'de Aríujo,* Pedro Luiz Pi1 E porque nã igreja^o^armOjiqae pereira nheiro de AÍmóida, João paptista do Convidão-sé todas às! pessoas qne está. servindo temporariamente de Livramento Ferreira, dr.; Francisco ' matriz, não .tenha consistoriô bas-, Carlos Mariano, Justino' dè OJiveirà quiserem assistir a sessão de posse i Cura infallivel em 3 dias. De ordem do sr.'direct dos novos funecionarios desta socieda tante espaçoso, nem no corpo d'este Magalhães, conego Antônio collegio faço publico que ho GonçalCahio o sulphato de quinina 'terá. igreja se possa proceder eleiçâo.-ál- ves da Rocha, José Luiz de Lemos, de que terá lugar segunda-fe:ra,l* vindouro logar'*. janeiro no tratument%das sezões. . fu mez turo as 1 horas próximo .das guma, por complicar com os actos ^ibprio^A. tonió da Silva. Cravo, JosS do ra aulas df» mesmo. Não.é niais preciso esta subs- ! reiigiosps,; conyppo o#sr_ «e|eitôres, e de Deos e Silvai Antônio Joaquim de da noute no salado Lyceu Paraense Collegio Sa/cá Maria de tancia para debellar esta en . Pará 29 de Dezembro de 1871 supplentes abaixo declarados, para Almeida, e João Antônio Corrêa Bude dezembro'de 1871. • Samuel JV, M-Dowell. j fermidade tão freqüente no inque no dia aprasádo as 9i hbratf-dfa ihòes. Deixando de serem convocados O. s Francisco X. do Espírito Santo -J. I terior de nossa provincia, esta manhã compareçam na sachristia dos João José terem Nogueira, fallecido os eleitores João 'Séf «mesma nos fornece no reino Vicente C. Leal. afim de por No dia 8 de janeiro vindo pontificaes da igreja da da Si! vá Maia, Jeronimo Antônio Tavegetal um cem numero de , organisir-se a junta com as forma. nellas, e I tinuará á funecienar a escol pelo mesmo motivo os sup- ;,»!»:ij | substancias, dentre as quaes l na lidadfes íijgaes; a saber: Ejcitóres~ para os escravos erecta plentes conego Joaqu m Antônio da \ \ escolhemos, depois, de longo e | Men- Silva'EguéSi . conego Manoel José dè Siqueira e^ Joio Pedro de Sousa gio Santa Maria de Bolem. 'Nina, No escriptorio do tabelliâo Goríies, íí apurado estudo, obtendo sem João Moreira, è des, JVJanoeí Roiz Chiçks Belení do Pgrá 28 de dez por não residirem no dis* á rua Formosa, canto da travessa do i j pre optimos resultados, —^a Baptista Grana, Jos8(. Ferreira xde tricto os eleitores Gaspar de Macedo Passinho, acha-se uma pessoa compe- \\ caíFerana paraense-T?que, uni- i í 187l:-x Sousa, dr: Joaquim Pedro Corrêa de e Amorim, João Paulo Rai. os Chitentemente habilitada, por grande da. á algumas» outras etn deter- ii . Padre Felix VicenYe de Freitas, dr. Ludgerò1 Vieira' de Ase- ves e Silva, e os supplentes Fer nan . tractar de quaéSquer neminadas proporções fermam as 11 vedo, Pedro Gomes d'0]iyeira, Ma- do José de Oliveira, Antônio José Coe. parte, para desembaraços como sejão para pilulas de/iominadas— Pilulas | • noel Roque Jorge'Ribeiro, Maxim ja- lho de Barfos Júnior,,e Peregrino do gocios, de* de compras raiz, * de (.afferana Paraense— que j rengas de e vendas ,bem "chegue no Roberto Pimentel/ Valehtim José Espirito Santo. E (erro de proprif á hypothecas, moveis ou semoventes, unicamente para são que preparauas companhia por do gaz^ que se a _ Ferreira, Franciscox de 5alles Mellc noticia tle todos mando seja este folhas corridas ou outras quaesquer | Canoido do Prado T^to e C que deadas 11 em frente do seu de Óvidio Perei Joaquim Freire Barata, afixado no lugar do costume e publi- agencias; assim como encarrega-se Cada caixa acompanha um carvão da praça do Bajé, não ra do Araújo, Januário de Miranda cado pela imprensa. Pará *20 de.de- de c mpras e vendas de bens de í opusculo Com nossa assignaser tiradas d"ali para Ribeiro, Pvaimu^do Píntò Teixeira, zembro de í 87 U—Eu Marcos Victo^qual seja; sendo natureza tura.* qualquer > que estranha a compan por pessoa Francisco Roiz Soares do Arnáràt, rino Xavier de Brito escrivão Uniço deposito— Rua de Sanque es- tudo feito com a maior promptidão pjevio consentimento do .faximiano José dós Santos, Berna, crevl.—(Assignado) João*Baptista Pemediante ajuste rasoa ve). n. 17. 1 to Anlonio possivel, mesma companhia. * dino dei Seria ILameirá^Aftltbnio da reira da Sem..?^ X ¦¦'.:¦ .i i a, yé y Silva franco, peífimJFlafp Portugal, il 'if\) PARÍ* Jogo \fM Diogo Santos DayiçJ idos (Lopes, MOVIMENTO DO GADO VACCUM; tt ClemerUe M%fchip, ,rAlJpsâé Forrejra Manoel Raimuiido Gomes Io taConvoca-se a reuniAoda a CantãòAjqsé/Joaquim 4ile,. Li.naa4lbabeílião desta capital, faz sciente ao geral dos srs. assignantes da charel mdjp. d& .Mqr^es Dias.Ãp com e especialidade ao respei commercio para o dia 2 d publico tonio Xayier|,4da S|1:y. |5.!?m^uft!.or» Reses existé^é'p tavel corpo ^do commercio, que enfuturo, ao meio dia, na conf e JoàO;CÍi\egorio^,de Sep^. SppplepEntrarão bois... 25 trou nó exercicio de s o emprego no alagada na costa da ilha das Onças, *dos estatutos. Sala cias sessõe . tes—Joãp Antônio Maçl^adoj Rai: 13 dia 17 dp (torrente mez; podendo ser tendo as rodellas' quebradas, assim ça do commercio do Pará, 2 José a de uma q' zembro mundo Dias Ferreira Portugal, de 1871, procurado para os misteres de seo como annuncia-sc perda coBarata, Freire Custodio,de ijello 451 officio era -Seo escriptorio á rua For- desappareceo na noite de 14 para 15 Somma Antônio Soares Pin nego Cíementino José Pinheiro, José Talharão se bois 45 vaccas 12 57 mosa, canto da travessa do Passinho, do corrente, e roga-se a pessoa q* a Servindo de secretario.

§mmmfa

IDWBfl

"

BHHHEBH

mm «itóitttí!.

•asiij t#*#H*#

xADV()GM>0 FfitlPIfH.tMil

I_9oÍ8eaw poiiche

Grande melhoiai

Un coup dc regard,

ttmuma^.

Associação philantropica de emancipação Ií de de escravos. „ IJPilulas Cafferana Collegio de Paraense. ria dc ¦*-*

-«-¦

r

Agencia.

Avisa-se que as

*

-

#

Ao publico,

R^VVVM»%»^»AVV»_%%Vfc^^^^^V^V%.*»V%Vi»%t^»VVX\^V

Acüou-se uma canoa

••#•§•

,nfra^,-«i.^_

Praça do comm


u

„V

¦ '

"*»M^

O lupulo precoce exige para crescer e chegar ao termo da colheita cinco mezes, e seis mezes as variedades tardias. Assim pois, em virtude do amadurecimento desigual nao se plantão no mesmo campo as duas variedades.—Observou-se que o lupulo cresce bem e produz melhor em os terrenos inclinados e expostos ao sol. A difterença nas diversas qualidades do lupulo se conhece pelo cheiro, e pela quantidade de lupulina. O bom lupulo deve ser mui aromatico, e conter bastante pó de côr amarella, e gosto amargo especial.—-O rendimento de uma cultura cie lupulo começa ao terceiro anno, e d'essa época em diante vai progressivamente augmentando ; se a plantação é bem tratada pode produzir durante 15, 18 e 20 annos. Ao cabo cTesse tempo, a producçao enfraquece-se consideravelmente; arranca-se então o lupulo e substitue-se por uma outra cultura differente por dous ou três annos, voltando-se depois novamente ao lupulo. Um terreno de 1.000 braças quadradas pôde conter 1.156 pés de lupulo, plantados em linhas separadas uma das outras de 7 palmos, e distante cada pé 1 braça um do outro, vindo a ficar portanto cada planta com um espaço de 70 palmos quadrados. Nos annos regulares, cada pé produz, termo médio, 1/2 libra, e nos annos extraordinários, a colheita pôde subir cie 3/4 á 1 libra por cada pé. Aquelle numero de plantas darão pois, nos annos regulares, cerca de 578 libras cie lupulo, nos extraordinários 1.000 libras e nos annos do falha 400 libras. O preço varia extraordinariamente. Observações feitas em diversos paizes sobre as colheitas do lupulo mostrarão que 1/6 das colheitas são mui ricas, 1/2 regulares e 1/3 inferiores. Assim pois em 18 annos póde-se contar com três colheitas boas, nove regulares e seis inferiores". No Brasil, porém, onde a cultura cVesta planta está ainda em ensaios, podem ser mui differentes os resultados. E1 bem possível que haja duas colheitas por anno, ou pelo menos três em dous annos, na Provincia do Rio de Janeiro e nas outras que tem um clima uniforme como o desta, e uma só colheita nas provincias meridionaes. Ealtão-nos ainda, observações sobre esto ponto importante, o que tratamos cie fazer agora na Fazenda Normal; dentro de um anno esperamos dispor de alguns mil pés,> e iressa escala poder-se-ha fazer tpda.s as experiências e~ observações necessárias, á cultura do lupulo no Brasil, e em mais larga proporção fazer distribuições de mudas desta planta, cultivada n'aquella Fazenda. Publicaremos depois o resultado cPessas observações e experiências, acompanhadas das analyses chimicas dos terrenos, sobre que vegetarão as diversas variedades do lupulo ensaiadas, como também cias analyses cPessas variedades.

*t

Profile for redelupulo

Notícias sobre o Lupulo  

Revista Agrícola do Imperial Instituto Fluminense de Agricultura Volume Décimo Sexto Junho de 1870 Pg 29 a 34 Dr. Carlos Glase - Director do...

Notícias sobre o Lupulo  

Revista Agrícola do Imperial Instituto Fluminense de Agricultura Volume Décimo Sexto Junho de 1870 Pg 29 a 34 Dr. Carlos Glase - Director do...

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded