Page 1

BOLETIM DE INFORMAÇÃO PARA PUBLICITÁRIOS comercial.redeglobo.com.br Abril de 2013 | n. 589

A REGIÃO DE MAIOR RENDA DOMICILIAR DO PAÍS

SUL

SANGUE BOM: VEM AÍ A NOVA NOVELA II


NESTA EDIÇÃO

MERCADO

3

REGIão SUL A maior renda domiciliar do país BOLETIM DE INFORMAÇÃO PARA PUBLICITÁRIOS

TV Negócios

9 10 12 14 16 17 18

O DENTISTA MASCARADO Série de humor estreia dia 5 de abril STOCK CAR 2013 & VÔLEI 2013 Dois projetos para atingir milhões de pessoas CAMPANHAS DE VÍDEO Oportunidades para todos os setores Cases Construtora Lincoln Veloso e Atlantica Maq DATAS PROMOCIONAIS Dia das Mães e Dia dos Namorados GLOBO RURAL DIÁRIO Uma referência para o agronegócio brasileiro GLOBO MAR Programa traz reportagens internacionais

2

BIP

Produzido para a Central Globo de Marketing pela Porto Palavra Editores Associados Diretores responsáveis Anco Márcio Saraiva Ricardo Esturaro Jornalista responsável Mônica Oliveira Projeto gráfico Sérgio Brito Fotos CGCOM Desktop Conexão Brasil

Para mais informações, visite o site da Direção Geral de Comercialização

comercial.redeglobo.com.br Assinaturas: bip@tvglobo.com.br

Você pode encontrar esta e as edições an­­te­­­riores do Bip no site comercial.redeglobo.com.br, em

POR DENTRO DA GLOBO

19 20 22 23

Publicação da Direção Geral de Comercialização da Rede Globo

Notícias

SANGUE BOM Nova Novela II é ambientada em São Paulo FLOR DO CARIBE Confira oportunidades comerciais NOTAS The Voice Brasil e mais Plim-Plim Cenas que marcaram a história da TV no Brasil

Abril / 2013 • Nº 589


mercado

Sul

A maior renda domiciliar do país

Ao abordar o consumidor dos estados da Região Sul do país, anunciantes e agências de publicidade têm de levar em consideração que estão tratando com alguém de perfil diferenciado – e não por um único fator, mas por vários

E

m primeiro lugar, é preciso consi­ derar a renda dos consumidores. Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul têm a maior renda domiciliar per capita do país, segundo dados do IBGE. São também os estados com maior percentagem de famílias de alta renda. Entre as diferentes regiões brasileiras, nenhuma tem Índice de De­­ senvolvimento Humano maior. Em segundo lugar, paranaenses, cata­ rinenses e gaúchos têm altos níveis de escolaridade. São poucos, por sinal, os indicadores de qualidade de ensino no Brasil nos quais os estados da Região Sul não se destacam. É lá, por exemplo, que se verificam os menores índices de anal­ Abril / 2013 • Nº 589

fabetismo, atraso escolar e repetência do país, a menor taxa de evasão escolar no ensino fundamental, o maior índice de jovens de 19 anos que concluíram o ensi­ no médio e o melhor desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio, Enem. “Tudo conduz a um espírito crítico mais apurado e desenvolvido”, explica a pro­ fessora Elisa Piedras, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, especiali­ zada em comportamento do consumi­ dor. “As pessoas não têm apenas mais dinheiro no bolso e prática de consumo, como têm mais informação. Desta for­ ma, elas podem avaliar mais e melhor as suas alternativas de compra de bens e serviços.”

Renda e escolaridade se combinam a aspectos culturais, que também impac­ tam nos hábitos de consumo. “A força da imigração europeia na formação da população do Rio Grande do Sul é um diferencial importante”, diz Elisa, lem­ brando o fato de os três estados da Região Sul fazerem fronteiras com outros países, tornando os vínculos regionais muito próprios. “Um anunciante que não levar isso em conta na hora de formular sua estratégia de marketing estará se arriscando a ser olhado com desconfian­ ça pelo consumidor”, diz ela. Supermer­ cados da Região Sul alinham em suas gôndolas uma quantidade bem maior de marcas locais do que estabelecimentos BIP

3


mercado

Região Sul

de outros estados. “Quem vem de fora para disputar o mercado tem de fazer algo para se aproximar dos consumido­ res. Algumas redes de supermercado internacionais assumiram bandeiras lo­­ cais e as preservaram. Sem dúvida, con­ seguiram melhores resultados do que aquelas que desembarcaram aqui com as suas próprias marcas”, diz Elisa. Ela observa que uma pesquisa recente, encomendada pela Federação do Comér­ cio do Rio Grande do Sul, permite prever que o nível de exigência dos consumidores locais tende a crescer, na medida em que aumentam os níveis de escolaridade e a idade média da população. “Isso será espe­ cialmente verdadeiro tanto para os níveis de qualidade dos produtos como para os serviços agregados a eles”, diz Elisa.

Os consumidores do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul se destacam também pelo alto índice de escolaridade

O potencial de consumo da Região Sul Evolução do consumo na região 475,3 360,8

2002

2004

193,9

2006

2008

2010

Em R$ bilhões Manutenção do lar

290,2 147,2

Ao observar o mapa dos estados da Região Sul, o professor Paulo Prado, da Universidade Federal do Paraná, arrisca-se em dividi-lo em quatro sub-regiões, o que pode ser útil do ponto de vista de planejamento de marketing. A primeira sub-região é formada, gros­ so modo, pelo oeste dos três estados, unidos por uma vocação marcada para o agronegócio e também pelo fato de ter sido ocupado principalmente por produ­ tores rurais oriundos do Rio Grande do Sul. Ainda que existam vários polos indus­ triais e que aí esteja Foz de Iguaçu, o segundo maior polo de turismo do país, há muita influência na sub-região da sazonalidade decorrente das safras, com concentração da renda mais pronunciada

Consumo de alguns produtos e serviços na região

Em R$ bilhões

177,7

A região e as suas su

2012

104,4

Alimentação no domicílio

43,0

Gastos com veículo próprio

25,4

Alimentação fora do domicílio

18,3

Vestuário confeccionado

13,7

Fonte: Atlas de Consumo – CGM/Dim – Base: estimativa de consumo e população – IPC Maps 2012 4

BIP

Abril / 2013 • Nº 589


ub-regiões no primeiro semestre do ano. “O oeste da Região Sul é riquíssimo em oportunidades para empreendedores”, diz Paulo. “As cidades são comparativa­ mente jovens, com muitos segmentos de negócios ainda em fase de formação, principalmente em varejo e serviços, sen­ do as chances de sucesso mais acentua­ das em cidades menores. Muitas empre­ sas de atuação nacional já sabem disso e estão se movimentando”, diz ele. Pesqui­ sa recente da Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação, Abia, indica serem cidades de pequeno porte um importante polo para venda de alimentos. Outra sub-região do Sul é aquela for­ mada pelo norte do Paraná, explica Pau­ lo. “São cidades com um padrão de con­ sumo mais parecido ao do interior de São Paulo, inclusive pela influência da colonização nipônica”, diz ele. Há forte influência do agronegócio e também da atividade industrial. “A sazonalidade pró­ pria do agronegócio influencia menos aqui. Há mais shopping centers, oferta de serviços e uma presença maior das grandes redes de varejo. Marcas de pre­ sença nacional são aceitas com mais faci­

Abril / 2013 • Nº 589

lidade, principalmente nas cidades maio­ res”, diz Paulo. A terceira sub-região é aquela formada pelo Vale do Itajaí, que tem como traço cultural mais marcante a colonização ita­ liana e alemã e uma forte predominância da atividade industrial. “É um mercado rico e maduro, com um perfil de consu­ mo mais conservador, com bastante ên­­ fase na poupança”, diz Paulo. Já a quarta sub-região é virtual, sendo formada pelas regiões metropolitanas em torno de Curi­ tiba, Florianópolis e Porto Alegre. “São cidades do mundo, cada uma com as suas próprias características”, diz Paulo. “Curitiba tem forte influência das indús­

trias. Afinal, é um dos maiores polos fabris do país. Já Florianópolis é uma cidade de perfil turístico, onde o consu­ mo é fortemente influenciado pelo poder público, graças à predominância do funcionalismo na população. Porto Alegre, por sua vez, tem um padrão de consumo todo próprio.” Ainda que elas tenham vários traços em comum, Paulo considera arriscado definir uma linguagem de marketing uni­ ficada para as três capitais. “É preciso conhecê-las em profundidade”, avisa. Apesar de serem metrópoles, os mora­ dores das três capitais conservam hábi­ tos como o de irem almoçar em casa, com impactos consideráveis nos merca­ do de produtos e serviços. O professor Max Lacher, da ESPM de Porto Alegre, aponta perspectivas de cres­ cimento bastante otimistas para Santa Catarina de uma forma geral. Em Porto Alegre, ele vê processos de desenvolvi­ mento diferentes, especialmente serviços. “Turismo, eventos e serviços hospitalares vêm crescendo de forma expressiva, atraindo consumidores e pacientes até de países vizinhos”, diz ele. 

BIP

5


mercado

Região Sul

Em 2012, os estados da Região Sul geraram uma receita superior a R$ 95 bilhões, equivalente a mais de um quarto da receita do agronegócio no Brasil

6

BIP

Combinando as rique A Região Sul chama a atenção de forma especial pela pujança do agronegócio. A atividade gerou R$ 43,3 bilhões em rique­ zas para o Paraná, R$ 33 bilhões para o Rio Grande do Sul e R$ 18,7 bilhões para San­ ta Catarina, mais de um quarto da receita do agronegócio no Brasil em 2012. Um agronegócio extenso, produtivo e moderno, combinado a setores industrial e de serviços maduros, altamente competiti­ vos e bem distribuídos por grandes, mé­­ dias e pequenas cidades. Equilibrando há muitas décadas estas qualidades, a econo­ mia da Região Sul do Brasil não poderia mesmo produzir outro resultado que não um mercado rico, diversificado e potente. E, mesmo assim, continua sendo um mercado rico em oportunidades. “As perspectivas de desenvolvimento no Sul são bastante grandes, principalmente porque a região associa mobilidade so­­ cial, qualidade de vida e oportunidades de alavancagem de crescimento”, diz o professor Paulo Prado, da Universidade Federal do Paraná. O Sul representa perto de 17% do consumo nacional, apesar de ter 14% da população do Brasil.

Abril / 2013 • Nº 589


zas do agronegócio às da indústria e dos serviços A região tem papel relevante na maio­ ria das culturas agrícolas. É lá que se encontra o maior estado produtor de fei­ jão, madeira, milho, frango (Paraná, para os quatro casos) e uva (Rio Grande do Sul); o primeiro e segundo estados maio­ res produtores de arroz, maçã e trigo e os três maiores produtores de fumo e suí­ nos. Além disso, a região tem produção de destaque em cana de açúcar, mandio­ ca, soja (o Paraná é o segundo maior pro­ dutor brasileiro), carne bovina e leite. A repercussão das riquezas geradas pelo agronegócio é imediata. Uruguaia­ na, no Rio Grande do Sul, por exemplo, foi o maior produtor brasileiro de arroz em 2010, tendo sido colhidas mais de 500 mil toneladas do produto. Certamente alavancada por essa conquista, registrouse na região um crescimento do poten­ cial de consumo em 2012 em relação ao ano anterior superior à média brasileira em itens como eletrodomésticos, alimen­ tação fora do lar e despesas com viagem. Neste item específico, enquanto a média de crescimento brasileira foi de 14%, na região de Uruguaiana chegou a 19%,

Abril / 2013 • Nº 589

segundo dados do IBGE e Atlas de Consu­ mo, com base no IPC Maps 2012. A indústria paranaense vem se desta­ cando, com crescimento nos últimos anos acima dos índices nacionais. Em setembro, por exemplo, o Paraná obteve o melhor desempenho do país na gera­ ção de empregos nas indústrias. Para o presidente do Instituto Parana­ ense de Desenvolvimento Econômico e Social, Gilmar Lourenço, as estatísticas confirmam o vigor do mercado. “Esses resultados são consequência da operação ativa dos complexos fabris da agroindús­ tria, metalomecânica, petroquímica e construção civil, e da continuidade do cli­ ma positivo à efetivação de negócios no Paraná, produzido a partir do início de 2011, com a intensificação do diálogo e integração entre governo e setor priva­ do”, disse ele. Enquanto isso, o valor adi­ cionado do setor de serviços do estado totalizou R$ 106,7 bilhões em 2009, com grande participação do comércio, admi­ nistração pública e atividades imobiliárias. Em Santa Catarina, tem se observado crescimento vigoroso da produção de

má­quinas e equipamentos ao longo de 2012, impulsionado especialmente pela produção de compressores usados em aparelhos de refrigeração, refrigeradores e congeladores para uso doméstico. Também a atividade industrial envolven­ do madeira, têxteis e celulose e papel vão bem. A indústria de transformação de Santa Catarina gerou 27,4 mil empre­ gos no primeiro semestre de 2012, de um total de 57,5 mil criados no estado. Foi a atividade econômica que mais ge­­ rou empregos no período. No acumula­ do do ano, isso representou uma varia­ ção de 4,22% em relação ao estoque de dezembro de 2011. No Rio Grande do Sul, os serviços já representam 65% da economia do esta­ do, com destaque para comércio e admi­ nistração pública. A indústria de transfor­ mação gaúcha está entre as primeiras do Brasil, os principais setores sendo os de produtos alimentícios, químicos, veículos automotores, máquinas e equipamentos (basicamente tratores e implementos agrícolas), de couros e calçados, de fumo e de produtos de metal. 

BIP

7


mercado

Região Sul

Cobertura no interior da Região Sudeste Cobertura da dasGlobo emissoras da Globo na Região Sul Total REGIÃO SUL Municípios cobertos: 1.155 População: 27,3 milhões Domicílios com TV: 8,6 milhões Telespectadores: 26,6 milhões IPC: 17,444 % PARANÁ

RPC TV Paranavaí

Sede: Paranavaí Domicílios com TV: 249,8 mil Telespectadores: 756,5 mil RPC TV Maringá

RPC TV Guarapuava

RBS TV Criciúma

RBS TV Santa Cruz do Sul

RPC TV Foz do Iguaçu

RBS TV Centro-Oeste

RBS TV Rio Grande

RPC TV Cascavel

RBS TV Chapecó

RBS TV Pelotas

SANTA CATARINA

RIO GRANDE DO SUL

RBS TV Bagé

RBS TV Joinville

RBS TV Passo Fundo

Sede: Guarapuava Domicílios com TV: 187,5 mil Telespectadores: 608,6 mil Sede: Foz do Iguaçu Domicílios com TV: 302,7 mil Telespectadores: 940,3 mil Sede: Cascavel Domicílios com TV: 258,9 mil Telespectadores: 783 mil

Sede: Maringá Domicílios com TV: 372,1 mil Telespectadores: 1,1 milhão

Sede: Joinville Domicílios com TV: 404,9 mil Telespectadores: 1,2 milhão

RPC TV Londrina

RBS TV Blumenau

Sede: Londrina Domicílios com TV: 470,5 mil Telespectadores: 1,4 milhão

Sede: Blumenau Domicílios com TV: 518,8 mil Telespectadores: 1,5 milhão

RPC TV Ponta Grossa

RBS TV Florianópolis

Sede: Ponta Grossa Domicílios com TV: 285 mil Telespectadores: 912,6 mil RPC TV Curitiba

Sede: Curitiba Domicílios com TV: 1,1 milhão Telespectadores: 3,4 milhões

Sede: Florianópolis Domicílios com TV: 355,6 mil Telespectadores: 1 milhão

Sede: Criciúma Domicílios com TV: 299,7 mil Telespectadores: 901,7 mil Sede: Joaçaba Domicílios com TV: 216,9 mil Telespectadores: 667,9 mil Sede: Chapecó Domicílios com TV: 271,5 mil Telespectadores: 836,5 mil

Sede: Passo Fundo Domicílios com TV: 256 mil Telespectadores: 764,1 mil RBS TV Erechim

Sede: Erechim Domicílios com TV: 91,3 mil Telespectadores: 269,7 mil RBS TV Caxias do Sul

Sede: Caxias do Sul Domicílios com TV: 367,7 mil Telespectadores: 1 milhão RBS TV Porto Alegre

Sede: Porto Alegre Domicílios com TV: 1,5 milhão Telespectadores: 4,5 milhões

No site da Direção Geral de Comercialização, você encontra informações sobre a programação local das emissoras da Rede Globo na Região Sul

8

BIP

Fonte: Atlas de Cobertura da Rede Globo, março de 2013

Sede: Santa Cruz do Sul Domicílios com TV: 287,1 mil Telespectadores: 837,7 mil Sede: Rio Grande Domicílios com TV: 75,2 mil Telespectadores: 217,1 mil Sede: Pelotas Domicílios com TV: 232 mil Telespectadores: 676 mil Sede: Bagé Domicílios com TV: 87,8 mil Telespectadores: 262,9 mil RBS TV Santa Maria

Sede: Santa Cruz Domicílios com TV: 225,8 mil Telespectadores: 663,9 mil RBS TV Uruguaiana

Sede: Uruguaiana Domicílios com TV: 104 mil Telespectadores: 329,5 mil RBS TV Santa Rosa

Sede: Santa Rosa Domicílios com TV: 194,8 mil Telespectadores: 572,4 mil RBS TV Cruz Alta

Sede: Cruz Alta Domicílios com TV: 103,5 mil Telespectadores: 302,3 mil

Abril / 2013 • Nº 589


TV

NEGÓCIOS

o Dentista Mascarado

Série estreia em 5 de abril

Abril / 2013 • Nº 589

O

Dentista Mascarado, que marca a estreia de Marcelo Adnet na Globo, vai ao ar nas noites de sexta-feira, no Show de Sexta-feira II, após Globo Repórter, a partir de 5 de abril. Escrita por Fernanda Young e Alexandre Machado e dirigida por José Alvarenga Jr., a série narra as aventuras do Dr. Paladino – personagem de Adnet – que, de dia, é um competente, ainda que atrapalhado dentista e, à noite, se torna um super-herói que combate o crime. É que quan­ do decidiu tornar-se dentista, Paladino

quebrou uma longa tradição familiar de seguir carreira na polícia e decepcionou seu pai, vivido por Otávio Augusto, um lendário delegado de polícia. No elenco, presença de Taís Araújo, Leandro Hassum, Helena Fernandes e Diogo Vilela. 

Consulte o Atendimento Comercial da Rede Globo para mais informações

BIP

9


TV

NEgóCIOS

Stock Car 2013

Um projeto completo de comunicação A temporada 2013 da principal categoria do automobilismo brasileiro já começou, com provas disputadas em Interlagos e Curitiba

N

Evolução do Alcance Individual – Projeto Stock Car 2012

10ª Etapa

122.380

9ª Etapa

119.290

111.696

8ª Etapa

153.181

151.012

108.606

7ª Etapa

115.686

104.781

6ª Etapa

148.658

144.152

142.185

5ª Etapa

94.851

4ª Etapa

82.420

3ª Etapa

71.166

59.985

42.571 2ª Etapa

125.782

115.760

105.406

86.079

1ª Etapa

134.847

Alcance Eficaz

145.936

Alcance

27.841

10 BIP

to com a aquisição de propriedades de arena e promocionais em todas as eta­ pas da temporada, ampliando a visibilida­ de no vídeo e a penetração junto ao pú­ blico presente nos autódromos.

meio de matérias, entrevistas, vídeos, ta­ bela de resultados e informações deta­ lhadas sobre as provas e pilotos. Além disso, o patrocinador da Stock Car 2013 poderá ampliar seu envolvimen­

68.260

os próximos meses, a Stock Car passará por importantes cidades do Brasil: Salvador, Brasília, Cas­ cavel, Ribeirão Preto, Nova Santa Rita, Viamão (Tarumã) e Goiânia. O encer­ ramento da temporada será em 15 de dezembro, em Interlagos, com a Prova do Milhão. Para acompanhar todas as emoções da Stock Car, a Rede Globo preparou um am­ plo plano de mídia para os patrocinado­ res. Serão três transmissões ao vivo de corridas e mais oito compactos dentro do Esporte Espetacular, cobertura no Globo Esporte e no Jornal da Globo, chamadas de transmissão nacional, chamadas locais de público em todas as etapas e cobertu­ ra no Praça TV 1ª edição na semana das etapas de São Paulo e Brasília. O Globoesporte.com também está pre­ sente na Stock Car 2013 com uma seção exclusiva, onde o público fica por dentro de tudo o que acontece no evento, por

11ª Etapa

12ª Etapa

Fonte: Ibope MediaWorkstation – Dados Individuais, base PNT

ABRIL / 2013 • Nº 589


VÔlEI 2013 & GlObO

Uma parceria vitoriosa

O Consulte o Atendimento Comercial da Rede Globo e saiba mais sobre as oportunidades comerciais da Stock Car 2013

Perfil qualificado O público que acompanha as transmissões da Stock Car na Globo tem perfil altamente qualificado – 87% são das classes ABC -, jovem – 70% têm até 49 anos – e com ligeira predominância masculina – 56% são homens, acima de quatro anos de idade. O Alcance Individual do projeto Stock Car 2012 superou 153,1 milhões de telespectadores. Já o Alcance Eficaz Individual representou mais de 122 milhões de telespectadores impactados no mínimo três vezes pelas marcas dos patrocinadores. O Alcance Domiciliar Individual do projeto Stock Car 2012 foi de 96%, o que representou mais de 53,1 milhões de domicílios impactados. Já o Alcance Domiciliar Eficaz Individual foi de 90%, o que representou mais de 49,5 milhões de domicílios impactados no mínimo três vezes pelas marcas dos patrocinadores. Em todos os casos, as informações são do Ibope MediaWorkstation, dados Individuais, base PNT.

ABRIL / 2013 • Nº 589

vôlei é um dos esportes que mais trouxe vitórias para o Brasil. Desde 1997, as seleções masculinas e femininas adultas e de base, de quadra e de areia, conquistaram nada menos do que 239 medalhas em competições internacionais de alto nível, 141 delas de ouro, incluindo quatro em Olimpíadas. É natural, portanto, que o esporte tenha conquistado um lugar todo especial no coração do público: segundo dados do Ibope, nos últimos doze meses 38 milhões de brasileiros acompanharam, ao vivo ou pela TV, jogos de vôlei ou praticaram o esporte. Os ídolos – homens e mulheres – se sucedem, as disputas são cada vez mais ele­ trizantes, os desafios se renovam. O vôlei brasileiro tornou­se sinôni­ mo de competência, talento, seriedade e, principalmente, vitórias. E deve continuar assim. A Globo é parceira do vôlei desde a década de 70 e, no ano passado, tornou­se agência de marketing da Confederação Brasileira de Vôlei. Agora, além da comercialização do patrocínio de mídia, a Globo é a responsá­ vel pelo plano de Patrocínio das Propriedades de Marketing do Vôlei Brasileiro, que oferece uma série de oportunidades para dois produtos: as Seleções brasileiras de vôlei de quadra e praia e a Superliga, o principal campeonato nacio­ nal de clubes e um dos melhores do mundo. As oportunidades comerciais são inúmeras. Consulte o Atendimento Comercial da Rede Globo para saber mais sobre elas.

Sucesso de audiência As transmissões do Vôlei 2012 pela Globo proporcionaram um alcance de aproximadamente 144 milhões de pessoas, graças à horizontalidade do projeto e ao grande número de inserções do esquema comercial. As transmissões de jogos ao vivo foram vistas, em média, por cerca de 6 milhões de pessoas, segundo dados do Ibope.

BIP 11


TV

NEgóCIOS CAMPANHAS DE VÍDEO

Uma oportunidade diferenciada pa Lançadas na edição 2012 da Feira de Eventos e Projetos Regionais, as Campanhas de Vídeo oferecem uma oportunidade diferenciada para anunciantes de todos os setores aproximarem de maneira econômica e eficaz as suas marcas do público das 122 emissoras da Rede Globo

A

s Campanhas de Vídeo incluem, além das Datas Promocionais já bem conhecidas, filmes com te­ mas como sustentabilidade, edu­ cação, cidadania, decoração, saúde, bele­ za e gastronomia. Em todos os casos, foram produzidos filmes de forte apelo junto ao grande público, nos quais foi reservado espaço para a assinatura do patrocinador, que pode adquirir a campa­ nha apenas nos mercados da sua conveni­ ência. Conheça alguns dos diferenciais das Campanhas de Vídeo: • o patrocinador não paga pela produção do vídeo; • ele tem direito de exclusividade dos vídeos nos mercados adquiridos; • as campanhas são válidas em qualquer uma das 122 emissoras da Rede Globo; • as campanhas abrangem temas de utili­ dade pública e prestação de serviço para o telespectador.

Conheça, agora, os temas das Campanhas de Vídeo já disponíveis:

Amamentação O Brasil tem aproximadamente 2,5 milhões de mulheres que deram à luz nos últimos doze meses. 12 BIP

Bê-a-bá do Bebê São três vídeos: posição para dormir, choro e higiene.

Cidadania no Trânsito Dois vídeos compõem este tema: faixa de pedestres e corredor de ônibus.

Cuidados com a Pele Você pode falar com 57 milhões de brasileiros que compram produtos para a pele frequentemente, segundo dados do Ibope.

Cuidados no Lar Uma campanha com dois vídeos cuja preocupação principal é evitar acidentes domésticos. ABRIL / 2013 • Nº 589


ra anunciantes de todos os setores

Decore Fácil Segundo o Ibope, 62 milhões de brasileiros são consumidores potenciais do segmento de decoração.

Encanto Feminino De um jeito poético e delicado, este vídeo incentiva a mulher a procurar sua beleza e valorizar seu encanto.

Meu Amigo de Estimação Dicas para quem já tem ou quer ter um animal em casa.

De Malas Prontas Dicas valiosas para um número cada vez maior de pessoas que viajam e passeiam.

Exercite-se Um vídeo que incentiva pessoas de todas as idades a trocar o elevador pela escada, caminhar, andar de bicicleta etc.

O Brasil Acredita no Agronegócio Dois vídeos destacam as realizações e a importância da atividade para o país.

Economia Todo Dia Uma campanha concebida para estimular a economia cotidiana de água.

Leitura para Todos A campanha visa despertar e estimular o interesse das pessoas, adultos e crianças, pelos livros.

Que Planeta É Esse? São dois vídeos que têm por objetivo inserir no dia a dia das pessoas atitudes que ajudem a preservar o planeta.

Eles na Cozinha Com uma linguagem alegre, três vídeos ajudam os homens a preparar pratos simples e populares.

Manutenção do Carro Orientação direta sobre os cuidados com o automóvel, de forma a reduzir os riscos de acidentes.

Todo Brasileiro Tem o Pé na Terra Dois vídeos destacam a ligação de cada um com o campo.

ABRIL / 2013 • Nº 589

BIP 13


TV

NEGÓCIOS CASES

EXPORTAÇÕES SE TORNARAM boa FONTE DE RECEITA com GLOBO INTERNACIONAL Atlantica Maq está tirando proveito do aquecimento da construção civil e tornando possível o surgimento de novas empresas

O

bom momento da construção civil no país, principalmente no segmento residencial, tem gera­ do inúmeros desdobramentos. Um deles é a fortíssima demanda por ma­­ teriais de construção. De olho nesse mercado potencial, a Atlantica Maq, uma empresa com mais de 40 anos de tradição na fabricação de equipamentos para a produção de maté­ rias de construção – blocos, pisos etc. –, decidiu investir na divulgação da sua linha de máquinas para a produção de blocos de concreto. “É uma boa oportuni­ dades para quem quer se tornar empre­ sário”, garante Antônio Carneiro, sócio da empresa e responsável pela área técnica da Atlantica Maq. “É possível montar uma empresa com investimento a partir de R$ 20 mil, com um galpão de 500 metros quadrados. E a demanda por blocos de concreto é enorme, havendo ca­­sos em que as construtoras compram antecipa­ damente toda a produção da empresa, de forma a garantir que as obras não parem por falta de material.” Parceiro da Rede Globo há seis anos,

14 BIP

Antônio divulga seus produtos nos inter­ valos de Pequenas Empresas, Grandes Negócios, mas seu lance mais ousado foi ter investido também na programação da Globo Internacional. Resultado: a Atlantica Maq se tornou uma forte exportadora de equipamentos para a produção de blocos para países como Estados Unidos, Mo­­ çambique e Angola. “Hoje, o forte das vendas de máquinas de blocos é para o exterior, chegando a 80% dos negócios. Já tivemos meses com metade das recei­ tas da empresa como um todo vinda de exportações”, comemora ele. “Já registra­ mos vendas para mais de 40 países.” As compras nos países cobertos pela Globo Internacional vêm tanto de brasi­ leiros que querem vender os blocos nos países onde residem atualmente, quanto daqueles que, mesmo morando no exte­ rior, decidem investir em negócios no Brasil, geralmente tocados por familiares. Na África, Antônio também registra mui­ tos negócios com cidadãos do próprio país, já que a programação da Globo Internacional tem grande audiência. A parceria com a Globo é considerada

A Globo Internacional nos dá credibilidade e ajuda muito a fixar nossa marca” Antônio, da Atlantica Maq

fundamental por Antônio. “Ela nos dá cre­ dibilidade e ajuda muito a fixar nossa mar­ ca”, diz ele. “Nas nossas campanhas, o foco principal é sempre divulgar nossa mar­ ca”, explica Antônio. “Temos sido bem-su­­ cedidos: quando o cliente pensar em má­­ quina de bloco, pensa em Atlantica Maq.” Ele insere as mensagens da sua empresa nos sinais América, Europa e África, em programas como Caldeirão do Huck, Jornal Nacional e linha de novelas.

Abril / 2013 • Nº 589


TV

NEGÓCIOS Cases

ANÚNCIO NO CAPÍTULO FINAL DA NOVELA III ZERA ESTOQUES EM PRAZO RECORDE Construtora Lincoln Veloso vendeu todos os apartamentos em dois dias. Telefones e acessos ao site dispararam tão logo comercial foi ao ar

E

m outubro de 2012, a Construtora Lincoln Veloso ultimava o lança­ mento da se­­gunda fase do Em­­ preendimento Aspen, em Belo Ho­­­rizonte, e pesquisava alternativas para divulgá-lo junto ao seu público-alvo: famí­ lias interessadas na compra de um imóvel de dois quartos, com lazer completo, de alta qualidade, preço acessível e próximo ao centro da capital. A opção escolhida foi concentrar a cam­ panha no último capítulo de Avenida Bra­ sil, exibido na sexta-feira, 19 de outubro, uma semana antes do lançamento do empreendimento. Os resultados não po­­ deriam ter sido melhores: em dois dias, todas as unidades haviam sido comerciali­ zadas. “Era uma oportunidade imperdível, já que a novela apresentava elevados índi­ ces de audiência, e o último capítulo era aguardado com ansiedade pelo telespec­ tador”, relata Vinícius Penido, gerente comercial da Construtora. Nos escritórios da empresa, uma estru­ tura diferenciada foi montada, com telão para que os corretores pudessem assistir ao último capítulo e atender às ligações telefônicas. “O comercial foi ao ar logo no primeiro intervalo da novela – e o tele­ fone não parou mais de tocar. Foram aproximadamente 200 ligações e mais de mil acessos ao site da empresa, somente na noite do anúncio”, conta Vinícius. “O Abril / 2013 • Nº 589

Foram aproximadamente 200 ligações e mais de mil acessos ao site da empresa somente na noite do anúncio” Vinícius, da Lincoln Veloso

efeito residual foi bastante forte: recebe­ mos ligações durante toda a semana e nosso site teve cada vez mais acessos de pessoas que agendaram uma visita. A relação custo-benefício foi muito boa”, garante ele. “O investimento foi baixo comparado ao potencial que o empreen­ dimento oferecia.” A peça publicitária, criada pela Sofia Comunicação, também foi diferente do habitual para o setor, não mostrando ima­ gens do empreendimento. O comercial foi produzido em lettering, com informa­ ções sobre a faixa de renda exigida e a promoção: as 50 primeiras pessoas que ligasse, ganhariam um desconto na com­

pra do apartamento. “O resultado foi tão bom que estendemos o desconto a todos os compradores”, lembra Vinícius. Para ele, o comercial em Avenida Brasil foi uma decisão ousada e que deu certo devido à força da Globo e da marca Lincoln Veloso. “Tivemos um ganho de valor por anunciarmos na Globo, veículo que tem uma abrangência muito grande. Por essa combinação, conseguimos atin­ gir o resultado esperado. Mas a velocida­ de na resposta nos surpreendeu.” A Construtora Lincoln Veloso foi funda­ da em 1975 e já entregou mais de 300 obras residenciais, comerciais e indus­ triais em 44 municípios de seis estados. BIP 15


TV

NEGÓCIOS

DATAS PROMOCIONAIS

Dia das Mães & Dia dos Namorados As emissoras da Rede Globo disponibilizam duas Datas Promocionais que movimentam o comércio em todo o país: Dia das Mães e Dia dos Namorados, a serem comemorados respectivamente em 12 de maio e 12 de junho

E

m ambos os casos, filmes de grande qualidade técnica e apelo ao consumidor já foram produzi­ dos, reservando em seu final es­­ paço para a assinatura de anunciantes de todo o país, interessados em associar as suas marcas a essas datas. O plano de inserções é definido caso a caso, o anun­ ciante podendo patrocinar a data apenas nos mercados do seu interesse e nego­ ciando o período exato de veiculação da mensagem.

DIA DAS MÃES O filme é uma homenagem à principal responsável pela constituição da família, com um agradecimento carinhoso por toda a atenção e amor que as mães dedicam aos seus filhos, de todas as idades. DIA DOS NAMORADOS A data é cercada de romance. Os casais apaixonados de todas as idades encontram em 12 de junho uma oportunidade para expressar o sentimento pela pessoa ama­ da, com troca de presentes, mensagens e flores. O filme desenvolvido pela Globo para essa data valoriza as sensações e os sentimentos proporcionados por uma rela­ ção feliz.

16 BIP

Veja os filmes comemorativos para essas e outras Datas Promocionais no site comercial.redeglobo.com.br, em Projetos Comerciais

Abril / 2013 • Nº 589


Globo Rural Diário

REFERÊNCIA DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

A

partir das 6 horas, de segunda a sextafeira, o Globo Rural Diário traz infor­ mações sobre as notícias mais impor­ tantes do agronegócio. São quase 3,5 mi­­lhões de telespectadores diariamente, liga­ dos em preços e cotações, política agrícola, pre­ visão de tempo, destaques e curiosidades sobre diversas culturas. Segundo dados do Ibope, 81% do público do programa integra as classes ABC e 77% têm 25 ou mais anos de idade. O programa está no ar desde 2000, é apresen­ tado por Ana Paula Campos e é um desdobra­ mento do grande sucesso da edição de domin­ go, uma referência de qualidade em jornalismo no Brasil e no exterior, tendo se tornado o canal de comunicação que mantém milhões de teles­ pectadores informados sobre as notícias do agro­ negócio.

Abril / 2013 • Nº 589

Consulte o Atendimento Comercial da Rede Globo para mais informações

BIP 17


TV

NEGÓCIOS

NAS NOITES DE QUINTA-FEIRA

Vem aí a nova temporada de

Globo Mar A nova temporada do Globo Mar estreia dia 4 de abril, quinta-feira, após o Show de Quinta-feira II, e traz, como uma das suas novidades, reportagens gravadas no exterior

18 BIP

Á

frica, Noruega, Chile e Portugal são temas de alguns dos progra­ mas, mas sempre tendo ligação com o Brasil. Será refeita, por exemplo, a travessia do cabo das Tor­ mentas, com uma visita a escola de Sagres, berço dos grandes navegadores. Na Noruega, os repórteres Ernesto Paglia e Poliana Abritta acompanham a pesca do bacalhau e, no Chile, a do salmão. No Brasil, Globo Mar mostrará os limites do país, do Oiapoque ao Chuí.

Globo Mar tem uma cota de patrocínio em mercado nacional. Consulte o Atendimento Comercial da Rede Globo para mais informações

Abril / 2013 • Nº 589


POR DENTRO DA GLOBO PROGRAMAÇÃO

SANGUE BOM

J

A nova Novela II é ambientada em São Paulo

ovem, romântica e bem-humorada, Sangue Bom, a nova Novela II, transitará nas colunas sociais e na selva artística paulistana, tendo como fio con­ dutor as paixões e ambições de Bento (Marco Pigossi), Amora (Sophie Charlotte), Malu (Fernanda Vasconcellos) e Fabinho (Humberto Carrão). Nessa comédia urbana e contemporânea, todos têm razões para ser como são, acham que estão certos e farão de tudo para modificar uns aos outros. A lição principal a ser mostrada é que a felicidade não se com­ pra e que quem nasceu para ser feliz, assim será, não importa quão adversas sejam as condições. A trama de Sangue Bom é assinada por Maria Adelaide Amaral, com direção geral de Dennis Carvalho. No elenco, presença de Daniel Dantas, Louise Cardoso, Giulia Gam, Regiane Alves, Malu Mader, Jayme Matarazzo, Noemi Marinho, Herson Capri, Isabelle Drumond, Ellen Roche, Marisa Orth, Débora Evelyn, Felipe Camargo, Letícia Sabatella e Marcos Ricca, entre outros. Abril / 2013 • Nº 589

Consulte o Atendimento Comercial da Rede Globo e conheça todas as oportunidades comerciais da Novela II

BIP 19


POR DENTRO DA GLOBO PROGRAMAÇÃO

20 BIP

Abril / 2013 • Nº 589


FLOR DO CARIBE A nova Novela I

As belas dunas, salinas e praias do Rio Grande do Norte e cenários exóticos da América Central são os ambientes de Flor do Caribe, a nova novela das 18h da Globo

A

trama mostra a história de dois amigos de infância, Cassiano (Henri Castelli) e Alberto (Igor Rickli), que vão disputar o amor da mesma mulher, Ester (Grazi Massafera). Tudo se passa na fictícia Vila dos Ventos, uma pequena cidade praiana do Rio Grande do Norte, trazendo para a histó­ ria o calor, a sonoridade, as cores e a sensualidade das ilhas caribenhas. A novela tem a assinatura de Walter Negrão e a direção de Jayme Monjardim, que trabalharam juntos em A Casa das Sete Mulheres. No elenco, Sérgio Mamberti, César Trancoso, Juca de Oliveira, Ângela Vieira, Thiago Martins, Débora Nascimento, Bruno Gissoni, Daniela Escobar, José Loretto, Thaíssa Carvalho, Bete Mendes, Laura Cardoso, Rita Guedes e Sthefany Brito, entre outros.

Consulte o Atendimento Comercial da Globo para conhecer todas as oportunidades comerciais da Novela I ABRIL / 2013 • Nº 589

BIP 21


POR DENTRO DA GLOBO Notas

Vem aí a segunda edição de The Voice Brasil Talentos do Brasil e até do exterior já podem se inscrever para as seletivas da segunda edição de The Voice Brasil. Mais uma vez, quatro jurados terão a missão de descobrir, treinar e fazer brilhar uma nova voz que encante o público. O processo seletivo para participar do programa envolve uma triagem inicial e audições regionais em Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Natal e Recife. Para se inscrever, o candidato deve

gravar um vídeo de até cinco minutos com breve apresentação pessoal e a interpretação de uma música em qualquer idioma. O material de inscrição pode ser enviado via internet (www.globo.com/thevoicebrasil) ou para a Caixa Postal 70624, Cep 22740-970 – Rio de Janeiro/RJ. Podem participar candidatos individuais ou duplas. Todos devem ter 18 anos completos até 18 de abril de 2013. O vencedor do programa ganhará um prêmio R$ 500 mil e um álbum gravado pela Universal Music. The Voice Brasil tem direção de núcleo de Boninho e direção geral de Carlos Magalhães.

Malhação e Amor Eterno Amor são finalistas do Emmy Internacional Digital A Globo foi indicada ao prêmio Emmy Internacional Digital em duas categorias: programas de conteúdo infantojuvenil com a “TV Orelha", de Malhação, e programas de ficção com a websérie “Repórter Investigativo”, da novela Amor Eterno Amor. Dez países concorrem ao prêmio, que será entregue no dia 8 de abril, em Cannes, na França. O Emmy Internacional Digital contempla a melhor programação do mundo desenhada especificamente para plataformas digitais. 

22 BIP

A “TV Orelha”, que permanece no ar, é um canal do site de Malhação que apresenta vídeos exclusivos para a internet, cujas situações aparecem em trechos e sob outros ângulos na TV, em que o personagem Orelha (David Lucas) se grava usando as webcams do seu computador, narrando acontecimentos do capítulo do dia, sempre com sua perspectiva cômica, irreverente e adolescente. Nessa categoria, de programas com conteúdo infantojuvenil, a Globo concorre com produtos da Alemanha, Austrália e Kenya. Já a série “Repórter Investigativo”, da novela Amor Eterno Amor, no ar de março a setembro de 2012, foi a primeira websérie documental

realizada como ação transmídia em novelas da Globo. Na forma de falso documentário, a série contou em três episódios exibidos no site da novela o mistério do desaparecimento do protagonista Rodrigo (Gabriel Braga Nunes), sequestrado quando criança, além de mostrar o retrato falado de Elisa (Mayana Neiva), amor de infância de Rodrigo, que também teria desaparecido. Após a exibição da websérie, os telespectadores puderam acompanhar, pela TV, Rodrigo espalhando cartazes com o mesmo retrato falado utilizado na internet. Nessa categoria, intitulada programas de ficção, a Globo concorre com ações da Bélgica e do Canadá.

Abril / 2013 • Nº 589


PLIM-PLIM

CENAS QUE MARCARAM A HISTÓRIA DA TV NO BRASIL Arquivo CGCOM

A CASA DAS SETE MULHERES Exibida em 2003, a minissérie A Casa das Sete Mulheres abordou o papel das mulheres nos bastidores da revolta conhecida como a Guerra dos Farrapos. Na foto, o italiano Giuseppe Garibaldi (Thiago Lacerda) cavalga ao lado de Anita (Giovanna Antonelli), uma mulher casada que, ao se apaixonar por Garibaldi, abandona o marido para juntar-se aos revolucionários.

Abril / 2013 • Nº 589

BIP 23


BIP589  

Revista BIP 589

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you