Issuu on Google+

BOLETIM DE INFORMAÇÃO PARA PUBLICITÁRIOS comercial.redeglobo.com.br Outubro de 2012 | n. 587

O SALTO DE DESENVOLVIMENTO DO

CENTROOESTE

O agronegócio, as indústrias e os serviços avançam rápido e estão mudando a face da região

AS NOVAS ATRAÇÕES DA LINHA DE SHOWS DA GLOBO


NESTA EDIÇÃO

MERCADO

3

Centro-oeste O crescimento das indústrias e dos serviços estão mudando a face da região do agronegócio

TV Negócios

9

ROCK IN RIO 2013 As oportunidades comerciais nas transmissões do maior festival de música do mundo

10

LINHA DE SHOWS Confira as novas atrações, que entram no ar no final de outubro

14

GUERRA DOS SEXOS Os bem-humorados conflitos entre homens e mulheres na nova Novela II

15

NBB Quinta temporada do Novo Basquete Brasil começa em novembro

16

BOLETIM DE INFORMAÇÃO PARA PUBLICITÁRIOS Publicação da Direção Geral de Comercialização da Rede Globo Produzido para a Central Globo de Marketing pela Porto Palavra Editores Associados Diretores responsáveis Anco Márcio Saraiva Ricardo Esturaro Jornalista responsável Mônica Oliveira Projeto gráfico Sérgio Brito Fotos CGCOM Desktop Conexão Brasil

Para mais informações, visite o site da Direção Geral de Comercialização

comercial.redeglobo.com.br Assinaturas: bip@tvglobo.com.br

Cases IAP! Cosméticos e ABAC

POR DENTRO DA GLOBO

18 20 22 23 2

BIP

SALVE JORGE A nova Novela III PROFISSIONAIS DO ANO ® Confira os ganhadores de mais duas regiões Notas AutoEsporte, o mascote da Copa e Brazilian Day Plim Plim Cenas que marcaram a história da TV no Brasil

Outubro / 2012 • Nº 587


mercado

O salto de desenvolvimento do

Centro-Oeste

O agronegócio segue crescendo em ritmo acelerado, mas as indústrias e os serviços avançam rápido e estão transformando a região

A

riqueza dos estados do CentroOeste começa no agronegócio e, agora, se espalha cada vez mais pelos avanços da indústria e dos serviços, fazendo com que os níveis de consumo na região deem saltos em volume e qualidade. A cidade de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, localizada bem próxima à divisa do estado com São Paulo, Minas e Goiás, é um bom exemplo do que está acontecendo com a economia da Região CentroOeste. Até uns vinte anos atrás, aproximadamente, a cidade era reconhecida só pela sua pecuária bovina: um rebanho com mais de 1 milhão de cabeças dava a Outubro / 2012 • Nº 587

Três Lagoas a condição de uns dos maiores centros da atividade do país. Em novembro, porém, a cidade ganhará outro título, igualmente nobre: a de cidade com a maior capacidade no mundo de produção de celulose, a matéria-prima do papel, graças à inauguração de uma fábrica capaz de produzir 3 milhões de toneladas do produto por ano, depois de um investimento de mais de R$ 6 bilhões. Outra grande fábrica de celulose do município começou a operar em 2009 e já produz 1,3 milhão de toneladas por ano. O parque industrial de Três Lagoas já conta ou passará a contar em breve com fábricas de biodiesel, aço e fertilizantes,

com investimentos totais nestes projetos que ultrapassam R$ 15 bilhões. Tamanha explosão industrial repercute intensamente no comércio e prestação de serviços locais, que atrai concessionárias de veículos, supermercados, lojas de eletrodomésticos e construtoras de shoppings e residências, entre outros segmentos. “É um momento muito especial, de grandes oportunidades, que tem como pano de fundo a conjuntura favorável à expansão das commodities agropecuárias – carne e grãos, basicamente”, diz Paulo Borges Campos Júnior, economista pela Uni­ versidade Federal de Goiás, professor e consultor. “É também um momento de BIP

3


mercado

Centro-Oeste

Expansão da classe média A conjunção de fatores mais do que favoráveis, mesmo diante do excelente momento da economia brasileira, faz com que o Centro-Oeste se destaque. A mais recente rodada do Índice de Atividade Econômica, produzido pelo Banco Central, por exemplo, dá conta de um crescimento dos estados do Centro-Oeste da ordem de 5,9% no período de junho de 2011 a maio de 2012. No mesmo intervalo de tempo, a Região Sul cresceu 4,4% e o Nordeste, 4,2%. A soma de boas notícias projetou a economia da região no mercado brasileiro.

Entre 2002 e 2009, a participação do PIB do Centro-Oeste no PIB do país foi a que mais cresceu, passando de 8,8% para 9,6%. No primeiro trimestre deste ano, o PIB de Goiás cresceu 6,6% ante 0,8% do Brasil como um todo. “A economia do Centro-Oeste se descola neste momento do resto do país porque ela atende a necessidades prementes, de alimentos e energia, do resto do mundo”, diz Paulo Borges Campos Júnior. “A dinâmica da região é diferente da de outras regiões, mais ligadas a bens de consumo. No passado, havia uma relação muito for-

te entre os estados do Centro-Oeste e os do Sudeste. Hoje, isso mudou. As grandes empresas produtoras de alimentos estão na região, se aproximando das suas fontes de matéria-prima. A localização do CentroOeste privilegia a sua inter-relação com as demais regiões”, diz ele, frisando a urgência de investimentos em infraestrutura. O bom momento da economia local reforçou a tendência de crescimento da chamada nova classe média. Pesquisa da Kantar Worldpanel já havia indicado recorde na expansão dos volumes de compras e gastos com alimentos, bebidas, artigos

O potencial de consumo da Região Centro-Oeste Evolução do consumo na região Em 250

Consumo de alguns segmentos de produtos e serviços na região

R$ bilhões

230,3

200

133,4

150 100 50 0

56,5 2002

60,1 2004

167,6

88,1

2006

2008

2010

2012

Em R$ bilhões Manutenção do lar

55,8

Alimentação no domicílio

19,3

Gastos com veículo próprio

12,9

Alimentação fora do domicílio

9,4

Vestuário confeccionado

6,3

Fonte: Atlas de Consumo – CGM/DIM (Base: estimativa de consumo e população – IPC Maps 2012)

4

BIP

Outubro / 2012 • Nº 587


de higiene e limpeza e outros bens não duráveis nos estados do Centro-Oeste em relação às demais regiões em 2010 ante o resultado do ano anterior. O dado mais recente desta pesquisa, comparando os primeiros semestres de 2011 e 2012, indica retração no volume de compras na Região Centro-Oeste, da ordem de 4%. No entanto, quando o parâmetro é valor gasto pelo consumidor, observa-se um crescimento de 4%. O ticket médio constatado na pesquisa é o segundo mais alto do Brasil.

A região vive um momento muito especial, de grande oportunidades, que tem como pano de fundo a conjuntura favorável à expansão das commodities Outubro / 2012 • Nº 587

grandes desafios, pois é urgente reforçar a infraestrutura da região, facilitando a ma­nutenção do crescimento.” O desenvolvimento acelerado vai se desdobrando de forma natural. Empresas de todos os setores disputam a atenção dos consumidores, que viram o salário médio industrial na cidade de Três Lagoas – e o mesmo raciocínio vale para toda a região – crescer 110% entre 2006 e 2010, segundo cálculos da Federação das In­dústrias do Mato Grosso do Sul, Fiems. O presidente da entidade, Sérgio Mar­ colino Longen, enumera outros polos industriais no estado: na região norte, concentram-se indústrias de cerâmica e frigoríficos; na região oeste, mineradoras e siderúrgicas; na região central, indústrias de alimentos e bebidas, bem como vestuá­ rio e têxtil, sendo este o maior polo industrial do estado, com 3,6 mil empresas, que empregam 46 mil trabalhadores e exportam US$ 450 milhões; na região da Grande Dourados fica o polo sucroenergético e de alimentos e bebidas, enquanto na região leste, onde fica Três Lagoas, além das já citadas, há indústrias de brinquedos, colchões etc. “Vivemos um ciclo de crescimento acelerado, de mudança de patamar”, diz Sérgio. Ele prevê o surgimento de um novo e importante polo industrial

em Bataguassu. Hoje parte da região leste, pode vir a se tornar uma grande área de exportação com a implantação de uma Zona de Processamento de Exportação. “Assim, o município terá um diferencial para atrair novas empresas para Mato Grosso do Sul, reforçando o desenvolvimento da região”, diz Sérgio. FÁBRICA DE AVIÕES Situações como a de Três Lagoas podem ser observadas também em Goiás. Lá, no primeiro semestre, segundo dados do IBGE, a atividade industrial alcançou o melhor desempenho do país, com uma expansão de 9,2%. Em Anápolis, por exemplo, a prefeitura local informa que estão sendo iniciadas as obras de uma fábrica de aviões de origem holandesa, enquanto uma empresa chinesa tem planos para investir R$ 500 milhões na construção de uma unidade de montagem de carros. Previstas também a inauguração na cidade de unidades de grandes redes nacionais de varejo e empreendimentos residenciais. Outras distinções da atividade em Goiás: o estado tem a maior indústria de proteína animal do mundo, é o segundo maior polo produtor de etanol do planeta e segundo maior polo farmacêutico do Bra-

BIP

5


mercado

Centro-Oeste

A cobertura das 16 emissoras da Globo no Centro-Oeste Total CENTRO-OESTE Municípios cobertos: 408 População: 13,9 milhões Domicílios com TV: 4,1 milhões Telespectadores: 13,4 milhões IPC: 8,452%

DISTRITO FEDERAL

MATO GROSSO DO SUL

• TV Globo Brasília

• TV Morena Corumbá

Sede: Brasília Domicílios com TV: 835 mil Telespectadores: 2,780 milhões

Sede: Corumbá Domicílios com TV: 32 mil Telespectadores: 120,4 mil

MATO GROSSO

• TV Morena Ponta Porã

•T  V Centro América Tangará da Serra

Sede: Ponta Porã Domicílios com TV: 312,9 mil Telespectadores: 1,011 milhão

Sede: Tangará da Serra Domicílios com TV: 25,5 mil Telespectadores: 82,7 mil •T  V Centro América Sinop

Sede: Sinop Domicílios com TV: 34,6 mil Telespectadores: 114,5 mil •T  V Centro América Cuiabá

Sede: Cuiabá Domicílios com TV: 715,5 mil Telespectadores: 2,383 milhões Esta é a terceira de uma série de matérias sobre o cenário econômico nas cinco regiões brasileiras. Veja as matérias sobre o Nordeste e Norte no site da Direção Geral de Comercialização. 6

BIP

•T  V Centro América Rondonópolis

Sede: Rondonópolis Domicílios com TV: 61,3 mil Telespectadores: 194,2 mil

•T  V Morena Campo Grande

Sede: Campo Grande Domicíclios com TV: 398,4 mil Telespectadores: 1,260 mil GOIÁS • TV Rio do Ouro

Sede: Porangatu Domicílios com TV: 66,3 mil Telespectadores: 211,7 mil • TV Anhanguera Goiânia

Sede: Goiânia Domicílios com TV: 863,4 mil Telespectadores: 2,706 milhões

No site da Direção Geral de Comercialização, você encontra informações sobre a programação local das emissoras da Rede Globo no Centro-Oeste.

• TV Riviera

Sede: Rio Verde Domicílios com TV: 123,9 mil Telespectadores: 389,9 mil • TV Rio Claro

Sede: Jataí Domicílios com TV: 51,2 mil Telespectadores: 164,8 mil • TV Rio Paranaíba

Sede: Itumbiara Domicílios com TV: 105,3 mil Telespectadores: 317,3 mil • TV Pirapitinga

Sede: Catalão Domicílios com TV: 57 mil Telespectadores: 175,4 mil • TV Tocantins

Sede: Anápolis Domicílios com TV: 240,5 mil Telespectadores: 772,6 mil • TV Rio Vermelho

Sede: Luziânia Domicílios com TV: 221,8 mil Telespectadores: 775,9 mil

Fonte: Atlas de Cobertura da Rede Globo, outubro de 2012 Outubro / 2012 • Nº 587


sil. “Também a indústria da mineração em Goiás é bastante diversificada, apresentando segmentos modernos e gestão similar às das grandes corporações internacionais”, explica a economista Dinamar Maria Ferreira Marques, da Gerência de Contas Regionais e Indicadores da Secretaria de Estado de Gestão do Planejamento de Goiás. São sete polos distribuídos pelo estado, com produção de cobre, ouro e cobalto, entre outros. Efeito da rápida industrialização na re­gião e que dá uma boa ideia da qualidade dos investimentos: estudo da consultoria americana IDC, especializada em tecnologia da informação (TI), dá conta de que empresas instaladas no Centro-Oeste devem investir cerca de R$ 9 bi­lhões em computadores, softwares e ser­viços ligados à informática em 2012, ficando atrás apenas da Região Sudeste. Governo e varejo são os setores que mais investirão. AGRONEGÓCIO O crescimento das atividades industrial e de serviços no Centro-Oeste reflete o momento excepcional do agronegócio. A região lidera a produção de grãos do Brasil. Segundo dados do IBGE, o Centro-Oeste é responsável por quase 43% da safra brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas – quase 63 milhões de toneladas. Outubro / 2012 • Nº 587

No primeiro semestre, segundo dados do IBGE, a atividade industrial no Centro-Oeste alcançou o melhor desempenho do país, com uma expansão de 9,2%

“O agronegócio na região cresce independemente dos problemas de infraestrutura. Nossa produção– alimentos e energia – guarda pouca relação com o mercado interno. Em sua maior parte é exportada e tem sido altamente demandada, apesar da crise internacional”, explica Paulo Borges Campos Júnior. “Vivemos um bom momento, com preços internacionais bastante aquecidos, que remuneram o produtor rural, permitindo a ele saldar seus compromissos e investir na expansão dos negócios”, diz Carlos Henrique Fávaro, presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso, Aprosoja. As oportunidades de expansão ainda são notáveis, e o potencial máximo de produção do estado está muito distante de ser atingido. O Mato Grosso colhe sozi-

nho 20 milhões de toneladas de soja, o que o torna o quarto maior produtor do mundo. Para tanto, ocupa atualmente cerca de 8 milhões de hectares. Carlos estima que o estado disponha de outros 8 milhões de hectares que podem ser ocupados pela cultura, basicamente a partir do aproveitamento de áreas de pastos, sem demandar praticamente nenhum desmatamento. “Estas oportunidades são especialmente visíveis na região leste do estado, bastando melhorar a infraestrutura, principalmente de transporte, para se tornarem viáveis”, diz ele. O momento é todo especial para a ci­dade de Sorriso, responsável por 10% da produção agrícola do estado. “Temos só 26 anos desde a fundação e já somos o maior PIB agropecuário municipal do Brasil”, comemora Neiva Dalla Valle, presidenBIP

7


mercado

Centro-Oeste

te da Associação Comercial e Em­presarial de Sorriso. Neiva explica que o salto de produtividade do agronegócio de dois anos para cá, em especial na chamada safrinha do milho e do algodão, graças a ganhos de tecnologia e ao clima favorável, alavancou ainda mais os negócios, com desdobramentos em toda a atividade econômica no município. “Em 12 meses, a partir do segundo semestre do ano passado, 3 mil novas empresas foram criadas em Sorriso”, diz Neiva. Ela calcula que a população local cresce ao ritmo de 8 a 10 mil pessoas ao ano, totalizando, no momento, 75 mil habitantes. “Trata-se de um crescimento sadio. Estamos bem preparados para essa expansão, de forma que, felizmente, não registramos maiores problemas sociais”, relata. “Há muitas novas escolas, públicas e privadas, inclusive de idiomas, serviços médicos e laboratoriais, hotéis, supermercados e varejo crescente, atraindo consumidores de cidades até 80 quilômetros distantes de Sorriso”. O bom momento do agronegócio no Mato Grosso reflete-se no crescimento acelerado da indústria de transformação. Nova Mutum, Nova Marilândia, Lucas do Rio Verde e Diamantina, como explica Carlos Henrique Fávaro, já possuem polos importantes de beneficiamento agrícola 8

BIP

O agronegócio na Região Centro-Oeste parece bem longe de atingir seu apogeu. A safra 2012, por exemplo, promete novo recorde de produção. Na região, a expectativa é que a área plantada de soja cresça quase 10%, impulsionada pela expansão da cultura no Mato Grosso ou animal. “Vão surgindo também no estado polos de transformação de energia e outros grãos.” Segundo ele, trata-se de um desenvolvimento bastante harmônico e que atinge a todos. A prova disso, segundo explica, é o fato de 19 dos 20 municípios com os maiores Índices de Desenvolvimento Humano do Mato Grosso – a exceção é a capital, Cuiabá – serem polos de agronegócio. “São níveis de IDH comparados aos melhores do Brasil. Toda a sociedade se beneficia. A riqueza não fica concentrada só nas mãos dos produtores”, diz Carlos. A industrialização também avança em Sorriso, apoiada principalmente em frigoríferos, mas já há estudos para implantação de um polo de tecelagem para beneficiar a produção crescente de algodão. Neiva vê ainda muito espaço para o cres-

cimento e chama a atenção para a necessidade de mais escolas profissionalizantes na cidade, de forma a apurar a mão de obra local. Segundo ela, a atividade em­presarial na re­gião ainda está predominantemente em mãos de grupos locais, sendo que os players nacionais do varejo apenas agora es­tão começando a abrir unidades na cidade. O agronegócio nos estados do CentroOeste parece bem longe de atingir seu apogeu. A safra 2012, por exemplo, promete novo recorde de produção. Na região, a expectativa é que a área plantada de soja cresça quase 10%, impulsionada pela expansão da cultura no Mato Grosso. Inclusive, o bom desempenho da cultura em todo o Brasil dará ao país a condição de maior exportador mundial de soja, ultrapassando os Estados Unidos. Outubro / 2012 • Nº 587


TV

NEGÓCIOS

ROCK IN RIO 2013 Cobertura pela Globo do maior festival de música do mundo oferece oportunidades diferenciadas para anunciantes que visam público jovem

A

nova edição do Rock in Rio já tem data marcada: de 13 a 21 de setembro de 2013, no Parque Olímpico Cidade do Rock, em Jacarepaguá, Rio de Janeiro. A Rede Globo vai cobrir o evento e oferece a empresas que querem associar os seus produtos e serviços a um público jovem, que ama a música acima de tudo, oportunidades diferenciadas por meio de uma cota de patrocínio máster e cinco cotas de patrocínio. Também a Globo.com oferece as mesmas modalidades de patrocínio, por meio dos sites G1 e Ego, que farão cobertura completa do evento – preparação, ingressos, entrevistas exclusivas, bastidores, agenda, fotos e curiosidades –, além de disponibilizar vídeos com a cobertura de todos os shows. Os patrocinadores terão presença nos sites e também no site oficial do evento, aumentando a visibilidade e a frequência da marca. 

As nove edições do Rock in Rio atraíram para a Cidade do Rock mais de 5 milhões de pessoas, que assistiram de perto a 656 bandas, num total superior a 780 horas de música. Pela TV, o evento já foi visto por mais de 1 bilhão de telespectadores em 80 países.

Outubro / 2012 • Nº 587

BIP

9


TV

NEGÓCIOS

AS NOVAS ATRAÇÕES DA LI A partir de 30 de outubro, a volta de Louco por Elas e Casseta & Planeta Vai Fundo e a estreia de Como Aproveitar o Fim do Mundo e Subúrbia

À

LOUCO POR ELAS

s terças-feiras, após Tapas & Beijos, estreia a nova temporada de Louco por Elas. Na série, Du Moscovis é Léo, um instrutor de futebol de praia feminino cercado por mulheres por todos os lados, entre elas Giovana, a ex-mulher, vivida por Deborah Secco, e a avó Violeta, personagem de Glória Menezes. Giovana é uma escritora workaholic de livros de relacionamento, que retomou a carreira depois da separa-

10 BIP

ção e deixou a filha Theodora (Laura Barreto) e a enteada Bárbara (Luisa Arraes) sob os cuidados de Léo. A série tem redação final e direção geral de João Falcão, direção de Flávia Lacerda e Allan Fiterman e direção de núcleo de Guel Arraes. O texto conta com a colaboração de Adriana Falcão, Clarice Falcão, Jo Abdu e Gregório Duvivier. Louco por Elas tem uma cota nacional de patrocínio, com abertura e encerramento

caracterizados, comerciais e chamadas, num total de 40 inserções. O patrocinador também terá suas marcas inseridas no site do programa, na Globo.com. Dados do Ibope, referentes ao período de março a junho deste ano mostram que o público da faixa horária em que Louco por Elas será exibido tem perfil feminino (62%) e alto poder aquisitivo (86% das classes ABC). 

Outubro / 2012 • Nº 587


NHA DE SHOWS DA GLOBO

Consulte o Atendimento Comercial sobre as oportunidades na linha de shows da Globo

COMO APROVEITAR O FIM DO MUNDO

O

mundo vai acabar no dia 21 de dezembro, preveem os maias, e Alexandre Machado e Fernanda Young decidem brincar com esta profecia. Para tanto, criaram a série Como Aproveitar o Fim do Mundo, que a Globo exibe em oito episódios, às quintas-feiras, após A Grande Família. Com direção de núcleo de José Al­­ varenga Jr., a série mostra as aventuras de Ernani (Danton Mello), um técnico de contabilidade metódico e ranzinza, e Kátia

Outubro / 2012 • Nº 587

(Alinne Moraes), uma ingênua colega de trabalho dele. Kátia convence Ernani da veracidade da profecia maia e, a partir daí, eles, listas nas mãos, vão tentar zerar as suas pendências antes que o mundo acabe, vivendo experiências inusitadas, a maioria delas capaz de constranger qualquer um. Ernani e Kátia não ligam para as conse­ quências que seus atos podem trazer e optam por fazer tudo que sempre quiseram e não tinham coragem. Enquanto a

narrativa avança, sempre com muito humor, vai sendo feita a contagem regressiva, em dias, horas e minutos para o momento em que o mundo vai acabar... ou não. Como Aproveitar o Fim do Mundo tem uma cota nacional de patrocínio, com aberturas e encerramentos caracterizados, comerciais e chamadas, num total de 40 in­serções na programação da Globo, mais inserções na página do programa na Globo.com. 

BIP 11


TV

NEGÓCIOS

AS NOVAS ATRAÇÕES DA LI

A

SUBÚRBIA

trajetória de Conceição é o tema de Subúrbia, idealizada por Luiz Fernando Carvalho, desenvolvida por ele e por Paulo Lins, autor de Cidade de Deus. A série vai ao ar às quintas-feiras, depois de Como Aproveitar o Fim do Mundo, relatando a história de Conceição, que nasceu no interior de Minas, em uma família pobre, e trabalhava em fornos de carvão. Aos 12 anos, fugindo do destino miserável e do risco de uma tragédia como a que matou o irmão, vítima de uma explosão nos fornos, Conceição vai para o Rio. Lá, é confundida com uma trombadinha e con-

12 BIP

duzida a uma instituição para menores. Foge e vai trabalhar como doméstica. Aos 18 anos, ela se transforma em uma linda jovem, sendo bem acolhida por uma família de Madureira. No subúrbio, Conceição frequenta bailes, nos quais chama a atenção pela beleza e talento para a dança. Ela passa a integrar um trio de funk e desbanca a bicampeã do concurso Miss Subúrbio. Con­cei­ ção, batizada de Subúrbia, é aclamada pelo povo da Zona Norte. Para compor o elenco da série, foram selecionadas pessoas em sua maioria desconhecidas e que se aproximam do univer-

so dos personagens, depois de testes com mais de 2 mil candidatos no Rio e em Minas. É o caso de Erika Januza, a protagonista Conceição. Completam o elenco artistas que usam a arte e a cultura como incentivadoras da transformação social, como os integrantes do grupo Nós no Morro, do AfroReggae e da Cia. dos Comuns. Subúrbia é toda gravada em externas. A série tem uma cota nacional de patrocínio, com aberturas e encerramentos caracterizados, comerciais e chamadas, num total de 34 inserções, além de veiculações da marca do patrocinador no site do programa na Globo.com. 

Outubro / 2012 • Nº 587


NHA DE SHOWS DA GLOBO

N

CASSETA & PLANETA VAI FUNDO

as noites de sexta-feira, após Globo Repórter, é a vez da nova temporada de Casseta & Planeta Vai Fundo. Na nova fase do programa, os humoristas Cláudio Manoel, Hélio De La Peña, Marcelo Madureira, Beto Silva, Hubert e Reinaldo desenvolvem episódios temáticos, por meio de esquetes, viagens, participação de convidados e do povo em entrevistas nas ruas, tudo sem perder o calor dos acontecimentos, já que a cada sexta-feira

há um quadro de atualidades, que brinca com os assuntos que mais tiveram repercussão na mídia naquela semana. Casseta & Planeta Vai Fundo tem direção de núcleo de Maurício Farias, direção geral de Cláudio Manoel e direção de Mauro Farias e Ricardo de Barros. O programa oferece uma cota nacional de patrocínio, com aberturas e encerramentos caracterizados, comerciais e chamadas, num total de 34 inserções. O patrocinador também aparece no site do programa na Globo.com. 

Dados do Ibope coletados entre março e junho deste ano mostram que a faixa horária em que o programa será exibido atrai jovens: 53% do público tem entre 18 e 49 anos.

Consulte o Atendimento Comercial sobre as oportunidades na linha de shows da Globo

Outubro / 2012 • Nº 587

BIP 13


TV

NEgóCIOS

gUERRA DOS SE A nova Novela II

C

om os mesmos trejeitos de seus tios, vividos originalmente por Paulo Autran e Fernanda Montenegro, Otávio II (Tony Ramos) e Charlô II (Irene Ravache) vão disputar uma herança milionária. Um romance da adolescência entre eles se transforma em rivalidade que promete muita confusão e gargalhada. Ambientada nos dias de hoje, em São Paulo, Guerra dos Sexos tem em seu elenco, entre outros, Reynaldo Gianecchini, Glória Pires, Edson Celulari, Luana Piovani e Mariana Ximenes. Escrita por Sílvio de Abreu, a trama tem direção de núcleo e geral de Jorge Fernando e direção de Ary Coslov, Marcelo Zambelli e Ana Paula Guimarães.

Guerra dos sexos aborda com muito humor os conflitos entre homens e mulheres, através da “guerra” na família Alcântara Pereira Barreto

Consulte o Atendimento da Rede Globo e conheça todas as oportunidades comerciais de Guerra dos Sexos

14 BIP

OUTUBRO / 2012 • Nº 587


XOS

A 5ª TEMPORADA DO NOVO BASQUETE BRASIL o novo Basquete Brasil, nBB, chega a sua quinta temporada, com a participação de 18 clubes. o início do campeonato está previsto para novembro. em março, acontece o Jogo das estrelas, enquanto a grande final será disputada em junho.

Desde a sua criação, em 2007, a iniciativa tem contribuído para alavancar a proximidade do esporte com a torcida, atraindo atletas e transformando o NBB em um campeonato de primeira linha. A Rede Globo oferece ao mercado dois projetos. O primeiro é o pacote de patrocínio do NBB, com uma série de oportunidades comerciais, como Patrocínio Oficial, Fornecimento Oficial, Licenciamento e Jogo das Estrelas. O segundo projeto é o Plano de Mídia da TV Globo e Globoesporte.com, com 222 inserções de vídeo, duas transmissões ao vivo – Jogo das Estrelas e final – e ampla cobertura jornalística na TV Globo durante todo o campeonato, além de mais de 17 milhões de impactos estimados no site Globoesporte.com.

OUTUBRO / 2012 • Nº 587

BIP 15


TV

NEGÓCIOS Cases

VENDAS DE REDE DE LOJAS DE COSMÉTICOS CRESCERAM 95% COM CAMPANHA NA GLOBO Campanhas informaram nova marca da IAP! ao mesmo tempo em que promoveram vendas em vários estados do Nordeste

D

epois de quase dez anos de mercado, a IAP!, uma rede de lojas de cosméticos e produtos para beleza com sede em Fortaleza, resolveu dar uma guinada: no ano passado, adotou um novo nome e uma nova marca e passou a investir de forma agressiva em comunicação, por meio de campanhas de varejo concentradas nas emissoras da Rede Globo nos estados onde tem lojas. “Tomamos a decisão de mudar nossa marca depois de detectar um problema na compreensão do nome antigo da empresa – Centro dos Cosméticos”, explica Igor Parente, diretor presidente da IAP! Cosméticos. A iniciativa associada à campanha na Globo foi um sucesso. A IAP! já conta mais de 25 lojas espalhadas por vários estados do Norte e Nordeste, sendo a maior rede de loja de cosméticos das regiões. Seu público é bem variado, concentrando-se em mulheres da classe C e profissionais de salão de beleza. “Nossa primeira campanha, que durou dois meses, comunicou a novidade ao público associada a várias ofertas, fazendo a transição entre as duas marcas e ainda gerando vendas”, lembra Igor. Após esse período, uma outra campanha foi

16 BIP

desenvolvida, totalmente direcionada para a nova marca, criando conceito próprio e divulgando novas ofertas ao mercado. Veiculadas nas praças de Fortaleza, São Luís, Imperatriz e Teresina, as campanhas da IAP! não poderiam ter sido mais bem-sucedidas: o volume de vendas teve um crescimento de quase 95%. Com o sucesso e maior percepção da marca pelos clientes, a IAP! decidiu não somente manter a estratégia de varejo para o ano de 2012, como estendê-la para veiculação também em cidades de Alagoas, Bahia e Paraíba. As campanhas

eram compostas por comerciais de 30 e 15 segundos, com programação variada, voltadas para o público feminino das classes B e C. Foram criadas e planejadas com a agência EBM Quintto Comu­ nicação, que já atende a conta da IAP! desde 2008. Foram selecionados programas matutinos, vespertinos e também horário nobre. “A repercussão das campanhas tem sido muito positiva”, diz Igor. Ele destaca, além dos benefícios já citados, o reforço das parcerias com fornecedores de produtos e o ganho de valor para a marca IAP! 

A repercussão das campanhas tem sido muito positiva” Igor, da IAP!

Outubro / 2012 • Nº 587


CAMPANHA INSTITUCIONAL NA GLOBO AJUDA VENDAS DE CONSÓRCIOS A CRESCER 12% Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios comemora os 50 anos da atividade no Brasil e bons resultados da parceria com a Globo

U

ma campanha veiculada exclusivamente nas emissoras da Rede Globo pela ABAC, Associação Bra­ si­leira de Adminis­tradoras de Con­ sórcios, visava a divulgação institucional das vantagens do sistema para aquisição de bens móveis, imóveis e serviços junto à chamada nova classe média nas comemorações dos 50 anos do sistema no Brasil. No entanto, a entidade colheu bem mais do que esperava. Além de tornar o sistema de consórcios mais conhecido, viu as vendas de novas cotas crescerem em ritmo acelerado, como relata Roberto Rossi, presidente executivo da ABAC: os dados referentes a julho registraram um crescimento de 12% sobre o mesmo período de 2011, superando a marca dos 5 milhões de consorciados ativos. “Foi uma agradável surpresa”, comemora Roberto. “Como uma das características do sistema de consórcios é o planejamento financeiro, a adesão a grupo de consórcio de qualquer tipo de bem ou serviço é feita após análise e entendimento do consumidor do que pretende e como cumprirá seus compromissos mensais. Por isso, a resposta nem sempre é imediata”, explica. O presidente da ABAC também notou repercussão positiva a partir do momento em que a campanha publicitária, inicialmente inserida apenas nos intervalos comerciais das emissoras da Globo, foi Outubro / 2012 • Nº 587

Os dados relativos a julho registraram um crescimento de 12% sobre o mesmo período de 2011” Roberto, da ABAC

estendida também à Globo.com e TV Globo Internacional, em seu sinal Américas. A campanha, planejada pela GTEC Digital, contou com inserções em programação variada, visando diversas classes sociais. É a segunda vez que a ABAC investe em campanhas na Globo, a primeira delas desenvolvida em 2009. “Uma das intenções da campanha foi consolidar a credibilidade do sistema de consórcios junto às diversas classes sociais, onde o mecanismo está ou pode vir a estar presente. Os comentários positivos e o próprio crescimento nas vendas de novas cotas e no número de participantes, que atingiu 5 milhões de consorciados, são provas desse ganho de valorização”,

diz Roberto. “Não tivemos somente au­mento em vendas. Houve também um crescimento na imagem e no conceito do produto como mecanismo de acesso ao crédito, importante na vida do brasileiro. Aliás, o Sistema de Consórcios está completando 50 anos. Nesse período, milhões de brasileiros se beneficiaram dos consórcios para comprar seu veículo novo ou usado, a casa própria, renovar os eletroeletrônicos e outros bens duráveis, além de realizar algum tipo de serviço pessoal ou profissional. A campanha na Globo aconteceu em momento favorável à consolidação do mecanismo, devendo deixar um resíduo positivo nos consorciados e potenciais consorciados”, diz ele.  BIP 17


POR DENTRO DA GLOBO Programação

18 BIP

Outubro / 2012 • Nº 587


A nova Novela III estreia em 22 de outubro

N

ascida no Complexo do Alemão, no Rio, Morena, personagem de Nanda Costa, tem de deixar de lado muito cedo seus planos de seguir uma carreira artística por conta de uma gravidez precoce. Alguns anos depois, ela vê a sua sorte virar ao receber uma proposta para trabalhar na Europa. Para isso, terá de se afastar de Theo (Rodrigo Lombardi) e enfrentar perigos inimagináveis, que se escondem por trás da personagem de Claudia Raia, envolvida com uma rede internacional de tráfico de pessoas. No elenco de Salve Jorge, Cleo Pires, Domingos Montagner, Tiago Abravanel, Antônio Calloni, Mariana Rios, Alexandre Nero e Betty Gofman, entre outros. A novela tem texto de Glória Perez e direção de núcleo de Marcos Schechtman. 

Salve Jorge

Outubro / 2012 • Nº 587

BIP 19


POR DENTRO DA GLOBO Talento

34ª Edição do Profissionais do An Conheça os vencedores nas categorias Campanha e Mercado nas regiões Norte-Nordeste e Sudeste Capitais. Os troféus serão entregues em festa que acontece em São Paulo dia 7 de novembro, quando serão anunciados os vencedores nacionais do prêmio nas categorias Institucional, Campanha e Mercado.

NORTE-NORDESTE Campanha

mercado

PERSONAL CARE DIREÇÃO DE CRIAÇÃO SÉRGIO FIUZA e NILTON JÚNIOR CRIAÇÃO KARINA SCRAMOSIN PÁDUA SAMPAIO MARCEL PINHEIRO GUSTAVO PEIXOTO RODRIGO MEIRELES EDSON JÚNIOR e MOÉSIO FIUZA DIREÇÃO ERNANI PAIVA ANUNCIANTE PERSONAL CARE (FORTALEZA/CE) AGÊNCIA SLOGAN PROPAGANDA (FORTALEZA/CE)

20 BIP

LEMBRANÇA PRODUTORA E PÓS-PRODUÇÃO URSA MAIOR FILMES (FORTALEZA/CE) PRODUTORA DE SOM LÓGICO (SÃO PAULO/SP) MÍDIA KaTIA VIRGiNIA e ELBA MAGALHÃES ATENDIMENTO GIZELLE BRASIL APROVADO POR ROSSMAN CAVALCANTE

DIREÇÃO DE CRIAÇÃO ANA LUÍSA ALMEIDA e EMERSON BRAGA

PRODUTORA DE SOM ELOS ESTÚDIO (SALVADOR/BA)

CRIAÇÃO EDSON ROSA e EMERSON BRAGA

MÍDIA MARIA JOSÉ DA SILVA

DIREÇÃO KAN KATO ANUNCIANTE LOJAS INSINUANTE (LAURO DE FREITAS/BA)

ATENDIMENTO CARLOS PEREIRA e RENATA MATOS APROVADO POR CAIO BATISTA

AGÊNCIA PROPEG (LAURO DE FREITAS/BA) PRODUTORA E PÓS-PRODUÇÃO NOVE90 PRODUTORA (LAURO DE FREITAS/BA)

Outubro / 2012 • Nº 587


O® DIVULGA VENCEDORES REGIONAIS

SUDESTE CAPITAIS CAmPAnHA

meRCADo

PoDe seR

KeeP WALKInG, BRAZIL

DIReÇÃo De CRIAÇÃo MARCELLO SERPA LUIZ SANCHES ANDRÉ KASSU e MARCOS MEDEIROS

PÓs-PRoDUÇÃo SENTIMENTAL FILME (SÃO PAULO/SP) e INVADERS FX (SÃO PAULO/SP)

CRIAÇÃo ANDRÉ KASSU MARCOS MEDEIROS PERNIL e ANDRÉ GOLA

mÍDIA PAULO CAMOSSA FLAVIO DE PAUW WANDERLEY JOVENAZZO DANIELE BERTOLINI e GLAUCO MORAES

DIReÇÃo 2 AnUnCIAnte PEPSICO BRASIL (SÃO PAULO/SP) AGÊnCIA ALMAPBBDO (SÃO PAULO/SP) PRoDUtoRA SENTIMENTAL FILME (SÃO PAULO/SP) PRoDUtoRA De som TESIS (SÃO PAULO/SP)

AtenDImento OSCAR FERREIRA RICARDO TAUNAY MARÍLIA BAIRÃO e CONRADO TOURINHO APRoVADo PoR ANDREA ALVARES LUCIANA FORTUNA VALERIA PANDO e NATHALIA TERCERO

DIReÇÃo De CRIAÇÃo e CRIAÇÃo ALEXANDRE GAMA DIReÇÃo PETER THWAITES (LONDON/UK)*

AtenDImento SILVIA TOMMASINI APRoVADo PoR TÂNIA CESAR LEANDRO MEDEIROS e GUSTAVO HILA

AnUnCIAnte JOHNNIE WALKER (SÃO PAULO/SP) AGÊnCIA NEOGAMA/BBH (SÃO PAULO/SP) PRoDUtoRA ZOHAR (RIO DE JANEIRO/RJ) PRoDUtoRA De som BIG FOOTE (NEW YORK/NY)* PÓs-PRoDUÇÃo THE MILL (NEW YORK/NY)* mÍDIA LUCIANA SCHWARTZ

*O PRÊMIO FOI DISPUTADO SOMENTE PELA EQUIPE DE PROFISSIONAIS BRASILEIROS

OUTUBRO / 2012 • Nº 587

BIP 21


POR DENTRO DA GLOBO Notas

AutoEsporte chega a sua 500ª edição AutoEsporte, atração das manhãs de domingo da Globo, comemorou em se­­ tembro a exibição do seu programa de número 500. Para marcar a data, apresentou uma reportagem com carros que levam o número no nome, entre outras atrações. AutoEsporte fala sobre o universo de carros, motos, barcos e muito mais, sempre com uma abordagem criativa e atraente para todos os perfis de público. 

Fantástico lança campanha para escolher o nome do mascote da Copa 2014

O Fantástico está promovendo uma campanha para a escolha de um nome para o simpático tatu-bola que é o mascote da Copa do Mundo de 2014. O público terá três opções de nomes escolhidas pela Fifa e poderá votar, pela internet (www.redeglobo.com.br/fantastico), em seu nome predileto. No dia 25 de novembro, o nome vencedor será anunciado ao vivo no programa.

CIRCUITO BRAZILIAN DAY Em setembro, aconteceu a 28ª edição do Brazilian Day New York, reunindo mais de 1 milhão de pessoas. O público participou da festa, que foi apresentada por Serginho Groisman, cantou e dançou os sucessos de Latino, Jorge & Mateus e ainda foi surpreendido com a presença do campeão de MMA, Anderson Silva. O público se divertiu em mais de 25 quarteirões da 6ª Avenida. Quem estava na Times Square, famoso ponto turístico da cidade, também pôde assistir ao show em um dos telões. Em setembro aconteceram ainda os Brazilian Day Londres e Portugal, com a participação de Lulu Santos e Paula Fer­ nandes, respectivamente. O circuito, que teve início no mês de julho, em Tóquio, encerra-se com o Dia de Amizade Angola – Brasil, em 20 de outubro, no Estádio dos Coqueiros, Luanda, com um espetáculo

conduzido por Luciano Huck e com apresentação de Luan Santana. O circuito Brazilian Day reúne brasileiros de várias origens e idades, em diversos lugares do mundo, para celebrar a cultura do país no exterior. O evento já levou para fora do Brasil shows de artistas como Blitz, Kid Abelha, Jorge Ben Jor, Carlinhos Brown e Alcione.   

Para mais informações, visite o site comercial.redeglobo.com.br

22 BIP

Outubro / 2012 • Nº 587


PLIM-PLIM

CENAS QUE MARCARAM A HISTÓRIA DA TV NO BRASIL Arquivo CGCOM

ROQUE SANTEIRO Dez anos após ser censurada às vésperas de sua estreia, Roque Santeiro finalmente foi ao ar em 1985. A Viúva Porcina (Regina Duarte) e Sinhozinho Malta (Lima Duarte) dominavam a cidade de Asa Branca. Ele era um homem extravagante, que sacudia suas pulseiras de ouro sempre que ficava nervoso, repetindo um bordão que virou mania no Brasil: “Tô certo ou tô errado?”. Seu personagem fez tanto sucesso que a venda de perucas aumentou 80% no país naquele ano.

Outubro / 2012 • Nº 587

BIP 23



BIP587