Issuu on Google+

BOLETIM DE INFORMAÇÃO PARA PUBLICITÁRIOS

http://comercial.redeglobo.com.br

O Grupo de Mídia São Paulo comemora os seus 40 anos Setembro de 2008 | n. 556A


ESPECIAL

PROMOVENDO A EVOLUÇÃO TÉCNICA DA MÍDIA NO BRASIL Em 1968, depois de um encontro informal, profissionais que ocupavam cargos de chefia nas áreas de mídia de algumas das mais importantes agências brasileiras criaram o Grupo de Mídia São Paulo. Quarenta anos passados, a iniciativa pioneira não poderia ter sido mais bem-sucedida.

E

m comum, os profissionais que participaram da histórica reunião que é considerada o ponto de partida do Grupo de Mídia partilhavam o respeito mútuo, a paixão pela mídia técnica e pelo trabalho bem-feito, afinado com os interesses do anunciante e com o que há de mais moderno no mundo, e a determinação em equiparar a área aos demais setores da agência, projetando os profissionais de mídia para cargos de comando não só nas maiores e melhores agências, como também em anunciantes e veículos de comunicação de todos os meios. Graças a esses fundamentos, dos quais nunca se afastou, o Grupo de Mídia São Paulo se tornou o mais importante pólo de debates e de formação de profissionais de mídia, semeando dezenas de entidades-irmãs em todo o Brasil, todas sintonizadas com a missão, definida em 1968 e seguida à risca até hoje: promover a evolução técnica da mídia no Brasil, somando experiências e forças na busca de alternativas e soluções. Mesmo no exterior a idéia do Grupo de Mídia foi seguida, como por exemplo, na Espanha.

nº 556 556A• •setembro setembro2008 2008

2

Dois momentos do II Encontro Brasileiro de Mídia, de 1976

A entidade sempre acreditou que quanto mais sólidos forem os argumentos de mídia e mais técnica for a seleção, a oferta, a negociação e a compra dos espaços comerciais, mais o mercado publicitário avançará. Isso certamente é uma das explicações para o fato de a publicidade brasileira ter crescido tanto e tão rápido nas últimas décadas. Nesta trajetória vitoriosa, o Grupo de Mídia sempre contou com a parceria da Rede Globo, principalmente pela difusão continuada das melhores práticas em mídia, em dezenas de iniciativas, da edição de publicações à realização de palestras e seminários em vários mercados.


ALGUMAS ATIVIDADES DO GRUPO DE MÍDIA SÃO PAULO • Intercâmbio de experiências e conhecimentos em mídia em eventos, cursos e reuniões informais; • incentivo à ampliação e refinamento no uso de recursos técnicos de qualidade em veículos, representantes comerciais, associações e entidades, institutos de pesquisa, empresas de fiscalização e outros serviços de mídia; • cursos, seminários e congressos para formação ou desenvolvimento profissional; • anuário, livros e sites; • intercâmbio com outras disciplinas da comunicação e pesquisa de novos meios.

PRESIDENTES DO GRUPO DE MÍDIA SÃO PAULO Cláudio Venâncio 1987 a 1988

Paulo Chueiri Gabriel 1988 a 1990

nº 556 556A• •setembro setembro2008 2008

Claudio Pereira 1990 a 1992

Ivan Marques 1992 a 1994

Daniel Barbará 1994 a 1996 1998 a 2002

3

Paulo Afonso Gregoraci Paulo Stephan 1996 a 1998 2002 a 2006

Angelo Franzão Neto 2006 a 2010


ESPECIAL

UM EXEMPLO DE UNIÃO E COMPROMETIMENTO O Grupo de Mídia São Paulo nasceu de uma necessidade: reunir os profissionais da mídia, uma atividade de caráter mais administrativo e financeiro do que estratégico dentro das agências de publicidade – e ele se tornou decisivo para o fortalecimento da mídia em São Paulo e no Brasil.

N

os anos 60, ainda que nevrálgicas, as decisões de mídia eram normalmente centralizadas no dono da agência ou no atendimento, não sendo incomum também naqueles tempos pioneiros da publicidade que a agência se limitasse à criação da peça, cabendo a escolha do veículo e a negociação para inserção serem feitas pelo próprio anunciante. Tudo era facilitado pelo pequeno número de veículos de comunicação existentes nos anos 60 no Brasil. Como o crescimento do mercado consumi-

O Grupo de Mídia se reúne em Portugal, em 2005, um dos seus destinos internacionais

nº 556A • setembro 2008

4

dor, o gradual aumento das opções de meios e veículos e a vigorosa expansão dos institutos de pesquisa, a mídia foi encontrando o seu caminho natural de desenvolvimento, e a criação do Grupo de Mídia São Paulo representou um ponto de ruptura com o passado. A entidade surgiu de maneira inteiramente informal. Vanderley Fucciolo, então diretor da J. W. Thompson, queria conhecer a opinião de colegas de outras grandes agências da época sobre a revista Seleções, cuja conta publicitária era atendida pela sua agência. Para isso, convidou para jantar na sua casa os colegas Otto de Barros Vidal, Hélio Abbud, Nelson Spinelli, Nicolau Nigro, Octávio Florisbal – hoje diretor-geral da Rede Globo – e Carlos Alberto Parente. Curiosamente, nenhum dos participantes se lembra com certeza absoluta da data do jantar, tampouco do cardápio ou das conclusões da discussão que motivou o encontro, mas as sementes estavam lançadas. Nos meses e anos seguintes, o Grupo de Mídia São Paulo ganhou músculos. Desenvolveu centenas de cursos de formação e aprimoramento profissional, criou publicações, tornou-se um importante interlocutor da atividade publicitária e, principalmente, foi um centro de união dos profissionais da área, sendo seu exemplo multiplicado por numerosos grupos por todo o Brasil.


COMO O GRUPO DE MÍDIA SÃO PAULO ESTÁ ESTRUTURADO • O Grupo de Mídia São Paulo conta com um Conselho Superior que é responsável por ditar as linhas mestras de atuação da entidade e também por escolher o seu presidente, que exerce mandato de dois anos. • O Grupo de Mídia tem oito divisões e duas comissões. As divisões são: Ética, Administração e Finanças, Mídia Interativa, Comercial, Integração, Técnica, Eventos e Inovação. As comissões são de relações institucionais e editorial. Todos os diretores do Grupo de Mídia trabalham para a entidade em regime voluntário. Anualmente o Grupo de Mídia reúne perto de cem profissionais de veículos para discussões que dão origem ao anuário Mídia Dados

Sócios do Grupo de Mídia nas viagens a Nova York, 2006, e Lisboa, 2005

nº 556A • setembro 2008

5


ESPECIAL

UM CENTRO DE FORMAÇÃO E DE PESQUISA O Grupo de Mídia São Paulo reúne atualmente cerca de 600 profissionais de mídia que trabalham em agências de publicidade. Em sua sede, a entidade promove cursos, palestras, reuniões de trabalho e também edita livros e anuários. Só neste ano, cerca de 600 profissionais freqüentarão os cursos do Grupo de Mídia.

N

estes 40 anos de atividade, contam-se às centenas as iniciativas da entidade nesta direção. Já em seus primeiros anos, por exemplo, o Grupo de Mídia desenvolveu importante pesquisa de cobertura de TV no Brasil e organizou comissões para estimular avanços de qualidade no ferramental de pesquisa, controle e dados de mercado. Outra frente de trabalho foi trazer ao Brasil alguns dos mais notáveis nomes da pesquisa de mídia internacional, como Michael Napples e Larry Cole. Fora de São Paulo, os profissionais do Grupo de Mídia promoveram seminários e palestras nos finais de semana, já que ninguém podia faltar ao trabalho. O Grupo de Mídia se credenciou desde logo como interlocutor dos institutos de pesquisa, incentivando a montagem de novos serviços e o aprimoramento dos já existentes e tendo participado intensamente do projeto Abap/ Redes, que viabilizou a implantação do Painel Nacional de Televisão do Ibope. Já em sua 21ª edição, o anuário Mídia Dados, editado pelo Grupo de Mídia, tornouse uma referência para o mercado, reunindo

nº 556A • setembro 2008

6

dados de todos os meios, além de promover anualmente mesas-redondas que reúnem quase uma centena de profissionais das áreas comerciais dos mais importantes veículos brasileiros. Em sua sede, em São Paulo, a entidade promove este ano 12 cursos para cerca de 600 profissionais recém-chegados à mídia ou que querem ingressar na carreira. Para os mais experientes, há encontros mensais, como o Media Connections, que traz à sede do Grupo de Mídia especialistas de diferentes áreas e disciplinas e também as viagens ao exterior, para visitas a anunciantes, veículos e institutos de pesquisa, onde se conhece e discute a vanguarda da atividade.


O GRUPO DE MÍDIA E O IV CONGRESSO O Grupo de Mídia São Paulo teve participação marcante no IV Congresso Brasileiro de Publicidade, os diretores da entidade comandando os trabalhos da Comissão número 7, “A eficácia no planejamento e compra de mídia”. As teses aprovadas pela Comissão e depois pelo plenário do Congresso certamente marcarão o futuro do Grupo de Mídia, entre elas a certificação formal e oficial do profissional de mídia, a ser feita pela entidade, e a tentativa de unificar os currículos das faculdades de comunicação.

Profissionais do Grupo de Mídia em reuniões com representantes de institutos de pesquisa e veículos

Mais informações sobre o Grupo de Mídia São Paulo no site da entidade, www.gm.org.br

nº 556A • setembro 2008

7


ENTREVISTA: ANGELO FRANZÃO

UM GRANDE INTERESSE PELA MÍDIA

O

A Globo é uma das nossas maiores aliadas” Angelo Franzão

presidente do Grupo de Mídia São Paulo fala da importância da atividade no momento em que a publicidade brasileira bate seguidos recordes de crescimento. BIP - Os jovens publicitários estão ligados na mídia? Angelo - Como nunca estiveram antes. Os avanços da digitalização e a forma como eles interagem com os meios de comunicação acabaram com qualquer barreira, qualquer mistificação. Nunca vi o interesse pela mídia nas faculdades ser tão grande. Os jovens entendem perfeitamente bem a relevância da atividade. BIP - Depois de 40 anos, a missão do Grupo de Mídia precisa ser revista? Angelo - Nossa missão continua sendo gerar condições para que todos desfrutem do aperfeiçoamento técnico e criativo, tanto da mídia como da comunicação. Somos incansáveis na busca por novas ferramentas, novos modelos de comunicação, pela inovação e por tudo o que possa atender o cliente anunciante nos dias de hoje. Mas os rumos do IV Congresso certamente vão impor algumas novas obrigações para o Grupo de Mídia. BIP - O que se espera do profissional de mídia, hoje? Angelo - Que ele seja um profissional de comunicação completo, que participa de todos os movimentos do negócio da propaganda. Só assim ele pode buscar a eficácia junto ao consumidor. Há cada vez mais empresas anunciando. Sem uma criação e planejamentos inspirados não se vai a lugar nenhum, mas

sem uma mídia profissional também não. Por isso, nosso espaço nunca foi tão grande. BIP - Quais são, hoje, áreas novas de atuação do Grupo de Mídia? Angelo - Criamos duas novas comissões, a de inovação e a institucional. A de inovação reflete a nossa preocupação de trazer para dentro do Grupo o que está acontecendo de inovador. É fundamental que os profissionais de mídia tenham uma visão o mais ampla possível do processo de comunicação. Já a comissão institucional vai monitorar ainda mais a atividade de pesquisa e acompanhar toda a movimentação das entidades do mercado. BIP - Considera que o modelo brasileiro de publicidade, das agências integradas, tem resistido ao tempo? Angelo - Sim, e podemos ver que os países que optaram pelas agências especializadas, inclusive as de mídias, estão percebendo agora as vantagens da integração. Vimos isso na viagem do Grupo de Mídia à Europa. Também em Cannes, este ano, a tese da integração saiu fortalecida: mais de 70% dos prêmios do Media Lions foram concedidos a profissionais que atuam em agências integradas. BIP - A parceria com a Globo tem funcionado bem? Angelo - Sim e muito bem. A Globo é uma das nossas maiores aliadas, não só em nível técnico como também institucional. Ela tem nos apoiado sempre em inúmeras atividades em benefício da mídia e do mercado como um todo. Contamos com esta parceria no futuro.

Produzido para a Central Globo de Marketing pela Porto Palavra Editores Associados Diretores Responsáveis

BOLETIM DE INFORMAÇÃO PARA PUBLICITÁRIOS nº 556A • setembro 2008

Jornalista Responsável Projeto Gráfico Fotos Desk-top

Anco Marcio Saraiva Ricardo Esturaro Mônica Oliveira Sérgio Brito CGCOM Conexão Brasil

Para mais informações, visite o site da Direção Geral de Comercialização. comercial.redeglobo.com.br Assinaturas: bip@ tvglobo.com.br


bip556a