Issuu on Google+

BOLETIM DE INFORMAÇÃO PARA PUBLICITÁRIOS comercial.redeglobo.com.br Junho / 2012 | n. 584

NORDESTE O 2º MAIOR MERCADO CONSUMIDOR BRASILEIRO Em 2012, as famílias nordestinas devem consumir R$ 482 bilhões

A Globo recria para a TV o clássico Gabriela, Cravo e Canela


NESTA EDIÇÃO

MERCADO

3

Nordeste Famílias da região vão consumir mais de R$ 480 bilhões em 2012

TV Negócios

8 9 10 11

CRIANÇA ESPERANÇA 27ª edição do projeto começa dia 28 de julho, no Caldeirão do Huck PEDRO BIAL Novo programa tem estreia prevista para 5 de julho JOGOS PARALÍMPICOS Confira a presença da Globo em um dos maiores eventos esportivos do mundo Case CNA

BOLETIM DE INFORMAÇÃO PARA PUBLICITÁRIOS Publicação da Direção Geral de Comercialização da Rede Globo Produzido para a Central Globo de Marketing pela Porto Palavra Editores Associados Diretores responsáveis Anco Márcio Saraiva Ricardo Esturaro Jornalista responsável Mônica Oliveira Projeto gráfico Sérgio Brito Fotos CGCOM Desktop Conexão Brasil

Para mais informações, visite o site da Direção Geral de Comercialização

comercial.redeglobo.com.br

POR DENTRO DA GLOBO

12 14 15

2

BIP

Assinaturas: bip@tvglobo.com.br

GABRIELA Nova novela recria a obra clássica de Jorge Amado DATAS PROMOCIONAIS Dia dos Namorados, comemorado em 12 de junho PLIM-PLIM Cenas que marcaram a história da TV no Brasil

Junho / 2012 • Nº 584


mercado

Nordeste

O 2º maior mercado consumidor brasileiro

Em 2012, as famílias nordestinas devem consumir mais de R$ 480 bilhões

Junho / 2012 • Nº 584

A

região Nordeste ratifica a sua condição de segundo maior mercado brasileiro em volume de compras ao longo de 2012, atrás apenas do Sudeste. Ao todo, famílias nordestinas vão gastar R$ 482 bilhões até dezembro. A previsão é da IPC Mar­keting Editora, empresa especializada no cálculo de índices de potencial de consumo, ao concluir os cálculos do estudo IPC Maps para 2012, que detalha a potencialidade de consumo em cada um dos 5.565 municípios brasileiros. De acordo com a pesquisa, em 2012 o consumo total das famílias brasileiras deve totalizar R$ 2,7 trilhões em compras de bens e serviços, com um crescimento nominal superior a 11% sobre 2011. O consumo das famílias nordestinas, segundo o estudo, representa pouco menos de 18%

do total nacional, patamar semelhante ao observado em 2011. O Nordeste só fica atrás do Sudeste, que deve perder, a exemplo do observado nos últimos anos, representatividade no consumo nacional em 2012: de 52,2% para 50,4%. CONSUMO Mas o consumidor nordestino é diferente do consumidor de outras regiões do país? A resposta é sim, segundo Ana Paula de Miranda, doutora em administração pela USP, professora da Universidade Federal de Pernambuco e sócia da Modus Marketing e Semiótica. “Há certa irreverência no comportamento do consumidor nordestino que precisa ser levada em conta”, diz ela. “Não que não haja exigência de qualidade mas não há, certamente, aquele stress tão típico do BIP

3


mercado

Nordeste

As razões para o crescimento do Nordeste Para Marcelo Barros, formado em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco, a explosão do consumo no Nordeste é produto de uma combinação virtuosa de fatores que datam do começo da década passada. “Foi a partir daquele momento que os programas sociais do governo federal começaram a ganhar volume, associados à política de valorização do salário mínimo. O Nordeste é certamente a região do país que mais recebe recursos dos programas sociais do governo e onde o salário mínimo é mais praticado, inclusive pelos governos de estados e municípios junto ao funcionalismo público”, explica Marcelo, que é professor de Economia da Faculdade Boa Viagem, no Recife, e superintendente técnico da Secretaria da Fazenda do Estado de Pernambuco.

Ao mesmo tempo, diz ele, a economia local foi sacudida por investimentos públicos e privados em obras como a Transnordestina, a Refinaria Abreu e Lima e a transposição das águas do Rio São Francisco, entre outras, e na construção de fábricas e instalações de empresas como Unilever, Kraft, BR Foods, Fiat, Jac e muitas outras, tudo contribuindo para ampliar os níveis de emprego na região. A partir daí, segundo Marcelo, o processo foi se autoalimentando. Com o crescimento do consumo, as empresas reforçaram seus investimentos, contrataram mais pessoas, ampliando ainda mais os níveis de emprego enquanto os salários cresceram, reforçando o poder de compra do consumidor e também a sua condição de obter financiamento, uma predisposição reforçada, segundo o economista, pela expectativa oti-

mista dos consumidores em relação ao futuro. “Havia uma demanda natural de consumo em toda a região, principalmente junto às classes de menor renda”, diz Marcelo. Para ele, trata-se de um caminho sem volta. “Não é só o consumo que está crescendo no Nordeste; é a produção e a geração de riquezas.” Sinais animadores vêm de todos os setores, mas ele destaca a construção civil, que explode em praticamente todos os estados da região. Na maioria das capitais, os preços dos terrenos dispararam e os lançamentos imobiliários batem seguidos recordes. Segundo Marcelo, o crescimento mais acentuado se dá nos estados líderes do Nordeste – Bahia, Pernambuco e Ceará –, mas se irradia para os demais estados. Ele cita o caso da fábrica da Fiat, na cidade de Goiana, na Zona da Mata Norte de

O potencial de consumo no Nordeste Evolução de consumo na região Em R$ bilhões

249

2007

312

2008

344

2009

383

2010

427

2011

Consumo de alguns segmentos de produtos e serviços na região Em R$ bilhões Manutenção do lar

90,3

Alimentação no domicílio

58,4

Alimentação fora do domicílio

19,3

Gastos com veículo próprio

16,6

Vestuário confeccionado

15,0

Fonte: Atlas de Cobertura GCM/DIM (Base: Estimativa de Consumo e População 2011 – Target Marketing)

4

BIP

Junho / 2012 • Nº 584


Pernambuco, com produção prevista de até 250 mil automóveis por ano e geração inicial de 3,5 mil empregos diretos, que já atrai trabalhadores de cidades da Paraíba. A Fiat está investindo entre R$ 3 bilhões e R$ 3,5 bilhões na nova unidade fabril com inauguração prevista para o início de 2014. Marcelo considera que a economia nordestina é ainda concentrada, mas acredita que essa tendência tenha sido reduzida nos últimos anos. Ele aguarda dados mais recentes da economia regional. “Ainda não é possível estabelecer com clareza como as microrregiões estão se desenvolvendo, mas a percepção geral é de que está havendo desconcentração. Ele menciona, entre outras, as regiões de Balsas, no Maranhão, de Petrolina e Juazeiro, na divisa entre Pernambuco e Bahia, o Vale do Açu, no Rio Grande do Norte, os vários polos industriais nas regiões metropolitanas das capitais e o Porto de Suape, a 30 km do Recife. Entre os setores industriais que mais crescem na região, Marcelo destaca o automobilístico e motociclístico, o de bebidas e alimentos, o de móveis e também o atacado e varejo. O recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias em Pernambuco cresceu 22,5% em 2010 e mais 18,5% em 2011, informa ele.

Junho / 2012 • Nº 584

Ao todo, famílias nordestinas vão gastar R$ 482 bilhões até dezembro. Em 2012, o consumo total das famílias brasileiras deve totalizar R$ 2,7 trilhões em compras de bens e serviços, com um crescimento nominal superior a 11% sobre 2011 consumidor paulista, por exemplo. Há, entre os nordestinos, um toque de leveza no processo de consumo.” Outra diferença marcante, no entendimento de Ana Paula, é a relação dos consumidores do Nordeste com os preços dos bens e serviços a eles oferecidos. “De uma forma geral, o consumidor do Sudeste paga com muito mais facilidade pelo serviço adjunto ao produto. Isso já não acontece em outras regiões e no Nordeste menos ainda. O nordestino considera isso algo automático, que já está embutido no preço do produto, decorrente de uma relação amistosa entre o consumidor e o vendedor, de amizade mesmo, no restaurante, na loja, no supermercado, e isso não deve ser cobrado. Por isso, trata-se de uma dica valiosa: não basta ser eficiente para vender ao nordestino; é preciso ser

amigável e não se pode cobrar por isso”, diz ela, sublinhando a importância de tudo ser verdadeiro e natural na relação consumidor-vendedor. “Como tudo é muito mais emocional nas relações de consumo no Nordeste, é relativamente fácil o consumidor desenvolver simpatia ou antipatia pelo estabelecimento e espalhar este sentimento para os conhecidos.” Outro aspecto que, segundo ela, precisa ser destacado e devidamente levado em conta: o nordestino é intelectualizado, principalmente aqueles de renda mais alta. “São pessoas que gostam de manifestações artísticas de todos os gêneros. A imagem que me vem à cabeça para comprovar o que digo é a de Ariano Suassuna. Ele é um intelectual de nível internacional mas sem frescuras, que gosta de usar sandália e está sempre brincando. É preciso

BIP

5


mercado

Nordeste

A cobertura das 24 emissoras da Globo no Nordeste Total Nordeste Municípios: 1.785 População: 53,4 milhões Domicílio com TV: 13,6 milhões Telespectadores: 49,6 milhões IPC: 17,738% Fonte: Atlas de Cobertura da Rede Globo

Maranhão

PIAUÍ

PARAÍBA

• TV Mirante São Luís

• TV Clube

• TV Cabo Branco

Sede: São Luís Domicílio com TV: 823 mil Telespectadores: 3,3 milhões

Sede: Teresina Domicílio com TV: 500 mil Telespectadores: 1,8 milhão

Sede: João Pessoa Domicílio com TV: 477 mil Telespectadores: 1,6 milhão

• TV Mirante Santa Inês

• TV Alvorada do Sul

• TV Paraíba

Sede: Santa Inês Domicílio com TV: 42 mil Telespectadores: 172 mil

Sede: Floriano Domicílio com TV: 96 mil Telespectadores: 341 mil

Sede: Campina Grande Domicílio com TV: 432 mil Telespectadores: 1,5 milhão

• TV Mirante Cocais

CEARÁ

PERNAMBUCO

Sede: Codó Domicílio com TV: 357 mil Telespectadores: 1,4 milhão

• TV Verdes Mares

• TV Globo

Sede: Fortaleza Domicílio com TV: 1,7 milhão Telespectadores: 6,3 milhões

Sede: Recife Domicílio com TV: 1,4 milhão Telespectadores: 4,8 milhões

• TV Verdes Mares Cariri

• TV Asa Branca

Sede: Juazeiro do Norte Domicílio com TV: 489 mil Telespectadores: 1,7 milhão

Sede: Caruaru Domicílio com TV: 817 mil Telespectadores: 2,8 milhões

RIO GRANDE DO NORTE

• TV Grande Rio

• Inter TV Cabugi

Sede: Petrolina Domicílio com TV: 211 mil Telespectadores: 818 mil

• TV Mirante Açailândia

Sede: Açailândia Domicílio com TV: 26 mil Telespectadores: 101 mil • TV Mirante Imperatriz

Sede: Imperatriz Domicílio com TV: 121 mil Telespectadores: 457 mil • TV Mirante Balsas

Sede: Natal Domicílio com TV: 881 mil Telespectadores: 3,1 milhões

Sede: Balsas Domicílio com TV: 19 mil Telespectadores: 78 mil

ALAGOAS • TV Gazeta

Sede: Maceió Domicílio com TV: 811 mil Telespectadores: 3 milhões

No site da Direção Geral de Comercialização, você encontra informações sobre a programação local das emissoras da Rede Globo no Nordeste.

6

BIP

Junho / 2012 • Nº 584


SERGIPE • TV Sergipe

Sede: Aracaju Domicílio com TV: 565 mil Telespectadores: 1,9 milhão BAHIA • TV Bahia

Sede: Salvador Domicílio com TV: 1,9 milhão Telespectadores: 6,4 milhões

O consumo das famílias nordestinas representa pouco menos de 18% do total nacional, patamar semelhante ao observado em 2011. O Nordeste só fica atrás, em consumo, do Sudeste

• TV Santa Cruz

Sede: Itabuna Domicílio com TV: 427 mil Telespectadores: 1,4 milhão • TV Sudoeste

Sede: Vitória da Conquista Domicílio com TV: 447 mil Telespectadores: 1,6 milhão • TV Oeste

Sede: Barreira Domicílio com TV: 141 mil Telespectadores: 524 mil • TV São Francisco

Sede: Juazeiro Domicílio com TV: 321 mil Telespectadores: 1,1 milhão • TV Subaé

Sede: Feira de Santana Domicílio com TV: 502 mil Telespectadores: 1,7 milhão

Junho / 2012 • Nº 584

ponderar esta faceta na hora de criar produtos e divulgá-los para o consumidor do Nordeste”, diz Ana Paula. Ela alerta, porém, para a grande diversidade de mercados consumidores dentro do Nordeste. “É um erro enorme colocar todos os nordestinos num bolo só. A cada estado correspondem características bem diferentes.” No Recife, por exemplo, as roupas pretas fazem muito sucesso, principalmente em ocasiões formais. Já em Salvador, a opção se inclina fortemente pelas roupas coloridas. “Costumo brincar que o baiano é o carioca enquanto o recifense é o paulista – e o cearense é diferente de ambos”, diz. Ana Paula concorda que Bahia, Pernambuco e Ceará e suas capitais são locais para onde as coisas convergem. “Os consumidores vão

pra lá em busca de cultura, gastronomia, compras, consumo de alto nível.” Muitas regiões de consumo crescem rápido no interior dos estados, geralmente ligadas a polos industriais. Há um público consumidor já bem desenvolvido, que inclusive vai para as capitais do Nordeste, Sudeste e exterior. Entre os segmentos que não estão ainda bem atendidos no Nordeste, Ana Paula destaca principalmente os serviços em geral. “Você já tem uma indústria de moda interessante na região, mas ainda há carência para encontrar oficinas de modelagem”, exemplifica ela. Isso não vale, no entanto, para o comércio. “Temos a atividade na veia. O Nordeste é referência em comércio de qualidade já há muito tempo”, diz ela.

BIP

7


TV

NEGÓCIOS Cidadania

Criança esperan

Em 2012, serão apoiados 114 projetos sociais, beneficiando mais de 30 mil crianças, adoles

U

ma iniciativa da Rede Globo e da Unesco, o Criança Esperança chega ao seu 27º ano, tendo arrecadado R$ 230 milhões em doações, totalmente investidas em projetos sociais e ONGs brasileiras. Tais contribuições ajudaram a transformar a vida de milhões de crianças, adolescentes e jovens em todo o país. Patrocinar o Criança Esperança é uma oportunidade diferenciada para empresas que projetam um imagem de responsabilidade social, vinculando-a a uma iniciativa de forte credibilidade e resultados expressivos e comprovados. O patrocínio do Criança Esperan­ça oferece aos anunciantes um amplo plano de inserções que proporciona visibilidade, tanto pela cobertura jornalística e o envolvimento dos mais variados programas da Globo, como pela presença na Globo.com. A campanha de arrecadação será lançada no Caldeirão do Huck em 28 de julho e o encerramento acontecerá no Fantástico, dia 16 de setembro. Vários outros programas da Globo vão se envolver na campanha, proporcionando a presença da marca dos 8

BIP

patrocinadores nos seus intervalos comerciais. Prevista também a veiculação de materiais produzidos pela Globo ao longo da programação e o Minuto Criança Esperança, a ser exibido semanalmente, a partir de setembro até junho de 2013. Assegura-se, assim, visibilidade por dez meses aos patrocinadores, por meio de vinhetas nos Bom Dia Brasil e Jornal Hoje. Mídia de apoio em toda a programação e página na Globo. com complementam o projeto. Um dos seus pontos altos, o Show Criança Esperança 2012 está previsto para 18 de agosto, na Arena Rio, celebrando com muita festa e alegria mais um ano de campanha. Corrida e caminhada O Criança Esperança 2012 oferece outra oportunidade de envolvimento a anunciantes – que não precisam necessaria-

mente estar associados ao projeto de arrecadação –, com a Corrida e Caminhada da Esperança, a ser realizada em 5 de agosto em doze capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Ho­rizonte, Brasília, Recife, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Fortaleza, Cuiabá, Belém e Goiânia. Toda a arrecadação líquida com as inscrições será revertida em doações ao Criança Esperança. A Globo fará a cobertura do evento com matérias em seus telejornais nacionais e locais, no Fantástico e uma Ação Integrada no Esporte Espetacular. Cada patrocinador da Corrida e Caminhada terá direito a 42 inserções, entre nacionais e locais, além de propriedades de arena. Também o Licenciamento e a TV Globo Internacional são oportunidades opcionais para os patrocinadores. O licenciamento permite ampliar a ligação dos produtos e

Resumo das inserções na Globo Chamadas mais flashes nacionais

83

Comerciais de 30” nacionais

11

Comerciais de 30” locais

11

Inserções virtuais

2

Vinhetas nacionais

30

Vinhetas locais

20

Valorização dos parceiros

36

Ação de visibilidade no show

1

Mídia de apoio

11

Minuto Criança Esperança

86

Total

291 Junho / 2012 • Nº 584


nça 2012

scentes e jovens

marca do patrocinador com o Criança Esperança. O posicionamento da empresa como socialmente consciente e a transferência de atributos do projeto para a linha de produtos ou serviços são os principais benefícios que o licenciamento pode proporcionar. Já na TV Globo Internacional, os patrocinadores podem se comunicar com brasileiros residentes em 115 países e também milhares de assinantes em países lusófonos, como Portugal, Angola e Moçam­bi­ que. São 570 mil domicílios assinantes, o que representa um potencial de 1,9 milhão de telespectadores. A Petrobras, patrocinadora do projeto em 2011, já renovou sua associação com o Criança Esperança. Outras cotas estão disponíveis. Consulte o Atendimento Comercial da Rede Globo.

Pedro Bial nas noites de quinta, na Globo Entre 5 de julho e 30 de agosto, a Globo exibe o novo programa de Pedro Bial, nas noites de quinta-feira, na faixa das 23h50 Na presença de um auditório, o programa, ainda sem título definido, abordará um grande tema a cada semana, por meio de encenação, debates em estúdio, pessoas falando nas ruas e entrevistas, por exemplo, mostrando maneiras diferentes de discutir um mesmo assunto. A ideia é ser um espaço aberto para discussão com todos os membros da família e abordar assuntos da atualidade com uma visão aberta, polêmica e abrangente, se valendo do bom humor e carisma de Bial. Cada edição do novo programa terá participação de um DJ. Também será aberto espaço para entrevistas com alguém que esteja em destaque no momento. O novo programa tem direção de núcleo de Luiz Gleiser, texto de Marcel Souto Maior, João Carrascosa, Fernanda Scalzo e pesquisa de Carla Siqueira. O programa tem uma cota de patrocínio em mercado nacional, já comercializada junto ao cliente Peugeot.

As doações ao Criança Esperança são administradas pela Unesco e beneficiam projetos selecionados por terem atingido padrões de inovação, replicabilidade, sustentabilidade, legitimidade, impacto e eficácia. Em 2012, o Criança Esperança deve apoiar 114 projetos sociais espalhados por todo o país, que vão beneficiar mais de 30 mil crianças, adolescentes e jovens.

Consulte o Atendimento Comercial da Rede Globo para mais informações. Junho / 2012 • Nº 584

Consulte o Atendimento Comercial da Rede Globo para mais informações.

BIP 9


TV

NEGÓCIOS

JOGOS ParalímPicOS

LonDRES 2012

O

Confira a presença da Globo em um dos maiores eventos esportivos do mundo

s Jogos Paralímpicos vão reunir em Londres, entre 29 de agosto e 9 de setembro, 4.200 atletas, representando 160 países e competindo em 20 modalidades esportivas paralímpicas. Os brasileiros vêm se destacando em várias delas e prometem muitas medalhas em Londres. A Globo criou um projeto que vai proporcionar ampla cobertura do evento, com boletins em toda a programação e cobertura completa em programas como Esporte Espetacular, Globo Esporte, Corujão do Esporte, Jornal da Globo, Bom Dia Brasil e Jornal Nacional. Os patrocinadores do projeto estarão presentes em toda a cobertura, com um esquema comercial que prevê 70 inserções nacionais, entre vinhetas, comerciais e chamadas. Estão disponíveis duas cotas de patrocínio em mercado nacional, uma delas já comercializada junto ao cliente Caixa. A cobertura do evento será reforçada pela Globoesporte.com, que, por meio de pági-

Simulação do perfil de audiência na Globo.com Gênero

Idade

71%

72%

125.634.510

87.161.976

74.267.042

66%

34%

14%

homem Mulher

36% 63%

2/17 18/24 25/34 35/49 50+

AB C DE

Fonte: Ibope nielsen online fev/12 (home + work) Classe social:Target Group Index BrY12w1

72%

73%

Simulação de audiência na Globo.com Milhões de pessoas

AS ABC 18+ AS ABC 25+

33.650.280

19,9 10,5

AS AB 18+

AS AB 25+

Total categoria globoesporte Concorrente esportes .com B

Fonte: Ibope Planview: universo PnT/Audiência média dos programas do Esquema Comercial em 2011. Atlas de cobertura da TV Globo: março de 2012

10 BIP

1%

12% 15%

38.639.820

Total Telesp.

Classe Social

25%

34%

Simulação de audiência na Globo 68%

LIDERANÇA DE AUDIÊNCIA Também na internet, os patrocinadores do projeto terão oportunidade diferenciada para expor as suas mensagens. O site Globoesporte.com teve 10,5 milhões de visitantes únicos em fevereiro, 85% mais visitantes únicos que o segundo colocado da categoria. O site proporcionou, no mesmo mês, um alcance de 49% das pessoas que navegaram em sites de esportes. Trata-se de um público predominantemente masculino, de todas as faixas etárias e bastante qualificado.

na especial, trará as principais informações sobre resultados, disputas, atletas, equipes, quadro de medalhas e novidades exclusivas, que também reservam espaço para os patrocinadores do projeto. Simulação com base nas inserções previstas no projeto, sem considerar as chamadas de envolvimento, mostra alcance expressivo em targets qualificados. A marca dos patrocinadores deve ser vista, por exemplo, ao menos uma vez por mais de 87 milhões de telespectadores de ambos os sexos, das classes ABC com 18 anos e mais de idade.

5,2

3,3

2,5

Concorrente C

Concorrente D

Fonte: Ibope nielsen online fev/12 (home + work)

Junho / 2012 • nº 584


TV

NEGÓCIOS Cases

PATROCÍNIO DO OSCAR NA GLOBO GERA RETORNO IMEDIATO PARA A CNA Algumas escolas da rede de cursos de inglês tiveram de montar plantões especiais para atender interessados

A

CNA Inglês Definitivo, uma das maiores escolas de idiomas do Brasil, já está habituada a números superlativos. Parceira da Globo há mais de vinte anos, foi fundada por Luiz Nogueira da Gama Neto em 1973, em Porto Alegre, tendo começado com 2.500 alunos, a partir da experiência da venda de material didático pelo seu criador. Hoje, já são cerca de 700 mil alunos, espalhados por 701 escolas, 697 das quais franqueadas, em todos os estados brasileiros. A CNA está entre as cinco maiores empresas brasileiras de franquia em número de unidades e entre as três maiores por número de alunos. Um exemplo do crescimento rápido da escola: em Guarulhos, o número de alunos da CNA passou de 600 para 6 mil em dois anos. Perto de 90% deles estão matriculados em cursos de inglês e os demais em espanhol. Leonardo Cirino, diretor de marketing da CNA, atribui muito do sucesso da escola à parceria com a Globo, onde concentra ao menos 80% da sua verba total de publicidade e, em alguns anos, simplesmente toda ela. Por quê? “É uma equação óbvia”, responde Leonardo. “O custo oferecido pela Globo versus o número de pessoas impactadas é insuperável por outros veículos. Qualquer marca que queira impactar todo o país tem de estar na programação da Globo. Seus projetos são vencedores e Junho / 2012 • Nº 584

O CNA Fast, apesar de recém-implantado, tornou-se um sucesso instantâneo” Leonardo, da CNA

endossam a marca do anunciante. Há também aspectos técnicos e financeiros a serem considerados: a entrega é sempre superior ao prometido”, diz ele. No começo do ano, a CNA fechou com a Globo o patrocínio da transmissão do Oscar. “É um projeto com total afinidade com a escola, pois usamos intensamente filmes clássicos no nosso sistema de aprendizado”, explica Leonardo. As veiculações estavam concentradas em uma semana, no final de fevereiro, em mercado nacional, com inserções tanto na transmissão da festa quanto em programas que falavam do Oscar, além de vinhetas e chamadas. No Oscar, Leonardo promoveu o curso CNA Fast, recém-lançado e totalmente afinado com as necessidades da maioria dos consumidores: um curso completo de inglês em apenas 15 meses, com ensino

do idioma totalmente dirigido às exigências do mercado de trabalho. Os resultados surpreenderam a CNA, já habituada com os bons resultados das campanhas na Globo. “Nossos cursos não são certamente comprados por impulso, mas as inserções na Globo geraram retorno imediato nas secretarias das escolas, a ponto de várias delas terem de montar plantões especiais de atendimento”, diz Leonardo. Também o monitoramento do curso pelas ferramentas do Google demonstrou um salto repentino da relevância da marca, da ordem de 250%, a partir da campanha na Globo. “O CNA Fast, apesar de recémimplantado tornou-se um sucesso instantâneo, já atraindo aproximadamente 10% das vendas da editora”, comemora Leonardo. A agência da CNA é a Cheil. BIP 11


POR DENTRO DA GLOBO Programação

A

trama de Gabriela se passa na Ilhéus dos anos 20, em pleno apogeu da cultura do cacau, e é centrada na personagem da retirante nordestina Gabriela, que será vivida por Juliana Paes, em meio a vários personagens inesquecíveis, como o coronel Ramiro Bastos (Antonio Fagun­ des), Nacib (Humberto Martins) e Mun­ dinho Falcão (Mateus Solano). Gabriela tem duas cotas de patrocínio em mercado nacional, com aberturas e encerramentos caracterizados e chama­ das, num total de 232 inserções, mais ações na Globo.com. A novela será exibida entre 19 de junho e 26 de outubro, de terça a sexta-feira após a primeira linha de shows ou a transmissão do futebol.

A recriação de

Gabriela No centenário de Jorge Amado, a Globo recria para a TV o clássico Gabriela, Cravo e Canela, um dos maiores sucesso do autor.

12 BIP

Junho / 2012 • Nº 584


Consulte o Atendimento Comercial da Rede Globo e conheรงa todas as oportunidades comerciais da nova Novela.

Junho / 2012 โ€ข Nยบ 584

BIP 13


POR DENTRO DA GLOBO Datas promocionais

DIA DOS NAMORADOS Consulte o Atendimento Comercial da Rede Globo e saiba mais sobre as Datas Promocionais.

14 BIP

C

omemorado em 12 de junho, o Dia dos Namorados é data tradicional e importante, que movimenta o comércio e pode ser capitalizada por anunciantes de todos os setores por meio do formato Datas Promocionais da Globo. Cada uma das 122 emissoras da rede oferece um plano de inserções sob medida para anunciantes locais. Eles podem assinar um filme de grande qualidade técnica, que reserva espaço em seu final para a inserção das suas marcas e slogan.

O calendário de Datas Promocionais da Rede Globo para 2012 terá ainda as seguintes produções: 12 de agosto – Dia dos Pais 12 de outubro – Dia das Crianças 18 de outubro – Dia do Médico

Junho / 2012 • Nº 584


PLIM-PLIM

CENAS QUE MARCARAM A HISTÓRIA DA TV NO BRASIL Arquivo CGCOM

GABRIELA, 1975 Adaptação da obra de Jorge Amado, Gabriela foi produzida para comemorar os dez anos da Rede Globo e recebeu tratamento digno de superprodução. Diante da falta de dados sobre a Ilhéus de 1925 (quando a história se passa), a equipe da Globo foi para a Bahia e entrevistou o escritor Jorge Amado e moradores de Ilhéus. Descobriu que o impacto do livro no imaginário da população era tão forte, que vários deles juravam que Gabriela e Nacib existiram de verdade, e relatavam detalhes sobre suas roupas e costumes.

Junho / 2012 • Nº 584

BIP 15



BIP 584