Page 1

CONTRACEPÇÃO DE EMERGÊNCIA – Contexto, Ação e Impactos

www.redece.org


- de 1962: descoberta que uso em alta dosagem de pílulas “normais orais” com 2 hormônios (estrogênio e progestogênio) podem ser usadas como contraceptivo DEPOIS da relação sexual - 1970 a 1990: disseminação desse uso “YUZPE” - anos 80: descoberta que pílulas só de progestogênio são mais eficazes e têm menos efeito colateral - Anos 90: criação e uso de pílulas só de progestogênio: LEVONORGESTREL


Administração – Contracepção de Emergência Progestágenos (1,5 mg de levonorgestrel) Postinor – Uno ®; Pozato Uni ® 1 comprimido VO em dose única Diad ®, Poslov ®, Pozato ® Mini-Pil 2 Post ®

2 comprimidos VO juntos em dose única

Yuzpe (200 µg de etinil-estradiol e 1 mg de levonorgestrel) Evanor ® ou Neovlar ® ; Normamor ® 2 comprimidos VO cada 12 horas por 1 dia (total de 4 comprimidos) ou 4 comprimidos VO juntos em dose única • Microvlar ® ;Nordette ®; Levordiol® CICLO 21 ® 4 comprimidos VO cada 12 horas por 1 dia (total de 8 comprimidos) ou 8 comprimidos VO juntos em dose única


Contracepção de Emergência Tempo de administração e taxa de falha

% 5 4,5 4

4,7

Levonorgestrel Yuzpe

4,1

3,5 2,7

3 2,5

2

2 1,5

1,2

1 0,4 0,5 0 <24 hs Fonte WHO - TASK FORCE. The Lancet, 352(9126): 428-33, 1998

25-48 hs

49-72 hs Drezett, J. 2003 Hospital y Maternidade Leonor Mendes de Barros Núcleo Interdisciplinar de Atenção ao Abuso e Violência Sexual


Contracepção de emergência Tempo de administração e taxa de gravidez % 4,5 4 4 3,5

3,1 2,8

3 2,5 1,8

2

1,6

1,5 1 0,5 0,5 0 0-12

13-24

25-36

37-48

49-60

61-72

horas Fonte WHO – Pooled data. The Lancet, 1998

Drezett, J. 2003 Hospital y Maternidade Leonor Mendes de Barros Núcleo Interdisciplinar de Atenção ao Abuso e Violência Sexual


Mecanismo de ação da CE 70

1. Inibição ou Atraso da Ovulação

LH ( UI / L )

60

Placebo Yuzpe 50

40

30

20

10

X

0 -2

-1

0

1

2

3

-10

Fontes WHO - TASK FORCE. The Lancet, 352(9126): 428-33, 1998 ALVAREZ F et al. Efecto del regimen Yuzpe en la fase folicular en la funcion ovarica. CLAE, 2002

Drezett, J. 2003 Hospital y Maternidade Leonor Mendes de Barros Núcleo Interdisciplinar de Atenção ao Abuso y Violencia Sexual


Mecanismo de ação da CE

Somente 5% das gestações ocorrem nestas circunstâncias Fontes TASKIN O. Fertil Steril., 1994 SWAHN ML. Acta Obstet. Gynecol. Scand., 1996

Drezett, J. 2003 Hospital y Maternidade Leonor Mendes de Barros Núcleo Interdisciplinar de Atenção ao Abuso y Violencia Sexual


Mecanismo de ação da CE 2. Interferência na Capacitação Espermática e no Muco Cervical Capacitação dos espermatozóides no trato genital feminino

Fonte WHO - TASK FORCE. The Lancet, 352(9126): 428-33, 1998

Drezett, J. 2003 Hospital y Maternidade Leonor Mendes de Barros Núcleo Interdisciplinar de Atenção ao Abuso y Violencia Sexual


Mecanismo de ação da CE

X

Fonte WHO - TASK FORCE. The Lancet, 352(9126): 428-33, 1998

3. Alteração da Motilidade Tubárea

Drezett, J. 2003 Hospital y Maternidade Leonor Mendes de Barros Núcleo Interdisciplinar de Atenção ao Abuso y Violencia Sexual


Contracepção de Emergência

Equívocos sobre o mecanismo

CE NÃO impede nidação do óvulo. Hipótese foi descartada em 2002, após 3 estudos realizados com primatas e com mulheres, apresentados na 1ª Conf. Latino-americana de CE e validados em revistas científicas e OMS. Não ha interferência sobre a implantação ou alterações no endométrio Fontes TASKIN O. Fertil Steril., 1994 SWAHN ML. Acta Obstet. Gynecol. Scand., 1996

Drezett, J. 2003 Hospital y Maternidade Leonor Mendes de Barros Núcleo Interdisciplinar de Atenção ao Abuso y Violencia Sexual


Novas Recomendações Efeitos sobre o padrão menstrual

• Uso não precisa ser feito em dose separadas (12 + 12 horas) – é possível tomá-las juntas que têm o mesmo efeito – tendência de comprimido único • Uso tem efeito até 5º dia após a relação (120 hs)

Novas Orientações da 1ª Conferência de CE confirmadas pela OMS Fonte WHO - TASK FORCE. The Lancet, 352(9126): 428-33, 1998

Drezett, J. 2003 Hospital y Maternidade Leonor Mendes de Barros Núcleo Interdisciplinar de Atenção ao Abuso y Violencia Sexual


Contracepção de Emergência EFEITO

Efeitos Colaterais

YUZPE

DOSE ÚNICA

NÁUSEAS

50,5

23,1

VÓMITOS

18,8

5,6

TONTURAS

16,7

11,2

CEFALÉIA

20,2

16,8

OUTROS

16,7

13,5

Fonte WHO - TASK FORCE. The Lancet, 352(9126): 428-33, 1998

Drezett, J. 2003 Hospital y Maternidade Leonor Mendes de Barros Núcleo Interdisciplinar de Atenção ao Abuso y Violencia Sexual


Contracepção de Emergência Efeitos colaterais

• Normalmente 25% das mulheres que tomam têm dor de cabeça, ou enjôo e algumas vomitam.

Recomendação em caso de vômito até 2 horas da ingestão é repetir a dose e, em caso de novo vômito, ingestão via vaginal.

Fonte WHO - TASK FORCE. The Lancet, 352(9126): 428-33, 1998

Drezett, J. 2003 Hospital y Maternidade Leonor Mendes de Barros Núcleo Interdisciplinar de Atenção ao Abuso y Violencia Sexual


Contracepção de Emergência Efeitos sobre o padrão menstrual 15% 57%

sem alterações

atraso de 7 dias

15%

antecipação menstrual

13%

atraso maior que 7 dias Fonte WHO - TASK FORCE. The Lancet, 352(9126): 428-33, 1998

Drezett, J. 2003 Hospital y Maternidade Leonor Mendes de Barros Núcleo Interdisciplinar de Atenção ao Abuso y Violencia Sexual


% Gravidez de Contraceptivos Uso Rotineiro

Uso Correto

NENHUM MÉTODO

85

85

métodos comportamentais

20

1a 9

camisinha masculina

14

3

camisinha feminina

21

5

espermicidas

26

6

pílula

6a8

0,1

injetáveis

0,3

0,3

DIU

0,8

0,6

laqueadura

0,5

0,5

vasectomia

0,15

0,1

implantes

0,1

0,1


Contracepção de Emergência

Método de Uso Pontual

RISCO DE GRAVIDEZ ACUMULADO EM 1 ANO (SE USADO NAS 1ª 24 Hs).

YUZPE 1 COITO/MÊS 2 COITOS/MÊS 3 COITOS/MÊS

21,5 38,4 51,7

DOSE ÚNICA 4,7 9,2 13,4


Efeitos Colaterais leves Única opção contraceptiva pós-coito Autonomia de mulheres Prevenção de gestações decorrentes de estupro Prevenção de gestações não-planejadas Prevenção de abortos provocados Prevenção de morbi-mortalidade em decorrência de abortos provocados


Efeitos Colaterais Leves Não ter uso extensivo, mas pontual Menos eficaz que outros métodos contraceptivos de rotina

Passa nos Critérios de Elegibilidade da Organização Mundial de Saúde, que passa a recomendá-la a partir de 1986.


Países Passaram a Recomendá-la: Países Europeus, Canadá e China: década de 70 (formato Yuzpe) Estados Unidos: desde 1992 (dose única) Ministério da Saúde (Brasil): desde 1996 (formato Yuzpe) e em 1998 com dose única

Recomendação para: estupro / falha de método /não uso esporádico de método, incluindo explicitamente adolescentes


1994 – Formação do Consórcio Internacional de Contracepção de Emergência 1996 – Ministério da Saúde inclui nas Normas de Planejamento Familiar 1998 – MS edita Normas de Atendimento a Mulheres e Adolescentes Vítimas de Violência Sexual 2002 – Criação do CLAE – Consórcio Latino-americano de Contracepção de Emergência 2001-2003 – inclusão do método em Serviços de Atendimento a Vítimas de Violência sexual


Ano

Doses

Quantidade de municípios beneficiados

Observações

2002

100.000

459

incluindo 59 serviços de atendimento a vítimas de violência sexual

2003

120.000

2000

2004 2005

kit complementar

Informação não fornecida 352.361 (16% SP)

5236

Visando Unidades Básicas de Saúde


Distribuição da CE por DIR - SP 2.000 2.000

1.500

1.100 1.000

560 524

468

434

500

258 116

328 180 174 104 154

52

52

148

90 40

206

462 158

396 154

246

-

1

2

3

4

5

6

7

8

9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24


Como os municípios lidaram com essa inclusão Como foi implementada a política Quem teve acesso ao método E quem não recebeu, como está lidando? É necessário orientação para o público e profissionais da rede pública sobre a CE?


Debates, confusões e reações Médicos e Outros profissionais de Saúde se atualizaram após 2002? Sabem que foi comprovado que ela NÃO impede a nidação?


Não Confundir... Pílula Abortiva - RU 486 feita de Mifepristona Pílula Contraceptiva de Emergência - feita de progestogênio LEVONORGESTREL Pílula do Dia Seguinte – essa expressão não deve ser usada, pois causa a impressão de que ela só pode ser utilizada no dia seguinte a relação desprotegida


Ano

Unidades

2001

1.086 milhões

2002

1.493 milhões

2003

1.976 milhões

2004 2005

2.329 milhões mais de 4.000 milhões


Conhecimento por Adolescentes e Jovens ano

Instituiç.

Amostr a

Conhecimento CE ESPONTÂNEA

2000

NEPAIDS /USP

2002

IPAS

2006

BARONG

2006

INSTITUTO DE SAÚDE

Fem.

Masc .

14,1%

7,6%

783 aleat.

ESTIMULADA

Total

Fem.

Masc.

total

10,3 %

62,3 %

56,37 %

59,0% 57,2%

834 aleatória

20%

14,2 %

17%

_

_

_

4.950 Represen tativ a

_

_

_

92%

78,8%

85,9%


ano

Instituiç.

Amostra

Conhecimento CE ESPONTÂNEA

2000

NEPAIDS /USP

ESTIMULADA

Fem.

Masc.

Total

Fem.

Masc.

total

14,1%

7,6%

10,3%

62,3%

56,37%

59,0%

783 aleat.

2002

IPAS

2006

BARONG

2006

57,2% 834 aleatória

20%

14,2%

17%

_

_

_

4.950 Representa tiva

_

_

_

92%

78,8%

85,9%

INSTITUTO DE SAÚDE


É uma política que interessa a todos os municípios. É uma política que deve estar integrada à política de Orientação em Planejamento Familiar/Contracepção. É uma política que deve estar integrada à política de Educação/Educação Sexual/ Prevenção de Aids com Adolescentes e Jovens. É uma política que interessa a públicos com riscos especiais: usuário de preservativo (HIV+), pessoas com doenças ou transtornos mentais severos, dependentes de drogas e vítimas de violência sexual.


Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo

Apresentação atualizada ce(1)  

Apresentação atualizada ce(1)

Advertisement