Issuu on Google+

capa | Signo Comunicação

ano XV | agosto de 2014


DESDE 1999

ÍNDICE

ano XV nº 172 agosto 2014

Signo Comunicação (PE)

CAPA A difícil decisão de onde e como investir o bolo publicitário sem desperdiçar a verba do cliente e atrair a atenção do consumidor. 16

revista de comunicação e marketing NE

RECIFE•SALVADOR•FORTALEZA•NATAL JOÃO PESSOA•MACEIÓ•TERESINA ARACAJU•SÃO LUÍS • SÃO PAULO

:: EDITOR Walter Lins Jr. walter@revistapronews.com.br :: REDAÇÃO Luciana Torreão - subeditora, Ivelise Buarque, Joyce Warren e Poliana Alencar

A VEZ DO CLIENTE Aos 40 anos de existência, a Hello Kitty mostra mais do que fofura. 24

redacao@revistapronews.com.br :: COLABORADORES Joelli Azevedo, Matheus Torreão :: PRODUTOR GRÁFICO Bruno Regis producao@revistapronews.com.br :: DEPTº FINANCEIRO Walter Lins Jr walter@revistapronews.com.br :: ASSINATURAS 81 3426.6144 / 3034.6144 producao@revistapronews.com.br :: REPRESENTANTES COMERCIAIS NS&A - CE - Aldamir Amaral (85 3264.0406/ 0576) - nsace@nsaonline.com.br

PERFIL A jornalista Fabiana Moraes fala sobre a arte de investigar e contar histórias. 34

:: DISTRIBUIÇÃO LogResolve (PE - 81 2123.1455) Jornal Correio - Rede Bahia (BA - 71 3203.1812) Sistema Verdes Mares (CE - 85 3266.9902) www.verdesmares.com.br :: DADOS TÉCNICOS Impressão: Gráfica FacForm (81 3339.6566)

GIRO 8 FICHA TÉCNICA 10 E 31 GIRO BRASIL 12 DE OLHO NA CAMPANHA 26 NA WEB 29 CLICK 37 EU RECOMENDO 38 Todo mês uma agência diferente produz a capa da Revista PRONEWS. Participe pelo e-mail: redacao@revistapronews.com.br 4

grafica@facform.com.br Tiragem: 7.000 exemplares Formato: 22x30cm Tipologia: Humanist 521 BT Papel: Couché brilho 150g/m² Número de páginas: 40 As matérias assinadas por nossos colaboradores não representam, necessariamente, a opinião da revista.

WWW.REVISTAPRONEWS.COM.BR


COLUNA ASSERPE

PERNAMBUCO CONECTADO Em todo o estado experiências bem sucedidas da relação do rádio e TV com a internet tem transformado a maneira de consumir mídia e Pernambuco está conectado com essas mudanças É comum em todo o Brasil, bem como no exterior, a conexão direta entre radiodifusão e internet. E a relação vai além dos sites e portais de notícias das emissoras. Atualmente, as redes sociais se transformaram no par perfeito do rádio e da TV. Os novos termos e aplicações das mídias como segunda tela e multiplataforma são realidade e as emissoras de rádio precisam aprender a lidar com elas. Em Pernambuco, ações que visam integrar as mídias já podem ser vistas por todo o estado, da capital ao interior. Aos poucos, o radiodifusor está começando a compreender que a internet não é uma ameaça às emissoras de radio, mas sim, uma aliada que pode agregar mais entretenimento, informação e interação à sua programação. Em várias emissoras do estado a integração com as redes sociais já têm apresentado resultados positivos. No Recife, um bom exemplo de como a parceria mídia tradicional-alternativa tem dado certo vem da Rádio JC News FM e Rádio Jornal AM, ambas do Sistema Jornal do Commércio. A Rádio Jornal AM foi a primeira Rádio da América Latina a disponibilizar o áudio na internet. Hoje, de acordo com o gerente de Produção da emissora, Carlos Miguel, a rádio tem muitos ouvintes que acessam o site para ouvir rádio. “No site da JC News há um ano a média era de 28 mil. Hoje, passamos dos 180 mil. Por mês, a nossa página tem, em média, 800 mil Page/vieiws”, afirma Carlos Miguel. Enquanto isso, em pleno Sertão do Pajeú, no município de Afogados da Ingazeira, a Rádio Pajeú AM também tem promovido ações de sucesso com o uso das redes sociais, é o que garante o diretor da emissora, Nill Júnior. “A cada dia, crescem as promoções específicas para o ouvinte que acompanha também pela Internet. Fazemos muitas campanhas exclusivas para ouvintes/internautas por nosso Portal, o Pajeú Radioweb. O Bolão da Copa, por exemplo, que entregava camisas oficiais de clubes de Pernambuco para quem acertasse o resultado dos jogos do Brasil, 'bombou' na web, através de nossa página e fanpage, no facebook”, afirmou Nill Jr. 6

Para o diretor Executivo da Rádio CBN Recife, Paulo Fernandes, outro ponto interessante a ser compreendido pelas emissoras de rádio é quanto ao conteúdo publicado na web. Segundo ele, é importante a emissora reconhecer que o público online tem outra perspectiva do conteúdo. “Bem, hoje, nós colocamos o mesmo áudio para as duas rádios, tanto para a convencional, quanto para a online. Mas, são públicos distintos. O ideal é que a online vá além do áudio, seja também imagem e interatividade plena”, conta. De acordo com Paulo


“Os ouvintes que eram inatingíveis por nossas ondas, agora comemoram estar pertinho da região onde nasceram através da rádio online. Vamos ter que nos preocupar cada vez mais com geração de conteúdo específico para internautas” Nill Júnior, Rádio Pajeú AM , Afogados da Ingazeira (PE)

também, em breve a CBN Recife vai adequar o que é publicado na web e veiculado na rádio e no portal. São várias as formas e vantagens que podem ser identificadas com a utilização da chamada multiplataforma, que nada mais é do que a condição de acompanhar em mais de uma mídia um programa de TV ou de rádio. É muito comum hoje as pessoas acompanharem as novelas e ao mesmo tempo comentar sobre a roupa da personagem principal no facebook. Ou então, ouvir uma notícia no rádio e em seguida postar a informação em seu twitter. O desafio é encontrar o tom certo para não perder audiência. Nesse sentido, as emissoras de Pernambuco também têm feito seus investimentos. De acordo com Carlos Miguel, a JC News investe em novos produtos e modelos. “Posso te dizer uma curiosidade: no site da Rádio JC News, o maior número de acessos é para ver a movimentação do estúdio com a nossa câmera. Então já é um norte: melhorar a qualidade também do vídeo. Hoje também é possível assistir as duas rádios pelo celular”, Adianta Carlos. No site da JC News e Rádio Jornal é possível acom-panhar a

movimentação dos ancoras e entrevistados através de player de vídeo, ao vivo. No interior do estado a relação do rádio com a internet tem também um viés emocional. Muitos conterrâneos que não moram mais em Pernambuco gostam de ouvir, via internet, a rádio e as notícias da sua terra natal com o sotaque e o apego à suas raízes. Para Nill Júnior é importante a geração de conteúdo específico para esse público. “Os ouvintes que eram inatingíveis por nossas ondas, agora comemoram estar pertinho da região onde nasceram através da rádio online. Vamos ter que nos preocupar cada vez mais com geração de conteúdo específico para internautas”, sentencia Nill. Segundo ele também, novas diretrizes trazem outras apreensões, por conta da qualidade dos serviços prestados no interior. “Hoje já temos outras preocupações. Garanto já ter tanta dor de cabeça com a queda do sinal da internet como costumo ter quando há problema nos transmissores, com o sinal convencional”, afirma. O MESMO E O NOVO – Todos já sabem da função de companheirismo do rádio. Historicamente, o veículo tem um vínculo com seus ouvintes, por ser uma voz que fala direto com você todos os dias. Essa particularidade o rádio não vai perder, isso é um fato. No entanto, o veículo passa por um processo inovador com este novo modelo de consumo de mídia. Em algumas situações os ouvintes querem continuar ouvindo aquele programa, ou o jogo de futebol e por vezes a grade de programação da emissora não permite, por diversos fatores. Em Pernambuco, esse engodo já está sendo observado e ações estão sendo realizadas. De acordo com Carlos Miguel, os horários chamados “alternativos” já são adaptados de acordo com a programação sequenciada do rádio para internet. “Hoje durante a Voz do Brasil temos um programa para os dois sites e para aplicativos de celular. Durante as eleições, também temos nossa programação alternativa para quem não quer ouvir o Guia Eleitoral e pode acessar nossos sites que a programação estará normal.”, afirma. Além disso, a audiência também está crescendo. “Notamos um acréscimo sim na audiência tam-bém. Principalmente quando tem futebol às 19h e transmitimos para aplicativos e internet e isso tem atraído um público novo. Mais uma prova que a internet auxilia o rádio”, afirma Carlos. De acordo com ele também, é notável que mesmo migrando para a internet durante esses horários, a audiência volta ao rádio depois que o programa acaba. O que comprova que não há disputa e sim conexão entre as mídias. 7


GIRO VIAMÍDIA CONQUISTA NOVAS CONTAS A Codical, que é distribuidora de alimentos e varejo, é a mais nova conta da Viamídia (BA). A agência fará um trabalho para a marca com foco em ampliar seu alcance na região, conquistar novos clientes e aumentar o faturamento, desenvolvendo também ações promocionais nos pontos de venda. A Viamídia já inovou com a criação de uma peça específica para a linha gourmet da empresa, buscando conquistar mais clientes no segmento de alta renda. A empresa também acaba de conquistar o Hospital da Bahia e a primeira campanha foi para lançar o Instituto do Cérebro, um serviço integrado especializado em neurologia. O material criado inclui marca, institucional, impressos, sinalização, banner para internet e spot para rádio. TANG TAMBÉM COM LEITE Tang com leite. Esta é a nova aposta da marca, que é o Tang de sempre misturado com leite. Além de trazer o sabor da fruta característico de Tang em nova forma de consumo, a iniciativa também pode servir como incentivo a mais para as crianças aproveitarem os benefícios do leite, como cálcio e proteínas. Para divulgação, na região do Norte e Nordeste, a marca promove campanha de TV, mídia exterior e spot de rádio até outubro. Tang estará presente nos principais shoppings de Recife, Fortaleza e Salvador com ações de degustação. Além da nova sugestão de consumo, a identidade visual das embalagens foi completamente renovada e destacam os sabores das frutas e facilitam a identificação dos sabores no ponto de venda. ARTESANATO COM DESIGN Um verdadeiro portfólio virtual para os artesãos de Pernambuco divulgarem e comercializarem suas obras. Essa é a proposta do site Mãos de Pernambuco (www. maosdepernambuco.com.br), que traz peças produzidas por três grupos dedicados ao artesanato – Cerâmica do Cabo de Santo Agostinho, Artesanato Cana-Brava (Ponta de Pedras, Goiana) e Quilombolas de São Lourenço (Povoação de São Lourenço, também em Goiana). As três comunidades têm apoio do Laboratório de Design O Imaginário, da UFPE. Além de servir como vitrine para os artesãos, o site também facilitará o contato entre os artesãos e as pessoas interessadas em adquirir peças divulgadas na página. 8

BALLANTINE'S LANÇA PRODUTO EM HOMENAGEM AO BRASIL Ballantine’s acaba de lançar o Ballantine’s Brasil, produto produzido e importado da Escócia, feito com whisky escocês e mergulhado em barris com cascas de limão brasileiro. A novidade chega para ficar a partir de outubro, com exclusividade para a região Nordeste. A bebida representa uma inovação na fusão das tradições escocesas com a paixão brasileira por drinks especiais. Ballantine’s Brasil é um spirit drink (bebida mista) que une sabores doces e cremosos, com a combinação de toques de baunilha, com notas sutis de limão, o que resulta em gosto suave e consistente, perfeito para misturas e drinks. O produto estará disponível nas gôndolas de todo mundo ao longo de 2014. POR UMA VIDA MAIS ROTA DO MAR A grife pernambucana Rota do Mar acaba de lançar campanha com o mote “Leve uma vida mais Rota do Mar”, no Recife. O evento contou com os atores Humberto Carrão, Kleber Toledo e Felipe Titto e os modelos Andressa Suita e Gabriel Barreto, em vídeo de 30” produzido no Rio de Janeiro para enfatizar a tendência Verão 2015 da marca de beach e streetwear. Para mostrar a novidade, a empresa levou à capital pernambucana três dos garotos propaganda para um pocket desfile a fim de apresentar a nova coleção e conversar com o público. O plano de ação envolve mídia tradicional, investimento forte em mídias sociais e eventos e apoios com a proposta da estação do calor. Seguindo uma de suas investidas comuns, ela manterá ainda o apoio e patrocínio de atletas de diversas modalidades. ANIVERSÁRIO PRA TORAR A rede varejista pernambucana Eletro Shopping iniciou a campanha de aniversário de 20 anos, que está sendo veiculada na TV, rádio, jornal, tabloide e banner. O jingle é contagiante e já se transformou em hit. Usando o bordão “pra torar”, que popularizou a garota propaganda da rede, dona Irene, os filmes destacam os cinco estados (Ceará, Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte).


FICHA TÉCNICA

VOTA BAHIA O Vota Bahia, maior cobertura das eleições 2014 no Estado, tem campanha da Viamídia. A união inédita entre a TV Aratu, jornal A Tarde e rádio Metrópole promoverá a maior cobertura das Eleições 2014. Os três maiores veículos de comunicação do estado da Bahia realizarão transmissões simultâneas de todos os acontecimentos do período eleitoral e as redações atuarão em conjunto. A campanha de lançamento foi toda criada pela Viamídia, com peças veiculadas em televisão, rádio, outdoor, jornal e internet. A linha criativa explora a imagem dos maiores representantes das três empresas de comunicação: Mario Kertész, Casemiro Neto e Levi Vasconcelos. Assim, as peças procuram dar destaque aos três nomes, com layout clean e uso das cores da Bahia. Ao todo, serão mais de mil profissionais envolvidos neste grande projeto. Agência: Viamídia Publicidade (BA) Cliente: Vota Bahia Atendimento: Aline Pinheiro Diretor de Criação: Neca Boullosa Diretor de Arte: Sérgio Bordim Redator: Jonga Madureira Aprovação: Emanuel Soares e Angélica Baldas

VIVA SEU LUGAR Para marcar a chegada do primeiro empreendimento da Queiroz Galvão ao bairro do Cordeiro, os prédios Maria Nina e Maria Nara, a Aporte Comunicação criou uma estratégia diferente. A campanha, elaborada com um apelo lúdico no seu visual, inclui peças para a mídia tradicional e para a ação de visibilidade no entorno do empreendimento. A grande inovação da estratégia adotada pela agência fica por conta do “Viva seu Lugar”, uma publicação feita sob medida, que traz diversas curiosidades e dicas do bairro. A ideia é que se transforme em um verdadeiro guia para os que querem conhecer todas as vantagens de morar no Cordeiro. Criado com linguagem fácil e com farto material sobre a história e a vida do bairro, o material será distribuído no próprio escritório da incorporadora e em standes de divulgação. Para a produção de todo o conteúdo informativo da peça, a Aporte contou com a assessoria da Signo Comunicação. Agência: Aporte (PE) Cliente: Queiroz Galvão Atendimento: Lucianna Andrade e Raquel Gaudêncio Direção de Criação: Betinho Montenegro e Juliana Lisboa Diretor de Arte: Betinho Montenegro e Otávio Rêgo Redator: Juliana Lisboa e Peu Souza Arte Finalista: João Monteiro Produção: Eduardo Miranda Promoção: Priscilla Carvalho e Ana Bete Rocha Mídia: Fred Teixeira e Débora Montenegro Aprovação: Lucas Regueira, Ana Cecília Correia e Daniela Barbosa. 10


ORIENTE-SE O Nirai Cozinha Oriental inaugura mais uma unidade localizada na Zona Sul do Recife. “Oriente-se” é o título da nova campanha que convida os apaixonados pela cozinha oriental a conhecerem a nova opção de casa numa estrutura confortável e que conta com cardápio renovado. O serviço de rodízio funcionará de segunda a domingo no almoço e no jantar. A nova unidade do Nirai ficará na Av. Engenheiro Domingos Ferreira, 2045, em Boa Viagem. Agência: BPM Comunicação (PE) Cliente: Nirai Cozinha Oriental Atendimento: Bruno Pinheiro Mídia e Planejamento: Fernanda Sales Diretor de Criação: Herbert Almeida Diretor de Arte: Romero Melo Redator: Herbert Almeida Produção RTVC: Juliana Pereira Assistente de Mídia: Regina Dalla Nora Produção: Cecylia Ferraz Aprovação: José Bruno Souza

GOLPE NINJA NA FOME Para marcar a chegada do novo cardápio, que ganhou mais pratos e uma repaginação completa, a rede de temakerias KoniMix lançou a campanha Golpe Ninja na Fome. Todo o material gráfico foi desenvolvido pela Caju Agência Digital, que utilizou o mascote Shin como um dos protagonistas das peças. A divulgação inclui aplicação para backbus, folheteria e ações nas redes sociais da empresa. As peças elaboradas representam a proposta de aliar o irresistível sabor oriental à praticidade e agilidade no preparo dos pratos. Agência: Caju Agência Digital (PE) Cliente: KoniMix Temakeria Atendimento: Guilherme Leite Diretor de Criação: Abelardo Santana Criação: Fellipe Câmara, Breno Chamie e Thiago Lins Diretor de Arte: Isabelli Vasco Produção gráfica e executiva: Vanessa Amorim Redator: Thiago Lins Mídia: Vanessa Amorim Aprovação: Albérico Pena e Ricardo Leite

11


GIRO BRASIL sumidores que o leite fermentado é ideal para manter a saúde de toda a família. O filme veicula em 47 praças nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Bahia, Pernambuco, Ceará, Alagoas, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e no Distrito Federal. A campanha reforça a assinatura da empresa: 'Para

Pedro Chavedar |

PIRELLI LANÇA SELFIE PELA PAZ Candice Huffine (uma das tops models da edição 2015 do Calendário Pirelli) e Javier Zanetti (ex-jogador e ídolo da Inter de Milão) são apenas algumas das celebridades que já aderiram à campanha pela paz, #P4Peace, criada pela Pirelli. As personalidades postaram nas redes sociais suas selfies “assinadas” com o P de paz. A iniciativa, que foi lançada pela Pirelli no mundo inteiro, é um apoio à Partida Inter-religiosa pela Paz, promovida pelo Papa Francisco e reúne craques do passado e do presente. Qualquer pessoa pode participar da iniciativa. Para isso basta tirar uma selfie e publicar no Twitter, Facebook ou Instagram, com a hashtag #P4Peace. Cada foto vai se tornar um “tijolo” de uma grande parede digital, que reunirá todas as selfies da campanha: http://pirelli4peace. com/. ANÚNCIO LIKE A C&A, em parceria com a Microsoft e Tim, surpreende o mercado e apresenta o projeto Anúncio Like. Esta é a primeira vez que uma empresa leva até as consumidoras, por meio de um anúncio de revista, o botão “like” do Facebook. A campanha, criada pela DM9DDB, foi veiculada em alguns exemplares da revista Contigo. O anúncio impresso e digital permite que as pessoas interajam, curtindo o look preferido, sem ter de acionar nenhum device. Todas as revistas receberam uma placa eletrônica com componentes específicos e um chip da Tim, que armazenou as informações das pessoas cadastradas. Desta forma, cada 'like' acionado resulta em uma publicação na timeline da pessoa que interagiu com o anúncio. SAINDO DA GELADEIRA É o nome da nova campanha do Yakult criada pela agência Publicis Brasil. Os personagens do filme são um menino, seu pai e avô abrindo a porta do refrigerador pela manhã, ainda de pijama. Ao fechar a porta com o leite fermentado nas mãos, os três estão prontos, bem-dispostos e arrumados para suas atividades diárias. O objetivo da empresa é reforçar aos con12

um amanhã mais saudável, Yakult hoje’ BELEZA GERA BELEZA O Boticário leva a público um movimento que não promove nenhum cosmético. Nada de perfume, maquiagem, shampoo ou creme. Desta vez, a marca mais amada do País e maior rede de franquia pretende revelar, em uma série de iniciativas, o que está por trás da profunda relação emocional construída ao longo de mais de três décadas com seus públicos. Entra no ar o movimento Beleza Gera Beleza – que mostra às mulheres de todo o Brasil como a crença de O Boticário sobre o poder transformador da beleza está presente na vida de cada uma das pessoas e consegue conectá-las ao ideal de tornar o mundo melhor. O início do movimento será marcado por um filme em TV aberta, seguido por iniciativas que promoverão o diálogo com os consumidores em diversas plataformas. A campanha publicitária, criada pela agência AlmapBBDO, apresenta o conceito revelando como ele, muitas vezes, já está presente no dia a dia das pessoas, às vezes sem que elas percebam.

PANASONIC RENOVA COM FERNANDA LIMA A Panasonic do Brasil anuncia a renovação de seu contrato de publicidade com Fernanda Lima por mais dois anos. Garota-propaganda da linha branca de produtos da marca (refrigeradores, lavadoras, micro-ondas e condicionadores de ar), a apresentadora também participará das campanhas da marca para os Jogos Olímpicos Rio 2016. Patrocinadora das Olimpíadas desde a década de 80, a Panasonic se prepara para ser a fornecedora oficial do evento de equipamentos de áudio e vídeo.


RIMA QUE DÁ REPENTE

De Repente Virtual – Memórias da Singela Literatura Nordestina, além de projeto de conclusão para o curso de jornalismo da Unicap pelas alunas Joelli Azevedo e Malu Silveira, é também, a estreia da parceira do Sistema Jornal do Commercio (SJCC) com as universidades pernambucanas. A reportagem multimídia é a primeira a ser divulgada no portal NE10 para a iniciativa que visa dar maior visibilidade ao material produzido pelos alunos das instituições de ensino superior para que este não fique restrito ao ambiente acadêmico. “Essa parceria é um grande incentivo para os futuros jornalistas porque além de divulgar o trabalho realizado pelas duplas, mostra ao mundo os perfil dos novos comunicadores que estão se formando e indo para o mercado de trabalho. É o tipo de parceria que vale a pena ser colocada no currículo para oportunidades futuras”, celebram as alunas, que só precisaram fazer algumas configurações técnicas no website para que o projeto fosse parar na íntegra no portal do NE10. A ideia de tratar do cordel, segundo Joelli e Malu, surgiu nas reuniões com a orientadora do projeto, Fabíola Mendonça. Buscavam algo relevante, que pudesse despertar o interesse das pessoas e servir como documento para buscas futuras dos internautas. Após muitas conversas e pesquisa, tiveram, enfim, o insight de falar do cordel não apenas em sua história e suas rimas, mas como o gênero literário tem enfrentado a era virtual e de que formas vem sobrevivendo nas novas tecnologias destes tempos pós-papel. Daí o nome - fusão de repente, “o cordel falado no improviso do povo”, com as múltiplas possibilidades do ciberespaço – e a opção pela reportagem multimídia, que engloba diversos formatos jornalísticos. “Este veículo tinha tudo a ver com uma de nossas principais propostas, que era mostrar as iniciativas dos resistentes cordelistas para difundir o livreto nos meios digitais. Com o website pudemos usar gravações de vídeo, áudios, usamos fotos e ainda pudemos desenvolver infográficos. Ferramentas que atraem a atenção do internauta e são interativas”. Para realizar as entrevistas e a pesquisa de campo, as estudantes visitaram os maiores templos do cordel do estado

de Pernambuco. Interior adentro, foram ao Memorial J. Borges em Bezerros, o Museu do Cordel, em Caruaru, e conversaram com o presidente da Academia Caruaruense de literatura de cordel. Na capital, o roteiro passou pela Casa da Cultura, Espaço Pasárgada, Museu do Homem do Nordeste; além eventos como a Bienal do Livro, no Centro de Convenções de Pernambuco, e a Fliporto em Olinda - redutos de cordelistas. “Sobre a experiência com os cordelistas, podemos dizer que foi excelente. Fomos muito bem recebidas e foi gratificante o interesse deles em divulgar a arte”.

Joelli Azevedo e Malu Silveira

Além destes lugares, em sua maioria reservados à memória e exposição do gênero literário nordestino, Joelli e Malu também acompanharam projetos alternativos que utilizam o cordel como ferramenta de aprendizagem e inclusão. Dentre elas esteve o Cordel em Cada Canto, iniciativa desenvolvida pela União dos Cordelistas de Pernambuco (Unicordel) para levar oficinas ensinando como escrever e editar livretos para detentos de penitenci á rias do Sertão e Agreste do estado. Outro, o Cordel Nas Escolas, foi idealizado por um grupo de poetas e emboladores com o apoio da Secretaria de Educação de Caruaru para fazer do cordel meio de educação e alfabetização nas escolas públicas da cidade. De acordo com os, agora bacharéis em jornalismo, houve uma grande mudança entre ideias que tinham preconcebidas sobre o tema e o que descobriram durante o trabalho 13

Matheus Torreão |

Sistema Jornal do Commercio inaugura parceria com universidades publicando reportagem multimídia de alunas da Unicap sobre o cordel na nova era digital


O projeto ‘‘De Repente Virtual’’ mostra a força do cordel em tempos digitais

“ 14

contando suas histórias sem perder o que mais interessa: o bom humor diante da vida”, comenta Malu. “Aprendi que para fazer literatura de cordel é preciso entender de métricas e conhecer o jeito nordestino de ser, além de ter um bom papo, como a maioria dos jornalistas que eu conheço”, finaliza Joelli. O trabalho está disponível íntegra no endereço www.unicap.br/webjornalismo/derrepentevirtual/ e foi indicado para concorrer a uma vaga no Intercom 2014 congresso nacional de acadêmicos da área de comunicação dentro da categoria Expocom, espaço reservado para trabalhos experimentais realizados na graduação.

de apuração. “Nós sabíamos que a literatura de cordel não estava mais em evidência como quando era vendida nas feiras, mas nos surpreendemos pelo fato de estarem aliadas as novas tecnologias. Por alguns momentos pensávamos que ela poderia não resistir ao desenvolvimento tecnológico, mas a realidade é o contrário. A mídia digital agrega valor aos livretos e divulga a arte dos cordelistas”, esclarecem. Atualmente, tal qual concluiu a pesquisa, muitos artistas divulgam lançamentos, recitais e até vendem suas obras pela internet, exibindo sua arte através de redes sociais e páginas profissionais próprias. E assim, de mãos dadas com a xilogravura, o gênero secular vem sendo passado de geração para geração, através de iniciativas independentes que buscam não deixar o cordel se tornar mais um patrimônio cultural incapaz de andar sem a bengala dos incentivos estatais. No entanto, avaliando o fomento que a literatura dos cordelistas recebe, tanto da parte dos fundos de apoio à cultura quanto do público consumidor em geral, Joelli e Malu acreditam que a arte se encontra pouco valorizada nos nossos dias, especialmente pelas novas gerações. “Talvez pelo desconhecimento, falta de divulgação ou ausência de novos cordelistas. O sucesso é maior entre os turistas. Talvez um dos motivos para a falta de interesse pelo gênero por parte dos próprios conterrâneos dos cordelista é que não há muitos incentivos por parte do Estado para os escritores nem para seus projetos, como feiras e recitais que valorizam esta arte”, examinam. Enfim, quanto às conclusões finais que tiraram dos trabalhos de reportagem, ambas concordaram na mesma coisa: entender a literatura de cordel é entender o povo nordestino. “Trata-se de um povo que expressa o seu cotidiano - alegre, sofrido, calejado - das mais diversas maneiras,

Para fazer literatura de cordel é preciso entender de métricas e conhecer o jeito nordestino de ser, além de ter um bom papo.

Joelli Azevedo


Sempre de olho nas tendências de mercado e consumo, a Ampla Comunicação (PE) se uniu à Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) para fazer uma pesquisa para avaliar novos conceitos e hábitos da população pernambucana. O estudo foi organizado pelo diretor de Planejamento da Ampla, Fernando Lima, e o coordenador da agência Minerva e professor do curso de Publicidade e Propaganda da UFPE, Rodrigo Stéfani Correia. Ambos sentiram a necessidade de entender sobre novos segmentos e, com essa ideia, foram às ruas com câmeras de vídeo e gravador para falar com pessoas e observar comportamentos em praças, parques, shoppings, universidades, festas e bares da Região Metropolitana do Recife.

apenas da observação”, destaca o professor Rodrigo Stéfani. Segundo o relatório, Recife é considerado o maior mercado de luxo do Nordeste. Com a inauguração das lojas Prada e Louis Vuitton, no Shopping RioMar, este conceito é reafirmado e, claro, não deixa de ser uma prova do crescimento econômico no Estado. Outro ponto importante é a questão da mobilidade que é a bola da vez, em virtude do trânsito cada vez mais caótico dos grandes centros. E com isto, a praticidade das bikes está ganhando muito mais fãs, de acordo com o estudo. Além destas perspectivas, surge a diversidade musical, onde aponta que todos os ritmos são apreciados, do brega ao pop. E a indústria criativa é também um fator predominante com os polos de produção de games, e longas-metragens valorizando ainda mais a cultura local. Diante da globalização desta era tecnológica, surgiu a necessidade de se reencontrar e de estarem todos juntos. É nesse cenário que surge o projeto dos bairros planejados e as novas praças, no intuito de fazer com que as pessoas fiquem mais próximas. Com relação à culinária, a pesquisa também mostrou que o consumidor pernambucano está à procura de novos sabores. Buscando mesclar o regionalismo da nossa região com a riqueza das nossas sementes, os bistrôs e restaurantes estão, cada vez mais, adaptando seus cardápios para esta nova demanda. No quesito bebida, a tendência é a cachaça. Justamente por ser derivada da cana de açúcar, onde sua história se Professor Rodrigo Stéfani e alunos pesquisadores funde com a do Brasil. Desta forma, conquista cada vez mais o mercado internacional graças ao seu Foram avaliados 300 pernambusabor e valor cultural. “A cachaça é o canos de todas as idades e classes sociais. novo vinho, ela cria harmonia com a comi“Nosso intuito é saber a demanda e a da”, pontua Fernando Lima. necessidade de todos os públicos, por Para públicos de gostos tão difeisto, não dava para falar apenas com um renciados e variados, o mercado de tipo de classe A ou B”, ressalta Fernando móveis e decoração também se reinvenLima. A busca revelou uma série de tou para garantir mais conforto e comofatores locais que mudaram e estão didade (especialmente aos que adoram mudando a forma de consumir e comgames) para seus clientes, criando conprar. Sendo assim, a partir dessas análiceitos e projeções com plataformas difeses, lançaram o Reconecta Recife. Projerenciadas. Uma tendência também em to que une 12 tendências pernambucadestaque são os espaços gourmets, crianas entre as quais se destacam moda, Fernando Lima, agência Ampla ção de um estilo próprio e minimalista, mobilidade, estilos musicais, entreteniresgatando aspectos dos anos 50. A moradia ecológica, mento, novas praças, gastronomia, bebidas, design de favorecendo a sustentabilidade econômica, traz os espaços móveis, espaços gourmet, minilojas, moradia e estilo retrô. “É de compras perto do nosso lar, preservando a qualidade, fundamental saber o que está acontecendo. Foram dois anos praticidade e conforto. de pesquisa. É um trabalho de grande magnitude, partindo 15

Poliana Alencar |

NOVAS TENDÊNCIAS DE CONSUMO


CAPA

Luciana Torreão|

O MIRABOLANTE MUNDO DAS VERBAS PUBLICITÁRIAS

16


Eugênia Montenegro, diretora de Atendimento da MMS Comunicação (PE)

CRUZAMENTO DE PLATAFORMAS – Outro fator a ser levando em consideração, é que nem sempre a internet é o melhor lugar para alcançar resultados de determinado produto, pois seu público não marca presença neste espaço. E talvez as mídias tradicionais sejam, realmente, as mais indicadas para o seu negócio, trazendo mais resultados. Ou ainda, a utilização das duas plataformas, de forma interativa ou não, pode trazer mais impacto. Então, nada de alarmes ou especulações. Não há mais espaço para achismos. É imprescindível a utilização de dados e pesquisas. Nem sempre muita audiência é sinal de qualidade de público alvo. Também não cabe levar em conta o gosto pessoal do cliente ou da agência, ou usar aquela ideia mirabolante e criativa para ganhar prêmios, mas que não surte efeitos em vendas ou branding. O fato é que, apesar dos tempos modernos, as mídias tradicionais continuam sendo as protagonistas de muitos planejamentos e de muitos clientes que ainda possuem resistência em acreditar e apostar nas mídias digitais. A diretora de Atendimento da MMS Comunicação (PE), Eugênia Montenegro, diz que embora a mídia online exerça um papel fundamental, tudo depende do segmento de mercado, do produto e, claro, da verba disponível. “O mundo online está mudando o jeito de se fazer comunicação e investir em mídia e o planejamento de mídia com base em pesquisas nunca foi tão importante nas agências”, destaca. Eugênia ressalta que o consumidor hoje é multicanal, está em todo lugar ao mesmo tempo. E analisa que 79% dos consumidores impactados offline realizam buscas online para buscar informações, saber do produto ou serviço anunciado.

“Apesar de a mídia online estar crescendo, a offline continua sendo o principal meio de comunicação no Brasil ou mesmo nos Estados Unidos. Basta ver a audiência do Super Bowl, que é simplesmente gigantesca”. E ela relembra que aqui no Brasil, as novelas têm conseguido grandes picos de audiência, como a histórica Avenida Brasil. “O personagem Félix, de Amor à Vida, até hoje é meme nas redes. É interessante notar que mais de 50% dos trend topics diários tem origem nos meios tradicionais. Portanto, não dá pra pensar hoje numa grande campanha sem a TV por exemplo. Agora mesmo tivemos um bom exemplo com a campanha do site bomnegocio.com, que utilizou como principal meio a mídia tradicional. E olha que é um cliente essencialmente do meio virtual. A gente acredita muito no planejamento junto à estratégia de comunicação para compactuar com as mídias on e offline para um excelente resultado para os nossos clientes”. E planejar a verba de mídia hoje está ficando cada dia mais difícil, não somente para as mais restritas, mas especialmente para as maiores. É o que afirma o mestre em Comunicação e professor de publicidade da Faculdade Boa Viagem (FBV)/Devry (PE), Rodrigo Duguay. “Buscar a otimização de recursos ao investir em meios de massa ou buscar mídias experimentais era, até o início da década de 1990, uma missão essencial para as pequenas contas. Hoje a fragmentação da atenção do consumidor, que interage com as mídias digitais enquanto vê TV e é bombardeado com centenas de mensagens publicitárias por dia, exige técnica e pensamento estratégico dos profissionais de mídia”. Duguay acredita que o principal diferencial do planejamento estratégico de mídia hoje não está na eliminação dos mensuradores tradicionais de audiência e frequência dos meios. Mas principalmente no entendimento de perfis psicográficos do consumo das mídias, como os disponibilizados por institutos, a exemplo do Ipsos Marplan. “Em vez de planejar a mídia para um target demográfico geral, divide-se o público em clusters - grupos de interesse com perfil comportamental - e a partir daí encontramos afinidade com meios e programações específicas”. Atuando também na função de assessor especial na Prefeitura da Cidade do Recife para questões relativas à mídia publicitária, Rodrigo comenta que antigamente os clientes governamentais, particularmente por sua abrangência de target, não se preocupavam com estas questões. Segundo ele, hoje as limitações de verba e a necessidade de justificar de forma técnica os investimentos feitos pelos gestores públicos, também exigem este mesmo tipo de análise para suas contas. 17


Rodrigo Duguay, professor de publicidade da Faculdade Boa Viagem (FBV)/Devry (PE)

“Ou seja, a mídia técnica e analítica tem se sobressaído em relação ao planejamento clássico baseado em mídias tradicionais e audiência. Outra questão importante é evitar a sobreposição desnecessária de investimentos para atingir o mesmo público em diversos meios: recomendações tradicionais, mas que tem um peso fundamental no planejamento contemporâneo de campanhas publicitárias”. PLANEJAMENTO ESTRUTURADO – O diretor da Reserva Comunicação (PE), Marcio Quirino, acredita que é muito importante sugerir para os clientes um planejamento bem estruturado, de médio ou longo prazo. Isso porque o emprego dos recursos passa a ter propósitos específicos,

baseados nas estratégias comerciais da empresa. “Os objetivos de comunicação precisam estar alinhados com os objetivos da empresa. O que deve orientar a estratégia na hora de planejar uma campanha é 'para quem iremos direcionar a comunicação?'. O perfil do público determinará o conteúdo da campanha e os canais de mídia que serão utilizados”. Ele diz ainda que o cliente está cada vez mais exigente, querendo investir onde terá uma taxa de conversão maior. E é preciso transformar um cliente em potencial, em consumidor. Contudo, para isso, entram as inúmeras variáveis, onde o comportamento de cada perfil é determinante no relacionamento com as marcas. Márcio avalia que hoje já é possível obter inúmeras pesquisas oferecidas pelos próprios veículos de mídia para que uma campanha esteja embasada e saber, por exemplo, que 55% dos telespectadores de um determinado programa pensam em comprar um apartamento. Ou que 40% dos acessos do site do cliente são oriundos de um determinado portal, quando a grande maioria dos acessos tem origem no Google. “Nós, profissionais de comunicação, estamos bem servidos de pesquisas e análises gratuitas, através de ferramentas e estudos realizados pelos próprios agentes de mídia. As verbas em mídias sociais estão crescendo. É perceptível a grande atratividade e o tempo gasto por dia dentro delas, coisa que os sites nunca conseguiram, nem os veículos

INVESTIMENTO EM PUBLICIDADE - BRASIL Investimento em Publicidade em 2013 (R$ milhões) $59,6

TV aberta $18,4

Jornal TV assinatura Internet Revista TV Merchandising Radio

$8,6 $7,3 $6,9 $5,9 $4,7

FONTE: Ibope 18


convencionais. O que é exposto dentro de uma rede social pode gerar um resultado expressivo na gôndola, isso para marcas que conseguiram entender o comportamento do seu consumidor e entrega para ele um conteúdo relevante”. E vale destacar, segundo Márcio, que para uma agência obter êxito dentro das mídias sociais, elas não precisam entender apenas de internet. Mas, principalmente, de comportamento de consumo, entender de pessoas, sentimentos, emoções, desejos. O diretor da Carratu Publicidade (RN), Ubirajara Carratu expõe que sempre foi muito difícil para os publicitários da Carratu mensurar o retorno da verba investida pelo cliente na mídia off. Afinal, ter ideia do sucesso da campanha em perspectiva do que foi investido, era erroneamente traduzido pelo cliente como conversão de vendas e isso acabou se transformando numa cultura entre os clientes locais. “A internet, com a sua profissionalização há alguns anos, fundiu este conceito com o retorno em números exatos de ações e campanhas criadas em seu meio. As métricas como mencionamos no nosso meio digital, são nossos maiores aliados para as novas negociações de mídia digital, já que os principais veículos sempre nos oferecem uma perspectiva numérica em relação ao investimento/retorno”. Segundo ele, a grande vantagem da internet é mensu-

rar com precisão os resultados e mostrar aos clientes que publicidade não é venda. “Com isso consequentemente a cultura do cliente mudou também. E ele começou a entender que precisa criar ações mais bem planejadas na área comercial. Caso ele contrate uma agência digital para fazer a sua publicidade e ela funcionar da forma que foi planejada, ele entenderá que não vendeu. Afinal, a sua estratégia comercial não era adequada, mas que a entrega dos clientes em seus canais digitais ocorreram”. ON X OFF – A cada dia que passa, Ubirajara diz que conquista mais clientes no mercado e cada vez mais ouve perguntas de como investir e quanto? “A resposta para esta situação vem da construção do nosso modelo de negócio como agência, que nos guiou durante anos a entender que o mercado é complexo e precisa ter bons profissionais para interpretar cada briefing com experiência no on e off”, finaliza. Hoje a Carratu Publicidade é Google Partner e busca novos certificados para profissionalizar cada vez mais a realidade do cliente que quer fazer publicidade na internet. Diante de um cenário com múltiplas opções - tanto de formatos quanto de canais - para o investimento em marketing, a agência tem papel ainda mais decisivo na orientação do seu cliente. Para o diretor Nacional de Mídia da Giacometti

INVESTIMENTO EM PUBLICIDADE - EUA Investimento em Publicidade em 2013 (US$ bilhões) $42.8

Internet

$40.1

TV Aberta $34.4

TV Fechada Jornal

$18.0 $16.7

Rádio

$13.4

Revista $7.9

Mídia Externa Vídeo Game

$0.9

Cinema

$0.8

Pesquisa: IAB/PwC

19


David Chalub Martins, Midia Giacometti Comunicação

Comunicação, David Chalub Martins, as estratégias devem ser definidas após um bom estudo de mercado. A partir das ferramentas disponíveis para se atingir o target desejado, das tendências e dos índices recentes de audiência e que inclua até a observação dos movimentos certeiros da concorrência. Mas tudo isso tem de ser conciliável com a verba disponibilizada pelo cliente. David explica que é inegável que a televisão aberta, especialmente nos horários nobres, continue sendo um meio poderoso para a comunicação rápida e eficiente de massa. Ele pontua que é necessário considerar também os

outros meios, que há alguns anos poderiam ser ambientes para “nichos”, mas que passaram a ser tendência e até canais de grande alcance. “A televisão por assinatura, por exemplo, já atinge 19 milhões de assinantes, com uma capacidade relevante de segmentação, através de sua programação bastante dirigida a públicos específicos. O Brasil tem quase 100 milhões de usuários de internet, o que equivale a 50% da população economicamente ativa ou potenciais consumidores. Assim, não há mais como se ignorar as mídias digitais, com sua inegável capacidade de segmentação. Nesse meio, podemos trabalhar com campanhas de altíssima assertividade e baixíssimo índice de dispersão, maximizando resultados tanto em relação ao investimento quanto ao público atingido”. David acredita que há necessidade de um trabalho cuidadoso da agência, de orientação e adaptação cultural do cliente – o que vem acontecendo cada vez mais tranquilamente. Uma vez que já foi demonstrado que uma campanha bem sucedida está focada na melhor maneira de impactar a audiência. “Prova disso está no investimento crescente na internet, tanto de nossos clientes públicos quanto privados, mesmo quando a mensagem a ser transmitida é institucional, sem

FORMATOS ANÚNCIOS DE ADS - ANO 2012 Total Investido: US$ 10,3 bilhões

3% 2% 4% 6% 7% 44% 11%

21%

20

Busca Display / Banner Mobile Vídeo Digital Classificados Geração de cadastro Rich Media Patrocínio


Marcio Quirino, diretor da Reserva Comunicação (PE)

Ubirajara Carratu, diretor da Carratu Publicidade (RN)

venda direta de produto. A verdade é que não há mais como dividir a mídia das agências em on e off. Aqui na Giacometti, nosso departamento de Mídia é integrado, reúne profissionais especializados nos dois domínios”. Um case recente de sucesso na Giacometti foi campanha criada para o Banco do Brasil. Focada nos produtos para público jovem, ela era composta de quatro esquetes de cerca de quatro minutos cada, protagonizadas por Rafael Infante e Tatá Werneck, lançados exclusivamente na internet.

Em cerca de quatro meses de veiculação, a campanha entregou quase 253 milhões de impressões, superou quatro milhões de cliques, atingindo uma taxa de cliques (CTR) de 1,6% – oito vezes mais do que a taxa média de mercado, convencionada em 0,20%. “A receita do sucesso está no que consideramos uma equação perfeita: estratégia que considera o investimento disponível e combina criação, meio e o comportamento da audiência.”

FORMATOS ANÚNCIOS DE ADS - ANO 2013 Total Investido: US$ 12,1 bilhões

3% 2% 4% 5% 7% 41% 19%

19%

Pesquisa: IAB/PwC

21


Joyce Warren |

ESPOSENDE CRIA CANAL VEM QUE TEM É perceptível que os canais no YouTube estão cada vez mais numerosos e presentes na rotina das pessoas. Sobretudo no dia a dia dos jovens. E foi baseado nisso que a Esposende Calçados criou o canal Vem Que Tem By Esposende. Desenvolvido pela agência digital 4u, que assina as ações do canal, o projeto tem como objetivo incitar interação entre a marca e o consumidor. “Nossos relatórios de monitoramento mostravam que precisávamos nos conectar mais com o público jovem, mostrar que a nossa loja também vende produtos que são do interesse de quem curte moda e tendência. Sabemos que é na internet que este público está por isso abraçamos a proposta de lançar um blog e um Canal no Youtube para conversar com este público”, conta Eliana Muller, gerente de Marketing Esposende.

Thaise Moura e Eliana Muller

Ainda segundo Eliana, no primeiro ano do Vem Que Tem, o canal atingiu meio milhão de visualizações, e hoje tem uma média de mais de 10 mil views por vídeo. Postando um novo toda semana, a marca mostra que investir em novas estratégias para alcançar novos resultados é imprescindível. Apesar de ser algo novo no mercado, Eliana Muller acredita que os blogueiros são muito importantes para estratégias desse tipo, pois o apoio deles respalda o trabalho da Esposende. Por isso escolheram a blogger Thaíse Moura para estrelar a nova empreitada da rede. “Apesar de Thaíse, na época de sua escolha, já ter experiência frente às câmeras, ela ainda era um rosto novo. Era justamente isso que queríamos. Alguém com atitude, estilo e beleza, mas que estivesse começando com a gente”, explica a gerente de Marketing da Esposende. Thaíse acredita que a Esposende fez uma aposta 22

ousada, sendo a primeira loja do segmento a investir nessa estratégia de gerar conteúdo semanal no YouTube. Com mais de 500 mil visualizações, não há prova maior que as pessoas receberam muito bem o vlog. “A marca está abrindo caminhos para um novo jeito de se fazer publicidade na internet, aqui em Recife e acredito que no Nordeste todo”, conta a blogger que se sente muito à vontade para mostrar suas escolhas. “Elas são reais. Tenho total liberdade para pautar os temas, escolher os sapatos; o que faz toda diferença. Eu falo sobre o que eu acredito e isso torna o trabalho muito prazeroso”, diz. Comemorando o sucesso do primeiro ano do projeto, a marca anunciou novidades. Visando atribuir uma pegada mais urbana e com conceito próprio, o Vem Que Tem agora conta com dois artistas plásticos para acrescentar mais conteúdo ao canal: Pedro Melo e o carioca Rafa Matos. Eles irão participar do #PisandoPorAiComEsposende, onde irão produzir um diário de bordo. “Iremos postar fotos através do instagram da Esposende falando por onde estamos passando, pontos turísticos ou apenas um local interessante e vamos usar a hashtag #PisandoPorAiComEsposende e quem quiser seguir a viagem, basta procurar pela hashtag ou ainda embarcar na ideia e usar a hashtag nas suas próprias fotos”, explicam os artistas, que tiveram a ideia através de um convite que receberam para expor em Berlim. Além dessa ação, a Esposende ainda traz mais surpresas. “A ideia a partir de agora é explorar soluções para quem quer se vestir bem, calçar bem, sem gastar muito. A gente quer mostrar que é possível ter vários looks pelo preço de um. Dentro da moda, com conceito e muita inteligência. Thaíse vai ter novos convidados e novas maneiras de interagir com o público. Não queremos apenas ser vistos, queremos estabelecer um diálogo com nossos clientes”, enfatiza Eliana Muller.


A VEZ DO CLIENTE

Ivelise Buarque |

UM ABRAÇO PARA TODO O MUNDO Assim como muitos personagens, a Hello Kitty é uma referência de infância de muitas garotas no mundo inteiro e, por isto, ganhou destaque até em música lançada em 2013 pela cantora canadense Avril Lavigne. Apaixonante, ela se consolidou como uma marca forte, inclusive no Brasil, país na qual aproximadamente 80 empresas detêm a licença de uso da imagem para os mais diversos tipos de produtos em segmento alimentício, de confecção, calçados, brinquedos, papelaria, houseware, presentes, entre outros. “O traço da Hello Kitty transmite um sentimento de fofura e os seus produtos sempre encantaram as pessoas. Por mais que a sua origem seja japonesa, ela é bem aceita em todo o mundo e a sua diversidade de guias de artes permite que ela seja apresentada em diversos estilos”, diz Renata Pereto, gerente de marketing da Sanrio, empresa responsável pela criação e licenciamento desta personagem fictícia que usa um laço de fita vermelha. Para marcar os 40 anos de prestígio que ela mantém entre os consumidores brasileiros, a Sanrio Brasil

Hot site

criou uma ação comemorativa com um tema global, “Arigato, abrace muito!”, para agradecer o amor e carinho da legião de fãs, desde 1974. “Este foi um conceito mundial criado para marcar esses 40 anos da Hello Kitty, onde a personagem agradece por todo amor e carinho que ela recebeu das pessoas durante todo este tempo, diz obrigada e quer dar um abraço nas pessoas. Além disso, ela quer que as pessoas se abracem gerando assim uma corrente de amor e gratidão pelo mundo. Desta forma, durante todo o ano de 2014 será celebrado o aniversário da Hello Kitty com muitos eventos de abraços pelo mundo”, lembra Pereto. 24

E este sentimento está sendo propagado em diversas ações com start no Puroland, parque temático da Hello Kitty no Japão, em 1º de novembro de 2013, quando completou 39 anos. E por isto o roteiro no Brasil segue um calendário mundial. Aqui, o “Primeiro Abraço” aconteceu no dia 23 de janeiro, em evento realizado em parceria com o Graac - Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer, dando início a todos os abraços durante o ano. Esta investida agregou cada vez mais a marca a uma postura tradicional da empresa, uma vez que sempre se manteve mundialmente envolvida em causas sociais. “A Hello Kitty foi levar amor e carinho para as crianças e adolescentes em tratamento com câncer. A partir daí já aconteceram vários eventos de abraços no Brasil e irão acontecer muito outros, desde eventos em shoppings como em Balneário de Camboriu, Porto Alegre, Blumenau, Natal e São Paulo; ações sociais, eventos de entretenimento, online, entre outros. No mês de abril, por exemplo, a Hello Kitty visitou o hospital Santa Casa em São Paulo trazendo muita alegria para as crianças, médicas e enfermeiras”, comenta a gerente de marketing da Sanrio. Esta ampla comemoração de aniversário da Hello Kitty no Brasil é uma oportunidade para fortalecer a relação que ela mantém com seu público há 15 anos, quando chegou ao país. Além de espalhar os bons sentimentos, a estratégia pretende ampliar ainda mais a presença deste ícone mundial com muitas novidades. “A Hello Kitty também teve um espaço em sua homenagem no evento de decoração Casa Cor, que foi visitado por um número muito grande de pessoas. Além disso, estão sendo feitas ações online como o hotsite especial dos 40 anos da Hello Kitty (www.hellokitty40anos.com.br) e no facebook Hello Kitty Brasil. As fãs de Hello Kitty poderão acompanhar através deste hotsite e facebook os próximos eventos comemorativos que irão acontecer neste ano”, ressalta Pereto. Uma proposta nada ruim para a personagem mais conhecida no mundo, que tem público fiel e apaixonado e de todas as idades, para quem não irá faltar atrações. “Podemos considerar a Hello Kitty um personagem multi target já que ela é adorada por meninas, adolescentes e mulheres adultas e,


25


DE OLHO NA CAMPANHA

SOMOS TODOS HUMANOS Junto com mais 11 grandes agências do Ceará, a Martpet foi convidada para criar uma campanha social contra o preconceito, intitulada #SomosTodosHumanos, para o Grupo de Comunicação O POVO, do Ceará. Os temas abordados são: preconceito racial, religioso, de orientação sexual e de classe social. Os temas foram sorteados e a Martpet ficou com a missão de trabalhar contra o preconceito de orientação sexual. A campanha foi criada fazendo um comparativo com o nosso instinto afetivo. Tentando expor que a nossa reação emocional é quase sempre livre de preconceito. Para exemplificar isso, foram utilizadas cenas de carinho entre animais. A campanha conta com filme para TV, anúncios de jornal, spot para rádio e posts nas redes sociais.

ALEXANDRE FROTA NO BOM NEGÓCIO Já está no ar o novo comercial do bomnegócio.com nas TVs e meios digitais. Com a pitada de humor característica de sua atual campanha, o novo filme tem, como estrela principal, um carro. O ator Alexandre Frota empresta sua personalidade ao veículo, que estimula um casal a fazer um bom negócio: vender o que está ocupando espaço de forma fácil e rápida. Desenvolvido pela NBS, o filme publicitário mostra um casal na garagem, curtindo seu novo carro. De repente, levam um susto com um comentário que vem de um carro grande e antigo que está estacionado no canto: “Aí, mané! Tu tá de 'fulerage'?”. E continua: “Vai sair com este filé e vai usar esse brinquedinho? Vai me trocar por este carrinho de boneca? Isso daí bebe o quê? Suco de framboesa?”, desafiando o homem que, rapidamente, usa o celular para vender o carro antigo, fazendo-o desaparecer em segundos. Frota entra para a lista de celebridades que já representaram objetos vendidos nos comerciais do bomnegócio.com. Em pesquisa do Datafolha, em julho, a campanha do Bom Negócio foi a mais lembrada pelos telespectadores.

26


A IMPORTÂNCIA DA ÁUDIODESCRIÇÃO NOS CINEMAS

Assim como filmes legendados são complicados para crianças, filmes sem o recurso da audiodescrição são quase impossíveis de serem entendidos por deficientes visuais. Pensando nisso e baseado no artigo 1º da Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU, de 1948, que diz: “Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade”, o projeto VerOuvindo surge como fonte alternativa para reafirmar a importância de audiodescritores e estudiosos do assunto, nos cinemas brasileiros. Resultado de um projeto de conclusão do Curso de Extensão de Elaboração de Projetos Culturais oferecido pela Fundarpe e pela UPE, o VerOuvindo tem como base fomentar o mercado de profissionais da acessibilidade, e fazer com que a audiodescrição se torne premissa na produção de filmes e documentários. Além disso, o festival promove debate com os diretores, audiodescritores e o público. Desejando incluir esta prática nos cinemas, a idealizadora do VerOuvindo, Liliana Tavares, reuniu parcerias para tornar este anseio em realidade. Pois a obrigatoriedade deste tipo de áudio já é uma realidade. “A Ancine diz incentivar apenas filmes que tenham acessibilidade comunicacional. É uma questão de tempo. Em breve, todos os filmes terão este recurso”, comemora Liliana que também é audiodescritora. Sendo esta ferramenta uma faixa narrativa adicional para os cegos e deficientes visuais, consumidores de meios de comunicação visual, a mostra competitiva do VerOuvindo faz

com que audiodescritores e estudiosos, de várias partes do país, fiquem antenados com a necessidade de aprimorar esta técnica. “Tivemos inscrições do Ceará, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e claro, daqui de Pernambuco. As pessoas sem deficiência começam a se acostumar a ver pessoas cegas no cinema e saber que isso é desejado. Entre o nosso público, tivemos usuários de Bezerros, Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe e Garanhuns. Muita gente que nunca tinha ido ao cinema nem sabia o que era audiodescrição”, explica Liliana Tavares. É preciso pensar em mais formas de integrar profissionais desta área no meio audiovisual. O âmbito cinematográfico ainda engatinha nesse quesito e festivais de incentivo como o VerOuvindo nos deixa mais perto de uma realidade melhor. “Os produtores do audiovisual ainda não sabem direito o trabalho do audiodescritor. Também não sabem do público em potencial para a audiodescrição. Convidamos profissionais deste recurso da cidade para fazer a AD de três curtas. Chamamos dois consultores, pessoas com deficiência visual, e abrimos a mostra competitiva para premiar audiodescritores. Premiamos cinco categorias: Melhor Roteiro de Audiodescrição 1º, 2º e 3º lugares, Melhor Locução, Melhor roteiro de audiodescrição do Juri Popular e tivemos uma audiodescritora homenageada. A ideia é que a audiodescrição vire uma categoria a ser premiada nos festivais regulares. Isto irá aumentar a demanda e colaborar para profissionalizar a classe”, justifica Liliana. 27

Joyce Warren |

Abrindo as portas do cinema para pessoas com deficiência visual, o projeto reuniu um time de audiodescritores para levar cultura a todos sem restrições


Liliana Tavares, divide a produção do festival com Karina Galindo

Um dos principais desafios do festival passado foi o processo de gravação das audiodescrições. Ainda segundo Liliana, “o maior desafio era transmitir a AD gravada e fechada, isso significa por meio de um canal de áudio via fones de ouvido. Todos os festivais que haviam tido AD no Brasil tinham feito AD aberta, gravada, ou fechada (com fones voice over, simultânea). Sabemos que AD para cinema deve ser gravada e mixada ao som do filme. Não queríamos fazer aberta (para todos ouvirem). Infelizmente o recurso que permite a transmissão via um aplicativo (no celular ou tablet), chamado What’s Cine, só foi lançado no Brasil no dia 10 de abril, três dias após o encerramento do VerOuvindo”.

Com a participação ativa das próprias pessoas com deficiência, os cidadãos exigem que o Estado assuma seu papel na atenção às pessoas com necessidades educacionais especiais, considerando-as em condição de igualdade a qualquer outra. Karina Galindo

Com a evolução da televisão digital e outras tecnologias, vão-se abrindo portas para o novo. Porém, ao passo que novos recursos são apresentados à população, outros meios alternativos de navegação e acessibilidade podem não estar inclusos nestes formatos. Por isso é importante incentivar a inclusão desta ferramenta não só no cinema, mas em todas as mídias disponíveis na sociedade. “É nesse contexto que, com a participação ativa das próprias pessoas com deficiência, os cidadãos exigem que o Estado assuma seu papel na atenção às pessoas com necessidades educacionais especiais, considerando-as em condição de igualdade a qualquer outra”, afirma uma das colaboradoras do projeto Karina Galindo. 28

Em julho de 2011 foi instituída no Brasil a obrigatoriedade de, pelo menos, duas horas semanais de conteúdo desta natureza em emissoras com sinal aberto e transmissão digital – na condição de faixa de áudio adicional. Um pouco tardio para a evolução desenfreada dos meios de comunicação que vivemos hoje. Isso mostra o quão despreparado os meios de entretenimento se encontram diante de novos desafios. É preciso pensar com cuidado e determinação no que se diz respeito à esta profissão. “Acredito que temos um grande problema na audiodescrição que é a formação de público para a mesma, é importante a conscientização desse direito pelos deficientes visuais e que, sobretudo se sintam público”, pontua Karina Galindo.

Aparelho para ouvir a descrição

A audiodescrição não deixa de ser uma arte que transforma aquilo que é visto no que é ouvido. Isto abre janelas para o imaginário do espectador e ajuda no processo de entendimento do mesmo; esteja ele assistindo um filme ou uma peça de teatro. Com este recurso, é possível conhecer cenários, figurinos, expressões faciais, linguagem corporal, entrada e saída de personagens de cena, bem como outros tipos de ação, utilizados em televisão, cinema, teatro, museus e exposições. O festival VerOuvindo terá sua segunda edição em abril de 2015 após ser aprovado no Programa de Fomento à Produção Audiovisual de Pernambuco – Funcultura, que é o principal incentivador do festival. As inscrições já podem ser feitas em setembro deste ano através do e-mail verouvindo@gmail.com e as informações estarão na fanpage do evento no Facebook www.facebook.com/verouvindo. Liliana Tavares já avisa que terá novidades na próxima edição do festival. “Iremos colocar legenda para surdos e interpretação de libras nos curtas pernambucanos. Queremos mais gente no cinema”, finaliza a idealizadora do VerOuvindo.


NA WEB WWW.NOMADESDIGITAIS.COM.BR

O portal Noize é um nicho da Revista Noize - publicação trimestral brasileira com distribuição gratuita - que aborda sobre música, moda, cultura e temas relacionados. Voltado para um público eclético, o site busca informar ao internauta sobre suas bandas favoritas, lançamento de CDs e shows. A proposta do site é fazer barulho, por isso, o portal também disponibiliza músicas e vídeos de bandas brasileiras e internacionais. A Noize também está no Facebook “24 horas por dia”, como eles mesmos informam na página, disponibilizando curiosidades sobre diversos artistas. Também é possível ler as edições da revista pela fanpage da publicação. Uma ótima opção para quem quer conhecer mais sobre música e suas vertentes.

WWW.NOIZE.COM.BR

Usando uma comunicação versátil e moderna o Nômades Digitais traz inspirações para os internautas. Mostrando lugares incríveis do mundo, o portal importa informações interessantes e mostra que é possível trabalhar viajando. Aproveitando a evolução da internet e das tecnologias móveis, os Nômades Digitais cada dia mais provam que não é mais preciso trabalhar de um escritório para ganhar dinheiro e ser produtivo. Além de Lugares incríveis pelo mundo, o site mostra histórias inspiradoras de empreendedores, tecnologias inovadoras, etc. O Nômades Digitais também abarca o público publicitário e de design, pois é voltado para mostrar que é possível. Inspire-se.


FICHA TÉCNICA

COLÉGIO EXPONENTE AGORA É EMINENTE Para comunicar a mudança de nome do Colégio Exponente, que agora passou a se chamar Eminente, a Martalima Comunicação desenvolveu campanha protagonizada por quem conhece de perto a história e essência do local. Um filme realizado com depoimentos reais de pais, alunos e funcionários deixa claro que as qualidades que fazem o colégio ser tão querido por todos vão permanecer intactas. Agência: Martalima (PE) Cliente: Colégio Eminente Atendimento: Alessandro Macedo Planejamento: Bárbara Carneiro Diretora de Criação: Daniela Krause Diretor de Arte: Sergio Pontes Redatora: Nanda Areias Mídia: Rebeca Menezes Produção: Rita Ropero e Jordana Veloso Aprovação: Tárcia Falbo, Beliza Andrade e Karolina Cardoso

#TEMNOMUNDO A mais nova campanha cooperada do Mundo do Cabeleireiro foi pensada para anunciar as grandes marcas de cosméticos e produtos em geral que a rede de lojas oferece aos seus clientes. Através da utilização da hashtag #TEMNOMUNDO, a comunicação segue uma linha visual jovem e antenada, trazendo uma mensagem bem objetiva. Para a divulgação da campanha foram produzidas peças de mídia exterior (backbus). Nesta campanha participarão mais de 20 marcas que estão presentes nas lojas do Mundo e com 77 backbuses veiculando nas ruas da cidade. Em paralelo à veiculação nos ônibus, as redes sociais do Mundo chamarão os clientes a conhecer as novidades e saber o que #TEMNOMUNDO. Agência: Italobianchi Comunicação (PE) Cliente: Mundo do Cabeleireiro Direção de Atendimento: Miguel Melo Atendimento: Mariana Holanda Criação: Geraldo Alain e Tesse Lemos Direção de Criação: Geraldo Alain Mídia: Ângela Cardoso e Jéssica Produção: Danielly Menocci Arte final: Rafael Ramos Redes Sociais: Rayane Montalvão e Rahysa Santiago Aprovação: Celso de Moraes e Marina Moraes 30


É TEMPO DE INOVAR Com um backbus diferenciado, confeccionado com adesivo refletivo, que exposto à luz, durante a noite, é capaz de chamar ainda mais a atenção das pessoas, a Rota Mídia Exterior está veiculando a nova campanha da UnP, na capital potiguar. Utilizando o conceito É tempo de inovar, a campanha foi desenvolvida pela Art&C Comunicação. Segundo a diretora de marketing da Rota Mídia, Tatiana Guimarães, o backbus produzido para a campanha é uma peça diferenciada. “O backbus que produzimos para a campanha da Universidade Potiguar se destaca por aumentar a visibilidade da peça no período da noite e, consequentemente, atrair mais a atenção do público, além de trazer um ar de elegância ao produto. Estamos sempre dispostos à atender os pedidos de projetos especiais dos clientes. O backbus com adesivo refletivo é ideal para quem busca inovação e quer gerar grande impacto na sua peça publicitária”, destacou. Agência: Art&C Comunicação (RN) Cliente: UnP Atendimento: Bárbara Fujichima Mídia: Ana Paula Yamamoto e Georgia Silva Redator: Daniel Félix Diretor de Arte: Rodrigo Bonfim Produção: Thiago Medeiros e Tarcilene Batista Aprovação: Caio Junqueira

HARLEY-DAVIDSON NO RIVER SHOPPING O River Shopping, em Petrolina, escolheu como prêmio da campanha de Dia dos Pais ícone aventureiro e exclusivo, que representa um estilo de vida e um vínculo emocional. O Shopping sorteou entre seus clientes uma Harley-Davidson 2014 (Iron 883 XL 883 N). A agência Criação Original desenvolveu peças para rádio, outdoor, jornal e web, além da sinalização interna. O River Shopping investiu R$ 90 mil.

Agência: Criação Original (PE) Cliente: River Shopping Atendimento: Juarez Canejo Redator e Diretor de Criação: Tharcísio Teles Diretor de Arte: Ronielle Granjero Mídia: Tâmara Mendes Aprovação: Eliária Reis

31


ARTIGO

Ronaldo Bias Ferreira Jr | Agência Um

RELAÇÕES DURADOURAS SÃO BENÉFICAS PARA CLIENTES E AGÊNCIAS O relacionamento entre cliente e agência vai muito além do simples fato de criar e obter resultados positivos. A valorização da criatividade da agência, uma administração inteligente do budget do cliente e flexibilidade de ambas as partes são elementos essenciais nessa relação. É preciso, antes de qualquer coisa, uma compreensão dos objetivos institucionais e de negócio do cliente para que a agência possa, a partir disso, pensar nas maneiras mais efetivas de se conseguir o que a empresa almeja com determinada ação ou evento. Assim como na vida pessoal, agências e clientes devem buscar relacionamentos positivos e duradouros. É na convivência do dia-a-dia, no andar juntos, lado a lado, que se entende de verdade o outro. É assim que os melhores acordos são celebrados. Quando ambos se conhecem bem, é possível dividir sonhos, esforços e conquistas. Como esse negócio é 100% plataforma de relacionamento, é importante que o cliente goste de sua agência. De seus profissionais, da energia e do portfólio desta agência. Um bom processo de concorrência pode resolver este desafio. E vale ressaltar que trocar regularmente – seja por obrigação ou procedimento – fornecedores que estão entregando trabalhos e resultados satisfatórios não traz ganhos em potencial para a empresa. Logicamente, somente uma parceria que não agrega valor e não traz resultado deveria ser reavaliada. Desta forma, o bom parceiro é valorizado e as boas ideias permanecem. Neste mercado é possível identificar medo de compromisso. E, na verdade, a palavra que deveria definir essa relação é envolvimento. Só com envolvimento é possível a agência vivenciar as necessidades do cliente e se tornar parte do time do cliente. Diferentemente da contrata32

ção job a job, que promove apenas soluções momentâneas, a relação duradoura permite melhor entendimento do ambiente do cliente, de seus valores, missão e visão de negócio. Para crescer, as agências precisam conquistar, conhecer e manter seus clientes, ganhando, assim, notoriedade no mer-cado e, consequentemente, aumentando a rentabilidade dos negócios. Agência e cliente crescem juntos. Mudanças frequentes de fornecedores que estão realizando bons trabalhos não são benéficas para nenhum dos lados. Perde-se conhecimento, eficiência e ganho de escala. Parcerias duradouras auxiliam na construção de um posicionamento mercadológico sólido e garantem a consolidação de uma marca mais forte e com finalidade clara para o trade e o consumidor final. É preciso valorizar a concepção, a qualidade com que o trabalho é desenvolvido, seu planejamento, produção e execução. A credibilidade junto ao mercado vem acompanhada de ações que os parceiros reconhecem como um diferencial. Cada vez mais, as agências precisam buscar abordagens mais alternativas e sustentáveis. E esse trabalho só pode ser bem desenvolvido se houve intimidade nessa relação. Desta forma, será construído um mercado muito mais forte para todos, inclusive - e principalmente - para o cliente. Assim como em um casamento moderno, leve, feliz, a relação entre cliente e agência é de confiança. Sem ela, não há estabilidade. E esse tipo de relacionamento só dá certo quando ambos estão trabalhando em sintonia e dispostos a evoluir e se reinventar ao longo do tempo.


PERFIL

Prestes a lançar mais uma obra, “O Nascimento de Joicy”, a jornalista pernambucana Fabiana Moraes é uma profissional que se especializou em contar histórias de personagens diferenciados que passam batido para a maioria das pessoas. Não por achar que isto é o que o público quer ler nas páginas do jornal diário, mas sim por acreditar que tudo que observa e analisa no seu dia a dia é relevante e merece ser repercutido. E, por pensar e crer nisto, esta repórter especial do Jornal do Commercio (PE), mestre em comunicação pela Universidade Federal de Pernambuco, enveredou ainda para outra área das ciências humanas, a Sociologia. “O estudo do comportamento carece demais desse olhar investigativo. Todo pesquisador tem um bocado de jornalista, e vice-versa. O problema é que nós, jornalistas, terminamos desvalorizando nosso papel de observador do mundo. Quando queremos, fazemos isso tão bem. Somos antropólogos e sociólogos em potencial. Buscar a sociologia foi justamente essa vontade de dar conta de mais respostas (ou de basear melhor tantas perguntas) que a comunicação já não dava mais conta”, diz ela que acumula no currículo diversas premiações. Ao longo de mais de 15 anos de carreira, Fabiana Moraes foi indicada, finalista ou conquistou o Prêmio Esso, Jabuti, Embratel (Comissão Europeia de Turismo) e Cristina Tavares do Sinjope - Sindicato dos Jornalistas de Pernambuco (ambos quando editora assistente do JC): “Os prêmios são ótimos, é sempre bom ter seu trabalho reconhecido, sublinhado. Dão gás para outros projetos. Eles só não podem ser o fio condutor de um profissional”, ressalta. Tanto assim que desenvolveu ao longo dos anos diversos trabalhos (como o A Vida É Nelson) que gosta muito e que, contudo, nunca receberam qualquer prêmio. “Eles foram feitos para o mundo, e não para uma banca de jurados. Quando os jurados gostam, é uma felicidade. Mas essa felicidade já está impressa nas páginas do projeto quando ele vai pra rua. É um filho, é uma alegria, é um sofrimento. Não se pode medir isso em um certame”, enfatiza. O olhar sobre o mundo, sobre as peculiaridades do dia a dia lhe afeta desde muito cedo. Afinal, sua jornada pessoal também rende uma boa história assim como a de muitos personagens que retrata em suas matérias. “Fui a primeira 34

pessoa da família a entrar em uma universidade. O curso superior não fazia parte de nosso histórico, mas meus pais sempre incentivaram que estudássemos”, recorda-se. Uma grande família brasileira (oito irmãos, sendo dois gêmeos e até mais um jornalista) com a qual mantém muita cumplicidade e divide diversas recordações, que acabou gerando um novo projeto, “A História de Mim”, que partiu da postagem de momentos vividos em suas redes sociais. “Eu gosto de lembrar o final do ano, quando meu pai pintava a casa e colocava luz de natal na frente dela. E gosto de lembrar dele lavando a moto na calçada e ouvindo os discos de Agnaldo Timóteo”, diz a jornalista, para quem relatos de situações pessoais do Facebook não iria ganhar tamanha repercussão. SUA PRÓPRIA HISTÓRIA - Com três prêmios Esso, esta escorpiana começou sua trajetória na comunicação como estagiária em 1998, no Jornal do Commercio (PE), no qual se Priscila Burh | JC Imagem

Ivelise Buarque |

UM OLHAR INVESTIGATIVO PELAS PECULIARIDADES DA VIDA


A Vida Mambembe - capa de serie sobre circos de periferia com a qual recebeu primeiro Esso em 2007

tornou logo depois repórter de Cidades, Cultura e Suplementos (mais especificamente em Ciência, Turismo e Informática). Um começo pautado por muitos desafios e encontros: “O início da carreira foi marcado por muitos sustos, erros e aparições felizes. Não é fácil lidar com o outro, tarefa primordial do jornalismo, e não há técnica que dê conta da subjetividade que circula a profissão. Ao mesmo tempo, é preciso estar munido dela para termos uma bússola profissional azeitada. Ou seja: ou destravava os dedos, os ouvidos e o juízo ou ia para casa”. Este foi um esforço imensurável de alguém que descobria que adorava o que fazia e que, assim, tornou o trabalho no segundo lar. Uma coisa boa no princípio da carreira, mas que também lhe trouxe o lado ruim em alguns aspectos. “Meu filho, Mateus, tinha menos de dois anos quando comecei a estagiar. Deixá-lo às vezes durante 12 horas em uma escola integral me doía demais, e isso aconteceu algumas vezes. Houve um tempo em que eu ia buscá-lo na casa da professora. Minha sorte é que era uma relação muito aproximada, de respeito e de amor”, diz. E o sacrifício valeu a pena não pelos prêmios que

conquistou, mas sim pelas vivências e experiências que assimilou de muitos colegas e profissionais, como Daniela Lacerda com quem trabalhou pouco tempo, contudo, lhe ensinou muito sobre ética e cuidados com pautas, edição, pessoas. “Fabiane Cavalcanti (ex-editora de Brasil/ JC) também me ensinou a apurar com cuidado (parece óbvio, mas percebo que alguns profissionais consideram a prática irrelevante), e, no começo de minha vida de repórter, pessoas como André Galvão (JC) e Ceça Britto (DP), sempre me davam passagem para projetos e pautas diferentes. Isso é importante para o desenvolvimento de qualquer jornalista, pensar fora da caixa. Laurindo Ferreira e Ivanildo Sampaio (editores do JC) também tornaram vários projetos possíveis”, comenta ela, que também se diz influenciada por muita coisa legal que vê atualmente com a produção da Agência Publica e A Ponte, coletivos de jornalismo. “Lá fora, tenho gostado bastante das matérias de Leon Dash, repórter especial do Washington Post, e do jornalismo praticado pelo pessoal do Narratively”. Caminhando cada vez mais para a realização do próprio reconhecimento, Fabiana vem se diversificando, ampliando a carreira e instigando o olhar na profissão, assim como a própria comunicação. “O jornalismo está trocando de roupa, muito embora ainda não saiba ao certo para qual tipo de festa está indo. A carreira diversificada vem sendo ótima para a profissão, só amplia e instiga o olhar”, destaca Moraes, que tem enveredado para outro lado da escrita: “Os livros são uma nova seara, que ainda estou tentando aprender a observar - e caminhar nela. Geralmente os livros feitos por jornalistas recebem um olhar desconfiado da crítica e mesmo do mercado, como se a ficção fosse muito mais importante que a realidade. Aliás, nos EUA, por exemplo, não há uma distinção entre escritor e jornalista - todo jornalista é escritor”. A escritora, que emergiu em consequência do trabalho de repórter, já tem na estante o sucesso dos livros Os Sertões (editado pela Cepe) e o Nabuco em Pretos e Brancos (Massangana), projetos que surgiram do enorme investimento de pesquisa. E agora está para ser lançado “O Nascimento de Joicy”. “Atualmente estou escrevendo outro livro, que é baseado em minha aproximação com um personagem. Este é mais desafiante, pois traz reflexões sobre os limites entre jornalista-personagem, algo que a teoria do jornalismo só dá conta, em grande parte, quando fala sobre fontes. E pessoas são bem mais que fontes. Concorda?”, reforça Fabiana, que acredita que é mais uma no mercado editorial local que ainda precisa ser mais competitivo, investir mais em divulgação e distribuição, em sua própria opinião. 35


ARTIGO

Edgar Roquette-Pinto foi um médico legista, professor, escritor, antropólogo, etnólogo e ensaísta brasileiro. Membro da Academia Brasileira de Letras, é considerado o pai da radiodifusão no Brasil.

Tiago Eloy Zaidan |

ROQUETTE PINTO E O RÁDIO NO BRASIL Não é preciso ser naturalista para perceber que há algo em comum entre as espécies Endodermophyton Roquettei (um parasito da pele), Alsophila Roquettei (uma planta), Roquettia Singularis (uma aranha), Phyloscartes Roquettei (pássaro da região central do Brasil) e Agria Claudia Roquettei (uma borboleta). Nestes casos, os nomes escolhidos homenageiam o cientista fluminense Edgard Roquette-Pinto (1884-1954). O homenageado foi médico legista – formado pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro –, antropólogo e etnólogo. Também foi professor e, como tal, lecionou antropologia no Museu Nacional (1906), História Natural na Escola Normal do Distrito Federal (1916) e Fisiologia na Universidade Nacional do Paraguai (1920). Como antropólogo, integrou a epopéica missão Rondon, em 1912, percorrendo os reconditos do Brasil, e publicou obras de destaque, como o livro Rondônia: antropologia etnográfica (1917). Invejavelmente ativo, o cientista ocupou os cargos de diretor do Museu Nacional (1915 – 1936), Instituto nacional do Cinema Educativo (1937) – entidade fundada por ele próprio – e do Instituto Indigenista Americano do México (1940). Roquette-Pinto lançou ainda os livros Ensaio de antropologia brasileira (1933), Seixos rolados (1927, ano em que é eleito para Academia Brasileira de Letras) e Estudos Brasilianos (1941), e o documentário Argila (1940). Contudo, em meio a uma biografia tão recheada, é possível que o seu maior feito tenha sido o de cofundar a primeira emissora de rádio do Brasil. A RÁDIO SOCIEDADE – Coube a Edgard Roquette Pinto e ao também cientista Henry Moritze a idealização de um projeto de difusão educativo-cultural através do rádio. Iniciativa que redundou na criação da primeira emissora brasileira, a Sociedade do Rio de Janeiro, em 20 de abril de 1923 – vincula36

da à Academia Brasileira de Ciências, entidade da qual faziam parte os seus fundadores e membros, que sustentavam a emissora por meio de contribuições. Já em 1925, a Sociedade apresentava programas instrucionais de Geografia, História do Brasil, higiene, Silvicultura, Química, História Natural e Física. Também apresentava jornais, dentre eles o emblemático Jornal da Manhã, comandado pelo próprio antropólogo. Os cientistas, aliás, eram os responsáveis pelos programas. Em São Paulo, por seu turno, pouco depois do surgimento da emissora carioca, foi criada a Sociedade de Rádio Educadora Paulista (30 de novembro de 1923), com ideais e propósitos semelhantes. Apesar do início alentador, cheio de idealismo, havia inconvenientes concretos. A restrição do poder aquisitivo – e a consequente restrição dos ouvintes – era só o começo. Além de taxas governamentais e de contribuição à emissora, os pretensos ouvintes precisavam superar uma jornada burocrática que inclui até mesmo a confecção de um projeto com o traçado do receptor. Maria Elvira Federico – em seu História da Comunicação: rádio e TV no Brasil – faz saber ainda que, no bojo dos dispositivos legais que instituíram o controle estatal – marcadamente através das concessões –, tornou-se estabelecida a “(...) necessidade compulsória de aperfeiçoamento das instalações e equipamentos para a estabilização de frequências”. Tais imperativos acabaram restringindo o surgimento de novas emissoras, ao passo que coadunaram com a concentração dos meios ligados ao poder econômico. Nesse sentido, emissoras como a Sociedade do Rio de Janeiro, de caráter amador-associativo, tornaram-se inviáveis. Em 1936 a rádio Sociedade foi doada ao Ministério da Educação, dando origem à rádio MEC. A mídia rádio, porém, jamais sairia dos ouvidos e dos corações brasileiros.


CLICK

Danilo Galvão | danilolinsgalvao@gmail.com

O FACÃO DA MATA NORTE A série de curtas documentários, chamado Norte da Mata, revela nesse primeiro episódio o ofício dos rabequeiros na cidade de Ferreiros. O pedreiro Jorge da Rabeca, em sua oficina improvisada experimenta novas técnicas na fabricação e cria suas próprias ferramentas. Ele desenvolve uma rabeca bastante moderna e por falta de matéria prima teve que mudar, não só a madeira, mas também o som. O jovem artesão, que usa técnicas de marchetaria, exibe satisfeito os resultados de sua recente criação, uma rabeca de bambu. A galeria de imagens e o vídeo Facão da Mata Norte, curta documentário que estreia a série, estão disponível online através do site www.nortedamata.revistasim.com.br CAMERA: Nikon D800 ISO: 320 F: 8 DISTÂNCIA FOCAL: 24mm FOTÓGRAFO: Danilo Galvão

EASY TAXI REALIZA “TAXIOKE” Easy Taxi, maior aplicativo de serviços mobile do mundo, realizou ação em São Paulo para fazer o lançamento da campanha nacional #euamotaxi. Diversos passageiros participaram da noite do karaoquê no táxi, intitulada como “Taxioke”. Os usuários que participaram da atração inusitada aprovaram a experiência e compartilharam depoimentos sobre a ação. A campanha #euamotaxi tem como objetivo engajar os passageiros e taxistas promovendo uma melhor experiência dentro do taxi, e com isso, colaborar com a mobilidade urbana, diminuindo o custo das corridas, o tempo de espera dos usuários pelos carros e, consequentemente, melhorar o trânsito nas grandes cidades. Camila Ferreira, co-CEO Brasil da Easy Taxi, diz que a proposta é o compartilhamento de experiências vivenciadas no táxi. “A campanha #euamotaxi abre um espaço nas redes sociais para os passageiros compartilharem com seus amigos e seguidores suas experiências no táxi. Uma corrente positiva da Easy Taxi de incentivo ao uso do táxi, como segurança, conforto e praticidade”, afirma. Uma das iniciativas da campanha é a parceria com o aplicativo de trânsito Waze. Juntos, os aplicativos engajam a responsabilidade no trânsito, promovendo mais agilidade para chegar ao destino. Seguindo a premissa “Se beber, vá de táxi”, a ideia é incentivar o uso do transporte público individual e sugerir que passageiros e taxistas utilizem o Waze durante o trajeto, já que o app permite compartilhar informações de trânsito das vias em tempo real, economizando as horas de quem não tem tempo a perder. 37


EU RECOMENDO O CLONE DE CRISTO (TRILOGIA), de J.R Lankford. Editora Saída de Emergência, 384 páginas. Por Nazareth Raabe A trama conta a tentativa de clonar Jesus Cristo a partir do santo sudário e cria uma história alucinante. A autora por sua vez, gosta de proporcionar momentos de dúvida, uma mistura de conduta religiosa com ciência, mexendo com a fé das pessoas. Uma coisa que gostei muito foi a descrição científica de todo o método de clonagem, além de várias explicações sobre todo o procedimento, realmente impecável. Como clonar Jesus Cristo eu não sei. Mas com certeza nas entrelinhas dessa trilogia, que me conquistou, terá uma explicação – mesmo que pareça surreal. Desde 1999 até hoje minha indicação é essa. Uma viagem alucinante, que pode abalar do ateu ao beato. É simplesmente perfeito! A STARTUP ENXUTA, de Eric Ries. Editora Leya Brasil. 224 páginas. Por Sidharta Costa Pinto. Na vanguarda do empreendedorismo do século 21, Eric Ries criou uma abordagem revolucionária para a administração, que gerou um movimento que está transformando a maneira como os novos produtos são criados, desenvolvidos e lançados. Esses princípios se aplicam a todos aqueles que procuram construir produtos verdadeiramente novos sem desperdício, que podem ser utilizados tanto por startups de empresas de garagem quanto por inovadores presentes nas grandes empresas. Ries, que é empreendedor residente na Harvard Business School, também define desperdício como "toda atividade que não contribui para se aprender a respeito dos clientes". Trazendo histórias da vida real e lições aprendidas de algumas das empresas mais dinâmicas da atualidade, o autor descreve um plano para que cada um possa executar os princípios fundamentais da startup enxuta em qualquer projeto. A ARTE DE ESCREVER, de Arthur Schopenhauer; tradução, organização, prefácio e notas de Pedro Sussekind. Editora L&PM. 176 páginas. Por Joyce Warren, Revista PRONEWS. É simplesmente impossível descrever esta obra em poucas palavras. Pois se trata de um texto do filósofo pessimista Arthur Schopenhauer; aquele que sempre tem verdades ácidas para nos contar. No entanto, este livro reúne dicas preciosas de como escrever de maneira prática e, consequentemente, melhor. Ao longo da leitura, é possível perceber que o autor prioriza algumas premissas: não ser redundante no texto e sempre escrever sobre o assunto que dominamos. Ademais, Schopenhauer alterna lições com exemplos cômicos e bastante lúdicos. Ótima aquisição para jornalistas, estudantes de letras, publicitários e, sobretudo, aos que são interessados na escrita. FACEBOOK MARKETING, de Camila Porto. Novatec Editora. 360 páginas. Por Editora Novatec. Como maior rede social do mundo, o Facebook precisa estar entre as prioridades de pequenas, médias e grandes empresas. É por isso que a consultora em marketing digital e especialista em Facebook, Camila Porto, reuniu em um livro tudo o que os profissionais de Marketing, empreendedores e interessados na área precisam saber para obter sucesso trabalhando com a rede social. O livro contém respostas para as perguntas que todo profissional de marketing e mídias sociais faz durante o trabalho com o Facebook. Os leitores aprenderão a usar a rede social para potencializar sua marca, evitar e resolver erros e crises, construir sua audiência, criar postagens que geram engajamento, mensurar resultados, aproveitar todas as ferramentas e possibilidades que o Facebook oferece para os negócios, obter melhores resultados e outros conhecimentos necessários a todo profissional de Marketing. 38



Revista pronews172