Page 1

Capa Gruponove Comunicação

ano XIII julho de 2012


DESDE 1999

ÍNDICE

ano XIII nº 148 julho 2012

Capa: Gruponove Comunicação (PE) revista de comunicação e marketing NE

CAPA

RECIFE•SALVADOR•FORTALEZA•NATAL JOÃO PESSOA•MACEIÓ•TERESINA ARACAJU•SÃO LUÍS • SÃO PAULO

De acordo com o marketing 3.0 as empresas devem se empenhar em tornar o mundo melhor, criando valores para a sociedade, clientes, funcionários e parceiros. 19

A Revista PRONEWS é uma publicação mensal de Walter Lins Pinheiro Junior Editora - ME Empresarial Tacaruna - Av. Governador Agamenon Magalhães, 3341, Sls. 205/206. Torreão. CEP: 50.070-160. Fones: (81) 3426.6144 / 3034.6144 :: EDITOR Walter Lins Jr. walter@revistapronews.com.br :: REDAÇÃO Luciana Torreão - chefe de redação, Fabiana Constantino e Ivelise Buarque redacao@revistapronews.com.br

Marcos Parodi

:: COLABORADORES Adriana Ribeiro, Anderson Lima, Carlos Prado, Clarisse Souza, Joelli Azevedo e Joyce Warren

ENTREVISTA Autor de Os 8Ps do Marketing Digital, Conrado Adolpho fala sobre Marketing Digital, inovação e do equilíbrio entre caos e ordem. 14

:: PRODUTOR GRÁFICO Bruno Regis producao@revistapronews.com.br :: DEPTº FINANCEIRO Nise Lins :: ASSINATURAS 81 3426.6144 / 3034.6144 producao@revistapronews.com.br :: REPRESENTANTES COMERCIAIS NS&A - CE - Aldamir Amaral (85 3264.0406/ 0576) - nsace@nsaonline.com.br RD Produções e Eventos - Ricardo Douglas (SE - 79 3044.7013/9972.2214) rdproducoes@infonet.com.br Omega Mídia - Renato (SP - 11 8403.0330) renato@omegamidia.com.br :: DISTRIBUIÇÃO Log (PE - 81 2123.1455) Jornal Correio - Rede Bahia (BA - 71 3533.3030) Sistema Verdes Mares (CE - 85 3266.9902) www.verdesmares.com.br Omega Mídia - Renato (SP - 11 8403.0330) renato@omegamidia.com.br

Todo mês uma agência diferente produz a capa da Revista PRONEWS. Participe pelo e-mail: redacao@revistapronews.com.br 04

:: DADOS TÉCNICOS Impressão: Gráfica FacForm (81 3339.6566) grafica@facform.com.br Tiragem: 7.000 exemplares Formato: 22x30cm Tipologia: Humanist 521 BT Papel: Couché brilho 150g/m² Número de páginas: 44 As matérias assinadas por nossos colaboradores não representam, necessariamente, a opinião da revista.

WWW.REVISTAPRONEWS.COM.BR


GIRO SEPEX PERNAMBUCO TEM NOVA DIRETORIA O empresário Marcelo Santos, do Grupo Bandeirantes Mídia Exterior, é o novo presidente do Sindicato das Empresas de Publicidade Exterior do Estado de Pernambuco – Sepex-PE. Em seu discurso de posse, Marcelo Santos destacou alguns pontos que deverão nortear sua administração como a ampliação do relacionamento e interação das empresas que compõem o Sindicato, possibilitando melhorar a coexistência dos diversos meios de comunicação exteriores, respeitando-se as regras do meio ambiente e sustentabilidade e o estreitamento do relacionamento do Sepex-PE com as principais prefeituras do estado, imprensa e outras associações de publicitários, a exemplo do Sindicato das Agências de Propaganda (Sinapro) e Associação Brasileira de Agências de Publicidade (Abap). Marcelo Santos também declarou que o Sindicato iniciará ações e campanhas objetivando orientar a população sobre diversos temas de interesse social. PORTAL BRASIL 247 Para atender ao mercado publicitário regional, o Brasil 247 estruturou um departamento comercial, localizado em Recife. Com pouco mais de um ano de operação e contando com mais de 2,6 milhões de usuários únicos e superando a marca dos 5,7 milhões de pageviews, o portal Brasil 247 (www.brasil247.com.br) tem, ainda, revistas online voltadas para a área de esportes, cultura, finanças pessoais, entre outras publicações eletrônicas. O Brasil 247 também é pioneiro na produção de conteúdo para tablets no Brasil, com duas edições diárias e conteúdo 100% gratuito. EBM QUINTTO VENCE CONCORRÊNCIA A agência EBM Quintto Comunicação será responsável pelas ações de comunicação das marcas Estrela, Pelaggio e Salsito, recém adquiridas pelo Grupo M. Dias Branco. Com objetivo de reforçar a comunicação de seus produtos, o Grupo que é líder nacional no mercado de massas e biscoitos, realizou concorrência entre cinco agências de publicidade do Ceará e a EBM Quintto foi a vencedora. Para a concorrência, a EBMQuintto criou um posicionamento para cada marca e desenvolveu uma campanha promocional para um produto de cada marca, onde contemplava: vts, spots, jingles, peças gráficas, material de ponto de venda e ações de internet.

06

NOVIDADES NA AGÊNCIAUM A AgênciaUM abre um novo ciclo em sua história. Além da nova sede, no 9º andar do Empresarial Nassau, na Av. Agamenon Magalhães, em Recife, a agência ampliou os nomes da sua diretoria: Ricardo Santiago, assumiu a Direção de Criação e Mariana da Mata, a Direção de Operações. Um reforço para empresa que já possui unidades em Recife, Maceió e Salvador, escritórios em Natal e João Pessoa, e ainda conta com agências parceiras em São Luís, Belém, Manaus e Fortaleza. Além disso, a AgênciaUM acaba de adquirir o banco completo de mídia, consumo e comportamento da Ipsos Marplan, tornando-se a única agência do Recife com este material.

NOVIDADES DA DISNOVE CORPORATE O Grupo Disnove, empresa com 46 anos de atuação no mercado, lança seu braço de vendas corporativas. A Disnove Corporate propõe um novo conceito no segmento. Oferecendo variedade e qualidade em opções multimarcas (Kia, Nissan, Volkswagen e Yamaha) em carros e motos, a empresa tem foco no atendimento especializado, no pós-vendas diferenciado e na atenção total em solucionar as necessidades específicas de cada segmento. Para apresentar essa proposta, a 3Pontos Comunicação desenvolveu logomarca e slogan que transmitem o conceito de integração entre a tradição e inovação, entre a diversidade ofertada e as necessidades atendidas, e, principalmente, entre a qualidade da Disnove Corporate e a de seus clientes. Com as peças que virão, a agência pretende consolidar esse posicionamento.


GIRO BRASIL HEINEKEN BRASIL RELANÇA SEU WEBSITE CORPORATIVO A Heineken Brasil, quarta maior cervejaria do país, reformulou seu website corporativo e, entre outras mudanças, lançou a seção “Curiosidades”, que traz como tema a cerveja, sua história e tudo que envolve a cultura cervejeira. O website da Heineken Brasil ganhou novo leiaute, mais moderno, intuitivo e amigável. Desenvolvido pela Punto Comunicação, ele traz dois grandes diferenciais. Um deles está na sua estrutura, que é similar a de um blog e contém posts e pequenos drops com atualização frequente. Outro diferencial é o conteúdo, que traz curiosidades do mundo cervejeiro, dicas de harmonização, além de dados sobre o consumo moderado da cerveja e seus efeitos benéficos no organismo.

AMIL EM PERNAMBUCO Com o mote “Conheça de verdade a Amil – Mais saúde e carinho para os pernambucanos”, a Amil chega ao mercado pernambucano em uma grande campanha assinada pela Promarket, house agency da Amil. A campanha inclui filme de 30 segundos produzido pela paulista 5.6 Filmes, spots em rádio, anúncio publicitário em jornais e painéis frontlight, além de ações diferenciadas como envelopamento de jornais. GOOGLE ENGAGE O Google divulgou através de seu blog oficial o lançamento do portal Google Engage, uma plataforma que permite as agências de marketing digital, agentes do mercado e PMEs terem acesso a cursos, treinamentos, suportes e ferramentas que auxiliem na publicidade online, O portal é em português e sem nenhum custo. Os usuários cadastrados também receberão dez cupons no valor de R$ 150,00 para usarem em novas contas do Google AdWords. Além do portal, o Google lançou também o programa Engage Office, um escritório virtual que dará prêmios aos participantes que passam de fase e completam as tarefas. AMBEV É PREMIADA A Agência Estado premiou as dez melhores companhias de capital abertocom maior retorno para os seus acionistas no ano de 2011, durante a entrega do Prêmio Destaque Agência Estado Empresas. A grande vencedora do ano foi a Ambev, repetindo o resultado de 2011. A empresa também recebeu o prêmio especial Blue Chip, criado nesta edição. O ranking avaliou em torno de 200 empresas de capital aberto, com patrimônio líquido superior a R$ 10 milhões, a partir de sete critérios que levam em conta risco, liquidez, retorno, bem como indicadores fundamentalistas.

08

ABRIL CONFIRMA COMPRA DA ELEMÍDIA A Abril S.A. adquiriu os 30% restantes da Elemídia e passa, com isso, ao controle total da empresa de mídia out of home. De acordo com o comunicado oficial, Felipe Forjaz permance à frente do negócio. Segundo apurado, Forjaz, que era presidente na composição acionária anterior, fica no comando até, pelo menos, outubro deste ano, quando a venda à Abril dos 70% das ações completa dois anos. Fábio Barbosa, presidente-executivo da Abril S.A., declarou, no comunicado, que “o objetivo agora é continuar os planos de expansão da marca e alcançar novos mercados”. INSPIRAÇÃO GOURMET As cervejas Baden Baden e Eisenbahn apresentam novas campanhas publicitárias. A partir dos conceitos “Inspiração Gourmet” e “Sabe aquela cerveja?”, respectivamente, as marcas premium da Schincariol apostam na variedade de seus rótulos e na harmonização de pratos e sobremesas em peças criadas pela agência Mood. A campanha da Baden Baden destaca o posicionamento de cerveja gourmet partindo da principal característica da bebida, a harmonização. As peças da Eisenbahn ressaltam a tradição e a variedade dos seus 14 rótulos, que fazem dela a marca brasileira mais premiada do mundo. Os anúncios serão publicados nas revistas Veja Luxo e Alfa, além de mídia exterior na cidade de Blumenau e patrocínio ao programa “Mestre Cervejeiros”, veiculado no canal a cabo TLC (Travel & Living Channel).


FICHA TÉCNICA GRANDES CONQUISTAS Poucos lugares guardam tanta emoção e expectativa quanto o aeroporto. No caso dos atletas brasileiros, o embarque e desembarque são, respectivamente, sinônimos de desafios e conquistas inesquecíveis. Para divulgar o apoio e o fato de a Infraero ser a primeira empresa patrocinadora oficial da seleção brasileira de Judô, a Arcos Comunicação acaba de lançar a campanha Judô – Congonhas. O material será veiculado em TVs fechadas e em canais como a Globo, Esporte Interativo, ESPN, Band e Sport TV. Agência: Arcos Comunicação (PE) Cliente: Infraero Atendimento: Viviane Miranda Planejamento: Pedro Arlant Direção de Criação: Carlos Renato e Marcus Oliveira Redator: Luiz Arthur e João Saraiva RTVC: Julia Menescal Mídia: Alessandra Mayrinck Aprovação: Janete Ribeiro e Cibele Nunes

ENCONTRE O MELHOR PARA O SEU FUTURO Já está nas ruas a campanha da Unibratec, produzida pela Martpet Comunicação, para divulgar o início do processo seletivo 2012.2 e os novos cursos da instituição. Com o mote “Encontre o melhor para o seu futuro. Faça Unibratec”, a ação segue o conceito utilizado nas criações anteriores e inclui cartazes, spots, outdoor, outbus e comercial para televisão. Na peça para TV, o destaque é para o jingle simples e bem-humorado que já se tornou uma marca das criações para a Unibratec. Agência: Mart Pet (PE) Cliente: Unibratec Atendimento: Felipe Pacheco, Renata Dias e Themis Uehbe Direção de Planejamento: Jussara Freire e Julia Travassos Direção de Criação: Diego Curvêlo e Edison Martins Direção de Arte: Manoel Quitério Redator: Aida Polimeni, Diego Curvêlo e Leonardo Farache Mídia: Ana Paula Takata RTVC: Barbara Villela Aprovação: Silvana Toscano, Sandra Pinheiro

FERAS “CURTEM” APROVAÇÃO Já está nas ruas a nova campanha do Colégio GGE, produzida pela MV2 Comunicação, para divulgar as turmas preparatórias para o Vestibular 2013. Fazendo referência ao Facebook, a ação convida o fera a “curtir” a ideia de ser aprovado nas melhores universidades do país, se matriculando no intensivo da instituição. A campanha inclui outdoor, spot de 30 segundos, webmail e Internet, e segue a linha das ações anteriores, com linguagem mais próxima do estudante e elementos que fazem parte da rotina do jovem. Líder em aprovação nas universidades públicas de Pernambuco, o GGE também obtém resultados expressivos em vestibulares militares e no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Agência: MV2 (PE) Cliente: Colégio GGE Planejamento e atendimento: Elmo do Val Direção de Criação: Leonardo Vasconcelos Mídia: Dedé Silva Criação: Elmo do Val, Miguel Solano, Carol Barbosa e Leonardo Vasconcelos Produção: Alessandra Melo Assistente de Produção: Catarina Moro

10


ZYB CRIA MATERIAL PARA SBT NORDESTE O SBT Nordeste fez uma homenagem ao centenário de Luis Gonzaga com o São João da Tradição. O material da ação pós-venda foi desenvolvido pela ZYB Comunicação. Para compor o kit que vem acompanhado por uma caixa com um pen drive e uma amostra da cachaça Carvalheira, a agência se inspirou na poesia cantada pelo rei do baião e elementos típicos da tradição nordestina. Agência: ZYB Comunicação (PE) Cliente: SBT Nordeste Atendimento: Juliano Rossetini Direção de criação: Felipe Oliveira Direção de arte: André Amorim Redação: Clarice Freire Ilustração: Pedro Melo Produção: Edilza Lima Gráfica: Facform

GOSTINHO DE SONHO Com o mote “Gostinho de Sonho Fortaleza. Um presente da Fortaleza para todas as famílias”, a Fortaleza, marca de massas e biscoitos da M. Dias Branco, lança promoção entre os dias 1º de julho e 30 de setembro, que vai sortear duas casas e 10 carros zero quilômetro. A promoção é válida em todo território nacional e tem o objetivo de aproximar ainda mais a marca dos consumidores, além de incrementar as vendas de massas e biscoitos. Agência: Propeg (BA) Cliente: M. Dias Branco Atendimento: Michele Estevez, Marta Valverde, Débora Donadel e Darana Pimentel Planejamento: Melina Romariz e Bárbara Ferreira Criação: Fabiano Ribeiro, Ariston Quadros, Thiago Resende, Ludmila Ventura, Alisson Percontini, André Oki, Bruno Lage e Ruhan Moreira Direção de Criação: Ana Luisa Almeida, Fabiano Ribeiro, Ariston Quadros Mídia: Grasiela Gomes Produção: Carla Souza e Lilian Cavalcanti RTVC: Tiago Cavalcanti e Caio Leão Aprovação: Adriany Paiva

OI COM ESTRATÉGIA OUSADA Diferenciada, esta foi a estratégia de comunicação desenvolvida pela Sale para o lançamento da primeira loja própria da Oi em Pernambuco, localizada na nova expansão do Shopping Recife. Priorizando mídia out of home, a agência instalou sacolas gigantes, com seis metros de altura, em pontos estratégicos da zona sul do Recife e no próprio shopping. Além das sacolas, a agência desenvolveu anúncio de jornal, spot de rádio, mala direta e uma promoção junto aos clientes da loja. A sacola ficou fixada como um elemento que remete ao giro de produtos, sucesso de vendas. Tudo o que uma loja estabelece como meta. Agência: Sale Marketing (PE) Cliente: Oi Pernambuco Atendimento: Manoel Nogueira e Maíra Catão Criação: Ricardo Filho, David Barros, Sandra Barros e Isabel Dias Direção de Criação: Pedro Cordeiro Mídia: Maria Antonia Pontes e Telma Mendes Aprovação: Vanessa Gouvea e Renata Dantas. 11


CASAMENTO ESSENCIAL:

Ivelise Buarque

GERENCIAMENTO DE CRISE E COMUNICAÇÃO Ao longo dos tempos, diversos problemas assolaram a humanidade e geraram impactos que mostram a vulnerabilidade das comunidades e provocando desafios além da realidade do momento. São problemas de desastres naturais (explosões, incêndios, contaminações), acidentes, desastres industriais e denúncias, que envolvem risco para a vida e trazem dificuldades para a reputação e a comunicação de uma empresa, marca, organização ou personalidade. O cinema retratou bastante esta questão em películas como “Todos os Homens do Presidente” (Watergate de Alan J. Pakula, em 1976) e “A Rainha” (The Queen de Stephen Frears, em 2006). “O que se configura uma crise é uma grave ameaça a pessoas ou organizações, de modo a colocar em risco a segurança, instalações, resultados financeiros e o próprio futuro dessa organização. Além disso, implica grande visibilidade e a possibilidade de a organização perder o controle. E em geral não pode ser contida dentro da organização”, diz João José Forni, editor do site www.comunicacaoecrise.com (SP). A história moderna ilustra diversos acontecimentos e as últimas duas décadas foram marcadas por casos clássicos da comunicação, como Tylenol/ Johnson & Johnson (1982), EscoJoão José Forni, do site www.comunicacaoecrise.com

12

la Base/ SP (1994), o anticoncepcional Microvlar/ Schering do Brasil (1998), Coca-Cola na Bélgica (1999), Autovisão Brasil/ Volkswagen (2003), Gol Linhas Aéreas (2006) e AirFrance (2009). “O Instituto para o Gerenciamento de Crise de Louisville, Kentucky (EUA), revelou numa pesquisa feita anos atrás que apenas 14% das crises são inesperadas. Ou seja, em 86% dos casos, a empresa deveria estar preparada para ela”, diz Patrícia Raposo, diretora da Duxi Comunicação (PE), que trabalha com a crise de duas formas: preventiva e combativa e, por isto, montou a Grupo Lyses, que consiste numa frente que reúne profissionais das mais variadas áreas que podem ser acionados conforme o perfil da crise para reverter o problema. No mundo de hoje, com a realidade das mídias sociais, os casos de crise se tornam mais incontroláveis como foi sentido nos Estados Unidos pela Domino's Pizza (2009) e no Brasil com a Chuva de Twix (2010), o “Cala Boca Galvão” (Copa do Mundo 2010), Não é uma Brastemp (2011) e Renault/ Meu Carro Falha (2011). “Com o crescimento das mídias sociais, a repercussão de qualquer crise hoje é muito maior – e mais rápida – do que costumava ser. Se antes todos esperavam para ver como sairia a matéria do noticiário da noite ou do jornal do dia seguinte, hoje é preciso monitorar um número muito maior de veículos, em tempo real, assim como Twitter, Facebook, YouTube e outros sites de relacionamento para aferir como está a imagem da empresa e criar estratégias para atuar nessas mídias. É um novo mundo, muito desafiador para os profissionais de comunicação. E as lideranças têm papel muito importante na condução de uma crise. É fundamental que estejam preparadas e disponíveis para agir em conjunto com a área de comunicação para permitir o melhor gerenciamento da crise”, lembra Jacqueline Breitinger, diretora de atendimento na In Press Porter Novelli (RJ). Seja qual for o panorama do problema, um gestor preparado é imprescindível, pois ele é quem personificará a imagem da empresa, marca ou organização: de forma positiva ou negativa. Independente do meio em que se manifesta ou o tipo de impacto que ela tenha é importante sempre manter-se preparado para o que possa vir. Apesar da expressão,


Jacqueline Breitinger, In Press Porter Novelli (RJ)

Karin Villatore, jornalista e diretora da Talk Comunicação

gerenciar crise é antes de tudo um trabalho de prevenção e esta deve partir de um planejamento como em qualquer trabalho estratégico. “Quando se trata deste assunto, a grande falha é ignorar as ameaças. Para gerenciar uma crise, é essencial estar preparado para ela. Há crises de imagem extremamente previsíveis como a queda de um avião. Entretanto, há outras crises provenientes de fatos corriqueiros que são extremamente subestimadas pelas empresas”, destaca a Ana Cristina Lima da Brava Comunicação (PE). Por isto, é imprescindível conhecer bem o seu cliente e uma visão aprofundada do problema que gerou a crise, assim como de suas consequências. Neste processo de trabalho, deve-se também criar um manual com procedimentos e instalar um comitê de crise, preparado dentro das estratégias do plano de comunicação. “Gerenciar uma crise é bem mais do que atuar pontualmente a partir de uma situação que gere algum dano de imagem à empresa. Gerenciar uma crise é, antes de tudo, não deixar de comunicar, o que é um de seus maiores desafios, sobretudo num momento adverso. O processo de avaliação deve andar junto com as ações durante uma crise. É preciso comunicar e comunicar de forma ágil e eficiente. O contrário demonstra, sobretudo, falta de respeito com seus diversos stakeholders e também acarreta sérios riscos para a imagem. A verdade, por mais dolorosa, não pode ser evitada e é bem melhor do que o silêncio. A empresa/organização não deve se fechar em si mesma. É preciso abrir canais de contato tanto com o público interno quanto com o público externo. É preciso monitorar sua resposta inicial durante toda a crise e depois no pós-crise”, diz a jornalista Daniella Brito (PE). O plano de gerenciamento de crise ajuda administrar as informações da empresa em meio a crise. Mas, uma das grandes falhas das empresas é acionar um comitê de crises, o departamento de comunicação ou o assessor somente quando o problema acontece ou chega ao conhecimento da imprensa. “Em muitos casos, a empresa acho que deve deixar

a crise passar e não se manifestar sobre ela, mas pior do que as consequências de uma crise são os resultados de não reagir a ela. É preciso lembrar que aumentar as suspeitas e deixar calúnias serem publicadas faz com que surjam mais críticas, rumores, podendo minar as relações de credibilidade e de confiança entre a organização e a opinião pública. O ideal é enfrentar o problema, evidenciando o que a empresa tem de melhor. Além disso, não se deve negar informação para a imprensa e sim deixar elaborada o que será transmitido. 43% das empresas despreparadas que atravessam grandes crises nunca reabriram seus negócios e 29% fecharam dois anos depois da crise. Principais motivos: 34% por falha humana e 10% por problemas ambientais”, destaca a jornalista Karin Villatore, diretora da Talk Comunicação e co-autora de “Manual de Gerenciamento de Crise. É fato que é importante estar preparado, ciente do contexto social e político no qual está inserida a empresa e o problema, avaliar cuidadosamente a repercussão juntos aos diversos públicos e manter a calma. Mas, diferente de tempos atrás, gerenciar uma crise não é mais tão fácil assim. “Hoje é muito mais difícil gerenciar as crises do que há 20 ou 30 anos. A velocidade da informação atropela a empresa. A reputação hoje é construída e destruída online. Se a organização não está preparada para isso, deve se preparar”, ressalta Forni. Contudo, uma mãozinha extra passa a ser também essencial hoje. “Como está relacionado à imagem, cabe às agências (de propaganda, de publicidade, de consultoria de imagem ou qualquer outro nome que inventem para a mesma coisa) interferir no possível desavisado cliente. Crise de imagem é um dos assuntos a que os publicitários deveriam mais dar atenção no dia a dia de seus clientes. Porque de nada adiantam investimentos em marketing e propaganda se os pontos vulneráveis que toda empresa tem (e a sua também), de uma hora se mostrarem como uma ferida aberta e sem cura. Todo um planejamento, campanha, peças dignas de Cannes serão em vão, pontua Ana Lima. 13


ENTREVISTA

Anderson Lima

O CAOS E A ORDEM DE CONRADO ADOLPHO Tendo iniciado a carreira cursando Engenharia Aeronáutica no ITA e, em seguida, Química na Unicamp, Conrado Adolpho é formado em Marketing, com especialização em Economia e MBA em Estratégia Empresarial. É autor de Os 8Ps do Marketing Digital, um dos livros de Marketing mais vendidos do País, além de atuar como palestrante internacional e professor de pós-graduação da ESPM-SP e consultor internacional nas áreas de marketing digital e de estratégias de negócios em ambientes digitais. “Tento unir, até mesmo pela minha formação multidisciplinar, o exato com o orgânico. Mostrar que a internet é feita de gente e feita para gente”, afirma Conrado. “Não adianta aprender a criar fan page para ter mil fãs se você não dialoga com seu semelhante. A internet é uma ferramenta de transformação social e é esse papel que temos que explorar nela”, completa o profissional, que encontra a inspiração para seu trabalho tanto nos próprios sonhos como no bem que proporciona às pessoas a partir de seus ensinamentos. “Quando recebo um e-mail dizendo que um pequeno empresário conseguiu enviar a filha para a faculdade porque minhas dicas fizeram com que ele duplicasse suas vendas ou quando recebo o e-mail de algum profissional já com renome que diz que resolveu migrar para essa carreira por minha causa cinco anos atrás. Isso não tem o que pague!”, revela Conrado, que curte ler e escrever nos tempos livres. “Escuto doses cavalares de música também. Toco violão e canto. E, de vez em quando, ensaio pintar um quadro. Tento equilibrar o digital e o orgânico. Isso me relaxa. Estou começando a escrever uma peça de teatro também”, enumera. Na entrevista a seguir, Conrado Adolpho fala sobre Marketing Digital, inovação e da convivência harmoniosa entre caos e ordem. “Quero unir o exato e o incerto que a internet é para fomentar a discussão e a reflexão de como podemos nos encontrar nesse mundo caórdico em que só um delicado equilíbrio dinâmico pode nos redimir da vida desumana que hoje levamos”.

tem muita importância na história do País e está fazendo valer essa importância em tempos de internet. Lógico que há ainda muito a caminhar, mas, tirando São Paulo capital, que tem um ritmo diferente, todo o restante do País ainda tem muito a andar para alcançar São Paulo. O Nordeste está na média de muitas outras cidades em termos de trabalho de marketing digital.

REVISTA PRONEWS – Em que nível o Nordeste se encontra atualmente em termos de Marketing Digital? CONRADO ADOLPHO – Pelo que tenho visto, há muito a crescer. Porém, existe um público que está fazendo acontecer e colocando a coisa pra frente. Nem há o que dizer do Silvio Meira ou de profissionais nordestinos que foram para o Vale do Silício, mas, além destes, há muita gente boa comprometida com o marketing digital e colocando-o na vanguarda. O povo do Nordeste

RPN – A propósito, qual a importância de um consultor de marketing digital para as empresas? CONRADO – O consultor ajuda a empresa a achar o seu norte em um mercado tão caótico como o atual. Diante de tantos fornecedores, concorrentes e novas ferramentas, as empresas estão bem perdidas com relação ao que fazer. O papel do consultor é de facilitador nesse processo. Ele é muito importante também para criar cultura nas empresas. Ensinar para depois vender. Não adi-

14

RPN – O que é preciso para que a região possa se equiparar aos mercados mais desenvolvidos nesse sentido? CONRADO – Mais gente competente e que vire a noite para entregar o trabalho. Mas como disse, não ter esse tipo de profissional não é privilégio do Nordeste. O Brasil todo está assim. Falta paixão. Falta garra. Falta fazer acontecer custe o que custar. RPN – Existe demanda para um profissional do tipo? CONRADO – Muita demanda. Lembro-me de um dia em que estava com um problema de encanamento na empresa. Não havia bombeiro que desse jeito. No final, como o dia a dia tinha que continuar correndo, paramos de usar um banheiro, fizemos uma gambiarra em uma torneira, fechamos um registro e as coisas passaram a andar normalmente. Tão normalmente que parece que nem tínhamos problema no encanamento da casa. O mercado brasileiro está assim. Houve uma época que sentimos a falta de profissionais e achamos que o mercado ia parar, mas demos um jeito aqui, fizemos uma gambiarra ali e a vida seguiu em frente. O fato é que o encanamento continua quebrado e as gambiarras, que eram para ser provisórias e viraram definitivas, não são a solução profissional. Ainda há uma grande falta de profissionais que entreguem serviços realmente bem feitos, no prazo e que deem resultados. O mercado parece que se adaptou a essa falta, mas é preciso que os formemos se quisermos ser internacionalmente competitivos nessa área. O curso 8Ps, que ministro, é justamente para suprir essa lacuna. Profissionalizar o mercado digital.


RPN – Em relação às redes sociais, como elas podem ser usadas para aumentar as vendas e melhorar o relacionamento com o mercado? CONRADO – O genial manifesto Cluetrain [conjunto de 95 teses escrito em 1999 que trata da relação empresa-mercado a partir das conexões da web] começa com "mercados são conversas". No dia que as empresas aprenderem que a lógica mudou e que hoje em dia é preciso conversar e não tentar vender sem pensar no consumidor, vão dar um passo à frente. Se formos falar de teoria dos jogos, passamos do jogo sem repetição para o jogo repetitivo. A interação anterior define a próxima. Antes não era assim. As empresas precisam aprender a conversar, abaixar a cabeça e ouvir antes de falar. As redes sociais são formadas de gente, não de máquinas. De pessoas, não de targets. De seres humanos, não de usuários. RPN – Sobre os 8Ps, há muitos depoimentos em seu site de pessoas que tiveram a vida transformada graças a ele. Que poder transformador os 8Ps possuem? CONRADO – O poder de mostrar que é possível. Que dá para conseguir o que se quer nesse mundo caótico pensando de maneira sistemática e pondo ordem no caos. Transformando o caos em caordem, como diz Dee Hock [fundador e Diretor Executivo Emérito da VISA Internacional e criador do termo caórdico, o resultado da convivência harmoniosa do Caos e da Ordem]. O que digo para muita gente é que o poder de transformar a sua própria vida já está dentro dela. Qualquer um tem esse "poder", mas às vezes falta alguém que lhes diga que é possível, que acredita que a pessoa é capaz, que mostra uma maneira de organizar as informações para fazê-lo. Os 8Ps são muito mais uma ferramenta do que uma mola. É mais fácil parafusar um parafuso em uma parede com uma furadeira, uma bucha e uma chave de fenda. Os 8Ps são essas ferramentas. Sem elas tudo fica muito difícil e, muitas vezes, o profissional não sabe nem por onde começar. Os 8Ps têm uma outra grande vantagem, que é a união das pessoas e a mensagem por trás deles de transformação do mundo. Gandhi dizia que para transformar o mundo primeiro precisamos mudar a nós mesmos. A mensagem de "construir um mundo melhor por meio da internet" que os 8Ps passam promove essa mudança pessoal, para então o profissional (e a pessoa por trás do profissional) mudar a sua empresa, que muda sua sociedade próxima. E essa muda o restante. O aluno 8Ps passa a ser um agente de transformação. Faz com que a mudança aconteça em si mesmo e passa

isso para os outros. Com relação à união das pessoas, os alunos se tornam amigos. Eles saem juntos depois, criam parcerias, montam negócios juntos, atendem clientes juntos. O mundo não precisa ser competitivo, podemos trabalhar em conjunto e todos ganharem. Mostro isso ao longo de todo o curso. Quanto mais generoso se é, mais se ganha. Não só dinheiro, mas algo muito mais importante: capital social. Ganha-se o respeito e o carinho dos seus semelhantes. Essa é a melhor moeda que há. Dinheiro é uma mera consequência e uma medida que lhe diz se você está fazendo a coisa certa do jeito certo. Mas os 8Ps só organizam tudo isso para que a energia seja canalizada. Quem faz a coisa acontecer é a pessoa. O livro e certificado do curso em uma estante não conseguem fazer nada. Eles ficam lá, parados. É preciso que a pessoa pegue a ferramenta, se esforce e faça algo com ela. RPN – Como chegar e eles com sucesso? CONRADO – Estudando a teoria, testando na prática e, acima de tudo, sendo muito humilde. Essa é a única maneira. Não é fácil, mas não há outro caminho.

Marcos Parodi

anta só tentar vender em um mercado sem cultura. O papel do consultor muitas vezes é espalhar conteúdo para plantar seu nome no mercado para só então conseguir vender seus serviços. Estamos criando o mercado no País e para isso é preciso primeiro criar as bases para que ele cresça forte e sustentável. Não precisamos de outra bolha.

15


Janio Edwards

Carolina Orofino (The Alchemists UK), Gilberto Gil, João Brasil (DJ e músico) e Rogério S. Andrade (The Alchemists UK)

OS ALQUIMISTAS ANUNCIAM NOVA PLATAFORMA DIGITAL A equipe da empresa brasileira “Os Alquimistas” (RJ), especializada no segmento de narrativa transmídia, acaba de anunciar o desenvolvimento de um novo projeto internacional. Chamado de HIT (Histórias Inspirando Transformações), o projeto da companhia irá apresentar, através de uma plataforma digital, histórias de lugares e pessoas que já passaram por mudanças importantes e que de alguma forma inspiraram grandes transformações. Os Alquimistas convidaram o apresentador, produtor, DJ e músico brasileiro João Brasil para comandar o projeto em sua primeira etapa. Ele irá convidar diversos artistas para juntos buscarem elementos inspiradores para criar novas histórias, músicas e novos produtos criativos. O objetivo será criar novas manifestações artísticas e culturais a partir de histórias interessantes de pessoas e lugares ao redor do mundo. Na primeira temporada do projeto, a cidade escolhida para a busca de inspiração foi Londres, na Inglaterra (cidade onde os Alquimistas abriram recentemente sua nova unida16

de). Londres foi selecionada pela equipe principalmente por sediar os Jogos Olímpicos de 2012. A capital inglesa está vivendo diversas transformações no seu dia a dia e os moradores sentem o impacto dessas mudanças, também refletidas na estrutura e no dia a dia da cidade. O projeto, que ainda está em fase de captação de parceiros, já foi iniciado. O primeiro episódio da primeira temporada já foi criado. João Brasil encontrou com Gilberto Gil na cidade e pegou com o cantor diversas dicas de locais londrinos. Gil morou na cidade na década de 60 e pode passar suas percepções sobre as transformações de Londres ao longo dos últimos 40 anos, principalmente a partir de 2005 (quando Londres ganhou o direito de sediar as Olimpíadas). O intuito deste primeiro episódio com Gilberto Gil será compor uma nova música. O grande objetivo da empresa é colher histórias e inspirações com diferentes artistas e formadores de opinião em diferentes lugares, criando novas manifestações e processos criativos ao redor do mundo.


COM FOCO NO PRESENTE E OLHOS NO FUTURO

Com quase seis décadas de existência, várias mudanças tecnológicas e estruturais a Volkswagen comemora este ano, 59 anos de existência no Brasil. Mas o objetivo do grupo continua sempre o mesmo: oferecer produtos atrativos, seguros e amigáveis ao meio ambiente que sejam competitivos nos mercados e que estabeleçam padrões mundiais em seus respectivos segmentos. Ao longo dessa trajetória de sucesso foram mais de 19 milhões de veículos produzidos, entre carros de passeio e comerciais leves. O Grupo Volkswagen, com sede em Wolfsburg, é um dos maiores fabricantes automotivos do mundo e maior fabricante da Europa. O grupo é formado por dez marcas de sete países europeus: Volkswagen, Audi, SEAT, Skoda, Volkswagen Veículos Comerciais, Bentley, Bugatti, Lamborghini, Scania e MAN. Cada marca tem suas próprias características e opera de forma independente no mercado, além disso, produzem veículos desde veículos de baixo custo de consumo de combustível até veículos luxuosos, passando pelo segmento de transportes comerciais, picapes, ônibus e caminhões. Por conta das marcas a Volkswagen já possui 64 fábricas em 22 países, sendo 15 na Europa e outras sete em países das Améri1953 - Armazém na Rua do Manifesto, bairro do Ypiranga (SP)

cas, Ásia e África. Porém a Volkswagen do Brasil foi a primeira operação da marca fora do território europeu e se tornou o terceiro maios mercado para o grupo, estando atrás apenas da China e Alemanha.

A Volkswagen do Brasil comemora a produção de 20 milhões de veículos vendidos no mercado interno e para mais de 60 países no mundo. O veículo 20.000.000 é a Saveiro Cross, produzida na fábrica de São Bernardo do Campo.

A trajetória da Volkswagen no Brasil começou em 23 de março de 1953, em um armazém na rua do Manifesto, no bairro do Ipiranga – São Paulo. Foi na primeira dependência do grupo que surgiram os primeiros fuscas com peças importadas da Alemanha e somente 12 empregados. Mas a partir de 2 de setembro de 1957, as peças começaram a ser produzidas na fábrica de são Bernardo do campo, o resultado foi a Kombi, com 50% das peças e componentes produzidos no país. A marca, portanto, atingiu o primeiro milhão de veículos produzidos em julho de 1970 e em março de 1972, o Fusca alcançava o número histórico de um milhão de unidades vendidas no Brasil. Mas em 1973 foi lançado em Brasília o primeiro veículo totalmente projetado e desenvolvido pela empresa brasileira. Também foi na década de 70 que a Volkswagen passou – além de produzir e conquistar os brasileiros – a exportar os veículos produzidos no país. Um exemplo no exterior é o sucesso que o Gol fez, em 2011 chegou a marca de um milhão de unidades exportadas. 17

Joelli Azevedo

Em 2012 a Volkswagen completa 59 anos de existência no Brasil com inovações e investimentos na propaganda


Hoje, no Brasil o grupo já comemorou a melhor produção de todos os tempos, totalizando 828.444 modelos para o mercado nacional e internacional. Além disso, além da fábrica de São Bernardo do Campo (SP) outras fábricas foram inauguradas para bater mais metas de produção. Entre elas estão a Fábrica Anchieta – São Bernardo do Campo (SP), Fábrica de Taubaté (SP), Fábrica de São José dos Pinhais (PR), Fábrica de São Carlos (SP). Nessas quase seis décadas de existência no Brasil, o grupo têm investido, principalmente, nas linhas de produção que trouxeram um aumento da ordem de 30% de produtividade e desenvolvimento da sustentabilidade como princípio de gestão, onde a empresa promove uma série de iniciativas de proteção ambiental e responsabilidade social. Só nos últimos quatro anos, o consumo de energia elétrica por veículo produzido foi reduzido em 26%, principalmente pelo emprego de novas tecnologias e engajamentos dos colaboradores. Porém, é no avanço das novas tecnologias que a Volkswagen se destaca. Como, por exemplo, na Ferramentaria – onde o processo passou de artesanal para o digital, na Estamparia com as máquinas de última geração, inclusive no desenvolvimento de robôs, na Armação – fase que mais recebeu novas tecnologias, na pintura que sempre levou em conta melhorias para o meio ambiente, em ergonomia, qualidade do produto e produtividade. E por fim, na Montagem Final.

Por isso, a trajetória da Volkswagen no Brasil sempre foi pautada por inovações. O grupo também foi o primeiro do setor no Brasil a lançar, em 2003, a tecnologia Total Flex, também foi uma das pioneiras no desenvolvimento de veículos com índices reduzidos de consumo de combustível e emissões: Gol Ecomotion (lançado em 2010) e Polo BlueMotion, (lançado em 2009). Onde os modelos receberam o prêmio "Carro Verde do Ano 2011" e "Carro Verde do Ano 2012", da revista Autoesporte. Ainda em 1988, a Volkswagen lançou, em 1988, o primeiro carro nacional com injeção eletrônica de série, uma nova tecnologia que trouxe melhor desempenho, com menor consumo de combustível e emissão de gases poluentes. "A história da Volkswagen no Brasil reflete o nosso compromisso com o desenvolvimento do País. Em seus 59 anos, a empresa, para orgulho de seus mais de 23 mil funcionários, se tornou a maior produtora e maior exportadora de veículos do Brasil, com uma linha de produtos que faz parte da vida e do coração dos brasileiros, como é o caso do Gol, que há 25 anos consecutivos é o carro mais vendido no País. O sucesso da Volkswagen só foi possível graças aos trabalhadores de nossas fábricas, rede de concessionárias e, acima de tudo, à preferência dos nossos clientes, que ao longo desses anos adquiriram quase 20 milhões de veículos, sempre confiando na marca Volkswagen", declara o presidente da Volkswagen do Brasil, Thomas Schmall.

VOLKSWAGEN E AS CAMPANHAS PUBLICITÁRIAS

leva muito mais fatores em consideração na hora de decidir a compra. Os valores da marca são decisivos nesta escolha, como inovação, sustentabilidade, confiabilidade, design. Enfim, ele quer que a empresa ofereça muito mais que qualidade e segurança", explica o gerente de Propaganda da Volkswagen do Brasil, Herlander Zola. O sucesso das campanhas da Volkswagen também é resultado da parceria de mais de 40 anos entre a marca e a agência de publicidade Almap (que tornouse AlmapBBDO no final dos anos 80), responsável pela criação de todas as campanhas publicitárias da Volkswagen do Brasil. "A relação entre a marca e a Almap é muito próxima, fazendo com que a agência entenda muito bem as necessidades da marca no Brasil e contribua para que os trabalhos sejam cada vez mais adequados à necessidade do consumidor", afirma Zola. Para o sócio-presidente e diretor de criação da AlmapBBDO, Marcello Serpa, "A Volkswagen faz parte do DNA e da história da agência".

O grupo fez sucesso no Brasil e conseguiu se firmar no território. Resultado da qualidade dos veículos e da divulgação da marca. Nessas quase seis décadas de história da propaganda da Volkswagen do Brasil, as campanhas incorporaram o clima de cada época, a linguagem de cada momento e as imagens da moda. Sempre com a criatividade que ajudou, por exemplo, a projetar o Fusca como sucesso mundial. Além disso, por 19 vezes, os anúncios da Volkswagen receberam o maior prêmio da publicidade mundial em Cannes, isso porque a marca sempre esteve muito conectada com o consumidor, buscando entender seus desejos, necessidades e comportamento, transformando tudo isso em seu principal motivador. "As mensagens da comunicação da Volkswagen evoluíram junto com o consumidor, que hoje em dia 18


CAPA

O MARKETING QUE FAZ A DIFERENÇA NO MUNDO

Lola Studio

Além de vender seus produtos, satisfazer e reter o Kellogg School of Management, da Northwestern University, cliente, as empresas também devem transformar o mundo e presta consultoria a empresas como General Electric, IBM, em um lugar melhor para se viver. Essa foi a essência do novo AT&T, Honeywell, Michelin e Merck, entre outras. A Sin Comunicação (PB) esteve presente no semináconceito defendido pelo americano Philip Kotler – o “pai do rio da HSM com seus colaboradores e clientes: o diretormarketing mundial”, que esteve mês passado no Brasil (São presidente e a diretora de atendimento da Sin Comunicação, Paulo e Recife) em seminário realizado pela HSM do Brasil, em Ruy Dantas e Martha Queiroga; a diretora da I2 Inteligência, parceria com o Instituto Empresariar para divulgar as teorias Alessandra Torres; o secretário de Comunicação e Desenvoldo seu livro mais recente o Marketing 3.0 – As forças que vimento Mercadológico da Unimed João Pessoa, Isaac Marestão definindo o novo marketing centrado no ser humano. tins; o diretor da Teixeira de Carvalho Diante de tantas novidades, a REVISTA Imóveis, Paulino Teixeira de Carvalho, PRONEWS, sempre à frente do que há entre outros. “Foi realmente um privide novo, “levantou a bola” do tema, a légio participar da palestra de um dos fim de saber o que pensam as empresas autores mais consagrados na área de e profissionais que tiveram o prazer de marketing como Philip Kotler. Tenho ouvir o mestre do marketing. Além de certeza que nós da Sin Comunicação saber como estes se posicionam diante juntamente com os colegas da Teixeira da nova teoria, queremos entender de Carvalho e da Unimed João Pessoa, como analisam o futuro a partir do saímos daqui renovados com todo o novo paradigma mercadológico. Em Recife, Kotler apresentouconhecimento adquirido”, comentou se no Centro de Convenções (OlindaRuy Dantas. “A participação foi importante PE) durante quatro horas, para cerca para nos atualizarmos um pouco diante de mil pessoas. No mesmo dia pela de todo o conhecimento transmitido manhã, também marcou presença no por Philip Kotler, hoje uma das maiores auditório da Faculdade Boa Viagem autoridades mundiais na área de mar(Recife-PE), em evento fechado para keting”, frisou Martha Queiroga. O alunos, professores e convidados da estudante de publicidade da FBV (PE), instituição. Referência mundial na área Anderson Santana, um dos que teve o de administração há quase cinco déca- Philip Kotler, autor de mais de 50 livros, prazer de ser sorteado para participar das, Philip Kotler é autor de mais de 50 traduzidos para mais de 20 idiomas e ultrapassam a marca de cinco milhões de da palestra na FBV e tirar foto ao lado livros, que já foram traduzidos para cópias vendidas em 58 países de Kotler, ficou muito empolgado com mais de 20 idiomas e ultrapassam a a oportunidade. “Ele sabe como prender o espectador. Sabe marca de cinco milhões de cópias vendidas em 58 países. Denser engraçado na hora certa e, além disso, tem um vocabulário tre eles, o mais famoso é o “Marketing Management”, consifácil de entender, até mesmo pelos mais leigos no assunto. derado a bíblia do marketing. Em 2005, foi selecionado como Posso dizer, hoje, que tenho chances de ser um grande profiso 4º maior expert de negócios pelo Financial Times e, em sional após essa palestra, devo muito ao Phillip Kotler”, 2008, o The Wall Street Journal o listou como a 6ª pessoa mais comenta Anderson. influente no mundo dos negócios. Atualmente, é professor da 19

Luciana Torreão

Marketing 3.0 é o novo conceito divulgado por Philip Kotler que afirma que é preciso tratar as pessoas como seres plenos com mente, coração e espírito


Rachel Mota, jornalista

A jornalista Rachel Mota, concorda com Anderson Santana e diz que ver e ouvir Kotler foi uma oportunidade única. “É como aprender na fonte, eu me senti privilegiada por isso. Kotler está certíssimo quando diz que o marketing faz parte de nossas vidas, embora muitos nem tenham ideia do quanto é influente. Ele nos levou a refletir sobre o marketing 3.0, que vai muito além do já ultrapassado modelo focado no apelo e no emocional. Consiste também em outro olhar que supera a fronteira do negócio propriamente dito ao investir em ações de responsabilidade social”. Rachel completa que, o

marketing deve ser preciso e os executivos do setor devem trabalhar para a satisfação do cliente, tendo sempre em mente o cuidado com o mundo. “Esse foi o grande ensinamento deixado pelo americano”, finaliza. Mas para entender a base do novo conceito, Kotler diz que, se no marketing 1.0 a premissa é a de apenas vender o produto e ter compradores em massa, com necessidades físicas, o desenvolvimento de produto é focado em “vender pra muitos”. Já no marketing 2.0, o objetivo é satisfazer e reter os consumidores, que são inteligentes, dotados de coração e mente. É a era da diferenciação. Por fim, o marketing 3.0 se resume a produtos incríveis, clientes satisfeitos e criação de valor para a sociedade. Nele, as empresas se empenham em tornar o mundo um pouco melhor, adotando uma causa que possa criar valores para a sociedade, clientes, funcionários e parceiros. Neste novo conceito, as empresas não almejam apenas entregar felicidade ao seu cliente, mas, também, querem ser amadas. E, para isso, deve-se ir além da segmentação de mercado. “A marca deve criar /conquistar comunidades. Hoje, o consumidor não quer apenas a satisfação funcional através dos produtos / serviços que escolhe, mas também a emocional e a espiritual”, frisou. Para ele, o consumidor irá valorizar empresas sustentáveis e "verdes", com foco em responsabilidade social, e pensando no marketing social como um todo. Em um dado momento no futuro, Kotler diz que será a hora da “desmarketização”, ou seja, haverá um movimento para desestimular o consumo de determinados tipos de coisas e produtos, a fim de preservar o meio ambiente, como o excessivo consumo de água, por exemplo, que será cada vez mais escassa. Kotler prega sobre uma nova “visão” do Marketing, no qual os profissionais objetivam “fazer do mundo um lugar melhor”. O diretor da Gráfica Santa Marta, Fred Hortêncio, afirma que a Santa Marta está já há algum tempo buscando entender melhor esta teoria e, colocá-la em prática, é uma tarefa difícil, mas não impossível. “Nosso sentimento é que o atendimento ao cliente, ao mercado propriamente dito, deve ser o mais 'humanizado' possível, procuraremos cada vez mais transformar este contato em uma experiência prazerosa, passando ao cliente nossos valores”, pontua.

Fred Hortêncio, Gráfica Santa Marta

20


Fred ressalta que um profissional que hoje queira estar inserido no mercado precisa, constantemente, buscar entender o que o mercado demanda, o que o mercado fala. “Passamos de uma realidade cujas proposições eram feitas do profissional para o mercado e, hoje, a tendência é cada vez mais colaborativa, na qual o consumidor dita seus desejos e as empresas têm que se adaptar a eles. O consumidor hoje assume muito mais o papel de colaborador, e isto é excelente, mas também requer que estejamos cada vez mais atentos”. Com relação a tudo que foi dito e ouvido na palestra do grande mestre Kotler, Fred acha que são bem viáveis. “Acredito que haverá muito trabalho pela frente, uma vez que nos 'acomodamos' em determinado momento, a um contato indireto com o cliente, em especial num mundo tão 'digital' como o que vivemos. As relações humanas precisarão sim, ser cada vez mais bem direcionadas”. INOVAÇÃO X TECNOLOGIA – Porém, é difícil traçar estratégias em um mundo de incertezas. E empresas morrem, simplesmente porque pararam de inovar. E Kotler foi taxativo: “Se daqui a cinco anos, sua empresa ainda estiver no mesmo ramo de negócio, ela deixará de existir”. E, será que inovação está diretamente ligada à tecnologia? Um grande exemplo dado por ele foi a Kodak, que por não ter se renovado e inovado, está morrendo. Nesse caso, a empresa não se “atinou” às novas tecnologias. Mas ele alerta: tem que haver uma medida, pois inovação demais pode gerar fracassos e inovar de menos pode fazer a empresa desaparecer. “É preciso aprender com os erros”. Kotler explica que commodities podem se diferenciar, basta agregar valores e serviços. Foi o caso da empresa mexicana de cimentos Cemex. Para se diferenciar, ela garante a entrega do seu produto dentro de horário prometido. Para isso, seu produto custa 10% mais caro. Porém, ela ofereceu comodidade e segurança ao seu cliente. Outro exemplo de commodity dado por ele foi uma fabricante de tijolos, que deu 100 anos de garantia de seu produto. Caso a parede se deteriorasse antes do prazo, eles substituiriam. Em suma, eles provaram que tinham o melhor tijolo do mercado com um conceito e ação super simples. Utilizar o branding narrativo é uma alternativa. Tal qual o storetelling. Empresas que contam histórias e atraem o consumidor, tornam-se amadas. A gestão de valores é a palavra chave. Daí a necessidade de as empresas pensarem de forma sustentável, no bem estar da sociedade. São as chamadas empresas “verdes”. Nesse caso, a responsabilidade social é verdadeira e pode ser o grande mote para a conscientização de uso de determinada marca. Contudo, esses valores devem ser repassados dentro da empresa, com os fornecedores e repassados aos clientes. É

o mesmo processo de “vestir a camisa” e acreditar na empresa. Se funcionários e fornecedores admiram a empresa, o cliente também vai amar essa marca. Não adianta ser da boca pra fora! Ou seja, é preciso aproximar os stakeholders – todos os envolvidos no processo interno e externo da marca/empresa. Antecipando-se às tendências, a marca de refresco em pó Tang elaborou uma série de ações com foco na educação ambiental para 2012. Ela se propôs a criar estratégias para engajar seu público em ações de reciclagem, com uma grande mobilização em torno da coleta de embalagens de refresco em pó para transformação em novos produtos.

A Tang reforça seu posicionamento no mercado nordestino oficina de reciclagem na Feneart (PE)

O gerente de Marketing de Tang, Juliano Brites Rodrigues, aposta que esta plataforma de comunicação oferece às crianças o papel de líderes do processo da reciclagem, dando as ferramentas e o suporte necessário para que elas pudessem agir. “Queremos que Tang seja um aliado na reutilização de resíduos com o tema Reciclar é Transformar. Por isso, a Tang reforçou seu posicionamento no mercado nordestino com o lançamento regional desta campanha nos estados de Pernambuco, Ceará e Bahia. Nas três praças, foram realizadas oficinas em shoppings, gincanas nas escolas e divulgação do site www.esquadraoverdetang.com.br que reúne ações e iniciativas de coleta e transformação de embalagens de refresco em pó em novos produtos”. 21


Gilson Medeiros, Clã Marketing & Estratégia

O CONSUMIDOR É O REI – Kotler destacou que a empresa deve ver o consumidor não apenas como um comprador, com necessidades que podem ser satisfeitas pelo seu produto ou serviço, mas, também, como um ser humano pleno, com coração, mente e espírito. “Irá se destacar a empresa que busca fazer a diferença na sociedade”. O consumidor está cada vez mais exigente e hoje ele se utiliza de importante arma: as redes sociais. Entretanto, Kotler alertou para o fato de que o Facebook não é lugar de vender e, sim de fazer relacionamento. “Antes de tudo é preciso ficar de olho e monitorar essas mídias e ficar por dentro de tudo que falam de você e sua marca”. O consumidor tornou-se poderoso, saiu da forma passiva para ser participante do processo dos produtos e/ou serviços que vai adquirir. De acordo com a gerente de Marketing da GF Consultoria Ocupacional (PE), Irani Nascimento, as empresas ainda estão se adaptando a esse novo formato de publico, e devem criar estratégias e transformar toda informação fornecida de positiva ou negativa, em material a ser direcionado em favor da marca. “O marketing é responsável em ensinar, esclarecer, conscientizar o consumidor sobre determinados produto e/ou serviço, ajudar a vender ideias. O 'marketing verde' será mais atuante do que nunca, e a nova geração está mais consciente sobre a conservação do planeta, então há uma tendência que esses produtos sejam mais pro22

curados”, acredita. Juliano Rodrigues, da Tang, avalia que as empresas deverão “evoluir” sua visão de marketing, não apenas trabalhar com as ferramentas tradicionais e sim, diversificar e ampliar as formas de se comunicar com o seu consumidor. “Nem toda a empresa ou marca está preparada para esta evolução. No caso de Tang estamos cada vez mais voltados para conhecer as necessidades da sociedade e compreender que há estágios diferentes para cada região do país. Este estudo é primordial para estabelecer um programa que vai além das fronteiras da sua organização e que atingirá toda a comunidade. Quanto mais verdadeira esta causa, melhor as chances das marcas se estabelecerem com a imagem associada a sustentabilidade”. Para o diretor da iMKT Brasil Consultoria – Inteligência em Digital Marketing (PE), Fábio Lira, as teorias de Kotler têm muito a ver com a nova sociedade, com o poder da informação e a facilidade no seu acesso. “Temos hoje, no Brasil, uma nova classe média sedenta por informações e produtos diferenciados, necessitada em participar dos relacionamentos criados pelas novas tecnologias, que vem se popularizando a cada dia. Acho que o marketing 3.0 é um movimento irreversível, onde os profissionais de marketing devem se aprimorar e ficar cada vez mais atentos aos relacionamentos, pois exigem muito mais esforços e atenção, visto que todo e qualquer relacionamento é um exercício delicado”. Fábio Lira acredita ainda que o profissional de marketing, a partir do advento das novas tecnologias e do novo modelo social que vem se desenhando, terá que possuir uma qualidade fundamental: saber ouvir. “O monitoramento constante, a co-criação de estratégias e o relacionamento claro e dinâmico, devem dar o tom do marketing 3.0. Isso envolve muito a cultura organizacional e a capacidade profissional da equipe de marketing, pois a tarefa exige, muitas vezes, mudanças de paradigmas e de comportamentos que irão tirar a organização de sua zona de conforto”. Os profissionais de marketing e da área de comunicação, de um modo geral, estão cada dia mais conscientes. “Os valores que pretendemos repassar na promoção da imagem de uma marca ou produto precisam ser compatíveis com os reais valores da empresa. Caso contrário, o mascaramento das intenções, voltado apenas para vendas, será facilmente percebido e rapidamente compartilhado, acarretando resultados insatisfatórios e, consequentemente, comprometendo o plano de marketing. As empresas precisam estar conscien-


tes das mudanças na relação de consumo e de seu papel na sociedade”, comenta a economista e especialista em Gerência de Desenvolvimento Empresarial, Cláudia Coutinho (PE). Ela diz ainda que o grande desafio do profissional da área será a compatibilização de interesses, muitas vezes, distintos. Cláudia, que atualmente trabalha nos Correios, atuando na área de Orçamento e Custos da Regional de Pernambuco, acredita que o caminho do aprendizado ainda é longo. Basta avaliar as inúmeras reclamações referentes a ações empresariais que ferem o código do consumidor. Segundo ela, a maioria das empresas ainda está “crua”, visa ao lucro imediato. “O marketing 3.0 exige um estágio de amadurecimento muito maior. Mudanças na própria essência da organização. Isso não se consegue da noite para o dia, apenas se familiarizando com os conceitos. Por onde começar? Educação. Inevitavelmente, ela permeia tudo. Sociedade educada, consumidor consciente, aumento das exigências, mudança nos hábitos de consumo, definição de legislações e mudança de postura das organizações”, complementa Cláudia. RESPONSABILIDADE SOCIAL – Em sua experiência de quase 15 anos de marketing, o especialista em marketing e estratégia, Gilson Medeiros, da empresa Clã Marketing & Estratégia (PE), percebeu que nos últimos cinco anos esse assunto começou a ser mais difundido. “Tive o privilégio de poder implantar um departamento de Responsabilidade Social, criar e dar sequencia voltada a esse foco. Vejo que é uma área ainda muito carente nas empresas. Elas ainda não se envolveram e nem sentiram o problema como deveriam. E falo das empresas que tentam levar a sério a causa. Normalmente após muita luta para criar, planejar e implantar esse segmento de responsabilidade social na empresa, cedo ou mais tarde chegamos ao problema de não termos o apoio necessário com sala reservada, especialista na área para fazer de conta que tem esse compromisso, convênios, verbas destinadas, etc”, destaca. Entretanto, Gilson alerta para o seguinte: “Em sua grande maioria, se fizermos um levantamento com pessoas e órgãos especializados com foco em responsabilidade social, veremos que muitas empresas não possuem essa estrutura e muito menos amor à causa. Hoje muitas delas fazem por puro marketing perante à sociedade e, em um futuro breve, terão que fazer para sua sobrevivência”, prevê Gilson. Na visão do diretor de Novos Negócios e Planejamento da Ampla Comunicação (PE), Fernando Lima, o desafio dos gestores de marcas - sejam profissionais do anunciante, consultores externos ou das agências - que estão atentos ao marketing 3.0, é identificar a causa certa e mais adequada ao DNA e posicionamento dessas marcas. “As marcas greenwashing são, rapidamente, desmascaradas pelos consumidores. Apoiar por apoiar, defender por defender não agrega valor, é inconsistente. Se a empresa não está pronta e não tem os recursos específicos para

investimentos nas causas sociais, ambientais ou do terceiro setor, é aconselhável investir nos valores intangíveis da marca (marketing 2.0), consolidar os atributos para só depois pensar no prestígio que a companhia pode obter com o marketing 3.0”, aconselha Fernando Lima. Para quem não conhece, o termo greenwashing referese a empresas que se promovem (ou tentam) levantando a bandeira da responsabilidade socioambiental e sustentabilidade, mas na verdade nada fazem. É a chamada “maquiagem verde”, a falsa publicidade ambiental. Elas se auto atribuem qualidades ecológicas que, na maioria das vezes, não têm como ser comprovadas ou revelam-se insuficientes para o entendimento do consumidor. Ao ser questionado sobre as aplicabilidades das novas teorias de Kotler para o mercado brasileiro, e como a empresa dele está se preparando para atender essa tendência mundial, o sócio da agência Kindle (RJ/SP), Flávio Porto, acha possível e próximo da realidade, pois é uma estratégia baseada nas tendências do comportamento humano atual. “Não vamos adotar marketing 3.0 porque Kotler fez um livro, e sim porque naturalmente o faríamos uma vez que estamos carentes de valores, de emoção, de um mundo melhor. Acredito que o mercado brasileiro, com seu jeito versátil, sem dúvida, abraçará as novas teorias de Kotler rapidamente”. A coordenadora comercial da Bandeirantes Midia Exterior (PE), Nathalia Santos, teve o prazer de assistir à uma palestra de Kotler em Fortaleza (CE), ano passado, e avalia que é interessante ver como o assunto de marketing 3.0 está sendo bastante abordado, focando principalmente no bem-estar dos clientes junto com a preocupação dos valores sociais e ambientais. “Sem duvida é fato que ainda estamos longe de alcançar modelos estratégicos para executar nas empresas de forma coerente e eficiente. Muito se fala e pouco se faz. Mas claro, a sociedade está vivendo uma mudança e esse processo demora. Aos poucos iremos nos surpreender com as ideias inovadoras que forem surgindo”. Segundo Nathalia, a Bandeirantes Midia Exterior, além de buscar um relacionamento personalizado com seus clientes, também realiza um projeto pioneiro de sustentabilidade, procurando minimizar os efeitos no meio ambiente e empregando pessoas da comunidade, que transformam materiais em objetos pessoais e se beneficiam com o resultado da venda. “Esses produtos são vendidos e distribuídos de brindes ou para uso diário, dando um toque especial e inusitado ao nosso meio. Além disso, temos diversos outros projetos, direcionados ao meio ambiente e o bem-estar das pessoas. Naturalmente, como empresa de propaganda, temos que divulgar o que fazemos internamente e externamente, inseridos nas redes sociais, onde mostramos todas as nossas ações, para conhecimento dos nossos clientes e parceiros, procurando obter admiração e encantamento pela empresa”. 23


A VEZ DO CLIENTE SHINERAY:

Ivelise Buarque

UMA PROPOSTA ARROJADA Em sete anos de atuação no Brasil, a Shineray Motos do Brasil se tornou uma referência no mercado nacional no segmento duas rodas e hoje comemora esta conquista com sua expansão a partir da construção do seu parque industrial em Suape (PE) para 2013. Montando a primeira fábrica de motos fora da Zona Franca de Manaus no país, ela mantém atualmente 138 concessionárias de motocicletas em todo o país, espalhadas em 26 estados, e 16 concessionárias e revendas de veículos utilitários em todo o país, com meta de alcançar 35 até o final do ano. “A Shineray do Brasil ocupa a 6ª posição no ranking de emplacamentos de motocicletas pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). O Nordeste tem grande importância na consolidação da Shineray no mercado. Foi nele que iniciamos a distribuição há sete anos e que impulsionou a nossa expansão em função do alto índice de crescimento do setor duas rodas na região. O foco agora está em crescer também a distribuição dos nossos produtos nas outras regiões do Brasil”, diz o diretor de Trade e um dos sócios da Shineray, Paulo Perez. Hoje, a matriz da montadora chinesa no Brasil conta com investimentos na ordem de R$ 130 milhões para o desen-

volvimento do novo empreendimento que começará a funcionar com uma capacidade de produção de 50 mil unidades, passando para 100 mil, 150 mil e, posteriormente, a 250 mil unidades/ano, dentro de três anos. “Nossos produtos nos setores de duas rodas, já são conhecidos, e o que temos de novo esse ano são os carros da linha Shineray, também bastante acessíveis, e de qualidade bem superior à concorrência direta. Chegamos também com um modelo de motocicletas estilo retrô, acompanhando a nostalgia das antigas lambretas”, diz o diretor. Além da linha de montagem, a nova montadora contará em sua estrutura com laboratórios de montagem, armazenagem e qualidade, além de laboratórios de testes e pista exclusiva para motos On Road, Off Road e Street. “Nossa nova sede e a fábrica será instalada também no Cabo de Santo Agostinho, numa área de 160 mil metros quadrados sendo 60 mil metros quadrados de área fabril mais estocagem coberta. Nossa previsão inicial de inauguração é novembro de 2013”, estima Paulo Perez. A abertura do futuro parque fabril reforça o poder da marca no mercado, que trabalha com ciclomotores, motos de diversas categorias, triciclos e quadriciclos,

Com a Central de Distribuição localizada no Cabo de Santo Agostinho (PE), a principal atividade do grupo, atualmente, é a importação de produtos da linha de motos Shineray produzidas em Chongging, na China

24


SHINERAY NOS TRÓPICOS – Desde 2005, quando chegou ao Brasil, trabalha com os conceitos de qualidade, design e alto desempenho para o desenvolvimento de suas linhas de motos, ciclomotores, triciclos e quadriciclos. O grupo envolve um variado mix de produtos para atender todas as categorias existentes do segmento duas rodas, com destaque para as motocicletas de baixa cilindradas. “Somos frutos de um produto de alta qualidade e preços bastante justos e, por isto, criamos uma categoria de consumidores que não existiam em estatísticas, por conta dos péssimos serviços de transportes coletivos urbanos oferecidos. E, destacadamente nas cidades do interior, tivemos a chance de oferecer a essas pessoas desabastecidas, transporte ágil barato de qualidade e fácil dirigibilidade”, diz Paulo. A chegada do negócio começou com a criação da central de distribuição, localizada no Cabo (PE), que manteve como principal atividade a importação dos produtos da linha de motos produzidas em Chongging, na China. Com ela, a Shineray consegue desenvolver uma logística de armazenagem e distribuição de produtos, para atender com rapidez as revendas e os consumidores. “Oferecemos ao mercado sem sombra de duvida o primeiro acesso, com facilidade de preço e dirigibilidade, grande variedade de modelos e cores. Nossos produtos apresentam designs modernos e arrojados, acompanhando as tendências que ocorrem nas principais capitais do mundo, além de serem de baixo consumo de combustíveis”, lembra Perez, que destaca o constante trabalho dos engenheiros chineses, responsáveis por estudos em adaptar o produto importado à realidade do clima e estradas brasileiras. NO FOCO DO MERCADO – Uma das grandes apostas da

Emanuel Filipe

além da linha de utilitários que será ampliada com a nova investida. “A sede hoje possui 10 mil metros quadrados e foi construída em 2009 e onde trabalham 160 colaboradores. E todo produto que chega pelo Porto de Suape, segue para nossas instalações no Cabo de Santo Agostinho. Posteriormente, segue para todas as lojas espalhadas pelo país no sistema Rodoviário”, destaca. Com os novos investimentos, a saída dos primeiros produtos da Shineray Brasil está programada para dois anos após o início da construção, com expectativa de produção com montagem de triciclos e três modelos de motocicleta (um lançamento - de 200 cilindradas - e dois entre 125 e 150 cilindradas). Mas uma das grandes investidas do grupo será ainda a chegada de sua linha de motos flex (bicombustível – álcool e gasolina). E, enquanto estiver operando, vai gerar mais de 500 empregos diretos na montagem, nacionalização e produção dos 19 modelos de motocicletas comercializados e dos novos produtos a serem lançados.

José Edson Medeiros, diretor comercial; Marcos Menezes, diretor financeiro e Paulo Perez, diretor Trade

Shineray é o trabalho de marketing e de comunicação, a partir do planejamento anual de comunicação que envolve atuação em mídias sociais e em mídia espontânea com apoio de sua assessoria de imprensa (SL.MCI). Os investimentos de marketing, por exemplo, representam percentual do faturamento e é distribuído por trimestre e são destinados especialmente ao apoio à rede de concessionárias no desenvolvimento de suas campanhas em veículos de comunicação de massa (TV, rádio, revista, jornais, mídia exterior, etc); materiais promocionais e de PDV (folhetos, brindes, displays, faixas, etc); participação em feiras e eventos; e patrocínio em competições, times de futebol, equipes ou pilotos. “A Shineray do Brasil planeja seus investimentos em marketing com dois grandes focos: apoiar as ações de marketing da rede de concessionárias; e desenvolver campanhas que aproximem a marca do consumidor dos nossos produtos. Atualmente, estamos trabalhando a nova campanha que conta com o ator global Leandro Hassum como garoto-propaganda. Outra iniciativa é a participação a cada dois anos na maior e mais importante feira no segmento de duas rodas: o Salão Duas Rodas”, destaca o diretor. A partir do mote “Conquiste a sua liberdade numa Shineray”, o humorista de “Os Caras de Pau” (Rede Globo) emprestou seu carisma e talento no trabalho da agência Sotaque Brasil Propaganda (SP) para todo o território nacional, que traz duas abordagens: uma dirigida ao mercado nordestino e outra com foco geral, destacando as características dos modelos ofertados. Dividida em seis momentos ao longo do ano, as motos são sempre inseridas em situações comuns e protagonizadas pelo artista. “Nossa principal meta para os próximos cinco anos é ser a 1a opção de compra no mercado nacional de motocicletas para as classes C, D e E, fornecendo produtos de qualidade a preço acessível ao bolso da maior parte dos brasileiros, principalmente àqueles que são dependentes dos serviços de transporte público”, pontua. 25


DE OLHO NA CAMPANHA

SE FICAR NA FRENTE, ELA PASSA POR CIMA

CRÉDITO CONSCIENTE Em sinergia com as iniciativas de educação financeira do Itaú, o banco lança campanha de marketing com filme em TV aberta e fechada para convidar os seus clientes a refletir sobre a contratação de produtos de crédito. Fazendo analogia com decisões importantes da vida das pessoas, como casar e ter filhos, o filme frisa a relevância de ponderar e analisar se o crédito cabe no bolso antes de realizar a contratação. Assinada pela DM9DDB, a campanha conta com anúncios impressos e spot, e reforça a visão do Itaú de auxiliar os clientes na gestão responsável de seus recursos. Durante o comercial, o locutor estimula a reflexão: “Quando você decidiu que iria casar, você pensou se ela era a mulher da sua vida. Quando vocês decidiram ter filhos, vocês também pararam e pensaram. Por que com crédito seria diferente? É só se perguntar: você precisa disso já? E na hora de pagar, dá? Crédito consciente Itaú. Mude o seu jeito de usar o crédito e conte com o Itaú para mudar com você”. Para finalizar, ele diz: “Crédito consciente Itaú. Mude o seu jeito de usar o crédito e conte com o Itaú para mudar com você”. 26

A Duloren começa a veicular este mês nova peça publicitária dentro do projeto 'New People'. A campanha, assinada pela XTudo Comunicação, traz como modelo Márcia Appelt, de 55 anos, integrante desde 2009 do Ladies of the Road – grupo que reúne mulheres apaixonadas por motos. Márcia posou ao lado de sua HarleyDavidson com a frase “Quem fica na frente eu passo por cima”. A peça será veiculada em mídia impressa, nas redes sociais da marca (Twitter e Facebook) e em mais de 22 mil pontos de venda espalhados pelo País. Além de trazer mulheres reais como modelos de suas campanhas, a Duloren está investindo também nas consumidoras entre 50 e 80 anos. Levantamento recente da marca demonstrou aumento no número de consumidoras nesta faixa etária que procuram as linhas mais sensuais. “Há alguns anos, esse percentual girava em torno de 30%. Hoje já chega quase a 60%. É uma prova dos novos tempos”, diz Denise Areal, diretora de Marketing e Estilo da Duloren.


Com o passar do tempo, as mulheres não só conquistaram o mercado de trabalho, como é lembrado com frequência, mas diversas áreas e segmentos do mundo todo. Constantemente, elas precisam se multiplicar e, com isso, provam que, cada vez mais, dispõem de habilidades necessárias para qualquer atividade que as sejam destinadas. Segundo o estudo “O Progresso das Mulheres no Brasil 2003-2010”, nas últimas três décadas, foram marcantes os avanços alcançados por elas. O relatório apresentado em 2011 aponta as modificações no cotidiano, tanto nas esferas públicas quanto políticas. Com números, como da década de 80, a pesquisa mostra a evolução a partir de movimentos feministas e de ações ininterruptas das mulheres. Sabendo dessa evolução e participação do público feminino em todos os setores do País, o que fazer para conquistá-las? Como agradá-las, sendo que, cada vez mais, elas se tornam ainda mais exigentes? Foi ao pensar em perguntas como estas que a agência de entretenimento Haute resolveu segmentar o seu serviço e lançar um núcleo específico para as mulheres, a Haute 4 Girls. “É um projeto bastante peculiar, que envolve aproximadamente 30 meninas em cada evento, onde as marcas que trabalham com o público feminino podem fazer ações mais diretas”, explica Bruno Dias, um dos sócios da Haute. O público-alvo, segundo ele, são mulheres com alto poder de consumo. A estreia da Haute 4 Girls aconteceu em um SpaDay, promovido no hotel Tivoli Mofarrej, em São Paulo, para 30 convidadas, presenteadas com gifts das marcas parceiras Intimus, Granado, Wonder e joias Talento. Entre os serviços oferecidos, elas puderam contar com massagens, drinques Mumm, Feel Good e Café Caferazzi, além de muita música. “O resultado foi ótimo, pois a maioria ainda não conhecia o SPA”, conta Dias. “Agora, estamos tendo uma grande procura, pois são muitas mulheres querendo participar dos próximos eventos e muitas marcas querendo participar da nova agência”, diz. Com vasta experiência em eventos de alto padrão, a Haute traz às marcas femininas a opção de ser uma empresa que não só promove eventos, mas que possibilita a elas um contato direto com um público formador de opinião e uma equipe dedicada à personalização, tão exigido neste segmento de mercado. Criada em 2009, é uma agência especializada em criar relacionamentos entre pessoas e marcas por meio de eventos em lugares inusitados e com atrações exclusivas. O foco principal é atingir um público seleto, com eventos simples que se transformam em verdadeiras plataformas de entretenimento, a fim de estreitar o relacionamento das marcas com o consumidor. Além de Bruno Dias, entre os sócios estão Guga Guizelini, Dado Ribeiro e Felipe Aversa.

Clarisse Sousa

SÓ PARA ELAS

Especializado em Direito da Comunicação, com ênfase no Direito de Imagem, Direito Autoral, Direito Trabalhista, Administração de Passivo e Recuperação de Créditos Rua Francisco Alves, 105 Sl 101, Ilha do Leite, Recife-PE. Fone: (81) 30387310


NA WEB WWW.MIDIASSOCIAIS.NET/ Primeiro blog brasileiro cujo foco é a divulgação de cases, aplicações empresariais, artigos, novidades e inovações que envolvem a nível global as novas mídias, hoje considerado referência nacional no assunto. O blog foi fundado há alguns anos, quando seu fundador, Ricardo de Paula, percebeu a dimensão que as mídias sociais assumiriam, os impactos e as transformações que causariam nas vidas das pessoas e das organizações. O blog Mídias Sociais traz artigos, cases, ferramentas, entrevistas, indicação de livros, infográficos, pesquisas e todas as novidades ligadas as mídias sociais.

HTTP://MIDIABOOM.COM.BR/ O Coletivo Mídia Boom nasceu através da necessidade de um canal na internet brasileira para tratar basicamente sobre Comunicação Digital com ênfase em Mídias Sociais associadas às campanhas de Marketing de Publicidade na Web. Com o tempo, o conceito foi sendo alterado tendo como principal finalidade transmitir informação de fácil entendimento sobre os assuntos primordiais do projeto. No ar desde setembro de 2009, tem como principal foco o crescimento da Comunicação Digital, Redes Sociais como integração da divulgação de produtos e serviços utilizando as mídias sociais como ferramentas de comunicação. A equipe Mídia Boom contribui de forma voluntária e, atualmente, é formada por mais de 15 colaboradores diretos e indiretos.

Joelli Azevedo

A PAIXÃO DOS CEARENSES DESDE 1956 A Rádio Verde Mares completa 56 anos fazendo parte da vida dos cearenses, sendo líder em audiência há mais de 20 anos. Chegando a ser considerada o veículo de maior cobertura do estado. Exatamente no mês de Julho o industrial Edson Queiroz fundou a Rádio Verde Mares que faz parte do sistema de comunicação com maior audiência do Ceará. O grupo ganhou espaço ao longo de cinco décadas, sempre se mostrando presente no dia-a-dia dos cearenses de 97 municípios. Até hoje, a rádio é responsável por levar notícias, cultura, informações de utilidade pública e diversão, através de um conteúdo diversificado para os ouvintes. Durante a trajetória, a emissora conseguiu espaço na casa dos cearenses e se tornou líder em audiência entre as AMs, com programação via satélite para uma rede de emissoras interligadas com todas as regiões do Ceará. A Verdinha, como é conhecida, também garantiu o público fiel devido à cobertura do futebol profissional do Ceará, sempre com um toque humorístico, sem deixar de lado a credibilidade dos comunicadores. Além da equipe jornalís28

tica sempre comprometida em transmitir notícias locais, do Brasil e do mundo. PARCERIA – Fazendo parte da rotina das casas no Ceará, o veículo junto com o sistema Verde Mares propõe a Ação Verde Mares que através da televisão e do rádio, em parceria com entidades públicas e privadas, leva serviços de cidadania, saúde e educação para as comunidades de Fortaleza e Região Metropolitana. A ação acontece sempre no primeiro sábado de cada mês.


No universo globalizado, cada vez mais a comunicação se volta para a regionalização. Mas, desta vez, a oportunidade é aproveitada pelos veículos de comunicação de todo o país. Ano passado, o jornal para Ipad, Brasil 247 (com 230 mil visitantes únicos e 2,3 milhões de páginas visitadas) completou um ano de atuação com vários anúncios, entre os quais a criação de quatro jornais regionais (Bahia, Brasília, Rio de Janeiro e Pernambuco), formando a Rede 247 que deverá abranger ainda todo território nacional. Em março passado, o Estadão anunciou o lançamento de uma coluna semanal, assinada pelo jornalista José Maria Tomazela, intitulada 'Pelo Interior', publicada nos cadernos 'Cidades' e 'Metrópole', abordando pautas de cidades do interior de São Paulo. Esta proposta comercial e editorial dos meios de comunicação reflete um movimento progressivo, baseada no interesse em buscar alternativas e atender a demanda de leitores (seja da mídia convencional ou digital) sedentos de informação. O jornal Propaganda & Marketing, voltado especificamente a este mercado, em todo país, foi um dos primeiros a lançar a estratégia com a coluna semanal do colunista Nelson Cadena - Nordeste em Foco. “Na verdade, nenhum dos veículos especializados em propaganda e marketing, mesmo tendo espaços regionais como o meu, descobriu a importância do Brasil fora do eixo Rio-São Paulo. É claro que a maioria dos anun- Rodolfo Tourinho, SJCC ciantes desses veículos e leitores também estão naqueles centros, mas cabe a eles investir num público alvo que também quer ser noticia, participar e amanhã anunciar também, na medida em que o veículo tiver uma penetração e credibilidade consolidada”, diz Cadena, que apostou na ideia na década 80 e mantém seu sucesso até hoje. Nascida de uma iniciativa embrionária, chamada “Tabuleiro”, publicada no caderno naquela época, alcançou extensão regional quando o colunista sugeriu a bem sucedida coluna, apesar das dificuldades em obter até hoje conteúdo e informações de outros estados. A interiorização da comunicação é uma investida bem sucedida em Pernambuco, por exemplo. O Sistema Jornal do

Commercio de Comunicação mantém diversas propostas que casam com este novo cenário com um canal exclusivo do portal NE10 Interior, o suplemento semanal JC Agreste e o quinzenal JC Vale, a TV Jornal Caruaru, cobertura da Rádio Jornal com unidades em Caruaru, Garanhuns, Limoeiro, Pesqueira e Petrolina, além da do Recife. “Todos os veículos que compõem o grupo no Interior têm suas equipes próprias de conteúdo e comercial. A área administrativa tem sede no Recife, com profissionais exclusivos gerenciando o trabalho do interior. E a evolução da comunicação e da notícia no Interior tem seguido índices interessantes, por se tratar de um conteúdo próprio e que desperta interesse da comunidade na região. Esse conteúdo customizado auxilia nesta evolução”, destaca o superintendente do SJCC, Rodolfo Tourinho. O investimento no interior com meios de comunicação específicos é uma boa estratégia de marketing e negócio. Contudo, só se torna bem sucedida quando trabalha em cima de um modelo específico em que impera as normas do bom jornalismo, um padrão de linha editorial e uma linguagem adequada. Esta é a posição da Folha de Pernambuco, do Grupo EQM, que ampliou a sua atuação com uma editoria diária Regional e duas colunas semanais: Agreste Destaque (Social) e a recente coluna de Carlos Brito (política). “É nosso interesse atuar em todas as regiões de Pernambuco. A contratação do colunista Carlos Brito é um exemplo. Com ele, passamos, também, a divulgar notícias de Petrolina e das cidades vizinhas. Outro exemplo de interiorização das notícias é a forte inserção na cidade de Caruaru. Lá temos correspondentes e damos ampla divulgação das notícias do Agreste. Outra parceria importante é a da radiodifusão com a Liberdade AM para a transmissão de todos os eventos esportivos de todos os times de Pernambuco, sejam competições estaduais ou nacionais. Nossa união integrará a Copa das Confederações e a Copa do Mundo num pool de emissoras com a capacidade de transmissão para seis milhões de ouvintes”, ressalta o diretor executivo da Folha de Pernambuco, Paulo Pugliese. 29

Ivelise Buarque

INTERIORIZAÇÃO DA NOTÍCIA É UM BOM MARKETING


FICHA TÉCNICA NÃO IMPORTA COMO VEM A IDEIA A Ampla Comunicação criou campanha para divulgar o III Prêmio Pernambuco de Propaganda (PPP), promovido anualmente pelo Sindicato das Agências de Propaganda de Pernambuco (Sinapro). A campanha se desenvolve em torno do conceito Idéia. Não importa como veio. Se for boa, leva e mostra que as ideias surgem em qualquer momento e lugar. Os filmes são protagonizados pelos criativos das 13 agências que ganharam Ouro no PPP do ano passado, em locações escolhidas pelas próprias agências, que indicaram o lugar onde gostam de criar: na praia, jogando pingue-pongue ou sinuca, tirando um som no estúdio, na mesa de bar, nos bancos da praça. A campanha é composta de 3 vts de 30 segundos, spots, cartazes, anúncios, outbus e outdoor. O desafio era envolver as agências e envolveu! Agência: Ampla Comunicação (PE) Cliente: Sinapro Atendimento: Queiroz Filho, Aguinaldo Viriato e Luciana Cruz VP de Criação: Manuel Cavalcanti Direção de Criação: Manuel Cavalcanti, Juliana Lisboa e Betinho Montenegro Criação: Manuel Cavalcanti, Thiago Pitt e Guto Campello RTVC: Fabiana Stefani, Larissa Bione, Mariana Bandeira e Laís Leleu Aprovação: Antonio Carlos Vieira, Giovanni Di Carli e Angelo de Mello CADA VEZ MELHOR Todo dia maior. Cada vez melhor.Esse foi o conceito criado pela DB'D Comunicação para o North Shopping Caruaru divulgar sua mais recente expansão. A partir dele, foram criadas diversas peças, de anúncio para revista especializada a folder de comercialização ou sinalização de Mall. A sóbria paleta de cores escolhida se equilibra perfeitamente com a marca multicolorida do Shopping, tipologia e as fotos se propõem a dar um ar de modernidade e elegância ao mais tradicional shopping de Caruaru. Agência: DB'D Comunicação (PE) Cliente: North Shopping Caruaru Planejamento e Atendimento: Doryan Bessa e Keila Morais Direção de Criação: Cristiano Souza Direção de Arte: Raphael Espinhara e Daniel Gomes Produção: Thays Santiago Midia: Mariana Libonati Aprovação: Gustavo Penteado e Marcus Belarmino

PARA CONFIRMAR RENOVAÇÃO A TV Asa Branca está com uma nova marca, e o conceito criado pela Gênesis é mostrar como, durante esses 20 anos de emissora, o consumidor é ao mesmo tempo telespectador e, principalmente, protagonista. O vt agrega o conceito de sintonia para destacar essa via de mão dupla, onde, vivendo sua própria história, o público ajuda a escrever a história da TV Asa Branca. Enquanto isso, ele e sua família estão sempre lá, em frente à telinha, como espectadores da notícia. A campanha sinaliza uma nova era da emissora, enquanto credita essa década de sucesso para o telespectador. Agência: Gênesis Comunicação Integrada (PE) Cliente: TV Asa Branca Atendimento: Hélio Charles, Catharinne Galvão, Jessika Silva Diretor de criação: Luiz Gonzaga Direção de arte: Júlio Carvalho, Henrique Aragão, Luiz Gonzaga Redação: Wedna Silva e Lily Farias Mídia: Elton Ferreira.

30


RESPEITO ÀS VAGAS PREFERENCIAIS A capital baiana possui cerca de 600 mil deficientes físicos, número que representa 20% da população local. Considerado pelos cadeirantes o shopping mais acessível da cidade, o Salvador Shopping estimula a cidadania, conscientizando os clientes para a necessidade de efetuar atitudes básicas como respeitar as vagas preferenciais. Para isso lançou a campanha “No Salvador tem espaço para ser cidadão”. Foram instaladas em diversos pontos do shopping e do estacionamento cerca de 200 placas. As peças de comunicação trazem mensagens como “dê preferência para idosos, gestantes e pessoas com dificuldade de locomoção” e “respeite a vaga para idosos”. Agência: Morya (PE/BA) Cliente: Salvador Shopping Atendimento: Cristiane Rebouça e Soany Santos Diretor de Criação: Edmond Midlej Diretor de Arte: Guto Chaves Redator: José Ricardo Santucci Produção: Van Daltro e Eriana Simões RELEITURA DE CONCEITOS Para comemorar os 15 anos de existência do curso de Idiomas Ace, a Mirage criou a campanha com o mote “Crescer ou evoluir”, a agência buscou reinventar conceitos e deu certo!. Nesta peça publicitária o termo crescer, antes sempre usado como definição de meta ganha nova roupagem, e é substituído pelo termo “evoluir” que se apresenta como uma etapa mais importante na vida de um estudante. A campanha foi veiculada em jornais, revistas e outdoors. Agência: Mirage Propaganda (BA) Cliente: ACE Curso de Idiomas e Intercâmbio Atendimento: Isaura/Neto Criação: Cristiano Maia Redação: Isaura Sá Mídia: Aureliano Neto

AGRICULTURA FORTE É FUNDAMENTAL “Ter a agricultura cada vez mais forte é fundamental para gerar riquezas, exportar mais e ajudar a combater a fome”. Este é o foco da campanha criada pela SLA Propaganda para divulgar o Plano Agrícola e Pecuário 2012/2013, principal pacote de medidas do Governo Federal para incentivar a eficiência da produção agropecuária e consolidar o protagonismo do Brasil no mercado mundial de alimentos. As peças publicitárias serão veiculadas em jornais, rádios, televisões, revistas, carros de som e portais de notícias e irão lembrar também que, unindo forças, o Brasil aumenta os postos de trabalho e melhora a renda no campo. “Ganha o produtor, ganha o consumidor, ganha todo o Brasil”, destaca a campanha. Agência: SLA Propaganda (BA) Cliente: Governo Federal Atendimento: Cibele Hoisel e Cleo Silva Direção de Criação: Lívia Diamantino Redação: Marcos Carneiro Direção de Arte: Scheckter Barreto Mídia: Carina Spinola e Fernanda Fontenele Aprovação: Magali Barbiani e Victor Guerra. 31


MEIO SÉCULO DE LEGITIMIDADE

Fabiana Constantino

Em comemoração aos seus 50 anos, Havaianas lança uma edição limitada com 100% da renda revertida para projetos do Unicef no Brasil Em 1962 surgiu a primeira sandália Havaianas. Foi A inspiração da sandália comemorativa foi a virada da inspirada em uma típica sandália japonesa chamada Zori, feitas marca que aconteceu nos anos 90, quando as pessoas tiveram com tiras em tecido e solado de palha de arroz. Hoje, 50 anos a ideia de virar a sola das Havaianas para cima, criando a sandádepois, para comemorar a lia de uma cor só. Foi o que data especial das sandálias precisava pra inovar e lançar mais desejadas no mundo as Havaianas Top. Daí em todo, Havaianas lança um diante, Havaianas não parou modelo especial, inspirado no mais de ouvir seus consumiprincipal marco de sua histódores e todo mundo que ama ria - em homenagem aos conas tão famosas sandálias. E sumidores que contribuíram com isso milhares de estamcom a sua trajetória. Ao todo pas, modelos e cores, que o serão produzidos 50 mil pares mundo todo usa foram lançada nova sandália, que será dos. vendida no Brasil, Estados 50 ANOS DE HISTÓRIAS Unidos, Europa e em outros - Meio século e muito para países. Para celebrar este contar desde o surgimento da A edição comemorativa dos 50 anos de Havaianas, tem 100% da momento tão importante marca na década de 60, quanpara a marca, 100% da recei- renda líquida revertida para o UNICEF. E tem um valor que vai do a Alpargatas decidiu criar muito além da exclusividade: ela é um pedacinho da história, que ta líquida da venda dos produum calçado acessível ao bolso você ajudou a criar. Edição comemorativa. No detalhe o ano da tos será revertida ao projeto criação das sandálias Havaianas de qualquer brasileiro. InspiSelo Unicef, iniciativa do rada na sandália japonesa de fundo voltada aos municípios brasileiros para a melhoria da palha de arroz (Zori) as Havaianas chegaram ao mercado em qualidade de vida de crianças e adolescentes. borracha, com palmilha em textura que reproduz o “grão de

32


arroz” da palha. tes estampas e combinações de cores, Em 1970, o famoso slogan tornando-se um acessório de moda, “Havaianas. As legítimas” foi lançado. que acompanha todos os trajes, da Os comerciais protagonizados pelo praia à festa, da faculdade aos bares. A comediante Chico Anysio durante as criação de novas categorias de produdécadas de 70 e 80 são lembrados até tos com a marca Havaianas tais como hoje ao ouvir a frase "Não deformam, meias, toalhas, chaveiros, pins, além não soltam as tiras e não tem cheiro”. da linha de sneakers e alpargatas Soul Em 1980, já eram vendidos mais de Collection provam que não só o espí80 milhões de pares de Havaianas por rito da marca pode ser levado para ano. todos os momentos, mas também Em 1994, a marca se reinvenque Havaianas não tem planos de tou com a criação da Havaianas Top, parar de inventar. E, para expor todo linha de sandálias monocromáticas, esse mix de produtos aos consumidoem cores alegres e alinhadas com as res foi criado o Espaço Havaianas, loja tendências da moda. E, a partir de conceito da marca inaugurada em então, foram lançadas milhares de 2009 em São Paulo, que já virou ponto estampas, modelos, cores, que o turístico na cidade. A loja reúne linha mundo todo usa. Na comunicação, completa de sandálias, produtos Havaianas passa por uma grande exclusivos para o mercado internaciotransformação. Na TV, pessoas famo- Havaianas já provou que é um produto nal, customização e novos produtos. atemporal e comemora 50 anos de mercado sas como Malu Mader, Bebeto, HorA Havaianas reuniu algumas com uma série de ações organizadas pela tência e Luana Piovani mostravam Mix Brand Experience (SP) das campanhas mais marcantes da seus pés. Nas revistas, a explosão de história em um livro digital que tamcores e as imagens divertidas dos bém está disponível no Espaço Havaianúncios de Havaianas traduziam o alto-astral da marca. anas. Lá o visitante poderá experimentar o livro em formato A partir do final dos anos 90, Havaianas não parou gigante com tecnologia touchless e ainda comprar as sandálias mais de inventar moda. São criadas novas estampas, cores e exclusivas dos 50 anos e ajudar o Unicef. modelos - até mesmo para os que mal tinham aprendido a andar como as Havaianas Baby. Outro marco foi em 1998, na HAVAIANAS PELO MUNDO - Hoje, a sandália Havaianas Copa do Mundo de Futebol, que inspirou o lançamento das está presente em mais de 80 países. No Reino Unido, o EspaHavaianas Copa, uma sandália com uma pequena bandeira do ço Havaianas está instalado na ShoeGalleries, da Selfridges, Brasil na tira. A Copa acabou e os brasileiros não ficaram com em Londres. Na França, as sandálias conquistaram lugar a taça, mas, a pedido dos consumidores, o modelo permaneexclusivo nas lojas de departamento Courir e Galeries Lafaceu com o nome Havaianas Brasil, tornando-se um produto yette, ambas em Paris. A Espanha foi outro país onde a marca de referência à cultura brasileira. ampliou sua presença, além de 12 shop-i-shop de Havaianas Ao longo desses anos, a marca sempre buscou novina rede de lojas El Corte Inglês, possui loja própria em Barcedades, criando a Havaianas Slim e fazendo parcerias com lona. A marca tem ainda outras seis lojas próprias no exterior nomes nacionais e internacionais. A cada nova coleção, Havai(Londres, Paris, Nova York (Bloomingdale's), Roma, Barceloanas cria aproximadamente 100 novos modelos com diferenna e Valência).

33


Ivelise Buarque

SUSTENTABILIDADE TAMBÉM É GESTÃO DE COMUNICAÇÃO Estudos demonstram que o marketing em si tem agora grande relação com a sustentabilidade e, por isto, sua aplicação é fundamental para o crescimento das empresas, que apostam em ações estratégicas como um grande trunfo para soluções de problemas e para se destacar na mente do consumidor. “Criar um desenvolvimento sustentável é muito mais que preservar o meio ambiente, reciclar, economizar energia. É você criar um modelo econômico, político, educacional, social e ambiental sem prejudicar novas gerações. Deixou de ser um algo poético para se tornar algo necessário”, comenta Roberta Nunes, diretora da Nix Inteligência Sustentável (PE). Para Roberta, o mundo, o mercado e a própria garantia do futuro de cada negócio passa a exigir novo posicionamento das corporações frente ao assunto. “As pessoas e as pessoas passaram a olhar melhor para o tema. E, por isto, muito se fala sobre o assunto, mas também se fala muito porque este ainda é um assunto que gera muitas duvidas: Por onde começar? Quem envolver? Como fazer? E, muito do que é dito atualmente sobre o tema serve para responder a essas perguntas e para informar sobre o que de fato é sustentabilidade”, explica a especialista que lida diretamente com este cenário no dia a dia na Nix, que desenvolve diversos projetos nesta área e trabalha em parceria com empresas justamente por entender que a estratégia de sustentabilidade. A Nix se lança com a proposta de implantar projetos socioambientais em cada organização e trazer rentabilidade com eles, através das ferramentas da comunicação. A empresa parte do pressuposto que muitas empresas ainda não sabem

como desenvolver o lado sustentável e torná-lo parte de suas estratégias. E, dentro deste contexto, realiza um trabalho conjunto com agências e departamentos de marketing das empresas para envolver, engajar e comunicar sobre as ações socioambientais que estão sendo desenvolvidas pelas empresas em campanhas publicitárias com o intuito de ir além de vender e comunicar o produto. “Quando implantada da maneira correta dentro do negocio e quando as ações socioambientais estão de acordo com a estratégia do negocio, os resultados das ações socioambientais desenvolvidas geram produtos e comunicação da sustentabilidade que geram valor e reconhecimento de marca”, destaca. As estratégias de marketing servem principalmente para ampliar os mercados de atuação e gerar recall de marca, engajamento e redução de desperdícios, captando novas oportunidades para as empresas. “As pessoas e as empresas daqui souberam e internalizaram a sustentabilidade diante da necessidade e hoje enxergam essas práticas como investimento em seus negócios, por causa de empresas de fora que chegaram e as engajaram no processo. Temos como exemplo, na Nix, a Agregar (empresa pequena da área de RH) que, através da sustentabilidade, enxergou a chance de atuar em outro mercado, desenvolvendo um projeto ligado a gastronomia e RH”, destaca. O processo de trabalho da Nix envolveu pesquisa de mercado de gastronomia e avaliação de necessidade, em que se apontou um problema serio com pessoas profissionais. Então, partiu-se para treinamento de jovens de comunidades de baixa renda para atuar na área e construir novo futuro para eles, suprindo assim uma demanda do mercado.

As sócias: Ludmila Valença e Roberta Nunes

Ação de sustentabilidade envolvendo gastronomia

34


QUANDO A FESTA NÃO É SÓ DIVERSÃO Ivelise Buarque

(o mercado de luxo, que vem mantendo uma expansão média de 20% ao ano), que detém poder financeiro, mas que não tem tempo hábil de colocar a mão na massa. “As pessoas estão mais atribuladas, com mais compromissos profissionais e consumidas em jornadas que envolvem carreira, família, casamento. Ao mesmo tempo, aconteceu um “retorno” natural para valores como exclusividade, manufaturação e personalização, o que hoje denota luxo e requinte. A contradição de trabalhar bastante e poder prover prazeres como o de dar uma festa, esbarra na falta de tempo”, destaca a empresária Carla Bensoussan, que costumava contar com os serviços de cerimonial das parcerias e agora sócias. O cliente da Dreams delega inteiramente a festa para ser produzida e executada pela empresa, que conta com uma gama de serviços e fornecedores para realizar de eventos pessoais de grande porte a festas particulares e momentos intimistas. Entre as diversas propostas está o At Home, serviço usado na forma de almoço para lançar a empresa, com montagem de toda a estrutura na casa do cliente para jantares, festas e eventos pessoais no conforto do seu lar. “Montamos uma equipe exclusiva e montamos um cadastro minucioso de fornecedores, para atender o nosso público. E apresentamos a empresa ao mercado, com apenas cinco meses de atividades, e já uma agenda de cerca de 70 eventos, até 2013”, pontua Bensoussan. Bosco Lacerda

No filme “O melhor amigo da noiva”, o ator Patrick Dempsey, interpreta o playboy mulherengo Tom, que sempre foi o melhor amigo de Hannah até o momento em que esta encontra um escocês que lhe pede a mão em casamento, fazendo-o descobrir seu amor pela amiga que o convida para ser “madrinha”. Em meio à narrativa da comédia romântica, são mostrados os atropelos comuns a este momento tradicional, que vai além da festa com os convidados: encontrar a louça ideal, enxoval, lista de convidados, escolha do vestido, doces e pratos, organização da festa, entre outros detalhes essenciais para um momento memorável. Mas, este setor não só traz boas lembranças como gera muito lucro de acordo com estudo recente da Abrafesta (Associação dos Profissionais, Serviços para Casamento e Eventos Sociais), que aponta que foram movimentados cerca de R$ 11 bilhões em 2011 e a perspectiva é de alcançar R$ 14 bilhões, este ano. O mercado de casamentos é apontado com um dos mais importantes de um mercado poderoso, o de eventos e festas, que, ao todo, movimentou R$ 30 bilhões, somente no ano de 2010, segundo a Federação Brasileira de Convention & Visitors Bureaux. E, apostando neste filão, duas empresas com especialidades diversas dentro deste imenso segmento uniram suas forças para criar a nova Dreams: projeto diferenciado da Lead Assessoria de Carla Bensoussan com a Party & Co de Denise e Jamine Tinoco. “Tudo começou com um flerte que acabou numa boa paquera, então, pensamos em transformar isto num bom casamento. Foi assim que surgiu a Dreams, que casa um pouco do trabalho que já desenvolvíamos na Party & Co, que ainda prestava toda uma assessoria personalizada à cliente, como uma madrinha de casamento”, lembra Jamine Tinoco, que comanda a Party & Co com a irmã Denise, há cinco anos. Esta é uma parceria comercial e profissional que nasce com o propósito de atender uma demanda do público AA

Dreams By Lead!: Carla Bensoussan (centro) e as irmãs Denise e Jamine Tinoco

35


Fabiana Constantino

ÚNICA E IBAHIA GANHAM PRÊMIO INTERNACIONAL O portal iBahia foi o granmento da criatividade, da inovação de vencedor do prêmio Internacie da sensibilidade da nossa mídia. onal Newsmedia Marketing AssoUma combinação de resultados ciation (INMA) na categoria 'Recopositivos para nosso cliente iBanhecimento de Marca em outras hia”. Com pouco mais de um ano Plataformas' com o painel eletrônide lançado e com a audiência avanco em forma de outdoor, batizado çando além da casa dos 40 milhões de 'tweetdoor'. O portal levou de pageviews/mês, o sucesso do também o terceiro lugar do grande portal iBahia e a conquista do prêprêmio 'Best in Show', atrás mio é destacado por Luis Moreira. somente do New York Times e do “Essa premiação do INMA reforça Expressen da Suécia. A premiação nossa convicção de que estamos aconteceu em Los Angeles, nos no caminho certo – e isso, em um EUA. O tweetdoor desenvolvimeio como o digital, em que a do pela agência Única (BA) marcou todo momento diversas são as o lançamento do portal em maio direções que nos são apontadas Luis Moreira, gerente-executivo do portal iBahia de 2011. A placa de outdoor em como o melhor caminho a seguir, é led recebia via twitter as mensagarantia de uma escolha bem feita. gens e retransmitia de forma onliSabemos que, no universo digital, ne. O sucesso foi grande. Só no o modelo de negócio que deu primeiro dia foram mais de oito mil certo hoje pela manhã pode não mensagens. Luis Moreira, gerenteser mais aquele que dará certo no executivo do portal iBahia conta período da tarde. Por isso convicomo surgiu a ideia de produzir o vemos aqui com a certeza diária tweetdoor. “Toda a campanha de que o novo iBahia é um produto lançamento do novo iBahia.com inacabado e com muito mais a trabalhava o conceito de um portal fazer ainda, e um prêmio como inovador, interativo e imediato. esse coloca uma responsabilidade Com isso, nada mais natural que ainda maior em continuar fazendo fizéssemos uso das mídias ditas as melhores escolhas”, afirma. O Internacional Newsmedia tradicionais de modo bem inusitaMarketing Association (INMA) é do e inovador mesmo. Algo de alto uma das mais tradicionais premiaimpacto que nos gerasse uma mídia Renato Tourinho, diretor da agência Única ções do planeta sobre iniciativas espontânea e que, já na largada de marketing para veículos de comunicação. Em 2012, os mostrasse o quanto o novo iBahia se propunha a ser realmeninscritos no INMA Awards foram julgados por 24 especialistas te inovador”. A campanha produzida pela Única para o iBahia coninternacionais de empresas de mídia, agências de publicidade correu com 89 campanhas de marketing de 66 empresas e revistas especializadas. O iBahia também levou o terceiro representantes de 23 países e o portal se tornou o primeiro lugar na categoria ‘Utilidade Pública e Engajamento Digital’, veículo brasileiro premiado no Best in Show. Renato Touricom o aplicativo geolocalização Carnaval 24h/Onde Está meu nho, diretor da agência Única, ressalta a importância do prêTrio, projeto realizado em 2011, em parceria com o Jornal mio. “Considero a premiação uma conquista da publicidade Correio. baiana e consequentemente brasileira. É mais um reconheci36


CLICK

Geralmente quando se fala em splash na fotografia, logo se pensa em imagens de líquidos com o movimento congelado, mas fiquei pensando: se "congelar" o movimento do fogo também não seria um splash? Obtive essa foto com poucos cliques e muita sorte, pois congelar movimentos é sempre uma caixinha de surpresas. Consegui registrar o momento exato em que toda a chama estava no ápice do formato de um cogumelo, mas a parte da frente da cabeça do fósforo ainda não havia queimado. Obter essa imagem com o processo digital e Photoshop seria mais fácil, pois com apenas dois cliques, um para a chama e outro para a cabeça, seria o suficiente e daria pra montar fácil na pós produção, mas o clique direto emociona um fotógrafo.

CÂMERA: Canon 5D Mark III DISTÂNCIA FOCAL: 180mm VALOR DE ABERTURA: F16 TEMPO DE EXPOSIÇÃO: 1/200

Toddy Holland toddy@ultracomunicacao.com.br

CONGELANDO O FOGO


EU RECOMENDO HISTÓRIA DO RÁDIO NO BRASIL, de Magaly Prado, 480 páginas, Editora Livros de Safra. Em 2012 o rádio completa 90 anos de existência no Brasil. Um dos melhores presentes que esse meio de comunicação poderia ganhar é o lançamento de “História do Rádio no Brasil”, da pesquisadora e professora universitária, Magaly Prado. A obra lançada pelo selo Da Boa Prosa, da editora Livros de Safra, não se trata somente de um resgate da importância histórica desse meio de comunicação, mas também de uma luz focando os principais momentos do rádio e dos profissionais que encantaram plateias e influenciaram diretamente a formação cultural brasileira. “História do Rádio no Brasil” retrata momentos fundamentais por meio de uma linguagem envolvente e imagens históricas e inéditas de profissionais que marcaram as comunicações no Brasil. Além da leitura contínua, é possível também seguir os principais acontecimentos da “Linha do Tempo”. AS NOVAS REGRAS DO MARKETING VERDE, de Jacquelyn A. Ottman, 328 páginas, Editora M. Books. O lançamento da editora M.Books mostra como implantar em sua marca o conceito de sustentabilidade e de compromisso com a ecologia e o meio ambiente. O livro é uma ferramenta poderosa e estratégica para o sucesso de produtos e a consolidação da marca. O grande desafio das empresas, além do compromisso de assumir e implantar estes conceitos na produção e operacionalidade é agregar a seus produtos e marcas há um comprometimento real e verdadeiro para que sejam identificados pelos consumidores, que, ao adquirirem, sintam que estão participando e colaborando com a melhoria da qualidade do meio ambiente. O autor oferece uma chance de desenvolver a criatividade e implementar estratégias práticas que ressaltem o valor inerente de produtos para que a sustentabilidade seja integrada às marcas. O livro inclui depoimentos na 4º capa de Phillip Kotler e Peter Senge. MARKETING PARA MERCADOS DE ALTA TECNOLOGIA E DE INOVAÇÕES, de Jakki Mohr, Sanjit Sengupta, Stanley Slater e Richard Rigobert Luchté, 400 páginas, Editora Pearson Brasil. O mais novo título da Pearson Brasil acaba de ser lançado para auxiliar os decisores do mercado de alta tecnologia, segmento com elevado grau de exigência dos profissionais de marketing, em que a velocidade das mudanças é uma das principais características. A obra apresenta informações valiosas sobre a realidade brasileira, inúmeros elementos didáticos, incluindo depoimentos de profissionais de grandes empresas que atuam no Brasil. De autoria de Jakki Mohr, Sanjit Sengupta e Stanley Slater, PhDs nas áreas de marketing estratégico e de e-business, essa adaptação foi feita pelo professor Richard Lucht, coautor do livro, por meio de minucioso trabalho de pesquisa. Em 11 capítulos, o livro faz cobertura 360 graus sobre os temas e desafios ligados ao setor. Da introdução, estratégias empresariais até o marketing de relacionamento por meio de parcerias e alianças; além de pesquisa, comportamento do consumidor, desenvolvimento, interação marketing-engenharia (P&D) e questões gerenciais em mercados de alta tecnologia. COMUNICAÇÃO PÚBLICA OU MARKETING POLÍTICO? INFORMAÇÃO, DIÁLOGO E PARTICIPAÇÃO, de Ana Paula Costa Lucena, 204 páginas, Editora Multifoco. O livro é uma análise das práticas de comunicação implementadas pelas Prefeituras do Recife e de Caruaru, no estado de Pernambuco, detendo-se essencialmente nos esforços de comunicação para o cidadão através do rádio. A pesquisa permitiu observar se o ato de comunicar dessas administrações municipais está mais voltado para uma comunicação pública ou para o marketing político. Os conceitos são bastante distintos, pois que comunicação pública prima pelo diálogo e pelo acesso à informação de interesse público enquanto que o marketing político é promoção do gestor público, apenas. Esse trabalho convida às seguintes indagações: será o acesso à informação de interesse público uma tarefa fácil nas administrações municipais? O cidadão dialoga com a prefeitura da sua cidade? Como identificar ações de marketing político?

38


Revista pronews148  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you