Issuu on Google+


DESDE 1999

ÍNDICE

Capa: Labox - Comunicação Estratégica (AL)

ano XIII nº 145 abril 2012

revista de comunicação e marketing NE

CAPA

RECIFE•SALVADOR•FORTALEZA•NATAL JOÃO PESSOA•MACEIÓ•TERESINA ARACAJU•SÃO LUÍS • SÃO PAULO

A gestão de marcas é a bola da vez para fixar marcas na mente do consumidor. 17

A Revista PRONEWS é uma publicação mensal de Walter Lins Pinheiro Junior Editora - ME Empresarial Tacaruna - Av. Governador Agamenon Magalhães, 3341, Sls. 205/206. Torreão. CEP: 50.070-160. Fones: (81) 3426.6144 / 3034.6144 :: EDITOR Walter Lins Jr. walter@revistapronews.com.br :: REDAÇÃO Luciana Torreão - chefe de redação, Fabiana Constantino, Ivelise Buarque, redacao@revistapronews.com.br

ENTREVISTA Mauro Santos, entrevistado deste mês, fala sobre mídia exterior, sustentabilidade e também a respeito de como a Bandeirantes Outdoor lida com a cultura. 14 ERRATA

GIRO 6 GIRO BRASIL 8 FICHA TÉCNICA 10 E 34 A VEZ DO CLIENTE 24 DE OLHO NA CAMPANHA 26 NA WEB 28 CLICK 37 EU RECOMENDO 40

A Revista PRONEWS recebeu a nota ‘Um Varal Criativo’ onde dizia que a agência Pixel Interativa era a responsável pela campanha do Union Motel da Paraíba. Depois da publicação desta nota na edição de março, nº 144, na seção Giro, a agência Poggio Propaganda entrou em contato com a Revista PRONEWS informando que, na verdade, a Poggio é a responsável pela criação da campanha. Esclarecemos que a Poggio Propaganda é a responsável por algumas campanhas institucionais do Union Motel da Paraíba e a Pixel Interativa é responsável pelas ações na internet e redes sociais.

Todo mês uma agência diferente produz a capa da Revista PRONEWS. Participe pelo e-mail: redacao@revistapronews.com.br 04

:: COLABORADORES Adriana Ribeiro, Anderson Lima, Carlos Prado, Clarisse Souza, Joyce Warren e Joelli Azevedo :: PRODUTOR GRÁFICO Bruno Regis producao@revistapronews.com.br :: DEPTº FINANCEIRO Nise Lins :: ASSINATURAS 81 3426.6144 / 3034.6144 producao@revistapronews.com.br :: REPRESENTANTES COMERCIAIS NS&A - CE - Aldamir Amaral (85 3264.0406/ 0576) - nsace@nsaonline.com.br RD Produções e Eventos - Ricardo Douglas (SE - 79 3044.7013/9972.2214) rdproducoes@infonet.com.br Omega Mídia - Renato (SP - 11 8403.0330) renato@omegamidia.com.br :: DISTRIBUIÇÃO Log (PE - 81 2123.1455) Jornal Correio - Rede Bahia (BA - 71 3533.3030) Sistema Verdes Mares (CE - 85 3266.9902) www.verdesmares.com.br Omega Mídia - Renato (SP - 11 8403.0330) renato@omegamidia.com.br :: DADOS TÉCNICOS Impressão: Gráfica FacForm (81 3339.6566) grafica@facform.com.br Tiragem: 7.000 exemplares Formato: 22x30cm Tipologia: Humanist 521 BT Papel: Couché brilho 150g/m² Número de páginas: 44 As matérias assinadas por nossos colaboradores não representam, necessariamente, a opinião da revista.

WWW.REVISTAPRONEWS.COM.BR


GIRO

LEIAUTE É PRATA NO ADS OF THE WORLD Com o anúncio Esquadrilha da Fumaça, a Leiaute foi premiada no Ads of The World, o maior site de publicidade do mundo. A peça, um sequencial triplo criada para o Governo do Estado da Bahia, faturou a prata na categoria Print. CAMPANHA EDUCATIVA O Salvador Shopping inicia neste mês de abril a campanha educativa “No Salvador tem espaço para ser cidadão”. O objetivo do empreendimento é conscientizar os clientes e estimular a cidadania. As peças de comunicação divulgam mensagens como “dê preferência para idosos, gestantes e pessoas com dificuldade de locomoção” e “respeite a vaga para idosos”. As peças foram instaladas nos acessos, elevadores e estacionamento.

EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA A ONG Junior Achievement de Pernambuco está com inscrições abertas para seu programa de voluntariado. A instituição tem como proposta promover a educação empreendedora nos jovens desde a escola, através do apoio de voluntários e de organizações públicas e privadas. Na campanha para divulgar e sensibilizar os estudantes a dividirem seu conhecimento com jovens do ensino médio, cartazes estão sendo colocados em várias faculdades do Recife. O voluntário da JAPE contribui levando para a sala de aula seu conhecimento profissional e sua experiência pessoal despertando o espírito empreendedor nos jovens. Os interessados devem se cadastrar no site www.jape.org.br. COCA- COLA GUARARAPES LANÇA ÁGUA MINERAL CRYSTAL A Coca-Cola Guararapes lançou a água mineral Crystal nos 06

mercados de Pernambuco e Paraíba. Lançada em 1995 em São Paulo, a Crystal também está presente nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerias, Espírito Santo, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. A chegada de Crystal faz parte da estratégia da Coca-Cola Brasil de unificar seu portfólio no segmento, tendo uma identidade única em todos os pontos de venda. O produto chega com perspectiva de se tornar líder no mercado local de água mineral até dezembro de 2012. No seu lançamento, o plano de marketing compreende ativação em PDV, internet e divulgação no varejo. PITÚ NO CLIMA DO ABRIL PRO ROCK A Pitú, uma das patrocinadoras do Abril Pro Rock, faz justa homenagem ao festival que este ano chega aos 20 anos. Por isso, uma versão especial da lata de 350ml começa a circular no início do mês de abril e vai permanecer nos pontos de venda até depois do festival. Na criação do layout pela Extra Comunicação, utilizou-se a marca do Abril pro Rock, adornada com grafismos especiais para emoldurá-la, dando movimento e criando um clima de festa - de acordo com a proposta do evento. Além disso, em menção ao tradicional slogan “Mania de brasileiro”, no layout da lata há a inscrição “Mania de Roqueiro”, mostrando que a Pitú apóia todas as manias do seu consumidor, independente da preferência do estilo musical. UOL E A TARDE ON LINE FIRMAM PARCERIA O UOL (www.uol.com.br), maior empresa brasileira de conteúdo e serviços da Internet, e o portal A TARDE ON LINE (www.uol.com.br/atarde), principal fonte de notícias do Estado da Bahia firmam uma parceria inédita. Desde março, as notícias do portal baiano estão à disposição, com exclusividade, para os internautas do UOL. A novidade representa a postura das duas empresas na busca por parceiros estratégicos – o portal baiano ganha mais visibilidade nacional e o UOL se associa a um dos veículos mais importantes da Bahia. A parceria preserva a independência editorial de cada empresa e trará mais exposição nacional ao A TARDE ON LINE, que se torna fonte de referência sobre a Bahia entre os internautas do UOL. Os anunciantes baianos também só têm a ganhar, já que, com esta parceria, suas campanhas publicitárias terão mais alcance.


Resgatar a memória do jornalismo impresso em Pernambuco a partir de 1950. Esse é o objetivo do livro 'A imprensa Pernambucana – Jornais e jornalistas do nosso tempo”, do escritor Jorge José, que tem lançamento previsto para o mês de junho. Em seu quinto livro, Jorge José descreve o impacto do jornalismo impresso no cenário político, social e cultural em geral, registra e comenta tendências e debates entre memoráveis articulistas em defesa dos seus ideais de liberdade de expressão, diz como se posicionou o jornal de papel ante os novos instrumentos de comunicação a partir de 1960 e detalha a estratégia dos dirigentes para conquistar o leitor, assim como, o ápice e a queda de alguns vespertinos e matutinos locais de influência regional. O livro é composto por 580 páginas e mais de mil fotos. Segundo Jorge José, a ideia de escrever um livro sobre

a imprensa pernambucana surgiu faz tempo, mas foi fortalecida em 2010. “A ideia alimentada já há algum tempo tomou forma quando li em 2010 nas edições locais que o Jornal do Brasil impresso desapareceria. O JB, da minha juventude nos anos 60 e que teve a sua primeira edição impressa em 1891, deixaria de circular. O informe dizia que o conteúdo do JB, a partir de 1º de setembro, ficaria disponível apenas na internet. Esse foi o ponto de partida”, revela. Para contar a história do jornalismo impresso em Pernambuco, durante mais de dois anos Jorge José percorreu instituições que preservam a memória do estado tais como a Fundação Joaquim Nabuco, o Arquivo Público de Pernambuco, a Academia pernambucana de letras, bibliotecas, os arquivos dos jornais que ainda estão em atividade e depoimentos orais. “Olhos na tela de reprodução de matutinos e vespertinos, mãos em recortes de jornais amarelecidos pelo tempo, além da intensa procura de material iconográfico para ilustrar a narrativa de quase seiscentas páginas da obra. Madrugadas e dias de olhos nos livros que já foram escritos sobre o assunto em busca de extrair dessas fontes o que havia de mais significativo”, relata Jorge José. O livro A imprensa Pernambucana inclui importantes depoimentos e fotos de profissionais que fizeram da mídia impressa um valoroso instrumento de defesa dos legítimos interesses da sociedade brasileira, como Aldo Paes Barreto, Jose de Souza Alencar (Alex), Ana Claudia Eloy, Ceca Brito, Fernando Menezes, Ivanildo Sampaio, Ildefonso Fonseca, Joezil Barros, Flávia de Gusmão, Joao Alberto, Angelo Castelo Branco, entre outros. “Os personagens são figuras reais de um mundo real onde não há espaço para ficção. São homens e mulheres que batalharam e ainda lutam para preservar um espaço onde possam não somente informar, mas acima de tudo, difundir ideias e conceitos em consonância com os princípios democráticos regidos pelas leis da Constituição Brasileira. Foi uma escolha pessoal que, entretanto, não exclui de cena todos os demais que estiveram e ainda estão no palco desse mundo real que falamos”, afirma Jorge. Com o novo livro, o escritor espera estimular a discussão entre estudantes de comunicação a respeito do jornalismo hoje praticado na imprensa pernambucana e contribuir com o aprimoramento da visão crítica do profissional de jornalismo. Um importante legado para as atuais e futuras gerações de profissionais dessa área. 07

Fabiana Constantino

RESGATANDO A IMPRENSA PERNAMBUCANA


GIRO BRASIL craque do Santos e da Seleção Brasileira. Pelo acordo, que vai até 2016, o novo garoto-propaganda da marca participará de uma série de campanhas publicitárias da empresa, marcará presença em eventos e usará modelos da Volkswagen no seu dia a dia. A estratégia da Volkswagen com a parceria é unir os valores da marca aos do jogador, reconhecido pela garra e paixão pelo o que faz, mostrando a verdadeira essência do futebol brasileiro.

STEVITA LANÇA NOVAS EMBALAGENS O pioneiro Stevita, adoçante à base de estévia e 100% natural, tem agora novas embalagens, com cores leves e design moderno, mantendo sua tradicional elegância. Na sua nova embalagem, o Stevita mantém os mesmos princípios ativos e todos os atributos já reconhecidos e valorizados pelo mercado, mas agora em uma proporção diferenciada, tornando-se mais saboroso e capaz de despertar a doçura singular existente em cada alimento. CENTRAL DE OUTDOOR TEM NOVO PRESIDENTE A Central de Outdoor, maior entidade representativa da Mídia Exterior, elegeu em sua 25a Convenção Nacional, seu novo Presidente e Diretoria. Marcelo Marcondes de Moura assumiu o comando da entidade como Presidente para o biênio 2012/2014. Moura é proprietário da Aurum Comunicação, empresa que atua em toda a parte leste da Grande São Paulo e também no vale do Paraíba.

VOLKSWAGEN DO BRASIL E NEYMAR A Volkswagen do Brasil acaba de firmar patrocínio com o jogador de futebol Neymar. O anúncio oficial foi feito pela empresa, na Vila Belmiro, em coletiva de imprensa com a presença do presidente da Volkswagen, Thomas Schmall, e do

08

FILME CONTRA HOMOFOBIA É SUCESSO A 11:21, que já fez diversas campanhas, filmes e marcas para o jornal/portal Voz da Comunidade, ainda nem tinha colocado no ar seu comercial de TV contra a homofobia entitulado “Machão” e já teve uma repercussão absurda. Em apenas dez dias, o filme no Youtube teve 26.068 visualizações. A campanha que tem a criação de Gustavo Bastos, Paulo Franco e Leandro Barbosa tem o apoio da 11:21 e da Arara Studio. Segundo Gustavo Bastos, a campanha surgiu a partir da constatação de que a homofobia tornou-se um problema sério principalmente nas grandes cidades, com atos de violência física e verbal contra gays. O filme é veiculado em canais abertos e fechados. NÃO MEXA NO MEU QUARTERÃO O McDonald's está investindo na comunicação do Quarterão com os consumidores. Com o objetivo de reforçar a presença e o favoritismo do clássico sanduíche, que é um dos mais vendidos da rede, várias ações de mídia e de maximização de vendas foram e estão sendo realizadas. O Quarterão até o dia 24 de junho integra a plataforma “Pequenos Preços”. Na televisão e mídias impressas a campanha tem o mote “Não mexa no meu Quarterão”. A rede abriu um canal de áudio no portal Terra para os fãs do sanduíche: a Rádio Quarterão. Por lá, os internautas podem apreciar 40 músicas. O sanduíche completa 39 anos em 2012 e no Brasil é vendido desde a abertura do primeiro restaurante, no Rio de Janeiro, em 1979. DA PUBLICIDADE PARA AS NOVELAS Fazendo o caminho inverso das celebridades, que são procuradas para publicidade após o sucesso de seus personagens em TV, Gabriela Saraiva estreia em novelas após 18 anos no mercado publicitário. A publicitária, jornalista, radialista e atriz, é uma das apostas para o remake de Carrossel, no SBT, que estreia em maio. No currículo, Gabriela acumula campanhas de grandes marcas como Casas Bahia, Danone, Oi e Caixa Econômica. Além disso, desenvolve todo o trabalho de relacionamento em mídias sociais da Rede de Supermercados Bompreço/Wal Mart e é diretora de marketing da Rede Elemidia Interior de SP.


O que leva uma pessoa a consumir determinados produtos? Descontos e promoções, além da oportunidade aliada à atração espontânea por uma mercadoria são fatores decisivos no momento da compra, no ponto de venda. Embalagens que se destacam, com designs que evidenciam praticidade e segurança, preço e apelo publicitário chamam a atenção dos clientes e são meios de sedução que, para eles, “justificam” (ou estimulam) as chamadas compras por impulso. Ou seja, o produto é adquirido sem planejamento prévio, apenas por motivação emocional, embora o item até possa ser necessário. Diferente da “compulsão”, quando se leva em conta o prazer e não a necessidade, a compra por impulso é influenciada por uma eficaz administração mercadológica, que deve considerar o perfil do cliente. Para o especialista em comportamento do consumidor e sóciodiretor da agência DIA Comunicação (SP), Gilberto Strunck, o comprador está mais consciente e passou a enxergar apenas os produtos de que precisa, o que abre um desafio para as marcas: o de se destacar, de forma relevante, em meio à infinidade de produtos em um hipermercado, por exemplo. Autor do livro “Compras por Impulso – Trade Marketing, Merchandising e o Poder da Comunicação e do Design no Varejo”, Strunck explica que, hoje, “as pessoas são policrônicas, ou seja, fazem diversas coisas ao mesmo tempo”. Elas conseguem conversar, ver TV e interagir com o celular, tudo ao mesmo tempo. “Paralelamente, todo o esforço de marketing noticiado em mídia, gerando desejo, precisa ser entregue ao varejo, 'a hora da verdade'. O desafio é interromper esse consumidor e fazê-lo prestar atenção em um produto, de forma única e diferenciada”, afirma. Quando um cliente vai a um supermercado, a uma farmácia ou banca de jornal, ele sempre pode se encantar com os chamados itens de conveniência, aqueles que são comple-

mentares, que se tornam sedutores quando dispostos em uma gôndola na fila de um caixa. São produtos comprados com frequência, com o mínimo de comparação ou esforço. Segundo Strunck, “as empresas, e também os lojistas precisam exibir e estimular de forma didática”. Em uma vitrine de roupas, uma blusa ou camisa devem combinar com os acessórios, para incentivar a compra por conta do conjunto. Para ele,

Gilberto Strunck agência DIA Comunicação (SP), especialista em comportamento do consumidor

é importante que haja uma interação entre as pessoas e a mercadoria, “de forma que transforme o que é apenas um desejo em uma necessidade para o cliente”, aconselha. Além do produto, o cliente deve se sentir satisfeito com o atendimento e uma ambientação agradável. “Os relacionamentos das pessoas são baseados em experiências. As marcas vivem tentando nos seduzir para comprá-las, mas a entrega, nas lojas, do que nos é prometido, está muito aquém do que esperamos. É preciso alinhar mais discurso e prática”, diz. Além disso, as pessoas se encantam, divulgam e são movidas por novidades, por isso, “o principal desafio para todos os profissionais envolvidos nas tarefas de formar e manter valor para as marcas, produtos e serviços, e vendê-los com rentabilidade, passa pela reinvenção contínua dos meios em uso para se atingir os objetivos”.

09

Clarisse Sousa

QUANDO O IMPULSO VIRA HÁBITO


FICHA TÉCNICA ORGULHO INTERNACIONAL A Faculdade Boa Viagem acaba de estrear sua campanha para o Vestibular 2012.2. A linha de comunicação apresenta aos alunos a parceria da FBV com a DeVry, um dos maiores grupos de ensino do mundo. A ideia foi mostrar que os alunos aprovaram com orgulho a chegada do Grupo DeVry, juntamente com seus benefícios internacionais. Para isso, a logomarca da DeVry foi formada através das assinaturas dos próprios alunos. No filme, à medida que os alunos assinavam, a logo se formava. Nas peças impressas, a logomarca da DeVry também se destacava por ser formada pelas assinaturas, sendo complementada pela marca da FBV em forma de selo. As assinaturas provam que a DeVry foi muito bem recebida pela FBV e que todos têm a maior satisfação em fazer parte de um grupo com educação de qualidade internacional. A campanha conta com peças offline e online, e já pode ser conferida nas mídias tradicionais e também nas redes sociais. Agência: Todacor (CE) Cliente: FBV/Devry Atendimento: Luciana Lemos Direção de Criação: Eduardo Prado, Marcel Barros Criação: Eduardo Prado, Marcel Barros, Diego Mourão, Kiko Cameron e Gustavo Diógenes Mídia: Lia Rodrigues Aprovação: Fernando Lau

SÃO JOÃO DA CAPITÁ O Ateliê Produções e a Ampla Comunicação assinaram os VTs do São João da Capitá 2012. São três filmes com três das bandas que estarão no line up do evento. O primeiro vídeo é ambientado em um bonito balcão de bar. Em cima do balcão, há frutas picadas, várias bebidas, açúcar e uma coqueteleira. Atrás está Wesley Safadão, cantor de Garota Safada, que aparece como Barman, e começa a misturar frutas e bebidas de forma desajeitada. Já o segundo VT mostra Joelma e Chimbinha da banda Calypso tosando, escovando, dando banho e cuidando de animais em uma Pet Shop. No terceiro filme aparecem Xand e Solange de Aviões do Forró como chefs de cozinha. Agência: Ampla Comunicação (PE) Cliente: TV Globo /São João da Capitá Atendimento: Ludmila Marques e Mirella Monteiro VP Criação: Manuel Cavalcanti Direção de Criação: Juliana Lisboa e Humberto Montenegro Criação: Guto Campello e Thiago Pitt Arte-final: Marcelo Ramalho Mídia: Nilson Samico e Débora Beltrão RTVC: Fabiana Stefani e Larissa Bione Produção: Laura Lins Produção Gráfica: Washington Freire Aprovação: Iuri Leite e Mariana Fantato CAMPANHA TOP OF MIND A Fiori de Salvador conquistou, pela nona vez, o Prêmio Top of Mind – um reconhecimento do consumidor soteropolitano pela marca mais lembrada da categoria. Para festejar mais essa premiação, a Fiori confiou celebrar com a maior empresa de mídia exterior do país, a Rota Mídia Exterior. Há 10 anos, a publicidade em ônibus é confirmada pela opinião pública como a mídia mais lembrada pelo consumidor. Com a mensagem: “Fiori, a concessionária mais querida de Salvador pela 9ª vez” a campanha, que está sendo veiculada na capital baiana pela Midia Bus, empresa do Grupo Rota, é composta pelo produto “Outbus com aplique", disponibilizado pela Rota, em que 20 centímetros da arte saem do layout para o vidro do automóvel estrategicamente. A identidade visual é colorida e alegre em alusão ao clima de comemoração, que ainda ganhou o reforço do personagem com dreadlocks nos cabelos, muito característico da cultura baiana. Agência: Marta Lima (PE) Cliente: Fiori Salvador Atendimento: Juliana Melo e Marcela Andrade Criação: Sérgio Pontes e Daniela Krause Redação: Manuel Mendonça Mídia: Marcela Alves Aprovação: Rodrigo Miranda e Manuella Wanderley 10


HORA DE PUXAR A FITA Acaba de chegar a Recife, o Nexos Hotel. O nome do empreendimento surgiu da inspiração de seu próprio significado: ligações, uniões, conexões, vínculos. A partir deste conceito a Raio Comunicação criou peças publicitárias que envolvem jornal, internet, sinalizadores de rua e spots de rádio. Quinze outdoors e 28 placas indicativas apenas com um “X” foram espalhadas por toda a cidade, para despertar a curiosidade das pessoas sobre do que se trata a propaganda. Agência: Raio Comunicação (PE) Cliente: Nexos Hotel Atendimento: Fernando Almeida Redação e Direção de Arte: Marcus Murta Mídia: Keyla Guimarães Produção: Manu Freire Aprovação: Carlos Melo

GRANOLA SÃO BRAZ NA TV O comercial de TV que apresenta a Granola São Braz ao mercado reuniu uma série de apelos, como cenas de apetite appeal para seduzir os outros sentidos do consumidor, além do paladar. O filme de 30" é ágil e explora imagens detalhadas do preparo de alimentos que podem ser consumidos junto com o cereal. Filmado com câmera especial para a obtenção de imagens com altíssima qualidade apresenta uma proposta diferente do que se vê no mercado. Um dos destaques que ressaltam a criatividade do trabalho da equipe da produtora Luni Produções, é a trilha sonora. A nova produção São Braz reforça o mix de produtos da marca que já ultrapassam os 200 itens. Agência: Aporte Comunicação (PE) Cliente: Grupo São Braz Atendimento: Ângelo Mello e Priscila Frazão Criação: Ana Braga Mídia: Ana Paula Alcântara

NO CORAÇÃO DO AGRESTE PERNAMBUCANO Para divulgar a inauguração da filial da Veneza Diesel Caminhões e Ônibus em Garanhuns/PE, a Hecce Comunicação criou campanha envolvendo VT, Spot, anúncios em jornais e mídia exterior. A campanha marca a chegada da Veneza Diesel ao “coração do Agreste pernambucano” e renova o compromisso da Veneza em levar produtos e serviços reconhecidos para toda a região, assim como, dá início à comercialização de caminhões MAN e Volkswagen em uma única concessionária, fruto da fusão entre as duas marcas no mercado latino americano. A campanha tem duração até junho/2012. Agência: Hecce Comunicação (PE) Cliente: Veneza Diesel Atendimento/Mídia: Sérgio Mota Filho Coord. Núcleo de Criação: Cris Nóbrega Direção de arte: Cris Nóbrega e Carol Lemos Redação: Nathália Cunha Produção: Lorena Ventura Aprovação: Marcos H. Melo, João Leal e Vanessa do Vale

11


Ivelise Buarque

PLURALIDADE É VOCAÇÃO Em maio de 1519, morria na França o maior profissional plural da história da humanidade: o italiano Leonardo Da Vinci, uma das figuras mais importantes do Renascimento. Ele foi o talento mais versátil da Itália naquela época e destacou-se pelas suas habilidades em diversas áreas, figurando até a eternidade como cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico. No passado, escolher a carreira definia o futuro do homem na sociedade, uma perspectiva para ilustrar uma vida de sucesso ou de completa insatisfação, em alguns casos. Nos dias de hoje, encontrar uma carreira desejável não elimina as possibilidades do profissional que deseja ir além das convenções. “Nesse aspecto plural, acredito que parte de um todo, uno indivíduo, se desenvolve, quando conseguimos buscar o melhor de suas aptidões e, principalmente do que pode dar prazer no trabalho e por meio dele. Seria uma convergência de vetores satisfatórios e complementares que dariam forma a um profissional que não se limita, que absorve conhecimentos de áreas distintas que se interligam, em algum momento, na complexidade das relações sociais ou apenas para atingir um objetivo empresarial”, opina Marcus Quintanilha Filho, executivo de contas corporativas da Rede Bahia (BA). Cases do presente mostram que este cenário está crescendo a cada dia, especialmente no mercado de comunicação. Mas, esta flexibilidade dos profissionais de hoje está relacionada a uma nova perspectiva do mercado moderno em que a necessidade de se desdobrar e o acesso a novas tecnologias e informações, que trazem não só muito jogo de cintura, como perspectivas profissionais. Foi o que aconteceu com o publicitário alagoano Mateus Barbosa, da Agência Ec (SP). “Sempre senti que tinha facilidade em me expressar com palavras, mas escrever era um hobby para o qual tinha pouco tempo. E o que era um hobby, um exercício criativo, fica cada vez mais profissional na minha cabeça. Hoje, é uma forma de me realizar, fazer algo mais autoral, sem briefing, sem precisar responder a inputs do cliente, sem precisar vender sabonete. É uma forma de exercitar a criatividade fazendo o que quero do jeito que quero. Agora, escrevo contos de humor e crônicas”, comenta o criativo que já tem mais de 50 textos produzidos e conta ainda em conseguir com uma editora a publicação em alguma coletânea. Na perspectiva do profissional, o hobby não só complementa o trabalho de alguma forma, como ajuda cada vez mais a profissão. “Desde criança sempre gostei de desenhar, marcas, logotipos, símbolos e coisas afins sempre povoaram a minha mente. Já na adolescência tive uma influência muito grande com o advento das novas tecnologias, o surgimento da internet, o que me levou para área de informática e me fez esquecer a idéia dos desenhos”, lembra o diretor de arte da GT Comunicação, Paulo Silva (PE), que, na época de optar por um curso superior, se ateve à Publicidade por falta das opções 12

desejadas na área de informática em sua cidade. Contudo, hoje, consegue se realizar com a oportunidade que lhe surgiu de fazer curso de Engenharia de Software. “Surgiu da minha outra paixão não realizada e também da necessidade de respirar novos ares em minha carreira profissional. Outro ponto que me influencia muito é a constante mudança que a área sofre e também suas oportunidades de trabalho. Ainda estou começando a programar, porém, pretendo juntar as duas áreas de atuação”, destaca. Este “Profissional Plural” navega por várias áreas e mostra que tudo é possível, inclusive se aventurar por estradas mais estrelares. “Eu sempre soube que queria trabalhar na área de comunicação, mas no começo do curso que jornalismo não era minha área e me apaixonei pela publicidade. E, há um ano, trabalho com mídia social. Mas, em paralelo, invisto na minha própria banda, a Banda Beija”, diz o social midia da Receba em Casa, Victor Moury (PE). A música, que sempre esteve presente na sua vida desde os 10 anos em eventos de família e amigos, tornou-se mais importante aos 17 anos. Nesta época, tomou a decisão de atuar mais profissionalmente iniciando a carreira em diversas bandas. Hoje, apesar da rotina e das dificuldades, consegue dar conta de tudo: trabalho, ensaios, apresentações e projeto futuro de gravação de um cd oficial. Esta mesma experiência é vivida pelo jornalista Paulo Azevedo (PE), gerente de projetos da E.life (SP). “A música surgiu meio que por acaso, foi uma descoberta, também. Sempre fui muito ligado e gostava de cantar, mas foi quando eu participei do programa Ídolos (2006), que comecei a cogitar a possibilidade de fazê-lo de fato. Ser selecionado para o programa, inclusive, foi uma grande surpresa”, lembra. Como fã da versão americana, arriscou e se inscreveu por diversão em audições que aconteceriam no Recife, nas quais foi classificado. O relacionamento com os demais concorrentes, a participação em workshops e os conhecimentos técnicos não só ajudaram a chegar à semifinal, como também a dar mais um passo: enveredar para a carreira artística com sua própria banda (“Valentino & The Pussylovers”). “Cantar sempre me fez muito bem. Posso até garantir que é o que eu mais gosto de fazer na vida. Por ora, este lado da minha vida está meio paradinho, porque a banda está no Recife e eu ainda estou me adaptando à vida paulistana. Mas, ainda é algo importante para mim e eu estou pensando em montar outra banda, para começar a fazer shows, novamente”, comenta. A descoberta por acaso da música também foi o estopim inicial para o mundo da música do publicitário Felipe Ferreira, analista de negócios da Ampla Comunicação (PE), que assumiu esta desconhecida paixão em 2005. “Tocava violão em casa e em rodas de amigos, como meu avô, e numa dessas fui 'descoberto' por um empresário, que, por coincidência, era publicitário também. Convidou-me para montar a Nitro com mais três pessoas que nunca vi na vida, mas que hoje são


Mateus Barbosa, Agência Ec (SP)

Victor Moury, social midia da Receba em Casa (PE)

meus grandes amigos. E isto acarretou em shows em Recife e no Nordeste, o que me fez pensar, inclusive, em seguir por este caminho”, diz. O amor de infância pela publicidade deu lugar em seu coração a outros interesses que foram progredindo nos quatro anos da Nitro, depois da Only Stones (que durou dois anos) e agora com a Soho e a Soma, respectivamente com seis e três meses. “Vi que a publicidade sempre falou mais alto, mas nunca consegui abandonar completamente a música e toco até hoje. A satisfação e dinheiro sempre andam juntos. Adoro música e cantar e, é claro, o dinheiro ajuda no orçamento”, frisa. GANHANDO A MAIS – A ajuda financeira proporcionada pelo hobby é sempre um destaque importante e uma lição que aprendeu a administradora Ileane Raéli da assessoria de comunicação da Secretaria de Turismo do Recife (PE), que vem desenvolvendo profissionalmente a atividade de maquiadora com muito sucesso. “Eu sempre levava minha bolsinha dentro da bolsa e eventualmente as amigas me pediam para maquiá-las. Então, comecei a maquiar e agora ganho um bom dinheiro com isso, desde 2010”, diz ela que procurou outras atividades que pudessem mexer com suas habilidades. Foi tomando gosto pela coisa, percebeu que tinha tino para o ramo e passou a conciliar o trabalho oficial com este hobby, que já sonha em transformar em negócio futuro. “Penso em colocar minhas habilidades e competências, como administradora, num centro de beleza. E, futuramente, quem sabe, poder transformá-lo em um centro de estética, que é o 'boom' do momento para os brasileiros”, ressalta. Muitos profissionais ainda apostam na pura realização pessoal, como o sócio da Six Comunicação (AL), Leo Villanova, que começou a trabalhar em publicidade quando ainda era estudante de arquitetura e urbanismo. Mas, em paralelo, sempre teve uma predileção pela fotografia, que lhe trouxe não só diversas oportunidades, como uma incrível satisfação pessoal. “A relação com a fotografia tem a ver diretamente com o meu interesse com a arte. Durante muito tempo, eu trabalhei paralelamente também em redações de jornais e revistas. Daí vem

Ileane Raéli, Secretaria de Leo Villanova, Turismo do Recife (PE) Six Comunicação (AL)

o meu olhar fotográfico mais voltado para o factual, um estilo mais para o fotojornalismo”, destaca. Normalmente, costuma viajar somente para fotografar, para documentar. E o resultado deste trabalho foi a publicação de alguns ensaios em revistas e jornais. “Tento manter o meu site alimentado com esse material, mas o tempo é pouco. Por este motivo também não consigo fazer uma exposição. Tenho um projeto de um livro em parceria com um amigo, que é jornalista, com haicais a partir de fotos minhas”, informa. Fazer o que se quer, como quer e de forma coletiva também permeia a vida e a carreira do programador Felipe Machado de O Escritório (PE), conhecido como Original DJ Copy. O profissional, que teve diversas experiências distintas ao longo da vida, trabalhou por um bom tempo só com programação. Mas saiu deste universo para virar estagiário em estúdios e produtoras de áudio, como a Luni Produções (PE). “A música sempre esteve em paralelo em sua vida. Ouvia um som que outros na minha localidade (Jordão Alto), às vezes, não ouviam. Contudo, não sacava de softwares de áudio. Frequentava uma loja no Centro de Recife e ia tocando alguma coisa, mas não tinha afinidade com instrumentos para ser músico e ai foi um caminho natural virar DJ.”, lembra ele que, quando trabalhava com tecnologia, começou a copiar Cds para a DJ pernambucana Lala K, que o convidou para o projeto Sem Loção. Este foi o pontapé inicial para sua inserção de fato no mundo da música, aliando o que ele entende melhor: som e tecnologia. Hoje, com uma carreira reconhecida na área, divide seu tempo entre a empresa que ajudou a fundar, a agenda de eventos e os diversos projetos que assume frequentemente. “Tento ao máximo trabalhar com o que gosto e consigo conciliar, porque sou bastante hiperativo. Tenho capacidade de fazer várias coisas e não dá para fazer tudo. Por isto, tenho que fazer sempre um balanço do que dá para fazer no dia a dia. Nos projetos mesmo, não faço nada sozinho e sempre busco integrar novos atores, até mesmo porque fui muito ajudado”, frisa.

13


ENTREVISTA

Anderson Lima

ALÉM DO OUTDOOR A Bandeirantes Mídia Exterior completa 55 anos de mercado tendo como presente a liderança no segmento de mídia exterior. Para se ter uma ideia da conquista empresa voltou a comercializar os roteiros do TopBus, na área metropolitana dos municípios do Recife, Jaboatão e Olinda, abrangendo mais de mil ônibus – ou o equivalente a 50% da frota das cidades irmãs. Um dos nomes a quem se pode atribuir essa vitória sem medo de errar é o do empresário Mauro Santos, cuja atuação na empresa teve início há 41 anos. “Inicialmente, como mensageiro no expediente da tarde, enquanto estudava pela manhã”, recorda. Sucessivamente, porém, Mauro foi galgando outros degraus em sua trajetória profissional, passando pelos setores de Recursos Humanos, Faturamento/Cobrança e Supervisão da Contabilidade. Até chegar à frente da gerência comercial. “Hoje, como sócio do Grupo Bandeirantes Mídia Exterior, exerço a função de diretor Regional e diretor Operacional, por meio da qual atuamos em cinco estados do Nordeste”, revela.

Sua determinação para seguir com sua atuação na empresa vem do amor pelo trabalho, bem como pela obstinação em servir e atender bem os profissionais da comunicação e clientes da Bandeirantes. “É um trabalho extenuante e desafiador, pois nos deparamos diariamente com situações inusitadas e complexas e temos de encontrar soluções com criatividade e economicidade”, afirma. “Cada trabalho bem feito, no entanto, nos deixa sempre com a alegria e o sentimento do dever cumprido”, completa Mauro, que procura praticar atividades esportivas nas horas de lazer, a exemplo de tênis, bem como viajar ao exterior (“Sempre sem GPS, para dominar e não ser dominado pelas cidades ou região que estamos conhecendo. Dessa maneira, consigo relaxar completamente, além de passar a gostar mais de onde visitamos”). Natural do Recife e pai de três filhos, Mauro Santos participa de um leve bate-papo a respeito de mídia exterior, sustentabilidade e sobre como a empresa trabalha a questão da cultura em seu dia a dia.

REVISTA PRONEWS – Considerando-se o que é feito em outros mercados, o que ainda pode ser explorado em termos de inovação em mídia exterior em nossa região? MAURO SANTOS – A Bandeirantes tem como característica ser uma empresa inovadora e pioneira em lançar produtos na Mídia Exterior. Procuramos transformar o outdoor em um quadro da nossa cidade e assim o envolvemos com molduras largas e brancas, logo imitadas. Lançamos o outdoor 5 Estrelas, que até hoje o temos como selo de qualidade. Depois o outdoor 10 Estrelas. Posteriormente, o TopLight, o Mega Painel, Projetos Especiais, Sinalização de Veículos e Empena e, recentemente, o TopBus. Agora, nos preparamos para lançar mais um produto inovador e de qualidade ainda não conhecida no mercado regional e que será mais um produto diferenciado que ofereceremos ao mercado anunciante e publicitário.

com nossa realidade de mercado.

RPN – Ainda nesse sentido, a Bandeirantes busca utilizar as informações obtidas em outros mercados, bem como iniciativas de sucesso, em seu trabalho no segmento de mídia exterior? MAURO – Certamente. Nossas viagens ao exterior são divididas entre lazer e visitas a empresas do nosso setor. Sempre na busca de encontrarmos novas soluções na Mídia Exterior compatíveis 14

RPN – Como a questão da sustentabilidade é trabalhada pela empresa? MAURO – Temos desenvolvido um trabalho embrionário, mas de grande importância para a comunidade em que nos localizamos. No quesito sustentabilidade, a Bandeirantes desenvolve um trabalho de reutilização das lonas dos outdoors e transforma em produtos como bolsas, pastas, sacolas e estojos, por exemplo, que são vendidos ao público externo. Essa renda é revertida para o grupo de costureiras do bairro de Sítio Novo, em Olinda, que são responsáveis pela confecção das peças. Ano passado, participamos da I Feira da Criança e da Gestante, a Fenekids, apresentando esse trabalho social e sustentável para um público externo. RPN – Nesse sentido, o que pesa mais para os clientes: estar ao lado de uma empresa consciente de seu papel na sociedade ou de uma que dê resultados? MAURO – Acredito que não são objetivos antagônicos ou excludentes. Cada vez mais existem pessoas e empresas conscientes de suas responsabilidades com a sociedade, sempre com o objetivo de reduzirmos desigualdades e construirmos um futuro melhor para todos.


RPN – Além da questão sustentável, como a cultura é trabalhada pela empresa? MAURO – Desenvolvi uma linha de trabalho inusitado na Mídia Exterior, na área cultural, que merece ser relembrado. Inicialmente, com a 1ª Exposição Internacional de Outdoor, que apoiamos e patrocinamos com o apoio da Prefeitura do Recife, na época do prefeito Gustavo Krause. Evento este, idealizado pelos artistas Paulo Brusky e Daniel Santiago, logo realizado em outros países e em outras cidades do Brasil. Acreditamos nesta linha de interação do outdoor como quadro embelezador da cidade e idealizei e realizamos para a Bandeirantes Mídia Exterior outros projetos de larga repercussão, como a 1ª Mostra de Humor em Outdoor, com trabalhos dos melhores cartunistas expostos em toda a cidade. Trabalhos de Clériston, Lailson, Humberto, Maquino e Ral. Posteriormente, nesta mesma linha, fizemos a 1ª Via Sacra em Outdoor, aproveitando as duas faixas da Agamenon Magalhães, no Recife, com o artista Luiz Pessoa e, quando fizemos 50 anos, idealizei e promovemos a 1ª Mostra de Arte Regional em Outdoor, com trabalhos expostos em toda a região dos artistas Guimarães, Chico Laranjeiras, Ferreira e Gilka, com outdoors divulgando e valorizando a arte regional. Todos esses eventos tiveram larga repercussão na mídia nacional e internacional, sempre com o objetivo de levar arte e possibilitar ao povo e a oportunidade de ter acesso a obras de artes em locais públicos, democráticos e não elitistas. Acho que esses trabalhos devem ser resgatados, pois continuam atuais e de grande importância para a divulgação da nossa cultura. RPN – O que fazer para comemorar mais 55 anos com sucesso? MAURO – A Atma+Bianchi preparou e estamos veiculando uma elogiada campanha nos nossos diversos produtos de

propaganda e comunicação. Somos agradecidos e felizes pelo sucesso já alcançado, pelo apoio e confiança do mercado anunciante e publicitário. No mais, a comemoração é com mais trabalho, mais dedicação, mais inovação e mais bons serviços prestados, como se fosse o nosso primeiro ano de atuação, rejuvenescidos com os ideais e a visão de futuro promissor inalterados.

“Desenvolvemos um projeto de sustentabilida de que reutiliza as lonas das campanhas de outdoors para fazer objetos e acessórios para comercialização, além de empregar pessoas de uma comunidade pobre. Vale salientar que antes o material era jogado no lixo. Hoje, temos o conhecimento que a lona pode durar muitos anos e ser muito útil para as pessoas. E o projeto idealizado pela nossa diretora finan ceira Marília Santos já é um sucesso”, destaca Natália Santos, do Departamento Comercial da empresa

15


HISTÓRIA DA COMUNICAÇÃO

Adriana Ribeiro Carlos Alberto Prado Ivelise Buarque

HISTÓRIA DA TV NO BRASIL Há 62 anos, o Brasil vivia a efervescência de sua expansão territorial em diversos setores e inclusive nas comunicações. Em 1950, o brasileiro conheceu uma forma inovadora de comunicação e entretenimento: a televisão. Inicialmente, os televisores de imagens preta e branca eram escassos no país e sua programação, ou apresentava falha, ou era indefinida. Mas, a partir dos erros, os pilares para um novo reino foi se solidificando, e mais tarde a TV se tornou uma verdadeira companheira na casa dos brasileiros.

Você faz o show, sucesso de audiência da TV Jornal nos anos 60 com Fernando Castelão, 1963

O empreendedorismo de Assis Chateaubriand inaugurou na década de 1950 a TV Tupi, de São Paulo, a PRF – 3, pioneira das emissoras de toda a América Latina. Só na década de 1960, o Nordeste seria atingindo por essa novidade. Juntamente com a TV Tupi, foram inauguradas a TV Jornal do Commercio, do Grupo Pessoa Fernando de Queiroz, e a TV Rádio Clube de Pernambuco, do grupo Diários Associados, dono da TV Tupi. Na época, a TV Jornal do Commercio era considerada a mais moderna em infraestrutura e equipamentos da América Latina, com cinco rádios e dois jornais diários. Na televisão, a programação era variada, com quadros humorísticos, programas de auditório e o jornalismo. Na época, tudo era produzido ao vivo. Desta forma, toda a equipe trabalhava e se ajudava com muito entusiasmo. Mas, você sabia que a TV Jornal do Commercio e a TV Tupi eram rivais? A partir dessa disputa de “quem é o melhor”, o público saiu vencedor. As duas emissoras tentavam a cada dia melhorar e prender o telespectador, a fim de aumentar sua 16

audiência e dizer: “Eu sou a melhor!” Apesar de toda essa disputa, os funcionários das duas televisões se respeitavam e trocavam experiências. “O grande destaque das duas televisões, sem dúvida, era o teleteatro e os programas de auditório. A exemplo da TV Jornal, a TV Tupi Recife também exportou muitos artistas para o eixo Rio-São Paulo que, até hoje, estão presentes na televisão brasileira, a exemplo de José Wilker e Arlete Sales, ou de humoristas como Zé Santa Cruz e Aguinaldo Batista.” Quem nos conta, é a professora e jornalista de Telejornalismo Aline Greco em seu livro A Trajetória do Teljornalismo em Pernambuco. Carmen Peixoto, atriz com grande bagagem televisiva, participou ativamente da construção da nossa “companheira de lar”. Sua presença foi contemplada em auditório (Rádio Clube e TV Jornal) e telenovelas na TV Jornal e TV Manchete. “Naquela época, a criatividade era bem maior do que hoje, porque se conta agora com muita tecnologia. E lá era o entusiasmo, criatividade e força física”, diz Carmen. Peixoto começou a carreira cedo, aos 16 anos, ainda enquanto estudava. Participou da novela Canção do Fugitivo com direção de Jorge José. Ganhou o prêmio de Melhor Atriz com a peça Diário de Anne Frank. As grandes produções marcaram aquela época, como A moça do Sobrado Grande, primeira novela a fazer externas, saindo do estúdio. As filmagens foram feitas no complexo de Salgadinho, em Olinda. Inclusive, o ator Jonas Melo, que estrelava a novela, teve que aprender a andar a cavalo, por exemplo. Naquela época, segundo Carmen Peixoto, a programação era diversificada com muitos programas especiais de estúdio e de auditório, como 2 na Música (produção de José Pimentel), Noite de Blacktie, Você Faz o Show, No Mundo das Artes e Dona Benta (infantil). Eram grandes espetáculos de talentos e de música brasileira por onde passaram diversos nomes nacionais como Elis Regina e Cauby Peixoto. Grandes nomes também fizeram parte dessa história como Fernando Castelão, Luiz Geraldo, José Pimentel, Maria José e Milton Bacarelli, Jorge José, Floriça Rossi, Jorge Daniel, Walter Breda e aqueles que trilharam uma carreira nacional como Wilton Marques (que trabalha na produção de Jô Soares), Arlete Salles, José Wilker e Lúcio Mauro, todos do casting da Globo. Carmen lembra que atualmente as empresas de TV trabalham de forma diferente. Antes, a programação era sustentada por patrocínio, a maioria local, poucas vezes nacional.


O presidente JK e o apresentador Rui Cabral no programa Noite de Black Tie em 1961

José Maria Marques no programa Bossa 2 em 1961

Mas tudo começou a mudar quando os patrocinadores nacionais foram aos poucos tomando conta da programação, o que impulsionou muitos artistas a migrarem para o eixo Rio-São Paulo. “A TV começou grande e depois foi se restringindo até chegar apenas ao jornalismo e aos programas populares, que encontramos hoje”, ressalta. Essa migração se estende até hoje e dificilmente mudará. As empresas preferem a praticidade de unir todas as suas produções em um mesmo centro, o que facilita a logística e diminue os custos. A própria Rede Globo recentemente mudou quase todos os seus programas de estúdio para o Projac no Rio de Janeiro, com o intúito de dinamizar a programação. É inevitável pensar na forma de se fazer televisão hoje de forma isolada. Nas palavras da própria Carmem Peixoto, “o que se faz hoje na TV é um tipo de releitura do que se fazia há 50 anos na TV e em Pernambuco”. A diferença estaria portando nos “detalhes”. Hoje com a tecnologia de transmissão em HD (Alta Definição), muito mais dinâmica e com receita incomparavelmente maior, aliada à tecnologia, “tudo fica mais bonito”, destaca Carmem Peixoto Carmem. Que o Brasil é o país das telenovelas, não é novidade. Mas você saberia quantas novelas já foram ao ar no Brasil? Ou melhor, qual o investimento em uma teledramaturgia? Os números são variáveis, mas em um levantamento feito por nossa equipe, apenas a Rede Globo, já exibiu mais de 290 novelas, entre exibições e reapresentações, feitas, por exemplo, no Vale a Pena Ver de Novo, que desde o final da década de 1970 já reexibiu mais de 72 novelas. “Agora, os interesses comerciais interferiram muito no processo e no

declínio da TV com o passar dos tempos”, conclui Carmem. Numa empresa que investe cerca de R$ 40 milhões de reais em uma produção que se estende em média por 180 capítulos e passa a ser parte do dia a dia de milhões de brasileiros, é normal que seja cobrado um nível alto de qualidade e de discussão dos valores morais. O que é se discute agora é o rumo que a televisão tomará. Há a preocupação de os telejornais perderem espaço para os programas de variadades ou para os realitys shows, ou mesmo a exibição desse combinado de variedades não terem harmonia entre si. Assim como o fato que a televisão não acabará, sabemos que ela como nós a conhecemos, mudará. Desde 2006, acompanhamos as primeiras mudanças com a implantação do Sistema Brasileiro de Televisão Digital (SBTVD). Seguindo a previsão do Governo Federal, até 2016, a transmissão será 100% digital. É um ganho sem precedentes. Para as empresas e para os telespectadores, uma oportunidade de explorar um verdadeiro mar de novidades e combinar interatividade com notícias e entretenimento, tudo aliado à velocidade das transmissões. O futuro do meio de comunicação mais brasileiro de todos, ainda é um mistério. Será necessário encontrar novos modelos de negócios e formas de se reinventar. Mas talvez seja esse o desafio que move a televisão. Quando o rádio surgiu, disseram que o jornal impresso estava acabado. Hoje fazemos leituras de notícias em nossos smartphones, tablets, na internet, e claro, na banca de jornal mais próxima. O futuro pode ser incerto, com novidades e desafios, mas promete muitas novidades.

17


SOCIAL COMMERCE NAS REDES SOCIAIS! Joyce Warren

Web influência 66% dos consumidores na hora das compras Compartilhar produtos de qualidade, expressar opiniões positivas sobre um determinado objeto ou até mesmo recomendá-los aos amigos de forma direta e descontraída nas redes sociais está abrindo caminho para o Social Commerce. É o que mostra o estudo da agência Fleishman-Hillard. O levantamento mostra que 66% dos entrevistados utilizam a web para determinar a compra, ou não, de um produto. Isto acontece devido aos 85% dos mais de 78 milhões de usuários de web que tem como principal motivo para acessar a internet as redes sociais. Por outro lado, 61% recorrem ao e-mail; 42% à televisão; 43% utilizam os jornais impressos para fazer a escolha; 37% mala direta; e, empatados com 28% cada, revistas e emissoras de rádio aparecem com menor escala na influência de compra. Estes dados mostram que o consumidor brasileiro está cada vez mais interessado no que está comprando, consequentemente atribuindo critérios para a aquisição, ou não, de produtos fornecidos por diversas marcas. Segundo o gerente de produtos da LikeStore (SP) – serviço que permite a transformação de uma página no Facebook em um ecommerce completo –, Ricardo Grandinette, a pesquisa mostrou escala de critérios bem interessante. “De acordo com o estudo, 79% dos usuários navegam para obter mais informações sobre uma marca, 76% para obter descontos ou cupom de descontos, 73% para obter informações exclusivas e 69% para dar retorno positivo sobre uma marca. Além destes a pesquisa usou outros critérios com uma menor quantidade de pontuação como: Compartilhar Opinião, Colher Feedback sobre uma ideia, Mostrar a Relação com uma Marca, Se Sentir parte de uma Comunidade e por último, dar Feedback Negativo. O mais interessante é que dar Feedback Negativo, que é algo que as pessoas imaginam ser um dos principais critérios para se dividir informação na internet, é, na verdade, o menor”. A LikeStore é um dos fatores primordiais para o avanço do e-commerce no Brasil. Agregando valor aos produtos, bem como privilegiando a liberdade de opinião dos consumidores, este aplicativo elaborado para a venda de produtos na web está intrinsecamente ligado ao comportamento social moderno – que mostra como a internet tem importância no dia a dia das pessoas nos dias de hoje; sobretudo por 92% dos 18

Ricardo Grandinette

brasileiros ter predileção por recomendações de amigos do que qualquer comercial. Fatos como este fazem com que as empresas com perfis em redes sociais – como o Facebook – tenham um crescimento sem precedentes. “De acordo com a pesquisa, a internet hoje consome mais tempo dos consumidores que a televisão. Dessa forma, a intensidade de utilização e a sofisticação das relações comerciais (dentro dela, o Social Commerce) naturalmente sustentarão o aumento de faturamento dos players que estão na Internet.”, explica Grandinette. Lançado oficialmente em agosto de 2011, o serviço já conta com mais de três mil lojas no Facebook e aproximadamente nove mil vendas. Sempre conectados com as novas tendências do mercado, a LikeStore desenvolve e expande o conceito do Social Commerce (Comércio Social), unindo a força da interação entre amigos nas redes sociais com o poder de conversão de vendas do e-commerce, assim como disponibilizando formas diferentes para diversas marcas divulgarem seus produtos. “Nós nos inserimos neste cenário através da plataforma self-service onde temos mais de 4.000 lojistas vendendo através do Facebook. Dessa forma, uma série de pequenos lojistas vão aproveitar esta onda através da LikeStore.”, conclui Ricardo Grandinette, gerente de produtos da LikeStore.


Antigamente, era tudo mais fácil. Poucas marcas, poucos produtos. Não tinha muito trabalho para elas se fazerem presentes em nossa mente. Qualquer “comercialzinho” mais engraçado ou uma “musiquinha” com um refrão mais bonitinho, a gente cantarolava, comentava com os colegas na escola, no trabalho, ia ao supermercado e lá estava ele na gôndola! Não tinha mistério. E, nesse sentido, o marketing boca a boca funcionava que era uma beleza! Só não conseguia se sobressair quem era muito ruim das ideias ou o produto não

prestava mesmo! Às vezes, era só uma questão de reposicionamento de categoria ou seção. Ou, quem tinha sorte de ser o pioneiro, lançava um produto inovador e, logo, ele tornava-se metonímia. Mas hoje, o bicho pega! E “o buraco é bem mais embaixo”. É necessário profissionalismo e competência, acompanhar tendências e gerir marcas. Atualmente, por sorte, quem sabe, o videozinho da campanha que você fez sem grandes pretensões, se viralizou e tornou-se um meme. Meme é o fenômeno em que pessoas, vídeos, imagens, canções ou fatos se popularizaram na internet e viram celebridades instantâneas. São puramente casuais, mas funcionam. Para Maurício Nunes, diretor de Criação Digital da Ampla Comunicação (PE), não há dúvida de que os canais e as ferramentas online estão se expandido e aumentado as possibilidades de aproximar ainda mais o consumidor da marca e vice-versa. “As redes sociais têm um poder incrível de gerar e manter relacionamentos duradouros e até de evitar ou controlar crises. As formas e as plataformas são diversas. Mas antes de uma marca ter força para viralizar, ela tem que se tornar ou se manter como uma marca forte”. O consumidor não está disposto a viralizar uma marca que ele simplesmente pague por ela. Ou este consumidor é fã e sua disponibilidade para viralizar é grande ou ele cai numa emboscada eficiente, a ponto de viralizar uma marca sem saber o que está fazendo. “É importante lembrar que o risco que se corre nestes casos é de o consumidor sentir-se usado, manipulado e isso pode se voltar contra a marca”, diz Maurício. Nos tempos modernos, são inúmeras marcas e categorias de produtos existentes no shopper. A busca pelo top of mind é o sonho de todos. Posicionar a marca no mercado é uma tarefa que envolve um conjunto de ações e estratégias, que juntas podem ajudar a alcançar o market share e o share of mind ideal. Como promover a interação do consumidor com a marca e gerar lembrança positiva? O VP de Criação da MV2

Gustavo Bastos, Agência 11:21 (RJ)

Elmo do Val, MV2 Comunicação (PE)

Cada vez mais variadas, as gôndolas estão cheias de produtos e marcas brigando pela preferência do consumidor

19

Luciana Torreão

CAPA


Comunicação (PE), Elmo do Val, expõe que market share e a confiança do consumidor vão além do trabalho da comunicação, estando totalmente aliados ao composto de marketing e ao modo de atuar da empresa, sua qualidade final de entrega do serviço ou do produto, sua distribuição, etc., além do respeito tratado ao cliente e à sociedade. “Afinal, uma comunicação de milhões pode ser destruída por um único serviço mal prestado. Já o share of mind deve ser trabalhado em conjunto ao share of heart, unindo lembranças e sentimentos positivos a favor de uma marca. Quem conquistar isso terá uma grande diferenciação no mercado e até força de negociação no trade”. Elmo pontua que a melhor forma é estar atualizado sobre como pensa, o que quer e onde anda o cliente. Superar o próprio produto ao ponto de ser reconhecido pelo nome da marca e tornar-se metonímia é privilégio de poucas empresas. Algumas marcas se destacam por serem pioneiras no mercado e se tornam referência para as pessoas em diversos setores, emprestando seu nome a um segmento de produtos. Para quem ainda não se identificou com a palavra, metonímia é quando a marca vira sinônimo do produto/objeto em si e todo mundo falava da sua marca, mesmo sem querer. Hoje esse fenômeno ainda acontece. Pouco, mas acontece. Afinal, quem não diz que vai comprar o iPad ou iPod da marca tal, quando na verdade quis dizer que ia adquirir um tablet ou mp3 player de determinada marca? Segundo o redator da BPM Comunicação (PE), Will Santos, estar posicionado no topo da cabeça do consumidor é o desejo de qualquer marca do mundo. Will diz que essa tarefa parecia ser fácil em um tempo em que a oferta e a variedade de produtos era reduzida. “Bastava surgir um produto eficiente, que atendesse às necessidades básicas da família, para ele tornar-se uma metonímia. Mas hoje estamos num mundo naturalmente globalizado onde surgem novas marcas numa velocidade nunca imaginada, saturando o mercado de produtos idênticos, com pouca diferenciação. Dentro desse con-

ESSE TAL DE BRANDING – É necessário pensar o branding com ferramentas e estratégias criativas e diferenciadas. É preciso “ralar” muito pra se fazer “grudar” na cabeça dos shoppers! E, mais: como se não bastasse pensar no mundo real, offline, ainda tem que pensar e inovar no online. Mas o que é mesmo branding, hein? Hoje em dia, os profissionais de marketing costumam chamar tudo de branding, é a buzzword da hora! Mas branding é coisa séria. É o nome que se dá ao processo de construção de uma marca e nada mais é do que a gestão desta marca. Um trabalho de branding bem feito faz com que a marca ou o produto consiga se destacar entre tantas.

Carla e Karina da Fonte, Uniq Branding (PE)

Diego Curvêlo, Martpet Comunicação (PE)

20

texto surge um novo conceito para se fazer ouvir diante de tanta informação: o posicionamento estratégico”. O doutor em Administração pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), André Luiz de Souza Leão, acredita que a marca adquire valor para os consumidores na medida em que assume um papel de signo mediador das relações sociais em comunidades que compartilham interesses. “Com isto, mais do que remeter à qualidade de seus produtos, as marcas remetem a certos valores culturais. Logo, mais do que ficar retida na memória das pessoas, elas se tornam relevantes quando conseguem suscitar identificação”, comenta André, que também é coordenador do curso de Especialização em Gestão de Marcas – Departamento de Ciências Administrativas – da UFPE. Segundo André, numa sociedade de consumo, a utilidade ocupa, no máximo, um papel secundário nas escolhas dos consumidores – salvo, talvez, nos casos de produtos indiferenciados ou de baixo valor agregado. “Com isso, a marca passa a ocupar o espaço de signo do consumo. Nesta perspectiva, portanto, cabe às organizações construírem significados de valor sociocultural e focar aqueles consumidores inseridos em comunidades que compartilhem estes valores”.


Juliana Nappo, Agência Shopper (SP)

Manuel Cavalcanti, Ampla (PE)

“Costumo não separar mais o mundo off do mundo on-line quando a questão é criação publicitária”, esclarece Carla Queiroz, diretora de Criação da CQueiroz Comunicação (PE). Para ela, o pensamento sistêmico deve predominar sobre qualquer outro que privilegie canais únicos de distribuição e por isso, vários profissionais devem estar envolvidos na conceituação estratégica da campanha. “Todo o corpo de uma campanha deve ser concebido pensando-se que ele necessariamente caminhará pelos dois mundos, para que ande com desenvoltura. É necessário uma agência de comunicação com visão integrada e consciente dos melhores caminhos ou canais do mundo real e do mundo virtual, de acordo com as características do cliente e das oportunidades que se apresentam diante dele nesses dois mundos”, destaca Carla Queiroz. Carla da Fonte – designer e publicitária e há 18 anos à frente da DA-DPA (PE), se uniu à publicitária Karina da Fonte, com cerca de 15 anos de atuação em agências de publicidade e também em consultoria de marketing, para formar a Uniq Branding - a primeira consultoria especializada no assunto, do Nordeste. Longe de se resumir aos aspectos visuais, ambas dizem que o branding foca em fatores como cultura da marca, estratégias de posicionamento de mercado e experiência do cliente em relação à marca em todos os pontos de contato. Tudo isso com um olhar para dentro e para fora da organização. Ao serem questionadas sobre o que as levou a atuar nesta área, elas disseram que a experiência dentro de agências mostrou que, para alcançar maior compreensão, era fundamental viver diretamente o dia a dia das empresas, conviver com pessoas das diversas áreas, respirar o negócio, estabelecer o nexo entre as partes. E isso não era possível fazer através de agências. Segundo Karina, o branding é um instrumento de gestão que tem como objetivo fortalecer o valor percebido da marca – funcional e emocional, pelos seus diversos públicos estratégicos, em seus variados pontos de contato, nos

ambientes interno e externo. Já a designer Carla da Fonte pontua que, com a democratização dos recursos tecnológicos, os produtos estão muito parecidos. “Cada vez mais, a identidade e posicionamento adotado pelas marcas têm forte relevância nas escolhas de pessoas físicas e jurídicas. Além disso, a interatividade nas redes sociais tem exigido mais acessibilidade (canais de relacionamento) e velocidade nos diálogos, tornando essencial a clareza neste direcionamento para evitar comportamentos incoerentes com a proposta central da marca. No tempo em que vivemos, todos que fazem a marca, precisam expressar a identidade da empresa com a coerência, a clareza e a velocidade exigidas pelo mercado”. COMMODITIES – Mas, a grande pergunta que não quer calar é: como não ser o pioneiro e ainda se manter na mente dos consumidores e gerar vendas? Fernando Lima, diretor de Novos Negócios da Ampla Comunicação, avalia que, para o consumidor, importa menos ser o pioneiro. “Ele quer ser bem atendido em todas as suas expectativas. O mundo dos produtos de consumo está comoditizado. O acesso à tecnologia e insumos é o mesmo para a maioria das companhias. O que diferencia é a relação que a marca cria com seu consumidor. O branding hoje se preocupa mais com os aspectos humanos das marcas do que com os pragmáticos”. Na opinião de Lima, ter uma marca física forte e, que comunique bem, é importante. Mas, mais importante é que ela seja sensorial, e que toque o consumidor. Marcas devem ter humor, personalidade, cheiro. “Tem que ser tátil para que sua emoção seja 'tangibilizada'. É com isso também que a Ampla tem se preocupado. Por isso mesmo temos uma relação tão duradoura com nossos clientes e marcas”. A construção de uma marca passa, necessariamente, pelos ativos que geram e consolidam a qualidade mais as percepções positivas do produto ou serviço. Compromisso com 21


o consumidor, posicionamento, valores tangíveis e intangíveis que fazem o consumidor escolher esta ou aquela marca. “Fidelizar ou comoditizar a escolha do consumidor está na pauta das agências e dos profissionais responsáveis pelo marketing das empresas”, diz Manuel Cavalcanti, VP de Criação da Ampla.

Ela acredita que em teoria, consumer e trade marketing, se realizados de forma eficaz, aumentam as vendas, constroem market share e margens, aumentam a lealdade dos consumidores, e ampliam as chances de um novo produto permanecer no mercado. “No entanto, há inúmeras evidências em contrário. Em mais de 70% das categorias de bens de consumo, o efeito das promoções foi menor para aumento de vendas. O market share das dez maiores marcas do mundo está em declínio e o percentual de compradores leais às marcas diminuiu estrondosamente nos últimos dez anos e menos de 10% dos mais de 30 mil novos produtos introduzidos por ano permanecem nas prateleiras após três anos. Na maioria das categorias o volume amarga crescimentos de um dígito”.

SHOPPER MARKETING – Nenhuma marca pode mais se furtar a entender quais programas seus clientes varejistas vão desenvolver e como eles se relacionam com seus shoppers. “As marcas devem buscar cada vez mais integrar seu shopper understanding ao conhecimento acumulado pelo varejista para a partir daí, juntos, desenharem as melhores formas de engajar os shopper e aumentar as taxas de conversão. Shopper understanding é uma nova área de especialidade no Brasil que estuda a interação entre o comprador e o ponto-de-venda, bem como o impacto dessas relações no volume de compras e na imagem das marcas”, diz Juliana Nappo, VP executiva da Agência Shopper (SP). Ela afirma que shopper marketing não é uma fórmula, muito pelo contrário. Exige grande conhecimento do ambiente competitivo, dos consumidores e compradores e a capacidade de articular diversas metodologias e informações na busca da melhor solução estratégica. O objetivo de shopper marketing é uma melhor experiência de compra para cliente, que leva ao crescimento de vendas e alta fidelidade à marca e à loja. “Embora o 'momento da verdade' seja, sem dúvida, quando o shopper seleciona uma marca em detrimento de outra na loja, o processo decisório não ocorre inteiramente na gôndola. O processo de compra começa quando alguém entra em 'shopper mode', ou seja, decide que vai comprar um produto ou uma marca. A partir do momento em que se torna comprador, o impacto dos diversos tipos de comunicação no indivíduo se altera, pois ele está buscando respostas a novas questões que se colocam quando a compra está para ser realizada”, diz Nappo.

SOBRENOME REGIONAL – Presente em 20 estados brasileiros, nas cinco regiões do país, a AlphaVille Urbanismo é líder nacional no desenvolvimento de núcleos urbanos sustentáveis. Apesar de já ser uma marca sinônimo de qualidade, a AlphaVille Urbanismo tinha o desafio de lançar na região metropolitana do Recife, o terceiro maior empreendimento da AlphaVille no Brasil, atrás apenas de São Paulo e Brasília. E como criar uma relação entre uma marca que nasceu em São Paulo, com um consumidor tão apaixonado pelo seu estado, sua cultura e sua identidade, como o pernambucano? O sócio-diretor de Criação da Martpet Comunicação (PE), Diego Curvêlo, diz que o primeiro passo foi dar um nome para o empreendimento. Um nome que gerasse uma identificação imediata com o consumidor. O empreendimento foi batizado de AlphaVille Pernambuco. “Nada mais pertinente que agregar à marca AlphaVille ao nome do estado que tem um povo com orgulho exacerbado. Como símbolo da campanha, nada mais forte que utilizar a bandeira de Pernambuco, tremulando e revelando a grandiosidade de um projeto inovador. Com sua atividade focada no desenvolvimento de empreendimentos horizontais que conciliam preservação

Carla Queiroz, CQueiroz Comunicação (PE)

Marina Rezende, Dendê Brands (BA)

22


ambiental, planejamento urbano e infraestrutura altamente qualificada”. Mas tão importante quanto criar esta relação com o consumidor final, foi apresentar este empreendimento de valor agregado superior, para os corretores pernambucanos. E como motivar, capacitar e envolver centenas de corretores de 12 imobiliárias para vender um grande empreendimento? A Martpet Comunicação realizou diversas estratégias de marketing que transformaram a vida de muitos pernambucanos. A mais importante ação de relacionamento criada foi o Reality Alpha, o primeiro reality show do Brasil exclusivo para corretores, o programa de incentivo mais inovador do mercado imobiliário nacional, que envolveu e criou uma experiência marcante com os corretores do mercado imobiliário de Pernambuco. O Reality Alpha foi exibido durante a convenção de vendas para mais de 500 corretores e apresentado por uma ex-participante do BBB e também proprietária de um AlphaVille. Um júri e a plateia escolheram o grupo campeão. Além disso, todo mercado imobiliário podia acompanhar o Reality Alpha através do conteúdo do AlphaBlog. “Hoje a marca AlphaVille é uma unanimidade entre os Pernambucanos no que diz respeito à qualidade absoluta de um empreendimento. Mais que uma marca, a AlphaVille se consolidou em nosso estado como uma grife. É a alta costura dos empreendimentos, nas passarelas do urbanismo Pernambucano. Maior que um bairro e melhor que uma cidade, o AlphaVille Pernambuco é o núcleo urbano planejado que revolucionou o nosso mercado imobiliário e a vida de centenas de pernambucanos”, comentou Diego Curvêlo. REPERCUSSÃO E ENGAJAMENTO – O sócio-diretor da agência 11:21 (RJ), Gustavo Bastos diz que duas palavras resumem as estratégias para ganhar a mente do consumidor e também seu coração, porque só conquistando ambos você atinge o top of mind: repercussão e engajamento. Sem uma comunicação que gere repercussão, onde as grandes ideias, as boas piadas, os momentos emocionantes imperam, nada acontece. “O consumidor cada dia é bombardeado com mais informação, seja na rua, na internet, na TV, nos jornais e revistas, no rádio, etc. Sem uma comunicação marcante, a marca some neste monte de informação”. Para Gustavo, engajamento é a via de duas mãos que a comunicação moderna pode explorar hoje, através principalmente das redes sociais, onde o consumidor pode interagir com a marca, pode opinar e se engajar nos conceitos e na história de uma marca, de um produto. “A combinação destes dois fatores, e uma presença constante na mídia, seja offline ou online, pode garantir o top of mind com o tempo. Mas só as boas marcas, os bons produtos e serviços chegam lá. Sem um bom produto, nada feito. Comunicação não faz milagre”.

A Agência Iris (PE) contribuiu para que a rede de restaurantes Atlântico se tornasse uma das marcas mais lembradas no segmento de pizzarias em Pernambuco, conquistando um número médio de 1.500 pessoas falando sobre a casa. Esses dados fazem da marca líder no segmento, estando em primeiro lugar no Brasil na categoria Restaurantes e Cafés, segundo o site de estatísticas Social Bakers. Nas redes sociais, em aproximadamente oito meses, o restaurante alcançou um número de fãs no Facebook que surpreende qualquer concorrente que esteja há mais tempo no ciberespaço. Com toque de humor e relacionando os serviços e produtos oferecidos, a empresa teve média de crescimento de 2.800 fãs por mês. “O mais importante é ter sempre uma novidade. Estamos criando novas ações e entrando em contato com todos que enviam mensagens com dúvidas, críticas e sugestões”, comenta Sérgio Correia, sócio-diretor da Iris. A diretora da Dendê Brands (BA), Marina Rezende, ressalta que tornar uma marca conhecida diante da diversidade de informações e canais disponíveis é um desafio constante para as empresas de comunicação e seus clientes. “As já tradicionais formas de mídia, aliadas ao universo paralelo da internet e suas redes sociais, ao mesmo tempo em que abrem novas frentes de comunicação para as empresas constituemse em um vasto campo, onde os caminhos das marcas nem sempre se cruzam com os dos seus consumidores”. Marina acredita que nesse cenário, a criação de uma identidade, composta por imagem e posicionamento bem definidos, torna-se fator essencial na busca pela diferenciação e reconhecimento da marca. E promover o alinhamento de toda a comunicação nas suas mais diversas frentes é o papel de um bom trabalho de branding. “A marca deve repetir-se, porém de modos diferentes e nos mais diversos canais. Através de ações customizadas para cada mídia, seja ela online ou offline, a comunicação alcança o seu maior nível de eficiência e a formação da imagem desejada será alcançada se na base de todo esse processo estiver sempre o posicionamento da marca”. O consumidor contemporâneo exige uma reinvenção do varejo – o que os especialistas em tendências têm classificado como a Idade da Transformação. “Os novos consumidores prestigiam marcas com uma postura ética, que unem valores do passado aos avanços digitais do futuro. De modo geral, autenticidade é a palavra que mais define essa demanda do consumidor”, afirma Paulo Al-Assal, diretor-geral da Voltage (SP) e um dos principais especialistas brasileiros em tendências. Paulo afirma que, no processo de “construção” das marcas, os gestores não podem perder de vista os insights gerados por tendências.

23


A VEZ DO CLIENTE

EDUCAÇÃO DE QUALIDADE NO FOCO DO MERCADO Quando foi plantada a semente da Maurício de Nassau em 1993 (o Bureau Jurídico - Complexo Educacional de Ensino e Pesquisa), ela trazia em seu DNA a intenção de “produzir e socializar conhecimento, educando e formando seres humanos éticos, íntegros e competentes”. A instituição de ensino, fruto da realização de um empreendedor focado no desenvolvimento de um projeto de educação superior de qualidade, busca ir além do ensino dos conteúdos básicos e específicos da profissão, mas também tenta proporcionar a formação de profissionais com valores éticos, solidários e comprometidos com a sociedade. “Em um período em que concursos públicos começaram a surgir Recife não possuía nenhum núcleo especializados em preparação dos candidatos. Assim surgiu o Bureau Jurídico, que logo se expandiu para colégio e Curso com preparatório para vestibular e em 2003, observando a falta de instituições de ensino superior de qualidade para suprir a crescente demanda na formação de profissionais qualificados, nasceu a Faculdade Maurício de Nassau. Com a publicação no Diário Oficial da União da Portaria 1109, do MEC”, lembra o idealizador e acionista controlador da Maurício de Nassau, Janguiê Diniz. Recentemente, a instituição que traçou sua jornada ao longo desses 19 anos, inicia nova fase: a transformação da Faculdade Maurício de Nassau Recife em Centro Universitário com a aprovação por unanimidade do Conselho Nacional de Educação – CNE. Com a nova investida, passará a ser chaChico Peixoto

Ivelise Buarque

Uso forte da comunicação para uma educação estratégica e de metas alcançadas mada UniNassau, mantendo autonomia universitária constitucionalmente garantida para as universidades e ainda sua composição atual que envolve 12 campus espalhados em sete estados do Nordeste. “Conseguimos nossa consolidação através da excelência acadêmica, atestada por bons resultados nas avaliações do MEC e auditados por grandes empresas; pela estrutura física e padrão que mantemos em todas as unidades com laboratórios, bibliotecas, núcleos de prática jurídica, e clínicas escola. Todos com equipamentos modernos e professores capacitados. Além disso, estamos atentos às inovações, comodidade e conforto dos nossos alunos. Outra preocupação está na empregabilidade. Firmamos convênios com empresas e órgãos públicos para prática de nossos alunos, além de possuirmos um setor responsável pelo encaminhamento e aconselhamento para entrevistas de emprego”, destaca Diniz. De fato, a Maurício de Nassau aposta em diversos aspectos de interação e beneficiamento do seu corpo discente com o mercado, com a perspectiva de que este constante conta contribui para sua evolução pessoal e profissional, além de proporcionar em sua diferenciação no mercado. Para isto, conta com parcerias institucionais com mais de 20 organizações como Porto Digital, Walmart, Refrescos Guararapes (Coca-Cola), Unesco, Movimento Tortura Nunca Mais e Ação da Cidadania contra a Fome e a Miséria. Com diversos apoios e ações estratégicas, a Faculdade consegue desenvolver propostas diferenciadas para seus cursos de graduação e realizar atividades complementares, seminários, simpósios e eventos similares, para o desenvolvimento de estudos e pesquisas. “São mais de 200 cursos apoiados por dois pilares: contemplar a renovação e atualização que os avanços tecnológicos e modernização da sociedade impõem, criando possibilidades reais de empregabilidade e empreendedorismo. Os cursos contemplam as principais áreas do conhecimento: Exatas, Biológicas, Engenharias, Agrárias, Saúde, Sociais, Humanas, Linguística, Letras e Artes. Só na unidade da Faculdade Maurício de Nassau Recife oferece mais de 40 cursos divididos entre graduação tradicional e de graduação de curta duração. Mas, também faz muita diferença a oferta de cursos e os A Faculdade Maurício de Nassau Recife oferece mais de 40 cursos divididos entre graduação tradicional e de graduação de curta duração 24


Marcelo Menezes

preços compatíveis certamente contribuem para o destaque da Faculdade, porém os investimentos em estrutura de qualidade e corpo docente qualificado formado por especialistas, mestres e doutores com experiência no mercado. Realizamos ainda periodicamente palestras e cursos de extensão, afim de, capacitar cada vez mais os nossos alunos para o mercado de trabalho”, aponta. ALÉM DE UM PROJETO - E, sendo assim, não é a toa que a instituição leva o nome de um dos maiores colaboradores para o desenvolvimento urbanístico da antiga capitania, Maurício de Nassau, um visionário que é até hoje símbolo de empreendedorismo. Sob esta sombra a instituição mantémse atenta às transformações e mudanças do mundo atual para oferecer o melhor aos seus cursos. “Superamos o primeiro obstáculo, que foi inserir no mercado uma instituição de ensino totalmente nova. Sem a história e o peso atrelado a tradição das universidades que haviam no Estado. Partimos de algo novo, para criar um conceito moderno de educação. Hoje somos destaque na área educacional, esportiva, e na formação de profissionais que acima de tudo se tornam cidadãos atuantes através dos diversos projetos de responsabilidade social desenvolvidos pelo Grupo Ser”, diz Janguiê. A Maurício de Nassau integra um dos empreendimentos do conhecido Grupo Ser Educacional, que tentam ser atuantes diante de sua proporção e desenvolver ações extras classe de cunho social, ambiental, esportivo e cultural. E, no geral, conta hoje com 50 mil alunos distribuídos em 12 cidades no Norte/Nordeste e nove estados. Os demais estão distribuídos entre a Faculdade Joaquim Nabuco, pós-graduação e escolas técnicas. “Na área pedagógica, um dos grandes diferenciais da faculdade refere-se ao sistema da 'Prova Colegiada', o qual garante que as diretrizes propostas nos projetos pedagógicos dos cursos sejam contempladas no cotidiano da sala de aula. Além disso, a Nassau é a instituição de ensino superior que mais investe em esportes no N/NE, tendo sido campeã brasileira dos Jogos Universitários”, ressalta. ARTICULAÇÃO ESTRATÉGICA - A Faculdade Maurício de Nassau vem se consolidando como uma das instituições de ensino que mais cresce no Brasil. Para se ter uma ideia da extensão que alcançou, conquistou pelo terceiro ano consecutivo o título Líder em Recall de Marcas e está entre as marcas mais admiradas pela sociedade pernambucana. Mas, ainda figura hoje como a maior faculdade do Norte/Nordeste e está entre os 10 grandes grupos educacionais do País. “A primeira meta para este ano já foi alcançada, com o reconhecimento e a aprovação da transformação da faculdade em Centro Universitário. A portaria deverá ser publicada em breve pelo MEC. Em longo prazo, desejamos continuar entre as melhores instituições de ensino do País, disponibilizando para os estudantes novos cursos demandados pelo mercado”, frisa. Neste caminho até o momento atual, a comunicação é um dos investimentos importantes com o foco em manter bom relacionamento com a comunidade onde está inserida.

Janguiê Diniz, idealizador e acionista controlador da Maurício de Nassau

Todo o processo é ditado pelo Conselho de Administração do Grupo Ser Educacional, que, anualmente, aprova uma verba para ações de Marketing e Comunicação. Os investimentos neste plano estratégico - pensados com base em resultados e metas - são divididos semestralmente para ações de captação, eventos, patrocínios, projetos de relacionamentos com empresas e escolas, ações sociais, entre outros. A Nassau possui um núcleo de comunicação interna que trata do relacionamento com as empresas que prestam serviços de comunicação, entre as quais a Agência Um Comunicação, que há cerca de oito anos cuida da conta e está integrada nas rotinas da instituição, incluindo os trabalhos dos professores e realização dos alunos para desenvolvimento. “Ao longo destes anos, a agência ainda consegue nos surpreender com propostas inovadoras, ousadas e criativas. Ela cuida de nossa comunicação em todo o Norte/Nordeste, de acordo com a necessidade da campanha”, comenta. O trabalho envolve em especial campanhas de vestibular, pós-graduação, escola técnica, eventos promovidos pela instituição, além de campanha internas (endomarketing). Mas, a Nassau ainda aposta em ações promocionais e de web, e mídias de massa e alternativas – inclusive fazendo uso das redes sociais, por exemplo, que cujas estratégias são pautadas de acordo com público. “Investimos em uma comunicação jovem, inteligente e dinâmica através das redes sociais como Twitter e Facebook e realizamos promoções, transmissões de eventos ao vivo e atendimento”, enfatiza.

25


DE OLHO NA CAMPANHA

MINHA TERRA, MEU LUGAR A agência pernambucana Nuvon Comunicação cria campanha para cidade de Umarizal, localizada na Região Oeste do Rio Grande do Norte. Com o mote “Sou Feliz, Sou de Umarizal — Minha Terra, Meu Lugar!”, a iniciativa é realizada pela ONG Diaconia, em parceria com empresários locais ligados à Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) do município. O objetivo da ação é fortalecer o comércio local e potencializar o trabalho desenvolvido pela instituição não governamental, que atua há 45 anos na promoção da cidadania e desenvolvimento humano e social no nordeste brasileiro. E a Nuvon desenvolveu todas as peças da campanha, incluindo a marca, outdoor, faixas, cartazes, panfletos, camisas e hotsite. Completando a ideia, os personagens das imagens são moradores da cidade em suas atividades diárias para que a população de Umarizal se identificassem com as peças. Assim, ressaltando a força de trabalho dos sertanejos, a campanha visa promover oportunidades locais no comércio, indústria e agricultura.

MOMENTOS DE RENOVAÇÃO

26

Camila Pitanga protagoniza mais um filme, que faz parte da nova ação de conteúdo de Rexona, chamada Movimento #Renova. Desta vez, a comunicação irá acontecer no facebook, e será divulgada na internet, TV a cabo e mídia exterior. Na campanha, a atriz convida consumidoras a compartilharem seus momentos de renovação através da fanpage da marcawww.facebook/rexonawomen. O projeto foi criado pela agência New Content e tem por objetivo engajar as consumidoras a compartilharem momentos simples do seu dia a dia que fazem com que elas se sintam renovadas, como ouvir uma música favorita, uma corrida no parque ou admirar uma paisagem maravilhosa. Camila Pitanga postará, por meio de fotos e textos, uma seleção de momentos de renovação, inspirando as fãs de Rexona a compartilharem e comentarem o que as fazem se sentir revigoradas. Esta é a quarta campanha protagonizada por Camila Pitanga para Rexona Women, que vem mostrar às consumidoras a máxima proteção oferecida pela linha feminina.


das Agências de Propaganda de Pernambuco (Sinapro – PE), o Agora é definitivo. A Lei 12.599/2012 que promove mercado publicitário ganhou muito com essa medida. “O mudanças na Condecine (contribuição para o desenvolvimenpagamento no valor de 2.380, como estava sendo pretendido to da indústria cinematográfica nacional) com o objetivo de era um grande complicador para as agências de propaganda e proteger e estimular a produção brasileira de obras audiovisupara os clientes que produzem um comercial inferior a 10 mil. ais publicitárias de baixo orçamento foi sancionada pela presiAgora, com toda segurança, essa Lei veio para dente do Brasil, Dilma Rousseff no dia 23 de tranquilizar. O mercado está feliz porque isso março. Com isso, a MP 545 se tornou lei. Agoera uma questão que precisava ser resolvida”, ra, pequenas produções de vídeo, limitadas ao afirma. custo total de R$ 10 mil, passam a recolher taxa De acordo com a Ancine, os interessade Ancine equivalente a 10% do que vinha dos em obter o benefício da redução do Condesendo praticado. cine instituído pela nova lei devem enviar à CoorO texto reduz para 10% a contribuição denação de Registro de Empresas/CRE da Anciincidente sobre a veiculação de comerciais audine certidão atualizada emitida pela junta comerovisuais com custo de produção inferior a R$ 10 cial atestando seu enquadramento como micromil desde que realizados por empresas produempresa ou empresa de pequeno porte. toras brasileiras classificadas como microemTambém foi incorporado ao texto um presa (ME) ou empresa de pequeno porte Antônio Carlos Vieira dispositivo que elimina a dupla incidência de Condecine no (EPP). Isto significa que uma obra publicitária brasileira que caso de publicidade veiculada por programadora internaciotenha custado até R$ 10 mil e que tenha sido produzida por nal. Em breve a Ancine atualizará a Instrução Normativa que uma microempresa pagará Condecine de R$ 238 para veicularegulamenta a cobrança da contribuição, criada para estimução no segmento de radiodifusão de sons e imagens, em vez lar o desenvolvimento do mercado audiovisual brasileiro por de R$ 2.380, valor incidente sobre as demais produções. meio de programas e ações diversificadas. Para Antônio Carlos Vieira, presidente do Sindicato

Fabiana Constantino

LEI 12.599 É SANCIONADA

Fabiana Constantino

ANÚNCIO DA GLOBO NORDESTE VIRA MEME A expressão meme é utilizada para descrever uma ideia ou conceito que se espalha rapidamente através da internet. E foi exatamente isso que aconteceu com o anúncio criado pela Blackninja para a Globo Nordeste em homenagem ao aniverário de Recife e Olinda. O anúncio virou meme no facebook através de vários compartilhamentos e curtidas de diferentes internautas. O usuário Jeoás Farias publicou em sua timeline a versão original da newsletter da Globo Nordeste onde continha o anúncio com a assinatura no rodapé. Já dessa publicação, foram gerados 88 compartilhamentos e 103 curtidas. Mais empolgante ainda foi a repercussão da versão editada, sem assinatura, que a usuária Juliana Preto publicou em sua timeline. Os números são impressionantes para um material que tinha um dia de tempo de vida. Foram 866 compartilhamentos. Moradores das duas cidades, pernambucanos que vivem fora e até naturais de outros estados que amam essas cidades foram os responsáveis por espalhar a arte pela rede social. “As pessoas se identificaram com o layout da peça publicitária. Como era o dia do aniversário de Recife e Olinda, a repercussão no Facebook foi grande, pois todos queriam fazer uma homenagem para as cidades irmãs”, observa Fabiana Garret, responsável pela área de comunicação no marketing da Rede Globo Nordeste. Veiculado no Diário de Pernambuco no dia 12 de março, data de aniverário de Recife e Olinda, o anúncio foi sugerido e criado pela Blackninja. A agência trabalhou em cima da tendência de fazer cartazes alusivos às cidades que tem fortes ligações como Paris e Nova York ou São Paulo e Rio de Janeiro. Foi baseada em uma série de ilustrações que contém diferenças e semelhanças entre cidades que foi feita a homenagem de Recife e Olinda sem desmerecer as diferenças e valorizando a cultura através de ícones locais históricos como o Galo da Madrugada e o Homem da Meia Noite. 27


NA WEB WWW.APOSENTEIEAGORA.COM.BR/ Sempre ligada às novidades tecnológicas, Norma da Matta é especialista e usuária apaixonada pelas mídias sociais, e foi daí que partiu a ideia de fazer um blog onde pudesse compartilhar todas as suas experiências relacionadas ao tema. Norma está aposentada há quase três anos, mas quer quebrar o estigma da palavra e mostrar que ser aposentado significa também estar ativo e antenado em tudo o que acontece no mundo offline e online. O "Aposentei, e Agora? Pirei nas mídias sociais" fala de mídias sociais para qualquer público e já é um sucesso com pessoas das mais variadas idades. Norma usa o blog parar informar e colaborar com quem gosta e quer fazer bom uso das mídias sociais, testando todas as campanhas e fazendo uma análise dinâmica, divertida e de fácil entendimento.

WWW.PORTALDOMARKETING.COM.BR/ Este portal é destinado ao estudo do marketing. Nele se encontra conteúdo relacionado a marketing, e-mail marketing, online marketing, web marketing, internet marketing, administração de empresas, liderança, psicologia, vendas, consultoria, negócios e empresas. Dispõe de um dicionário de marketing on-line para consulta aos principais termos utilizados em marketing, vendas e administração. Há também dicionário de propaganda e um dicionário de logística. O internauta também pode assistir vídeos sobre marketing, comunicação, propaganda e psicologia, ler artigos sobre os temas e procurar livros da área.

FÓRMULA 1 GANHA REVISTA ESPECIALIZADA O F1team, portal especializado no mundo da Fórmula 1, site parceiro do NE10, acaba de lançar a revista RaceF1. A publicação chega para suprir a lacuna de uma publicação especializada no assunto para que os amantes da velocidade possam acompanhar de perto os principais assuntos ligados à esta categoria do automobilismo mundial. Para quem não conhece, o conteúdo do site é formado por notícias diárias dos bastidores da fórmula 1, com tudo o que acontece no dia-a-dia dos pilotos e das equipes que compõem o cenário da principal modalidade do automobilismo mundial. Também fazem parte do acervo, a interação com o internauta, através das redes sociais, e outras atividades e oportunidades de negócios através do site. A equipe da revista, conta ainda com Vicktor Tigre, ex-repórter desta Revista PRONEWS, que já passou por vários veículos de comunicação pernambucanos. ARaceF1 veio para deixar o leitor informado sobre os detalhes do Mundial 2012 da Fórmula 1. Logo na sua primeira edição. A equipe do F1Team preparou um especial sobre todas as equipes que estão disputando o campeonato deste 28

ano. Com ele, é possível ficar por dentro de toda a expectativa gerada sobre os times e sobre os pilotos. A revista também trará uma entrevista exclusiva com o piloto da GP2 e ex-piloto reserva da Caterham, o brasileiro Luiz Razia. Neste ano, o baiano ingressará na escola de jovens pilotos da Red Bull, onde pretende seguir os passos de Sebastian Vettel. Rubens Barrichello deixou a F1, mas continua figurando entre os nomes fortes no automobilismo internacional. Ele é o personagem principal da matéria de Geraldo Lélis, que traz detalhes da ida do veterano para a Fórmula Indy, onde disputará o campeonato deste ano ao lado do compatriota Tony Kanaan. Além das notícias especiais, a RaceF1 também contará com as opiniões de três grandes nomes da imprensa brasileira. José Inácio, Julianne Cerasoli e Rafael Ligeiro trazem detalhes sobre os bastidores da F1, com um toque opinativo. Confira a primeira edição da revista RaceF1, e saiba tudo sobre o mundial 2012 da principal categoria do automobilismo mundial. Para acessar o portal e a revista viste a página: www.f1team.com.br/ f1team-lancaa-racef1/


Ele tem, pelos cálculos, uns 60 anos. Nordestino, franzino, com feições típicas do homem do sertão e voz inconfundível. Senso de humor ímpar e a capacidade de fazer piadas inigualáveis. Um verdadeiro “caba da peste”! Esse é o Mução. Apresentador do programa que leva o seu nome, ele comanda hoje o programa de maior audiência do rádio brasileiro e que completa este ano, 15 anos de muita “fuleragem” e muito sucesso. Com muita graça e piadas muitas vezes ácidas e bem pesadas, diga-se de passagem, quem está por trás do personagem de meia-idade é o potiguar radialista Rodrigo Vieira Emerenciano. Formado em publicidade e propaganda, ele é hoje, o grande sucesso do rádio. Seu programa vai ao ar de segunda a sábado das 17h às 18h. É retransmitido por 36 afiliadas, chegando a 800 cidades e atingindo a incrível marca de 20 milhões de ouvintes. Só a título de comparação, o maior produto jornalístico do país, o Jornal Nacional tem, em média, uma audiência diária de 35 milhões de telespectadores. “O Programa do Mução alavanca a audiência de qualquer emissora”, diz um dos produtores do programa. Ele já é o número 1 em São Paulo, a praça mais concorrida da América Latina e com o maior público. Mas o que diferencia o programa não são as piadas, e sim a capacidade de integrar novidade à tradição e desenvolver uma linguagem diferenciada, com certo “molho” humorístico. O diferencial de Rodrigo Vieira ou seu alter-ego Mução, é justamente a capacidade de alcançar cada ouvinte de forma amigável. O uso de suas expressões consegue ser tão natural quanto seu personagem, que se confunde e raramente é capaz de se fazer imaginar que aquele locutor está longe de ser senil. Rodrigo é nascido na cidade de Cachoeira do Sapo, no Rio Grande do Norte, não se deixa fotografar de forma alguma. Há alguns anos, criticou a repórter de uma revista de circulação nacional por divulgar sua foto (até hoje a única conhecida), o que ele chamou de “fuleragem”. Mução tem hoje a participação de seis patrocinadores, ou como ele mesmo prefere chamar “parceiros”, que anunciam suas marcas para os milhões de ouvintes no país. Os anunciantes do Hora do Mução não tem apenas sua marca divulgada como uma indicação de produto, mas se tornam parte da atração e do diálogo entre os personagens, que geralmente associam uma

música ou a leitura de uma notícia, ou até mesmo uma piada, à marca em questão. Essa associação sequencial é lógica. O ouvinte se interessa pela piada e automaticamente pelo produto. Ele ri com o que está sendo dito, e naturalmente associa a felicidade e espiritualidade do que está sendo dito ao produto. Foi assim que grandes marcas nacionais como a Honda, Tigre, Pitú, Listerine, Insinuante e Hidracor viram no “Rei da Fuleragem” uma fórmula de ouro, para transformar o humor em oportunidade. O rei das expressões nordestinas já fez uma ponta no programa Apito Final da TV Bandeirantes, hoje comanda o maior sucesso do rádio. Seu vocabulário, a Fuleirosofia, como ele próprio batizou, tem todo tipo de expressões, desde os mais conhecidos como o “Respeita a polícia!”, “Pense numa popa/numa pegada de ar!”, “Aí é bruto que só os pés da burra!”, “Esse cabra é grosso que nem cano de passar tolete” e “Parabéns pegou ar!”. Em seus quadros de pegadinhas, ele faz ligações para amigos ou parentes dos próprios ouvintes e de tamanho sucesso, deram origem a três CDs. Em seu site www.mucao.com.br o Dj Mução, também faz mixagem de grandes sucessos internacionais ao ritmo de forró. Se a risada é o melhor remédio, a fuleragem de Mução é a alma do negócio. O Programa do Mução é retransmitido por 36 afiliadas, chegando a 800 cidades e atingindo a incrível marca de 20 milhões de ouvintes

29

Carlos Prado

15 ANOS NO REINO DA FULERAGEM


FICHA TÉCNICA TIMELINE INTERATIVA A agência DMI acaba de criar uma linha do tempo completa para a campanha de comemoração dos 40 anos da Unifacs. A jornada começa em 1972 e termina em 2012, contando a história desta que é a melhor universidade particular da Bahia e que faz parte da Rede Internacional de Universidades Laureate. A ideia é mostrar que em todo este tempo a Unifacs esteve presente na vida das pessoas e de quem elas conhecem. A campanha já está no ar e o que tem impressionado os usuários é a grande quantidade de informações que tem ali. Para conhecer o aplicativo e ver o que a sua história e a da Unifacs tem em comum, acesse www.40anos.unifacs.br. Agência: DMI (BA) Cliente: Unifacs Atendimento: Milena Coelho e Emilie Oriá Planejamento: Ingrid Queiroz Direção de Criação: Rodrigo Hurtado e Ingrid Queiroz Direção de Arte: João Leonardo e Felipe Miranda Redação: Cláudia Hercog e Clarissa Motta ORIENTAL QUENTE Campanha conceitual para a divulgação do novo restaurante japonês de pratos quentes que chegou a Natal, trabalhou a fumaça como argumento de pratos quentes e a simbologia da cultura oriental. Quando se fala em restaurante japonês, logo se pensa em peixe cru. Porém criar um novo conceito de uma gastronomia japonesa de pratos quentes é tentar vencer o preconceito da moda das barcas de sushi. Foi pensando na nova e criativa culinária japonesa de pratos quentes, que vai além do salmão com bolinho de arroz, que a Carratu Publicidade criou campanha conceitual com a simbologia de ícones da cultura oriental, traduzidas em fumaça, símbolo dos pratos quentes para o restaurante Tofu. A campanha inclui outdoor, flyer, web e revista. Agência: Carratu Publicidade (RN) Cliente: Restaurante Tofu Criação: Rodrigo Amaral Redação: Maria Carolina Planejamento/Midia: Ubirajara Carratu Aprovação: Thaís Yoshimoto

CINE PE 2012. A PROFECIA CULTURAL A campanha do Cine PE deste ano já está no ar. Aproveitando as famosas profecias do fim do mundo em 2012, a Martpet criou um clima místico e misterioso para divulgar o festival. Os filmes de 15 e 30 segundos mostram um profeta dando previsões pelas ruas do Recife. Ele fala que o começo está próximo e pede para que todos sigam a luz. A campanha ainda conta com anúncios em jornais e revistas, outdoor lonado, backbus, catátolo e folder. Agência: Mart Pet (PE) Cliente: CINE PE Atendimento: Taciana Antunes, Dinara Murta, Renata Dias Direção de Criação: Diego Curvêlo, Edison Martins Redator: Diego Curvêlo, Tesse Lemos, Aida Polimeni, Cauique Johnson Direção de Arte: Almir Moura Mídia: Ana Paula Takata RTVC: Barbara Villela Produção Gráfica: Sandra Torreão Aprovação: Alfredo e Sandra Bertini

30


RESPONSABILIDADE COLETIVA A campanha nacional pela redução de acidentes de trânsito, do Ministério das Cidades, criada pela Propeg teve o objetivo de antecipar-se ao feriado prolongado da Semana Santa alertando os motoristas sobre os riscos das ultrapassagens indevidas e, com isso, reduzir o número de acidentes nas estradas brasileiras. Com o conceito “No trânsito, você é responsável pela vida de quem vai. E pela vida de quem vem” a ideia é conscientizar o motorista sobre as conseqüências das suas decisões na condução do veículo tanto para sua vida como para a dos outros. A ação é composta de filme para TV, spot, mídia exterior (painéis, taxidoor e busdoor) e internet. Agência: Propeg (BA) Cliente: Ministério das Cidades Atendimento: Janaína Almada Planejamento: Melina Romariz e Mylene Alves Criação: Maurício de Oliveira e Gustavo Simões Direção de Criação: Ana Luísa Almeida e Cláudio Leite Mídia: Cintia Magalhães, Milena Lima Produção RTV: Márcia Chini, Daniela Noronha e Henrique Ulhôa Aprovação: Marcier Trombiere, Juliana Cajado e Antônio Augusto Brentano

SOLIDARIEDADE CAI BEM A Gruponove, parceira da AACD-PE há 13 anos, assina a peça da campanha do IV Outlet solidário, promovido pela instituição filantrópica. Apostando no mote “Solidariedade cai muito bem em você”, a agência criou um novo design e cores para divulgar o evento. A campanha envolve as mídias Lona/Grid, cartazes, lâminas, Cupom (ingresso), e-mail marketing e redes sociais. O evento reúne mais de 25 grifes pernambucanas com descontos de até 70% em roupas, artigos de decoração, acessórios, bijoux, calçados, entre outros. Parte da renda arrecadada será revertida para a AACD, que cuida de crianças e adultos com deficiência física de todo Norte e Nordeste. Agência: Gruponove (PE) Cliente: AACD Atendimento: Giovanni Di Carlli e Karen Lacerda Direção de Criação: Aliwton Carvalho, Gustavo Rêgo Criação: Diego Koury, Lucas Rebouças Aprovação: José Nunes Júnior e Gabriel Dias

CRESCENDO COM VOCÊ É da Atma+Bianchi a campanha de divulgação do aniversário de 15 anos do Shopping Tacaruna, que já está no ar. As peças publicitárias destacam o forte vínculo do centro de compras com seus clientes desde 1997, quando foi inaugurado. A Atma+Bianchi aposta em anúncios de jornal, jingle e uma série de três filmes que mostra que o Tacaruna acompanha a evolução dos seus frequentadores e que eles transmitem essa relação para seus filhos. As peças gráficas também serão exibidas no mall do Tacaruna e nas suas mídias digitais, com as imagens desses clientes, em suas três fases de vida, sob o mote "Shopping Tacaruna. 15 anos crescendo com você" e a logomarca associada a um ícone alusivo aos 15 anos, que serão completados no próximo dia 29. Agência: Atma+Bianchi Comunicação ilimitada (PE) Cliente: Shopping Tacaruna Planejamento e Atendimento: Giuliano Bianchi e Juliana Cairo Criação: Sérgio Pires, André Rozowykwiat, Giuliano Bianchi, Clayton Cabral, Romeu Holanda e Nilson Lins Mídia: Breno Soares Produção gráfica: Gabrielle Medeiros Aprovação: Marcelo Tavares de Melo, Renato Tavares de Melo, Sandra Arruda e Yolanda Celeste

31


Joelli Azevedo

UMA DÉCADA DO MELHOR DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA Quatro meses depois na inauguração na capital pernambucana a Nova Brasil FM já era líder em audiência de um público apaixonado pela música popular brasileira. E é neste ano que a rádio completa 10 anos de existência em Recife. A emissora garante 24h por dia, todos os dias da semana uma música de qualidade com intervalos para informação. O sinal de programação é gerado por São Paulo para todas as outras capitais e, aqui em Recife, Isis Rodrigues junto com José Renato Filho comandam a direção comercial da Nova Brasil. Logo no inicio da rede, a Nova Brasil pertencia à rede manchete de Rádio e Televisão, porém, foi cedida para grupo Sol Panamby – que comanda a rádio até hoje. Era composta apenas pelas filiais no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, entretanto, havia um contrato em vigor com a igreja renascer até o dia 1º de Março de 2002. Com o fim do acordo com a igreja, o sinal da Nova Brasil pode ser estendido para Recife e Salvador. Com o aniversário da Nova Brasil, não só de idade, mas de sucesso, José Renato Filho, o gerente comercial da filial de Recife garante que a recepção da rádio foi devido ao estilo musical da emissora “é inovadora, pois não existia nenhuma outra emissora fazendo a programação somente com música brasileira de qualidade.” garantiu. Outros aspectos que confirmam a lealdade dos ouvintes é o fato de ter um transmissor potente evitando chiados, poucos intervalos comerciais – a emissora só transmite dois intervalos comerciais, cada um com o limite de quatro minutos, enquanto as outras emissoras têm quase 10 minutos de anúncios – e a fidelidade dos anunciantes. “Temos parceiros desde o inicio de emissora, isso significa dizer que eles estão tendo resultado com o nível de programação da rádio e também com o resultado de vendas de serviço e produtos”, afirmou José Renato. Entre os grupos patrocinadores estão a empresa de telefonia TIM e a concessionária Italiana. Ambas são sempre lembradas em prêmios de publicidade e, para a rádio, possuem valor fundamental neste resultado. Afinal, ao entrar no veículo o motorista realiza duas ações: a primeira é ligar o carro e em seguida ligar o rádio. O diretor ainda explica que os patrocinadores não mudam porque eles recebem retorno da rádio e assim como o sucesso da rádio, ele garante “que em time que ganha, não se mexe.” Mas o grande triunfo da Nova Brasil é como o produto – a música popular brasileira – é trabalhado. A emissora tem na programação desde os sucessos que fizeram história 32

na MPB, tipo Gongaguinha, Chico Buarque, Gal Costa, Maria Betânia, Tom Jobim, Elis Regina até os sucessos da indústria musical da década de 90 como Irah, Skank, Jota Quest, Pato Fu e Jorge Vercilo. Este último, de forma especial, já que o cantor procurou algum espaço para divulgar o seu trabalho na capital pernambucana. “Jorge Vercilo me ligou dizendo que recebia muitos emails de fãs pernambucanos e precisava de um lugar para se apresentar aqui. A Nova Brasil ainda não estava aqui em Recife, porém quando trouxemos a emissora para cá ele foi um dos primeiros a gostar da novidade”, disse José Renato. Assim, um detalhe importante da Nova Brasil FM é a preocupação com o ouvinte, além da seleção musical atualizada, sempre são lançadas ações promocionais junto ao mercado. E para garantir mais satisfação de novos clientes, estão sendo providenciados acordos com novas emissoras. A ideia é passar a retransmitir o sinal da Nova Brasil em outros estados do Norte/Nordeste como Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e Alagoas. Além disso, a maior vantagem é para os donos de concessões retransmitirem o sinal, já que o custo é bem menor que das rádios ao vivo. Afinal, enquanto uma rádio tem grande custo com jornalismo, operadores, comerciais a programação da Nova Brasil já vem completa.


Amândio Cardoso amandiobcardoso@hotmail.com

AS AGÊNCIAS TAMBÉM MORREM Tudo o que surge, abre, aparece, nasce e inaugura, está predestinado a um dia acabar e desaparecer. É o ciclo e a ordem natural do mundo. Há exceções, talvez as pirâmides do Egito, o planeta Terra e a AlmapBBDO, por exemplo, estão aí para provar a resistência ao tempo. Mas um dia, vão pro saco também, ou você acha que esse lindo Planeta vai durar para sempre? Ainda mais do jeito que a população mundial aumenta sem parar, junto com os seus dejetos industriais, poluindo a Terra. “Nada é eterno, tudo é sem sentido”, já diria Woody Allen. E é sem sentido mesmo. Não vejo sentido, por exemplo, alguns diretores de marketing, e clientes, continuarem trabalhando com agências de publicidade caquéticas e moribundas, que hoje oferecem um serviço antiquado, anacrônico e nada criativo. Acredito que tal “apego” ocorra, porque estas agências tem o tal “nome” que o mercado tanto prestigia e necessita para manter um status quo. Nome!? Ninguém vive de nome e muito menos do tamanho que tem, isso faz parte de uma mentalidade aristocrática, antiga e que prefere manter-se na mediocridade, em nome das aparências elitistas e provincianas. Há alguns profissionais, sobretudo, “donos” de agências, que ainda insistem em continuar à frente do dia a dia de suas empresas. Orgulhosos e prepotentes esquecem que o tempo para eles passou. Tudo porque, esses “senhores” se esqueceram, por completo, do princípio de uma atividade profissional: atualizar conhecimento. Eles envelheceram como profissionais (o que nada tem a ver com idade). Esses velhos empresários, que optaram por deitar em berço esplendido, poderiam ser mais úteis hoje como chairman de 34

suas agências. Ou seja, uma figura representativa para ser lembrada e admirada. Mas não é o que acontece. Esses “senhores”, em seus luxuosos off roads (muitos vezes até oprimem seus funcionários, talentosos e mau pagos, que carregam o trabalho da agência nas costas), são figuras ultrapassadas, típicos senhores de engenho, que nada mais entendem sobre o modelo atual de negócio, e que travam a evolução de mentalidade na empresa. São donos de agências zumbis. Agências que já morreram e não sabem. Pararam no tempo e o trabalho caducou. Estas empresas, se ainda não fecharam, podem ter a certeza, tem os dias contados. Tudo porque acham que o tempo é sinônimo de competência. Nunca foi. Já falei aqui de casos de agências que perceberam que precisavam “rever” os seus modelos de atuação e trabalho, e mudaram para resistir ao tempo. Se deram muito bem. É o que faz um dono inteligente de agência: se atualiza, bota a mão na massa, diariamente, entende que não é o dono da verdade absoluta ou, simplesmente, prefere colocar bons profissionais para representá-lo no comando da agência. Por outro lado, os que gozam de pouca inteligência, infelizmente são comandados por seus egos gigantescos, e insistem em fazer da agência a sua imagem e semelhança. E o que um dia foi algo de vantagem, com o tempo, passa a ser, na maioria dos casos, uma grande desvantagem. Ou melhor, um suicídio na gestão empresarial. O tempo é de fato cruel para tudo e para todos, mas é pior ainda para os que não querem largar o osso. Esses, logo vão acabar morrendo engasgado, antes do tempo.


AGILIDADE E QUALIDADE EM GRANDES FORMATOS Sempre a melhor impressão. É com este objetivo que a Gráfica Let's Print atua no mercado pernambucano, visando a satisfação de seus clientes. A empresa produz impressos gráficos de grandes formatos de alta qualidade, com agilidade e buscando cada vez mais a excelência no atendimento. Agora em novo endereço na Estrada de Belém, 1500 B, num espaço mais amplo, com modernas máquinas de Flávio Ribeiro impressão em alta resolução, a Let's Print é o melhor lugar para sinalização, impressão em adesivos, estruturas em metalon, banners, black ligths e plotagens de veículos, entre outros produtos. “A empresa está agora numa área bem maior, com cerca de 700m². Mudamos de endereço para ampliar ainda mais a prestação de nossos serviços. Continuamos tendo como lemas agilidade, qualidade e compromisso. As agências que já trabalham conosco sabem disso e temos condições de atender, com a excelência do atendimento, as novas demandas de clientes que estão surgindo”, destaca o proprietário da Let's Print, Flávio Ribeiro. Conhecedor do mercado e dos prazos e exigências das agências de publicidade, Ribeiro, que também é diretor

comercial da Gráfica Flamar, prioriza que para atender cada vez melhor o seu cliente, a Let's Print não para de investir. A empresa atualmente conta com impressoras digitais de grandes formatos como Prismajet de 3,2 e Mutoh de 1,6, de alta velocidade, que permitem diversas resoluções, possibilitando mais qualidade e produtividade. Uma equipe de atendimento constantemente capacidade integra a empresa que também abriu, a partir do seu site, www.letsprint.com.br, a possibilidade de orçamento online, o chamado orçamento foguete. "O cliente pode contar que terá sua resposta no menor tempo possível", acrescenta Flávio, lembrando que na sua empresa agilidade rima com qualidade. “Atender bem e ter um produto cada vez melhor faz parte do nosso cotidiano desde a venda até a entrega do que foi encomendado", frisa. Atenta a importância da responsabilidade social, a Let's Print apoia, na parte de produção gráfica, um concerto de música clássica que será realizado nos dias 03 e 04 de maio, no Teatro Santa Isabel, em benefício do Lar de Clara (instituição que atende crianças em situação de risco). Outras instituições como o Lar do Neném também já receberam apoio da Let's Print. Informações: www.letsprint.com.br

UM NOVO CIDADÃO BAIANO Uma criação conjunta da Maianga e Maria Comunicação, a campanha 'Sérgio Guerra é Cidadão Baiano' tem chamado atenção em outdoors espalhados pela cidade. Nome conhecido no mercado da propaganda, o fotógrafo e publicitário Sérgio Guerra receberá no próximo dia 20 o Título de Cidadão Baiano, na sede da Assembleia Legislativa da Bahia. A homenagem a esse pernambucano que escolheu a Bahia para trilhar sua trajetória pessoal e profissional foi proposta pelo deputado estadual Jean Fabrício. Nos três outdoors com artes diferentes ora Guerra aparece com o rosto pintado de preto, como um autêntico afrodescendente, ora em caricatura, onde os óculos de grau com armação vermelha — sua marca registrada — ganham destaque, e ainda com a pele pigmentada de vermelho, como um nativo de tribo africana. O título de uma das peças, “A Bahia sempre esteve no seu trabalho. E também na sua alma”, faz alusão ao rico trabalho fotográfico de Guerra, exibindo toda a beleza das raízes africanas do povo baiano, a exemplo

da notória Salvador Negroamor, de 2007, considerada a maior mostra fotográfica já realizada a céu aberto no mundo. A sua relação com Angola — país onde desenvolve desde 1998 um programa de comunicação para o governo — também é evidenciada na publicidade. Além de produzir programas de grande projeção no país africano, Guerra construiu um dos mais completos registros fotográficos das 18 províncias angolanas, propiciando uma série de exposições e lançamentos de livros — alguns deles pautados na relação AngolaBahia. 35


Carlos Prado

A FATIA DE R$ 38 BI DO E-COMMERCE Nos últimos seis anos, 48 milhões de brasileiros passaram a integrar a chamada classe C. São milhares de pessoas com desejo de comprar e, principalmente, com muito dinheiro pra gastar. Contudo, ainda mais impressionante é o dado divulgado pela consultoria E-bit, destacando que no ano de 2011, mais de nove milhões de consumidores da classe C fizeram sua primeira compra on line. No total, 31,7 milhões de brasileiros deixaram 18,7 bilhões de reais nas empresas online, uma variação de 26% em relação ao ano de 2010. Segundo Cristina Rother, diretora da E-bit, uma das razões para a crescente presença da classe é a possibilidade do crediário ainda mais estendido e muitas vezes mais barato. Muitas empresas de grandes redes como Casas Bahia, Magazine Luiza e Ricardo Eletro facilitaram a compra pela internet e com isso, migraram parte de sua clientela para os seus sites. Foi pensando nesse crescente público consumidor que fizeram grandes empresas aderirem a perfis em redes sócias. Uma das mais famosas é a conta @Delloutlet, da empresa de computadores americana Dell, que tem hoje em sua conta no Twitter mais de 1,5 milhões de seguidores e faturou em 2009, nove milhões de dólares, apenas em sua loja no

Twitter e no Facebook. O escritor J.L. Orihuela, editor do blog eCuaderno, e escritor do livro Mundo Twitter lembra que casos como a Dell, mesmo com o grande volume de vendas, há algo em cheque mais importante que a receita gerada, a visibilidade. E com isso a capacidade de monitorar mercados e t e n d ê n c i a s em tempo real, conversar com os clientes, e divulgar seus produtos e serviços de forma menos invasiva. Os segmentos online mais procurados em 2011 foram: eletrodomésticos; informática; saúde, produtos de beleza e medicamentos; livros e assinaturas de jornais e revistas. Mas é o recebimento no prazo, o que mais preocupa os compradores. No ano de 2011 o Procon recebeu 6.233 reclamações de atraso nas entregas de compras feitas pela internet, avarias no transporte e dificuldade na resolução com a empresa, número bem superior as 2.224 ações registradas pelo órgão de defesa do consumidor no mesmo período do ano anterior. Por essa razão, em março passado as empresas Submarino, Americanas.com e Shoptime – as três maiores do comércio eletrônico – foram proibidas, por liminar da justiça de São Paulo, de realizar qualquer venda pelo período de 72 horas e ainda foram multadas em quase dois milhões de reais.

Especializado em Direito da Comunicação, com ênfase no Direito de Imagem, Direito Autoral, Direito Trabalhista, Administração de Passivo e Recuperação de Créditos Rua Francisco Alves, 105 Sl 101, Ilha do Leite, Recife-PE. Fone: (81) 30387310


CLICK

Sabe aqueles dias em que as buzinas ensurdecedoras atormentam a alma... Em que o stress do dia-a-dia é tão comum que a taquicardia é constante... Em que os pequenos e especiais momentos da vida são fatidicamente perdidos... Momentos como um abraço amigo... Uma palavra de encorajamento... Um beijo no filho... Nestes dias cada vez mais “comuns” e “normais”, procuro me transportar para aquela cadeira no quintal... Cadeira por tantos almejada... Cadeira que me deixa confuso por não saber se ela complementa a praia ou se a praia a complementa... Cadeira onde posso esquecer a “normalidade absurdamente enlouquecedora” do dia-a-dia e na qual posso repousar, simplesmente contemplando o mar! CÂMERA: Nikon D7000 MODELO: DSLR TEMPO DE EXPOSIÇÃO: 1/800seg

ISO: 200 DISTÂNCIA FOCAL: 48mm ABERTURA: f/11

Carlos Júnior canascimentojunior@gmail.com

CONTEMPLANDO O MAR...


EU RECOMENDO

MARKETING PESSOAL NO CONTEXTO PÓS-MODERNO, de Claudio Rizzo, 120 páginas, Trevisan Editora De maneira direta, divertida e, por vezes, metafórica, o autor destaca o marketing pessoal como uma ferramenta essencial. Para Rizzo, o profissional pós-moderno deve extrair o máximo de suas qualidades e competências, tornando-se um empreendedor ao criar, ousar, inovar em cada uma de suas atividades. O livro Marketing Pessoal remete ao verdadeiro conceito de marketing aplicado para o produto pessoa. Insere a mesma numa arena de negócios capitalista, consumista e totalmente imersa no ambiente pós-moderno. Mostra dissimulações, galhofas sociais, situações inusitadas de cunho até sem graça, mas com o intuito de provocar uma constante reflexão. É uma obra polêmica que desnuda o ser humano e observa a composição de uma arquitetura de valores sociais e morais que devem compor o perfil de uma pessoa realmente competitiva num mundo em constante mutação. O JOGO DAS VENDAS, de Clovis Tavares, 200 páginas, Editora Saraiva O Jogo das Vendas, de Clovis Tavares, é um livro sobre vendas, porém com a abordagem bem diferente do convencional. Com foco nos diversos tipos de clientes e não apenas nas técnicas de vendas, o autor apresenta uma ferramenta fácil e divertida para o profissional de vendas lidar com seus clientes. O livro traz seis cartões destacáveis similares às cartas de baralho e cada um deles apresenta um perfil diferente de cliente. Com isso, a cada atendimento que o profissional de vendas fizer, ele terá a possibilidade de conhecer melhor o perfil, a necessidade e o potencial de cada cliente, aumentando, assim, sua carteira de clientes e também os lucros da empresa. EXCELÊNCIA EM LIDERANÇA PARA TI, de Graham Waller, George Hallenbeck e Karen Rubenstrunk, 232 páginas, M. Books Editora Este novo livro de Liderança da M. Books mostra como líderes nas áreas de tecnologia devem proceder para gerenciar, motivar e conduzir pessoas com o objetivo de entregar resultados. Através de sete habilidades substanciadas por depoimentos de CIOs e Executivos de TI, os autores mostram como fazê-lo com sucesso. Recheado de histórias e depoimentos facilita a compreensão aos leitores. Liderança é fundamental na área de TI. MANUAL DA EMPRESA RICA, de Luiz Bersou, 240 páginas, Trevisan Editora Empresários no Brasil sempre tiveram que conviver com escassez de recursos financeiros para sustentar o crescimento de seus negócios. O uso de recursos financeiros sempre drenou energias das empresas ao contrário do que acontece em outros países. Esse livro é inovador e provocador ao apresentar opções para construir a riqueza nas empresas dos leitores que se dispõem a ler e aplicar os tópicos nos negócios em que estão inseridos. A busca da perpetuidade das empresas, sustentabilidade, inovação sistêmica, ética, educação e felicidade é parte integrante do sistema econômico em que estamos envolvidos. A base de tudo isso, como sempre, é a capacidade de realização. A Trevisan Editora apresenta esse livro com a satisfação de disseminar conteúdo da mais alta importância para o mundo dos negócios, onde o Brasil deve se apresentar como ator principal em um cenário de desafios e oportunidades diversas.

38



Revista pronews145