Issuu on Google+

REVISTA

DINÂMICA | MODERNA | REGIONAL | CRIATIVA CARUARU 2012 | JANEIRO E FEVEREIRO | NÚMERO 7 | R$ 4,90

Se Deus é

brasileiro

Jesus é

pernambucano Após 10 anos o personagem volta a ser interpretado por um prata da casa. O ator Zé Barbosa está pronto para assumir o papel principal no maior espetáculo ao ar livre do mundo

Eleição 2012 Diogo Cantarelli confirma a intenção de ser candidato a prefeito

+

Leis que poderiam mudar a sua vida e nunca saíram do papel


2

Janeiro e Fevereiro


3

Janeiro e Fevereiro


a revista Os verdes querem mais espaço para o PV em 2012

| 27

Conheça a trajetória de Zé Barbosa, que se preparou para asssumir o papel de Jesus Cristo no Teatro de Nova Jerusalém

| 14 OPINIÃO Sobre homens e ratos. Por Arnaldo Dantas

Em Caruaru, Leis aprovadas na Câmara e sancionadas pelo prefeito só servem para mofar nas prateleiras.

| 20 | 35

| 10

Conheça a história da Mulher da Sombrinha, que se transformou no principal bloco de carnaval do interior

Diogo Cantarelli não teme tradição e vai ser candidato a prefeito de Caruaru

| 21 Especialistas apresentam dicas de como fazer o macarrão instantãneo nosso de cada dia

42 |


expediente MÁRIO Flávio editor

mario@revistaconteudo.com.br

RENATA Torres repórter PAULO Roberto LEONARDO Lima fotojornalismo JOHNNY Pequeno jornalismo visual COLUNISTAS ARNALDO Dantas CONCEIÇÃO Ricarte DIEGO Cintra GUSTAVO Galvão JACIARA Fernandes NATHÁLIA Mello COLABORAÇÃO CARLOS Plácido FALE CONOSCO (81)97426662 PUBLICIDADE JONATHAN Aleixo (81)98740715 jonathan @revistaconteudo.com.br JORNALISMO conteudorevista@gmail.com ON LINE TWITTER: @rconteudo CNPJ 14.315.749/0001-32

Rua Marcionilo Francisco da Silva, Empresarial São José Bairro Universitário nº 201, 1º andar, sala 105 Imagem de capa Fábio Jordão Tiragem: 3000 exemplares Impressão: Gráfica Moura Ramos

5

Janeiro e Fevereiro


aos leitores A segurança em pauta em 2012

+A -A

Mário Flávio Lima Editor

©Vladimir Barreto/ Secom CMC ©Leonardo Lima/ Conteúdo Imagem e Divulgação

O

ano de 2012 começa com muito debate, principalmente sobre as eleições municipais, a serem realizadas no mês de outubro. Um tema deve fazer parte da agenda dos candidatos: a falta de segurança. Só no primeiro dia do ano, três pessoas foram assassinadas na Capital do Agreste, todas com indícios de forte violência, com a execução sendo a hipótese mais provável para os três crimes, segundo a polícia. Com esse saldo no primeiro dia do ano, a população deve cobrar dos políticos e coligações, a inclusão de programas efetivos no combate a violência. Não basta apenas entrar no discurso que esse tipo de obrigação é apenas do governo de Pernambuco. Tal situação deve ser encarada pelo município e ter participação direta, mesmo que seja em parceria com as esferas estadual e federal. Foram três pessoas que perderam a vida e famílias destruídas. O que dizer nesse momento? Os planos de governo dos candidatos devem passar do campo das ideias e do marketing. É necessário que os mesmos contenham soluções para que o povo sinta a segurança presente. Em sua mais recente visita, o governador Eduardo Campos esteve em Caruaru e disse que a imprensa deveria fiscalizar a saúde. Mas temos que ir mais além, cobrar programas que realmente não sejam meramente ilustrativos e que de nada servirão para os mais de 314 mil habitantes, que vivem hoje na Capital do Forró. Os dados nos dois primeiros meses do ano servemd como alerta para que os políticos possam debater a segurança de forma séria. Não cabe mais a promessa pela promessa. O município vive uma série de investimentos, cresce mais que o Estado, mas faltam ações que garantam a segurança do cidadão. Claro, algo já foi feito, mas ainda estamos longe do ideal, e para que o município siga com toda essa pujança, precisamos de programas eficazes, é o que esperamos das coligações, quando o assunto é segurança pública. Vamos cobrar. Mas em relação a edição Janeiro/Fevereiro, iremos abordar os mais variados assuntos. A reportagem de capa apresenta o ator Zé Barbosa, que vai encenar o Cristo no espetáculo de Nova Jerusalém. No campo da política uma entrevista com o pré-candidato a prefeito Diogo Cantarelli, que confirma a intenção de disputar a prefeitura. Ainda fizemos uma análise sobre a situação do PV no Agreste e como as Leis aprovadadas na Câmara não saem do papel. Você vai conhecer ainda a história da Mulher da Sombrinha, que anima o carnaval de Catende e como fazer um bom miojo. Um leque de notícias para todos os gostos. Uma boa leitura.


(WEB( DEU NA

COMEMORAÇÃO A oposição municipal deve comemorar 1 ano da demolição da velha Praça do Rosário; 2 anos da demolição da passagem molhada do Riachão e 3 anos da retirada das barracas da Av. Rui Barbosa!

+

@WolneY_Queiroz

SOLIDÁRIO Nesse momento desejo ao vice-governador, João Lyra, felicidade e sucesso nessa cirurgia, que ele se recupere o mais breve possível. Vamos pedir a Deus que o ajude nesse momento difícil.

+

@TonyGel25

PESQUISA O empate técnico da pesquisa é preocupante, cabe o fortalecimento da frente popular, e vemos tempo hábil para isso, já que 14% não opinaram em nenhum dos nomes, isso mostra um debate mais amplo. @Licius65

ÉTICA

+

Acabo de ler num perfil do face: “Preferencia política: CENTRO. Adoro a esquerda caruaruense que está no bloco político de tony e miriam”

+

@osoriochalegre

PSD O PSD foi criado no fim do ano passado e nunca sentamos para debater espaço, mas vamos sentar com Queiroz e teremos duas garantias: a primeira que os nossos vereadores terão um tratamento a altura da importância que eles têm. Em segundo lugar, se vamos estar nas ruas ao lado de Queiroz, numa eventual vitória iremos compor o governo.

+

André de Paula, Presidente da Executiva estadual do PSD

www.blogdomarioflavio.com.br

POSTANDO POR AÍ A Prefeitura de Caruaru insiste em defender que o COMUT encontra-se desativado. O SINDECC, que é integrante deste conselho, pergunta o seguinte: Qual foi o ato administrativo que revogou o COMUT? A quem interessa o não funcionamento do COMUT? Aos usuários do transporte coletivo de Caruaru é que não é. Milton Manoel - Presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Caruaru, Entidade integrante do COMUT. www.sindecc.blogspot.com Lamento o episódio ocorrido na madrugada da última segunda-feira e peço desculpas publicamente, reiterando a importância do trabalho realizado pela Operação Lei Seca e da atuação dos agentes envolvidos. Isaltino Nascimento - secretário de Transportes de PE www.blogdomarioflavio.com.br


opinião de conteúdo Vamos lá. Continuem assim e muito sucesso a todos. Todos ganhamos com isso. Aproveito a oportunidade para lhes desejar um Feliz e abençoado Natal e Um Ano Novo cheio de saúde, paz, e que o sucesso continue lhes seguindo, pois é sempre esse o resultado das pessoas que trabalham com garra, com vontade de acertar e sobretudo com comprometimento. Abracemos pois 2012 com muita fé, acreditando que será um ano de grande CONTEÚDO na vida de todos que buscam e fazem do simples o diferente !!! Abração a todos. Fiquem com Deus. Juliene

(

Juliene Maria Secretária

ERRAMOS Na Boa Conversa da 5ª edição, o nome da entrevistada, a cientista Perpétua Dantas não apareceu na introdução da matéria

Estive vendo o “conteúdo” da revista. Está de parabéns pelo belo material. Imagino o trabalho pra colocar edições desse nível nas bancas. Final de ano estarei na terrinha. Quem sabe nos encontremos para um papo.

O futuro do jornalismo está no regional. As pessoas querem ler o que faz parte do dia-a-dia local. Essa revista (Conteúdo) não deve em nada às revistas produzidas no sul do país Cléo Niceias Jornalista

nº 5

(

A Revista Conteúdo vem se consolidando na comunicação caruaruense por trazer uma nova abordagem visual e editorial em relação aos fatos que marcaram o mês durante o seu período de produção. A escolha de um personagem especial para cada edição, análise da política local e sua inovação no projeto gráfico ajudam a agregar valor ao jornalismo da região e traz uma nova opção para os amantes de uma leitura aprofundada como o veículo revista oferece.

(

Vinícius Gomes Jornalista Divulgação

(

Fabiano Morais Jornalista

Edição


painel

LEIS importantes

que nunca saíram do

papel

ão ainda n 9 0 0 2 de em e datam que colocam u q s a d ciona aru, o nicipal Leis san adas em Caru legislação mu da fetiv ossam foram e o a fiscalização as Leis p orar e u ã q t s m e o elh qu er c eis ou m vo é faz lávio Legislati s podem criar L cia por várias r e d o P Mário F e r ên nções do l, que em evid rlamenta

U

a a is fu já esteve çamentária Anu ão. Os p principa populaç r ção que a ma das O a u i d it e s a L , id a a i Cas rav disso, fo do). sões da melhora exemplo é Queiroz (PDT s próprios verea . s Comis a m n U s . a a r Z m lo ão tu o e ç la it p la algu is s fe u g a e p e r d o L pelo p is cria atual a da p e s a id L a n v it s s e a a e c n d e z a e o v das açã prim ira sente endas, to sunto é a efetiv stá, de fato, pre liado em a atual m a e e s d ia e r s u á e a or ho d ses, q ndo o sofreu v o ferren ra em vig s io Mene nto, qua ser crític de algun Legislatu o petista Rogér a No enta a u te d r o a s a s p a m r p u o , é h p z n s o e o ir te n it e pe se Qu man vido res res, qua res recla s do governo Zé e têm o de vereado o o n s ã a o n xecutivo d s s o e r m ir U entre o E res têm ereado o v is prime ã o ç s d la “o s e : r o o e n vez a eread linha mou qu ais uma que os v o enle já afir xeque m cebe-se r imbrógli os e m gestão. E prefeitura”. p O e , . a s o c o d d ú lo o ta te d c n n s e o a r s e C c d pela jetos ia o apre Menes setores s que sã nto feito os os pro nte. ação de e d to m m je to la o ta c r te e n p n r a A um lev uita ge aticame ática os tivo. Em e ano, pr orar a vida de m ar em pr o Legisla ência para coloc a em 2009. Ness lh e m eriam eç flu pouca in e prefeitura com l. Alguns até pod e a r p a a p m tre Câ íram do is não sa pelos ed

10

Janeiro e Fevereiro


QUE S O T E J O PR

POR AÍ S O M I V O AINDA NÃ etsenes s s e ó n e M m e io r g.é D Ror mbate à DE D rtazes de co PROJETOS ows, xação de ca a a afi casa de sh e determin scentes em le o ad e Projeto qu s ntra criança am bebidas violência co is que vend ca lo em e empresas

s RErSre Rô ÔT a T l A u L U L L DE OJETOS

venção e ipal de Pre ência; ic n u M a lesc Seman ez na Ado o a Gravid ã cais, para ç lo ta s n o e d ri a O etermin d m e cientes; s e ia d ar aos fi cães gu d e ju d a o is ã m ç a a ss municipa Coloc smos po as escolas n que os me ru a ru a eC do Hino d Entoação

PR

es e snes e M s e n o e i M r é io ér gg Roo e OJETOS DE R

PR

©Paulo Roberto/ Conteúdo Imagem ©Vladimir Barreto/ SECOM CMC

mina qu o, que deter ri á u it e c e ceitas Lei do R digitar as re em ev d s o ic escolas os méd de lixo nas va ti le se ta Cole nsino nicipal de E da Rede Mu

Em maio de 2009 o próprio Rogério Meneses apresentou o projeto da Lei do Receituário. O documento determina que os médicos devem digitar as receitas, o que nunca foi feito, já que não existe a fiscalização por parte da prefeitura. Enquanto isso, todas as vezes que vamos ao médico, saímos com as garranchas, para decifrar nas farmácias. Considerado um dos mais fieis vereadores da base do prefeito José Queiroz, o vereador Lula Tôrres (PR) é um dos que mais apresenta projetos, no entanto, na prática, quase nenhum chega ao povo de Caruaru. No segundo semestre de 2009, o republicano apresentou três projetos interessantes: um criou a Semana Municipal de Prevenção e Orientação a Gravidez na Adolescência; outro determina a colocação de cães guias em determinados locais, para que os mesmos possam ajudar aos deficientes; e um terceiro lembra as aulas de Educação Moral e Cívica, já que Lula pediu que o Hino de Caruaru seja entoado todos os dias nas escolas municipais. Todos fo-

11

ram aprovados e sancionados pelo prefeito, mas nenhum funciona na prática. Outro vereador que apresenta bons projetos é o Dr. Demóstenes (PSD). Ele criou o projeto que determina a afixação de cartazes em casa de shows, empresas e em locais que vendam bebidas. O conteúdo faria um alerta sobre a violência contra crianças e adolescentes. Projeto aprovado, sancionado, mas na prática... Em 2010 e 2011 a situação se repete. Projetos que mudariam a realidade de muita gente ficam apenas em exposição no site da Casa Jornalista José Carlos Florêncio. Como exemplo, podemos citar o projeto que obriga o município a fazer coleta seletiva de lixo nas escolas da Rede Municipal de Ensino. A lei de autoria de Rogério Meneses é uma utopia. A situação é diferente quando os Projetos são enviados pelo Chefe do Executivo. Todos saem do papel, principalmente A Lei que criou a DESTRA mesmo, já foi alterada cinco vezes e a fiscalização da prefeitura é feita a risca.

Janeiro e Fevereiro


LEIS

julho

sancionadas

Em julho de 2010, 21 Leis foram sancionadas; 17 foram nomes de ruas, avenidas etc; 1 autoriza a contratação de empreiteiras; 1 alterou o valor do Vale Refeição; 1 autoriza o crédito especial para o Projovem;

em 2010

junho

janeiro

3 Projetos de Lei foram aprovados. Todos com nomes de ruas, praças. Avenidas, etc

fevereiro

Não houve Leis Sancionadas

março

19 Leis foram sancionadas. Destes, 16 foram nomes de rua. 1 de sinalização tátil nos prédios públicos (Rogério Meneses); Conteúdo nas Escolas públicas sobre a violência contra a mulher (Laura Gomes); Lei de Acessibilidade (Rogério Meneses)

abril

19 Leis foram sancionadas. Destas, 7 foram nomes de ruas; 1 criou o Dia Municipal do trânsito (autoria de Tony Gel); criou o Dia Municipal da Valorização da Natureza (Tony Gel); criou o Conselho da Mulher; criou o Centro de Referência da Mulher; doou terreno para a Compesa; pediu a isenção da Taxa de Concursos públicos para pessoas de baixa renda; contribuição mensal para a AMUPE; 1 doou materiais para a PJPS; 1 criou incentivos fiscais para o Programa Minha Casa, minha Vida; 1 instituiu medidas preventivas no combate de zoonoses

maio

24 Leis foram sancionadas; Destas 15 foram nomes de ruas. Creches. Praças etc. 1 reajustou o salário do coordenador do APE – CAA; 1 Criou a licença para a doação de medula óssea no âmbito municipal (Demóstenes Veras); 1 criou o programa de combate ao vandalismo no âmbito municipal (Rogério Mneses); 1 determinou a preservação de mausoléus no cemitério São Roque e Palácio Episcopal; 1 proibiu o uso das pulseira do sexo em Caruaru (Rogério Meneses); 1 criou o programa PPP em Caruaru; 1 isenção fiscal para a ALNOR; 1 transformou em cargos de professores regentes os professores I; 1 criou a semana de prevenção ao alcoolismo (Lula Tôrres)

12 Leis foram sancionadas. Destas, 5 foram nomes de ruas ou avenidas; 1 criou a Zona Azul; 1 Criou cargos na Secretaria de Saúde; 1 criou o Dia Municipal do Consciência ambiental (Tony gel); 1 antecipou o feriado de 18 de maio; 1 efetivou os agentes de endemias; 1 obrigou o município a fazer coleta seletiva de lixo (Rogério Meneses); 1 obrigou as academias de musculação a colocar cartazes explicando os perigos dos anabolizantes (Demóstenes Veras)

12

Janeiro e Fevereiro


agosto

Relevância

9 Leis foram sancionadas. Destas, 1 determina a afixação de cartazes em casa de shows, empresas Lan house, sobre os crimes conta crianças (Lula Tôrres); 1 sobre os critérios para instalar uma retransmissora de comunicação; 1 sobre avisos nos estabelecimentos que vendem água mineral (Rogério Meneses); 1 sobre o tempo máximo de espera no atendimento em serviço público (Demóstenes Veras); 1 programa de apoio psicológico nas escolas da rede municipal de ensino (Lula Tôrres); 1 prioriza o atendimento as pessoas acima de 60 anos nos processos da PMC (Demóstenes Veras); 1 determina que o São João de Caruaru é patrimônio cultural e imaterial de Caruaru (Lula Tôrres)

A maioria dos Projetos de Leis criados pelos vereadores diz respeito a nome de ruas. Pode parecer irrelevante, mas é fundamental para as pessoas nas localidades, que ainda não têm a estrutura de bairros urbanizados. Para que uma carta ou conta chegue pelo correio, por exemplo, o fato só se consolida, quando o local tem um nome definido por um Projeto de Lei na Câmara. Diante de tal situação, muitos políticos acabam por não querer mais ser vereador. A atual legislatura recuperou a imagem da Casa, mas muitos não têm mais o interesse de legislar em âmbito municipal. Deste Legislativo, cinco ou seis vereadores eleitos em 2008 não farão mais parte da Casa em 2013. Tony Gel e Laura Gomes, que foram eleitos deputados estaduais; Rogério Meneses, transferiu o domicílio eleitoral para a cidade de Imaculada, na Paraíba, onde vai concorrer à prefeitura; Diogo Cantarelli e Lícius Cavalcanti, ambos têm a intenção de disputar à majoritária; e Adolfo José, que afirma veementemente, não querer disputar mais uma vaga na Câmara.

setembro

20 Projetos foram sancionados. Destes, 19 foram nomes de ruas, avenidas etc; 1 institui a Semana Municipal de Proteção aos Animais (Lícius Cavalcanti)

outubro

5 Leis foram sancionadas; 1 Autorizou a PMC a firmar convênio com a Associação Comercial de São Paulo; 1 criou a Comissão Julgadora da Destra; 1 alterou a Lei da Destra; 1 criou cargo comissionado na URB; 1 alterou a redação de uma Lei

novembro

Em novembro de 2010, 32 Leis foram sancionadas. Destas, 27 foram nomes de ruas, praças; 2 novas redação foram dadas a Leis pela Comissão de Leis da Câmara; 1 criou a Semana Municipal da Bíblia (Zé Carlos do Sindicato); 1 criou a Lei de Licença ambiental; 1 altera a Lei da JARI

dezembro

Em dezembro de 2010 15 Leis foram sancionadas. Destas, 5 foram nomes de ruas; 1 intiuiu o PRAVERDE; 1 Apresentou o Plano Purianual; 1 redação de Lei foi alterada; 1 apresentou a Receita e despesa da PMC para 2011; 1 criou a semana municipal do livro; 2 tornaram associações Utilidades públicas; 1 criou e disciplina os Transportes alternativos; 1 altera a Lei da Destra.

13

Janeiro e Fevereiro

O que a prefeitura diz Enquanto os vereadores cobram a efetivação de leis aprovadas e sancionadas, a prefeitura tem uma explicação oficial, simples e ríspida sobre essas reivindicações. Segundo o secretário de Comunicação Aquiles Lopes, quem deve se preocupar com leis é somente a Câmara Municipal. - Quem tem que fiscalizar as leis são os próprios vereadores, a prefeitura tem apenas a função de fazer cumprir o que está exposto por elas - explicou o jornalista. No entanto, a Câmara afirma que a fiscalização deve ser da prefeitura, cabendo à Casa apenas melhorar a redação. No meio dos dois poderes está a população, que deveria ser a maior beneficiada com as Leis aprovadas na Câmara e sancionadas pelo prefeito Zé Queiroz. (C)


painel onso Ildef ues ig Rodr

elo c r a M es igu

Rodr

ro

a

s Feito

o expressã r io a m r te síveis PV pode com pos 2 1 0 2 s em endente p e d in s ura candidat

P

ara as eleições municipais de 2012, o Partido Verde procura semear uma estrutura política consistente nos municípios de Pernambuco. Para atingir esse objetivo, serão necessárias articulações regionais por todo o estado. No agreste pernambucano, a interiorização do PV está sendo encabeçada por Alessandro Feitosa, que até dezembro de 2011 comandava a comissão provisória do partido em Caruaru. Escolhido como coordenador regional do PV durante o encontro da Executiva Estadual em 10 de dezembro, A missão de Alessandro é discutir com os representantes verdes em cada município a construção de propostas de governo viáveis: - Entendo que cada município, tem suas particularidades e devemos procurar soluções viáveis para os problemas locais, sempre buscando a sustentabilidade e a qualidade de vida da população. Apesar disso, o próprio Alessandro vai se candidatar a vereador apoiando a Frente Popular, em uma possível chapa de candidatura de Zé Queiroz pela reeleição em Caruaru.

e t n e m a Politic Johnny Pequeno verdes

Enquanto isso, Marcelo Rodrigues, atual secretário de Meio Ambiente do Recife, estuda como viabilizar sua pré-candidatura também à prefeitura de Caruaru. Uma das estratégias de Marcelo nesse sentido foi retomar a presidência da comissão provisória do partido, já que ele havia tirado licença para assumir o cargo na prefeitura do Recife, deixando o partido nas mãos de Alessandro. Com isso, Marcelo tenta afastar o PV da proposta de apoiar a Frente em Caruaru, a fim de lançar-se candidato de forma independente, mas não é essa a ideia de Alessandro Feitosa; o que gerou especulações de atritos entre os dois verdes, embora os mesmos neguem qualquer tipo de desentendimento, uma vez que o próprio Alessandro disse respeitar a postulação de Marcelo. Este pleito, contudo, pode encontrar resistências nas próprias intenções de voto da população. Em pesquisa divulgada pelo Instituto Exatta no início deste ano colocou Rodrigues com apenas 2% de votos. Mas ele acredita em uma guinada: - Após o término do carnaval, quando Marina Silva e outras liderenças do partido apresentarem a minha pré-can-

14

Janeiro e Fevereiro

didatura, a gente vai atrair as pessoas indecisas - projetou. Com o mesmo espírito de candidatura própria estão os verdistas Manassés Simões, em Santa Cruz de Capibaribe, e Ildefonso Rodrigues, em São Caetano. O primeiro quer empurrar uma terceira via no polo de confecções do agreste, contra os Boca Pretas - representados hoje por Edson Vieira (PSDB) - e os Taboquinhas - representados pelo deputado Zé Augusto Maia (PTB). Já Ildefonso não é de São Caetano, mas já mora há muitos anos na cidade e tem se destacado entre os caciques locais, como o prefeito Jadiel Braga (PTB) e seu adversário, o ex-deputado Esmeraldo Santos (PP). Em comum, Ildefonso e Manassés compartilham o fato de já terem recebido propostas para comporem as chapas tradicionais em cada cidade. No entanto, tanto um quanto o outro dizem querer seguir as orientações da Executiva Estadual e ser independentes. Na verdade, Ildefonso já havia conversado com o vice-governador Joã Lyra (PDT), em busca de apoio. O desafio, como em Caruaru, é superar o estigma de um pleito incipiente fazendo frente a grupos políticos que reúnem apoio em nível local e estadual. (C)

©Bira Nunes/ ATA Solução Empresarial e Divulgação

sand

Ales

s assé Man s e Simõ


( ( pano rama

DIEGO CINTRA é advogado e professor universitário

A POPULAÇÃO PRECISA SER OUVIDA PARA PROVOCAR ATUAÇÃO DOS OUTROS PODERES

Envie sugestões para o panorama dicintra@msn.com

Crise no Judiciário

E

mbora 2011 tenha parecido ter passado rápido pra muita gente, tem um assunto que sugere que o ano está demorando até demais: as crises políticas e institucionais. Faltando apenas 2 semanas para saudarmos o novo ano que se aproxima eis que fomos mais uma vez “presentados” com atos nada salutares para nossa querida nação. Desta vez a “surpresinha” veio da cúpula do Poder Judiciário. No dia 19 de janeiro, às vésperas do recesso de fim de ano, o ministro Ricardo Lewandowski, do STF, concedeu uma liminar suspendendo os poderes de investigação da Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) no que diz respeito às investigações patrimoniais de membros do Poder Judiciário. Segundo a corregedora Eliana Calmon o trabalho já vinha sendo feito há mais de 04 anos em vários estados brasileiros, possuindo inclusive regulamentação por parte de alguns tribunais estaduais. A averiguação de recebimento de verbas ilícitas dentro do judiciário até então serviu um propósito essencial de toda e qualquer República que se entenda Nesse sentido, é fácil perceber que a medida determinada pela Suprema Corte aproxima-se perigosamente da consolidação da macambúzia imagem do Judiciário enquanto instituição avessa à transparência e detentora de privilégios. A crise já é tida como uma das piores da República atual desde a instalação da CPI do Judiciário, em 1999. E não é pra menos. Desde a constituinte de 1988 o Brasil vive a esperança de contar com instituições dignas do Selo Republicano (de coisa pública) numa nação onde o povo seja de fato reconhecido como único detentor do poder legítimo. Se assim fosse, medidas que operassem a favor da transparência e da prestação de contas deveriam ser as primeiras a receber o apoio do comando de qualquer instância. Acontece que só é assim no papel. O que vemos na realidade institucional do país são poderes que se digladiam para dar a maior mordida no bolo de riquezas produzidas pelo povo, que, enquanto recebe R$ 545,00 de salário mínimo, sustenta “urubus de paletó”. Tudo isso sangrado pela mesma chibata que escraviza cada cidadão por 04 meses ao longo do ano para que possa pagar a corveia de nossos tempos. Que dessa vez o açoite deixe mais do que uma marca de reflexão. Não basta esperar sentado o avanço da democracia, é preciso levantar-se e exigir o que é justo e de direito para nossa sociedade. A criação do CNJ foi uma conquista marcante e o órgão se tornou um aliado da luta democrática ao iniciar o controle sobre o Judiciário, que desde 1988 não via suas prerrogativas questionadas. A corregedoria do CNJ colaborou para revelar os “bandidos de toga”, no dizer das palavras da própria Eliana Calmon, que se alojam na coluna do sistema e se acham acima das leis – e com razão, já que juiz não é preso no Brasil, no máximo é penalizado com uma aposentadoria proporcional (o que evidentemente está mais para um prêmio que para uma pena). Agora o órgão se vê ameaçado por uma canetada corporativista a se tornar um gabinete de meras estatísticas. Mais perigoso ainda, a liminar de Lewandowski pode provocar a extinção de mais de 2.500 processos em tramitação no CNJ, colocando pra baixo do tapete uma sujeira varrida ao longo de 04 anos. A população precisa ser ouvida e provocar uma atuação por parte dos outros poderes, seja através da política seja através do Direito. No entanto, cientes da qualidade do socorro que podemos esperar, só nos sobra a esperança de que o ano novo purifique a alma e a intenção daqueles que lidam com a coisa pública. (C)

15

Janeiro e Fevereiro


frases Negociamos com coerência e bom senso, em busca de uma proposta de valorização salarial que seja ideal para todos

Danilo Soares Diretor regional do SIMEPE

“O PDT tem o vice-governador. Fruto de articulação política para mantê-lo no cargo. Temos o presidente da Assembleia Legislativa, Isso não é viver à sombra de outros partidos. Temos ainda três deputados estaduais, 107 vereadores e dois deputados federais”

Zé Queiroz Presidente do PDT

© Leonardo Lima/ Conteúdo Imagm © Vladimir Barreto/ SECOM CMC e Reprodução TV Jornal

O problema

“O PSD pode até lançar, se preciso for, nomes fortes para a disputa ao legislativo municipal: o médico Valter Ferraz, o empresário e ex-presidente do Sindloja, Manoel Santos ou, mesmo, Clóvis Lucena, dentre outros. Temos bons nomes para indicar” Adolfo José Presid. do PSD em Caruaru

é tão sério no HRA, que fomos orientados pelo diretor médico a procurar o Ministério Público. Diante da gravidade, o Conselho votou e decidiu por unanimidade entrar com uma ação civil pública, para que possamos pedir ajuda imediata a essas pessoas, que estão faz 30 ou 40 dias esperando pelo procedimento cirúrgico. Pedimos ajuda a Frente Contra a Privatização da Saúde em Pernambuco. Silvia Viviane - Presid. do Conselho Gestor do HRA

16

Janeiro e Fevereiro


“Não tem mais ‘carteirada’. A Lei Seca é para todos e tem que ser seguida pelo governador, pelo secretário, pelo coronel, pelo cidadão, pelo mais jovem e pelo mais velho”. Governador Eduardo Campos sobre o vexame do secretário Isaltino Nascimento

“Não podemos viver no ‘vender votos’ para garantir um dinheiro sujo. Não podemos achar que a política é assim mesmo e não tem mais jeito. Tem jeito sim. Basta que queiramos estar mais presentes em todos os momentos em que tiverem discutindo sobre projetos para nossa cidade. Helisson Ferreira Colunista do Blog do Mário Flávio

“O meu nome ter sido lembrado na pesquisa Exatta me deixa muito envaidecida, mas reitero o meu apoio à reeleição do prefeito Zé Queiroz. Em time que se ganha não se mexe”

Laura Gomes Sec. Estadual de Ressocialização

17

Janeiro e Fevereiro


Um espaço para debater as questões do Direito brasileiro

gustavohcg@hotmail.com

PLANO DE SAÚDE II

Q

ual o usuário de plano de saúde que nunca esperou semanas ou meses pelo agendamento de uma consulta? Em nossa região, e dependendo da especialidade médica, a espera por uma consulta através de plano de saúde pode levar meses, ao passo que a consulta particular sairia de forma imediata. Para combater esta realidade a Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS editou a Resolução Normativa (RN) n. 259, de junho de 2011, que entrou em vigor apenas em 19 de dezembro de 2011. Esta Resolução Normativa estabelece prazos mínimos de atendimento médico para os usuários de plano de saúde, bem como sanções administrativas em caso de descumprimento, e ainda regulou a inexistência ou indisponibilidade de prestador de serviço integrante da rede assistencial no município ou região. A RN, em seu art. 3º, estabeleceu os seguintes prazos para que as operadoras de plano de saúde garantam o atendimento integral aos seus usuários: para consulta básica - pediatria, clínica médica, cirurgia geral, ginecologia e obstetrícia, e os procedimentos realizados em consultório com cirurgião-dentista: em até 7 dias úteis; fonoaudiólogo, nutricionista, psicólogo, terapeuta ocupacional, fisioterapeuta, serviços de diagnóstico e terapia em regime ambulatorial e atendimento em regime de hospital-dia: no prazo máximo de 10 dias úteis; consulta nas demais especialidades médicas: em até 14 dias úteis; serviços de diagnóstico por laboratório de análises clínicas em regime ambulatorial: em até 3 dias úteis; e procedimentos de alta complexidade – PAC e atendimento em regime de internação eletiva: em até 21 dias úteis. O cumprimento das novas regras dependerá do credenciamento de mais clínicas, médicos, hospitais e laboratórios, para que os usuários tenham acesso ao beneficio do prazo em todas as especialidades. E caso não haja o profissional dentro da especialidade solicitada pelo consumidor, a ANS poderá impor sanções administrativas à operadora, bem como deverá o plano custear o atendimento necessitado pelo seu beneficiário fora da rede credenciada, ainda que em outro município, acertando diretamente com o profissional ou através do reembolso integral do consumidor, no prazo de até trinta dias, contado da data da solicitação, incluindo as despesas com transporte. Por fim, se a operadora descumprir os prazos determinados, o consumidor lesado poderá procurar seus direitos na Justiça, sem prejuízo das reclamações junto à ANS para que sejam tomadas as sanções administrativas cabíveis. (C)

( ( questão de direito

+S O

QUAL O USUÁRIO DE PLANO DE SAÚDE QUE NUNCA ESPEROU SEMANAS PELO AGENDAMENTO?

GUSTAVO GALVÃO é mestrando em Direito Intenacional e professor universitário

18

Janeiro e Fevereiro


19

Janeiro e Fevereiro


Para falar sobre política arnaldo.dantas@ig.com.br

isso...

SOBRE HOMENS E RATOS

S

ir Francis Drake (1540 – 1596), uma lenda de seu tempo. Precursor do Poderio naval da Inglaterra. Notabilizou-se pela sua ousadia ao desafiar e vencer a superpotência do século XVI, o Império Espanhol de Felipe II. Recebeu ainda em vida a admiração do povo inglês e o respeito, carinho e afeto da Rainha “virgem” Elizabeth I (1533 - 1603). Indagado certo dia por sua Rainha: o que mais temia como capitão ao cruzar os oceanos e a conhecer povos e regiões tão estranhas e inóspitas? Ele respondeu de forma serena: um verdadeiro Capitão não teme as tempestades, as calmarias, a precariedade das longas viagens e muito menos o poder de fogo do inimigo. O maior fracasso e desonra de um capitão é quando seus subordinados não acatam as ordens de seus superiores, questionam e conspiram contra sua autoridade, e o mais desastroso, é quando seu navio naufraga por imprudência ou imperícia de seus tripulantes. O medo de complôs, conspirações, sedições e traição ou um simples “deslize” e desvio de conduta de seus subordinados, perturba a mente do governante. Eles sabem por instinto que ao longo de toda a história as chamadas conspirações palacianas foram e tiveram mais sucesso na alternância de poder que muitas batalhas e guerras (ou eleições). O exercício do poder exige que o bom governante mantenha um olho atento no inimigo e outro ainda mais nos amigos. Afinal de contas os inimigos são fáceis de conhecer e pode-se combater por métodos e estratégias racionais, o difícil é conhecer quem são os amigos e principalmente os aliados. O poder é fugaz, a temporalidade corrói os mitos. “O líder”, não convive com os simples mortais, não está no mesmo plano Astral. Mas seu crepúsculo ocorre quando sua divindade é revelada (desnuda). Quando se mostra, como qualquer ser humano, frágil, falível e mortal. Neste momento, basta qualquer sinal de vacilo, insegurança, fraqueza, erro ou uma simples queda na pesquisa, para que se crie o clima e o ambiente ideal para as delações e traições Os conspiradores são todos àqueles que em algum momento se acharam traídos, em seus princípios (“éticos’, financeiros, profissional...).. Qualquer mudança no contexto político pode transformar em um pequeno lapso de tempo um reles bajulador desqualificado em hábil e potente conspirador. O que se chama fogo amigo, nos dias de hoje, já teve vários nomes, denominações e significados no passado. Porque quem o conduz conhece a liturgia do poder, Conhece na intimidade e até nas minúcias os pontos fracos dos governantes, sabe de seus segredos, caprichos e pecados, pois compartilham a mesma mesa e muitas vezes escritórios, ga-

20

(

enquanto

ARNALDO DANTAS Analista Político e Professor Universitário

binetes e até a cama. Eles são quem fornece à logística bélica à oposição, que por pequena que seja, pode penetrar no castelo pelos seus alicerceis e destruir suas muralhas e torres, apropria-se do trono e conquistar todo reino. Na contemporaneidade, os nossos governantes perderam a intuição de Drake, não sabem gerenciar um governo como capitão comandava um navio. E muitos perderam o controle sobre seus imediatos, ao lotear ministérios ou secretarias. Permitiram que qualquer luz sobre a penumbra, revelasse o caos em que administrativo Público se encontra. Francis Drakes nos ensinou, que ao se programar uma longa viagem, deve-se observar nos mínimos detalhes a estrutura do os navios, deve-se cuidar dos mantimentos, ter homens capacitados, imediatos, competentes e a cima de tudo, deve-se exterminar os ratos. Os ratos talvez sejam no reino animais os seres mais espertos e oportunistas, pois sabem com precisão a hora de embarcar e são os primeiros a deixarem o navio quando esse vai a pique. Só com transparência administrativa e participação popular na gestão pública, se evita que os “ratos” dominem os Homens, e toda sociedade, mesmos que alguns governantes não saibam a diferença entre eles. (C)

Janeiro e Fevereiro


boa conversa

Diogo

Cantarelli

N

o segundo mandato de vereador, o tucano roubou a cena da oposição em Caruaru. Após três anos de intensos debates na Câmara, ele bate o pé e diz que vai disputar a prefeitura pelo PSDB. Nessa entrevista, Cantarelli diz não temer os adversários de peso e explica como ele pretende conquistar a confiança dos caruaruenses. Ele ainda analisa a situação política em Caruaru e mostra quais os motivos que o levam a manter a pré-candidatura.

Mário Flávio

21

Janeiro e Fevereiro


Chegamos ao ano eleitoral, muito se debateu qual será o seu papel na eleição. O senhor mantem a sua pré-candidatura a prefeito de Caruaru? Quero deixar bem claro que a pré-candidatura não é minha, é do partido. O PSDB tem tido a sensibilidade de ver os municípios, assim como Caruaru, do estado de Pernambuco e no país, a importância de se trazer novas discussões através de novos nomes, e é isso que o PSDB está fazendo em Caruaru, é isso que a gente vai fazer agora em 2012, trazer novas propostas, novos nomes, porque a população tem sentido a necessidade de renovar quadros, e é isso que o PSDB vem fazendo nacionalmemte e não vai ser diferente aqui em Caruaru. O deputado Tony Gel (DEM) afirma que o senhor e um quadro importante, mas que enquanto a sua pré-candidatura for mantida, não existe conversa. Vocês sempre foram aliados, mas hoje existe uma distância entre o senhor e o grupo liderado por Tony Gel? Não! Tony Gel sempre foi uma liderança no município e eu respeito, mas o fato de ele ser uma liderança não impede que outras novas surjam. A gente esta com uma discussão muito mais ampla aqui em Caruaru. Sobre a cidade, estamos debatendo com alguns partidos e a ideia da gente é justamente democratizar essas discussões. Se nós fizermos uma análise, iremos ver que nos últimos 20 ou 30 anos em Caruaru, não se tem uma discussão, não se tem uma administração em que a população possa interferir no debate, no diálogo. E essa é a proposta da gente, inclusive estou aberto para conversar com Tony Gel, ou com qualquer outro político, ou com qualquer outra liderança em Caruaru, não para discutir questões partidárias, mas sim para o que é importante para Caruaru, e essa é a proposta da gente. Respeito muito a Tony Gel, a opinião dele, acho que ele tem todo o direito de dizer o que sente, mas já quero dizer que penso diferente, e se existe uma pré-candidatura do PSDB, o partido vai lançar essa pré-candidatura em um sentido mais amplo, com diálogo, com as discussões, debate, e é isso que a gente tem que propor. O senhor tem fortes influências com o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra e com o líder do partido na Câmara, deputado Bruno Araújo. Essas lideranças dão suporte a sua pré-candidatura? Não só suporte como apoio. Pernambuco hoje se destaca principalmente no PSDB, o maior partido de oposição no país. Temos um partido ativo, que tem mostrado trabalho, tem cobrado, trazido resultados do governo federal, e não vai ser diferente em Caruaru, então Pernambuco se destaca por ter grandes lideranças, o presidente nacional do PSDB é um pernambucano, o deputado Sérgio Guerra, temos agora o líder da bancada do PSDB na câmara federal, o deputado Bruno Araú-

22

Janeiro e Fevereiro


A tradição da política em Caruaru é a polarização. Certa vez, o saudoso João Lyra Filho disse que em Caruaru ou a pessoa era charque ou carne do sol. O senhor teme enfrentar essa questão cultural? Não. Até porque as pesquisas revelam a necessidade do novo. Basta sair pelas ruas, nos bairros, nas comunidades e na zona rural, em todo canto o debate é a mudança. Eu tenho sentido a vontade da população em mudar quadros, em trazer novos nomes, e os nomes que estão sendo apresentados pelos grupos antigos não são novos, a gente sabe da importância de se tentar de alguma forma não flexibilizar a administração do município, mas acima de tudo, renovar. E é isso que a gente está querendo fazer, trazer uma roupagem nova, uma forma de administrar Caruaru, uma gestão mais moderna, mais objetiva, acima de tudo mais participativa, a gente quer mostrar a população que ela é importante nesse contexto, precisamos levar para a população de Caruaru as discussões para que ela também decida o que vai fazer com o município. É isso que a gente vai trazer para o debate, é preciso renovar quadros, mas precisamos trazer novos nomes e a população tem sido parte disso, basta andar nas ruas que você vai sentir, que a população tem pedido, aclamado novos nomes, essa é a proposta que a gente vem trazendo, não nomes tradicionais, que já foram importantes para Caruaru, e a gente sabe que é importante que se oxigene o poder, e é dentro dessa oxigenação, que a gente vai tentar propor ideias novas.

“Nunca fui homem de barganha, o que a gente quer é realmente trazer propostas para fazer com que Caruaru evolua. A Capital do Agreste tem um potencial que poucos municípios têm, um potencial turístico muito forte, nossa ideia é fortalecer esse quadro”.

Então a sua pré-candidatura não é para barganhar e o senhor ficar com a vaga de vice na chapa de Miriam Lacerda? De forma alguma. A nossa pré-candidatura é pensando em Caruaru, não é pensando em mim, nunca fui homem de barganha, nem nunca serei,

23

Janeiro e Fevereiro

© Paulo Roberto/ Conteúdo Imagem

jo, e que nós sempre apoiamos, desde a época em que ele era deputado estadual, então não só eles apoiam, como têm dado condição para que a gente toque essa ideia. O PSDB tem essa ideia de lançar uma candidatura em vários municípios no país e Caruaru se encaixa nessa ideia, o PSDB tem essa ideia de lançar candidatura nos maiores municípios do país, também teremos candidatos novos, pelo menos em 400 municípios do Brasil, teremos o apoio efetivo do PSDB, para que fortaleça, crie uma musculatura. Caruaru está dentro desse contexto. Então, a gente tem tido total apoio e quero aqui agradecer não só ao Sérgio Guerra e Bruno, mas do próprio PSDB em si, que tem apoiado bem a pré-candidatura da gente e vestido a camisa.


o que a gente quer é realmente trazer propostas para fazer com que Caruaru evolua. Caruaru tem um potencial que poucos municípios têm, um potencial turístico muito forte. Caruaru hoje é um pólo industrial, tem um pólo turístico importantíssimo, tem o maior polo médico do interior de Pernambuco, e estamos fazendo parte do segundo maior pólo de confecção do país. Caruaru está muito longe administrativamente do que é, e do que pode se tornar, então a gente vai trazer num contexto geral, essas discursões para fazer de Caruaru uma cidade a altura do que ela merece ser.

© Paulo Roberto/ Conteúdo Imagem

O presidente do PSDB, Sérgio Guerra, tem um bom relacionamento com o governador Eduardo Campos, fala-se até em o PSDB ingressar à situação, caso isso aconteça, o senhor entraria na base do governo e pediria voto para o prefeito Zé Queiroz? Olhe, a questão do PSDB é lançar candidaturas, agora composições a gente não pode chegar aqui e dizer que existirão. Respeito muito o prefeito Zé Queiroz, mas compor uma base de um prefeito que não está sendo bom para o município? Eu sou cidadão, pra mim não interessa, Zé Queiroz mostrou nesses últimos três anos que não tem sido um prefeito a altura de Caruaru, então para eu comungar com um governo que não tem funcionado é muito difícil, não quero discutir, eu quero propor, e isso Zé Queiroz não faz. Olhe o exemplo do orçamento participativo, que é um instrumento importantíssimo, para que se tenha uma noção das necessidades reais do município. São três anos de governo e de promessas e Zé Queiroz nada fez, não implantou o orçamento, para mim é um dos melhores instrumentos para a administração do município, então para você comungar com um governo que não tem sido bom para a população de Caruaru é difícil. Prefiro lançar novas propostas, para que a gente renove quadros em Caruaru.

A situação diz que o senhor faz pirotecnia, principaplmente com ações na Câmara com a exibição de vídeos e protestos, como foi o caso da Vila do Forró. O senhor concorda com isso? Graças ao trabalho da oposição, Caruaru não está um caos, fizemos nossas críticas mas de forma propositiva. Caruaru passa por uma fase delicada, de indefinições, de abandono administrativo e muitos dos resultados da atual administração se deram às nossas denúncias, a exemplo do PSF da Boa Vista I e II, dos ônibus doados pelo Governo Federal, da reconstrução da Avenida Brasil, do acesso do Distrito Industrial, das discussões da feira, da retomada das obras da BR 104, dentre tantas outras conquistas. Vamos continuar com nosso trabalho, de forma altiva, participativa e transparente.

Diogo diz que a população clama por mudança e que a oposição vai reverter a situação contra a atual gestão

Após uma legislatura conturbada o senhor conseguiu a reeleição e hoje vive o melhor momento na Câmara municipal, como analisa a situação? Isso é natural da maturidade. A gente vai amadurecendo com o passar do tempo. Eu tive uma história política muito diferente dos outros, sendo político muito cedo, então não tive uma base, muito pelo contrário, também tive a oportunidade de aprender na prática, isso fez com que a gente fosse amadurecendo e evoluindo, não só para o parlamento, mas administrativamente. Nós já tínhamos uma experiência muito boa na área administrativa, e essa área a gente não teve a oportunidade de implantar aqui na Câmara, mas a gente vai ter outras oportunidades, então a maturidade veio com o tempo, nesses últimos sete anos, passei na Câmara aprendi o bastante e me sinto preparado para novos desafios.

24

Janeiro e Fevereiro


A oposição passa por um momento delicado em Caruaru. O prefeito Zé Queiroz conta com o apoio do governador Eduardo Campos, da presidenta Dilma e de ampla maioria na Casa Jornalista José Carlos Florêncio. É possível reverter a situação? Muito pelo contrário, vejo no dia a dia o povo aclamando a mudança, a renovação de quadros. Precisamos reverter é a forma de administrar nosso município, com dinâmica e mais objetivo, trazendo mais resultados para a população de nossa cidade.

a certeza, PSDB e PCdoB caminharão juntos em busca da mudança e do crescimento de nossa cidade. Mas quem iria abrir mão de encabeçar a chapa majoritária? As parcerias existem no campo do diálogo e da democracia, em busca do que for melhor para Caruaru. Tenho certeza que nosso grupo irá apresentar, de forma consensual, o melhor nome para gerir nosso município. Qual o maior desafio para 2012? Fazer uma eleição limpa e propositiva, o povo não aguenta mais eleições com baixarias, regadas de promessas mentirosas e eleitoreiras. Temos que discutir Caruaru de forma direcionada, com lisura, em busca do crescimento social e econômico, e do bem estar de nossa população. (C)

O senhor ensaia uma possível aliança com o presidente da Câmara, vereador Lícius Cavalcanti. Seria possível a união entre PSDB e PCdoB? Lícius tem sido um grande parceiro, comunga dos mesmos pensamentos que eu tenho, sente que Caruaru precisa do tratamento que lhe é merecido. Pode ter

25

Janeiro e Fevereiro


26

Janeiro e Fevereiro


(

especial

(

© Fábio Jordão/ Cortesia

O Cristo Zé Barbosa

O novo mártir da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém é pernambucano, não é ator global, nem galã de novela, mas passou os últimos quatro anos se preparando para interpretar o personagem mais importante do maior espetáculo ao ar livre do mundo

Johnny Pequeno 27

Janeiro e Fevereiro


O novo Cristo completa 33 anos em 2012 e diz ter conseguido amadurecer nos últimos anos para encarnar o papel

© Leonardo Lima/ Conteúdo Imagem

O

nome dele é Zé Barbosa, ator provavelmente pouco conhecido em comparação aos galãs de novela que costumam aparecer na Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, no distrito de Fazenda Nova, em Brejo da Madre de Deus, Pernambuco. No entanto é ele que vai interpretar o Jesus do espetáculo deste ano. E ele tem a ver com o papel? Bom, primeiro ele completa 33 anos em 2012, a mesma idade do nazareno relatada durante o episódio da Paixão na Biblía e ainda tem os cabelos, as feições e o porte físico do Jesus descrito na bíblia. São as características arianas, às quais estamos acostumados a ver retratadas artisticamente. Mas, além disso, desde 2009 que Zé vinha assumindo o papel substituto de Jesus no espetáculo e daí se pode tirar a experiência que ele tem ganhado para interpretar o messias nos últimos quatro anos. - Este é um momento muito importante para minha carreira, porque estão depositando uma confiança tremenda em mim e, além disso, eu também carrego a responsabilidade de que um pernambucano interprete o papel principal depois de 10 anos - explica Barbosa. Saído de Limoeiro com pouco mais de 20 anos, Zé se

28

mudou para Recife, onde começou a realizar trabalhos para o teatro. Também fez alguns trabalhos para a TV e em 2009 chegou a Nova Jerusalém como contratado, depois de seu trabalho ser conhecido pelos produtores da Paixão de Cristo, após conheceram sua interpretação de Cristo em Paudalho, em 2008. Ele então foi escolhido para o stand-in, subsituto dos atores que intepretam Jesus. Mesmo sem aparecer, o reserva precisa encarnar completamente o papel do titular, saber todas as falas, marcações, como se movimentar, de onde para onde, porque no momento em que o personagem principal fica fora de cena, por algum motivo, entra o stand-in, para segurar as pontas. Foi isso que aconteceu com Zé em 2010. Um ano antes, ele havia fez o stand-in de Murilo Rosa e não houve problema, mas naquele ano, ele era o substituto de Eriberto Leão, que precisou receber um prêmio da Rede Globo e por isso se ausentou durante a temporada. Quando Zé assumiu Jesus por um dia, ele estava preocupado com a reação do público, mas ao final, segurou as pontas e talvez essa tenha sido uma espécie de prova de fogo para ser elencado como o novo Cristo em 2012.

Janeiro e Fevereiro


Zé Barbosa durante preparação para cena de tortura no calvário. Segundo o o ator, esse processo demora um bom tempo e requer concentração e disposição para repetições e condicionamento físico

Preparação No dia em que esta reportagem foi produzida, Zé Barbosa e o restante da equipe de produção da peça, incluindo outros atores, figurantes, produtores, cenógrafos, cinegrafistas e fotógrafos, já pareciam estar a todo o vapor. O dia havia sido de várias gravações para montar os clipes de divulgação do comercial na TV. São aqueles vídeos que todo ano, depois da Quarta-feira de Cinzas, começam a ser veiculados, apresentando algumas cenas da Paixão, como o calvário, a traição de Judas, Cristo sendo tentado pelo Diabo, Jesus reunido com os discípulos na Santa Ceia etc., e que, como explica o diretor de criação do espetáculo, Paulo de Tarso, “novamente se apresentam como se fossem trailers, com uma visão cinematográfica da história”. E lá estava Zé em um dos camarins do teatro, deitado em uma cama, sendo maquiado até parecer que havia sido dilacerado pelos chicotes dos centuriões romanos. O processo levou mais de meia hora e depois ele se juntou ao elenco de apoio para fazer a cena da tortura durante a condenação. E daí, já pelas 15h, era ajustar iluminação, posicionar câmeras, esperar o ângulo certo do sol, para não ficar escondido entre as nuvens e atrapalhar a gravação e então começar as tomadas. Então vinha Paulo de Tarso orientar como o centurião devia açoitar Jesus e com qual intensidade deveria demonstrar violência. Enquanto isso, Zé, ora em pé, ora de joelhos, procurava representar a dor verossímil de um homem que é chicoteado e humilhado antes de ser crucificado. Isso tudo em apenas uma gravação de clipe de uma das cenas da Paixão. Para Zé Barbosa, um processo que significa muita preparação: - Esse é um papel que requer condicionamento pra que os atores tenham disposição de se locomoverem de um cenário para o outro em um ambiente grandioso, sem falar que é preciso estar com a aparência ideal para representar o papel, eu precisei emagrecer para ficar adequado ao espetáculo. No entanto, além da preparação física, Zé parece se preocupar mais em conseguir transmitir ao público a imagem de Jesus, que apesar da faceta divina retratada na Bília, também figura como um indivíduo passível do sofrimento: - É uma honra, um privilégio e um desafio, por isso que nos últimos quatro anos eu venho me preparando. E para isso fiz pesquisas documentais, li os evengelhos, estudei intepretações de outros atores, a fim de desenvolver uma personagem com a qual o público se identifique e isso pra mim significa apresentar um Jesus humano - salienta.

- Como stand-in, é preciso estar inteiramente ligado ao papel, e naquele dia eu fique nervoso, mas respirei fundo, rezei e percebi que aquela era uma chance de demonstrar tudo que eu tinha aprendido durante esse período em que comecei a fazer parte do elenco - lembra Barbosa. Ele também comentou que o diretor da peça, Carlos Reis, já havia conversado com ele, ainda em 2008, sobre a vontade de inserir um pernambucano no papel principal. Segundo Zé, Reis queria que ele fosse esse pernambucano. Na verdade, Carlos Reis, também pernambucano, já havia representado Jesus, de 1969 a 1977, antes dele, quem detinha o papel era Luiz Mendonça, da família de Plínio Pacheco, fundador da Nova Jerusalém, de 1951 a 1968. Além desses dois, houve apenas outros dois cristos genuinamente regionais: José Pimentel, de 1978 a 1996 e Marcelo Valente, de 2000 a 2002. Pelas palavras de Robinson Pacheco, produtor do espetáculo, a escolha de Zé Barbosa era uma necessidade. - A grande novidade é esse jovem ator que já comprovou sua competência. Estamos resgatando o papel para um pernambucano, o que já estava nos planos para os 45 anos do espetáculo.

29

Janeiro e Fevereiro


© Leonardo Lima/ Conteúdo Imagem

Espetáculo 2012 Indagado sobre a diferença entre atuar em um ambiente fechado e num teatro ao ar livre, Zé Barbosa se mostra encantado com a estrutura atual de Nova Jerusalém. - Bom, não se trata apenas de um teatro aberto, mas é “o” Teatro ao ar livre, o maior espaço deste tipo no mundo, que atrai uma multidão todos os anos, então estar aqui é algo que inspira e ao mesmo tempo pode intimidar, porque ficamos ansiosos quanto à receptividade do público. De fato, o ator se refere a uma estrutura que foi planejada durante 45 anos. Atualmente, o local conta com uma área de 100 mil m², em um ambiente árido, que chega a lembrar a região descrita como a Judeia. Além disso, a estrutura da cidade de pedra é envolta em 3,5 km de muralhas de 4m de altura e contém torres de 7m espalhadas pela cidade cenográfica, que também hospeda os visitantes na Pousada da Paixão. Em 2012, essa estrutura conhecida pelo público ganha algumas alterações, como explica Robinson Pacheco:

- A temporada da Paixão em 2012 vem com um elenco renovado e jovem de grandes talentos, há mudanças na iluminação e figurino. Em destaque, teremos uma nova entrada para o público, dando acesso à área frontal, para que o público passe por dentro dos jardins da pousada até chegar ao cenário do Jardins da Montanha. Ainda de acordo com Robinson, a procura pelo espetáculo este ano começou mais cedo. Uusários têm acessado o portal da Paixão (www. novajerusalem.com.br) desde novembro de 2011. Pacheco também explica que tanto o representante comercial do espetáculo, Luck Viagens, quanto a CVC Turismo, já informaram que há um relevante número de pessoas, que estão entrando em contato para reservar excursões a Fazenda Nova. Jesus, Madalena e Globais Em 2012, o elenco principal traz os globais Caco Ciocler, como Judas, Mouhamed Harfouch, como Herodes, Larissa Maciel como Maria e Ellen Rouche no papel de Herodíades. Ao lado deles, entretanto, tem outra pernambucana em um papel de des-

30

Janeiro e Fevereiro

Na preparação do Cristo, Zé cita que é preciso expressar muito sentimento para representar a dor de Jesus no espetáculo


taque este ano. Wilma Gomese já foi Miss Pernambuco em 2007 e ficou em 4º lugar como finalista do Miss Brasil. Mas agora, sua beleza vai se confundir com a de Maria Madalena, acompanhando Zé Barbosa. - É um prazer poder participar dessa história da qual já faço parte há cinco anos. O interessante do papel, que é tão importante quanto o de Maria ou Jesus, é que ela tem uma relação muito forte de gratidão e carinho com Cristo - explica Wilma. Ela diz que sua personagem permite a interação de vários sentimentos de transformação e redenção da Madalena. Ela e Zé Barbosa partilham também de uma opinião parecida. Eles acreditam que não há uma barreira grande entre atores da região e nacionais. - Eu consegui desenvolver uma boa relação com a maioria dos atores que veio do sudeste, assim como troquei boas experiências com os atores de quem fiz stand-in. Mais importante do que se preocupar com a região ou status do ator que vai intepretar Jesus, é a nossa preparação e o esforço para que consigamos nos identificar com o público - explica Zé Barbosa, que se diz pronto para viver uma Paixão humana e pernambucana. (C)

O detalhe é que, além de Zé Barbosa, outro papel de destaque fica por conta de uma pernambucana, trata-se de Wilma Gomes, que já foi Miss Pernambuco em 2007 e vai interpretar Maria Madalena e promete uma relação forte de proximidade e gratidão com a personagem de Jesus Cristo na Paixão

Cristos de Pernambuco

Luiz

Mendonça

1951 a 1968

Carlos Reis

1969 a 1977

José Pimentel 1978 a 1996

Marcelo Valente 2000 a 2002

31

Janeiro e Fevereiro


( (

NATHÁLIA MELLO Publicitária e produtora de moda

sempre na moda

Para falar sobre as últimas tendências nathaliamello1703@gmail.com

MISTURAR ESTAMPAS FICA UM CHARME

Q

ue o xadrez é item sempre presente na moda todos Xadrez já sabem. Mas a novidade é a profusão da padronagem vichy nos looks de verão das mais variadas Seja no litoral do Nordeste ou ate mesmo do verão na Rivierapraias. francesa, a padronagem é presença garantida

em vestidos, bolsas de praia e acessórios. A estampa vichy recebeu este nome por causa da cidade francesa homônima, famosa por fabricar o xadrez composto por duas cores. A padronagem caiu nas graças do publico (e da moda) quando Brigitte Bardot escolheu se casar na década de 50 com um vestido de vichy branco e rosa, fora do comum e original. Os quadrados bicolores atribuem às produções um ar chique e descontraído, e surgem como opção para quem quer dar um upgrade na antiga saída de praia. O combo camisa vichy + biquíni branco é infalível e totalmente atual. Marcas como D&G e Miu Miu apostaram no Vichy nas coleções Resort 2012, e trouxeram a proposta do mix xadrez e floral, provando que misturar estampas fica um charme e pode dar super certo.

Divulgação

O

s slippers se tornaram muito populares entre os estudantes americanos na década rs se de 50, fãs do estilo college. Voltando para Os slippe os dias de hoje, os slippers são febre na aram febre Europa, e estão por toda parte, nas revistas interna- torn cionais, preview de verão e nos pés das celebridades. Depois de “roubarmos” do armário masculino os sapatos oxford, as calças boyfriend e a moda estilo militar, os slippers surgem como mais um exemplo de artigo masculino que se encaixou perfeitamente para as mulheres, podendo aparecer em diversos materiais e texturas, animal print e ate mesmo com aplicações de verniz, tachas e cores vibrantes. Tendência que não vem de hoje, os slippers confirmam a tese de que na moda tudo pode se reinventar. Algumas marcas brasileiras como a Schutz, Corello e Zara já oferecem as suas versões de slippers, que funcionam bem quando associado a shorts, saias de comprimento mini ou até mesmo longas. (C)

32

Janeiro e Fevereiro

fashion


Envie suas sugestões para #hashtag cecyricarte@gmail.com

A Luíza e o Meme

(

#hashtag

A

coluna desta edição é sobre um dos assuntos mais badalados do início do ano: a Luiza, uma estudante que estava no Canadá quando sua família gravou um comercial sobre um empreendimento imobiliário na Paraíba. Inacreditavelmente, o bordão “Menos Luiza, que está no Canadá” ganhou as mídias sociais e até a TV. A jovem se tornou celebridade instantânea... tudo isso graças ao meme. Mas você sabe o que é isso?! Criado em 1976 por Richard Dawkins, um meme é uma unidade de informação que se propaga de mente em mente. O termo, popularizado na internet, é uma referência às pessoas, vídeos, imagens ou qualquer outro arquivo que traga consigo uma ideia ou conceito que se populariza entre centenas de pessoas. Alguns exemplos comuns de memes utilizados na internet são os chamados “memefaces”. Desenhos que ganharam vida própria ao expressar facilmente e de forma humorada, situações reconhecidas por todos nós. Em comum, eles exploram a caricatura. E são nessas caricaturas do cotidiano que reside um dos segredos do porquê alguns assuntos se tornam facilmente replicáveis e outros não: o riso. Para o filósofo francês Henri Bergson, o riso tem o objetivo de destacar o que há de automático e estereotipado no comportamento das pessoas. Em suma, o risível é algo que foge do nosso padrão de comportamento habitual. Ainda segundo o filósofo, o humor é um espelho deformante que nos faz rir porque exagera nossos próprios defeitos. Aplicando esse conceito ao “Menos a Luiza, que está no Canadá”, conseguimos perceber no comercial que originou o bordão, aspectos caricatos. A sentença evidencia a imagem caricata de família burguesa recomendando um empreendimento. Ela causa o riso e transmite em si o ápice do estereótipo. Conceitos à parte o assunto ganhou espaço até nos meios tradicionais. Para o bem e para o mal. Para descontrair e criticar. Quem tá certo ou errado eu não sei, mas quem tá sabendo aproveitar a oportunidade é a Luiza, que deixou os estudos no Canadá para curtir o embalo da fama repentina. E essa é apenas uma simples demonstração do poder das redes sociais... e ainda há quem acredite que isso é modismo e vai passar. Será?!

CONCEIÇÃO RICARTE Jornalista, com pós graduação em assessoria de imprensa e chefe de reportagem na Rádio Cultura

UI... A LUIZA FICOU FAMOSA PORQUE TAVA NO CANADÁ...

Divulgação

(C)

34

Janeiro e Fevereiro


dia a dia A cidade de Catende, Mata Sul de Pernambuco, se rende à festa que transforma a Princesinha dos Canaviais na Capital do Frevo no Estado Paulo Roberto

Do mistério

à folia

E

35

m todo Carnaval a cidade de Catende se transforma. Tudo para receber a Mulher da Sombrinha, que em 2012 entra na 29ª edição. A partir de meia noite, a figura folclórica deixa o cemitério para fazer a alegria de milhares de foliões, que se amontoam nas estreitas ruas da Princesinha dos Canaviais. O trio será comandado mais uma pelo cantor e compositor, Marcos Catende, que é autor da música em homenagem ao bloco. Ele e um grupo de catendenses irão animar a festa. Para explicar como surgiu a lenda, a Revista Conteúdo vai fazer um passeio na história... ...Tudo começou na loja Santo Antônio, na antiga Praça de Sant`Anna, que hoje é o Pátio de Eventos da cidade. No início da década de 1980, o local teve que passar por uma pequena reforma, com isso, a cada noite, um trabalhador teria que dormir por lá. O problema começou quando chegou a vez de Tomires Cordeiro, ele tinha medo, devido a uma história que, para contar, teremos que voltar aos anos 30.

Janeiro e Fevereiro


História

Existia

36

O início da festa Voltando ao início da década de 1980... A loja Santo Antônio passou por uma reforma. O empreendimento era do pai de um famoso dentista da cidade, Jorge Benjamim, a loja estava sem porta. Sendo assim, toda noite o vigilante recebia a companhia de um dos funcionários, entre eles Tomires Cordeiro. Jorge Benjamin sempre brincava com o grupo e dizia: “Cuidado com a Mulher da Sombrinha”, a brincadeira tinha como alvo Tomires, que morria de medo. Foi a partir dessa resenha, que surgiu a ideia de fazer um bloco, relembra Tomires. - Tudo começou na quarta feira (9) para na sexta feira (11) sair, isso foi planejado dentro da loja, mas a boneca foi feita na casa de Inácio - relembra Tomires. O grupo de amigos, composto por Jorge Benjamim, Inácio Loiola, Sílvio “Fi” Melo, Irmão Vinho, Tomires Cordeiro e Nêgo Menca irmão de Doutor fundaram o maior bloco carnavalesco do interior de Pernambuco, que de início foi puxado por uma orquestra de apenas três componentes, Vicente Tavares no pistom, Bili no surdo e Nerinha no tarol, acompanhados por 20 pessoas, dentre elas as mulheres: Bel, Tânia, Tiêta, Luciana, Leca, Sônia, Tata, Iracema, Dilma Fernandes, todas travestidas de operárias, portando uma garrafa térmica com suplemento, para animar a noite dos foliões. O escolhido para carregar a boneca foi justamente Tomires Barbosa: - Na sexta feira eu parti para os engenhos, fiz as entregas da loja, cheguei muito tarde, na hora do sorteio combinaram assim, quem for o sortudo segura, sendo que só colocaram o meu nome, certamente porque eu morria de medo - relembra saudosista.

Janeiro e Fevereiro

© Paul Roberto/ Conteúdo Imagem © Arquivo Eduardo Menezes

na Usina Catende a fábrica de Cachaça ‘Chica Boa’, que ficava na rua Bela Aurora. Para trabalhar no local existiam algumas regras, Uma delas dizia o seguinte: no fim do expediente da noite, por volta de 23h, os homens teriam que deixar as mulheres em casa, como explica Fátima Colaço, filha de uma das possíveis vítimas da Mulher da Sombrinha: - Dando preferência aos trabalhadores que moravam no outro lado da Usina, em locais como Siqueira, Pavão, Ouricuri e outros arruados e vilas da época, para só assim na volta, poder levar as pessoas da cidade - conta ela, que cresceu ouvindo essa história. Segundo a lenda, certa noite, os trabalhadores chegaram na estação, que desde aquela época ficava em frente da Usina, encontraram uma mulher escultural com uma sombrinha. - Ela usava um vestido de cor branca puxando para cinza, decorado com flores pequenas e ninguém conseguia ver o rosto, mas dava para ver que ela usava um lenço na cabeça, deixando o cabelo solto atrás, de cintura bem fina, a saia do vestido no meio da canela, dando para ver o ‘mocotó’ da moça, que estava descalça - descreveu Fátima. Os trabalhadores da extinta Chica Boa arrumaram um jeito de passar pela frente da Usina, para ver quem era aquela mulher que tinha um corpo escultural e de sombrinha, pois não era tão comum uma pessoa na rua, uma hora daquela, como se estivesse esperando alguém. Após a história se espalhar, os homens perderam a cabeça e queriam ver a mulher, muitos achavam que ela poderia até ser amante de algum operário, devido a meia noite ser o horário da troca de turno na Usina Catende, até porque ela rodava a sombrinha escorada no ombro, como se fosse para chamar a atenção, um charme. Ainda segundo os relatos de dona Fátima, os operários tiveram a ideia de passar pela frente da Usina, assim iriam ver quem era a mulher . - Eles apressaram o passo, mas quando chegaram perto dela, numa distância de quase um metro, ela andou, sem nem olhar para trás, mas vale salientar que cada passo dessa moça ninguém acompanhava, porque na visão deles, ela andava de forma elegante e devagar, sendo que na verdade, se distanciava demais, foi quando eles notaram que ela, não era uma pessoa normal - disse Fátima Colaço. A perseguição seguiu, alguns com medo desistiram e foram em direção a praça da matriz, foi quando um jovem do grupo falou: ‘o diabo é quem acompanha!’, aí ninguém quis mais ir acompanhar, pois todos ficaram assustados, ela seguiu, ao certo ninguém sabe para onde, mas se pressupõe que fora para o cemitério. Segundo o pesquisador Eduardo Menezes, a partir de relatos como esses foi se firmando sobre a assombração, não se falava em mulher da sombrinha, mas que uma mulher seguia os operários e desaparecia no cemitério e isso a gente pode ligar a essa história, a Mulher da Sombrinha. - Quando os operários largavam do turno da meia noite, apenas um deles conseguia ver, por vez, uma jovem muito bonita e saía seguindo ela, pensando ser uma pessoa de verdade, até a mesma desaparecer no portão do cemitério - diz.


Linha do tempo

01

Década de 1930 Começaram os boatos que que faziam referência a uma formosa mulher que passeava nas imediações da Usina Catende (1), que se relacionaram com outras história de uma mulher que perseguia homens até desaparecer no cemitério (2) Década de 1980 A partir de brincadeiras, começaram as primeiras versões do bloco da mulher da sombrinha A partir de 1985 o bloco passa a ser coordenado pela prefeitura municipal

02 O bloco da Mulher da Sombrinha chega a arrastar cerca de 30 mil foliões pelas ruas de Catende

37

Janeiro e Fevereiro


Fátima Colaço

A Mulher da Sombrinha já foi apresentada em diferentes versões desde a década de 1980 e já percorreu o Galo da Madrugada, em Recife, nas cores da bandeira pernambucana

“Os homens ficavam curiosos e foram então atrás da tal mulher, que usava um vestido branco, puxado para o cinza”

Eduardo Menezes

Quando os operários largavam do turno da meia noite, só um conseguia ver uma jovem bonita e a seguia

Otacílio Cordeiro

Hoje é uma referência no estado de Pernambuco. Espero que esse ano seja uma festa muito animada, muito boa para Catende

Tomires Barbosa é um dos catendenses apaixonados pela iconíca Mulher 38 da Sombrinha Janeiro e Fevereiro


01

A primeira

boneca

02

Antes Marcos Catende criou o hino oficial do Bloco. Já Tomires Barbosa (à esq) foi o primeiro a carregar a Mulher da Sombrinha, ele atraibui ao fato de morrer de medo da lenda, em 1983, quando a boneca ganhou sua primeira versão

01 |

02 |

Este ano Mulher da Sombrinha desfila com as cores da bandeira de Pernambuco. Para os Catendenses, carnaval melhor que esse não existe em todo estado 39

Janeiro e Fevereiro

© Paul Roberto/ Conteúdo Imagem © Arquivo Eduardo Menezes

A armação

do corpo foi a base de cabo de vassoura, uma cabeça de mamão vazia com uma vela acesa dentro, os dentes de palito de fósforo, sombrinha e vestidão, como se fosse uma estrutura de um boneco gigante de Olinda, para uma pessoa poder carregá-la. Em 1985, o bloco passa a ser coordenado pela prefeitura de Catende, na gestão de Odorico Freire, que tinha como secretário de cultura, Marcos Catende. Os dois mandaram fazer uma boneca nos moldes do caranaval de Olinda, conta Marcos. - Na época, tive a oportunidade de estar sendo secretário de cultura da cidade de Catende, o prefeito abraçou a ideia. É uma emoção muito grande, que vem já desde 1983. E tem toda a vibração que o povo de Catende transmite para a gente em cima do trio, e essa ideia que eu tive foi uma inspiração que DEUS me deu, uma ideia popular, que é prestigiada na região toda, no estado todo e reconhecida nacionalmente - falou Marcos Catende, criador do hino do bloco. O bloco a Mulher da Sombrinha sai à meia noite do sábado que antecede o carnaval, mas no seu início ela saía à sexta-feira. Para sair às ruas, o bloco mobiliza 15 funcionários, trabalhando efetivamente durante o período de um mês e meio, que antecede o evento, o comércio local dobra o faturamento no fim de semana da festa e os empregos indiretos são distribuídos pora pessoas de toda a região: - Hoje é uma referência no estado de Pernambuco. Espero que esse ano seja uma festa muito animada, muito boa para Catende e para os foliões que vêm de fora prestigiar a cidade disse o prefeito Otacílio Cordeiro. A Mulher da Sombrinha arrasta pelas principais ruas de Catende, no sobe e desce ladeiras, como o próprio hino diz, cerca de 30 mil pessoas, por isso recebe o título de Maior bloco do interior de Pernambuco, fazendo pessoas parecerem com operários, que esquecem os mistérios, deixando a cidade animada e acesa ‘pra’ ver a Mulher da Sombrinha... (C)


Os bastidores da sociedade fernandes.jaci@hotmail.com

fatos e fama Muitos elogios vem recebendo o artista Vona Vallente, que expõe até 12 de fevereiro, no 1º piso do Shopping Difusora.

JACIARA FERNANDES é jornalista e editora da Rádio Liberdade

A nossa paixão

©Thiago Lagos ©Arquivo Revista Conteúdo e Divulgação

A partir de Quarta-feira de Cinzas os filmes da Paixão de Cristo 2012 serão veiculados pela Rede Globo em todo o Norte/ Nordeste, um total de 1.200 chamadas. A divulgação da temporada, que acontece de 30 de março a 7 de abril, ganhará reforço com o cross mídia em emissoras de rádio e mídia impressa. No elenco principal estão os pernambucanos José Barbosa (Jesus), Wilza Gomes (Madalena), e os globais Caco Ciocler (Judas), Mouhamed Harfouch (Herodes), Larissa Maciel (Maria) e Ellen Rouche (Herodíades).

Beleza

Nena Pacheco, coordenadora do Miss Pernambuco 2012, lembra que estão abertas as inscrições para o concurso de beleza. Podem participar representantes de municípios, clubes ou empresas. A disputa em passarela está marcada para o dia 12 de março. Saiba mais pelos telefones (81) 96597707/87333779 /32266270.

Alberto Leopoldino paparica a filhota Bertandrelli, que cursará Química da UFPE, Campus Caruaru.

Esquete

Seguem até agosto, para grupos teatrais de todo o estado de Pernambuco, as inscrições do XI Festival de Esquetes de Caruaru (Festec), numa homenagem ao ator e diretor Nildo Garbo. O evento é promovido pela Associação dos Artistas de Caruaru e será realizado no Teatro João Lyra Filho, em setembro.

O talentoso Carlos Reis, diretor do espetáculo da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, em Fazenda Nova, posa para a coluna com Wilza Gomes, miss Pernambuco 2007, que viverá Madalena na temporada 2012.

40

Janeiro e Fevereiro


Atualização Encontro para tratar detalhes da Agenda Empresarial 2012 aconteceu no Recife, entre o colunista social Jotta Lagos e o diretor-presidente da EBGE, José Ubiracy da Silva. Questionário para atualização de dados chegará nos próximos dias nas empresas, órgãos e residências de personalidades. Aguardem!

O vereador e médico, Demóstenes Veras, sempre presente nos eventos sociais na companhia da noiva Valdirene Maciel e da mãe, Marleine Rabelo Veras O caruaruense Waldênio Porto, presidente da Academia Pernambucana de Letras, ladeado pela internacional artista plástica Luíza Maciel e o marido Rafael Maciel. A empresária Audenira Neves, da Panificadora Princesa do Agreste, curtindo férias com Ana Clara em Natal (RN). Mãe e filha fazem pose no Maior Cajueiro do Mundo.

Brindando o ano novo, os noivos Mariângela Barros e Humberto Falcão

41

Janeiro e Fevereiro


marinada Dicas para as pessoas que não têm tempo para cozinhar Carlos Plácido Miojo Camaretone 2 pacotes de macarrão instantâneo de qualquer sabor 120g de camarão cinza 150g de brócolis picado 1 colher rasa de tempero em pó sabor frutos do mar 1 colher de chá de tempero fondor ½ copo americano de água 1 colher de sopa de azeite Sal a gosto Pepino cortado em leque, alface, cereja e cenoura cozida para decorar

Miojo Gourmet

P

reguiça, falta de habilidade na cozinha ou única opção. Esses talvez sejam os principais motivos que levam uma pessoa a recorrer a um pacote de macarrão instantâneo. Encontrar um fã do prato é raro. Comum é ouvir trocadilhos como “que nojo”. O miojo foi criado em 1958 por um taiwanês com a proposta de acabar com a fome no mundo por ser prático e barato. Seguindo à risca o modo de preparo da embalagem, o macarrão não fica mesmo muito atrativo. Mas, com criatividade, ele serve como base para receitas super sofisticadas. Sugerimos a alguns chef’s que criassem pratos especiais usando miojo. O resultado foi surpreendente. O chef Vavá tem 35 anos de carreira. Já comandou as cozinhas do Othon Pala-

COMO FAZER Cozinhe o camarão em meio copo de água com o sal e o tempero de frutos do mar até é ficar vermelhinho. Descarte o caldo e reserve os camarões. Cozinhe o macarrão instantâneo (não use o tempero que vem no pacote) com o fondor e reserve. Em uma frigideira, refogue o brócolis no azeite por três minutos. Misture com o macarrão e metade dos camarões (deixe a outra metade para decoração). Enfeite o prato com o pepino, alface, cereja, cenoura e camarões.

ce, Miramar e Hotel Jangadeiro. Há cinco anos trabalha no Restaurante Via Regional, em Caruaru. Ele aceitou o desafio e desenvolveu um prato de se comer com os olhos. Colorido, com camarões gigantes e emoldurado por folhas e legumes. O chef o batizou como “miojo camaretone” por ter sido inspirado em uma opção do cardápio da casa que é o “fettuccine camareto”. A massa ficou soltinha, o que é surpreendente em um macarrão instantâneo que geralmente é molega e pastoso. - O segredo é tirar a massa do fogo assim que o ninho começar a soltar. Seu Vavá não imaginava que um pacotinho de mais ou menos 60 centavos pudesse se transformar em um prato tão gostoso. “Se fosse adicioná-lo ao menu, cobraria cerca de 17 reais pela porção individual - brinca.

Quem também topou o desafio

Chef Rafael, trabalha no Restaurante Asa Branca Central

sem titubear foi o chef do Restaurante Asa Banca Central, Rafael Cícero da Silva. Ele, aliás, fez mais do que pedimos: preparou duas variações da massa. Na primeira ele ousou misturar molho de curry com kani-kama (carne de carangueijo artificial japonesa). O segundo prato tem jeitão de barzinho, leva queijo, presunto e atum. O macarrão tem um sabor delicioso que lembra um aperitivo. - O segredo é adicionar um pouco de amaciante de carne e a porção é individual - brinca. (C)

Miojo Happy Hour

Chef Vavá, trabalha no Restaurante Via Regional

42

Janeiro e Fevereiro

©Paulo Roberto/ Contéudo Imagem

Miojo ao Curry e Kani Kama


43

Janeiro e Fevereiro



Conteúdo 7