Page 1


coelismo e da necessidade que od iom rad lo pe o ixã pa ssa no enA RCmag surgiu da informação, divulgação dos ev de o tip tro ou a so es ac ter meçámos a sentir em conhecer os nossos pilotos e a r da , ios sa en s, po tem ssa tos, reportagens, dicas, pa diferente. tivesse as pistas, usando um formato ples e actual, onde a imagem sim to, tui gra so es ac de e lin Uma revista on numa presença marcante. jecto, que julgamos ser alicia pro o m co r ça an av os im cid Depois de ponderar, de ta por Arnaldo Guedes, Luís os mp co é a uip eq ssa no A o. te, mas também ambicios lidade em várias escalas. da mo da tes an tic pra s nó os mos a Cardoso e Sandra Santos, tod a foi tomando forma e agendá ist rev a , um da ca de ow -h Usando o know ra 1 de Janeiro de 2011. pa g ma RC da o içã ed a eir im pr RC, como tal, queremos leitodo tes an am os nte me ial nc se O público alvo são es es e opiniões para podermos stõ ge su o nd da a, ist rev na res activos que participem balho melhor. evoluir e fazer sempre um tra vas e troféus. Acreditapro s, ino tre s ito mu e, nd gra consiA época de 2010 terminou em g no meio do radiomodelismo, ma RC da a nç se pre a m co , mos que em 2011 úgio. te nosso pequeno mundo e ref es is ma da ain r iza am din s gamo Esperemos que gostem do que preparámos para vocês… mail@rcmag.net

Arny Luís e Sandra


O mundo do modelismo ainda é novidade para mim, mas foi com muito orgulho que aceitei este desafio. Coordenador Design

Sendo de momento a única presença feminina no rádiomodelismo, para mim a RCmag será um desafio onde poderei explorar, aprender e divulgar informação Coordenadora Editorial

Às vezes as boas ideias aparecem quando não estamos à espera, assim foi com a RCmag. De uma ideia louca a um projecto real, em apenas alguns dias. Obrigado Equipa! Coordenador Geral


A terceira prova do Troféu Margem Sul realizou-se no dia 6 de Março e contou com 36 inscrições. Rui Crespo madrugou, abriu a pista para treinos eram 7.30 da manhã. Após o briefing com alertas para a postura e conduta de condução, as qualificações começaram por volta das 10.30, num ambiente calmo, com menos pilotos em relação à prova anterior, mas onde o convivo e a boa disposição foram uma constante. O evento esteve sempre em alta, com grandes inovações por parte dos organizadores do evento, Mário Ribeiro, mais uma vez fez a cobertura do evento, proporcionando aos que ficaram em casa a possibilidade de assistirem em directo online à prova, assim como aos resultados. Contámos com um novo traçado desta vez ainda mais rápido, uma mesa de salto mais alargada, a habitual lomba, o tsunami um pouco mais baixo, assim como pedaços de alcatifa com diferentes grip e partes de plástico. As Short Course foram a classe rainha, tivemos a presença de doze pilotos em 2wd e 4wd respectivamente. Nos buggy’s 2wd contámos com nove pilotos e em 4wd apenas

quatro.

SC2WD - Assistimos a uma final com alguns imprevistos a nível técnico para alguns pilotos, nomeadamente numa das mangas onde a corrida se discutia entre Nuno Roque, Carlos Cândido, José Figueiredo e Arnaldo Guedes, este após alcançar a liderança da manga a 20 segundos do fim partiu um dogbone e nem acabou a manga. Os azares a aconteceram a todos os pilotos nomeadamente a Nuno Roque que queimou um motor. Mas onde acima de tudo prevaleceu a competitividade e a boa disposição que o diga Carlos Cândido, imparável alcançou o primeiro lugar, seguido de José Figueiredo, que voltou a ocupar o lugar no pódio, Alberto Carvalho estreou-se nas lides das Short Course subindo ao terceiro lugar. Rui Almeida quarto lugar, seguido de Carlos Costa, Nuno Roque, Arnaldo Guedes, Ricardo Antunes, Pedro Albuquerque. SC4WD - Desta vez as 4WD fizeram –se ouvir pela quantidade de participantes, foi a loucura. A luta pelo pódio foi uma constante, mas quem saiu vencedor foi Joaquim Regueira,


Luís Teixeira e António Salvador. Também com um excelente andamento estiveram Orlando Condeço que alcançou o quarto lugar, seguido de perto por Paulo Leocás dio, João Pereira, Diogo Nascimento e Ricardo Antunes. 0 Buggy’s 2WD - Mais uma prova de cortar a respiração, luta entre José Marcos que está cada vez mais em destaque, e José Figueiredo que com o seu Ansmann alcançou o segundo lugar, seguido de Carlos Cândido.

o Buggy’s 4WD – Uma prova com menos pilotos mas não com menos adrenalina, Tiago Vieira com o seu Team Durango deu cartas e dividiu o o pódio com Nuno Roque e António Salvador. Fotos: Arnaldo Guedes Texto: Sandra Santos .


...Para mim o pormenor fantástico é o motor mount que para além de colocar o motor mais para o centro também demonstra não tornar o chassi demasiado rígido, algo que considero útil para as condições gerais das nossas pistas. Continuo a montagem com as torres dos amortecedores, mais uma vez coloco a cola de parafusos naqueles que ficam em contacto com o as bulkheads assim como também não aperto totalmente os parafusos, pela mesma razão anterior. Next step e vamos directos para a direcção. Tive aqui duas surpresas, uma boa e uma má. Passo a explicar e começo pela má, nos tempos que correm os sistemas de direcção de dois pontos estão generalizados nos TC, e pela minha experiência este sistema não é tão suave como é o de dois pontos, mas vou ter de esperar pela pista para ter a certeza, contudo para mim foi uma má surpresa. Quanto à boa, a Associated conseguiu um sistema simples e eficaz de alterar o ângulo de Ackerman em pouco tempo e quase sem ter que desmontar a direcção. O parafuso que une as duas peças é facilmente acessível com o Top Deck no sítio. Em todos os carros que tive esta era uma afinação que tinha tendência a não mexer muito, tal a dificuldade para o fazer em pista. E esta é sem dúvida uma daquelas afinações que gosto de mexer. Mais uma solução simples e eficaz.

Para terminar a transmissão res tam apenas os homocinéticos, surpreendeu-me que estes fosse de aço, facto que depressa esqu ci quando pesei o carro completo, 1350 gramas, muito bom, e facto de serem de aço vão-lhes conferir uma longevidade superi portanto só vantagens. A grande surpresa para mim nestes homo cinéticos são uns anéis que ficam por cima dos semi eixos e que v segurar o pino que faz a união e tre as duas peças, o que tornam este homocinéticos bastante ma seguros do que o normal. Esta s lução penso não ser nova, mas uma evolução dos TC e é de lou var, porque muitas vezes vemos as nossas mangas desperdiçada por este pino saltar, muitas veze trazendo estragos inclusivé nos hubs.


s-

em ueo

Em pista melhor estreia não podia pedir. TQ e vitória na prova do CN. Com uns pequenos ajuste ao setup que inicialmente tinha pensado, sentia que o carro estava bastante rápido em curva mantendo uma estabilidade acima do normal. Portanto tentei focar-me apenas em garantir a eficiência da motorização. O carro é excelente e há muito tempo que não conseguia uma sintonia tão grande entre inputs no rádio e feeling em pista, isto transmitiu-me confiança e permitiu que não cometesse muitos erros nas finais.

ior, e om vão enm ais soé us Fotos e Texto: Jorge Simões as es


Os pilotos pediram…e o Crespo cedeu…a saga da resistência parte II teve lugar no dia 11 de Março, com a classe Short Course 2 e 4 WD em confronto com 7 equipas inscritas. Rui Crespo manteve o traçado da última prova do troféu margem sul, mas o sentido foi feito de forma inversa, para os menos sortudos que não puderam participar, o Forum umdez transmitiu a prova em directo. A prova teve a duração de 3 horas e decorreu num ambiente de convívio e boa disposição, com a adrenalina das equipas a tentarem resolver alguns imprevistos, a troca de pilotos, de baterias, enfim uma correria que fez as 3 horas passarem minutos.

Todas as equipas depararam-se com avarias, problemas no transponder, dogbones partidos entre outros stresses, que fazem parte de uma prova prolongada, mas desde cedo a equipa vencedora RCmag/ XRT começou a ganhar destaque e conseguiu manter a liderança até ao final, seguido a 11 voltas da equipa Toca e foge que deu alguma luta. Cada equipa aplicou a sua estratégia de forma a alcançar o melhor resultado, foi o caso da equipa vencedora Team RCmag/XRT que optou por pôr 2 dos pilotos a correr a tempo inteiro e o terceiro a dar assistência técnica e a pistar, par-

ticipando na c do fim. Estam Santos que ac carros de toda só o da própri lamento, cheg momentos a s virar e ajudar a organização prémio Fair Pl A prova troux futuras resistê regras mais ri uso de lipos e ideias e mais ansiosamente em prática, ou mos aqui as c


corrida a uns minutos mos a falar de Sandra cabou por pistar os as as equipas e não ia como dizia o regugou mesmo em certos ser a única na pista a os pilotos, por isso o decidiu atribui-lhe o lay. xe mais ideias para ências: mais horas, igorosas, limite de e carregadores, enfim ideias que esperamos e que Rui Crepo ponha u não…até lá deixaclassificações da prova.

1º Lugar e o Prémio Fair Play - Team RCmag/XRT ( Arnaldo Guedes, Alberto Carvalho e Sandra Santos) 2º lugar - Toca e Foge - (Carlos Cândido, Pedro Martins e Orlando Condeço) 3º lugar - Três/quarto – (António Salvador, Jorge Cardigos e Luís Teixeira) 4º lugar e o prémio TQ - Querido quero-te em casa ( Nuno Roque Pedro Albuquerque e Joaquim Regueira) 5º lugar - Team Estrelinha – (Ricardo Antunes, Máximo Antunes e Jaime Almeida) 6º lugar - Um/dois – (Carlos Matos, Paulo Leocádio e João Gonçalves) 7º lugar - Os tristes (José Neves, André Neves e José Henriques)


A pista está aberta toda a semana de segunda a Sábado das 8h.30 às 20h, sendo o custo de 8 euros a diária, 5 euros meia diária, e 3 euros das 18h às 20h. A salientar que a utilização da pista com iluminação artificial será de 8 euros. As escalas permitidas são 1/10 Buggy’s 2WD e 4WD, SC2WD e 4WD Localização: Av. 29 de Agosto En 247 km66 2705-869 Terrugem-Sintra Coordenadas: 38.855851, -9.380221

No dia 27 de Março abriu a nova pis Terrugem Godin TT Race. Luís Godin obra e criou um espaço, apelativo o o bem-estar e o RC. O verão está a chegar e nada melho astro, para os que não gostam de te porcionar bons momentos a todos o pista terá uma loja com venda de m bar. Ainda está em construção um b que irá abrir aos fins-de-semana.


sta Outdoor de Astro na nho resolveu por mãos à onde se consiga conjugar

or do que o outdoor, em erra, o objectivo é proos pilotos e familiares. A material e um pequeno bar maior com esplanada


dels o M * uper Povoa S a a d rova mingo n p ª 3 o Do para ua a o a l s o p v u i m a pa u. onte o e conv m c u o de inuo ituou im mp t a n e n t d â i o o s segu pódio c nos hab vez da mai , a s t e s n õ aç pelo rriço já , de deu ai c o ” fi i c l a t u a e o s qu de a “lu Nuno Ca m p ador qu a u r m as e l o ar s t t ria c a r a a u r a a a v q b t c d a is o u Para m sol a , de go. Dest prev No inicio gente a l e a u r v i à ho ifana. pará ís Fidal quercom lega. e ex u m i e o t b ç a a n e lu ro Albu a trás. inu t o da G va come bela da e difere n d o c ar ed ire r o a anca é Figue edes e P assem p r A pr o com o semp b a ç m truk o de Jos aldo Gu ilotos fic almo çado co o. a egui s u s d n a p i i r a c c a om dio segu oque, A com os O tr e técni stên a disc i s o n d z o e co arável… gueiândi ar no pó Nuno R nque fe fluid o C t s i n a o e am u-se imp . José F é arra Carl eiro lug s bem d o n – n a lo u os ro no s” rim WD o se a most pectácu erga, J SC2 çou o p rreu me ulhanço m o r o n se c seu Veg onito es Nuno B alca prova c ns “emb u o e c b u a esta o com o am um guido d d vez com alg o l i r Gr s Godinh que der lugar, se a c ó na por que, s s í s Ó º e u o 4 . L u r ot ez q utada e o 2WD Sousa e es 3 pil çou um 8º luga v s a ’ y p m n t g o, u a foi dis u assim Bug Afonso entre es nn alca algo em ã ç a i r a e id anço espi a vitor c r l do d foi forte u Ansm , Luís F a a a r e o e orta nal ond go Vieir proc puta com o s Cândid , e a d a v fi i o s e T a pr das or, uma idade. inho. redo s, Carlo i u h o n d n v e o i i d ais r o vence ompetit Luís Go h term lia. Marc n i F 7 s1 amí D – decidiu ande c rilo, e f à W a e 4 r u G re se gy’s os. G e Óscar odels q ngo ent t Bug ira final o l i r*M mi 5p od terce ir entre seguid da Supe to de do r, d s deci iro luga nização s um re a e o prim ente org os pilot l a Exce nando io porc s

uede

:A

oG rnald

a andr

o: S Text

otos os F t n a S


Rui Crespo começou o seu percurso no radiomodelismo no 1/8 TT a combustão. Em Agosto de 2006, surgiu a oportunidade de abrir uma loja no Montijo a Maxi Potência, começou assim o seu percurso como lojista no mundo do RC. Em 2007 começou a organizar o Troféu Margem Sul, na pista do Montijo e em Sesimbra. Em 2009 o 1/10 TT começou a evoluir e a ter grande adesão por parte dos pilotos, e decidiu apostar nesta escala, em 29 de Julho de 2009 abriu a loja RC Hobby Center no Montijo. Neste espaço conseguiu reunir a escala 1/8 TT outdoor, 1/10 TT Indoor, outdoor, TC e Mini- Z. A RC Hobby Center é um espaço aberto ao público de Terça a Domingo. A pista de grandes dimensões, segundo Rui é uma mais-valia, tendo em conta que um dos seus objectivos é alterar constantemente o traçado de forma a não criar rotinas e assim manter o cliente satisfeito. Um dos seus objectivos a médio prazo é fazer crescer a loja, alargando e fazendo contactos com várias marcas e fornecedores.

Projectos futuros são muitos para além dos troféus, vai modificar a pista do 1/8 TT, pois acha que tem que inovar e fazer algo diferente, assim como construir uma pista outdoor para 1/10, no entanto, para agradar a todo o tipo de cliente vai manter a pista indoor aberta todo o ano. Durante a semana a pista recebe 15 pilotos por dia, após as 18 horas é quanto a pista ganha vida, e ali se juntam muitos pilotos para trocar ideias e treinar, segundo Crespo a flexibilidade de horário e fecho da pista às 4 da manha tornam-se também uma mais-valia. Acha que é necessário trabalhar a postura e conduta dos pilotos.” Muitos ainda têm que ser educados e saber estar no palanque. Cada piloto tem que ter a noção da sua capacidade, todos gostam de ganhar, mas há que saber distinguir a capacidade de cada um. É necessário haver respeito entre os pilotos para não se criar mau ambiente, por isso no futuro as minhas provas vão ser rigorosas no horário, na postura”. Texto: Sandra Santos Fotos: Arnaldo Guedes


Depois do anterior “meeting” onde podemos sentir o pulso desta apaixonante escala, realizou-se no passado Sábado 26 de Março na GéniRacerIndoor a primeira prova onde a Velocidade foi a “pedra de toque”.

Óscar Viola posicionou-se a -se por ordem de classificaç Mestre, Pontes e Pais que a de equilíbrio nos seus old c

Foi interessante constatar várias formas de soluções, para voltar a ver evoluir estas verdadeiras PérolasRC. Em termos de presenças de pilotos a experiência foi notória, bem como o respeito e educação, o que resulta com alguma naturalidade numa escala perfeita para, os true Gentlemen Drivers.

No final realizou-se uma no onde a ideia foi por a corre participantes, idealmente co resistência vinha naturalme Mestre se ter ausentado, po por motivos de “rolo da ma compreensível. Definitivamente o conceito sitivo, no entanto deverá se à frente…

No que toca a chassis encontrámos: Associated (4un), Calandra (2un), X-Ray (2un), algumas verdadeiras relíquias, outros bem mais actuais, no fundo ficou provado que quem tem uma “tábua” (qualquer que seja), pode divertir-se à séria.

Resta-nos esperar (im)pacie evento, muito provavelmen Em termos competitivos foi notório o nível superior pista Indoor da PureRacing patenteado pelo Fidalgo “Fidas” que com o seu já ape- mingo já se puderam assist lidado MíssilCRC fez “mossa” entre os demais, rodando Pro12 com configuração Atm a um ritmo diabólico/inalcançável para os demais, em que e no final das finas triplas (todas contaram) resul- Texto e Fotos: Óscar Viola tou num justo vencedor. Em segundo lugar e literalmente de “pantufas” esteve José Domingues levando o seu L3 a um patamar elevado, sendo que e não havendo finais “estanques” (positivo), terá proporcionado um acerto a posteriori mais apurado, ainda que tendo uma desvantagem pelo menos teórica por ter vindo da FinalB.


a fechar o pódio, seguindoção o Eugénio, Travassos, ainda procuram um ponto chassis (ClássicosVintage)

ova prova tipo MEGAFinal er em simultâneo todos os om mais tempo e onde a ente ao de cima, foi pena o ois podia redimir-se, mas assa” resultou perfeitamente

da prova extra pareceu poer afinado, um pouco mais

entemente pelo próximo nte a poder ocorrer na nova g, onde no passado Dotir a algumas voltas de um mosférica.


s com a particia n e p A – D W 4 C S s o pódio foi to ilo p 3 e d o çã pa Tomás, Diogo atribuído a Pedro ão Pereira. Nascimento e Jo

do troféu Inva ro p a d n u g se A u-se no dia 26 o liz a re O R C r o do h. Ao contrário de Março, às 17 va o número de da primeira pro mais reduzido, pilotos foi bem ma manga de contámos com u cada classe. os seus pilou o te n se re p ro OC o traçado, mais tos com um nov randes rectas. técnico e sem g ualificação e As mangas de q alizaram-se re is a n fi s a d a m u ura para uma lt a r, ta n ja o d s ante ntracção, desta pausa de desco e bebidas não vez a paparoca Duarte mais faltaram, o Pedro pasteleiro chelo e p o d ci e h n co tar a malta. gou para alimen em passada, Foi uma noite b vez o convivo onde mais uma . esteve presente

Fábio Ramos – D W 4 ’s y g g u B de Filipe Vítor e o id u g se u ro e lid Diogo MonteiMarco Carrilho e ro.

Uma final com 8 Buggy’s 2WD – ue, para fazer q n la a p o n s to pilo os nervos dos co u o p m u r e x me icardo Bastos participantes, R , ann endiabrado como seu Ansm ndo o primeiro destacou-se, faze e José Marques d o id u g se r, a g lu u mais uma ro st n o m e d m te que ento e evovez o seu andam osta ficou em lução, António C quarto lugar terceiro lugar. O Maia, seguido o n u N o ra a p i fo o, Jorge Borir te n o M o g io D de Guedes asa e Fernando o st ld o a C rn A co ri – e D d W re 2 F SC ges, a liderança, o d ce e sd e d iu sum Almeida. e u q s in rt a M ro d es seguido de Pe va, assim Texto: Sandra Santos Fotos: Arnaldo Gued ro p a st e n u co a se dest ira, Pedro Caiacomo João Pere ha. do e Pedro Cun


Decorreu no passado Domingo dia 27 de Março no Mini-autódromo do Estádio Universitário de Coimbra a prova inaugural do Campeonato Nacional de Eléctricos 2011 da Federação Portuguesa de Rádio Modelismo Automóvel, este campeonato é composto por duas classes, a de Stocks e Modificados, sendo que as principais diferenças se revelam ao nível da motorização. Esta prova que contou com cerca de 30 participantes de todo o país. Durante a manhã decorreram as qualificações, tendo o destaque pertencido ao piloto da Associação Académica de Coimbra, Jorge Simões, que dominou por completo a classe de Stock, não dando hipótese aos mais directos adversários conquistando a pole-position para a prova, seguido de perto no segundo posto pelo piloto Bruno Castela, também ele piloto da Associação Académica de Coimbra, a linha 1 da grelha de partida das finais seria preenchida

por estes dois pilotos da AAC. Na classe de Modificados o piloto Hélder Silva conseguiu a custo a Pole Position, tendo o piloto da casa Rúben Francisco conquistado o 2º posto. Nas finais de Stocks o piloto Jorge Simões continuou a demonstrar o seu domínio tendo garantido a vitória na prova ao fim de duas finais sem história, onde dominou do princípio até ao fim. Como ao fim de duas finais já tinha segurado a vitória decidiu já não participar na derradeira final e foi ai que Bruno Castela se impôs e conquistou a vitória, com esta conseguiu colocar o seu carro no 2º posto da geral, ficando o Top10 ordenado desta forma: 1.JorgeSimões (AAC) 2. Bruno Castela (AAC) 3. Mário Coelho 4. Rui D’Almeida 5. Luís Correia 6. Bernardo Cosme 7. Fernando Cardoso 8. José Figueiredo 9. Pedro Canastra 10. Carlos Costa


Nas finais de Modificados a só porque os carros são ba bém porque a decisão do v à última final. À entrada da almejavam a vitória na pro liderança da última final log a disputa entre os pilotos H Rúben aguentou muito bem quando tudo parecia decid o seu carro começou a per fim teve de ceder a lideran ficou então ordenado da se 1. Hugo Miguel 2. Rúben Francisco 3. Hélder Silva 4. João Martinho 5. Pedro Moura 6. Artur Aires 7. Luís Rosinha 8. Jorge Chalupa 9. Ruben Monteiro 10. Pedro Pita


a emoção esteve ao rubro, não astante mais rápidos, mas tamvencedor ficou por decidir-se até a última e decisiva final 3 pilotos ova, o piloto Hélder Silva perdeu a go nas primeiras voltas, deixando Hugo Miguel e Rúben Francisco. m a pressão exercida por Hugo e dido a favor do piloto de Coimbra rder potência e a três voltas do nça ao piloto lisboeta. O Top10 eguinte forma:

Foi com grande satisfação que todos os pilotos abandonaram Coimbra, certos de que a Secção de Rádio Modelismo da Associação Académica de Coimbra fez o melhor e contribuiu para mais uma excelente organização neste Campeonato. O campeonato tem agora no calendário a próxima prova em Sintra e a Secção deseja aos seus pilotos que triunfem e sigam no caminho vencedor que demonstraram em Coimbra. Fotos: Nuno Carriço e Rui De Almeida Texto: Jorge Simões


mail@rcmag.net

Revista RC Magazine Portugal #4  

Radiocontrol online magazine. 1/10 offroad, mini-z...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you