Page 1

Escola Secundária com 3º ceb de Albergaria-a-Velha Ficha de Trabalho Nº 1 - Word - 2º período Nome do(a) aluno(a) ________________________________________________ Nº |_|_| Ano |_|_| Turma |_|

Objetivos: 

Visualização da janela do Microsoft Office Word 2010.

Modos de visualização.

Navegação no Friso e nos vários separadores do Friso.

Criação e gravação de documentos: Criação de um novo documento. Abertura de um documento. Gravação de um documento. Gravação de um documento como HTML.

Pré-visualização.

Impressão.

Encerramento.

1. Abra o Microsoft Word, clicando no Iniciar → Todos os Programas → Microsoft Office → Microsoft Office Word 2010. 2. Guarde o documento aberto com o nome: Resolucao_da_FT_N1_W_n_seu_nome.

****** Substitua: n_seu_nome pelo número e nome. (repita, se necessário para o(s) colega(s) de grupo com quem está(ão) a realizar o trabalho)

3.

Verifique no separador Ver as formas de visualização e descreva-as no documento do Word guardado. Guarde as alterações.

4. Escreva o nome dos vários separadores do Friso que aparece na janela do Word. 5. Realize a pré-visualização do documento, ou clicando em

, ou através da Barra de Acesso Rápido, clicar

em Pré-visualizar e Imprimir no menu que aparece, tal como visível na seguinte figura:

Para sair do modo de Pré-visualização, clicar no separador Base.

RCJS / 2013


6. Meramente informativo: Para imprimir, clicar no separador Ficheiro, no menu que se abre clicar em Imprimir e na janela que se abre, podemos escolher a Impressora, o Intervalo de páginas a imprimir, o número de cópias, entre outras opções disponíveis e no final, clicar em Imprimir.

7. Antes de fechar um documento, para o guardar, existem várias opções, algumas são apresentadas em seguida:  Clicar em

;

 Clicar no separador Ficheiro, no menu que se abre clicar em

 Fechar o Documento clicando em

;

da janela do Documento e depois clicar em Sim na janela

onde aparece a pergunta: Deseja guardar as alterações efetuadas em “nome do documento”?

RCJS / 2013


8. Envie o ficheiro criado para a plataforma Moodle através do link “Submissão da resolução da ficha de trabalho nº 1 do Word”.

Bom Trabalho!

RCJS / 2013


Escola Secundária com 3º ceb de Albergaria-a-Velha Ficha de Trabalho Nº 2 - Word - TIC - 2º período Nome do(a) aluno(a) ________________________________________________ Nº |_|_| Ano |_|_| Turma |_|

Objetivos: 

Digitação de um documento.

Saber movimentar-se no documento utilizando as teclas.

Operações básicas de formatação.

Movimentação em documentos: As hiperligações.

1. Crie uma pasta nos Documentos com o seguinte nome: Resolucao_da_FT_N2_W_n_seu_nome.

****** Substitua: n_seu_nome pelo número e nome. (repita, se necessário para o(s) colega(s) de grupo com quem está(ão) a realizar o trabalho)

2. Abra o Microsoft Word, guarde o documento aberto, dentro da pasta criada anteriormente, com o nome: Objetivos_da_FT_N2_W. 3. Nesse documento, escreva os objetivos presentes nesta Ficha de Trabalho. Guarde o documento. 4. Transcreva o seguinte texto, tal como é apresentado, para o Word e guarde-o, dentro da pasta criada anteriormente, com o nome: Movimentação num Documento. 5. No final guarde as alterações efetuadas no seu documento: Movimentação num Documento. 6. Depois de passar o texto experimente cada um dos comandos referidos no texto no seu documento.

MOVIMENTAÇÃO NUM DOCUMENTO A movimentação num documento pode fazer-se com o rato ou com determinadas teclas e combinações de teclas. Utilizando o rato e as barras de rolamento, podemos deslocar-nos no documento para baixo ou para cima. As principais teclas de movimentação são: -

Teclas de direção – deslocam o cursor uma posição de cada vez, no sentido da seta;

-

Home – desloca o cursor para o início da linha onde estamos situados;

-

End – desloca o cursor para o fim da linha;

-

Page Up – desloca uma página de texto, no ecrã, para cima;

-

Page Down – desloca uma página de texto, no ecrã, para baixo;

-

Ctrl + seta para a direita – coloca o cursor para o início da próxima palavra;

-

Ctrl + seta para a esquerda – coloca o cursor no início da palavra anterior;

-

Ctrl + seta para cima – coloca o cursor no início do parágrafo;

-

Ctrl + seta para baixo – coloca o cursor no início do próximo parágrafo; RCJS / 2013


-

Ctrl + Page Up – posiciona o cursor no início da página de texto do ecrã;

-

Ctrl + Home – posiciona o cursor no início do documento;

-

Ctrl + End – posiciona o cursor no fim do documento.

7. Transcreva o seguinte texto, tal como é apresentado, para um novo documento do Word e guarde-o, dentro da pasta criada anteriormente, com o nome: Operações Básicas de Formatação. OPERAÇÕES BÁSICAS DE FORMATAÇÃO Formatação designa, neste contexto, diversas operações ao nível de carateres, parágrafos e configuração de página. Formatação de carateres Os formatos de carateres podem consistir em estilos ou tamanhos dentro da mesma fonte (estilo tipográfico). Os formatos de carateres podem aplicar-se a blocos de texto previamente selecionados ou a texto que se vai começar a escrever a partir da posição corrente do cursor. Para se aplicar um formato de carateres pode-se utilizar a barra de ferramentas ou o comando “Tipo de Letra” do menu “Formatar”. A forma mais prática de aplicar formatos relacionados com carateres é através da barra de ferramentas. Caso esta barra não se encontre disponível na área de trabalho do word, podemos inseri-la através do menu “Ver”, comando “Barra de Ferramentas”, assinalando a opção “Formatação”. Para se aplicarem os habituais estilos negro, itálico ou sublinhado podem-se usar os botões da barra de ferramentas, indicados por: N, I, ou S ou utilizar os atalhos CTRL+N para negrito, CTRL+I para itálico e CTRL+S para sublinhado. Para retirar um estilo aplicado com um dos botões da barra de ferramentas, basta voltar a clicar no botão com que se introduziu esse estilo.

7.1. Formate o 1º parágrafo do texto para o tipo de letra ARIAL, tamanho 14. 7.2. Coloque o 2º parágrafo do texto com o tipo de letra COURIER NEW, negrito e de cor vermelho. Os restantes parágrafos deverão apresentar-se conforme os vê. 7.3. Altere o alinhamento do seu documento para um alinhamento justificado. 7.4. Grave as alterações efetuadas no seu documento: Operações Básicas de Formatação.

Movimentação num documento: As hiperligações

8. Insira uma hiperligação que permita, ligar a palavra: movimentar, que se encontra nos objetivos do documento: Objetivos_da_FT_N2_W com o título: MOVIMENTAÇÃO NUM DOCUMENTO, que se encontra no documento: Movimentação num Documento. 9. Insira uma nova hiperligação que permita, ligar a palavra: formatação, que se encontra nos objetivos do documento: Objetivos_da_FT_N2_W com o título: OPERAÇÕES BÁSICAS DE FORMATAÇÃO, que se encontra no documento: Operações Básicas de Formatação. RCJS / 2013


10. Compacte a pasta criada e envie-a para a plataforma Moodle através do link “Submissão da resolução da ficha de trabalho nº 2 do Word”. Bom Trabalho!

RCJS / 2013


Escola Secundária com 3º ceb de Albergaria-a-Velha Ficha de Trabalho Nº 3 - Word - TIC – 9º ano Nome do(a) aluno(a) ________________________________________________ Nº |_|_| Ano |_|_| Turma |_|

Objetivos: 

Edição e formatação de um documento: Digitação de um documento

Copiar blocos de texto

Mover blocos de texto

Apagar blocos de texto

Localizar e substituir texto

Formatação de um documento: Alinhamento do texto, Espaçamento entre linhas, Formatação de carateres, Formatação de parágrafos

Inserção de imagens e objetos

Inserção de símbolos, de números de página, data e hora.

1. Crie uma pasta nos Documentos com o seguinte nome: Resolucao_da_FT_N3_W_n_seu_nome.

****** Substitua: n_seu_nome pelo número e nome. (repita, se necessário para o(s) colega(s) de grupo com quem está(ão) a realizar o trabalho)

2. Abra o Microsoft Word e transcreva o seguinte texto, tal como é apresentado e guarde-o, dentro da pasta criada anteriormente, com o nome: Formatação de um Documento.

Microsoft Word XP

O Word XP é um processador de texto extremamente poderoso. Foi elaborado pela empresa americana Microsoft Corporation (autora do Microsoft Windows), daí também se dominar Microsoft Word. Além desta, também é usada a denominação Winword, uma vez que foi feito especialmente para ser usado no Windows. É o primeiro processador de texto a ser utilizado em grande escala por uma infinidade de utilizadores de todos os níveis. Para usarmos esta aplicação temos de a chamar. Existem vários métodos para o fazer. O mais simples e universal consiste em usar o comando Programas do menu Iniciar. Outro método também muito usado

RCJS /2013


consiste em fazer um duplo clique em cima de um atalho para a aplicação. Chamar uma aplicação significa dar ordem de execução a essa aplicação de modo a podermos usá-la. Depois de efetuar esta operação aparece, no monitor, o Ambiente de Trabalho do Word. É neste que podemos escrever, formatar, corrigir e imprimir o nosso texto.

Pretende-se: I.

Objetivo: Copiar blocos de texto Ajuda: Base  Copiar e depois Base  Colar

-

Copie o título do texto para o final do texto;

Objetivo: Mover blocos de texto

II.

Ajuda: Base  Cortar e depois Base  Colar -

Mova os dois últimos parágrafos do texto para o início;

Objetivo: Apagar blocos de texto

III.

Ajuda: Del -

Apague o título que se encontra no final do texto;

Objetivo: Localizar e substituir texto

IV.

Ajuda: para localizar Base  Localizar e para localizar e substituir Base  Substituir -

Localize no texto a palavra “Microsoft”;

-

Substitua a palavra “Word” por “WinWord”.

Objetivo: Formatação de carateres

V.

Ajuda: Base  Tipo de Letra

-

Título: Tipo de Letra: Comic Sans Ms, Tamanho: 17, Estilo do tipo de letra: Negrito, Cor do tipo de letra: azul, Efeitos: alto-relevo e Espaçamento entre caracteres: expandido em 2 pto;

-

1º e 2º parágrafos: letra Arial, tamanho 11, itálico, cor verde, sublinhado só palavras e efeito: sombra;

-

3º e 4º parágrafos: letra Courier New, tamanho 10, cor vermelho e espaçamento entre caracteres: comprimido por 1,2 pto;

-

5º e 6º parágrafos: letra Book Antiqua, tamanho 11, negrito, itálico, cor azul e sublinhado duplo.

RCJS /2013


Objetivo: Formatação de parágrafos

VI.

Ajuda: Base  Parágrafo

-

Título: alinhamento: centrado;

-

1º e 2º parágrafos: alinhamento: justificado, avanço à esquerda e à direita de 2 cm e espaçamento entre linhas de 1,5 linhas;

-

3º parágrafo: alinhamento: centrado e espaçamento antes e depois de 24 pto.

-

4º parágrafo: alinhamento: justificado, avanço à esquerda e à direita de 1,5 cm, avanço especial 1ª linha por 1 cm, espaçamento antes de 12 pto e depois de 18 pto e espaçamento entre linhas de exactamente 20 pto;

-

5º e 6º parágrafos: alinhamento: justificado, espaçamento entre linhas duplo e espaçamento de 18 pto e 6 pto, respetivamente antes e depois dos parágrafos;

3. Guarde as alterações realizadas no documento: Formatação de um Documento.

Objetivo: Inserção de imagens e objetos

VII.

Ajuda: Inserir  ClipArt (No painel que abre carregar em Ir). -

Insira, no final do texto, uma imagem do ClipArt, relacionada com o tema do texto anterior. Objetivo: Inserção de símbolos ☺

VIII.

Ajuda: Inserir  Símbolo (Mais Símbolos, clicar no símbolo e em Inserir, repetir) -

Insira três símbolos do lado direito da Imagem que inseriu anteriormente.

Objetivo: Inserção de números de página

IX.

Ajuda: Inserir  Número de página - Insira o número de páginas no documento (Deverá estar localizado nas Margens da Página: Vertical, Direito).

X.

Objetivo: Inserção de data e hora. Ajuda: Inserir  Data e Hora

-

Insira no final do documento a data e hora, alinhada à esquerda.

4. Guarde as alterações realizadas no documento: Formatação de um Documento.

5. Compacte a pasta criada e envie-a para a plataforma Moodle através do link “Submissão da resolução da ficha de trabalho nº 3 do Word”.

Bom Trabalho! RCJS /2013


Resultado da aplicação da Ficha de trabalho nº 3

Depois de efectuar esta operação aparece, no monitor, o Ambiente de Trabalho do Winword 2007. É neste que podemos escrever, formatar, corrigir e imprimir o nosso texto.

O Winword XP é um processador de texto extremamente poderoso. Foi elaborado pela empresa americana Microsoft Corporation (autora do Microsoft Windows), daí também se dominar Microsoft Winword.

Além desta, também é usada a denominação Winword, uma vez que foi feito especialmente para ser usado no Windows.

É o primeiro processador de texto a ser utilizado em grande escala por uma infinidade de utilizadores de todos os níveis.

Para usarmos esta aplicação temos de a chamar. Existem vários métodos para o fazer. O mais simples e universal consiste em usar o comando Programas do menu Iniciar. Outro método também muito usado consiste em fazer um duplo clique em cima de um atalho para a aplicação. Chamar uma aplicação significa dar ordem de execução a essa aplicação de modo a podermos usá-la.

18-02-2011 18:42:24

Página

10

۞۞۞


Escola Secundária com 3º ceb de Albergaria-a-Velha Ficha de Trabalho Nº 4 - Word - TIC – 9º ano Nome do(a) aluno(a) ________________________________________________ Nº |_|_| Ano |_|_| Turma |_|

Objetivos: 

Configurar página: margens e orientação

Inserção de cabeçalhos e rodapés

Limites e sombreado

1. Abra

o

Microsoft

Word,

guarde

o

documento

aberto

com

o

nome:

Resolucao_da_FT_N4_W_n_seu_nome.

****** Substitua: n_seu_nome pelo número e nome. (repita, se necessário para o(s) colega(s) de grupo com quem está(ão) a realizar o trabalho)

2. Transcreva o seguinte texto, tal como é apresentado.

Paul Taylor Num futuro não tão distante como se pensaria, possuir uma cópia (registada) do Windows XP e uma ligação de banda larga à Net será como ser alfabetizado num mundo de analfabetos (OK, admitimos que é uma alfabetização à la Microsoft, mas ...). Mas, em Portugal como será? Continuaremos a usufruir de pseudoligações de banda larga? Ou estará nas mãos da própria Microsoft levar a termo uma realidade que tarda a se concretizar? Não obstante isto, em breve o XP será tão parte do nosso dia-a-dia como o foi o Windows 95 e o Windows 98 e depois dele... quer queiramos ou não. Tudo o que queria saber. A partir do dia 25 de Outubro estará à venda em todo o mundo a mais recente versão do Windows. Podemos partir do princípio que qualquer pessoa que alguma vez utilizou um computador, já utilizou o Windows. Não só utilizou o Windows como terá ficado com uma impressão muito forte sobre aquilo que viu e experimentou, para bem ou para mal. Mas uma coisa podemos afirmar, depois de ler este artigo, a sua opinião nunca mais será a mesma. Windows XP Windows XP Windows XP Windows XP

RCJS / 2013


O Windows XP trata uma coisa que a vasta maioria dos utilizadores receia, a interação com o próprio sistema operativo. O próprio nome XP deriva da “experiência” que o utilizador está sujeito enquanto utiliza o sistema operativo (SO). Não podemos deixar de pensar que há dois tipos de utilizadores de PC e Windows. Aqueles que entendem como funciona um sistema operativo e trabalham com o Windows como se tratasse de uma ferramenta muito avançada, e o segundo tipo, que usa apenas as aplicações que assentam sobre o SO para fazer tarefas do dia-a-dia, mas nem sempre da forma mais eficiente. Os primeiros mexem nas configurações todas do PC e são uma dor de cabeça para o suporte técnico da empresa. Anteriormente tínhamos 2 linhas de produtos, um de consumo doméstico (Windows 9x) e outra profissional (Windows NT). Eram inconfundíveis... um apresenta um interface mais amigável, mais fácil de utilizar, mas mais instável que o último. O Windows NT era domínio dos “sábios” informáticos que precisavam de estabilidade e não ligavam muito ao conforto do veículo. Atualmente temos dois produtos que se assemelham nas questões mais superficiais: Windows Me e Windows 2000 partilham algumas funcionalidades como o multimédia, mas não a versatilidade do Me para vídeo e imagem digital. O Windows 2000 transformou o NT em algo moderno, algo que facilitasse o trabalho aos novatos mas com o qual a velha guarda não se sentisse desconfortável.

Pretende-se: I.

Objetivo: Configurar página: margens Ajuda: Esquema de Página Margens Personalizar Margens… - Configure a página do seguinte modo: a) Margem superior: 2 cm b) Margem inferior: 2 cm c) Margem esquerda: 3 cm d) Margem direita: 2 cm e) Cabeçalho: 1 cm f) Rodapé: 1,5 cm

II. Objetivo: Inserção de cabeçalho Ajuda: Inserir  Cabeçalho g) Coloque um cabeçalho com o nome da escola alinhado ao centro. Formate o cabeçalho com letra Book Antiqua, tamanho 9, a negrito e cor azul. Coloque também um limite duplo a seu gosto (por baixo); RCJS / 2013


III. Objetivo: Inserção de rodapé Ajuda: Inserir  Rodapé h) Coloque um rodapé com a data do sistema alinhada à esquerda e o n.º da página alinhado à direita (ex. Página X de Y). Formate o rodapé com letra Comic Sans Ms, tamanho 8, itálico e com sombra. Insira um limite simples de cor azul (por cima).

IV. Objetivo: Configurar página: orientação Ajuda: Esquema de Página Orientação i) Coloque a(s) página(s) na orientação horizontal.

V. Objetivo: Limites e sombreado j) Transcreva o seguinte texto, tal como é apresentado no ficheiro Resolucao_da_FT_N4_W_n_seu_nome numa nova página com orientação vertical. Sociedade da Informação A Sociedade da Informação constitui um desafio que tem de ser enfrentado com determinação de modo a adequar o país às profundas mudanças daí resultantes. As manifestações da “Sociedade da Informação” rodeiam o nosso quotidiano, afetam o comportamento das organizações e influenciam o pensamento estratégico das Nações. Os computadores fazem parte da nossa vida individual e coletiva e a Internet e a multimédia estão a tornar-se omnipresentes. Contudo, tal como a rádio não substitui os espetáculos ao vivo, a televisão não faz as vezes da rádio, o cinema não fez desaparecer o teatro, estes novos meios também não irão substituir os livros e outros meios tradicionais, mas simplesmente acrescentar as suas capacidades adicionais ao leque das opções disponíveis. As Sociedades da Informação e as comunicações são já parte integrante do nosso quotidiano. Invadiram as nossas casas, locais de trabalho e de laser. Oferecem instrumentos úteis para as comunicações pessoais e de trabalho, para o processamento de textos e de informação sistematizada, para acesso a base de dados e à informação distribuída nas redes eletrónicas digitais, para além de se encontrarem integradas em numerosos equipamentos do dia-a-dia, em casa, no escritório, na fábrica, nos transportes, na educação e na saúde. A Sociedade da Informação não pertence a um futuro distante. A expressão “Sociedade da Informação” refere-se a um modo de desenvolvimento social e económico em que a aquisição, armazenamento, processamento, valorização, transmissão, distribuição e disseminação de informação conducente à criação de conhecimentos e à satisfação das necessidades dos cidadãos e das empresas, desempenham um papel central na RCJS / 2013


atividade económica, na criação de riqueza, na definição da qualidade de vida dos cidadãos e das suas práticas culturais.

3. Formate o texto conforme o que é pedido e de modo a ficar o mais parecido com o exemplo que a seguir se apresenta:

Sociedade da Informação A Sociedade da Informação constitui um desafio que tem de ser enfrentado com determinação de modo a adequar o país às profundas mudanças daí resultantes. As manifestações da “Sociedade da Informação” rodeiam o nosso quotidiano, afetam o comportamento das organizações e influenciam o pensamento estratégico das Nações. Os computadores fazem parte da nossa vida individual e coletiva e a Internet e a multimédia estão a

Limite: caixa; Estilo: Cor: Laranja, cor 6 Largura: 3 pto Sombreado: Amarelo Padrões: Estilo 35% Cor: Dourado

tornar-se omnipresentes. Contudo, tal como a rádio não substitui os espetáculos ao vivo, a televisão não faz as vezes da rádio, o cinema não fez desaparecer o teatro, estes novos meios também não irão substituir os livros e outros meios tradicionais, mas simplesmente acrescentar as suas capacidades adicionais ao leque das opções disponíveis. As Sociedades da Informação e as comunicações são já parte integrante do nosso quotidiano. Invadiram

Limite: personalizar; Estilo: e Cor: azul escuro, texto 2 Largura: 1½ e 2 ¼ pto Sombreado: azul escuro, texto 2, mais claro 80%

as nossas casas, locais, de trabalho e de laser. Oferecem instrumentos úteis para as comunicações pessoais e de trabalho, para o processamento de textos e d informação sistematizada, para acesso a base de dados e à informação distribuída nas redes eletrónicas digitais, para além de se encontrarem integradas em numerosos equipamentos do dia-a-dia, em casa, no escritório, na fábrica, nos transportes, na educação e na saúde. A Sociedade da Informação não pertence a um futuro distante.

Limite: sombra; Estilo: Cor: laranja Largura: 3 pto Sombreado: laranja, cor 6, mais claro 80%

A expressão “Sociedade da Informação” refere-se a um modo de desenvolvimento social e económico em que a aquisição, armazenamento, processamento, valorização, transmissão, distribuição e disseminação de informação conducente à criação de conhecimentos e à satisfação das necessidades dos cidadãos e das empresas, desempenham um papel central na atividade económica, na criação de riqueza, na definição da qualidade de vida dos cidadãos e das suas práticas culturais.

Limite: caixa; Estilo: Cor: azul escuro, texto 2 Largura: 2 ¼ pto Sombreado: azul, cor 1, mais claro 40%

4. Para terminar a formatação…insira um limite da página de artes a seu gosto, aplicado só a esta seção. 5. Guarde

as

alterações

realizadas

no

documento:

Resolucao_da_FT_N4_W_n_seu_nome 6. Envie o ficheiro criado para a plataforma Moodle através do link “Submissão da resolução da ficha de trabalho nº 4 do Word”.

Bom Trabalho!

RCJS / 2013


“Resultado da aplicação da Ficha de trabalho nº 4 “ Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha

Paul Taylor Num futuro não tão distante como se pensaria, possuir uma cópia (registada) do Windows XP e uma ligação de banda larga à Net será como ser alfabetizado num mundo de analfabetos (OK, admitimos que é uma alfabetização à la Microsoft, mas ...). Mas, em Portugal como será? Continuaremos a usufruir de pseudoligações de banda larga? Ou estará nas mãos da própria Microsoft levar a termo uma realidade que tarda a se concretizar? Não obstante isto, em breve o XP será tão parte do nosso dia-a-dia como o foi o Windows 95 e o Windows 98 e depois dele... quer queiramos ou não. Tudo o que queria saber. A partir do dia 25 de Outubro estará à venda em todo o mundo a mais recente versão do Windows. Podemos partir do princípio que qualquer pessoa que alguma vez utilizou um computador, já utilizou o Windows. Não só utilizou o Windows como terá ficado com uma impressão muito forte sobre aquilo que viu e experimentou, para bem ou para mal. Mas uma coisa podemos afirmar, depois de ler este artigo, a sua opinião nunca mais será a mesma. Windows XP Windows XP Windows XP Windows XP O Windows XP trata uma coisa que a vasta maioria dos utilizadores receia, a interação com o próprio sistema operativo. O próprio nome XP deriva da “experiência” que o utilizador está sujeito enquanto utiliza o sistema operativo (SO). Não podemos deixar de pensar que há dois tipos de utilizadores de PC e Windows. Aqueles que entendem como funciona um sistema operativo e trabalham com o Windows como se tratasse de uma ferramenta muito avançada, e o segundo tipo, que usa apenas as aplicações que assentam sobre o SO para fazer tarefas do dia-a-dia, mas nem sempre da forma mais eficiente. Os primeiros mexem nas configurações todas do PC e são uma dor de cabeça para o suporte técnico da empresa. Anteriormente tínhamos 2 linhas de produtos, um de consumo doméstico (Windows 9x) e outra profissional (Windows NT). Eram inconfundíveis... um apresenta um interface mais amigável, mais fácil de utilizar, mas mais instável que o último. O Windows NT era domínio dos “sábios” informáticos que precisavam de estabilidade e não ligavam muito ao conforto do veículo. Atualmente temos dois produtos que se assemelham nas questões mais superficiais: Windows Me e Windows 2000 partilham algumas funcionalidades como o multimédia, mas não a versatilidade do Me para vídeo e imagem digital. 25-02-2013

Página 1 de 3


“Resultado da aplicação da Ficha de trabalho nº 4 “ Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha

O Windows 2000 transformou o NT em algo moderno, algo que facilitasse o trabalho aos novatos mas com o qual a velha guarda não se sentisse desconfortável.

25-02-2013

Página 1 de 3


““ Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha

Sociedade da Informação

A Sociedade da Informação constitui um desafio que tem de ser enfrentado com determinação de modo a adequar o país às profundas mudanças daí resultantes. As manifestações da “Sociedade da Informação” rodeiam o nosso quotidiano, afectam o comportamento das organizações e influenciam o pensamento estratégico das Nações. Os computadores fazem parte da nossa vida individual e colectiva e a Internet e a multimédia estão a tornar-se omnipresentes. Contudo, tal como a rádio não substitui os espectáculos ao vivo, a televisão não faz as vezes da rádio, o cinema não fez desaparecer o teatro, estes novos meios também não irão substituir os livros e outros meios tradicionais, mas simplesmente acrescentar as suas capacidades adicionais ao leque das opções disponíveis. As Sociedades da Informação e as comunicações são já parte integrante do nosso quotidiano. Invadiram as nossas casas, locais de trabalho e de laser. Oferecem instrumentos úteis para as comunicações pessoais e de trabalho, para o processamento de textos e d informação sistematizada, para acesso a base de dados e à informação distribuída nas redes electrónicas digitais, para além de se encontrarem integradas em numerosos equipamentos do dia-a-dia, em casa, no escritório, na fábrica, nos transportes, na educação e na saúde. A Sociedade da Informação não pertence a um futuro distante. A expressão “Sociedade da Informação” refere-se a um modo de desenvolvimento social e económico em que a aquisição, armazenamento, processamento, valorização, transmissão, distribuição e disseminação de informação conducente à criação de conhecimentos e à satisfação das necessidades dos cidadãos e das empresas, desempenham um papel central na actividade económica, na criação de riqueza, na definição da qualidade de vida dos cidadãos e das suas práticas culturais.

25-02-2013

Página 1 de 3


Escola Secundária com 3º ceb de Albergaria-a-Velha Ficha de Trabalho Nº 5 - Word - TIC – 9º ano Nome do(a) aluno(a) ________________________________________________ Nº |_|_| Ano |_|_| Turma |_|

Objetivos: 

Formatação de Texto em Colunas;

Operações com tabelas: Criação e formatação de Tabelas;

Quebras de página.

1. Abra o Microsoft Word, guarde o documento aberto com o nome: Resolucao_da_FT_N5_W_n_seu_nome.

****** Substitua: n_seu_nome pelo número e nome. (repita, se necessário para o(s) colega(s) de grupo com quem está(ão) a realizar o trabalho)

2. Transcreva o seguinte texto, tal como é apresentado. Sociedade da Informação

A Sociedade da Informação constitui um desafio que tem de ser enfrentado com determinação de modo a adequar o país às profundas mudanças daí resultantes. As manifestações da “Sociedade da Informação” rodeiam o nosso quotidiano, afetam o comportamento das organizações e influenciam o pensamento estratégico das Nações. Os computadores fazem parte da nossa vida individual e coletiva e a Internet e a multimédia estão a tornar-se omnipresentes. Contudo, tal como a rádio não substitui os espetáculos ao vivo, a televisão não faz as vezes da rádio, o cinema não fez desaparecer o teatro, estes novos meios também não irão substituir os livros e outros meios tradicionais, mas simplesmente acrescentar as suas capacidades adicionais ao leque das opções disponíveis. As Sociedades da Informação e as comunicações são já parte integrante do nosso quotidiano. Invadiram as nossas casas, locais, de trabalho e de lazer. Oferecem instrumentos úteis para as comunicações pessoais e de trabalho, para o processamento de textos e de informação sistematizada, para acesso a base de dados e à informação distribuída nas redes eletrónicas digitais, para além de se encontrarem integradas em numerosos equipamentos do dia-a-dia, em casa, no escritório, na fábrica, nos transportes, na educação e na saúde. A Sociedade da Informação não pertence a um futuro distante. A expressão “Sociedade da Informação” refere-se a um modo de desenvolvimento social e económico em que a aquisição, armazenamento, processamento, valorização, transmissão, distribuição e disseminação de informação conducente à criação de conhecimentos e à satisfação das necessidades dos cidadãos e das empresas, desempenham um papel central na atividade económica, na criação de riqueza, na definição da qualidade de vida dos cidadãos e das suas práticas culturais. RCJS / 2013


1. Em seguida formate-o tendo em conta os seguintes objetivos (atenção: primeiro altere as margens superior, inferior, esquerda e direita do documento para 2,5 cm cada):

I.

Objetivo: Formatação de colunas (Ajuda: Esquema de página  Colunas) a) 1º parágrafo: 5 colunas; b) 3º parágrafo: 3 colunas; c) 5º parágrafo: 4 colunas com linha entre colunas:

Largura das colunas: 1ª e 3ª coluna: 2,8 cm 2ª e 4ª coluna: 2,5 cm Espaçamento: 1,8 cm d) Altere no 1º parágrafo o número de colunas para 2 colunas (esquerda) com linha entre colunas:

Largura das colunas: 1ª coluna: 4 cm 2ª coluna: 10 cm Espaçamento: 2 cm

II. Objetivo: capitular maiúsculas (Ajuda: Inserir Capitulares) a) 1º parágrafo:

-

Opção: Capitulada;

-

Tipo de letra: Comic Sans Ms;

-

Nº de linhas. 4;

-

Distância ao texto: 0,6 cm.

b) 6º parágrafo:

-

Opção: Na margem;

-

Tipo de letra: Arial;

-

Nº de linhas. 3.

c) 4º parágrafo:

-

Opção: Capitulada;

-

Tipo de letra: Wingdings;

-

Nº de linhas: 2.

d) 3º parágrafo formate-o a seu gosto.

2. Guarde as alterações realizadas no documento: Resolucao_da_FT_N5_W_n_seu_nome

III. Objetivo: Inserir Quebra de página RCJS / 2013


Ajuda: Inserir  Quebra de Página -

Faça uma quebra de página no final da primeira página do trabalho realizado.

IV. Objetivo: Criação e Formatação de Tabelas e) Insira a seguinte tabela, na segunda página:

Notas 10º - A (1º Período) Alunos N.º

Disciplinas

Nome

Port.

Fís.

Mat.

TIC.

1

Ana

12

11

12

9

2

Beta

15

16

15

16

3

Carla

11

11

11

12

4

Carolina

9

9

10

8

A tabela possui as seguintes caraterísticas: i.

Altura das linhas: 1ª linha: 1 cm; 2ª linha: 0,8 cm; 3ª linha: 0,7 cm; restantes: 0,5 cm

ii. Largura das colunas: 1ª coluna: 1 cm; 2ª coluna: 2,5 cm; restantes: 2 cm iii. Tipo de letra:

1ª linha: Letra Arial, 11 e negrito 2ª linha: Letra Arial, 11 e itálico 3ª linha: Letra Arial, 11 Restantes: Letra Arial, 9

f)

Os limites e alinhamentos deverão ser feitos de acordo com os da tabela.

g) Sombreado a seu gosto e a tabela deverá ficar centrada. h) Na terceira página do seu documento insira a seguinte tabela:

Vendas da “Texina” Segunda

Terça

Quinta

Sexta

12

Camisa

120

130

200

144

25

Calças

57

85

100

65

26

Camisola

862

202

351

780 Dias da semana

A tabela possui as seguintes características: iv. Altura das linhas: 1ª e última linha: 1 cm; Restantes linhas: 0,7 cm v. Largura das colunas: 1ª coluna: 1 cm; 2ª coluna: 4 cm; restantes: 2 cm vi. Tipo de letra: Arial, tamanho 11 RCJS / 2013


1ª, 2ª e última linha: a negrito. i)

Os limites e alinhamentos deverão ser feitos de acordo com os da tabela.

j)

Sombreado a 25% (automático).

k) A tabela deverá ficar alinhada à direita. l)

Em seguida execute os seguintes passos: vii. Insira uma coluna com o dia da semana que falta. viii. Insira uma linha com o n.º 20 Casacos, de modo a ficar por ordem crescente. ix. Preencha a linha e a coluna que inseriu com dados à sua escolha. x. Elimine a coluna com o nome de Segunda.

m) Na quarta página insira outra tabela:

Rodrigo S.A.

Código

Descrição

Quantidade

2563 2541 2523 2541

Teclado Rato Monitor Impressora

25 20 15 10

Preço Unitário

Preço Total

8500 6500 85000 25000

212500 130000 1275000 250000

Total

1867500

 A tabela possui as seguintes características: xi. Altura das linhas: 1ª linha: 1,3 cm; 2ª linha: 0,5 cm; 3ª e última linha: 0,8; restantes: 0,5 cm xii. Largura das colunas: 1ª e última coluna: 3 cm; restantes: 2,5 cm xiii.

Tipo de letra: 1ª linha: Arial, tamanho 11, negrito e itálico; 3ª linha: Arial, tamanho 11 e negrito; Restantes: Courier New, tamanho 10; Última linha: Arial, 11 e negrito.

n) Os limites e os alinhamentos deverão ser como os da tabela. o) Sombreado a seu gosto. p)

A tabela deverá ser alinhada à esquerda.

q) E na quinta página do seu documento insira a seguinte tabela: RCJS / 2013


Janeiro

Fevereiro

Março

Abril

Teclado

100

200

100

200

600

Monitor

150

200

250

350

950

Impressora

400

200

300

200

1100

850

900

800

1050

 A tabela possui as seguintes características: xiv.Altura das linhas: 1ª linha: 1,3 cm; 2ª e última linha: 0,8 cm; restantes: 0,7 cm xv. Largura das colunas: 1ª e última coluna: 3 cm; restantes: 2 cm xvi.Tipo de letra:

1ª linha: WordArt 2ª linha: Arial, tamanho 11 e negrito; Restantes: Cambria, tamanho 11 Última linha e última coluna: Arial, 11 e negrito

r)

Os limites e os alinhamentos deverão ser como os da tabela.

s) A tabela deverá ficar centrada.

3. Guarde as alterações realizadas no documento: Resolucao_da_FT_N5_W_n_seu_nome.

4. Envie o ficheiro criado para a plataforma Moodle através do link “Submissão da resolução da ficha de trabalho nº 5 do Word”.

Bom Trabalho!

RCJS / 2013


Resultado da aplicação da Ficha de trabalho nº 5

Sociedade da Informação

A ação

enfrentado com determinação de modo a adequar o país às Socied

profundas mudanças daí resultantes. As manifestações da

ade da

“Sociedade da Informação” rodeiam o nosso quotidiano,

Inform

afectam o comportamento das organizações e influenciam

constitui

um

o pensamento estratégico das Nações.

desafio que tem de ser Os computadores fazem parte da nossa vida individual e colectiva e a Internet e a multimédia estão a tornar-se omnipresentes.

C

ontudo, tal como a

desaparecer o teatro, estes

acrescentar

as

rádio não substitui

novos meios também não

capacidades adicionais ao

os espectáculos ao vivo, a

irão substituir os livros e

leque

televisão não faz as vezes

outros meios tradicionais,

disponíveis.

da rádio, o cinema não fez

mas

das

suas

opções

simplesmente



s Sociedades da Informação e as comunicações são já parte integrante do nosso quotidiano. Invadiram as nossas casas, locais, de trabalho e de lazer.

Oferecem

sistematizada,

além

instrumentos

para acesso a

encontrarem

base de dados

integradas

comunicações

e

numerosos

Sociedade da

pessoais e de

informação

equipamentos

Informação

trabalho, para o

distribuída nas

do dia-a-dia, em

não pertence a

processamento

redes

casa,

no

um

de textos e de

electrónicas

escritório,

na

distante.

informação

digitais, para

fábrica,

úteis

A

para

as

à

de

se

transportes, na educação e na

em

saúde.

A

futuro

nos

expressão “Sociedade da Informação” refere-se a um modo de desenvolvimento social e

económico em que a aquisição, armazenamento, processamento, valorização, transmissão, distribuição e disseminação de informação conducente à criação de conhecimentos e à satisfação das necessidades dos cidadãos e das empresas, desempenham um papel central na actividade económica, na criação de riqueza, na definição da qualidade de vida dos cidadãos e das suas práticas culturais.


Notas 10º - A (1º Período) Alunos

Disciplinas

N.º

Nome

Port.

Fís.

Mat.

TIC.

1

Ana

12

11

12

9

2

Beta

15

16

15

16

3

Carla

11

11

11

12

4

Carolina

9

9

10

8

Vendas da “Texina” Terça

Quarta

Quinta

Sexta

12

Camisa

130

120

200

144

20

Casacos

85

60

80

90

25

Calças

85

70

100

65

26

Camisola

202

110

351

780 Dias da semana

Rodrigo S.A.

Código

Descrição

2563 2541 2523 2541

Teclado Rato Monitor Impressora

Quantidade

25 20 15 10

Preço Unitário

Preço Total

8500 6500 85000 25000

212500 130000 1275000 250000

Total

1867500


Janeiro

Fevereiro

Marรงo

Abril

Teclado

100

200

100

200

600

Monitor

150

200

250

350

950

Impressora

400

200

300

200

1100

850

900

800

1050


Escola Secundária com 3º ceb de Albergaria-a-Velha Ficha de Trabalho Nº 6 - Word - TIC – 9º ano Nome do(a) aluno(a) ________________________________________________ Nº |_|_| Ano |_|_| Turma |_|

Objetivos: 

Inserção de formas automáticas, imagens, símbolos e marcas;

Notas de rodapé;

Tabulações;

Índices automáticos.

1. Abra o Microsoft Word, guarde o documento aberto com o nome: Resolucao_da_FT_N6_W_n_seu_nome. ****** Substitua: n_seu_nome pelo número e nome. (repita, se necessário para o(s) colega(s) de grupo com quem está(ão) a realizar o trabalho)

2. Abra o ficheiro com o nome de Texto Ficha de trabalho 6, que se encontra disponível na disciplina de TIC na Plataforma Moodle. Copie o texto e cole-o no documento que criou anteriormente. Em seguida formate-o tendo em conta o conteúdo das chamadas: Nota: Todas as imagens encontram-se no ficheiro ficha de trabalho 6 – imagens na plataforma Moodle  disciplina TIC. O resultado final da ficha prática encontra-se em ficha de trabalho 6 – anexo na plataforma Moodle  disciplina TIC.

Formate o texto do seguinte modo: 3. Configure a página do seguinte modo:

Margem esquerda: 2,5 cm

Margem direita: 2,5 cm

Margem superior: 2,5 cm

Margem inferior: 2,5 cm

Cabeçalho e rodapé: 1,2 cm 4. Formate o texto com letra Arial, tamanho 10, espaçamento entre linhas de 1,5 linhas, justificado e espaçamento antes e depois do parágrafo de 12 pto. 5. Coloque um cabeçalho com “A sociedade da informação” alinhado ao centro. Formate o cabeçalho com letra Book Antiqua, tamanho 10 e com o seguinte limite inferior: 6. Coloque um rodapé com o seu nome alinhado à esquerda e o n.º da página alinhado à direita (ex. Pág. X). Formate o rodapé com letra Comic Sans MS, tamanho 9 e com sombra. Coloque também um limite superior a seu gosto. 7. Insira o texto do 1º parágrafo [A sociedade…] num pergaminho horizontal (forma automática). Pergaminho – sombra, cor de preenchimento e linha a seu gosto. Texto - Tipo de letra: Monotype Corsiva, tamanho 18, negrito e centrado. RCJS / 2013


8. Insira no meio do 2º parágrafo [É um lugar…] uma imagem (Imagem 1). Imagem: Cor da imagem: Saturação da cor  0%; Tom de cor: Temperatura  4700K; Recolorir: Bege, Cor de fundo 2 Claro; Moldar texto: Atrás do texto. 9. Formate o 3º parágrafo [Numa época…] em 3 colunas, com linha entre colunas. 10. Formate o 4º parágrafo [Como não…] com um avanço à esquerda e à direita de 1,5 cm e com um espaçamento antes do parágrafo de 24 pto. Insira também um limite com as seguintes características: Limite: sombra, estilo:

, cor – Azul.

Sombreado: a seu gosto. 11. Formate o 5º parágrafo [A escola…] com letra Comic Sans Ms, Tamanho 14, negrito e centrado. Insira também um limite e um sombreado. Limite - caixa, estilo:

, largura: 3 pto e cor a seu gosto.

Sombreado - preenchimento: amarelo; padrões: estilo: entrelaçado claro, cor: azul. 12. Insira no canto inferior direito do 6º parágrafo [Perante este panorama,…] uma imagem (Imagem 2). 13. Capitule a primeira letra do 7º parágrafo [Qual de nós…] com letra Monotype Corsiva, com 4 linhas e distância do texto de 0,5 cm. 14. Formate o 8º parágrafo [Que a sociedade…] com um sombreado a seu gosto. Insira do lado esquerdo uma imagem (Imagem 3). 15. Formate o 9º parágrafo [Nada começa…] com uma tabulação de 3 cm e um avanço à direita de 4,5 cm. Insira também do lado direito uma imagem (Imagem 4). 16. Insira o texto do 10º parágrafo [Escola…] numa chamada com seta para baixo (forma automática). Seta - com formato 3D e cor de preenchimento a seu gosto. Texto - Tipo de letra: Bookman Old Style, tamanho 14, negrito e centrado. 17. Insira do lado esquerdo do 11º parágrafo [Levando…] uma imagem (Imagem 5), com linha simples e espessura de 1,5 pto. 18. Coloque na palavra “mediatecas” (12º parágrafo – [Sem dúvida…]) uma nota de rodapé com o seguinte símbolo, tipo de letra, Wingdings:. Digitando o seguinte texto: “Arquivo, devidamente organizado, de aparelhagem e material respeitante a cada uma das espécies de meios de informação”.

RCJS / 2013


19. Insira no 13º, 14º e 15º parágrafos [Vontade, Espaço e Uma equipa…] a seguinte marca, tipo de letra, Wingdings:

 20. Formate o 16º parágrafo [Assim sendo…] com um limite e um sombreado a seu gosto. Ainda neste parágrafo insira uma caixa de texto. Dentro desta insira uma imagem (Imagem 6) sem linha; com moldagem de texto: justo. 21. Insira no final do texto o objeto 1. 22. Insira uma nova folha no início do seu documento. Posteriormente, formate-a do seguinte modo: - WordArt: A sociedade de Informação e a escola; - Imagem: Imagem 7 (coloque a imagem atrás do WordArt); - Limite da página a seu gosto (só na 1ª página); - Retire o cabeçalho e o rodapé da 1ª página - Insira o índice do seu documento (segundo o exemplo)

Tipo de letra: Comic Sans Ms Tamanho: 15, Negrito e Centrado Limites e sombreado a gosto

23. Coloque a 5ª folha com orientação horizontal. Formate o objeto, de modo a ficar centrado em relação à largura da página. 24. Verifique o cabeçalho e o rodapé de todas as folhas, bem como o texto. 25. Guarde as alterações realizadas no documento: Resolucao_da_FT_N6_W_n_seu_nome. 26. Envie o ficheiro criado para a plataforma Moodle através do link “Submissão da resolução da ficha de trabalho nº 6 do Word”.

Bom Trabalho!

RCJS / 2013


Texto da Ficha de trabalho nº 6 Texto da Ficha de trabalho nº 6 A sociedade de informação e a «Galáxia de Gutemberg» É um lugar-comum (com a força, o simplismo e a exatidão de todos os lugares-comuns) afirmar-se que a maior riqueza é a informação. O que torna as questões relacionadas com o acesso à informação, uma das mais candentes questões da atualidade. Bom, na verdade de todos os tempos, já que o acesso à informação, a liberdade de informação e as tentativas de todos os Estados para controlar o livre acesso à informação, são um traço permanente da História da Humanidade. Daí que todos os Estados (com maior incidência para os totalitários, mas também os ditos democráticos não estão de todo isentos) se esforçassem e esforcem sempre por enquadrar o acesso à informação, reprimindo-o, enquadrando-o, cerceando-o de uma forma ou de outra. Numa época onde o conhecimento aumenta a um nível até aqui desconhecido e onde a aceleração da História renova esse conhecimento quotidianamente (todo o conhecimento do homem renascentista caberia hoje na edição dominical de um semanário de grande tiragem), coloca-se como nunca as questões ligadas ao acesso a essa informação e aos meios que o permitem. Numa coisa todos parecem concordar: perante a avalanche de cada vez mais e mais conhecimento, os meios para a ele acedermos têm que ser diversos daqueles que eram há décadas. É aqui que entram os novos fetiches da sociedade de informação: os computadores, os espaços multimédia, a Internet, os telefones móveis de 3.ª geração, as redes de TV por cabo... Como não compreender que se fale tão liberalmente da crise do «livro» (ou até do fim anunciado do «livro»), esse anterior fetiche no qual assentou todo o nosso conhecimento desde o dia em que, no século XV, um alemão inventou a imprensa com caracteres móveis, deste modo revolucionando o acesso à informação desses tempos em que se cria que o homem perfeito poderia acumular em si todo o conhecimento do mundo? Ora, tal como a «Galáxia de Gutemberg» destronou o antigo universo do conhecimento assente na oralidade, também hoje muitos dizem que os atuais meios de comunicação e de informação (a «Galáxia de Marconi», para nos mantermos fiéis à terminologia de Marshall Macluhan) depressa destituirão o livro como base do saber e conhecimento. O que recoloca a questão de saber qual o papel da escola (espaço de conhecimento basicamente livresco) nesta «gloriosa alvorada de novos tempos» com imagens múltiplas, dezenas de canais por cabo, realidade virtual e computadores pessoais para (quase) todos. A Escola no turbilhão dos alegados «Novos Tempos» Perante este panorama, que papel está atualmente destinado à Escola? A fazer fé nas palavras dos agentes políticos, à Escola cabem todos os papéis: transmitir conhecimentos, certificar saberes, forjar valores, estruturar aprendizagens, desenvolver aptidões, incrementar paradigmas, moldar comportamentos, integrar socialmente, preparar para a cidadania, etc., etc., etc. Ou seja, a Escola (como todos os nela envolvidos bem sabem) é cada vez mais o veículo por onde tudo passa, por onde tudo se transmite, por onde todos os problemas se equacionam e (tendencialmente) se resolvem. Deste modo, a Escola é tanto mais tudo, sobretudo quanto menos a sociedade de um modo geral e os tais agentes políticos em particular têm soluções para os mesmos problemas que é suposto a Escola resolver. Num momento em que a família se forja em novos paradigmas e nela cada vez menos os jovens têm modelos de referência, num momento em que os antigos meios de socialização vêm a sua influência cada vez mais reduzida (Igreja, clubes, partidos, movimentos associativos de jovens), é à Escola que todos apontam o dedo no sentido de resolver os problemas que eles mesmos não sabem resolver. Qual de nós, dos que estamos envolvidos na escola, não sentimos já esses dedos para nós voltados, dedos que depressa se tornam acusadores se a dimensão da tarefa, a indefinição dos poderes públicos, a escassez de meios e de formação (e às vezes de vontade), tornam inviáveis o cabal cumprimento de todos aqueles objetivos? Qual de nós não se sente frustrado e desanimado perante o multiplicar de tarefas, deveres e responsabilidade sem a correspondente adição de meios e incentivos? E isto dando de barato que compreendemos totalmente aquilo que de nós é exigível... Que a sociedade está em transformação já o sabemos (se bem que, a bem dizer, historicamente a sociedade sempre esteve em transformação, o que varia é o ritmo dessa transformação); que a


Texto da Ficha de trabalho nº 6 Texto da Ficha de trabalho nº 6 escola, que é um reflexo dessa sociedade, também se transforma necessariamente, também o sabemos. Como mudar, o que mudar, a que ritmo mudar? Essas são as questões. Sem querer antecipar algumas observações da alínea seguinte, desejo contudo fazer uma ou outra reflexão. Nada começa e nada acaba na Escola. Muita coisa não passa pela Escola. A Escola é uma parte do percurso, a Escola não é o percurso. Não o é hoje, não o será no futuro. Talvez no futuro a escola aponte, aos nossos jovens, hipóteses de caminho. Aliás, é esta a ponte que pretendemos efetuar com o próximo capítulo, onde se refere um exemplo de como a Escola pode apontar caminhos, sem impor um modelo que oprima. Escola, os novos meios de acesso ao conhecimento e a sociedade de informação. Levando deste modo em conta a necessidade de a Escola acompanhar o avanço da sociedade de informação em que nos movemos, importará questionar, claro, de que forma o pode fazer. Não pretendendo antecipar soluções ou prever caminhos, parece-nos mais curial referir exemplos que atualmente já foram levados a cabo e que são bem-sucedidos. É o caso das mediatecas escolares, espaços de confluência de vários meios de informação, expressão e documentação. Sem dúvida que as mediatecas (de que esta é um excelente exemplo) podem parecer espaços difíceis de erguer, difíceis de manter e de gerir com a funcionalidade necessária. Claro que sim. Exigem disponibilidade da escola, empenhamento e preparação para despesas que não são negligenciáveis. Contudo, requisitos há que permitem o seu incremento: Vontade e empenho da escola como um todo. Espaço próprio com capacidade de crescimento. Uma equipa e um responsável empenhados que vejam os seus esforços recompensados e reconhecidos e que, preferencialmente, se mantenham ao longo dos anos. Assim sendo, não se deve pensar que a escola tem de responder a todas as solicitações, tem de desbravar todos os caminhos, tem de acompanhar todas as mudanças, tem de ocupar todos os espaços deixados vagos pela família ou pelas instituições de socialização hoje em retração. A escola faz parte da sociedade em que se insere, faz parte das instituições que a constituem, com elas interage, mas a elas não se pode substituir na totalidade, sob pena de, «ao carregar tanto a carroça, fazer com que ela não ande por excesso de carga».


Ficha de Trabalho nยบ 6 - Imagens Ficha de trabalho nยบ 6 - Imagens

Imagem 1

Imagem 2

Imagem 3

Imagem 4

Imagem 5

Imagem 6

Imagem 7


Ficha de Trabalho nº 6 - Imagens Ficha de trabalho nº 6 - Imagens

Antes... Windows 3.11 Agora... Windows 8

Objeto 1


Índice A sociedade de informação e a «Galáxia de Gutemberg» ....................................................... 34 A Escola no turbilhão dos alegados «Novos Tempos» ............................................................ 35 Escola, os novos meios de acesso ao conhecimento e a sociedade de informação. ................. 36


A sociedade da informação

A sociedade de informação e a «Galáxia de Gutemberg»

É um lugar-comum (com a força, o simplismo e a exatidão de todos os lugares-comuns) afirmar-se que a maior riqueza é a informação. O que torna as questões relacionadas com o acesso à informação, uma das mais candentes questões da atualidade. Bom, na verdade de todos os tempos, já que o acesso à informação, a liberdade de informação e as tentativas de todos os Estados para controlar o livre acesso à informação, são um traço permanente da História da Humanidade. Daí que todos os Estados (com maior incidência para os totalitários, mas também os ditos democráticos não estão de todo isentos) se esforçassem e esforcem sempre por enquadrar o acesso à informação, reprimindo-o, enquadrando-o, cerceando-o de uma forma ou de outra. Numa

época

onde

conhecimento

aumenta

um

até

nível

desconhecido

tiragem),

como

que eram há décadas. É

a

nunca as questões ligadas

aqui que entram os novos

ao

fetiches da sociedade de

aqui

acesso

a

essa

informação e aos meios que

informação:

História

o permitem. Numa coisa

computadores, os espaços

renova esse conhecimento

todos parecem concordar:

multimédia, a Internet, os

quotidianamente

perante

telefones

conhecimento

da

do

onde

coloca-se

a

aceleração

e

o

(todo

o

homem

cada

a

vez

avalanche mais

mais

renascentista caberia hoje

conhecimento,

na edição dominical de um

para a ele acedermos têm

semanário

que ser diversos daqueles

de

grande

os

e

de

meios

móveis

os

de

3.ª

geração, as redes de TV por cabo...

Como não compreender que se fale tão liberalmente da crise do «livro» (ou até do fim anunciado do «livro»), esse anterior fetiche no qual assentou todo o nosso conhecimento desde o dia em que, no século XV, um alemão inventou a imprensa com caracteres móveis, deste modo revolucionando o acesso à informação desses tempos em que se cria que o homem perfeito poderia acumular em si todo o conhecimento do mundo? Ora, tal como a «Galáxia de Gutemberg» destronou o antigo universo do conhecimento assente na oralidade, também hoje muitos dizem que os atuais meios de comunicação e de informação (a «Galáxia de Marconi», para nos mantermos fiéis à terminologia de Marshall Macluhan) depressa destituirão o livro como base do saber e conhecimento. O que recoloca a questão de saber qual o papel da escola (espaço de conhecimento basicamente livresco) nesta «gloriosa alvorada de novos tempos» com imagens múltiplas, dezenas de canais por cabo, realidade virtual e computadores pessoais para (quase) todos.

Raquel

Pág.


A sociedade da informação

A Escola no turbilhão dos alegados «Novos Tempos» Perante este panorama, que papel está atualmente destinado à Escola? A fazer fé nas palavras dos agentes políticos, à Escola cabem todos os papéis: transmitir conhecimentos, certificar saberes, forjar valores,

estruturar

aprendizagens,

desenvolver

aptidões,

incrementar

paradigmas,

moldar

comportamentos, integrar socialmente, preparar para a cidadania, etc., etc., etc. Ou seja, a Escola (como todos os nela envolvidos bem sabem) é cada vez mais o veículo por onde tudo passa, por onde tudo se transmite, por onde todos os problemas se equacionam e (tendencialmente) se resolvem. Deste modo, a Escola é tanto mais tudo, sobretudo quanto menos a sociedade de um modo geral e os tais agentes políticos em particular têm soluções para os mesmos problemas que é suposto a Escola resolver. Num momento em que a família se forja em novos paradigmas e nela cada vez menos os jovens têm modelos de referência, num momento em que os antigos meios de socialização vêm a sua influência cada vez mais reduzida (Igreja, clubes, partidos, movimentos associativos de jovens), é à Escola que todos apontam o dedo no sentido de resolver os problemas que eles mesmos não sabem resolver.

Q

ual de nós, dos que estamos envolvidos na escola, não sentimos já esses dedos para nós voltados, dedos que depressa se tornam acusadores se a dimensão da tarefa, a indefinição dos poderes públicos, a escassez de meios e de formação (e às vezes de vontade), tornam inviáveis o cabal cumprimento de todos aqueles objetivos? Qual de

nós não se sente frustrado e desanimado perante o multiplicar de tarefas, deveres e responsabilidade sem a correspondente adição de meios e incentivos? E isto dando de barato que compreendemos totalmente aquilo que de nós é exigível... Que a sociedade está em transformação já o sabemos (se bem que, a bem dizer, historicamente a sociedade sempre esteve em transformação, o que varia é o ritmo dessa transformação); que a escola, que é um reflexo dessa sociedade, também se transforma necessariamente, também o sabemos. Como mudar, o que mudar, a que ritmo mudar? Essas são as questões. Sem querer antecipar algumas observações da alínea seguinte, desejo contudo fazer uma ou outra reflexão. Nada começa e nada acaba na Escola. Muita coisa não passa pela Escola. A Escola é uma parte do percurso, a Escola não é o percurso. Não o é hoje, não o será no futuro. Talvez no futuro a escola aponte, aos nossos jovens, hipóteses de caminho. Aliás, é esta a ponte que pretendemos efetuar com o próximo capítulo, onde se refere um exemplo de como a Escola pode apontar caminhos, sem impor um modelo que oprima.

Raquel

Pág.


A sociedade da informação

Escola, os novos meios de acesso ao conhecimento e a sociedade de informação.

Levando deste modo em conta a necessidade de a Escola acompanhar o avanço da sociedade de informação em que nos movemos, importará questionar, claro, de que forma o pode fazer. Não pretendendo antecipar soluções ou prever caminhos, parece-nos mais curial referir exemplos que atualmente já foram levados a cabo e que são bemsucedidos. É o caso das mediatecas escolares, espaços de confluência de vários meios de informação, expressão e documentação. Sem dúvida que as mediatecas (de que esta é um excelente exemplo) podem parecer espaços difíceis de erguer, difíceis de manter e de gerir com a funcionalidade necessária. Claro que sim. Exigem disponibilidade da escola, empenhamento e preparação para despesas que não são negligenciáveis. Contudo, requisitos há que permitem o seu incremento:  Vontade e empenho da escola como um todo.  Espaço próprio com capacidade de crescimento.  Uma equipa e um responsável empenhados que vejam os seus esforços recompensados e reconhecidos e que, preferencialmente, se mantenham ao longo dos anos. Assim sendo, não se deve pensar que a escola tem de responder a todas as solicitações, tem de desbravar todos os caminhos, tem de

acompanhar todas as mudanças, tem

de ocupar todos os espaços deixados

vagos pela família ou pelas instituições

de socialização hoje em retração. A

escola faz parte da sociedade em que

se insere, faz parte das instituições que

a constituem, com elas interage, mas a

elas não se pode substituir na totalidade, sob pena de, «ao carregar tanto a carroça, fazer com que ela não ande por excesso de carga».

Arquivo, devidamente organizado, de aparelhagem e material respeitante a cada uma das espécies de meios de informação. Raquel

Pág.


A sociedade da informação

Antes...

Windows 3.11 Agora... Windows 8

Raquel

Pág. 5

Fichas de trabalho - Word  

Fichas de trabalho de Processamento de texto

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you