Issuu on Google+

Escola Básica 1º, 2º e 3ºCiclos/PE Professor Franc. M.S. Barreto Site: escolas.madeira-edu.pt/eb123pepfmsbarreto email: eb23pfmsbarreto@madeira-edu.pt 28ªEdição Telefone: 291870040 24 de Maio 2012

Nesta Edição

Escola@Notícias YouClube ArteCool Gráphos (Γράφος) Culinária LudoTime

2 28 32 34 42 46

as e Band Clube d

Rock Desporto Escola r

Experiências com a pequ enada

Especia Jogos

is

Colaboradores Professores: Bento Silva, Cláudia Pereira, Carlos Constante, Dinis Ferreira, Eduardo Oliveira, Joana Meneses, Jorge Brandão, José Carvalho, Judite Perestrelo, Lurdes Ferro, Nélia Sousa, Ricardo Padrão, Sónia Bastos, Teresa Chá-Chá, Vânia Moita.

Educadora: Alunos: Alunos da turma 3º e 4º Ano; Alunos da turma 6ºC; Ana Sofia Nascimento, 7ºB; Bárbara Lourenço, Carla Ponte; Cristiano Sousa, Cristina Teixeira; 9ºA; 8ºA; Diogo Caldeira, 8ºA; Duarte Gonçalves, 8ºA; Erica; Fernando; Feliciana Agrela; Francisco Ornelas, 9ºB;Gonçalo Gonçalves, 7ºC; Jéssica Garcês, 9ºA; João; João Manuel Pereira, 9ºA; Laura Gonçalves, 8ºB; Luís Filipe Pombo; Mariana Silva, 8ºA; Margarida Dória, 8ºB; Miguel; Moisés Freitas, 8ºA; Pedro França, 7ºB; Renata Pinto, 7ºB; Sofia Francisco, 9ºB; Sofia Setim, 9ºA; Tânia Pinto, 9ºA; Valter Fernandes, 9ºB.

Técnica Profissional de Biblioves.

Sobre a mãe [num dia que é todos os dias] Não se pode adiar o amor. Nem os gestos doces. Nem as palavras mansas. Nem os beijos. Não se pode lutar contra o calor do seu colo. Nem contra a força dos seus abraços. Nem contra o poder das suas palavras.

Raquel Reis

teca e Documentação:

Editorial

Zélia Gonçal-

Não se pode perder tempo porque o tempo é curto, apesar da luz ser infinita. Por isso, é preciso dizer que a amamos, que reconhecemos os seus passos na noite, que ouvimos a sua voz mesmo quando ela (já) não está. Por isso, é preciso entender que o seu ventre continua a alimentar a nossa vida, que os seus olhos continuam a iluminar as nossas solidões, que o seu colo continua a proteger-nos dos pesadelos que nos atacam os sentidos. Um dia, escrevi que as mães são beijos de Deus. Não me ocorre nada melhor, hoje. Hoje, queria saber escrever o sol e mostrar o seu calor; escrever paz e mostrar as suas asas: escrever beijo e ter o dom da cura; escrever flor e revelar a alegria colorida da meninice, da juventude, do ontem, do hoje e do amanhã; escrever gratidão e dizer o resto. Não se pode adiar o amor. Nunca. É preciso dizer: - meu amor a quem se ama. Chamar: - Mãe e guardar no para sempre de nós, mesmo quando o tempo for de silêncio, a voz de Deus: - vida da minha vida.

Não se pode adiar o amor. Nem os gestos bons. Nem os abraços. E todos os Clube Alimenta- dias são dia das mães. Da minha que está ao pé de mim. E da sua que está mais perto ção em Acão, Culinária, Europeu, Teatro e dos anjos e que olha por si como se continuasse a ser um menino. Não adie os beijos. Depois, pode ser demasiado tarde. Atelier de Matemática.

Clubes e Projetos:

Escritora Graça Alves


Escolas@Notícias Página 2

O RAPOSINHO

No Carnaval Tivemos um dia muito animado! Usamos as roupas da nossa arca das trapalhadas e fizemos uma festa animada! Mais um dia em convívio com os nossos colegas do 1º Ciclo e com a visita especial das nossas amigas do projeto Baú de Leitura.

Educadora Raquel Reis


Escolas@Notícias 28ª Edição

Página 3

As nossas caixinhas da Páscoa reutilizadas Feitas com garrafas pet estas caixinhas para as amêndoas ficaram fantásticas... mas o melhor mesmo foram as amêndoas que não resistimos a provar antes de as embalar!

Educadora Raquel Reis


Escolas@Notícias Página 4

No dia nove de março de 2012, pelas 9:00h, os alunos da Escola Básica 1º; 2º; 3º; Ciclos / Pré – Escolar Professor Francisco Manuel Santana Barreto, efetuaram uma visita escolar ao Jardim Tropical Monte Palace (Quinta Berardo). A nossa chegada ao local ocorreu por volta das 10:00h e lanchámos no Jardim do Monte. De seguida fizemos o percurso até ao referido jardim, pelo caminho encontrámos inúmeros turistas, que cumprimentámos com agrado. Na entrada tivemos a receção de uma guia chamada Judite. Ela apresentou – se e disse-nos que o lugar onde estávamos sentados à sua espera era muito interessante porque eram duas oliveiras com mais de três mil anos que vieram da região do Alentejo e foram plantadas pelos romanos. No trajeto efetuado pelo jardim, observamos diversos painéis sobre a história de Portugal. A guia destacou vários factos importantes sobre alguns painéis. Após observarmos os

O RAPOSINHO painéis de azulejos sobre a História de Portugal dirigimo-nos para o museu com fantásticas obras de arte sobre a cultura Africana mais especificamente sete artesões (artistas) da África do Sul. Quando saímos do museu, a guia que nos acompanhava continuou a explicar-nos importantes momentos da história de Portugal. De seguida visitámos o museu dos minerais e lá havia cristais, “granadas”, ametistas, diamantes, turmalinas, ouro e fósseis. A seguir à visita do museu, num percurso muito lindo vimos uma cascata de água e plantas de diversas origens, numa paisagem magnífica cheia de esplendor e muito bela. A guia mostrou-nos um lugar simbólico do jardim onde havia um buda a quem se pedia desejos, onde cada um de nós pediu um desejo, os professores também pediram o seu muito discretamente. Continuando o nosso trajeto passámos pelas pedras mágicas. E fomos até ao lago onde encontrámos uma gigantesca cascata e lindos cisnes. A guia explicou-nos que naquele local estava o maior vaso do mundo com mais de cinco metros de altura e quinhentos quilos de peso e foi pintado em homenagem a Cleópatra. Ainda junto ao lago a guia referiu a casa (particular), que antigamente era o fantástico e esplendoroso hotel de charme Monte Palace. Depois passamos noutro lago onde havia os peixes Koy de proveniência japonesa e que são de uma beleza extraordinária, esplêndida e excêntrica. A guia também referiu que aque-

les peixes custavam mais de cinco mil euros e que as fêmeas são maiores que os machos. Aproximando-nos da saída passámos por uma gaiola gigantesca onde estavam diversos tipos de pássaros como: periquitos, catatuas e caturras. Junto ao portão a guia despediu-se de todos nós e elogiou a nossa presença pelo fato de sermos alunos curiosos, bem comportados, atenciosos e alegres. A caminho do autocarro, vimos diversos carrinhos do Monte a deslizar pela estrada com turistas, aos quais acenávamos com muito entusiasmo. A viagem de regresso correu muito bem, alguns colegas aproveitaram para descansar, ouvir música, jogar na PSP e nos telemóveis e conversar sobre a visita. Quando chegámos fomos almoçar. Esta visita de estudo foi espetacular, extraordinária, encantadora e muito alegre.

Trabalho coletivo da turma do 3º/4ºAno


Escolas@Notícias 28ª Edição

Página 5

Saída Escolar ao Jardim Tropical “Quinta Berardo”

Momentos vividos durante a saída escolar ao Jardim Tropical “Quinta Berardo”.


Escolas@Notícias Página 6

O RAPOSINHO

Comemoração do dia do Pi (π) No dia 14 de mar- mos que constituem o número pi, que

Para finalizar, a professora

ço, quarta-feira, comemoramos estavam expostos na parede da escola, apresentou-nos algumas mnemónicas o dia do Pi na aula de na Mate- verificamos a sua posição e voltamos para nos ajudar a memorizar os primática.

A

professora

Sónia a preencher novamente outros quadra- meiros algarismos do número Pi, por

começou por entregar umas ati- dos. Nesse mesmo quadrado anota- exemplo “Fui a Roma e vesti gabarvidades relacionadas com núme- mos nas margens a soma das linhas e dina no Sábado antes das cinco”. Se ros Pi. Uma delas apresentava das colunas e observamos que o valor repararem, cada palavra contém o alguns esclarecimentos com este da primeira coluna era igual ao valor número de letras correspondente aos número, porque o Pi traduz a da quinta linha; o da terceira coluna algarismos

do

Pi=31415926535.

razão entre o perímetro de qual- igual ao da terceira linha; o da quarta Depois, tentamos construir as nossas quer circunferência e o diâme- coluna igual a primeira linha e o da mnemónicas e conseguimos estas: tro.

Também

comemoramos quinta coluna igual ao da segunda ”Era a Rita a menos pensadora na

hoje, porque é o mês 3 e o dia linha.

escola velha”; ” Nós e elas e vocês

14, logo 3,14 é um valor aproxi-

guardamos no quarto cinco mil

mado do Pi. Como curiosidade,

euros“. Mesmo no final da aula, a

ficamos a saber que neste dia se

professora distribuiu uns biscoitinhos

comemora também o aniversário

em forma de pi para nos deliciarmos.

de Albert Einstein.

E que bons que estavam! Foi uma aula divertida e inte-

Uma outra tarefa pren-

ressante. Gostamos muito!

deu-se com a existência de um quadrado mágico, cuja soma das linhas, das colunas e das diago-

Comemoração do dia do Pi na

nais é 65. Depois, nos algaris- aula de Matemática.

Alunos do 6ºC Profª Sónia Bastos


Escolas@Notícias 28ª Edição

Página 7

Dia Internacional do Número Pi e Aniversário de Albert Einstein o 14 de março Hoje, dia 14 de março, comemora-se por todo o mundo o dia do Pi, esse famoso número que traduz a razão entre o perímetro de qualquer circunferência e o seu diâmetro. Comemora-se hoje porque é o mês 3 e o dia 14, logo 3,14 um valor aproximado do famoso Pi. O número Pi, dito assim por ser representado pela letra grega pi (ver figura) é hoje conhecido com milhões de casas decimais e é, para os matemáticos, um número irracional e dentro destes um número transcendente. No entanto, ele já era conhecido desde a Mesopotâmia, com aproximações curiosas em várias civilizações. Como curiosidade, neste dia comemora-se também o aniversário, na cidade alemã de Ulm, de Albert Einstein. É extraordinária a coincidência de datas, mas percam a ilusão os que veem desígnios misteriosos nesta coincidência, pois na época não se comemorava o dia do Pi e este dia só é comemorado hoje, por causa do modo como as datas são representadas nos EUA (mês, dia, ano).

Fajã da Ovelha, mês

3, dia 14

Tarefa 1: Uma outra curiosidade prende-se com o quadrado mágico desenhado pelo norte-americano T.E. Lobeck. Neste quadrado, a soma das filas, colunas e diagonais é sempre 65. Eis o quadrado:

17 23 4

24 5 6

1 7 13

8 14 20

15 16 22

10 11

12 18

19 25

21 2

3 9

Agora, nas casas decimais do π, para cada número do quadrado, toma o dígito que encontras nessa posição. Por exemplo, se considerares o primeiro número do quadrado, o 17, vai ao dígito decimal na posição 17, e verificas que é um 2. Coloca-o no lugar do 17 e assim sucessivamente. Deste modo, irás obter outro quadrado.

2

____ ____ ____ ____ ____

____

____ ____

____

____

Grupo de Matemática

Depois de completares o quadrado, anota nas margens a soma das linhas e das colunas. O que podes concluir? _________________________________________________________________________________________


Escolas@Notícias Página 8

O RAPOSINHO

Dia do Pai O doce de abobora para o papá... Feito por nós com muito amor e carinho!


Escolas@Notícias 28ª Edição

Página 9

Hu

m!

!!

Qu es es ab t od ta oro os op pã so o o oc sd . r om tunid ias nã oé a qu ?? doci de de e tem nh ? od c e a ome os r bó bo ra, oé

Educadora Raquel Reis


Escolas@Notícias Página 10

O RAPOSINHO

Sensibilização à Língua Inglesa na Educação Pré - Escolar O desenvolvimento das outras culturas proporcionando novas sessões, desenvolvidas uma vez por sessões de língua inglesa no pré- experiências e vivências significativas semana na sala durante o seu horário escolar

permite um primeiro para a vida da criança.

contacto com uma língua estran-

lectivo, são planeadas de acordo com

O contexto lúdico surge então o que está a ser desenvolvido na sala geira, bem como a sensibiliza- como um espaço fundamental para as de actividades no âmbito do Projecto ção para o conhecimento de experiências de aprendizagem. As Curricular de Turma.


Escolas@Notícias 28ª Edição

Página 11

Aulas de Educação Física Sexta-feira de manhã... um dos nossos dias favoritos... É o dia da "ginástica"! Vimos para a escola todos equipados para fazer muitos jogos, saltar, correr, jogar à bola, brincar com arcos...

Educadora Raquel Reis


Escolas@Notícias Página 12

O RAPOSINHO

Festa do Desporto Escolar Na semana de 17 a 20 drinhar a nossa escola o antigo aluno de Andebol, Futsal, Ginástica Acrode Abril, realizou-se a Festa do e atleta de competição da modalidade bática e Ténis de Mesa. Desporto Escolar. Como é habi- de Badminton, Duarte Anjo, do Clube tual, a cerimónia de abertura Desportivo e Recreativo dos Prazeres. teve lugar no Estádio dos Bar- A nossa escola participou nestes jogos reiros. Este ano tivemos a apa- com 47 alunos e com as modalidades


Escolas@Notícias 28ª Edição

Página 13

Jogos da Festa do Desporto Escolar A nossa escola na Festa obteve a classificação de 2º lugar na durante esta semana lutaram e dignido

Desporto

Escolar

fez-se fase de grupos; a Ginástica Acrobáti- ficaram o nome da nossa escola.

representar pelas modalidades ca apenas participou num esquema de Apesar de todas as dificuldades deride Andebol, Futsal, Ginástica exibição e, por fim, o Ténis de Mesa vadas da crise económica, esperamos Acrobática e Ténis de Mesa. De obteve o 1º e o 2º lugar em competi- que para o ano volte a realizar-se a destacar o empenho e atitude de ção individual nos infantis masculinos Festa do Desporto Escolar, indubitafair play dos nossos alunos em e o 1º lugar em competição por equi- velmente, a maior festa escolar que todos os jogos. Relativamente pas nos infantis masculinos. aos resultados, o Andebol consegui o 2º lugar no escalão de juvenis masculinos; o Futsal

O grupo de Educação Física dá os parabéns a todos os alunos que

movimenta e satisfaz os alunos.


Escolas@Notícias Página 14

O RAPOSINHO

Resultados dos Jogos da Festa Desporto Escolar Juvenis Masculinos

Iniciados Masculinos

9

Fajã da Ovelha Santana

4 3

Fajã da Ovelha

11

Fajã da Ovelha

2

Santana A

26

Ponta do Sol B

5

Fajã da Ovelha

14

Fajã da Ovelha

8

Francisco Franco

3

Estreito de Câmara de Lobos

2

Fajã da Ovelha

15

Santana B

Classificação final: 2º lugar

Classificação final: 2º lugar na fase de grupos (não passou à fase final).

Competição Individual

Competição por Equipas

Masculinos

Masculinos

José Jardim

Juvenis 2 Derrotas na fase de apuramento Iniciados

Pedro Édi, 7ºB

2 Derrotas e 1 Vitória na fase de apuramento

Manuel João, 6ºC

1 Derrotas e 2 vitórias na fase de apuramento e eliminado na 1ª ronda na fase final. Infantis

André Garcês, 5ºA

2 Derrotas na fase de apuramento

Bruno Droumond, 5ºA

2 Derrotas na fase de apuramento

José António Neves, 6ºB

2 Derrotas na fase de apuramento

Jaime Camacho, 6ºB

2 Derrotas na fase de apuramento

João Alves, 6ºB

1º Lugar

Luís Miguel, 6ºB Diogo Alves, 7ºC

1 Derrotas e 2 vitórias na fase de apuramento e eliminado na 1ª ronda na fase final. 5º Lugar

Francisco Franco, 7ºC

2º Lugar

Infantis João Alves, 6ºB, Luís Miguel, 6ºB

1º Lugar

Diogo Alves, 7ºC Francisco Franco, 7ºC

Coordenador do Desporto Escolar José Carvalho


Escolas@Notícias 28ª Edição

Página 15

No dia 18 de abril, parti- Íamos com algum medo dos nossos que foi muito DIVERTIDO e um cipamos na XX edição dos adversários mas enfrentamos este bocadinho cansativo. Jogos Especiais, na Escola Pro- desafio como uma grande aventura e fissional de S. Martinho. Saímos da escola bem

Mas, no final, valeu a pena porque conseguimos vencer uma taça

conhecemos mais amigos.

Tivemos oportunidade de rea- pois ficamos em 1.º lugar do nosso

cedinho e lá fomos nós, prepara- lizar quatro jogos contra equipas de escalão etário. dinhos para jogar basquetebol. diferentes escolas da nossa ilha. O

Para o ano há mais…

O momento em que recebemos a nossa Taça!!!!!!!!

Erica, Fernando, João, Miguel


Escolas@Notícias Página 16

O RAPOSINHO

Clube de Bandas Rock vence prémio regional !!! O Clube de Bandas nador de Educação Artística da RAM. estando brevemente o tema disponíRock da EB123/PE Prof. Fran-

A este concurso, o clube con- vel no portal do mesmo, em cisco M.S. Barreto - Fajã da correu com o tema original "Hino do www.gcea.pt.vu . Ovelha venceu o 1º Concurso Clube de Bandas", tendo vencido a Regional

de

C r i a ç ã o / categoria C (3º Ciclo), competindo Composição Musical para Alu- com todos os candidatos de escolas da nos do Ensino Básico, ocorrido RAM. durante o mês de fevereiro, promovido pelo Gabinete Coorde-

Será entregue o prémio e cer-

tificados de participação pelo GCEA,

Profº Eduardo Oliveira


Escolas@Notícias 28ª Edição

Página 17

Sorteio do Clube de Bandas Rock Realizou-se, no dia 27

O Clube de Bandas Rock consigo uma guitarra elétrica, um

de abril de 2012, na cantina da agradece a todos os participantes e saco, um cabo, um amplificador e nossa escola, o sorteio das rifas colaboradores na venda das rifas, uns auscultadores. do clube, concurso publicitário assim como ao professor Bruno Cas-

PARABÉNS!!!

n.º 22/2012, autorizado pela tro, pela construção da caixa de onde Direção Regional do Turismo, foi extraída a rifa vencedora. tendo sido presenciado por alu- O grande vencedor foi o senhor Paulo nos, funcionários, professores Gama, com a rifa número 409, pai do e direção executiva.

discente homónimo do 5ºB. Levou

Profº Eduardo Oliveira

Aula de Música Divertida. Elaboração de Instrumentos com materiais da Natureza.

Educadora Raquel Reis


Escolas@Notícias Página 18

O RAPOSINHO

Mais aulas de Música Divertidas!

Educadora Raquel Reis


Escolas@Notícias 28ª Edição

Página 19

Atividade do Gabinete Coordenador de Expressão Artística Peça de teatro: Ai que Aranha!


Escolas@Notícias Página 20

O RAPOSINHO

Experiências com a Água À descoberta da ciência na sala da pré. Experiências com água.

Educadora Raquel Reis


Escolas@Notícias 28ª Edição

Página 21

À descoberta do Ciclo da Água Pintura de uma imagem do ciclo da água.


Escolas@Notícias Página 22

O RAPOSINHO

Concurso “A Representação Social Do Professor” nossos alunos teriam que elaborar os miados. A indicação pública dos ven-

seus trabalhos indo de encontro às

seguintes questões: Qual a imagem cedores será feita a 30 de junho de que têm da importância social do pro- 2012. fessor e o que representa(m) o(s) seu

De seguida, serão ilustrados

(s) Professor/Educador(es) na(s) sua os trabalhos desenvolvidos pelos (s) vida(s). Além disso, tiveram que anteditos alunos que foram a concurfirmar os trabalhos com o seu pseudó- so. Desde já, um agradecimento a todos os alunos que colaboraram nes-

nimo.

A nossa escola participou no ta iniciativa e aproveito, também, referido concurso com cinco traba- para vos desejar boa sorte! No âmbito das comemo- lhos: rações do Dia Mundial do Pro-

- Educação Pré-Escolar, reali-

fessor a Federação Nacional dos zado por Jénifer Gonçalves Tré, nº 4; Professores decidiu promover,

- Primeiro ciclo, realizado por

em parceria com a DELTA Bruno Macedo do 4ºano; Cafés,

no

ano

letivo

de

- Segundo ciclo, realizado por

2011/2012, um concurso que, Carla Ponte, nº2, do 6ºC; envolvendo os nossos alunos,

- Terceiro ciclo, realizado por

revele o olhar que estes têm do Diamantino Faria, nº5, do 9ºB; (s) seu(s) professor(es)/educador

- Educação Especial, realiza-

(es) de infância – representação do por Carina Fernandes, nº 6, do 8ºB. próxima da imagem que é captada sobre a importância social

Ao melhor trabalho a concur-

dos docentes pela generalidade so, serão atribuídos prémios no valor dos cidadãos. Todas as pessoas de 100€ (para cada uma das categotêm uma história e a história de rias), bem como a edição de 10 pacoum professor é feita, precisa- tes de açúcar reproduzindo os 10 mente, desta relação tão próxima melhores trabalhos a concurso e a que é estabelecida com os seus realização de uma exposição itineranalunos e os restantes membros te com uma seleção dos 50 melhores das comunidades escolares. Assim, expressão

exemplares da totalidade dos traba-

e através da lhos a concurso, para cuja inaugura-

plástica

(desenho, ção, em 5 de outubro de 2012, serão

pintura e recorte/colagem), os convidados especiais os artistas pre-

Profª Sónia Bastos


Escolas@Notícias 28ª Edição

Página 23


Escolas@Notícias Página 24

O RAPOSINHO

Estudo Estatístico Quanto pesam as mochilas? É frequente encontrar peso da pessoa que a transporta. tirar

algumas

conclusões.

Deste

alunos que vão diariamente para Assim, um aluno com 25 kg não deve modo, reunimos os alunos do 3º e 4º a escola com mochilas muito transportar uma mochila com mais do anos, da nossa escola e fizemos as pesadas – talvez mesmo mais que 2,5 kg.

respetivas pesagens. Esta pesagem

pesadas do que deveriam ser.

ocorreu no dia 15 de março, numa

Será que os alunos da nossa

Na realidade, existem escola transportam as suas mochilas estudos científicos que indicam com peso adequado? Para podermos que o peso de uma mochila não responder a esta questão, fizemos um deve exceder a décima parte do estudo estatístico que nos permite

quinta-feira. Na

tabela seguinte,

podem verificar o peso dos alunos, bem como o peso da sua mochila.


Escolas@Notícias 28ª Edição

Página 25

Agora, vamos organizar todos estes dados numa tabela de frequências absolutas e relativas para a variável (peso do aluno). Decidimos organizá-los em classes para facilitar a análise.

Após análise da tabela anterior, podemos verificar que 7 alunos pesam entre 30 e 40 quilogramas, ou seja 37%. Existem 3 alunos que pesam entre 50 e 60 quilogramas, os restantes pesam entre 20-30 kg e 40-50Kg. Vamos agora organizar todos os dados que recolhemos num diagrama de caule e folhas, num gráfico de barras e num gráfico circular.


Escolas@Notícias Página 26

O RAPOSINHO Como se pode verificar e o máximo é 59 Kg, havendo uma absolutas e relativas para a variável

no gráfico circular, o setor cor- amplitude de 33 Kg. A média de (peso das mochilas). Decidimos respondente à classe dos 30-40 pesos dos alunos desta turma é apro- organizá-los, também, em classes Kg é a que apresenta uma maior ximadamente 39 kg. percentagem de alunos com esse

Média =

peso. A menor é a classe dos 5060 Kg, apenas com 16% dos alunos. O peso mínimo é 26 Kg

para facilitar a análise.

740 = 38,94 Kg 19

O próximo passo é organizar os dados numa tabela de frequências

Em relação ao peso das mochilas, dos mesmos alunos, pode constatar-se que 53% das mochilas pesam entre 3-4 Kg, 26% das mochilas pesa entre 2-3 Kg e 21% varia entre os 4 e os 6 quilogramas. Vamos agora organizar todos os dados que recolhemos num diagrama de caule e folhas, num gráfico de barras e num gráfico circular.


Escolas@Notícias 28ª Edição

Página 27

Como se pode verificar e o máximo é 5,0 Kg, havendo uma no gráfico circular, o setor cor- amplitude de 2,8 Kg. A média de respondente à classe dos 3-4 Kg pesos dos alunos desta turma é aproé a que apresenta uma maior ximadamente 3,5 kg. percentagem de alunos com esse peso. A menor é a classe dos 5-6 Kg, apenas com 5% dos alunos.

Média =

66, 2 ,2 66 = 3,48 Kg 19 19

O peso mínimo é 2,2 Kg Após

os

resultados segundo o estudo científico elabora- o peso das suas mochilas. Se fizer-

expostos, podemos constatar que do. Apenas um aluno, 5%, carrega a mos uma análise, considerando a 53% dos alunos do 3º e 4º anos, mochila com peso ajustado, pois pesa média dos pesos das mochilas (3,5 ou seja mais de metade, trans- 33 Kg e a sua mochila tem uma carga Kg), esta não excede a décima parte porta a mochila com peso ade- de 3,3 Kg. Também se verificou que da média dos pesos dos alunos (39 quado; 42% dos mesmos alunos, os alunos com peso inferior carregam Kg). não transporta a mochila com mochilas pesadas. Posto isto, será peso apropriado, pois excede a necessário sensibilizar os alunos que décima parte do peso permitido, carregam sobrecarga para diminuírem

Profª Sónia Bastos Alunos: Carla Ponte Cristina Teixeira Luís Filipe Pombo


YouClube Página 28

O RAPOSINHO

Triatlo da Matemática Publica-se a classificação dos três primeiros classificados do Triatlo da Matemática, após a primeira prova. Todos os resultados encontram-se disponíveis em http://fmsbarreto.ccems.pt/.

2º Ciclo

3º Ciclo

Bons estudos!

O Delegado

do Grupo de Matemática:

Carlos Constante


YouClube 28ª Edição

Página 29

“Participação da Nossa Escola na Escola Electrão” Clube ECO Terminado o período de gráficas da Escola Electrão para disparticipação do Grupo C na ver- tribuir pelos alunos em reconhecimentente dinâmica do Projeto Escola to do seu empenho e dedicação. Eletrão do qual a nossa escola se

No próximo ano letivo, o Clu-

insere, vimos por este meio be ECO conta com a participação de divulgar que a Escola da Fajã da todos os elementos da comunidade Ovelha recolheu 52 Kg de resí- escolar para a próxima edição do Produos de equipamentos elétricos jeto. e eletrónicos (REEE) e resíduos de

Pilhas

&

Se trouxeres um eletrodomés-

Acumuladores tico receberás em troca uma esfero-

Profª Joana Meneses

(RPA). Deste modo, recebemos gráfica lanterna, para tal contacta os

Profº Dinis Ferreira

Diplomas de Participação para a docentes Dinis Ferreira ou Joana Escola e Docentes responsáveis Menezes. pelo Projeto, bem como Esfero-

Ajuda o Planeta... Colabora!!!


YouClube Página 30

O RAPOSINHO

Modalidade Artística do Teatro Os alunos da Modalida- zou no dia 17 de abril, no Estádio dos do das Ilhas”. O espetáculo quis de Artística de Teatro participa- Barreiros. ram na Festa de Abertura do

mostrar a riqueza natural que se

A festa de abertura foi subor- encontra em todo arquipélago da

Desporto Escolar, que se reali- dinada ao tema: “ Na Europa o Segre- Madeira.

Professores e alunos participantes

Foi um espetáculo mara- tes no estádio dos Barreiros e os teles- RTP Madeira. vilhoso que encantou os presen- petadores que assistiram à festa pela

“Se queres ser amado, ama.” “Quanto mais dás, mais tens” Dias memoráveis!

Alunos do teatro a formarem um vulcão.

Aluna Feliciana Agrela


YouClube 28ª Edição

Página 31

Dia da Europa Em 9 de Maio de uma oportunidade para desenvolver edifício comunitário. 1950, Robert Schu- atividades e festejos que aproximam a man apresentou uma proposta de Europa dos cidadãos. criação

O Dia da Europa constitui uma oportunidade para desenvolver

Atualmente o dia 9 de Maio atividades e festejos que aproximam

de uma Europa organizada, tornou-se um símbolo europeu (Dia a Europa dos seus cidadãos e os requisito indispensável para a da Europa) que, juntamente com a povos da União entre si. manutenção

bandeira, o hino, a divisa e a moeda

de relações pacíficas.

única (o euro), identifica a identidade

Esta proposta, conheci- política da União Europeia. da como "Declaração Schuman", é considerada o

«Unida na Diversidade» é a divisa da UE. Esta divisa evoca a for-

começo da criação do que é hoje ma como os europeus se uniram e a União Europeia.

formaram a UE para trabalhar em

Na Cimeira de Milão de conjunto pela paz e prosperidade, 1985, os Chefes de Estado e embora mantendo a diversidade de Governo decidiram celebrar o culturas, tradições e línguas do contidia 9 de Maio como "Dia da nente. Europa". Inicialmente dirigido

Os diversos países, ao decidi-

em particular à comunidade rem democraticamente aderir à União escolar, é hoje um dos símbolos Europeia, adotam os valores da paz e da União Europeia e constitui da solidariedade, pedra angular do Alargamento de 6 para 27 países


ArteCool Página 32

O RAPOSINHO

Trabalhos de 7º e 9º Ano A seleção de trabalhos (elemento visual) no preenchimento

Alguns trabalhos, dos alunos

visa a demonstração das várias dos espaços. Esta técnica permite-nos de 9º Ano, são a representação, com técnicas apreendidas pelos alu- a variação de tons, com as canetas de apoio na fundamentação dos princínos.

feltro - na aplicação rotineira destes pios básicos da geometria, do espaço. Alguns trabalhos foram materiais riscadores, essa variação

executados com a técnica do cromática torna-se difícil quando se pontilismo - uso do ponto usa como suporte o papel.

Gonçalo Gouveia, 7ºC

Pedro França, 7ºB

Pedro França, 7ºB

Renata Pinto, 7ºB

Renata Pinto, 7ºB

Válter Fernandes, 9ºB (pormenor)

Professora Lurdes Ferro

Pedro França, 7ºB (pormenor)


ArteCool 28ª Edição

Página 33

Sofia Setim, 9ºA (pormenor)

Cristiano Sousa, 9ºA

Ana Sofia Nascimento, 7ºB (pormenor)

Tânia Pinto, 9ºA

João Manuel Pereira, 9ºA


Γράφος Página 34

O RAPOSINHO

“Um amor intenso” Estávamos nós, naquele final de tarde perfeito, numa dourada praia Lusitana, a observar para o grande manto azul que perante o nosso olhar era uma coisa encantadora. E algo só naquele momento fazia sentido… Estávamos abraçados, a sentir o calor dentro de nós, cingidos num abraço intenso, como que tivéssemos medo que um de nós fugisse. Era tudo tão completo, era tudo tão único, era um concretizar de um sonho. Conheci-a a celebrar os meus 16 anos, talvez foi o dia mais feliz da minha vida, eramos simplesmente colegas de turma, mas com o passar do tempo, aproximamo-nos até compreendermos o grande significado da palavra amor - palavra sedosa, brilhante, macia, que dentro de nós, fazia sentido. Lembro-me como fosse ontem, quando confessaste o teu amor, e eu, uma pessoa sem rumo, perdido na vida, apercebi-me que amor era o sentimento que brotava por ti. Beijamo-nos, um doce e longo beijo, mas insuficiente para conseguir demonstrar o meu amor por ti… e ficamos uma noite inteira a falar. Conheci-te melhor. Conheceste-me melhor. Tudo ficou mais claro… Perdi a conta de quantas vezes disse-te “Amo-te”. Perdi a conta das vezes que me beijaste. Perdi a conta de tudo. Perdi a conta… pois nesse momento só te queria a ti. Durante longos anos, eu e tu estivemos juntos, todos os dias, como se o mundo fosse acabar. Abraçamonos, tocamo-nos, beijamo-nos, fomos felizes, foi tudo tão verdadeiro… Lembro-me do fatídico dia, daquele em que te sentiste mal e foste para o hospital. E eu estava lá, a apoiar-te… Foi-te diagnosticado cancro, doença maligna aquela, que te levou para longe, para a morte… Fiquei sozinho… Perdi a rota da minha vida, deixei a profunda e obscura depressão entrar em minha casa, vivi sob o signo da cor negra. O meu coração partiu-se em dois, cada dia que passava, contraia-se apertavase… e foi ficando cada vez mais pequeno… Não podia viver abraçar mais a dor, por isso, meu amor, vou à procura do nosso sonho… Prepara o teu coração, estou a chegar.

Aluno Francisco Ornelas, 9.ºB


Γράφος 28ª Edição

Página 35

Escolhas Escolhas, nem todos temos consciência do que significa escolher. Muitas vezes, não o fazemos de forma consciente ou de forma a pensar no que será melhor e o que estará certo, simplesmente escolhemos por escolher. Talvez não possam ser designadas “más” escolhas, porque poderá ser apenas o destino a falar por si, mas a questão é: “Há ou não há destino?” Estará a nossa vida traçada como se ouve falar por aí? Por isso, nem eu sei, e, sinceramente não gostava de saber, visto que se estiver traçado não o poderei mudar. Saberei sempre o que fazer, talvez não sendo o mais correto. Só que terá de ser decidido, algum dia, em alguma hora ou talvez em breves segundos, mas será sempre uma escolha minha. Não acredito que alguém possa ter tempo para ditar a vida de cada um de nós, no entanto, ninguém morre por querer e se fosse por nossa escolha não teríamos dias maus, más recordações ou notícias trágicas - seria um mundo encantado. Observamos que de tal não se trata, daí ser eu, um simples ser humano confuso sem ter onde “ acentar ” ideias claras. Todos temos dúvidas por isso, não te limites a planear ou a tentar criar um futuro perfeito. Vive um dia de cada vez!

Aluna Jéssica Garcês, 9ºA

A uma borboleta de estimação planeei a tua vida, era um bicho majestoso, com asas que tu adoravas, planeei apanhar-te realmente, não queria cortar-te as asas, não queria muita demora, não gosto de desespero, perdi-me entre instrumentos a utilizar… era tão simples… empurrava-te para as flores… sabes? aquelas flores que ficam em frente da casa eram tão coloridas como o arco-íris… não pensei segunda vez, que não, não, não! porque sei que não, não, não!... mas o teu amor era tão egoísta, se pudesses oferecias-me a uma borboleta de confiança… mas às vezes odiava-te, principalmente quando fugias de mim… sei que não, não, não!... mas planeei a tua vida … eras um bicho majestoso com asas e tu não sabias amar as minhas asinhas de algodão… é verdade… mas sempre tiveste o dom de alegrar alguém.

Aluna Margarida Dória, 8ºB


Γράφος Página 36

O RAPOSINHO

A mãe para tudo… A mãe para todos… A mãe para aconchegar, mimar Sonhar… Ajudar, cozinhar comida deliciosa, Limpar… Dar presentes e receber, claro! Mãe! A mãe para tudo… Mãe para aqui e para acolá! Mãe, és Mãe até ao último minuto De vida.

Aluna Bárbara Lourenço, 8ºA

A mãe para todos A mãe para todos… A mãe para tudo… A mãe para os bons momentos E maus momentos… Faz as tarefas, Limpa, Arruma, Ajuda os filhos. Faz tudo, tudo, tudo… A melhor. Mãe! A mãe para tudo… Nada que não seja tudo, tudo, tudo, Até o minuto de (único momento em que sentimos a sua falta) Morrer.

Aluno Duarte Gonçalves, 8ºA


Γράφος 28ª Edição

Página 37

A mãe para tudo… A mãe para todos… A mãe para fazer as tarefas de casa, arrumar, limpar lavar, passear e cozinhar. A mãe para tudo… Nada que não seja tudo, tudo, tudo… Até ao ultimo minuto de viver.

Aluno Diogo Caldeira, 8ºA

A Mãe A Mãe para tudo… A mãe para cuidar. A mãe para cozinhar, Limpar, Trabalhar dolorosamente, Preocupar-se com os problemas. Mãe, És Mãe para tudo! Pensam que a mãe Deixa de ser mãe, Quando o filho cresce? Mas mãe é para sempre.

Aluno Moisés Freitas, 8ºA


Γράφος Página 38

O RAPOSINHO

Dia da Árvore Hoje é o dia da árvore um dia muito importante vamos todos celebrar este dia radiante. É um dia especial cheio de emoção árvores a nascer do nosso coração. A Natureza é maravilhosa ela vai cantar de felicidade hoje e para sempre terá solidariedade. As árvores estão espantosas ninguém as vai abater se alguém o fizer a natureza vai sofrer. As árvores floridas com um cheiro de encantar que lindas estão parece que vão cintilar. Quando a natureza brilha festejamos com alegria na nossa bela ilha com amor e simpatia. Tão linda é a natureza não quero ficar sem ela porque é preciso protegê-la para ficar muito bela. Vamos cuidar dela tal como o nosso coração é preciso ter consciência com a nossa imaginação.

da o v leti Ano o c ho º/4º l a b 3 Tra a do turm


Γράφος 28ª Edição

Página 39

Desflorestação Por que razão estão a destruir a floresta? Isso não faz sentido. Sem árvores, não haveria vida na Terra, pois são elas que nos dão oxigénio para sobreviver. O desaparecimento das massas florestais é causado por diversas causas, quer naturais, quer pelo Homem. Os incêndios são causadores da destruição das florestas. Os incêndios podem ser provocados, por exemplo, pelas trovoadas, mas, na maior parte das vezes, são fruto do descuido ou ação criminosa. O corte das árvores também causa a desflorestação. Os abates sevem os propósitos industria madeireira. A extração da madeira tem muita utilidade para o Homem, quer para a industria de móveis, quer para a industria de papel. Outra razão para o desaparecimento das florestas são os abates, realizados para a obtenção de solo para cultivos agrícolas. Concluiu-se que a desflorestação é diretamente causada pela ação do homem sobre a natureza, por isso as florestas estão a desaparecer. Esta situação causa um impacto avassalador sobre a biodiversidade. Devemos prevenir antes de remediar. Devemos estabelecer medidas que protejam a floresta mundial para que as gerações futuras vivam com qualidade de vida e segurança.

Aluna Bárbara Lourenço, 8º A

Desflorestação Por que razão devemos proteger a floresta? Temos de proteger a floresta, pois ela é a nossa melhor amiga. Ela “reutiliza” o dióxido de carbono, transformando-o em oxigénio para nós podermos respirar. A floresta acolhe os animais, torna a paisagem mais bela e oferece-nos madeira que pode ter as mais diversas utilidades. A desflorestação é um problema grave e é causada por diversas razões. O corte das árvores para obter a madeira é uma das causas da desflorestação. A madeira tem várias utilidades, como por exemplo, para fazer fogueiras, mobílias, entre outras. Os fogos provocados por causas naturais, como por exemplo, um relâmpago que incendei uma árvore. Uma árvore incendiada é o suficiente para incendiar uma floresta inteira. Existem também fogos provocados pelo ser humano, como por exemplo, quando alguém vai acampar e decide fazer uma fogueira. Se não conseguir controlar fogo, pode provocar um grande incêndio na floresta. Ou, então, um cigarro deixado aceso no chão de uma floresta também pode provocar uma grande catástrofe natural. Devemos seguir as normas de segurança numa floresta, para não provocar incêndios. Temos que proteger a floresta, pois ela é um bem precioso.

Aluna Mariana Silva, 8º A


Γράφος Página 40

O RAPOSINHO

Eles são dois milhões. O dia nasce, eles dormem. Eles regam e cortam o jardim. Eles assam a carne, mas não a temperam. Eles enchem o estômago satisfeitos e anafados. Eles não preparam o que comem (fazemno raramente). Eles ficam sentados no sofá muitas vezes a dormir e outras a ver televisão. Eles não têm jeito nenhum para varrer, nem para cozinhar. Eles são muito bons a fazer uma única coisa: a falar pelos cotovelos.

Aluna Bárbara Lourenço, 8º B

Eles são milhões. O dia nasce, eles vão para a discoteca. Eles bebem bebidas alcoólicas. Eles dançam. Eles falam com as raparigas. Eles vão para casa bêbados. Eles dormem. Eles acordam às três da tarde. Eles almoçam. Eles veem se tem dinheiro. Eles estão de ressaca. Eles bebem água. Eles vão ao ginásio. Eles põem a roupa na lavandaria. Eles vão ao solário e depois vão buscar a roupa à lavandaria. Eles vão para a praia. Eles veem miúdas. Eles divertem-se nas férias. Eles vão para casa. Eles descansam. Eles jantam. Eles dormem. O dia nasce, eles vão para a discoteca…

Aluno Duarte Gonçalves, 8º A

Eles são três milhões. O dia nasce. Eles levantam-se para o trabalho. Eles preparam as ferramentas e o lanche. Eles martelam pregos. Eles fazem o almoço para levar numa marmita. Eles ouvem o Patrão a ralhar por um erro, um esquecimento ou até talvez sem razão. Eles ouvem o barulho da betoneira e do martelo elétrico. Eles fazem a mistura de cimento. Eles transportam a areia e a água em baldes ou carrinhos de mão. Eles chegam à hora de almoço. A comida está ainda morna e a cerveja gelada. O relógio, à hora de almoço, funciona à velocidade da luz, mas quando eles estão a trabalhar funciona a velocidade de uma tartaruga. Continuam trabalhando até ao lanche das quatro. Bebem uma cerveja gelada e trabalham até as seis. Depois lavam a ferramenta, arrumam tudo e vão para casa tomar banho e descansar. Para amanhã fazer tudo novamente.

Aluno Moisés Freitas, 8º A


Γράφος 28ª Edição

Página 41

Eles são três milhões. O dia nasce. Eles vão para o trabalho. Eles sentam-se à espera do café e do pão. Eles vão ao bar beber vinho. Eles sentam-se no sofá à espera que comece o jogo de futebol. Eles são sempre os últimos. Eles enchem o copo de cerveja e sujam o chão com amendoim. Eles não limpam nada. Eles apatanham o chão de terra depois de um dia de trabalho. Eles têm força, mas não ajudam em nada. Eles são preguiçosos. Eles, no final, são os que menos trabalham. Eles também resmungam.

Aluna Laura Gonçalves, 8º B

Top de Leitores

Técnica Profissional de Biblioteca e Documentação Zélia Gonçalves


Culinária Página 42

O RAPOSINHO

Receitas

Tarte de natas Ingredientes:

Preparação:

5ooml de natas

Forrar uma tarteira com papel vegetal e colocar a mas-

1 lata de leite condensado

sa folhada. Bater os ovos com o leite condensado e,

4 ovos Massa folhada

por fim, juntar as natas. Deitar o preparado na tarteira e levar ao forno a 180º.


Culinária 28ª Edição

Página 43

Tarte de Framboesa Ingredientes:

Preparação:

320g de farinha

Misturar a farinha com o chocolate em pó e o cacau.

1 ovo

Juntar o ovo, o leite, a canela, a raspa de limão e a

160 g açúcar

manteiga derretida. Adicionar a amêndoa e o açúcar.

15 g de chocolate em pó

Reservar no frigorífico durante 40 minutos. Forrar

10g de cacau em pó

uma tarteira com papel vegetal e depois preenche-la

1 c. sopa de leite

com a massa. Barrar com a compota de framboesa.

Raspa de 1 limão

Fazer umas tiras com um pouco de massas e colocá-las

140g de amêndoa ralada

sobre a tarte de forma cruzada. Levar ao forno 45

300g de compota de framboesa

minutos.

150g de manteiga Canela, manteiga e açúcar em pó

Nome da fruta: Framboesa Nome científico: Rubus idaeus Família: Rosáceas Categoria: Ácida


Culinária Página 44

O RAPOSINHO

Ovinhos de Amêndoa Ingredientes:

Preparação:

1 gema

Num tacho juntar o açúcar e a água. Deixar ferver 5

500 g açúcar amarelo

minutos. Acrescentar a amêndoa moída e a farinha.

500 g de amêndoa moída sem pele

Retirar e colocar numa superfície untada com óleo e

1 c. farinha

deixar arrefecer. Fazer pequenas bolas. Colocar num

250ml de água

tabuleiro polvilhado com farinha e pincelar com a

óleo

gema. Levar ao forno até alourarem.

Retângulos de Chocolate Ingredientes:

Cobertura:

150 g manteiga

200ml de natas

Forrar um tabuleiro com papel vegetal e untar

1 ovos

300g de chocolate de

com manteiga. Juntar a manteiga com o açúcar e

150 g açúcar

culinária

a baunilha; acrescentar o ovo e bater bem. Derre-

300 g chocolate para culinária

150g de amêndoa picada

ter 200 gramas de chocolate e juntar ao anterior.

Preparação:

200 g farinha

De seguida, adicionar a água, a farinha com o fer-

1 c. sopa de malagueta

mento, a malagueta picada e o restante chocolate

150ml de água

picado (100g). Verter na forma e levar 40 minutos

1 c. sopa de fermento

ao forno. Deixar arrefecer e cortar em retângulos.

1 c. de baunilha

Cobrir com a cobertura e polvilhar com a amêndoa picada.


Culinária 28ª Edição

Página 45

Marmelada Preparação:

Ingredientes: 2kg de marmelo

Levar os marmelos cortados em pedaços ao

1kg de açúcar 1dl de água

lume com o açúcar e a água. Deixar cozer bem. Quando tudo estiver cozido, reduzir a puré com a varinha mágica, de modo a ficar uma mistura homogénea. Deixar ferver mais um pouco até atingir o ponto de estrada. Deitar em tacinhas e deixar secar com uma tampa de papel vegetal embebida em aguardente.

Profª Sónia Bastos

O marmelo entrou com força na categoria dos doces devido ao fruto natural possuir sabor azedo e polpa dura.


LudoTime Página 46

O RAPOSINHO

Anedotas

Adivinhas O que é que ninguém pode segurar nem 5 minutos,

Duas serpentes passeavam pela selva, mas é mais leve que uma pluma? quando uma pergunta à outra: - Olha lá, somos venenosas? - Não sei. Porque é que perguntas? - Porque mordi a língua. A respiração!

Por que 2 esqueletos não podem tocar na missa? - Joãozinho, já fizeste os trabalhos de casa? - Sim, mãezinha - Mas como, se a folha está em branco? - observou a mãe. - Pois está! É que o tema da composição era "As consequências da preguiça".

Porque eles não tem órgãos!


LudoTime 28ª Edição

Página 47

Jogo das Diferenças

Jogos das Palavras

A Equipa do Raposinho agradece a todos quanto contribuíram para a elaboração deste jornal. Muito Obrigado!

Labirinto


Origens da comemoração do dia da mãe O Dia da Mãe tal como o conhecemos hoje em dia teve a sua origem no princípio do século XX. Uma jovem norte-americana, Annie Jarvis, após ter perdido a sua mãe teve a ideia de perpetuar a sua memória com uma festa. Annie quis que a homenagem fosse estendida a todas as mães, vivas ou mortas. Em poucos anos a comemoração alastrou-se por todos os Estados Unidos e, em 1914, o presidente Woodrow Wilson oficializou a data de 9 de Maio como o Dia da Mãe. No entanto, é na Grécia Antiga que encontramos os primeiros indícios da comemoração desta data. No início da primavera, os gregos prestavam homenagem à deusa Reia, mãe comum de todos os seres. Em Roma, as festas comemorativas do Dia da Mãe eram dedicadas a Cybele, a Mãe dos Deuses romanos, e as cerimónias em sua homenagem começaram por volta de 250 anos antes do nascimento de Cristo. Nos primórdios do Cristianismo, a comemoração realizava-se em homenagem à Virgem Maria, mãe de Jesus. Ao longo dos tempos a festa da Igreja foi-se confundindo com a celebração do Domingo da Mãe. As pessoas começaram a homenagear tanto as suas mães como a Igreja. Durante o século XVII, Inglaterra celebrava no 4º domingo de Quaresma um dia chamado “Domingo da Mãe”, que pretendia homenagear todas as mães inglesas. Em Portugal este dia já foi comemorado a 8 de dezembro (Dia da Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de Portugal). Atualmente é celebrado no primeiro domingo de Maio, em homenagem a Maria, mãe de Cristo. Muitos são os países que celebram o dia da mãe em datas diferentes, porém o mais importante é celebrá-lo todos os dias, pois de todas as datas recordativas de nobres vultos e feitos heróicos da história, uma a todas supera pelo seu profundo significado: o Dia das Mães.

Professor Bento Silva


RAPOSINHO 28