Issuu on Google+

O RAPOSINHO ESCOLA BÁSICA DOS 1º, 2º e 3º CICLOS/PE PROFESSOR FRANCISCO MANUEL SANTANA BARRETO - FAJÃ DA OVELHA

15ª Edição 05 de Novembro de 2009

Telefone: 291870040 email: eb23pfmsbarreto@madeira-edu.pt Site: escolas.madeira-edu.pt/eb123pepfmsbarreto

NESTA EDIÇÃO Escola@Notícias

2

YouClube

6

ArteCool

10

Gráphos (Γράφος)

14

LudoTime

18

COLABORADORES

CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO

COMEMORAÇÃO DO HALLOWEEN DE

(CEF)

FORMA DAUDÁVEL

Professores: Carlos Constante, Dinis Ferreira, Fátima

EDITORIAL

Nunes, Eduardo Oliveira, Elisabete Perdigão, Filomena Reis, Joana

Tudo a postos para o início informativos,

por

isso

participa

Menezes, Lurdes Ferro, Nélia Sousa, do ano escolar? Parece que sim!!! connosco: relata novas iniciativas, Patrícia Brito, Ricardo Padrão, Teresa Antes de mais, damos as boas-vindas experiências científicas, pessoais…

aos novos docentes e alunos que nos Desejamos um bom ano lectivo a acercaram este ano. todos!

Chá-Chá e Vânia Moita. Alunos:

Na nossa escola, há tantos

André Fernandes, André Pereira, Bruno projectos, tantas iniciativas, tantas Macedo, Cláudia Carrapatoso, Carolina experiências,

desenvolvidas

pelos

Faria, Guilherme Vieira, Joana Neto, alunos e professores. Vamos tornáSofia Jardim, Solange Andrade, Alunos

los visíveis à comunidade escolar. Vamos divulgá-los!!! Vamos partilhá

do 3ºAno e Alunos do 4ºAno.

-los!!! ESCREVAM! Escrever é um

Técnica Profissional de Biblioteca e Documentação: Zélia Gonçalves. Clubes: Alimentação em Acção, Baú de

Leitura,

Dinamização

Biblioteca e Europeu.

da

acto de cidadania, uma vez que pretende informar e formar leitores que se interessam pelos factos que ocorrem à sua volta. Nós

somos

leitores

Professora Vânia Moita


Escolas@Notícias Página 2

O RAPOSINHO

CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO (CEF) Os Cursos de Educação e e por uma Prova de Avaliação Final. justa. Formação

são

uma

v i a Esta fase da formação sucederá no

Estes alunos tiveram a

profissionalizante que permite, 2º ano do curso, depois da coragem de encaminhar a sua vida. aos alunos, a conclusão de um conclusão de todas as outras Esperemos que aproveitem a Ciclo, com formação direccionada componentes de formação. oportunidade e consigam orientarpara a vida activa.

A turma é composta por se.

Os alunos seguem um catorze alunos. Três alunos iriam currículo

próprio

que

p ossi bi l i t a

vár i as

continuidade

de

O interesse da escola é

lhes

ajudar os alunos, mas os mesmos

saí das:

têm que saber beneficiar deste

estudos

ou

apoio.

entrada no mercado de trabalho.

Boa sorte para os nossos futuros

Este curso é Tipo 2, Nível

Barmen!

2. Os alunos que o frequentam habilitam-se a concluir o 3º Ciclo. Para isso necessitam de resultados positivos

em

todas

as

Componentes de Formação. As

Componentes

Formação

de

Sociocultural

e

Texto: Lurdes Ferro

Científica são leccionadas na

Fotografias: Dinis Ferreira e Lurdes

escola.

Ferro

A

Componente

de

Formação Tecnológica está a decorrer no Hotel Jardins do Atlântico

A começar a frequentar o 3º Ciclo, os Proinov, em parceria com a restantes já estavam no 3º Ciclo. escola,

(nos

está

Prazeres).

responsável

pela

formação nesta componente. O

Turma dos alunos que frequentam o curso CEF.

uso de farda é obrigatório. A avaliação é de 0 a 20 A

Componente

de

formação Prática é composta pelo Estágio em Contexto de Trabalho

Valores, o que permite uma avaliação mais diferenciada e mais


Escolas@Notícias 15ªEdição

Página 3

SAÍDA AO HOTEL JARDIM ATLÂNTICO No dia sete de Outubro os tela, para nós fazermos pinturas. meninos

do

1

convidados

ciclo

foram

Cada um dos meninos fez

participar

num uma pintura, onde colocamos concurso cujo tema era “Rótulo também materiais reciclados que a

Texto de: Joana Neto 2.º Ano Ilustração: Cláudia Carrapatoso 2.º Ano

Ecológico”, no Hotel Jardim professora levou. Atlântico. Depois de termos terminado Saímos da escola depois a pintura, foi-nos oferecido um do almoço, quando chegámos ao lanche. Hotel estavam uns senhores à Foi muito divertido! nossa espera que nos levaram na

Texto de: Joana Neto 2.º Ano Ilustração: Cláudia Carrapatoso 2.º Ano

para uma sala onde havia uma

COMEMORAÇÃO DO HALLOWEEN DE FORMA SAUDÁVEL No passado dia trinta de objectivo Outubro, na Escola Básica 1º, 2º e

principal

comemorar,

Além desta iniciativa, foi

também, esse dia de uma forma feita

a

decoração

da

Escola

3.º Ciclos/PE Professor Francisco Manuel

Santana

comemorou-se

o

Barreto ―Dia

saudável.

A

ementa

saudável particularmente do espaço referente

do elaborada e afixada à entrada da à cantina e do bar dos alunos com cantina foi: sopa de abóbora (para objectos alusivos, nomeadamente: aproveitar

o

conteúdo

deste abóboras, morcegos, teias, bruxas,

hortícola utilizado na decoração do vassouras e mobiles. Todos estes espaço escolar), esparguete com materiais foram elaborados pelos almôndegas recheadas com molho Halloween‖. Comemoração do Halloween

de tomate e beterraba, água e maçã assada no forno como sobremesa.

O Clube da Alimentação em Acção em colaboração com o Grupo de Inglês elaboraram uma ementa para o almoço dos alunos e dos professores que, teve como

alunos.


Escolas@Notícias Página 4

O RAPOSINHO

HALLOWEEN´S DAY

Professoras Patrícia Brito e Nélia Sousa


Escolas@Notícias 15ªEdição

Página 5

Professoras Patrícia Brito e Nélia Sousa


YouClube Página 6

O RAPOSINHO

CLUBE ALIMENTAÇÃO EM ACÇÃO E PLANO DE SAÚDE No passado Escola, com o objectivo de incutir em Acção procedeu à decoração do dia

dezasseis

de nos alunos os bons hábitos de vida bar dos alunos com o objectivo de

Outubro, na Escola saudáveis

associados

às

boas direccionar

a

atenção

da

Básica 1º, 2º e 3.º Ciclos/PE práticas alimentares. Na actividade comunidade escolar para a temática Professor

Francisco

Manuel participaram doze alunos e os da Alimentação Saudável. Durante

Santana Barreto realizou-se uma professores dinamizadores Patrícia essa semana, foi também assinalada ―Caminhada

Saudável‖ Brito,

Joana

Menezes

e

José a Semana Promocional do Leite na

dinamizada pelos responsáveis do

Escola, assim os alunos do Clube

Clube da Alimentação e do Plano

elaboraram e afixaram cartazes com

de Saúde. A actividade destinava-

informação referente à constituição

se aos alunos inscritos no Clube e

e importância do Leite na nossa

no Plano de Saúde.

Carvalho. Alunos

e

os

Professores

durante a caminhada.

A Alunos inscritos no Clube ―Caminhada

realização

da

Saudável‖

consistiu dieta alimentar. numa das actividades dinamizadas e no Plano de Saúde. O Clube da Alimentação em Esta iniciativa consistiu pelo Clube da Alimentação para a Acção procedeu à decoração do bar na realização de um percurso comemoração do Dia Mundial da dos alunos. relativamente

curto

por

uma Alimentação.

Além

desta

vereda existente nos arredores da actividade, o Clube da Alimentação Professoras: Patrícia Brito e Joana


YouClube 15ªEdição

Página 7

DIA INTERNACIONAL DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES O Dia Internacional da

inesperadas

e

nunca

sonhadas;

Biblioteca Escolar é celebrado

descoberta de um poema que nos diz

todos os anos no 4ª segunda-feira

tanto e respondeu aquele pensamento

de Outubro. Foi comemorado pela

que bailava no nosso espírito desde

primeira vez a 18 de Outubro de

―a semana passada‖; descoberta de

1999.

Dia

que afinal não estamos sós no mundo

Biblioteca

e de que há alguém que pensa como

Este

Internacional

ano, da

o

nós;

Escolar é a 26 de Outubro.

Descoberta

ainda

que

a

Biblioteca escolar não existe só para ter livros mas é também o espaço de pesquisa, de realização de trabalhos Acrósticos com a palavra individuais e em grupo; que tem ”Biblioteca” elaborados pelos alunos.

também Vídeos e DVDs; é ainda um

Segundo o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, Dia

Internacional

da

Biblioteca Escolar.

a

palavra

biblioteca

significa

colecção de livros possuídos por Este

ano,

na

nossa

biblioteca, o Dia Internacional das Bibliotecas

Escolares

foi

celebrado com duas actividades: Powerpoint com ―As Mais Belas Bibliotecas do Mundo‖

acrósticos

palavra ―Biblioteca‖.

obras

literárias

de

um

povo;

encontram os livros arrumados. A

esta

definição

devemos

acrescentar algo de menos formal e

- Elaboração, pelos alunos da de

leitura do público; colecção das

estantes, sala ou edifício onde se

- Na Biblioteca foi colocado um

escola,

um particular ou destinados à

com

a

espaço onde se podem encontrar CD Roms e melhor ainda, na Biblioteca escolar, também se podem encontrar exposições e ouvir conferências ou ainda ouvir um conto… A

Biblioteca

Escolar

é

assim, nos dias de hoje, muito mais do que um mero depósito de livros, é a possibilidade de aprender de uma forma diferente, é partir à Aventura do desconhecido.

mais pessoal, porque não dizer que a biblioteca é o local onde podemos encontrar um amigo, descobrir mais

Vem conhecer e usar a biblioteca da tua Escola!

sobre temas que nos interessam ou, quem sabe, encontrar o ânimo para prosseguir a nossa vida. A Biblioteca é ainda o espaço da descoberta: descoberta de um livro que nos leva a aventuras

Dinamização da Biblioteca


YouClube Página 8

O RAPOSINHO

A expressão Halloween da Grã-Bretanha entre os anos 600 novo para os Celtas. Era pois uma terá a sua origem na expressão a.C. e 800 d.C., embora com data sagrada, uma vez que durante Hallow evening (noite sagrada acentuadas diferenças em relação às esse período de tempo, os Celtas em inglês), correspondente à actuais

abóboras

ou à

famosa consideravam que o 'véu' entre o

noite do pôr-do-sol de 31 de frase Trick or Treat, tipicamente mundo material e o mundo dos Outubro para 1 de Novembro. americana e que popularizaram esta mortos (ancestrais) e dos deuses Posteriormente, passou

a

a

usar-se

Hallowe'en.

(mundo divino) era muito ténue.

expressão comemoração. abreviada -

Originalmente,

o

O Samhain

era

Halloween não tinha relação com comemorado por volta do dia 1 de

Dia das Bruxas não é bruxas.

Era

um

festival

do Novembro

com

alegria

e

utilizado pelos povos de língua calendário celta da Irlanda, o

homenagens aos que já

inglesa, sendo uma expressão festival de Samhain, celebrado

tinham

usada

pelos

língua portuguesa.

partido,

povos de entre 30 de Outubro e 2 de deuses. Novembro e marcava o fim do

A origem do Halloween Verão. Samhain significa 'fim do remonta às tradições dos povos Verão' na língua celta. O fim do que habitaram a Gália e as ilhas Verão era considerado como ano

A dinamização da Biblioteca

e

aos


YouClube 15ªEdição

Página 9

Europa era uma linda tão manso, de pelo sedoso e olhar princesa fenícia.

Instalaram-se na ilha de

meigo. Primeiro afagou-o, depois Creta e tiveram três filhos que

Como ainda não chegara à sentou-se-lhe no dorso e... o touro vieram a ser famosos. idade de casar, vivia com os pais disparou de imediato a voar por num magnífico palácio e tinha cima do oceano. por hábito dar longos passeios

A

pobre

Agora o nome da princesa é que ficou famosíssimo!

princesa

ficou

Agradou a poetas da Grécia

com as amigas nos prados e nos assustadíssima. Mas não tardou a Antiga que passaram a chamar bosques. perceber que o raptor só podia ser Europa aos territórios para lá da Certo dia quando apanhava um deus disfarçado, pois entre as Grécia. E agradou ao historiador flores junto da foz de um rio foi ondas emergiam peixes, tritões e Hérodoto, que no séc. V a.C foi o avistada

por

Zeus

(o

deus sereias a acenar-lhes. Até Posídon primeiro a chamar Europa a todo o supremo) que se debruçava lá do apareceu agitando o seu tridente. continente. Olimpo observando os mortais.

Muito

chorosa,

Europa

Fascinado com tanta formosura, implorou que não a abandonasse decidiu raptá-la.

num lugar ermo. Zeus consolou-a,

Para evitar a fúria da sua mostrou-se ciumentíssima

mulher,

carinhoso,

prometeu

Zeus levá-la para um sítio lindo que ele

disfarçou-se. Nada mais fácil para conhecia fora da Ásia. quem tem poderes sobre naturais!

Prometeu e cumpriu.

Tomou a forma de um touro. Um

Assim deixaram a Ásia e

belo touro castanho com um passaram ao continente vizinho que círculo prateado a enfeitar a testa. naquela altura ainda não tinha Desceu então ao prado e deitou- nome. se aos pés da Europa. Ela ficou

Veio a ser Europa, por causa

encantada por ver ali um animal da princesa.

Clube Europeu


ArteCool Página 10

O RAPOSINHO

PINTURA E ESCULTURA A pintura e a escultura são consideradas actualmente formas de comunicação visual que nos permitem conhecer e entender a história do Ser Humano e a sua forma de interpretar ao longo dos séculos. Deixaram de ser, exclusivamente, formas de expressão artística que proporciona prazer. A arte esteve muito ligada às condições e às crenças dos Seres Humanos, desde a Pré-História, sendo perceptível ao longo do percurso em paralelo do Homem/Arte. As obras de arte tiveram, ao longo dos tempos, objectivos diversos. Os conhecimentos técnicos e o material à disposição dos autores das obras também são um factor de grande importância para o desenvolvimento da arte – criação de melhores condições de trabalho e de mais opções de resolução de problemas. A arte rupestre evocava poderes mágicos e religiosos.

Na Antiguidade era usada para representar deuses e mitos, e contava feitos heróicos.

Na Europa Medieval, serviu os interesses religiosos, devido à crescente importância dada à religião.

No Renascimento (palavra que significa o ―renascer‖ das culturas clássicas grega e romana), o interesse pelo estudo do Homem e das Ciências originou mudanças a nível da representação. A arte deixa de estar ao serviço da religião e da realeza.


ArteCool 15ªEdição

Página 11

A arte torna-se um ponto de encontro entre as várias classes sociais.

Posteriormente, a arte deixa de estar centrada no Homem, a representação das paisagens e de naturezas-mortas ganha espaço de destaque.

No Séc. XIX os artistas ganharam mais autonomia e começaram a representar o que mais gostavam ou o que lhes despertava mais interesse. A fase de pintar, única e exclusivamente, por encomenda começava a deixar de ter razão de existir. A partir da abertura que houve apareceram muitos estilos: formas de pintar que obedeciam a certas condições definidas explícita ou implicitamente; os estilos também reflectem o gosto da época, as formas de pensar associadas ao conhecimento científico e aos diferentes materiais disponíveis para uso artístico.

Claude Monet (1840-1926)

Juan Gris (1887-1927)

Wassily Kandinsky (1866-1944)

Piet Mondrian (1872-1944)

Edward Munch (1863-1944)

Rodin (1840-1917)


ArteCool Página 12

O RAPOSINHO

Marcel Duchamps (1887-1968)

Umberto Boccioni (1882-1916)

Actualmente a arte conceptual ocupou um espaço de relevância no campo da cultura artística moderna. Para alguns artistas a pintura, a escultura e o desenho não são os mais importantes numa obra de arte – o importante é como transmitir uma mensagem. O termo conceptual associa-se muito a conceito. A arte deixou de ser executada com os ditos materiais tradicionais. É feita com objectos (televisões, carrinhos de supermercado, terra, água, …). A arte conceptual refere-se à arte que dá maior importância às ideias e aos conceitos, independentemente das técnicas a usar e dos materiais de apresentação.

Nam June Paik, Exposição Il Novecento di Nam June Paik, palácio das Exposições, Roma, 1992

Rob Wilson, Instalação na Bienal de Veneza, 1993

Gerardo Burmester, Centro, Instalação na Galeria Pedro Oliveira, Porto, 1995 Professora Lurdes Ferro


ArteCool 15ªEdição

Página 13

DEFORMAÇÃO. DECOMPOSIÇÃO E DESLOCAÇÃO

Max Ernest

Salvador Dali

Salvador Dali

Professora Lurdes Ferro


Γράφος Página 14

O RAPOSINHO

No âmbito do Plano Regional de Leitura, foi seleccionada a obra «Pedro Pesquito e a Câmara de Lobos» para leitura recreativa no sexto ano de escolaridade. Esta obra foi escrita por Maria Aurora Carvalho Homem. Actualmente Maria Aurora é escritora, jornalista e animadora cultural e é conhecida por ser credora da nova vaga de promoção nacional e internacional da Cultura Madeirense. Os alunos leram uma parte inicial do conto e imaginaram um final. Elaboraram vários textos narrativos muito imaginativos. Mais tarde, irão ler a versão da escritora e as versões dos colegas. Apresenta-se o texto da aluna Carolina Faria que se entusiasmou muito com o trabalho proposto. O livro estará disponível na biblioteca da escola para quem quiser ler a história original. Quem é Pedro Pesquito? Onde costumava desfrutar os prazeres do mar? O que é que ele descobriu na caverna de águas?

Professora Vânia Moita

No dia seguinte ele vestiu -se e foi para a praia procurar lobo-marinho, mas não o encontrou. Então, saiu da água para ver se o via, mas nada. Foi para casa e tomou banho. Pedro estava um pouco em baixo e decidiu isolar-se no quarto velho ao fundo do corredor, onde se encontrava as coisas antigas da infância do seu pai. Encantou-se com uma pequena caixinha azul cheia de pó, abriu-a e encontrou um par de binóculos e foi correr para a praia. Com os olhos bem abertos e com ajuda dos binóculos, Pedro conseguia ver uma parte das ilhas desertas, continuando sempre com a esperança de encontrar o seu novo amigo, o Lobo-marinho. Todos os dias Pesquito fazia a mesma coisa, mas infelizmente nunca obteve bons resultados. Os dias foram passando e continuava tudo na mesma! Até que um dia fartou-se e guardou os binóculos que pertenciam ao seu pai, mas desta vez guardou a caixa debaixo da sua cama.


Γράφος 15ªEdição

Página 15

Voltou aos seus velhos costumes, com as sapatilhas ao ombro e com aqueles olhos grandes e negros fixados nas ondas do mar. Mergulhando, nadando e flutuando. Assim passava os seus dias. Certo dia, um grupo de pescadores decidiu fazer uma pequena viagem até às ilhas desertas: Assim que o Pedro descobriu, pediu-lhes para os acompanhar, mas obviamente não o deixaram. Pesquito ficou muito triste e revoltado. Ele foi para casa e lembrou-se dos binóculos, voltou a tirá-los da caixa e voltou para a praia. Encostou-se à palmeira para ver a partida dos pescadores. Estavam todos à volta da pequena embarcação prontos para partir, mas, de repente, voltaram atrás, pois faltava uma das coisas mais importantes, a merenda. Ao ver isto, Pedro viu a sua oportunidade. Escondeu-se por debaixo de uma rede de pesca com o objectivo de encontrar o seu amigo nas ilhas desertas. Ao chegar, os pescadores não sabiam ao certo onde iriam parar a sua embarcação. Pedro já tinha as pernas a doer e mexeu-se devagarinho, mas sem sorte foi apanhado! Depois de tanta discussão, os ânimos acalmaram e, afinal, foi graças aos binóculos do Pedro que os pescadores puderam parar a sua embarcação e começar a pequena visita. Não encontraram nada. Apenas vislumbraram plantas selvagens! Estiveram duas horas à procura de algo interessante como o lobo-marinho, mas nada! Desiludidos, decidiram voltar. Depois de uma boa noite de sono, Pedro Pesquito, voltou à sua rotina matinal e foi nadar. Passado algum tempo ele ouviu um pequeno barulho, não muito ruidoso, mas que o chamou à atenção. Seguindo o barulho, aproximou-se da câmara e de novo viu uma cabecinha redonda, dois olhos brilhantes e curiosos com uns bigodes, tal como os do seu amigo. Aproximou - se e deu se de conta que era mesmo ele!

Carolina

Faria, 6º A

No outro dia, Pedro foi novamente para a gruta. Viu a foca e disse: - Olá foca. Eu sou Pedro Pesquita. Herdei o nome Pesquita do meu pai e do meu avô. E tu? A foca disse: - Eu sou o Samuel. Eu sou uma foca monge. Eu estou perdido da minha família. Eu vim ter a esta gruta por acidente. Eu tenho medo dos pescadores que me querem matar. Podes me ajudar? O Pedro disse logo que sim, mas primeiro foram brincar. Brincaram e brincaram até anoitecer. Pedro foi para casa dormir e a foca foi para a gruta e dormiu um sono profundo.


Γράφος Página 16

O RAPOSINHO

No dia seguinte, Pedro foi ter com o seu novo amigo. Samuel estava à sua espera para brincar. Brincaram durante muito tempo e a foca fez um pedido ao Pedro: - Pedro, amanhã levas-me às ilhas Desertas? Quero ir ter com a minha família. Pedro respondeu que sim. - Amanhã, eu vou pôr-te a casa. Nesse dia, Pedro pediu ao seu tio para lhe emprestar o barco. O seu tio emprestou-lho, mas ele tinha de ter muito cuidado, porque, caso o estragasse, seria castigado severamente. Pedro disse: - Não te preocupes, tio. Então, o tio deixou-o levar o barco. Depois foi falar com a sua mãe para preparar a merenda para a viagem. A seguir, foi falar com o pai. Pediu-lhe para lhe fazer companhia na sua viagem. O pai disse que sim. No outro dia, seguiram viagem e percorreram um mar grande e azul cristalino. Viajaram pelos concelhos até que chegaram a um certo ponto e encontraram um barco de pescadores. Eles tinham armas para a caça da foca. Pedro e o pai não deixaram que nada de mal acontecesse a Samuel. Os pescadores ficaram furiosos, mas conformaram-se. Continuaram o seu caminho. Pedro e o pai aproveitaram para pescar e apanharam muitos peixes. Quando chegaram às ilhas Desertas, tiveram de procurar a família da foca. Procuraram, procuraram a família de Samuel, até que a encontraram. A foca monge agradeceu a Pedro e disse que Pedro podia voltar sempre que quisesse. Pedro e o pai regressaram a casa e entregaram o barco ao timbrarão do tio. A mãe ficou muito contente e preparou um belo jantar com os peixes que tinham pescado. André Pereira Manso, 6º C

TOP DE LEITORES — MÊS DE OUTUBRO Utilizadores mais Assíduos 1º Miguel Castro — 5ºB 2º Sandrina Bettencourt — 5ºB 3º Cláudia Nóbrega — 5ºB 4º Catarina Silva — 9ºA

Colecções/Livros mais requisitadas: 1º Colecção Ratolândia 2º Ulisses 3º Colecção Asterix

5º André Castro — 8ºA

Técnica Profissional de Biblioteca e Documentação: Zélia Gonçalves


Γράφος 15ªEdição

Página 17

Era uma vez um casal feliz, que queria ter filhos. Então decidiram ter um filho.

Quando esse filho nasceu eles ficaram muito contentes, pensaram que o seu filho iria ter olhos verdes, porque os olhos deles eram azuis e castanhos. Mas o filho teve olhos pretos. Eles nunca tinham visto olhos pretos. Olhos grandes e pretos como o breu. Chamaram a esse menino Lucius. Os pais de Lucius chamavam-no ―os olhos pretinhos mais queridos da cidade‖. Um dia os pais de Lucius morreram e ele ainda era muito novo, por isso alguém responsabilizou-se por tomar conta dele, mas ninguém sabia quem eram os pais dele. Por isso chamavam-lhe o menino e mais nada. Esse menino cresceu e era muito ridicularizado pelos seus colegas. Eles eram muito maus e maltratavam-no como se fosse um saco de lixo. Diziam que ele não chegaria a ser nada na vida e que o máximo que ia conseguir ia ser uma aberração de circo. Num dia 17 de Outubro esse menino fez 18 anos e decidiu começar uma nova vida num sítio distante, e depois de muita procura encontrou um sítio para viver, com um trabalho e ficava do outro lado do mundo, por isso era um começo fresco e revigorante. Trabalhou num circo, onde fazia pipocas, algodão doce e ajudava os artistas. Mas cada pessoa que o via pensava que ele deveria ser uma aberração e que o tinham de o pôr no espectáculo. Esse menino não ficou muito contente, mas aceitou o trabalho. Quando ele ficou com dinheiro suficiente apanhou um avião e foi-se embora. Quando chegou ao Alasca, foi trabalhar numa loja de brinquedos e todos os pequeninos o adoravam, era o mais popular da cidade, tinha amigos e era muito feliz. Um dia levantou-se e preparou-se para o seu novo emprego, porque agora era dono da loja de brinquedos, e olhou-se ao espelho pensando: ―Aquele menino de olhos pretos é agora uma pessoa com uma vida simples, cheia de amigos e com alguém que cuide dele quando envelhecer.‖ Quando passou pela cidade em direcção à loja apercebeu-se que era feliz e com amigos. Quando se deitou pensou para si mesmo: -Sim, isto é a história de um pequeno menino órfão com os olhos pretos como o breu.

André Fernandes, 7º C


LudoTime Página 18

O RAPOSINHO

JOGO DAS DIFERENÇAS Encontra as 7 diferenças entre as duas imagens abaixo.

Quebra-cabeças

SOPA DE LETRAS Encontra o colectivo correspondente a cada uma das imagens, verás como é mais fácil encontrar os 10 colectivos perdidos na sopa de letras! Boa procura!

Professora Teresa Chá-Chá


LudoTime 15ªEdição

Página 19

ILUSÕES DE ÓPTICA Ilusões que nos dão a sensação de movimento (3D)

Imagens que iludem...

Consegues ver um bebé?

Imagem original

Consegues ver cavalos nas rochas?

Imagem invertida Professora Teresa Chá-Chá


LudoTime Página 20

O RAPOSINHO

SOMBRAS CHINESAS Brinca com as tuas mãos e vê o que elas são capazes de parecer! Coloca-te entre um foco de luz (ex: uma vela, uma lâmpada) e uma parede, estica os braços, põe os teus dedos nas posições indicadas nas imagens e vê aparecerem figuras na parede.

CURIOSIDADES Aves curiosas!

Os pinguins conseguem nadar quatro vezes mais depressa do que os humanos.

Os pica-paus verdes, da Europa, chegam a comer duas mil formigas por dia.

Em média um gavião pode comer 290 ratos por ano. Professora Teresa Chá-Chá


LudoTime 15ªEdição

Página 21

ANEDOTAS Um advogado recém-formado abriu um escritório num luxuoso prédio no centro da cidade. Depois de alguns dias, irritou-se com a falta de clientes. Finalmente viu um homem entrar e rapidamente pegou no telefone, fingindo estar a falar com alguém: - Ah, foi? E o que é que lhes disseram? Que somos os melhores? Bom, talvez tenham exagerado um pouco. Muito bem, mas não vamos comparecer à sala de tribunal; confiamos esses assuntos à nossa equipa de auxiliares. Está tudo providenciado. Pode deixar que uma das nossas secretárias fica em cima do assunto. O advogado desligou e voltou-se para o homem. - Em que posso servi-lo? - em nada. Sou técnico da Telecom e vim ligar o telefone. Joãozinho está brigando na rua, com um menino que deveria ter a metade da sua idade. Um senhor que passava por eles se aproxima e os separa. - Você não tem vergonha? - Diz ele se dirigindo ao Joãozinho. - Bater num menino bem menor do que você!! - O senhor queria o quê? - Respondeu ele. - Que eu ficasse esperando ele crescer!

ADIVINHAS Qual é coisa, qual é ela, que é redonda como o

Qual é coisa, qual é ela, que tem uma perna mais

Sol, tem mais raios do que uma trovoada e

comprida que a outra e noite e dia anda sem parar?

anda sempre aos pares? Qual é coisa, qual é ela, que atravessa todas as Qual é coisa, qual é ela, que respira sem pulmões e tem portas sem nunca entrar nem por elas sair?

pés mas não anda?

PROVÉRBIOS

"Uma grama de exemplos

vale mais que uma tonelada de conselhos" Provérbio popular

―Pouco se aprende com a vitória, mas muito com a derrota." Provérbio Japonês Professora Teresa Chá-Chá


LudoTime Página 22

O RAPOSINHO

TÃO

(redonda)

É NO

(Outono)

VESTE

(casaco)

E

É A SABOROSA…

E LISA

QUE SE APANHA

(camisa)

(castanha) Guilherme de Sousa Vieira, 2.º ANO Sofia Leonor Fernandes Jardim, 2.º ANO Solange Da Silva Andrade, 2.º ANO Bruno Diogo Abreu Macedo, 2.º ANO


LudoTime 15ªEdição

Página 23

A CASCA DA

DESCASCA A

(castanha) É

(castanha)

(castanha)

BEM DESCASCADINHA

DENTRO DA CASCA

HÁ UMA CASCA

(castanha)

(castanha clarinha)

Alunos do 3.º Ano

DENTRO DO

(ouriço)

E TEM PICOS P’RA SE VER TENHAM PICA O

(cuidado)

COM ISSO

, FAZ DOER!

(dedo)

Alunos de 4.º Ano


ÍCARO Já todos ouvimos falar de Ícaro, embora nem todos saibamos a origem completa do mito. O pai de Ícaro, Dédalo, um talentoso e reconhecido artesão da cidade de Atenas, na Grécia, tentou deixar o seu exílio na ilha de Creta, onde ele e o seu filho estavam presos nas mãos de Minos, o rei para o qual ele havia construído um labirinto para confinar o Minotauro (metade homem, metade touro). Dédalo, o artesãochefe, estava exilado porque deu à filha de Minos, Ariadne, um novelo de linha de modo a ajudar Teseu, um inimigo de Minos, a sobreviver ao labirinto e derrotar o minotauro. Dédalo confeccionou dois pares de asas, usando penas e cera, para si mesmo e seu filho, Ícaro. Antes de deixarem aquela ilha, Dédalo avisou ao seu filho para que não voasse muito perto do sol, nem muito rente ao mar. Graças à enorme liberdade que voar deu a Ícaro, este cruzou curiosamente o céu, mas, durante o processo, aproximou-se demasiado do sol, que derreteu a cera. Ícaro continuou a bater as asas, mas logo percebeu que já não lhe sobrava qualquer pena nelas e que ele estava batendo apenas os seus próprios braços. E assim, Ícaro caiu no mar na região que recebeu o nome dele – o mar Icário, próximo de Icária, uma ilha a sudoeste de Samos.

Os escritores gregos

que deram sabedoria filosófica ao mito também preferiram mais realidade, na qual deixar Creta era então por água, provida por Pasífae, mulher de Minos, para quem Dédalo criou os primeiros barcos, a bordo dos quais Ícaro caiu a caminho da Sicília e se afogou. Hércules construiu-lhe, mais tarde um túmulo.

Professor Eduardo Oliveira


RAPOSINHO 15