Issuu on Google+

#96

1001째

Fotografia

art 3 design


Fotografia

1001째 art 3 design


Fotografia SUMÁRIO

.................................................................................fotografia.........................................4........................... .................................................................................ilustração..........................................6 .................................................................................portifólio............................................8 .................................................................................inspiração.......................................12 .................................................................................tipografia.........................................15 .................................................................................embalagem....................................18 .................................................................................processos de impressão.................21..........................

1001° O projeto 1001° art e design é uma iniciativa desenvolvida durante o módulo III do curso técnico de design gráfico da instituição Senai - Cecoteg com sede em Belo Horizonte / MG.

Fundador: Douglas Phillipi Conselho Editorial: Rangel Sales

Editor, Redação, Revisão, Projeto Gráfico, Arte: Douglas Phillipi Colunistas: Diana Gonzales, Damião Santana, Fátima Finizola, Vini Guimarães, Martim Bruce e Kleber Rodrigues Agradeço a todas pessoas que participaram do projeto e que de alguma forma incentivou a concretização do mesmo. Em especial Rangel Sales, Andrea Eustanislau, Mariana Fonseca (pela orientação), Felipe F. Vilela e Cidin por ter aceito o convite, Família e amigos pelo alicerce e ao principal responsável por essa conquista: Deus.


Fotografia

Fotograf ia Hip Publicado por Diana em 16 fev 2010 no obviousmag.org

Imagine que vê uma fotografia panorâmica de Paris onde está representado o Rio Sena, a Torre Eiffel, as diversas pontes da cidade e o Sacré Coeur, ao longe. Agora, pense que pode fazer zoom nessa imagem até poder saber exactamente o que já por detrás das janelas dos edifícios mais próximos. Poder contar quantas pessoas estão em cada divisão, se se trata de uma sala ou de uma cozinha e comparar, até, os diferentes móveis dos apartamentos. Parece algo digno do satélite mais poderoso da NASA, mas são, na verdade, as fotografias hiperdetalhadas do francês Jean François Rauzier. Ou simplesmente as hiper-fotos, como o seu autor lhes chama. Através da montagem de centenas ou até milhares de fotografias de alta qualidade, é criada uma imagem de hiper-resolução que leva ao extremos tanto o detalhe como a perspectiva. Cada colagem leva entre 600 e 3400 fotografias individuais que são tiradas individualmente, num período de tempo que pode chegar às duas horas - o que, pensando bem, não é assim tanto. O que demora mais neste trabalho é a junção das fotografias e o trabalho em Photoshop: Rauzier assegura que o espectador não possa distinguir onde começa uma imagem e termina outra. Mesmo que o trabalho utilize uma perspectiva de 360º, como pode ser visto na hiper-foto de Paris, daí a imprevisibilidade do resultado final. E porquê este tipo de fotografias? Rauzier já foi pintor, escultor e fotógrafo ao longo de 30 anos de trabalho e, a partir de 2001, descobriu que

1001° art 3 design

era esta a técnica que mais o completava, pelo menos ideologicamente por juntar um pouco de tudo. Nas suas palavras “como fotógrafo uso esta arte poderosa para capturar a realidade. Como pintor, posso controlar a minha imagem de forma exacta e colocá-la onde quero. Como escultor, passo muito tempo a meditar acerca do meu trabalho, a tocar e a sentir a sua textura. Hiper-fotografia é uma combinação destes três meios”. Não deixe de visualizar as imagens no site de Jean Francois Rauzier. http://www.rauzier-hyperphoto.com http://obviousmag.org/


Fotografia

per Detalhada

4 5


Ilustração

ZIRALDO

A

biografia de Ziraldo é impressionante: mais de 130 livros publicados (fora os livrosque ele apenas ilustrou), criou histórias em quadrinhos com alguns dos personagens mais conhecidos do Brasil, escreveu peças de teatro, é ilustrador, cartunista, designer, cartazista, jornalista, roteirista, pintor, tudo com um traço marcante e estilo pessoal e inconfundível. Presente em alguns dos momentos mais marcantes da cultura brasileira, foi um dos fundadores do antigo jornal e em 1980 lançou O Menino Maluquinho, um dos maiores sucessos editoriais do Brasil de todos os tempos. Sempre preocupado com a valorização da cultura nacional, tem se dedicado como poucos à educação das crianças, orientando seus trabalhos mais recentes a elas, além de dispensar tempo pessoal a palestras, viajando pelo Brasil. Nascido no dia 24 de outubro de 1932 em Caratinga (Minas) mas vivendo grande parte mento é Ziraldo em cartaz, livro que reúne cerca de 300 pôsteres, entre trabalhos para cinema, teatro, shows, eventos, peças publicitárias e campanhas educacionais e políticas. A obra é especialmente rica na descrição de técnicas de design e valoriza a arte de Ziraldo como desenhista, desde a época em que os artistas gráficos ainda não dispunham dos modernos recursos de computação. “Hoje, todo mundo é artista”, brinca Ziraldo.

1001° art 3 design


Ilustração

6 7


Portifólio

Felipe Freire Vilela “Procuro sempre ‘brincar’ com os signos, para emitir uma mensagem simples e objetiva, de acordo com o que o cliente deseja.” Felipe F. Vilela

Sempre gostei de desenhar, e me interressei por produtos tanto as embalagens, como os layouts, logomarcas a publicidade, e também me sentia curioso, imaginando o processo para a criação desses elementos. Em 2001, comecei a fazer cursos básicos do Pacote Corel e Adobe. Criei minhas primeiras peças gráfica, de comunicação interna em uma empresa de publicidade e propaganda, como free lancer, mais tarde, fui contratado por essa empresa, para fazer layouts externos para clientes como, Flyers, Banners, Back Bus, Empenas e afins. Trabalhei nessa empresa até 2005, depois continuei como free lancer, mas também trabalhando em outros projetos, como autônomo. Em 2007, comecei o curso de Design Gráfico da Universidade Fumec, onde estou me formando em breve. Ao longo dessa jornada, fui desenvolvendo minhas técnicas e me aprimorando, isso com muito estudo, informação e pesquisa, procurando oferecer um diferencial, no meu trabalho, me atualizando, e tentando ir além do que está no mercado. Quanto às minhas criações, procuro sempre “brincar” com signos, para emitir uma mensagem simples e objetiva, de acordo com o que o cliente deseja. CONTATO: freirevillela.deviantart.com/gallery

1001° art 3 design


Flyer_Pr茅 Carnaval Arcadium Bar

Poster_BBS Som Luz e Imagem

8 9

Card_Endemicos Soundz

Banner_Torneio de Tennis Feminino Dinamys

Portif贸lio


Portifólio

Atuo na área de ilustração e design desde 2005. Trabalhei durante três anos e meio em duas empresas da área de Educação a Distância em Belo Horizonte/MG, pruduzindo ilustrações e pequenas animações em Flash a partir de roteiros (personagens, ilustrações de cenas, apresentações de conteúdos, etc). Estive também por volta de quatro meses em uma editora em Contagem/MG, produzindo ilustrações para livros infantis. Atualmente trabalho com ilustração infantil, ilustrações para web e impressos, criação de logotipos, banners para web, encartes de cds, panfletos, cartazes e flyers de shows, pop cards, cartões de visita, layouts para myspace (bandas, djs, tatuadores,etc), criação de estampas para peças de vestuário, enfim, desenvolvo uma série de trabalhos na área da comunicação visual. Tenho muito gosto por pintura também, estive durante muito tempo envolvido com graffiti e outros elementos da arte urbana (sticker, stencil), costumo pintar sempre que posso, seja em tecido, madeira, ou qualquer material que aceite a tinta ou qualquer outro elemento que eu utilize na pintura. Acho muito importante agregar técnicas manuais nos trabalhos digitais, isto enriquece os trabalhos e os torna extremamente exclusivos. Sempre estarei atualizando a página com novos trabalhos, divirtam-se. CONTATOS: contato@inartink.com.br inartink@yahoo.com.br 31 8509 3164

1001° art 3 design

Pintura em Tela_2009

Cidin


Ilustração_2009

Folhas (lápis, nanquin, aquarela e colagem_2009

10 11

Mascote PAP Iogurtes_2009

Estampa para Marville_2009

Estampa para Vibe_2010

Portifólio


Inspiração

URBAN ART’S

Desvinculada de estilos, tendências e limites, a arte urbana (será esse o termos ideal?) ignora visões conservadoras e marca forte presença na arte contemporânea mundial. Por Douglas Phillipi

1001° art 3 design


Inspiração

12 13


Inspiração

1001° art 3 design


i pt o g r a f i a FT o

CRIMES TiPoGrÁfiCoS Crimes Tipográficos é um projeto colaborativo, iniciado no ano de 2000, na cidade de Recife | Brasil, pelos designers Damião Santana e Fátima Finizola.

Dentre os nortes inspiradores dos projetos tipográficos do CT estão a estética vernacular e o experimentalismo gráfico, que são percebidos nas fontes de título que fazem referência a tipografias populares ou nos dingbats que transitam pelo nonsense e temáticas que refletem a cultura brasileira.

O grupo possui trabalhos reconhecidos no âmbito nacional e internacional pela Bienal Letras Latinas, Mostra Tipografia Brasilis e Salão Pernambuco Design. A fonte Zabumba City foi reconhecida na América Latina sendo selecionada para a Bienal Letras Latinas 2006, bem como para o Salão Pernambuco Design 2008. As fontes Capoeira e Zabumba Folk também foram selecionadas para a 3ª Mostra Tipografia Brasilis e para o Salão Pernambuco Design 2006. Algumas fontes experimentais elaboradas na fase inicial da fonthouse foram publicadas no livro Fontes Digitais Brasileiras. Hoje o CT se empenha em enriquecer e divulgar a cultura tipográfica brasileira, através de oficinas e palestras, bem como no contato diário com o cliente que consome tipografia através de projetos gráficos e editoriais. Visite o site: crimestipograficos.com.br

Fonte unicase com inspiração em letras estampadas nas placas e muros da cidade do Recife. Por Fátima Filizola

Zabumba City Desenvolvida por Fátima Filizola

Fonte display versal, versalete desenvolvida por João Paulo Angelin com inspiração na cidade de Olinda,Pernambuco

Lego System Dingbat desenvolvido por João Paulo Angelim com base no jogo Lego.

14 15

Surgido a partir de uma brincadeira na Pós-graduação em Design da Informação da Universidade Federal de Pernambuco, os primeiros Crimes Tipográficos eram ilustrações desenvolvidas a partir de tipos, pelo designer Damião Santana, para um projeto editorial realizado durante o curso. Mais adiante, com a disciplina de Tipografia Digital ministrada por Priscila Farias, inicia-se de fato o projeto das primeiras fontes que caracterizariam o grupo experimental como uma fonthouse. Desde então os Crimes Tipográficos se transforma num dos projetos paralelos do Estúdio Corisco Design e mais adiante abre suas portas para novos colaboradores.

Atualmente a proposta do grupo é abarcar não só designers de tipos como quaisquer pesquisadores ou profissionais de áreas afins, como a fotografia e o cinema, que encontrem na tipografia uma fonte de inspiração para o seu dia-a-dia.


Tipografia

TIPOGRAFIA ARTESANAL URBANA O projeto Tipografia Artesanal Urbana tem como objetivo a valorização das obras que ainda trazem em si letras feitas a mão apesar das novas tecnologias de impressão que surgem a cada dia. Por Vini Guimarães

O

projeto Tipografia Artesanal Urbana surgiu como meu projeto de graduação em Desenho Industrial/ Programação Visual, na Universidade Federal do Rio de Janeiro. A idéia principal era a produção de fontes digitais que tivessem como referência obras tipográficas artesanais. Apresentado o projeto, porém, a paixão por este tema só faz crescer a cada dia. Me deparo sempre com novas idéias e exemplos que merecem algum tipo de registro - e daí surgiu a necessidade de criar este blog. Ah! O site do projeto, com as fontes disponíveis para serem baixadas gratuitamente, pode ser conferido no http://www.viniguimaraes.com/.

1001° art 3 design

De mãos que já fizeram muito trabalho pesado surgem letras com refinamento caligráfico. Ao invés da pena, é o pincel que mantém uma inclinação constante e traça formas sinuosas e elegantes. Essas são também características da fonte FILEZIM.

Alguns tipos de letra têm como principal objetivo causar impacto na disputada competição por olhares que ocorre na cidade. Um recurso comum é o exagero da parte superior dos caracteres, que somado aos traços grossos produz resultados bold. Assim surgiu a fonte CABEÇA.

Para massas de texto maiores, geralmente são utilizadas fontes de rápida execução. Com poucas pinceladas, surgem letras cuja inclinação parece refletir a velocidade com que foram feitas.Com base neste estilo, surgiu a fonte CONTEXTO, que manteve em alguns caracteres peculiaridades dos trabalhos artesanais.


Tipografia

16 17


Embalagem

Dicas de Sustentabilidade Fonte: Matéria com Martim Bruce, da agência Tin Horse, “Especial Design de Embalagem” da revista Computer Arts Projects. 1. A atual preocupação com práticas sustentáveis se deve ao fato de que os recursos globais que garantem as atividades humanas estão se esgotando cada vez mais rápido. 2. A sustentabilidade é relacionada com as pessoas e a economia, além do meio ambiente. A definição de sustentabilidade do Relatório Brundtland, desenvolvido pela Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento é: “o desenvolvimento sustentável lida com as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades”. 3. A sustentabilidade exige criatividade e persistência para lidar com as numerosas e complicadas variáveis que a circundam. Essas habilidades são pré-requisitos do designer de embalagens. 4. Quando se cria designs levando em conta a sustentabilidade, você precisa trazer os problemas para a sua realidade. O aquecimento global e as emissões de gases que colaboram para o efeito estufa são apenas detalhes hoje. Quer você acredite ou não, há inúmeros outros tópicos que colaboram para o estado lamentável do meio ambiente. 5. Não pense muito sobre qual seria o melhor modo de se criar uma embalagem ecológica. Pense no que acontece depois da fabricação de determinado objeto: o que é necessário fazer para produzir a sua embalagem de que modo as pessoas utilizam o produto e o que elas fazem quando não precisam mais dele. 6. O que deve ser considerado antes da criação do design de uma embalagem é: a quantidade de água que é poluída e a quantidade de CO2 emitida.

1001° art 3 design

7. Sustentabilidade, marca e briefings inovadores são elementos que raramente aparecem juntos. Entretanto, algumas empresas estão se esforçando para atingir objetivos coorporativos e sustentáveis ao mesmo tempo. Como designer de embalagens não espere que todos os seus clientes sejam amigos do meio ambiente. Vá atrás de soluções sustentáveis antes. 8. A análise do ciclo de vida da embalagem é muito útil para compreender o ciclo de vida de um produto. Felizmente, nesse ciclo, as embalagens não são as vilãs. Proteger e entregar um produto de forma eficiente é fundamental para a sustentabilidade. Os principais vilões desse processo são os componentes, a fabricação, a distribuição e o uso. 9. Não se trata de uma guerra de materiais; aliás, tenha cuidado ao dizer que um material é mais ecológico que outro. O Brasil, por exemplo, coloca grande parte do seu lixo em aterros ou nos lixões, enquanto outros países incineram o lixo. O papel, por exemplo, libera uma desagradável mistura de metano (gás mais nocivo do que o CO2) quando enterrado. 10. Os designers podem ter tanta importância à sustentabilidade como para qualquer outro aspecto de um briefing. De qualquer forma, as expectativas devem ser claras e se encaixarem nas demandas do projeto. A classificação exibida acima é baseada em duas questões fundamentais: você sabe o que quer? E você sabe como fazer isso?


Embalagem

11. Reciclagem. Essa deveria ser um requisito básico para a maioria das embalagens. No topo da cadeia de alimentos, estão as embalagens PET, totalmente recicláveis, e as embalagens da Tetra Pak, que podem ser transformadas em alumínio e vaselina, por exemplo. Na base da cadeia estão a incineração e o uso de materiais que viram adubo.

16. Compreenda o ciclo de vida do produto: sua origem, como ele é fabricado, como e onde é usado e o que acontece quando ele é descartado, além de descobrir possibilidades diferentes dos padrões existentes e algumas informações sobre os produtos concorrentes. Quando o assunto é sustentabilidade, as estimativas são feitas apenas a partir de comparações.

12. Alguns briefings que recebemos são chamados de exercício “just do it” (ou apenas faça). Porém antes de criar o primeiro protótipo sem refletir um pouco sobre o assunto, tire algumas dúvidas com especialistas escolhidos a dedo. Não fique com nenhuma dúvida em mente.

17. Descubra o que puder sobre o produto, a embalagem, os processos de fabricação, a linha de distribuição, sem esquecer da venda. Não economize tempo para saber em que etapa da produção ou do consumo ocorre o desperdício e explore soluções em design para diminuir o problema.

14. O questionamento é um passo importante na criação de um projeto sustentável. A fabricação de plástico comum não será mais ecológica do que em PET, devido a fatores como o transporte do material, por exemplo? Faça todas as perguntas necessárias antes de partir para a próxima etapa. 15. A maioria dos clientes e designers pode ficar confusos na etapa de concretização de um projeto, mas ainda é possível ser sustentável e criativo. Contudo, é importante permanecer focado na sustentabilidade se o projeto permitir essa característica, o que deve ser descoberto ainda na etapa de conceituação.

19. Pense em todos os ramos, setores ou sistemas nos quais a embalagem influi, ou até mesmo se ela define um novo sistema. Teste todas as idéias que tiver. Os estágios conceituais e de avaliação podem não dar certo, então, se acostume a pensar inúmeras idéias e fazer diversas tentativas. Converse com especialistas na área. 20. Esteja preparado para fazer com que apelos sustentáveis do produto seja atraentes para um público acostumado com a rotina de prazer e conveniência. As pessoas podem admirar a sustentabilidade, mas o controle do desperdício domiciliar é o principal fator que influencia a busca de soluções mas sustentáveis hoje.

18 19

Não se convença se uma embalagem 13. A aparência 18. Pense na e a linha “digestão” do aparentar ser sustentável. ideológiproduto: o Sempre há algo a ser feito; desde remodelar a ca devem que os conestar bem sumidores estrutura da embalagem para retirar pequenos definidas, fazem com excessos até repensar os princípios porém, a ele enquanfundamentais das embalagens. sustentabito o utilizam e lidade é inquando o descarfluenciada pelo tam. Entenda como comportamento o produto e a embaatual da marca, caraclagem ditam as práticas do terística que possui papel consumidor e também como essas fundamental na embalagem. práticas definem a embalagem e o produto.


Embalagem

Smirnoff coloca em prática no Brasil projeto global de sustentabilidade Por Kleber em 2 de março de 2010 www.pack.com.br/blog/

Com design mais moderno, novas garrafas de Smirnorff Ice chegam ao mercado. Mudança no processo produtivo traz impactos positivos ao meio ambiente Como parte de seu plano global de sustentabilidade, que visa economizar energia, evitar o desperdício de matéria prima e diminuir a emissão de gases poluentes, a Diageo apresenta a nova embalagem de Smirnoff Ice. As novas garrafas, que entram no mercado em janeiro deste ano, apresentam um design mais moderno, ficando ligeiramente maiores no diâmetro e menores na altura. Apesar da redução de peso de 200g para 165g de vidro, o produto mantém o volume de 275 ml, além de continuar com sua qualidade e sabor característicos. ‘’O ponto mais importante desta mudança é o impacto ambiental que ele traz em todo o processo produtivo da garrafa, da fabricação até o descarte’’, aponta Eduardo Bendzius, diretor de marketing da Diageo. ‘’A inovação dessa mudança nãofica apenas na percepção positiva do consumidor, que terá uma garrafa mais moderna, mas é ele saber

1001° art 3 design

que essa mudança traz um benefício maior em toda a sua cadeia de produção’’, completa Bendzius. A nova embalagem consumirá menos energia para ser feita, pois usa cerca de 20% menos vidro em sua produção. Além disso, a menor quantidade de vidro reduz também o descarte de resíduos sólidos no meio ambiente e utilizará menos matéria prima em sua produção. Apesar de ser a primeira iniciativa da Smirnoff envolvendo questões ambientais na produção de seus produtos no Brasil, a DIAGEO já é reconhecida no mundo todo por ações eco-sustentáveis. Foi uma das primeiras empresas a implantar uma destilaria com neutralização de carbono; elabora e adota soluções inovadoras para resíduos e redução de custos em várias de suas plantas, além de adotar programas de conscientização, como o GreenIQ, treinamento que educa e informa os funcionários sobre ações de sustentabilidade. Isso tudo já resultou em prêmios de reconhecimento em sete países. Fonte: ESTRATÉGIA


Fotog rafia Processos Grรกficos

20 21


22

Processos GrĂĄficos

1001° art 3 design


Processos Grรกficos


Fotografia

1001째 art 3 design


MOD_3_N_PSU_Douglas_Phillipi