Issuu on Google+

Caderno B 5 B

Quarta-feira, 02 de maio de 2012, GAZETA DE ALAGOAS

felipecamelo@gazetaweb.com FOTOS: FELIPE CAMELO

Leitora assídua desta coluna, a querida Suzana Palmeira me confidenciou: “Adoro estas fotos que você dedica na sua coluna, Felipe”. Pois esta orquídea é para você, querida. Que a existência continue te iluminando

PÉS ENCANTADOS E também no fim da tarde de hoje, na Galeria Luccarini, jornalistas, formadores de opinião, fashionistas e blogueiros de moda têm encontro marcado. Com cerimonial de luxo assinado por Kátia Albuquerque e assessoria de Lis Nunes, Leandro & Susy Machado inauguram a Encanto dos Pés. Na cena, comidinhas gourmets de Tatiana Brasil, som do DJ Peixe, fotos de Silvio Eugênio e muito champagne. NOITE DE LUA Chef e fofa Silvana Chamusca convidando para a volta do projeto Luau do Vila Chamusca. Às 9 da noite do próximo sábado, 5 de maio, Roberta Aureliano fazendo releituras de xote, baião e xaxado. Natural de Viçosa, lança em breve seu 1º CD, Primeiro Ato. Além de ser uma excelente cantora, compõe, toca carron e zabumba e vem acompanhada de violão e baixo. No alto de Ipioca, programão. RESSOCIALIZADORA Premoldados Alagoas celebrando e informando que, pelo trabalho que realiza com os reeducandos do sistema prisional do Estado, recebeu do governo o selo de Empresa Ressocializadora. É a 1ª e, por enquanto, única empresa no Estado a trabalhar com mão de obra dos internos, dando oportunidade à ressocialização enquanto eles ainda estão presos. Roberto Boness repercutindo.

Movimento extra na Galeria Bartira Nogueira, na Amélia Rosa, a partir das 5 da tarde de amanhã, quando Andréa Lyra Maranhão Minuzzi apresenta novidades do Empório Body Store pro Dia das Mães. Vale visita

GESTÃO DE PESSOAS Hoje e amanhã, no Centro Cultural e de Exposições de Maceió, 9º Congresso Alagoano de Gestão de Pessoas. Promovido pela ABRH-AL, com apoio da ABRH-Nacional, o evento chega à 9ª edição com formato que contempla maior aproximação e a troca de experiências entre empresários, gestores públicos e de iniciativa privada e formadores de opinião. + no www.abrh-al.com.br. INCENTIVO CULTURAL A Universidade Estadual de Alagoas entrega, no próximo dia 5, a premiação dos 2 projetos selecionados pelo Prêmio de Incentivo Cultural para Comunidades Terreiros. A partir das 7 da noite, no Teatro Gustavo Leite, em + 1 ação do projeto Xangô Rezado Alto, que celebra o centenário à memória do conhecido “Quebra de 1912”. Também na cena, a estreia do espetáculo 1912: Orações e Vozes, da Cia. de Dança Maria Emília Clark, que aborda o universo dos orixás e é baseado no episódio histórico. Imperdível.

Antigamente, usar óculos era o horror de muita gente, mas agora, com os novos estilos e modelos, é para usar sem medo de ser feliz. Aqui, Baua Milito & Cláudia Milito exibem os seus de pena de ninguém. Primas, ativar

Carioca por nascimento e alagoana por opção, Andréa Amorim e a chiquérrima Vera Costa entre os pouquíssimos convidados para o almoço de domingo na casa de Edila Nogueira

FOTOS: À BEIRA DO CAMINHO/GABRIELA BARRETO/DIVULGAÇÃO DI MELO – O IMORRÍVEL/DIVULGAÇÃO

CINEMA. Atrasos e falhas técnicas marcaram a edição deste ano do festival; documentários de temática musical roubam a cena e contagiam o público

CINE PE TERMINA HOJE SEM APONTAR GRANDE FAVORITO

RAMIRO RIBEIRO* REPÓRTER

Recife, PE – Num ano marcado por falhas técnicas (de som e de projeção), atrasos, atropelos e mudanças de última hora na programação, apesar dos contratempos a 16ª edição do Cine PE conseguiu apresentar bons exemplares da recente produção audiovisual brasileira – com destaque para a consistente seleção de curtas e, em especial, dos documentários. Após episódios como o defeito no áudio de À Beira do Caminho, a troca de rolos durante a exibição

de Boca e os problemas na projeção dos curtas no primeiro dia da Mostra Pernambuco, o diretor do festival, Alfredo Bertini, convocou uma entrevista coletiva para se desculpar pelos imprevistos ocorridos. As falhas acabaram por ocasionar uma série de mudanças na grade de programação do festival. Dirigido por Flávio Frederico, Boca, presente na competição oficial, teve sua apresentação reagendada para a tarde de ontem (01), o que levou a projeção de Xica da Silva, parte da homenagem ao diretor Cacá Diegues, para o ingrato horário das dez da manhã. Os atrasos também têm sido uma constante na maratona. A jornada de sábado, por exemplo, terminou bem depois da meia-noite, já no domingo.

APELO MUSICAL Na tela grande, um

coincidente apelo musical atravessa os filmes mais comentados pela crítica e os favoritos do público, da presença musical de Roberto Carlos no longa de Breno Silveira ao triângulo amoroso à base de música eletrônica de Paraísos Artificiais. Nesses casos, a trilha sonora é mais que um elemento constitutivo das narrativas, transformando-se em personagem. Talvez por isso não tenham sido gratuitos ou protocolares os aplausos efusivos ao final da sessão de Jorge Mautner – O Filho do Holocausto, documentário de Pedro Bial e Heitor D’Alincourt que mostra a trajetória do multi-artista (desconhecido do grande público) que é um dos pilares teóricos do tropicalismo. O filme de Bial e Heitor cresce vertiginosamente em seus momentos musicais, nos quais Mautner aparece ao lado dos parceiros Gilberto Gil e

Caetano Veloso e também com a banda capitaneada por Kassin e Pedro Sá, nomes da nova onda da música carioca. Personagem tão surreal quanto encantador, a saga do cantor pernambucano Roberto Di Melo foi tema do curta Di Melo – O Imorrível, de Alan Oliveira e Rubens Pássaro. A prosódia ‘sem censura’ do cantor acertou em cheio o público, que pôde conhecer a história perdida de seu único disco gravado em 1975 e que hoje é considerado um dos melhores da música brasileira da época. Já entre as ficções, L, de Thaís Fujinaga, foi exibido na segunda-feira (30) e despontou como franco favorito na mostra competitiva de curtas. A história de Teté e Hector, dois jovens insatisfeitos com seus corpos, encantou pela delicadeza, pela condução madura do roteiro e pelas ótimas interpretações.

EM PRODUÇÃO. Astro da franquia Tropa de Elite vai participar de filme independente dirigido pelo produtor de Homeland

WAGNER MOURA INTERPRETARÁ FELLINI AGÊNCIA O GLOBO

Rio de Janeiro, RJ – Wagner Moura vai interpretar o cineasta Federico Fellini nos cinemas. O independente Fellini Black and White será dirigido e roteirizado pelo produtor da série Homeland, Henry Bromell. O elenco contará ainda com Peter Dinklage

(o Tyrion Lannister, de Game of Thrones), além de Terrence Howard e William H. Macy. Ambientada na Los Angeles de 1957, a história acompanha a primeira viagem de Fellini para os Estados Unidos para participar da cerimônia do Oscar, em que o cineasta ficou desaparecido por 48 ho-

ras. O longa tenta desvendar o que aconteceu com o diretor de A Doce Vida e 1/2. As informações são da revista Variety. No filme, Fellini descobre a cena jazz americana e se apaixona por uma veterinária, enquanto sua esposa tenta afogar suas mágoas com o cantor Ricky Nelson. Howard vai inter-

pretar o músico de jazz que introduzirá Fellini a esse mundo; Macy vai encarnar o assessor de Fellini e Dinklage fará o amante da veterinária. Fellini é um projeto de Brommel e do produtor Andrew Lazar, que há anos desenvolvem a história. A dupla trabalhou junto em Panic, de 2000.‡

IMAGEM & MÚSICA – No alto, cena de À Beira do Caminho, de Breno Silveira; acima, o curta Di Melo – O Imorrível

A 16ª edição do Cine PE termina na noite desta quarta-feira (02), com a exibição de dois filmes fora de competição – MPB: a História que o Brasil não Conhece, de André Moraes, e Sons da Esperança, de

Zelito Viana. A cerimônia de premiação tem início às 21h30. Na próxima sextafeira (04), a Gazeta traz a cobertura completa do encerramento do festival. Fique ligado. * O jornalista viajou a convite do Cine PE

+CINEMA Cão de O Artista terá biografia O cachorro Uggie, que apareceu em O Artista – longa francês ganhador do Oscar de melhor filme neste ano –, vai ganhar uma biografia. Segundo o jornal Washington Post, o livro Uggie: My Story sairá em outubro deste ano e será escrito por Wendy Holden. Uggie não é novato no cinema: já contracenou

com Reese Whiterspoon em Água para Elefantes, e também com George Clooney em Os Descendentes. O cão da raça terrier compareceu ao lado do ator Jean Dujardin (que levou a estatueta de melhor ator) e do diretor Michel Hazanavicius aos prêmios Oscar e Globo de Ouro e ganhou, em fevereiro, o prêmio Coleira de Ouro, destinado ao melhor ator canino, por sua interpretação em O Artista.


Cine PE 2012