Page 1

DR

PUB PUB

PUB

«Parece que estou cá há dois anos»

Balanço dos primeiros dois meses do presidente Basílio Horta Concelho, 4 - 5

Ator sente-se ofendido

Carlos Cruz

Primeiro Instinto

CONCELHO. Guilherme Leite exige que Basílio Horta desminta informações avançadas por um diário.

JUSTIÇA. Vai

CORREIO ROSA. Banda sintrense de

Concelho, 6

passar o Natal na Carregueira. Queluz, 19

finalista do Festival da Canção promove “Amor Ausente”.

Famosos, 23

PUB


18 de dezembro de 2013

a favor da comunidade

O

trabalho a favor da comunidade é, sem dúvida, uma pena alternativa à pena privativa da liberdade e pode ser aplicada como pena autónoma em substituição de uma pena de prisão até dois anos. Esta é uma pena substitutiva da pena de prisão que aproxima os ricos e pobres pois aqui todos são iguais, todos trabalham a favor do bem comum e revela-se das mais eficazes no combate à reincidência. Infelizmente, não é assim que pensam os juízes do Tribunal de Execução de Penas que tutelam os diversos estabelecimentos prisionais de Sintra, nomeadamente a mediática prisão da Carregueira. Nos últimos anos, as precárias concedidas a reclusos são uma raridade e aqueles que querem trabalhar raramente têm essa oportunidade. Veja-se o caso de Manuel Abrantes, arguido do processo Casa Pia, que há vários meses pediu para trabalhar em qualquer serviço da cadeia e até hoje não obteve resposta dos Serviços Prisionais. Também pediu, juntamente com Carlos Cruz, o ex-apresentador televisivo, para passar o Natal em casa, continuando a aguardar resposta. Não tenho por hábito comentar casos concretos, no entanto assalta-me o meu espírito se não seria mais adequada ao caso de Isaltino Morais a aplicação de uma pena de trabalho a favor da comunidade uma vez que este caso, por força da sua mediatização, teria enormes efeitos ressocializantes e integradores. A comunidade constataria que a pena seria cumprida em benefício da própria comunidade e não em seu prejuízo, porque, como todos sabemos, custa muito caro ao Pais, até do ponto de vista económico, ter a população prisional que tem. Por outro lado, não posso deixar de referir que existem entidades beneficiárias do trabalho a favor da comunidade que não compreendem o espírito desta medida, a começar pelo próprio Estado. Nomeadamente quando este não cria condições para que alguns estabelecimentos prisionais proporcionem aos seus reclusos a possibilidade de beneficiarem da aplicação desta pena substitutiva da pena de prisão. As mais das vezes o que sucede é que à pena de prisão que estão já a cumprir soma outra pena de prisão. Ora, do meu ponto de vista, esta situação é injusta e ofensiva dos mais elementares direitos fundamentais e geradora de graves desigualdades. A prestação de trabalho a favor da comunidade nos casos em que pode ser aplicada deve servir para combater a reclusão dando-se até a possibilidade nos casos de criminalidade grave de parte do cumprimento da pena ser prestada em trabalho gratuito a favor do bem comum. Isso, sim, seria justiça.

 Carlos Tomás

Salta à vista...

A

excelente prestação do Sport União Sintrense na Série G do CNS – Campeonato Nacional de Seniores, com o clube da Portela no 3.º lugar da tabela, a apenas três pontos da liderança, deixa antever que possa lutar pelo acesso a uma divisão profissional do futebol luso, mostra o trabalho esforçado da Direção, vinca a acertada política desportiva, as

De terra em terra...

DR

editorial  Prestação de trabalho

A abrir

cirúrgicas contratações, o bom recrutamento de jogadores. Há um rosto, todavia, que se destaca: o do técnico. «Tuck» foi um médio aguerrido, que jogava simples, até duro; não se perdia em rodriguinhos. Salta à vista que temos treinador. Prático, eficaz. Há meses, era adjunto de Rui Gregório. O antigo capitão do Belenenses, pé ante pé, tem levado o Sintrense ao sonho.

DR

2 Correio de Sintra

Tóino de Janas uma figura típica da zona saloia Na zona saloia é raro quem não conheça o Tóino de Janas, como é carinhosamente chamado por toda a população. De calças gastas, blusão antigo dos bombeiros e respetivo quépi, orgulhosamente colocado na cabeça erguida como sinal de importância como se de uma missão se tratasse, percorre as ruas da

zona saloia. Os olhos não se encontram. Vagueiam permanentemente dentro do mundo que o seu cérebro criou e isolou dentro da sua imaginação.... Andar determinado a passo largo, Tóino de Janas leva sempre consigo canhotos de livros de rifas, provavelmente oferta de quem lhe acarinha a loucura, as quais faz ques-

A frase...

tão de distribuir por todas as caixas de correio que encontra, numa missão inocente e inofensiva. Sempre com um sorriso vago, absorto. Nunca pede nada. No comércio local, chamam-no com amizade e perguntam-lhe se quer um bolo, uma água, um gelado. Alegadamente morará em Janas, mas sente que a sua morada é viver entre nós, acarinhado, rodeado de calor humano, cumprindo uma missão que a sua viagem permanente lhe destinou. Missão que se encontra replicada no espírito de todos aqueles que encontra todos os dias, numa solidariedade humana que aceita proteger quem tem a loucura dentro de si, dando a mão ao próximo. Foi criada uma página no facebook que conta já com cerca de 3000 seguidores.

Criar emprego é fazer política social ao mais alto nível.”

(Basílio Horta, presidente da CM Sintra)


PUB


4 Correio de Sintra

18 de dezembro de 2013

Autarquicas Concelho

O PRIMEIRO BALANÇO DO PRESIDENTE DA CÂMARA

Do CDS à CM Sintra, passando pela OCDE Basílio Adolfo Mendonça Horta da França, nascido em 1943 (70 anos), foi fundador do Partido do Centro Democrático Social (CDS) em 1975. Ao longo de muitos anos, foi um destacado membro do CDS. Licenciado em Direito, foi ministro do Comércio e Turismo, da Agricultura, Comércio e Pescas. Foi vice-presidente e secretário-geral do CDS entre o final dos anos 80 e o início da década de 90. Deputado à Assembleia Constituinte e à Assembleia da República, ministro de Estado, foi, também, vice-presidente da Assembleia da República, membro do Conselho de Estado, candidato à Presidência da República e representante de Portugal na OCDE Organisation for Economic Co-operation and Development. Foi, ainda, entre vários outros cargos e funções de prestígio nacional e internacional, presidente do Conselho de Administração da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP- Portugal Global), marcando o seu consulado pelos anúncios de grandes investimentos externos no País. É, também, professor convidado do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP).

ENTREVISTA. Na última semana, o novo presidente da Câmara Municipal de Sintra, o socialista Basílio Horta, num encontro informal com os jornalistas, fez o balanço de cerca de dois meses à frente do Município. Mostrou preocupações várias: entre outras, com a ação social, economia, criação de emprego, tecido empresarial, ambiente, saúde, água e saneamento, e a requalificação da costa e da vila histórica.

F

oi um Basílio Horta bem-disposto, enérgico, determinado, que surgiu perante a Comunicação Social Regional, num encontro informal que promoveu para fazer um primeiro balanço, de dois meses, na Presidência da Câmara Municipal de Sintra (CM Sintra). Nem parece que já tem 70 anos. «Estou aqui há dois meses e até parece que já estou cá há dois anos», declarou, mostrando dominar os vários dossiês que tem pela frente na condução da edilidade sintrense. Congratulou-se, antes de tudo, por o Orçamento ter sido executado em «tempo

Basílio Horta tem a ação social como objetivo imediato

tivos, dando respostas prontas em tempos úteis, o que significa maior eficácia», sublinhou. Prioridades estratégicas Para Basílio, o grande objetivo imediato é a ação social, frisando que houve um reforço de 600 mil euros,

“é

muito importante a segurança nas escolas, sobretudo no combate à droga”

recorde», explicando que, mal entrou na Câmara, a prioridade foi «olhar para dentro da casa: a reestrutura empresarial e dos serviços». Para além de regozijar-se pela poupança efetiva na despesa «sem ter sido necessário despedir alguém», Basílio Horta quer implementar uma nova organização, «simplificar os serviços em termos administraPub

DR

Basílio completa os primeiros

para o número de 3.100 milhões, no apoio aos mais carenciados. Recorde-se, neste contexto, a criação do Gabinete de Emergência Social e destaque-se o Fundo de Emergência Social, no valor de 54 mil euros, para auxiliar os trabalhadores da CM Sintra com mais dificuldades, «alguns com os salários penhorados», lamentou o novo edil.

As grandes prioridades estratégicas de Basílio Horta para o mandato que tem pela frente, ou seja, para os próximos quatro anos no concelho, são «a economia, o crescimento, a criação de emprego», sustentando que «criar emprego é fazer política social ao mais alto nível». Basílio tem outras prioridades e outros projetos: ter em Sintra representantes do Poder Local na área do ambiente, «com a apreciação à medida que o trabalho é feito», lembrando a «grande responsabilidade ambiental» e a reunião, marcada nesse sentido, com o Ministro do Ambiente, já nesta sexta-feira, dia 20 de dezembro; criar «uma grande empresa de saneamento da Câmara (fusão da HPEM – Higiene Pública, EM, com os SMAS – Serviços Municipalizados de Água e Saneamento), «internalizar o Museu de Odrinhas», criar «uma grande empresa de Cultura, entre a Sintra Quorum, Regaleira e Sociedade de


18 de dezembro de 2013

DR

dois meses de gestão

Edil de Sintra tem como prioridades estratégicas a captação empresarial e a criação de emprego

Arquitetura e Restauração». Ainda no que diz respeito à área cultural, o presidente quer «convidar, todos os anos, um grande nome do Teatro ou da Música», defendendo que Sintra tem de ser «uma referência da Música Clássica na Europa». Outro objetivo assumido para o

mandato é a requalificação da costa e da vila histórica, com o apoio aos projetos de requalificação urbana a passarem de 50 para 90 por cento. A requalificação dos imóveis da Câmara é prioritária, aludindo ao Hotel Neto (com o Monte da Lua) e às Estradinhas do Hospital. E o

autarca do partido da rosa é pragmático: «na vila histórica, não aceitamos edifícios em fase de ruína». A Saúde também não foi esquecida nesta reunião com os jornalistas. Primordial é a criação do Centro de Saúde de Almargem do Bispo, obra que tem um custo de 400 mil euros, sendo que a Junta de Freguesia e a Câmara devem dividir esse valor (200 mil para cada entidade). Mas são precisos mais centros de saúde «em Queluz, uma prioridade, na Vila de Sintra, e no Cacém». A Segurança também mereceu de Basílio algumas referências, enfatizando «a concentração da Polícia de Segurança Pública (PSP) e da Polícia Municipal (PM) no edifício da Melka», reconhecendo que é uma área muito cara para os cofres das câmaras («aqui no concelho, paga-se muita segurança»), mas, ao mesmo tempo, deveras fundamental, asseverando que «é muito importante a segurança ao pé das escolas, sobretudo no combate ao tráfico de droga» e que, mais do que uma «política de repressão» na segurança, «a prevenção é fundamental». NUNO SÁ

5

Tribuna

A crise e a criminalidade A uma crise financeira corresponde sempre uma consequente crise social. É sabido que o crime violento é a parte da criminalidade que mais preocupa as autoridades. Ainda assim, os crimes grupais e juvenis ocuparam um espaço exíguo no último Relatório Anual de Segurança Interna (RASI). E contudo é o que ganha foros de violência cada vez maior. O crime organizado e as guerras de gangues são outra das preocupações. Mas há um tipo de crime que ocupa cada vez mais páginas de jornal – a Violência Doméstica (VD). Um “crime público”, transversal a todas as classes sociais, etárias e de género. Um em cada três casos destes levados à barra dos tribunais resultaram em absolvição dos alegados agressores. Números de um estudo da Associação Portuguesa de Mulheres Juristas que concluiu que esses inquéritos-crime duraram em média 12 meses. Um tempo infindo que promove a repetição das agressões, por criar sensação de impunidade aos agressores. À hora a que escrevo estas linhas, já faleceram 35 mulheres vítimas de VD, este ano. Para pensarmos.

Hernâni Carvalho, jornalista da SIC e deputado municipal PUB


6 Correio de Sintra

18 de dezembro de 2013

MENTOR DA “SALOIA TV”, REVOLTADO COM NOTÍCIA, QUESTIONA BASÍLIO HORTA:

CONCELHO. Guilherme Leite pretende que a autarquia sintrense desminta a notícia avançada, recentemente, pelo diário “Correio da Manhã”, que o liga a uma alegada avença da Câmara Municipal.

DR

“Vai ficar cúmplice dessa canalhice?” Um saloio assumido

O

ator, autor, guionista, e mentor do canal web “Saloia TV”, Guilherme Leite, de 60 anos, escreveu uma carta de denúncia ao novo presidente da edilidade de Sintra, Basílio Horta, na sequência de uma notícia, publicada no jornal “Correio da Manhã”, que anuncia que o novo autarca acabou com 25 avenças e 59 prestações de serviços herdadas de Fernando Seara, entre as quais, alegadamente, figura uma do conhecido humorista no valor anual de 3.600 euros. Indignado com a propagação da informação, Guilherme Leite usou a sua página pessoal na rede social Facebook para escrever uma carta, dirigida a Basílio Horta, e desde logo tornada pública, negando ser beneficiário de uma avença da Câmara. “Dou-lhe a minha palavra que não irei desistir enquanto não identificar quem deu uma informação falsa ao jornal ‘Correio da Manhã’ para envolver o meu nome como recebedor de favores ou avenças (ainda que, no meu caso, de valores simbólicos - como diz o jornal). Quem o fez, vai ter que explicar tudo muito bem explicadinho - e seja quem for, tenha o cargo que tiver e independentemente da idade. Até admito que possa ter sido um mal entendido, mas então tem que ser explicado e rapidamente desmenPub

Guilherme Leite não cala a revolta e exige desmentido de Basílio

tido», escreveu o mentor do canal online “Saloia TV”, saloio assumido de São João das Lampas, no concelho de Sintra. Guilherme nega história “Não tenho ou nunca tive qualquer avença contratada com a Câmara de Sintra e, como tal, é injusta, falsa e despropositada a informação dada ao jornal ‘Correio da Manhã’. Principalmente quando a noticia diz que essas avenças foram cortadas para agora o dinheiro ir para um fundo de ajuda a famílias necessitadas”, refere Guilherme Leite. O ator pede, pois, a Basílio Horta que não seja “cúmplice da canalhice” que o cola às avenças. Guilherme explica que aquele valor foi atribuído à MEMÓRIApurada, associação pela Cidadania, Tradição, Cultura e Inovação que, em Sintra, promove a “Saloia TV” e onde a antiga estrela da “Praça da Ale-

gria”, na RTP1, e de “Malucos do Riso”, na SIC, garante ter investido já mais de 40 mil euros do seu próprio bolso. “Temos já realizados desde o início da actividade, em 1 de Abril de 2009, cerca de 4 mil vídeos, na sua grande maioria sobre assuntos, pessoas ou actividades de Sintra. (…) A nossa associação recebeu da Câmara de Sintra algumas pequenas ajudas, diria mesmo minúsculas se compararmos com o que receberam outras empresas e associações que não têm que investir em material um quinto do que nós temos que investir e que não têm uma pequena parte dos nossos resultados em património para memória futura”, escreveu, ainda, o reconhecido comediante no Facebook. Exige pedido de desculpas No fim da polémica carta aberta, Guilherme Leite diz que espera um pedido de desculpas por parte da

Câmara. “Como é que acha, Sr. Presidente, que se sente um homem de honra, que tem colocado milhares de euros do seu bolso num projeto que só tem beneficiado o concelho de Sintra, ao ver o seu nome colocado numa lista - como se andasse a receber dinheiro da Câmara em proveito próprio? Acha digno? Acha justo? Vai ficar cúmplice dessa canalhice? Um homem de bem não ficaria certamente calado. Por isso fico aguardando um desmentido público e um pedido de desculpas. Só as pessoas de bem têm a grandeza e a coragem de pedir desculpa. Eu, com 60 anos de idade, não me permito esperar menos do que isso de um Presidente de Câmara”, exigiu, a concluir a sua missiva, a veterana estrela televisiva. Até à hora do fecho desta edição do “Correio de Sintra”, Guilherme ainda não tinha obtido resposta. NS

Maçom confesso, militante nos afetos, Guilherme Jacinto Leite nasceu em Lisboa a 11 de setembro de 1953. Ator e autor português, oriundo de uma família de S. João das Lampas (Sintra), saltou para a ribalta a partir do ano de 1993, assinando um contrato de exclusividade com a SIC, tornando-se uma das caras do canal mais acarinhadas. A estação de Carnaxide tornou-se líder de audiências com os seus formatos em 1994. Foi ator e um dos mentores do programa “Malucos do Riso”. Em 1998, foi distinguido com a Medalha de Mérito Cultural pela Câmara Municipal de Cascais. Um ano depois, em 1999, assinou um contrato de exclusividade com a RTP, brilhando, durante anos a fio, em “sketches” no programa “Praça da Alegria”, nas manhãs da RTP1. Ultimamente, tem-se dedicado a promover com afinco, na internet, a região de Sintra, em particular, e outros concelhos de Lisboa, defendendo e divulgando, de uma forma militante e associativa, o património cultural da região saloia e a identidade do saloio. seu consulado pelos anúncios de grandes investimentos externos no País. É, também, professor convidado do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP).


18 de dezembro de 2013 Correio de Sintra

Pub

7


8 Correio de Sintra

18 de dezembro de 2013

Aberto edifício Multiusos PÊRO PINHEIRO

CONCELHO. O novo edifício Multiusos

de Pêro Pinheiro abriu ao público no passado dia 12 de Dezembro Trata-se de um espaço composto por dois pisos que albergam o mercado municipal, uma zona de venda que reúne várias atividades de comércio e um auditório no piso térreo. O 1.º piso acolhe o Pólo da Freguesia de Almargem do Bispo, Pêro Pinheiro e Montelavar, o Espaço Jovem e a Assimagra - Associação de Marmoristas de Pêro Pinheiro .

P

ara assinalar a abertura do Edifício Multiusos de Pêro Pinheiro, realizou-se uma mostra de artesanato e uma atuação do Coro do Centro Social de Pêro Pinheiro, tendo estado presentes cerca de uma centena de moradores locais.

Mais-valia Os filhos da vítima só entraram em O Mercado Municipal funciona de terça a sexta-feira, das 8h00 às 18h00, e aos sábados das 8h00 às 14h00. Está localizado na Rua Casal dos Ossos e possui parque de estacionamento gratuito. Esta inauguração contou com a presença de Rui Maximiano, presidente da Junta de Freguesia de Pub

Breves

Portela de Sintra Roubavam caixas de correio

Dois indivíduos foram detidos por militares da GNR, na passada semana, por furto e arrombamento das caixas de correio, na Portela de Sintra. As autoridades receberam uma denúncia de um popular e deslocaram-se de imediato para a zona, localizando os suspeitos pouco depois de terem cometido o ilícito e tendo ainda na sua posse um saco que continha a correspondência furtada de várias caixas de correio e um pé de cabra que utilizaram para as abrir. Presentes a tribunal ficaram sujeitos a apresentações às autoridades até ao julgamento.

Sintra Raptavam,espancavam e roubavam Vítima era dona das lojas “Tina dos Cabelos” e “Mundo dos Cabelos”

Almargem do Bispo, Pêro Pinheiro e Montelavar. “Trata-se de um edifício com várias valências e que fazia falta a esta freguesia, servindo também as populações das localidades limítrofes. É sem dúvida uma mais-valia para a freguesia, que há muito aguardava pela abertura deste espaço”, referiu aquele autarca no dia em que se procedeu à abertura oficial do espaço. Pedro Ventura, vereador na Câmara Municipal de Sintra, também participou na abertura do novo edifício.  CT

Dois homens, de 20 e 21 anos, suspeitos da prática de crimes de rapto, roubo, ofensas à integridade física qualificadas, ameaças, coação grave e detenção de armas proibidas foram detidos, na passada quinta-feira, por investigadores da Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT) da PJ, na sequência de uma investigação titulada pelo Ministério Público de Sintra. Os detidos são os presumíveis autores de um plano mediante o qual pretendiam extorquir dinheiro a uma vítima, residente em Sintra, tendo-a mantido em cativeiro durante quase três dias, período durante o qual a agrediram fisicamente, sujeitando-a às mais diversas formas de coação e ameaças. Um terceiro autor dos factos em causa já tinha sido anteriormente detido pela PJ. Os detidos já tinham antecedentes criminais por crimes violentos e ficaram em prisão preventiva.


18 de dezembro de 2013 Correio de Sintra

Pub

9


10 Correio de Sintra

Concelho

18 de dezembro de 2013

DR

Presos seis traficantes e sequestradores CRIME. Militares da GNR capturaram, na passada quinta-feira, dia 12 de Dezembro de 2013, seis indivíduos que tinham sequestrado um casal de um apartamento do Algueirão, concelho de Sintra. Os detidos, com idades compreendidas entre os 20 e os 50 anos, ficaram em prisão preventiva. As duas vítimas foram resgatadas com vários ferimentos, mas estão livres de perigo.

levando consigo mais de 12 quilos de haxixe. Depois de interrogado, o indivíduo acabou por confessar que a droga era destinada aos sequestradores do casal. Uma vez na posse desta informação, a GNR pediu o apoio à PSP de Sintra, uma vez que a zona do Algueirão é uma área de competência territorial da Polícia. Os responsáveis do Comando Policial de Sintra pediram de imediato apoio ao Grupo de Operações Especiais e foram elementos desta unidade de elite que acabaram por libertar as vítimas, que já tinham sido alvo de vários espancamentos. Os seis envolvidos foram presentes a um juiz de Instrução Criminal para primeiro interrogatório e sujeitos à medida de coação mais gravosa prevista no nosso Código Penal: a prisão preventiva. Cinco vão aguardar julgamento no Estabelecimento Prisional de Setúbal e a mulher marroquina na cadeia de Tires.  CT

A

vítima terá sido repetidamSegundo a GNR revelou, o sequestro do casal ocorreu entre domingo à noite e o início da madrugada de terça-feira e as vítimas eram familiares de um indivíduo que as autoridades suspeitavam estar a preparar uma entrega de droga a cinco indivíduos que, por sua vez, também eram suspeitos de que integrar uma quadrilha internacional de narcotráfico. Dos detidos que ficaram em prisão preventiva, três eram portugueses, dois

Resgate do casal foi feito por elementos do Grupo de Operações Especiais da PSP

de dupla nacionalidade (portuguesa e espanhola) e uma mulher marroquina. Golpe de sorte A GNR, através do Núcleo de Investi-

gação Criminal, soube do sequestro por mero acaso, uma vez que apanhou um homem, numa operação de combate ao tráfico de droga, que era transportado num táxi, na ponte 25 de Abril,

DR

PSP desfere golpe no narcotráfico CRIME. A PSP desferiu, ao longo da passada semana, mais um golpe numa rede de tráfico de droga que abastecia de heroína a região de Sintra e outros concelhos da Grande Lisboa, e cujas primeiras detenções aconteceram em Maio de 2012 com aquela que as autoridades consideraram ser a maior apreensão de droga feita pela PSP nos últimos 15 anos.

D

e acordo com um comunicado divulgado pela PSP e a que o Correio de Sintra teve acesso, entre quarta e sexta-feira, foram detidos mais quatro homens alegadamente pertencentes à rede, em zonas de Sintra, Loures e Odivelas. Na primeira fase da investigação, foram detidos, em Maio do ano passado, outros três homens por tráfico de droga, na posse de 250 gramas de heroína. Pub

Resgate do casal foi feito por elementos do Grupo de Operações Especiais da PSP

Numa segunda fase, em Novembro desse ano, a polícia apreendeu cerca de 28 quilos de heroína, 102 mil euros e duas armas de fogo, e deteve cinco suspeitos, que já se encontram a cumprir penas de prisão entre os 8 e os 12 anos.

Preso em França A terceira fase da investigação culminou na passada sexta-feira com a detenção de quatro suspeitos e com a apreensão de 13 mil doses de heroína, avaliadas em 65 mil euros, 14 quilos de produto de corte, 11.600 euros, duas balanças

de precisão, um moinho, uma prensa hidráulica, três viaturas e um cofre. As autoridades apreenderam ainda uma máquina de contar dinheiro, um secador, 15 telemóveis e vários utensílios de corte e de adulteração de droga. Refira-se que um dos detidos esteve preso em França entre Fevereiro e Julho deste ano, depois de ter sido intercetado na posse de 500 mil euros. Um responsável do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP revelou que, com esta operação, “foi desmantelada uma rede que abastecia de heroína os concelhos de Sintra, Loures, Odivelas e Amadora. “Faziam parte do mesmo grupo e continuaram a traficar, apesar das detenções em 2012. Tudo indica que com esta operação foi colocado um fim às atividades deste grupo criminoso”, afirmou a mesma fonte ao Correio de Sintra. CT


PUB


PUB


PUB


PUB


16 Correio de Sintra

Cacém Agualva

18 de dezembro de 2013

- Cacém

Altas chefias da PSP tiveram conhecimento do caso e também fizeram de conta que não se passou nada. As imagens, a que o Correio de Sintra teve acesso, indiciam a prática de vários ilícitos criminais. Juízes ouviram falar da filmagem e nada fizeram. O assalto em causa ainda está a ser investigado no Departamento de Ação e Investigação Penal (DIAP). CRIME.

DR

Polícias filmam e encobrem assalto a supermercado

Rio de

Ignoraram Segundo se pode observar no pequeno filme, com menos de dois Pub

Mouro

Deitou fogo à casa por vingança

A

s imagens falam por si. Dois agentes da PSP, um já identificado no âmbito de um processo que foi julgado no Tribunal de Sintra, filmaram um assalto a um supermercado “Minipreço”, no Bairro de São Carlos, em Mem Martins, em Dezembro de 2008, não atuaram e não comunicaram o caso às respetivas chefias ou à Polícia Judiciária, força policial que tem a competência exclusiva para investigar assaltos à mão armada. O assunto foi abafado e a referida filmagem, que circulou em várias esquadras da Polícia, esquecida, até que um oficial falou dela em tribunal. As imagens demonstram que os agentes da PSP estavam à espera dos assaltantes, filmaram todos os passos dos criminosos, que atuaram armados com caçadeiras e encapuzados, e deixaram-nos ir à sua vida. A situação chegou rapidamente ao conhecimento do comandante, na altura, da Esquadra de Investigação Criminal de Sintra, da qual fazia parte um dos autores da filmagem, mas este nada fez, apesar de estarem em causa vários crimes: os polícias não deram conta do assalto a ninguém e foram, assim, cúmplices do crime, além de que não foram em socorro das vítimas do assalto, existindo assim omissão de auxílio e falta de cumprimento dos deveres profissionais.

Breves

Os polícias assistiram ao assalto, filmaram e ficaram de braços cruzados

minutos, o autor da filmagem e um colega encontravam-se no local à espera dos assaltantes. Quando os ladrões chegaram ao supermercado, filmaram tudo e um deles até lamentou não poder intervir. É possível ver o carro com os assaltantes a estacionar e o condutor a desligar as luzes. Momentos depois, o carro foi posto novamente em marcha e estacionado à porta do Minipreço. Quatro indivíduos, todos eles encapuzados e armados, invadiram então o supermercado. Enquanto tudo decorria, os agentes da PSP permaneceram impávidos e serenos a registar os factos para a posteridade e depois permitiram a fuga dos suspeitos. Segundo o nosso jornal apurou, o autor da filmagem terá sido o agente, de 38 anos, já acusado pelo Ministério Público de favorecimento pessoal, prevaricação e denegação de justiça, por alegadamente ter “protegido” um amigo suspeito de

tráfico, tendo sido condenado por um coletivo de juízes do Tribunal de Sintra a dois anos de cadeia com pena suspensa. No julgamento, o subcomissário da PSP de Sintra, Bruno Alves, estranhou o facto de tais provas não terem sido juntas pela acusação ao processo colocado contra o agente em causa, até porque um dos assaltantes seria precisamente o “amigo” informador do então arguido. O tribunal decidiu não dar relevância a estas declarações, lembrando que tais factos não constavam da acusação e também não ordenou a extração de qualquer certidão, que poderia ajudar a esclarecer o caso do assalto, ainda em fase de investigação no Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa. O nosso jornal sabe que a filmagem já foi entregue ao DIAP, por canais não oficiais, e que estão a ser feitas diligências tendentes a esclarecer este caso.  CT

A Polícia Judiciária, através da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo, procedeu, no início deste mês, à identificação e detenção de um homem, de 47 anos, por existirem fortes indícios da prática dolosa de crime de incêndio. Os factos foram cometidos em abril deste ano, num apartamento sito em Rio de Mouro, no concelho de Sintra, tendo o autor presumivelmente atuado num quadro de vingança em relação a uma outra pessoa com quem partilhava o referido imóvel. O incêndio em causa foi colocado através de chama direta, tendo provocado a destruição parcial da habitação, destruição essa que só não foi maior devido ao rápido alarme dado pelos vizinhos e à pronta ação dos bombeiros. São

Marcos

Assaltou clínica de óptica para roubar 24 óculos

A PSP está a tentar identificar e deter dois indivíduos, de nacionalidade brasileira, que assaltaram, em Setembro deste ano, uma clínica de óptica, localizada na Rua Cidade de Belo Horizonte, em São Marcos, Sintra. Os ladrões agiram em pleno dia e ameaçaram de morte os funcionários. Um dos indivíduos, com cerca de 30 anos, teria 1,80 metros, forte, usava calções brancos e aparelho nos dentes. O outro era magro e teria cerca de 1,65 metros. Os dois entraram no estabelecimento e roubaram dois expositores com 24 pares de óculos avaliados em 1.700 euros, após o que se colocaram em fuga.


18 de dezembro de 2013

17

CRIME. Dois ladrões roubaram mais de três mil euros numa papelaria de Agualva e colocaram-se em fuga. A PSP está a investigar, mas ainda não conseguiu identificar e deter os criminosos.

DR

Papelaria assaltada à mão armada hora poderá explicar o alheamento dos clientes do café. A PSP registou a ocorrência e o caso, por ter sido praticado à mão armada e por desconhecidos, já transitou para a Polícia Judiciária. CT

S

egundo as autoridades, os dois assaltantes sabiam o que faziam e tinham estudado o ataque ao pormenor. É que a papelaria em causa efetua registos de jogos da Santa Casa de Misericórdia de Lisboa e o dia do assalto, o passado dia 3 de Dezembro, coincidiu com o sorteio do Euromilhões. Os dois indivíduos, que agiram de cara descoberta, terão ameaçado o proprietário de morte, dizendo-lhe que estavam na posse de uma arma de fogo. Intimidado, a vítima entregou todo o dinheiro que se encontrava na caixa registadora aos assaltantes, que se colocaram de imediato em fuga, desconhecendo as autoridades se fugiram a pé ou numa viatura. . Ao pormenor Na altura do assalto, o estabelecimento já se encontrava fechado, mas o dono foi buscar o dinheiro do jogo para guardar em casa.

Assalto à papelaria ocorreu em dia de sorteio do Euromilhões

“Tudo indica que conheciam bem os hábitos do proprietário e que ele foi vigiado. O roubo foi planeado ao pormenor e ocorreu quando o dono estava sozinho no estabelecimento”, revelou fonte policial ao Correio de Sintra. A papelaria não tem qualquer sistema de videovigilância e, por isso, não foi possível às autoridades identificar os criminosos. Apenas

existe a descrição feita pelo dono do estabelecimento, que não quer contar aos órgãos de comunicação social aquilo que aconteceu. Curiosamente, existe um café mesmo ao lado da papelaria assaltada, mas nenhum dos clientes ou donos se terá apercebido do assalto que decorria ao lado. O facto de estar a ser transmitido na televisão um jogo de futebol a essa

Jovens promovem acção de sensibilização Os alunos da Escola Profissional Gustave Eiffel do Lumiar realizaram uma acção de beneficência que tinha como objectivo ajudar a Miriam, caso que já noticiámos anteriormente. Os alunos da turma do 1º ano de Animação Sociocultural saíram às ruas, sensibilizando as pessoas a contribuírem com donativos ou tampinhas para ajudar a menina que necessita de uma intervenção cirúrgica para evitar a amputação da perna, e a acção foi um sucesso. Conheça o caso da Miriam: facebook. com/miriamandreiaoliveiraaleixo

Pub


18 Correio de Sintra

Queluz

18 de dezembro de 2013

Opinião

DR

SOCIEDADE. A zona onde vive o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, devia ser das mais seguras do País. Mas tal não acontece. Os distúrbios são constantes e até já houve assaltos e tiroteios à sua porta. Neste Natal, a iluminação da rotunda usada pelo número dois do país tem umas estrelas que não brilham e um poste no meio do passeio que o governante não vê.

DR

A rotunda de Passos Coelho

Quando vim morar para este prédio pensei que poderia dormir descansado. Afinal é barulho todas as noites, tiros e sirenes. Não consigo descansar. Assim que puder vou mudar de casa”, o desabafo é de António Aguiar, residente num prédio contíguo ao do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, na Rua da Milharada, em Massamá. António recorda que, em Agosto deste ano, o primeiro-ministro acordou com os tiros dos agentes da PSP que estavam junto à sua casa. Um grupo de assaltantes tentou atropelar um polícia e fugiu. Os tiros, segundo relatos divulgados na altura por diversos órgãos de comunicação social, partiram dos agentes da PSP para tentar travar dois ladrões de carros, que na fuga tentaram atro-

A Rotunda António Rendeiro, a dois passos da casa de Passos Coelho, este ano brilha pouco

pelar um dos agentes. Apercebendo-se da presença da polícia, o condutor de um Audi A3, roubado horas antes, travou bruscamente e entrou no carro de um cúmplice que seguia atrás e fugiram. Um agente colocou-se no meio da estrada e disparou tiros para o ar, tentando travar os assaltantes, que o tentaram atropelar. Até hoje não foram detidos.

Parca iluminação e o poste Ao contrário de outros anos, a Rotunda Augusto Rendeiro – uma das poucas no país onde é permitido estacionar nas bermas – encontra-se pouco iluminada no Natal. Apenas umas pequenas estrelas colocadas em redor do círculo central fazem lembrar a quadra festiva. “Deve ser da austeridade”, ironizou Joaquim Marques, morador no número 27 da Rua da Milharada, o prédio onde vive Passos Coelho.

E o mesmo morador não deixou de lançar uma farpa: “Curiosamente, o senhor primeiro-ministro costumava passear os dois caniches que tem aqui pela zona, mas nunca reparou, até hoje, num poste de luz colocado em pleno passeio da Avenida Azedo Gneco (mesmo em frente à casa do primeiro-ministro). É caso para se dizer que ele vê o cisco nos olhos dos outros e não vê a trave há frente dos próprios olhos.” CT

Novas regras irritam comerciantes

SOCIEDADE. Os comerciantes do Shopping Center de Massamá estão indispostos com a regras impostas pela nova administração daquele espaço e dizem que estão a ser prejudicados nos seus negócios, atendendo à época de crise que o país atravessa.

Há regras novas que não se percebem, nomeadamente o facto de sermos obrigados a fechar às 22h00 impreterivelmente. Já houve casos de ser chamada a PSP ao Shopping porque um comerciante estava

Pub

simplesmente a atender clientes de última hora. Eu própria sou obrigada a correr com clientes 15 minutos antes das 22h00 para não ter problemas”, explicou, ao Correio de Sintra, Filomena, arrendatária de uma loja naquele espaço comercial e que tem sido “fustigada pelos seguranças e polícias” sempre que ultrapassa o limite das 22h00, salientando que o espaço “sempre teve licença para funcionar até às 23h00 e que a limitação até às 22 se ficou a dever à alegada falta de segurança à qual os comerciantes, que na maioria pagam

renda ao senhorio, são alheios”. Um responsável do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP confirmou ao Correio de Sintra que elementos da esquadra de Massamá têm sido chamados várias vezes ao estabelecimento comercial, mas que na maioria dos casos se tratam de “situações relacionadas com clientes atrasados e que permanecem nas lojas além do horário estipulado pela administração do centro comercial. Só fazem as autoridades perder tempo. Porque não há qualquer crime em curso.” A administração do Shopping alega que

a regra de fechar às 22h00 em ponto se fica a dever a diversos “abusos” de alguns lojistas e dos seus clientes, devendo agora ser seguidas escrupulosamente as regras definidas em relação aos horários do espaço, para devolver a “dignidade que o Shopping sempre teve e que, por motivos alheios à administração actual, foi perdendo”. Os comerciantes compreendem os argumentos da nova administração, mas lembram que têm várias contas para pagar e que sem clientes será difícil honrar os seus compromissos.  CT


18 de dezembro de 2013

19

Carregueira

Carlos Cruz vai passar o Natal na Carregueira base em coisas que alguns miúdos, traficantes e ladrões, disseram. A justiça tem de dar uma volta neste país e, se calhar, essa revolta terá de começar nas prisões”, afirmou ao Correio de Sintra A.C. recluído na mesma ala onde se encontra Ferreira Diniz.

DR

JUSTIÇA. O ex-apresentador televisivo, preso por dois alegados crimes de pedofilia no âmbito do processo Casa Pia, pediu uma saída precária de três dias para passar a quadra festiva com a família, mas nem obteve resposta. O mesmo sucedeu com Ferreira Diniz, outro recluso do mesmo processo.

C

arlos Cruz, através do seu advogado, Ricardo Sá Fernandes, pediu uma saída precária no passado mês de Novembro, para poder passar o Natal com os seus familiares. Na sequência do pedido, a Direção de Reinserção e Serviços Prisionais enviou uma comunicação a dizer que teria de ser o próprio recluso a efetuar o pedido. O homem que ficou conhecido como “senhor televisão” assim fez, mas não tinha obtido qualquer resposta ao pedido até ao fecho da nossa edição, tudo indicando que irá mesmo passar o Natal na cadeia, uma vez que a falta de resposta implica a continuidade em reclusão (indeferimento tácito). Diniz também não sai Também o médico Ferreira Diniz, que, segundo o Correio de Sintra apurou, se encontra debilitado fisicamente devido ao regresso de um cancro de que padece há vários anos, aguarda em vão

O “senhor televisão” vai continuar na cadeia

por uma resposta ao pedido que fez no mesmo sentido. A juíza do Tribunal de Execução de Penas que tutela aquele estabelecimento prisional mantém-se, desta forma, fiel ao que sempre tem feito: raramente concede saídas precárias e nunca permite liberdades condicionais, uma atitude que está a provocar enorme revolta junto da população prisional daquele estabelecimento. “O doutor (como é conhecido na cadeia) trata de toda a gente. Se não fosse ele já muitos de nós teriam morrido. Ele está muito doente, mas nem assim o deixam passar os últimos dias de vida com a família. Este sistema prisional é desumano. Pelo que sabemos, ele foi condenado sem provas e apenas com

Greve de fome Para protestar contra a raridade de saídas precárias e também de liberdades condicionais, um grupo de 60 reclusos tinha preparado arrancar, esta semana, com uma greve de fome. Além daqueles motivos, alegam que a ala “B” é discriminada em relação aos da ala “A”, onde se encontram os reclusos mais mediáticos (Isaltino Morais e o violador de Telheiras, por exemplo). Segundo um recluso contou ao Correio de Sintra, a alimentação só chega à ala “B” depois de passar pela outra ala. “Comemos restos e comida fria. Além disso, nem ao recreio nos deixam ir. A greve de fome estava planeada, mas houve um recuo por parte da direção da cadeia e a ideia ficou suspensa. Mas se as coisas se mantiverem assim iremos avançar com formas de protesto. Apesar de sermos presos, também temos alguns direitos. São poucos, mas estão consagrados na lei e devem ser cumpridos”, desabafou outro recluso da Carregueira ao nosso jornal. CT Pub


20 Correio de Sintra

18 de dezembro de 2013

Lazer & Desporto

R

ealizou-se no passado dia 13 de Dezembro no Pavilhão Nº 2 do Complexo desportivo do Estádio da Luz um evento internacional sob a égide da World Kickboxing Network (WKN), organização líder a nível mundial de kickboxing que há três anos organiza um Torneio Internacional que envolve os melhores atletas de super pesados de desportos de combate o Bigger’s Better, que apesar de ainda estar a dar os primeiros passos já está conotado como o maior torneio internacional da Europa nesta especialidade. O torneio foi transmitido em directo na Sport Tv para mais de 80 milhões de pessoas. Após a boa organização de dois anteriores eventos no nosso Estádio, a WKN prendou e elegeu Portugal como País organizador da Grande Final da terceira temporada, reunindo os oitos atletas vencedores das edições do corrente ano. O grande responsável por esta feliz opção é Paulo Magalhães, responsável dos desportos de combate no Clube e representante nacional para aquela Organização liderada pelo francês Stefan Cabrera. Neste Bigger’s Better King, calhou a PUB

DR

Atleta que iniciou o seu trajecto em Sintra conquista o título de campeão dos campeões

sorte e o mérito a um atleta romeno, Bogdan Marius Dinu, país do leste europeu que viu deste modo coroado de êxito o desenvolvimento que estas modalidades vivem, que para além de ver um seu atleta ser coroado com a vitória, teve outro atleta, Lucian Bot, como finalista vencido. Foram sete, os combates, com a particularidade do equilíbrio existente, tal era a qualidade dos atletas envolvidos em que apenas só num houve decisão de vencedor por KO. Marcaram presença no torneio para além dos finalistas, Milen Paunov da Bul-

gária, atleta benfiquista treinado por Paulo Magalhães, Evgenios Lazaridis da Grécia, Mathieu Kongolo, da Bélgica,Tomasz Sarara da Polónia, Fabrice Aurieng de França e Sergei Masloboda Lituânia. Bogdan Marius Dinu, arrecadou, associado a este prestigiado titulo, 25 mil dólares pelo feito alcançado. O atleta que inicio o seu trajecto a treinar em Sintra representa agora o Sport Lisboa e Benfica. O cinturão foi entregue por Luisão actual capitão do Benfica.  Redação

Real Massamá brilha no arco O arqueiro do Real Sport Clube de Massamá, Diogo Ramos, venceu, no passado domingo, a sexta prova do campeonato nacional de tiro com arco. Esta vitória surge na sua quarta época, na categoria de Recurvo Júnior Homens, passando assim, a ocupar o primeiro lugar da tabela com 192 pontos. Em segundo e terceiro lugares estão os seus colegas de equipa Luís Gonçalves com 184 pontos, e Guilherme Almeida, com 152 pontos. Os três arqueiros bateram pela terceira vez consecutiva o recorde nacional de sala na categoria de Recurvo Júnior Homens que passou para 1639 pontos, mais 24 pontos que o máximo anterior, que também lhes pertencia. Diogo Ramos, de 16 anos, e Luís Gonçalves, de 19 anos, foram recentemente convocados para integrar o grupo de competição da Selecção Nacional Sénior com o objectivo de se qualificarem para o campeonato da Europa de tiro com arco que se irá realizar de 21 a 26 de Julho, na Arménia. Por sua vez, o arqueiro Guilherme Almeida, 17 anos, foi integrado no Grupo Jovem da Selecção Nacional, assim como os arqueiros David Ferreira, 18 anos e Gonçalo Freitas, 19 anos, ambos na categoria de Compound Júnior.


18 de dezembro de 2013

ANTIGO AVANÇADO DO BENFICA REGRESSOU A PORTUGAL

PROMOVIDAS PELA UNIÃO DE FREGUESIAS DE CACÉM E SÃO MARCOS

Toy no Sintrense CATARINA MORAIS (ZEROZERO.PT)

“Oficinas de Natal” no Carlos Paredes

A

União de Freguesias de Cacém e São Marcos promove, até ao final deste mês de dezembro, um conjunto de “Oficinas de Natal” no Centro Carlos Paredes – o Centro Lúdico, Cultural e Desportivo de São Marcos. As atividades destinam-se a crianças e a jovens dos cinco aos 14 anos e vão decorrer até ao dia 21 e de 26 a 28 deste mês, entre as 10 e as 12 horas, e das 14h30m às 17 horas. As oficinas incluem sessões de cinema, jogos de tabuleiro e vários ateToy destacou-se no Olhanense, onde jogou várias épocas

DESPORTO. O

popular clube da Portela de Sintra passou a contar com um antigo avançado do Benfica: Toy. O veterano internacional cabo-verdiano reforça as aspirações do Sintrense na Série G do Campeonato Nacional de Seniores, divisão na qual, à data do fecho desta edição do “Correio de Sintra”, ocupa o 3.º lugar.

O

Sport União Sintrense segue na terceira posição na Série G do CNS – Campeonato Nacional de Seniores. Com 13 jornadas disputadas, o clube da Portela de Sintra já conquistou 24 pontos, estando a apenas três do líder, o Loures. Se as expetativas do Sintrense já estavam altas, mais altas ficaram com a contratação de um reforço bem sonante. Irmão de Carlos Gomes,

avançado de 33 anos do 1.º de Dezembro, o luso-cabo-verdiano “Toy”, o nome de guerra no mundo de futebol de Vítor Manuel Andrade Gomes da Costa, 36, soma quatro internacionalizações pela Seleção Nacional de Cabo Verde, já foi campeão da 2.ª Divisão Nacional, na época de 2008/2009, pelo Olhanense, tem currículo na divisão maior do nosso futebol (Salgueiros e Olhanense), e chegou a jogar na equipa principal do Benfica, de 1999 e 2001. Adaptação fácil O veterano futebolista que, na época transata, alinhou pelo Doxa, do Chipre, volta a Sintra e ao Sintrense, clube que representou na temporada de 1998/99. À Imprensa, já se declarou “muito feliz” e motivado pelo regresso ao futebol por-

21

liês: de expressão plástica, pintura, culinária, escrita criativa e multimédiaNS

ESTREIA ESTA QUINTA-FEIRA, DIA 19

tuguês, informando que a adaptação “tem sido fácil e as coisas estão a correr bem”. O atleta treina, agora, às ordens do treinador Tuck e já se desfez em elogios em relação ao plantel com que trabalha, “uma equipa jovem mas com jogadores de qualidade”. A temporada do clube da Portela está a animar os associados e adeptos e a subida aos escalões profissionais pode ser uma realidade. Toy está radiante e quer subir de divisão, ele que tanto ajudou o Olhanense a entrar na elite do «desporto-rei» sénior em Portugal. No futebol luso, o jogador ainda representou o Felgueiras, o Samora Correia e o Coruchense. Entre 2005 e 2007, o ex-Benfica rumou à Arábia Saudita, defendendo as cores do Al-Hazm e do Al-Qadisiya. NS

“Moby-Dick” na Casa de Teatro de Sintra Estreia nesta quinta-feira, dia 19 de dezembro, na Casa de Teatro de Sintra, a peça “Moby-Dick”, a partir do romance homónimo de Herman Melville. Conta com a direção artística de Pedro Alves e a produção do Teatromosca. Trata-se de uma narrativa de aventuras para alguns e epopeia metafísica para outros. A peça «Moby-Dick» mais não é do que a história de uma viagem de caça à baleia, um estudo sobre

a obsessão e a vingança e como estes traços dominantes se tornam a ruína do homem. Uma obra canónica da literatura norte-americana, que marca o início de uma trilogia que o Teatromosca dedica à literatura norte-americana e que se prolonga até ao fim de 2015, com a adaptação de outros dois textos: “O Som e a Fúria”, de William Faulkner, e “Meridiano de Sangue”, de Cormac McCarthy. NS

Pub


22 Correio de Sintra

18 de dezembro de 2013

DESPORTO. O Museu do Ar, em Sintra, está a disputar o Prémio Museu Português 2013, tendo como concorrentes o Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra e o Museu Municipal de Almeirim. Trata-se de uma distinção promovida pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM). João Neto, presidente da associação, revelou que o vencedor vai ser anunciado na próxima sextafeira, numa sessão que se realiza a partir das 16h00, no Museu das Comunicações, em Lisboa.

DR

Museu do ar disputa prémio nacional

PUB

ANIMAIS EXÓTICOS Com: Dr. Rui Patrício e Dra. Liseweiss Organização: VetLírios 18 de Janeiro no Atrium Chaby Animais Exóticos: Alimentação e o seu Maneio É crescente, ao longo dos últimos anos, o número de portugueses que têm adquirido animais exóticos para ter em casa, não obstante a este facto a VetLírios decidiu criar um momento único onde todos poderão aprender a lidar com estas variadíssimas espécies suas características singulares. Apesar desta não ser uma especialidade da VetLírios, temos connosco a Dra. Liseweiss direccionada para este tipo de espécies. Neste tipo de eventos, a Vetlírios pretende gerar novidades para continuar a crescer e a satisfazer todos os clientes. Participa!

E

ste é um dos principais galardões de um palmarés com 25 categorias que esta entidade atribui anualmente. João Neto indicou que este ano a instituição recebeu 110 propostas para os galardões, numa edição que não inclui o prémio para Melhor Transporte, mas acrescenta a nova categoria de Coleção Visitável. Fundada em 1965, a APOM atribui os galardões desde 1997, e os prémios referem-se ao ano anterior da atribuição. No ano passado, o vencedor da categoria Melhor Museu Português foi o Museu da Comuni-

Workshop

dade Concelhia da Batalha. O palmarés distingue museus, projetos, profissionais e atividades desenvolvidas no setor. Os prémios são atribuídos pela APOM para “incentivar o espírito de preservação e divulgação do património dos museus”, segundo a associação, distinguindo ainda, entre outros, a melhor intervenção e restauro, o melhor catálogo, mecenato

e projeto museográfico. O Prémio Personalidade do Ano na área da museologia será atribuído este ano a duas figuras do setor, Madalena Cabral, que se destacou pelo pioneirismo e impulso aos serviços educativos dos museus, e José Cruz de Carvalho, na área da museografia e produção de exposições.  Redação

Vetlírios Av. Almirante Gago Coutinho nº 8 Mem Martins 96 16 12 218 / 21 926 41 88


Correio rosa

BANDA SINTRENSE DÁ NAS VISTAS NO PANORAMA POP-ROCK

Primeiro Instinto promovem “amor”

FAMOSOS. Liderados por Tó Martins, finalista do “Festival RTP da Canção” de 2012 e finalista do “Chuva de Estrelas” de 1997, na SIC, os Primeiro Instinto estão a divulgar o seu EP, “Amor Ausente”.

O

vocalista, guitarrista e compositor dos Primeiro Instinto vive no Magoito e, ainda no ano passado, durante o seu vídeo de apresentação na final do “Festival RTP da Canção”, Tó Martins promoveu as queijadas de Sintra. O grupo, também com fortes ligações ao concelho através de outros elementos, promove o seu EP, “Amor Ausente”. É um trabalho com quatro canções, três originais e uma nova versão da música de Tó-Zé Brito, “Amanhã começa o meu futuro”, que Tó Martins defendeu no Festival de 2012. A gravação, produção e os arranjos do EP são da responsabilidade de Ramón Galarza. Um dos temas da banda teve a colaboração e os arranjos de Tiago Pais Dias. Das versões aos originais POs Primeiro Instinto formaram-se com o objetivo de tocarem versões (covers) de outros músicos e bandas em bares e discotecas. Logo ganharam reconhecimento no circuito lisboeta. Ao mesmo

tempo, começaram a trabalhar músicas originais e a divulgá-las nos espetáculos, nas rádios, e em sites. A boa adesão do público e a promoção online da banda levou-os a um primeiro CD homónimo, editado pela CVL Music, com dez temas em Português e Inglês. Ao rock, juntaram o funk numa aguarela pop de sons de um disco auto-produzido. À formação original (Tó Martins na voz e guitarras, César Correia no baixo, e Bel Vilar na bateria e vozes), chegaram, mais tarde, Hugo Marques (na guitarra solo) e Márcio Oliveira (nos teclados). Nos espetáculos, os Primeiro Instinto apresentam outros originais não editados e versões de música portuguesa. Estrela televisiva Tó Martins começou por dar nas vistas num dueto noturno com Jorge Palma, uma sua referência musical, no programa da SIC “Surprise Show”, apresentado por Fátima Lopes. A interpretação de “Terra dos Sonhos”, de Palma, na final do “Chuva de Estrelas” de 1997, na estação de Carnaxide, valeu-lhe um 4.º lugar. Depois de anos de maior apagamento, embora sem abandonar a paixão da música, voltou, em 2008, com os Primeiro Instinto; e a dar cartas na televisão, quer no “Festival da Canção” quer em “A Voz de Portugal” (foi escolhido para a equipa de Mia Rose), ambos na TV pública. NS

18 de dezembro de 2013

23 PUB


PUB

Edição 69 net  

Correio de Sintra

Advertisement