Page 1

foto: divulgação

Mãe,

até Deus quis ter uma!


“Como vencer a Deus” Esta expressão, à primeira vista pode até chocar pela leviandade. Ao mesmo tempo, tomada ao pé da letra soa como blasfêmia. De fato, todo mundo sabe que Deus é o ÚNICO Todo-Poderoso, Único Auto-suficiente. Que não precisa de nada e de ninguém. Porém, a Bíblia é povoada de personagens que, ao se apresentarem diante de Deus, com humildade, simplicidade e pobreza interior, e reconhecendo sua miséria e carências, e confiando na sua misericórdia, conseguem “vencer a Deus”. No sentido de obter dEle tudo o que desejam, pela humildade e confiança na sua bondade. COMO UMA FÉ ROBUSTA, BASEADA NA MISÉRIA, CONSEGUIU VENCER O CORAÇÃO DE JESUS. (Conf. Mt 8, 1-4; Lc 5, 12-14) Era um homem segregado do resto de seu povo. Evitado e desprezado. Porque era leproso. Esta doença, naquela época era considerada altamente contagiosa. E discriminava de maneira selvagem. Este leproso, talvez, era um pai de família que andava, andava... sonhando em busca de “algo” novo. Como de fato, todo doente, sempre espera na cura. Porém, acima de tudo, neste leproso, havia um imenso desejo em seu coração:voltar no seio da sua família. Mas, como? Com certeza já havia ouvido falar de Jesus, que curava, falava com todos e até ia nas casas dos pobres e almoçava na casa de todos. Sem distinção nenhuma. Sobretudo, nunca deu sinais de ficar com vergonha dos pobres, doentes e marginalizados. Este fato contribuiu para enraizar, de maneira robusta, o desejo no coração do leproso, de um dia se encontrar com Jesus. Ansiava por este dia! Jesus, naquele dia, havia subido numa montanha. Ele postou-se num lugar estratégico para que, ao descer da montanha, pudesse vê-lo com

facilidade e poder ir ao seu encontro. Depois de algum tempo de espera, viu Jesus que descia calmamente. O leproso começou a correr na direção de Jesus. O coração batia, batia forte. Pensava: “será que Jesus vai me dar atenção? Olhou para sua carne em pedaços...” - Chegou perto de Jesus... Ofegante! Ajoelhou-se. Colocou a cabeça no chão. Adorou Jesus como Deus. Em seguida, levantou a cabeça e, olhando para Jesus, com um olhar de imensa confiança,e, de braços abertos, implorou: “Senhor, se quere, podes me curar” (Lc 5, 12) Jesus tem na sua frente o rosto de um homem. Carne em pedaços, cheiro horrível, com uma doença que não perdoa... E muito debilitado... Sobretudo, Jesus viu neste homem um abandono incondicional á sua vontade: “ SE queres, pode...” Jesus não exitou nem um segundo. Disse ao leproso: “SIM, EU QUERO SÊ CURADO”. E ficou livre da lepra. Na hora! Conclusão: O que venceu Jesus, não foi a força, nem as orações fortes, poderosas irresistíveis... Mas foi a humildade, a fé, e o amor despreendido e abandonado deste pobre homem á vontade do Senhor. O gesto de “adoração”, encerrou tudo. Jesus foi vencido, ou melhor se deixou vencer pela fé e adoração mais pura do leproso. - Toda vez que nos aproximamos de Jesus com humildade, fé, amor abandono que encerram uma imensa confiança na sua ternura. (“SE QUERES, PODES...”) Ele se deixa vencer. E concede tudo o que lhe pedimos. “... Tu és o Deus dos humildes. O socorro dos oprimidos, o protetor dos fracos, e o abrigo dos abandonados, e salvador dos despreparados.” (Jt 9,11)

FREI BATTISTINI DA COMUNIDADE MANÁ

“A oração do humilde penetra as nuvens...” (Eclo 35, 21) “... Apreendei de mim que sou manso e HUMILDE DE CORAÇÃO. E assim, encontrarei repouso, para vossas almas” (Mt 11, 25s)

UM “SIM” HUMANO QUE PENETROU NO CORAÇÃO DA TRINDADE A humanidade estava esperando o Salvador. “Quando chegou a plenitude do tempo” (Gl 4,4), o Pai mandou o anjo Gabriel para consultar Maria se queria ou não aceitar o Salvador como seus Filho. Maria, com prontidão e segurança, respondeu: - “EU SOU A SERVA DO SENHOR. FAÇA-SE EM MIM CONFORME A TUA PALAVRA” (Lc 1,38) Este “SIM” chegou ao Coração da Trindade. Porque fruto de uma humildade sem par. Fruto de uma pobreza do mesmo tamanho. Fruto de uma CONFIANÇA SEM LIMITE NA TERNURA DIVINA. De fato, logo que Maria terminou de dar a sua resposta, aconteceu isto: “O Espírito Santo desceu sobre Maria. O poder do Altíssimo (Pai) cobriu Maria com sua sombra. E o Santo, o Filho de Deus nasceu no seio de Maria” (Lc 1,35) “E O VERBO SE FEZ CARNE E HABITOU ENTRE NÓS” (Jo 1,14) Neste SIM de Maria está toda a sua grandeza, sua pobreza, sua total ABERTURA PARA DEUS. E sua fidelidade incondicional ao Filho. Deus infinito se deixou vencer pela HUMILDADE e CONFIANÇA no seu AMOR. Maria representava toda a humanidade. Temos uma vida inteira para agradecer a Maria, porque seu SIM nos de o SALVADOR.


A mesagem de Fátima e a oração do Santo Rosário Por ocasião das aparições de Fátima, ocorridas no período de maio a outubro de 1917, Nossa Senhora insiste com os três pastorinhos acerca da necessidade de oração e penitência em favor da paz e da salvação das almas.

Às três crianças, Ela mostra o caminho: “continuem sempre a rezar o terço todos os dias”. Nunca é demais ressaltar a dimensão universal da mensagem de Nossa Senhora de Fátima. As palavras que ecoaram na Cova da Iria dirigiam-se não somente aos pastorinhos, mas à terra inteira, a cada indivíduo, a cada família e a cada nação, a jovens e idosos, pobres e ricos, incultos e letrados, casados e solteiros, leigos e religiosos, enfim a cada um de nós. O amor da Mãe não fez exceções. Infelizmente a humanidade não deu ouvidos às súplicas e advertências da Santa Mãe de Deus. Muitos cristãos ainda pensam poder haver progresso na vida cristã sem a prática da oração e nunca (ou quase nunca) rezam a oração que mais agrada à nossa Boa Mãe, o Santo Rosário. São Luís Maria de Montfort, grande apóstolo da devoção à Santíssima Virgem, costumava sempre dizer que Nossa Senhora demonstra grande apreço pela devoção ao Santo Rosário e recompensa todos aqueles que a divulgam e cultivam, derramando sobre os mesmos abundantes bênçãos. O Papa João Paulo II, lá em 1978, poucas semanas após a sua eleição

como sucessor de Pedro, assim se expressava acerca dessa prática de piedade: “O Rosário é a minha oração predileta. Oração maravilhosa! Maravilhosa na simplicidade e na profundidade”. Não é à toa que ele é um dos santos dos nossos dias. Esse mesmo Papa, no ano de 2002, inaugurou um novo capítulo na história da devoção ao Santo Rosário ao acrescentar ao mesmo os Mistérios da Luz. Nesse mesmo ano, escreveu a Carta Apostólica “O Rosário da Virgem Maria”, na qual estimulou os cristãos a redescobrirem a oração mariana por excelência, destinada a “produzir frutos de santidade”. Na referida Carta Apostólica, o saudoso Vigário de Cristo afirmava: “Percorrer com ela [Maria] as cenas do Rosário é como freqüentar a ‘escola’ de Maria para ler Cristo, penetrar nos seus segredos, compreender a sua mensagem”. Ao contrário do que muitos pensam (afirmando que o Rosário é uma mera repetição de palavras, contrariando a advertência de Jesus em Mt 6,7), o Rosário é uma oração marcadamente contemplativa. Como dizia o Papa Paulo VI, na sua Exortação Apostólica Marialis cultus, “sem contemplação, o Rosário é um corpo sem alma e a sua recitação corre o perigo de tornar-se uma repetição mecânica de fórmulas”. Por isso mesmo a oração do Rosário requer um ritmo tranqüilo, a fim de que aquele que reza possa meditar com certa profundidade nos mistérios da vida do Senhor. O Rosário foi desde sempre também a oração da família. É necessário que não deixemos perder-se esta preciosa herança. Precisamos voltar a rezar em família para que aumente cada vez mais em cada lar a paz, o amor e a união. É preciso que redescubramos novamente o valor dessa oração tão fácil e tão simples e, ao mesmo tempo,

SIDNEY

DA COMUNIDADE MANÁ

tão rica, poderosa arma contra o Maligno, instrumento extraordinário para atravessar as tempestades que, vez por outra, se abatem sobre nossas vidas. Em Fátima, Maria Santíssima, na condição de Mãe indizivelmente carinhosa, veio transmitir os apelos do seu Coração Imaculado, que não deseja outra coisa senão livrar a humanidade dos males que a ameaçam, sobretudo o pecado, que escraviza e leva à morte tantos filhos de Deus. Ela nos apontou o caminho da penitência e da oração (sobretudo a oração do Santo Rosário) como caminho seguro para a nossa conversão, demonstrando que Ela continua a atuar de forma efetiva em favor da salvação do gênero humano. Assim, pela sua colaboração íntima na história da salvação, Maria é exaltada e honrada pela Igreja – da qual é também figura – com culto especial de veneração, o qual difere do culto de adoração, que é prestado somente às pessoas da Santíssima Trindade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Na verdade, a função maternal de Maria para com os homens, de nenhum modo obscurece ou diminui a medição única de Cristo (cf. 1Tm 2, 5-6), da qual as demais mediações – da Virgem e dos santos – tiram a sua eficácia. Maria é o modelo de cristão que nós precisamos ser. É nosso dever amála como verdadeira mãe e imitá-la na sua maneira de viver e acolher a Palavra de Deus, na sua humildade e simplicidade, na sua disponibilidade para estar sempre a serviço dos outros. Neste mês de maio, dedicado a Nossa Senhora, vamos intensificar, nas nossas casas e nas comunidades, a oração do Santo Rosário, alegrando, assim, o Imaculado Coração de Maria, tão ultrajado pelas ofensas e ingratidões dos homens. A Paz de Jesus e o Amor de Maria!


O que é ressurreição? A fé cristã está fundamentada indelevelmente na ressurreição do Senhor Jesus Cristo. Esta, por sua vez, contempla uma riqueza de significados que nos dão o sentido desse fato maravilhoso e único na história do mundo, sem, no entanto, conseguir esgotar sua riqueza. Jesus ressuscitou num domingo, primeiro dia da semana. Por que não foi num sábado, no dia santo¿ ou por que não foi aleatoriamente em outro dia da semana¿ Nós nos reportamos à criação: o primeiro dia inaugura a criação; por isso a ressurreição é uma nova criação, ou a renovação da mesma. Tudo recomeça: “Eis que faço novas todas as coisas” (Ap 21,5). No primeiro dia da primeira criação, Deus criou a luz; no primeiro dia da nova criação, Deus ressuscita Aquele que é a Luz do mundo. Agora tudo segue num processo de renovação, até que chegue “o grande sábado”; o nosso verdadeiro descanso; a

PE. JOSEILSON

DA COMUNIDADE MANÁ

nossa ressurreição. Mas, no entanto, nós já ressuscitamos com Cristo pelo batismo; já temos a semente da vida eterna. E isso nos compromete, pois nos obriga a um modo de viver que seja capaz de revelar essa nova realidade. “Se ressuscitastes com Cristo, esforçai-vos por alcançar as coisas do alto, onde está Cristo, sentado à direita de Deus; aspirai às coisas celestes e não às coisas terrestres” (Cl 3,1-2). Nós fomos feitos testemunhas de Jesus ressuscitado no mundo, como Ele mesmo nos ordena: “Vós sereis testemunhas de tudo isso” (Lc 24,48). Não como meros indivíduos, mas a partir da comunidade eclesial. Sim: todas as experiências com a pessoa de Jesus ressuscitado, relatadas nos evangelhos, são experiências comunitárias (Cf. Mt 28,9; Jo 20,17-18; Lc 24,13-35; Jo 21,1-

14; Jo 20,19-31). Fora da comunidade não se faz a experiência, como é o caso de Tomé, que estando fora não viu o Senhor na primeira aparição aos discípulos reunidos. Se o Senhor aparece fora da comunidade, Ele envia o discípulo para a comunidade (cf.Jo 20,16-18; At 9,56). Portanto, o Senhor nos chama para que vivamos a alegria da experiência da presença de Jesus ressuscitado no meio da nossa comunidade, sobretudo na Eucaristia, Pão dos fortes, que nos alimenta em nosso êxodo rumo à terra prometida.

“O Senhor ressuscitou verdadeiramente. Aleluia!” A paz de Jesus e o amor de Maria!

Ajude-nos a evangelizar!

Banco do Brasil Ag 0011-6 cc14602-1 Caixa Econômica Federal Ag 0729 cc003.1713-0

Precisamos fechar os 100%

A Comunidade Maná sobrevive da sua doação, temos um alto custo mensal para sustentar a Comunidade e o Sistema Maná de Comunicação que é composto pela AM 560, Rádio Online e Web TV.

Contamos com a sua colaboração!

HSBC

Ag 0739 cc12604-53 Doações ONLINE:

www.comunidademana.com.br/doacao.php

Dia 01 - Terça

Dia 07 - Segunda

Dia 13 - Domingo

Dia 19 - Sábado

Dia 25 - Sexta

Dia 02 - Quarta

Dia 08 - Terça

Dia 14 - Segunda

Dia 20 - Domingo

Dia 26 - Sábado

Gn 1,26-2,3 ou Cl 3,14-15. 17.23-24 Sl 90 Mt 13,54-58 At 12,24-13,5a Sl 67 Jo 12,44-50

Dia 03 - Quinta 1Cor 15,1-8 Sl 19 Jo 14,6-14

Dia 04 - Sexta

At 13,26-33 Sl 2 Jo 14,1-6

Dia 05 - Sábado At 13,44-52 Sl 98 Jo 14,7-14

Dia 06 - Domingo

At 9,26-31 Sl 22 1Jo 3,18-24 Jo 15,1-8

At 14,5-18 Sl 115 Jo 14,21-26

At 14,19-28 Sl 145 Jo 14,27-31a

Dia 09 - Quarta At 15,1-6 Sl 122 Jo 15,1-8

Dia 10 - Quinta At 15,7-21 Sl 96 Jo 15,9-11

Dia 11 - Sexta

At 15,22-31 Sl 57 Jo 15,12-17

Dia 12 - Sábado At 16,1-10 Sl 100 Jo 15,18-21

Liturgia Diária - Maio 2012

At 10,25-26.34-35.44-48 Sl 98 1Jo 4,7-10 Jo 15,9-17 At 1,15-17.20-26 Sl 113 Jo 15,9-17

Dia 15 - Terça

At 16,22-34 Sl 138 Jo 16,5-11

Dia 16 - Quarta

At 17,15.22-18,1 Sl 148 Jo 16,12-15

Dia 17 - Quinta At 18,1-8 Sl 98 Jo 16,16-20

Dia 18 - Sexta

At 18,9-18 Sl 47 Jo 16,20-23a

At 18,23-28 Sl 47 Jo 16,23b-28

At 1,1-11 Sl 47 Ef 1,17-23 Mc 16,15-20

Dia 21 - Segunda At 19,1-8 Sl 68,1-7 Jo 16,29-33

Dia 22 - Terça

At 20,17-27 Sl 68,10-22 Jo 17,1-11a

Dia 23 - Quarta

At 20,28-38 Sl 68,29-36 Jo 17,11b-19

Dia 24 - Quinta

At 22,30.23,6-11 Sl 16 Jo 17,20-26

At 25,13-21 Sl 103 Jo 21,15-19 At 28,16-20.30-31 Sl 11 Jo 21,20-25

Dia 27 - Domingo

At 2,1-11 Sl 104 1Cor 12,37.12-13 Jo 20,19-23

Dia 28 - Segunda 1Pd 1,3-9 Sl 111 Mc 10,17-27

Dia 29 - Terça

1Pd 1,10-16 Sl 98 Mc 10,28-31

Dia 30 - Quarta

1Pd 1,18-25 Sl 147,12-20 Mc 10,32-45

Dia 31 - Quinta

Sf 3,14-18a (ou: Rm 12,9-16) Ct 2,8.10-14 Lc 1,39-56


Sofrimento: caminho para Deus! “... sê... paciente nos sofrimentos...”

ARTUR

(II Tim 4, 5)

O sofrimento pode ser um caminho para Deus. É preciso que se saiba: todos que se encontram na glória passaram pelo sofrimento, às vezes ao extremo, como foi o caso de Jesus. São Paulo nos exorta a perseverarmos na fé, dizendo que é necessário entrarmos no reino de Deus por meio de muitas tribulações (cf. At 14, 22). Também: “Pois, todos os que quiserem viver piedosamente, em Jesus Cristo, terão de sofrer a perseguição” (II Tim 3, 12). Deus está sempre junto a cada um de nós, mesmo no momento em que estamos fazendo algo que não Lhe agrada, só que neste caso Ele não está nos apoiando ou sendo condizente. Ao passo que, quando estamos fazendo uma boa obra, ou melhor, fazendo o que Lhe agrada, além dEle está junto a nós, está nos apoiando, nos dando força e coragem. Pois, Ele mesmo disse: “Coragem! Eu venci o mundo” (Jo 16, 33c).

Nunca dar as costas ao sofrimento “Sofre as demoras de Deus; dedica-te a Deus, espera com paciência, a fim de que no derradeiro momento tua vida se enriqueça” (Eclo 2, 3).

O que, nos dias atuais, tem feito nós sofrermos?

DA COMUNIDADE MANÁ

Precisamos saber que nos momentos em que nos sentimos mais desamparados, é onde Deus está mais junto de nós, basta buscarmos o socorro no lugar correto: o lugar é no Senhor! Não percamos tempo murmurando, ficando presos às ruínas dos dias que passaram; busquemos viver o dia de hoje, como se fosse o último de nossa vida. Hoje, nós precisamos nos despertar para esta verdade: Deus está sempre perto de nós, basta-nos procurá-Lo. Não fiquemos aflitos, pois temos de aprender a ser pacientes e sempre perseverantes na oração. Tenhamos a certeza de que Deus virá em nosso socorro. Certa vez Tomé perguntou a Jesus: “Senhor, não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho?” (Jo 14, 5). Estamos aqui diante de algo maravilhoso. A pergunta de Tomé foi exatamente esta: Como chegar a Deus? Como chegar ao céu? Não sabemos Senhor que caminho percorrer. Muitos seguimentos, que se dizem religiosos, procuram caminhos para buscar a Deus. Mas, Jesus veio ao mundo e disse: “Eu sou o Caminho” (Jo 14, 6). Uma vez que permitimos que Jesus nos conduza, já estamos no caminho. Deus tomou a iniciativa

e veio ao nosso encontro. Uma vez que o Filho de Deus veio, tudo foi estabelecido. Uma vez que religião é religar-se com Deus, o caminho é Ele. A Bíblia é a grande Carta de Amor do Senhor para nós. Jesus disse que ninguém conhece o Filho senão o Pai. A Bíblia Sagrada mostra verdadeiramente quem Ele é. Também nos mostra qual o caminho que devemos seguir. A Palavra é criadora e Deus chama todas as coisas por Ela. Pois, Ela é orientadora em nossa vida, mostra-nos o Caminho para a felicidade. Mas quando buscamos fora do Caminho mostrado por Deus, caímos como o filho pródigo e acabamos no sofrimento. Quem acolhe a Palavra acolhe a salvação. A paz de Jesus e o amor de Maria!

HORÁRIOS DA

Santa Missa Segunda à Sexta - 18:15h; Sábado - 18:30h; Domingo - 08:00h; Celebração da Palavra às 19:30h com o Diác. Fabiano.


Pacote JMJ 2013 - Ótima Oportunidade!

Adoração Maná 03.05.2012

+ fotos em nosso facebook

Edital Maio - 2012  

Edita Maná Maio 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you