Page 1

ETN I A DE S B SIG RA N D SIL E S EIRA UP S E ER FÍC O IE Peq u Art eno e e In s dig tudo êna do e A Grafi s fro Bra mo na sile ira

Rafael De Souza Matos 4.º Mod. Superior em Design Gráfico Minas Gerais - 2018


Etnias Brasileiras e o Design de Superficie GRAFISMO INDIGENA e o GRAFISMO AFRO BRASILEIRO O projeto de desenvolvimento de um pequeno Editorial Étnico Brasileiro tem como foco principal, a pesquisa de estudos imagéticos e elementos visuais utilizando a lingagem do Grafismo Indígena, e Afro-brasileira, na aplicação um projeto de design de superfície. A abordagem metodológica e o resultado resulta se em prototicos para o consumo de uma determindade classe da industria que absorve a cultura brasileira como identidade de um produto nacional e utiliza o design de superfície como instrumento de planejamento e execução artistica e de comunicação visual. Grafismo, forma de estudo para o projeto é a arte em que s„o mais relevantes as formas, as cores e detalhes do que a figura ou representação. Pode ser também uma forma mais sucinta de representar um objeto ou composição, de objetos, contanto que os impactos de cor e forma falam sentido com a proposta do artista. A arte do grafismo È simples e exuberante das cores, criando conceitos como a repetiÁ„o, ritmo, equilíbrio e escala. O grafismo pode mostrar uma ideia estética ou com a sensação de movimento. Desta forma o entendimento para escolha do tema visual facilita o processo de criação dos moldes e o entendimento da Lei da Gestalt ao longo da aplicação dos elementos gráfico para o objetivo final do projeto. A Gestalt é um movimento que atua na área da teoria da forma.

Composta por leis que fundamentam a percepção humana das formas para melhor entendimento de composições visuais, a Gestalt é uma corrente proveniente da Psicologia que traz importantes estudos fundamentados na leitura visual dos objetos concentrados dentro do campo da Psicologia Perceptual da Forma. Acerca das raízes de surgimento da Gestalt, Gomes Filho (2004, p. 18) destaca que Von Ehrenfels, filósofo de Viena, do fim século XIX, foi o precursor da implantação dessa corrente. Contudo, por volta de 1910, a Gestalt foi difundida no início por meio de três outros importantes nomes, como Max Wertheimer (1880/1943), Wolfgang Kohler (1887/1967) e Kurt Koffka (1886/1941), da Universidade de Frankfurt. O design utiliza as leis da Gestalt o tempo todo, muitas vezes até de forma inconsciente. Ele ajuda as pessoas a assimilarem informações e entenderem as mensagens que são passadas. Algumas leis são aplicadas neste projeto com o objetivo prático de obter um resultado de fácil compreensão. A proposta do desenvolvimento desta pesquisa objetiva apresentar estudo entorno do grafismo como processo de criação, desenvolvimento e composições de superfície para diversos produtos, tendo como princípio a busca por referências da cultura material, imaterial e iconográfica do trabalho visual Indígena e Afro-brasileira.


O Design de Superfície é uma importante categoria do design que tem contribuído de maneira significativa para a valorização dos produtos, mais especificamente no que diz respeito à estamparia. O Design de Superfície é a tradução de Surface Design, usada em países de língua inglesa e oficial nos meios eletrônicos, razão pela qual foi escolhida para denominar este trabalho, na intenção de ser o mais abrangente possível. Em português é usada a nomenclatura “ Desenho (Industrial) de Estamparia “, mas entendemos que a palavra estamparia restringe à padrões impressos sobre tecidos. Os franceses também adotam a palavra “design” do inglês e acrescentam a expressão de revestimento, compondo: “ Design de Revêtement”. Assim vemos que a palavra design adquiriu um sentido próprio, ligado à produção industrial. O Design de Superfície consiste na criação de imagens bidimensionais, projetadas especificamente para geração de padrões, que desenvolvem-se de maneira contínua sobre superfícies de revestimentos. O processo criativo é voltado para aplicação na indústria, basicamente nas áreas: têxtil, de papelaria, cerâmica e materiais sintéticos. As possibilidades de aplicações de projetos de superfícies são diferenciadas e se mostram com aspectos variados dependendo do produto e de sua técnica de produção. Assim, a representação gráfica das superfícies possibilita que: os produtos ganhem em valor agregado; atraiam a atenção do consumidor; despertem valor afetivo em relação à estética, cores e material utilizados na produção dos produtos; os padrões mostram-se exclusivos de acordo com o produto

comercializado, atentando para o caráter mercadológico do bem; agregam valores regionais e culturais por meio dos motivos apresentados no projeto; comunicam os ideais de uma empresa ou entidade por meio dos grafismos utilizados na produção dos módulos; geram referenciais de tendências para setores de moda e aplicações em decorações de ambientes, sobretudo na arquitetura com revestimentos; promovem exclusividade em relação aos demais produtos em um ponto de venda; É uma atividade técnica e criativa cujo objetivo é a apresentação de imagens bidimensionais, projetadas especificamente para o tratamento de superfícies, apresentando soluções estéticas e funcionais adequadas aos diferentes materiais e métodos. Observa-se que as áreas do Design Gráfico e do Design de Moda se relacionam em várias situações. Podemos tomar como exemplo o caso da produção de um editorial de moda em revista impressa. Haverá uma relação tangente entre os envolvidos, contudo, cada um terá sob sua responsabilidade determinadas tarefas para executar o trabalho. O profissional de moda produzirá o editorial, organizará as peças a serem utilizadas, decidirá as maquiagens, cabelos e todos os fatores visuais que irão interferir no trabalho do fotógrafo. Fonte: https://repbidim.files.wordpress. com/2012/04/rinaldir_contribuicoesdodesign-graficoparads_rrr.pdf http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UNSP_ a857c7847ab1aef06f363b10632e6542 https://pt.wikipedia.org/wiki/Gestalt


GRAFISMO INDIGENA

A pintura corporal e os registros de um povo

ARTE INDIGENA

A pintura corporal indígena utiliza instrumentos simples de registro, muitas das vezes, gravetos e tinta à base de elementos extraídos da terra, fazem com que os registros de ponto, linha e forma representem sua cultura e história. Desta forma, quando o índio pinta o seu próprio corpo, ele demarca o seu lugar dentro do seu mundo conforme a situação, ocasião e sexo. O grafismo indígena é tatuado no corpo, ou suco/sumo na pele dependendo o seu significado, além do corpo, a arte gráfica, decora cerâmicas, canoas, remos e tecidos. As formas geométricas inspiradas na natureza serve de identificação social, motivação estética e reforça a identidade étnica dos indígenas brasileiros. Grande parte do grafismo indígena apresentada diferças caracteristicas da Gestalt, dentre elas descata-se a Lei do Fechamento. Olhando para um arranjo complexo de elementos individuais, os seres humanos tendem a olhar primeiro para uma única forma obtida a partir de contornos reconhecíveis. Formas fechadas podem ser obtidas por linhas de mesma cor ou o contraste ou até mesmo a falta deles. A Lei de fechamento ocorre quando um objeto é incompleto ou um espaço não está completamente fechado e o cérebro ativa alguns mecanismos para completar a figura, preenchendo as informações que faltam.

Grafismo Kamayurá, Xingu. Já foi utilizado por profissinais em design de superfície como estudo e proposta para empresa textil.


GRAFISMO AFRO BRASILEIRO

Etnias Brasileira e o Design de Superficie Etnias Brasileira e o Design de Superficie

A Arte Afro-brasileira Profundamente baseada nas raízes das culturas africanas e percorreu um longo caminho de séculos para que esse cultura fosse reconhecida através do seus valores e princípios. Com a chegada dos escravos ao país, com o passar o tempo o sentido e os valores emocionais assumem um papel fundamental na preservação da cultura africana fora do seu local de origem. Está arte utiliza elementos pictóricos e gráficos representativos da particularidade de um povo de formação estrutural igual ao dos índios brasileiro, o sistema comunitário, aplicada em trajes, pinturas corporais e objetos de utensilio diários. A influência da cultura africana é estampada nas cores, formas e estilo valorizando afirmação da identidade e reivindicando do espaço na sociedade.

Similaridade Alguns grafismos encontrados na cultura afro brasileira tem seua relação com uma das leis da Gestal, a Similaridade onde percebemos elementos como pertencentes ao mesmo grupo, se eles se parecem entre si. O princípio da similaridade pode ser acionado usando cor, tamanho, orientação, textura e até mesmo fontes. Ao colocar um documento de várias páginas, por exemplo, a criação de um regime de tipologia vai ajudar os leitores a entender que blocos de texto são legendas, manchetes ou parte do corpo do texto. Podemos encontrar também a Lei da Pregnância É chamada também de lei da simplicidade. Ela dita que objetos em um ambiente são vistos da forma mais simples possível. Quanto mais simples, mais facilmente é assimilada.

Estamparia utiliza elementos simbolicos da cultura AfroBrasileira


Aplicação de grafismo da Arte Indígena aplicada ao design de superfície O povo indÌgena é bastante reconhecido através de seus desenhos que por muitas vezes para nós, parece um desenho abstrato e sem sentido algum ou até pode ser mesmo. O interessante é que, para eles(os indÌgenas) essa é a forma de escrita deles para representar algo do seu cotidiano em sua língua e eles nem imaginam que isso seja considerado arte, o que torna mais sensacional ainda o trabalho do ser humano.

Os materiais utilizados nas artes indígenas são os que a natureza oferece: madeiras diversas, caroços, fibras, sementes, cipós, folhas de palmeiras, frutos, palhas, resinas, couros de animais, plumas coloridas, ossos, dentes, garras e conchas, dentre outros. Essa quantidade de matéria-prima abre um leque de possibilidades e variações de criação, desde um cocar até o remo de um barco, um arco para flechas, estacas, chocalhos e máscaras.

Esta Série Especial de 2013, deixa os modelos muito mais completos e exclusivos, além de adesivos de identificação nas laterais e na tampa traseira dos carros – uma homenagem ao filme que conta a saga dos indigenistas Villas Boas e a história da criação do Parque Nacional Xingu.

MODELO DE APLICAÇÃO DE ADVISO (ACESSÓRIO) DA MONTADORA PARA O MODELOS EXPLORAÇÃO DO DOBLÓ


Aplicação de grafismo da Arte Afro Brasileira aplicada ao design de superfície deste vestuário, resolvemos mostrar um pouco sobre como essa moda diversificada e admirável Vestidos, saias, calças, podem apresentar grandes variedades de formas e cores que de forma notável se pode identificar tal forma de vestuário. Nos sapatos e bolsas também podem O grafismo nada mais é do que conjunto ser identificados a presença de tal influência. geométricas, simétricas e com efeitos gráficos. Para quem tem medo de usar, aqui vai uma dica que eu sempre falo: CORES NEUTRAS ou, o básico e famoso PRETO E BRANCO pois no grafismo ele ganhou detalhes, cortes, linhas, formas onde nós podemos usar a abusar deles pois eles podem ajudar e disfarçar os defeitos do nosso corpo ou até mesmo, realçar o que nós gostamos. Os vínculos com a África são fundamentais e de compreensão da cultura brasileira, as relações com a problemática sociocultural afrodescendente constituem um elemento intrínseco ao campo da arte no Brasil.

O vestuário africano estão fortemente presentes na moda brasileira, caracterizando, portanto, o vestuário afro-brasileiro. São compostos de muitas cores, tecidos variados, acessórios irreverentes, que há um bom tempo já fazem parte do guarda-roupa brasileiro, principalmente o feminino.

Jorge dos Anjos - Jorge Luiz dos Anjos Objeto 77 cm x 77 cm

Jorge dos cristais de Deus (Ouro Preto, 30 de abril de 1957) é um artista plástico do estado brasileiro de Minas Gerais. Envolvido com a gravura e escultura, coleciona prêmios em salões nacionais de arte. Tornou-se ao longo da carreira um dos nomes mais expressivos Assim, como forma de divulgar tais elementos da arte mineira contemporânea. APLICAÇÃO DE GRAFISMO DA ARTE AFRO BRASILEIRA E METODOLOGIA APLICADA AO DESIGN DE SUPERFÍCIE

A Arte Afro Brasileira na moda como empoderamento social


INA

P–

Ins

titu

to d

eA

rte

eP

roje to

Etnias Brasileiras e o Design de Superfície - Pequeno Estudo do Grafismo Indígena e Afro Brasileiro  

Etnias Brasileiras e o Design de Superfície - Pequeno Estudo do Grafismo Indígena e Afro Brasileiro

Etnias Brasileiras e o Design de Superfície - Pequeno Estudo do Grafismo Indígena e Afro Brasileiro  

Etnias Brasileiras e o Design de Superfície - Pequeno Estudo do Grafismo Indígena e Afro Brasileiro

Advertisement