Issuu on Google+

Ano 8 . No 32 . janeiro - fevereiro 2013 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

SUCE$$O

Associação Comercial e Industrial de Campo Grande

COMERCIAL E EMPRESARIAL

Campo Grande:

os desafios de um bairro-cidade Dicas para ajudar você a administrar melhor a sua empresa Pág. 11

População cobra a chegada da UOP de Campo Grande Pág. 26


Guilherme Eisenlohr, Presidente da ACICG

PALAVRA DO PRESIDENTE

2013: Ano do comprometimento de todos

Sumário

Em encontros com diretores e associados identificamos um desejo geral de ampliar as ações da ACICG para toda a nossa comunidade. Este desejo na verdade reflete uma nova concepção do que é desenvolvimento. E, em nossa opinião, o desenvolvimento de uma região passa pela organização social, cultural e política. Requer um envolvimento de todos na construção de resultados positivos que favoreçam atuais e futuras gerações. Assim, nunca precisamos tanto da palavra “todos”. O envolvimento das pessoas de vários segmentos em ações que valorizem o território e estimulem a troca de informações e geração de novos negócios, incluindo a nova forma: o empreendedorismo social, fonte de grandes transformações econômicas e sociais. É perfeitamente viável consolidar nossas empresas, lucrar e também integrar-se às ações de melhoria do nosso bairro. Desde o incentivo à formação profissional de seus colaboradores e dependentes, passando pela melhoria do relacionamento com a comunidade que está a sua volta, até atos mais simples; como a limpeza de suas calçadas e ruas que seus clientes acessam para chegar às nossas instalações. Vamos usar todo nosso potencial de crescimento para transformar nosso bairro num lugar melhor para se viver e consumir. Afinal, acreditamos que DESENVOLVIMENTO É A PARTICIPAÇÃO DE TODOS PARA O BEM COMUM!

06

12

24

RPMONT

BRT

DENGUE

Regimento de Polícia Militar tem novo comandante

Comerciantes pedem planejamento das ações

Alerta para a Zona Oeste do Rio de Janeiro

Revista Sucesso é uma publicação de responsabilidade da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande - Rua Augusto Vasconcelos 1.236 - Campo Grande - Rio de Janeiro - Jornalistas: Silvia Fernandes e Jorge Silva - Fotos: Vanessa Danciger - Diagramação: Thaís Cardoso - Jornalista Responsável: Silvia Fernandes - Gestor de Relacionamento: Flávio Fróes - Financeiro: Adriana Rosa - Sugestões e críticas: revistasucesso@acicg.org.br Tiragem: 3 mil exemplares. Foto de capa Revista no 31 e no 32: Vanessa Dancinger.

Expediente

*Artigos e matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores Revista no 31


Serviços ACICG Soluções . SPC . Cheque . SIAC PF/PJ . Inclusão e exclusão de SPC Associação Comercial e Industrial de Campo Grande Rua Augusto Vasconcelos, 1236 - Campo Grande Rio de Janeiro - RJ - 23.045-120 Telefax: (21) 2416-4000

Presidente: Guilherme Eisenlohr Vice-Presidente: Mounir Issa Nehme 1o Secretário: Waldecila Correa 2o Secretário: José Ricardo Silveira 1o Tesoureiro: Everaldo Fernandes 2o Tesoureiro: Luiz Costa Guedes Procurador-Geral: Roberto Othoniel

. Básico PF/PJ . Completo PF/PJ - Jurídico . Causas e defesas trabalhistas . Ações dos juizados especiais civis . Duas causas jurídicas por mês totalmente gratuitas

- Assessoria Corporativa por Consulta . Gestão Administrativa . Gestão Financeira (exceto gestão de investimentos) . Gestão de Marketing, Publicidade e Vendas . Gestão de Tecnologia da Informação (TI) . Gestão Motivacional (Equipes) . Gestão de Liderança de Equipes . Gestão de relacionamento com Clientes

- Assessoria em Desenvolvimento . Fábrica de Software . Fábrica de Sites

Vice-Presidentes Ass. Comunitário: Leonir Conte

- Certificado Digital Associados tem desconto

Desenvolvimento: Roberto Eisenlohr Social: Angelina Farah Com. Calçadão: Mirtes Ferreira Cunha Rel. Instit.: Alex Sandro M. Wandermurem Prest. de Serv./Cursos: Samir Nehme Promoções: Sergio Figueiredo

Convênios - Saúde

Desenv. Informática: Wilson José C. Filho Eventos: Juliana Ferreira de Souza Finanças e Patrimônio: José Luiz Dutra Fomto ao Crédito: João Luiz Pinto Machado

- Educação

Rel. Industriais: Georges Dib Convênios: Jorge Luiz M. S. Junior Rel. Governo: Rosali Garcia Tauil Ass. Comunicação: Silvia Fernandes SUCE$$O COMERCIAL Administração e Comercialização

- Lazer . Pousada Ondas do Forte - Cabo Frio/RJ . Pousada Brisas do Forte - Cabo Frio/RJ . Chalés do Rancho Santo Antônio - Campos do Jordão/SP


capacitação

Inglês sob medida

Cursos personalizados para empresários e seus colaboradores Por Jorge Silva

C

om a vinda de grandes eventos para o país, como Copa do Mundo, em 2014, e Olimpíadas 2016, muitas oportunidades de negócios podem ser geradas. No Rio de Janeiro, cidade-sede dos jogos olímpicos de 2016, o domínio de um segundo idioma pode facilitar e muito, a comunicação com os milhares de turistas de outros países. Pensando nesse cenário motivador as escolas de idiomas investem em cursos personalizados, na medida do estudante sem muito tempo para se dirigir até uma unidade escolar. Na Zona Oeste do Rio, há opções de cursos de inglês para empresários que buscam qualificação nesse sentido. Tradicionais instituições de ensino de idiomas oferecem modalidades parecidas e com o mesmo foco: atingir em um curto espaço de tempo a fluência no inglês. Tradicionais cursos e novas instituições de idiomas proporcionam, em Campo Grande, um nível de excelência para empresários que buscam qualificação no inglês, inclusive turmas de no máximo cinco alunos na empresa contratante do serviço personalizado de línguas. O IClub, localizado na Rua Augusto Vasconcelos, mais novo curso do bairro, disponibiliza cursos personalizados a empresas; outros cursos mais tradicionais, como Brasas, Cultura Inglesa, Wizard, Yes e CCAA também dispõem de grade curricular para empreendedores interessados no inglês para ferramenta de negócios. Nas instituições listadas pela Revista Sucesso para o ensino do inglês, cada modalidade tem a sua particu-

laridade, segundo os coordenadores pedagógicos. Vale ressaltar que os cursos personalizados dependem de estudo prévio e do tempo disponível pelo empresário interessado em desenvolver fluência no inglês. Para mais detalhes dos cursos personalizados, os cursos de inglês disponibilizam centrais telefônicas específicas: IClub – 3242-4211 Wizard – 3394-1606 Brasas – 3384-3089 CCAA – 2413-5195 Cultura Inglesa – 2413-3537 Yes Idiomas – 2415-0772

5


’ 6

Café com Ideias homenageou imprensa

Social.com

A mídia local foi homenageada pela ACICG no dia 21 de dezembro na sede da entidade. Durante o ano de 2013 a ACICG contou com a colaboração dos veículos na divulgação de suas ações e pautou assuntos de interesse da sociedade. Os principais veículos de comunicação, seus diretores e equipes foram citados como parceiros da ACICG no trabalho de valorização do bairro e das pessoas. A organização do evento ficou por conta da Assessora de Comunicação da ACICG, a jornalista Silvia Fernandes. Receberam a homenagem das mãos de Guilherme Eisenlohr: Jessé Cardoso (site Folha da Terra), Ronaldo Cunha (jornal e site Oeste in Foco), Paulo Gustavo (site Portal de Campo Grande), Renato Melo (jornal e site Portal Zona Oeste), Wilson José C. Filho (Rádio RJ 98.7 FM), Renato Reis (jornal e site Atual) e Roberto Freitas (jornal e site O Amarelinho). E seus respectivos colaboradores: Luciano Tadeu, Leandro da Silva e Márcia Cavalcante (jornal e site Oeste in Foco), Marcelle de Oliveira (Portal Zona Oeste), Silmo Prata, Hugo Reis, João Ribeiro e Jorge Silva ( O Amarelinho). Também formam homenageados os parceiros de comunicação: Fernando Teixeira, André Luis Mansur, Francisco Araújo e Maurício Danciger.

Foto: Vanessa Danciger

Foto: Vanessa Danciger

Troca de comando na RPMont Solenidade tradicional marcou a passagem de comando no Regimento de Polícia Montada Cel Enyr Cony dos Santos. O Ten Cel PM Anderson de Souza Maciel assume no lugar da Ten Cel Cláudia Lovain. O evento que aconteceu no dia 11 de janeiro dentro do regimento de Campo Grande na presença do Comandante superior Ten Cel José de Carvalho de Oliveira Júnior. Prestigiaram ao evento o Superintendente de Segurança do Estado do Rio de Janeiro, Augusto César Pinto Benac, o Comandante do 40º BPM, Ten Cel Jorge Damião, o Dr. Isaac Benac, o empresário Georges Dib e o presidente da ACICG, Guilherme Eisenlohr.


VITRINE

Novidades para o verão .

Park Shopping Campo Grande Estrada do Monteiro, 1.200

Túnica Cinto Tressê

Ki Korpo Loja 205 J - 2º piso Tel.: 24147180

8

.

Melissa Harmonic II rosa

Clube Melissa Loja 201 M - 2º piso Tel.: 24147052

.

.

Boné Nike Azul

Pulseira Verão

Pink Biju Loja 203 Q - 2º piso Tel.: 24127230

Kadinho Sports Loja 105 E - 1° piso Tel.: 24147197

. .

Bolsa Verão Blue Men

Jeito Pra Coisa Loja 101 M - 1º piso Tel.: 24147194

Bermuda masculina

South Loja 101 Z - 1° piso Tel.: 89217153


SERVIÇO

Justiça ganha novo espaço Prédio do Fórum homenageia ilustre desembargador Por Jorge Silva

C 10

om seis andares, o edifício majestoso por uma arquitetura que privilegia a iluminação natural com janelas envidraçadas, foi inaugurado em 18 de dezembro de 2012, ocupando uma área de mais de 8 mil metros quadrados. O prédio recebeu o nome do desembargador Alyrio Cavallieri,

falecido um mês antes da inauguração, referência no ensino do Direito e conhecido pelo seu ativismo aos direitos das crianças e dos adolescentes. O juiz Lúcio Durante, diretor do Fórum de Campo Grande, destacou, em entrevista ao site do Poder Judiciário (http://www.tjrj.jus.br), a grande relevância de um projeto desse nível para os moradores de Campo Grande e Guaratiba, bairros vizinhos que são atendidos pelo órgão público. Serviços disponíveis no Fórum: 1ª, 2ª, 3ª e 4ª Varas de Família; 1ª, 2ª, 3ª e 4ª Varas Cíveis; 5ª, 6ª e 7ª Varas Cíveis Virtuais; centrais de digitalização, núcleos de psicologia e de serviço social, entre outras modalidades jurisdicionais. Rua Carlos da Silva Costa, 141 - Campo Grande (21) 2416-8800


Carlos Maurício, Departamento Jurídico da ACICG

Olá leitor. Esperamos que esteja satisfeito com nossa primeira publicação, que a missão de informar e suprir dúvidas tenha sido cumprida com êxito. Desta vez, o foco é o direito do trabalho. Como se pode notar neste momento de crescimento econômico do Brasil, cada vez mais as empresas têm buscado novos empregados para atender a demanda exigente, cumprindo-nos destacar determinados cuidados a serem tomados acerca do contrato individual de trabalho. Bom é saber, em princípio, que a Constituição Federal e a legislação trabalhista vedam expressamente o trabalho noturno, perigoso ou insalubre ao menor de 18 anos e qualquer trabalho aos menores de 16 anos, exceto na condição de aprendiz, a partir dos 14 anos. Registre-se, ainda, que não pode haver diferença de salários, exercício de funções e critério de admissão por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil, bem como em nenhuma hipótese discriminação em relação a salário e critérios de admissão do portador de deficiência. Neste sentido, deve-se dizer que o contrato individual de trabalho poderá ser por prazo deter-

ARTIGO lgação

Foto: Divu

Direitos trabalhistas garantidos

minado ou indeterminado. Em relação a este último, assinale que é o mais comum e ocorre, obviamente, quando as partes não estipulam um prazo para o término do vínculo. No que tange ao primeiro, mister se faz ressaltar que apenas será válido tendo como objeto serviço cuja natureza ou transitoriedade justifique a estipulação de prazo, atividades empresariais de caráter transitório, ou seja, aquela que não é habitual na empresa e que será realizada apenas por um rápido período ou contrato de experiência. Inadequado seria esquecer o fato de que o contrato por prazo determinado não poderá ser estipulado por mais de 2 anos, sendo certo que se prorrogado mais de uma vez dentro deste período passará a vigorar sem determinação de prazo. No tocante ao contrato de experiência, este não poderá ser superior a 90 dias, podendo ser prorrogado também apenas dentro deste período. Ficamos por aqui. Esperamos novamente ter trazido à tona temas jurídicos interessantes e dirimido certas dúvidas a respeito do conteúdo abordado. Até o próximo encontro. Colaborador Filipe Espinola Silva - Advogado

11


REGIONAL

BRTs em Campo Grande Comerciantes da Estrada do Monteiro consideram o local da estação inapropriado Por Jorge Silva

A

12

inda não foi inaugurada a estação Campo Grande, no terminal rodoviário do bairro, administrado pela RioOnibus, onde o BRT (Bus Rapid Transit) vai circular. A inauguração está prevista até a metade do primeiro semestre de 2013, segundo a SMO (Secretaria Municipal de Obras). Para Demétrio Coelho, da loja Pelfer a interdição de uma das vias da Estrada do Monteiro sem um aviso prévio e os tapumes impedindo a circulação dos carros gerou uma queda de 50% das vendas em seu estabelecimento. Segundo o comerciante, não há previsão de término das obras. As mudanças são para abrigar o novo transporte, apelidado de Ligeirão, que já está em operação até Paciência, desde dezembro de 2012. Campo Grande entra na segunda etapa de conclusão da TransOeste. Áreas, como o calçadão do bairro, onde seria construído o BRT, ficaram fora do mapa em função do espaço

não comportar a estação, evitando congestionamentos por conta do trânsito de passageiros, privilegiando assim, a mobilidade tanto para pedestres quanto o fluxo dos carros e ônibus. Foto: Vanessa Danciger

A Estação do BRT sendo construída na Estrada do Monteiro


Samir Nehme, Contador, Advogado, Diretor da ASCONTAZO e Vice-Presidente da ACICG

Passar por dificuldades já é algo natural para as micro e pequenas empresas brasileiras, mas existem algumas práticas que devemos “passar longe” para que elas não contribuam para o fechamento do nosso negócio. A partir do momento que identificamos que a nossa

sócios. Ao despejar suas despesas pessoais para a empresa pagar, não há garantias de que a mesma tenha recursos suficientes para honrar tantos compromissos e as dívidas poderão se acumular em pouco tempo.

empresa está em dificuldades, temos por obrigação que avaliar os motivos pelos quais essa dificuldade nos atingiu e dar o tratamento necessário para a reversão dessa situação incômoda. Discorreremos abaixo os 6 principais pontos, cruciais para a manutenção saudável do seu negócio.

4) Falta de diversificação dos clientes: Não podemos nunca ter um único cliente porque “se ele quebrar, você quebra junto”. Devemos ao máximo diversificar os nossos clientes para termo mais solidez no mercado e menos fragilidade à essas oscilações comerciais.

1) Mão de obra sem qualificação: Contratar funcionários desqualificados para exercer funções importantes nos negócios, afetam diretamente os resultados pretendidos. Devemos portanto, ter critério para contratar nossos colaboradores, remunerá-los justamente, para obtermos como resultado a qualidade na execução das suas funções e o compromisso dos colaboradores com os objetivos e metas da empresa.

5) Composição societária: É muito importante saber com quem nos associamos. Os sócios devem ter um perfil parecido e devem desejar os mesmos objetivos para a empresa. Antes de iniciar as atividades empresariais, devemos designar as funções que competem a cada um. Funções definidas, o respeito ao âmbito de atuação de cada um e o compromisso em prestar contas de suas deliberações ao outro devem ser uma eterna obrigação.

2) Falta de controle financeiro: O descontrole nas finanças faz com que tenhamos a necessidade de buscar recursos de terceiros (empréstimos bancários) e isso obviamente inviabiliza o fluxo de caixa. Se a margem de lucratividade da empresa for pequena, o pagamento das parcelas e dos juros do empréstimo podem comprometer a remuneração dos sócios. O melhor é apertar o cinto e trabalhar com seus próprios recursos, mesmo que isso retarde seus planos de crescimento.

6) A importância da contabilidade e suas orientações: A correta gestão da contabilidade traz a tranquilidade necessária para que os sócios possam trabalhar com dedicação no desenvolvimento e crescimento dos seus negócios. A contabilidade atualmente tem se valorizado porque cada vez mais a correta condução dela traz menos riscos de fiscalização e menores custos tributários. Economizar nos custos de assessoria contábil, podem repercutir em incontáveis prejuízos em pagamentos de impostos e multas desnecessárias.

3) Mistura das finanças pessoais com as da empresa: O maior desafio dos empresários reside aqui. NUNCA devemos misturar as despesas pessoais com as despesas da empresa. A empresa tem vida própria e ela deve estar preparada para arcar com os seus compromissos. Apenas o que sobra (lucro) deve ser destinado aos

Nós enquanto associação propositada no crescimento das nossas empresas e no crescimento da sociedade local como um todo não mediremos esforços para qualificar as nossas empresas e trazer o tão desejado desenvolvimento sustentável à nossa Campo Grande. Fiquem atentos...

ARTIGO

6 práticas que podem prejudicar o seu negócio

13


EDUCAÇÃO

O desenvolvimento da Zona Oeste passa pela Educação Secretário de Ciência e Tecnologia tem como meta o campus UEZO

O 14

deputado estadual Gustavo Tutuca é novo secretário estadual de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro. Em seu discurso na solenidade de posse realizada no dia 15/1, na Academia Brasileira de Ciências, ele falou sobre a importância da inclusão digital, o fortalecimento do setor de TI, da busca por mais recursos para a pesquisa científica e o incentivo à inovação, como ferramentas que podem Foto: Ascom Sect

O Secretário Gustavo Tutuca discursa durante sua cerimônia de posse

contribuir para o desenvolvimento de uma economia mais criativa e sustentável no Rio de Janeiro. Indicado para a pasta pelo governador Sérgio Cabral, Gustavo Tutuca é formado em Análise e Sistemas, com atuação nas áreas de educação e inclusão digital, tanto em Piraí, sua cidade natal, quanto na Assembleia Legislativa onde defendeu a inclusão dos municípios fluminenses no Plano Nacional da Banda Larga, entre outras iniciativas voltadas para a tecnologia. Para Gustavo Tutuca assumir a função de secretário de estado de Ciência e Tecnologia é uma enorme responsabilidade. Ele ressaltou o desafio de dar continuidade e expandir o trabalho de excelentes resultados das instituições vinculadas – o consórcio Cederj/ Cecierj, Faetec, Faperj, Fenorte, Uenf, Uerj e Uezo. O Secretário destacou a atuação do Centro Universitário Estadual da Zona (UEZO), com o reitor Roberto Soares de Moura à frente que, segundo ele, tem perseguido a criatividade científica, com foco em cursos tecnológicos para suprir as demandas do parque industrial do Estado. “A UEZO avança a cada ano e está cumprindo um papel fundamental no desenvolvimento da Zona Oeste da capital”, ressaltou Tutuca.


ARTIGO

Pronto para colocar sua empresa nas nuvens? Fábio Stumpf, Administrador de empresas e analista de sistema.*

Essa frase parece no mínimo estranha, ao lermos de forma literal. Mas atualmente, muitas empresas buscam o “mundo das nuvens” como solução para uma gestão empresarial mais eficiente, conectada e competitiva. Agora o que é o “mundo das nuvens”? Ou melhor, o que é o Cloud Computing? O Cloud Computing é uma tecnologia que oferece um ambiente de execução de softwares e ferramentas, que não são armazenados ou executados localmente, ou seja, em seu próprio computador, mas em uma chamada “nuvem”, através de um site na internet. A palavra-chave do Cloud Computing é disponibilidade: você acessa as informações e controles de sua empresa através de qualquer equipamento que possua um navegador (ou “browser”, como Google Chrome, Internet Explorer ou Mozilla Firefox, por exemplo), sendo assim, você fica livre para gerenciar seus dados em qualquer lugar que possua conexão com a internet e a qualquer hora do dia. Para quem sonha em trabalhar em casa, escolher a hora e o dia em que realmente precisa ir a sua empresa ou fugir dos engarrafamentos, essa utopia torna-se agora mais perto da realidade. Muitos empresários perdem quase 50% dos seu tempo em engarrafamentos, se locomovendo diariamente para suas empresas. Isso complica ainda mais quando viajam: precisam de informações gerenciais, mas não tem acesso a elas e seus programas de gestão tornam-se ineficientes. Além disso, o avanço da computação vem permitindo que consumidores e empresários executem uma infinidade de recursos e aplicações com um baixo custo de

investimento. Por exemplo, com o Cloud Computing, não é necessário adquirir equipamentos, infraestrutura e instalação, ao contrário, funciona como uma assinatura de uso. Não é precisco “comprar” nada, apenas alugar o serviço. Algumas empresas ainda se encontram reativas a essa nova tendência, pois acreditam que, se suas informações não se encontram localmente em sua empresa, não estão seguras. Mas o resultados tem mostrado que isso é apenas um paradigma. Empresas que utilizam soluções de Cloud Computing desfrutam de maior quantidade de ferramentas para segurança de dados, como Firewalls, Espelhamentos e Backups de dados em vários continentes. Esse cenário tem levado os fabricantes de softwares a se adaptarem e inovarem. Isso já pode ser percebido através dos pioneiros do Cloud Computing como a Google, com o Google Docs, e a Amazon Webservices, por meio da Amazon EC. A tecnologia tem revolucionado a maneira de gerenciar os negócios e permitido mais liberdade e flexibilidade no acesso às informações. Mas o mundo do Cloud Computing não é exclusivo para grandes empresas, ao contrário, vem como uma solução para profissionalizar a gestão das pequenas empresas e torná-las ainda mais competitivas no mercado. *Fabio Stumpf é administrador de empresas e analista de sistemas. Especialista em Gestão, Empreendedorismo e Liderança, com mais de 12.000 horas de treinamento. É consultor do Projeto Empretec no SEBRAE e proprietário da Tec Software Informática, com mais de 17 anos no mercado desenvolvendo soluções inovadoras. www.tecsoftware.com.br

15


A R U T L U C o c

em Fo

16

s

rnande

ia Fe Por Sílv

A Coruja aterrissa na Marquês de Sapucaí GRES Sereno de Campo Grande desfila no Sambódromo Fundada em 1987, a escola desfilou pela primeira vez na Marquês de Sapucaí em 2007, com o enredo: “É Carnaval! A Coruja Manda Avisar. Deu Águia… Viva a Portela!”. O Sereno de Campo Grande será a sexta escola a desfilar pela Série “A” da LIERJ, no sábado de carnaval (09/02) com o enredo: “Na busca da paz, equilíbrio e harmonia. Bem-aventurados sejam os que ouvem a voz de Deus”, que está sendo desenvolvido pelo carnavalesco Amarildo de Melo. Ouça o samba enredo: https://soundcloud.com/sereno-de-campo-grande Autores: Dudu, Gláucio, Fabinho, Laerte, Igor e Antônio Carlos Presidente: Nelson Rodrigues Chaves A quadra da escola fica situada à Av. Dom Sebastião, 1.224 Vila São João – Campo Grande – R.J


17


COMUNIDADE

Campo Grande com todos O pertencimento a um território, o compromisso do poder público e o engajamento social são soluções viáveis na busca pela qualidade de vida Silvia Fernandes

O 18

s problemas gerados com o crescimento acelerado dos bairros da Zona Oeste são comuns aos das grandes cidades do Brasil. Segundo dados de 2010, do último censo do IBGE, o bairro de Campo Grande registra 552.084 pessoas. A falta de formação de mão de obra qualificada, aliada ao transporte público de péssima qualidade e as dificuldades encontradas nas áreas da saúde, educação e cultura transforma-se em demandas agudas e emergentes, que geram desconforto quando o assunto é qualidade de vida. Não são poucos os problemas enfrentados pelos moradores de Campo Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro. A Revista Sucesso reuniu alguns moradores de diferentes segmentos sociais para ouvir deles as suas principais preocupações e possíveis soluções. Todos foram unânimes em afirmar que a união é a ferramenta de transformação dos problemas comuns do bairro em franco crescimento. Afinal o que está em jogo é o futuro das pessoas.

A sociedade organizada tem condições de contribuir para que o crescimento seja bom para todos e onde possamos enxergar além. Projetar o futuro é importante na construção da qualidade de vida localafirma o presidente da ACICG, Guilherme Eisenlohr. Limpeza Urbana e Meio Ambiente A falta de conscientização é preocupante para o gari Fábio da Costa Abel. - Somos responsáveis pela limpeza urbana, mas percebemos que muita gente não colabora com nossa ação. Para Fábio o descarte do lixo em locais e horário impróprios é mais comum do que se pensa. - Precisamos de mais atenção na questão ambiental com a participação de todos, assim teremos um lugar ecologicamente equilibrado e socialmente mais justo- defende Mauro Pereira, biólogo da ONG Defensores do Planeta. Os desafios só poderão ser superados com a organização de toda a sociedade afirma Sonia Braz, Eco-

Rosembergue Silva / Cayo Lames e seu filho Caue / Vitória Chaia.


sol Z.O e membro representante do Fórum Brasileiro de Economia Solidária do Estado do Rio de Janeiro. Mobilidade com Acessibilidade e Lazer Esportivo As calçadas públicas em péssimo estado de conservação e ocupadas de forma irregular pelo comércio também são formas que podem piorar a vida dos idosos e cadeirantes. Não são poucas as pessoas que se acidentam gravemente, criando transtornos irreparáveis. Respeitar o direito de ir e vir das pessoas é fator indispensável na vida de Vitória Chaia. Aos 87 anos, ela participa da vida social do seu bairro, mas chama atenção também para a falta de locais recreativos para a 3ª idade e para a evolução da dependência química na comunidade. O Advogado e Judoca Júlio César da Rocha de Magalhães também pensa assim. – Devemos priorizar a criação de praças desportivas com sustentabilidade funcional em nossa região. O caos do trânsito em Campo Grande é uma preocupação para o professor Cayo Lames, também membro do Moto Clube Ossos Quebrados que reúne motociclistas. Para Lames, a qualidade de vida é desfavorecida quando o assunto é o trânsito do bairro. -Campo Grande ainda está carente de espaços de lazer públicos, como praças onde possamos levar nossos filhos. A qualidade de vida é também a ma-

neira que desfrutamos o tempo com nossos familiaresenfatiza o empresário Samir Barbosa. Para Rosembergue Silva falta acessibilidade no trajeto que liga o calçadão da Rua Coronel Agostinho ao calçadão da Rua Barcelos Domingos. Também em sub-bairros raramente existem algumas calçadas em condições de se transitar, seja por ocupações ilegais de barracas ou por carros estacionados. Para ele, quando o assunto é transporte público há descaso. Segundo ele, existem ônibus que estão com o sistema de acessibilidade quebrado há mais de três anos. Participaram da foto: Júlio César da Rocha de Magalhães (Advogado, Judoca e Rotariano), Vilma Camarate (Atriz, Professora, Diretora Teatral e Membro do Instituto Campograndense de Cultura ICC), Rosembergue Silva (Vendedor cadeirante), Dulce Vasconcelos (Professora e Presidente do COMDEDINE – Conselho Municipal de Direitos dos Negros), Sonia Braz (Membro Representante do Conselho Nacional de Economia Solidária), Mauro Pereira (Biólogo e Presidente da ONG Defensores do Planeta), Guilherme Eisenlohr (Empresário e Presidente da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande -ACICG), Padre Paulo Roberto de Abreu (Pároco da Igreja Nossa Senhora do Desterro), Samir Barbosa (Empresário, Diretor da ACICG e Vice-presidente da Associação de Contadores da Zona Oeste -ASCONTAZO), Alan Castilho (Artista Plástico e Restaurador)e seu filho Davi, Cayo Lames (Professor e Diretor Moto Clube Ossos Quebrados) e seu filho Cauê, Ibraim Hannas (médico), Vitória Chaia (Representante da 3ª Idade) e Fábio da Costa Abel (Gari).

Caríssimo(a) Empresário(a) A partir da edição nº 33, a Revista Sucesso abrirá espaço para atitudes e ações responsáveis desenvolvidas ou apoiadas pelos empresários e empresas. Será uma excelente oportunidade para conhecermos os trabalhos realizados que tenham como o objetivo, a melhoria da qualidade de vida na nossa região. A ACICG será um link entre as suas ações de responsabilidade social empresarial e a comunidade na qual você e sua empresa estão inseridos. Entre em contato conosco pelo tel: 2416-4000 ou através do e-mail: acicg@acicg.org.br

19


OPORTUNIDADE

Estudantes prontos para aprender e ensinar UEZO Jr. Consultoria mostra que atuar no mercado faz a diferença

A 20

UEZO Jr. Consultoria é uma empresa constituída por alunos de Engenharia de Produção do Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (UEZO). É uma empresa de melhoria e mapeamento de processos além de ser um laboratório para os discentes. É vinculada à Pró-Reitoria de Extensão e, desde 2010, atua com: Implantação de melhorias produtivas e organizacionais, Gestão Administrativa, Logística, Planejamento de Marketing e Gestão Pessoal e Treinamento. Atua no desenvolvimento e na inovação de empresas da Zona Oeste e regiões próximas. Um dos principais objetivos da UEZO Jr Consultoria é desenvolver o conhecimento adquirido em sala

de aula, através da aplicação deste conhecimento em situações reais inerentes a carreira escolhida pelos alunos envolvidos. - O MEJ- Movimento Empresa Júnior, envolve e desenvolve a todos os que dele fazem parte, no aprendizado, e na prática temos a oportunidade de nos relacionarmos com empresas e pessoas que não conheceríamos. Esse crescimento transcende o profissional, pois ao desenvolver projetos em equipe passamos a entender que juntos somos sempre mais fortes. Essa força aliada ao empreendedorismo e coragem dos jovens faz com que a universidade, a comunidade e os alunos agreguem


valores para vida - esclarece Wesley Sousa Aragão, presidente da Uezo Jr. As instalações da Uezo jr estão situadas em espaço cedido pelo UEZO e montado e equipado com verbas do projeto para fomento a incubadoras de empresas da FAPERJ- Fundação Carlos Chagas de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro, Edital que a UEZO Jr. Ganhou em 2011. A UEZO Jr não tem fins lucrativos. Toda verba de projetos e serviços efetuados é reinvestida em seus membros e alunos do UEZO, através de cursos como: Formação de White Belts em lean Seis Sigma, estudo dos desvios padrões em uma produção, curso realizado em outubro de 2012, Formação de Auditores Internos ISO 9001:2008, curso realizado em novembro de 2012, MS Ecxel 2010 completo em andamento, Gestão de Projetos em andamento, além de treinamento semanal. A Uezo Jr. é federada à Rio Junior e confederada à Brasil Júnior órgãos que representam o MEJ-Movimento Empresa Junior em nível regional e nacional , o que nos permite uma troca intensa de informações e aquisição de parcerias em projetos e construção de conhecimento interdisciplinar.

Wesley Aragão, presidente da UEZO Jr. conduz a reunião de planejamento

Conheça os serviços oferecidos: -Estratégia empresarial -Estruturação e Organização -Inteligência de Mercado -Gestão de Pessoas - Mapeamento de Processos -Implantação do Programa 5S (Cinco Sensos) - Estudo e melhoria de Processos E-mail: uezojrconsultoria@gmail.com Tel.: 9449-0295/6961-0194/8326-9274

21


Delícias Regionais

Petit Gateau

Picolé diversos sabores

O sabor do Verão Os sorvetes da Ki Legal apostam nos sabores e cores. Veja o que escolhemos para vocês.

Torta de Sorvete Sorvete

Sorvetes Ki Legal - Rua Irajuba, 765 - Campo Grande - Tel.: 3394-5597 - 3407-3385


SAÚDE

Alerta para nova epidemia Dengue é uma realidade que ainda preocupa e muito a Zona Oeste Por Jorge Silva

24 24

E

m períodos chuvosos e muito quentes, o retorno do temido Aedes Aegypti, mosquito transmissor do vírus da dengue, é previsível. Todo início de ano é a mesma repetição de chuvas e sol forte após os dias chuvosos. Resultado: possível proliferação do Aedes Aegypti em áreas sem Aedes Aegypti - mosquito transmissor da Dengue.

proteção adequada, como latas e pneus velhos para depósito de água de chuva, espaços adequados para o mosquito da dengue. Segundo estudo realizado pela Escola Nacional de Saúde Pública, da Fiocruz, o aumento de 10 na temperatura climática incide em 45% de causas de vítimas da dengue. A pesquisa, portanto, aponta a correlação terrível para a população do Rio de Janeiro, onde o alerta vermelho já foi sinalizado pelo governo do estado. No mapa da Dengue (disponível em www. riocontraadengue.com.br), a Zona Oeste do Rio de Janeiro enfrenta um clima muito assustador com o LIRA - Levantamento do Índice rápido para o Aedes Aegypti -, classificação das áreas mais problemáticas em relação ao alto número de pessoas acometidas pela dengue. Área de alto risco, Campo Grande e bairros vizinhos precisam ficar atentos às recomendações dos agentes de saúde. Medidas simples que, no dia-a-dia, podem contribuir à derrota da dengue.


DESTAQUE

População cobra a instalação da UOP Unidade de Ordem Pública de Campo Grande seria inaugurada em julho do ano passado Por Silvia Fernandes

A

26

promessa feita pela Secretaria Especial de Ordem Pública (SEOP), através do secretário Alexander Vieira da Costa no Café com Ideias da ACICG, não se concretizou no ano de 2012. O projeto apresentado durante o evento realizado em maio de 2012, previa a vinda de 250 Guardas Municipais, cobrindo uma área de 51 mil metros quadrados. O mapa indicava que o perímetro ocupado seria da Avenida Dona Tereza, passando pelo centro do bairro até a Rua Dona Mafalda, seguindo pela Rua Campo Grande, Estação e Terminal Rodoviário.

Em azul no mapa, o perímetro de atuação da UOP Campo Grande cobrindo as principais vias do bairro


A integração dos serviços As demandas de Campo Grande seriam amenizadas com a instalação da Unidade de Ordem Pública (UOP) que atuaria em parceria com outros órgãos e secretarias municipais, como: SECONSERVA, COMLURB, SMTR -Secretaria Municipal de Transportes, CET RIO, RIO LUZ e SMAS -Secretaria Municipal de Assistência Social. As obras no Centro Esportivo Miécimo da Silva, onde será a sede da UOP Campo Grande já foram concluídas, mas não há a definição de uma data para o início das atividades. O combate ao desrespeito às posturas Municipais e a expansão do comércio irregular pelas vias públicas são focos da UOP, assim como a fiscalização das regras do trânsito e estacionamentos.

Atuação com participação A assistente social Rilma de Oliveira Soares observa que a população de rua aumentou muito no centro de Campo Grande. Para ela a falta de uma atuação integrada das secretarias prejudica a população, que tem um sentimento de ausência da ação do poder público.

- Quando ligo para o número 1746 sou atendida mais o problema não é resolvido, porque depende de outras secretarias, como a da Assistência Social.

Histórico de atuação da UOP Criada através do Decreto nº 31035- 31/08/2009 a Secretaria Especial de Ordem Pública deve formular e implementar políticas públicas que garantam a manutenção da ordem pública e integração da Prefeitura com as forças de Segurança Pública do Estado. No organograma de atuação da SEOP constam ainda as coordenações de: Controle Urbano, Licenciamento e Fiscalização, Fiscalização de Estacionamentos e Reboques e Integração Técnica (Demolições), além da Guarda Municipal.

Rilma de Oliveira, assistente social

27


2


28

Casa do Frango faz 10 anos e inova em gastronomia

DESTAQUE

Empreendedor de sucesso Por Jorge Silva

A

s dificuldades, que cercam todo empreendedor em início de carreira, são muitas, porém o empreendedor nato supera os percalços no decorrer da escalada de muito trabalho para emplacar um negócio. Foi isso que fez Valéria Moura Dias, empresária de destaque da Revista Sucesso. Para a responsável pela Casa do Frango, a essência é a mesma lá do início do empreendimento: fidelidade ao cliente que busca a excelência no atendimento. Receita que pode ser seguida por outros empreendedores ainda sem uma direção à tão sonhada independência financeira através do próprio negócio. O projeto surgiu em 2003, fomentado pela trajetória da família, cuja experiência com a comercialização de frangos, desde a década de 1980. De pai para filho o negócio cresceu e tende a conquistar mais clientes. Localizada na Estrado do Pré, 2115, em Campo Grande, a Casa do Frango tem um variado cardápio.

Foto: Vanessa Danciger

29 A empresária exibe arte criada na frente da Casa do Frango


Instrumentos Musicais

Rumo às bodas de ouro ela é referência em Campo Grande há mais de 45 anos

SUCESSÃO FAMILIAR

A nova Casa Vera Lúcia Por Jorge Silva

L

ocalizada à Rua Barcelos Domingos, no centro de Campo Grande, a Casa Vera Lúcia, especializada em instrumentos musicais, completa 45 anos em grande estilo. Em 2013, a loja foi toda repaginada para continuar a ser referência em produtos que fazem a cabeça de músicos da região. No início, era apenas uma papelaria, mas com a visão empreendedora de Domingos Fernandes da Silva, fundador da Vera Lúcia, o modelo de negócio prosperou em Campo Grande, onde a oferta de lojas do ramo musical era muito escassa. Daí para os dias atuais, hoje com os filhos Luisa Helena e Luis Alberto à frente do negócio, o resultado tem sido muito positivo para toda a família. O empresário Domingos Fernandes da Silva seguiu o caminho do pai, já falecido, antigo comerciante de Campo Grande. De pai para filho, por mais de quatro décadas, Domingos segue firme uma trajetória que acompanha os avanços tecnológicos na produção de equipamentos artísticos, como teclados, baterias, violões, flautas, entre outros instrumentos de corda ou percussão.

Foto: Vanessa Danciger

31

Luisa Helena Fernandes da Silva (Gerente e filha) e Domingos Fernandes da Silva, proprietário da Casa Vera Lúcia Instrumentos Musicais.


PESQUISA

Territórios da Moda

Estudo inédito realizado pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) inclui moda da Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Por Jorge Silva

32

I

magine que a moda carioca não seja apenas as coleções de estilistas famosos na passarela do Fashion Week, tradicional evento desse setor que acontece uma vez por ano no Rio. O segmento move RS 892 milhões por ano, essa é a cifra movimentada pela indústria da moda no Rio, onde a cadeia produtiva desse gênero tem as suas particularidades, como é o caso das confecções, que foram alvo de estudo da FGV sob encomenda do Instituto Pereira Passos e Sebrae-RJ. A pesquisa identificou que a Zona Oeste da cidade abriga uma expoente indústria da moda, que também exporta para outros países. Resultado que traduziu uma economia local muito eficiente ao gerar emprego e renda em áreas como Campo Grande e bairros vizinhos. Pedro Augusto, pesquisador do Centro de Tecnologia e Sociedade, Fundação Getúlio Vargas fala sobre a pesquisa para a Revista Sucesso. Revista Sucesso - O que a pesquisa Territórios da Moda identificou como diferencial para esse setor no Rio de Janeiro? Pedro Augusto - Após investigar os setores produtivos da moda em todo o município do

Rio de Janeiro, podemos identificar que o grande diferencial que essa indústria possui na cidade é justamente aquilo que pode ser chamado de “marca carioca”. Isso significa que o discurso que todos nós temos sobre o Rio de Janeiro influencia não só o consumo, mas também a produção. As empresas cariocas do setor da moda sabem explorar a imagem que a cidade possui e criam maneiras de colocar isso nos seus produtos. O vestuário carioca é leve, confortável e reflete um jeito que é ao mesmo tempo sofisticado e despojado. É o estilo de vida do carioca transposto para o vestuário. Assim, podemos dizer que a cidade do Rio de Janeiro é uma marca em si mesma. Revista Sucesso - Em números, quantos profissionais e empresas da moda movimentam o mercado a partir da Zona Oeste? Pedro Augusto - O estudo não procurou segmentar o número de trabalhadores por região da cidade, mas podemos dizer que, das 1006 empresas estimadas, cerca de 300 estão localizadas na Zona Oeste. E este número se refere apenas às marcas e confecções. Se formos falar também de facções e costureiras externas (que trabalham


de forma independente) este número, sem dúvidas, será bem maior. É importante lembrar que mesmo as marcas que estão na Zona Sul e Centro terceirizam grande parte da sua produção, de modo que é possível que estas etapas terceirizadas ocorram na Zona Oeste. Revista Sucesso - Hoje, a falta de profissionais qualificados é um dado assustador para empresas que buscam conquistar novos mercados. Até que ponto os empreendedores da Zona Oeste encontram barreiras para continuar a crescer em um cenário desse nível por falta de profissionais? Pedro Augusto - Esse de fato foi o principal problema identificado na pesquisa. A falta de trabalhadores qualificados afeta todos os setores da moda, em todas as regiões da cidade. No caso dos empreendedores da Zona Oeste, a dificuldade se encontra na falta de profissionais qualificados no nível da criação. Poucos são os estilistas e designers que querem ou até mesmo que sabem da existência de uma indústria poderosa na Zona Oeste do Rio de Janeiro. É preciso atrair esses profissionais, que se formam às centenas nas faculdades de Moda da cidade, para trabalharem nesta região do município. Por outro lado, a Zona Oeste não enfrenta muitos problemas quando se fala em profissionais de gestão.

Revista Sucesso - Outros países consomem os produtos de indústria da moda da Zona Oeste, de acordo com a sua pesquisa. Qual o nível de relacionamento dos empreendedores com o mercado exterior? Pedro Augusto - Os empreendedores se relacionam com o mercado externo de duas formas: como fonte de inspiração e pesquisa e como mercado de exportação. Já temos empresários da Zona Oeste que vão anualmente para o exterior fazer pesquisa de tendências, algo essencial para o sucesso na indústria da moda. Isso não significa meramente copiar algo que está sendo produzido lá fora, mas sim entender as tendências mundiais para adaptá-las ao estilo brasileiro. Esse tipo de atividade é importante para transformar a produção carioca em uma produção cosmopolita. Em termos de mercado de exportação, as marcas da Zona Oeste ainda precisam caminhar. Existe a demanda, mas ela ainda é pequena se comparada a grandes marcas da Zona Sul. É claro, existe a exceção da moda praia. Os empresários da moda praia já estão bem conectados com o mercado externo, já que demanda externa por moda praia carioca é imensa.

33


CEDAE

Projeto Botinho 2013 começa nas praias do Rio

O 34

Projeto Botinho 2013 começou esta semana. A atividade conta com o apoio da CEDAE, por meio da parceria com o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ), pelo segundo ano consecutivo, nas praias do Rio. O projeto tem cerca de 15 mil crianças e jovens inscritos - de 7 a 17 anos - que, durante quatro semanas, recebem noções de preservação do meio ambiente, cuidados com riscos de afogamento, primeiros socorros e orientações quanto às condições do mar, além da prática de atividades físicas na areia em mais de 30 praias em todo o estado. A CEDAE como patrocinadora do projeto cedeu uniformes, barracas, material esportivo, água, squeeze e também forneceu às crianças cartilhas sobre uso racional da água. – É sempre com grande satisfação que a CEDAE participa de projetos como esse. O Botinho é uma excelente ação do governo do estado por meio do Corpo de Bombeiros para incentivar e promover noções de preservação de meio ambiente, estimu-

lar a pratica de esportes, a convivência e uma forma de lazer saudável - destacou o presidente da CEDAE, Wagner Victer. Realizado desde 1963, o projeto acontece, durante quatro semanas de janeiro, nas praias do Rio. De segunda a sexta-feira, das 8h às 11 horas, em que os participantes são divididos em três turmas: Golfinho, de 7 a 11 anos, Moby Dick, de 11 a 14 anos, e Tubarão, de 15 a 17 anos. A colônia de férias do Botinho está ocorrendo nas praias da Ilha do Governador (Praia da Bica), Flamengo, Ramos, Paquetá, Barra, Recreio, Guaratiba, Sepetiba, Copacabana, Icaraí, Piratininga, Barra de Maricá, Ponta Negra, Itaipuaçu, São Gonçalo, Arraial do Cabo (Farol e Figueira), São João da Barra (Atafona), São Francisco do Itabapoana (Santa Clara e Guaxindiba), Cabo-Frio (Peró), Búzios, Mangaratiba (Santo Antônio), Iguaba, São Pedro, Iguaba, Macaé (Cavaleiros), Rio das Ostras, Casimiro de Abreu, Angra dos Reis (Frade) Mangaratiba, Praia Seca, Saquarema, Paraty (Mambucaba e Vila Residencial). Fonte: www.cedae.com.br



Revista Sucesso Nº 32