Page 119

CAPÍTULO

14

Amy era a favor de correr para a ilha de Saint-Louis, mas seu estômago tinha outras ideias. Eles passaram por uma boulangerie, que devia ser uma padaria, a julgar pelo cheiro apetitoso, e trocaram olhares entre si. — Só uma paradinha — disseram juntos. Alguns minutos depois estavam sentados no cais do rio, compartilhando a melhor refeição que já tinham comido. Era apenas um pão, mas Amy nunca provara nada tão gostoso. — Está vendo aquilo? — Amy apontou para o topo de uma igreja ali perto, onde uma haste de ferro preto se erguia da torre do sino. — É um pararaios. — Ahã — Dan respondeu de boca cheia. — Os franceses foram os primeiros a testar as teorias de Franklin sobre os para-raios. Muitos prédios antigos ainda têm modelos originais de Frankün. — Mmm! — Dan disse entusiasmado, mas Amy não teve certeza se ele estava gostando da história ou do pão. O sol estava se pondo atrás de uma muralha de nuvens negras. Trovões ressoavam ao longe, mas os parisienses não pareciam muito preocupados. A beira do rio estava lotada de gente correndo e andando de patins. Um barco cheio de turistas seguia roncando pelo Sena. Amy tentou ligar para Nellie do celular dos Starling, mas o telefone estava mudo. Pelo jeito, não estava programado para receber sinal na França. Seus nervos ainda estavam afetados pela invasão da base Lucian. Apesar

Profile for Rafaela Dal Pontte

01 - 39 clues - O labirinto dos ossos - Rick Riordanr  

01 - 39 clues - O labirinto dos ossos - Rick Riordanr  

Advertisement