Issuu on Google+

Rafael Machado Projetos Recentes

2012 - 2014


Porcupines Cellar Door Porco-espinhos Porta do Porão

Instalação Performance apróx. 7’ Berlim, Julho 2013 Berlim, Maio 2013 Mostra coletiva “Das unmöglich haus” Mostra coletiva “I don’t see this happening again” Mês da Performance de Berlim pedras calcárias, laminas de vidro temperado lascadas, correntes, madeira, pregos, ganchos, fones de ouvido, mp3. Um pequeno quarto em um porão. Escuridao total. Explorando os limites entre o risco e a busca do prazer está uma pista de dança circundada por Ao entrar o público recebe caixas de fósforo, sua única cacos de vidros. O terreno fora destes limites é arenoso, como que para dizer que aquilo que ferramenta para explorar o recinto. Palito a palito. Em uma das compõe as laminas também pode ser suave aos pés. paredes encontram-se retratos, mas de quem? Escuta-se um som. Em um canto alguém se sufoca. Luta contra Um convite. si mesmo em uma dança com um travesseiro. Até onde pode ir seu prazer, em meio ao perigo eminente? Até onde o perigo é lembrado, em meio ao prazer? Em poucos minutos algo acontece. O ar do quarto se esvai rapidamente com inúmeros fósfotos riscados. O público, por querer ver, se põe em igual condição que o artista.


Como gostoso o meu antropófago Cellarera Door Porta do Porão Performance apróx. 65’ Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Recife. Abril 2013 Performance apróx. 7’ Prêmio Funarte de artes visuais 2012. Coletivo Indigestão Berlim, Maio 2013 Mostra coletiva “I don’t see this happening again” Mescladas as barracas habituais de uma feira jaz uma nova. Ali três figuras preparam um cardápio Mês da Performance de Berlim diferenciado onde cada comida nos fala um pouco de nós mesmos e nossa sociedade. - Frango recheado de Bebês Um pequeno quarto em um porão. Escuridao total. - Pastel de cabelo Ao entrar o público recebe caixas de fósforo, sua única - Algodão doce em arame farpado ferramenta para explorar o recinto. Palito a palito. Em uma das - Foundie de Barbies paredes encontram-se retratos, mas de quem? - Café coado em calcinha adocicado com santos de rapadura Escuta-se um som. Em um canto alguém se sufoca. Luta contra - Maçã e objetos do amor si mesmo em uma dança com um travesseiro. - Bife de sola - Bingo de ovos Em poucos minutos algo acontece. O ar do quarto se esvai rapidamente com inúmeros fósfotos riscados. O público, por querer ver, se põe em igual condição que o artista.


Cellar Door Porta do Porão Performance apróx. 7’ Berlim, Maio 2013 Mostra coletiva “I don’t see this happening again” Mês da Performance de Berlim Um pequeno quarto em um porão. Escuridao total. Ao entrar o público recebe caixas de fósforo, sua única ferramenta para explorar o recinto. Palito a palito. Em uma das paredes encontram-se retratos, mas de quem? Escuta-se um som. Em um canto alguém trava uma luta contra si mesmo em uma dança com um travesseiro que lhe priva de respirar Em poucos minutos algo acontece. O ar do quarto se esvai rapidamente com inúmeros fósfotos riscados. O público, por querer ver, se põe em igual condição que o artista. Sufoca-se.


Tanz mit mir Cellar Door Dance comigo Porta do Porão

Performance apróx. 240’ Performance apróx. 7’ Berlim, Julho 2013 Berlim, Maio 2013 Mostra coletiva “Das unmöglich haus” Mostra coletiva “I don’t see this happening again” Mês da Performance de Berlim Onde a linguagem não serve, o corpo fala. Após 3 meses se aventurando em um país cuja língua não falava, um convite aos alemães para que se comunicassem comigo através do corpo. Com dois fones de ouvido ligados a mesma fonte musical, construía- se um momento de intimidade muda, Um pequeno quarto em um porão. Escuridao total. mas corporal. Ao entrar o público recebe caixas de fósforo, sua única ferramenta para explorar o recinto. Palito a palito. Em uma das A ação se iniciou em meu quarto com as portas abertas a qualquer dos residentes que passasse, paredes encontram-se retratos, mas de quem? e seguiu para as ruas e calçadas do bairro mais populoso de Berlim. Escuta-se um som. Em um canto alguém se sufoca. Luta contra si mesmo em uma dança com um travesseiro. Em poucos minutos algo acontece. O ar do quarto se esvai rapidamente com inúmeros fósfotos riscados. O público, por querer ver, se põe em igual condição que o artista.


Frutificai-vos Cellar Door Porta do Porão Intervenção Urbana Vitória e Serra, Junho 2012 Performance apróx. 7’ Coletivo Permear Berlim, Maio 2013 Mostra coletiva “I don’t see this happening again” Transformar artificialmente árvores não frutíferas em frutíferas, Mês da Performance de Berlim através da fixação de frutos hospedeiros em uma árvore mãe. O trabalho foi realizado em 2012 na comunidade de Eurico Sales na Serra, e no campus da UFES. Um artigo sobre seu conceito e Um pequeno quarto em um porão. Escuridao total. aplicação foi publicado no mês de setembro de 2013 na revista Ao entrar o público recebe caixas de fósforo, sua única Parahyba#3 ocupando 6 páginas da edição. ferramenta para explorar o recinto. Palito a palito. Em uma das paredes encontram-se retratos, mas de quem? Escuta-se um som. Em um canto alguém se sufoca. Luta contra si mesmo em uma dança com um travesseiro. Em poucos minutos algo acontece. O ar do quarto se esvai rapidamente com inúmeros fósfotos riscados. O público, por querer ver, se põe em igual condição que o artista.


Lar doce Museu Cellar Door Porta do Porão Instalação Vitória, Dezembro 2012 Performance apróx. 7’ Colaboração com Thairo Pandolfi (BR) Berlim, Maio 2013 Mostra Coletiva Invade MAES Mostra coletiva “I don’t see this happening again” Mês da Performance de Berlim Dentro das propostas lançadas para a mobilização conhecida como INVADE MAES, em parceria com Thairo Pandolfi, a proposta foi criar, dentro do museu, um espaço de habitação e permanência, Um pequeno quarto em um porão. Escuridao total. indo de encontro com a lógica de lugar de passagem, usual das Ao entrar o público recebe caixas de fósforo, sua única galerias. ferramenta para explorar o recinto. Palito a palito. Em uma das paredes encontram-se retratos, mas de quem? Escuta-se um som. Em um canto alguém se sufoca. Luta contra si mesmo em uma dança com um travesseiro. Em poucos minutos algo acontece. O ar do quarto se esvai rapidamente com inúmeros fósfotos riscados. O público, por querer ver, se põe em igual condição que o artista.


Tem feira na mesa Cellar Door Porta do Porão Intervenção Urbana Vitória outubro 2012 Performance apróx. 7’ Colaboração com Thairo Pandolfi (BR) Berlim, Maio 2013 Mostra coletiva “I don’t see this happening again” Para chamar a atenção para as feiras de rua, e a variedade de Mês da Performance de Berlim coisas que nelas se pode encontrar, por preços e qualidades muitas vezes melhores que as dos supermercados, a ação propões fazer um almoço apenas com as coisas que se poderiam comprar na Um pequeno quarto em um porão. Escuridao total. feira do sábado de manhã do centro de Vitória. Ao entrar o público recebe caixas de fósforo, sua única ferramenta para explorar o recinto. Palito a palito. Em uma das paredes encontram-se retratos, mas de quem? Escuta-se um som. Em um canto alguém se sufoca. Luta contra si mesmo em uma dança com um travesseiro. Em poucos minutos algo acontece. O ar do quarto se esvai rapidamente com inúmeros fósfotos riscados. O público, por querer ver, se põe em igual condição que o artista.


The BigDoor and the Bite Size Cellar O grande e o do tamanho de uma mordida Porta do Porão

Intervenção Urbana Performance apróx. 7’ Berlim. Maio 2013 Berlim, Maio 2013 Colaboração com Joseph Patrício (PH) Mostra coletiva “I don’t see this happening again” Mês da Performance de Berlim. Mês da Performance de Berlim Questionando a desvalorização do que é efêmero e informal, frente a supervalorização do institucional e consolidado, também no campo das Um pequeno quarto em um porão. Escuridao total. artes, a performance consistiu em montar uma mesa de café em frente Ao entrar o público recebe caixas de fósforo, sua única ao principal museu de Berlin, e ali, instituir, momentaneamente o que se ferramenta para explorar o recinto. Palito a palito. Em uma das chamaria de Museu da História Oral. paredes encontram-se retratos, mas de quem? Escuta-se um som. Em um canto alguém se sufoca. Luta contra si mesmo em uma dança com um travesseiro. Em poucos minutos algo acontece. O ar do quarto se esvai rapidamente com inúmeros fósfotos riscados. O público, por querer ver, se põe em igual condição que o artista.


Reversekaufen Cellar Door Compras reversas Porta do Porão

Vídeo-instalação 9’22’’ Performance apróx. 7’ Berlim, Julho 2013 Berlim, Maio 2013 Mostra coletiva “Das unmöglich haus” Mostra coletiva “I don’t see this happening again” Mês da Performance de Berlim Carrinho de compras, garrafas vazias, dvd player, televisor, video. Um pequeno quarto em um porão. Escuridao total. Vídeo-escultura acerca da transformação da reciclagem em Berlim Ao entrar o público recebe caixas de fósforo, sua única em prática econômica coditiana, cuja finalidade não mais é salvar ferramenta para explorar o recinto. Palito a palito. Em uma das o meio ambiente, e sim gerar renda. paredes encontram-se retratos, mas de quem? Escuta-se um som. Em um canto alguém se sufoca. Luta contra A inversão dos valores. O Ecológico é agora uma máquina de fazer si mesmo em uma dança com um travesseiro. dinheiro. Em poucos minutos algo acontece. O ar do quarto se esvai rapidamente com inúmeros fósfotos riscados. O público, por querer ver, se põe em igual condição que o artista.


Rafael Machado Brasileiro. Vive e trabalha na RM Grande Vitória Espírito Santo, Brasil. Ator e Diretor assistente da Cia Makuamba facebook.com/Cia.Makuamba Membro do Coletivo Indigestão facebook.com/indigestao1 Membro do Coletivo Permear, coletivopermear.wordpress.com/

Formação Acadêmica Bacharelado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal dos Espírito Santo. Em andamento (término 2014) Curso Técnico em Artes Cênicas pela Escola de Teatro e Dança FAFI. Em andamento (término 2014) Extensão universitária “Environmental Studies.” pela Shangai Jiao Tong University, China. Duração de 3 semanas (2011) Extensão universitária “Architettura e società” pela Politecnico di Milano, Italia. Duração de um ano (2009-2010)


Residências Artísticas: 2014 – Barda Del Desierto #0 Contralmirante Cordero, Pagatagônia Argentina 2013 – HomeBase Build V HB Lab, Berlin, DE homebaseproject.org/ 2012 – Permeabilidades - Otobong Nkanga CEIA, Funarte, Belo Horizonte, MG-BR ceia.art.br/ 2012 – Casa Catraia – Friction Arts Espírito Mundo, Quorum, Vitória, ES-BR espiritomundo.com/

Premiações: 2013 – Prêmio FUNARTE de artes visuais “Como era gostoso meu antropófago” coletivo indigestão. 2012 – Bolsa Núcleo de Criação - SecultES, “Lá no Quintal - Eurico Salles”, Coletivo Permear 2010 – X Prêmio Jovens Arquitetos, IAB SP. “Plano de Integração Espacial, Rio de Janeiro (RJ)” Categoria Urbanismo. MDW Arquitetos


Trabalhos Executados 2014 – Conjunto de micro-intervenções “Para aprender da pedra” Colaborando com Túlio Rosa (BR) Contralmirante Cordero, Argentina 2013 – Performance “No Porão” Escola de Teatro e Dança FAFI, Vitória, ES. 2013 – Instalação “Porcupines“, festival Das Umöglich Haus, HomeBase Lab, Berlin, DE 2013 – Vídeo-escultura “Reversekaufen – The 4th R“ festival Das Umöglich Haus, HomeBase Lab, Berlin DE. 2013 – Performance “Do poente“ festival Das Umöglich Haus, HomeBase Lab, Berlin, DE 2013 – Intervenção “Tanz Mit Mir“ festival Das Umöglich Haus, HomeBase Lab, Berlin DE 2013 - Performance “Cellar Door“ MPA-B, HomeBase Lab, Berlin, DE 2013 – Par de Performances de 2 min. “Das sind Farben“ Colaborando com Budd Dees (US) MPA-B 48h Marathon, Berlin DE. 2013 – Conjunto de 3 intervenções “The Big and The Bite Size“ Colaborando com Joseph Patrício (PH) MPA-B, Berlin, DE. 2013 – Performance “Como era gostoso meu antropófago” Coletivo Indigestão Belo Horizonte, São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro, Recife.


2012 – Instalação “Lar Doce Museu” Colaboração com Thairo Pandolfi na exposição “Invade MAES” Museu de Arte do Espírito Santo 2013 – Montagem teatral “Chico Prego” (como Frei Gregório) Ator e assistente de direção, Cia Makuamba. Em Cartaz. 2012 – Intervenção “Tem feira na mesa” Coletivo Permear 2012 – Intervenção “Lá no Quintal - Eurico Salles” Coletivo Permear 2012 – Intervenção “Frutificai-vos” Publicada na Edição #3 da revista Parahyba 2012 – Leitura Dramática “Morto por 30 dias” texto de Alvarito Mendes filho, III festival de leitura dramática capixaba. 2012 – Video “CEIA - Cozinha Experimental de Indigestão Artística“ Coletivo Indigestão, Funarte-MG 2012 – Cena curta “O Czar Naturalista” II Festival do Minuto, FAFI, ES, Brasil. 2012 – Leitura Dramática “A vida é sonho” (como Segismundo) direção de Wilson Coelho Nunes. 2011 – Ópera “I Pagliacci” (como Coro), Coro de Câmara de Vitória.



Rafael Machado - Portifólio