Page 1

JORNAL DA CELOS 191 - JANEIRO - 2013

CARTOLA

99122314842009-DR/SC CELOS

www.celos.com.br

INFORMATIVO DA FUNDAÇÃO CELESC DE SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO- 2013/N 0191

PESQUISA DE SATISFAÇÃO 2012 Números estáveis demostram aprovação e equilíbrio na gestão > Págs 4 e 5

BOA NOTÍCIA Taxa de Administração é reduzida para 8,25% > Pág 3

EDUCAÇÃO Dicas para não perder o controle financeiro na aposentadoria > Pág 8 1


EDITORIAL > ONDE ANDA VOCÊ? Se você deseja encontrar ou receber notícias de algum(a) companheiro(a) de trabalho que perdeu o contato, mande um e-mail pra Celos. Esta coluna pretende ajudar a aproximar as pessoas.

> curta a Celos no Facebook!

Um ano para celebrar e refletir Este ano será muito importante na história da Fundação Celesc de Seguridade Social - Celos. Em 2013 vamos celebrar os 40 anos de vida da nossa Entidade. A celebração é uma excelente oportunidade de aprofundar laços institucionais, renovar os canais de relacionamento, difundir conceitos de educação previdenciária e financeira, e promover sinergia com a comemoração dos 25 anos da APCelesc. Sob o comando do Conselho Deliberativo, uma Comissão planeja ações e atividades que pretendem fortalecer relacionamentos com a Patrocinadora, APCelesc, Sindicatos, Sociedade, Abrapp/Anapar, fornecedores, consultores, empregados e, principalmente, nossos milhares de Participantes e seus familiares. Ao longo de 2013 teremos muitos momentos e oportunidades para refletir sobre a importância da Celos na vida de todos, de refletir sobre a solidez da Instituição que construímos e seu papel social e sua relevância no desenvolvimento de Santa Catarina e do Brasil. Ou seja, reafirmar a ideia da Celos como empreendimento coletivo fundado, essencialmente, na confiança. Temos muito o que refletir e sobretudo comemorar. Afinal são 40 anos de vidas, mais precisamente, neste momento, 8.183 vidas. Parabéns.

Esse é mais um canal de informação e relacionamento entre a fundação e seus participantes. Acesse: www.facebook.com/fundacao CelescCelos

Quem faz a Celos Sebastião Manuel Vitorino da Silva, 51 anos, caçula de 13 irmãos, casado há 28 anos, tem três filhos. “Dois formados e uma que aguarda ser chamada para Direito na UFSC”, orgulha-se. Começou sua vida profissional em 1979 na Celesc como office boy. Em 1991 veio para a Celos, trabalhar na área administrativa, na divisão de Serviços Gerais, Transportes e Compras, onde ficou até 2006, quando se mudou para o recém criado setor de Digitalização de Documentos. Todos os processos que passam hoje pela Celos têm como destino final esse setor. É lá que se decide que documentos devem ser arquivados digitalmente e passarão a fazer parte do banco de dados. “Acompanhei as mudanças na Celos; quando eu comecei aqui havia apenas dez computadores, hoje são mais de 50 - um pra cada funcionário”, relata. Na aposentadoria quer se dedicar mais a tarefas como a pescaria. “A gente tem duas famílias: essa, profissional, e a família amorosa, de casa. São duas coisas que eu separo. É muito mais saudável”, ensina. Sabedoria de pescador.

O Jornal da Celos é editado pela Fun­da­ção Celesc de Seguridade Social e tem cir­cu­la­ção dirigida aos seus participantes. Correspondência para Av. Hercílio Luz, 639, sala 702, Ed. Alpha Centauri - CEP: 88020-000 - Florianópolis/SC Fone: (48) 3221-9600 - Fax: (48) 3221-9696 Central de atendimento: 0800-483030 www.celos.com.br - atendimento@celos.com.br

2

Diretor Presidente: MILTON DE QUEIROZ GARCIA Diretor Administrativo-Financeiro: ARNO VEIGA CUGNIER Diretor de Seguridade: JOÃO PAULO DE SOUZA

Jornalista responsável: GASTÃO CASSEL (DRT/RS 6166) Edição e reportagem: SERGIO M. DE ANDRADE e GALENO LIMA Projeto gráfico: VANESSA BINDER Editoração: QUORUM COMUNICAÇÃO Fotos: SÔNIA VILL Ilustração: FRANK MAIA Impressão: GRÁFICA FLORIPRINT Tiragem: 5.000 exemplares. Distribuição gratuita


JORNAL DA CELOS 191 - JANEIRO - 2013

GESTÃO

Redução da Taxa de Administração para 8,25% já está em vigor A Celos encerrou o ano de 2012 com mais uma boa notícia aos participantes: por decisão do Conselho Deliberativo (COD), em reunião realizada em 20 de dezembro, desde 1º de janeiro de 2013, a Taxa de Administração, que estava no patamar de 8,5%, foi reduzida para 8,25%. A decisão levou em consideração a redução dos custos administrativos e o objetivo de favorecer os depósitos na conta do participante. “A redução do custo administrativo reflete um trabalho conjunto entre empregados, Diretoria e o Conselho Deliberativo, com foco no controle das despesas de pessoal, serviços e materiais, visando trabalhar de forma sustentável e, primordialmente, em prol do participante, nunca esquecendo a missão, a visão e os valo-

res da Celos”, explica o Diretor Administrativo-Financeiro, Arno Cugnier. A taxa de administração é o percentual que incide sobre as contribuições Normais das Patrocinadoras e dos Participantes – ativos e assistidos, destinado ao custeio das despesas administrativas da Fundação. Para o participante ativo, a decisão do COD e da Diretoria representa um

ganho de 0,27% nos valores da CIAP (Conta Individual de Aposentadoria), o que influenciará no seu beneficio de aposentadoria no Plano Misto. O Valor da contribuição será reduzido em 0,25% para os assistidos que pagam a contribuição de administração, como por exemplo, pensionistas dos Planos Misto e Transitório. No Plano Misto, aposentados que possuem BS 96,98 e/ ou 2000 não terão redução no valor da contribuição.

Recertificação da Gestão de Qualidade Certificada e, agora, recertificada. No final do ano passado, entre os dias 21 e 23 de novembro, a Celos passou por Auditoria Externa pelo organismo certificador, Bureau Veritas – BV. O auditor, Antônio Meireles Baeta, recomendou a recertificação do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) da Celos, com base na NBR ISO 9001:2008, por evidenciar que as práticas de gestão adotadas pela Entidade estão em conformidade com os princípios estabelecidos na referida norma. O certificado tem validade até 14 de dezembro de 2015, sendo que anualmente a Fundação passa por uma auditoria externa de manutenção. Dessa forma, a Celos avança no aprimoramento da Gestão da Qualidade, uma vez que as duas áreas de negócio, Previdenciá-

ria e Assistencial, estão certificadas com base NBR ISO 9001:2008. “Este novo ciclo será importante para fortalecermos os mecanismos de controle e monitoramento dos atuais procedimentos internos, além de ser essencial para consolidarmos as melhores práticas de gestão, pois as atividades técnicas são complexas e entendemos que há necessidade de descrever novos processos”, comenta Renata Pereira, da Assessoria de Controle de Gestão e Compliance – ASGC, área responsável pela coordenação do Sistema de Gestão da Qualidade e mandatária para implantar a Gestão de Riscos na Entidade. Atualmente, a Celos tem 69 Procedimentos Operacionais e 12 Instruções de Trabalho. Estes documentos regis-

tram a rotina das atividades técnicas (processos) e orientam os profissionais no modo de executá-las. Conforme Renata, o Sistema de Gestão da Qualidade da Celos caminha para uma fase de maturidade, em que as pessoas passam a utilizá-lo intrinsicamente em sua rotina de trabalho. “Isto é resultado da contribuição e do envolvimento das pessoas”, destaca. Em 2013 a Celos terá um novo desafio a vencer: Implantar a Gestão de Riscos, tendo como base as diretrizes e princípios da NBR ISO 31000:2009. “A Gestão da Qualidade será essencial nesta nova fase, pois haverá uma integração entre a Gestão da Qualidade e a Gestão de Riscos” destaca Milton Garcia, Presidente da Celos .

3


ADMINISTRAÇÃO

Edição de 2012 da Pesquisa de S Novamente os resultados apontados pela Pesquisa de Satisfação, realizada no ano passado, demonstram um alto grau de satisfação, por parte dos participantes, com a gestão e os serviços da Fundação Celos. As entrevistas foram realizadas entre os dias 13 e 30 de novembro, por agentes pesquisadores com treinamento específico para esta tarefa. Por telefone, pesquisadores do Instituto Lupi & Associados Pesquisa e Marketing ouviram a opinião 728 participantes, ativos e assistidos, estratificados segundo as variáveis de sexo, faixa etária, escolaridade e renda familiar. A pesquisa serve para orientar as ações e posicionamentos da Fundação e vem sendo realizada anualmente desde 2004. “Além de cumprir uma obrigação legal, a realização desse levantamento é um excelente balizador das ações e posições que tomamos na condução da Celos”, declara o Diretor Administrativo-Financeiro, Arno Cugnier. Segundo Arno, a estabilidade da avaliação positiva, considerando-se que houve uma recente mudança de diretoria e impactos na rentabilidade das aplicações devido à atual realidade do mercado de capitais, demonstra uma entidade sólida, estruturada e que tem a confiança dos participantes. A Pesquisa de Satisfação tem como principais objetivos elevar o conhecimento dos participantes sobre o funcionamento da Celos e seus benefícios; avaliar o grau de satisfação dos usuá-

4

rios em relação aos serviços prestados; e analisar a funcionalidade do atendimento, inclusive nas agências regionais e o desempenho dos atendentes regionais e da própria diretoria. Além disso, objetiva também identificar a eficácia dos meios empregados pela Fundação para a comunicação com o seu público. Houve conferência da amostra em cerca de 20% do material coletado , com uma margem de erro de mais ou menos 5% e coeficiente de confiança de 95,5%. No geral, a Celos recebeu nota média de 8,3 dos ativos e 9 entre os assistidos, o que ficou dentro do parâmetro dos últimos levantamentos. A pesquisadora Suzana Lupi observou que as

notas atribuídas pelos participantes permanecem elevadas, equilibradas e estáveis. “Esta estabilidade é um reflexo da uma gestão profissionalizada, em que os participantes percebem que não existem descontinuidades na gestão”, destacou. A pesquisadora observou também que uma área que segue com alta avaliação é o atendimento, que recebeu nesta rodada da pesquisa nota média de 9,2. “O trabalho também indica que a Entidade deve buscar uma maior aproximação, especialmente entre os ativos, esclarecendo os benefícios do plano previdenciários e assistenciais e promovendo ações de educação financeira”, avalia Suzana.


JORNAL DA CELOS 186 - JANEIRO - 2013

Satisfação traz números estáveis NOTA GERAL CELOS 2007 2008 2009 2010 2011 2012

ATIVO 8,6 8,5 8,6 8,5 8,6 8,3

ASSISTIDO 9,1 9,1 9 9 9,1 9

ATENDIMENTO 2007 2008 2009 2010 2011 2012

ATIVO 8,5 8,8 9 8,9 8,9 8,9

ASSISTIDO 9,1 9,2 9,4 9,2 9,5 9,5

PLANO SAÚDE + ODONTOLÓGICO 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012

ATIVO 7,8 8,8 8,5 8,5 8,7 8,3 8,15

ASSISTIDO 7,9 9,1 9,2 8,9 9,0 9,0 9,05

Passagem para a história Ainda restavam mais interrogações que certezas, ainda havia boa quantidade de empregados céticos e ainda não possuía local para funcionar, mas nada tiraria o brilho da solenidade preparada para o dia 19 de setembro de 1973. Afinal, a Celesc concretizava um sonho acalentado durante muito tempo por seus empregados: surgia, finalmente, a Fundação Celesc de Seguridade Social, o primeiro fundo de pensão de Santa Catarina. Algumas dúvidas persistiam, mas o ânimo era maior que a hesitação; a vontade, superior às incertezas. A empolgação era tão grande que nem se deram conta de que a Fundação fora feita exclusivamente para os empregados. Assinaram o livro de inscrição diretores que possuíam vínculo apenas temporário com a Celesc, como Oswaldo Moreira Douat e Luiz Gomes. Também já aposentados, como Carlos Góes Bessa, assinaram a adesão, numa clara demonstração de que a euforia superou as normas. Mais tarde desfizeram-se os equívocos, anulando algumas inscrições. O primeiro inscrito foi Roberto Mündell de Lacerda, advogado da Celesc que exercia o cargo de Reitor da Universidade Federal de Santa Catarina. Numa deferência a tão ilustre personagem, concederam-

-lhe o privilégio de assinar o livro de inscrições com o número 1. Quase três anos depois, em maio de 1976, Roberto Lacerda assumiria a presidência da Fundação. Embora tenham passado a colher assinaturas de inscrição a partir da solenidade do dia 19 de setembro, ficara estabelecido o início da Fundação no dia 1º de fevereiro de 1974, data a partir da qual seriam cobradas as contribuições. Todos os empregados receberiam seus salários já com o desconto para a Fundação. Os que não desejassem aderir teriam de se manifestar, cancelando a inscrição. Essa foi a forma adotada para viabilizar um bom número de adesões.

Comissão de frente A posse da primeira Diretoria ocorreu no dia 7 de dezembro de 1973, dois meses depois da solenidade de criação. Junto com os três primeiros diretores – Luiz Gomes, Remi Goulart e Rosa Bella Cruz Chaves – tomaram posse os doze membros titulares e mais doze suplentes do Conselho de Curadores e três titulares e três suplentes do Conselho Fiscal. A nominata contemplava chefias de quase todas as Regionais e de Departamentos da Administração Central da Celesc. *Trechos do livro “Entre o passado e o futuro, História dos 35 anos da Celos”, de Luiz Cézare Vieira e Paulo Sá Brito

DESEMPENHO DIRETORIA 2006 2007 2008 2009 2010

ATIVO 7,8 8,1 8,3 8,5 8,2

ASSISTIDO 7,8 8,7 8,8 8,8

2011 2012

8,3 8,2

9,0 8,9

8,6

Foto: Roberto Mündell de Lacerda assinando inscrição nº1 da Fundação, ao lado de José Corrêa Hülse e Luiz Gomes.

5


SERVIÇO > Empréstimos

Revalidação dos universitários

SOLICITAÇÃO Do dia 14 ao último dia de cada mês. LIBERAÇÃO: Último dia útil de cada mês (quando solicitado entre os dias 14 e 23). Exceção: dia 14 de cada mês, para a renovação dos participantes ativos. RENOVAÇÃO: Desde que pagas 25% das prestações do empréstimo atual. OBSERVAÇÃO: Os participantes ativos devem anexar o último demonstrativo à solicitação. PRAZO: Até 60 meses para adimplentes e 48 meses inadimplentes. TAXA: 1% de juros ao mês + variação do IPCA, ou 0,60% de juros ao mês + variação do IPCA (taxa especial para quem está adimplente nos últimos 24 meses). INFORMAÇÕES: No site www.celos. com.br ou pelo 0800-483030, e também com os atendentes regionais.

> Falecimentos Olacínia C da S Doge Joinville 05/11/2012

Avelino Korbes Blumenau 14/12/2012

Magali Ebert Concórdia 06/11/2012

Maria Terezinha Monguilhott Remor Adm. Central 19/12/2012

Luiz Linhares Blumenau 19/11/2012 Madaglena Nieders Traste Malas Joaçaba 21/11/2012 Antônio Carlos Martins Adm. Central 27/11/2012 Salvador Schutter Mafra 27/11/2012

Roberto Nascimento dos Santos Jaraguá do Sul 21/12/2012 João Baptista da Silva Concórdia 23/12/2012 Maria da Graça Campos Florianópolis 25/12/2012

Remi Alécio Mascarello Joaçaba 05/12/2012 A NOSSA SOLIDARIEDADE AOS FAMILIARES

6

Notas Vence em 28/02/2013 o plano Celos Saúde dos dependentes universitários, com idade entre 21 e 25 anos. Até 28/02 deve ser enviada para a Celos a declaração que confirme a efetivação da matrícula do 1º semestre de 2013. Para a reinclusão, após 28/02, será cobrada taxa de R$ 11,40. Quando não é entregue o atestado de matricula, o beneficiário é automaticamente excluído do plano, ficando sem cobertura médica e odontológica.

Boletos no Autoatendimento A partir do dia 23 de cada mês estão disponíveis no autoatendimento do Portal da Celos, os boletos bancário do Plano Celos Saúde Agregados e dos participantes autopatrocinados do Plano Misto de Benefícios Previdenciários nº 001 da Celos.

Plano Pecúlio Não esqueça de revalidar o formulá-

rio de adesão e atualização de beneficiários do Plano Pecúlio CELOS. Acesse pelo menu: Previdenciário -> Formulários -> Plano Pecúlio -> Adesão. Esta opção é válida apenas para participantes do Plano Pecúlio CELOS.

Reembolso de medicamentos Para evitar a devolução dos cupons ou notas fiscais enviados para reembolso de medicamentos, observe que o documento deve conter impresso o nome do titular ou do beneficiário, estar legível e conter a matrícula do participante.

Calendários de pagamento Estão impressos na contracapa do Extrato Unificado os calendários de liberação de empréstimo, reembolsos do plano Celos Saúde e o calendário anual de pagamento e benefícios. Para a opção do online do extrato Unificado, basta acessar o menu Calendários do autoatendimento.

CALENDÁRIO DE FEVEREIRO Dom

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

As datas de pagamento ao lado consideram o Banco do Brasil como o banco depositário. Para outros bancos, considere o dia útil subsequente.

01/02/2013 Reembolso médico e odontológico do dia 15 - Último dia para recebimento das notas | 15/02/2013 Empréstimo – Concessão até dia 14 | 15/02/2013 Empréstimo – Abertura de período |15/02/2013 Empréstimo Inclusão Digital- Abertura de Período |15/02/2013 Reembolso médico e odontológico do 30/31 – Último dia para recebimento das notas | 15/02/2013 CELOS Saúde - Reembolso Médico e Odontológico |21/02/2013 Empréstimo Inclusão Digital- Concessão |27/02/2013 Pagamento de Aposentadoria/Pensões - Banco do Brasil | 28/02/2013 Pagamento de Aposentadoria/Pensões - Outros Bancos | 28/02/2013 Empréstimo - Concessão último dia útil | 28/02/2013 Empréstimo - Fechamento de período | 28/02/2013 Empréstimo Inclusão Digital- Concessão | 28/02/2013 CELOS Saúde - Reembolso Médico e Odontológico | 28/02/2013 Empréstimo Inclusão Digital- Fechamento de Período


PDV: as orientações da Celos Para os inscritos no PDV da Celesc a Celos tem algumas orientações e recomendações a fazer. A primeira orientação é que todos utilizem a prévia ou o simulador do autoatendimento do portal da Celos para ter noção de seu benefício hoje (prévia) e no futuro (simulador). De posse desses cálculos é mais fácil decidir e programar a aposentadoria. São dois casos distintos para serem analisados: • Caso 1: Participantes com até cinco anos faltantes para o tempo integral de aposentadoria e para os quais o PDV cobrirá todo o tempo faltante; • Caso 2: Participantes com mais de cinco anos faltantes para a condição integral de aposentadoria e que terão que analisar a condição pós PDV. Para o caso 1, a condição é mais tranquila, pois, ao final das parcelas do PDV (ou do tempo faltante na Celos), basta dar entrada no pedido de aposentadoria integral na Celos. Para a Celos o PDV não altera em nada a condição desses participantes, pois continuarão a ser cobradas as

contribuições mensais (Plano Misto e Plano Celos Saúde) normalmente, e a Celesc manterá o pagamento da parte que lhe cabe. Para o caso 2, após o término das parcelas do PDV irão faltar alguns anos ou meses para fechar o tempo integral de aposentadoria na Celos, quando deverá ser feita a opção por uma das situações abaixo: • Dar entrada no benefício antecipado; • Permanecer autopatrocinado até completar o tempo integral. No autopatrocínio deve haver, no mínimo, o pagamento da taxa administrativa e do benefício de risco, que corresponde a 37% do valor da contribuição previdenciária atual, mais duas vezes a contribuição do Plano de Saúde (para quem tem esse plano). Desse modo, não havendo contribuição para a CIAP, a diferença no benefício final será menor que a do caso 1. Deve ser considerado também nesse cálculo que o participante deixará de receber o benefício antecipado no período que se mantiver autopatroci-

nado. A decisão é individual, mas, normalmente, ficar autopatrocinado tem custo alto em relação a diferença que dará no benefício. Para esses casos, recomendamos contato com a Celos para a verificação dos cálculos. Conforme ditames regulamentares, para os participantes que, diante do término do vínculo empregatício, optaram pelo instituto do Autopatrocínio, é considerado como Salário Real de Contribuição (SRC) o último salário recebido em atividade. A todos que aderirem formalmente ao PDV, orientamos que, após a homologação da rescisão contratual, devem procurar a Celos ou os atendentes regionais nas agências para preencher o formulário de autopatrocínio, com a seguinte documentação: - cópia da rescisão homologada; - cópia do contrato do PDV; - cópia do RG e CPF do titular e dos beneficiários que estão com os dados incompletos no cadastro da Celos; - cópia do cartão da conta bancária.

Política de Investimentos disponível no Portal A Política de Investimentos 2013/2017 está disponível no Portal da Celos Em 20 de dezembro de 2012, o Conselho Deliberativo aprovou as Políticas de Investimentos dos planos Previdenciários, Assistenciais E Administrativos da Celos. A decisão pautou-se pela Resolução CMN 3792 de 24/09/2009, Guia Previc - Melhores Práticas em Investimentos e a Resolução ANS nº 159 de 03/07/2007. Os principais destaques para as Políticas de Investimento vigência 20132017 são: • Elaboração do estudo de ALM - Asset Liability Management - para os Planos Misto de Benefícios Previdenci-

ários e Transitório de Benefícios Previdenciários, com objetivo de estipular uma carteira de investimentos ótima frente ao passivo (obrigações futuras) dos Planos; • Divulgação da tabela de Alocação Estratégica da carteira de investimentos, por Plano, com estabelecimento de objetivos e limitadores de alocação por segmento e tipo de investimento; • Estabelecimento de Mandatos para os gestores externos, com uma definição clara dos seus objetivos; • Maior detalhamento nos controles de risco realizados pela Fundação e participação de consultoria especializada em investimentos - Aditus

Consultoria - para reformulação textual das Políticas e elaboração do estudo de ALM. “O aprimoramento nos controles e customização da carteira dos Planos frente as suas necessidades se deu com a finalização do processo de Segregação Real por Plano dos investimentos administrados pela Celos, ocorrido em 2012”, destaca o analista João Francisco Bastos, da Divisão de Gestão de Investimentos. Para ter acesso ao documento é preciso acessar a área restrita do portal Celos, em: Governança - Política de Investimentos. Para o acesso é preciso informar matrícula e senha.

7

JORNAL DA CELOS 191 - JANEIRO - 2013

PARTICIPANTE/INVESTIMENTOS


EDUCAÇÃO

Aposentado e financeiramente equilibrado. Parabéns, mas é preciso não descuidar Algumas pessoas acham que, uma vez aposentadas, podem simplesmente relaxar, usufruindo de suas economias e benefícios de aposentadoria. Mas elas deveriam rever seu orçamento, com frequência, para assegurar ter a combinação certa entre gastos, proventos e investimentos. Não é preciso muito para quebrar seu equilíbrio financeiro, mesmo quem está aposentado. Tão importante quando rever seu orçamento pessoal e familiar regularmente na aposentadoria é rever e reavaliar seus objetivos pessoais e familiares. As circunstâncias podem mudar radicalmente e essas mudanças podem ter um impacto profundo na sua segurança financeira. Não são só as coisas óbvias como sua saúde física ou uma incerteza na economia. Mudanças na lei tributária, nos benefícios da seguridade social e nas regras de planos de aposentadoria podem ocorrer a qualquer momento; quando você já está aposentado, suas opções para se adequar a essas mudanças podem ser mais limitadas e difíceis de suportar. A aposentadoria está mais complicada do que nunca. Não se pode contar com o recebimento da mesma pensão mensalmente para o resto da vida, incrementada pelos benefícios da seguridade social ajustados pela inflação. Hoje em dia, você precisa estar no comando do

8

seu plano financeiro ou pode facilmente se ver pagando um preço alto pela falta de atenção, adiamentos ou falta de informação.

Evite erros comuns e que podem ser muito caros Não economizar o suficiente. Muita gente negligencia seu próprio plano de economia, imaginando que poderão viver bem pela seguridade social. O senso comum diz que você precisará de menos que sua renda atual para os seus gastos e terá uma folga tributária quando se aposentar. Mas o senso comum, ainda que confortável, não é necessariamente correto e em geral falha. O risco da inflação. A inflação é outro fator comumente desprezado nos planos de aposentadoria.. Uma regra preciosa: estime os gastos que terá quando se aposentar e adicione 5%. Dessa forma, mesmo se tiver subestimado os impostos e a inflação, terá construído um pé-de-meia para bancar – ou ao menos amenizar – despesas adicionais ou imprevistas. Gastando muito e muito cedo. Muitos aposentados têm planos caros para os primeiros anos de aposentadoria. Podem querer viajar ou reformar a casa ou comprar aquele carro que sempre quiseram. A maioria dos especialistas financeiros recomenda uma retirada de 4% no primeiro ano de aposentadoria e depois

basear os futuros saques nesses 4% mais a inflação. Dependendo de como o seu planejamento financeiro estiver posicionado, essa estratégia lhe dá praticamente a certeza de que seu dinheiro durará por 30 anos. Sacando das contas erradas. Planejamento tributário é tão importante na aposentadoria quanto durante sua vida em atividade laboral. Revise suas finanças para determinar o nível de impostos para cada ano e então decida se faz sentido sacar dinheiro de seu fundo de aposentadoria para reduzir sua tributação futura. Na Celos, o cuidado com a CIAP. Um dos principais erros que um participante da Celos pode cometer hoje em dia é sacar toda a CIAP – Conta Individual de Aposentadoria e ficar com um benefício pequeno (saldado). Logo no início da aposentadoria, esse participante vai “torrar” o dinheiro, às vezes para viabilizar um grande sonho, mas depois caem na realidade do dia-a-dia e começam a surgir os problemas. É o risco do dinheiro “na mão”, quando não é bem administrado. A CIAP deve fazer pare do planejamento financeiro, assim como todos os demais recursos, fixos ou eventuais que integram a renda pessoal e familiar. A Celos tem profissionais que têm experiência nessa área e podem apoiar na escolha da melhor decisão. *Dicas do site Educação Financeira e Finanças Pessoais

Jornal da Celos nº 191  

Jornal da Fundação Celesc de Seguridade Social

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you