Issuu on Google+

quarta igreja batista

boletim informativo

Boletim Informativo R. José Antônio Pereira, 1951 - Centro Campo Grande - MS - 79010-190 (67) 3324-6716

4 ª  B a t i s t a d e i r m ã o p a r a i r m ã o A CEIA DO SENHOR

4 ª  B a t i s t ae d i f i c a

Estamos próximos da conclusão da 1ª etapa do projeto de construção! Glória a Deus! Continuamos com o alvo mensal de R$ 15.000.00.Você pode contribuir colocando sua oferta específica nos envelopes (no item construção). Ore e contribua! Março 03/03- 4,12% 10/03- 10,54% 17/03 - 4,92% 24/03- 2,26 % Total- 21,84%

31/03/13

www.quartabatista.org.br

4 ª  B a t i s t a m e d i t a

- Uma ordenação perpétua em memória de Jesus (1º Co. 11.24-26; Lc.22.19,20).

Na Ceia do Senhor participamos da comunhão com Ele (1º Co. 10.16,17). Foi instituída e celebrada pela 1ª vez (Mt 26.26-30) na véspera da Sua morte logo após à refeição da Páscoa (Mt. 26.17-20). Ao cear com Jesus (Hb. 9.14) devemos estar em oração e crermos que Ele não só nos lavou com o Seu sangue (2ª Aliança), como também “tomou sobre Si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre Si” ( Is.53.4-6; 1º Pe. 2.24; Tg 5.16). O Irmão crê nisso? Não foi exatamente o testemunho da nossa Irmã Laudicéia Pereira da Silva no domingo p.p? (Estava acompanhada da Irmã Candelária. Ela faz parte do Grupo da Irmã Cida às 4ªs.feiras). O corpo de Jesus simbolizado pelo pão constitui “concretamente”a distribuição a cada um de nós, do Seu vigor e da Sua saúde física. O Seu sangue, simbolizado pelo vinho, a libertação de todo e qualquer mal (Is. 53.4). Lembre-se que o sangue de Jesus tem poder. Podemos invocá-Lo com sucesso em nosso auxílio, diante de toda e qualquer dificuldade! Em conseqüência da vitória na cruz, satanás deixou de exercer domínio sobre nosso corpo físico. Adquirimos a natureza de Jesus pela fé (Mc.14.22-24). Mas, afinal, quem pode participar da Ceia do Senhor? O que a Bíblia nos ensina? – “Todo aquele que mantiver no ato da Ceia do Senhor, a sua consciência purificada pela paz com Deus estará apto a participar” (Cl. 3.15; Ef. 4.1-22). E como conseguiremos satisfazer essa ordenação? – Basta antes da Ceia do Senhor a reflexão (o nosso Pastor “sempre” dá espaço para isso), para em seguida admissão que somos pecadores natos, restando a confissão dos nossos pecados (devemos fazê-la). Na dúvida, deixe passar os elementos (pão e vinho) e espere outra oportunidade (Rm.14.23; 5.19; 10.9; 1º Jo. 1.8,9; Mt 6.12). A Ceia do Senhor, liturgia criada por Jesus, nos encaminha ao Seu Ministério glorioso; à graça do perdão; à libertação dos nossos pecados (Is. 43.52), como também, segundo Paulo, a extensão de todas essas bênçãos a todos aqueles que vierem aceitá-Lo como Salvador! Glória a Deus por isso! A.Lincoln. P.S. A Irmã Laudicéia apresentará, a meu pedido, seu testemunho nesta coluna domingo vindouro.

ano III

PÁSCOA NOSSO MOTIVO DE CELEBRAÇÃO

O domingo amanheceu, o sol nasceu depois de um sábado de incertezas e desalento. Algumas pessoas estavam ansiosas para cuidar do corpo de Jesus. Maria Madalena, Salomé, Maria - a mãe de Thiago, compraram aromas e óleos para ungir o corpo do Mestre já sepultado. Dirigiram-se ao sepulcro no domingo, crentes de que iriam encontrar o corpo de Jesus morto dentro da gruta cujo dono era José de Arimatéia. Para surpresa geral, não encontraram. Encontraram um túmulo vazio. E agora? Vão fazer o que com aquelas especiarias e com o desejo de chorar a morte de “um rabino” que lhes fez tão bem? A cabeça de Maria e dos discípulos que receberam a notícia de que ele não estava no sepulcro mantinham a pergunta: “Onde colocaram o corpo de Jesus”? A idéia da morte era a lei primeira quanto à possibilidade do que ocorrera a Jesus: “o mestre está morto e seu corpo está em algum lugar” No mundo rotineiro em que vivemos a morte parece ser a voz mais certeira em relação a tudo o que vivemos. Com isso acreditamos que a morte é maior que a vida, uma vez que parece ser ela a voz final de todas as coisas. Por conta disto, um certo temor, certas angústias e desânimo parece acompanhar a jornada das pessoas. A surpresa foi encontrar em um domingo de páscoa não um corpo morto, mas Aquele que com seu corpo venceu a morte. Jesus foi para um enfrentamento com a morte e venceu-a. Sua vitória completa foi testemunhada em todas dimensões do universo. Todos, nas regiões celestiais, sabem do triunfo completo de Jesus sobre a morte, morrendo e ressuscitando no terceiro dia. Com isso, tudo muda. A morte não é mais um inimigo imbatível, invencível, insuperável. Jesus venceu-a. Celebrar atentamente a páscoa é lembrar que o impossível aconteceu, o inimaginável se apresentou. Com isso, nada mais impossível, quando se trata de Jesus. A ressurreição nos lembra que o cheiro da morte não pode ser mais percebido por aqueles que encontraram Jesus, do que o cheiro da vida. A alegria dos discípulos de Jesus naquele domingo era de saber que a injustiça não prevalece eternamente, que a vida é mais forte que a morte, que com a presença de Jesus os sonhos e esperanças não precisam morrer. Celebrar a Páscoa é celebrar a vitória de Cristo sobre a morte, ressuscitando. Aleluia! Quem venceu a morte pode nos ajudar a viver a vida nova que Ele nos possibilitou. Feliz Páscoa! Vanilson Oliveira,Pr EQUIPE MINISTERIAL Marcelo M. da Silva Pastor Presidente Walter Barbosa Pastor Emérito e 3ª Idade

Vanilson de Oliveira Pastor Auxiliar Adão José Pereira Pastor Capelão

Márcia F.B.M. da Silva Ministra de Música Flávio Joade Pastor da Missão Noroeste

Erick Fraiha Machado Pastor de Artes Michelle X. C. de Morais Ministra de Crianças


quarta igreja batista

boletim informativo

4 ª  B a t i s t ae m a ç ã o

4 ª  B a t i s t ai n f o r m a

ALMOÇO BENEFICIENTE AO CENTRO CULTURAL E SOCIAL Você é nosso convidado para este delicioso Strogonoff de carne e frango no dia 21 de Abril, das 11 às 13 horas, local: Quarta igreja, Valor: 15 reais. Maiores informações com a irmã Antonia.

LOUVOR E AÇÃO Venha participar no próximo Sábado 6 de abril às 18:00, aqui em nossa Igreja, do Festival Louvor e Ação

CAMISETAS Ainda dá tempo de encomendar sua camiseta com o irmão André SaKa! Você pode ver a arte no mural da nossa igreja.

4 ª  B a t i s t ar e a l i z a DOMINGO 09h00 ‐ Culto 10h00 ‐ EBD 18h00 ‐ Mensageiras do Rei 19h00 ‐ Culto SEGUNDA‐FEIRA 18h00 ‐ Reunião de Oração 19h00 ‐ Ensaio do Coro TERÇA‐FEIRA 15h00 ‐ Reunião da 3ª Idade 18h00 ‐ Reunião de Oração 19h30 ‐ Encontro Equipes de Louvor QUARTA‐FEIRA 19h30 ‐ Culto de Oração 19h30 ‐ Adoradores Kids QUINTA‐FEIRA 18h00 ‐ Reunião de Oração 19h30 ‐ Pequenos Grupos SEXTA‐FEIRA 18h00 ‐ Reunião de Oração 19h30 ‐ Pequenos Grupos SÁBADO 14h00 ‐ Ensaio do Louvor 16h00 ‐ Ensaio do Teatro 18h00 ‐ Encontro dos Adoles

4 ª  B a t i s t ac o m e m o r a

31/03‐ Fernando F. V. C. da Silva Res: 31/03‐ Joseane Maria V. P. L. Cardoso Res: /Cel: 9299‐9550 31/03‐ Joaquim Ribeiro Neto Res: 3354‐7415/ Cel: 8417‐0460 02/04 ‐Abel Diego A. F. de Souza Res: /Cel:

’’

Ensina-nos a contar os nossos dias de tal maneira que alcancemos corações sábios.

‘‘

Salmos 90:12

FELIZ ANIVERSÁRIO

Ministério de

CASAIS A união do casamento seria a mais íntima de todas as relações humanas. Por ela, marido e mulher se tornam uma só carne. “Quem ama a sua esposa, a si mesmo se ama” (Efésios 5:28 e 29).O casamento é uma união de amor. Foi instituído para satisfazer o profundo anelo implantado na alma pelo Deus de amor – o desejo de dar e receber amor. O amor é oposto ao egoísmo. O egoísmo pensa em si mesmo, busca os seus próprios interesses, busca só receber. Infelizmente muitos casam por motivos egoístas: querem só a sua vontade e o seu prazer satisfeitos. Por isso, casamentos desse tipo nunca são felizes e acabam rapidamente. O amor conjugal deve ser nutrido, fortalecido. Ele deve crescer sempre. A sua chama deve se tornar cada vez mais viva. E isto não vem por acaso. Requer planejamento, requer esforço – incessante esforço através da vida íntima. Seguem algumas dicas baseadas no capítulo intitulado “O Segredo de Um Matrimônio Feliz”, do livro “A Ciência do Bom Viver”: A primeira delas é o reconhecimento de cada um dos cônjuges no lar. No plano de Deus o marido é o chefe da família. Deve ser honrado como tal pela esposa e pelos filhos. A esposa deve ao lado do marido cooperar para o bem da família. Uma segunda dica para manter o casamento é a fidelidade mútua. O casamento é uma união sagrada e requer estrita fidelidade do marido à mulher, e da esposa ao marido. A ordem é clara: “Não adulterarás” (Êxodo 20:14). Essa total dedicação de um ao outro gera confiança e nutre o amor. Inversamente, a infidelidade, seja do homem, seja da mulher, suscita ciúme, ressentimento. Já a terceira dica é o esforço de adaptação mútua. Passados os primeiros dias após o casamento, e iniciada a vida real, começam a aparecer as fraquezas de ambos. O marido vê na mulher pontos negativos com que talvez não sonhasse; e a esposa também vê no marido defeitos que não imaginava… Aí é preciso compreensão, apoio e a busca para valorizar as qualidades, ajudando na superação dos pontos negativos. A quarta dica para manter o casamento é a expressão do amor. Na vida conjugal o amor deve ser expresso por palavras – palavras de apreço pelos esforços do marido, da mulher; palavras em que o amor mútuo é assegurado. Alguns pensam que o companheiro da vida sabe que é amado e não é preciso dizer para o outro. Outros julgam que a expressão de amor é uma demonstração de fraqueza. Uma quinta dica para manter o casamento é dar a Deus um lugar na vida do casal. O verdadeiro triângulo amoroso é formado pelo marido, pela esposa e por Deus. Quanto melhor o nosso relacionamento com Deus, tanto melhor será o nosso relacionamento com o companheiro da vida. Continuem, relembrem as primeiras atenções e gestos Fonte: A ciência do bom viver. Mabel Saldanha Shinohara


Boletim de 31 de março de 2013