Issuu on Google+

100 dias de governo Dilma ...e o que foi feito

para combater a

desigualdade? Dilma Rousseff se elegeu presiden te do país prometendo acabar com a fom e e a miséria. A maioria dos trabalhadores e jovens apóia o governo acreditando que está sendo feito o melhor para atingir esse s objetivos. Mas até agora, só vimos medidas que aumentam a desigualdade social. Logo no início do mandato assistim os ao maior corte de orçamento da história: R$ 50 bilhões. Isso significou diminui r R$5 bilhões do programa Minha Casa, Minha Vida, R$ 3 bilhões da educação e R$ 1 bilhão da saúde. A taxa de juros no Brasil, que já é a maior do mundo, aumentou três vezes seguidas. Os banqueiros agradecem, já os trabalhadores vão pagar ainda mai s nos

juros dos empréstimos, no cheque especial e no cartão de crédito. O argumento oficial para tudo isso éo combate à inflação. Sem dúvida que m mais sofre com a inflação são os trabalha dores. Mas a política do governo de com bate à inflação coloca o problema na con ta do trabalhador, sacrifica o lado mais pob re da balança. O reajuste do salário mínimo foi 1,3% menor que o aumento da inflação , já o reajuste no salário da presidente foi de 132%. Dilma, isso é o oposto do que você prometeu na campanha. Exigimos do governo que recue dos cortes no orçamento e deixe de pagar a dívida aos banqueiros para investir em saúde, educação, moradia e reforma agrária.

Fala Zé Maria

Dia 18 de maio estaremos na luta contra a HOMOFOBIA!

Neste ano assistimos a diversos casos de agressão aos homossexuais. O governo do PT segue priorizando a aliança com setores conservadores e não avançou em nada nas medidas de combate à homofobia. Está atrás até mesmo do Supremo Tribunal Federal que aprovou a união estável entre casais do mesmo sexo. Esta vitória deve servir como ponto de apoio para a luta do movimento LGBT. Nós somos absolutamente contra o preconceito e todas as formas de opressão e exploração. Por isso, no dia 18 de maio estaremos em Brasília, na II Marcha Nacional Contra a Homofobia que exigirá a aprovação do PLC-122 (projeto de lei que criminaliza a homofobia).


: l a t s Flore

Código ataque ao m

u s i a M

te n e i mb

A o i e M

PL que O Congresso Nacional está discutindo um tragédias reforma o Código Florestal. Depois das -se uma como na região serrana do Rio esperava Mas o ais. ient amb leis as reforma que enrijecesse : disso rário cont o que está sendo proposto é das -Reduzir de 30 para 15 metros a proteção ais. matas que circundam rios e mananci is não - As propriedades de até 4 módulos rura rva leprecisariam mais fazer a reserva legal. Rese a que não gal é um percentual de vegetação nativ l, 35% Lega a zôni Ama na pode ser modificado (80% ifica sign Isso es). regiõ no Cerrado e 20% nas demais de o don o a zôni que em algumas regiões da Ama 114 a ivale uma terra de 4.000.000 m², o que equ nenhuma campos de futebol, não precisaria fazer reserva legal. ensão -A legislação atual prevê multas e até susp a lei prir cum não quem da atividade produtiva para para anos 5 de o praz ambiental. As mudanças dão o gar a reos desmatadores se regularizarem sem obri 2008. de composição da mata derrubada até julho rios As mudanças vêm para proteger os latifundiá projeto é e o agronegócio. Para piorar o relator do fazendo o deputado Aldo Rebelo (PCdoB), que está troca em lista rura cada o trabalho sujo para a ban has pan cam suas de cargos e financiamentos para de que do tran eleitorais. Um grande escândalo, mos meio do sa comunista o PCdoB só tem o nome. A defe talistas, ambiente não pode ser feita nem pelos capi ser consenem pela esquerda que se vendeu. Para dência pen inde l tota iso prec quente com essa luta é isso, por ção, rada deg a daqueles que lucram com tos imen mov os e e só os trabalhadores, a juventud a. sociais podem levantar essa bandeir

Revolução Árabe

A revolução árabe segue abalando as ditaduras da região. Depois de derrubar os governos da Tunísia e Egito, agora questiona diretamente as ditaduras da Líbia, Síria e Iêmen. Uma parte da esquerda, incluindo os governos Chavez da Venezuela e Castro de Cuba, estão cometendo um grave erro ao apoiar genocidas como Khadafi e Assad. O imperialismo faz uma agressão militar contra a Líbia, fingindo se opor as atrocidades de seu ex-aliado Khadafi. O objetivo é o mesmo de sempre: controlar o país e suas riquezas.

Todo apoio à revolução árabe!

Fora Kadafi! Fora Assad! Abaixo a intervenção do imperialismo na região!

Venha para a juventude do PSTU

r juventude@pstu.org.b www.pstu.org.br twitter.com/pstu facebook.com/juventudedopstu


Panfleto da Juventude - Maio 2011