Page 1

Boletim nacional

Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado Nº 27 - março 2009 - www.pstu.org.br - pstu@pstu.org.br

Está na hora de lutarmos juntos contra as demissões!

É preciso que nós trabalhadores lutemos juntos contra as demissões e os ataques a nossos salários e direitos. Conlutas e Intersindical, junto com CUT, Força Sindical, CTB e MST, convocam um dia nacional de luta para 30 de março. Com paralisações nas empresas e atos de rua unindo trabalhadores do campo e da cidade, operários e estudantes, o dia 30 marca a primeira resposta nacional dos trabalhadores à crise. O Brasil já está em recessão! O governo segue tentando esconder o tamanho da crise, mas não é possível tapar o sol com a peneira. A queda do PIB no último trimestre de 2008 foi de 3,6%. Isso significaria uma queda anual de 13,6%. Uma redução histórica, nunca vista, típica de uma depressão. Mais de um milhão de empregos já desapareceram no país desde o início da crise. Todos

que trabalham serão atingidos. Como os funcionários públicos, que verão o governo ignorar acordos e não reajustar seus salários. Até agora, Lula não fez nada a favor dos trabalhadores na crise. Só agiu a favor das empresas, liberando mais de R$ 300 bilhões para bancos e grandes empresas. Não fez nada pelos trabalhadores da Embraer, por exemplo. Não acreditem no que falam o governo e os patrões! O país já está em recessão, e a crise econômica é grave! A mobilização nacional do dia 30 é uma primeira resposta à crise. A resistência está crescendo em todo o mundo, e a greve geral na França é um exemplo. Por isso, o 30 de março deve ser encarado como um primeiro passo em direção a uma paralisação geral do país. Todos unidos na luta!

pela reestatização da Embraer!

A Embraer demitiu 4.270 operários em fevereiro. A empresa foi privatizada em 1994 a preço de banana – R$ 154 milhões, 10% de seu valor real – para fundos norte-americanos. Com o país crescendo, esses grupos lucraram muito. Agora, na crise, demitem. Além disso, a empresa distribuiu R$ 50 milhões em “bônus” a seus executivos. Fez igual à AIG norte-americana, que deu prêmios

escandalosos aos executivos! O governo tem presença na direção da Embraer e poder de veto nas decisões. Lula nada fez para evitar as demissões nem para impedir os bônus dos executivos. Além disso, via BNDES, já investiu na fábrica mais de R$ 8 bilhões. Mesmo agora, após as demissões, liberou mais R$ 700 milhões. A reestatização sob controle dos trabalhadores é a única for-

ma de o país retomar o controle da empresa. Não é possível que grupos estrangeiros controlem uma fábrica estratégica como a Embraer. A luta na Embraer é uma luta de todos. Por isso, assembleias, sindicatos e entidades que preparam o 30 de março devem aprovar moções pela readmissão dos demitidos e a reestatização.


Reduzir salários não garante o emprego! As empresas lucraram muito e agora querem que os trabalhadores paguem pela crise. Não podemos aceitar nem demissões nem acordos que rebaixam salários e direitos para “evitar cortes”. A única forma de evitar as demissões é lutar contra elas. Nas empresas em que se aceitam esses acordos, eles vão impor outros depois, e piores. No final, vão querer demitir da mesma forma. Também não podemos pensar em saídas individuais para escapar das demissões. Os patrões só se fortalecem quando os trabalhadores não se unem. Unidos somos fortes, divididos não somos nada. A Força Sindical está apoiando acordos de redução de salários, como entre os metalúrgicos de São Paulo. A CUT fala contra, mas faz o mesmo

na Volkswagen de Taubaté e em vários locais do país. A única saída para evitar o desemprego é a luta. Antes, lutávamos por nossos salários, agora temos de batalhar por nossos empregos. Vamos exigir de Lula uma medida provisória decretando a estabilidade no emprego e a redução da jornada de trabalho para 36 horas, sem redução salarial.

Nem demissões, nem redução de salários ou direitos! Estabilidade já!

CUT, Força Sindical e CTB devem exigir do governo a estabilidade no emprego! A mobilização de 30 de março deve ser considerada como um primeiro passo nacional contra a crise. CUT, Força Sindical e CTB apoiam o governo e tentam evitar que ele seja criticado. É preciso que essas centrais deixem de proteger o governo e tomem o caminho da mobilização e não dos acordos que rebaixam salários e direitos. Para isso, a mobilização de 30 de março deve ser um passo para construir um dia de paralisação nacional. Essas centrais também devem exigir com a Conlutas que Lula decrete a estabilidade no emprego e reestatize a Embraer!

O capitalismo só traz crise e miséria!

O mundo necessita do socialismo!

As crises não são “naturais” e inevitáveis. Elas são produtos do capitalismo, em que as grandes empresas controlam a sociedade. Elas produzem para garantir o lucro, e não para que as pessoas tenham casa, roupa e comida. São elas que vez ou outra mergulham o mundo em crises violentas como a que está começando. Podemos acabar com as crises? Sim, acabando com o capitalismo. Para isso é preciso estatizar as grandes empresas sob controle dos trabalhadores, os que

www.pstu.org.br produzem e conhecem o que fazem. Em 1929, na maior crise do século passado, a União Soviética continuava crescendo, mesmo burocratizada. A economia crescia porque ali o capitalismo tinha acabado. Para avançar, precisamos de um governo realmente dos trabalhadores. Lula, eleito pelos trabalhadores, governa para as grandes empresas. Precisamos de um governo socialista dos trabalhadores.

Boletim Nacional 27  

Boletim Nacional 27