Issuu on Google+

JORNAL DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE SÃO PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008 - Nº20 | 0,50€

DIPLOMA DE MÉRITO/DIA DO DIPLOMA Com o apoio do Projecto: Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis

DESTAQUES

Leitura no Lar da Misericórdia pág. 6

Clube Europeu pág. 8

Clube de Ciências e do Ambiente pág. 3

ESCOLA PREMEIA O MÉRITO

pág. 10

Feira da Ladra

FEIRA DE OUTONO

pág. 12

Grupo Disciplinar de História pág. 22

Desporto Escolar pág. 20

Sarau dos Finalistas pág. 22

pág. 13

INICIATIVA A REPETIR

PRESÉPIOS DE NATAL

pág. 12

JOSÉ TAVARES DE ALMEIDA ELECTRICISTA E CANALIZADOR (INSCRITO NA DGE) TLM 917 516 010 / 965 795 839 VALADARES - SÃO PEDRO DO SUL


2

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

ÍNDICE

EDITORIAL A Escola Secundária prossegue o seu caminho de servir o concelho e a região, numa perspectiva educativa e formativa cada vez ampla. Procuramos e procuraremos estar atentos aos diversos “públicos” que esperam de nós a resposta adequada às suas necessidades. É por isso que, além da oferta predominantemente vocacionada para o prosseguimento de estudos, apostámos nos percursos alternativos, na oferta de dupla qualificação, nos cursos de educação e formação

de adultos, nas formações modulares, nos processos RVC. Esta tarefa tem exigido e continuará a exigir da escola um esforço suplementar considerável. A Escola tem feito esse esforço. Importa também que, a nível superior, nos sejam facultados os instrumentos de apoio indispensáveis E um excelente Natal para todos! Prof. José Manuel Gonçalves

CRONOGRAMA - 2º PERÍODO

Governo marcou presença

Pág. 3

CNO - Visita do Dr. João Lima “12º Ano é que é!”

Pág. 4

Grupo de Matemática

Pág. 5

EMRC em movimento

Pág. 6

Leitura no Lar Comemoração do São Martinho

Pág. 7

Clube Europeu

Pág. 8

Clube de Ciências e do Ambiente

Pág. 10

Feira da Ladra Concurso Presépios de Natal

Pág. 12

Feira de Outono

Pág. 13

5/01

Início das actividades lectivas

12/01

Visita de estudo, 11º A,B,C; Indoliva e Jardim Botânico (Coimbra)

Clube de Montanhismo e Ar Livre Dádiva de Sangues

Pág. 14

13/01

Visita de estudo, 7º ano, Planetário do Porto e Pavilhão da Água

Visita de Estudo

Pág. 15

14/01

Olimpíadas de Matemática

Grupo Disciplinar de Espanhol

Pág. 16

2/02

Dia dos crepes

Simulacro de Incêndio

Pág. 18

13/02

Concurso “Cartas de Amor” Acção de Formação: “A adolescência e Eu”; 9º ano

Visita à Martifer

Pág. 19

A crise de 1929 e o momento actual

Pág. 20

14/02

Corta-mato distrital, Mangualde Festival da Canção

Conferência sobre Fernão de Magalhães Feira do Livro

Pág. 21

20/02 23 a 25/02

Interrupção das actividades lectivas

Desporto Escolar Sarau dos Finalistas

Pág. 23

26/02

Visita de estudo 10F e 12E, Ikea

27/02

Mega Escola: Mega Sprinter, Mega Salto, Mega Km

4/03

RedeMat

27/03

Termo das Actividades Lectivas

27 e 28/03

EMRC: acantonamento 8º ano

30/03 a 1/04

Conselhos de Turma / avaliação

ajudatic@essps.pt - utilize este endereço para questões relacionadas com o Moodle, E-mail e Portal da Escola.

Ficha Técnica Edição e propriedade da Escola Secundária de São Pedro do Sul Telefone: 232 723 071 - Fax: 232 723 703 http://www.essps.pt - E-mail: jornal@essps.pt Impressão: Publicentro - Tiragem: 500 exemplares Coordenação: José Bandeira e Paulo Paiva

Com o apoio do Projecto: Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis


3

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

DIPLOMA DE MÉRITO / DIA DO DIPLOMA

GOVERNO MARCOU PRESENÇA

O Diploma de Mérito é um instrumento de promoção do sucesso escolar e educativo, instituído pela Escola Secundária, o qual pretende incentivar os alunos para a realização das tarefas escolares, bem como reconhecer e

valorizar competências e atitudes reveladas ao nível cultural, desportivo, pessoal e social. Foram felizmente muitos os alunos que, no ano lectivo anterior, mereceram o destaque que o Diploma de Mérito representa. A cerimónia de entrega dos diplomas aos alunos dos 7º, 8º, 9º, 10º e 11º anos, decorreu no polivalente da escola, na manhã do dia 12 de Setembro. Além dos alunos, estiveram presentes muitos encarregados de educação, professores e funcionários. Constituíram a mesa da cerimónia o Presidente do Conselho Execu-

tivo, o Vereador da Educação e Cultura da Câmara Municipal, Professor Rogério Duarte, a Presidente da Assembleia, Dra. Ana Luísa Basto, a Presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação, Dra. Ester Vargas, e o Presidente da

Associação de Estudantes, aluno Bruno Matias, que usaram da palavra, homenageando os alunos distinguidos. Colaboraram na cerimónia os Directores de Turma do ano lectivo 2007/2008, que entregaram os diplomas aos alunos das respectivas turmas. Foi uma cerimónia simples que significou um incentivo e um reconhecimento público ao trabalho dos alunos, dos professores e da comunidade educativa em geral. Também no dia 12 de Setembro, de tarde, decorreu a

cerimónia referente ao Dia do Diploma, instituído recentemente pelo Ministério da Educação, e que teve como destinatários os alunos que concluíram o Ensino Secundário. A nossa escola associou a esta iniciativa ministerial a atribuição do Diploma de Mérito aos alunos do 12º ano. O Governo, num gesto que muito honra a Escola Secundária, fez-se representar ao mais alto nível através do Ministro das Obras Públicas, Eng. Mário Lino de Carvalho, que presidiu à mesa da cerimónia, constituída ainda pelo Governador Civil de Viseu, Dr. Acácio Pinto, pela Directora Regional de Educação, Dra. Engrácia Castro, pelo representante da Câmara Municipal, Professor Adriano Azevedo e pelo Presidente do Conselho Executivo, Dr. José Manuel Gonçalves. No salão polivalente, completamente cheio, verificava-se a presença de alunos, professores, pais, familiares, funcionários, representantes de várias instituições e entida-

des do concelho e da comunicação social. A sessão foi ainda devidamente acompanhada, à semelhança da cerimónia da manhã, pelo Clube de Vídeo da escola. Foram entregues os diplomas aos alunos que concluíram o ensino secundário em 2007/2008. Foram também entregues os Diplomas de Mérito da escola. Foi ainda entregue o Prémio de Mérito, no valor de 500 euros, à

melhor aluna da escola, Ana Margarida Magalhães Gomes, que alcançou a média de 18,8 valores. Esta aluna fez uma intervenção que mereceu o particular aplauso dos presentes, na qual registou e agradeceu o papel desta escola na sua caminhada como aluna e como pessoa.


4

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

CENTRO NOVAS OPORTUNIDADES

VISITA DO DR. JOÃO LIMA

"Mais recentemente e por convite da equipa fui ao Centro Novas Oportunidades da Escola Secundária de São Pedro do Sul. Para além de ficar encantado com São Pedro do Sul que, no Outono, é pintado por tons

de castanho que tornam a viagem muito agradável, fiquei também, com uma ideia muito positiva da equipa que encontrei. Em primeiro lugar pela preocupação pela qualidade. Mas o que marca a equipa do Centro Novas Oportunidades é o humanismo e o anseio por que-

rer dar uma resposta à medida de cada um dos adultos que procura o centro. Sem dúvida que aposto na emergência de «boas práticas» nascidas neste centro pois, pelo que a equipa mostrou na sessão de trabalho que desenvolvemos em conjunto, muito se pode esperar desta equipa dedicada e muito profissional." Fonte: www.rvccno.blogspot.com

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO

“12º ANO É QUE É!” NA ESSPS Esta iniciativa tem como objectivo fundamental sensibilizar os alunos no sentido de tomarem consciência de que o 12º ano deverá ser assumido como o referencial mínimo da escolaridade.

Os Serviços de Psicologia e Orientação (SPO) estão a desenvolver na escola a campanha «12º ano é que é», pelo segundo ano consecutivo.

Os SPO desenvolvem anualmente nas turmas do 9º ano o Programa de Orientação da Carreira, realizando acções que visam sublinhar a pertinência de os educandos realizarem os seus estudos até atingirem pelo menos o 12º ano. Paralelamente, os alunos da turma G do 9º ano do curso de Instalação e Operação de Sistemas Informáticos em colaboração com o professor Pedro Franco - estão a ela-

borar um CD que pretende ser uma mostra das actividades e da oferta formativa da escola e também divulgará esta campanha. Consciente do papel insubstituível das famílias nas escolhas do curso ou profissão por parte dos seus filhos, os SPO decidiram este ano lectivo alargar esta campanha aos pais/encarregados de educação dos alunos do 9º ano. Numa primeira fase, será elaborado um desdobrável com o objectivo de sensibilizar estes agentes educativos para que estimulem os educandos a darem continuidade ao seu percurso escolar para além da escolaridade obriga-

tória. Numa fase posterior, serão divulgadas as ofertas formativas que a escola pretende apresentar no próximo ano escolar. É fundamental que tomemos consciência de que se não forem feitos esforços no sentido da conclusão do secundário, um elevado número de jovens das próximas gerações enfrentará a exclusão social, baixos salários e precariedade no emprego. Por isso, o repto lançado a cada pai ou encarregado de educação é o de que, se pretender melhorar as oportunidades do seu educando, procure proporcionar-lhe mais

estudos, mais formação. Efectivamente os pais ou encarregados de educação devem actuar não como decisores da vocação dos filhos mas como conselheiros, nunca impondo uma opção. Essa decisão deve ser tomada por cada jovem, em liberdade e consciência, respeitando os seus gostos e objectivos que pretendem atingir. Ajudar, no processo de escolha vocacional, é um dever dos pais mas sem se substituírem aos filhos na decisão, que deve ser dos educandos. A Psicóloga, Eugénia Pereira (Serviços de Psicologia e Orientação)

ACTIVIDADES 2008/2009

PARLAMENTO DOS JOVENS Inserida no Plano de Actividades a desenvolver pelo Grupo 430 – Economia e Contabilidade no ano 2008/2009, deu-se início à actividade Parlamento dos Jovens subordinada ao tema: Participação Cívica dos Jovens. Esta actividade é levada a efeito com a participação do Ministério da Educação, Assembleia da República e IPJ e visa promover a cidadania e o desenvolvimento da participação cívica dos jovens na sociedade. Numa fase inicial, foi feita a inscrição da Escola Secundária de São Pedro do Sul, tendo sido constituídas três listas que apresentaram as respectivas medidas a debater

com as outras escolas inscritas na Sessão Distrital. Das medidas apresentadas será elaborado o respectivo Projecto de Recomendação a aprovar na Sessão Escolar no dia 21 de Janeiro de 2009.

outros intervenientes, com trabalhos autónomos, tendo como principal objectivo a qualificação da escola para uma possível visita ao Parlamento Europeu no ano de 2009-2010.

Ainda neste sentido, foi feita uma reunião com os alunos inscritos no dia 10 de Dezembro de 2008. Foi feito um convite aos senhores deputados da Assembleia da República para estarem presentes na nossa escola no dia 12 de Janeiro de 2009 pelas 14h 30m.

Trata-se de duas actividades levadas a efeito durante todo o ano lectivo e que visam

Paralelamente, deu-se também início à actividade Euroscola, que contará com

a participação de toda a comunidade educativa. Já decorreu o trabalho de mobilização dos jovens do 10º ao 12º anos e estamos na segunda etapa, preparação das actividades consequentes, que passa pelo cumprimento rigoroso de prazos pré-determinado, pela leitura atenta de muita documentação e sobretudo pelo

intenso afinco no debate de ideias que antecede todo um trabalho de sensibilização política e social, que diz respeito a todos nós cidadãos de uma sociedade que se quer cada vez melhor e diferente. O coordenador do Projecto Prof. Bernardo Pina


5

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

GRUPO DE MATEMÁTICA ENCRUZILHADA

GEOMETRIA, PARA QUÊ??!!

1. Polígono com quatro lados iguais e com quatro ângulos rectos; 2. Operação algébrica com prioridade; 3. Instrumento de desenho que serve para traçar arcos; 4. Quociente entre o perímetro e o diâmetro de uma circunferência; 5. Igualdade entre dois membros em que existe uma incógnita; 6. Triângulo com dois lados iguais; 7. Propriedade de uma operação algébrica; 8. Disciplina onde se estudam os sólidos geométricos; 9. Operação algébrica; 10. Parentesco;

Vê lá que atrapalhação disparate e confusão este mundo não seria se um dia, de repente, por loucura toda a gente esquecesse a GEOMETRIA.

O carpinteiro João não podia pôr no chão uma mesa que servisse. E a janela coitada jamais seria consertada se um vidro se partisse.

1 0 Andaria tudo torto 2

e até no desporto

3

haveria muito azar.

7

No futebol, que cachola,

1 8

não se conhecia a bola que se havia de chutar.

4

Formas simples e perfeitas

6

que em GEOMETRIA aproveitas só na ideia são vividas.

9

Não são coisas reais mas figuras ideais com que as coisas são parecidas. 5

XXVII OLIMPÍADAS PORTUGUESAS DE MATEMÁTICA

A Sociedade Portuguesa de Matemática fez chegar uma vez mais às nossas escolas as Olimpíadas Portuguesas da Matemática. As Pré-Olimpíadas e as Olimpíadas da Matemática realizaram-se no dia 12 de Novembro de 2008 pelas 15h 30min e tiveram a participação de 25 alunos do 3º ciclo e 15 alunos do ensino secundário. Nesta primeira eliminatória e com excelentes classificações destacaram-se:

Nas Pré-Olimpíadas, a Catarina Soares e a Joana Esteves, ambas do 7º Ano, turma A. Na Categoria A (8º e 9º anos), as alunas Andreia Lasca e Sílvia de Freitas, ambas do 8º Ano, turmas A e D, respectivamente. Na Categoria B (Secundário), a Matilde Bandeira do 10º Ano, turma A e o Luís Duarte do 11º Ano, turma A. Apenas a categoria A e B passa à segunda eliminatória,

que se realizará numa escola a fixar pela Comissão Organizadora no dia 14 de Janeiro de 2009 às 15h 30m. A todos os participantes queremos deixar os nossos parabéns pela sua participação e dedicação a este concurso de jovens matemáticos. Aos alunos que forem seleccionados para atravessar mais uma etapa deste concurso só nos resta desejar BOA SORTE.

PROBLEMA DE MATEMÁTICA Há pouco tempo o senhor Silva foi visitar Paris. Na recepção do hotel entregou 50 euros para pagar a dormida. O empregado verificou pouco depois que a despesa era apenas de 45 euros. Mandou, então, o paquete devolver os 5 euros. O rapaz, que não era

muito honesto, entregou só 3 euros ao senhor Silva e guardou os outros dois. O senhor Silva pagou, portando, pela dormida 47 euros. O rapaz ganhou dois euros. Isso perfaz 49 euros. Para onde foi então o euro que falta?

Dá que pensar!


6

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

EMRC

HISTÓRIAS COM MENSAGEM Neste espaço, “EMRC – Histórias com mensagem”, vamos editar textos/pensamentos com mensagem positiva e ensinamentos que mereçam a pena ler, reflectir e tirar ilacções para a vida.

APRENDENDO A APRENDER Depois de algum tempo tu aprendes a diferença, a subtil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E aprendes que amar não significa apoiar-se e que companhia nem sempre significa segurança. E começas a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas. E começas a aceitar as tuas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a tristeza de uma criança. E aprendes a construir todas as tuas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para planos, e o futuro tem o costume de cair em vão. Depois de um tempo aprendes que o sol queima, se ficares exposto por muito tempo. E aprendes que não importa o quanto te importas, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceitas que não importa o quanto uma pessoa é boa, ela vai ferir-te de vez em quando e precisas perdoá-la por isso. Aprendes que falar pode aliviar dores emocionais. Descobres que se levam anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que podes fazer coisas num instante, das quais te arrependerás pelo resto da vida. Aprendes que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que tens na vida, mas quem tens na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprendes que não temos que mudar de amigos se compreendermos que os amigos mudam. Percebes que tu e o teu melhor amigo podem fazer qualquer coisa, ou nada, mas que terão bons momentos juntos. Descobres que as pessoas que mais amas na vida, depressa as perdes, por isso sempre que te separes delas, deves despedir-te com palavras amorosas, pode ser última vez que as vejas. Aprendes que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começas a aprender que não te deves comparar com os outros, mas com o melhor que se pode ser. Descobres que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que se quer ser, e que o tempo é curto. Aprendes que não importa onde chegaste, mas para onde vais. Mas, se tu não sabes onde estás, qualquer caminho serve. Aprendes que, ou controlas os teus actos ou eles te controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação existem sempre dois lados. Aprendes que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentar as consequências. Aprendes que ter paciência requer muita prática. Descobres que algumas vezes, a pessoa que tu esperas que te abandone quando tu cais, é uma das poucas que te ajuda a levantar.

Aprendes que a maturidade tem mais a ver com a experiência e o que aprendeste com ela, do que quantos aniversários celebraste. Aprendes que nunca se deve dizer a uma criança que seus sonhos são ilusões, poucas coisas são tão humilhantes que seria uma tragédia se ela acreditasse nisso. Todos têm o direito de estar com raiva, mas isso não lhes dá o direito de ser cruéis. Descobres que só porque alguém não te ama como tu queres, isso não significa que esse alguém não te ama com todas as forças, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso. Aprendes que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes tens que aprender a perdoar-te a ti mesmo. Aprendes que com a mesma severidade com que julgas, serás condenado em algum momento. Aprendes que não importa em quantos pedaços o teu coração foi partido, o mundo não para que tu o consertes. William Sheaskespear

MAGUSTO CONVÍVIO DE EMRC

A Escola Secundária de São Pedro do Sul, no âmbito da concretização do seu plano anual de actividades da disciplina de EMRC, realizou no passado dia 15 de Novembro o magusto convívio dos alunos das Escolas Secundárias de São Pedro do Sul, Emídio Navarro, Viriato e Alves Martins.

A GENEROSIDADE Dás pouco, se dás apenas os teus bens. Se, porém, te deres a ti mesmo, então tornar-te-ás verdadeiro dom. Há os que dão com alegria, e a alegria é a sua recompensa. Por suas mãos, Deus se comunica e, por seus olhos, sorri para a Terra. É bom dar quando nos pedem. É melhor, porém, intuir a necessidade dos que nada pedem. Para quem é generoso, ir em busca do pobre é alegria maior do que dar-lhe alguma coisa, porque quem é digno de abeberar-se no mar da vida pode também encher seu jarro com a água de teu pequeno riacho. E vós que recebeis - todos nós recebemos -, não permitais que a gratidão vos oprima, para não vos tornardes escravos e para que não escravizeis aquele que vos deu. Pelo contrário, os vossos dons transformem-se em asas sobre as quais podereis voar juntos. Kahlil Gibran

Por volta das 14.30 os alunos foram chegando à escola tendo sido feito o acolhimento. Como “manda a tradição” o Verão de São Martinho fez-se sentir, tornando o dia maravilhoso para a realização dos jogos tradicionais que contaram com a participação ani-

mada dos alunos das diferentes escolas. Já dentro do polivalente da Escola, teve lugar o Karaoke e por fim partilhámos o lanche e saboreámos as castanhas “quentes e boas”. Foi uma tarde muito feliz. Deve ainda dizer-se que esta actividade marca o início de uma caminhada conjunta das quatro escolas concretizada nas várias iniciativas que os professores organizam no decorrer de cada ano lectivo para os alunos e que têm como objectivos, entre outros, os seguintes: proporcionar um convívio salutar; reflectir sobre temas de interesse dos jovens; cultivar os valores da amizade da solidariedade e fraternidade; desenvolver o espírito de grupo e partilhar interrogações, certezas e esperanças com outros alunos de EMRC. Alunos 11º A/D

Quero Senhor neste Natal armar uma árvore dentro do meu coração e nela pendurar, em vez de presentes, os nomes de todos os meus amigos. Os antigos e os mais recentes. Os amigos de longe e de perto. Os que vejo a cada dia e os que raramente encontro. Os sempre lembrados e os que às vezes ficam esquecidos. os das horas difíceis e os das horas alegres. os que sem querer eu magoei ou sem querer me magoaram. Aqueles que pouco me devem e aqueles a quem muito devo. Meus amigos humildes e meus amigos importantes. Os nomes de todos os que já partiram e que lembro com tanta saudade! Que o Natal esteja vivo em cada dia do novo ano e que a nossa Amizade seja um momento de repouso nas lutas da vida, para assim vivermos O Amor juntos !


7

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

LEITURA NO LAR

Alunos do 12º ano turmas A, B, C e D continuam a actividade de leitura no Lar e no Infantário da Misericórdia de São Pedro do Sul, uma vez por mês, em regime de

voluntariado, acompanhados pelas professoras Clara Esteves e Teresa Governo. Este projecto foi iniciado há já algum tempo, sob a responsabilidade da profes-

sora Clara Esteves, com os objectivos de “promover hábitos de leitura e desenvolver práticas de relacionamento interpessoal favoráveis ao exercício da cooperação e da

solidariedade”. Por estar a ser uma experiência de vida muito enriquecedora para todos os que nela estão envolvidos, a actividade continua no presente ano lectivo.

Profª Teresa Governo

TURMA EFA B3

COMEMEMORAÇÃO DO SÃO MARTINHO presunto, a broa e o mel, a bola de Sr.ª D. Emília (com que os mais velhos se deliciavam aqui há uns anos, na Taberna Século XX), bem com doces variados.

A turma do Curso EFA B3 promoveu no passado dia 13 de Novembro um convívio para comemorar o dia de São Martinho. A organização foi de inteira

responsabilidade dos formandos e incluía-se numa actividade integradora. A mesa estava recheada de petiscos. Não faltaram os rissóis, os pastéis de bacalhau, o

Com os utensílios que trouxeram de casa, o Sr. Eduardo e o Sr. António Lopes acederam as brasas e assaram febras com a ajuda da Sr.ª D. Alice e Ana Caloba. Também não faltaram as maçãs assadas, temperadas com canela e vinho do Porto. Apetite e boa disposição estiveram sempre presentes! Prof. Leonor Quintela

CARTA AO PAI NATAL São Pedro do Sul, 18 de Novembro de 2008 Querido Pai Natal: Este Natal não peço muito, só te peço o impossível. Não quero roupa, bonecas ou carrinhos, quero-o a ele. Num momento egoísta, cheguei a pensar que não quero sequer paz no mundo, só o quero a ele. Quero-o a ele e a

todos os momentos. É isso, Pai Natal, quero momentos. Quero que me "matem" mais e mais vezes, quero o amor. Quero calor nos dias de Inverno, Verão, Outono e Primavera. Não te estou a pedir o Sol velhote, estou-te a pedir que o tragas até mim (a ele, não ao Sol). Ah, se ainda couber no

teu saco, quero que me tragas força. Não preciso de levantar um planeta, preciso de conseguir não chorar, preciso de conseguir não ter saudades, preciso de conseguir de não ter vontade de te escrever estas coisas. Pai Natal. Sei que já pedi muito, mas isto é mesmo importante: quero e preciso que me faças deixar de ter esperança em

causas perdidas. Começo a odiar a esperança, começo a odiar o sonho. Faz-me deixar de sonhar ou então ensina-me a voar, não me deixes mais tempo assim. Não quero que me julgues nem que penses que estou à beira de um ataque de desespero, Nicolau, só tinha que pedir isto a alguém. Nesta época, não me lembrei de nin-

Uns com tanto… Outros com tão pouco… Não olhe só para si… Olhe também à sua volta!

guém melhor que tu, velho companheiro de noites inesquecíveis. Se a época é mágica, tu também o hás-de ser. Um grande abraço, Mariana

Mariana Madanelo nº 18, 10°B


ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

8

Mais um ano lectivo que voltou a encher a escola de sorrisos e da alegria contagiante de gente nova que revigora toda a comunidade escolar. Após umas merecidas férias, professores e alunos vão, uma vez

mais, continuar e desenvolver novos projectos, construindo o futuro e dando sentido ao verdadeiro conceito de Escola. O Clube Europeu também faz farte desta vontade

de ver “crescer” os nossos alunos e, com o entusiasmo do costume, pôs mãos à obra e deu início às actividades programadas para este período.

DIA EUROPEU DAS LÍNGUAS 26 DE SETEMBRO

A comemoração do Dia Europeu das Línguas a 26 de Setembro, tornou-se já numa actividade aguardada com alguma curiosidade. É altura de festejar a diversidade linguística, chamando a atenção sobre a importância da aprendiza-

gem das línguas, de modo a dar resposta às transformações económicas, sociais e culturais na Europa. E desta vez, foi mesmo altura de “dar à língua”! O polivalente transformou-se no Largo da Feira e toda a comunidade

escolar pode “regatear” as suas compras nas várias línguas faladas na escola: Português, Inglês Francês e Espanhol. A realização da Feira da Ladra foi, realmente, o ponto de encontro de “compradores” e “vendedores” esforçados (não esqueceremos nunca o desempenho profissional dos alunos do 12º ano de Marketing!) que muito beneficiaram do ambiente intercultural vivido naquele dia. O dia 26 de Setembro não foi, pois, um dia como outro qualquer. Os nossos alunos sentiram-se envolvidos e sensibilizados para as temáticas em causa, valorizando, especialmente, a importância das competências em Línguas numa Europa cada vez mais globalizada.

DIA DO PROFESSOR 5 DE OUTUBRO O Clube Europeu não quis deixar de comemorar o Dia Mundial do Professor. Essa comemoração teve lugar no dia 6 de Outubro e foi um dia especial. Houve um momento de convívio durante o intervalo da manhã acompanhado pelo sabor de um bom café e de um delicioso bombom de chocolate. Foi também com muito carinho que foi entregue a cada um dos professores uma pequena e simbólica lembrança. Um merecido gesto, muito simples, mas que pretendeu “mimar” todos aqueles que se dedicam à formação integral dos nossos alunos.

“FEIRA DA LADRA” – BRINCANDO COM AS LÍNGUAS Sobraram-te alguns “trocados” das férias? Se a tua resposta foi sim, na sexta-feira, dia 26 de Setembro, perdeste a oportunidade de fazer o negócio da tua vida e de contactar / aprender frases em diversas línguas.

“A Feira da Ladra foi um extraordinário evento, que teve lugar no Polivalente da Escola Secundária de São Pedro do Sul., no passado dia

26 de Setembro do corrente ano, na comemoração do Dia Europeu das Línguas e organizado pelo Clube Europeu desta Escola, com a colaboração do Departamento de Línguas. Na Feira funcionaram quatro bancas, que representavam as línguas leccionadas na Escola: Português, Francês, Inglês e Espanhol. O objectivo era, não só proporcionar aos alunos um maior contacto com outras línguas que não a materna, mas também dar oportunidade à comunidade educativa de adquirir objectos a preços sim-

bólicos, que oscilavam entre 50 cêntimos e 5€. Nas bancas estiveram expostos objectos variados: camisolas, cachecóis, calçado, malas, fios, brinquedos... Paralelamente, decorreu uma exposição sobre a origem desta feira e a sua evolução ao longo dos tempos, nos respectivos países, assim como as expressões mais utilizadas neste tipo de negócio., nas diversas línguas. Parabéns aos novos” profissionais”, os alunos do Curso Tecnológico de Marketing, que muito contribuíram para a realização e sucesso deste evento E porque alunos, professores e funcionários acabaram por se divertir e “enriquecer”, fica a motivação para a conti-

nuidade da iniciativa!” E depois de aliviado o stress na compra de tantas coisas fantásticas, esperava-nos um almoço verdadeiramente Europeu confeccionado pela nossa cantina, onde foi possível

saborear pratos de diversos países Europeus. Para o ano haverá mais… Raquel Fernandes 12º A


9

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

PROGRAMA ASSISTENTE COMENIUS – OUTUBRO A JUNHO DE 2009 perto. Em Inglês, claro!

Para além das actividades referidas que foram desenvolvidas a nível da comunidade escolar, o Clube Europeu preparou-se para receber a Assistente Comenius que começou a desenvolver o seu projecto precisamente no dia 6 de Outubro. A AYSE KÖMUR, da Tur-

quia, integrou-se facilmente na escola e fomo-nos habituando, com naturalidade, à sua presença na escola. Provavelmente até já esteve nas tuas aulas… E porque não ir às aulas de Turco? Ela estará à tua espera todas as quartas-feiras, às 16,15h, na sala B5. Vamos conhecê-la mais de

“Hello! I am Ayşe Kömür who works as a Comenius Language Assistant at your school. According to this Project, which is included in European Union educational programs, I will be with you until June. As most of you know, I am from Turkey that is often called "the cradle of civilization," as it has been home to a rich variety of tribes and nations of people since 6500 B.C. Additionally, I informed the Turkish National Agency about the things that I would like to do in the country where I might go. These were: teaching a foreign language, teaching my own language to the people who wanted to

learn, and presenting my own country, Turkey. I believe that I have tried to do all these things. I will help you, if you have anything to ask me

(ayse@essps.pt) about Comenius project, Turkey, Turkish, and other subjects.”

4º ENCONTRO DE ESCOLAS PARCEIRAS - ROMA—16 A 21 DE OUTUBRO

PROJECTO COMENIUS (ELOS PROJECT)

O projecto comunitário multicultural “Media Links in Europe” continua a dar os seus passos numa Europa cada vez mais perto. Desta vez a Itália foi o país de destino e Roma, a cidade que acolheu a nossa escola. A Coordenadora do Projecto e a professora de Inglês das turmas ELOS (8º A e B), Dra. Alcinda Mota, acompanhadas por quatro alunas das referidas turmas, levaram um bocadinho da nossa escola a terras italianas e puderam partilhar

experiências que nunca mais serão esquecidas. Os objectivos previamente definidos foram concretizados e as actividades desenvolvidas bastante enriquecedoras. - Proporcionou o conhecimento pessoal de todos os membros envolvidos no projecto, o que fortaleceu os laços inter-pessoais; - Possibilitou um trabalho de equipa efectivo, capaz de solucionar problemas e definir estratégias para uma melhor implementação do

projecto; - Tornou possível o melhoramento do inglês escrito e falado; - Reforçou a competência do uso das tecnologias de informação; - Permitiu a comparação de métodos de ensino e uma maior abertura a procedimentos inovadores. - Alargou o conhecimento sobre o panorama cultural, social e histórico da Europa através de actividades conjuntas; - Incentivou a aceitação de opiniões, línguas e culturas diferentes; - Proporcionou mais informação real e concreta sobre a Europa e vivências específicas

de países europeus. Mas vamos ouvir as nossas alunas, a Sónia Carvalho, Laurry Malainho, Cecília Cunha e Vanessa Brito pois ninguém melhor do que elas para nos relatar esta experiência e, claro, na língua de comunicação usada ao longo do encontro, o Inglês: “The meeting was amazing! We met students from France, Turkey and, of course, Italy. The Italians were very nice and told us a lot of things about Rome. Rome is such a wonderful city! It’s much more beautiful than we expected! We saw the monuments our History teacher told us about: Arch of Constantine, the Colosseum, Forum, Altar of the Nation, …. We also visited Vatican and the beautiful Sistine Chapel. We went to the famous Trevi Fountain where we threw a coin to have luck and assure that we will come back to Rome again one day. Another

funny thing was to put our hand in the Mouth of Truth but we didn’t lose it, so, according to the legend, we are not liars. All the students and teachers stayed at the same hotel, a nuns house, we spent the day together, we had dinner in the same restaurants and that was funny. We liked the food, we often ate pasta. We think Elos Project is very good. It gave us the opportunity to improve our English and be in touch with other languages and cultures, which broadened our horizons. This was a wonderful experience. We will never forget it. Boys and girls from 8A and B study a lot, have good marks. The next meeting is in Spain. Now it’s your turn!” Na verdade estamos já a preparar o encontro em Espanha, que será, com certeza, tão bom ou melhor que este último. Em Março terás mais notícias


ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

10

CLUBE DE CIÊNCIAS E DO AMBIENTE

BRINCANDO COM A CIÊNCIA Este projecto continua a dar que falar, neste período visitamos as escolas de Manhouce e de Carvalhais. Encontramos sempre nos alunos muita motivação e curiosidade para a ciência. As frases seguintes, transcritas a partir dos testemunhos escritos dos alunos, são bem ilustradoras disso. “…do que eu gostei mais foi o que a professora Marta conseguiu reproduzir um vulcão usando algodão, alguns produtos químicos. Parecia mesmo um vulcão, o

som, a luz, as cinzas…”;“ … Aula de descoberta e aventura…”; “… eu vi muitas experiências…”; “ aprendi coisas novas…”; “ … foi uma aula de alegria e vida…”; “ Este dia foi o máximo...”. Acróstico de Ciências elaborado pelo Rafael do 4º ano da E.B.1 de Manhouce Começamos pela professora de Física e Química. Inventou cores com produtos químicos. Ela também fez um vulcão. Na parte da Biologia vimos ao microscópio. Começamos por ver uma borboleta “peluda”. Inventar também é bom. Aprendemos muitas coisas. Se calhar seremos professores de Biologia.

Alunos da EB1 de Manhouce a observar ao caleidoscópio.

As responsáveis pelo projecto

DIA MUNDIAL DA CIÊNCIA Com o intuito de comemorar de forma diferente o dia Mundial da Ciência, o Clube de Ciências e do Ambiente realizou no dia 19 de Novembro actividades de construção de modelos: relógios de Sol, vulcões e fósseis de folhas e conchas. Estes modelos foram efectuados por alguns alunos dos 7º e 8º anos de escolaridade. No dia 24 de Novembro, dia Mundial da Ciência, os modelos anteriormente construídos, foram expostos no Polivalente, para poderem ver vistos por

toda a comunidade escolar. Foi possível constatar a utilidade e a eficácia dos modelos, uma vez que as demonstrações decorreram conforme o previsto. Os alunos manifestaram interesse pelas actividades

realizadas principalmente na simulação de um vulcão por ser mais apelativo. Clube de Ciências e Ambiente

SAÍDA DE CAMPO AO LENTEIRO No dia 5 de Novembro, pelas 14.30 horas, o Clube de Ciências e do Ambiente promoveu uma saída de campo ao Lenteiro do Rio, destinada a alunos dos 7º e 8º anos de escolaridade. Os cerca de vinte alunos e professores do Clube saíram da Escola, a pé, e uma vez chegados ao Lenteiro do Rio recolheram folhas de várias cores, tamanhos e tipos. Está-

vamos todos entusiasmados, não só pelo colorido da paisagem, mas também pelo ar puro que nos foi proporcionado durante o trajecto e, claro, pelo convívio. De regresso à

Escola e já no Laboratório de Biologia, as folhas foram devidamente guardadas, para posterior tratamento, de forma a organizar pelos alunos colecções e trabalhos vários

(molduras, agendas, cadernos de apontamentos ou o que a imaginação ditar), numa próxima actividade. Está atento!!!


11

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

À CONVERSA COM A DRA. ALINE MAIA escapam os sampedrenses. “Não necessitam de ir aos ginásios, mas apenas de praticar actividade física. Porém, nem caminham sequer. Vêem tv, sentam-se ao computador e até o lixo levam de carro”. No entanto, a resistência à actividade física é, na opinião daquela técnica, mais notória nos locais mais rurais do concelho, que se recusam a fazer caminhadas porque os “chamam de loucos”, do que propriamente na sede. O recurso a comida rápida (fast food) não foi considerado um problema, em si, mas sim o recurso a junk food (comida de “lixo”), uma vez que comida rápida não é sinónimo de má alimentação (uma sopa, por exemplo, é comida rápida). Porém, nestes meios, as pessoas referem-se a “comida rápida” quando falam de fritos (rissóis, bolos de bacalhau, etc.), esses sim, bastante nocivos se não forem comidos com moderação. E defendeu que o tempo é uma “desculpa”, pois toma-nos mais tempo confeccionar aquele tipo de comida e limpar a seguir toda a sujidade decorrente, do que preparar alimentos de uma forma mais saudável. Com uma visão pouco fundamentalista da nutrição e do nutricionismo, a Dra. Aline diznos que é importante mudar hábitos alimentares, mas tem a consciência que é uma tarefa muito difícil: “os hábitos levam muito tempo a formar e devem começar desde cedo, em criança e na adolescência”(…) às vezes é preferível tentarmos mudar uma pequenina coisa, como deixar de comer pão às refeições, do que querermos

 

No âmbito da Área de Projecto do 12ºC, a propósito do projecto Hábitos Saudáveis, realizámos uma entrevista com a Dra. Aline Maia, nutricionista do Centro de Saúde de S. Pedro do Sul. Para além de registarmos este momento como uma ocasião de interacção muito agradável, em virtude da simpatia e amabilidade da nossa entrevistada, salientamos a entrevista como uma oportunidade excepcional de enriquecimento científico. Os nossos objectivos incidiram, fundamentalmente, no comportamento alimentar da população do nosso concelho, que procura a consulta de nutrição do Centro de Saúde de S. Pedro do Sul. Assim, junto desta técnica, procurámos saber quais os motivos que levam as pessoas à consulta de nutrição, identificar um perfil de utente da consulta, bem como os principais erros alimentares e as maiores dificuldades sentidas, na tentativa de mudança dos hábitos alimentares enraizados e pouco saudáveis. Começando por realçar que havia poucas diferenças entre os erros alimentares das pessoas de S. Pedro do Sul, meio mais interior e rural e das pessoas do Porto, onde trabalhou anteriormente, a Dra Aline apontou o não fraccionamento das refeições como o problema principal. Com efeito, as pessoas optam por fazer menos refeições e mais abundantes, como se “quisessem poupar tempo”. Referiu-se, ainda, ao sedentarismo como uma dificuldade do mundo actual, ao qual não

que as pessoas comecem a comer sopa sem gostarem, pois elas não o vão fazer”. (…) “temos que respeitar os hábitos alimentares de cada um e tentar fazer ajustamentos”. Foi desta forma que justificou os êxitos da consulta de nutricionismo e referiu, ainda, que a consulta do Centro de Saúde de S. Pedro do Sul tem poucas desistências e tem aumentado, exponencialmente, desde 2005. Lamentando que a maioria das pessoas procura ajuda e aconselhamento quando já tem repercussões graves, na saúde, dos erros alimentares (diabetes, colestrol elevado, tensão alta, problemas renais, dificuldade de locomoção...), fez o contraponto com alguns (ainda que poucos) sampedrenses que vão à consulta para “aprender a comer melhor”, o que “é muito gratificante”. Constatou, também, uma maior percentagem de inscrições no género feminino, mas mais empenhamento dos homens e justificou-o porque as mulheres vão mais por razões extrínsecas (pressões sociais de natureza estética, por exemplo), enquanto os homens quando vão é porque “realmente estão interessados em modificar, por eles próprios e não pelos outros”. Afastou um pouco a ideia de que os jovens são os que cometem mais erros, assim como referiu não haver grande associação entre nível de escolaridade e comportamento alimentar (“há de tudo! Não chega estar informado”).

Como conselhos finais, a Dra. Aline Maia disse-nos que não se pediam grandes coisas à população de S. Pedro do Sul e que se fossem retomados alguns hábitos antigos, dos nossos avós, que tinham uma alimentação mais saudável, mesmo sem saberem porquê, já era muito bom. E exemplificou com “comiam fruta associada ao pão” e “comiam carne de porco e presunto em dia de festa e não com a frequência com que hoje o fazemos”. Também nos descansou, dizendo que não havia incompatibilidade entre promover a nossa gastronomia da região de Lafões e hábitos alimentares saudáveis. Com efeito, esta região é, predominantemente, rural e a terra dá-nos produtos bons, saudáveis e escolhe os momentos de acordo com as nossas necessidades. É por isso que o tempo da castanha é no Inverno, quando necessitamos de alimentos mais energéticos, para aquecermos. Quanto à gastronomia regional, basta reduzirmos um pouco as gorduras e os açúcares, enfim… fazermos algumas adaptações. Por exemplo, os doces de Natal podem fazer-se com menos açúcar e as rabanadas feitas no forno, “já há muita gente que se habituou e o faz!”. Aliás, o conselho desta nutricionista foi de que podemos substituir grande parte dos fritos pelo forno, ou então substituir a gordura (“azeite em vez de óleo, por exemplo”), assim como podemos usar ervas aromáticas (“e nesta região há tanta variedade!”) em vez do sal. “Hoje em dia as pessoas

DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO No dia 16 de Outubro comemorou-se o Dia Mundial da Alimentação. Dada a complexidade dos alimentos, o Clube de Ciências e Ambiente resolveu fazer uma actividade diferente. Foi dada a oportunidade aos alunos de identificarem nutrientes em alguns alimentos de con-

sumo diário. Sendo a água um dos elementos fundamentais da alimentação, fez-se também a análise dos iões presentes em diferentes amostras de água (recolhidas em poços, rio, …). Os alunos concluíram que a água do poço continha fosfatos e nitratos em quantidades supe-

riores às admissíveis, o que se deve à utilização indiscriminada de adubos na agricultura. Em simultâneo foram apresentados power-point inovadores e que cativaram os presentes. Clube de Ciências e Ambiente

não cozinham, compram tudo já feito. No fundo, é dedicar mais tempo à alimentação e com amor. Temos que entender a alimentação e a saúde como uma paixão e temos que apaixonar as pessoas por esta causa, porque quando se faz alguma coisa com paixão, arranja-se sempre tempo”. Alertou-nos, ainda, para o facto de que não devemos ter vergonha de assumir alguns comportamentos em favor da nossa saúde. É que, “muitas vezes preferimos ir comer a um restaurante ou a um café, coisas menos saudáveis, do que comer em casa, ou trazer o lanche, pois esta última opção parece mal, é sinal que temos pouco dinheiro…” A Dra. Aline deixou-nos um apontamento de esperança relativamente aos utentes do Centro de Saúde de S. Pedro do Sul, pois referiu que a percentagem de abandono das suas consultas (já com listas de espera de um mês!) era muito reduzida e as pessoas só o faziam quando não tinham nenhuma força de vontade e não conseguiam resultados alguns. Não obstante o conforto que nos possam oferecer estes dados, sabemos que muito há a fazer e queremos, enquanto jovens, contribuir para a educação e mudança de atitudes e hábitos saudáveis, numa região onde os problemas dos meios urbanos se começam a sentir. O nosso projecto nasceu com essa finalidade. Quanto à entrevista com a Dra. Aline, muito ficou por dizer da conversa tão rica que estabelecemos, mas prometemos ir dando a conhecer o que aprendemos e queremos partilhar com toda a comunidade escolar, no blog também criado no âmbito do nosso p r o j e c t o (http:\\trilhosactivos.blogs.sap o.pt). O grupo de trabalho do 12º C António Júnior Nº 1 Ivan Martins Nº 7 Margarida Mouro Nº 9 Sérgio Gonçalves Nº 14


ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

12

CURSO TECNOLÓGICO DE MARKETING TÉCNICAS DE VENDAS

FEIRA DA LADRA – BRINCANDO COM AS LÍNGUAS A Feira da Ladra teve lugar no Polivalente da Escola Secundária de São Pedro do Sul, no dia 26 de Setembro do corrente ano lectivo Dia Europeu das Línguas –, tendo sido organizada pelo Clube Europeu da Escola.

dia 25 de Setembro de 2008 - inventariação e atribuição de preços, através da etiquetação do material anteriormente seleccionado por categorias e subcategorias.

A turma 12º E do Curso Tecnológico de Marketing foi convidada a colaborar neste evento, através de actividades que fossem ao encontro dos conteúdos leccionado referentes à satisfação dos clientes e aplicação de técnicas de vendas, entre as quais se destacaram:

dia 26 de Setembro de 2008 – participação dos alunos como vendedores/ negociadores, distribuídos por cinco stands de vendas à disposição dos “clientes”, de acordo com as línguas leccionadas (Português, Espanhol, Inglês, Francês, Alemão) na Escola Secundária de São Pedro do Sul.

dia 19 de Setembro de 2008 - selecção do material anteriormente recolhido por categorias e subcategorias.

É de salientar que durante o período de negociação, a turma foi confrontada com diversas

situações de eventuais defeitos de qualidade nos artigos expostos. Estas situações foram resolvidas de imediato em consonância com o perfil do cliente em causa, e em prol de uma negociação ‘ganho-eu/ ganhas-tu’, tendo em vista a satisfação de ambas as partes. Ocorreram algumas devoluções de artigos com

defeito por parte dos clientes, que foram prontamente resolvidas pelo “pós-venda” dos jovens vendedores. Em suma, na perspectiva da turma do Curso Tecnológico de Marketing esta actividade teve uma grande relevância no que diz respeito à relação entre vendedorcomprador, permitindo por em prática os conhecimentos

adquiridos na área de Marketing e Vendas, que preconizam a satisfação do cliente em relação ao atendimento e aos produtos. Prof. Teresa Amado

CONCURSO PRESÉPIOS DE NATAL

EXPOSIÇÃO NO POLIVALENTE

A exposição decorrente da actividade Concurso Presépios de Natal realizou-se de 15 a 18 de Dezembro na nossa Escola. Os trabalhos expostos foram construídos com diversos materiais, tendo havido uma boa adesão a esta iniciativa por parte da comunidade educativa. Os trabalhos, colectivos e individuais, serão avaliados

por um júri, sendo atribuídos prémios aos três primeiros classificados e certificados de participação a todos os participantes. A actividade foi organizada e implementada pelo Clube Europeu e pelas docentes da disciplina de Área de Projecto do 7ºano. Prof. Helena Silva


13

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

FEIRA DE OUTONO

UMA INICIATIVA A REPETIR

A Escola Secundária de S. Pedro do Sul promoveu a realização da actividade cultural denominada “Feira de Outono”, que decorreu no dia onze de Novembro. Trata-se de uma iniciativa organizada pelo Departamento de Expressões, no âmbito do plano anual de actividades 2008/2009. O objectivo fundamental desta actividade consistiu em divulgar as potencialidades e características das várias freguesias do concelho, promovendo

os produtos característicos, artesanato e tradições. A implementação desta iniciativa cultural motivou a participação dos alunos e a sua organização por freguesia, gerando significativa adesão e envolvimento. Construíram-se várias barraquinhas em madeira para exposição e venda dos produtos e objectos de decoração oriundos das freguesias. As barraquinhas estavam bem decoradas tinham muitos produtos e objectos variados,

tendo muitos deles sido vendidos. Havia legumes, fruta, doçaria, mel, bolos, enchidos, nozes …e artesanato. Paralelamente, decorreram jogos tradicionais, disputados pela comunidade escolar, e foi projectado o filme “Névoa no Vale”, de Victor Salvador, sobre a aldeia de Covas do Monte. Ouviram-se os sons característicos dos ambientes rurais, recolhidos em várias aldeias pela Associação Binaural de Nodar, música tradicional da região e brincou-se ao jogo da corda. Estiveram representadas as seguintes freguesias do concelho de São Pedro do Sul: Valadares, Carvalhais, Covas do Rio, Figueiredo de Alva, São Cristóvão de Lafões, São Martinho das Moitas, Várzea, Bordonhos, Serrazes, Baiões, Vila Maior, Sul, Pinho, Manhouce, S. Félix, Pindelo dos Milagres e São Pedro do Sul. Além das várias freguesias, estiveram ainda presentes a ASSOL e o projecto Criar Raízes. A Câmara Municipal e as Juntas de Freguesia de S. Pedro do Sul, Várzea, Vila Maior, Carvalhais, Bordonhos, Pindelo dos Milagres, Valadares, S. Martinho das Moitas, Covas do Rio e S. Cristóvão de Lafões apoiaram, financeiramente, a realização desta iniciativa. Além da comunidade escolar, visitaram a feira alguns pais, avós e outros membros da comunidade local. A feira de Outono foi um sucesso, superando as nossas expectativas. O dia teve muita agitação, animação e cor… Foi visível o entusiasmo dos compradores e outros participantes, motivando a organização a reeditar este evento no próximo ano. Ekaterina Malginova 11º D


ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

14

O CLUBE DE MONTANHISMO E AR LIVRE

O Clube de Montanhismo e Ar Livre da nossa Escola, este ano lectivo, reiniciou as suas actividades com a realização de uma caminhada no dia 25 de Outubro de 2008, em Estarreja, no “Percurso de Salreu”. Este percurso atravessa áreas designadas por sapal ou paul (terrenos alagadiços), bem como terrenos de cultivo, essencialmente arrozais. É um percurso circular, com aproximadamente 8,5 Km totalmente plano. Pudemos observar uma grande biodiversidade de fauna, tais como: guarda-rios ou pica-peixe, gaivota, garçabranca, perna-longa, cegonhabranca e uma das maiores colónias, de Portugal, de gar-

ça-vermelha. Vimos, ainda, num dos canais da Ria - “Haffdelta de Aveiro” - uma verdadeira “maternidade” de peixes, a qual nos permite constatar que em alguns locais ainda existem óptimas condições de reprodução. No passado dia 22 de Novembro, o clube realizou a

nossa segunda marcha. Deslocámo-nos a Sernancelhe e percorremos a “Rota da Castanha e do Castanheiro”. Á ida fizemos uma pequena paragem na Lapa, para visitarmos o Santuário da Nossa Senhora da Lapa (séc. XVII), tendo ficado admiradas com a beleza e invulgaridade do Santuário, pois foi construído em redor de uma gruta. Atravessámos a gruta, seguindo a lenda, com o intuito de ver o quanto éramos pecadoras. Nas imediações da vila de Sernancelhe, iniciámos a caminhada que consta de um percurso circular com cerca de 13 Km de extensão, grande parte ladeado por grandes soutos, de onde brota uma paisagem magnífica, com recantos marcados por trilhos exuberantes envoltos de castanheiros centenários e milenários. Deliciamo-nos não só com

a paisagem natural, mas também com os edifícios históricos que envolvem o percurso, como por exemplo a aldeia do Mosteiro da Ribeira (que foi propriedade do bisavô do nosso caro colega Paulo Quintela), a Igreja do Convento da Ribeira (sé. XV) e o Santuário de Nossa Senhora de ao Pé da Cruz (séc. XVIII), do qual podemos ter uma bela vista panorâmica sobre a vila de Sernancelhe, assim como da Barragem de Vilar. O almoço foi uma maravilhosa Tibornada de Bacalhau, no restaurante “Casa do Avô”, que outrora foi uma casa rural, cuja decoração e serviço nos transporta para um ambiente tipicamente rústico, vindo a sopa numa panela de ferro de três pés e o pão servido em pequenas peneiras.

Como o tempo escasseava, visitámos o centro histórico de Sernancelhe de autocarro. Podemos ver uma igreja românica (séc. XII), um pelourinho e o Solar do Carvalho (antiga residência do Marquês de Pombal). Aproveitamos ainda para lançar um convite a todos os que gostam deste tipo de actividades a participar na próxima caminhada que se realizará no dia 13 de Dezembro, na Serra do Caramulo, em Vouzela. Caso não possam participar nesta, muitas outras se irão realizar no próximo ano (a partir de Janeiro).

mas curiosidades, como por exemplo a quantidade de sangue colhida, por pessoa (450ml + 30ml, para análise), o tipo de sangue colhido (sangue venoso), etc. Obrigada a todos os participantes neste acto de solidariedade e generosidade e não se

esqueçam que “o nosso sangue tem glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e a hipótese de salvar vidas”!!!

Ana Bela Nery Lina Martins Luzia Silva

DÁDIVA DE SANGUE

Na manhã do dia doze de Dezembro decorreu, na Biblioteca da nossa escola, uma colheita de sangue, pelo Instituto Português do Sangue – Centro Regional de Coimbra. A equipa de colheita era consti-

tuída por um médico, dois enfermeiros, um administrativo, uma auxiliar de acção médica e um motorista. Esta actividade faz parte do plano anual de actividades do projecto de Promoção e Edu-

cação para a Saúde. Durante a manhã inscreveram-se quarenta e quatro pessoas, mas infelizmente, por indisponibilidade da equipa de recolha, apenas vinte e nove doaram sangue. Dos participantes na colheita muitos fazem parte da comunidade escolar, entre eles alguns corajosos alunos que doaram sangue pela primeira vez. Na dádiva de sangue podiam participar pessoas entre os dezoito e os sessenta e cinco anos, com mais de cinquenta quilos, que apresentem hábitos e comportamentos de vida saudáveis. Perto do final das colheitas foi dada autorização a algumas alunas, do nono ano, turma D, para assistirem ao processo e poderem tirar algumas dúvidas, bem como tomar conhecimento de algu-

Prof. Lina Martins Coordenadora do PES

www.paginadoze.net Paginadoze Sol. Informáticas 2003 - 2007 paginadoze@gmail.com Aberto à hora de almoço


15

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

VISITA DE ESTUDO AO MOSTEIRO DA BATALHA E GRUTAS DE MIRA D’AIRE

No dia 7 de Novembro, lá fomos nós, para uma nova aventura. Fomos acompanhados pelos professores: Gabriela, Lina, Adelina, Teresa Mêna, Paulo Lopes e Luzia. A nossa aventura começou logo de manhã, quando os dois autocarros nos vieram buscar à escola. Lá fomos nós em direcção à zona de Leiria! Uma hora e tal depois, chegámos ao convento de Santa Maria da Vitória, mais conhecido por mosteiro da Batalha, (que desde 1983, foi incluído na lista do

Património Mundial da UNESCO). Quando chegámos lá ficámos admirados com a beleza e com o tamanho do edifício e com as suas portas e janelas muito trabalhadas. As abóbadas eram muito bonitas e as gárgulas faziam-nos lembrar Notre-Dame. Os estilos gótico e manuelino são os predominantes. No interior encontramse os túmulos do D. João I, da sua esposa Filipa de Lencastre e alguns dos seus filhos. Fomos também à Sala do Capítulo, onde se encontra o Túmulo do

Soldado Desconhecido, vigiado por verdadeiros soldados. Passeamos pelos jardins dos Claustros, onde vimos uma fonte e, visitamos o interior das Capelas Imperfeitas que por estarem inacabadas estão muito danificadas, mas são muito bonitas com todo o pormenor (folhas, caracóis, esferas armilares, brasões, etc.). Vimos que o Mosteiro, construído em calcário, estava bastante alterado na cor e com alguma degradação típica da rocha calcária, resultante da polui-

ção, mas é lindíssimo. Quando saímos do Mosteiro fomos directamente para as grutas de Mira D’Aire que se situam na serra de Aires e Candeeiros, bem no coração do Maciço Calcário estremenho. Pelo caminho pudemos observar aspectos característicos das paisagens cársicas, como por exemplo terra rossa, campos de lapiás e algáres. Em Mira D’Aire, às 13 horas e pouco, parámos! Pegámos nos farnéis e fomos almoçar. Parecíamos uns esfomeados a comer e algumas professoras (da nossa turma) pareciam umas pedintes a petiscar da nossa comidinha (sem ofensa, ah! ah!). No fim de almoçar arrumamos as coisinhas e vimos que perto da entrada da gruta, existiam animais (porcos, burros), um algar e um relógio de Sol. Ás duas horas e pouco, estávamos a entrar para a gruta. As Grutas foram descobertas em 1947. . A sua formação remonta a 150 milhões de anos atrás, ao Jurássico Médio, quando os dinossauros povoavam esta região. No seu interior for-

mam-se, na rocha calcária, estalactites e estalagmites que se podem unir formando colunas. Descemos até uma profundidade de 180 metros. A maior parte das estalactites crescem um centímetro e as estalagmites 1 milímetro por século. No interior da Terra há calor, muita humidade e correm rios subterrâneos. As grutas possuem um sistema de iluminação e som próprio ao ambiente em que se inserem. No lago final, onde pudemos ver um grande espectáculo de água, luz e som, encontrava-se a “1ª Exposição de Mineralogia nas Entranhas da Serra D’Aire” - “Espuma da Terra” onde observamos minerais provenientes de vários locais do nosso planeta. Subimos então de elevador até à superfície. Saímos do espaço das grutas e fomos para o autocarro e lá começámos nós a viagem de regresso, após mais um dia de aprendizagem no terreno! Sara Almeida, 8ºD

VISITA DE ESTUDO

AO MOSTEIRO DA BATALHA E ÀS GRUTAS DE MIRA D’AIRE

No dia 7 de Novembro, os alunos dos 8.º anos (excepto o 8.ºC) e alguns dos seus professores acordaram com a feliz expectativa de irem viver um dia diferente. A visita de estudo tinha como destino o Mosteiro da Batalha e Grutas de Mira d’Aire. Chegados à Batalha, dividimo-nos em vários grupos. Começamos por visitar o túmulo de Dom João I na Capela do Fundador. Trata-se de uma construção situada à direita do templo, encostada ao flanco exterior da nave sul, por onde se faz a entrada. Possui planta quadrada, na qual se inscreve ao centro um octógono. É um espaço interessante com vários rendilhados e brasões adornado com uma cúpula lindíssima sobre o túmulo. A luz surge dos janelões da fachada. Depois fomos visitar o templo. Possui uma arquitectura em planta de cruz latina. A igreja revela o estilo gótico

português. Trata-se de um templo com 3 magníficas naves, enormes pilares, abóbadas e vitrais. Fomos então conhecer a Sala do Capítulo onde se localiza o túmulo do soldado desconhecido. É o nome que recebem os locais escolhidos pelas nações para honrar os soldados que morreram em tempo de guerra sem que os seus corpos tenham sido identificados. É uma sala quadrada com uma abóbada que vence um enorme vão. A face exterior desta sala dá para a galeria do claustro. Demos uma volta ao claustro, constituído de galerias cobertas por abóbadas de cruzaria de ogivas apoiadas em pilares, dando para um jardim com um chafariz ao meio. Saímos do claustro em direcção ao Panteão Dom Duarte, mais conhecido como as capelas imperfeitas, diria

inacabadas. Trata-se de um edifício com um corpo central octogonal, à volta do qual se dispunham sete capelas. As capelas existentes abrem-se para o recinto através de grandes arcos ogivais. Fomos então ver os alçados do mosteiro, principalmente na forma dos arcos, matéria da disciplina de Educação Visual. Vimos os arcos ogivais e contracurvados e seus vitrais. Vimos várias janelas e portas com decoração rendilhada. Vale a pena realçar a forma como as paredes (ou até os contrafortes) se animam através do jogo de claro-escuro de frisos e os proporcionados pináculos. É pena que o monumento esteja em tão grande deterioração devido à erosão, agravada pelo tráfego da estrada que passa praticamente a escassos metros. Vale a pena ver o Mosteiro da Batalha no site: www.360portugal.com/ Distritos.QTVR/Leiria.VR/ Patrimonio/Batalha/ Depois de nos extasiarmos com uma maravilha realizada pelas mãos do homem, fomos admirar outra obra de arte, cujo talento se deve unicamente à Natureza. Antes do início da visita, programada para às 14:30 horas, fomos almoçar. A gruta apresenta várias galerias ligadas por corredores

e enormes escadarias em forma de espiral. A uma profundidade incrível, fomos admirando as formas das estalactites e das estalagmites e um jogo de luzes de várias cores que faziam um belo conjunto escultural. No final, já a 300 metros de profundidade num espaço fantástico de um lago com vários repuxos, fomos ver uma exposição intitulada “Espuma da terra”. Era uma exposição de mineralogia da Serra D’Aire. Por último, subimos num elevador e chegamos ao fim da visita, não sem antes passar-

mos por um espaço comercial, onde podemos comprar pequenas lembranças. Chegamos a São Pedro do Sul com a satisfação de ter vivido um dia diferente, com a convicção de que é possível unir o lazer e a cultura, o convívio e a aprendizagem. Professor Paulo Lopes


ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

16

GRUPO DISCIPLINAR DE ESPANHOL

COSTUMBRES NAVIDEÑAS DE AMÉRICA LATINA

Sabias que en… … Argentina se hacen reuniones entre familiares y amigos

en la noche del 24. Se cena y a las 12 de la noche van al arbolito (adornado con bolas, cintas, muñecos de papá Noel y un pesebre) a abrir los regalitos. Por lo general toda la familia está reunida, incluyendo tíos, primos, abuelos. …Bolivia al final de la Misa del Gallo se saca al Niño en procesión para que se de un paseo por las calles de Sucre. En casa todos bailan villancicos al pie de los pesebres para alegrar al Niño hasta el amanecer. Los villancicos son interpretados con instrumentos tradicionales. … Chile se llama “viejito pascuero” a Papa Noel. … Colombia los niños hacen una carta para el "Niño Dios",

volcancitos, saltapericos, tronadores, morteros, estrellitas y otros miles de tipos de fuegos artificiales. … Honduras las familias hacen comidas tradicionales: pavo o pollo relleno al horno, pierna de cerdo al horno, nacatamales, ( base de maíz, rellenos de carne de cerdo o de pollo). Como bebida se sirve el rompopo (aguardiente, leche y huevos). Y como postre, las torrejas (hechas con pan de yema de huevo, fritas en aceite). … México un elemento fundamental de Navidad es la piñata (representa el pecado y es colorida y bonita. A la piñata hay que pegarle con un palo que significa la fuerza que Dios nos da en su evangelio para luchar contra el pecado, la persona que le pega a la piñata tiene los ojos vendados y por lo tanto debe adivinar dónde está la piñata, lo cual significa que en el mundo vamos a "ciegas" contra el pecado. Al momento que se rompe la piñata, caen dulces y frutas que están dentro de ella, simbolizan-

do los premios y bendiciones que Dios nos da al vencer el pecado.) … Panamá la tradición es cenar a las 12 de la noche con comidas como el pavo, jamón, tamales, ensaladas de papas, rosca de huevo y frutas. … Paraguay la flor típica utilizada para perfumar el pesebre es la flor del cocotero, que tiene una fragancia muy dulce. … Perú la tranquilidad que reina el 25 por la mañana, cuando las calles están desiertas porque todos duermen, es interrumpida por los niños que hacen escándalo con sus juguetes nuevos. El desayuno para los que están despiertos consta de chocolate caliente con panetón. … Venezuela se suele resumir "Feliz Navidad y Prospero Año Nuevo" con el modismo FELISAÑO (Feliz Año). Es la frase que acompaña al abrazo que nos damos entre los últimos segundos del año y los primeros instantes del que le sigue.

hoy no lo habían traído, que podía ser que le faltase un poquito más de cocción, que es muy difícil darle el punto… Otro día que nos reímos mucho fue el último día. Teníamos una cena de gala y todos habíamos llevado nuestro traje y nuestra corbata pero Guillermo, que es el ser más presumido que conozco, consideró que si la cena era de gala, lo mínimo que podía ponerse era un esmoquin. Habíamos quedado con nuestra guía a las siete y media en la recepción del hotel y allí estábamos todos puntuales, bueno, todos menos Guillermo que tardó un poco más por los gemelos, el fajín, la pajarita, la gomina,… Bueno pues imagínense la escena: se abre la puerta del ascensor y aparece Guillermo de punta en blanco, alguien dice “ ¡ooooh!” para tomarle un poco el pelo. Después de tantos “ ¡ooooh!”, se oye la voz de Filipa que dice “¡Estás un espanto!”. Ya se pueden imaginar la carcajada general y el color de la cara de Guillermo, que tanto tiempo había empleado en ponerse guapo. Al ver nuestra reacción Filipa intentó explicarse de mil y una formas, pues ya era demasiado tarde y el infeliz del Guillermo tuvo que soportarnos toda la noche cuando nos acercábamos y le decíamos “Estás un espanto”. Desde aquel día, todos lo llamamos “Guillermo el Espantoso”. Hubo otras muchas anéc-

dotas simpáticas durante los cuatro días que estuvimos en Lisboa y todas ellas relacionadas con aquel idioma extraño que hablaba nuestra guía: el portuñol. Aunque, todo hay

que decirlo, la chica tenía una pronunciación excelente.

MI VIAJE EN PORTUÑOL Aquí puedes conocer algunas situaciones divertidísimas provocadas por el uso del “portuñol”. ¡Lee y diviértete! ¿Qué fue lo mejor del viaje? Nuestra guía turística, Filipa, sin duda. ¿Por qué? Pues porque ella fue la causante de una sucesión del mal entendidos increíbles y divertidísimos. Todo empezó cuando llegamos al aeropuerto de Lisboa. Mi amigo Eduardo le pidió que le indicase un sitio para llamar por teléfono y ella le contestó “Ahora ligas en el hotel, que es más fácil”. El pobre de Eduardo se quedó tan sorprendido que ni siquiera abrió la boca para pedir una explicación, se giró hacia mí y me preguntó sonriente “ ¿será tan fácil ligar en Portugal?”. Llegamos al hotel entusiasmados. Imagínense ustedes a un grupo de 14 amigos estudiantes de 4º de carrera, todos ellos chicos solteros, a los que se les dice que van a un hotel en el que es fácil ligar ¡Qué desilusión cuando nos enteramos que ligar era solo llamar por teléfono! Eduardo no se resignó, y ni corto ni perezoso, decidió que si no había chicas en el hotel, entonces invitaría a cenar a la mismísima Filipa. Y así lo hizo, pero… ¿saben qué respuesta obtuvo? “No sé…, no sé qué decirte…, estoy embarazada”. Ante semejante panorama,

Eduardo le dijo que entonces ya cenarían juntos en otra ocasión mejor. Al día siguiente, teníamos una cena en un restaurante muy bueno que hay cerca del Acuario Vasco da Gama, en Algés. Mientras estábamos de camino, en el microbús, Filipa cogió el micrófono e iba indicándonos algunos sitios de interés turístico y nos contaba cosas muy interesantes. Cuando ya estábamos casi llegando, nos dice “Bueno, pueden ir recogiendo sus cosas porque ahora vamos a probar un buen polvo portugués”. Se hizo un silencio sepulcral y todo el mundo se quedó paralizado. Enseguida llegaron las sonrisas cómplices y nerviosas y los comentarios salidos de tono, pero… ¡Qué desilusión otra vez! Al final, el buen polvo era tan solo un triste pulpo. Aunque la verdad es que estaba muy rico y así se lo dijo Juan a nuestra guía cuando ella le preguntó si le había gustado la cena: “El pulpo estaba exquisito”, dijo. Por lo visto, no podía haber elegido peor la palabras porque aquella parecía muy decepcionada y se deshizo en disculpas explicando que otras veces estaba más rico, que solían acompañarlo de limón y

HORIZONTALES: 2- Sentimiento que debe prevalecer en la Navidad. 3- Adorno tradicional que se arma en cada casa para las Fiestas. 5- Bebida "del diablo" que se toma en los países centroamericanos para estas celebraciones. 7- ¿Qué se celebra en Navidad? 9- Los tres personajes que llegaron a ver a Jesús, guiados por la estrella. 10- Refugio en el que nació.

Texto: Amara Castro

VERTICALES: 1- Gente que cuidaba el ganado y fueron a saludar al Niño que nació en Belén. 4- Un tipo de golosinas de las varias que se consumen en las Fiestas. 6- Unas de las frutas secas que se consumen en las Fiestas. 8- Atributos de los Reyes. 10- Lo esencial que debe primar en el mundo y que se desea en las Fiestas.

Solución: Horizontales: 2- AMOR, 3-ÁRBOL, 5-PONCHE, 7NACIMIENTO, 9- REYES, 10-PESEBRE; Verticales: 1- PASTORES, 4CONFITES, 6-NUECES, 8-MAGOS, 10- PAZ.

Costumbres Navideñas de América Latina En todo el mundo latino no hay una tradición más universal y que nos unifique e identifique tanto como la celebración anual de las festividades de Navidad. Su sola mención trae emociones, excitación y alegría en los niños, días de fiesta y buenos ratos en los jóvenes, así como gratas añoranzas y la esperanza del reencuentro con familiares desplazados o amigos de siempre en los mayores. Aquí tienes algunas curiosidades de los países hispanohablantes.

donde le escriben los regalos que quieren recibir. Esta se pone en el Pesebre (o el Belén), del cual desaparece, porque el Niño Dios se la lleva. …Costa Rica se hace el pesebre con sus pastores, ovejas, riachuelos, fuentes, San José, La Virgen María, el buey y la mula, así como los Reyes Magos en su procesión hasta el Portal de Belén. El Niño Dios solo es colocado el día 24 a medianoche. …Ecuador el 15 de Diciembre empieza la novena. Eso se hace con la familia, pero algunas iglesias tienen la costumbre de pedir las casas prestadas. Entonces va todo el barrio a rezar en una casa y allí se canta, se dedican poemas por la venida del Niño Jesús, se prende incienso y se toma chocolate con galletas. Hasta el 24 se hace esto. … Guatemala en el 7 de diciembre se realiza la “Quema del Diablo” haciendo una hoguera con ramas, hojas y otros materiales. Se acostumbra quemar cohetes, silbadores,


17

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

UMA AVENTURA NO PORTO

No dia 13 de Novembro, aproveitando a boleia do 9ºF, na companhia das professoras Lina e Adelina, fomos visitar alguns locais interessantes da cidade do Porto. Pedimos ao sr. motorista

que nos deixasse na Casa da Música, que fica junto à Rotunda da Boavista. Como não tínhamos tempo para uma visita guiada, decidimos entrar e conhecê-la, por nós mesmos. Descobrimos desta forma que é um edifício inovador, quer nos materiais utilizados, quer a nível da arquitectura. No meio da correria, que foi esta visita, conseguimos ver as várias salas existentes e uma orquestra a ensaiar. Quem gostou muito foi o nosso colega Daniel, pois quer ser músico. Depois fomos a pé para a Fundação de Serralves, onde tínhamos marcada uma oficina denominada “Esculturas no Parque”. Tinham-nos dito que era próximo da Casa da Música, mas afinal era bem longe: mais de meia hora a caminhar (quase

correr) para lá chegar. Quando lá chegámos ia-mos tão cansados que o monitor da oficina, para que nos pudéssemos recompor, decidiu mostrar-nos a exposição temporária lá existente: “Juan Muñoz, uma retrospectiva”. No exterior do Museu pudemos observar algumas das esculturas existentes nos jardins da Fundação. Estivemos parados junto de duas esculturas, enquanto o monitor explicava o seu significado e contexto. Na oficina, sentados de frente para o jardim e para a Casa de Serralves, o monitor ensinou-nos a desenhar, em perspectiva, a área envolvente. Por último, cada um de nós teve de modelar em plasticina uma escultura, a seu gosto, para “colocar” no jardim da Casa, que depois de feita foi fotografada no contexto da Casa e do jardim. Foi uma manhã muito cansativa, mas divertida e aprendemos bastante. Quando saímos, o sr. motorista estava à nossa espera para nos levar para o Palácio da Bolsa. Fomos pela estrada paralela ao Rio Douro, passando pela zona da Ribeira. No Palácio da Bolsa, que demorou 68 anos para ser construído, pois toda a sua estrutura é em granito trabalhado, podemos admirar os vários estilos arquitectónicos existentes no edifício. Uma das salas destacadas pela guia foi o Salão Árabe, o qual demorou 18 anos para ser construído, tendo aproximadamente 18 kg de folha de ouro. Ainda hoje aquelas salas

podem ser utilizadas para eventos culturais. Podemos também ver, na escadaria, dois candeeiros com 1500kg cada um. Quando saímos, subimos uma grande escadaria até à zona histórica, onde vimos a Torre dos Clérigos e a livraria Lello. Que bonita que é… para nós a mais bela do Mundo. Ao descermos, para apanhar o autocarro, passámos pela Câmara Municipal do Porto e

pela estação de São Bento. De regresso ainda tivemos o “prazer” de passar junto ao Estádio do Dragão. Gostaríamos de agradecer aos professores João Oliveira e Roberto Sousa, a boleia que nos permitiu esta fantástica aventura na Cidade Invicta. Os alunos do 9ºE – PCA

VISITA DE ESTUDO DO 9ºE À GRÁFICA MODERNA

No dia 24 de Novembro de 2008 a turma do 9ºE realizou uma visita de estudo a uma tipografia de São Pedro de Sul – Gráfica Moderna, no âmbito da disciplina de Oficina de Artes. Acompanharam-nos os professores de Ciências Físicas e Naturais, Adelina Monteiro e Lina Martins e o professor de Oficina de Artes, Paulo Paiva. Esta tipografia iniciou a sua actividade no ano de 1953,

tendo como máximos responsáveis o Dr. Pinho Bandeira e António Guimarães, com o objectivo principal de efectuar a composição/impressão do jornal “Tribuna de Lafões” que nesse mesmo ano foi criado. A Gráfica Moderna chegou a ter onze trabalhadores mas hoje, passados 55 anos, apenas tem dois. Um dos guias da nossa visita foi o Sr. José Gastão de Almeida Vieira, que foi muito empenha-

do em explicar-nos tudo em grande pormenor. Na tipografia existe material muito antigo como por exemplo: uma máquina manual de picotar, uma guilhotina movida à manivela. Existem mais de 20 tipos de letras ordenadas e guardadas em gavetas compartimentadas. Para fazer a composição e a impressão de uma folha A4 o tempo necessário é cerca de 45minutos. Sendo um trabalho manual, muito demorado e que exige grande minúcia e até paciência, dificilmente se consegue fazer mais do que 300 composições/impressões por dia. Também ficámos a saber que o que distingue este tipo de impressão antiga da impressão offset, além da diferença de rapidez, é o relevo que fica marcado na folha, visível tanto na parte da frente como na parte de trás da folha. Susana Pinto, nº 8


ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

18

EXERCÍCIO DE EVACUAÇÃO

SIMULACRO DE INCÊNDIO Tendo como objectivo contribuir para uma cultura de segurança cada vez mais necessária e, ao mesmo tem-

po, incutir nos mais jovens a necessidade de prevenção, a Escola Secundária de S. P. Sul realizou no passado dia 17 de

Novembro um simulacro de incêndio, que implicou um exercício de evacuação total da escola. Testou-se a eficácia do plano a executar num cenário que, esperemos, nunca se torne realidade. Como houve aviso prévio, a expectativa não era tão grande e tudo correu bem. O ponto de encontro foi no campo de jogos da escola, onde os alunos se mantiveram agrupados por turmas a fim de ser feita a verificação dos presentes e ausentes pelo respectivo professor. Não foram

registadas ausências, e ao fim de oito minutos deu-se por concluído o exercício.

eficácia. Nota muito positiva. Prof. Manuel Fecha

Foi assim mais uma vez testado o Plano de Emergência da Escola e verificada a sua

WORKSHOP

UTILIZAÇÃO DE EXTINTORES DE INCÊNDIOS A ANTICHAMA - Comércio de Material de Segurança e Combate a Incêndios, Lda - promoveu no dia 13 de Novembro um Workshop sobre utilização

de extintores de incêndios destinado aos alunos do Curso Profissional Técnico de Higiene e Segurança do Trabalho e Ambiente.

A actividade consistiu numa apresentação teórica dos agentes extintores de incêndios mais usados - CO2 e Pó Químico, seguindo-se a demonstração prática do modo de utilização deste tipo de equipamento. Os participantes, professores e alunos, tiveram a possibilidade de experimentar os vários tipos de extintores, em situação simulada e de colocarem as suas dúvidas sobre este tipo de equipamento. Este workshop permitiu reforçar a componente teórica relacionada com o tema e proporcionou a componente prática de manipulação e utilização dos extintores, de acordo com as características e tipos

dos Fogos/Incêndios simulados, in loco.

positiva e adequada às suas necessidades.

Os participantes mostraram-se entusiasmados e avaliaram esta acção como muito

Prof. Manuel Fecha

CLUBE DE ASTRONOMIA

COR DO CÉU Durante o dia, o céu limpo é azul e o disco solar é quase branco. No entanto, ao nascer e pôr-do-sol, as cores do céu mudam completamente: o disco solar muda geralmente de cor, passando pelo amarelo e laranja até atingir o vermelho, afectando igualmente as cores do céu no horizonte; longe do disco solar o céu mantém-se azul. O padrão de cores descrito é completamente explicado pelo fenómeno da dispersão da luz. Dado que as moléculas de ar têm um diâmetro muito inferior ao comprimento de onda da luz visível, a dispersão dá-se no regime de Rayleigh*, favorecendo fortemente os

pequenos comprimentos de onda (zona azul do espectro). Assim, a luz que nos chega directamente do disco solar vai ser empobrecida em azul, enquanto que a luz que nos chega da atmosfera é rica em azul. Quando o sol se encontra alto (a) a camada de atmosfera atravessada é pouco espessa e a oportunidade para a dispersão da luz é reduzida; por essa razão a radiação que chega à superfície é quase branca. Quando o Sol baixa para o horizonte (b), a radiação atravessa uma camada cada vez mais extensa e a dispersão lateral torna-se importante; em consequência, a luz

que chega do disco solar torna-se cada vez mais pobre em pequenos comprimentos de onda, aparecendo com um tom alaranjado ou mesmo avermelhado. Em qualquer dos casos a radiação que nos chega da atmosfera resulta exclusivamente da dispersão, sendo muito rica em azuis. * A dispersão de Rayleigh (em homenagem a Lord Rayleigh) é a dispersão da luz ou qualquer outra radiação electromagnética por partículas muito menores que o comprimento de onda dos fotões dispersados. Clube de Astronomia, Prof. Manuel Fecha

Referência: http://geofisica.fc.ul.pt/informacoes/curiosidades/ceuazul.htm


19

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

ALUNOS DO 11º E FORAM À MARTIFER TSTA, realizaram mais uma visita de estudo, no dia 27 de Novembro, desta vez ao complexo industrial do Grupo Martifer, situado no parque industrial de Oliveira de Frades.

técnica dos cursos profissionais, não se descorando contudo o lado social e cultural da formação dos alunos, que podem e devem advir destes eventos.

As Visitas de Estudo são consideradas recursos dotados de inúmeras potencialidades educativas. São estratégia fundamental, que funcionam como uma mais valia, sobretudo dentro da componente

Para tal continuamos a programar e realizar visitas de estudo a unidades industriais ou de serviços, a fim de observar as práticas existentes nessas unidades. Assim, os alunos da turma 11º E, do Curso Profissional

CAÇA AOS RISCOS EM IMAGENS Encontre as 17 situações de risco. Veja os acidentes e a sua prevenção na próxima edição do pssst.

A MARTIFER SGPS é a empresa mãe de um grupo de aproximadamente 120 empresas, divididas por quatro segmentos básicos de actividade, Construção Metálica, Equipamentos para Energia, Agricultura e Biocombustíveis e Geração Eléctrica, cujos activos excedem já os 300 milhões de euros. A MARTIFER SOLAR é uma empresa especializada na oferta de soluções solares fotovoltaicas, adaptadas às necessidades de cada cliente. Desenvolve tecnologias e equipamentos capazes de transformar a radiação solar em electricidade.

A MARTIFER ALUMÍNIOS, desde os anos 90, vai construindo as metamorfoses no estilo e no design arquitectónico. Associada à concepção e desenvolvimento de fachadas em vidro, alumínio e painéis leves, a empresa tem por

base os novos métodos de construção, bem como o uso de materiais inovadores, garantindo a qualidade máxima da arquitectura e a performance dos edifícios, preservando o meio ambiente. Prof. Manuel Fecha  


ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

20

GRUPO DISCIPLINAR DE HISTÓRIA

A CRISE DE 1929 E O MOMENTO ACTUAL ocorrido em 24-10-1929, quando 13 milhões de acções vão ser colocadas à venda, sem que haja resposta de compra. Era a famosa quinta-feira negra que levou à penúria capitalistas, bancos e particulares, muitos deles de origem remediada, que tinham aderido à magia da Bolsa, pelo lucro fácil e rápido que ali viram.

Fila de desempregados na América dos anos 30. Muito se tem evocado a dade face à Europa, em cujo crise de 1929 nos dias de hoje, modelo tinha centrado a sua como forma de explicar a crise opção política democrática, que actualmente vivemos, económica capitalista e social como meio de apoucar ou de liberal. exagerar o nosso momento Estes mesmos anos 20, são económico, conforme as conveniências. Coloquemo-nos, nos E.U.A. identificados como pois, nos anos 20 do século os “roaring times” ou ainda, passado, com o devido rigor, “anos de prosperidade”, a que para que o leitor produza livre- não fica alheia a ideia do mente as suas ilações; o rigor “sonho americano”. Os E.U.A. de que usaremos não nos faziam da racionalização do impedirá de, aqui e acolá, trabalho, teorizada por Taylor tecermos um breve comentá- e de que a linha de montagem e a produção em cadeia são rio. óptimos exemplos, o seu Os anos 20 assistiram a um modelo de desenvolvimento, declínio da Europa, fustigada não se revelando preocupação que fora pela guerra de 1914- em saber se tal crescimento 1918, facto de que os E.U.A. seria totalmente absorvido tiraram o devido proveito. A pelo mercado. Mas não é isso expressão “século americano” que assume a economia capiaplicada ao século XX tem aqui talista, apostando na total o seu tempo de início, toman- liberdade e empreendedorisdo como ponto de partida a mo da iniciativa privada? Lemsituação muito fragilizada do bremos que o modelo capitaVelho continente, a braços lista já vivera situações de cricom uma inflação galopante, se, particularmente na segunuma carestia de vida inusitada da metade do século XIX, apee uma situação de proletariza- nas não com tal dimensão. Nos ção a que não escaparam as escritos de Karl Marx, já era suas classes médias, que viam feita uma antevisão de tais os seus rendimentos engoli- crises e também surgia a ideia dos. Deste modo, o “filho” de que o modo de produção E.U.A. vai mostrar a sua maiori- capitalista teria o seu fim às

mãos das forças produtivas que se lhe opõem, quando devidamente amadurecidas. Aquela pujança americana assentava em pressupostos frágeis, de que a facilidade do crédito foi um dos elementos mais representativos, tornando-se o bem-estar americano presa fácil da compra a prestações que o sistema bancário alimentava. Soa a conhecido, não é? A economia americana evidenciava sinais de crise desde logo na agricultura, onde a superprodução era relevante, e, na indústria, onde sectores tradicionais como os têxteis, por mero exemplo, exibiam as suas fragilidades, demonstrado em alguns encerramentos. Esta crise começa a mostrar-se em 1927. O sistema, no entanto, viveu a sua contradição máxima, quando o mercado accionista mostrava cotações muito acima do real valor das empresas, que se viam em apuros e criavam desemprego. A credibilidade e a confiança, tal como hoje considerados pilares fundamentais ao sistema financeiro capitalista vão perder-se, do que é prova o

Banditismo, desemprego, tensão racial e suicídio serão exemplos marcantes da reacção negativa à crise de 1929, recorrendo muitos capitalistas àquela situação extrema, pois, dando rosto aos seus negócios, não ousavam enfrentar o dia seguinte, em que a falência da empresa e o desemprego eram inevitáveis. Actualmente, um corpo numeroso de accionistas e um séquito apreciável de gestores é factor de divisão de culpas e responsabilidades, pelo que esses comportamentos radicais não sucedem, mas uma fileira de desempregados crescente, hoje como ontem, continua a ser a face bem visível e mais problemática das crises capitalistas, e que, no caso presente, muitos especialistas garantem ainda não ter ganho a verdadeira expressão. Então como hoje, coloca-se a questão da dimensão mundial da crise. Se ela é hoje bem evidente no mundo profundamente globalizado em que vivemos, já em 1929 o mundo capitalista se interligara e a “constipação” americana fizera estragos universais. Para isso acontecer muito contribuiu a dependência europeia face aos E.U.A, decorrente da 1ª Guerra Mundial e também a tradicional dependência do mundo subdesenvolvido que também hoje mais se sujeita às crises internacionais, porque impossibilitado da colocação dos seus produtos agrícolas e matérias-primas nos países mais desenvolvidos em tempos de superprodução.

de expressão dum capitalismo selvagem, na crise de 1929, refira-se a destruição de algumas colheitas como meio de os proprietários conseguirem a estabilização dos preços, no sentido de obter o tão desejado equilíbrio entre oferta e procura, ou ainda, no Brasil, o uso do café como combustível nas locomotivas. Contradições: a miséria de grandes massas de população e desperdício de víveres, por outro….A crise foi, no entanto, a “culpada” de algo de bom que as nossas sociedades democráticas de hoje oferecem ou, melhor dito, vão oferecendo, porque nos interrogamos até quando. Falamos dum determinado grau de bem-estar e segurança conseguido a partir da prática política do New Deal americano dos anos 30, cujas medidas sociais foram a génese do conceito de Estado-Providência, que a Europa praticou a partir da 2ª Guerra Mundial. Entre tais iniciativas governamentais, surgiram os subsídios de desemprego, as reformas na velhice, os subsídios de doença, por exemplo. Os governos adoptavam a estratégia de um Estado mais interveniente, que lá estava para atenuar os impactos das crises, servindo de “almofada” aos impactos sociais cometidos por uma economia capitalista liberal. Será de toda a utilidade lembrar o papel e a responsabilidade que a velha Europa tem neste contexto, como continente berço dos pensadores iluministas e das revoluções, por toda a carga que transporta na defesa dos direitos do Homem, herança que não parece coadunar-se com a bem visível divisão nas iniciativas diferenciadas tomadas pelos seus líderes na forma de resposta à crise. Prof. João Barros Mouro

Como situações extremas

GRUPO DISCIPLINAR DE HISTÓRIA

EXPOSIÇÃO SOBRE A 1ª GUERRA MUNDIAL No âmbito da comemoração dos noventa anos do Armistício, relembrando a data da suspensão das hostilidades que puseram termo à 1ª Guerra Mundial, foi realizada neste final do 1º Período, uma exposição de trabalhos dos alunos do 9º ano, no polivalente da Escola.

em que se desenrolou, as consequências, as armas utilizadas ou a participação de Portugal no conflito, foram estes alguns dos temas pelos quais os alunos demonstraram mais interesse e pelos quais se debruçaram dando assim azo a trabalhos muito interessantes sobre esta temática.

Desde os antecedentes da guerra, passando pelas fases

Prof. Marílis Tavares


21

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

GRUPO DISCIPLINAR DE HISTÓRIA

CONFERÊNCIA SOBRE FERNÃO DE MAGALHÃES

Está na berra falar de Magalhães…não o computador, mas sim o homem… o grande Português, o grande navegador, o grande herói do mundo – Fernão de Magalhães. Dinamizado pelo grupo de História decidiu-se este ano homenagear Fernão de Magalhães com uma exposição de livros alusivos à sua vida e viagens, e uma exposição temática de cartazes sobre a época, o homem e os seus feitos. Com o auditório repleto de alunos e professores, no dia 27

de Novembro a escola recebeu a visita do Dr. Abílio Travessas que nos encantou com uma palestra sobre o navegador, um dos quatro grandes navegadores mundiais. Referenciando a época, a viagem, as vicissitudes e as surpresas de um percurso inédito ao redor dos continentes e navegando por três oceanos. A viagem circumnavegação de Fernão de Magalhães provou que a terra era redonda o que para a época significava o confronto com o saber oficial. A experiência dos factos evidenciou os erros

do saber livresco provocando, nesta como em muitas áreas do saber e das ciências que o conhecimento é corrigível e que precisam muitas vezes de validação experimental ou científica. Saindo de Sevilha em 1519 a mando dos reis Católicos tinha como objectivo identificar a que potência ibérica (Portugal ou Espanha) pertenciam as Ilhas Molucas, ricas na altura em cravinho e especiarias. Rumou ao Atlântico, contornou a América do sul e com extrema perícia passou o estreito que ficou com o seu nome – Estreito de Magalhães - navegando noutras “águas” baptizou o novo oceano de Pacífico. Ao aperceber-se que as Molucas estavam na área de influência portuguesa, avançou até às Filipinas e pensa-se que preferiu “salvar a face” e decidiu não ser ele a dar a

dolorosa notícia de que as Molucas não eram espanholas, então, cobre os companheiros e acaba por morrer com um seta envenenada numa luta com o chefe tribal. Sebastião Delcano prosseguirá a viagem, passando por Malaca, entrará no Índico, contornará a África e chegará a Sevilha em 1521. Fernão de Magalhães navegador experimentado, profun-

do conhecedor das artes náuticas, é venerado nas Filipinas como herói nacional… mas quase completamente ignorado em Portugal. Magalhães um grande Português Magalhães um grande Homem do Mar Magalhães um grande Herói do Mundo

asfixia do sentimento de posse, lê e liberta! Se não tens tempo ou vontade de ler agora, dá aos outros a possibilidade de um encontro com um livro tão livre como tu e sobretudo dá notícias do livro que estás a ler ou que gostarias de ler. Quem sabe se não serás surpreendido…

(2007), Os herdeiros da lua de Joana, Lisboa, Verbo. QUEIRÓS, Eça de, (2007), O mistério da estrada de Sintra, Lisboa, Editora Livros do Brasil. PEREIRA, Ricardo Araújo, (2007), Bocas do Inferno, Tinta da China. VIEIRA, José Luandino, (2007), Vidas novas, Lisboa, Editorial Caminho. VAZ, Júlio Machado, (2007), Olhos nos olhos, Lisboa, Publicações D. Quixote. E aguardamos ansiosamente notícias deles!

Prof. Leonor Côrte Real

GRUPO DISCIPLINAR DE HISTÓRIA

FEIRA DO LIVRO Todos os anos é noticia… e todos os anos é um gosto realizar a Feira do Livro na Escola Secundária.

Na Biblioteca, os docentes do grupo de História mais uma vez apostaram na divulgação de autores nacionais e estrangeiros, obras literárias, de ficção, de aventura e infanto-juvenil para todas as idades e para todos os gostos… Todas as épocas do ano são boas para ler e para ter um livro como compa-

nheiro e amigo, mas esta época natalícia é particularmente propícia para a sua aquisição pois estamos nas vésperas do Natal e um livro é sem dúvida a melhor de todas as prendinhas, pois com eles aprendemos, divertimos, sonhamos… Com a participação de toda a comunidade escolar a Feira do Livro voltou a ser mais uma vez uma actividade marcante na nossa escola. Está prometido… para o ano haverá mais… Prof. Leonor Côrte-Real

LIBERTAÇÃO DE MAIS LIVROS NÓMADAS No ano lectivo de 2007-08 iniciámos na escola um projecto de promoção da leitura que se chamou Livro Nómada. Pretendíamos dar a todos os alunos, professores, funcionários, a oportunidade de encontro com um livro que não precisaram de comprar, desenvolver o gosto pela leitura, mas desejávamos, sobretudo, a mudança de mentalidades. As regras são simples: quem encontrar o livro pode levá-lo para casa e lê-lo. Mas fica obrigado a duas tarefas: dar notícia no painel da Biblioteca Escolar de que o livro está, ou passou, pelas suas mãos e voltar

a libertá-lo, para que outra pessoa tenha a mesma oportunidade de o encontrar. Ficar com um livro que não nos pertence tem um nome feio: roubo! E é ainda mais grave porque com essa atitude quebramos o espírito da iniciativa e impedimos que outros tenham as mesmas oportunidades de leitura que nós tivemos. Estes livros foram libertados na escola para viajarem livremente, mas voltarem sempre, para poderem partir de novo, com novos companheiros de viagem. No dia 18 de Novembro de 2008 foram libertados mais três

livros nómadas, no lugar habitual do salão polivalente, um que voltou de viagem, resgatado, dois que partem pela primeira vez. É a última tentativa que fazemos, e só a fazemos porque não achamos justo que pelo egoísmo de alguns muitos fiquem prejudicados. Se desta vez as notícias e os livros não voltarem aos pontos de encontro, então desistiremos, com a tristeza de um projecto muito bonito que falhou porque estas pessoas provaram repetidamente que não o merecem. Liberta-te do egoísmo e da

Andam em viagem: BROWN, Dan, (2006), Anjos e Demónios, Lisboa, Bertrand Editora. CLÁUDIO, Mário et al, (2008), O prazer da leitura, Lisboa, Teorema. (2 exemplares) GONZALEZ, Maria Teresa Maia,

Professora Isabel Prates


ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

22

GRUPO DISCIPLINAR DE BIOLOGIA E GEOLOGIA

O PAPEL DA MITOCÔNDRIA NO DESENVOLVIMENTO DE DOENÇAS METABÓLICAS O DiscipliBiologia e gia promouma tra

Grupo nar de Geolov e u palesn o

âmbito da actualização científica, sob a temática da Biologia Celular“O papel da mitocôndria no desenvolvimento de doenças metabólicas” A mitocôndria é um organito celular que para além de ser responsável pela produção da energia necessária para o funcionamento de cada um dos nossos órgãos, tem também a responsabilidade de poder determinar a morte das nossas células. Cada vez mais surgem

trabalhos científicos que procuram avaliar o papel da mitocôndria no desenvolvimento de diversas patologias como doenças neurodegenerativas e metabólicas. O estilo de vida sedentário e a alimentação baseada em hidratos de carbono e gorduras têm colaborado para o aumento dos casos de obesidade, tornando o síndrome metabólico - pré-diabetes num problema de saúde mundial. Neste sentido, procuro identificar as alterações metabólicas e moleculares associadas ao desenvolvimento deste síndrome e idealmente contribuir para a descoberta de novos alvos terapêuticos que permitam tratá-lo, prevenindo o desenvolvimento de doenças associadas, como a diabetes

tipo 2. O síndrome metabólico é diagnosticado quando estamos em presença de várias doenças e factores de risco num mesmo indivíduo - conjugação de obesidade, resistência à insulina, níveis elevados de triglicerídeos no sangue, baixos níveis de lipoproteínas de alta densidade ou hipertensão arterial – e está associado a uma multiplicidade de falhas no metabolismo da glucose e dos lípidos em órgãos como o fígado, os músculos e o tecido adiposo. Embora estas associações sejam conhecidas, estão ainda por identificar as alterações metabólicas e moleculares associadas à evolução do síndrome. São estas alterações que proponho clarificar, focando primordialmente a função mitocondrial. Atendendo ao papel central da mitocôndria no metabolismo energético existe provavelmente uma relação entre fígado gordo, função mitocondrial e resistência à insulina. Um excesso de

ácidos gordos devido a uma dieta rica em gordura pode sobrepôr-se à capacidade mitocondrial oxidativa, conduzindo à acumulação intracelular de lípidos e desenvolvimento de resistência à insulina. O conhecimento dos mecanismos moleculares que regulam a biogénese e função mitocondriais pode indicar novos alvos terapêuticos com o objectivo de prevenir e tratar o síndrome metabólico e patologias associadas. Espero, assim, conhecer os mecanismos moleculares pelos quais as vias do metabolismo oxidativo se encontram alteradas em situações de obesidade e resistência à insulina. Esta informação poderá ajudar a interromper as alterações metabólicas verificadas, prevenindo o desenvolvimento de doenças como a diabetes tipo 2. Poderá igualmente ajudar a desenvolver novas terapêuticas de prevenção e tratamento para este síndrome e para as várias doenças a ele associadas.

Anabela Rolo, Centro de Neurociências e Biologia

da Universidade de Coimbra

N.R.: Esta palestra realizou-se no passado mês de Maio. Por lapso, este artigo não foi publicado no PSSST de Junho.

PERIGOS DA INTERNET Aos pais: Comecem por conversar abertamente com os vossos filhos, alertando-os sobre o lado negativo da Internet e aconselhando-os a evitar os seus perigos

O que deves fazer: Nunca digas as tuas passwords a ninguém; Nunca dês informações sobre ti, de forma a poderes ser identificado (nome, telefo-

ne, morada, foto); Evita o envolvimento em discussões desagradáveis; Abandona os chats se alguém for desagradável contigo; Nunca deves ter encontros com amigos feitos na internet, sem a presença de um adulto, de preferência os teus pais; Pede ajuda aos teus pais e/ ou aos professores quando tiveres algum problema.

escolha dos fumadores. Também, na nossa opinião, cabe aos donos dos cafés e restaurantes optarem pela proibição, ou não, de se fumar no interior dos seus espaços. A partir daí são as pessoas que escolhem os sítios que devem frequentar, pois, na verdade, os não fumadores também não são obrigados a frequentar lugares com fumo. Seria desejável que os fumadores levassem muito a sério a advertência contida nos maços de tabaco: “Fumar mata”. Todos estamos conscientes de o tabaco é o causa-

dor directo de uma série de doenças, das quais se destaca o cancro do pulmão. Isto não é novidade para ninguém, fumador ou não fumador. Nos jovens prevalece a seguinte ideia: “Fumo, logo sou mais velho, mais importante…”. Vulgarmente, nesta faixa etária, aparecer com um cigarro numa mão e com um uma bebida alcoólica na outra, dá visibilidade, transmite maturidade e segurança, é sinónimo de “estatuto”. Na nossa opinião, esta é uma ideia já ultrapassada, um procedimento muito infantil…

A verdade é que cada um é responsável por cada um dos seus actos, por cada uma das suas opções e pelas suas próprias decisões. Contudo, não devemos deixar enfraquecer as vozes dos que defendem uma qualidade de vida comum a todos os cidadãos. Ganha qualquer um de nós, ganha o País…

Nunca digas quem és! Não queiras ser mais uma das crianças vítimas de pornografia infantil ou de pedofilia, mais uma vítima de incitamento à violência e ao racismo.

José Martins e Pedro Campos 11º E - CPHSTA

O TABACO Está provado que o fumo do tabaco provoca o cancro do pulmão (além de outros problemas respiratórios), mesmo em fumadores passivos. Aliás, cerca de 20% das vítimas mortais do fumo do tabaco fazem parte dos designados ‘fumadores passivos’. Recentemente, foi imposta, pela nova Legislação do Tabaco (Lei nº 37/2007, de 14 de Agosto de 2008), a nova Lei do Tabaco (“Proibido Fumar!”), com a qual estamos de acordo. Não faz sentido que um grupo de pessoas que se encontra num local público, a

tomar um simples café, seja “obrigado” a inalar o fumo de cigarros consumidos por um outro grupo, mesmo que restrito. Sim, porque basta um fumador para empestar por completo uma sala. Apesar dos inconvenientes apontados, não concordamos que se entre em radicalismos. Assim, tal como há pessoas que têm o direito de não fumar, há também as que o têm. Se os fumadores respeitarem a lei e não fumarem em locais públicos, temos – os que não fumam - o dever e a obrigação de respeitar a

Autores (12ºB): André Fernandes Nº4 Ângela Figueiredo Nº5 Elisabete Nunes Nº10 Telma Pinto Nº15


23

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DO SUL | Dezembro de 2008

DESPORTO ESCOLAR

TORNEIO DE ABERTURA 2008-2009 prof. Manuel Gomes Desportos Gímnicos – Ginástica Aeróbica- responsável a profªHelena Gomes Multiactividades de Ar Livre – responsável o prof. João Heitor Voleibol Feminino – responsável o prof. Pedro Pires Voleibol Masculino – responsável o prof. Nelson Gomes Teve lugar no passado dia 29 de Outubro, quarta-feira pelas 14h e 30m o torneio de abertura do Desporto Escolar. Inserido no Plano Anual de Actividades, o torneio decorreu como previsto conseguindo cumprir o seu objectivo de cativar os alunos para a prática das modalidades do Desporto Escolar existentes na escola. Participaram alunos do 7º ao 12º ano, de várias idades e

de ambos os géneros, muitos agradados com a experiência, inscreveram-se nos Grupos/ Equipa do Desporto Escolar a funcionar às quartas-feiras durante o período da tarde. São seis os Grupos/Equipa em funcionamento no presente ano lectivo:

Os Grupos/Equipas iniciam em breve os seus quadros

competitivos. A Comunidade Escolar poderá acompanhar todas as novidades em http:// www.cevde.no.sapo.pt No dia 26 de Novembro, quarta-feira, realizou-se a fase final do torneio inter turmas de Basquetebol, do ensino básico. Parabéns ao 8ºC que venceu esta fase do torneio. No 2º período será a vez do ensino secundário. O Grupo de Educação Física, como é tradição, levará a efeito mais um “Corta-Mato da Escola” a realizar no dia 18 de Dezembro de 2008, último dia de actividades lectivas do primeiro período, a iniciar ao primeiro tempo da manhã. Participa! Inscreve-te! Após a realização das provas, decorrerá no pavilhão

Atletismo – responsável o prof. Jorge Esperança Desportos Gímnicos – Trampolins - responsável o

gimnodesportivo a “Cerimónia de Entrega de Prémios”, que contará com a apresentação dos grupos gímnicos da escola. Depois do sucesso obtido no Sarau organizado pela comissão de finalistas, não percam o trabalho realizado por estes alunos… Contamos com TODOS para que esta iniciativa alcance o êxito que TODOS desejamos. Para breve mais novidades. A Coordenadora do Desporto Escolar Profª Helena Gomes O Coordenador de Educação Física Prof. Jorge Esperança

FINALISTAS 2008/09

SARAU CULTURAL Realizou-se, no dia 28 de Novembro de 2008, um Sarau Cultural promovido pela Comissão de Finalistas 2008/09 e com a colaboração do Conselho Executivo da Escola Secundária de S. Pedro do Sul. O programa, que se apresenta no final, contou com actividades diversificadas,

onde se incluem: exibições de ginástica acrobática, aeróbica de fitness e desportiva, desenvolvidas no âmbito do Desporto Escolar e da disciplina de Educação Física; momentos de poesia, actuações musicais, dramatizações e sketches humorísticos, protagonizados por actuais alunos, ex-alunos e ex-funcionários, num ambiente de salutar convívio entre toda a comunidade escolar, do presente e do passado. Realçase a participação especial de Isabel Silvestre e do Grupo de Cantares de Manhouce, que muito nos lisonjeou e abriu,

SARAU DOS FINALISTAS

AOS FINALISTAS A noite foi, no entanto, surpreendente e inesquecível. Parabéns a todos pela iniciativa, pela organização, pelo espectáculo que nos proporcionaram. Provaram a todos que os jovens continuam a ter muito de bom para dar, o que é preciso é acreditar neles! O dia estava chuvoso e convidativo a uma noite no aconchego da minha casa. Mas a “obrigação” levou-me a sair para assistir ao Sarau Cultural organizado pelos Finalistas da Escola Secundária, grande parte deles meus alunos há vários anos. Era um dever!...

Fiquei muito orgulhosa por trabalhar nesta escola e gostei, especialmente, dos momentos de Poesia! Prof. Clara Esteves  

com chave-de-ouro, um sarau que encheu o Polivalente da Escola.

A Comissão de Finalistas sente-se gratificada pela organização do evento, sobretudo pela participação e adesão das pessoas, bem como por toda a colaboração de alunos, professores e funcionários e porque ficou, mais uma vez, evidenciado o talento de muitos alunos da nossa Escola e o carinho e ligação dos que por cá passaram, pois “teimam” em voltar. Agradecemos a todos (e foram muitos!) os que possibilitaram esta realização, em especial à Professora Isabel Silvestre e Grupo de Cantares de Manhouce; ao Dr. Jaime Gralheiro; aos professores Clara Esteves, Helena Gomes, Pau-

lo Quintela e Susana Girão; à D. Graciete (ex-funcionária), aos ex-alunos David Teixeira, Luís Figueiral, Rosalina Jesus e Rui Pedro Pereira (“Ruizão”); ao grupo de aeróbica do Desporto Escolar; ao Clube de Vídeo da ESSPS; aos alunos Catarina Cabral (10ºB), Cristiana Valério (11ºC), Janete Silva (9ºB), João Campos (12ºA), Luísa Lemos (12ºB), Pedro Campos (11ºE), Raquel Portela (12ºA) e Ruben Almeida (8ºE); à “Ambiformed”, à “Florista Nova Era”; à “Rádio Lafões”; à “Rádio VFM” e à “Som a Dois”. A Comissão de Finalistas 2008/09

APOSENTADOS Durante este 1º Período aposentaram-se três professores que são referências de competência e profissionalismo na história da nossa Escola: Dra. Alda Maria Botelho Furtado Bandeira Pinho Na ESSPS desde 1977/1978. Professora de Geografia Integrou durante vários anos o Conselho Directivo, tendo sido Presidente deste órgão entre 1989 e 1995. Directora de Turma, Delegada de Grupo Dra. Maria Celina Miranda de Almeida Henriques Na ESSPS desde 1977/1978 Professora de Físico-Química Integrou durante vários anos o Conselho Directivo Directora de Turma, Coordenadora de Depar-

tamento Curricular, Directora de Instalações Dra. Madalena Antonieta Alves Correia Na ESSPS desde 1984/1985 Professora de História Integrou durante vários anos o Conselho Directivo Directora de Turma, Coordenadora de Directores de Turma, Delegada dos Cursos Nocturnos, Directora de Instalações Também se aposentou um funcionário da secretaria: Belchior de Oliveira Russo Na ESSPS desde 1999 Funcionário da secretaria da escola.



Pssst!!!_Dez_08