Issuu on Google+


HELENA SANTOS MANDATÁRIA

Helena Santos, nasceu em Coimbra, tem 55 anos e viveu parte da sua infância e juventude, em Ventosa do Bairro, uma aldeia do concelho da Mealhada. Licenciou-se em Medicina na Universidade de Coimbra. É mãe de 4 filhos, com 26 anos, 22 anos, 19 anos e 15 anos. Vive em Oliveira de Azeméis, há cerca de 28 anos, onde é Médica de Família, tendo dedicado praticamente toda a sua atividade profissional ao serviço público e aos Oliveirenses. Durante 24 anos, exerceu atividade profissional no Centro de Saúde de Cucujães e, desde 2010, é Médica de Família na USF Salvador Machado, a primeira USF do concelho de O. de Azeméis. Além da sua atividade profissional, é socialmente muito interventiva. Foi autora duma rubrica de radio intitulada "consultório médico", onde durante 1 ano com o seu marido, Dr. Jorge Pinto, abordou aspetos do desenvolvimento do ser humano do nascimento até a morte. Fez Saúde Escolar nos primeiros anos da sua atividade profissional, permitindo-lhe assim, conhecer todas as escolas e pré escolas do concelho e foi fundadora e coordenadora duma Equipe Multiprofissional para a área da deficiência, durante 18 anos. Foi comissária da saúde da primeira Comissão de Proteção de Crianças e Jovens do concelho de Oliveira de Azeméis e presidiu essa mesma Comissão durante 2 mandatos. Estas atividades permitiram-lhe conhecer bem a realidade social do concelho. É deputada da Assembleia Municipal de Oliveira de Azeméis na bancada do PS, desde 2009, e candidata a deputada da AM nas autárquicas de 2013 e é com muita honra também Mandatária da candidatura de Joaquim Jorge às Eleições Autárquicas de 2013. Não é filiada em qualquer partido político e os valores que mais preza são a liberdade, a humildade, a persistência e a resiliência.

Caras e Caros Oliveirenses, Oliveira de Azeméis tem uma excelente loca lização geográfica, possui um conjunto de empresários dinâmicos, centenas de associações e instituições que fazem parte do seu património cultural, assim como importantes recursos naturais, pelo que dispõe de todas as condições para que possamos vir a ser dos melhores municípios a nível regional e nacional. Porém, a ausência de um poder autárquico forte e dinâmico e a falta de visão estratégica capaz de potenciar todos estes recursos, tem impedido o concelho de se afirmar e de fixar população, em particular entre os mais jovens, percebendo-se que nas últimas décadas tem sido ultrapassado por alguns dos concelhos vizinhos. Não sou um político profissional e não quero o poder para resolver os problemas dos meus amigos. Com a ajuda de uma vasta equipa e com todos os Oliveirenses que têm a ambição e o sonho de poder vir a viver num concelho mais desenvolvido e moderno, estou pronto para implementar uma gestão municipal competente e capaz de potenciar os valores do nosso concelho. Acredito que é possível transformar Oliveira de Azeméis num dos concelhos de média dimensão mais importantes do país, devolvendo-lhe o orgulho que tinha outrora. Está na hora de mudar para uma gestão competente do Concelho, criando condições para que os nossos filhos e netos possam viver melhor. Conto convosco! Joaquim Jorge

Acredita que as mudanças são fundamentais no desenvolvimento das pessoas e das sociedades e são sinal de inteligência.

01

02


QUEM É JOAQUIM JORGE Joaquim Jorge é um gestor empresarial, na área das tecnologias da informação há mais de duas décadas. quem o conhece diz que é um “gestor muito competente”. Obteve vários títulos como jogador federado de basquetebol, nos escalões de formação e na equipa sénior. Foi um dos mais novos treinadores de sempre da Seleção de Basquetebol de Aveiro. Filho de um família humilde, foi com muito esforço que os seu pais lhe custearam os estudos que concluiu em 1988, licenciando-se em Engenharia Electrotécnica e Computadores pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Sempre esteve ligado ao mundo associativo. Na atualidade é Presidente da Assembleia Geral da Associação Comercial dos Concelhos de Oliveira de Azeméis e Vale de Cambra e Vice-Presidente do Clube Desportivo de Cucujães. Vive em Cucujães. É casado e tem duas filhas. Conhece muito bem o nosso concelho, tendo sido eleito deputado municipal e vereador camarário, em vários mandatos. Apresenta-se como candidato a Presidente da Câmara, na lista do Partido Socialista, porque como diz: vou trabalhar de corpo e alma para que os Oliveiresnes sintam ainda mais orgulho no nosso Concelho.

03

04


UMA EQUIPA COMPETENTE

Inês Lamego

Sérgio Cardoso

05

Ana Beatriz Silva

Hélder Simões

Vânia Rodrigues

Joaquim Jorge

Pedro Santos

Susana Fernandes

Ana de Jesus

António Luís Costa

Manuel Alberto Pereira

Ana Isabel Pinho

Ana Catarina Pinheiro

06


OS NOSSOS COMPROMISSOS

07

08


COMPROMISSOS PARA CUMPRIR 09

10


7º COMPROMISSO COM OS OLIVEIRENSES

AQUI VAI NASCER O NOVO

O nosso compromisso com a sua qualidade de vida

2

1 17

4 6 1 3

19

7

6

5

9 10 13

8

14 12 11

11

9 1

16

23

20

2

15 22

18

21

7

24 7

1

1

ENTRADA

2

PERCURSO PEDONAL E CICLÁVEL QUALIFICADO

3

JARDIM DE MÚSICA

4

CENTRO DE MANUTENÇÃO

5

PARQUE DE JOGOS AQUÁTICOS

6

ÁREAS DE ESTADIA

7

ESTACIONAMENTO

8

ÁREA A REQUALIFICAR

9

PERCURSO MANUTENÇÃO + FITNESS + TRACKING

10

PARQUE DE ESCALADA E SLIDE

11

CAMPO DE FUTEBOL

12

BANCADA + BALNEÁRIOS

13

BAR / CASA DE TÉNIS

14

TÉNIS, VÓLEI, BASKET - POLIDESPORTIVOS

15

BAR / LOJA DO PARQUE

16

PARQUE INFANTIL

17

PARQUE “AVÓS E NETOS” - CARDIO FITNESS

18

ESPAÇO SAÚDE - PERCURSO CHECK-UP

19

MINI-GOLFE

20

CAMPO DE JOGOS - PISO SINTÉTICO

21

VALORIZAÇÃO DA LINHA DE ÁGUA RECONSTITUIÇÃO DA GALERIA RIPÍCULA

22

RESTAURANTE / SALA DE RECEPÇÕES

23

CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

24

PARQUE DE MERENDAS

12


CARLOS AFONSO

CANDIDATO À ASSEMBLEIA MUNICIPAL

Carlos Afonso, é natural da freguesia de Ul, tem 53 anos, é casado e reside na nossa cidade. Filho de Benjamim de Oliveira, carteiro, e de Maria de Lurdes Afonso de Bastos, doméstica e lavradeira, fez estudos na Escola de Ouriçosa e frequentou o Seminário de Cucujães e Cernache do Bonjardim, concluindo os estudos do ensino secundário no Liceu de Oliveira de Azeméis Licenciou-se na Faculdade de Direito da Universidade Clássica de Lisboa e, durante o curso universitário, participou nas lutas académicas por melhores cantinas, residências universitárias, bolsas de estudo e outros direitos. Após o serviço militar obrigatório, fez estágio no Escritório de Advocacia do Dr Ernesto Soares dos Reis e do Dr António Pereira Neta.

José Ribeiro

Carlos Afonso

Bruno Aragão

Helena Santos

Manuel Soares

José Lourenço

Ana Sofia Pinho

José Ramos

Ana Raquel

Pedro Paiva

Nuno Jesus

Cristina Pinho

Rosa Rodrigues

João Pedro Ribeiro

Rui Jorge Rocha

Ana Catarina Santos

Carlos Pinheiro

Bárbara Mendes

António Godinho

João Ramalho

M.ª Fátima Ferreira

Pedro Filipe Pinho

Ana Margarida

Augusto Correia

Cristina Oliveira

Miguel Pinho

Pedro Silveira

Ana Catarina Almeida

Fernando Gomes

Maritza Quintina

João Paulo França

Joana Oliveira

Carlos Borges

Luzia Nunes

Viriato Pereira

Mónica Silva

Alfredo Carvalho

M.ª Fátima Marques

Alexandre Marques

Brites Tavares

Frederico Bastos

Ana Paula Oliveira

Advogado

Reformado

Psicólogo

Fisioterapeuta

Médica

Advogado

Professor

Segurança

Auditor CTT

Gestora Comercial

Advogada Estagiária

Funcionária Pública

Analista de Sistemas

Gestor

Como advogado, tem abraçado causas na defesa de direitos, liberdades e garantias dos cidadãos, assim como causas sociais, culturais e recreativas. Exerceu cargos nos Conselhos de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol e da Associação de Futebol de Aveiro, na Secção de Basquetebol Profissional da União Desportiva Oliveirense, na Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Oliveira de Azeméis e ainda exerce o cargo de Presidente do Conselho Jurisdicional da Associação de Patinagem de Aveiro, desde 2002. Há dois mandatos que é Presidente da Delegação da Ordem dos Advogados da Comarca de Oliveira de Azeméis, Vice-Presidente da Assembleia Geral da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis, desde 2003 e Secretário da Assembleia Geral da FAMOA, desde 2009. Como autarca, foi Presidente da Junta de Freguesia de Ul, de 1994 a 1998 e, atualmente, é Membro da Assembleia Municipal de Oliveira de Azeméis, cargo que desempenha há três mandatos. A eleição de Carlos Afonso para a presidência do órgão que tem como principal missão a fiscalização dos atos do executivo camarário é a garantia do cumprimento das regras democráticas, respeitando todas as tendências aí representadas e, assim, dignificando a ação do órgão. Pelo seu percurso de vida e pela forma séria como encara o exercício dos cargos políticos, Carlos Afonso é o único candidato que, tendo possibilidade de assegurar uma vitória, garante independência no exercício do cargo de Presidente da Assembleia Municipal.

Engenheiro Civil

Gerente Comércio

Empresário

Empregada de Escritório

Investigadora

Controladora de Qualidade

Educadora Social

Reformado

Chefe de Serviços

Reformado

Empregado Fabril

Ama

Engenheira Civil

Técnica de Farmácia

Técnica Aux. Serv. Sociais

Eng. Electrónico e Telec.

Reformado

Mecânico

Engenheiro Mecânico

Educadora de Infância

Solicitador

Engenheiro Informático

Reformada

Carteiro

Farmacêutica

Solicitadora

Operário Fabril

Escriturária

Manuel Valente Empresário

13

14


CARREGOSA

Área: 11,82 Km2 População (censos 2011): 3.411 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 3.158 Nº de habitações: 1.639 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: Metalurgia, agricultura, mobiliário, moldes, valorização de resíduos Principais recursos naturais: Rio Ínsua, solos agrícolas Rede de Água: 76,9% Rede de Saneamento Básico: 9,1% Pontos com interesse a visitar: Quinta da Costeira, Edifício Vasques, Capela de Nossa Senhora da Ribeira, Capela de Nª Srª da Guia, Capela de Azagães, Capela de Sto António, Cruzeiros de Teamonde e de Azagães, Casa da Ínsua, Quinta da Póvoa e Igreja Matriz, Praça Comendador Fernando Pinho Teixeira.

Carregosa é uma freguesia que faz fronteira com o Município de Vale de Cambra. O povoamento de Carregosa remonta aos tempos pré-históricos. Por aqui terão passado também os romanos, como testemunham os topónimos “villa de Zagães” e vários “casalia” que aquelas Inquisições também documentam. Administrativamente, Carregosa foi do termo da Feira, comarca de Esgueira e depois comarca da Feira. Carregosa, cuja elevação a vila ocorreu a 13 de Julho de 1990, está localizada num fértil vale regado pelo rio Ínsua, apresentando um vasto património edificado e cultural. Porém, o que distingue e credencia esta freguesia é, sem dúvida, o seu original Santuário de Nossa Senhora de Lourdes, situado no Parque da Quinta da Costeira, o primeiro consagrado a Nossa Senhora de Lourdes, em Portugal. A indústria da região baseia-se na metalurgia e é de salientar que nesta terra nasceu a arte de latoaria, que veio mais tarde a expandir-se para Vale de Cambra, Município limítrofe, e a Cesar. Destaca-se a empresa Ferpinta pelo dinamismo e capacidade empresarial do comendador Fernando Pinto Teixeira. Carregosa destaca-se pelo enorme dinamismo em termos de associações e coletividades desportiva, salientando-se os grupos da Juventude Desportiva Carregosense, Banda de Música, URATE, ACD de Azagães e Associação Columbófila. Em termos sociais, é de referir o importante trabalho de apoio efetuado pelo Centro Social e Recreativo de Carregosa, pela Associação de Reformados e Pensionistas e pela Associação de Assistência Social.

HENRIQUE VIEIRA CANDIDATO À JUNTA DE FREGUESIA DE CARREGOSA

Henrique Vieira nasceu há 53 anos, e é filho de João Vieira e Maria Madalena, casado e tem um filho. Profissionalmente, é comercial na Cardoso & Maia, SA, uma grande empresa, à qual se orgulho em pertencer. É candidato à Junta de Freguesia de Carregosa, pois não podia ficar indiferente ao convite que lhe foi formulado pelo Partido Socialista e também pela equipa que tem a honra e o privilégio de liderar. É uma equipa formada por gente competente, dinâmica e sobretudo empenhada no progresso e desenvolvimento da nossa vila. Está convicto das dificuldades que vai encontrar, pois a freguesia ainda tem muitas carências e os recursos financeiros são escassos. No entanto, com a sua experiência e conhecimentos e principalmente, com o seu empenho e dedicação, estamos certos que fará um bom trabalho, mas no dia 29 de Setembro precisa da confiança dos carregosenses para o poder executar. A esmagadora maioria dos carregosenses já conhecem o trabalho que tem vindo a desenvolver em prol da Vila de Carregosa, em particular a nível associativo na Juventude Desportiva Carregosense, na Banda de Música de Carregosa, na Associação de Reformados e Pensionistas de Carregosa, na Associação de Pais EB2,3 e já puderam avaliar o seu desempenho como Juíz nas Comissões de Festas de Carregosa. Durante vários anos, foi Diretor do Jornal a “Cuca” e correspondente local do Jornal a Voz de Azeméis, onde fui dando nota do que ocorria na freguesia de Carregosa. Foi Presidente da Assembleia de Freguesia de Carregosa, órgão do qual faço parte há alguns anos, mas não é um político profissional, nem pretende ser. Sempre defendeu e vai defender os interesses da freguesia. Sempre gostou de deixar marcas pela positiva nos projetos e cargos por onde passou. Agora, quer fazê-lo como Presidente da Junta de Freguesia de Carregosa.

15

16


17

18


COMPROMISSOS Da análise e reflexão sobre as necessidades em cada um dos lugares, a nossa Equipa assume com os habitantes da freguesia de Carregosa os seguintes compromissos: Ação Social - Promover, com um grupo de Carregosenses a construção de um Centro de Dia/Lar - Colaborar com a Comissão de Assistência na realização das suas atividades - Apoiar todas as associações na continuidade da “Barata Feira” e outras atividades Saúde, Meio Ambiente e Segurança - Promover campanhas de sensibilização, para a recolha seletiva e a reciclagem - Zelar pela manutenção e embelezamento do cemitério - Apresentar uma candidatura para recuperar os moinhos existentes - Iniciar a construção de uma zona de lazer junto à área desportiva, próximo do Rio Ínsua, com área pedonal e convívio - Recuperar e manter em bom estado todos os fontanários e tanques públicos - Alertar as entidades competentes, para um reforço do patrulhamento em toda a freguesia, em especial na zona escolar e no periodo noturno Arranjos Urbanísticos/Obras nos Espaços públicos - Implementar, em estreita relação com o município, um programa de limpeza dos espaços públicos nas freguesias - Protocolar com o municipio as necessidades de intervenção na rede viária ao longo do mandato - Construir um armazém de materiais, maquinas e ferramentas para a Junta de Freguesia Educação e Cultura - Colaborar com o Agrupamento de Escolas e Associações de Pais na dinamização da Biblioteca de Carregosa - Apoiar as comissões de festas da freguesia - Promover em parceria com as coletividades, atividades de relevo para a freguesia

Henrique Vieira

Mafalda Teixeira

Constança Melo

Frederico Bastos

Elizabete Oliveira

Fernanda Sousa

Luís Oliveira

Rogério Bastos

Florbela Almeida

Pedro Pinho

Leonel Silva

Lurdes Paiva

Rogério Melo

Vera Santos

Fernando Fernandes

Tiago Vieira

Celeste Pinho

Francisco Oliveira

Vendedor

Aux. Acção Educativa

Industrial

Técnica Oficial de Contas

Empregado Fabril

Comercial

Comercial/ Gerente

Reformado

Reformado

Carteiro

Empregada de Escritório

Professora

Técnica de Farmácia

Comercial

Reformado

Tempos Livres e Desporto - Iniciar o processo de construção de um Pavilhão Gimnodesportivo em parceria com as coletividades da freguesia - Apoiar a conclusão das obras dos balneários, do polidesportivo da Associação de Teamonde Relação com os cidadãos - Dinamizar o portal da Junta de Freguesia, tornando-o um espaço de informação e de diálogo permanente com todos os Carregosenses

19

Estudante Universitário

Professora

Metalúrgico

20


CESAR Cesar nasceu na base do monte Calbo, serra onde existiu até à baixa idade média um importante castro, o Castro Calbo. Nesta região estabeleceu-se a capital do povo Lusitano "terduli-veteres" e, aquando das invasões Romanas, estes povos terão ocupado a planície que hoje é realmente habitada, visto o castro estar totalmente soterrado, senão mesmo destruído. Todos os meses realiza-se a “Feira dos 18”, uma das mais importantes feiras da região, tendo já tradição secular.

Área: 5,43 Km2 População (censos 2011): 3 166 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 2 769. Nº de habitações: 1.419 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: Indústria de louça de alumínio e aço inoxidável, moldes e calçado. Principais recursos naturais: Solos férteis Rede de Água: 93% Rede de Saneamento Básico: 27,5% Pontos com interesse a visitar: Casa dos Brasileiros, Cruzeiro de Cesar, Capela de Nossa Senhora da Graça, Capela de Nossa Senhora da Esperança e Santa Apolónia, Igreja Matriz, Mosteiro de Vilarinho, Casa do Outeiro e Crasto Calbo.

Por altura das Festas Grandes, na primeira semana de Julho, em honra de São Pedro, do Mártir São Sebastião e de Nossa Senhora da Graça, a Vila de Cesar é visitada por dezenas de milhares de pessoas. Atualmente Cesar é um importante centro industrial, onde estão sediadas algumas das mais importantes empresas da região, predominando a indústria da louça de cobre e aço inoxidável, dos moldes e do calçado. Em termos culturais, é uma freguesia com um destacável movimento associativo, salientando-se o Futebol Clube Cesarense, com um destacável trabalho a nível da formação e do futebol feminino e a Villa Cesari que desenvolve múltiplas atividades culturais e desportivas, assim como o Clube Caça e Pesca de Cesar e o Centro Columbófilo de Cesar. Finalmente, Cesar é a sede da Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das Terras de Santa Maria, a qual visa a apoiar e desenvolver projetos de valorização económica do património e cultura regional.

21

RICARDO OLIVEIRA

CANDIDATO À JUNTA DE FREGUESIA DE CESAR

Ricardo Oliveira nasceu em Cesar, há 31 anos, é casado e tem um filho. É precisamente para garantir um bom futuro para o seu filho que Ricardo Oliveira participa politica e civicamente na construção duma comunidade mais justa e mais solidária. Tendo frequentado o ensino básico na escola Primária de Cesar e na EBS de Fajões, concluiu o ensino secundário na EBS de Ferreira de Castro e licenciou-se em Engenharia Mecânica e Gestão Industrial na Escola Superior de Tecnologia de Viseu. Do ponto de vista profissional, iniciou funções na Polisport Plásticos, S.A. em 2005, como Técnico de Codificação de Produto, posteriormente desempenhou as funções de Técnico de Especificação de Produto e, atualmente, como Gestor de Projeto, lidera uma equipa responsável pela gestão de projetos da empresa. Desde muito novo que tem uma participação social e cívica de enorme relevo, tendo desempenhado ao longo de vários anos funções nos órgãos sociais da Associação “Villa Cesari”Associação de Cultura e Desporto de Cesar. Atualmente é Catequista no grupo de adolescentes. Em 2009 foi eleito para a Assembleia de Freguesia de Cesar, onde tem participado de forma empenhada na discussão dos problemas dos Cesarenses e apresentado um conjunto de propostas para a sua resolução. Apresenta características inatas de liderança o que contribui para transformar a sua equipa num grupo unido e fortemente empenhado em continuar o desenvolvimento sustentado da Vila de Cesar. Ricardo Oliveira alia experiência à irreverência própria da sua juventude, características que lhe conferem a capacidade para gerir com competência a realidade atual, procurando sempre novas soluções que reforcem a importância económica e social da freguesia de Cesar.

22


23

24


COMPROMISSOS Da análise e reflexão sobre as necessidades em cada um dos lugares, a nossa Equipa assume com os habitantes da freguesia de Cesar os seguintes compromissos: Ação Social - Criar um gabinete de apoio ao cidadão com um banco de emprego e acompanhamento social - Cooperar com a Assistência Paroquial no combate a situações de risco de pobreza e com os serviços da Ação Social do Município na identificação e apoio às famílias carenciadas Saúde, Meio Ambiente e Segurança - Pugnar junto da Câmara Municipal pela ligação da rede de saneamento à ETAR e pela diminuição do custo da adesão ao serviço da rede de água - Efetuar manutenção às fontes e fazer análises periódicas das águas - Assegurar no estaleiro da Junta um depósito temporário para lixo de jardinagem, eletrodomésticos, colchões, etc - Administrar cursos de formação de Socorrismo - Promover ações de sensibilização sobre Energias Renováveis - Providenciar para se instalar 2 máquinas de manutenção física no jardim da Gândara

Ricardo Oliveira

Manuel Machado

Maria Correia

Jorge Almeida

Joaquim Almeida

Sónia Tavares

Rui Oliveira

Sérgio Silva

M.ª Fátima Caetano

Horácio Conceição

André Ferreira

Cláudia Henriques

António Pinho

António Estrela

Mónica Pereira

José Carlos Oliveira

José Oliveira

Ana Filipa Oliveira

Gestor de Projectos

Técnica de Educação

Reformado

Técnico de Vendas

Reformada

Metalúrgico

Reformado

Reformada

Funcionário Público

Metalúrgico

Arranjos Urbanísticos/Obras nos Espaços públicos - Programar, em colaboração com o município, a limpeza dos espaços públicos da freguesia - Protocolar com o Município as necessidades de intervenção na rede viária ao longo do mandato - Revitalizar o tanque público de Mirões e eliminar o tanque da Fonte Nova - Arranjar passeios na Pedra Má e no lugar do Picoto Educação e Cultura - Centralização do Pré-Escolar em Vilarinho - Apoiar as associações culturais, recreativas e desportivas da freguesia - Disponibilizar gratuitamente espaço para a formação de funcionários de empresas

Empregado de Escritório

Técnica de Contabilidade

Metalúrgico

Reformado

Empregada de Armazém

Tempos Livres e Desporto - Apoiar as associações na organização de torneios desportivos, envolvendo várias modalidades e escalões etários Relação com os cidadãos - Apoiar a instalação de empresas na freguesia - Distribuir um folheto informativo periodicamente, contendo toda a informação relativa a atividades/obras efetuadas, ou a efetuar

25

Técnico de Calçado

Reformado

Estudante Universitária

26


FAJÕES

O povoamento da Vila de Fajões é antiquíssimo, remontando aos tempos pré-históricos, cerca de 5.000 anos antes de Cristo, como o provam diversos vestígios arqueológicos. As Inquirições de D. Dinis, de 1288, referem que Fajões é terra de fidalgos, dizendo expressamente que tem duas quintas honradas chamadas “Faiões”, uma que “he de Maria Rodriguez e de seus filhos”, e “outra quintã a que foy de Martim Diaz e ficou a seus filhos” e que o lugar de S. Mamede é terra honrada e de fidalgos, desde o tempo de D. Sancho.

Área: 8,12 Km2 População (censos 2011): 3.087 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 2.850 Nº de habitações: 958 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: Produção agrícola, indústria Principais recursos naturais:Rio de Antuã, solos agrícolas, floresta Rede de Água: 4,6% Rede de Saneamento Básico: 11,5% Pontos com interesse a visitar: Capela do Monte de S. Marcos, Capela de Nossa Senhora da Lapa, Igreja Matriz, Capela de Nossa Senhora das Dores e Capela de Nossa Senhora da Ribeira.

Com a criação da vila e concelho de Oliveira de Azeméis, por D. Maria I, em 5 de Janeiro de 1779, Fajões passou do Conce- lho da Feira para o município Oliveirense em cuja jurisdição se mantém. Em Fajões, podemos encontrar um número significativo de moinhos, todos no Rio Antuã e ribeiros afluentes. Dada a morfologia da terra, todos eles são moinhos de rodízio e o maior número fica entre a ponte do Pisão e o lugar da Retorta. Um dos lugares mais antigos de Fajões é o de S. Mamede, onde nasce o rio Ul e se localiza o Monte de S. Marcos, no cimo do qual se encontra a Capela e se pode observar um encantador panorama. A 25 de abril realiza-se a Festa em honra de S. Marcos. A freguesia de Fajões foi elevada à categoria de Vila a 30 de Agosto de 1995 e conta com um conjunto de importantes associações e coletividades, destacando-se a Banda Musical S. Martinho de Fajões, a Associação Cultural e Recreativa de Fajões e o Grupo Folclórico As Ceifeiras de S. Martinho de Fajões.

27

FERNANDA SOUSA CANDIDATO À JUNTA DE FREGUESIA DE FAJÕES

Fernanda Sousa é filha de Valdemar “Leiteiro” e tem 43 anos. É casada e mãe do Diogo, um jovem de 14 anos. Desde a sua adolescência que trabalha, inicialmente na agricultura e depois, entre 1988 e 1999, como Assistente de Consultório de Médico Dentista, em S. João da Madeira. Deixou este emprego após o nascimento do seu filho, para se dedicar a tempo inteiro à sua educação e para auxiliar uma tia que precisava de cuidados de saúde. Fernanda Sousa é uma força da natureza. Conhecida pela sua enorme energia, sentido prático e disponibilidade para se dedicar a ajudar os que mais necessitam, sempre esteve ligada a associações sociais e culturais, onde desempenhou vários cargos e tem desenvolvido uma intensa atividade, em prol do desenvolvimento da sua comunidade. Faz parte da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola EB/S de Fajões e é Tesoureira na ACREF. Para além disso, pertence à Direção da Banda de Música de S. João da Madeira e é sócia da Academia de Música de Oliveira de Azeméis. A nível da Igreja, integrou o grupo de Catequistas e assumiu as funções de Leitora nas Eucaristias. Dotada de um espírito nobre e muito positivo, no atual mandato é Secretária da Assembleia de Freguesia de Fajões, onde participa de forma ativa e empenhada na discussão dos problemas dos Fajoenses, mostrando sempre disponibilidade para colaborar na procura das melhores soluções para a sua terra. Pela sua coragem, dinamismo e pela força com que ultrapassa as adversidades, Fernanda Sousa é a única candidata capaz de unir TODOS OS FAJOENSES em torno do progresso e desenvolvimento de Fajões. Com o amor que sente por Fajões, com a sua capacidade para unir e trabalhar em equipa, Fernanda Sousa será sem dúvida alguma a Presidente de Junta que Fajões precisa para se tornar uma freguesia de TODOS.

28


29

30


COMPROMISSOS Da análise e reflexão sobre as necessidades em cada um dos lugares, a nossa Equipa assume com os habitantes da freguesia de Fajões os seguintes compromissos: Ação Social - Cooperar com os serviços da Ação Social do Município na identificação e apoio às famílias carenciadas Saúde, Meio Ambiente e Segurança - Sensibilizar a população para hábitos de vida saudável, defesa do ambiente e de segurança, através da implementação de programas de cooperação com as estruturas municipais e outras instituições, designadamente dos Bombeiros Voluntários de Fajões Arranjos Urbanísticos/Obras nos Espaços públicos - Implementar, em estreita relação com o município, um programa de limpeza dos espaços públicos na freguesia - Inventariar as necessidades de intervenção na rede viária, protocolando com o município as obras relativas à sua requalificação, ao longo de todo o mandato - Reivindicar a conclusão da 4ª fase da Via do Nordeste - Estudar todo o processo relativo à Casa Mortuária, com vista a exigir a sua rápida construção, de acordo com as necessidades da freguesia - Defender junto do Município a requalificação dos moinhos e áreas de lazer do rio Antuã

Fernanda Sousa

Anabela Pinheiro

Rosa Almeida

Pedro Paiva

Ana Elisabete Ribeiro

Alexandra Ferreira

António Monteiro

Rosa Silva

Sandra Silva

Paulo Pinho

Carla Santos

Cláudia Bastos

Daniel Pinho

M.ª Amália Correia

Doméstica

Cabeleireira

Administrativa

Técnico Logística

José Paiva Motorista

Oficial Registos e Notariado

Susana Almeida Eng.ª Civil

Animadora Social

Educação e Cultura - Assegurar uma estreita relação com o Agrupamento de Escolas de Fajões/Carregosa, assim como os Serviços do Gabinete da Educação do Município, de forma a apoiar o funcionamento dos Jardim-de-infância e Escolas EB1 - Estabelecer um contacto regular com as diferentes associações culturais e recreativas da freguesia, assegurando uma oferta cultural regular ao longo do ano Tempos Livres e Desporto - Apoiar as associações na organização de torneios desportivos, envolvendo várias modalidades e escalões etários - Diligenciar junto do Município a execução de obras no Polidesportivo, com vista à sua cobertura e execução de balneários - Pugnar junto do Município pela elaboração de uma candidatura à Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das Terras de Santa Maria (ADRITEM), com vista a construir a Casa das Coletividades Relação com os cidadãos - Assegurar o contacto regular dos autarcas da Junta de Freguesia, promovendo uma gestão partilhada e em contacto com a população das freguesias - Proceder regularmente à atualização da página da Internet da Junta de Freguesia, promovendo a divulgação de informação junto da população

31

Fotógrafo

Operária Fabril

Desempregada

Operária Fabril

Operária Fabril

Picheleiro

Agricultor

Operária Fabril

32


MACIEIRA DE SARNES Macieira de Sarnes é uma freguesia que também tem a sua história e, inclusivamente a sua Pré-história. Achados de pedra polida, sepulturas visigóticas, os topónimos romanos e pré-romanos, são disso exemplo. Foi curato da freguesia de Cesar, pertencendo o padroado eclesiástico à família Cernache, senhora do vínculo da Quinta de Macieira de Sarnes. Após o falecimento, em 1632, do padre António de Castro, os representantes da Casa fizeram a apresentação do novo pároco.

Área: 3,87 Km2 População (censos 2011): 1.925 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 1.782 Nº de habitações: 625 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: Indústria Principais recursos naturais: Rio pintor Rede de Água: 93,9% Rede de Saneamento Básico: 27,8% Pontos com interesse a visitar: Casas do Touto, de Resende e do Passadiço, a Quinta do Conde Campobelo (do século XVII), Capela de Santa Eulália e o Cruzeiro

33

Surgiu a contestação dos senhores da casa da Torre de Cesar, dando-se, porém, sentença final a reconhecer o padroado dos primeiros, que o mantiveram até aos últimos tempos. Segundo Pinho Leal, Macieira de Sarnes teve início numa capela de Santa Eulália, situada no lugar das Terças, a qual se mudou para a atual localização assim que foi elevada a freguesia. A nível dA arte, o artesanato tradicional desta freguesia é a tecelagem e a escultura em raízes de árvores. Finalmente, Macieira de Sarnes é uma freguesia de gente laboriosa e possui algumas coletividades, de onde se destacam a Sociedade Columbófila de Macieira de Sarnes, a Associação de Solidariedade Social, Futebol Clube Macieirense, ADEC (Associação Desportiva e Cultural de Macieira de sarnes), Amiguinhas do artesanato, ARI (Associação de reformados e idosos de Macieira de sarnes. Associação de pais da escola EB-1 De Macieira de Sarnes.

PAULO MARTINS

CANDIDATO À JUNTA DE FREGUESIA DE MACIEIRA DE SARNES

Paulo Martins tem 41 anos e reside em Macieira de Sarnes há 16 anos. É casado e tem duas filhas. Trabalhador durante vários anos no setor do calçado, frequentou o Centro Profissional de Formação para a Indústria de Calçado em S. João da Madeira, onde obteve o Curso de Encarregado Geral. Nos últimos anos estabeleceu-se como empresário, inicialmente como sócio gerente da Motobike de Nogueira do Cravo e, há 2 anos, como proprietário da Conceptcar, empresa localizada em Macieira de Sarnes, ligada ao comércio de viaturas automóveis. Dotado de um grande dinamismo, Paulo Martins tem lutado nos últimos anos como membro da Assembleia de Freguesia de Macieira de Sarnes por mais investimentos da autarquia na sua freguesia no sentido de neutralizar atração que o concelho vizinho exerce sobre a população Macieirense. A sua experiência como autarca e o seu contacto diário com muitos Macieirenses permitiram-lhe conhecer profundamente os problemas da freguesia de Macieira de Sarnes e quais os legitimos anseios dos Macieirenses. Com Paulo Martins a Presidente, Macieira Sarnes ganhará um defensor intrasigente seus interesses e um autarca empenhado atrair investimentos públicos e privados desenvolvam a freguesia.

de dos em que

A sua vontade e determinação é apoiada por uma grande equipa que, tal como Paulo Martins, ama a sua terra e que, juntos, trabalharão para promover o progresso e a melhoria da qualidade de vida dos Macieirenses.

34


COMPROMISSOS Da análise e reflexão sobre as necessidades em cada um dos lugares, a nossa Equipa assume com os habitantes da freguesia de Macieira de Sarnes os seguintes compromissos: Ação Social - Promover a Construção de um Lar de Idosos em parceria com as instituições locais Saúde, Meio Ambiente e Segurança - Reivindicar a execução das redes de saneamento e abastecimento de água na freguesia - Rever a postura de trânsito da freguesia - Reivindicar a renovação da iluminação pública Arranjos Urbanísticos/Obras nos Espaços públicos - Implementar, em estreita relação com o município, um programa de limpeza dos espaços públicos nas freguesias - Protocolar com o município as necessidades de intervenção na rede viária ao longo do mandato, com especial incidência na Rua dos Ingleses - Reestruturar a zona envolvente no Lugar da Capela, com criação de zona pedonal e wc - Criar um Parque Infantil na Pedra Branca - Protocolar com o Município o alargamento e pavimentação da Rua Travessa Nova do Rio - Instalação de uma Estrutura/Cobertura na capela mortuária - Recuperar e manter em bom estado todos os tanques públicos Educação e Cultura - Apoiar as atividades promovidas pelas escolas e/ou agrupamentos escolares, coletividades e associações Tempos Livres e Desporto - Apoiar na aquisição dos terrenos envolventes ao Campo de Futebol Clube Macieirense, assim como na construção de novos balneários - Reformular toda a área do terreno da Vessada tornando-a numa zona de convívio e lazer - Aumentar em 30% os apoios concedidos às associações e coletividades Relação com os cidadãos - Promover uma gestão partilhada e em contacto com a população da freguesia

35

36


EU

APOIO Cristina Oliveira

Patrícia

Albano Rocha

Bruno Capela

Angelo Resende

António J. Almeida

Lucrécia Portela

Vera Gomes

Maria Silva

Vítor Santos

Vanessa Patrícia

Sofia Tavares

Mário Pinto

Júlio Dias

Manuel Almeida

Diogo Moreira

Rodrigo Ribeiro

Augusto Marques

Vera Ribeiro

Arlindo Silva

Márcio Oliveira

José Ricardo

Domingos Aleixo

Carla Gomes

António Novais

Daniela Ribeiro

Carlos Martins

37

Elizabete Pinho

António Almeida

Serafim Jorge

Agostinho Gomes

Cristina Pinho

Nuno Pereira

38


NOGUEIRA DO CRAVO Nogueira do Cravo tem como primeira referência escrita um documento datado de 1049, embora o primeiro povoamento remonte a épocas muito mais antigas. Há referências a Nogueira do Cravo na avaliação dos rendimentos das igrejas e mosteiros do País, ordenado por D. Dinis na sequência da Bula dada em Avinhão, a 23 de Maio de 1320, pelo Papa João XXII pela qual lhe concedeu, por três anos, para subsídio de guerra contra os mouros, a décima parte das rendas eclesiásticas do Reino, com exceção dos pertencentes à Ordem do Hospital.

Área: 4,90 Km2 População (censos 2011): 2.895 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 2.481 Nº de habitações: 901 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: Comércio, Industria de Calçado e Empresas ligadas ao sector automóvel Principais recursos naturais: Solos férteis, filão de minerais (arsenopirite, volframite, galena e anglesite), floresta e terrenos agrícolas Rede de Água: 94,5% Rede de Saneamento Básico: 10,2% Pontos com interesse a visitar: Igreja Matriz, Capela de Nossa Senhora dos Prazeres e Minas do Pintor.

Nogueira do Cravo pertenceu ao termo e condado da Feira até 1799, transitando depois para o Município de O. de Azeméis. Relativamente ao seu património, Nogueira do Cravo conta com a Igreja Matriz, do século XVIII, as Capelas de Santo Antão e de Nª Sª dos Prazeres, os Arcos, a Fonte e os Moinhos do Vale de D. Pedro, as Casas de Martins Portugal e do Lima. Em relação à economia da freguesia, Nogueira do Cravo teve outrora diversas atividades de grande impacto, nomeadamente os barros (jarros, panelas, pratos, copos e barros artísticos) e o desenvolvimento industrial desta vila terá sido fruto da exploração das Minas do Pintor, uma unidade industrial importante para a região. A nível desportivo, recreativo e cultural, destaca-se o importante papel da Associação A NOZ, O Real Clube Nogueirense e a Escola de Ciclismo Bruno Neves.

39

AGOSTINHO TAVARES

CANDIDATO À UNIÃO DE FREGUESIAS DE NOGUEIRA DO CRAVO PINDELO

Agostinho Tavares tornou-se num Nogueirense de “corpo e alma” que tem vindo ao longo da sua vida a desenvolver uma intensa actividade pública e cívica ao serviço da sua comunidade. Professor durante quase duas décadas na Escola EB1 Maria Godinho, em Nogueira do Cravo, onde sempre exerceu o cargo de Diretor de Escola, promoveu uma forte relação entre a escola, os pais e a comunidade, sendo responsável pela criação das famosas feirinhas. Muito conhecido e acarinhado em Nogueira, o professor Agostinho foi também um dos mais importantes impulsionadores da criação do Rancho Infantil e Juvenil de Nogueira do Cravo e foi um dos responsáveis pelo processo de construção do "ATL" nessa Escola. Foi Presidente da Associação "A Noz” durante 3 anos, onde promoveu a dinamização várias atividades, culturais e recreativas. Em 2013, exerceu com reconhecido sucesso o cargo de Juiz das Festas em honra de Cristóvão, Santo Antão e Nossa Senhora dos Prazeres e, atualmente, é membro da Direção do Corpo de Bombeiros Voluntários de Fajões. No mandato anterior desempenhou o cargo de Presidente da Junta de Nogueira do Cravo, onde de forma firme, abnegada e transparente defendeu o desenvolvimento para esta freguesia. Agora, aposentado e com disponibilidade a tempo inteiro para o serviço público, assume a liderança da lista candidata à União de Freguesias de Nogueira do Cravo e Pindelo, com uma enorme vontade e uma grande determinação em transformar estas duas freguesias num importante pólo de desenvolvimento do nosso concelho. Agostinho Tavares é o homem indicado para promover o desenvolvimento homogéneo destas duas freguesias, sem nunca favorecer uma freguesia em relação à outra, e respeitando sempre a vontade e os interesses das populações de Nogueira do Cravo e Pindelo.

40


PINDELO Pindelo é também uma freguesia de remota existência, tendo como primeira referência escrita um documento com a data de 1134. Deve o seu nome à palavra latina "pinitellum", diminutivo de "pinitum" (pinhal). Nos tempos dos Visigodos, o território de Pindelo pertenceu à diocese do Porto, que aqui terminava, ao longo do curso do rio Antuã. Depois das invasões muçulmanas, Pindelo terá sido reconquistado pelos presores galegos, antepassados de Ega Moniz, e doada, primeiro ao Mosteiro de Pedroso e depois ao de Paço de Sousa. Nas Inquisições de D. Afonso III, em 1258, aparece citada, pela primeira vez, como paróquia de Santa Maria de Pydello. Área: 7,64 Km2 População (censos 2011): 2.595 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 2.264 Nº de habitações: 825 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: Indústria Principais recursos naturais: Rio Antuã Rede de Água: 60,9% Rede de Saneamento Básico: 5,3% Pontos com interesse a visitar: Igreja Velha e casario circundante, Capela de Pinhão, Moinhos e Serra do Pereiro.

41

No período entre 1783 e 1801, é sabido que o ofício de “sombreiro” ou chapeleiro teve grande importância económica em Pindelo. Houve também aqui uma mina de cobre, no lugar de Ladeira, concedida ao Visconde de Castro e Silva que chegou a ser explorada. Em termos de património, merecem destaque a Igreja velha e o casario circundante, assim como, a Capela de Pinhão, os moinhos e a Serra do Pereiro.

JOSÉ MOREIRA

José Moreira nasceu em 1947, casado, é pai de seis filhos e avô de 8 netos que muito o orgulham. Emigrante durante 20 anos em França, onde exerceu a profissão de motorista de longo curso, regressou a Portugal em 1989 onde se instalou como empresário no fabrico e instalação de recuperadores de calor, atividade que mantém até à atualidade. Apesar de já se encontrar aposentado, continua a ser um homem dedicado ao trabalho que quer colocar a sua grande experiência de vida, ao serviço da sua terra. Como passatempo, gosta da caça e pesca e é sócio do Centro Social Cultural e Recreativo de Pindelo, tendo colaborado ativamente na anga riação de fundos para a construção das suas atuais instalações. Desde há 8 anos que é membro da Assembleia de Freguesia de Pindelo, fazendo agora parte da equipa candidata à União das Freguesias de Nogueira do Cravo e Pindelo, freguesias que conhece muito bem. Esta equipa, liderada pelo professor Agostinho Tavares, integrará outros Pindelenses empenhados em trabalhar em prol da defesa dos interesses dos habitantes desta freguesia. José Moreira Gomes é um homem simples e determinado com uma vida construida com muito esforço e trabalho, dedicação e determinação que quer colocar na defesa dos interesses, do progresso e do desenvolvimento da freguesia de Pindelo.

A nível das coletividades e apoio social, destaca-se o importante papel do Centro Social Cultural e Recreativo de Pindelo

42


COMPROMISSOS Da análise e reflexão sobre as necessidades em cada uma das freguesias, a nossa Equipa assume com os habitantes que integram a União de Freguesias de Nogueira do Cravo e Pindelo os seguintes compromissos: Ação Social - Criar o SOS Idosos – pequenas reparações domiciliárias nas habitações de carenciados - Dinamizar um Gabinete de Apoio à Família com apoio psicológico e jurídico - Pugnar por um sistema de combate ao isolamento dos cidadãos - Criar bolsa de emprego em coordenação com os serviços da autarquia - Apoiar todas as ações de Solidariedade Social;

Agostinho Tavares Professor Aposentado Nogueira do Cravo

José Moreira Reformado Pindelo

Mª Etelvina Oliveira Escriturária Nogueira do Cravo

Gaspar Almeida (Ind) Eng. Produção Industrial Nogueira do Cravo

Mª Isabel Almeida Administrativa Pindelo

Saúde, Meio Ambiente e Segurança - Sensibilizar as entidades competentes para a reabertura do Posto Médico de Pindelo - Pugnar pela execução da rede de saneamento e abastecimento de água nas freguesias - Manter espaços públicos limpos e asseados e sensibilizar proprietários para a limpeza dos campos e matas - Rever a postura de trânsito das freguesisa - Reivindicar a renovação da iluminação pública Arranjos Urbanísticos/Obras nos Espaços públicos - Implementar, em colaboração com o município, um programa de limpeza dos espaços públicos nas freguesias - Protocolar com o municipio as necessidades de intervenção na rede viária ao longo do mandato - Pugnar pela requalificação, a curto prazo, da Zona industrial Nogueira do Cravo/Pindelo - Implementar o alargamento do cemitério de Nogueira do Cravo; - Proceder ao estudo e implementação da requalificação e ordenamento do cemitério de Pindelo Educação e Cultura - Apoiar as atividades promovidas pelas escolas e/ou agrupamentos escolares, coletividades e associações - Apoiar a conservação, higiene, limpeza e manutenção dos espaços escolares - Criar o Dia da Juventude Tempos Livres e Desporto - Apoiar todas as Associações das duas Freguesias - Organizar o passeio/convívio anual da união de freguesias de Nogueira do Cravo e Pindelo - Construir uma área de desporto e lazer em terrenos fronteiriços às duas freguesias

Rui Correia

Ana Cristina Costa

Lígia Silva

Fernando Batista Fiel de Armazem Pindelo

Bruno Pinto

Escriturária Nogueira do Cravo

Diana Costa

Rogério Ribeiro

Patrícia Valente

Carlos Gomes

Tiago Carvalho

Emília Reis

Ana Fernandes

Mário Silva

Advogado Nogueira do Cravo

Gestora Pindelo

Operária Fabril Nogueira do Cravo

Empregada Escritório Pindelo

Vidraceiro Nogueira do Cravo

Animadora Sócio Cultural Pindelo

Técnica Oficial de Contas Pindelo

Técnico de Electrónica Nogueira do Cravo

Engenheiro Civil Nogueira do Cravo

Fresador TNC Pindelo

Metalúrgico Nogueira do Cravo

Relação com os cidadãos - Apoiar e dinamizar projetos e trabalhos relacionados com a atividade agrícola, aproveitando o potencial dos terrenos propícios de ambas as freguesias

43

44


45

46


EU APOIO Germano Pinho Pindelo

Amândio Silva Nogueira do Cravo

João Costa Pindelo

Emília Neves Nogueira do Cravo

47

Vânia Rodrigues Nogueira do Cravo

José Barbosa Pindelo

José Amorim Nogueira do Cravo

Diogo Melo Pindelo

Avelino Costa Pindelo

Rui Miranda Nogueira do Cravo

André Gomes Pindelo

Daniel Rocha Nogueira do Cravo

José Paiva Pindelo

José Rodrigues Nogueira do Cravo

Paulo Oliveira Pindelo

João Oliveira Pindelo

Bruno Resende Nogueira do Cravo

Paulo Castro Pindelo

Ana Carvalho Nogueira do Cravo

Avelino Oliveira Pindelo

José Augusto Nogueira do Cravo

Luís Resende Nogueira do Cravo

Joana Oliveira Nogueira do Cravo

Ivo Amaral Nogueira do Cravo

Jorge Carvalho Pindelo

Tiago Ferreira Nogueira do Cravo

Ana Cristina Nogueira do Cravo

Tiago Gonçalves Pindelo

João Neves Nogueira do Cravo

Viítor Moreira Nogueira do Cravo

M.ª de Lurdes Nogueira do Cravo

Justino Resende Nogueira do Cravo

Alda Resende Nogueira do Cravo

António Silva Pindelo

João Brandão Nogueira do Cravo

Fábio Silva Nogueira do Cravo

Vanessa Santos Nogueira do Cravo

Manuel Rodrigues Nogueira do Cravo

Mariana Silva Nogueira do Cravo

Ricardo Lopes Nogueira do Cravo

Daniel Agostinho Nogueira do Cravo

Nuno Miguel Nogueira do Cravo

48


OLIVEIRA DE AZEMÉIS Oliveira de Azeméis é a sede do município cuja história remonta a cerca de 3.000 a 2.000 anos a.C.. O nome da freguesia terá origem numa das três versões possíveis. A primeira atribui-se às oliveiras a que os azeméis (condutores de azémolas) prendiam as azémolas (animais de carga). A segunda defende que o nome resulta do termo árabe “algeme” que significa arraial ou ajuntamento e a terceira inclina-se para o termo “azemeles”, étimo de almocreves, que eram os antigos intermediários que comercializavam produtos como a farinha, o pescado ou o sal. Área: 9.25 Km2 População (censos 2011): 12.204 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 10.197 Nº de habitações: 5.655 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: Indústria de moldes, indústria de calçado, Laticínios, Comércio e Serviços Principais recursos naturais: Rio Ínsua e Antuã Rede de Água: 97,6% Rede de Saneamento Básico: 44% Pontos com interesse a visitar: Museu Regional, Capela e Parque de La Salete, Casas de Sequeira Monterroso, dos Monteiros, dos Corte-Real, dos Sousas Pedrosas, Edifício dos Paços do Concelho, Mercado Municipal, Igreja Matriz, junto à qual se situa o Marco Miliário da Milha XII descoberto em Ul, e Hotel Dighton.

CANDIDATO À UNIÃO DE FREGUESIAS DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS SANTIAGO DE RIBA-UL MACINHATA DA SEIXA UL MADAÍL

Trabalhou no setor da banca, mas atualmente é sócio gerente de uma farmácia, condição que lhe permite dispor de tempo para se dedicar de corpo e alma à sua terra. Desde muito novo que se sente atraído pelo bem-comum e pelas atividades da Paróquia. Frequentou o Seminário, onde aprendeu a dar importância à organização da vida coletiva. É Juiz Social e faz, ou fez, parte de várias coletividades e instituições, destacando-se a Casa Museu Regional, Santa Casa Misericórdia, Escola Livre de Azeméis, Associação Recreativa Cultural e Desportiva Lações, assim como Comissão de Melhoramentos da La-Salete.

A 16 de Maio de 1984, foi elevada à categoria de Cidade, concentrando a maior parte dos serviços do município e sendo sede de algumas das maiores indústrias do setor dos moldes, calçado e laticínios.

É de destacar a sua intensa participação no movimento associativo das Associações de Pais, tendo sido Presidente da Federação das Associações de Pais do Concelho de Oliveira de Azeméis. Atualmente, é Presidente da Associação de Pais da ES Ferreira de Castro.

A cidade é atravessada pela via militar romana que ligava Lisboa a Braga, a qual faz parte dos Caminhos de S. Tiago de Compostela e possui um núcleo histórico muito interessante que integra as ruas pedonais, onde se localizam algumas das casas brasonadas.

Para além disso, foi representante nos órgãos da Federação das Associações de Pais de Aveiro e da Confederação Nacional das Associações de Pais.

Outro símbolo da cidade é o Parque da La-Salete, de onde se vislumbra uma magnífica vista e localizam dois importantes equipamentos: a Estalagem S. Miguel (ainda encerrada) e a Piscina Municipal descoberta. A nível gastronómico, é de salientar as papas S. Miguel, com uma Confraria Gastronómica, e os doces ”beijinhos de azeméis”.

15

RICARDO BASTOS

Ricardo Bastos, nasceu em Oliveira de Azeméis, onde reside há 48 anos. É casado e pai de três filhas.

Com uma grande paixão pela corrida, desencadeou um movimento nacional de “Corridas Solidárias” que já conseguiu angariar mais de 13.000 euros, entregues a Instituições Oliveirenses. Estes atos mereceram-lhe votos de louvor da Câmara e Assembleia Municipal e em 2011 a atribuição da Medalha da cidade. Foi Presidente da Junta Freguesia de Oliveira de Azeméis, de 1993 a 1997 e, atualmente, é deputado da Assembleia Municipal de O. de Azeméis e da Assembleia Metropolitana do Porto, cargos que lhe conferem grande experiência política. Por todos estes aspetos, Ricardo Bastos é o candidato que reúne mais competência, experiência e disponibilidade, três condições essenciais para presidir à União de Freguesias de O. de Azeméis, Santiago de Riba-Ul, Ul, Macinhata da Seixa e Madail, garantindo que as tratará com igual atenção e com a dedicação que bem merecem.

16


SANTIAGO DE RIBA-UL Santiago de Riba-Ul deve o seu nome ao seu padroeiro e localização na margem ou riba do rio Ul e já aparece com este nome num documento de 922, embora em documentos posteriores a 1320 também lhe apareça atribuído o nome de Vila Cova. A mudança do topónimo de Vila Cova para o de Santiago pensa-se que aconteceu com a mudança de assento da igreja para o local onde atualmente se situa a Igreja Matriz. É uma terra industrializada e com uma história cultural antiga, de que é testemunho a sua banda de música que é a mais antiga do país. Área: 6,1 Km2 População (censos 2011): 3.944 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 3.495 Nº de habitações: 1.672 (nº de alojamentos f a m i l i a r e s – C e n s o s 2 0 1 1 ) Principais atividades económicas: Indústria, em especial no setor dos moldes, transportes de mercadorias Principais recursos naturais: Rio Ul. Rede de Água: 95,2 % Rede de Saneamento Básico: 52,1 % Pontos com interesse a visitar: Casa dos Rebelos, Casa do Comandante, Capela e Casa das Garreiras, Alminhas dos Franceses, Igreja Matriz, Capela do Senhor da Campa, Ponte do Salgueiro, Lugar e Capela do Outeiro, Quinta de Santiago e Zona Lazer - Ponte Cavaleiros

Conserva ainda hoje mansões senhoriais, do tipo palacete, como é o caso da Casa dos Rebelos, situada um pouco abaixo da Igreja Matriz, e que se pensa datar do século XIX, possuindo um brasão eclesiástico de escudos romano com as armas dos Rebelos. A ponte do Salgueiro, localizada no lugar do Salgueiro está classificada como de valor concelhio, é uma ponte medieval do século XIV sobre o rio Ul. Possui uma forte tradição associativa e cultural, destacando-se a Banda Filarmónica de S. Tiago de Riba Ul, com quase três séculos, assim como o Corpo Nacional de Escutas - Agrupamento 1099.

RICARDO GASPAR

Ricardo Gaspar reside em Santiago de Riba-Ul, onde nasceu há 42 anos, é casado e pai de duas filhas de 18 e 13 anos de idade. Em termos profissionais, trabalha há muitos anos num conhecido estabelecimento comercial localizado no centro da cidade de Oliveira de Azeméis. O seu dinamismo manifestou-se desde muito jovem, através da sua ligação a vários movimentos paroquiais (Catequese, Coro Litúrgico, entre outros) e atualmente é membro da Associação de Pais da ES Soares Basto. Defende o rigor e a verdade e entende a sua participação politica como uma forma de colabor a r n a s o l u ç ã o d o s p r o b l e m a s d a s p e s s o a s da sua freguesia, sobretudo das mais desfavorecidas. Entre 2005 e 2009, foi Tesoureiro da Junta de Freguesia de S. Tiago de Riba Ul e atualmente é membro da Assembleia desta Freguesia, tendo demonstrado sempre uma grande dedicação e competência no trabalho que desenvolveu pela sua terra. Será o principal representante da sua freguesia na lista da União de Freguesias de Oliveira de Azeméis, S. Tiago de Riba Ul, Macinhata da Seixa, Ul e Madail, liderada por Ricardo Bastos, onde será o porta-voz de todos os Santiaguenses e um acérrimo defensor dos seus interesses. Aceitou com todo o prazer o convite que lhe foi formulado por Ricardo Bastos, porque admira a sua coerência e resistência, acreditando que a sua disponibilidade e capacidade de liderança será determinante para o desenvolvimento desta união de freguesias.

A nível social, dispõem da Associação de Melhoramentos Pró-Outeiro que presta apoio domiciliário a idosos e há muito aguarda a conclusão de um novo equipamento adequado e condigno para os seus utentes.

17

18


MACINHATA DA SEIXA A magnífica localização desta freguesia, de meia encosta por entre o arvoredo, permite o vislumbre de belas paisagens e foi mesmo outrora conhecida como a aldeia das cerejeiras e ficou refferenciada no Livro Guinness World Records no ano de 2000, através da realização do “Macinhata Espanta”, com um total de 1.113 espantalhos patentes em exposição".

Área: 3,42 Km2 População (censos 2011): 1.390 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 1.240 Nº de habitações: 606 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: Construção civil Principais recursos naturais: Solos férteis Rede de Água: 99% Rede de Saneamento Básico: 0% Pontos com interesse a visitar: Quinta do Alméu, Capela de Sto António, Igreja Matriz, Senhor da Ponte, Quinta do Fundo do Lugar, Alminhas, solar dos Soares de Pinho, oratório de Nossa Senhora das Necessidades e Capela de Nossa Senhora do Socorro

19

Macinhata da Seixa é a segunda freguesia mais pequena do município de Oliveira de Azeméis mas nem por isso deixa de ser riquíssima em iniciativas culturais e associativas. Deve o seu nome o termo “mansionata”, que designa um lugar de mansões ou pousadas que seriam aqui construídas pela localização próxima à via militar romana. Esta terra é já referida no primeiro foral das Terras de Santa Maria e existem documentos de doações testamentárias que datam a sua existência já em 1129. O solar da Quinta do Alméu merece uma referência arquitetónica especial, sendo composto por uma generosa vivenda dentro de um quinta fechada, com jardim, capela, albergaria, casas de lavoura e de caseiros. Em termos culturais destaca-se o Grupo Musical Macinhatense, o qual dispõe de um Rancho Folclórico e apoio social, salienta-se o importante trabalho des e n v o l v i d o p e l o C e n t r o S o c i a l e Paroquial de Santo André, relativamente à s c r i anças e 3ª idade.

JOAQUIM MONTEIRO

Joaquim Monteiro, tem 54 anos, é natural de Macinhata da Seixa, onde reside. É casado e tem dois filhos. Em termos profissionais, trabalha numa grande empresa do nosso concelho, onde exerce o cargo de Encarregado de Armazém. Sempre esteve disponível para a participação civica, tendo feito parte dos órgãos de Direção do corpo dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis, onde exerceu o cargo de Tesoureiro. Desde há muito que colabora com a União Desportiva Oliveirense, onde atualmente desempenha o cargo de Diretor da Formação. Em 2009 foi eleito para a Assembleia de Freguesia de Macinhata da Seixa, onde tem participado de forma muito empenhada na discussão dos problemas dos Macinhatenses e apresentado um conjunto de propostas para a sua resolução. Sente uma grande paixão pela sua freguesia, defendendo-a sempre com muito entusiasmo e emoção, procurando potenciar tudo o que ela tem de bom. Como principal representante da freguesia de Macinhata da Seixa na lista da União de Freguesias de Oliveira de Azeméis, S. Tiago de Riba Ul, Macinhata da Seixa, Ul e Madail, continuará o trabalho anteriormente desenvolvido, pugnando pelos interesses da sua terra, exigindo a Ricardo Bastos a necessária atenção para com as necessidades de uma das freguesias mais bonitas do concelho.

20


UL O nome Ul é o mais pequeno das freguesias de Portugal, tendo o nome Ul origem celta e aponta para o étimo “uria” que significa ribeiro. A sua história remonta aos tempos pré-históricos, possuindo importantes achados arqueológicos no Castro de Ul que documentam a presença de povos anteriores aos romanos. A descoberta de um marco milenário e um Terminus Augustalis junto ao castro de Ul indicam que aqui se situava Talábriga, cidade encantada dos Pesures.

Área: 5,07 Km2 População (censos 2011): 2.413 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 2.260 Nº de habitações: 1.066 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: indústria de descasque e embalagem de arroz e panificação, pão e regueifa de Ul Principais recursos naturais: Rios Antuã e Ul. Rede de Água: 50,7% Rede de Saneamento Básico: 0% Pontos com interesse a visitar: Castro, Parque Temático Molinológico, Igreja Paroquial de Santa Maria, Ponte da Salgueirinha, Casa e Capela de Adães.

Ul é famosa pelos seus moinhos de água, cuja existência remonta ao século XVIII e que foram primeiramente usados para moagem de milho, depois trigo e depois descasque de arroz. Chegaram a existir 38 açudes, construídos para assegurar a força motriz destes moinhos que foram fundamentais para as padarias tradicionais que aqui foram surgindo e desde então continuam a promover o Pão e a Regueifa de Ul. Atualmente o setor da moagem, ainda que longe da pujança de outrora, continua a ter uma forte dinâmica estando instaladas em Ul as maiores indústrias nacionais de descasque e embalagem de arroz, que representam 60% da produção nacional. Ul também possui uma forte tradição associativa e cultural, possuindo dois ranchos folclóricos, “Cravos e Rosas” e as “Padeirinhas de Ul”, assim como a Associação de Produtores de Pão de Ul que está a certificar o famoso pão de Ul. Conta também com a Associação de Freguesia de Ul, que promove atividades de desporto e danças de salão.

21

MARIA OLIVEIRA

Maria Conceição Oliveira tem 44 anos, nasceu na Venezuela, mas reside em Ul há 30 anos. É casada e mãe de três filhos. O José António de 22 anos, A Marlene de 18 anos e a Florbela com 13 anos. Em termos profissionais já trabalhou na indústria metalúrgica e num salão de cabeleireira, sendo atualmente Escriturária numa empresa que desenvolve material lúdico e didático para o ensino Pré-Escolar e do 1º Ciclo, organiza Congressos Nacionais e Internacionais e também promove Formação. Dotada de excepcionais qualidades humanas, tem uma destacada intervenção social. Faz parte do grupo de Leitores Litúrgicos de Ul e organiza as sessões da Pastoral Familiar, nesta freguesia. No passado ano letivo, foi Catequista dos meninos do 3º ano. A nível cultural é um dos principais elementos do Rancho Folclórico "Cravos e Rosas" de Santa Maria de Ul, onde é cantadeira e exerce o cargo de Secretária da Direção. Dada a sua capacidade de relacionamento pessoal, integrou durante vários anos as Associações de Pais e Encarregados de Educação da Escola Primária de Ul, EB 123 Bento Carqueja, ES Soares Basto e ES Ferreira de Castro. Atualmente é também Secretária da Comissão Social da Freguesia de Ul. Em 2009 foi eleita para a Assembleia de Freguesia de Ul, tendo participado de forma ativa e empenhada na discussão dos problemas dos Ulenses e mostrando sempre disponibilidade para colaborar na procura das melhores soluções para a sua freguesia. Maria da Conceição Oliveira vai continuar a servir a sua comunidade, sendo a representante da sua freguesia na lista da União de Freguesias de Oliveira de Azeméis, S. Tiago de Riba Ul, Macinhata da Seixa, Ul e Madail, liderada por Ricardo Bastos. Pelas suas qualidades humanas e pelo amor que sente pela sua terra, Maria da Conceição Oliveira será sem dúvida alguma uma voz ativa nesta união de freguesias, em prol da defesa dos interesses dos Ulenses.

22


MADAÍL

Área: 2,11 Km2 P o p u l a ç ã o (censos 2011): 8 0 9 h a b i t a n t e s Nº de Eleitores(DR 25Fev2013): 717 N º d e h a b i t a ç õ e s : 3 3 6 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: construção civil, calçado, mecânica, carpintaria, confeção e panificação. Principais recursos naturais: Rio Antuã Rede de Água: 0% Rede de Saneamento Básico: 0% Pontos com interesse a visitar: Ponte e Moinho do Manica, Igreja Matriz, Cruzeiros, Moinhos do Ruivo, da Eira e do Ginete.

23

Madaíl é a mais pequena freguesia do concelho de Oliveira de Azeméis, e apesar da sua ruralidade possui um importante património histórico. O seu nome tem origem germânica e o documento escrito mais antigo que se conhece desta freguesia refere uma igreja e trata de uma atribuição do seu Bispo Jurisdicional D. Martinho Pires, imediato sucessor de D. Fernando Martins, pagando este povoado à Sé do Porto direitos a mais para a sustentação do Bispo e do seu cabido e, no reinado de D. Dinis, surge a “Taxação Eclesiástica” para subsidiar a guerra com os mouros. Foi nesta freguesia, na designada “Casa do Manica”, no então chamado lugar do Meio, que existiu um dos primeiros hospícios regionais criados pelos Hospitalários, destinados a acolher peregrinos pobres que se dirigiam a lugares santos. Tal foi possível devido à doação em testamento de Mem Peres Cativo e sua irmã Alda Peres, de tudo o que aqui possuíam à Ordem dos Hospitalários. D. Sancho I terá também recompensado Martinho de Aragão pelos serviços prestados na reconquista, doando-lhe a leira reguenga e o hospital.

ANTÓNIO AUGUSTO

António Carlos Augusto, tem 49 anos, reside em Madail, é casado e tem uma filha. Profissionalmente, trabalha moldes, onde é Soldador.

numa

empresa

de

Socialmente sempre foi muito participativo, tendo pertencido a comissões de festas locais, destacando-se a sua intervenção na realização das Festas em Honra da Nossa Senhora da La-Salette. Em 1999, foi fundador do Grupo de Bombos os Unidos de Madaíl e organizou nesse mesmo ano a maior corrida de carros de rolamentos da região, realizada em Madaíl, a qual mereceu reportagens no programa Praça da Alegria da RTP1 e do jornal semanário Expresso. Possuidor de um elevado sentido de responsabilidade, António Carlos Augusto desde há muito que se preocupa com os problemas da sua terra, tendo participado em vários processos eleitorais para a Assembleia de freguesia, onde é membro no atual mandato. Como principal representante da freguesia de Madail na lista da União de Freguesias de Oliveira de Azeméis, S. Tiago de Riba Ul, Macinhata da Seixa, Ul e Madail, será uma voz ativa na defesa da sua terra, exigindo com firmeza que Ricardo Bastos não se esqueça desta freguesia que, embora sendo pequena, deve ser apoiada e respeitada.

Madaíl pertenceu ao foral da Comarca da Feira e ao Município da Bemposta, tendo beneficiado de novo foral, por alvará de D. Manuel I, em 10 de Fevereiro de 1514. A sua inclusão no Município de Oliveira de Azeméis data de 24 de Setembro de 1855. A atual Igreja paroquial foi construída entre 1940-1942, após o desmoronamento da anterior em 1938, que se situava ligeiramente mais abaixo, do lado oposto da estrada. Era um edifício pequeno e simples, com uma torre à esquerda, setecentista, de vão retangulares.

24


COMPROMISSOS Da análise e reflexão sobre as necessidades em cada um dos lugares, a nossa Equipa assume com os habitantes que integram a UF de Oliveira de Azeméis, S. Tiago de Riba Ul, Macinhata da Seixa, Ul e Madail os seguintes compromissos: Ação Social - Cooperar com os serviços da Ação Social do Município na identificação e apoio às famílias carenciadas - Fomentar programas de atividades que promovam a integração das famílias mais carenciadas, em cooperação com o município e com as IPSS

Ricardo Bastos

Ricardo Gaspar

Conceição Oliveira

Joaquim Soares

Carlos Augusto

Patrícia Pereira

Paula Pinto

Adriano Pinto

Deolinda Costa

Cacilda Lopes

José Bernardes

Emília Ferreira

António Mendes

Paula Tavares

Floriano Ribeiro

Marco Santos

Marlene Oliveira

Jorge Silva

Celeste Alves

Alcides Ferreira

José Carvalho

Daniela SIlva

Evaristo Tavares

M. Soares Ribeiro

Rute Silva

Ana Rita Pinto

Bancário Oliveira de Azeméis

Comercial Santiago Riba - Ul

Escriturária Ul

Enc. Armazem Macinhata da Seixa

Soldador Madaíl

Advogada Oliveira de Azeméis

Saúde, Meio Ambiente e Segurança - Cooperar com as estruturas do município e outras instituições na implementação de programas de sensibilização para hábitos de vida saudável, defesa do ambiente e de segurança Arranjos Urbanísticos/Obras nos Espaços públicos - Implementar, em estreita relação com o município, um programa de limpeza dos espaços públicos nas freguesias - Inventariar necessidades de intervenção na rede viária e protocolar com o município as obras relativas à requalificação, ao longo de todo o mandato Educação e Cultura - Assegurar o apoio ao funcionamento dos Jardim-de-infância e Escolas EB1, em estreita ligação com o Gabinete de Educação - Criar um programa de intercâmbio entre as diferentes associações culturais e recreativas existentes nas cinco freguesias para assegurar uma oferta cultural ao longo do ano Tempos Livres e Desporto - Cooperar com o município e instituições no apoio e promoção de programas de atividades que envolvam idosos, promovendo a sua interação social, em particular nas camadas mais desfavorecidas - Dinamizar programas de ocupação de tempos livres para crianças e campos de férias destinados a jovens, durante as interrupções letivas, promovendo boas práticas entre estas faixas etárias - Organizar torneios desportivos entre as freguesias, com várias modalidades e escalões etários Relação com os cidadãos - Assegurar um contacto regular dos autarcas da Junta de Freguesia, promovendo uma gestão partilhada e em contacto com a população das freguesias - Realizar de forma rotativa as AF por todas as Freguesia, ao longo de todo o mandato, incentivando a população a participar nestes órgãos - Criar um “Balcão Virtual” de apoio ao cidadão no portal da UF

25

Operadora Costura Ul

Reformado Ul

Emp. Balcão Macinhata da Seixa

Desempregada Madaíl

Informático Santiago Riba - Ul

Comercial Macinhata da Seixa

Operário Fabril Madaíl

Administrativa Macinhata da Seixa

Chefe de Produção Madaíl

Reformado Oliveira de Azeméis

Empregada Fabril Madaíl

Bombeiro Oliveira de Azeméis

Economista Santiago Riba - Ul

Estudante Oliveira de Azeméis

Estudante Ul

Trab. Independente Ul

Empr. de Escritório Santiago Riba - Ul

Desenhador de Moldes Santiago Riba - Ul

Operário Fabril Macinhata da Seixa

Estudante Ul

26


27

28


OSSELA

Ossela é uma das mais antigas freguesias de Portugal, sendo paróquia já no tempo dos godos; não se sabe ao certo de onde lhe veio o nome. Conhecida internacionalmente por ser a terra natal de Ferreira de Castro, Ossela é atravessada pelo rio Caima, cujo vale oferece uma paisagem que lhe dá um encanto especial e é uma das freguesias que possui maior potencial turístico para explorar.

Área: 17,89 Km2 População: 2.208 habitantes (censos 2011) Nº de Eleitores: 1.994 (DR 25Fev2013) Nº de habitações: 983 fogos (nº de alojamentos familiares – Censos2011) Principais atividades económicas: Agricultura, produção de vinho da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, madeira, laticínios e indústria metalomecânica Principais recursos naturais: Rio Caima, solos férteis, floresta, paisagem Rede de Água existente: 30,5% Rede de Saneamento Básico existente: 9,2% Pontos com interesse a visitar: Casa-Museu Ferreira de Castro e Biblioteca; “Igreja Velha”; capelas do “Senhor da Fonte”, “São Frutuoso”, “Santo António”, “Senhora da Lapa”, “Senhora da Graça” e “Senhora do Crasto”; fábrica de cerveja Artesanal Vadia

29

Tem um conjunto de locais que merecem visita obrigatória, como a Casa-Museu Ferreira de Castro e a Biblioteca de Ossela, onde se encontra a sede do Centro de Estudos Ferreira de Castro que divulga a vida e obra do escritor e dinamiza o Roteiro Literário “Caminhos de Ferreira de Castro”, permitindo a visita aos principais locais de interesse da freguesia. O seu artesanato mais característico é o “Barro Negro”, trabalhado pelos “Pucareiros de Ossela”. O último oleiro, Luís Barbosa Coimbra faleceu em 1959, sem deixar continuadores. Tem uma interessante tradição a nível associativo, cultural e social, destacando-se o Grupo Cultural e Recreativo de Ossela, o Grupo Os Pauliteiros de Ossela e a Comossela, que recentemente construiu um Centro de Dia, de apoio à infância e 3ª idade.

PAULO SILVA

CANDIDATO À JUNTA DE FREGUESIA DE OSSELA

Natural de Arouca, Paulo Silva tem 42 anos, mas desde há 20 anos que escolheu a freguesia de Ossela para viver, onde reside com a sua esposa e filha. Apesar de possuir somente a escolaridade obrigatória, ao longo da sua vida exerceu diferentes profissões, entre as quais, a profissãode empregado de mesa, serralheiro e motorista de pesados, onde adquiriu diferentes experiências de vida. Desde 1997 que é motorista de transportes públicos na empresa TRANSDEV. Pelo facto de fazer as carreiras diárias de transporte na freguesia de Ossela, desde há muitos anos que conhece os problemas que mais afligem os Osselenses. Quem o conhece diz que é um cidadão muito preocupado e cuidadoso, em particular, sendo por isso recordado por inúmeros estudantes a quem assegurou o transporte. No que diz respeito aos desportos, apesar de gostar de várias modalidades, tem uma paixão especial pelo futebol, pois foi árbitro da Associação de Futebol de Aveiro durante 5 anos e Diretor Técnico da equipa de futebol da Associação Desportiva Valecambrense, apreciando também a modalidade de Futsal.

Em termos gastronómicos, é famosa pela broa de Ossela e também pelo vinho verde, branco e tinto.

30


COMPROMISSOS Da análise e reflexão sobre as necessidades em cada um dos lugares, a nossa Equipa assume com os habitantes de Ossela os seguintes compromissos: Ação Social - Apoiar as associações e a ocupação de tempos livres, criando um Banco de Tempo - Apoiar famílias carenciadas com jovens com dificuldades de aprendizagem Saúde, Meio Ambiente e Segurança - Cooperar com as Unidades de Saúde Familiares (USF) para definir dias de atendimento regulares para os Osselenses, proporcionando o transporte público - Pugnar para que o Município dê prioridade à freguesia para a ligação das redes de água e saneamento básico - Ceder temporariamente equipamentos de apoio ortopédico - Pugnar junto das forças de segurança pública no sentido de patrulharem mais a freguesia e, em parceria com os BV de Oliveira de Azeméis, promover ações de sensibilização Arranjos Urbanísticos/Obras nos Espaços públicos - Programar, em estreita relação com o município, a limpeza dos espaços públicos na freguesia - Inventariar necessidades de intervenção na rede viária e protocolar com o município as obras de requalificação, ao longo de todo o mandato - Em diálogo com a empresa de transportes públicos, defender o aumento da rede de transportes a toda a área habitável de Ossela Educação e Cultura - Em estreita colaboração com os serviços municipais, colaborar na manutenção dos edifícios escolares - Estabelecer um contacto regular com as associações culturais e recreativas da freguesia, assegurando uma oferta cultural ao longo do ano Tempos Livres e Desporto - Cooperar com o Município e associações na dinamização das valências turísticas da região, defendendo os produtos locais (broa de milho, cerveja Vadia e vinho verde) - Cooperar com o Município e, com o Centro de Estudos Ferreira de Castro, promover a divulgação da Vida e Obra de Ferreira de Castro - Abrir a Sede da Junta de Freguesia à realização de atividades de âmbito cultural - Organizar o Passeio Anual dos Habitantes de Ossela Relação com os cidadãos - Disponibilizar na sede da Junta de Freguesia acesso à Internet a usar pelas famílias carenciadas - Dinamizar a página de internet da Junta de Freguesia de Ossela, de modo a torná-la mais eficiente - Realizar reuniões periódicas abertas à participação da população

31

Paulo Silva Motorista

Carlos Gomes

Desenhador Projectista

Artur Sousa

Director de Exploração

Manuel Bastos Comerciante

Ana Costa

Assistente Operacional

Alberto Silva

Funcionário Público

Arménio Soares Motorista

Sara Lopes Enfermeira

Sílvia Costa

Adelino Pinho

Vítor Carvalho

Vera Silva

Operária Costura

Electricista

Jardineiro

Gaspeadeira

Manuel Fernandes

Carlos Teixeira

Mª Teresa Valente

José Ribeiro

Daniel Castro

Rosilda Costa

Vasco Costa

Miguel Gomes

Mónica Bastos

Manuel Tavares

Mª Elsa Silva

Ana Rita Marques

Litógrafo

Trabalhor Independete

Susana Teixeira Cabeleireira

Motorista

Operário Químico

Ana Sofia Melo Gaspeadeira

Química

Técnica Óptica

Metalúrgico

Reformado

Estudante

Operária Fabril

Assistente Operacional

Gaspeadeira

Olinda Pedro Doméstica

32


33

34


SÃO ROQUE

S. Roque orgulha-se de ter sido a primeira terra a fabricar vidro em Portugal, na Quinta do Covo, no século XV, a unidade industrial vidreira mais importante do País - a Fábrica do Covo - foi designada como "Rainha do Vidro em Portugal". Vila Chã S. Roque é referenciada, num documento de 1121, através da doação a D. Diogo Salamil pelo bispo de Coimbra D. Gonçalo e surge de novo em 1211, numa carta de venda, de um tal Gonçalo Gonçalves e Urraca Martins ao Cabido da Sé do Porto e ao seu deão, Durando.

Área: 7,05 Km2 População (censos 2011): 5.228 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 4.632 Nº de habitações: 2.192 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: Indústria e comércio Principais recursos naturais: Rio Ul, Rio Cercal e Rio Antuã Rede de Água: 58,8% Rede de Saneamento Básico: 16,4% Pontos com interesse a visitar: Igreja Matriz, Capela Velha de Santo António, Capela Nova de Santo António, Capela de Nª Srª das Dores, a Sede do Sindicato dos Operários Vidreiros e o Solar e Capela da Quinta do Covo

35

Na Idade Média, ergueu-se um castelo, chamado da Lomba, e que teve assento o solar da família Castro e Lemos, na vasta quinta do Covo que possui uma capela privativa, dedicada a Nossa Senhora da Conceição, de linhas barrocas, mandada erigir pelo pai do Conde do Covo, em 1862. Nesta quinta passou Eça de Queirós tempo suficiente para colher motivos para alguns dos seus livros, como por exemplo, "A Capital" e "A ilustre Casa de Ramires". No património arquitetónico, merecem destaque a Igreja Paroquial; a Capela de Santo António e a Capela de Samir. Sendo uma das freguesias mais industrializadas, destaca-se a indústria de calçado, moldes e cobres, assim como o comércio, serviços e o setor de imobiliário e construção. A freguesia possui várias coletividades, destacando-se o S.C. Bustelo, G.D S. Roque, ENESSE Basquetebol, Associação Recreativa e Cultural “a Chama”, Associação Recreativa e Cultural “Renascer”, G ru po C a nt are s de São Roque, Associação Columbófila Vila Ch ã, A ss oc iaç ão C ol um b óf i l a (Sede Dis t rit al) , A s s o c i a ç ã o R e v i v e r , C o o p e r a t i v a d e C o n s um o e o Cl u be d e Caç a e P es c a do C e rc a l.

AMARO SIMÕES

CANDIDATO À JUNTA DE FREGUESIA DE SÃO ROQUE

Natural do concelho de Guimarães, onde nasceu em 1952, Bernardo Amaro Simões escolheu, em 1980, a freguesia de S. Roque para viver com a sua esposa e os seus dois filhos. Realizou estudos nos Seminários de Viana do Castelo e Braga, frequentando o Instituto Superior de Estudos Teológicos do Porto e Faculdade de Filosofia da Universidade Católica Portuguesa, em Braga, até 1972. Iniciou atividade profissional como funcionário na Empresa Têxtil Riopele, mas é empresário em nome individual, desde 1980. Em termos sociais, sempre esteve ligado às principais associações e coletividades da freguesia. Salienta-se a sua participação como Presidente do Centro Infantil, membro fundador do Grupo de Cantares, da Associação Recreativa e Cultural “A Chama”. Colaborou, ainda, no Conselho Paroquial e na animação dos Grupos de Jovens da Paróquia. Atualmente Presidente da Junta de S. Roque, Amaro Simões recandidata-se por ser sensível ao apelo de muitos Sanroquenses que consideram que ainda terá muito a dar pela freguesia. É acompanhado por uma equipa generosa e solidária que partilha com ele o desejo de continuar a desenvolver S. Roque. Termina o mandato com a satisfação de dever cumprido, tendo dotado a freguesia de um moderno e funcional parque escolar, assim como um “Parque Intergerações/Jardim público” que veio beneficiar o espaço envolvente ao Auditório/Centro Cultural. Por outro lado, concluíram-se as capelas no C e mit é rio P aro q uial, pro mo ve u-s e a re c l as s i fi c aç ão d a área envolvente ao Cemitério, Zona Desportiva e Capela de Bustelo, bem como ao restauro da velha ponte do Silvar. Finalmente, acautelou-se o normal funcionamento do Centro de Saúde e garantiu-se a manutenção do Posto de Correio, oferecendo um serviço de qualidade e proximidade útil a todos e, em particular, a reformados e pensionistas. A experiência e competência de Amaro Simões traduzem-se na grande quantidade e qualidade da obra feita, pelo que a freguesia de S. Roque continuará a ter garantias de sucesso no futuro.

36


COMPROMISSOS Da análise e reflexão sobre as necessidades em cada um dos lugares, a nossa Equipa assume com os habitantes da freguesia de S. Roque os seguintes compromissos: Acessibilidades - Providenciar maior segurança e ordenamento na circulação de trânsito - Implantação de passeios nas ruas onde for possível

Amaro Simões

Maria Isabel Costa

Maria Alice Pinho

Victor Andrade

Carla Carvalho

Teresa Xará

André Tavares

M.ª Isabel Barbosa

Claúdia Sofia Silva

Carlos Oliveira

Marlene Ferreira

José Manuel Santos

M.ª João Xará

José Ribeiro

Jaime Henriques

Branca Martins

António José Santos

Carlos Almeida

Isabel Cristina Maia

José Tavares

M.ª Ascenção Ferreira

Viriato Correia

Leonel Santos

Almerinda Ribeiro

Ricardo Pinho

Joana Pina

Victor Cereja Pinho

Técnico de Vendas

Comerciante

Professora

Inspetor

Ass. Social / Doc. Univ.

Educadora de Infância

Ação Social, Cultural e desportiva - Apoiar a ação social e bem-estar da comunidade - Incentivar a Associação de Reformados e Pensionistas - Estimular e apoiar estruturas de Juventude - Interagir e cooperar com as Associações e Instituições da Freguesia - Requalificação do espaço polidesportivo Reabilitação económica e emprego - Apoio à consolidação das atividades tradicionais - Estimular novas atividades económicas - Impulsionar e revitalizar os Espaços / Zonas Industriais Educação, Saúde e Ambiente - Prosseguir a cooperação com a rede escolar - Zelar pelas melhores condições do Centro de Saúde - Persistir na continuação do Saneamento Básico Código do Autarca 1. Ama a sua terra e defende com firmeza as justas causas do seu povo. 2. Promove com determinação e competência o bem-estar da população. 3. Serve a todos com dedicação, prestando particular atenção aos mais carenciados. 4. Dá o melhor de si mesmo, sem esperar reconhecimento e conforto. 5. Não se deixa abater pela intriga, calúnia ou maledicência. 6. Só faz promessas que possa cumprir. 7. Mantém postura serena, acolhedora e disponível. 8. Respeita as ideias dos outros e é tolerante com os adversários políticos. 9. Não cede à corrupção nem ao abuso do poder. 10. Permanece sempre fiel aos seus princípios e à sua consciência.

Controlador de Gestão Ind.

Médica

Aux. Ação Educativa

Condutor de Máquinas

37

Professora

Empresário

Serralheiro de Moldes

Assistente Social

Empresária

Operário Fabril

Assist. Operacional

Design Gráfico

Operária Fabril

Operário Fabril

Gestora Comercial

Artesão

Industrial

Empresário

Encarregado

Reformada

Reformado

38


.....

39

40


CUCUJÃES Importante centro cultural e histórico, Cucujães, derivou do étimo latino "cucullianis", ou seja, elevação de terreno, montão. A 7 de Julho de 1139, o couto de Cucujães, instituído por D. Afonso Henriques, foi doado ao Mosteiro Beneditino da mesma terra, nas vésperas da famosa Batalha de Campo de Ourique, nas pessoas de D. Martinho e de D. Egas Odoriz.

Área: 10,42 Km2 População (censos 2011): 10.705 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 9.910 Nº de habitações: 4.597 (nº de alojamentos familiares - Censos 2011) Principais atividades económicas: Indústria e comércio Principais recursos naturais: Rio Ul Rede de Água: 74,4% Rede de Saneamento Básico: 35,9% Pontos com interesse a visitar: Museu Regional; Igreja do Seminário; Capelas de Sta Luzia, Nª Srª da Conceição, Mártir S.Sebastião e Sto António; Casas Solarengas do Buraco, da Gandarinha, do Visconde de Carregoso, Andersen, do Mato; as Quintas do Picoto, da D. Beatriz Brás, do Sol, do Barreiro e da Família Macedo; Miradouro do Alto de Rebordões, Ponte da Pica e o Atelier de Paulo Neves.

15

Cucujães foi elevada a vila em 11 de Junho de 1927, sendo atualmente um importante polo industrial e comercial, possuindo vários monumentos e lugares dignos de visita, tais como o claustro do Mosteiro, a sacristia da Igreja Matriz; a Ponte da Pica (Imóvel de Interesse Público), do séc XIV, sobre o rio Ul, por onde passava a via romana que ligava Lisboa a Braga, várias capelas e casas solarengas Numa das freguesias mais ricas no movimento associativo, de entre as várias coletividades desportivas, têm-se destacado o Atlético Clube, o Clube Desportivo e o Núcleo de Atletismo. A nível cultural, destaca-se a Sociedade Filarmónica Cucujanense, o Museu Regio nal, e o Rancho Infantil e Juvenil, assim como o Atelier do famoso escultor Paulo Neves, também natural desta freguesia.

SIMÃO GODINHO

CANDIDATO À JUNTA DE FREGUESIA DE CUCUJÃES

Simão Godinho nasceu a 5 de Maio de 1955, em Cucujães, onde reside com a sua esposa. Filho de uma família simples, humilde e trabalhadora, frequentou os Seminários dos Missionários da Boa Nova, em Tomar e Cernache do Bonjardim até ao 3º. Ano. Mais tarde, trabalhou durante o dia e estudou à noite na escola Serafim Leite, em São João da Madeira, onde concluiu o Curso Geral de Mecânica. Trabalhou em empresas ligadas à Indústria Automóvel, em São João da Madeira e na Vila de Cucujães. Neste momento, trabalha numa Instituição Social ligada à reeducação e reintegração de menores em risco. Sempre esteve ligado a associações sociais, culturais, religiosas e desportivas, onde desempenhou vários cargos. Atualmente é membro do Conselho Nacional e Secretariado Diocesano do Movimento dos Convívios Fraternos. Foi Vereador da Camara e é no atual mandato membro da Assembleia de Freguesia da Vila de Cucujães. No desempenho destes cargos, procurou sempre a defesa dos interesses dos Cucujanenses. É uma personalidade muito acarinhada pelos seus conterrâneos e sente muito orgulho por ser Cucujanense.

Finalmente, Cucujães é sede de duas importantes Fundações, a Fundação Condessa da Penha e a Fundação Manuel Brandão.

16


COMPROMISSOS Da análise e reflexão sobre as necessidades em cada um dos lugares, a nossa Equipa assume com os habitantes da freguesia da Vila de Cucujães os seguintes compromissos: Ação Social - Cooperar com os serviços da Ação Social do Município na identificação e apoio às famílias carenciadas - Criar um gabinete de apoio aos Seniores - Apoiar as famílias com problemas de alcoolismo e toxicodependência

Simão Godinho

Ana Susana Fonseca

Almiro Almeida

Joaquim Costa

Olga Freitas

António Gomes

Simão Ascensão

M.ª Alice Ribeiro

José Pinho

Mário Silva Leite

Maria Carmo Ribeiro

Jorge Ascensão

António Nogueira

Mariana Ribeiro

Bernardete Amorim

Joaquim Fernandes

Mariana Santos

Norberto Nunes

Pedro Costa

Vera Cunha

António Lopes

Luís Ribeiro

Luísa Fonseca

Fernando Santos

Andreia Godinho

Manuel Dias

Técnico de Acção Social

Oficial dos Registos

Reformado

Reformado

Doméstica

Empresário

Saúde, Meio Ambiente e Segurança - Promover ações de educação ambiental junto das crianças e jovens, nas escolas, e da população em geral - Pugnar pela manutenção dos médicos de família no nosso Centro de Saúde, colaborando com o funcionamento da Unidade de Saúde Arranjos Urbanísticos/Obras nos Espaços públicos - Implementar, em estreita relação com o município, um programa de limpeza dos espaços públicos na freguesia - Inventariar necessidades de intervenção na rede viária, protocolando com o município as obras relativas à sua requalificação, ao longo do mandato - Pugnar junto das entidades competentes pela reabilitação da estação do Caminho de Ferro da linha do Vale do Vouga - Pugnar por uma via que ligue o lugar da Costa a Faria de Cima, aproveitando a travessia aérea do lado de S.João da Madeira - Requalificar a zona do cemitério, Museu Regional de Cucujães e do largo do Cruzeiro - Criar uma zona de lazer no lugar do Teso - Pugnar pelo rápido alargamento e pavimentação da rua que liga Rio D’Ossos à Arribada Educação e Cultura - Assegurar uma estreita relação com os Serviços de Educação do Município e Associações de Pais, para apoiar o funcionamento dos Jardim-de-infância e Escolas - Apoiar as associações culturais, recreativas e desportivas da freguesia Tempos Livres e Desporto - Apoiar as associações na organização de torneios desportivos, envolvendo várias modalidades e escalões etários - Adquirir um autocarro, ou 2 carrinhas, para apoio das atividades das Associações e IPSS - Promover o Convívio Anual dos Seniores Relação com os cidadãos - Visitar os vários lugares da freguesia, contactando ouvindo-os e recolhendo as suas críticas e sugestões

17

com

os

Cucujanenses

Agente Comercial

Condutor Empilhadores

Metalúrgico

Escriturária

Reformada

Técnica Anat. Patológica

Operária Fabril

Comerciante

Assistente Operacional

Sócio Gerente

Emp. de Escritório

Colchoeiro

Reformado

Operária Fabril

Estudante Universitária

Professora

Desenhador de Moldes

Construtor Civil

Metalúrgico

Reformado

18


EU APOIO

19

20


LOUREIRO

Área: 17,13 Km2 População (censos 2011): 3.531 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 3.112 Nº de habitações: 1.444 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: Agricultura, indústria metalomecânica, de moldes e alimentar Principais recursos naturais: Solos férteis, Rios Antuã e Gonde Rede de Água: 51,9% Rede de Saneamento Básico: 4,2% Pontos com interesse a visitar: Quinta do Barão, Igreja Matriz, moinhos do Parque Temático Molinológico, na margem direita do rio Antuã

Historicamente, quase que se perde no tempo a denominação de Loureiro. A primeira referência escrita é datada de 18 de Maio de 993. Nesse documento milenar um certo Godesteu vendeu a Gonçalo Fernandes e a sua mulher Ermesinda uma herdade que tinha na villa laurario, entre as vilas de Tonce e de Macieira, como troca de uma fiança que fez em nome de Querino, para que este saísse da cadeia onde estava a ferros. Sendo uma freguesia relativamente plana, dispõe de ótimas condições de acessibilidade às principais vias, razão pela qual foi escolhida para instalar a Área de Acolhimento Empresarial, o maior investimento público concelhio que vai proporcionar a dinamização empresarial, assim como ajudar ao desenvolvimento da vila. Por outro lado, desde há muito que Loureiro possui uma vida social intensa, destacando-se algumas das mais dinâmicas coletividades do concelho, tais como o Orfeão, o TAL, a ARCL, a Banda de Música, a Associação de Solidariedade Social, a ACREFA, o Clube Desportivo e o Clube de Caça e Pesca, as quais têm levado o nome de Loureiro a vários países da Europa e da América. É a única no concelho a realizar um mercado semanal, às 5ªs feiras e uma das poucas no país que possui uma Cooperativa Elétrica que gere toda a rede de abastecimento e apoio aos consumidores.

RUI LUZES CABRAL

CANDIDATO À JUNTA DE FREGUESIA DE LOUREIRO

Rui Luzes Cabral nasceu a 9 de Maio de 1975 na freguesia de Loureiro, é casado e pai de três filhos. Proveniente de uma família onde a lavoura era uma ocupação diária e onde sempre se cultivaram os valores católicos, o gosto pela música e pelo serviço às pessoas, levou a que cedo se envolvesse nas atividades da sua freguesia. Por isso, logo aos 10 anos de idade entra no TAL – Teatro Amador de Loureiro, onde se estreou como ator amador na peça “O Mestre Cuco Cantor”. Mais tarde chegou a presidente desta associação. Nunca mais se desligou do associativismo e da participação cívica, sendo sócio de várias associações Loureirenses e Oliveirenses. Presentemente é também professor de teatro na Universidade Sénior de Oliveira de Azeméis. Foi também colaborador da paróquia como catequista, acólito e leitor. Serviu ainda a freguesia, tendo sido correspondente dos jornais “A Voz de Azeméis” e “Correio de Azeméis” durante quase uma década. Escreve com regularidade em jornais e na internet e desde muito jovem que gosta de escrever poesia. Profissionalmente, sempre esteve ligado às letras, às artes e à história, sendo licenciado em Conservação e Restauro pelo Inst. Polit. de Tomar. Fundou com colegas em 2001 a Signinum Lda, onde ficou até 2007. É formador na Escola Prof. de Arqueologia. Realizou trabalhos em diversas igrejas e estruturas arqueológicas, destacando-se a sua presença nas obras de recuperação do Museu Grão Vasco a cargo do arquiteto Souto Moura, a conservação de Mosaicos Romanos no Museu Monográfico de Conimbriga e a intervenção nas Ruínas Romanas de S. Cucufate em Vila de Frades, Vidigueira (Alentejo). A nível político foi candidato em 2001 pelo Partido Socialista na lista à Câmara Municipal e, em 2005, concorreu à presidência da Junta de Fre- guesia de Loureiro que não conseguiu ganhar. Em 2009 alcançou uma expressiva vitória e atualmente desempenha com grande reconhecimento por parte da larga maioria dos Loureirenses o cargo de Presidente da Junta de Loureiro. Apresenta-se novamente a eleições continuar LOUREIRO NO BOM CAMINHO…

21

22

para


COMPROMISSOS Da análise e reflexão sobre as necessidades em cada um dos lugares, a nossa Equipa assume com os habitantes da freguesia de Loureiro os seguintes compromissos: Ação Social - Consolidar o projeto da Casa Social Maria Silva Figueiredo, a sua Loja Solidária e a criação de uma cozinha social e de um gabinete de apoio e aconselhamento na área da saúde - Potenciar o acesso aos instrumentos de proteção social - Articular com as entidades o apoio às famílias mais carenciadas através da distribuição de alimentos e outros bens essenciais. Saúde, Meio Ambiente e Segurança - Valorizar as margens do Rio Gonde e do Antuã - Continuar as ações de formação e divulgação para as questões ambientais. - Realização de uma ação bianual de sensibilização para uma freguesia mais limpa “eu limpo a minha valeta!” Arranjos Urbanísticos/Obras nos Espaços públicos - Implementar, em colaboração com o município, um programa de limpeza dos espaços públicos da freguesia - Protocolar com o municipio as necessidades de intervenção na rede viária ao longo do mandato - Continuar a acompanhar as obras na Área de Acolhimento Empresarial e pugnar pelo início da construção da Via do Sudoeste. -Promover parcerias entre agricultores e entidades públicas ou privadas com vista a potenciar a agricultura existente - Rever a postura de trânsito da freguesia Educação e Cultura - Reforçar o apoio às Festas de Loureiro - Instituir o dia do loureirense - Promover um intercâmbio cultural com a freguesia de Loureiro (Peso da Régua) - Criar um arquivo histórico/ biblioteca que recolha documentação sobre a freguesia - Continuar a promover a realização de cursos de formação em diversas áreas. Tempos Livres e Desporto - Apoiar as associações na organização de torneios desportivos, envolvendo várias modalidades e escalões etários - Criar um circuito pedonal para caminhadas - Continuar a reforçar a oferta desportiva na freguesia, criando condições para a utilização dos espaços existentes e para o aparecimento de novas modalidades - Continuar a editar uma publicação periodica sobre as tradições, história e património da freguesia. - Continuar o envolvimento na APTM, promovendo as suas atividades e recuperação de moinhos

Rui Luzes Cabral

Fernando Silva

Elsa Castro

António Silva

Carlos Marques

Emanuela Coelho

Sérgio Cabral

Porfírio Martins

Elisabete Leite

Mário Pinho

Anabela Matos

António Pinho

Ismael Fernandes

Marisa Oliveira

Manuel Joaquim Oliveira

Joaquim Santos

Fernanda Manuela Almeida

Carlos Valente

Joaquim Coelho

Ivete Maria Jorge

Daniel Ferreira

Carlos Castro

Ana Paula Azevedo

Tiago Relvas de Jesus

Luís Sá

Isabel Marques

Roberto Soares

Tiago Neto

Vanessa Ferreira

Ricardo Reis

Manuel Rosa

Sónia Figueiredo

Armando Soares

Patrícia Almeida Santos

Ana Lúcia Dias

Domingos Pinho

M.ª Manuela Duarte

Óscar Tiago Pereira

Relação com os cidadãos - Promover uma gestão partilhada e em contacto com a população da freguesia

23

24


.....

25

26


SÃO MARTINHO DA GÂNDARA A escassez de documentos não permite saber quais as origens de S. Martinho da Gândara, mas há referências a esta localidade já em 964, apresentando-a constituída civil e religiosamente, com igreja própria e autónoma. Pertenceu à Comarca de Esgueira, passando, em seguida, para a da Feira e, finalmente, para o nosso Município. Foi um povoado pré-histórico romanizado como prova o importante Castro de Recarei, já existente no século XI. Nele viveram celtas e pré-celtas e nele permaneceram por muito tempo, romanos e os visigodos com seu chefe Recaredo.

Área: 8,13 Km2 População (censos 2011): 1.985 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 1.864 Nº de habitações: 810 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: Agricultura Principais recursos naturais: Solos férteis Rede de Água: 3,7% Rede de Saneamento Básico: 0% Pontos com interesse a visitar: Igreja Matriz, Parque de Merendas.

Terá sido a existência aqui de várias gandras e de outras à volta, que levou o povo a denominar a freguesia de "Gandra". Mas, segundo parece, a freguesia de S. Martinho nem sempre se chamou “Gandra”. Possuindo grandes extensões de terrenos agrícolas, esta freguesia apresenta excelentes condições para a produção de cereais, gado leiteiro e produtos hortícolas, atividades em que se ocupam a maior parte das famílias A principal instituição da freguesia é a Obra Social de S. Martinho da Gândara, onde se prestam importantes serviços de apoio às crianças e idosos desta e de outras freguesias.

ANTÓNIO MARQUES CANDIDATO À JUNTA DE FREGUESIA DE

SÃO MARTINHO DA GÂNDARA

António Marques, nasceu há 38 anos em São Martinho da Gândara, onde reside com a sua esposa e filha. Após conclusão do curso Técnico Profissional de Eletrónica na Escola Dr. Serafim Leite, em São João da Madeira, frequentou o Instituto Superior Politécnico de Viseu, tendo concluído o curso de Engenharia Eletrotécnica, em 1999. Responsável da Qualidade na empresa Prismeira desde 2000, exerce também atividade profissional própria na área do projeto elétrico e exploração de postos de transformação. Sempre esteve ligado ao associativismo e às coletividades da sua terra, nas quais tem exercido vários cargos, sendo atualmente o Presidente da Assembleia Geral do Centro Desportivo e Cultural de São Martinho da Gândara, Vogal na Direção da Obra Social, e Vogal na Direção da Fábrica da Igreja. Nos últimos 4 anos tem desempenhado o cargo de Secretário da Junta de Freguesia de São Martinho da Gândara, um serviço público que se junta aos 12 anos como membro da Assembleia de Freguesia e o transforma num autarca com uma grande experiência e competência. A disponibilidade que demonstra para servir a sua comunidade, o conhecimento profundo que tem das verdadeiras necessidades e realidades da freguesia, transformam António Marques no candidato melhor preparado para lutar pelos interesses do povo de São Martinho da Gândara.

Finalmente, é de registar as associações Centro Desportivo e Cultural de S. Martinho da Gândara e o Grupo de Danças e Cantares "Recordar é Viver".

27

28


COMPROMISSOS Da análise e reflexão sobre as necessidades em cada um dos lugares, a nossa Equipa assume com os habitantes da freguesia de S. Martinho da Gândara os seguintes compromissos: Ação Social - Cooperar com os serviços da Ação Social do Município na identificação e apoio às famílias carenciadas Saúde, Meio Ambiente e Segurança - Lutar pela reabertura do posto de saúde e pela manutenção do consultório dentário - Promover atividades de lazer e estímulo de comportamentos saudáveis para a 3º idade - Promover a realização de rastreios visuais e auditivos - Efectuar manutenção às fontes e fazer análises periódicas das suas águas - Sensibilizar a Câmara Municipal para a importância da construção urgente das redes de água e saneamento Arranjos Urbanísticos/Obras nos Espaços públicos - Programar, em colaboração com o município, a limpeza dos espaços públicos da freguesia - Protocolar com o municipio as necessidades de intervenção na rede viária ao longo do mandato - Concluir a construção das sepulturas no cemitério, os arranjos com pedrinha nos dois cemitérios e a colocação de painel de informação - Estudar a possibilidade de construção de uma capela mortuária - Promover a preservação dos moinhos existentes na freguesia - Diligenciar a instalação de cabines nas paragens de autocarros Educação e Cultura - Apoiar os Serviços de Educação do Município, no funcionamento Jardim-de-infância e Escolas EB1 - Apoiar as associações culturais, recreativas e desportivas da freguesia.

Manuel Lopes

Ana Almeida

Anabela Gonçalves

Salvador Santos

Albino Almeida

Susana Costa

Florinda Silva

Márcio Oliveira

Manuel Bastos

Carla Teixeira

Nuno Figueiredo

Adelino Oliveira

Ana Rita Leite

Teresa Oliveira

Paulo Santos

Américo Neves

Joaquim Garcia

José Costa

Técnico de Farmácia

Empregado Fabril

Padeiro

Empresário Agrícola

Professora

Independente

Administrativa

Fisioterapeuta

Independente

Empregado Fabril

Empresário Agrícola

Empregado Fabril

Empresário Agrícola

Empregado Fabril

Motorista

Educadora Social

Gaspeadeira

Empregada Fabril

dos

Tempos Livres e Desporto - Apoiar as associações na organização de torneios desportivos, envolvendo várias modalidades e escalões etários Relação com os cidadãos - Visitar os vários lugares da freguesia, tendo como objetivo prestar esclarecimentos, e recolher sugestões - Promover o diálogo com as operadoras de telecomunicações para reforço das redes - Continuar a assegurar o funcionamento do posto de correios

Américo Costa Empresário

Urbano Souto Reformado

29

Fernando Lopes

António Marques Silva Alvaro Silva Engenheiro Electrotécnico Reformado

José Pereira

Empregado Fabril

José Reis Reformado

Carmelinda Santos Doméstica

Engenheiro

Reformado

Empregada Fabril

António Guimarães Reformado

30


Obra Social

31

32


PINHEIRO DA BEMPOSTA Segundo a tradição, o nome Pinheiro da Bemposta provém de um grande pinheiro que existia junto à antiga estrada, no lugar da Areosa, debaixo do qual os passageiros descansavam e o nome Bemposta provém da sua airosa e elevada posição, de onde se abarca larga panorâmica sobre a Ria de Aveiro, até ao mar.

.

r.

Área: 12,11 Km2 População (censos 2011): 3.324 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 3.120 Nº de habitações: 1,479 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: Agricultura, indústria Principais recursos naturais: Solos férteis, floresta Rede de Água: 93,3% Rede de Saneamento Básico: 10,1% Pontos com interesse a visitar: Cruzeiro do Pinheiro da Bemposta, Edifício da Malaposta do Curval, Casa da família Côrte-Real, Casa do Arco, Casa dos Paços do Município e Cadeia,Pelourinho, Fonte da Bemposta, Parque do Cavaco, Igreja Matriz; a Capela de Nª Sª da Ribeira, Quintas do Barral, do Calvário e do Passal

Sendo uma das freguesias com maior património histórico, foi sede do município da Bemposta, um dos mais importantes da comarca da Estremadura, extinto em 1855, era constituído por várias freguesias pertencentes a outros municípios: Palmaz, Loureiro, Travanca, Macinhata da Seixa e Ul (Oliveira de Azeméis), Branca e Ribeira de Fráguas (Albergaria-a-Velha), Fermelã, Canelas, Salreu e Santiais (Estarreja) e Assequins (Águeda). Um dos polos de maior atração turística é o Núcleo Histórico da Bemposta, onde se localiza o edifício dos antigos Paços do Concelho, a antiga Cadeia e o Pelourinho. Além disso, possui o Cruzeiro do Pinheiro da Bemposta, Monumento Nacional, datado de 1604, e o edifício da Malaposta do Curval, Imóvel de Interesse Público. Finalmente, Pinheiro da Bemposta possui algumas das mais importantes coletividades, destacando-se a centenária Sociedade Musical Harmonia Pinheirense, fundada a 13 de Novembro de 1881, o Futebol Clube Pinheirense, Associação Recreativa e Cultural do Curval, Associação Columbófila Pinheirense, Associação Columbófila Pinheirense e o Desafio D’Arte.

ARMINDO NUNES

CANDIDATO À UNIÃO DE FREGUESIAS DE PINHEIRO DA BEMPOSTA PALMAZ E TRAVANCA

Atualmente Presidente da Junta de Pinheiro da Bemposta, Armindo Nunes nasceu nesta freguesia há 66 anos, onde constituiu família e vive com dois filhos e vários netos. Possuindo o Curso Geral de Comércio, cedo enveredou pela carreira profissional na indústria seguradora, onde teve grandes responsabilidades como Quadro Superior de uma conhecida seguradora multinacional. Apesar de aposentado, mantém ainda uma intensa atividade como Técnico de Contas, contactando assim com a realidade do mundo empresarial. Para além destes aspetos profissionais, Armindo Nunes é muito conhecido pela forma séria e empenhada como se envolve na comunidade, participando em múltiplos projetos a nível de associações e coletividades, de onde se destacam a criação do Futebol Clube Pinheirense, a sua dedicação durante décadas à Banda de Música de Pi- nheiro da Bemposta, onde desempenhou o cargo de Presidente da Direção durante vários anos. Atualmente, é Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Patronato de Santo António, instituição a que desde há muito está ligado e fez parte do grupo de Pinheirenses que constituíram o Centro Social, onde atualmente é membro da Direção e participa ativamente como voluntário. Porém, o seu maior orgulho está no papel determinante que teve no arranque e gestão da construção do Lar de Idosos, onde continua a ter dedicadas e relevantes funções numa importante obra que está ao serviço da população do Pinheiro da Bemposta, de Palmaz e de Travanca. Armindo Nunes é candidato à Presidência da União de Freguesias do Pinheiro da Bemposta, Travanca e Palmaz, assumindo assim mais um importante desafio na sua já longa vida de serviço público. A dimensão populacional e territorial desta união de freguesias exigem um Presidente experiente e com disponibilidade a tempo inteiro para servir estas comunidades, com uma dimensão humana e uma dedicação à causa pública que constituam garantias inequívocas de que a sua ação terá como único objetivo servir as pessoas. Armindo Nunes oferece indiscutivelmente essas garantias.

33

34


PALMAZ Localizada a sudeste do Município, Palmaz é atravessada pelo Rio Caima e apresenta algumas das mais belas paisagens naturais do concelho. Outrora, pertenceu ao extinto Município da Bemposta e há quem lhe atribua a designação de "Princesa do Caima" pela sua beleza associada a este rio que corre num vale ladeado por abruptos declives, constituindo um forte potencial turístico. Nas suas margens, no Lugar da Mó, situa-se o Hotel Vale do Rio, um moderno hotel ecológico e, bem próximo, o que resta da extinta Fábrica do Papel do Caima que, durante décadas, produziu todo o papel para a impressão do extinto Jornal “O Comércio do Porto”. Área: 14,85 Km2 População (censos 2011): 2.079 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 1.940 Nº de habitações: 964 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: Agricultura, produção de vinho, produção de madeira Principais recursos naturais: Rio Caima, solos férteis, floresta, paisagem Rede de Água: 6,2% Rede de Saneamento Básico: 0% Pontos com interesse a visitar: Margens do Caima, em particular entre o Açude das Penas e a Ponte Romana, Hotel Rural Vale do Rio, Fábrica do Papel do Caima, Quinta do Casinhoto, em Ferreiros, capelas da Srª da Mó; S. Gonçalo, S. Luís, S. João e da Nª Srª da Memória e o Lugar de Vilarinho de S. Luís

35

Palmaz foi também uma terra onde se fabricou telha comum e vasilhame de ir ao fogo, tendo existido inclusive fornos junto da igreja. Porém, atualmente, a freguesia não possui praticamente unidades industriais, possuindo a maior mancha de floresta do concelho. Para além disso, Palmaz tem também um enorme potencial agrícola e possui algumas associações dinamizadas pela caro- lice de Palmacences que amam a sua terra, das quais se destaca a ADRCPA, a mais antiga e que possui um rancho e uma equipa de futebol, o Grupo Folclórico de Palmaz e o Caima Radical Clube TT.

ARTUR COSTA

Artur Costa tem 45 anos, é natural de Palmaz onde reside, é casado e pai de duas filhas. Em termos profissionais é escriturário numa empresa do nosso concelho. Ainda muito jovem perdeu os pais, facto trágico que lhe desenvolveu uma enorme sensibilidade para lidar e compreender as dificuldades das pessoas e uma grande preocupação com os problemas sociais. A sua disponibilidade para ajudar o próximo, o seu altruísmo, levou-o a envolver-se ativamente em várias iniciativas de âmbito social que visavam sobretudo ajudar os mais desfavorecidos. Colaborou ao longo de vários anos com a Escola EB1 de Palmaz tendo feito parte da direcção da Associação de Pais do Agrupamento de Escolas do Pinheiro da Bemposta, Palmaz e Travanca, onde desempenhou com grande disponibilidade e dinamismo um importante papel na promoção das melhores condições de aprendizagem para os alunos. Artur Costa é desde há 16 anos membro da Assembleia de Freguesia de Palmaz e será o representante da sua freguesia na lista da União de Freguesias do Pinheiro da Bemposta, Travanca e Palmaz, liderada pelo Sr. Armindo Nunes, integrando uma equipa que trabalhará em prol da defesa dos interesses dos Palmacences. Quem o conhece sabe que Palmaz terá em Artur Costa um lutador incansável pelo progresso e desenvolvimento da freguesia de Palmaz.

Recentemente foi criada a Associação "Tradições de S. Luís", localizada em Vilarinho de S. Luís.

36


TRAVANCA O topónimo Travanca relaciona-se com a natureza do terreno e função da maioria dos seus moradores que, nos conturbados tempos da Idade Média, exerceram aqui o trabalho de sentinelas e de controlo de mercadorias das Terras de Santa Maria para o sul e vice-versa. No século XIII viveu em Travanca uma família que instituiu aqui a honra de Baesteyros (Besteiros), que igualmente possuía propriedades no lugar de Damonde, no qual estavam também incluídos lugares da freguesia vizinha de Palmaz. Esta honra durou até ao século XVI, com o título de Quinta, Aio Foral de Angeja e dos seus anexos.

Área: 5,8 Km2 População (censos 2011): 1.804 habitantes Nº de Eleitores (DR 25Fev2013): 1.583 Nº de habitações: 671 (nº de alojamentos familiares – Censos 2011) Principais atividades económicas: Agricultura, indústria, construção de obras públicas, extração de inertes Principais recursos naturais: Solos férteis, rio Antuã Rede de Água: 31,3% Rede de Saneamento Básico: 0% Pontos com interesse a visitar: Capela da Sª das Flores, moinhos do Parque Temático Molinológico, na margem esquerda do rio Antuã, Capela do Espírito Santo e Igreja Matriz

37

Travanca dependeu da diocese de Coimbra, foi do julgado de Figueiredo e comarca de Estarreja, quando integrava o Município da Bemposta e, em 1855, passou a fazer parte de O. de Azeméis. Terra de gente humilde, mas trabalhadora, é sede de algumas grandes empresas de construção de obras públicas, assim como da Fábrica de Laticínios de Azeméis. Sob o aspeto artístico destaca-se a Capela do Espírito Santo, a qual conserva o retábulo antigo do Sacramento, em pedra ançã, obra notável da primeira época do escultor João de Ruão; a Capela de Nª Sª das Flores, situada numa elevação com vista para a Ria e toda a costa. A nível associativo, destaca-se a Associação Cultural de Travanca, com 32 anos, a Turma da Bola, a Associação Columbófila Unidos de Travanca, Associação de So- lidariedade Social de Travanca, Núcleo de Camionistas Terras de La-Salete e A Comissão de Zelo do Parque da Sª das Flores.

ROGÉRIO RIBEIRO

Nascido há 35 anos em Travanca, onde sempre residiu, Rogério Ribeiro é casado e pai de um menino de 3 anos. Estudou no Instituto Politécnico de Tomar, entre 1996 e 2001, onde obteve a licenciatura em Engenharia Química Industrial, tendo-se especializado na área do Ambiente. Atualmente, dirige o Departamento de Ambiente e Tratamento de Águas de uma importante empresa Travanquense, a Ambienergy– Engenharia. Dada a sua disponibilidade e capacidade para a intervenção cívica, integrou durante 3 anos as Direções da Associação de Estudantes do Instituto Politécnico de Tomar, tendo participado na organização de múltiplas atividades e projetos ligados á vida académica e estudantil. A nível local, sempre demonstrou um enorme dinamismo e dedicação ao associativismo, integrando há mais de 17 anos os órgãos sociais da Associação Cultural de Travanca, onde a sua participação se tem revelado de extrema importância. Dispõe ainda de uma grande experiência a nível da gestão autárquica, pois nos últimos 3 mandatos desempenhou as funções de Secretário da Assembleia de Freguesia e Secretário da Junta de Freguesia de Travanca, sendo atualmente membro da Assembleia de Freguesia de Travanca. Rogério Ribeiro disponibiliza-se mais uma vez para servir a sua freguesia, liderando a representação da freguesia de Travanca na lista da União de Freguesias do Pinheiro da Bemposta, Travanca e Palmaz, liderada pelo Sr. Armindo Nunes, continuando assim de forma empenhada a pugnar pelo desenvolvimento da sua freguesia e a lutar pelos interesses dos Travanquenses.

38


COMPROMISSOS

Da análise e reflexão sobre as necessidades em cada um dos lugares, a nossa Equipa assume com os habitantes da UF de Pinheiro Bemposta, Palmaz e Travanca os seguintes compromissos: Ação Social - Cooperar com os serviços da Ação Social do Município na identificação e apoio às famílias carenciadas - Proceder ao alargamento da rede social existente no Pinheiro da Bemposta, às freguesias de Palmaz e Travanca Saúde, Meio Ambiente e Segurança - Promover a construção de uma represa de apoio aos bombeiros no combate aos incêndios, tanto dos meios aéreos como terrestres - Estabelecer parcerias com a unidade de saúde familiar, que permitam melhorar os serviços prestados, garantindo desde já o transporte nos casos de comprovada carência económica Arranjos Urbanísticos/Obras nos Espaços públicos - Implementar, em estreita relação com o município, um programa de limpeza dos espaços públicos nas freguesias - Inventariar necessidades de intervenção na rede viária e protocolar com o município as obras relativas à requalificação, ao longo de todo o mandato Educação e Cultura - Assegurar o apoio ao funcionamento dos Jardim-de-infância e Escolas, em estreita ligação com o Gabinete de Educação - Promover a “semana cultural da União”, a decorrer em simultâneo nas 3 freguesias Tempos Livres e Desporto - Promover um passeio anual para idosos, que permita a aproximação das pessoas das 3 freguesias - Criar um roteiro turístico, aproveitando a beleza natural das 3 freguesias, a sua história, o seu património (espigueiros, tanques públicos, pontes, igrejas e capelas, monumentos, etc), a sua gastronomia e a beleza dos seus rios - Reforçar o apoio às associações, pelo seu relevante papel no desenvolvimento da cultura, tradições, desporto, arte e recreio Relação com os cidadãos - Garantir o funcionamento dos serviços de secretaria e obras existentes nas 3 freguesias, devidamente articulado - Realizar de forma rotativa as AF pelas 3 Freguesias, ao longo de todo o mandato, incentivando a população a participar nestes órgãos

39

40


EU APOIO

41

42


43

44



Está na Hora de Mudar