Issuu on Google+

Contactos 214 834 580 Rua Frederico Arouca, nrº 33, 1º Esq, 2750 Cascais seccaocascais@gmail.com Novembro 2011 Eleições na JS CASCAIS

Editorial Esta edição de Novembro de 2011, da New slette r de Cascais, vai debruçar-se integralmente sobre a Juventude Socialista de Cascais. No final do presente mês, irão realizar-se eleições para a Comissão Política da JS Cascais, pelo que demos espaço aos intervenientes na Estrutura. Colocámos algumas perguntas ao ca ma ra d a J o ã o R oc ha , ac t ual Coordenador da JS Cascais e à Candidata Ana Paula Santiago. Ambos têm dado corpo e alma à Concelhia da JS Cascais. O João fez um excelente trabalho ao nível da Coordenação da Concelhia e esperamos que o candidato vencedor, seja a Ana Paula, seja outro candidato que se apresente, possam dar continuidade ao trabalho até aqui desenvolvido. Esperamos que as eleições decorram com normalidade e elevado espírito democrático.

João Pedro Pereira

Web facebook.com/seccaocascaisps http://seccaocascaisps.blogspot.com www.wix.com/pscascais/seccaocascais Número 13

Entrevista a João Rocha Como é que na tua opinião a JS Cascais contribuiu para “pôr na agenda politica” as questões relacionadas com as necessidades e os problemas da juventude, de uma maneira geral e em particular em Cascais? De um modo geral, penso que bastante. Conseguimos pôr na agenda política matérias que considero fundamentais na vida dos jovens em Cascais como a questão da habitação a custos controlados, nomeadamente no acesso à 1ª casa, sugerimos o alargamento do horário das bibliotecas municipais lançámos um debate sobre a vida nocturna em Cascais que contou com vários independentes e conseguimos uma grande vitória política que foi a implementação do Orçamento Participativo, bandeira que defendíamos desde 2009. Num âmbito mais geral tivemos várias preocupações como: a eficiência energética, participação cívica dos jovens, questões de igualdade de género e ainda preocupação com atentados aos direitos humanos (ex: presença na manifestação contra a execução de mulheres iranianas). Como classificas a articulação e a relação da JS Cascais com o PS em Cascais? Sentis-te alguma dificuldade de concertar as acções propostas pela JS com o PS Cascais? Mentiria se dissesse que a articulação e relação entre a JS e o PS Cascais foi sempre um "mar de rosas" durante o mandato da JS que está a findar. Houve nalguns momentos dificuldades em convencer o PS das nossas posições mas felizmente penso que com diálogo e trabalho ganhámos credibilidade e actualmente o panorama é muito mais favorável e a articulação tem melhorado. Pensas que pelo facto de teres sido eleito para a Assembleia Municipal de Cascais ajudou a colocar as questões da Juventude na ordem do dia e assim dar visibilidade às mesmas? Absolutamente fundamental. Em sede de Assembleia Municipal, temos oportunidade de em todas as reuniões, no período antes da ordem do dia, apresentar propostas,

requerimentos e criticar as políticas que entendamos estarem erradas. Confere simultaneamente uma excelente possibilidade para acompanhar mais de perto a vida do município em inúmeros eventos e reuniões e passar esse feedback adquirido aos nossos camaradas. Quais são as razões, que certamente muito ponderas-te, para não seres mais candidato a Coordenador da JS Cascais? Sobretudo de âmbito pessoal, devido a novas perspectivas académicas que tenho pela frente e politicamente por ter a convicção de que a presidência da concelhia precisa de ser renovada, a bem da estrutura. Qual o balanço que fazes deste teu mandato, que está prestes a terminar, como Coordenador da JS Cascais? Muito positivo, graças a uma excelente equipa, muito versátil nas suas competências e qualidades. Ao longo deste mandato percorremos todas as escolas públicas secundárias do concelho, rejuvenescemos a massa crítica de militantes da JS Cascais, organizámos diversos debates em vários pontos do concelho com algumas figuras prestigiadas da sociedade portuguesa (ex: Professora Isabel do Carmo), marcámos presença em inúmeros eventos de colectividades e associações em todas as freguesias. No plano interno fomos responsáveis pela organização da XI Convenção da JS FAUL (que pela 1ª vez ocorreu em Cascais), marcámos presença significativa nos eventos da JS FAUL e destaco que ao fim de 10 anos Cascais voltou a ter um secretário nacional da JS, através do nosso camarada e amigo Miguel Matos que tem dirigido de forma brilhante a Organização Nacional de Estudantes do Ensino Básico e Secundário da JS.


Realço ainda a abertura do núcleo da JS Alcabideche, do Núcleo de Estudantes da IBN Mucana, a presidência das AE`S do St`Julians e da IBN Mucana e o processo do núcleo da JS Parede que será reaberto dentro de poucos dias. Por fim existe ainda a vertente internacional, na qual a concelhia de Cascais representou cerca de 25% da delegação portuguesa que participou no último festival da IUSY na Áustria. Qual é o teu desejo para a futura equipa da JS Cascais? Que continuem com a mesma garra e determinação em prol da melhoria da qualidade de vida do nosso município! Acreditas que a Camarada Ana Paula Santiago é neste momento a pessoa que está em melhor condições de assegurar os destinos da JS em Cascais? Porquê? Absolutamente! Pelo seu percurso pessoal, político e profissional mas acima de tudo por dois factores: a sua capacidade de organização de equipas e o seu espírito de diálogo e disponibilidade permanente para ouvir todos antes de tomar decisões. Acredito que a JS Cascais ficará mais forte com a liderança da minha amiga e camarada Paula Santiago, motivo pelo o qual aceitei com muita honra e orgulho, o convite que me endereçou para presidir à mesa da concelhia e de que pronto aceitei. Nota Final - Agradeço à secção do PS Cascais, em particular ao Paulo Mira e ao João Pedro Pereira a oportunidade que dão à JS de divulgar o seu trabalho com estas entrevistas.

Entrevista a Ana Paula Santiago Quais foram as razões que te levaram a ser candidata a Coordenadora da JS Cascais? Candidato-me ao cargo de Coordenadora da Juventude Socialista de Cascais porque quero continuar a servir a JS e o PS no rumo à vitória nas eleições autárquicas de 2013, sempre com lealdade aos valores do socialismo democrático e com a responsabilidade de os saber colocar ao serviço dos Jovens Cascalenses. É verdade que não temos um caminho fácil, mas comigo, garanto uma JS com uma liderança forte, audaz e responsável. O que pensas sobre o legado que irás herdar da JS Cascais liderada até agora pelo nosso camarada João Rocha? Esta é uma candidatura de continuidade do trabalho já executado pelo anterior coordenador, o Camarada e amigo João Rocha, assumindo com orgulho e respeito toda a

história e todo o património político e humano do Camarada João Rocha. Na verdade, é preciso não esquecer que o Camarada João Rocha conseguiu reanimar uma estrutura que estava a esmorecer e voltar a elevar o seu nome quer ao nível concelhio, quer ao nível federativo. Alguns camaradas desta equipa irão integrar a tua equipa neste novo projecto? Porquê? Como se costuma dizer, quando uma equipa é boa, não se devem efectuar alterações. E foi seguindo esse critério, que quis manter a equipa do mandato do Camarada João Rocha. Acredito que todos os elementos do projecto “Construir a Vitória” representam com o seu trabalho árduo, irreverência e ambição uma mais valia para qualquer estrutura partidária, sendo um enorme orgulho poder contar com a confiança e colaboração de todos eles no rumo à vitória. Pretendes continuar a articulação de acções, tal como tem vindo a ser feita até agora, com a nova Comissão Politica recentemente eleita em Cascais liderada pelo nosso camarada Alexandre Sargento? Como todos sabemos, perdemos as últimas eleições autárquicas em Cascais e por isso é vital reflectir sobre as causas dessa derrota, e tirarmos as devidas ilações. Acredito, que para conquistarmos a vitória nas próximas eleições autárquicas é necessário a JS e o PS Cascais trilharem um mesmo percurso, rumo à vitória nas eleições autárquica em 2013. E para isso, é necessário continuarmos a articular as nossas actividades juntamente com a Comissão Política do PS Cascais liderada pelo Camarada Alexandre Sargento. Aliás, a este respeito gostaria de acrescentar que na JS Cascais vigora o sentimento unânime de esperança e animo pela forte e ambiciosa liderança do Camarada Alexandre Sargento e sua equipa, acreditando com ele ser possível a concretização do lema da candidatura “Construir a Vitória”. O que desejas para o futuro da JS Cascais? Desejo que toda a equipa da JS Cascais juntamente com a Comissão Política do PS Cascais consiga no futuro voltar a estabelecer a relação de confiança que existia com os cascalenses e apresentarmo-nos no futuro como uma alternativa sólida à coligação de direita PSD/CDS-PP. Por outro lado, desejo que com o projecto da Candidatura “Construir a Vitória” consigamos captar novos militantes cascalenses, enriquecendo a nossa estrutura e tornando-a mais forte nos combates que se avizinham. Queres lançar e deixar aqui algum desafio aos jovens de Cascais? Gostaria de transmitir a todos os jovens de cascais que uma das minhas maiores preocupações é que a juventude deixe de participar na vida política da concelhia, ou seja, abdique de potencializar energias para a participação cidadã e do seu papel transformador. É importante que os jovens tenham a consciência de que se tornando apáticos e cépticos em relação à política, esta nunca será renovada e não teremos condições de mudar o que está errado. Deste modo, o meu desafio e da restante equipa da Candidatura “Construir a Vitória” é que todos os jovens cascalenses participem activamente nos problemas do nosso município, consciencializando-os de que não existe democracia sem a organização da sociedade e muito menos sem políticos, e os jovens são um dos mais importantes recursos humanos para o desenvolvimento e podem ser agentes essenciais de inovação e de mudanças sociais positivas.


Newsletter Nrº 13 Secção Cascais