Page 1

Comunicações PROVÍNCIA FRANCISCANA DA IMACULADA CONCEIÇÃO DO BRASIL JUNHO 2014 • ANO LXI • Nº 06

1º Congresso Internacional MISSÕES EM ANGELINA

SAV e PVF marcam o Vale das Graças

Comunicações . junho de 2014

para as Missões e a Evangelização

257


SUMÁRIO ________________________________________

Mensagem do Ministro Provincial - “A profecia do Reino não é negociável”...............................................................................................................................................................................259 FORMAÇÃO PERMANENTE - Carta do Ministro Provincial sobre o Capítulo das Esteiras.......................................................................................................................................261 - “Aspectos teológicos que embasam a família e o matrimônio”, de Frei Nilo Agostini.........................................................................................................262 Formação e Estudos - Conselho de Formação e Estudos se reúne no Convento São Francisco.....................................................................................................................264 - Ordenação de Frei Paulijacson de Moura em Blumenau................................................................................................................................................266 - Kibala: Notícias do Postulantado Santo Antônio..........................................................................................................................................................................270 - Ituporanga: Notícias do Seminário São Francisco de Assis..................................................................................................................................................271 - Bênção da imagem de Nossa Senhora e da gruta em Rondinha........................................................................................................................................272 - Master de Evangelização: Ide, evangelizai! Vocês serão sal e luz!...................................................................................................................................274 SAV - Angelina: Semana Missionária marca o Vale das Graças...................................................................................................................................................276 - Amparo lota teatro em encontro vocacional....................................................................................................................................................................280 - O seguimento franciscano no 4º encontro vocacional do SAV-RJ..............................................................................................................................................281 FRATERNIDADES - Frei Florival, Cidadão Vilavelhense.........................................................................................................................................................................................282 - Concerto cultural no Santuário Divino Espírito Santo........................................................................................................................................................283 - Mesa-redonda para comemorar o Solo Espírito-santense...........................................................................................................................................284 - Encontro do Regional Leste Catarinense...............................................................................................................................................................................284 - Dia das Mães na Penha.............................................................................................................................................................................................................285 - Artigo: São Francisco e São Luís Gonzaga, um místico casamento”, de Frei Luiz Iakovacz...............................................................................................286 - 15ª edição da Caminhada Ecológica Petrópolis-Paty........................................................................................................................................................287 - Semana Santa na Paróquia Santa Inês de Balneário Camboriú.......................................................................................................................................288 - Regional do Vale do Itajaí em Rodeio....................................................................................................................................................................................289 - PVF: Emoção e alegria no Retiro dos Benfeitores.........................................................................................................................................................290 - Pentecostes em Agudos..................................................................................................................................................................................................292 - “Da Oração”, poema de Frei Benjamim Ansolin........................................................................................................................................................................292 - Gaspar: 164º Festa de São Pedro Apóstolo..................................................................................................................................................................................293

Comunicações . junho de 2014

Evangelização - 1º Congresso Internacional para as Missões e a Evangelização da Ordem........................................................................................................................294 - Conselho do Secretariado da Evangelização e Missão..........................................................................................................................................................301 - JPIC: Morre Dom Tomás Balduíno........................................................................................................................................................................................303 - Frei Gustavo recebe Microfone de Prata pela Sala Franciscana............................................................................................................................................304 - Alunos da FAE são convidados a participar de Concurso Universitário......................................................................................................................307 - Notícias do Sefras..........................................................................................................................................................................................................................308

258

NOTÍCIAS E INFORMAÇÕES - Atualização da Ficha Autobiográfica....................................................................................................................................................................................311 - Clarissas de Nova Iguaçu celebram Jubileu de Prata.....................................................................................................................................................312 - Frei Nilo participa de coleção da Embrapa...........................................................................................................................................................................314 - Paróquia Santo Antônio de Florianópolis tem novo site.................................................................................................................................................314 FALECIMENTOS - Falece o Ex-Ministro Geral Frei Giacomo Bini.........................................................................................................................................................................315 AGENDA......................................................................................................................................................................................................316

Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil Rua Borges Lagoa, 1209 - 04038-033 | Caixa Postal 57.073 - 04089-970 | São Paulo - SP www.franciscanos.org.br | ofmimac@franciscanos.org.br


mensagem ________________________________________

Caríssimos Irmãos e irmãs, Que o Senhor nos dê a paz e todo o bem! Nos dias 28 a 30 de abril de 2014, no Seminário Santo Antônio de Agudos, a nossa Fraternidade provincial realizou a assembleia e reunião formativa dos guardiães e coordenadores das fraternidades, dos definidores e irmãos de outros serviços das nossas Frentes de Evangelização. O tema formativo que orientou a nossa assembleia foi o texto “Despertem o Mundo”, fruto do encontro e diálogo do Papa Francisco com 120 superiores religiosos de todo o mundo, ocorrido em Roma, no dia 29 de novembro de 2013, diálogo esse reproduzido pelo jesuíta Antônio Spadaro e publicado na revista La Civiltà Cattolica. Nesta carta mensal de junho de 2014, quero partilhar com os irmãos da Fraternidade Provincial e também com as pessoas que comungam da nossa vocação e missão evangelizadora alguns dos eixos centrais da reflexão partilhada pelos confrades que, em oito grupos, se debruçaram sobre texto “Despertem o Mundo”. Três perguntas prévias orientaram o estudo: Quais pontos que queremos destacar? Como eles se relacionam com a nossa vida e quais desafios emergem para as nossas fraternidades? PONTOS DE DESTAQUE: Dos vários pontos que os confrades apresentaram ao plenário, aqui apresento cinco destaques convergentes, a saber:

O 1º destaque recaiu sobre o binômio TESTEMUNHO E PROFECIA – Tocaram a todos nós as palavras do Papa Francisco ao afirmar que “a Igreja cresce através do testemunho, e não do proselitismo”; do nosso testemunho deve nascer “uma Igreja que seja atraente”; “sejam testemunhos de uma forma diferente de fazer as coisas”; nesse sentido somos profetas, o acento recai sobre a pessoa do profeta e a “profecia do Reino não é negociável”; enquanto religiosos, somos pessoas que devem “iluminar o mundo”. Desafios: Construir fraternidades evangelizadoras; não comprometer a fraternidade e sua missão evangelizadora por má conduta e/ou posturas inadequadas à nossa condição de religiosos; despertar para uma consciência de fidelidade, sem dar margem à ‘corrupção’; acreditar que as vocações nascem do testemunho de vida; fugir da tentação e da máscara do ‘parecer ser profeta’; trabalhar a honestidade consigo mesmo, com a fé, com a Igreja e com o carisma; apresentar uma Igreja que realmente seja atraente a partir do nosso modo de ser e agir; evitar o centralismo, a ideologia abstrata e o risco de fazer da nossa vida consagrada um mero refúgio frente às dificuldades e complexidades do mundo no qual vivemos. O 2º destaque evidenciou o CARISMA – Precisamos, no testemunho e anúncio proféticos, dar

Comunicações . junho de 2014

“A PROFECIA DO REINO NÃO É NEGOCIÁVEL!” (Papa Francisco)

259


Comunicações . junho de 2014

mensagem ________________________________________

260

ênfase ao carisma e não às obras: “O carisma continua, é forte; a obra passa” e ainda, “o carisma não é uma garrafa de água destilada”, ele precisa ser vivido energicamente, ser interpretado culturalmente e necessita de inculturação permanente. Desafios: reforçar mais o nosso carisma no testemunho profético; na perspectiva do redimensionamento, priorizar o carisma e não as nossas obras; despertar com coragem a reflexão entre o carisma vivo e as obras e estruturas mumificadas/engessadas para que aconteça o redimensionamento; buscar novos caminhos, mesmo se estes causam insegurança. O 3º destaque, talvez um dos ‘nós’ mais cruciais da nossa vida consagrada seja exatamente este: A VIDA EM FRATERNIDADE. Enquanto humanos, todos nós carregamos conosco as nossas limitações naturais. A vida fraterna é uma experiência de amor que vai além dos conflitos, além das diferenças. “A unidade prevalece sobre o conflito”. A fraternidade é produtiva quando ela torna possível a vida fraterna. Desafios: construir permanentemente a fraternidade evangelizadora; trabalhar mais e melhor nossos relacionamentos fraternos; vigilância e permanente atenção diante da evidência e crescimento da tendência ao individualismo moderno; reconhecer as nossas fraquezas e manter a esperança de superação pelo escutar e dialogar; ter cuidado com a tentação do comodismo e da instalação; retomar o espírito da nossa missão na Igreja como consagrados franciscanos; gastar mais energia com as relações fraternas; acentuar e priorizar entre nós a ternura eucarística; prestar atenção quando os nossos conflitos apenas emergem das questões periféricas e não pela falta de objetividade na vivência do essencial da nossa vocação e missão; procurar, em fraternidade, superar os conflitos sem perder de vista ‘o ponto de partida’; evitar todo risco do silêncio conveniente e omissão diante dos possíveis conflitos; saber lidar com os conflitos dentro de casa (também na pastoral); reconhecer que as falhas e limitações devem levar-nos a superar os conflitos; superar os conflitos, crescer no diálogo e abominar as diferentes formas de corrupção na fraternidade. O 4º destaque recaiu sobre o tema da FORMAÇÃO – A formação não possui um fim em si mesma. A “formação pessoal é um desafio muito sério, sempre tendo em mente o Povo de Deus”. Nesse sentido os frades enfatizaram os quatro pilares da formação, indicados pelo Papa Francisco: “o espiritual, o intelectual, o comunitário e o apostóli-

co”. Mesmo vivendo uma mudança de época, desde cedo precisamos formar o coração dos jovens, caso contrário “formamos pequenos monstros. E então estes pequenos monstros formarão o Povo de Deus. Isso me dá arrepios”, afirma o Papa Francisco. Desafios: ter presente uma formação que sempre nos prepara para o serviço do Povo de Deus; criar a permanente formação não para meros ‘administradores’ e ‘gerentes’, mas para formarmos pais, irmãos, companheiros de viagem; privilegiar a formação para a missão (frentes de evangelização); privilegiar a formação para a vida religiosa e não só a clerical; atentar para o risco e a tendência de uma formação clericalista. O 5º destaque evidenciou o tema da MISSÃO – falamos da missão entendida como fronteira geográfica e também como fronteira simbólica onde se encontram os marginalizados de hoje. Lembrou-se também o desafio cultural e da educação. Quanto à educação, chamou a atenção dos frades os três pilares indicados pelo Papa, que são: “transmitir conhecimento, transmitir modos de fazer as coisas, transmitir valores. E através destes valores transmite-se a fé”. Desafios: não dá para fazer coisas novas com métodos antigos; evitar o ‘centralismo’; atender às diferentes periferias como lugar e preferência existencial; atenção para as periferias deste mundo, particularmente onde se encontram os novos ‘leprosos’ e os que estão para fora dos muros das nossas seguranças; olhar mais a nossa vida e a realidade a partir das ‘periferias’; prestar atenção para a rotatividade da missão em Angola. Finalizando! Creio que os guardiães, coordenadores, definidores e animadores dos diferentes serviços nas fraternidades da nossa Província, cada vez mais, compreendem e estão de comum acordo que o verdadeiro redimensionamento implica, em primeiro lugar, na busca de uma ressignificação da nossa vocação à vida religiosa franciscana, da nossa vida em fraternidade, da nossa formação permanente e da nossa paixão e alegre encantamento pela missão evangelizadora. A partir da ressignificação da vocação e paixão pela missão podemos, quem sabe, profeticamente ‘abandonar’ determinados lugares e, quem sabem, partir com mais audácia e destemor para as novas fronteiras da missão evangelizadora. Que o Senhor nos dê força e perseverança! Frei Fidêncio Vanboemmel, OFM Ministro Provincial


formação permanente ________________________________________

“O bem-aventurado Francisco, no entanto, marcou imediatamente um Capítulo Geral para Santa Maria da Porciúncula... A este Capítulo, conforme o costume então existente na Ordem, compareceram tanto os professos quanto os noviços... Neste Capítulo, o bem-aventurado Francisco, tendo tomado o tema “Bendito o Senhor meu Deus que adestra minhas mãos para o combate” (Sl 18, 35), pregou aos irmãos, ensinando as virtudes e admoestando à paciência e aos exemplos a dar ao mundo”. (cf. JJ 15-16) São Paulo, 21 de maio de 2014. Estimado irmão guardião/coordenador, Paz e Bem! Conforme já acenamos na reunião de guardiães e coordenadores em Agudos, neste ano, entre os dias 22 e 25 de setembro, teremos a celebração de nosso CAPÍTULO DAS ESTEIRAS. Trata-se de um momento de encontro fraterno, partilha de vida e reencantamento da missão. Em sintonia com a caminhada da Ordem, adotaremos para nosso capítulo o lema abraçado para o Capítulo Geral 2015: “Irmãos e Menores em nosso tempo”. Teremos ainda a graça da presença de nosso Mi-

nistro Geral, Frei Michael Anthony Perry, além do Definidor Geral para a América Latina, Frei Nestor Inácio Schwertz. A comissão organizadora já está dando os devidos encaminhamentos na formação das equipes e na distribuição dos serviços, assim como na montagem de toda a programação. Para que tenhamos uma adesão unânime dos irmãos, seu papel de guardião/coordenador, enquanto animador primeiro da fraternidade, é de fundamental importância. Por isso, peço que providencie com todo zelo a inscrição e a participação efetiva dos frades da sua fraternidade. As fichas de inscrição, com as devidas informações e recomendações, foram enviadas para os guardiães e coordenadores de Fraternidades, e devem ser preenchidas e reencaminhadas, via e-mail, para o endereço imprensa@franciscanos. org.br até o dia 15 de julho de 2014. Certo de poder contar com sua costumeira e pronta colaboração, deixo o meu abraço aos irmãos da Fraternidade na certeza de que nosso Capítulo das Esteiras será verdadeiro tempo de graça. Com estima fraterna, Frei Fidêncio Vanboemmel, OFM Ministro Provincial

Comunicações . junho de 2014

Capítulo das Esteiras

261


formação permanente ________________________________________

A FAMÍLIA NUM TEMPO DE MUDANÇAS

Frei Nilo Agostini

Comunicações . junho de 2014

Aspectos teológicos que embasam a família e o matrimônio

262

Para muitos, hoje em dia, casar-se é fazer um contrato entre duas pessoas. Bastaria ir ao cartório ou nem isso; para alguns, seria uma questão de ir morar juntos. Para nós, cristãos, o matrimônio é mais; ele é o lugar da gratuidade e da graça; nele se realiza uma comunidade de vida e de amor; nós católicos dizemos que é graça sacramental. Assim, ele se torna sinal da presença do amor de Deus. Por isso, o matrimônio é o fundamento da família e um dos bens mais preciosos da humanidade. Aí está a chance para a humanidade crescer de maneira firme e estável1. 1. A família e o matrimônio no projeto de Deus A família tem consistência enquanto alicerçada sobre esta base que a inscreve no projeto de Deus. Compreendemos, então, que o Documento de Santo Domingo (1992) fale disso com as seguintes palavras: “No plano de Deus Criador e Redentor, a família descobre não só a sua identidade senão também sua missão: cuidar, revelar e comunicar o amor e a vida através de quatro atos fundamentais: a) A missão da família é viver, crescer e aperfeiçoar-se como comunidade de pessoas que se caracteriza pela unidade e indissolubilidade. A família é o lugar privilegiado para a realização pessoal junto com os seres amados. b) Ser ‘como o santuário da vida’, serva da vida, já que o direito à vida é a base de todos os direitos humanos. Este serviço não se reduz só à procriação, é antes auxílio eficaz para transmitir e educar em valores autenticamente humanos e cristãos. c) Ser ‘célula primeira e vital da sociedade’. Por sua natureza e vocação, a família deve ser promotora do desenvolvimento, protagonista de uma autêntica política familiar. d) Ser ‘Igreja doméstica’ que acolhe, vive, celebra e anuncia a Palavra de Deus, é santuário onde se edifica a santidade e a partir de onde a Igreja e o mundo podem ser santificados”2. Esta identidade e esta missão da família estão alicerçadas no amor. A própria realização do ser humano – homem e mulher – funda-se no amor. O lugar privilegiado para vivê-lo é na família, “íntima comunidade de vida e de amor”3. Numa obra de 1960 – Amor e responsabilidade –, Karol Wojtyla já escrevia:

“E necessário aqui sublinhar que o amor é a realização mais completa das possibilidades do homem. É a atualização máxima da potencialidade intrínseca da pessoa. Esta encontra no amor a maior plenitude do próprio ser, da própria existência objetiva. O amor é o ato que realiza do modo mais completo a existência da pessoa”4. O matrimônio, como todo sacramento, é um gesto visível que realiza o dom da graça, alicerçado “n’Aquele que em Si mesmo é dom de todo o dom..., confirmado no mistério da Encarnação que se tornou, na história dos homens, fonte de uma beleza nova...”5. Portanto, é Cristo o primeiro e único sacramento. E a Igreja, por sua vez, é sacramento de Cristo; e incorpora o matrimônio neste mistério que a une a Cristo. “Assim os cônjuges encontram em Cristo o ponto de referência para o seu amor esponsal”6. “A família é um caminho do qual o ser humano não pode separar-se... Quando falta a família logo à chegada da pessoa ao mundo, acaba por criar-se uma inquietante e dolorosa carência que pesará depois sobre toda a vida”7. No encontro com as famílias, em 2001, o Papa João Paulo II exclamava: “Família, torna-te aquilo que és”! E acrescentava: “Família, crê naquilo que és”!8 O Papa convocava, assim, as famílias a encontrarem a verdade sobre si mesmas, encorajandoas a vivê-la no mundo de hoje. “Arquitetura de Deus, plano de Deus inviolável, a família também é arquitetura do homem, compromisso do homem no desígnio divino”9. “No plano de Deus Criador e Redentor, a família descobre não só a identidade senão também sua missão: cuidar, revelar e comunicar o amor e a vida através de quatro atos fundamentais”10: “a formação de uma comunidade de pessoas, o serviço à vida, a participação no desenvolvimento da sociedade, a participação na vida e na missão da Igreja”11. Hoje, sentimos ser urgente uma “ação efetiva favorável à família e à vida: na sociedade (leis e políticas familiares), na cultura (pensamento, literatura, meios de comunicação social) e, sobretudo, nas comunidades cristãs (renovação do espírito de abertura à vida)”12. A meta pastoral é “ajudar os cônjuges a


formação permanente ________________________________________

Notas 1. Cf. AGOSTINI, Nilo. Moral cristã: Temas para o dia a dia. 5ª edição. Petrópolis: Vozes, 2010, p. 81-92. 2. IV CONFERÊNCIA GERAL DO EPISCOPADO LATINOAMERICANO E CARIBENHO. Nova Evangelização, promoção humana, cultura cristã (Documento de Santo Domingo). Petrópolis: Vozes, 1992, n° 214. 3. CONCÍLIO VATICANO II. Constituição pastoral Gaudium et Spes n° 48. In: VIER, Frederico (coord.). Compêndio do Vaticano II: Constituições, decretos, declarações. 22ª edição. Petrópolis: Vozes, 1991, p. 196. 4. Cf. JOÃO PAULO II. Homem e mulher o criou: catequeses sobre o amor humano. Bauru: EDUSC, 2005, p. 17. 5. IDEM. Carta às Famílias – 1994: Ano da Família, col. Documentos Pontifícios n° 256, Petrópolis, Editora Vozes, 1994, op. cit., nº 20, p. 81s. 6. Ibidem, nº 19, p. 74s. 7. Ibidem, n° 2, p. 5-6. 8. IDEM. Discurso durante o Encontro com as famílias, 22/10/2001, In: L’Osservatore Romano (edição portuguesa), 27/10/2001, n° 3, p. 3. 9. CONSELHO PONTIFÍCIO PARA A FAMÍLIA. Congresso teológico-pastoral: A Familiaris Consortio no seu XX aniversário – Dimensão antropológica e pastoral, SEDOC 34 (2002), p. 626. 10. IV CONFERÊNCIA GERAL DO EPISCOPADO LATINOAMERICANO E CARIBENHO. Op. cit., n° 212, p. 111. 11. JOÃO PAULO II. Exortação apostólica Familiaris Consortio. 17ª edição. São Paulo: Paulinas, 2003, n° 17, p. 30. 12. CONSELHO PONTIFÍCIO PARA A FAMÍLIA, Congresso teológico-pastoral..., op. cit., p. 633. 13. Cf. CONFERÊNCIA GERAL DO EPISCOPADO LATINOAMERICANO E CARIBENHO. Op. cit., n° 64, p. 59. 14. Cf. JOÃO PAULO II. Exortação apostólica Christifideles laici. 11ª edição. São Paulo: Paulinas, 1990, n° 40, p. 109s; CONGREGAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO CATÓLICA. Diretrizes para a formação dos seminaristas sobre os problemas relativos ao matrimônio e à família. In: SEDOC 28 (1995), p. 334. 15. CONSELHO PONTIFÍCIO PARA A FAMÍLIA. Preparação para o Sacramento do Matrimônio. In: SEDOC 29 (1996), p. 311. 16. Cf. SPREAFICO, Dom Serafim. Família Cristã, Igreja doméstica. Encontro de Casais com Cristo e evangelização. São Paulo: Loyola, 1992, p. 49. 17. JOÃO PAULO II. Exortação apostólica Familiaris Consortio. Op. cit., n° 55, p. 94. 18. Ibidem, n° 56, p. 95; GS 48. 19. Ibidem, n° 56, p. 96. 20. CONCÍLIO VATICANO II. Constituição pastoral Gaudium et Spes n° 48. In: VIER, Frederico (coord.). Op. cit., p. 196. 21. RUFFINI, Eliseo. Il matrimonio-sacramento nella tradizione cattolica. Rilettura teológica. In: GOFFI, Tullo (a cura di). Nuova enciclopedia del matrimonio. Edizione rinnovata, Brescia: Queriniana, 1988, p. 199. 22. Ibidem, p. 204. 23. V CONFERÊNCIA GERAL DO EPISCOPADO LATINOAMERICANO E DO CARIBE. Documento de Aparecida. 7ª edição. Brasília; São Paulo: CNBB; Paulinas; Paulus, 2008, nº 432. 24. Ibidem, nº 433. 25. Ibidem, nº 434.

Comunicações . junho de 2014

procederem de tal sorte que a sua família se torne sempre mais ‘uma Igreja doméstica’, ‘a primeira comunidade evangelizadora’13, ‘o primeiro espaço para o engajamento social’, ‘o lugar primeiro da humanização da pessoa e da sociedade’”14. Isto se funda na convicção de que somos “povo da vida e pela vida”, da qual “resulta decisiva a responsabilidade da família: é uma responsabilidade que brota da própria natureza dela – uma comunidade de vida e de amor, fundada sobre o matrimônio e da sua missão que é ‘guardar, revelar e comunicar o amor’”15. 2. A graça e o dom que acompanham a família no sacramento do matrimônio Deus quis a família, sendo a Trindade o seu centro, num convite para que ela viva à sua imagem. Torna-se “Igreja doméstica”, representação (analógica) da Igreja no seu todo e da Igreja particular16. Em formas específicas, a família se insere no Reino de Deus. A família está inserida na Igreja, povo sacerdotal, sendo “chamada a santificar-se e a santificar a comunidade cristã e o mundo”17. A família constitui-se na comunidade em diálogo com Deus, um verdadeiro santuário doméstico da Igreja. Ela tem no sacramento do matrimônio, a graça, qual dom, que a acompanha ao longo de toda a sua existência. Não se resume na celebração do matrimônio. É Jesus Cristo mesmo que “permanece com eles, para que, assim como ele amou a Igreja e se entregou por ela, de igual modo os cônjuges, dando-se um ao outro, amem-se com perpétua fidelidade... Por este motivo, os esposos cristãos são fortalecidos e como que consagrados em ordem aos deveres do seu estado por meio de um sacramento especial”18. “O matrimônio cristão [....] é em si mesmo um ato litúrgico de louvor a Deus em Jesus Cristo e na Igreja”19. Através dos tempos, a Igreja foi percebendo/desvendando que o matrimônio continha e contém toda uma estrutura sacramental, captando o “mistério” da “graça” de Deus que nele se faz presente. Ele é um sinal visível da doação realizada e do amor vivido na Encarnação do próprio Deus em Cristo. Jesus é na verdade “o” sacramento de Deus. A Igreja por sua vez é sacramento de Cristo. A grande graça que une Cristo e a Igreja é, por sua vez, sinalizada em vários sacramentos, entre os quais o matrimônio. A aliança matrimonial é assim elevada à dignidade de sacramento. A “íntima comunidade de vida e de amor”20 nele presente torna o matrimônio como um todo “sacramento”, sendo sinal e presença do amor de Deus no coração da humanidade. Assim, o matrimônio tem um lugar especial nos planos do

próprio Deus. “O matrimônio é um estado de vida que exprime e realiza naquilo que é, e segundo modalidades próprias, o caminho e a história da salvação. O matrimônio... encontra o seu significado na natureza mesma do fato e do estado conjugal: ser um casal, comunidade-comunhão”21. “Como no batismo a pessoa de fé é chamada por Deus a ser uma graça e uma proposta de salvação aos homens em geral, no matrimônio é chamada a sê-lo para uma pessoa em particular”22. Finalizo relembrando algumas palavras do Documento de Aparecida, quando os Bispos apresentam a família como “um dos tesouros mais importantes dos povos latino-americanos e caribenhos”, sendo “um patrimônio da humanidade inteira”23. Relembram que “a família cristã está fundada no sacramento do matrimônio entre um homem e uma mulher, sinal do amor de Deus pela humanidade e da entrega de Cristo por sua esposa, a Igreja”24. E sublinham que é “na comunhão de amor das três Pessoas divinas que nossas famílias têm sua origem, seu modelo perfeito, sua motivação mais bela e seu destino”25.

263


formação e estudos ________________________________________

CONSELHO DE FORMAÇÃO E ESTUDOS SE REÚNE NO CONVENTO SÃO FRANCISCO

Comunicações . junho de 2014

FREI FÁBIO CÉSAR GOMES

264

Nos dias 06 e 07 de maio, aconteceu, no Convento São Francisco em São Paulo (SP), a reunião do Conselho de Formação e Estudos da Província, com a presença dos seguintes membros: Frei Fidêncio Vanboemmel – Ministro Provincial; Frei César Külkamp – Secretário para a Formação e os Estudos; Frei Fábio César Gomes – Vice-secretário e Mestre do tempo da Filosofia; Frei Antônio Michels – Secretário para a Evangelização; Frei Diego Atalino de Melo – Animador do SAV provincial; Frei Marcos A. de Andrade – Mestre do tempo da Teologia; Frei Samuel Ferreira de Lima – Mestre dos Noviços; Frei Rodrigo da Silva Santos – Orientador dos Aspirantes; Frei Gilberto da Silva – diretor do Seminário S. Francisco de Assis; Frei Antônio Everaldo Palubiack Marinho – diretor do Instituto Teológico Franciscano; Frei Jean Carlos A. Oliveira – representante dos frades estudantes de Teologia e Frei Eduardo A. Schiehl – representante dos frades estudantes de Filosofia. Não puderam participar desta vez Frei Estêvão Ottenbreit – moderador para a Formação Permanente e Frei Jairo Ferrandin – diretor do Instituto de Filosofia S. Boaventura. Iniciamos com uma reflexão e a partilha de algumas das passagens mais significativas da

Mensagem da XXIII Assembleia Geral da UCLAF, ocorrida na Cidade do México, no mês da abril. Da mensagem, destacamos a insistência do Ministro Geral, Frei Michael A. Perry, para que estejamos “particularmente atentos em nossas entidades ao ponto de partida essencial sem o qual não haverá verdadeira mudança na Ordem: a formação inicial e permanente”.

Depois da leitura da ata de nossa última reunião, o Conselho passou a tratar de variados assuntos que constavam na pauta. O primeiro foi a última apreciação dos novos Regimentos das casas de formação, antes de enviá-los ao Definitório Provincial. Apenas o regimento do Seminário de Ituporanga deve es-


perar as orientações para funcionamento conjunto do Ensino Médio e da segunda etapa do Aspirantado, a partir de agosto deste ano. Em seguida, foi apresentado o trabalho realizado até o momento pelo grupo dos formadores a propósito das novas Diretrizes da Formação. Com as correções e observações feitas, o Conselho indicou que o texto seja levado à reunião do Conselho de Evangelização, no mês de maio, e submetido também à apreciação de cada frente de evangelização, principalmente nos aspectos de formação pastoral e profissional. A proposta é a de que cada uma das etapas contemple o conhecimento maior de uma das frentes. Outro assunto foi o encaminhamento de data para as profissões solenes deste ano, uma vez que o número dos que pedem é grande. Assim, para um discernimento adequado destes pedidos, por parte da equipe de formadores e do Definitório, o Conselho indicou que as mesmas aconteçam no final do ano, na data de 07 de dezembro. Os representantes dos formandos das etapas formativas da Filosofia e da Teologia discorreram, com franqueza, sobre os desafios e expectativas das respectivas casas e Institutos. Percebe-se, de modo geral, bastante comprometimento com a missão formativa e acadêmica. Sobre a formação permanente, Frei Fidêncio, em nome do moderador, Frei Estêvão Ottenbreit, discorreu sobre os

vários subsídios enviados às fraternidades e sobre alguns dos encontros já realizados ou presentes ainda no calendário da Província: dos guardiães, dos frades de primeira transferência, os retiros provinciais e Capítulo das Esteiras, com os jubileus e a presença do Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores. Pelo SAV, Frei Diego tratou de alguns pedidos de retorno de formandos à Província, bem como das várias iniciativas do Serviço, como os encontros vocacionais e as semanas e experiências missionárias. Do Secretariado para a Evangelização, Frei Toni partilhou que o mesmo ainda está em processo de configuração, mas que um passo importante é o do processo de elaboração do projeto evangelizador de cada uma das frentes. Quanto às atividades da CFMB, Frei César fez um repasse dos principais assuntos tratados na última Assembleia do SERFE, em outubro de 2013, em Santos Dumont, MG, e do Conselho de Articulação e Dinamização – CAD, em Anápolis, GO, em março deste ano. O CAD reuniu os secretários para a Formação e os Estudos e os moderadores para a Formação Permanente. A tarefa principal foi a de organizar a experiência de missão para frades da etapa under ten, que será numa realidade indígena da Amazônia, em setembro próximo, e o curso para formadores, guardiães e animadores vocacionais, em Petrópolis, no próximo ano.

Na sequência, tivemos um tempo dedicado à partilha sobre a vida em cada uma das casas de formação. Frei César apresentou também uma carta do secretario para a formação e os estudos da FIMDA – Fundação Imaculada Mãe de Deus de Angola, Frei Álisson Zanetti, que demonstrou interesse em partilhar suas realidades formativas e caminhar em comunhão com a Formação na Província, aqui no Brasil. Ele relatou a alegria pelo grande número de vocacionados angolanos, mas também a preocupação com o pequeno número de formadores para garantir o bom acompanhamento dos jovens candidatos e formandos. Com relação aos frades que fazem estudos superiores no Brasil ou na Europa, o Conselho percebe que é preciso também o devido acompanhamento e orientações da parte deste secretariado como também do secretariado para a Evangelização. Esta tarefa, a princípio, cabe aos dois secretários, de formação e de evangelização, em assessoria ao Governo Provincial. Foram levantadas algumas indicações ao Definitório de nomes para futuros formadores. Ao concluir a reunião, Frei César e Frei Fidêncio agradeceram a presença e o empenho de todos na importante tarefa da nossa formação franciscana. Frei Fidêncio pediu a bênção de Deus sobre os presentes e também para os formandos, nossos centros formativos e para todos os frades da Província.

Comunicações . junho de 2014

formação e estudos ________________________________________

265


formação e estudos ________________________________________ Ordenação diaconal | Frei Paulijacson Pessoa de Moura

DOM JOSÉ Negri: “Vocês são chamados a serem pedras vivas”

Comunicações . junho de 2014

Moacir Beggo

266

O bispo da Diocese de Blumenau, Dom José Negri, PIME, deixou os exemplos de Santo Estêvão e São Francisco como modelos para os novos diáconos da Igreja: Frei Paulijacson Pessoa de Moura e Alexsandro Valdir Borges. Eles foram ordenados para o ministério do diaconato na celebração eucarística na majestosa Catedral de São Paulo Apóstolo de Blumenau, às 15 horas, no 5º domingo da Páscoa, 18 de maio. Frei Paulijacson é frade da Província da Imaculada Conceição e Alexsandro é seminarista da Diocese de Blumenau. Diante de frades, noviços e seminaristas de toda a Província,

sacerdotes, diáconos e seminaristas da Diocese, Dom José enfatizou que a ordenação desses dois jovens era uma grande alegria. “E todos nós, como Diocese e Ordem Franciscana, devemos vibrar de alegria porque ainda temos jovens que sabem fazer esta escolha, dedicando a vida inteira pela causa do Reino e do Evangelho”, vibrou o bispo. Esta alegria o bispo também

manifestou durante a homilia ao abordar as exigências para se assumir o ministério diaconal. “Eles devem ser homens cheios do Espírito Santo e de sabedoria. Devem ser pessoas dedicadas ao serviço, como servir às mesas das viúvas. Então, a missão do diácono não é tanto litúrgica, mas caritativa. É a caridade, é o amor a missão do diácono. O diácono está a serviço dos mais fragilizados, das pessoas mais necessitadas. Os apóstolos tiveram de ceder esse trabalho social porque eles não davam conta. Portanto, os diáconos ajudam os sacerdotes, trabalham com os sacerdotes, mas no serviço da caridade e do amor”, explicou. Estêvão é o modelo de diácono que nos mostram os Atos


formação e estudos ________________________________________

São Francisco e as pedras vivas Ao refletir sobre a segunda leitura, o bispo frisou que São Pedro nos convida a sermos pedras vivas na construção do templo espiritual. “Interessante esta ligação de pedras. As pedras de que fala Pedro são pedras boas, pedras que constroem”, disse, lembrando o franciscano Frei Brás Reuter, que construiu a Igreja de São Paulo Apóstolo e que foi consagrada no

dia 25 de janeiro de 1958 e hoje é a Catedral da Diocese. “Interessante ver como na Igreja de Cristo existem muitas pedras. Tem pedras que constroem, tem pedras que destroem; tem pedras vivas, tem pedras mortas; tem pedras que são úteis, e tem pedras que são inúteis. Como não lembrar de um homem, de um grande santo, o fundador da Ordem de nosso Frei Paulijacson. Francisco de Assis foi convidado por Deus a

Comunicações . junho de 2014

dos Apóstolos. “Ele foi o primeiro mártir. Vejam que interessante! O primeiro mártir não foi um apóstolo, mas um diácono, porque o diácono tem essa grande missão de se colocar a serviço a ponto de dar a própria vida, o próprio sangue. Esta foi a expressão mais bonita de um diácono no serviço. O que impressiona na vida de Estêvão é o amor, é a caridade”, ressaltou o bispo diocesano, lembrando que Estêvão morreu pedindo perdão para os seus apedrejadores.

267


formação e estudos ________________________________________

Frei Paulijacson, a mãe Elisabeth e o irmão Francisco Alexo

Comunicações . junho de 2014

reconstruir a sua Igreja, que estava enfraquecida pelo poder, pelo dinheiro, pelo carreirismo. Francisco foi chamado por Deus para reconstruir uma Igreja que estava ainda em ruínas. Tem pedras que matam, que servem para destruir e tem pedras que servem para construir. Francisco conseguiu reconstruir a Igreja. Mas foi com pedras vivas. E a grande Ordem que ele fundou se espalhou pelo mundo inteiro e continua construindo nossa Igreja”, enfatizou. Ao comentar o Evangelho,

268

disse que há pedras de tropeço e pedras de escândalo, mas também pedras que edificam. “Meus queridos, sejam estas pedras na nossa Igreja. Não precisamos muito de pedras brilhosas, de pedras que gostam de se enaltecerem. A nossa Igreja precisa de pedras com uma beleza interior, que dão testemunho. Vocês são chamados a serem essas pedras vivas, humildes, que se contentam em ser o apoio de outras pedras maiores, mas o mais importante, pedras na construção da Igreja, dando testemunho da

caridade, do amor, a exemplo de Estêvão e Francisco”. Em seguida à homilia, os candidatos confirmaram o propósito de serem ordenados diáconos diante de Dom José e da comunidade e se prostraram no presbitério em sinal de humildade e pequenez, enquanto se rezou a Ladainha de Todos os Santos. Pela imposição das mãos de Dom José, Frei Paulijacson e Alex foram ordenados diáconos e revestidos com a estola diaconal e a dalmática. O Pe. José Fontanela


formação e estudos ________________________________________

ca dos ensinamentos evangélicos. Em seguida, os neo-diáconos prepararam a Mesa da Eucaristia para a continuação da celebração. Frei Paulijacson fez os agradecimentos no final: “Temos consciência que a ordenação diaconal não é só um ponto de chegada mas é sobretudo um ponto de partida para nos prepararmos ainda mais para a ordenação sacerdotal, para melhor servirmos

ao povo de Deus. A nossa vocação não é um favor que fazemos a Deus mas é a resposta ao imenso favor que Deus nos fez chamando-nos para o seu serviço”, enfatizou. Novamente diante do bispo, os neo-diáconos receberam a bênção final. A grande festa terminou no Salão Paroquial da Catedral numa grande confraternização.

Comunicações . junho de 2014

ajudou na vestição o neo-diácono Alexsandro e o Definidor Frei Germano Guesser, que representou o Ministro Provincial, Frei Fidêncio Vanboemmel, vestiu Frei Paulijacson com a sua mãe Elisabeth. Significando a missão de anunciar o viver o Evangelho de Jesus Cristo, os neo-diáconos receberam do bispo o livro dos Evangelhos, o qual os exortou a serem fiéis no anúncio e na práti-

269


formação e estudos ________________________________________ Postulantado Santo Antônio

Comunicações . junho de 2014

NOTÍCIAS DE KIBALA

270

Desde o início do Postulantado, em Kibala, muitos fatos ocorreram que merecem ser compartilhados franciscanamente. A rápida adaptação dos postulantes, tanto nos afazeres da casa como na pastoral, são fatores destacáveis. Um momento forte e luminoso foi a Páscoa, a começar com o retiro marcando o início da Quaresma, os gestos concretos assumidos pelos postulantes e frades, como ajudar as irmãs, vítimas de uma forte chuva, que destelhou o pátio da escola, e pessoas que vieram à nossa porta pedir ajuda devido às necessidades locais. Infelizmente, um dos nossos ajudados, dias depois, veio a se suicidar... O Tríduo Pascal foi edificante para toda a fraternidade. Fomos às aldeias e o entusiasmo do povo contagiou a todos. Conforme o relato dos próprios postulantes, “ressuscitamos com Cristo nessa Páscoa”. Outro momento bonito que vivemos foi a ordenação de três jovens diáconos da Diocese do Sumbe, em Porto Amboim, depois da Páscoa. Para não ficarmos alheios à programação da Diocese, marcamos presença nesse evento, como também na peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima, em Calulo, assistido pelos nossos irmãos salesianos. Ambos lugares requerem pelo menos duas horas de viagem de Kibala. Foi empolgante celebrar com o povo vindo de toda a Diocese sob a proteção da

Mãe Santíssima. Para abrilhantar ainda mais, no mesmo domingo da peregrinação, recebemos Frei Ricardo Backes como novo membro da nossa Fraternidade Santo Antônio. Ele veio de Malange na companhia de Frei Ivair. Presente da Mama Muxima, uma vez que estamos no mês mariano. No dia seguinte da chegada de nosso confrade, celebramos em Ação de Graças na mesa da Eucaristia e um jantar com a presença de alguns fiéis. Atualmente, Angola está vi-

vendo o Censo. As aulas estão suspensas em todo país neste mês, tendo em vista que os professores estão, na maioria, trabalhando para o Censo. O momento é de expectativa para se terem dados atualizados de toda a população. Que a Mãe de Deus de Angola, carinhosamente chamada de Mama Muxima, abençoe a todos nós. “Tuasakidila, tuapandula, tutondele...”, ou seja, muito obrigado em três idiomas nacionais. Postulantes de Kibala 2014.


formação e estudos ________________________________________ Seminário São Francisco de Assis

NOTÍCIAS DE ITUPORANGA Frei Rodrigo Santos

DIFERENTES FORMAS DE EDUCAR Numa instituição escolar, há formas tradicionais de se ensinar que não perdem seu valor como a permanência em sala de aula onde o professor expõe os conteúdos em diálogo com os educandos. Aqui no Seminário, este modelo também é o mais praticado. Entretanto, nossos professores sempre encontram formas criativas de levar aos alunos as informações de sua disciplina e estas iniciativas são sempre valorizadas. Além dos recursos de multimídia (TV, projetores e internet), exposições têm sido feitas pelos próprios alunos sobre assuntos que sejam do interesse de todos. Neste mês já tivemos exposições acerca de Ética Ambiental, preparadas pelos alunos e expostas às duas turmas; e a Primeira Vida de Tomás de Celano, em que os alunos apresentaram alguns capítulos desta biografia de São Francisco, numa peregrinação pelos corredores do seminário. Além disso, o professor de Gramática, Ricardo Mees, realizou um jogo com uma turma em que grupos disputavam respondendo perguntas e declarando as regras gramaticais. O assunto: acentuação gráfica. E assim tem sido o nosso modo de educar.

REFORMA DO SEMINÁRIO A reforma do seminário, na área que acolherá o grupo dos Aspirantes, ainda está em andamento, mas já se encontra bem adiantada. Os dormitórios e banheiros já estão em fase de acabamento, e os móveis já sendo finalizados para a montagem dos quartos. Agora os esforços se voltam para a sala de estudos dos aspirantes, que, quando encerrada, oferecerá um amplo espaço para as aulas de formação desta etapa, bem como um espaço propício para leitura e aprofundamento dos temas. FEIRA DE CONHECIMENTOS A 4ª Feira de Conhecimentos se realizará entre os dias 01 a 06 de junho, mas os preparativos para ela já consomem ideias e energias. Este já é um evento tradicional do nosso seminário menor (que segue a tradição desde Agudos). A temática será a sustentabilidade e preservação ambiental no Alto Vale do Itajaí. As salas já estão sendo montadas, os cartazes e maquetes estão espalhados pelas dependências do seminário numa boa confusão. Como no ano passado, tivemos a visita de cerca de 5 mil alunos, neste ano não podemos deixar a desejar para manter o nível do evento.

Comunicações . junho de 2014

PASSEIO A CURITIBA Entre os dias 01 a 04/05, aproveitando o feriado prolongado do Dia do Trabalho, nossa fraternidade inteira, frades e seminaristas, fez uma viagem de passeio a Curitiba! Ficamos hospedados na fraternidade São Boaventura, de Rondinha, onde fomos muito bem acolhidos por nossos confrades. Como a capital paranaense oferece uma diversidade de atrações turísticas a serem conhecidas, os dias se tornaram curtos para visitarmos todas, mas o que pudemos ver valeu a pena. Os pontos altos do passeio foram, ainda assim, o passeio no Jardim Zoológico de Curitiba e o Parque Estadual de Vila Velha, onde vimos as famosas formações areníticas, que impressionam por sua beleza e perfeição. Além das visitas, no último dia, fomos até o Convento Bom Jesus dos Perdões, em Curitiba, para celebrar uma Missa Vocacional com a comunidade, com encenação do evangelho do dia (os discípulos de Emaús), uma mensagem vocacional e com os seminaristas falando da vida no seminário. A missa foi seguida de um belo almoço oferecido pela fraternidade local, que muito bem nos acolheu, com a presença inclusive de familiares de seminaristas e do Frei Gilberto que moram na cidade. Agradecemos aos confrades por abrirem as portas aos nossos formandos, para que este passeio fosse possível e rendesse os frutos de amizade e conhecimento que foram colhidos!

271


formação e estudos ________________________________________

Mais uma flor no jardim de Rondinha... Frei Gabriel Dellandrea

Comunicações . junho de 2014

O Convento São Boaventura é privilegiado por estar em íntimo contado com a mãe natureza. Assim, não poderiam faltar as coloridas flores que encantam os jardins. Por isso, no dia 25 de maio, após a missa dominical, Frei Fidêncio Vanboemmel, nosso Ministro Provincial, regou, pela primeira vez, com uma bênção especial, uma nova flor plantada. Esta nova flor é de grande beleza, florida em todas as épo-

272

cas do ano, fazendo calor ou frio nesta região. Esta flor é uma imagem de Nossa Senhora, a Imaculada Conceição. Ela foi harmonicamente introduzida num local privilegiado da casa. Este espaço mariano, esta gruta, foi construída por todos os frades da fraternidade, desde a apresentação das sugestões até a realização dos serviços mais pesados, como a colocação da pedra onde, em destaque, está a imagem. Durante a bênção Frei Fidêncio presenteou-nos com estas belas palavras: “Este espaço é

dedicado para batermos à porta do coração da Mãe. Muitas vezes, quando queremos alguma coisa, não recorremos diretamente ao Pai, mas acorremos à Mãe que pede por nós ao Pai”. Dessa forma, aquela escada que tinha ficado “sem sentido”, onde antes havia uma cancha de bocha, próxima ao portão de acesso ao convento, hoje é o caminho para irmos ao coração da Mãe. Podemos ir lá para regar a flor, ou melhor, para pedir, agradecer e louvar a Mãe Imaculada, padroeira de nossa Província!


formação e estudos ________________________________________

motivação para a bÊnção da Imagem de Nossa Senhora Irmãos e irmãs, vamos dar início à celebração da bênção da imagem de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, depois da qual, receberemos a bênção final da missa.O desejo de se construir um espaço mariano em nossa fraternidade vem de longe. No ano passado, esse projeto foi novamente assumido por todos e, agora, sob a coordenação do nosso guardião Frei João Mannes e com a colaboração de todos, está sendo concretizado. O que nos moveu, desde o início desse projeto, foi o desejo de cultivar ainda mais, na nossa fraternidade, a devoção a Nossa Senhora, devoção essa que marcou muito a existência de São Francisco de Assis e que, portanto, constitui-se em uma das características fundamentais da espiritualidade franciscana. De fato, Frei Tomás de Celano, primeiro biógrafo de São Francisco, assim descreve a devoção

mariana do santo: “Abraçava a Mãe de Jesus com indizível amor, pelo fato que ela tornou nosso o Senhor da majestade. Cantava-lhe louvores especiais, derramava preces, oferecia afetos tantos e tais que a língua humana não poderia exprimir. Mas o que mais nos alegra é que ele a constituiu advogada da Ordem e confiou à sua proteção os filhos que haveria de deixar para serem aquecidos e protegidos até o fim” (2Celano 198). Dentre estes louvores de Francisco a Maria nos foram conservadas pela História duas belíssimas orações de profundo conteúdo teológico: A saudação à Bem aventurada Virgem Maria e a antífona “santa Virgem Maria” a ser recitada no final de cada hora canônica do Ofício da Paixão, também composto por Francisco. Os Frades Menores, desde os primórdios da Ordem, foram fiéis a esta devoção mariana herdada de São Francisco, fazendo memória de Maria especialmente aos sábados e produzindo, nos centros

de estudos da Ordem, uma rica teologia mariana que muito contribuiu para a proclamação do dogma da Imaculada Conceição, em 1854. É, portanto, dentro dessa grande corrente de amor para com a Mãe de Deus por parte dos Frades Menores que se coloca o espaço mariano que preparamos para nós que moramos nesta casa de formação e também para todos os que a visitam ou nela se hospedam. Certamente, ao longo dos 30 anos de existência da nossa fraternidade, não faltaram as expressões de devoção a Nossa Senhora. Porém, sentíamos falta de um lugar especial onde tomarmos maior consciência da presença de Maria na nossa casa. Que neste lugar, possamos aprender de Maria as atitudes próprias do verdadeiro discípulo de Jesus Cristo e, portanto, de um autêntico Frade Menor: a humildade, a disponibilidade e a obediência sem reservas à vontade de Deus.

Comunicações . junho de 2014

Frei Fábio Cesar Gomes

273


formação e estudos ________________________________________

MASTER: IDE, EVANGELIZAI! Vocês serão sal e luz!

Comunicações . junho de 2014

FrEI ELÓI Piva

274

E o Master em Evangelização: como vai? É o que certamente você pergunta e, com certeza muitas outras pessoas também. 1. Sim, está silencioso, e atestamos que este é um bom sinal. Pois, no caso atual, o silêncio não significa falta de interesse, de empenho, de sonhos e inquietações. Afinal, pensar a evangelização significa ocupar-se com a razão de ser franciscanas/os, membros de uma Comunidade de fé, seguidores/as de Jesus Cristo. E isto não é pouco! Pois importa, além de relacionar e elaborar estratégias de evangelização, dar-se conta de que está diretamente envolvido o sujeito da evangelização, ou seja, “o estrategista”, a pessoa chamada a ser ela mesma evangelho. Por isso, é um empenho que acentua a reflexão, o estudo, o retirar-se com Aquele que nos convida e

nos envia. 2. Percurso acadêmico: O Curso, enquanto percurso através da proposta de grade curricular, já percorreu uma etapa que se poderia caracterizar como antropo-sociológica, em que o foco principal fixou-se no “ver”/decifrar o mundo em que nos situamos, em considerar brevemente quem somos e com que pressupostos mais ou menos conscientes navegamos. Em seguida, isto é, agora, como num segundo momento, o Curso encontra-se na etapa em que prevalece o “julgar”, ou seja, o revisitar as razões bíblico-teológicas da evangelização, problematizando-as a partir do hoje da experiência de cada participante e buscando brechas de saída, i. é, caminhos de renovação interior que se traduzam em luminosidade e criatividade na ação. 3. Uma primeira avaliação. No final da primeira dezena de maio, depois de uma celebração eucarística na sede da paróquia

Santa Clara, a manhã foi reservada para a avaliação do percurso feito até aquela data. Foi uma manhã muito rica, pois todos, com confiança e espírito construtivo, abriram seu coração e sua mente, a partir das seguintes balizas: “que bom!”, “que pena!” e “que tal!?”. Foram, assim, colocadas algumas razões de contentamento e de esperança, e apontam-se perspectivas para o futuro do Master. Foi elogiada a acolhida encontrada em Petrópolis, tanto por parte dos confrades, das/os religiosas/os e do povo; foi igualmente elogiada a boa convivência dos estudantes do Máster e seu interesse nas atividades do Curso; a infraestrutura para o Curso; a percepção da intencionalidade progressiva da grade curricular. Ressaltou-se ainda o acerto da presença/atuação pastoral dos cursistas nos finais de semana em comunidades de fé, como parte integrante do Curso; enfim, a boa qualificação dos assessores e o acerto das análises de


formação e estudos ________________________________________

ro. Fomos acolhidos pelos confrades da Fraternidade do Convento Santo Antônio (sendo guardião Frei Ivo Müller) com quem almoçamos. Fomos guiados por Frei Sandro no percurso que fizemos e na apresentação do Convento Santo Antônio, com destaque para a igreja do mesmo Convento e da Ordem Franciscana Secular e suas dependências; esta e a igreja do Mosteiro de São Bento, que também visitamos, são obras primas do barroco brasileiro. Apro-

veitamos a oportunidade para visitar uma exposição de obras de arte do museu de São Petersburgo, na Rússia, promovida pelo Centro Cultural Banco do Brasil; passamos pelo coração histórico do Rio de Janeiro, palco da chegada de Dom João VI, da assinatura da abolição da escravatura e, finalmente, percorremos a Cinelândia (catedral, teatro municipal, a biblioteca nacional e o museu de belas artes). Foi um dia agradável e rico, onde pudemos passar algumas horas agradáveis, respirando cultura, convivendo e nos conhecendo melhor. Certamente isso dá mais qualidade ao curso, bem como favorece a reflexão acerca da evangelização. Enfim, agradecemos a todos que nos acompanham com interesse e, com apoio, nos desejam o bem.

CURSO DE FRANCISCANISMO

A ALEGRIA DE EVANGELIZAR NA VISÃO FRANCISCANA

LOCAL E DATA Fraternidade Franciscana São Boaventura - Rondinha 21 a 24 de outubro de 2014

PROFESSORES Frei Fábio Cesar Gomes, Frei Fidêncio Vanboemmel, Frei João Mannes. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. A Exortação Apostólica do Papa Francisco: Evangelii Gaudium; 2. O Evangelho de Jesus Cristo como fonte de alegria; 3. A evangelização nas Fontes Franciscanas; 4. A alegria como virtude do evangelizador franciscano; 5. Leitura de textos de São Francisco e de Santa Clara de Assis sobre a alegria; 6. Desafios do mundo atual e contribuição franciscana para uma “nova evangelização”. CUSTO Hospedagem, alimentação e Curso = R$ 200,00

INSCRIÇÕES: Frei João Mannes j.mannes@yahoo.com.br Fone: (041) 9134-4969

Comunicações . junho de 2014

conjuntura. Ademais, a Coordenação do Curso foi estimulada a continuar buscando melhorias para alguns condicionamentos relativos à logística de Petrópolis, como: transporte, moradia, informatização; em função de boas perspectivas de futuro, foi expresso o desejo de que se acentue o foco da/na Evangelização, colhendo as questões que a envolvem e promovendo a interação dos participantes; incentivou-se a continuidade da busca de uma caracterização latino-americana; e que a possibilidade de participação no Curso se mantenha ampla, estabelecendo-se apenas algumas cláusulas. 4. Um aperitivo religioso-cultural. No dia seguinte à avaliação, foi promovido um passeio cultural na cidade do Rio de Janei-

275


sav/pvf ________________________________________

MISSÕES EM ANGELINA

Semana Missionária marca o Vale das Graças

Comunicações . junho de 2014

Thiago Santos e Valcir Junior

276

Entre os dias 20 a 25 de maio, a cidade de Angelina, em Santa Catarina, recebeu de braços abertos a Semana Missionária Franciscana, realizada pelo Pró-Vocações e Missões Franciscanas (PVF) e pelo Serviço de Animação Vocacional (SAV). Frades, aspirantes, postulantes e paroquianos uniram forças para visitar as casas, colégios e o hospital da região. Durante a tarde da segunda-feira, 19 de maio, os aspirantes, provenientes das cidades de Gaspar, Lages e Santo Amaro da Imperatriz, juntamente com os frades que organizaram as missões, foram chegando a Angelina e calorosamente foram acolhidos pela Fraternidade local e por toda a comunidade, num clima de descontração e amizade. E, após uma reunião com a equipe da Paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição/Santuário de Angelina, os missionários foram encaminhados para as famílias que abriram as portas de suas casas e os acolheram carinhosamente. Na terça-feira tiveram início as visitas nas casas, e nem mesmo o frio intenso desanimou a todos que estavam nesta missão. Em cada casa visitada, um aprendizado novo surgia, inclusive, fomos muito bem recebidos por diversas famílias


luteranas, que nos mostraram a importância do respeito e amizade entre as religiões. Encontramos histórias de vida tristes, outras alegres, e pudemos amadurecer ainda mais na vocação e no amor em sair ao encontro do próximo. No decorrer da semana, mesmo com o cansaço, o empenho dos missionários e da comunidade continuava com muito entusiasmo. Na quarta-feira foi celebrada a Missa da Saúde, às 15 horas, um horário atípico para a comunidade, porém muitos participaram e receberam a unção dos enfermos e as pílulas de Frei Galvão. Em um gesto concreto de carinho e generosidade, pessoas levaram a essa Missa outras que não poderiam ir devido ao estado de saúde ou a dificuldades de locomoção. E, no início da noite, com muita fé e devoção todos subiram à gruta rezando a Nossa Senhora, um momento de profunda oração. A quinta-feira foi marcada pela adoração ao Santíssimo Sacramento, de uma maneira bem simples e franciscana. Ao todo, 380 casas foram visitadas pelos frades, aspirantes e leigos, e também o Colégio Nossa Senhora da Conceição, onde o Frei Diego Melo falou sobre vocação, e o Hospital da cidade. Tivemos a oportunidade de conhecer a jovem Jaqueline Torres, que com apenas 17 anos é postulante na Congregação das Irmãs Franciscanas de São José e demonstra toda a sua vontade de também

Comunicações . junho de 2014

sav/pvf ________________________________________

277


sav/pvf ________________________________________

prosseguir na vida religiosa. No sábado, caminhando para os últimos momentos de nossa missão, houve uma missa dedicada às famílias, para que elas tenham sempre como espelho a Sagrada Família de Nazaré, e o encerramento das missões aconteceu no domingo, com a presença dos benfeitores franciscanos, peça fundamental para a formação dos frades. Agradecemos a todos que nos acolheram, a Paróquia de Angelina, aos frades da casa e a toda a comunidade, que contribuíram com o nosso crescimento e assumiram o compromisso de continuar as missões na cidade. E como frisou Frei Diego: “Dizer obrigado é fácil! Agradecer é simples. Difícil é expressar o quanto somos gratos”.

Comunicações . junho de 2014

As missões para os missionários:

278

Frei Gentil Branco – Coordenador da fraternidade e pároco “Missão é tempo de renovação espiritual, tempo de conversão, tempo de alegria, tempo de oração e celebração. Tudo isso aconteceu em Angelina. Deus abençoe todos os missionários: frades, aspirantes e leigos.” Estela Werlich – Coordenadora do Conselho Paroquial “Foi uma semana maravilhosa pra mim e pra


sav/pvf ________________________________________

minha comunidade. Vai ser inesquecível o que passamos juntos, as visitas às casas, celebrações, reuniões e refeições. Agradeço a Deus por ter mandado os missionários para Angelina, e feito tanta gente feliz.”

Jonas Ribeiro – Aspirante “Missões em Angelina, vale das graças, o nome já diz tudo. Onde está a mãe de Jesus, tudo se torna especial. Ter passado essa semana neste vale foi uma graça de Deus. Conviver com o povo de Angelina, com os freis e aspirantes ficará na memória. Histórias, abraços, bênção, uma completa a outra.” Willian Bernardi – Aspirante A experiência das Missões em Angelina foi muito enriquecedora, cada casa visitada me marcou de forma particular. São lembranças que sempre carregarei comigo. E vale lembrar que nem a chuva e o frio nos fizeram parar.

Comunicações . junho de 2014

Bruno Rodrigues – Aspirante “Para mim foi muito importante essa experiência da Semana Missionária em Angelina, SC, porque, além de reanimar a vocação, ainda pude entrar nas casas das pessoas e rezar com elas, dizer uma palavra positiva e deixar a paz e a graça de Deus.”

279


sav ________________________________________

Comunicações . junho de 2014

AMPARO LOTA TEATRO EM ENCONTRO VOCACIONAL

280

No dia 11 de maio, Dia das Mães e Dia Mundial de Orações pelas Vocações, a Pastoral Vocacional da Paróquia São Benedito, em Amparo, São Paulo, realizou no seu teatro o 5º Encontro Vocacional do ano, cujo tema abordado foi “A vocação de Maria”. O encontro, que contou com a presença dos frades franciscanos Frei Diego Melo, animador provincial do Serviço de Animação Vocacional (SAV) e Frei Adriano Dias, vigário paroquial, foi um sucesso, contam os idealizadores. Cerca de 100 pessoas participaram do evento. Segundo o casal coordenador da pastoral, José Antônio e Patrícia Freitas, o intuito do encontro foi de propor um momento de oração, reflexão e confraternização com as mamães e seus familiares, devido à alegria do grande dia junto aos jovens que participam dos encontros periodicamente. No mesmo final de semana também foi implementado o “Momento Vocacional” que acontecerá minutos antes das celebrações eucarísticas, e que visará propor uma dinâmica de oração da comunidade, bem como cativar mais adolescentes para a caminhada vocacional. Momentos estes que se estenderão durante o ano inteiro, nos segundos finais de semana do mês. A pastoral, que iniciou seus trabalhos no início do ano, vem acolhendo cerca de oito jovens em cada encontro, que participam ativamente, dialogando e conhecendo as diferentes vocações existentes, sendo elas: sacerdotal, religiosa e matrimonial. Os encontros são embasados nos temas constantes no acompanhamento vocacional franciscano, adaptados com canções, orações, reflexões e confraternizações para que possam atingir os objetivos estabelecidos. Também contam com o apoio de três comunidades de vida consagrada do sexo feminino que circundam a Paróquia, que têm como inspiração o carisma dominicano, franciscano e mariano. O projeto, que renasceu a pedido do pároco Frei João Pereira, porque já existia em outras épocas com outros coordenadores e párocos, foi motivado pelo interesse de leigos da comunidade. No planejamento da pastoral, ele disse que vivemos uma bela celebração do centenário em 2011, no qual pudemos sentir a necessidade de refletir e


sav ________________________________________ partilhar a história da comunidade. Caminhamos cem anos com belos exemplos franciscanos, porém com uma grande deficiência no segmento vocacional. Poucos foram os jovens e as jovens que se engajaram efetivamente na vida consagrada. O Plano de Pastoral promulgado em 2013 pelo bispo diocesano Dom Pedro Carlos Cipolini também foi decisivo na criação do projeto. O objetivo geral do documento apresentou mais subsídios no seu parágrafo 33, onde diz que devemos “evangelizar a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo como Igreja discípula, missionária e profética”, ou seja, que devemos sim fomentar a busca de pessoas que deem seguimento na missão de evangelização. A Pastoral Vocacional agradece a todos os participantes da celebração, aos casais que fazem parte

dando vida às atividades, às irmãs de vida consagrada, aos frades, na pessoa do Frei Adriano Dias, que anima os encontros, bem como aos 12 jovens que caminham nos momentos de discernimento. Os interessados em conhecer e participar dos encontros de animação podem comparecer no Centro de Pastoral da Paróquia todos os segundos domingos do mês, das 9 às 11h30. Já os casais, religiosos e leigos que também queiram caminhar, que compareçam no momento dos encontros para interceder junto ao Senhor diante do Santíssimo para que mais e mais corações se coloquem à disposição do Reino, porque a messe é grande e poucos são os operários. José Antônio Franco de Lima Junior e Patrícia Aparecida Freitas Franco de Lima, da Pastoral Vocacional.

sav-rj

FREI NAZARENO LÜDTKE

Os vocacionados do Convento Santo Antônio do Rio de Janeiro se reuniram pela quarta vez no ano. E para começar esse momento formativo visando à vida religiosa franciscana, nada melhor do que a Santa Missa, que teve início às 10 horas e foi presidida por Frei Anselmo Fracasso. Na sua homilia, tendo como referência o Evangelho do 5º domingo do Tempo Pascal (Jo 14, 1-12) - “Eu sou o Caminho a Verdade e a Vida” -, o sacerdote franciscano ressaltou a importância de se acreditar em Deus e ter a plena convicção de que Ele enviou seu único Filho para salvar toda a humanidade. Após a Eucaristia, os vocacionados foram conduzidos pelo animador vocacional, Frei Nazareno José Lüdtke, para a sala de recreação. Lá, com alegria, ouviram-se histórias e as conversas giravam em torno de alguns assuntos pertinentes da atualidade: eleições, Copa do mundo, corrupção, comportamentos, crise das vocações religiosas etc. Com a Fraternidade do Convento, os vocacionados participaram do almoço e, às 14 horas, Frei Nazareno apresentou dois textos para a reflexão.

O primeiro “Vem e segue-me, segundo São Francisco”, de Frei Dorvalino Fassini; e o segundo “Ser franciscano hoje”, de Frei Neylor Tonin. Cada candidato à vida religiosa franciscana partilhou dos escritos aquilo que mais tocou o seu coração. Sendo assim, evidenciaram-se a gratuidade, a minoridade, a cordialidade, a alegria e o diálogo que permearam a vida de São Francisco e que devem ser os selos identificadores de todo aquele que se propõe a seguir o Pobrezinho de Assis. Em suma: espírito de humildade, ou seja, diminuir-se cada vez mais para que Cristo cresça na vida de cada um. Em outras palavras, experienciar o que Frei Francisco pede em sua Regra: viver o Santo Evangelho (Rb1,1). Após este momento de partilha, foi realizada uma oração em agradecimento pelo dia e para que se realize verdadeiramente a vontade de Deus na vida de cada um. O encontro foi encerrado às 17 horas em clima de oração e gratidão a Nosso Senhor Jesus Cristo. Que São Francisco e Santa Clara de Assis intercedam em favor desses jovens que almejam abraçar a vida de frade menor.

Comunicações . junho de 2014

O SEGUIMENTO FRANCISCANO NO 4º ENCONTRO VOCACIONAL DO ANO

281


fraternidades ________________________________________

FREI FLORIVAL, CIDADÃO VILAVELHENSE

Comunicações . junho de 2014

FREI JAMES FERREIRA NETO

282

No dia 20 de maio último, a cidade de Vila Velha (ES) comemorou seus 479 anos de fundação. Data conhecida como a de Colonização do Solo Espírito-santense. Nesta ocasião, a Câmara Municipal de Vila Velha (ES), em Sessão Solene, homenageia pessoas de destaque na cidade com a concessão do título de Cidadão Vilavelhense e medalhas de Honra ao Mérito por destaque nas diversas áreas de atuação, entre elas, construção civil, comércio, esportes, ecologia e meio ambiente, direitos humanos, educação, artes, e serviços religiosos. Neste ano, nosso confrade Frei Florival Mariano de Toledo foi agraciado com a Medalha Waldomiro Martins Ferreira, por seu destaque na área de serviços religiosos. Nas palavras de Ivan Carlini, presidente de Câmara Municipal, Florival Mariano de Toledo se destacou pelo lançamento e difusão do CD Perfeita Alegria, levando a mensagem religiosa franciscana e o nome da cidade de Vila Velha a vários pontos do país. Citou ainda o presidente da Câmara a Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil por seus 70 anos

de presença franciscana na cidade de Vila Velha (ES). A mesma Câmara Municipal concedeu a Frei Florival a Moção de Aplauso por ocasião do lançamento do CD Perfeita Alegria. Estavam presentes na sessão solene diversas autoridades locais como o prefeito municipal Senhor Rodney Miranda,

o ex-governador Senhor Paulo Hartung, inúmeros deputados, comandantes militares e magistrados. Não faltou a sessão de fotos de Florival Mariano de Toledo com seus admiradores e fãs de seu belo trabalho pastoral e artístico. Parabéns ao confrade por mais esse reconhecimento público!


fraternidades ________________________________________

vila velha

FREI JAMES FERREIRA NETO

A semana de festas para comemorar os 479 de Colonização do Solo Espírito-santense encerrou-se no domingo, dia 18 de maio, com Missa Solene presidida por Frei Clarêncio, na Igreja Nossa Senhora do Rosário, “onde teve início o Espírito Santo”. Além da homenagem a Frei Florival, no 22 de maio, o Santuário de Vila Velha mais uma vez foi palco de uma espetacular apresentação cultural com o Concerto da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo.

A orquestra, criada em 1977, é considerada um dos mais importantes organismos culturais do Estado do Espírito Santo, formada por músicos da Polícia Militar, por alunos e professores de música da Universidade Federal do ES, totalizando 125 músicos. Na apresentação, no Santuário, contou com a participação de 80 músicos, e apresentou peças do “Guarani”, de Carlos Gomes, “Carmem”, de Bizet, “Valsa das Flores”, de Tchaikovsky, Tom Jobim e um pot-pourri de sambas populares transpostos para orquestra. A regência ficou a car-

go do maestro Helder Trefzger. Após a apresentação, um rápido coquetel como forma de agradecimento aos músicos foi oferecido no auditório do Centro de Pastoral. Praticamente metade da nave da Igreja, depois do altar, ficou tomada pelos músicos e instrumentos; a outra metade pelo povo e paroquianos que não deixaram de prestigiar esse grande evento cultural em nossa cidade. Presente também o Secretário de Cultura Municipal, Sr. Wallace Millis, e toda a fraternidade local.

Comunicações . junho de 2014

CONCERTO CULTURAL NO SANTUÁRIO DIVINO ESPÍRITO SANTO

283


fraternidades ________________________________________

MESA REDONDA PARA COMEMORAR O SOLO ESPÍRITO-SANTENSE Dentro das comemorações dos 479 anos da Colonização do Solo Espírito-santense, o Instituto Histórico e Geográfico de Vila Velha e a Casa da Memória realizaram uma Mesa Redonda no recinto da Igreja do Rosário, no dia comemorativo do Solo Espírito-Santense, para aprofundar o tema: “Padre Anchieta, o Santo Andarilho”. Foram conferencistas os professores de História Ester Abreu Vieira de Oliveira, Gabriel de Melo Bittencourt e Frei Clarêncio Neotti. Frei Clarêncio se ateve a

quatro pontos: o sangue hebreu de Anchieta, já que os avós maternos eram ambos judeu-espanhóis; a tuberculose óssea, que impediu Anchieta de estudar Filosofia e Teologia em Coimbra e vir procurar um lugar para morrer em clima tropical; sua ordenação na Bahia em data desconhecida em 1566, depois de 12 anos no Brasil e 32 anos de idade; seus comentários, em carta, sobre Frei Pedro Palacios, em 1572, dois anos depois da morte do eremita franciscano, que salvou Frei Pedro de ser esquecido pela História.

encontro do REGIONAL DO LESTE CATARINENSE

Comunicações . junho de 2014

FREI MARCELO ROMANI

284

O nosso Regional se reuniu nos dias 5 e 6 de maio em Florianópolis para mais um momento de oração e partilha de nossas fraternidades. O estar juntos como frades nos an ima e fortalece em nossa vida religiosa. Em nosso encontro, uma das preocupações principais foi de como dar visibilidade e trabalhar nosso carisma onde nos encontramos, em nossas fraternidades, tendo presente as grandes mudanças em nossa sociedade atual. Muitos são os desafios impostos por uma sociedade imediatista, consumista, midiática e que prioriza o capital e o lucro. Não temos tempo para afiar o machado, “Mas, como? Não tenho tempo para isso! As encomendas são tantas” (Encontros Regionais de 2014 – Nº2).

Talvez devêssemos fazer menos com maior qualidade? Como agimos em nossas fraternidades? Precisamos ter coragem para agirmos diferente: ficar mais tempo em nossas comunidades; estar mais presentes em nossas famí-

lias, nos meios de comunicação, internet, faceboock etc. a serviço da evangelização. Nosso desafio é formar fraternidades evangelizadoras, capazes de transformar a realidade onde vivemos pelos exemplos e a simplicidade de viver o carisma franciscano.


fraternidades ________________________________________

DIA DAS MÃES NA PENHA rias paróquias, as mães e devotos subiram a colina, rezando e cantando hinos em louvor à Mãe de Deus, em direção ao Campinho do Convento, onde foi celebrada Missa. Alegres e felizes por estarem junto à Senhora da Penha, cerca de cinco mil pessoas participaram da celebração presidida por Frei Paulo Ferreira da Silva,

que lembrou a todos a importância de seguirmos o exemplo de Maria: “Fazei tudo o que Ele vos disser”. Um momento bonito ficou para o final da celebração quando, com muita fé e emoção, as mães ergueram suas rosas para receber a bênção final. Marcos Paulo Bertoldi (aspirante)

Comunicações . junho de 2014

Com rosas nas mãos, alegria e emoção nos olhos, as mães de Vila Velha e Vitória subiram o Morro do Convento da Penha no sábado (10/4) à tarde, véspera do Dia das Mães, para fazerem a sua homenagem especial a uma mãe muito querida: Nossa Senhora da Penha. Com procissões vindas de vá-

285


fraternidades ________________________________________ artigo

SÃO FRANCISCO E SÃO LUÍS GONZAGA

UM MÍSTICO CASAMENTO

Comunicações . junho de 2014

FREI LUIZ IAKOVACZ

286

Os dois são italianos e viveram em épocas diferentes; aproximadamente 300 anos separam um do outro. Luís Gonzaga teve uma vida curta, 23 anos, enquanto que Francisco, o dobro, 45 para 46 anos. Um gostava do estudo, especialmente das ciências exatas, matemática e física. Francisco se apresentava como “iletrado e idiota”. São Luís era de descendência nobre e herdeiro de títulos honrosos de seu pai, o Marquês Fernando Gonzaga. Francisco era filho de um rico comerciante e, por duas vezes, guerreou contra os nobres de seu tempo. Como entender, então, o místico casamento entre os dois?! Quem sabe, o início dessa união possa estar no próprio nascimento: os dois são primogênitos. Tanto o pai de um como o do outro queriam fazê-los seus sucessores e com o maior brilho possível. Pedro Bernardone, pai de Francisco, esbanjava dinheiro para garantir ao filho a boemia com o título de “rei da juventude” e a ambiciosa “honra de cavaleiro”. O outro incentivava seu filho Luís aos títulos acadêmicos, às viagens de castelo em castelo e nos desfiles para que conhecesse e tomasse gosto pelo luxo da nobreza e o sucedesse no comando do exército imperial. Ambos participavam dessa movimentada vida social, mas, gradativamente, sentiram um “vazio interior”; começaram, então, a buscar um sentido para suas vidas, afastando-se do burburinho social, em orações contínuas e prolongadas. Isto fez nascer neles o desejo de abandonar tudo e seguir os apelos

do Evangelho. Ao perceberem esta mudança, os pais intensificaram suas propostas para demovê-los desse caminho. Não conseguindo, ambos os expulsaram de casa. Francisco, em praça pública e cheio de alegria devolve-lhe, inclusive, a roupa do corpo, e nunca mais pisou em casa. O pai de Luís o “despachou” para visitar outros castelos; pensava que a vida fácil e burguesa o fascinaria de uma vez por todas. Vendo que isto não surtiu efeito, usou sua influência junto à Igreja e pediu que sacerdotes severos questionassem sua vocação. Tudo em vão! Só aceitou quando foi acometido por uma doença e ficou acamado. Agora, ambos fora de casa, um fica morando com os leprosos, na Porciúncula; o outro entra no noviciado dos Jesuítas e “quer ser tratado como um dos últimos da casa”, sem honras ou títulos. Francisco - sem fazer propaganda vocacional, mas pelo testemunho de vida – atrai para junto de si pessoas ricas e pobres que querem viver como ele. Iniciou-se, assim, o movimento franciscano que continua pelos séculos afora. Quis morrer no mesmo lugar onde começou seu cuidado com os leprosos, a Porciúncula. Após recitar o salmo da confiança em Deus (Sl 142), exclamou: “Bem-vinda seja,

irmã morte”. São Luís, continuando sua caminhada vocacional, vai a Roma para os estudos de Teologia. Segundo a história, no ano de 1590 houve uma grande carestia e muitos camponeses refugiaram-se na Cidade Eterna. A aglomeração favoreceu uma epidemia contagiosa (tifo?!) que, aliada à fome, fez muitas vítimas. Os jesuítas foram os que mais socorreram, com dedicação e coragem. Entre eles estava Luís Gonzaga que morreu por ter contraído a doença contra a qual lutou tanto. Ao expirar, rezou o Salmo 122 que diz: “Eu me alegrei quando me disseram: vamos à casa do Senhor”. Assim como o matrimônio une duas pessoas nas suas diferenças e ideais – assim também os valores do Evangelho congregam os que lutam por um mundo mais solidário e fraterno, independentemente de classe social, nacionalidade ou credo religioso. O apóstolo Paulo, num belo hino em que exalta a caridade, assim se expressa: “Se falasse todas as línguas, se soubesse os mistérios de toda a ciência, se tivesse fé a ponto de transportar montanhas, se distribuísse meus bens aos famintos e entregasse meu corpo às chamas – mas se não tiver o amor, nada disso me adiantaria, serei como um sino ruidoso” (cf. 1Cor 13,1-3).


fraternidades ________________________________________

15ª EDIÇÃO DA CAMINHADA ECOLÓGICA PETRóPOLIS-PATY Muita festa e disposição para caminhar marcaram os quinze anos da Caminhada Ecológica Franciscana Paty-Petrópolis que reuniu mais de quinhentas pessoas no último sábado. A caminhada já se tornou tradicional para os amantes da natureza, do ar puro e de uma boa caminhada, e para aqueles que lutam em defesa da vida e por uma cultura de paz. Anualmente, o evento é promovido conjuntamente pela Paróquia de Nossa Senhora da Conceição - Paty do Alferes - pelo Instituto Teológico Franciscano, pela Paróquia do Sagrado Coração de Jesus - Petrópolis - locali-

zados na Região Serrana do Rio de Janeiro. A caminhada também conta com a participação de pessoas interessadas na temática ambiental. Este ano, a caminhada teve como tema “15 anos de Paz e Bem pelo Caminho do Imperador”. O evento engloba duas caminhadas, cujos participantes, vindos de Paty do Alferes e de Petrópolis, se encontram no alto da Reserva Biológica do Tinguá, no conjunto da Serra dos Órgãos. A caminhada é uma rica experiência fraterna que tem como objetivo despertar a consciência ambiental dos participantes e proporcionar um maior contato com as belezas naturais da região, através de reflexões sobre a obra da Criação. Outro objetivo

é mostrar para as crianças e os jovens hábitos saudáveis e refletir sobre as possibilidades de aliar desenvolvimento e preservação ambiental para as futuras gerações. O evento também contou com a presença das fraternidades franciscanas seculares de Duque de Caxias, Nilópolis, Rio de Janeiro e São João de Meriti, da Juventude Franciscana (JUFRA) e de membros da Família Franciscana do Brasil (FFB) e dos frades da Província da Imaculada Conceição. No final da caminhada foram distribuídas mais de 700 mudas de plantas e os participantes puderam partir o bolo e comemorar os frutos dessa rica experiência de contato com o meio ambiente. Comunicações . junho de 2014

CLÁUDIO SANTOS,OFS

287


fraternidades ________________________________________

SEMANA SANTA

Na Paróquia Santa Inês de Balneário Camboriú

Comunicações . junho de 2014

Frei Roberto Carlos Nunes

288

Nos dias 17, 18, 19 e 20 de abril celebramos com intensidade o Tríduo Pascal: Lava-Pés, Paixão e Morte de Jesus e, no Domingo de Páscoa, celebramos a Ressurreição de Jesus. Foram dias que fortaleceram a fé de cada cristão; foram dias em que nós refletimos sobre o ser cristão e o tomar a cruz e seguir a Jesus. Na Paróquia Santa Inês de Balneário Camboriú o Tríduo Pascal foi vivido intensamente com a participação de toda a comunidade paroquial. Na Quinta-feira Santa celebramos o Mandamento Novo, deixado por Jesus: “Eu não vim para ser servido, mas para servir”; mandamento do serviço e do amor. Este amor que culmina na entrega total de Jesus por nós, entregando sua vida para nos salvar, celebrada na Paixão e morte de Jesus. A celebração da Sexta-feira Santa, às 15 horas, levou os fiéis a viverem a Paixão e Morte de Jesus como também a se prostrar em diante da cruz e adorarem-na. A celebração desse dia não terminou com a adoração da Cruz porque todos fomos convidados a participar às 17h30 de mais um momento de reflexão e intensa emoção para o cristão que foi a encenação da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus. Digo intenso de emoção porque os jovens do “Grupo de Oração Emanuel” e os jovens “Franciscanos Paz e Bem” procuraram, dentro da encenação, fazer memória de tudo o que aconteceu com Jesus durante a sua vida


fraternidades ________________________________________

pública até a sua morte e ressurreição. Foi uma encenação muito reflexiva sobre o amor incondicional de Jesus. Tivemos a presença de mais de três mil pessoas que se encontraram no pátio da Igreja para participar de cada momento da encenação da Paixão e Morte de Jesus. Realmente foi uma encenação que mexeu com a emoção de todos que estavam reunidos para este momento de fé; todos que participaram estavam atentos do começo ao fim. Como penúltima parte da encenação, fomos convidados a levar o Senhor Morto pelas ruas da cidade. A multidão foi cantando, rezando e vivendo sempre a inten-

sidade da fé no Cristo que veio a este mundo para fazer a vontade do Pai. Voltando novamente ao pátio da Igreja, vivemos o grande momento da Ressureição. No final da celebração, que foi conduzida pelo pároco Frei Ladí Antoniazzi,

a comunidade aplaudiu com carinho o trabalho dos jovens que se empenharam para fazer da melhor forma possível com que a encenação não fosse apenas um teatro, mas que todos compreendêssemos o que realmente aconteceu com Jesus e o que acontece ainda hoje com Ele. Dentro desta intensidade e dessa emoção, fomos convidados a não pararmos na morte, e sim ressuscitarmos com Cristo. Aproveitamos para a agradecer aos jovens e adolescentes da Paróquia Santa Inês que procuraram nesta Semana Santa serem testemunhas do grande amor de Cristo.

Frei José Bertoldi

No dia 17 de março, os frades do Regional do Vale do Itajaí se reuniram em Rodeio. A oração inicial ficou a cargo dos noviços. Como estávamos na ante véspera da festa de São José, celebramos o Padroeiro do Noviciado no claustro do Convento, onde dele se encontra uma imagem. Os noviços prepararam muito bem a celebração com as orações do Devocionário Franciscano, entremeando

belos cânticos. Logo em seguida, descemos para a reunião na sala de recreio da Fraternidade. Estavam presentes quase todos os frades do Regional, exceto os freis: Abel e Edgar, ausentes

por motivo de saúde. Foram conosco: o novo membro da Fraternidade de Gaspar, Frei Paulijacson de Moura e os aspirantes: Thiago e Lucas, mas, estes não participaram da nossa reunião. Ficaram com os noviços. Às 15h15 concluímos a reunião com um gostoso café no refeitório do noviciado. Retornamos para as nossas residências, alegres por nos termos reunido mais uma vez como irmãos em São Francisco de Assis.

Comunicações . junho de 2014

REGIONAL DO VALE DO ITAJAÍ EM RODEIO

289


fraternidades ________________________________________

PVF

Comunicações . junho de 2014

Emoção e alegria no Retiro dos Benfeitores

290

No dia 1º de maio, de manhã, estávamos todos na expectativa do Retiro dos Benfeitores do Pró-Vocações e Missões Franciscanas. E tudo começou com um belo e abençoado café da manhã no Convento São Francisco e, aos poucos, a família de benfeitores franciscanos foi se reunindo. Estando todos acomodados nos ônibus, partimos sob a proteção de Deus e de Nossa Senhora, na companhia de Frei Alexandre Rohling (Frei Xandão) e de Marcelo Miranda, da equipe PVF. Depois de algumas horas de viagem, finalmente chegamos ao Seminário Santo Antônio, onde fomos recebidos por Frei Alvaci Mendes da Luz, Frei Diego Atalino de Melo, Lucas Viera, da equipe do PVF, e pelos aspirantes Felipe Teixeira, Marlon Taxa, Mateus Dias Santana e Wagner da Silva Neves que já se encontravam no Seminário, providenciando para que tudo estivesse preparado para a estadia dos benfeitores que foram cuidadosamente acomo-

dados em seus quartos. Era possível já ver as malas que iam para lá e para cá, tudo numa perfeita harmonia e alegria. No começo da noite, todos juntos desfrutamos de um delicioso jantar e depois foi possível aproveitar o tempo para conversarmos, matar as saudades e celebrar o reencontro com aqueles que já conhecíamos, assim como conhecer novas pessoas que participavam do retiro pela primeira vez. Toca o sino, é chegado o momento do encontro com Aquele que nos esperava com imenso amor: Jesus. Todos reunidos na igreja, permanecemos atentos às palavras dos freis e à bênção do Santíssimo Sacramento. Palavras tão claras, profundas, na presença do Cristo Eucarístico. Uma noite abençoada! Iniciamos o segundo dia do retiro já cedo com muitas atividades. Após o café,

nos dirigimos até a capela central do seminário para a oração da manhã, conduzida por Frei Alvaci. Logo depois, chegada a hora da “Partilha”, Frei Fidêncio Vanboemmel, de forma simples, objetiva e enriquecedora, nos falou sobre a importância de vivermos a alegria do evangelho, recordando a exortação apostólica “Evangelii Gaudium” e o que o Papa Francisco falou quando de sua visita a Assis, lugar onde começou toda a história da Ordem e da Família Franciscana. Após a pausa para o café fomos convidados a caminhar pelo Seminário, dois a dois, como


os discípulos de Emaús, ocasião em que cada um pôde partilhar suas experiências de vida e encontro com Deus. Assim seguiu-se o dia, repleto de alegria, descobertas, emoções, depoimentos, com a certeza de que, em cada momento, Deus nos abençoava ainda mais. Já ao cair da tarde, no cemitério do Seminário, onde frades que fizeram e ainda fazem parte da história da vida franciscana estão sepultados, teve início uma Celebração Penitencial. Em procissão, com as velas acesas, seguimos para a gruta da Imaculada Conceição, onde pudemos receber a Eucaristia. A cada instante vivido e partilhado, uma nova emoção. No sábado, terceiro dia de nosso encontro, Frei Alexandre preparou o momento de oração da manhã, quando, em gesto concreto, pudemos relembrar Francisco na reconstrução da Igreja de São Damião. “Pedra por pedra” com

tijolos nas mãos, foi representada a reconstrução da Igreja do Senhor. Logo depois nos dirigimos ao Salão São Francisco, onde Frei Diego e Frei Alvaci contaram um pouco da história do Seráfico Francisco de Assis e falaram sobre a Família Franciscana, os dados da Ordem dos Frades Menores no mundo, os trabalhos do Pró-Vocações e Missões Franciscanas e do Serviço de Animação Vocacional da Província da Imaculada. Durante a exposição houve momentos de muita descontração, dinâmicas e risadas, na verdadeira alegria franciscana. Ainda na parte da manhã tiramos a foto oficial na frente do Seminário e, depois de tirar muitas fotos, fizemos caminhadas e compras na lojinha do Seminário. À tarde rezamos o Terço da Misericórdia meditado, conduzido por Frei Diego, caminhando em oração desde o saguão da primeira ala até a igreja. Às 18h participamos da Missa em ação de graças pelos benfeitores do PVF, presidida por Frei Alvaci e concelebrada por Frei Diego. Frei Alvaci emocionou a todos quando fez uma singela homenagem a seu pai, que estava no retiro e comemorava aniversário. A celebração teve seu ponto alto

quando fomos convidados a circundar o altar e participarmos mais de perto da Ceia do Senhor, como grande família ao redor da mesa. Após a missa tivemos um maravilhoso momento de confraternização no “Arraiá Franciscano” em que festejamos, dançamos, comemos e celebramos juntos. No domingo acordamos com aquele gosto de “quero mais”. Era a hora da despedida, mas já na expectativa de nosso próximo encontro. Encerrou-se mais um retiro de benfeitores do PVF, marcado, especialmente, pela presença de muitos jovens, o que enriqueceu ainda mais o encontro que contou com a partilha de experiências entre todos. Graças aos Freis Alvaci, Diego, Alexandre e Fidêncio, que estiveram conosco neste retiro, ao Marcelo e Lucas e a toda a família de benfeitores franciscanos, tivemos quatro dias inesquecíveis, em que pudemos desfrutar de momentos de encontro, espiritualidade, oração, troca de experiências, alegria, fé e partilha. Aos aspirantes: Felipe, Marlon, Mateus e Wagner, aos frades e funcionários da fraternidade do Seminário Santo Antônio que tão bem nos acolheram, nosso muito obrigado! Vanda Gola, Cristy Azevedo e Isabel Cristina da Silva

Comunicações . junho de 2014

fraternidades ________________________________________

291


fraternidades ________________________________________

Pentecostes em Agudos Isabela Gaspar

De 30 de maio a 7 de junho, às 19h30, no Setor Nossa Senhora Aparecida da Paróquia São Paulo Apóstolo, a Comunidade Famílias Novas da Renovação Carismática Católica (RCC), em parceria com a Paróquia São Paulo Apóstolo de Agudos e o Grupo de Oração Diga Sim a Deus promove a Novena de Pentecostes com o tema central: “Enviai o vosso Espírito e renovai a face da terra”. As Missas serão realizadas todos os dias, às 19h30 no setor Nossa Senhora Aparecida. A Novena de Pentecostes tem o objetivo de celebrar uma das comemorações mais importantes do calendário cristão, realizada 50 dias após a Páscoa e que lembra, de acordo com o catolicismo, quando o Espírito Santo desceu sobre a comunida-

de cristã de Jerusalém em forma de línguas de fogo. “Essa Novena quer reavivar a chama do Espírito Santo em cada fiel leigo”, comenta Josemeri Arias, uma das organizadoras do evento. As celebrações tratarão cada dia de um tema, de acordo com o que é proposto pelo livro “Celebrando Pentecostes”. 8ª Exposição de Imagens de Nossa Senhora O setor Nossa Senhora das Graças da Paróquia São Paulo Apóstolo de Agudos realizou, de 4 a 31 de maio, a 8ª Exposição de Imagens de Nossa Senhora. Com o tema: “Maria: vários títulos, uma só Senhora”, a exposição tem o objetivo de não somente mostrar os diferentes títulos de Nossa Senhora, mas evangelizar e mostrar aos devotos que Maria é uma só, a mãe de Jesus. A exposição é feita com a colaboração de toda a comunidade agudense que empresta suas

Da Oração

Comunicações . junho de 2014

Sempre iniciamos algum ato importante com o sinal de nossa redenção; pois a Cruz onde Nosso Senhor morreu tornou-se para nós instrumento de salvação.

292

O Pai Nosso, certamente, é a oração mais rezada, juntamente, por certo, com a Ave Maria; Mas, o Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo nunca deixaram uma alma vazia. Quando rezamos o creio em Deus Pai, exprimimos toda a nossa convicção; e a Salve Rainha a Nossa Senhora, diz muito da nossa limitação. Bendito e louvado seja o bom Deus, que não precisa da nossa oração; pois Ele é, infinitamente, feliz e perfeito que em nada muda com a nossa louvação. Frei Benjamim Ansolin, Bragança Paulista, 2013

imagens de devoção. “É com a participação de todos que podemos realizar uma linda exposição, em um ambiente de muita paz, espiritualidade, oração e homenagem a Nossa Senhora”, comenta Sirlene Simão, responsável pela comunicação do setor e uma das organizadoras do evento.


fraternidades ________________________________________ gaspar

164ª Festa de São Pedro Apóstolo A grande festa da Paróquia São Pedro Apóstolo de Gaspar celebra o Padroeiro no dia 29 de junho. “A Festa de São Pedro Apóstolo surgiu há 164 anos, antes de a Paróquia ser reconhecida. São 164 anos ininterruptos de festa, por isso ela é uma referência regional”, destaca o pároco Frei Germano Guesser. Confira a programação litúrgica para a Festa deste ano, que tem como tema “Ser cristão com a coragem profética de São Pedro”. 21/06 - SÁBADO - 19 HORAS - MISSA COM OS FESTEIROS 22/06 - DOMINGO - 19 HORAS - MISSA COM OS TRABALHADORES DA FESTA 23/06 - SEGUNDA – 19 HORAS - CELEBRAÇÃO DA PALAVRA Movimentos de Cursilho, Lareira, Irmãos e Nossa Senhora. Tema: “Pedro, comunidade e família”, pregador: Frei Paulijacson; animação: Bacca.

25/06 - QUARTA - 15 HORAS - MISSA PARA IDOSOS E ENFERMOS. Tema: “Somente Jesus tem o poder de nos curar e libertar”, pregador: Frei José; animação: João Bohn e Francisco Hostins. 25/06 – QUARTA - 19 HORAS – Missa com catequistas, catequizandos e crianças. Tema: “Pedro quer que as crianças sejam sementes de renovação da Igreja”, pregador: Dom José Negri, PIME, bispo diocesano; animação: Luís Otávio 26/06 - QUINTA – 19 HORAS - 1º DIA DO TRÍDUO. Tema: “Pedro quer uma comunidade evangelizada e evangelizadora”, pregador: Frei Diego de Melo; Comunidades da margem esquerda e São Cristovão, Santo Antônio e Nossa Senhora de Fátima; animação: Otávia. 27/06 – SEXTA – 19 HORAS - 2º DIA DO TRÍDUO.

Tema: “Comunidades firmes na fé a exemplo de Pedro”, pregador: Frei Diego; comunidades da margem direita; animação: Valdir (Virgem de Nazaré). 28/06 – SÁBADO – 19 HORAS - 3º DIA DO TRÍDUO Missa com os Jovens da paróquia. Tema: “Pedro quer empolgar a juventude à missão”, pregador: Frei Diego; animação: Jovens de São Judas. 29/06 – DOMINGO – DIA DO PADROEIRO 8 HORAS. Procissão pelo rio Itajaí (saída na Comunidade São Sebastião) 29/06 – 09 HORAS – MISSA SOLENE DE SÃO PEDRO (Festeiros, comunidade, Coral e Banda), presidida por Frei Germano. 29/06 – 19 HORAS – MISSA - DIA DO PADROEIRO - Presidida por Frei José Bertoldi. 30/06 – 19 HORAS – MISSA DE AÇÃO DE GRAÇAS PELA FESTA, presidida por Frei Germano; animação: Bacca.

Comunicações . junho de 2014

24/06 - TERÇA – 19 HORAS - MISSA Pastorais: Sobriedade, Saúde, Conferência Vicentina, Apostolado da Oração, RCC, Novena N. S. Graças, OFS e Irmãs Franciscanas. Tema: “Pedro e a oração”, pregador: Frei Carlos; animação: João Bohn.

293


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

O 1º Congresso Internacional para as Missões e a Evangelização, que teve como tema: “Identidade e novidade na missão evangelizadora da Ordem”, realizou-se entre os dias 18 e 28 de maio, na cidade de Roma. Participaram pela Província: Frei Estêvão Ottenbreit, Frei Antônio Michels e Frei Gustavo Medella.

1º Dia

Comunicações . junho de 2014

Congresso convida A Ordem Franciscana a “sair de si”

294

As primeiras provocações do 1º Congresso Internacional para as Missões e a Evangelização apresentaram uma direção convergente: evangelizar é sair de si, é ir ao encontro do outro, é não se acomodar, nem se apequenar diante dos desafios. É colocar-se por inteiro no testemunho e na propagação da Boa Nova anunciada por Jesus Cristo. Ao apresentar a proposta do Congresso, o Secretário para as Missões e a Evangelização da Ordem, Frei Massimo Tedoldi, encorajou os participantes, vindos dos cinco continentes, a partilharem suas experiências e a darem suas contribuições durante os dias de encontro. “Vocês são os grandes realizadores deste encontro. A frase do lema, ‘Vai e reconstrói a minha casa’, é dirigida a cada um em particular”, lembrou Frei Massimo. Em sua palavra de abertura, o Ministro Geral, Frei Michael Perry, partilhou algumas experiências de seu tempo de missionário na África e lembrou que quem se dispõe a ser um evangeliza-

dor deve trazer dentro de si um profundo espírito de humildade e a consciência de quem reconhece que sempre tem algo de novo a aprender. No início da homilia da missa que presidiu ao meio-dia, Frei Michael citou a Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, do Papa Francisco: “Evangelizadores plenos de Espírito significa evangelizadores sem medo, abertos à ação do Espírito Santo”. Frei Giacomo Bini, ex-Ministro Geral falecido poucos dias antes do Congresso, faria a conferência de abertura. Como forma de homenageá-lo e também de trazer presente a memória de um frade estimado e respeitado em todo o mundo, os participantes do congresso receberam um livreto com aquela que seria a fala de Frei Bini, entregue antecipadamente para a organização. O documento foi lido em parte por frades que tiveram estreita ligação com o ex-Ministro Geral. No trecho em italiano, Frei Estêvão Ottenbreit, que fora Vigário Geral de Frei Bini, procedeu à leitura. Em seu depoimento


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

2º Dia

de Deus é um exercício de aproximação humana. “Todo ser humano é imagem de Deus e, por isso, sempre temos de manter aberta em nós a convicção de que as pessoas podem revelá-Lo para nós”, explicou. De acordo com Enzo Bianchi, na relação entre o ser humano e Deus é importante que se cumpra o intinerário “da escuta ao conhecimento, do conhecimento ao amor”. Num segundo momento, Bianchi apresentou alguns pressupostos para que a vida de relação com Deus (falar com Deus) se torne Evangelização (falar de Deus), que seriam: coerência, proximidade e levar somente o Evangelho naquilo que ele tem de essencial. O palestrante reconheceu que este último pressuposto é bastante difícil de ser compreendido e praticado, mas ressaltou a importância de que o serviço de Evangelização não perca de vista este intento de se manter fiel ao núcleo da Boa Nova apresentada por Jesus Cristo. O Primeiro Congresso para as Missões e a Evangelização tem como lema: “Vai e reconstrói a minha casa” – Identidade e Novidade na Missão Evangelizadora da Ordem. O encontro foi realizado em um carmelo na periferia de Roma. Frei Gustavo Medella

Congresso celebra a “Graça das Origens”

O segundo dia do 1º Congresso Internacional para as Missões e a Evangelização da Ordem dos Frades Menores, emplacado como “Dia da graça das origens – a valiosa herança de nossa história”, foi dia de sol e clima ameno aqui em Sassone, Roma. A liturgia esteve por conta das Conferências do México

e do Cone Sul. Começamos os trabalhos ouvindo o “especialista em Franciscanismo”, o italiano Frei Cesare Vaiani, que nos falou sobre o tema “São Francisco evangelizador – identidade e novidade evangélica em São Francisco”. Na segunda parte da manhã nos foram apre-

Comunicações . junho de 2014

pessoal acerca do frade falecido, o Ministro Geral, Frei Michael Perry recordou que suas últimas palavras revelaram uma preocupação e uma grande esperança. “Antes de morrer, Frei Giacomo repetiu várias vezes ‘as estruturas, as estruturas’, e também, ‘a vida continua’” . Segundo a interpretação do Ministro Geral, a grande inquietação de Frei Giacomo era que estruturas pesadas deixassem abafado na Ordem o vigor do Evangelho, e sua esperança era que, guiada por Deus, com certeza a Ordem seguiria sua caminhada. Na parte da tarde, o Prior do Mosteiro de Bose, uma experiência de vida monástica leiga e que reúne homens e mulheres na vida de oração, Enzo Bianchi, apresentou o tema “Falar com Deus para falar de Deus: o coração de toda Evangelização”. Manifestando uma espiritualidade profundamente encarnada, o palestrante destacou a importância do testemunho para a Evangelização e ajudou a assembleia a compreender que o exercício orante, o “falar com Deus” pressupõe uma profunda atitude de escuta. “O Senhor fala no coração e, para bem O escutarmos, precisamos também pedir a Ele como pediu Salomão, que nos dê um coração capaz de escutar”, disse. Também recordou que a escuta

295


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

sentados três documentos da Ordem sobre diferentes formas de presença evangelizadora dos frades. O primeiro é um documento novo, que ainda não chegou na Província, e que trata das “novas formas” de presença evangelizadora, e que tem como título “Ide, anunciai – Diretrizes sobre as Novas Formas de vida e missão na Ordem dos Irmãos Menores”. Em seguida foram recordados os documentos lançados já em 2009 sobre a presença nas Paróquias e na Educação, respectivamente, “Enviados a evangelizar em fraternidade e minoridade na paróquia” e “Ide e ensinai – diretrizes gerais para a Educação Franciscana”. Na primeira parte da tarde ouvimos palestra sobre “A missão evangelizadora da Ordem hoje”. Frei Gerardo Crespo, mexicano. Recordou o con-

teúdo do capítulo V das Constituições Gerais para depois dizer como a Ordem tem se organizado em vista da missão evangelizadora em chave franciscana. Terminou apresentando um rápido panorama das 14 conferências da Ordem no mundo: número de irmãos, suas diferentes atividades evangelizadoras, desafios etc. Na segunda parte da tarde começaram os laboratórios que, segundo nos disseram na abertura do Congresso, serão parte importante dos trabalhos. São seis os temas dos laboratórios: Nova Evangelização; Missão Compartida com os Leigos; Evangelização Ordinária (paróquias, colégios etc); Evangelização e Diálogo; Evangelização e Juventude e Evangelização Missionária. O Senhor lhes dê a paz! Frei Toni Michels

3º Dia

Comunicações . junho de 2014

“Sopram ventos novos!”

296

Foi esta a reação do moderador do terceiro dia do 1º Congresso Internacional para as Missões e a Evangelização da Ordem dos Frades Menores, que está em andamento em Roma, capital italiana. De fato, durante os primeiros dias olhamos para trás, fizemos memória. Isto certamente é importante, mas chega o momento de querer ver o que se pode fazer hoje, onde vivemos ou como Frei Giacomo Bini dizia na sua palestra inicial: passar da memória à profecia. O motivo para esta exclamação do moderador foi a primeira palestra de Frater Enzo Biemmi com o título: “A nova evangelização segundo a `Evangelii Gaudium`”. Com muita originalidade fez uma leitura da Exortação Apostólica do Papa em cinco itens tentando apresentar o espírito que está por trás do documento:

1. O contexto: Falou do fim do cristianismo sociológico, da época em que todos praticavam a religião e a torre da igreja matriz era o ponto de referência. Estas torres “caíram” e não são mais a referência. Agora devemos reconstruir a Igreja, mas sem torre. A Igreja onde os que creem se reúnem e celebram e partem em missão. Com isso nos despedimos de uma pastoral de conservação para dedicar-nos a uma pastoral missionária. 2. O horizonte: A Igreja não é dona da fé, mas recebeu a missão de testemunhar a fé. O Espírito


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________ Santo está difuso em todos os corações. Nós apenas devemos tornar visível aquilo já está se realizando. O Espírito Santo fala de muitos modos e sempre chega antes de nós. Isto deve abrir nossa visão e campo para ir ao encontro de todos aqueles que não “frequentam” as nossas igrejas. 3. As condições: Partiu da parábola da semente que cai em diversos terrenos. Durante muito tempo fizemos desta palavra de Deus apenas uma leitura moral. Hoje somos convidados a fazer também uma leitura realística. Os diversos terrenos significam também as diversas situações em que as pessoas se encontram. Na evangelização devemos concentrar-nos no que temos e no que encontramos. 4. O conteúdo: Há dois anúncios (Kerigma): o primeiro é que Jesus Cristo nos ama. Ele deu sua vida por todos nós. Agora vive e nos acompanha nas estradas da vida para nos sustentar, orientar e conduzir. Mas ainda é “teórico”. Importante é o segundo anúncio. Quer dizer que o primeiro anúncio

se deve fazer carne sempre mais e nas diversas situações da vida de cada pessoa humana. 5. O estilo: Devemos evangelizar evangelicamente. Não devemos fazer das nossas paróquias “alfândegas” com pesados contributos a pagar (exigências que fazemos). Entre as atitudes de um evangelizador se destacam principalmente a suspensão de qualquer tipo de juízo, a não exigência de “contratos” (se fizer o curso, será batizado, crismado...) e o testemunho pessoal e comunitário principalmente na disposição e capacidade de aprender dos outros. O cardeal Oscar Maradiaga, salesiano, mas revestido do hábito franciscano (foi afiliado à OFM em tempos passados) completou as colocações de Enzo Biemmi, falando do Papa Francisco, o Evangelizador, com entusiasmo, convocando-nos a todos a vivermos este momento de graça com alegria e esperança. Frei Estêvão Ottenbreit

Frei Gustavo fala sobre os novos meios de comunicação O tema da fidelidade ao homem contemporâneo foi o fio condutor no quarto dia do 1º Congresso Internacional para as Missões e a Evangelização. Na parte da manhã, três frades de entidades da Itália apresentaram diferentes experiências de tentativa de atualização do carisma franciscano e também de colocar em evidência os valores próprios desta espiritualidade, como a intinerância, o cultivo da intimidade com Deus, a vida fraterna constantemente valorizada e a criatividade. Foram eles: Frei Paul Jorio, Frei Luca Pozzi e Frei Gabriele (Liguria) e Frei

Adriano Appollonio (Cortona). Na segunda parte da manhã, Frei Johannes Freyer, professor da Pontifícia Universidade Antonianum, abordou o tema “A Evangelização Franciscana na História”, trazendo algumas pistas de orientação: • Desde o início, São Francisco e os primeiros frades se deixaram conduzir pela Palavra de Deus, que se tornou vida na vida deles. Tornaram-se evangelizadores com a consciência de que o verdadeiro evangelizador é Jesus, e eles, seus colaborado-

Comunicações . junho de 2014

4º Dia

297


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

res através do testemunho. • A Palavra de Jesus – o Evangelho – é dinâmica. Assim, a evangelização deve ser sempre aberta e nova. E, apesar das dificuldades e das contradições em alguns momentos da história, temos sabido fazer sempre de novo a conciliação. • Na Evangelização, os frades, no decorrer da história, têm utilizado todos os meios culturais disponíveis. • A Evangelização dos frades não se baseia primeiramente num conteúdo doutrinário ou moral, tampouco somente cultural, mas é orientada à felicidade, liberdade e bondade do ser humano. À tarde, Frei Gustavo Medella apresentou o tema “Os novos meios de comunicação: problemática da virtualidade”. Em sua colocação, Frei Gustavo partiu de três pressupostos: • A Comunicação é um processo dinâmico e

relativamente raro que marca e transforma aqueles e aquelas que dele participam. • Muito mais do que instrumento para transmissão de mensagens (conteúdos, doutrinas, ensinamentos), a rede é um ambiente, um lugar, que precisa ser habitado pela mensagem do Evangelho. • A dicotomia entre real e virtual, quando se fala do universo da Rede, deve ser revista e repensada. Em seguida, recordou alguns elementos da Comunicação de Cristo e de Francisco e, para concluir, deixou algumas propostas concretas em relação à vida e à missão dos frades. Nesta sexta-feira, o tema norteador do Congresso será o Diálogo inter-religioso e intercultural. Frei Estêvão Ottenbreit Veja a íntegra da palestra no site http://www.franciscanos.org.br/

5º Dia

Comunicações . junho de 2014

a cultura do encontro e do diálogo fazem parte do DNA franciscano

298

O 1º Congresso Internacional para as Missões e a Evangelização prossegue à base de longas palestras, depois das quais se permitem umas poucas perguntas. Não há tempo para digerir os conteúdos, tanto mais de debatê-los. O quinto dia do Congresso esteve designado como “Dia do Encontro e do Diálogo”, com subtítulo “Evangelizar como Fraternidade Internacional”. Frei Roger Marchal, o atual presidente do “serviço para o diálogo” da Ordem falou da importância do diálogo em toda a nossa vida e ação franciscana. Este “serviço” da Ordem já existe há vinte anos. No início focava apenas o diálogo com o Islã, mas hoje

abrange quatro setores: diálogo ecumênico, diálogo inter-religioso, diálogo com os não-crentes e diálogo com as culturas. A tarefa do “serviço” é animar os frades ao diálogo e dar subsídios para que este diálogo seja eficaz. Frei Roger concluiu sua reflexão dizendo que não há alternativa para o diálogo. Mesmo com todas as dificuldades, o diálogo é sempre o caminho melhor. Muito iluminadora foi também a palestra do Professor Morandini sobre as possibilidades de diálogo com os ateístas de todos os coloridos. Concluiu sua reflexão afirmando que estamos vivendo um kairós favorável ao diálogo com os que não creem.


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________ Frei Ruben Tierrablanca, guardião da fraternidade de Istambul, falou da nova presença dos frades na Turquia. Há dez anos esta fraternidade foi refundada com o intuito de possibilitar uma presença de diálogo com as Igrejas Cristãs presentes naquele país, bem como com os judeus e com os muçulmanos, estes últimos sendo a maioria absoluta da população. Além de ser este centro que oferece aos frades uma possibilidade de diálogo tão amplo, a fraternidade de Istambul quer sinalizar para toda a Ordem a importância do diálogo para a evangelização. Concluindo a parte da manhã, falaram Frei Pascal Robert e o muçulmano Mulana Abdul Kabir Assad

sobre a experiência de diálogo entre a maioria muçulmana e a minoria cristã no Paquistão. Na primeira parte da tarde houve uma acalorado intercâmbio de perguntas e respostas entre o plenário e os expositores. Por fim, Frei Massimo Tedoldi apresentou e informou sobre os projetos missionários dependentes do Ministro Geral. O dia de hoje deste Congresso deixou evidente que, embora a cultura do encontro e do diálogo faça parte do DNA franciscano, temos muito ainda que aprender. Não é por nada que Frei Roger Marchal, ao encerrar os trabalhos, nos recomendou ao Espírito Santo e seu santo modo de operar. Frei Toni Michels

final

“Reconstrói a minha casa” o delegado da Ministra Internacional da OFS, o Sr. Benedito Lino, membro do Conselho Internacional da Ordem Franciscana Secular (OFS), Frei Prospero Rivi, representando a MOFRA (FFB para nós), a Irmã Denish Rachel Kambire, franciscana missionária de Maria; o casal Marco Fabián e Liliana Maribel, missionários no Equador; e Kim Comunicações . junho de 2014

As atividades no 1º Congresso Internacional para as Missões e a Evangelização da Ordem dos Frades Menores continuaram intensas até o seu final. O sábado foi dedicado à Família Franciscana. Nesta missão de evangelizar pela vida, palavras e ação, não estamos sozinhos. Outros homens e mulheres fizeram a mesma escolha e opção. Falou-nos

299


Comunicações . junho de 2014

EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

300

Smolik e Higgin Botahn, do Centro de Voluntários Franciscanos de Washington. Uma grande família com o mesmo desejo de viver o Evangelho e anunciá-lo pela vida e, quando necessário, por palavras. O domingo nos deu um momento de descanso. A maioria dos participantes do congresso aproveitou para visitar a cidade de Assis. Para muitos foi a primeira vez e, mesmo para os que já tiveram oportunidade, sempre é um momento de graça especial de encontro e reencontro com os lugares que nos falam do carisma, da nossa vocação e missão. Depois da muitas e boas palestras ao longo da primeira semana do Congresso, chegou a hora dos testemunhos. Praticamente toda a segunda-feira foi tomada pelos depoimentos de frades que trabalham nas mais diferentes frentes de “fratura social”. Foi impressionante e em alguns momentos emocionantes. No início, Frei Joe Rosansky, praticamente a título de introdução, nos falou da espiritualidade do Serviço de Justiça, Paz e Integridade da Criação (JPIC). O responsável pelo JPIC dos Frades Menores Conventuais, que viveu muitos anos no Peru, deu o depoimento que transformou sua vida. Ele com mais dois confrades viviam numa região dominada pelo “Sendero Luminoso” (guerrilha peruana). Quando ele esteve na Polônia, gozando de férias, os dois jovens confrades foram assassinados pelos guerrilheiros. Frei Augustin Esposito, médico e atual ministro provincial da Província Franciscana de Nápoles, nos falou de sua experiência de franciscano e médico atendendo diariamente o Pronto Socorro de um hospital daquela cidade. Frei Victor Quematcha, custódio da Custódia Franciscana de Guiné Bissau, mostrou o trabalho

dele e dos confrades num grande leprosário. Frei Thomás Gonzaléz Castillo, da Província Franciscana do México, com sede em Cancun, emocionou a todos com seu relato sobre o “Lar para refugiados”. Vale a pena conhecer alguns dados a respeito do problema grave da migração: - No mundo, em alguns casos, povos inteiros estão se deslocando. - As causas são: ● o sistema econômico de exclusão ● guerras internas ou externas ● degradação do meio ambiente ● tráfego de pessoas ● Desintegração do país - 420.000 pessoas tentam anualmente sair da América do Sul para os EUA. Os frades mantém este “Lar” onde dão acolhida pelo tempo necessário aos que deixaram sua terra (estão desenraizados de sua cultura) e que agora são “ninguém” no caminho do México em busca dos Estados Unidos. Todos estes depoimentos mostraram que, em todas as partes do mundo onde há frades, sempre se encontra uma forma de “reinventar”, ou melhor dizendo, de atualizar o carisma franciscano. É isto que dá esperança. Os dias 27 e 28 foram dedicados aos trabalhos em grupos, à mensagem final com as propostas da Ordem. Com todas as dificuldades que um Congresso Internacional possa enfrentar, partimos reanimados para transformar a memória em profecia, lembrando que é isto que o Papa Francisco espera de todos nós consagrados: “Que sejam profetas que acordem o mundo!” Frei Estêvão Ottenbreit


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

Conselho do Secretariado da Evangelização e Missão Nos dias 13 e 14 de maio aconteceu a reunião do Conselho de Evangelização em São Paulo, na Sede Provincial, com a participação de Frei César Külkamp, Frei Diego Atalino de Melo, Frei Estêvão Ottenbreit, Frei Fidêncio Vanboemmel, Frei Gustavo W. Medella, Frei José Francisco de Cássia dos Santos, Frei José Idair, Frei Nilo Agostini e Frei Antônio Michels.Na parte da manhã do dia 13 foram trabalhados os assuntos diversos da pauta do conselho e, à tarde do dia e todo o dia 14 de maio, foram dedicados ao PROJETO DO PRÉ-PLANO DAS FRENTES DE EVANGELIZAÇÃO. Inicialmente foi retomada a discussão do Conselho de Evangelização do dia 16 e 17 de outubro de 2013, onde se relembrou que em todo o debate a acerca do redimensionamento devem estar presentes três questões: • Onde queremos estar? • Por que queremos estar? • Como queremos estar? Tais questões devem nos levar a ressignificar a nossa presença nos lugar onde estamos e, quem sabe, até a partir disso, tomar a decisão de deixar alguns. Foi traçado um esquema básico para a elaboração do Projeto de cada Frente de Evangelização: • Resgate histórico – Destaque da história e do contexto (não para ufanismo, mas para ajudar na reflexão e situação de cada frente no seu contexto). • Riscos e tentações da nossa presença • Por que estamos nesta frente e para que queremos estar (objetivo) • Como queremos estar em cada frente. Na sequência cada frente apresentou o que já havia realizado na elaboração do projeto: 1. FRENTE DE EVANGELIZAÇÃO DAS PARÓQUIAS E SANTUÁRIOS: Frei Antônio Michels apresentou um esboço do projeto, que serviu de base para o esquema acima elencado. Lembrou alguns pontos relevantes para a reflexão, entre eles: • A opção que a Conferência de Aparecida fez pelas paróquias e o documento recém-aprovado pela CNBB - Comunidade de Comunidades: Uma Nova Paróquia. • Muitas vezes ouvimos dizer que a função paroquial não é o campo da vivência do nosso carisma e da ação evangelizadora própria dos frades

menores. No entanto, em 2009, o Secretariado para a Evangelização da Ordem dos Frades Menores publicou o subsídio Enviados a Evangelizar em Fraternidade e Minoridade na Paróquia, como ajuda para realizarmos essa forma particular de evangelização segundo os valores de nosso carisma. • “Redimensionar as frentes de presença evangelizadora da Província” foi um dos objetivos específicos que o Capítulo Provincial colocou para o presente sexênio. Há quem logo pense que se trata de “entregar paróquias”. • Uma das estratégias determinadas no Plano de Evangelização para este redimensionamento é “reavaliar o modelo tradicional de evangelização paroquial”. Trata-se, antes de mais nada, de re-situar a nossa presença evangelizadora nas paróquias. • Contudo, a paróquia continua sendo a estrutura mais recorrente no interior da Igreja Católica. E cá estamos nós, gastando nossa vida a serviço do Povo de Deus na Paróquia, certamente acreditando que vale a pena. Segundo estatística de 2003, 27% dos Frades Menores dedica-se às paróquias como atividade principal. Na Imaculada, sem contar Angola, somos cerca de 150, fora os que colaboram esporadi-

Comunicações . junho de 2014

Frei José Idair

301


Comunicações . junho de 2014

EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

302

camente. Estamos em paróquias de contextos e Igrejas particulares diferentes. Umas são paróquias novas, outras já têm longa história. Contudo, é notório que não aparecemos na Província como um corpo, que tem projeto e tem voz. • Congregar e animar as fraternidades a serviço das Igrejas Locais no ministério das paróquias e santuários, promovendo discernimento, corresponsabilidade, partilha, colaboração e formação específica, para que, atentos às exigências da realidade, realizem esta forma particular de evangelização, sendo fiéis ao nosso carisma e às orientações da Igreja, é ainda mais um sonho do que uma realidade. 2. FRENTE DE EVANGELIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO: Frei Nilo Agostini, em nome da coordenação da Frente de Evangelização da Educação apresentou o resultado do trabalho já feito, destacando que “as estruturas que construímos nas nossas Entidades são relativas e provisórias e devem estar sempre a serviço da vida evangélica e da missão...” (Subsídio do Def. Geral 2011 para o Redimensionamento e reestruturação) e lembrou que “Redimensionar nossa vida e missão” foi a afirmação lapidar do Capítulo Provincial de 2012, apontando para o necessário envolvimento de todos os frades, no intuito de superar vários projetos pessoais, outros por demais personalistas, até aquelas áreas de atuação setorizadas, num trabalho quase paralelo à Fraternidade Provincial. • Após análise do texto apresentado, foi-lhe sugerido condensar, sem contudo perder a riqueza do texto, dentro do esquema proposto para os projetos e que a frente não apenas considerasse a Evangelização a partir das nossas instituições de ensino, mas contemplasse todas as frentes onde também deve haver o envolvimento na educação, e que na próxima fase da elaboração do projeto fossem envolvidos todos os frades, inclusive os da direção e administração. 3. FRENTE DE EVANGELIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO: Frei Gustavo, embora não sistematizados, apresentou alguns pontos relevantes que estão na discussão do andamento da elaboração do projeto. • Qual o Lugar da Comunicação em nosso trabalho? Temos tido maturidade ética para circularmos por estes ambientes?... • Compreender a rede como vivência do carisma e difusão deste. • Apostar na força das pequenas iniciativas. • Rever o conceito de sucesso. • Como envolver todos nestas frentes? 4. FRENTE DE EVANGELIZAÇÃO DA SOLIDARIEDADE: Frei José Francisco disse que não tem nada sistematizado ainda, mas que a reflexão está acontecendo com o envolvimento dos frades e

de alguns leigos desta frente. Foi-lhe sugerido que fossem colocadas por escrito essas reflexões para que não se percam os passos do caminho percorrido até chegar ao projeto. 5. FRENTE DE EVANGELIZAÇÃO DAS MISÕES: Frei Estêvão, coordenador, também não apresentou um texto sistematizado, mas informou que a reflexão está em andamento. Ao falar da sua ‘solidão’ nesse trabalho, foi-lhe recomendado envolver na reflexão e elaboração do projeto alguns frades que já atuaram na missão de Angola. Entre eles, foram sugeridos: Frei Angelo José Luiz, Frei Alexandre Magno, Frei Evaristo Spengler e Frei Samuel Ferreira de Lima. Na última parte da reunião do Conselho, Frei Antônio Michels apresentou um texto de fundamentação para o Pré-Plano de Evangelização da Província: “Pressupostos: conceitos, sentido, exigências e implicâncias da Evangelização” 1. Conceitos: Apostolado/Apóstolo; Missão/ Missionário; Missão ad Gentes; Evangelho/Evangelização; Pastoral; Querigma; Catequese e Iniciação Cristã. 2. Sentido: O três serviços evangelizadores da Igreja: • Ministério da Palavra (Kerigma – martyria = anunciar, testemunhar, ensinar). • Ministério da Liturgia (Leitourgia= celebrar, santificar - culto). • Ministério da política (diakonia = servir). 3. Exigências intrínsecas da evangelização (serviço, diálogo, anúncio, testemunho da comunhão e inculturação). Modelo de Igreja para evangelizar hoje A Igreja precisa se configurar de modo a ser sinal do Reino de Deus. Desafios para o modo de a Igreja se configurar e exercer a missão hoje: • Descolonização • Superação do eclesiocentrismo • Descentralização • Desclericalização Modo Francisco de Evangelizar (em elaboração) Na finalização dos pressupostos para do Pré-Plano foi sugerida, em todos os itens, a abordagem da visão franciscana, a partir dos escritos e documentos diversos da Ordem. Ficou acordado que todas as Frentes de Evangelização deverão enviar até 15 de outubro ao Frei Toni o projeto para o Pré-Plano, que fará a compilação para o estudo na próxima reunião nos dias 24 e 25 de novembro de 2014, na Sede Provincial.


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________ jpic

No dia 2 de maio, aos 91 anos, faleceu o bispo emérito da cidade de Goiás, Dom Tomás Balduíno. Fundador da Comissão da Pastoral da Terra e conselheiro emérito, foi e é reconhecido pela sua luta pelo uso social da terra, o direito dos povos indígenas, e ainda pela forte atuação contra a ditadura. Um religioso reconhecido por fazer a ponte entre a fé e o engajamento social-político, e que buscou a paz como fonte de justiça. E para nós fica como herança, além do orgulho da trajetória de Dom Tomás Balduíno, a inspiração para que com nossos votos de Franciscanos possamos juntos, no caminho de fé, também fazer um trabalho contínuo na construção da Paz, diariamente, com os injustiçados e oprimidos, e que não nos esqueçamos de que esses, apesar do trabalho de homens como Dom Tomás, ainda continuam sendo a maior parte da população. A Igreja Católica tem um papel muito importante, para não dizer fundamental, nesse cenário. Abaixo, um poema de Milton Pereira, poeta português sobre Dom Tomás. “Calou-se a voz de Tomás Balduíno, nessa noite de 2 de maio. Uma voz que nunca quis ser sozinha, sabia, desde os anos de chumbo: uma voz solitária não suspende a manhã. Quis ser uma voz entre vozes, ergueu sua voz dentro do vasto coro dos oprimidos: os índios, os posseiros, os lavradores, os retirantes da seca e da cerca e os que se levantam contra elas, as mulheres, os negros, os migrantes, os peregrinos

para forçar claridades, para ensinar amanhecer. Tomás é palavra. A palavra que banha como bálsamo. A palavra que fustiga. Incendeia. A palavra que perdoa mas aponta – sempre – o caminho da Justiça. E o que somos na vida? Somos os ossos das palavras que povoam o caminho de pedra ou flores que sangram os pés dos nossos filhos. Tomás é sertão. O sertão e suas armadilhas. O sertão e suas infinitas contradições. Tomás é sertão onde se dobram os ventos de Goiás e Minas, onde nascem águas nessa infinita geografia que alimenta nossas esperanças. Calou-se a voz de Tomás Balduíno. Permanecerá sua palavra. Tomás é sertão: gesto de fé nessa gente que não se dobra. Manhã de 3 de maio, como um quadro de Goya.” Frei Wilson Simão e Vanessa do Santos

Comunicações . junho de 2014

homenagem a DOM TOMÁS BALDUÍNO

303


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

MICROFONE DE PRATA

Frei Gustavo recebe prêmio em Aparecida

Comunicações . junho de 2014

Moacir Beggo

304

Com transmissão ao vivo pela TV Aparecida, o programa Sala Franciscana, que é veiculado pela Rádio 9 de Julho de São Paulo, recebeu, no feriado de 1º de maio, o prêmio Microfone de Prata na categoria programa de rádio religioso. Frei Gustavo Medella, que comanda diariamente o programa às 18h30, participou da premiação no Auditório da TV Aparecida, às 20h30, em cerimônia solene durante a 52ª Assembleia Geral da CNBB. Muito feliz com o reconhecimento, Frei Gustavo lembrou a um auditório na sua maioria formado por bispos, que a Sala Franciscana cumpria o mandato de São Francisco de Assis, que se apresentava como Arauto do Grande Rei e queria que a mensagem do Evangelho fosse espalhada a todos os ambientes possíveis. “Por isso, se a Sala Franciscana surgiu com essa proposta de ser a presença de nossa Província, de nossos frades no rádio, pelo que vejo ela tem cumprido bem o seu papel, o que significa que nós temos o compromisso de seguir em frente, buscando um profissionalismo cada vez melhor, buscando cada vez mais incluir mais frades e de maneira mais profunda nessa iniciativa. Mas, de qualquer forma, é com muita humildade e alegria e gratidão que recebemos esse reconhecimento”, explicou Frei Gustavo. No dia 4 de junho

de 2012, o povo de São Paulo era convidado a entrar na Sala Franciscana, o primeiro programa de rádio da Província da Imaculada Conceição na capital paulista. Frei Gustavo fez questão de frisar que o prêmio só veio de um trabalho em equipe. “Quando nós trabalhamos juntos, somando forças, pensando junto um projeto também na comunicação, o reconhecimento aparece”, ressaltou o frade, que é formado em Jornalismo e hoje é o coordenador da Frente de Evangelização da Comunicação da Província da Imaculada. Nos seus agradecimentos, Frei Gustavo disse

Frei Gustavo ao lado do diretor Pe. José Renato


que estava ali, com toda humildade, em nome dos cerca de 400 irmãos da Província da Imaculada. “Eu os trago no meu coração, em especial Frei Xandão (Alexandre Rohring), que comigo divide a responsabilidade deste programa. Agradeço à CNBB, à Rede Católica de Rádio, à Rádio 9 de Julho, na pessoa do Pe. José Renato, que aqui está presente, e toda a sua equipe”, observou, falando de forma muito carinhosa sobre a razão de ser do programa: os ouvintes. “Sem eles, a Sala não teria a beleza que tem. Um lugar onde todo mundo pode se sentir bem, onde pode se encontrar com os amigos e com São Francisco”, enfatizou. Frei Gustavo também destacou a presença de Frei Walter de Carvalho Júnior, representando o

Gerson Camarotti, comentarista da Globo News

Governo Provincial, e a presença da Fraternidade do Postulantado Frei Galvão, de Guaratinguetá, e os postulantes. O diretor geral da Rádio 9 de Julho, Pe. José Renato Ferreira, felicitou Frei Gustavo em nome da Província da Imaculada e estava também muito feliz, pois este é o terceiro prêmio consecutivo da rádio. “Nós estamos muito felizes porque é uma afirmação no cenário das rádios católicas e um reconhecimento nacional da CNBB do que a gente está produzindo. Enfim, é muito importante para nós”, festejou, parabenizando Frei Gustavo e Frei Xandão e os sonoplastas que ajudam nesta missão. Para o Pe. José Renato, essa parceria com os franciscanos sempre foi um sonho seu. “Eu sempre acreditei, e tenho insistido com as congregações religiosas, especialmente as que atuam em São Paulo há tanto tempo, para que também possam participar da nossa grade de programação pela riqueza que isto significa. A prova disso é o Microfone de Prata deste ano, porque as congregações têm uma articulação grandiosa e a gente pode partilhar mais as experiências, os intercâmbios, as riquezas e, no caso da Sala Franciscana, as pessoas especializadas, professores, padres, de que a congregação dispõe e que dificilmente a gente poderia ouvir se nós não tivéssemos o veículo rádio para nos unir”, avaliou, não economizando em elogios aos frades comunicadores e ao formato da Sala Franciscana, assim

Comunicações . junho de 2014

EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

305


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

Frei Gustavo, os frades e os postulantes

Comunicações . junho de 2014

como à Província: “Nós estamos ganhando essa contribuição, essa presença muito saudável, enriquecedora dos franciscanos na Rádio 9 de Julho”. O programa Sala Franciscana vai ao ar de segunda a sexta, das 18h às 18h30, pelas ondas da Rádio Nove de Julho (São Paulo, AM 1600 KHz), pela internet (http://tunein.com/radio/R%C3%A1dio9-de-Julho-1600-s99104/) ou via Facebook.

306

A PREMIAÇÃO DA NOITE O presidente da CNBB e cardeal Dom Raymundo Damasceno disse que, ao instituir os prêmios, - Microfone de Prata para o rádio, Clara de Assis para a Televisão, Dom Hélder Câmara para a imprensa e Margarida de Prata para o cinema – a CNBB teve como proposta estabelecer um diálogo com o mundo da comunicação, da cultura, da criação artística e ao mesmo tempo reconhecer e valorizar o trabalho dos profissionais que se empenham no sentido de produzir obras de qualidade que promovem os valores humanos e cristãos. “Aos ganhadores dos prêmios desta noite, quero, em nome da CNBB, felicitar a todos com uma satisfação muito especial. Desejo que os trabalhos aqui premiados sejam divulgados, e que por meio desta premiação outras pessoas deste vasto país possam ser beneficiadas com seus conteúdos, com seus trabalhos que tiveram o objetivo de dignificar a vida e promover a justiça social”, disse na abertura da solene entrega.

Entre os premiados, estiveram presentes Gerson Camarotti, comentarista político da Globo News, pela entrevista exclusiva com o Papa; Carlos Eduardo recebeu o prêmio pelo cineasta Cacá Diegues, pelo documentário sobre a Jornada Mundial da Juventude. Quem roubou a cena, contudo, foi o estudante de cinema da PUC-Rio Evandro Lima Rodrigues pelo documentário sobre as Irmãs Clarissas. “Estudo no Rio, mas sou de uma cidadezinha no interior do Maranhão. Acabo de finalizar esse filme que saiu a contento. Mas eu não esperava por isso, não estava nos meus planos. Eu não rezei. Mas acredito que a justificativa para esse trabalho faz parte da coletividade, a quem tenho muito que agradecer”, confessou.


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________ Logosofia

ALUNOS DA FAE SÃO CONVIDADOS A PARTICIPAR DE CONCURSO UNIVERSITÁRIO

a vida interna de cada um. “Conhecer a si mesmo é a base para construção da felicidade”, explica. “Temos que descobrir os recursos que trazemos dentro de nós, fundamentais para transformar positivamente a realidade pessoal e também a daqueles que estão à nossa volta”, sintetiza a palestrante. Concurso Para estimular a reflexão sobre aspectos importantes da vida acadêmica, a Fundação Logosó-

fica lançou o concurso “Prêmio Literário de Logosofia”. Para participar basta ler o livro “Logosofia: Ciência e Método” e transcrever sua reflexões em um texto de 1700 caracteres. Serão premiados os dez melhores textos, sendo o primeiro lugar contemplado com um carro zero quilômetro. As inscrições são gratuitas e vão até 24 de maio. O livro está disponível, gratuitamente, no site do Concurso, nos formatos PDF, e-Pub e Audiobook.

Comunicações . junho de 2014

Nesta semana, alunos da FAE Centro Universitário participaram da palestra “O Futuro da minha vida me inquieta?”, realizada em parceria entre a FAE e a Fundação Logosófica de Curitiba. O evento apresentou a ciência logosófica, que convida para reflexão e busca o conhecimento de si mesmo, do mundo e do universo. Jucimara Lima, Maria Valiati, Alison Klein, Mário Santos, docentes da Fundação Logosófica, participaram de painéis em que expuseram trechos do livro “Logosofia: Ciência e Método”, de Carlos Bernardo González Pecotche. Além disso, compartilharam reflexões e experiências pessoais sobre os temas propostos pelo autor. Para Jucimara Lima, uma das palestrantes, é essencial reservar um momento para se dedicar à reflexão sobre

307


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

Campanha

“Abra o guarda-roupa do seu coração!”

Comunicações . junho de 2014

FABIANO VIANA

308

Anualmente, o Sefras realiza a Campanha do Frio para suscitar nas pessoas a solidariedade por meio de doações de cobertores, agasalhos e calçados. Com a chamada “Abra o guarda-roupa do seu coração”, a instituição pretende realizar uma grande arrecadação porque neste ano ampliou o número de parceria para os pontos de doação. Este ano, a Campanha do Frio teve início no dia 24 de maio e transcorrerá até final de agosto. O Sefras conta também com a parceria da Paróquia Santo Antônio do Pari, do Santuário São Francisco (Largo São Francisco) e Paróquia São Francisco de Assis (Vila Clementino). Da mesma maneira, terá a contribuição da Universidade São Francisco (USF), com pontos de arrecadação em todos os Campi. Igualmente, a parceria com a empresa ProRede disponibilizará 13 pontos de arrecadação com os seus funcionários. Com estas parcerias aumentará o número de doações e será ampliado o atendimento diante das necessidades dos empobrecidos que solicitam doações no inverno. “Devido à vulnerabilidade de nossos atendidos, a Campanha do Frio tem uma grande ajuda solidária neste período de baixas temperaturas. As pessoas também se ‘aquecem’ e já se preparam para compartilhar

roupas, cobertores e calçados diante das inúmeras ações que ocorrem na cidade, dentre elas a nossa”, contou a responsável pela Campanha, Raquel Cazuza. “Como Francisco de Assis, nós temos por vocação e missão facilitar o caminho e a vida das pessoas que nos cercam e nos pedem ajuda”, reforçou o diretor

do Sefras, Frei José Francisco de Cássia dos Santos. É uma prática nas obras sociais franciscanas, por meio do atendimento do serviço social, disponibilizar aos atendidos, as doações para protegê-los durante as baixas temperaturas, de modo particular, as pessoas em situação de rua.


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

CEFRAN: Vigília Internacional pelos Mortos de Aids

Posse do Coges No dia 6 de maio, o Sefras por meio do Cefran, participou da cerimônia de posse dos representantes do Conselho Gestor do Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS - CRT, Santa Cruz, para o mandato do biênio de 2014-2016. Entre os gestores estão três participantes do Cefran. São eles: Elias Fernando Ribeiro (Titular), representante dos usuários pela Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/ AIDS; Carlos Moraes de Lima (Suplente), representante dos usuários; e Rosa Porto (Suplente), representante dos usuários pelo Fórum ONG/AIDS.

Prevenção no Chá do Padre Com o objetivo de fornecer informações sobre o tratamento para quem vive com HIV/Aids, no dia 22 de maio, o Cefran realizou uma palestra no “Chá do Padre”, em São Paulo, para cerca de 300 pessoas em situação de rua. A psicóloga do Cefran, Ir. Benedita de Fátima foi quem fez esta ação de prevenção e informação. Ela também apresentou a proposta de trabalho do Cefran, que é um serviço do Sefras, no bairro do Belém, Zona Leste de São Paulo, que oferece um centro de convivência para pessoas que vivem com o vírus.

Exames gratuitos

No dia 19 de maio, a Educafro disponibilizou aos participantes do “Chá do Padre”, em São Paulo, a oportunidade de realizar exames de saúde de alta precisão, com a resultado imediato. Esta iniciativa faz parte de uma parceria com a empresa Nagis Health, através do convênio com a Edu-

cafro, que prioriza o diagnósticos de doenças prevalentes na comunidade negra e empobrecidos. Este serviço foi destinado à população de rua atendida pelo Sefras no “Chá do Padre” que teve o diagnóstico em 5 minutos. Foram feitos exames de colesterol, sífilis, HIV, triglicerídeos, hemograma.

Entre os dias 19 e 25 de maio, o Serviço Franciscano de Solidariedade, juntamente com a Pastoral da Aids, o Projeto Esperança (Projesp), a Koinonia – Presença Ecumênica e Serviço e Igrejas da Comunidade Metropolitana (ICM), realizaram diversas ações em memória das pessoas que morreram de Aids. Missas, cultos, celebrações ecumênicas e um ato público fizeram parte da programação da Vigília Internacional pelos mortos de Aids, que, no Brasil teve como tema: “Aids: é preciso manter o foco”. O ato público, realizado no dia 25, no Elevado Costa e Silva (Minhocão), em São Paulo, teve a finalidade de dar visibilidade a esta Vigília, e realizar ações de prevenção às DST/Aids, sensibilizando as pessoas para o cuidado com a vida. “Além de lembrar as vítimas que morreram de Aids, a gente quer fazer prevenção e continuar lutando para que as pessoas entendam que a Aids não acabou e que todos nós somos vulneráveis a ela. É preciso criar uma consciência de prevenção e sensibilidade humana com relação às pessoas que vivem com o HIV”, destacou a coordenadora do Cefran, Ir. Margareth Crispim.

Comunicações . junho de 2014

FABIANO VIANA

309


EVANGELIZAÇÃO ________________________________________

NOTÍCIAS DO SEFRAS CURITIBA Movimento da População de Rua No dia 6 de maio, representantes do Movimento Nacional da População de Rua (MNPR) visitaram o “Chá da Tarde” do Sefras Curitiba, no Paraná. O propósito da visita foi motivar as pessoas em situação de rua para a importância da participação social em espaços de reinvindicação, como: Fóruns, Comitê Popular da Copa, debates sobre as Políticas Públicas, entre outros. O movimento também informou o novo local de atendimento.

Comunicações . junho de 2014

Fortalecendo a Rede No dia 7 de maio, o Sefras Curitiba participou do Fórum de Políticas Públicas para População de Rua. De acordo com o coordenador do serviço, Flávio Flávio Kalinowski Eloy, foi um momento para o conhecimento mútuo entre as instituições que atuam com atividades voltadas a população de rua. “Cada um se apresentou e fez um rápido comentário sobre a sua instituição e foi uma oportunidade para aumentar o leque da nossa rede, principalmente na área de saúde e criminalística”, considerou.

310

Agradecimentos aos voluntários A equipe de trabalho do Sefras Curitiba é composta, na sua maioria, por pessoas voluntárias que ajudam desde o bazar franciscano ao “Chá da Tarde” para a população de rua. Para agradecer a solidariedade dessas pessoas que se voluntariam em prol do atendimento prestado pelo Sefras, foi preparado um jantar de estrogonofe, no dia 29 e abril. “Foi um encontro importante para acertarmos alguns assuntos sobre o atendimento dos voluntários e a metodologia de trabalho de atendimento”, contou Flávio Eloy.

Casa de Clara: Coral dos idosos O Coral dos Idosos da Casa de Clara se apresentou na Câmara Municipal de São Paulo durante a cerimônia de encerramento da gestão 2012-2014 do Grande Conselho Municipal do Idoso. De acordo com a coordenadora da Casa de Clara, Marcia Elizabeth dos Santos, o coral tem estimulado a confiança e a autoestima dos idosos. “A professora maestrina Maria Emily, com muito carinho, competência e técnica os tem conduzido com alegria e tem incentivado a potencialidade de todos para o canto, dentro das possibilidades de cada um”, explicou. “Leitura Livre!” na Fundação Casa O Sefras iniciou às sextas-feiras uma atividade chamada “Leitura Livre!” com as adolescentes da Fundação Casa, Unidade Ruth Pistori, em São Paulo. De acordo com a coordenadora deste serviço, Camila Gibin, o primeiro encontro teve a proposta de sensibilização das meninas para a atividade, “provocando reflexões acerca das formas de expressão dos sentimentos, por meio das palavras escritas”, contou. Participaram 25 adolescentes. Entre elas, algumas já possuem o hábito da leitura e produzem poemas. Cinedebate: Tráfico Humano Por meio da exibição de filmes, universidade e ONG debatem tema da Campanha da Fraternidade 2014. Este tema também é uma preocupação dos alunos e docentes da Universidade São Francisco (USF) e de profissionais e pessoas atendidas pelo Sefras. Em parceria, as duas instituições uniram-se para trazer o debate e a informação para a sociedade. Já foi exibido o longa-metragem “Anjos do Sol” (classificação etária 14 anos) e duas sessões no mês de abril. No dia 30 e 31 de maio, será a vez do tema “Tráfico de Órgãos”. As exibições são gratuitas e abertas à comunidade. No Sefras (R. Riachuello, 268) o cine-debate acontece às 14 horas. Na USF, (R. Antonieta Leitão, 129), a partir das 10 horas.


Notícias e informações ________________________________________

Caros confrades, Paz e Bem! Nos anos de 1982, 1998 e 2003, foi pedido pelo Ministro Provincial respectivo, em nome do Definitório, que os confrades preenchessem uma Ficha Autobiográfica. Frei Basílio Prim foi o primeiro. No ano de 1979 fez passar no Capítulo Provincial uma moção, segundo a qual, para a visita canônica de 1982, cada frade deveria entregar um formulário preenchido, com dados importantes de sua vida. Em 1998, passados 16 anos, Frei Caetano Ferrari, não sob a forma de decreto capitular, mas contando com a corresponsabilidade e a fraterna compreensão dos irmãos, pedia que houvesse uma atualização e complementação da Ficha individual. Frei Augusto Koenig, em 2003, fez o mesmo. Aos pedidos feitos em anos diversos, boa parte dos frades atendeu prontamente. Outro tanto, porém, não completou a Ficha. Gostaria de propor para este ano que retomássemos e atualizássemos a nossa Ficha Autobiográfica. Ela não é fruto de uma curiosidade ou de mero recolhimento de dados. Trata-se de oportunidade de colocarmos por escrito algo sobre nossa família, sobre os fatos marcantes de nossa caminhada vocacional, antes e após o ingresso na Ordem, sobre as experiências significativas que tivemos (ou estamos tendo) como frades menores, nossos anseios e expectativas, e também, quem sabe, eventos que nos fizeram menos felizes. Frei Caetano dizia em 1998 que não se tratava de um conjunto de informações que buscavam vasculhar a alma, mas queriam completar as já existentes no Provincialado, e que servem para atender às solicitações feitas pela Ordem, pela Igreja, e mesmo pela Província. A Ficha, é lógico, pelo caráter pessoal, é guardada com respeito e cuidado na pasta de cada um. Algumas observações: 1. Enviamos por e-mail, no dia 5 de maio,

anexo com o nome dos frades que já preencheram a Ficha nos anos citados. Estes, pelos anos transcorridos, se o desejarem (e seria bom que o fizessem), poderiam fazer uma complementação (um adendo) à Ficha já entregue, de modo que experiências ou dados não relatados ainda, pudessem vir a completar o que já foi escrito. 2. Enviei carta individual para os frades que em 1998 e 2003 não tinham ainda 15 anos de Vida Franciscana, pedindo que eles complementem a Ficha. 3. Enviei também carta individual para os frades com mais tempo de Vida Franciscana e que ainda não preencheram a Ficha. São 84 frades. 4. Frades que atualmente não completam 15 anos de Vida Franciscana, a menos que o queiram, não precisam preencher a Ficha. 5. Enviamos também anexo com o formulário da Ficha em Word, de modo que possa ser remetida ao secretário da Província por e-mail (freiwalter@franciscanos.org.br). Peço que o façam até o dia 31 de agosto deste ano. 6. Peço ainda aos guardiães e coordenadores das fraternidades que coloquem este assunto na pauta do Capítulo Local e acompanhem os confrades na confecção e entrega da Ficha. 7. Uma última observação. Não é necessário se ater unicamente aos itens e perguntas propostos na Ficha. Alguns confrades preferiram (e preferem) escrever um texto corrido, relatando sua vida (família, infância, vocação), etapas de formação, etc. Neste caso, o conjunto de perguntas poderá servir apenas como roteiro para a elaboração do texto. Contando com seu interesse, disposição e ajuda, e com abraço fraterno, Frei Fidêncio Vanboemmel, OFM Ministro Provincial

Comunicações . junho de 2014

Ficha autobiográfica PREENCHIMENTO E COMPLEMENTAÇÃO

311


Notícias e informações ________________________________________

CLARISSAS

Comunicações . junho de 2014

MOSTEIRO DE NOVA IGUAÇU CELEBRA JUBILEU DE PRATA

312

Após um ano de bênçãos e graças, o tão esperado dia 13 de maio de 2014 chegou. A Capela, especialmente ornamentada para tão importante celebração do Jubileu de Prata do Mosteiro, estava repleta. Às 18 horas iniciou-se a oração do Terço do Rosário, animada pelo grupo do Terço dos Homens, da Paróquia Sagrada Família, da Posse. Às 18h30 teve início a solene Celebração Eucarística, presidida por Dom Caetano Ferrari, Bispo de Bauru (SP), contando com a presença de nosso bispo diocesano Dom Luciano Bergamin, CRL, frades franciscanos desta Província, diáconos, seminaristas e jovens do Propedêutico, religiosos(as), membros da Ordem Franciscana Secular, marcaram presença juntamente com os numerosos fiéis, benfeitores, devotos de Santa Clara e amigos de nosso Mosteiro. Em sua homilia, Dom Cae-

tano destacou a atuação do Espírito Santo de Deus que renova todas as coisas (Ap 21, 1-5), comentou sobre sua amizade com Dom Adriano Hypólito e como acompanhou desde o início esta fundação, particularmente em suas visitas, como Provincial dos frades da Província da Imaculada Conceição, sempre tinha ocasião de vir ao nosso Mosteiro, para um convívio bem fraterno. Dom Caetano comentou que nunca deixou de receber nossas cartas, sobretudo nos 12 anos que se seguiram desde sua ordenação episcopal. Nós ansiávamos pelo momento de nos encontrar novamente e o Senhor nos proporcionou este momento tão oportuno. Concluindo sua homilia, pediu orações pelo feliz êxito do Jubileu em sua Diocese e convidou os fiéis que puderem participar, a um intercâmbio de amizade. No momento do ofertório, foram oferecidos, juntamente com o pão e o vinho, os seguintes sím-

bolos: um quadro com a foto de Dom Adriano Hypólito e uma vela acesa, simbolizando a luz de Cristo, que sempre iluminou a vida e missão deste Mosteiro; e um terço, simbolizando a intercessão maternal de Maria. Foi feita uma prece pela Irmã Conceição, que desde o início assumiu este Mosteiro como Abadessa e Mãe; a ele se dedicou com todas as suas forças, e hoje se encontra fisicamente unida à cruz de Cristo pela enfermidade, para que o Senhor se digne confortá-la, e recompensá-la pelo seu tão grande amor e total dedicação. Outro momento que ficará bem na memória foi a leitura da Bênção do Papa à nossa querida Madre Ivone e Comunidade por ocasião da celebração dos 25 anos de fundação do Mosteiro. Após a oração final, Dom Luciano convidou a todos a darem os famosos ‘pulinhos’, desta vez 25, em honra dos 25 anos de fundação do Mosteiro.


Notícias e informações ________________________________________

Após a cerimônia, a assembleia foi convidada à casa Betânia, anexa ao Mosteiro, onde foi servido um jantar de confraternização. Agradecemos, de coração, aos que tornaram possível esta celebração do Jubileu. Madre Ivone Maria da Apresentação

No dia 13 de maio de 1989, †Dom Adriano Hypólito, OFM, então Bispo da Diocese de Nova Iguaçu, realizou o grande sonho de ter um Mosteiro de vida contemplativa em sua Diocese. As Irmãs Fundadoras, oriundas do Mosteiro de Nossa Senhora da Piedade, Ilha da Madeira, Portugal, foram convidadas pelo então Assistente das Clarissas de Portugal, Padre Barreira, a assumir tão importante missão: de “rezarem e se sacrificarem pelo povo sofrido da Baixada”. Chegaram ao Brasil em 17 abril de 1986 e permaneceram 3 anos numa casa provisória, enquanto o Mosteiro se construía, com ajuda vinda da Alemanha, de modo especial, por Monsenhor Michel, da Diocese de Colônia. Desde o início da construção, Dom Adriano planejou a inauguração do Mosteiro para o dia 13 de maio, dia em que Nossa Senhora apareceu aos Pastorzinhos, no país de origem das Irmãs Fundadoras, colocando assim, sob a proteção de Maria, o que o Irmão Bispo sempre denominou: “o nosso Mosteiro”.

Comunicações . junho de 2014

Histórico

313


Notícias e informações ________________________________________

FREI NILO ESCREVE SOBRE DIREITO AMBIENTAL EM COLEÇÃO DA EMBRAPA A Embrapa acaba de lançar o primeiro dos 4 volumes da Coleção “Direito Ambiental”, com participação de Frei Nilo Agostini, que escreveu o capítulo sobre “Ética e moral: Por um equilíbrio entre o ser humano e a natureza”. Este volume trata dos “Princípios Gerais do Direito Ambiental”. Veja o que diz a própria resenha do livro: “A civilização humana vem se defrontando, atualmente, com um dos maiores desafios da sua história no planeta Terra, representado pela questão ambiental em escala global. Esta obra, que à primeira vista parece destinada exclusivamente a operadores do Direito, é de interesse de qualquer cidadão, independentemente da sua formação acadêmica, por criar um painel com as mais variadas perspectivas e interpretações sobre a matéria enfocada, em múltiplas áreas do conhecimento. Os quatro volumes que compõem a Coleção Direito Ambiental - Princípios Gerais do Direito Ambiental; Direitos Fundamentais e o Direito Ambiental; Bens e Recursos Ambientais e o Direito Ambiental; Espaços Especialmente Protegidos e o Direito Ambiental apresentam o atual estado do conhecimento em quatro

áreas inter-relacionadas. Assim, em cada volume, consegue-se integrar distintos campos de estudo que, mesmo quando compreendidos em separado, mantêm coesão com os demais, numa visão abrangente e interdisciplinar. Para tanto, contou-se com a contribuição de um amplo grupo de pesquisadores, professores universitários e filósofos, altamente qualificados. Este primeiro volume - Princípios Gerais do Direito Ambiental é o ponto de partida para a interpretação de todas as normas que compõem o sistema jurídico-ambiental. Os princípios gerais desempenham papel relevante no Direito Ambiental, uma vez que a evolução da sociedade e o contínuo aparecimento de tecnologias fazem surgir, a cada dia, novas situações, capazes de interferir na qualidade do meio ambiente, situações essas que ainda não foram objeto de legislação específica. É com base nas abordagens contemporâneas deste volume que se estabelecerão as reflexões e os conhecimentos conexos contidos nos volumes que o sucederão”. Quer saber mais? Veja os links: http://freiniloagostini.blogspot.com.br

Florianópolis

PARÓQUIA SANTO ANTÔNIO TEM NOVO SITE A Trezena de Santo Antônio, em Florianópolis, já está sendo anunciada pelo novo site, que foi lançado durante a Missa das 19 horas do dia 20 de maio. Comunicações . junho de 2014

O pároco Frei Vanderley Grassi conta que escolheu

314

a plataforma WordPress para desenvolver este novo site. “Isso porque ela é muito parecida com um blog e fácil de ser atualizada”, explicou. Essa é uma das ferramentas mais famosas na criação de blogs, disputando diretamente com o serviço do Google chamado Blogger. Além disso, o site permite sincronização com novas mídias sociais, como o Facebook e Twitter.


falecimento ________________________________________

FREI GIACOMO BINI

Na manhã do dia 9 de maio chegou a triste notícia da morte de Frei Giacomo Bini, que foi Ministro Geral da Ordem de 1997 a 2003. Tinha 75 anos de idade. Nascido em Ostra Vetere, na província de Ancona, na Itália, no dia 23 de agosto de 1938. Era filho de Amalio e Teresa Tanfani. Entrou na Ordem no dia 18 de setembro de 1956, na Província de São Giacomo della Marca, onde fez a Primeira Profissão no dia 19 de setembro de 1957, e a Profissão Solene em 7 de setembro de 1963. Foi ordenado presbítero no dia 14 de março de 1964. Foi mestre de noviços, definidor e vigário provincial. Estudou por dois anos no Instituto Católico de Paris, e no ano de 1971, junto à Universidade de Estrasburgo, obteve o título de doutor em Ciências da Religião, com a tese: “Pecado e penitência em São Basílio de Cesareia”. Em fevereiro de 1983, partiu para a missão ad gentes e se incardinou na Vice-Província de São Francisco da África e Madagascar, onde lhe foram confiados os serviços de Definidor e Vigário Provincial. No sexênio precedente à sua eleição como Ministro Geral, foi Ministro Provincial em Nairóbi, no Quênia. Em 14 de maio de 1997, no Capítulo Geral em Santa Maria dos Anjos, em Assis, Frei Giacomo foi eleito Ministro Geral, tendo como Vigário Geral Frei Estêvão Ottenbreit, que, ao saber do falecimento de Frei Giacomo, comentou que perdeu um grande confrade e amigo. O generalato de Frei Giacomo foi, sem dúvida, marcado pela simplicidade de sua própria pessoa. Muito fraterno, compartilhava com os confrades decisões e responsabilidades. Insistia sempre no retorno à intuição evangélica franciscana, e propunha como um dos caminhos para isso a leitura pessoal diária da Palavra de Deus, e, em fraternidade, uma vez por semana, dando ele mesmo testemunho pessoal disso. Queria uma Ordem mais missionária e evangelizadora. Despojado, carregava nas viagens apenas bagagem de mão. Em São Paulo, em uma de suas vindas à Província, lembro-me de ele perguntar-me onde poderia lavar a própria roupa. Em 2007 foi nomeado guardião da Fraternidade Internacional de Palestrina, dependente do Ministro Geral, surgida como concretização do Seminário de 2006 sobre “Novas Formas de Evan-

+09/05/2014

gelização na Europa”. Atualmente era presidente da Fundação “Beato Egídio”, que além de Palestrina engloba também Istambul. No domingo, dia 11 de maio, às 18h30, na igreja catedral de Palestrina, Dom Domenico Sigalini presidiu a Missa de sufrágio por Frei Giacomo. Na segunda-feira, 12 de maio, às 10h30, foram celebradas as Exéquias na Igreja das Irmãs Franciscanas Missionárias de Maria, em Grottaferrata; O corpo de Frei Giacomo foi sepultado no cemitério de Marino, nas Marcas, junto ao túmulo de seus pais. O Senhor das misericórdias o acolha no seu abraço de luz e de paz. R.I.P. Frei Walter de Carvalho Júnior

Comunicações . junho de 2014

*23/08/1938

315


AGENDA 2014

Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil (*) As alterações e acréscimos estão sublinhados

Junho 06 02 a 04 06 09 09 e 10 13 a 15 16 20 a 22 23 23 30 30 e 01 Julho 04 a 06 07 e 08 07 a 19 22 a 24 22 a 27 29 30 a 01 Agosto 11 a 15 18 18 18 18 a 22

Comunicações . junho de 2014

19 a 24 25 25 a 29 Setembro 01 01 01 e 02 01 e 02 05 e 06 02 e 03 08 08 08 a 19 10 a 25 15 a 16

23 a 25 316 23 a 25

Encontro do Regional do Vale do Paraíba (São Sebastião); Reunião do Definitório Provincial (São Paulo); Encontro do Regional da Baixada e Serra Fluminense (Paty do Alferes); Encontro do Regional do Vale do Itajaí (Balneário Camboriú); Encontro do Regional do Planalto Catarinense e Alto Vale do Itajaí (Ituporanga); Encontro Vocacional em Ituporanga; Encontro do Regional de Pato Branco; Encontro Vocacional em Petrópolis; Encontro do Regional de Curitiba (Aldeia); Encontro do Regional de Agudos (Sorocaba); Encontro do Regional do Espírito Santo (Colatina); Encontro do Regional do Contestado; Encontro Vocacional em Guaratinguetá; Conselho do SAV (São Paulo - São Francisco); Tempo Forte do Definitório Geral; 1º Encontro de Reitores dos Santuários da CFMB (Vila Velha); Missões Franciscanas (PVF/SAV) (Vila Velha); Reunião da comissão preparatória do Capítulo das Esteiras (Sagrado - Petrópolis); Assembleia Anual do Sefras; Retiro e Reunião do Definitório Provincial (Rio de Janeiro); Encontro do Regional do Vale do Paraíba (Guaratinguetá - Postulantado); Encontro do Regional de São Paulo (Bragança Paulista); Encontro do Regional do Rio de Janeiro e Baixada Fluminense (Rocinha); Encontro dos Ecônomos da CFMB (Campo Grande - MS); Missões Franciscanas (PVF/SAV) (Amparo); Encontro do Regional de Curitiba (São Boaventura); Reunião da CFMB (Cuiabá); Encontro de Formadores (Ituporanga); Encontro do Regional de Agudos (Bauru); Encontro do Regional do Contestado; Encontro do Regional do Leste Caterinense (Angelina); Encontro do Regional da Baixada e Serra Fluminense (ITF); Reunião do Conselho do Secretariado para a Formação e os Estudos (Rodeio); Encontro do Regional de Pato Branco; Encontro do Regional do Vale do Itajaí (Blumenau); Tempo Forte do Definitório Geral; Experiência Under Ten (Jacareacanga - PA); Encontro do Regional do Planalto Catarinense e Alto Vale do Itajaí (Curitibanos); Capítulo das Esteiras (Agudos); Jubileus (Capítulo das Esteiras);

24 a 27 outubro 09 13 e 14 14 a 16 18 a 19 20 a 24 21 a 24

Visita do Ministro Geral a Província da Imaculada; Reunião do Conselho Gestor da Província (Sede Provincial); Encontro Provincial da Frente de Evangelização da Comunicação (Rondinha); Reunião do Definitório Provincial (São Paulo); Ordenação Presbiteral e Primeira Missa de Frei Marcos Prado (São Lourenço - MG); Retiro no Eremitério (Rodeio); Curso de Franciscanismo (Rondinha);

novembro 03 a 15 Tempo Forte do Definitório Geral; 04 a 09 Missões Franciscanas (PVF/SAV) (Niterói); 06 Encontro do Regional do Vale do Paraíba (Recreativo); 10 a 11 Encontro do Regional do Leste Catarinense Recreativo (Forquilhinha); 12 e 13 Encontro do Regional de Pato Branco (recreativo); 13 a 16 Encontro Vocacional em Guaratinguetá; 14 a 16 Encontro dos Irmãos Leigos; 17 Encontro do Regional do Vale do Itajaí - Recreativo (Gaspar); 17 e 18 Encontro do Regional do Planalto Catarinense e Alto Vale do Itajaí - Recreativo (Piratuba); 20 a 23 Encontro Vocacional em Ituporanga; 24 Encontro do Regional de Agudos - Recreativo; 24 e 25 Reunião do Conselho do Secretariado da Evangelização; 24 a 28 Retiro no Eremitério (Rodeio); 25 a 27 Reunião do Definitório Provincial (São Paulo); 29 e 30 Ordenação Presbiteral e Primeira Missa de Frei Paulijacson Pessoa de Moura (São Miguel - RN); dezembro 01 Encontro do Regional do Espírito Santo (Recreativo); 01 Encontro do Regional de Curitiba (Recreativo Caiobá); 01 Encontro do Regional de São Paulo (Recreativo Guarujá); 01 Encontro do Regional do Rio de Janeiro e Baixada Fluminense - Recreativo; 01 e 02 Encontro do Regional do Contestado (recreativo); 08 Encontro do Regional da Baixada e Serra Fluminense (Taquara); 15 a 19 Tempo Forte do Definitório Geral;

2015 Março 09 a 21 Maio 10 a 07 junho 29 a 11 Julho 16 a 19 22 a 26

1ª etapa do curso de formadores - Serfe - CFMB (Petrópolis) Capítulo Geral (Assis) 2ª etapa do curso de formadores - Serfe - CFMB (Petrópolis) II Encontro Nacional de Jovens da CFMB Encontro SIFEM/JPIC (Bacabal - MA)


junho_2014_baixa  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you